TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO"

Transcrição

1 DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento n , da Comarca de São Paulo, em que é Agravante Mns Factoring Fomento Comercial Ltda, sendo Agravado Fundação Nelson Libero: ACORDAM, em 11 a Câmara Direito - Privado do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, proferir a seguinte decisão: "Deram parcial provimento ao(s) recurso(s), v.u. ", de conformidade com o relatório e voto do Relator, que integram este acórdão. Participaram do julgamento os(as) Desembargadores(as) Vieira de Moraes, Gilberto dos Santos e Moura Ribeiro. Presidência do(a) Desembargador(a) Antônio Carlos Vieira de Moraes. São Paulo, 19 de abril de Q> Vieira de Moraes Relator(a) it

2 tf COMARCA DE SÃO PAULO - 21 a VARA CÍVEL. 11 a CÂMARA. AGRAVANTE: MNS FACTORING FOMENTO COMERCIAL LTDA. AGRAVADA: FUNDAÇÃO NELSON LÍBERO. VOTO N EMENTA: Agravo de Instrumento - Execução por Título Extrajudicial - Confissão de divida e cheque - Processo anulado desde a citação - Falta de intervenção do Ministério Público - Alegada Impropríedade, por decorrer o vicio da inércia da executada e por não ter ela experimentado prejuízo - Acolhimento parcial - Nulldade configurada, por necessária a Intervenção - Interesse público presente, sendo a executada fundação - Prejuízos para esta com o vício devidamente configurados - Inteligência dos arts. 82, inc. III, 84 e 246 do C.P.C. - Desnecessidade, porém, de anular desde a citação, devendo sê-lo a partir da intimação da penhora, para embargar - Recurso parcialmente provido. Em integrando um dos pólos da lide fundação, a intervenção do Ministérío Público faz-se imperiosa jà no principio do processo, nos termos do art. 82, inc. III, do C.P.C, pela qualidade da parte, ao estar presente interesse público a ser velado. E fulminam os artigos 84 e 246 de nulidade o processo quando não observada essa cautela. Corrente jurisprudência! moderna, em nome da economia processual, vem entendendo que a nulidade só emerge quando o não acompanhamento Importe em prejuízo daquele cujos interesses incumbe ao representante ministerial resguardar. Mais precisamente, vem prevalecendo o entendimento no sentido de a falta de intervenção do representante ministerial no primeiro grau de jurisdição ser valldamente suprível pela manifestação que realize a Procuradoria de Justiça na sede recursal, pronunclando-se a respeito do mérito da contenda, salvo se demonstrada a existência de efetivo prejuízo ao interesse do tutelado. Trata-se de Agravo de Instrumento em Execução por Titulo Extrajudicial, fundada em instrumento particular de confissão de dívida, que MNS FACTORING FOMENTO COMERCIAL LTDA., a ora agravante, promove a FUNDAÇÃO NELSON LÍBERO, a agravada, tirado de R. Decisão da douta Juiza monocrática de fls. 362 e 363 dos autos de origem (fls. 251 e 252 destes), pela qual se declarou nulo todo o processo, a partir da citação, inclusive penhora, avaliação do bem e designação de praças, com fundamento no artigo 84 do CPC. Sustenta, em síntese, que, citada, a agravada antecipou-se nos autos, juntando instrumento de mandato e seus atos constitutivos, alegando a existência de uma ação declaratória de insolvência civil e reconhecendo a existência do débito cobrado; que aquela declaratória foi encerrada, prosseguindo a execução, com a penhora de imóvel e intimação do termo nas pessoas dos patronos da requerida, a qual foi regularmente intimada de todos os atos processuais, quedando-se inerte; que, nomeado perito, acostou laudo de avaliação; que, durante todo esse interregno, a agravada só se insurgiu a fls. 233, para impugnar o valor dos honorários periciais; que foi designada a praça do referido bem, quando o Ministério Público manifestou-se, pugnando ts

3 pela anulação do processo; que necessário efeito suspensivo, para não ter de arcar com os honorários periciais, referentes â perícia inutilizada, de valor substancial; que a agravada suportou todos os ônus do processo sem promover a intervenção do Ministério Público, sem vislumbrar qualquer possibilidade de prejuízo; que, também, a juíza, ao não ter promovido a intervenção do órgão ministerial, não vislumbrou tal possibilidade; que, ademais, não obstante a falta da referida promoção, aquele órgão ministerial pronunciouse; que, não recebendo seu crédito, teve de ajuizar a execução, recolhendo as custas do processo, pagando pela pericia e pela publicação dos editais para o praceamento, mas, depois disso, às vésperas, foi surpreendida pela decisão atacada, devendo suportar agora mais outro prejuízo, este com o condão do Judiciário; que, ainda, a Juíza "a quo" baseou sua decisão na nulidade da penhora na falta de nomeação de depositário, sem considerar ter a intimação da penhora sido promovida por ela mesma, tendo o patrono da agravada conhecimento do ato; que o M. P. não atentou constar do instrumento de confissão de dívida a assinatura do presidente da agravada em exercício na época, mesmo que, por descuido, em lugar errado, sendo ele próprio quem conferiu poderes ao patrono dela; que não houve crime contra o sistema financeiro nacional. Com efeito suspensivo, pede provimento, para a reforma da decisão, ou, alternativamente, a decretação da nulidade do processo somente a partir da intimação da penhora, sobrestando-se, por ora, o levantamento dos honorários periciais (fls. 2 a 11). Para formar o instrumento os documentos de fls. 12 a 258, cópias de peças dos autos principais e outros. Anotado o recolhimento das custas do recurso e do porte de retorno, este, porém, em valor inferior ao devido (fls. 259 a 261). Deixando de conferir o efeito suspensivo pretendido, admiti o processamento do recurso, com oportunidade de manifestação à agravada e determinações à agravante (fls. 265 e 266). Cumpriu esta o ordenado (fls. 270 a 272), havendo resposta pela primeira, onde postulação aplicação de pena por litigãncia de má-fé (fls. 274 a 281). Opina o douto Procurador de Justiça pelo improvimento (fls. 284 e 285). É O RELATÓRIO. Apenas em diminuta parte cabe acolher o reclamo recursal da exeqüente, impondo-se, no mais, preservar a R. Decisão combatida, que, no geral, bem solveu a questão. Por primeiro, observo não haver controvérsia quanto à necessidade da intervenção ministerial em iides como a da espécie, onde uma fundação integra um dos pólos. Isso o decorrente de expressa previsão legal, conforme disposto pelo artigo 82, inciso III, da lei adjetiva, porquanto faz-se presente o interesse público, evidenciado pela qualidade da executada, ao estar conferido ao Ministério Público o dever de velar pelas fundações. Também incontroverso que essa intervenção não ocorreu

4 3 durante boa parte do processamento da lide executória, somente se verificando às vésperas da venda judicial, quando se invocou, exatamente, tal nulidade, ao lado de outra processual e a ausência de título idôneo a fundamentar a execução (fls. 305 a 321 dos autos de origem). Pretende a credora-agravante que tal nulidade não deveria ter sido pronunciada, por não haver a fundação experimentado qualquer prejuízo com semelhante vicio. Desassistida, contudo, de qualquer razão. A intervenção do Ministério Público, com efeito, fazia-se imperiosa já no princípio do processo, nos termos do dispositivo legal referido, fulminando, de outro lado, os artigos 84 e 246 de nulidade o mesmo quando não observada essa cautela. E, cuidando-se, em princípio, de nulidade absoluta, os atos processuais praticados sem ela não produzem qualquer efeito, inocorrendo vício suprível ou preclusão. Verdade que corrente jurisprudencial moderna, em nome da economia processual, vem entendendo que a nulidade só emerge quando o não acompanhamento importe em prejuízo daquele cujos interesses incumbe ao representante ministerial resguardar. Mais precisamente, vem prevalecendo o entendimento, que aplaudo, no sentido de a falta de intervenção do representante ministerial no primeiro grau de jurisdição ser vai ida mente suprível pela manifestação que realize a Procuradoria de Justiça na sede recursal, pronunciando-se a respeito do mérito da contenda, salvo se demonstrada a existência de efetivo prejuízo ao interesse do tutelado. Confiram-se a respeito os julgados do C. Superior Tribunal de Justiça e outras cortes, em acórdãos citados por Theotônio Negrão em seu Código de Processo Civil e Legislação Processual em Vigor, pelas notas 4 e 4a. ao mencionado artigo 246. Esta, também, a conclusão dos juizes dos extintos Tribunais de Alçada em seu sexto encontro (in 30 a ed., pág. 297 e 298): "Rejeita-se preliminar de nulidade, por alegada ausência do Ministério Público, se este, quando intervém no processo, não a argúi, demonstrando Inexlstlr prejuízo (RSTJ d/409). A não intervenção do Ministério Público em primeiro grau de jurisdição pode ser suprida pela intervenção da Procuradoria de Justiça perante o coleglado de segundo grau, em parecer cuidando do mérito da causa sem argülr prejuízo nem alegar nulidade'(stj-4* Turma, REsp 2.903'MA, rei. Min. Athos Carneiro, } ). A manifestação da Procuradoria Geral da Justiça supre a falta de intervenção do Ministério Público na instância Inferior (Lex-JTA 157/427)". A intervenção da Procuradoria de Justiça em segundo grau evita a anulação de processo no qual no qual o MP não tenha sido Intimado em primeiro grau, desde que não demonstrado o prejuízo ao interesse do tutelado" (VI ENTA - concl. 42, aprovada por maioria, já retificada). Todavia, no caso telado, a manifestação do ilustre Promotor de Justiça, secundado pelo digno Procurador, traz a invocação de nulidade, indicando, de forma contundente, os prejuízos experimentados pela fundação executada diante da não

5 assistência ministerial. Assim porque, com sua inércia, deixou de argüir vícios processuais - irregularidade da penhora, por falta de nomeação de depositário, falta de intimação regular dela, sub-avaliação do bem imóvel - e nos próprios títulos de crédito - supostamente emitidos por quem não tinha poderes para tal - o que, certamente, teria sido levantado pelo agente ministerial, podendo ter mudado o caminho ou a sorte da execução. Como conseqüência, seguiu o processo executório seu curso, aproximando-se da fase de venda judicial do bem penhorado, sem que houvesse defesa alguma da executada. Vislumbra-se, daí, prejuízo efetivo para a agravada com o processamento da lide sem tal intervenção inicial, sobretudo porque constrito o próprio imóvel onde desenvolve suas atividades fins, pondo em risco sua sobrevivência. Não se pode, pois, ter a nulidade, agora, por suprida por tais tardias manifestações ministeriais. Por outra banda, sem suporte algum a alegação da agravante de que esse vício teria derivado de omissão de sua adversa, a fundação, porquanto dispõe o artigo 84 do código instrumental que, quando a lei considerar obrigatória a intervenção do Ministério Público, cabe à parte promover-lhe a intimação. Ora, se é o exeqüente quem tem interesse na higidez do processo executório, a ele cumpre, primordialmente, providenciar essa intervenção, seja denunciando sua necessidade, quer a requerendo. Sendo a intervenção obrigatória, assemelha-se ao litisconsórcio necessário, onde se atribui ao autor o dever de promover a convocação dos litisconsortes, sob pena de extinção do processo. Somente em um aspecto, a meu sentir, não se houve com acerto a I. Julgadora, quando reconheceu a nulidade do processo a partir da citação. Não se verificando qualquer vício, de outra natureza, no ato de convocação da devedora para pagamento ou nomeação de bens à penhora, inocorre, também, no concernente à intervenção ministerial, pois, pelo meu sentir, cumpria intimar o Ministério Público quando, regularizada a constrição judicial, fosse o devedor também intimado para oferecer sua defesa, por meio dos embargos (art. 736). Antes disso, só caberia a intervenção se houvesse pronto pagamento pelo devedor, pois a intervenção apenas se justifica ao momento em que a parte assistida ingressa na lide, defendendo-se ou deixando de fazê-lo. Deste modo, "data venia", devem ser anulados todos os atos processuais posteriores â penhora. Anoto, por derradeiro, que, não tendo sido objeto de exame pelo juízo singular as demais invocações do Ministério Público, inviável sua apreciação, originariamente, nesta sede recursal, sob pena de afronta ao princípio do duplo grau de jurisdição. Em decorrência dos fundamentos expostos, pelo meu voto, DOU PARCIAL PROVIMENTO ao agravo apenas para declarar que a nulidade do processo verifica-se a partir da penhora, exclusive, confirmando a R. Decisão nos seus demais termos. r\ VIEIRA DE MORAES Relator. k

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo fls. 142 Registro: 2014.0000196662 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 2032279-20.2014.8.26.0000, da Comarca de, em que é agravante ENGELUX CONSTRUTORA LTDA.

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR ACÓRDÃO

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR ACÓRDÃO Registro: 2013.0000227069 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 0051818-40.2013.8.26.0000, da Comarca de Barueri, em que é agravante ITAU UNIBANCO S/A, são agravados

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO Seção de Direito Privado 31ª CÂMARA ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO Seção de Direito Privado 31ª CÂMARA ACÓRDÃO Registro: 2011.0000128338 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 9091312-94.2006.8.26.0000, da Comarca de Nova Odessa, em que é apelante BANCO BMC S/A sendo apelado MASSA FALIDA

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores MARCOS RAMOS (Presidente), ANDRADE NETO E ORLANDO PISTORESI.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores MARCOS RAMOS (Presidente), ANDRADE NETO E ORLANDO PISTORESI. Registro: 2011.0000252337 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 0200229-93.2011.8.26.0000, da Comarca de, em que é agravante CONDOMÍNIO EDIFÍCIO SAINT PAUL DE VENCE

Leia mais

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator RECURSO INOMINADO nº 2006.0003375-3/0, DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA COMARCA DE APUCARANA Recorrente...: ROVIGO INDUSTRIA E COMERCIO DE CONFECÇÕES LTDA Recorrida...: FINASA LEASING ARRENDAMENTO MERCANTIL

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL Nº 434.737-5 - 19.08.2004

APELAÇÃO CÍVEL Nº 434.737-5 - 19.08.2004 -1- EMENTA: EMBARGOS DE TERCEIRO - PENHORA DE BEM IMÓVEL - INEXISTÊNCIA DE INTIMAÇÃO DO CÔNJUGE - NULIDADE DOS ATOS PROCESSUAIS POSTERIORES ART. 669, PARÁGRAFO ÚNICO DO CPC. Nos termos do art. 669, parágrafo

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO. Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo ACÓRDÃO ACÓRDÃO Registro: 2013.0000251389 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0128060-36.2010.8.26.0100, da Comarca de São Paulo, em que é apelante AGÊNCIA ESTADO LTDA, é apelado IGB ELETRÔNICA

Leia mais

Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira

Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira AC no 035.2005.000.557-4/001 1 Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL No 035.2005.000.5 001

Leia mais

SEGUNDA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 32721/2011 - CLASSE CNJ - 202 - COMARCA DE RONDONÓPOLIS ANIVALDO CORREIA DE MELLO

SEGUNDA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 32721/2011 - CLASSE CNJ - 202 - COMARCA DE RONDONÓPOLIS ANIVALDO CORREIA DE MELLO AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 32721/2011 CLASSE CNJ 202 COMARCA DE Fls. AGRAVANTE: AGRAVADO: ANIVALDO CORREIA DE MELLO LUIZ CARLOS FANELLI Número do Protocolo: 32721/2011 Data de Julgamento: 2262011 EMENTA

Leia mais

Dados Básicos. Legislação. Ementa. Íntegra

Dados Básicos. Legislação. Ementa. Íntegra Dados Básicos Fonte: 1.0024.05.707278-7/001(1) Tipo: Acórdão TJMG Data de Julgamento: 27/04/2011 Data de Aprovação Data não disponível Data de Publicação:13/05/2011 Estado: Minas Gerais Cidade: Belo Horizonte

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO ACÓRDÃO Registro: 2012.0000073026 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0145148-24.2009.8.26.0100, da Comarca de São Paulo, em que é apelante ASSEFAC ASSESSOR FACTORING LTDA sendo apelados

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho \,, *.. _ ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL n g- 001.2005.017735-9/001 Comarca de Campina Grande RELATOR : Des. Genésio

Leia mais

4ª Câmara Cível AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 55413-2/180 (200701476731) COMARCA DE URUANA

4ª Câmara Cível AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 55413-2/180 (200701476731) COMARCA DE URUANA 4ª Câmara Cível AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 55413-2/180 (200701476731) COMARCA DE URUANA AGRAVANTE MAFRE VERA CRUZ SEGURADORA S/A AGRAVADA MARIA FRANCISCA DE OLIVEIRA RELATOR Juiz GILMAR LUIZ COELHO RELATÓRIO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO fls. 200 Registro: 2014.0000390320 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 2044896-12.2014.8.26.0000, da Comarca de Franca, em que é agravante MINISTÉRIO PÚBLICO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.084.748 - MT (2008/0194990-5) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO SIDNEI BENETI : AGRO AMAZÔNIA PRODUTOS AGROPECUÁRIOS LTDA : DÉCIO JOSÉ TESSARO E OUTRO(S) :

Leia mais

ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO

ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA REGISTRADO(A) SOB N I miii mil mil mil um um um mu mi nu *03276613* Vistos, relatados e discutidos

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 98089-52.2011.8.09.0000 (201190980894) COMARCA DE GOIÂNIA AGRAVANTE : ANNA CRISTINA TORRES FIUZA DE ALENCAR RELATOR : DES

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 98089-52.2011.8.09.0000 (201190980894) COMARCA DE GOIÂNIA AGRAVANTE : ANNA CRISTINA TORRES FIUZA DE ALENCAR RELATOR : DES AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 98089-52.2011.8.09.0000 (201190980894) COMARCA DE GOIÂNIA AGRAVANTE : ANNA CRISTINA TORRES FIUZA DE ALENCAR RELATOR : DES. ALAN SEBASTIÃO DE SENA CONCEIÇÃO RELATÓRIO E VOTO Anna

Leia mais

7ª CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL N.º 798.202-7 DA COMARCA DE CERRO AZUL VARA ÚNICA

7ª CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL N.º 798.202-7 DA COMARCA DE CERRO AZUL VARA ÚNICA 7ª CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL N.º 798.202-7 DA COMARCA DE CERRO AZUL VARA ÚNICA Apelante: MUNICÍPIO DE CERRO AZUL Apelado: ESTADO DO PARANÁ Relator: Des. GUILHERME LUIZ GOMES APELAÇÃO CÍVEL AÇÃO ANULATÓRIA

Leia mais

O julgamento teve a participação dos Desembargadores BORIS KAUFFMANN (Presidente) e ELLIOT AKEL. São Paulo, 01 de junho de 2010.

O julgamento teve a participação dos Desembargadores BORIS KAUFFMANN (Presidente) e ELLIOT AKEL. São Paulo, 01 de junho de 2010. th.-,; V. pjúk-^i ** "i' ''" >*.. > ' * ' PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACORDAO/DECISÃO MONOCRÁTICA REGISTRADO(A) SOB N ACÓRDÃO I llllll MU llfll lllli

Leia mais

Registro: 2012.0000011337 ACÓRDÃO

Registro: 2012.0000011337 ACÓRDÃO Registro: 2012.0000011337 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 0287090-82.2011.8.26.0000, da Comarca de Santos, em que é agravante FIRPAVI CONSTRUTORA E PAVIMENTADORA

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa Agravo de Instrumento n 2 073.2012.001287-4 /001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa Agravante: Marina Jacaré Clube Advogado:

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 37ª Câmara de Direito Privado

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 37ª Câmara de Direito Privado ACÓRDÃO Registro: 2014.0000726618 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 1007380-59.2014.8.26.0554, da Comarca de Santo André, em que é apelante JOSÉ RIBEIRO, é apelado KOPLENO PRODUTOS

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ' v ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA REGISTRADO(A) SOB N lllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll *02796912* Vistos,-

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO Registro: 2013.0000172403 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0021434-36.2009.8.26.0000, da Comarca de São Paulo,

Leia mais

NULIDADE POR FALTA DE INTIMAÇÃO DA AVALIAÇÃO.

NULIDADE POR FALTA DE INTIMAÇÃO DA AVALIAÇÃO. NULIDADE POR FALTA DE INTIMAÇÃO DA AVALIAÇÃO. A inexistência de intimação para o devedor se manifestar em relação à avaliação realizada implica em nulidade do processo. Esse fato macula de nulidade a arrematação

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO Registro: 2015.0000634892 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 2150710-76.2015.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é agravante GOOGLE BRASIL INTERNET LTDA,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL UBALDO ATAÍDE CAVALCANTE

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL UBALDO ATAÍDE CAVALCANTE RELATÓRIO O Excelentíssimo Senhor Desembargador Federal UBALDO ATAÍDE (Relator): Trata-se de agravo de instrumento, com pedido de antecipação da tutela recursal contra decisão proferida pelo Juízo a quo,

Leia mais

I iiiii uni mil mil uni uni mu mii mi mi

I iiiii uni mil mil uni uni mu mii mi mi f PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA REGISTRADO(A) SOB N I iiiii uni mil mil uni uni mu mii mi mi *03209848* Vistos,

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores MOREIRA VIEGAS (Presidente) e JAMES SIANO. São Paulo, 6 de março de 2013.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores MOREIRA VIEGAS (Presidente) e JAMES SIANO. São Paulo, 6 de março de 2013. Registro: 2013.0000126203 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0029997-39.2011.8.26.0100, da Comarca de São Paulo, em que é apelante ANNA SPALLICCI, é apelado MARIO RENATO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO (o TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRATICA ACÓRDÃO Processo - Suspensão - Execução de título extrajudicial - Pessoa jurídica em recuperação judicial - Hipótese legal de novação condicional

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0024.14.148142-4/001 Númeração 0807534- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Mariângela Meyer Des.(a) Mariângela Meyer 24/02/2015 06/03/2015 EMENTA:

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2014.0000104277 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 9000088-33.2009.8.26.0562, da Comarca de Santos, em que é apelante

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores ISRAEL GÓES DOS ANJOS (Presidente sem voto), CARLOS ABRÃO E SERGIO GOMES.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores ISRAEL GÓES DOS ANJOS (Presidente sem voto), CARLOS ABRÃO E SERGIO GOMES. Registro: 2013.0000253492 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0110059-40.2009.8.26.0002, da Comarca de São Paulo, em que é apelante/apelado OPÇÃO ENTREGAS RÁPIDAS LTDA, é

Leia mais

Precedente da Câmara. APELAÇÃO DESPROVIDA. EDUARDO SANTOS DA SILVA

Precedente da Câmara. APELAÇÃO DESPROVIDA. EDUARDO SANTOS DA SILVA APELAÇÃO CÍVEL. REINTEGRAÇÃO DE POSSE. HOMOLOGAÇÃO DE ACORDO APRESENTADO EM JUÍZO. RECURSO DO RÉU. A transação em juízo não exige a intervenção de advogados, restando válido o acordo pactuado no presente

Leia mais

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. RIBEIRÃO PRETO, em que é agravante COMPANHIA HABITACIONAL

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. RIBEIRÃO PRETO, em que é agravante COMPANHIA HABITACIONAL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO AC REG.STRADO(A)SOBN Vistos, relatados e discutidos estes autos de AGRAVO DE INSTRUMENTO n e 682.409-5/0-00, da Comarca de RIBEIRÃO PRETO, em que é agravante COMPANHIA

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da 5ª Região Gabinete do Desembargador Federal Rogério Fialho Moreira

Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da 5ª Região Gabinete do Desembargador Federal Rogério Fialho Moreira RELATOR: DESEMBARGADOR FEDERAL ROGÉRIO FIALHO MOREIRA RELATÓRIO Trata-se de apelação interposta pelo INSS (fls. 83/90), em face da sentença (fls. 79/80), que julgou procedente o pedido de aposentadoria

Leia mais

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. AGRAVO DE INSTRUMENTO n 501.512-4/4-00, da Comarca de SÃO

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. AGRAVO DE INSTRUMENTO n 501.512-4/4-00, da Comarca de SÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRATICA REGISTRADO(A) SOB N *01319002* Vistos, relatados e discutidos estes autos de AGRAVO DE INSTRUMENTO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo ACÓRDÃO Registro: 2014.0000318446 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0001766-40.2013.8.26.0291, da Comarca de Jaboticabal, em que é

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO fls. 1 ACÓRDÃO Registro: 2013.0000216806 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 0196471-72.2012.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é agravante SOCIORTHO COMERCIO

Leia mais

TERCEIRA CÂMARA CÍVEL RECURSO DE APELAÇÃO CÍVEL Nº 28345/2003 - CLASSE II - 23 - COMARCA CAPITAL

TERCEIRA CÂMARA CÍVEL RECURSO DE APELAÇÃO CÍVEL Nº 28345/2003 - CLASSE II - 23 - COMARCA CAPITAL APELANTE(S): APELADA(S): INFOWORLD TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA LTDA. DATEX COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA. - ME Número do Protocolo: 28345/2003 Data de Julgamento: 12-11-2003 EMENTA EMBARGOS À EXECUÇÃO - CHEQUE

Leia mais

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. AGRAVO DE INSTRUMENTO n 659.174-4/9-00, da Comarca de

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. AGRAVO DE INSTRUMENTO n 659.174-4/9-00, da Comarca de TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA ACÓRDÃO REGISTRADO(A) SOB N *02681367* Vistos, relatados e discutidos estes autos de AGRAVO DE INSTRUMENTO

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 541.479-4/5-00, da Comarca de. LIMEIRA, em que são apelantes e reciprocamente apelados RIO

APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 541.479-4/5-00, da Comarca de. LIMEIRA, em que são apelantes e reciprocamente apelados RIO f PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÒRDÃO/DECISAOMONOCRATICA ACÓRDÃO REGISTRADO(A) SOB N Vistos, relatados e discutidos estes autos de APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 541.479-4/5-00, da

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores DONEGÁ MORANDINI (Presidente) e EGIDIO GIACOIA.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores DONEGÁ MORANDINI (Presidente) e EGIDIO GIACOIA. ACÓRDÃO Registro: 2015.0000723861 Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 2173891-09.2015.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é agravante RICARDO MORAND DE LIMA, é

Leia mais

Dados básicos. Ementa: Íntegra

Dados básicos. Ementa: Íntegra Dados básicos Acórdão TJSP Fonte: 0008410-52.2009.8.26.0642 Julgamento: 26/07/2011 Aprovação: Não Disponível Publicação: 27/07/2011 Estado: São Paulo Cidade: Ubatuba Relator: Beretta da Silveira Legislação:

Leia mais

ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA 267 REGISTRADO(A) SOB N

ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA 267 REGISTRADO(A) SOB N TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO > TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA 267 REGISTRADO(A) SOB N Apelação n 2 ACÓRDÃO IIIIIIIIIIIIIIIIIM *03715825* Vistos, relatados e discutidos

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0105.13.026868-0/001 Númeração 0268680- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Heloisa Combat Des.(a) Heloisa Combat 11/06/2014 16/06/2014 EMENTA: APELAÇÃO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0012063-04.2013.8.19.0000 AGRAVANTE: MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO AGRAVADO: JULIANA SILVA DE OLIVEIRA RELATOR: Des. EDUARDO DE AZEVEDO PAIVA EMENTA AGRAVO DE INSTRUMENTO. FAZENDA

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA - Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA - Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho , 1. " ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA - Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO. APELAÇÃO CÍVEL N 076.2005.000115-5/001 Comarca de Gurinhém RELATOR: Des. Genésio Gomes Pereira

Leia mais

Curso Resultado. Jurisprudência ordenada por matérias e assuntos Processo Civil

Curso Resultado. Jurisprudência ordenada por matérias e assuntos Processo Civil Curso Resultado Jurisprudência ordenada por matérias e assuntos Processo Civil Atualizado em 18 de dezembro de 2015 Sumário Ação coletiva / civil pública Ação contra seguradora Ação de adjudicação compulsória

Leia mais

ACÓRDÃO. Salles Rossi RELATOR Assinatura Eletrônica

ACÓRDÃO. Salles Rossi RELATOR Assinatura Eletrônica fls. 1 ACÓRDÃO Registro: 2012.0000382774 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0001561-08.2012.8.26.0562, da Comarca de Santos, em que é apelante PLANO DE SAÚDE ANA COSTA LTDA, é apelado

Leia mais

41,14'1 ti. tha. ojlnt. Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça ACÓRDÃO

41,14'1 ti. tha. ojlnt. Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça ACÓRDÃO . - - 41,14'1 ti tha ojlnt Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N 200.2007.792.417-9/001 João Pessoa RELATOR: Miguel de Britto Lyra Filho, Juiz de Direito Convocado

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA o. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOÃO ALVES DA SILVA DECISÃO MONOCRÁTICA AGRAVO DE INSTRUMENTO NQ 001.2010.006903-6/001 RELATOR : Desembargador João Alves da Silva AGRAVANTE

Leia mais

Peça prático-profissional

Peça prático-profissional Peça prático-profissional Marilza assinou 5 notas promissórias, no valor de R$ 1.000,00 cada uma, para garantir o pagamento de um empréstimo tomado de uma factoring chamada GBO Ltda. Recebeu na data de

Leia mais

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 392.139-5/8-00, da Comarca de

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 392.139-5/8-00, da Comarca de TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA REGISTRADO(A)SOBN *02639904* Vistos, relatados e discutidos estes autos de APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2014.0000422XXX ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº XXXXXX- XX.2008.8.26.0000, da Comarca de, em que são apelantes GUILHERME (Omitido) e outras, são apelados KLASELL

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO Registro: 2015.0000616201 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 1104950-49.2014.8.26.0100, da Comarca de São Paulo, em que é apelante GOOGLE BRASIL INTERNET LTDA, é apelada

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 468.333 - MS (2002/0108270-6) RELATOR : MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO RECORRENTE : BANCO DO BRASIL S/A ADVOGADO : GILBERTO EIFLER MORAES E OUTRO(S) RECORRIDO : LEODARCY DA SILVA ANGELIERI

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO N º 904.124-0/9 São Paulo Agravante: Patrícia de Carvalho Izoldi Agravado: Paulo Penido Pinto Marques

AGRAVO DE INSTRUMENTO N º 904.124-0/9 São Paulo Agravante: Patrícia de Carvalho Izoldi Agravado: Paulo Penido Pinto Marques AGRAVO DE INSTRUMENTO N º 904.124-0/9 São Paulo Agravante: Patrícia de Carvalho Izoldi Agravado: Paulo Penido Pinto Marques AÇÃO DE DESPEJO POR FALTA DE PAGAMENTO CUMULADA COM COBRANÇA DE ALUGUERES E ENCARGOS.

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2013.0000250943 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0080413-48.2010.8.26.0002, da Comarca de São Paulo, em que é apelante

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. FAGUNDES CUNHA PRESIDENTE RELATOR

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. FAGUNDES CUNHA PRESIDENTE RELATOR RECURSO INOMINADO Nº 2006.0003212-2/0, DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA COMARCA DE CRUZEIRO DO OESTE RECORRENTE...: BRADESCO SEGUROS S. A. RECORRIDO...: ALEXANDRE GONÇALVES MANFRIM RELATOR...: EMENTA RECURSO

Leia mais

Teoria Geral do Processo II Matrícula: 11/0115791 Vallisney de Souza Oliveira O ÔNUS DA PROVA NO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR

Teoria Geral do Processo II Matrícula: 11/0115791 Vallisney de Souza Oliveira O ÔNUS DA PROVA NO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Aluno: Endrigo Araldi Teoria Geral do Processo II Matrícula: 11/0115791 Vallisney de Souza Oliveira O ÔNUS DA PROVA NO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR Brasília, 30 de Maio de 2013

Leia mais

QUINTA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA 0037321-84.2011.8.19.0000 1ª

QUINTA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA 0037321-84.2011.8.19.0000 1ª 1ª Vara Cível de Nova Iguaçu Agravante: Sindicato dos Empregados no Comércio de Duque de Caxias São João de Meriti Magé e Guapimirim Agravado: Supermercados Alto da Posse Ltda. Relator: DES. MILTON FERNANDES

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO JOÃO OTÁVIO DE NORONHA RECORRENTE : E L DOS S E OUTRO ADVOGADO : JULIANO FONSECA DE MORAIS EMENTA RECURSO ESPECIAL. PROCESSUAL CIVIL. AÇÃO DE DIVÓRCIO DIRETO CONSENSUAL. CASAMENTO REALIZADO

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL PEÇA PROFISSIONAL Deve-se redigir recurso de apelação endereçado ao juiz de direito da 3.ª Vara Cível de Patos de Minas MG, formular pedido para recebimento da apelação no duplo efeito e remessa dos autos

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO BARROS DIAS

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO BARROS DIAS AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 122610/AL (0001933-12.2012.4.05.0000) AGRTE : CRISTINA MOREIRA DE BRITO TENORIO ADV/PROC : FLÁVIO ADRIANO REBELO BRANDAO SANTOS E OUTRO AGRDO : FAZENDA NACIONAL ORIGEM: 5ª VARA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli APELAÇÃO CÍVEL Nº 550822-PE (2001.83.00.010096-5) APTE : INSS - INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL REPTE : PROCURADORIA REPRESENTANTE DA ENTIDADE APDO : LUZIA DOS SANTOS SANTANA ADV/PROC : SEM ADVOGADO/PROCURADOR

Leia mais

Curso Preparatório para o Concurso Público do TRT 12. Noções de Direito Processual Civil Aula 1 Prof. Esp Daniel Teske Corrêa

Curso Preparatório para o Concurso Público do TRT 12. Noções de Direito Processual Civil Aula 1 Prof. Esp Daniel Teske Corrêa Curso Preparatório para o Concurso Público do TRT 12 Noções de Direito Processual Civil Aula 1 Prof. Esp Daniel Teske Corrêa Sumário Jurisdição Competência Ação Partes, Ministério Público e Intervenção

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0024.05.871804-0/002 Númeração 8718040- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Fernando Caldeira Brant Des.(a) Fernando Caldeira Brant 28/02/2013 05/03/2013

Leia mais

Processo no. 200.2009.000.751-5/001. ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Desembargador Marcos Cavalcanti de Albuquerque

Processo no. 200.2009.000.751-5/001. ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Desembargador Marcos Cavalcanti de Albuquerque ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Desembargador Marcos Cavalcanti de Albuquerque Acórdão APELAÇÃO CÍVEL - no. 200.2009.000.751-5/001 Relator: Dr. Eduardo José de Carvalho

Leia mais

(ambas sem procuração).

(ambas sem procuração). ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa AGRAVO DE INSTRUMENTO N. 001.2009.006097-9 / 001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa. Agravante: Itatj Seguros S/A. Advogado:

Leia mais

UARDO SA PIUIS =gsndevrl Relator

UARDO SA PIUIS =gsndevrl Relator TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SAO PAULO 28 a Câmara SEÇÃO DE DIREITO PRIVADO AGRAVO DE INSTRUMENTO N 1138257-0/0 J Comarca de SANTOS Processo 30647/97 8.V.CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO

Leia mais

P O D E R J U D I C I Á R I O

P O D E R J U D I C I Á R I O Registro: 2013.0000791055 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0024907-79.2012.8.26.0564, da Comarca de São Bernardo do Campo, em que é apelante CRIA SIM PRODUTOS DE HIGIENE

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO nº 133023/PE (0006482-31.2013.4.05.0000)

AGRAVO DE INSTRUMENTO nº 133023/PE (0006482-31.2013.4.05.0000) AGRTE AGRDO ADV/PROC ORIGEM RELATOR : UNIÃO (FAZENDA NACIONAL) : CLEIDE & LIMA LTDA ME : PEDRO MELCHIOR DE MELO BARROS e outros : 28ª VARA FEDERAL DE PERNAMBUCO (ARCOVERDE) : DESEMBARGADOR FEDERAL FERNANDO

Leia mais

AÇÃO CRIMINAL Nº 231-PE (89.05.03003-3) APTE: JUSTIÇA PÚBLICA APDO: ANCILON GOMES FILHO RELATOR: DESEMBARGADOR FEDERAL ÉLIO SIQUEIRA (CONVOCADO)

AÇÃO CRIMINAL Nº 231-PE (89.05.03003-3) APTE: JUSTIÇA PÚBLICA APDO: ANCILON GOMES FILHO RELATOR: DESEMBARGADOR FEDERAL ÉLIO SIQUEIRA (CONVOCADO) AÇÃO CRIMINAL Nº 231-PE (89.05.03003-3) APTE: JUSTIÇA PÚBLICA APDO: ANCILON GOMES FILHO RELATOR: DESEMBARGADOR FEDERAL ÉLIO SIQUEIRA (CONVOCADO) RELATÓRIO O EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR FEDERAL

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO: Conceito: é o recurso adequado para a impugnação das decisões que denegarem seguimento a outro recurso.

AGRAVO DE INSTRUMENTO: Conceito: é o recurso adequado para a impugnação das decisões que denegarem seguimento a outro recurso. AGRAVO DE INSTRUMENTO: Conceito: é o recurso adequado para a impugnação das decisões que denegarem seguimento a outro recurso. Por que se diz instrumento: a razão pela qual o recurso se chama agravo de

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 9ª REGIÃO "A conciliação é o melhor caminho para a paz"

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 9ª REGIÃO A conciliação é o melhor caminho para a paz EMENTA BEM IMÓVEL - HASTA PÚBLICA - INTIMAÇÃO DO CÔNJUGE - NECESSIDADE. De acordo com o entendimento prevalecente nesta Seção Especializada, em se tratando de bem imóvel, o cônjuge deve ser intimado da

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SAO PAULO - SEÇÃO DE DIREITO PRIVADO. 30 a Câmara

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SAO PAULO - SEÇÃO DE DIREITO PRIVADO. 30 a Câmara DO ESTADO DE SAO PAULO - SEÇÃO DE DIREITO PRIVADO 30 a Câmara AGRAVO DE INSTRUMENTO No.1204235-0/4 Comarca cie SÃO CAETANO DO SUL Processo 2789/08 3.V.CÍVEL DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRATICA REGISTRADO(A)

Leia mais

Nº 70010899649 COMARCA DE LAJEADO MUNICÍPIO DE LAJEADO ACÓRDÃO

Nº 70010899649 COMARCA DE LAJEADO MUNICÍPIO DE LAJEADO ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL. TRIBUTÁRIO. AÇÃO DECLARATÓRIA. FACTORING. ISS. BASE DE CÁLCULO. A base de cálculo do ISS incidente sobre os contratos de factoring é o valor do agenciamento, da corretagem ou da intermediação,

Leia mais

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO PARTE A ADV/PROC PARTE R REPTE ORIGEM RELATOR : JORGEVALDO ROBINSTON DE MOURA : FÁBIO CORREA RIBEIRO E OUTROS : INSS INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL : PROCURADORIA REPRESENTANTE DA ENTIDADE : JUÍZO

Leia mais

ar, Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete do Desembargador Jorge Ribeiro Nábrega

ar, Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete do Desembargador Jorge Ribeiro Nábrega :._ * 190\' ar, Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete do Desembargador Jorge Ribeiro Nábrega ACÓRDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO N. 200.2004.0624948 Oriundo a 8a Vara Cível da Comarca da Capital

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DA TRIBUTAÇÃO CONSELHO DE RECURSOS FISCAIS

RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DA TRIBUTAÇÃO CONSELHO DE RECURSOS FISCAIS R E L A T Ó R I O Consta que contra a autuada acima qualificada, foi lavrado o Auto de Infração n 415/2010 1ª URT, onde se denuncia: I) Saída de mercadoria desacompanhada de nota fiscal, apurada através

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. Imprimir Nr. do Processo 0517812-51.2014.4.05.8400S Autor ADELMO RIBEIRO DE LIMA

PODER JUDICIÁRIO. Imprimir Nr. do Processo 0517812-51.2014.4.05.8400S Autor ADELMO RIBEIRO DE LIMA 1 de 5 17/03/2015 11:04 PODER JUDICIÁRIO INFORMACÕES SOBRE ESTE DOCUMENTO NUM. 27 Imprimir Nr. do Processo 0517812-51.2014.4.05.8400S Autor ADELMO RIBEIRO DE LIMA Data da Inclusão 12/03/201518:44:13 Réu

Leia mais

(ft.." 4 Án 41. sks, 4, Pus JUSTIT11 Pijj z ESTADO DA PARAIBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DO DES. MÁRCIO MURILO DA CUNHA RAMOS

(ft.. 4 Án 41. sks, 4, Pus JUSTIT11 Pijj z ESTADO DA PARAIBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DO DES. MÁRCIO MURILO DA CUNHA RAMOS (ft.." 4 Án 41 sks, 4, Pus JUSTIT11 Pijj z ESTADO DA PARAIBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DO DES. MÁRCIO MURILO DA CUNHA RAMOS ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N 076.2008.000525-9/001 Comarca de

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO fls. 5 ACÓRDÃO Registro: 2014.0000429851 Vistos, relatados e discutidos estes autos do Mandado de Segurança nº 0226204-83.2012.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é impetrante EDEMAR CID FERREIRA,

Leia mais

EMB. DECL. EM AC 333.188-CE (2002.81.00.013652-2/01). RELATÓRIO

EMB. DECL. EM AC 333.188-CE (2002.81.00.013652-2/01). RELATÓRIO RELATÓRIO 1. Trata-se de Embargos Declaratórios interpostos pela FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO VALE DO ACARAÚ- UVA, contra Acórdão da Segunda Turma deste TRF de fls. 526/528, nos autos de AC 333.188-CE,

Leia mais

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. AGRAVO DE INSTRUMENTO n 44 9.7 64-4/5-00, da Comarca de

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. AGRAVO DE INSTRUMENTO n 44 9.7 64-4/5-00, da Comarca de TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ^ ~ ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRATICA ACÓRDÃO REGISTRADO(A) SOB N *01148888* Vistos, relatados e discutidos estes autos de AGRAVO DE INSTRUMENTO

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA AGRAVO DE INSTRUMENTO N.º 24979-72.2009.8.06.0000/0 AGRAVANTES: JOSÉ SIMÃO FILHO E ANA LÚCIA SANTOS SIMÃO AGRAVADO: BANCO DO BRASIL S.A RELATOR: DR. FRANCISCO MARTÔNIO PONTES DE VASCONCELOS (JUIZ CONVOCADO)

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0071.07.034954-4/001 Númeração 0349544- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Bitencourt Marcondes Des.(a) Bitencourt Marcondes 25/03/2009 30/04/2009

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 2ª TURMA RECURSAL JUÍZO C

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 2ª TURMA RECURSAL JUÍZO C JUIZADO ESPECIAL (PROCESSO ELETRÔNICO) Nº201070510020004/PR RELATORA : Juíza Andréia Castro Dias RECORRENTE : LAURO GOMES GARCIA RECORRIDO : UNIÃO FAZENDA NACIONAL V O T O Dispensado o relatório, nos termos

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Registro: 2013.0000238691 ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Registro: 2013.0000238691 ACÓRDÃO fls. 1 ACÓRDÃO Registro: 2013.0000238691 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 0251526-08.2012.8.26.0000, da Comarca de Santos, em que é agravante DANILO JOSE RODRIGUES

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 2ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 2ª REGIÃO PROCESSO TRT/SP Nº 0001785-11.2011.5.02.0008 RECURSO ORDINÁRIO DA 8ª VT DE SÃO PAULO RECORRENTE : SINTHORESP SIND. EMPREG. HOT. APART. HOTÉIS RECORRIDO : PARKGRILL RESTAURANTE LTDA. - EPP Da r. sentença

Leia mais

JI WrIlei. ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho

JI WrIlei. ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ).,, JI WrIlei ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO n 041.2007.001993-4/001 RELATOR: Eduardo José de Carvalho Soares

Leia mais

AGRAVANTES: ESPÓLIO DE OSENIO JOSÉ KROMANN E OUTROS

AGRAVANTES: ESPÓLIO DE OSENIO JOSÉ KROMANN E OUTROS AGRAVO DE INSTRUMENTO N.º 852.937-1, DA PRIMEIRA VARA CÍVEL DA COMARCA DE TOLEDO AGRAVANTES: ESPÓLIO DE OSENIO JOSÉ KROMANN E OUTROS AGRAVADA: RELATORA: FAZENDA PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ DES.ª VILMA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.374.048 - RS (2013/0073161-8) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO HUMBERTO MARTINS : FAZENDA NACIONAL : PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL : EMERSON DA SILVA

Leia mais

v.slpy PODER JUDICIÁRIO ACÓRDÃO "03080593*

v.slpy PODER JUDICIÁRIO ACÓRDÃO 03080593* XM7 v.slpy PODER JUDICIÁRIO DE ACÓRDÃO DE ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA REGISTRADO(A) SOB N "03080593* Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento n 994.09.259211-0, da Comarca de

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL TIPO A PODER JUDICIÁRIO 22ª VARA CÍVEL FEDERAL DE SÃO PAULO AÇÃO CIVIL PÚBLICA PROCESSO N.º 0004415-54.2011.403.6100 AUTOR: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL RÉ: AGÊNCIA NACIONAL DE SÁUDE SUPLEMENTAR - ANS REG.

Leia mais

As Fazendas Públicas Municipal, Federal e Estadual fora

As Fazendas Públicas Municipal, Federal e Estadual fora o 4 ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA APELAÇÃO CÍVEL N. 200.2005.069002-9/001 REMETENTE : Juizo de Direito da 14a Vara Cível

Leia mais

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. APELAÇÃO CÍVEL SEM REVISÃO n 264.352-4/7-00, da Comarca de

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. APELAÇÃO CÍVEL SEM REVISÃO n 264.352-4/7-00, da Comarca de PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRATICA ACÓRDÃO REGISTRADO(A) SOB N Vistos, relatados e discutidos estes autos de APELAÇÃO CÍVEL SEM

Leia mais

DES. LUÍS AUGUSTO COELHO BRAGA (PRESIDENTE) E DES.ª ELISA CARPIM CORRÊA

DES. LUÍS AUGUSTO COELHO BRAGA (PRESIDENTE) E DES.ª ELISA CARPIM CORRÊA Agravo de instrumento. Recuperação judicial. Contrato de crédito. Hipótese em que a garantia do banco é dinheiro dos depósitos em conta corrente e aplicações financeiras na forma de penhor. Incidência

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Registro: 2014.0000015784 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento no 2052600-13.2013.8.26.0000, da Comarca

Leia mais