Sistema Duplex. Vantagens e Aplicações. Luiza Abdala Engenheira Química - Desenvolvimento de Mercado

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistema Duplex. Vantagens e Aplicações. Luiza Abdala (luiza.abdala@vmetais.com.br) Engenheira Química - Desenvolvimento de Mercado"

Transcrição

1 Sistema Duplex Vantagens e Aplicações Luiza Abdala Engenheira Química - Desenvolvimento de Mercado

2 METALURGIA Corrosão Tendência que os materiais têm de retornar ao seu estado natural, ou seja, o minério, no caso do aço. METAL + ENERGIA MINÉRIO CORROSÃO - ENERGIA O custo total dos efeitos da corrosão metálica nos EUA alcança o montante de 280 bilhões de dólares anuais, correspondentes a 3,1% do seu PIB.

3 Proteção contra a corrosão Existem dois tipos de proteção do substrato de aço contra a corrosão: Proteção por barreira: Camada protetora de revestimento que isola o substrato de aço da atmosfera, impedindo a ação de agentes de corrosão. Proteção catódica: Protege-se o aço utilizando um metal que tem o potencial de oxidação maior que o dele. Neste caso, é chamado metal de sacrifício, pois sofrerá a oxidação no lugar do ferro.

4 Proteção contra a corrosão Para a escolha adequada do sistema de proteção contra corrosão todo o projeto de especificação exige um estudo elaborado de muitos fatores, sendo fundamental o estudo do: -Uso do aço; -Local em que será inserido; -Agressividade do meio; -Vida útil esperada; Hoje, ainda se tem no país altos custos e perdas de equipamentos por falta de manutenção e até mesmo pela incorreta especificação técnica ou aplicação incorreta do revestimento anticorrosivo.

5 Pintura A pintura é a principal proteção escolhida atualmente, tanto por motivos estéticos, quanto por falta de conhecimento acerca de outros métodos. Um sistema de pintura promove a proteção por barreira e pode ser uma excelente forma de proteção do aço contra a corrosão, desde que bem especificado e bem aplicado.

6 Pintura Proteção por barreira: Ponto de fissura no revestimento, aço exposto nesse ponto, iniciando a corrosão do aço formação do óxido de Ferro. Formação do óxido de ferro mais volumoso se espalha por baixo da pintura, levando ao desplacamento da tinta. CORROSÃO SILENCIOSA

7 Galvanização por imersão a quente Consiste na imersão de uma peça de aço em diversos banhos de limpeza e, posteriormente, em um banho de Zinco fundido, a 450 C. Garante ao aço a proteção contra a corrosão tanto por barreira, quanto a proteção catódica, com a difusão do Zinco na rede cristalina da peça, e consequente formação de camadas intermetálicas Ferro-Zinco. Cátodo Ânodo Formação de sais de Zn que vedam as cavidades Revestimento Anódico Processo de cicatrização Caso o revestimento seja danificado, os produtos de corrosão do zinco, por serem aderentes e insolúveis, se depositam sobre a superfície exposta do aço isolando-o novamente.

8 Galvanização por imersão a quente O processo de galvanização por imersão a quente é indicado quando as estruturas estão expostas a ambientes agressivos e quando é esperada uma grande durabilidade. Seu comportamento varia de acordo com o ph do ambiente em que está inserido. A Figura 4 mostra a perda de massa do aço galvanizado conforme o ph do ambiente. Aço galvanizado tem baixas perdas de massa em ambientes com ph entre 5 e 12. Em ambientes em que o ph é inferior à 5 ou mais alcalino que 12, recomenda-se além da galvanização, a aplicação da pintura, o chamado Sistema Duplex.

9 Sistema Duplex O sistema duplex é a pintura sobre o aço galvanizado. É especificada por duas razões principais, ou ambas: Necessidade de cores por motivos estéticos, identificação ou sinalização; Necessidade de máxima durabilidade em meio ambiente agressivo; ph > 12 ph < 5 A galvanização sofre uma perda de massa considerável ao longo do tempo nesse ph. Proteção adicional necessária.

10 Sistema Duplex O sistema duplex é um processo normatizado: ABNT NBR 9209 Preparação de superfícies para pintura Processo de fosfatização Procedimento (para aços carbono e aços galvanizados). ABNT NBR Preparo de superfície de aço carbono zincado para aplicação de sistemas de pintura Procedimento. ABNT NBR Execução de sistema de pintura para estruturas e equipamentos de aço carbono zincado Procedimento. PETROBRAS N Pintura de superfícies galvanizadas, ligas ferrosas e não ferrosas, materiais compósitos e poliméricos.

11 Sistema Duplex Efeito sinergia A durabilidade do sistema duplex não é simplesmente a soma das expectativas de vida útil dos sistemas de pintura e de galvanização separadamente, o substrato de aço dura de 1,5 a 2,5 vezes mais do que essa simples soma. A tinta age como proteção por barreira e diminui a taxa com que o zinco é consumido.

12 Sistema Duplex Efeito sinergia Os produtos de corrosão do aço são mais volumosos, possuem maior solubilidade e em 3 anos a tinta já apresentou desplacamento. Já os produtos de corrosão do zinco são menos volumosos e menos solúveis, preservando a integridade da camada de tinta por mais tempo. Tinta Aço Comum Tinta Zinco Aço Comum PRODUTOS DE CORROSÃO 1500 g/m 2 /ano PRODUTOS DE CORROSÃO 60 g/m 2 /ano

13 Sistema Duplex Efeito sinergia Os produtos de corrosão do aço são mais volumosos, possuem maior solubilidade e em 3 anos a tinta já apresentou desplacamento. Já os produtos de corrosão do zinco são menos volumosos e menos solúveis, preservando a integridade da camada de tinta por mais tempo. PINTURA SOBRE AÇO GALVANIZADO PINTURA SOBRE AÇO COMUM

14 Preparação de Superfície Tanto o aço galvanizado novo, quanto peças já galvanizadas há mais tempo podem ser pintadas, e cada um necessita de uma preparação diferente para receber a tinta na superfície. Galvanizados Novos Galvanizados Envelhecidos -Fosfatização (ABNT NBR 9209); -Jateamento abrasivo (máx. 10% da camada de Zn); -Tratamento mecânico (escovamento, lixamento); -Sem Corrosão do Aço: Remoção da corrosão branca/impurezas, por tratamento mecânico (escovamento, lixamento); -Com corrosão no substrato ferroso: reparar as áreas com corrosão através de jateamento abrasivo ao metal quase branco, grau Sa 2 ½ da norma NBR 7348.

15 Pintura Existem tipos de tintas específicos que podem ser usados para pintura sobre aço galvanizado. Tintas alquídicas não são indicadas, são saponificáveis. Ocorre a perda de flexibilidade e da aderência. Logo após a aplicação da tinta, o revestimento parece satisfatório, tempos depois começam a se destacar. Estas tintas contém óleos vegetais (ácidos graxos livres) que reagem com os produtos de corrosão e formam sabões perda da aderência. Vapor de água e Oxigênio Óxidos de Zinco Zinco Substrato de aço Umidade

16 Pintura Existem tipos de tintas específicos que podem ser usados para pintura sobre aço galvanizado. A tinta fundo de epoxi-isocianato, é hoje a mais usada na indústria por oferecer uma série de vantagens. Esta tinta é insaponificável, se liga quimicamente ao zinco e oferece uma excelente base de aderência para diversos sistemas de pintura, como, por exemplo, alquídicos, acrílicos, epoxídicos e poliuretanos. Tintas acrílicas à base de água também proporcionam uma boa aderência sobre o aço zincado. Neste caso, devem ser usadas tintas de acabamento também acrílicas.

17 Exemplos de uso do Sistema Duplex Sinalização viária

18 Exemplos de uso do Sistema Duplex Pórticos / Iluminação

19 Exemplos de uso do Sistema Duplex Automóveis / Linha Branca

20 Exemplos de uso do Sistema Duplex Torres de Transmissão / Estádios

21 Sistema Duplex Para se especificar corretamente o sistema de proteção anti corrosão de uma estrutura é necessário conhecer o ambiente em que será inserido e a expectativa de durabilidade da estrutura. A pintura é muito utilizada por falta de conhecimento acerca de outros sistemas e também porque além de proteção por barreira, ainda oferece acabamento estético. O aço galvanizado é muito interessante por sua longa durabilidade, além de barreira ainda promove a proteção catódica. A galvanização apresenta vida útil maior ainda se pintado com tintas adequadas, sobre uma superfície corretamente preparada. A tinta, neste caso, complementa o aço galvanizado, trazendo uma maior durabilidade e maior segurança às estruturas de aço, além do acabamento estético.

22 Muito obrigada! Luiza Abdala Engenheira Química - Desenvolvimento de Mercado

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Tintas Soluções para a Indústria de Cimento

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Tintas Soluções para a Indústria de Cimento Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Tintas A WEG Tintas fornece tecnologia em tintas para diversos tipos de ambientes agressivos. São produtos com maior retenção de cor e brilho,

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Tintas Soluções para Celulose & Papel

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Tintas Soluções para Celulose & Papel Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Tintas Soluções para Celulose & Papel Soluções para Celulose e Papel A WEG Tintas fornece tecnologia em tintas para diversos tipos de ambientes

Leia mais

Vergalhão Galvanizado: Vantagens, Aplicações e Desempenho em Estruturas de Concreto Armado. Luiza Abdala 1, Daniele Albagli 2

Vergalhão Galvanizado: Vantagens, Aplicações e Desempenho em Estruturas de Concreto Armado. Luiza Abdala 1, Daniele Albagli 2 Resumo Vergalhão Galvanizado: Vantagens, Aplicações e Desempenho em Estruturas de Concreto Armado. Luiza Abdala 1, Daniele Albagli 2 1 Votorantim Metais / Desenvolvimento de Mercado / luiza.abdala@vmetais.com.br

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Tintas Soluções para Estruturas Metálicas

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Tintas Soluções para Estruturas Metálicas Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas Tintas Soluções para Estruturas Metálicas www.we.net Soluções para Estruturas Metálicas Cada semento de mercado tem suas características específicas.

Leia mais

MECANISMOS DA CORROSÃO. Professor Ruy Alexandre Generoso

MECANISMOS DA CORROSÃO. Professor Ruy Alexandre Generoso MECANISMOS DA CORROSÃO Professor Ruy Alexandre Generoso MECANISMOS DA CORROSÃO De acordo com o meio corrosivo e o material, podem ser apresentados diferentes mecanismos. Os principais são: MECANISMO QUÍMICO

Leia mais

RECOBRIMENTOS PARA PROTEÇÃO CONTRA CORROSÃO

RECOBRIMENTOS PARA PROTEÇÃO CONTRA CORROSÃO FUNDAMENTOS DE MATERIAIS METALICOS II RECOBRIMENTOS PARA PROTEÇÃO CONTRA CORROSÃO ALUNOS: DANIEL F S PEREIRA ZAINE ALINE ALVES PROF. BRUNO B. MEDEIROS CONTEÚDO 1. INTRODUÇÃO 2. ASPECTOS METALURGICOS E

Leia mais

ANEXO IV ESPECIFICAÇÃO DE PINTURA PARA TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA

ANEXO IV ESPECIFICAÇÃO DE PINTURA PARA TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA Celesc Di Celesc Distribuição S.A. ANEXO IV ESPECIFICAÇÃO DE PINTURA PARA TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA PINTURA SISTEMAS DE PROTEÇÃO ANTICORROSIVA PARA APLICAÇÃO EM : TRANSFORMADORES

Leia mais

Linha Telecom m Teleco

Linha Telecom m Teleco Linha Telecom Telecom Linha Telecom Esteiras para telecomunicações... 93 Sistema para condução e distribuição do cabeamento, constituído de barra chata de aço carbono, muito utilizado como solução no cabeamento

Leia mais

Como escolher a tinta adequada a determinado serviço? A resposta a essa questão requer, primeiro, conhecimentos das características

Como escolher a tinta adequada a determinado serviço? A resposta a essa questão requer, primeiro, conhecimentos das características Tintas Um problema Como escolher a tinta adequada a determinado serviço? A resposta a essa questão requer, primeiro, conhecimentos das características e tipos de tintas. Introdução Na aula anterior, vimos

Leia mais

Galvanização a Quente: Processo por Batelada

Galvanização a Quente: Processo por Batelada Galvanização a Quente: Processo por Batelada Fernanda Cristina da Silva e Sonia Braunstein Faldini Universidade Presbiteriana Mackenzie Departamento de Engenharia de Materiais Rua Itambé, 45 Prédio 6 Higienópolis

Leia mais

PINTURA DE PISOS INDUSTRIAIS

PINTURA DE PISOS INDUSTRIAIS PINTURA DE PISOS INDUSTRIAIS MANUAL DE BOAS PRÁTICAS E DICAS PARA UMA PINTURA EFICIENTE DE PISO Sempre que desejamos fazer uma pintura de piso, Industrial ou não, devemos ter em mente quais são os objetivos

Leia mais

Revestimentos de Alto Desempenho - RAD

Revestimentos de Alto Desempenho - RAD Revestimentos de Alto Desempenho - RAD O mercado de revestimentos para pisos de concreto se desenvolveu mais expressivamente no Brasil na década de 1980. Foi nesse momento que os revestimentos autonivelantes

Leia mais

Norma Técnica SABESP NTS 144

Norma Técnica SABESP NTS 144 Norma Técnica SABESP NTS 144 Esquema de pintura para equipamentos e materiais em aço-carbono ou ferro fundido novos e sujeitos à umidade freqüente Especificação São Paulo Maio - 2001 NTS 144 : 2001 Norma

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Módulo IV Aula 04 Isolamento térmico AQUECIMENTO DE TUBULAÇÕES Motivos Manter em condições de escoamento líquidos de alta viscosidade ou materiais que sejam sólidos

Leia mais

Pintura Como Aumentar a Confiabilidade na Eficiência? 2014. Joaquim Pereira Quintela PETROBRAS/CENPES Victor Solymossy PETROBRAS/CENPES

Pintura Como Aumentar a Confiabilidade na Eficiência? 2014. Joaquim Pereira Quintela PETROBRAS/CENPES Victor Solymossy PETROBRAS/CENPES Pintura Como Aumentar a Confiabilidade na Eficiência? 2014 Joaquim Pereira Quintela PETROBRAS/CENPES Victor Solymossy PETROBRAS/CENPES Projeto de Pesquisa Petrobras 1996-2000 Hidrojateamento Qualidade,

Leia mais

NORMA TÉCNICA 1/7 NE-007. 1ª Edição 1. OBJETIVO 2. REFERÊNCIAS NORMATIVAS

NORMA TÉCNICA 1/7 NE-007. 1ª Edição 1. OBJETIVO 2. REFERÊNCIAS NORMATIVAS NORMA TÉCNICA Título: PINTURA DE AÇO CARBONO, COM PREPARAÇÃO DE SUPERFÍCIE POR FERRAMENTAS Aprovação Subcomitê de Manutenção das Empresas Eletrobras - SCMT Vigência 10.03.2016 1/7 NE-007 1ª Edição 1. OBJETIVO

Leia mais

FATORES QUE PODEM IMPLICAR EM FALHAS PREMATURAS DE PINTURA INTERNA in situ DE DUTOS 2006

FATORES QUE PODEM IMPLICAR EM FALHAS PREMATURAS DE PINTURA INTERNA in situ DE DUTOS 2006 FATORES QUE PODEM IMPLICAR EM FALHAS PREMATURAS DE PINTURA INTERNA in situ DE DUTOS 2006 Joaquim Pereira Quintela PETROBRAS/CENPES Victor Solymossy PETROBRAS/CENPES INTRODUÇÃO Vantagens do emprego de revestimentos

Leia mais

Já sabemos que o tratamento de superfície tem, principalmente, a finalidade de proteger peças ou materiais da corrosão e de outros tipos de desgaste.

Já sabemos que o tratamento de superfície tem, principalmente, a finalidade de proteger peças ou materiais da corrosão e de outros tipos de desgaste. Recobrimento metálico Um problema Já sabemos que o tratamento de superfície tem, principalmente, a finalidade de proteger peças ou materiais da corrosão e de outros tipos de desgaste. Essa proteção pode

Leia mais

Norma Técnica SABESP NTS 159

Norma Técnica SABESP NTS 159 Norma Técnica SABESP NTS 159 Esquema de pintura para equipamentos e materiais em aço-carbono ou ferro fundido pintados e em contato direto com esgoto Especificação São Paulo Rev. 1 - Outubro - 2001 NTS

Leia mais

Estruturas de Saneamento. Soluções para impermeabilização e proteção de estruturas que armazenam água e efluentes

Estruturas de Saneamento. Soluções para impermeabilização e proteção de estruturas que armazenam água e efluentes Estruturas de Saneamento Soluções para impermeabilização e proteção de estruturas que armazenam água e efluentes SUMÁRIO Zentrifix Elastic pág. 7-8 MC-RIM pág. 9-10 Xypex pág. 11-12 MC-DUR 1100 Diffusion

Leia mais

OXY-PRIMER CONVERSOR DE FERRUGEM E PRIMER BOLETIM TÉCNICO

OXY-PRIMER CONVERSOR DE FERRUGEM E PRIMER BOLETIM TÉCNICO OXY-PRIMER CONVERSOR DE FERRUGEM E PRIMER BOLETIM TÉCNICO O produto OXY-PRIMER é um tipo de tinta de cobertura cimentosa que não é composto de resinas normais, mas que adere como cimento. O cimento adere

Leia mais

Prêmio AEA 2015 Projetos de Meio Ambiente. Eliminação do Processo de Fosfatização

Prêmio AEA 2015 Projetos de Meio Ambiente. Eliminação do Processo de Fosfatização Prêmio AEA 2015 Projetos de Meio Ambiente Eliminação do Processo de Fosfatização Ana Carolina Catoira, Adalberto Luksaitis, Maurilio Pereira, Emerson Molina e Pedro Feitosa ZF do Brasil Resumo Uma nova

Leia mais

Galvanização & Pintura no Setor Elétrico

Galvanização & Pintura no Setor Elétrico Centro de Pesquisas de Energia Elétrica - CEPEL Galvanização & Pintura no Setor Elétrico Autor/apresentador Área Fernando de Loureiro FRAGATA DTE Departamento de Tecnologias Especiais Galvanização & Pintura

Leia mais

TRATAMENTO DA ÁGUA PARA GERADORES DE VAPOR

TRATAMENTO DA ÁGUA PARA GERADORES DE VAPOR Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Industrial Madeireira MÁQUINAS TÉRMICAS AT-101 Dr. Alan Sulato de Andrade alansulato@ufpr.br 1 INTRODUÇÃO: A água nunca está em estado puro, livre de

Leia mais

Problemas Comuns. Eflorescência

Problemas Comuns. Eflorescência Problemas Comuns Como em qualquer outra área na construção civil, geralmente ocorrem problemas, seja na preparação da superfície ou no acabamento. Os problemas mais freqüentes são: Eflorescência São manchas

Leia mais

Limpeza das Superfícies do Concreto e Armaduras

Limpeza das Superfícies do Concreto e Armaduras TÉCNICAS DE REPARO TRADICIONAL Profa. Eliana Barreto Monteiro Limpeza das Superfícies do Concreto e Armaduras Limpeza das Armaduras O produto de corrosão deve ser removido totalmente, garantindo bom funcionamento

Leia mais

Proteção Superficial de Metais

Proteção Superficial de Metais Noções sobre corrosão Existem várias maneiras de definir-se a corrosão, a mais genérica seria: "deteorização do material pela sua interação com o meio que o envolve". No caso de metais ou ligas metálicas,

Leia mais

Aula 12 : Corrosão Definição Tipos de Corrosão. Prevenção a Corrosão.

Aula 12 : Corrosão Definição Tipos de Corrosão. Prevenção a Corrosão. Aula 12 : Corrosão Definição Tipos de Corrosão Prevenção a Corrosão. o Definição Corrosão é definida como um ataque destrutivo e não intencional de um metal; esse ataque é eletroquímico e, normalmente,

Leia mais

GALVANIZAÇÃO ELETROLITICA CONTINUA DE CHAPAS DE AÇO. Faculdade Multivix Campus Vitória - Rua José Alves, 301 - Goiabeiras, 29075-080, Vitória - ES

GALVANIZAÇÃO ELETROLITICA CONTINUA DE CHAPAS DE AÇO. Faculdade Multivix Campus Vitória - Rua José Alves, 301 - Goiabeiras, 29075-080, Vitória - ES GALVANIZAÇÃO ELETROLITICA CONTINUA DE CHAPAS DE AÇO Wandercleiton da Silva Cardoso; Brena da Silva Porcino; Faculdade Multivix Campus Vitória - Rua José Alves, 301 - Goiabeiras, 29075-080, Vitória - ES

Leia mais

CONHEÇA O AÇO INOX E SUAS PARTICULARIDADES

CONHEÇA O AÇO INOX E SUAS PARTICULARIDADES CONHEÇA O AÇO INOX E SUAS PARTICULARIDADES Os produtos SODRAMAR em Aço Inox são fabricados utilizando matéria prima com alto padrão de qualidade, e como tal merecem cuidados. Preocupados em manter a beleza

Leia mais

NORMA TÉCNICA 1/11 ESQUEMAS DE PINTURA DE EQUIPAMENTOS E ESTRUTURAS METÁLICAS NE-004. 1ª Edição 1. OBJETIVO 2. REFERÊNCIAS NORMATIVAS

NORMA TÉCNICA 1/11 ESQUEMAS DE PINTURA DE EQUIPAMENTOS E ESTRUTURAS METÁLICAS NE-004. 1ª Edição 1. OBJETIVO 2. REFERÊNCIAS NORMATIVAS Título: NORMA TÉCNICA ESQUEMAS DE PINTURA DE EQUIPAMENTOS E Aprovação Subcomitê de Manutenção das Empresas Eletrobras - SCMT Vigência 10.03.2016 1/11 NE-004 1ª Edição 1. OBJETIVO 2. REFERÊNCIAS NORMATIVAS

Leia mais

TINTAS E VERNIZES MCC1001 AULA 7

TINTAS E VERNIZES MCC1001 AULA 7 TINTAS E VERNIZES MCC1001 AULA 7 Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dr. a Carmeane Effting 1 o semestre 2014 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia Civil DEFINIÇÃO: TINTAS

Leia mais

Manual Técnico de Coberturas Metálicas

Manual Técnico de Coberturas Metálicas Manual Técnico de Coberturas Metálicas Coberturas Metálicas Nas últimas décadas, as telhas produzidas a partir de bobinas de aço zincado, revolucionaram de maneira fundamental, a construção civil no Brasil,

Leia mais

GALVANIZAÇÃO POR IMERSÃO A QUENTE PARA PROTEÇÃO DE AÇOS E FERROS FUNDIDOS. TUBOTECH 05/10/2011

GALVANIZAÇÃO POR IMERSÃO A QUENTE PARA PROTEÇÃO DE AÇOS E FERROS FUNDIDOS. TUBOTECH 05/10/2011 GALVANIZAÇÃO POR IMERSÃO A QUENTE PARA PROTEÇÃO DE AÇOS E FERROS FUNDIDOS. TUBOTECH 05/10/2011 1 APRESENTAÇÃO Eng Paulo Silva Sobrinho Metalurgista Coordenador Técnico - ICZ 2 AGENDA 1. Sobre o ICZ; 2.

Leia mais

MEMORANDO TÉCNICO LL-ALUGOLD / SCR. Camada de Conversão NA COR CASTANHO AVERMELHADA, ISENTA DE CROMO para a Pintura do Alumínio e suas Ligas

MEMORANDO TÉCNICO LL-ALUGOLD / SCR. Camada de Conversão NA COR CASTANHO AVERMELHADA, ISENTA DE CROMO para a Pintura do Alumínio e suas Ligas DESCRIÇÃO DO PROCESSO LL-AluGold / SCR é um processo liquido caracterizado por uma combinação balanceada de sais de ácidos inorgânicos que em contato com o alumínio reagem formando uma camada colorida

Leia mais

Informações Técnicas Uso Orientativo

Informações Técnicas Uso Orientativo Parafusos X Buchas de ylon Buchas º Auto-atarraxante s aplicáveis Madeira Sextavado soberba Parafusos mais utilizados 4 2,2 2,2 a 2,8 2,8 x 25-2,8 x 30 5 2,9 a 3,5 2,2 a 3,8 2,8 x 30-3,2 x 40-3,5 x 45

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título PINTURA EM FERRAGENS E EQUIPAMENTOS DESTINADOS À ORLA MARÍTIMA

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título PINTURA EM FERRAGENS E EQUIPAMENTOS DESTINADOS À ORLA MARÍTIMA ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título PINTURA EM FERRAGENS E EQUIPAMENTOS DESTINADOS À ORLA MARÍTIMA Código ETD-00.014 Data da emissão 27.11.1986 Data da última revisão 30.06.2006 Folha 1 SUMÁRIO 1 Objetivo

Leia mais

Prof André Montillo www.montillo.com.br

Prof André Montillo www.montillo.com.br Prof André Montillo www.montillo.com.br Definição: É a deterioração de um material, geralmente metálico, por ação eletroquímica ou química do meio ambiente, associada ou não a esforços mecânicos. Isto

Leia mais

"A vantagem do alumínio"

A vantagem do alumínio "A vantagem do alumínio" Comparativo entre os Evaporadores para Amônia fabricados com tubos de alumínio e os Evaporadores fabricados com tubos de aço galvanizado Os evaporadores usados em sistemas de amônia

Leia mais

ENGº PAULO SILVA SOBRINHO Coordenador técnico ICZ Instituto de Metais não Ferrosos

ENGº PAULO SILVA SOBRINHO Coordenador técnico ICZ Instituto de Metais não Ferrosos ENGº PAULO SILVA SOBRINHO Coordenador técnico ICZ Instituto de Metais não Ferrosos A eficiência da galvanização na conservação das estruturas metálicas nos portos SOBRE O ICZ: Fundado em 1970, inicialmente

Leia mais

Nanotech do Brasil. Rua Curupaiti, 199 Jd. Paraíso Santo André SP CEP 09190-040

Nanotech do Brasil. Rua Curupaiti, 199 Jd. Paraíso Santo André SP CEP 09190-040 1 Rev. 3 D.U.M. 28/08/2015 Produto Nanothermic 3 Isolante térmico Nanothermic 3 é um revestimento térmico, contendo as melhores matérias primas. É um revestimento de múltiplas aplicações que soluciona

Leia mais

Protective Coatings. O seu parceiro a nível mundial

Protective Coatings. O seu parceiro a nível mundial O seu parceiro a nível mundial Sika - Integrada a nível global, presente a nível local Sika é uma empresa da indústria química globalmente activa e integrada - líder mundial no fornrcimento de materiais

Leia mais

Protecção de estruturas metálicas. Elsa Vaz Pereira

Protecção de estruturas metálicas. Elsa Vaz Pereira Protecção de estruturas metálicas Elsa Vaz Pereira Degradação de estruturas metálicas O aço não protegido quando em contacto com a atmosfera, a água e o solo está sujeito a corrosão, pelo que as estruturas

Leia mais

Innovation in Building Chemicals

Innovation in Building Chemicals Innovation in Building Chemicals Engº José Roberto Saleme Jr. MC-Bauchemie MC Muller Chemie Bau Construção Chemie Químicos MC-Bauchemie Multinacional Alemão Privado 48 anos de experiência 19 fábricas e

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE PINTURA

PROCEDIMENTOS DE PINTURA 1 PROCEDIMENTOS DE PINTURA 2 PROCEDIMENTOS DE PINTURA 01.00 SISTEMA DE PINTURA PARA ACABAMENTO FINAL EM LATEX PVA 01.01 - PREPARAÇÃO DA SUPERFÍCIE 1. GESSO (PLACA/PASTA) - Aplicar fundo preparador de parede

Leia mais

D O S S I Ê T É C N I C O

D O S S I Ê T É C N I C O D O S S I Ê T É C N I C O Galvanização eletrolítica Ladislau Nelson Zempulski Marina Fernanda Stocco Zempulski Instituto de Tecnologia do Paraná Julho 2007 DOSSIÊ TÉCNICO Sumário 1 INTRODUÇÃO...2 2 OBJETIVO...3

Leia mais

TINTAS EM PÓ 12/09/2012 HISTÓRICO RESUMIDO. No final da década de 1950, surgiu a hoje chamada tinta em pó. TERMOCONVERSIVEIS USA

TINTAS EM PÓ 12/09/2012 HISTÓRICO RESUMIDO. No final da década de 1950, surgiu a hoje chamada tinta em pó. TERMOCONVERSIVEIS USA TINTAS EM PÓ V.A.B HISTÓRICO RESUMIDO No final da década de 1950, surgiu a hoje chamada tinta em pó. TERMOCONVERSIVEIS USA Entre 1960 e 1964, Houve desenvolvimento e introdução dos métodos de EXTRUSÂO,

Leia mais

BOLETIM DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS Revisão 006 Julho/2011

BOLETIM DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS Revisão 006 Julho/2011 1 - PRODUTO: Acrílico Standard mais rendimento Natrielli. 2 - DESCRIÇÃO: É uma tinta acrílica de alto rendimento apresenta um excelente acabamento em superfícies externas e internas de alvenaria, reboco,

Leia mais

PLASTEEL MASSA 4:1 PLASTEEL MASSA

PLASTEEL MASSA 4:1 PLASTEEL MASSA PLASTEEL MASSA 4:1 PLASTEEL MASSA 4:1 é um composto epóxi bi-componente com carga metálica, característica de massa na cor preta, pode ser aplicado com espátula, cura a frio, substituindo de maneira muito

Leia mais

[MANUAL DE PINTURA PARA PISOS]

[MANUAL DE PINTURA PARA PISOS] 2015 1 PLASLAK INDÚSTRIA QUÍMICA LTDA. [MANUAL DE PINTURA PARA PISOS] 2 PINTURA PARA PISOS Porque pintar? Hoje, mais do que nunca, tornam-se imprescindíveis o cuidado e a atenção com o piso, devidos basicamente

Leia mais

Produto Rendimento Espessura Textura Catalisador Aplicações Características. K-4060 Catalise 5 X 1 em volume

Produto Rendimento Espessura Textura Catalisador Aplicações Características. K-4060 Catalise 5 X 1 em volume SISTEMA PU - 4000 - Tintas Industriais Esmalte E-4000 6,5 m2/litro sem diluição. 50 a 60 µm K-4060 Catalise 5 X 1 Excelente acabamento para pintura de caixa eletrônico, ônibus, baús, orelhões, painéis

Leia mais

Definições. Armação. Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura.

Definições. Armação. Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura. Definições Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura. Armadura: associação das diversas peças de aço, formando um conjunto para um

Leia mais

Perfilados e acessórios

Perfilados e acessórios Perfilados e acessórios 936563 936511 frente e verso 936501 frente e verso 936551 Perfi l de aço perfi lado. Produzido em chapa de aço pré-galvanizado, por imersão a quente, ou galvanizado à fogo com excelente

Leia mais

www.maremaparts.com.br

www.maremaparts.com.br Objetivo: Atender às necessidades e especificações do mercado em revestimentos protetivos, impermeabilizantes e peças técnicas, entregando produtos e serviços, superando as expectativas de nossos parceiros

Leia mais

PROCEDIMENTO DE APLICAÇÃO MANUAL

PROCEDIMENTO DE APLICAÇÃO MANUAL Sistema da Qualidade Páginas: 1 de 6 PROCEDIMENTO DE APLICAÇÃO MANUAL Sistema da Qualidade Páginas: 2 de 6 SUMÁRIO Página 1. OBJETIVO... 03 2. PREPARAÇÃO DAS SUPERFÍCIES... 03 3. APLICAÇÃO DO REVEST. POLIKOTE-100...

Leia mais

GalvInfo Center - Um programa do International Zinc Association. Contínua por imersão a quente

GalvInfo Center - Um programa do International Zinc Association. Contínua por imersão a quente - Um programa do International Zinc Association 2. Processos de Revestimento e Tratamentos de Superfície GalvInfoNote O Papel do Alumínio na Galvanização Contínua por imersão a quente 2.4 Rev1.1mar 09

Leia mais

Problemas de Campo em Pintura Anticorrosiva

Problemas de Campo em Pintura Anticorrosiva Problemas de Campo em Pintura Anticorrosiva Adauto Riva / Marcelo Rufo / Heron P. Mendes Renner Coatings / Air Products / Brafer Dez/2014 1 CONCEITOS O uso da pintura no campo da proteção anticorrosiva

Leia mais

SISTEMAS DE PISO EPOXI

SISTEMAS DE PISO EPOXI SISTEMAS DE PISO EPOXI PRODUTO DESCRIÇÃO VEC-601 TUBOFLOOR TEE-556 AUTONIVELANTE Selador epóxi de dois componentes de baixa viscosidade. Revestimento epóxi com adição de sílica para regularização de pisos.

Leia mais

Proteção em Estruturas de AçoA

Proteção em Estruturas de AçoA Proteção em Estruturas de AçoA - Incêndio e Corrosão - Estruturas de Aço A o e Madeira Prof Alexandre Landesmann FAU/UFRJ AMA 1 Fonte de informações: CBCA: Tratamento de Superfície e Pintura GERDAU-Guia

Leia mais

Limpeza e Conservação de Objetos Metálicos. Diogo Menezes Costa Museu de Porto Alegre Joaquim José Felizardo/SMC. Introdução

Limpeza e Conservação de Objetos Metálicos. Diogo Menezes Costa Museu de Porto Alegre Joaquim José Felizardo/SMC. Introdução Limpeza e Conservação de Objetos Metálicos Diogo Menezes Costa Museu de Porto Alegre Joaquim José Felizardo/SMC Introdução Esta comunicação tem por objetivo relatar as diversas experiências na limpeza

Leia mais

TESTES DE CORROSÃO Domingos J C Spinelli SurTec do Brasil Ltda Abril/2000

TESTES DE CORROSÃO Domingos J C Spinelli SurTec do Brasil Ltda Abril/2000 TESTES DE CORROSÃO Domingos J C Spinelli SurTec do Brasil Ltda Abril/2000 1 O Teste de corrosão é a interpretação dos resultados que pode ser um dos mais controvertidos assuntos na indústria de galvanoplastia.

Leia mais

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia MEMORIAL DESCRITIVO Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Sumário 1.Considerações gerais...1 2.Serviços

Leia mais

made for life Inox na Arquitetura Manutenção e Limpeza

made for life Inox na Arquitetura Manutenção e Limpeza made for life Inox na Arquitetura Manutenção e Limpeza Fabricante de aços inoxidáveis, a Aperam South America apresenta este catálogo para que os profissionais das áreas de Arquitetura e Construção Civil

Leia mais

Boletim Técnico. Cores Azul. Textura Lisa e brilhante.

Boletim Técnico. Cores Azul. Textura Lisa e brilhante. Página 1 de 5 Boletim Técnico Produto Esmalte PU Piscinas Descrição Esmalte PU Piscinas é um esmalte poliuretano bicomponente impermeável ideal para pintura de piscinas de concreto e fibra, deixando-as

Leia mais

Revestimentos Especiais Tecnologia em revestimentos para a sua obra

Revestimentos Especiais Tecnologia em revestimentos para a sua obra Revestimentos Especiais Tecnologia em revestimentos para a sua obra Olá! É muito comum encontrar pessoas que pensem que a NS Brazil é apenas uma indústria de pisos monolíticos. Isso porque o termo revestimentos

Leia mais

PINTURA DE PISOS INDUSTRIAIS

PINTURA DE PISOS INDUSTRIAIS . PINTURA DE PISOS INDUSTRIAIS MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DICAS PARA UMA PINTURA EFICIENTE DE PISO Sempre que desejamos fazer uma pintura de piso, Industrial ou não, devemos ter em mente quais são os objetivos

Leia mais

Geralmente algumas características são obtidas em detrimento de outras, (dureza versus ductibilidade).

Geralmente algumas características são obtidas em detrimento de outras, (dureza versus ductibilidade). TRATAMENTOS TÉRMICOS 1. Funções: remoção de tensões internas aumento ou diminuição de dureza aumento da resistência mecânica melhora da ductibilidade melhora da usinabilidade melhora da resistência ao

Leia mais

NANOTECNOLOGIA NA PINTURA DE SEU PREDIO

NANOTECNOLOGIA NA PINTURA DE SEU PREDIO NANOTECNOLOGIA NA PINTURA DE SEU PREDIO saiba como reduzir os custos de condomínio com a pintura predial mantenha a cor original da pintura, com garantia de 8 conheça as vantagens do revestimento microcerâmico

Leia mais

EMBALAGENS: Componente A Lackpoxi N 2288 Aluminio 10002969 Balde (20 L) Componente B Lackpoxi N 2288 componente B 10003000 (20 L)

EMBALAGENS: Componente A Lackpoxi N 2288 Aluminio 10002969 Balde (20 L) Componente B Lackpoxi N 2288 componente B 10003000 (20 L) LACKPOXI N 2288 DESCRIÇÃO DO PRODUTO: Primer epóxi poliamina bicomponente, pigmentado com alumínio. Tolerante a superfícies tratadas com limpeza manual ou mecânica. Revestimento anticorrosivo com alta

Leia mais

Av Dr. Cardoso de Mello, 1340 - cjto. 131 - Vila Olímpia Cep: 04548-004 - São Paulo - SP Fone/Fax: 11 3054-1480

Av Dr. Cardoso de Mello, 1340 - cjto. 131 - Vila Olímpia Cep: 04548-004 - São Paulo - SP Fone/Fax: 11 3054-1480 www.abrafati.com.br Av Dr. Cardoso de Mello, 1340 - cjto. 131 - Vila Olímpia Cep: 04548-004 - São Paulo - SP Fone/Fax: 11 3054-1480 Rua Júlio Diniz, 56 - cjto 41 - Vila Olímpia Cep: 04547-090 - São Paulo

Leia mais

GalvInfo Center - Um programa do International Zinc Association

GalvInfo Center - Um programa do International Zinc Association - Um programa do International Zinc Association 2. Processos de Revestimento e Tratamentos de Superfície GalvInfoNote 2.3 Introdução Galvanização por Imersão a Quente por Processo Contínuo Versus Galvanização

Leia mais

GT Micronutrientes Resíduos de Zinco

GT Micronutrientes Resíduos de Zinco GT Micronutrientes Resíduos de Zinco Produto Fonte geradora (processo) Exemplos de empresas geradoras no Brasil Cinza de Zn SHG Fusão de placa catódica Votorantim Metais Zinco Fusão de Zn SHG para anodos

Leia mais

Curso de MIQ - Profa. Simone P. Taguchi Borges DEMAR/EEL/USP Proteção de superfícies 1

Curso de MIQ - Profa. Simone P. Taguchi Borges DEMAR/EEL/USP Proteção de superfícies 1 Curso de MIQ - Profa. Simone P. Taguchi Borges DEMAR/EEL/USP Proteção de superfícies 1 CORROSÃO METÁLICA: É a deterioração e a perda de material devido a ação química ou eletroquímica do meio ambiente,

Leia mais

Piso epóxico Solución para estacionamientos. Viafloor EP 250. Objetivo:

Piso epóxico Solución para estacionamientos. Viafloor EP 250. Objetivo: Viafloor EP 250 Piso epóxico Solución para estacionamientos Objetivo: Revestir o piso com uma camada protetora a fim de garantir uma maior vida útil, corrigindo pequenos buracos, evitando o desgaste do

Leia mais

GalvInfo Center - Um programa do International Zinc Association. Galvanizadas (incluindo Aresta de Corte)

GalvInfo Center - Um programa do International Zinc Association. Galvanizadas (incluindo Aresta de Corte) - Um programa do International Zinc Association 3. Corrosão Mecanismos, Prevenção e Teste GalvInfoNote Corrosão Eletrolítica/Galvânica em Chapas Galvanizadas (incluindo Aresta de Corte) 3.6 Corrosão/Proteção

Leia mais

DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS

DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA N : ET-810-CGC-007 USUÁRIO: CEGÁS 1 de 7 FOLHA: OBJETO AMPLIAÇÃO DA REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE GÁS NATURAL RAMAL DE DISTRIBUIÇÃO PARA ATENDIMENTO A CLIENTES REV. Í N D I C E D E R E

Leia mais

Cortec VpCI - 377 / VpCI - 377 Winterized

Cortec VpCI - 377 / VpCI - 377 Winterized Cortec VpCI - 377 / VpCI - 377 Winterized Descrição do Produto VpCI - 377 é um concentrado à base de água, criado para ser um substituto completo de preventivos à base de óleo para proteção de componentes

Leia mais

CORROSÃO EM ESTRUTURAS DE CONCRETO. Prof. Ruy Alexandre Generoso

CORROSÃO EM ESTRUTURAS DE CONCRETO. Prof. Ruy Alexandre Generoso CORROSÃO EM ESTRUTURAS DE CONCRETO Prof. Ruy Alexandre Generoso É um dos materiais mais importantes de engenharia usado em construções. É usado nos mais variados tipos de construções tais como: barragens,

Leia mais

A OCORRÊNCIA DE EFLORESCÊNCIA EM LOCAIS IMPERMEABILIZADOS COM MANTA ASFÁLTICA

A OCORRÊNCIA DE EFLORESCÊNCIA EM LOCAIS IMPERMEABILIZADOS COM MANTA ASFÁLTICA A OCORRÊNCIA DE EFLORESCÊNCIA EM LOCAIS IMPERMEABILIZADOS COM MANTA ASFÁLTICA IRENE DE AZEVEDO LIMA JOFFILY (1) ANA LUIZA ALVES DE OLIVEIRA (2) (1) Professora UniCeub/Virtus Soluções (2) Graduanda em Engenharia

Leia mais

PRODUTO DA MARCA SEVENCOAT FICHA TÉCNICA DO PRODUTO

PRODUTO DA MARCA SEVENCOAT FICHA TÉCNICA DO PRODUTO PRODUTO DA MARCA SEVENCOAT FICHA TÉCNICA DO PRODUTO PRODUTO DA MARCA SEVENCOAT É uma tinta isolante térmica, composta de polímeros acrílicos elastoméricos, microesferas de cerâmicas, e aditivos especiais

Leia mais

Ecozink ML. Descrição:

Ecozink ML. Descrição: Ecozink ML Descrição: Ecozink ML é um processo isento de complexantes ou quelantes, indicado para banhos de zinco alcalino sem cianeto. Ecozink ML opera com dois aditivos que proporciona grande eficiência

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Olá, Apresentaremos nas próximas páginas um resumo dos nossos 18 anos de mercado e da nossa expertise em revestimentos. Uma mistura de alta tecnologia, qualidade e ótimos resultados.

Leia mais

COLETÂNEA DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AÇO INOXIDÁVEL. Resistência à corrosão dos aços inoxidáveis

COLETÂNEA DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AÇO INOXIDÁVEL. Resistência à corrosão dos aços inoxidáveis COLETÂNEA DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AÇO INOXIDÁVEL Resistência à corrosão dos aços inoxidáveis Formas localizadas de corrosão Os aços carbono sofrem de corrosão generalizada, onde grandes áreas da superfície

Leia mais

REVESTIMENTO CERÂMICOS

REVESTIMENTO CERÂMICOS SEMINÁRIOS DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS DE ENGENHARIA REALIZAÇÃO: IBAPE NACIONAL E IBAPE PR Dias 18 e 19 de setembro de 2014 Foz do Iguaçu-PR II Seminário Nacional de Perícias de Engenharia PERÍCIAS EM FACHADAS

Leia mais

TORRES AUTOPORTANTES -Triangulares - Quadradas DISTRIBUIDOR AUTORIZADO

TORRES AUTOPORTANTES -Triangulares - Quadradas DISTRIBUIDOR AUTORIZADO TORRES AUTOPORTANTES -Triangulares - Quadradas DISTRIBUIDOR AUTORIZADO Normas de Fabricação NORMAS TÉCNICAS DO PROJETO ABNT NORMA: NBR 6123 ( Forças devidas ao vento em edificações); ABNT NORMA: NBR 10777

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Tintas Soluções para Marítimo e Offshore

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Tintas Soluções para Marítimo e Offshore Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Tintas Soluções para Marítimo e Offshore Soluções para Marítimo & Offshore A WEG Tintas possui uma linha completa de produtos anticorrosivos

Leia mais

PROTEÇÃO CONTRA A CORROSÃO

PROTEÇÃO CONTRA A CORROSÃO PROTEÇÃO CONTRA A CORROSÃO Aços resistentes à corrosão atmosférica Pág 2 Galvanoplastia Pág 6 Pinturas Pág 11 Há uma tendência natural do ferro constituinte do aço retornar ao seu estado primitivo de minério,

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA LIMPEZA

INSTRUÇÕES PARA LIMPEZA Geral Os forros minerais Knauf AMF têm diversas opções de acabamento. Cada acabamento requer um método de limpeza. Normalmente, a aplicação padrão de painéis para forro não exige limpeza, porém algumas

Leia mais

DURABILIDADE DURABILIDADE DO CONCRETO

DURABILIDADE DURABILIDADE DO CONCRETO DURABILIDADE DO CONCRETO DEFINIÇÃO Durabilidade é a capacidade do concreto de resistir à ação das intempéries O concreto é considerado durável quando conserva sua forma original, qualidade e capacidade

Leia mais

MANUAL PRÁTICO DE APLICAÇÃO

MANUAL PRÁTICO DE APLICAÇÃO MANUAL PRÁTICO DE APLICAÇÃO Esperamos que este Manual Prático de Aplicação possa oferecer a você que é usuário das tintas da KING S PAINT, informações importantes para realizar uma pintura de melhor qualidade

Leia mais

Produto: KIT MAZAPOXI M298 II (4x1)

Produto: KIT MAZAPOXI M298 II (4x1) BOLETIM TÉCNICO Produto: KIT MAZAPOXI M298 II (4x1) DESCRIÇÃO DO PRODUTO: Tinta de acabamento epóxi poliamida, bi componente, de baixa espessura, este produto atende a norma Petrobras N 1198 Tipo II. RECOMENDAÇÕES

Leia mais

MECANISMOS BÁSICOS DE CORROSÃO

MECANISMOS BÁSICOS DE CORROSÃO Centro Universitário de Brasília Disciplina: Química Tecnológica Geral Professor: Edil Reis MECANISMOS BÁSICOS DE CORROSÃO No estudo dos processos corrosivos devem ser sempre consideradas as variáveis

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PINTURA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PINTURA Página 1 de 7 ÍNDICE DE REVISÕES REV. DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS E PARA LICITAÇÃO ORIGINAL REV. A REV. B REV. C REV. D REV. E REV. F REV. G REV. H DATA 01.09.1999 10.07.2000 21.07.2004 09.03.09 05.05.09

Leia mais

Sistemas de Impermeabilização

Sistemas de Impermeabilização Sistemas de Impermeabilização Projecto de Construção CET Seia Eng. Sá Neves Eng. Sá Neve Sistema invertido ou tradicional : Os sistemas em cobertura invertida são os mais aconselháveis devido a maior durabilidade

Leia mais

ADEPOXI 2630 PRIMER TINTA EPOXI FOSFATO DE ZINCO ALTA ESPESSURA N - 2630

ADEPOXI 2630 PRIMER TINTA EPOXI FOSFATO DE ZINCO ALTA ESPESSURA N - 2630 ADEPOXI 2630 PRIMER TINTA EPOXI FOSFATO DE ZINCO ALTA ESPESSURA N - 2630 DESCRIÇÃO DO PRODUTO Revestimento epóxi poliamida de alta espessura e baixo teor de voláteis orgânicos, bi-componente, pigmentado

Leia mais

Componente A Wegpoxi ERP 322 Balde (20 L) Componente B Catalisador EP ERP 322 11725363 (20 L)

Componente A Wegpoxi ERP 322 Balde (20 L) Componente B Catalisador EP ERP 322 11725363 (20 L) WEGPOXI ERP 322 DESCRIÇÃO DO PRODUTO: Primer epóxi poliamida bicomponente, de alto teor de sólidos e com pigmentação anticorrosiva a base de fosfato de zinco, com secagem rápida e boa aplicabilidade. Possui

Leia mais

Prevenção da corrosão de componentes metálicos da construção

Prevenção da corrosão de componentes metálicos da construção Seminário MATERIAIS EM AMBIENTE MARÍTIMO Prevenção da corrosão de componentes metálicos da construção Rute Fontinha Funchal Outubro de 2007 Corrosão DEGRADAÇÃO DOS COMPONENTES METÁLICOS Consequências:

Leia mais

LACKTHANE N 2677. B O L E T I M T É C N I C O T i n t a L í q u i d a DESCRIÇÃO DO PRODUTO:

LACKTHANE N 2677. B O L E T I M T É C N I C O T i n t a L í q u i d a DESCRIÇÃO DO PRODUTO: LACKTHANE N 2677 DESCRIÇÃO DO PRODUTO: Tinta de acabamento poliuretano acrílico alifático brilhante bicomponente, de altos sólidos por volume. Produto desenvolvido para compor um sistema de proteção anticorrosiva,

Leia mais

Impermeabilização de edificações residenciais urbanas

Impermeabilização de edificações residenciais urbanas Impermeabilização de edificações residenciais urbanas Serviços Reparo - Proteção Impermeabilização - Graute Atuação em todo território nacional em obras de infraestrutura www.rossetiimper.com.br Aplicador

Leia mais

Associação de Galvanizadores por Imersão a Quente da África do Sul PROTEÇÃO DO AÇO

Associação de Galvanizadores por Imersão a Quente da África do Sul PROTEÇÃO DO AÇO Associação de Galvanizadores por Imersão a Quente da África do Sul PROTEÇÃO DO AÇO POR PROCESSO DE GALVANIZAÇÃO POR IMERSÃO A QUENTE E SISTEMAS DE REVESTIMENTO DUPLEX GALVANIZAÇÃO POR IMERSÃO A QUENTE

Leia mais