EMBALAGENS PARA ESTERILIZAÇÃO.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EMBALAGENS PARA ESTERILIZAÇÃO."

Transcrição

1 EMBALAGENS PARA ESTERILIZAÇÃO. Márcia Cristina O Pereira Enfermeira encarregada da central de material esterilizado HMSL. Especialista em CC, CME, RA USP Mestrado em saúde do adulto - USP

2 FINALIDADE DA EMBALAGEM Manter a esterilidade do produto Vida útil e condições de funcionalidade Proteção para transporte e armazenagem até a sua utilização Favorecer a transferência asséptica, sem risco de contaminação.

3 As condições as quais os materiais ou sistemas de embalagem são produzidos, estocados, transportados e manuseados, devem ser estabelecidas, controladas e documentadas, para garantir que: a) as condições sejam compatíveis com o uso para o qual a embalagem for designada b) as características de desempenho do material da embalagem sejam mantidas.

4 Sistema estéril de barreira Embalagem mínima que previne a entrada de micro-organismos e permite apresentação asséptica do produto no ponto de uso Por exemplo: folha de empacotamento interno. Embalagem de proteção Configuração dos materiais desenvolvidos para proteger e prevenir danos para o sistema estéril e seu conteúdo a partir do preparo até o momento do uso Esta por exemplo, pode ser a embalagem externa que fornece proteção ao pó ou danos no transporte. Sistema de embalagem Combinação do sistema de barreira estéril e a embalagem de proteção

5 Sistema de embalagem Embalagem Primária Embalagem Secundária

6 Sistema de embalagem Embalagem Proteção ou Cover Bag

7 Tipos de Embalagens para Esterilização REUTILIZÁVEIS DESCARTÁVEIS TECIDO DE ALGODÃO ESTOJO METÁLICO VIDRO REFRATÁRIO CONTAINER RÍGIDO PAPEL GRAU CIRÚRGICO PAPEL CREPADO SMS TYVEK

8 ESCOLHA DA EMBALAGEM PERMEÁVEL AO AGENTE ESTERILIZANTE GARANTIR A ESTERILIDADE DO PRODUTO, SER UMA BARREIRA EFETIVA A PASSAGEM DO MO. Ar Agente esterilizante Microrganismos P R O D U T O

9 Compatível com o método: Tipo de Vapor sob Calor Óxido de Plasma de Autoclave de Radiação Embalagem pressão Seco Etileno Peróxido de Hidrogênio Formaldeído Ionizante Tecido de algodão(1) Sim Não Não Não Não Não Contêiner rígido(1) Sim Não Sim Sim Sim Sim Vidro refratário(1) Sim** Sim Não Não Não Não Papel grau cirúrgico (2) Sim Não Sim Não Sim Sim Papel crepado(2) Sim Não Sim Não Sim Sim Filmes (2) Sim Não Sim Não Sim Sim TYVEK (2) Sim Não Sim Sim Sim Sim Nãotecido S MS (2) Sim Não Sim Sim Sim Sim*** Caixas metalicas(1) Sim* Sim Sim* Sim* Sim* Sim*

10 Resistir às condições físicas do processo de esterilização

11 Ser apropriada ao item(s) e ao método de esterilização Proteger o conteúdo de dano físico.

12 Favorecer a transferência do conteúdo com técnica asséptica sem riscos de contaminação Proporcionar selagem adequada

13 Ser atóxico e inodoro Apresentar um nível aceitável de limpeza. Baixo nivel de desprendimento de partículas. Ser hidro repelente

14 Permitir a identificação do conteúdo e ser usado de acordo com as recomendações do fabricante Dimensões variadas para atender aos diferentes tamanhos e conformações dos materiais que irão revestir ou embalar

15 Baixa memória, para não dificultar a abertura dos pacotes ausência total indesejável No caso do papel, não delaminar no momento da abertura

16 RESPONSABILIDADE É de responsabilidade do produtor das embalagens assegurar que o produto atenda às especificações das normas estabelecidas pela ABNT, ou na ausência delas às normas internacionais existentes (ISO, EN)

17 AMBIENTE Uso racional Embalagens que não agridem o meio ambiente.

18 NBR NBR NBR ESPECIFICAÇÕES SOBRE TIPO DE TECIDO E GRAMATURA. Tecido de Algodão

19 Tecido de Algodão VANTAGENS Apropriada ao método de esterilização por autoclave a vapor. Resistente Maleável/ Baixa memória. Inodora Favorecer a transferência do conteúdo Não possuir componentes tóxicos DESVANTAGENS Incompatível com métodos químicos. (ETO/ H2O2/ Formaldeido) Não é repelente à líquidos Difícil controle da forma e nº de Reprocessamento (65 vezes segundo Rodrigues, 2000) Dificil visualização da quebra de barreira.

20 Embalagens de Não Tecido NBR 13370:2000 Não tecido é uma estrutura plana, flexível e porosa, constituída de véu ou manta de fibras ou filamentos

21 Embalagens de Não Tecido - SMS Spunbonded Meltblown Spunbonded Os métodos mais empregados para fabricação das embalagens são: spunbonded (confere resistência mecânica), metblowm (confere propriedades de barreira), spunbonded.

22 Embalagens de SMS Vantagens Compatibilidade vapor, ETO, formaldeído, peróxido de hidrogênio Eficiente filtragem microbiana (91-96%) Resistente Facilidade na manipulação Impermeável Desvantagens Não evidencia quebra de integridade. Em auto gravitacional precisa atenção na secagem

23 ORIENTAÇÕES USO DE EMBALAGENS PAPEL GRAU CIRÚRGICO NBR Verificar dados de: identificação, procedência, registro, lote; tinta está fora da área de contato com o artigo; Observar se envelopes e bobinas contêm: indicador de processo, texto de orientação da mudança de cor conforme exposição, Tamanho da embalagem, Indicação de abertura.

24 Embalagem Prontas: Vapor, ETO & Raios Gama Número de lote impresso a cada 155mm nos tubulares ou em todos os envelopes Impressão em área externas (evitando migração para o Interior do pacote)

25 Papel Grau Cirúrgico Vantagens Compatibilidade vapor, ETO, gás de formaldeído, radiação Baixo custo IQ impregnado na embalagem Disponibilidade em várias formas e tamanhos Desvantagens Incompatível: calor seco e plasma de peróxido de hidrogênio (Sterrad) Artigos pesados e pontiagudos/ danificar embalagem. Papel permeavel.

26 PAPEL ENCRESPADO EN ISO NBR ª Geração Material 100% celulose. 2ª Geração Celulose reforçada com fibras sintéticas. 3ª Geração Mistura de celulose e fibras sintéticas, reforçadas com fibras sintéticas externas.

27 Papel Crepado Vantagens Eficiência de filtragem microbiana (98-99%) Compatibilidade com vapor, ETO, gás de formaldeído, radiação Biodegradavel hidrorepelente Desvantagens Menor resistência à tração Tem efeito memória

28 É composto de fibras finas de polipropileno de alta densidade formados pela ação do calor e pressão. TYVEk ISO

29 Vantagens Compatibilidade ETO, gás de formaldeído, radiação, peróxido de hidrogênio Superior resistência Excelente barreira 99% Selagem resistente IQ impregnado na embalagem Visualização do conteúdo interno (produto) Disponível em várias formas e tamanhos Desvantagens Alto custo Incompatível com calor seco Incompatível com temperaturas superiores a C.

30 Container- EN Finalidades Manter esterilidade durante o transporte; Minimizar a contaminação do meio ambiente; Economizar espaço no armazenamento; Possibilitar a codificação dos materiais por placas coloridas; Estocar materiais por várias semanas;

31 Container Vantagens Desvantagens Compatibilidade c/ vapor, ETO, gás de formaldeído, peróxido de hidrogênio, radiação Rígidos > tempo de validade Adequação da autoclave para o processo de esterilização eficiente Alto custo

32 Selagem A selagem é também considerada como um aspecto crítico para a conservação da esterilidade dos artigos. As seladoras devem possuir regulagem de temperatura e controle de solda, promover fechamento hermético da embalagem com garantia de integridade. Recomendações: 10mm de largura, 3cm distante da borda, sem queimar ou enrugar.

33 CONSIDERAÇÕES FINAIS A melhor opção de embalagens será sempre aquela que atenda às especificações técnicas normalizadas, proporcione utilização segura, e esteja disponível no mercado.

34 OBRIGADA.

OFICINA: EMPACOTAMENTO Tecido de Algodão, Contêineres, SMS, Papel Grau Cirúrgico, Tyvek, Papel Crepado, Fitas adesivas e Termosselagem.

OFICINA: EMPACOTAMENTO Tecido de Algodão, Contêineres, SMS, Papel Grau Cirúrgico, Tyvek, Papel Crepado, Fitas adesivas e Termosselagem. OFICINA: EMPACOTAMENTO Tecido de Algodão, Contêineres, SMS, Papel Grau Cirúrgico, Tyvek, Papel Crepado, Fitas adesivas e Termosselagem. Enf. Simone Batista Neto Arza São Paulo -2012 EMBALAGEM PARA ESTERILIZAÇÃO

Leia mais

EMBALAGENS PARA ESTERILIZAÇÃO TERESINHA NEIDE DE OLIVEIRA 2011

EMBALAGENS PARA ESTERILIZAÇÃO TERESINHA NEIDE DE OLIVEIRA 2011 EMBALAGENS PARA ESTERILIZAÇÃO TERESINHA NEIDE DE OLIVEIRA 2011 EMBALAGEM A embalagem deve assegurar o conteúdo estéril até sua abertura com técnica asséptica, sem risco de contaminação. EMBALAGENS E PROCESSOS

Leia mais

CENTRAL DE MATERIAL ESTERILIZADO

CENTRAL DE MATERIAL ESTERILIZADO CENTRAL DE MATERIAL ESTERILIZADO Clique para editar o estilo do subtítulo mestre Sala de Preparo e Esterilização Equipe: Carla, Marcela e Maria Cristina 6º Período de Enfermagem UNIS Sala de preparo A

Leia mais

Embalagens para esterilização. O que você precisa saber sobre: Normas técnicas

Embalagens para esterilização. O que você precisa saber sobre: Normas técnicas O que você precisa saber sobre: Normas técnicas Leis e Normas Constituição Federal Leis Infra - constitucinais Ex: Código Penal 1940 Código Civil (1916) 2002 Leis Complementares (Decreto Lei) MP NORMAS

Leia mais

Enfª Karin Bienemann

Enfª Karin Bienemann Enfª Karin Bienemann CONCEITOS BÁSICOS: CME É uma unidade voltada à prestação de serviços, onde é realizado o trabalho de limpeza, montagem, embalagem, esterilização e armazenamento de materiais. LIMPEZA

Leia mais

INSTRUÇÕES DE USO EMBALAGEM PARA ESTERILIZAÇÃO SOLIDOR

INSTRUÇÕES DE USO EMBALAGEM PARA ESTERILIZAÇÃO SOLIDOR INSTRUÇÕES DE USO EMBALAGEM PARA ESTERILIZAÇÃO SOLIDOR Importador: Lamedid Comercial e Serviços Ltda. Endereço: Av. Gupê, nº 10767 Galpão 20, Bloco IV Jardim Belval Município: Barueri SP -CEP: 06422-120

Leia mais

Ahlstrom SBS: Sistemas de Barreira Estéril (SBS) de alto desempenho que o ajudam a se manter na vanguarda.

Ahlstrom SBS: Sistemas de Barreira Estéril (SBS) de alto desempenho que o ajudam a se manter na vanguarda. Ahlstrom SBS: Sistemas de Barreira Estéril (SBS) de alto desempenho que o ajudam a se manter na vanguarda. Sua parceira na cadeia de prevenção de infecções. Nada permanece estático no setor de cuidados

Leia mais

Manual de Instruções

Manual de Instruções Manual de Instruções Kit de Instrumental para Cirurgia do Túnel do Carpo VOLMED Nome Técnico: KIT CIRÚRGICO Fabricante: VOLMED BRASIL EQUIPAMENTOS LTDA -ME AV. SÃO GABRIEL, 291 JD. PAULISTA CEP: 13574-540

Leia mais

NOME COMERCIAL: APLIC SERINGA DESCARTÁVEL RETRÁTIL COM AGULHA

NOME COMERCIAL: APLIC SERINGA DESCARTÁVEL RETRÁTIL COM AGULHA NOME COMERCIAL: APLIC SERINGA DESCARTÁVEL RETRÁTIL COM AGULHA 1.1. Descrição detalhada do produto médico, incluindo os fundamentos de seu funcionamento e sua ação: A Aplic Seringa Descartável Retrátil

Leia mais

HOSPITAL MUNICIPAL DR. MÁRIO GATTI ÁREA DE LICITAÇÕES

HOSPITAL MUNICIPAL DR. MÁRIO GATTI ÁREA DE LICITAÇÕES ADENDO ANEXO I - NOVO DESCRITIVO DO OBJETO Item Descritivo Und. Qtd. Obs. AVENTAL CIRÚRGICO DESCARTÁVEL IMPERMEÁVEL - TAMANHO G (210848) - Avental cirúrgico confeccionado em não tecido, 100% polipropileno,

Leia mais

Princípios e métodos de esterilização

Princípios e métodos de esterilização Princípios e métodos de esterilização FUNDAMENTOS DE ESTERILIZAÇÃO Bactérias (forma vegetativa ou esporulada) São os menores organismos vivos; Existem em maior número; São as maiores responsáveis pelos

Leia mais

AUTOCLAVES SS. Autoclave VITALE. 12 Litros R$: 3.260,00 à vista. ou 10 x R$: 326,00 sem juros. 21 Litros R$: 4.330,00 à vista

AUTOCLAVES SS. Autoclave VITALE. 12 Litros R$: 3.260,00 à vista. ou 10 x R$: 326,00 sem juros. 21 Litros R$: 4.330,00 à vista SHOPPING DA BELEZA AUTOCLAVES SS TELE-VENDAS 3542-1030 / 3542-1803 DISTRIBUIDOR AUTORIZADO Autoclave AMORA 4 Litros R$: 1.999,00 à vista ou 10 x R$: 215,00 Autoclave Amora - Cristófoli 4 Litros Autoclave

Leia mais

Métodos de esterilização de artigos médico-hospitalares

Métodos de esterilização de artigos médico-hospitalares Métodos de esterilização de artigos médico-hospitalares 1 Esterilização de artigos médico-hospitalares: qual a melhor solução? 3 1 A esterilização é um processo multiparamétrico Depende dos fatores físicos

Leia mais

Esterilização de Baixa Temperatura e Uso de Termodesinfectora: Práticas x Resoluções

Esterilização de Baixa Temperatura e Uso de Termodesinfectora: Práticas x Resoluções Esterilização de Baixa Temperatura e Uso de Termodesinfectora: Práticas x Resoluções 1 Legislações pertinentes: RDC156:2006 (reprocessamento) RE 2605:2006 (lista de proibições) RE2606:2006 (protocolo de

Leia mais

MANIPULAÇÃO DOS INSTRUMENTOS PERSONALIZADOS PROPHECY DESCARTÁVEIS DA MICROPORT 150807-0

MANIPULAÇÃO DOS INSTRUMENTOS PERSONALIZADOS PROPHECY DESCARTÁVEIS DA MICROPORT 150807-0 PT MANIPULAÇÃO DOS INSTRUMENTOS PERSONALIZADOS PROPHECY DESCARTÁVEIS DA MICROPORT 150807-0 Estão incluídos na presente embalagem os idiomas seguintes: English (en) Deutsch (de) Nederlands (nl) Français

Leia mais

Recomendações Importantes sobre as tintas Saturno

Recomendações Importantes sobre as tintas Saturno Recomendações Importantes sobre as tintas Saturno A Saturno é uma empresa com mais de 60 anos de experiência na fabricação de tintas e vernizes para diversos segmentos da comunicação visual e decoração

Leia mais

A Monitorização do Processo

A Monitorização do Processo A Monitorização do Processo Ana Rita Martins DIL/UI 22 anos de serviço público com valores e ética Reprocessamento Novo processamento de algo que já foi processado anteriormente ou Processar mais uma vez

Leia mais

Instruções de Uso ESTOJOS AUTOCLA- VÁVEIS

Instruções de Uso ESTOJOS AUTOCLA- VÁVEIS Instruções de Uso ESTOJOS AUTOCLA- VÁVEIS Os estojos autoclaváveis são usados para acondicionamento, guarda e garantir a esterilização segura na autoclavagem. Foram desenvolvidos em materiais que suportam

Leia mais

Sumário. BAG TÊINER OXIGEN Dispositivo de prevenção para contêiner. BERMS OXIGEN Bacia de contenção para ações rápidas

Sumário. BAG TÊINER OXIGEN Dispositivo de prevenção para contêiner. BERMS OXIGEN Bacia de contenção para ações rápidas Sumário BCP OXIGEN Bacia de contenção de papelão 03 ECOTÊINER DE INTERIOR OXIGEN Dispositivo de prevenção de vazamentos para transporte em contêineres marítimos BAG TÊINER OXIGEN Dispositivo de prevenção

Leia mais

BOAS PRÁTICAS EM CONSULTÓRIOS MÉDICOS. Alessandra Lima

BOAS PRÁTICAS EM CONSULTÓRIOS MÉDICOS. Alessandra Lima BOAS PRÁTICAS EM CONSULTÓRIOS MÉDICOS Alessandra Lima PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DOS 2005: 5 ENF 2006: 2 ENF 2007: 3 ENF CONSULTÓRIOS MÉDICOS 2009: 2 ENF 2008 3 ENF Necessidade de mudança do foco: Preocupação

Leia mais

SERVICE 2 3.0 08/2015-PT. MicroStop. Recipientes de esterilização e acessórios

SERVICE 2 3.0 08/2015-PT. MicroStop. Recipientes de esterilização e acessórios SERVICE 2 3.0 08/2015-PT MicroStop Recipientes de esterilização e acessórios Recipientes de esterilização MicroStop A ponte entre a cirurgia, o descarte, a esterilização e a armazenagem para uma rotina

Leia mais

Samy Menasce. Associação Brasileira de Esterilização - ABE. Esterilização de material cirúrgico pelo Gás Ozônio ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTERILIZAÇÃO

Samy Menasce. Associação Brasileira de Esterilização - ABE. Esterilização de material cirúrgico pelo Gás Ozônio ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTERILIZAÇÃO RUA DO ROSÁRIO, 135 4º ANDAR / CENTRO RIO DE JANEIRO / RJ CEP.: 20041-005 (21) 2224-2237 (31) 2224-3237 www.abebrasil.org.br Associação Brasileira de Esterilização - ABE Esterilização de material cirúrgico

Leia mais

Plásticos para Cultivo Celular

Plásticos para Cultivo Celular Linha Cultivo de Células e Tecidos Fabricada em poliestireno cristal virgem (GPPS), oferece produtos com alta transparência para ótima visualização e sem presença de contaminantes, assegurando integridade

Leia mais

CUIDADOS NAS ETAPAS DO PROCESSAMENTODOS ARTIGOS EM CME

CUIDADOS NAS ETAPAS DO PROCESSAMENTODOS ARTIGOS EM CME CUIDADOS NAS ETAPAS DO PROCESSAMENTODOS ARTIGOS EM CME II SIMPÓSIO NORTE/NORDESTE DE ENFERMAGEM EM CENTRO CIRÚRGICO, RECUPERAÇÃO ANESTÉSICA E CENTRO DE MATERIAL E ESTERILIZAÇÃO NADJA FERREIRA Enfermeira

Leia mais

INSTRUÇÕES DE USO MEPILEX LITE

INSTRUÇÕES DE USO MEPILEX LITE VERSÃO 1 INSTRUÇÕES DE USO MEPILEX LITE Nome técnico: Curativo Nome comercial: Mepilex Modelo: Mepilex Lite 6x8,5 cm, Mepilex Lite 10x10 cm, Mepilex Lite 15x15 cm ou Mepilex Lite 20x50 cm Verifique no

Leia mais

BROCAS CIRÚRGICAS INTRA LOCK SYSTEM

BROCAS CIRÚRGICAS INTRA LOCK SYSTEM S CIRÚRGICAS INTRA LOCK SYSTEM (Brocas Cirúrgicas Odontológicas) INFORMAÇÕES DE IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO As Brocas Cirúrgicas fazem parte do sistema INTRA-LOCK SYSTEM. Deste grupo de instrumentais fazem

Leia mais

Controle do processo de esterilização: Monitoramento físico, químico e biológico.

Controle do processo de esterilização: Monitoramento físico, químico e biológico. 2º WORKSHOP DE PROCESSAMENTO DE ARTIGOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE CONTAGEM-MG Controle do processo de esterilização: Monitoramento físico, químico e biológico. TERESINHA NEIDE DE OLIVEIRA A Verdadeira obra

Leia mais

LIMPEZA, DESINFECÇÃO E ESTERILIZAÇÃO DE ARTIGOS COMO MEDIDAS DE PREVENÇÃO E CONTROLE DE INFECÇÕES RELACIONADAS À ASSISTÊNCIA À SAÚDE IRAS

LIMPEZA, DESINFECÇÃO E ESTERILIZAÇÃO DE ARTIGOS COMO MEDIDAS DE PREVENÇÃO E CONTROLE DE INFECÇÕES RELACIONADAS À ASSISTÊNCIA À SAÚDE IRAS LIMPEZA, DESINFECÇÃO E ESTERILIZAÇÃO DE ARTIGOS COMO MEDIDAS DE PREVENÇÃO E CONTROLE DE INFECÇÕES RELACIONADAS À ASSISTÊNCIA À SAÚDE IRAS Ana Luiza Rammé IRAS - multifatorial Relacionado ao Paciente Relacionado

Leia mais

Os métodos químicos líquidos utilizam glutaraldeído, peróxido de hidrogênio, formaldeído ou acido peracético.

Os métodos químicos líquidos utilizam glutaraldeído, peróxido de hidrogênio, formaldeído ou acido peracético. 21 2 Esterilização A esterilização é um processo utilizado para eliminar microorganismos viáveis de um produto. O nível de garantia de esterilidade deve ser estabelecido por meio de estudos de validação

Leia mais

REDUÇÃO DE CUSTOS COM O USO DO PAPEL CREPADO

REDUÇÃO DE CUSTOS COM O USO DO PAPEL CREPADO REDUÇÃO DE CUSTOS COM O USO DO PAPEL CREPADO ENFERMEIRO GILBERTO LOPES ATAIDE COORDENADOR DA CENTRAL DE MATERIAL ESTERILIZADO DO HOSPITAL UNIMED NORORESTE CAPIXABA COLATINA ES HOSPITAL UNIMED NOROESTE

Leia mais

Determinação da Eficácia de Sistemas de Barreira Estéril contra desafios microbianos durante transporte e armazenamento

Determinação da Eficácia de Sistemas de Barreira Estéril contra desafios microbianos durante transporte e armazenamento Determinação da Eficácia de Sistemas de Barreira Estéril contra desafios microbianos durante transporte e armazenamento Hartmut Dunkelberg, MD; Ulrich Schmelz, MD Tradução livre:rosana Sampaio Objetivo.

Leia mais

Especialista em Soluções

Especialista em Soluções Fita Adesiva de Polipropileno (Empacotamento) Fita adesiva de filme de polipropileno biorientado transparente com adesivo acrílico. Indicada para: - Trabalhos escolares; - Reforço de embalagens; - Fechamento

Leia mais

Procedimentos e técnicas de esterilização de instrumentos cirúrgicos Por Gerson Roberto Luqueta

Procedimentos e técnicas de esterilização de instrumentos cirúrgicos Por Gerson Roberto Luqueta Procedimentos e técnicas de esterilização de instrumentos cirúrgicos Por Gerson Roberto Luqueta Introdução Nos últimos tempos a esterilização de instrumentos cirúrgicos tem sido alvo de discussão em vários

Leia mais

ESTERILIZAÇÃO DE ARTIGOS EM UNIDADES HOSPITALARES I INTRODUÇÃO

ESTERILIZAÇÃO DE ARTIGOS EM UNIDADES HOSPITALARES I INTRODUÇÃO ESTERILIZAÇÃO DE ARTIGOS EM UNIDADES HOSPITALARES I INTRODUÇÃO Esterilização é o processo que se utiliza de agentes químicos ou físicos para destruir todas as formas de vida microbiana. Convencionalmente

Leia mais

A SEGURANÇA DA ASSISTÊNCIA DO PACIENTE CIRÚRGICO: FLUXO DE OPME NORMAS E CONDUTAS

A SEGURANÇA DA ASSISTÊNCIA DO PACIENTE CIRÚRGICO: FLUXO DE OPME NORMAS E CONDUTAS 10º Congresso Brasileiro de Enfermagem en Centro Cirúrgico, Recuperação Anestésica e Centro de Material e ESterilização- 2011 A SEGURANÇA DA ASSISTÊNCIA DO PACIENTE CIRÚRGICO: FLUXO DE OPME NORMAS E CONDUTAS

Leia mais

Arquitetura do CME: seguindo as recomendações da RDC 15-15/03/12 Nome do autor

Arquitetura do CME: seguindo as recomendações da RDC 15-15/03/12 Nome do autor Arquitetura do CME: seguindo as recomendações da RDC 15-15/03/12 Nome do autor Rosa M. P. Fonseca Supervisora do CC / CME do Hospital Paulistano Diretora do conselho Fiscal da SOBECC gestão 2013-2015 200

Leia mais

Classificação das áreas limpas. Preparo de estéreis (Resolução - RDC nº 17, de 16 de abril de 2010)

Classificação das áreas limpas. Preparo de estéreis (Resolução - RDC nº 17, de 16 de abril de 2010) Preparo de estéreis (Resolução - RDC nº 17, de 16 de abril de 2010) Considerações gerais A produção de preparações estéreis deve ser realizada em áreas limpas, cuja entrada de pessoal e de materiais deve

Leia mais

PLÁSTICO BOLHA DATASHEET

PLÁSTICO BOLHA DATASHEET Pág.1/5 Produzido em Filme de Polietileno de Baixa Densidade, com bolhas de ar, o Plástico Bolha é um produto que proporciona excelente proteção nos materiais nele embalados. Outra aplicação largamente

Leia mais

INSTRUÇÃO DE USO TROCART MALLÉABLE Registro ANVISA n 80083650045 - Revisão 00

INSTRUÇÃO DE USO TROCART MALLÉABLE Registro ANVISA n 80083650045 - Revisão 00 Luiz Guilherme Sartori & Cia Ltda. EPP CNPJ: 04.861.623/0001-00 Estr. Municipal RCL-010 nº. 13500, Km 9 Ajapi - Rio Claro/SP - Resp. Téc.: Charles Eduardo Ceccato CREA/SP: 5062635520 Visando a praticidade

Leia mais

CURSO DE PROCESSAMENTO DE MATERIAIS MÉDICO-HOSPITALARES EDUCAÇÃO CONTINUADA MÓDULO II E ODONTOLÓGICOS

CURSO DE PROCESSAMENTO DE MATERIAIS MÉDICO-HOSPITALARES EDUCAÇÃO CONTINUADA MÓDULO II E ODONTOLÓGICOS CURSO DE PROCESSAMENTO DE MATERIAIS MÉDICO-HOSPITALARES E ODONTOLÓGICOS EDUCAÇÃO CONTINUADA MÓDULO II Autoclave Vapor saturado sob pressão Denise Demarzo Curitiba, 17 de novembro de 2010-2010 CME Uso Esterilização,

Leia mais

RESULTADO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 10/2015. Item Descrição Unid. Quant Valor Unit. Valor Total. Vencedor

RESULTADO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 10/2015. Item Descrição Unid. Quant Valor Unit. Valor Total. Vencedor RESULTADO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 10/2015 Objeto: O PRESENTE PREGÃO PRESENCIAL TEM COMO OBJETO A SELEÇÃO DAS MELHORES S PARA A CONTRATAÇÃO DE EMPRESA OBJETIVANDO A COMPRA DOS UTILIZADOS NO CISAMUSEP. Item

Leia mais

CURSO II - PRÉ-CONGRESSO

CURSO II - PRÉ-CONGRESSO RUA DO ROSÁRIO, 135 4º ANDAR / CENTRO RIO DE JANEIRO / RJ CEP.: 20041-005 (21) 2224-2237 (31) 2224-3237 www.abebrasil.org.br 11º Congresso Mundial de Esterilização e 7 Edição do Simpósio Internacional

Leia mais

CARTÕES DE COLETA DE AMOSTRAS

CARTÕES DE COLETA DE AMOSTRAS CARDS CARTÕES DE COLETA DE AMOSTRAS Os cartões para extração Biopur proporcionam uma coleta simples, confiável e eficiente, garantindo a preservação de ácidos nucleicos a longo prazo. São ideais para o

Leia mais

Papéis suportados. Instruções de uso do papel. Impressora a laser em cores Phaser 7750

Papéis suportados. Instruções de uso do papel. Impressora a laser em cores Phaser 7750 Papéis suportados Este tópico inclui: "Instruções de uso do papel" na página 2-5 "Instruções para armazenamento de papel" na página 2-11 "Papel que pode danificar a impressora" na página 2-12 Siga as instruções

Leia mais

1. Introdução 2. 2. As funções da embalagem 2. 3. Classificação das embalagens 5. 4. Principais características dos materiais de embalagem 6

1. Introdução 2. 2. As funções da embalagem 2. 3. Classificação das embalagens 5. 4. Principais características dos materiais de embalagem 6 Capítulo I CONCEITOS GERAIS SOBRE EMBALAGEM 1. Introdução 2 2. As funções da embalagem 2 3. Classificação das embalagens 5 4. Principais características dos materiais de embalagem 6 5. O ambiente e a embalagem

Leia mais

Centro de material e esterilização e a RDC ANVISA nº15 Análise e pontos críticos. Rafael Queiroz de Souza

Centro de material e esterilização e a RDC ANVISA nº15 Análise e pontos críticos. Rafael Queiroz de Souza Centro de material e esterilização e a RDC ANVISA nº15 Análise e pontos críticos Rafael Queiroz de Souza São Paulo 2014 Aspectos críticos Críticos no bom sentido... Gestão de ambientes Gestão de pessoas

Leia mais

A especificação dos itens solicitados no Processo Licitatório Nº 374/2010, referente a:

A especificação dos itens solicitados no Processo Licitatório Nº 374/2010, referente a: Prefeitura Municipal de Divinópolis RELATÓRIO DE ESPECIFICAÇÃO - ANEXO I DO EDITAL Processo Licitatório: Modalidade: Número da Licitação: Aquisição de: 374/2010 PREGÃO 224/2010 Materiais Página: 1 A especificação

Leia mais

L IE CATÁLOGO DE PRODUTOS

L IE CATÁLOGO DE PRODUTOS L IE CATÁLOGO DE PRODUTOS L IE Linha de produtos fabricados em material de alta transparência, em sala limpa escala 100,000, de acordo com as normas ISO 9001 e ISO 13485:2003/AC:2007, certificados como

Leia mais

AGULHA GENGIVAL PROCARE

AGULHA GENGIVAL PROCARE INSTRUÇÕES DE USO AGULHA GENGIVAL PROCARE Fabricante: Xuyi Webest Medical Produtcts Co.Ltd Endereço: Yingchun Rd, Industrial Park, Xuyi, Jiangsu País: Republica Popular da China Importador: Lamedid Comercial

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PROCESSO Nº 1510/2014 PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2014-FM ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 15/2014-FM ATA DE REGISTRO DE PREÇOS ASSUNTO: REGISTRO DE PREÇOS POR 12 (DOZE) MESES PARA FUTURAS AQUISIÇÕES DE LUVAS

Leia mais

Processamento de Materiais Cirúrgicos Complexos. Águida Cassola Dezembro 2009

Processamento de Materiais Cirúrgicos Complexos. Águida Cassola Dezembro 2009 Processamento de Materiais Cirúrgicos Complexos Águida Cassola Dezembro 2009 Qual o tempo de validade das embalagens? Posso usar a mesma embalagem em diferentes processos de esterilização? Embalagens

Leia mais

CURSO DE PROCESSAMENTO DE MATERIAIS MÉDICO-HOSPITALARES EDUCAÇÃO CONTINUADA MÓDULO II E ODONTOLÓGICOS

CURSO DE PROCESSAMENTO DE MATERIAIS MÉDICO-HOSPITALARES EDUCAÇÃO CONTINUADA MÓDULO II E ODONTOLÓGICOS CURSO DE PROCESSAMENTO DE MATERIAIS MÉDICO-HOSPITALARES E ODONTOLÓGICOS EDUCAÇÃO CONTINUADA MÓDULO II Métodos de esterilização a baixa temperatura Denise Demarzo Curitiba, 17 de novembro de 2010-2010 Primeiros

Leia mais

Filtros T e ROTOFILTERS

Filtros T e ROTOFILTERS Introdução O entupimento de emissores (gotejadores, microaspersores e tubo gotejadores) é a mais importante limitação dos sistemas de irrigação localizada. A dimensão da passagem de água destes componentes

Leia mais

CONTROLE E TESTES LIMPEZA ESTERILIZAÇÃO DOCUMENTAÇÃO. SeleçÃo. Indicadores Quimico de Limpeza M0100-810-101 M0100-810-201 M0100-810-112 M0100-810-212

CONTROLE E TESTES LIMPEZA ESTERILIZAÇÃO DOCUMENTAÇÃO. SeleçÃo. Indicadores Quimico de Limpeza M0100-810-101 M0100-810-201 M0100-810-112 M0100-810-212 SeleçÃo Indicadores Quimico de Limpeza M0100-810-101 M0100-810-201 M0100-810-112 M0100-810-212 CONTROLE E TESTES Dispositivos de Desafio e Suportes M0102-800-111 M0102-800-102 M0102-800-116 Indicadores

Leia mais

QUALIDADE DE VESTIMENTAS DE PROTEÇÃO PARA RISCOS QUÍMICOS

QUALIDADE DE VESTIMENTAS DE PROTEÇÃO PARA RISCOS QUÍMICOS QUALIDADE DE VESTIMENTAS DE PROTEÇÃO PARA RISCOS QUÍMICOS Em 2009 a Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), através do Departamento de Segurança e Saúde do Trabalho

Leia mais

Código: CHCB.PI..EST.01 Edição: 1 Revisão: 0 Páginas:1 de 12. 1. Objectivo. 2. Aplicação

Código: CHCB.PI..EST.01 Edição: 1 Revisão: 0 Páginas:1 de 12. 1. Objectivo. 2. Aplicação Código: CHCB.PI..EST.01 Edição: 1 Revisão: 0 Páginas:1 de 12 1. Objectivo o Estabelecer normas para o processamento dos dispositivos médicos, baseadas em padrões de qualidade. o Estabelecer condições de

Leia mais

Frutas e Hortaliças embaladas Aspectos Legais

Frutas e Hortaliças embaladas Aspectos Legais Frutas e Hortaliças embaladas Aspectos Legais A embalagem é instrumento de identificação, proteção, movimentação e exposição das frutas e hortaliças frescas. Ela identifica o produto e o seu responsável.

Leia mais

Enketop Varandas e terraços com um pavimento seguro. O sistema de revestimento monocomponente. www.enke-werk.de

Enketop Varandas e terraços com um pavimento seguro. O sistema de revestimento monocomponente. www.enke-werk.de Enketop Varandas e terraços com um pavimento seguro O sistema de revestimento monocomponente www.enke-werk.de Enketop Varandas e terraços com um pavimento seguro Varandas e terraços não só estão permanentemente

Leia mais

VESTIMENTAS DE SALA LIMPA EIRIC MANRICH RIOPHARMA

VESTIMENTAS DE SALA LIMPA EIRIC MANRICH RIOPHARMA VESTIMENTAS DE SALA LIMPA EIIC MANICH IOPHAMA Características de Tecido Processo de Higienização Procedimento de Colocação de Uniformes UNIFOMES SALAS LIMPAS 1. Tipos de Tecido: 1.1. Tecidos Planos: 1.2.

Leia mais

Tabela de Utilização da Reserva Técnica - Atualizado em 17/09/2013 Solicitante Tipo de Despesa Valor Autorização Escola de Enfermagem

Tabela de Utilização da Reserva Técnica - Atualizado em 17/09/2013 Solicitante Tipo de Despesa Valor Autorização Escola de Enfermagem Tabela de Utilização da Reserva Técnica - Atualizado em 17/09/2013 Solicitante Tipo de Despesa Valor Autorização Escola de Enfermagem Despesas com Material de Consumo de Laboratório 31.890,53 Tomás Dias

Leia mais

Knauf Safeboard Sistemas de proteção radiológica 0% chumbo. 100% segurança.

Knauf Safeboard Sistemas de proteção radiológica 0% chumbo. 100% segurança. Knauf Safeboard Sistemas de proteção radiológica 0% chumbo. 100% segurança. Estabilidade, resistência a Raio X, facilidade de controle e manutenção, peso reduzido e características inovadoras. Descrição

Leia mais

REGISTRO DE PREÇOS 003/2013 Página 1 de 10 Termo de Adesão TERMO DE ADESÃO

REGISTRO DE PREÇOS 003/2013 Página 1 de 10 Termo de Adesão TERMO DE ADESÃO REGISTRO DE PREÇOS 003/2013 Página 1 de 10 TERMO DE ADESÃO que entre si celebram a MINAS GERAIS ADMINSTRAÇÃO E SERVIÇO S/A, na qualidade de Órgão Gestor e o (a), como Órgão Participante, para fins de participação

Leia mais

ÍNDICE 4.2 IMPERMEABILIZANTES 4.2.1 VANTAGENS DA IMPERMEABILIZAÇÃO 4.2.2 FATORES QUE PODEM AFETAR NEGATIVAMENTE À IMPERMEABILIZAÇÃO 4.2.

ÍNDICE 4.2 IMPERMEABILIZANTES 4.2.1 VANTAGENS DA IMPERMEABILIZAÇÃO 4.2.2 FATORES QUE PODEM AFETAR NEGATIVAMENTE À IMPERMEABILIZAÇÃO 4.2. ÍNDICE 1 SUPERFICIES CERÂMICAS 2 PROTEÇÃO ÀS TELHAS E TIJOLOS 3 PRINCIPAIS FATORES QUA ALTERAM AS CARACTERISTICAS DAS SUPERFICIES CERAMICAS: HIDROFUGANTES E IMPERMEABILIZANTES 4.1 HIDROFUGANTES 4.1.1 TIPOS

Leia mais

SOLUÇÕES PARA ALIMENTOS SECOS SEM REQUISITO DE BARREIRA

SOLUÇÕES PARA ALIMENTOS SECOS SEM REQUISITO DE BARREIRA SOLUÇÕES PARA ALIMENTOS SECOS SEM REQUISITO DE BARREIRA O cenário brasileiro 1,2,3 O Brasil é o maior produtor mundial de feijão: em 2012 a safra foi de 2,8 milhões de toneladas, e a projeção para 2013

Leia mais

Soluções Inteligentes para o dia a dia

Soluções Inteligentes para o dia a dia Soluções Inteligentes para o dia a dia TELHAS TRANSLÚCIDAS 70 % transmissão de luz =$ Alta durabilidade; Não solta fibras; Melhor custo/benefício; Leveza e flexibilidade; Proteção contra raios UV (economia

Leia mais

Formulário de Petição para Cadastramento Materiais de uso em saúde RDC nº 24/09

Formulário de Petição para Cadastramento Materiais de uso em saúde RDC nº 24/09 Formulário de Petição para Cadastramento Materiais de uso em saúde RDC nº 24/09 3.1.8 Formas de apresentação comercial do produto (formas de comercialização, composição das embalagens primária e/ou secundária,

Leia mais

Aula 4 Central de Materiais e Esterilização. Leonel Nascimento

Aula 4 Central de Materiais e Esterilização. Leonel Nascimento Aula 4 Central de Materiais e Esterilização Leonel Nascimento Aula 4 (CME) -Tema Após esta aula, o aluno deve compreender a definição de esterilização, os métodos de esterilização existentes, o processo

Leia mais

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA TANQUES

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA TANQUES SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA TANQUES MUITO MAIS TECNOLOGIA E VERSATILIDADE PARA CUIDAR DA ÁGUA A FORTLEV é a maior empresa produtora de soluções para armazenamento de água do Brasil. Campeã em

Leia mais

INSTRUÇÕES DE USO. Mepitel Film. Modelos: Mepitel Film 6x7cm, Mepitel Film 10x12cm, Mepitel Film 10x25cm, Mepitel Film 15x20cm

INSTRUÇÕES DE USO. Mepitel Film. Modelos: Mepitel Film 6x7cm, Mepitel Film 10x12cm, Mepitel Film 10x25cm, Mepitel Film 15x20cm INSTRUÇÕES DE USO VERSÃO 1 Mepitel Film Nome Comercial: Mepitel Film Nome Técnico: Curativo Modelos: Mepitel Film 6x7cm, Mepitel Film 10x12cm, Mepitel Film 10x25cm, Mepitel Film 15x20cm Verifique no rótulo

Leia mais

SONDAS DILATADORAS AMPLATZ ENDOMASTER

SONDAS DILATADORAS AMPLATZ ENDOMASTER SONDAS DILATADORAS AMPLATZ ENDOMASTER Dilatadores Manual do Usuário Sondas Dilatadoras Amplatz EndoMaster Rev.00 E-MED PRODUTOS MÉDICO-HOSPITALARES LTDA. Rua André de Leão, 77 - CEP 04762-030 Vila Socorro

Leia mais

Melhor desempenho. Maior produtividade. DuPont. Sontara FS PANOS DE LIMPEZA PROFISSIONAL

Melhor desempenho. Maior produtividade. DuPont. Sontara FS PANOS DE LIMPEZA PROFISSIONAL Melhor desempenho. Maior produtividade. DuPont Sontara FS PANOS DE LIMPEZA PROFISSIONAL Maior qualidade, segurança e eficiência nos processos de limpeza profissional. Quem olha para o futuro com vontade

Leia mais

FILTROS PARA CABINA DE PINTURA

FILTROS PARA CABINA DE PINTURA FILTROS PARA CABINA DE PINTURA A Filtrax do Brasil é fabricante de todos os tipos de Filtros aplicados em cabinas de pintura, temos Filtros manta sintética, Filtros manta de fibra de vidro, Filtros de

Leia mais

Excelente aderência quando aplicado sobre superfícies de concreto ou argamassa;

Excelente aderência quando aplicado sobre superfícies de concreto ou argamassa; VIAPLUS 7000-FIBRAS 1. Descrição Impermeabilizante à base de resinas termoplásticas e cimentos com aditivos e incorporação de fibras sintéticas (polipropileno). Essa composição resulta em uma membrana

Leia mais

Limpeza e Esterilização: normatizações aplicáveis à RDC 15 André Cabral

Limpeza e Esterilização: normatizações aplicáveis à RDC 15 André Cabral André Cabral Divisão de Prevenção de Infecção 3M do Brasil Prezados Colegas, O processamento de produtos para saúde é uma atividade que requer conhecimento e embasamento científico necessitando atualização

Leia mais

BIANCO. Preparo do substrato As superfícies devem estar limpas, porosas, isentas de pó ou oleosidade e serem umedecidas antes da aplicação.

BIANCO. Preparo do substrato As superfícies devem estar limpas, porosas, isentas de pó ou oleosidade e serem umedecidas antes da aplicação. Produto é uma resina sintética, de alto desempenho, que proporciona excelente aderência das argamassas aos mais diversos substratos. Confere maior plasticidade e, assim, maior resistência ao desgaste e

Leia mais

É importante ressaltar que o uso, desgaste, lavagem e as condições ambientais afetarão o desempenho deste tecido refletivo.

É importante ressaltar que o uso, desgaste, lavagem e as condições ambientais afetarão o desempenho deste tecido refletivo. Boletim Técnico Material Refletivo 3M Scotchlite Tecido Refletivo Prata 8912 Descrição O Material Refletivo 3M Scotchlite Tecido Prata 8912 foi desenvolvido para uso em vestuários de segurança e em roupas

Leia mais

Orientações e Procedimentos para o Manuseio e Armazenagem de Óleo Diesel B

Orientações e Procedimentos para o Manuseio e Armazenagem de Óleo Diesel B Setembro, 2010. Orientações e Procedimentos para o Manuseio e Armazenagem de Óleo Diesel B Com a criação do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel, em 2004, e a aprovação da Lei 11.097, de 13

Leia mais

TECNOLOGIA DE ALIMENTOS

TECNOLOGIA DE ALIMENTOS TECNOLOGIA DE ALIMENTOS NUTRIÇÃO UNIC Profª Andressa Menegaz Conservação por irradiação A irradiação pode servir para: -destruir os microrganismos; -retardar a germinação de certos legumes; -destruir os

Leia mais

Película Scotchcal MR Série D

Película Scotchcal MR Série D Película Scotchcal MR Série D Dados Técnicos Novembro/2005 Substitui: Julho/2005 Revisão 01 Barras pretas nas margens indicam as alterações Descrição Descrição e usos As Películas Scotchcal MR Série D

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM EMBALAGENS E UNITIZAÇÃO

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM EMBALAGENS E UNITIZAÇÃO DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM EMBALAGENS E UNITIZAÇÃO DEFINIÇÕES MERCADORIA: qualquer produto que seja objeto do comércio CARGA: qualquer mercadoria entregue a terceiros para: - ser transportada - ser armazenada

Leia mais

3M Produtos de Protecção Pessoal. Fatos de Protecção. Desenhados para proteger. Criados pelo. conforto. A Força para Proteger o seu Mundo

3M Produtos de Protecção Pessoal. Fatos de Protecção. Desenhados para proteger. Criados pelo. conforto. A Força para Proteger o seu Mundo 3M Produtos de Protecção Pessoal Fatos de Protecção Desenhados para proteger Criados pelo conforto A Força para Proteger o seu Mundo 1 Fatos de Protecção A 3M oferece-lhe uma gama de fatos de protecção

Leia mais

ORIENTAÇÃO SOBRE INFORMAÇÕES OBRIGATÓRIAS EM VESTIMENTAS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL PARA RISCO QUÍMICO COM AGROTÓXICOS

ORIENTAÇÃO SOBRE INFORMAÇÕES OBRIGATÓRIAS EM VESTIMENTAS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL PARA RISCO QUÍMICO COM AGROTÓXICOS ORIENTAÇÃO SOBRE INFORMAÇÕES OBRIGATÓRIAS EM VESTIMENTAS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL PARA RISCO QUÍMICO COM AGROTÓXICOS MÉTODO UTILIZADO As orientações constantes deste documento são uma compilação das exigências

Leia mais

INSTRUÇÃO DE USO COLETOR DE SECREÇÕES E EXPURGO - MULTIZAMM NOME COMERCIAL: MULTIZAMM

INSTRUÇÃO DE USO COLETOR DE SECREÇÕES E EXPURGO - MULTIZAMM NOME COMERCIAL: MULTIZAMM INSTRUÇÕES DE USO INSTRUÇÃO DE USO COLETOR DE SECREÇÕES E EXPURGO - MULTIZAMM NOME COMERCIAL: MULTIZAMM. INDICAÇÃO DO PRODUTO: Produto indicado para coleta de material aspirado que não deve ser reaproveitado

Leia mais

Central de Material e Esterilização

Central de Material e Esterilização Central de Material e Esterilização Um pouco de história... 1536 - Ambroise Paré: cirurgiões barbeiros substituíram o tratamento de feridas com pó de múmia para limpeza e aplicação de gemas de ovo e essências

Leia mais

MANUSEIO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS

MANUSEIO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS MANUSEIO E ARMAZENAMENTO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS Com a criação do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel, em 2004, e a aprovação da Lei 11.097, de 13 de janeiro de 2005,

Leia mais

CHAPA DE FIBRA. não é tudo igual. PROCURE O RINO.

CHAPA DE FIBRA. não é tudo igual. PROCURE O RINO. CHAPA DE FIBRA não é tudo igual. PROCURE O RINO. Madeira Ecológica Duratex O manejo ambiental é um diferencial para a Duratex, que adota as melhores práticas para alcançar alta produtividade com o mínimo

Leia mais

PERFUROCORTANTES RÍGIDO

PERFUROCORTANTES RÍGIDO COLETOR PARA RESÍDUOS TÓXICOS Fabricado com plástico rígido proporcionando segurança e fácil limpeza Sistema de fechamento que garante a vedação da tampa evitando o escape do resíduo Translúcido, permite

Leia mais

Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer

Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer Práticas Recomendadas - SOBECC 5ª Edição 2009 CAPÍTULO I CENTRO CIRURGICO 1. INTRODUÇÃO... 18 2. RECOMENDAÇÕES PARA ARQUITETURA E ÁREA FÍSICA DO CENTRO CIRÚRGICO... 19 2.1. Configuração física do Centro

Leia mais

REGULAMENTO TÈCNICO REQUISITOS ESSENCIAIS DE SEGURANÇA E EFICÁCIA DOS PRODUTOS MÉDICOS

REGULAMENTO TÈCNICO REQUISITOS ESSENCIAIS DE SEGURANÇA E EFICÁCIA DOS PRODUTOS MÉDICOS MERCOSUL/GMC/RES.Nº 72/98 REGULAMENTO TÈCNICO REQUISITOS ESSENCIAIS DE SEGURANÇA E EFICÁCIA DOS PRODUTOS MÉDICOS TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, as Resoluções Nº 91/93,

Leia mais

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA C A T Á L O G O T É C N I C O SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA FILTRO PARA CAIXA D ÁGUA MUITO MAIS TECNOLOGIA E VERSATILIDADE PARA CUIDAR DA ÁGUA A FORTLEV é a maior empresa produtora de soluções para

Leia mais

Soluções Técnicas em Construção

Soluções Técnicas em Construção Betumanta E Composto de asfalto elastomerico (S.B.S.), reforçado por um filme de polietileno de alta densidade com 50 micra de espessura. Esse produto foi desenvolvido para ser aplicado à maçarico. O produto

Leia mais

ROLOS DE MANGA MISTA EN DIN parte 2 e 6

ROLOS DE MANGA MISTA EN DIN parte 2 e 6 ROLOS DE MANGA MISTA EN 868 3 DIN 58953 parte 2 e 6 Construção Papel de esterilização de 70 g/m 2 de acordo com as normas, testado a partes 2 e 6. Filme transparente azul claro poliester / Polipropilene

Leia mais

MÁSCARA DE SOLDA CR-02

MÁSCARA DE SOLDA CR-02 *Imagens meramente ilustrativas MÁSCARA DE SOLDA CR-02 Manual de Instruções www.v8brasil.com.br 1. DADOS TÉCNICOS MÁSCARA DE SOLDA SR-02 Modelo: Área de visão: Dimensões do filtro: V8-MS-CR2 92 x 42 mm

Leia mais

CONCEITOS E ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA IDENTIFICAÇÃO DA NECESSIDADE DA QUALIFICAÇÃO

CONCEITOS E ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA IDENTIFICAÇÃO DA NECESSIDADE DA QUALIFICAÇÃO Instituto de Qualidade e Metrologia Ltda Rio de Janeiro - RJ QUALIFICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS AUTOCLAVES E ESTUFAS CONCEITOS E ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA IDENTIFICAÇÃO DA NECESSIDADE DA QUALIFICAÇÃO Instituto

Leia mais

Sandra Heidtmann 2010

Sandra Heidtmann 2010 Sandra Heidtmann 2010 Definições: Amostra: Pequena parte ou porção de alguma coisa que se dá para ver, provar ou analisar, a fim de que a qualidade do todo possa ser avaliada ou julgada; Coleta: Ato de

Leia mais

Sua obra coberta de qualidade TELHAS DE AÇO. www.comercialgerdau.com.br

Sua obra coberta de qualidade TELHAS DE AÇO. www.comercialgerdau.com.br Sua obra coberta de qualidade TELHAS DE AÇO www.comercialgerdau.com.br Tipos de revestimentos Galvanizado por imersão a quente: apresenta grande resistência à corrosão atmosférica e atende a obras mais

Leia mais