VETORIZANDO COM O ARC GIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VETORIZANDO COM O ARC GIS"

Transcrição

1 VETORIZANDO COM O ARC GIS 1. Conhecendo o arquivo de trabalho. Para começar o trabalho de vetorização, o operador tem que está de posse da pasta que contém os arquivos de trabalho, como no exemplo abaixo: As pastas são organizadas da seguinte forma: Uma pasta com o nome do MI da carta que conterá outras três pastas que são: EGBR ou MDB, MXD e Raster. a) A pasta EGBR ou MDB, contém um arquivo de banco de dados que armazenará todas as informações vetoriais. Para efeito de backup temos que dar uma atenção especial a esta pasta. b) A pasta MXD contém um arquivo de projeto que armazena todas as configurações de visualização das informações contidas no banco de dados. Aconselhamos que o usuário guarde como modelo um arquivo de projeto para cada meridiano central que se trabalhe em uma pasta a sua escolha, isso facilitará o início de outras cartas, evitando assim a sua reconfiguração.(nota 5) c) A pasta Raster contém a Carta Impressa e os Fotolitos. Abrindo um projeto no ArcMap: Abrindo windows explorer, navegue até a pasta contendo os arquivos da carta em questão. Abrindo o sub-diretório MXD você encontrará o arquivo de projeto, efetue um duplo clique para abrir o ArcMap. 1

2 2. Configurações iniciais do ArcMap Com esse último procedimento o ArcMap será aberto, e você encontrará na janela Table Of Contents, que se encontra do lado esquerdo da tela, uma lista de arquivos que estão em uso e que inicialmente são compostos de 4 Imagens (1 Carta Impressa e 3 Fotolitos) e 1 Feature Class (Classes de Feições) com o nome Moldura. Como supomos que é a primeira vez que abre-se o projeto, você notará que a moldura e as imagens não estão aparecendo. Isso se deve à mudança de diretório e/ou de computador das pastas onde estão os dados, que poderá ser evitado com o procedimento da nota 7. Para resolver esse problema, clique com o botão esquerdo, no sinal vermelho de exclamação que se encontra ao lado da Feature Class Moldura. Aparecerá uma janela para que se possa navegar até o novo local do arquivo. Obs 1: Esse último procedimento tem que ser efetuado uma vez para uma das Feature Class e uma vez para uma das Imagens, onde as outras acompanharão as configurações automaticamente. Vamos verificar se todas as barras de ferramentas que precisaremos estão ativas. Clicando 2

3 na barra de menu no ítem View\Toolbars será exibida uma lista de barra de ferramentas. Ative as seguintes: Advanced Editing, Arc Scan e Editor, se já não o estiverem. Posicione-as da melhor maneira que achar. O próximo passo precisará que seja efetuada a função Editor\Start Editing, e essa ação faz com que o ArcMap ative suas funções de edição. Feito isso, na mesma barra de ferramentas clique na opção Editor\Snapping. Aparecerá uma janela com alternativas a serem marcadas, de acordo com a necessidade de precisão para cada Feature Class como mostra a figura abaixo. a) O campo Layer (Camada), mostra a relação de Feature Class. b) A caixa Vertex, faz com que o cursor em ato de vetorização seja atraído pelo vértice de um elemento próximo. c) A caixa Edge, faz a atração para qualquer ponto do elemento. d) E a caixa End, a atração se volta para as extremidades (início e final) do elemento. e) A janela abaixo exibe as opções Edit Sketch e do Raster, onde aconselhamos que se marque a primeira opção de cada um: Edit Sketch Vertices e Centerlines. Agora clique em Editor\Options... para setar a tolerância do Snapping e a identificação no momento de sua utilização. Obedeça a setagem da figura abaixo, lembrando que o operador pode 3

4 modificá-la de acordo com a necessidade. Partindo para a barra de ferramentas Arc Scan, clique em Vetorization\Vetorization Settings... abrir-se-á uma janela, onde basearemos a nossa setagem. Obs 1: É importante salientar que esta setagem vai variar de acordo com a qualidade da imagem. Obs 2: A opção Compression Tolerance controla a quantidade de vértices que uma Feature Class de linha ou de área criará em sua vetorização. Obs 3: A opção Smoothing Weigth ajuda na suavização das curvas, e aconselhamos que o valor para esta função não seja diferente de 1, pois poderemos suaviza-las mais adiante (nota 6), se realmente necessário, com a ferramenta Smooth situada na barra de ferramentas Advanced Editing. Obs 4: A opção Gap Closure Tolerance faz com que o vetor consiga saltar a intermitência do raster, que é o caso dos rios temporários, se o raster em questão for composto por linhas contínuas não é necessária a sua utilização. 4

5 3. Início da Vetorização Vetorizando hidrografia Vetorizando linhas de drenagem. Para começarmos a vetorização precisamos adicionar a Feature Class relacionada ao elemento que pretendemos representar. Como exemplo, vamos começar pela hidrografia com a criação de um vetor de rio permanente, não representável em escala e com o nome Rio Saboga. Adicione a Feature Class LINHA_DRENAGEM_LINE navegando até o banco de dados localizado na pasta EGBR, já citada. É importante lembrar que a opção de edição tem que estar ativa. Após adicionada, clique na seta da caixa Target e selecione a opção Rio não representável em escala. E na caixa Raster, verifique se está mostrando o fotolito da hidrografia conforme as figuras abaixo. Clique no botão Vectorization trace. Perceberemos que o cursor se apresentará como um sinal de + com um círculo azul ao centro:. Ao aproximá-lo do raster, o círculo azul será atraído para o centro da linha mais próxima devido a setagem do snapping. Ao clicar no local indicado, volte o cursor para a direção que deseja que o vetor corra. 5

6 Podemos observar nesse momento que aparece uma seta indicativa de direção, que ajuda no posicionamento do cursor. Clicando na direção escolhida, o vetor percorrerá por cima da representação do rio até que encontre algum obstáculo. Como na figura abaixo, ele atingiu um encontro de rios e para continuar a vetorização é só clicar na direção em que o rio corre. Obs 1: Aconselhamos que a vetorização de rios seja executada no sentido do curso d'água. Obs 2: Em caso de falha no raster, matenha pressionada a tecla S e clique primeiro no ponto vermelho e em seguida clique após a falha. Feito isso, solte a tecla S continue o trabalho normalmente. Para finalizar a linha em questão, pressione a tecla F2. Assim a linha será finalizada e ficará selecionada, com isso clique no botão Attributes e aparecerá uma caixa onde encontraremos os campos que deveremos preencher com as informações referentes ao rio selecionado. Obs 1: Recomendamos que durante os trabalhos com rios, só seja informado o campo Nome, que é o único campo preenchível que identifica cada elemento. Obs 2: As outras informações serão adicionadas no final da vetorização de cada Feature Class, com a utilização de uma ferramenta de seleção (nota 1), com o fim de ganhar tempo. Obs 3: A ordem de vetorização preferencialmente é a seguinte: talvegue (linhas que estão contidas em massas d'água)-permanente-temporário. Isso para o regime dos rios da carta. Também as linhas de drenagem, são utilizadas na construção de linhas de talvegue. Linhas estas que são inseridas em rios e espelhos d'água que são representáveis em escala para fins de edição de dados no Gothic e ligação de informações. Para vetorizar um rio com essas características aconselhamos que seja traçada uma linha de talvegue principal, que conterá o nome deste rio na tabela de atributos. 6

7 Passada esta fase, teremos que ligar a estas linhas outros rios que desaguam na massa d'água, observando sempre que estas linhas de drenagem têm que ser seccionadas ao tocarem a massa d'água. Obs 1: Para ter a certeza da conexão das linhas, lance mão das opções do Snapping. Obs 2: Os rios permanentes ou não, que desaguem em rios representáveis em escala têm que se ligar as linhas de talvegue através de outras linhas de talvegue, sendo que estas têm o nome do seu rio de origem. Obs 3: Na figura acima existe uma ilha que está separada da terra firme por um rio permanente não representado em escala, e que está vetorizado na cor laranja. Este rio não conterá nome mas estará ligado a linhas de talvegue onde estas ligar-se-ão na linha de talvegue principal do rio de margem dupla em questão Vetorizando massas d'água. As massas d'água que são compostas por áreas alagadas ou alagáveis e representáveis em escala, diferem bastante das Linhas de drenagem, pois não são linhas e sim áreas. Adicionando a Feature Class MASSA_DAGUA_POLYGON utilizaremos o botão Sketch Tool para vetorizarmos um rio representável em escala. A única diferença é que ele não corre por cima do raster, aumentando consideravelmente a quantidade de cliques efetuados. De posse da ferramenta citada clicaremos na extensão de toda a margem do rio até fechar a área. Perceberemos que a área que aparecerá é opaca, cobrindo assim o raster. Para resolver esse problema clicaremos com o botão direito do mouse sobre MASSA_DAGUA_POLYGON na janela Table Of Contents, onde aparecerá um menu flutuante como na figura abaixo, e depois clique em Properties... 7

8 Com esse procedimento aparecerá uma janela onde clicaremos na aba Display, e na caixa Transparent coloque o valor 50, como na figura abaixo e clique em OK. Notaremos que a massa d'água ganhou uma transparência, possibilitando assim a visualização das ilhas, onde estas serão os próximos elementos a serem vetorizados. 8

9 Na vetorização dos rios existem elementos de pontos a serem inseridos, como direção de corrente, rochas, corredeiras, etc. Mas é importante citar a utilização da Feature Class SIMB_HIDROGRAFIA_POINT, que deve ser usada para indicar a posição do nome do rio. Este ponto só é utilizado para indicar ao Gothic, com o fim de edição, a posição do nome do rio na carta impressa, por isso não se coloca informação em seus atributos. É importante que esse elemento esteja tocando a linha de drenagem, e na figura abaixo temos um desses pontos como exemplo, que está na cor verde e indicado pela seta vermelha. Este mesmo processo é usado para vetorização de curvas de nível mestras e rodovias com prefixo Vetorização de ilhas. 9

10 Adicione a Feature Class ILHA_POLYGON. Antes de criarmos as ilhas, vamos cortar a massa d'água obedecendo exatamente o contorno das ilhas. Para tal, temos que clicar na seta da ferramenta Task e depois em Cut Polygon Features. Essa ferramenta também pode ser utilizada na separação de massas d'água. Selecione a massa d'água a ser cortada, clique no botão Sketch Tool. Já podemos começar a clicar ao longo do perímetro da ilha, e ao terminar tecle F2. O resultado é a divisão da massa d'água em duas áreas distintas, uma envolvendo a ilha e outra o próprio rio. Selecione a que sobrepõe a ilha e recorte-a: Ctrl X ou. Obs 1: Na imagem acima e na próxima, desconsidere o excesso de linhas de talvegue. Mude a Target para ILHA_POLYGON e cole usando Ctrl V ou. O que era massa d'água converte-se em ilha, como mostra a figura abaixo. 10

11 Existe outra maneira de vetorizar ilhas que poderemos conferir mais a frente na nota 4. Nota 1: Uma ferramenta que nos auxiliará em todo o trabalho é a Select By Attributes. Com ela podemos selecionar as feições de diversas maneiras. Para abrir a janela de seleção clique na barra de menu no ítem Selection\Select By Attributes... Será exibida a seguinte janela: a) No campo Layer indicaremos a Feature Class desejada. b) No campo Method escolheremos o tipo de seleção que nos interessa. c) Este quadro lista os campos da Feature Class escolhida. d) Conjunto de botões que auxiliam na montagem da linha de comando. e) Quadro que lista as opções possíveis em cada campo. f) Quadro de linhas de comando. A janela acima ilustrada, está setada para selecionar todos os rios com regime temporário. Baseada nela, podemos imaginar várias possibilidades de seleções diferentes Vetorização da altimetria. 11

12 A vetorização de curvas de nível se assemelha a dos rios, a mudança é mais sentida na carga de dados, pois temos que nos preocupar com as cotas e outras informações. Existe também uma Feature Class SIMB_CURVA_MESTRA que é usada para indicar onde está posicionada a cota na carta impressa, para que futuramente o Gothic entenda e edite, como já foi dito anteriormente. Se o vetor não estiver correndo, recomendamos que seja verificada a setagem da barra de ferramentas ArcScan, já citada. É importante lembrarmos também de verificar a setagem da caixa Raster. Para os pontos cotados comprovados ou não, usamos a Feature Class PONTO_COTADO_POINT. Para pontos barométricos, astronômicos, de satélite entre outros, usaremos PONTO_REF_GEOD_TOPO_POINT. É importante salientar que existe um manual que chama-se Modelagem Relacional do Espaço Geográfico Brasileiro, e que nos auxiliará na identificação da feature class a ser usada para determinado elemento. A figura abaixo mostra algumas situações: 3.4. Vetorizando a planimetria. Na planimetria encontraremos vários elementos diferentes como: Sede operacional de fazenda, edificações habitacionais, caminhos, estradas, etc. No caso de estradas representadas por duas linhas, existe uma maneira de fazer com que o vetor corra pelo meio das linhas. Primeiramente verificaremos se é o fotolito da planimetria está selecionado na caixa da opção Raster. Segundo Adicionaremos a Feature class VIA_TERRESTRE_LINE e clique em: Vectorization\Options, aparecerá uma janela conforme a figura ao lado, onde clicaremos nos botões Toggle Colors e depois em OK. Esta ação fará com que o vetor reconheça a cor inversa do fotolito, permitindo assim que ele entenda as duas linhas como um corredor em que deva passar, como na figura abaixo. Acabando este tipo de vetorização e querendo voltar ao normal, é só trocar o fotolito na caixa Raster. 12

13 Um ponto importante do trabalho é a representação de edificações, e como exemplo vamos utilizar uma edificação habitacional. Adicionando a feature class EDIF_HABITACIONAL_POINT, sem esquecer de setar a Target, usaremos o botão Sketch Tool para inserir o ponto referente a edificação. Vamos notar que ao inserirmos um ponto ele estará representado por um pequeno círculo, e para mudar essa simbologia clique com o botão esquerdo do mouse no símbolo localizado abaixo da Feature class EDIF_HABITACIONAL_POINT que se encontra na janela Table Of Contents. Aparecerá a seguinte janela: Obs 1: O próximo procedimento que trata da rotação de pontos não está mais em uso, ou seja, não precisamos mais rotacioná-los. Mas a título de informação iremos demonstrar como fazê-lo. No caso de pontos de edificações, aconselhamos que seja escolhido um símbolo quadrado para melhor visualização da rotação. O tamanho e a cor ficam a critério do vetorizador. Perceberemos que o ponto inserido não estará rotacionado como o fotolito pede. Antes de 13

14 indicarmos o valor da rotação nos atributos do ponto, temos que setar a Feature Class. Para tal, clicaremos com o botão direito do mouse em EDF_HABITACIONAL_POINT, e escolha a opção Properties... e na próxima janela clique na aba Symbology\Advanced\Rotation. No campo Rotate Points by Angle in this Field escolha o campo Orientação. Agora já estamos em condições de mudar a orientação de todos os pontos que criarmos desta Feature class. Selecionando o ponto que acabamos de criar, abra a caixa de atributos e coloque a orientação que julgar correta, como o exemplo abaixo. Pronto, o ponto está orientado, esse procedimento pode ser usado em qualquer outra feição. Nota 1: Uma ferramenta que nos auxiliará em todo o trabalho é a Select By Attributes. Com ela podemos selecionar as feições de diversas maneiras. Para abrir a janela de seleção clique na barra de menu no ítem Selection\Select By Attributes... 14

15 Será exibida a seguinte janela: a) No campo Layer indicaremos a Feature Class desejada. b) No campo Method escolhere-mos o tipo de seleção que nos interessa. c) Este quadro lista os campos da Feature Class escolhida. d) Conjunto de botões que auxiliam na montagem da linha de comando. e) Quadro que lista as opções possíveis em cada campo. f) Quadro de linhas de comando. A janela acima ilustrada, está setada para selecionar todos os rios com regime temporário. Baseada nela, podemos imaginar várias possibilidades de seleções diferentes. Nota 2: Existe uma maneira de mudar a informação de um campo da caixa de atributos de vários elementos da mesma Feature Class ao mesmo tempo. Para testar essa possibilidade temos que selecionar dois ou mais elementos e abrir a tabela de atributos. Aproveitando o exemplo anterior, vamos colocar a mesma rotação para vários elementos. Selecionaremos os três pontos que aparentemente não estão com rotação e abriremos a caixa de atributos. Como a figura acima mostra, clicaremos primeiro no nome EDIF_HABITACIONAL_POINT e depois no campo Value na linha da Orientação. A célula será habilitada para preenchimento, digitaremos o valor que desejarmos e apertaremos a tecla Enter, e com isso já podemos fechar a caixa de atributos e observar o resultado da operação. 15

16 Nota 3: Precisaremos saber qual o número da ID_BASE_CARTOGRAFICA para futuro preenchimento da carga de dados. Para tal, adicionaremos a tabela BASE_CARTOGRÁFICA seguindo o caminho que leva até ao banco de dados. Ao adicionarmos a tabela que aparecerá na Table Of Contents, clicaremos com o botão direito e depois em Open. Aparecerá uma janela que conterá um campo chamado OBJECTID*, abaixo deste conterá um número que deverá ser lembrado mais a frente, no nosso exemplo o número é o dois. Conferido o dígito podemos excluir a tabela de nosso projeto. Nós usaremos este número no campo ID_BASE_CARTOG de todas as Feature Class, com exceção das que representam símbolos, com o fim de ligação de banco de dados. Recomendamos também que este campo só seja preenchido no final da vetorização, auxiliado pela ferramenta Select by Attributes, já apresentada. Nota 4: Podemos vetorizar as ilhas de uma outra maneira, para isso selecionaremos na caixa Target a opção ILHA_POLYGON, e como estamos tratando de um rio, escolheremos a opção Fluvial. Com o botão Sketch Tool comece a contornar a ilha, e finalize com o botão F2. Perceberemos que criamos uma área sobre a outra. 16

17 Precisaremos então que a ilha que acabamos de construir perfure a massa d'água, e para isso usaremos a ferramenta Clip... É importante atentar que antes de começarmos esse procedimento, teremos que desligar a Moldura para evitar que esta seja também perfurada. Desligada a moldura já podemos selecionar a ilha que queremos que perfure a massa d'água, e clicando em Editor\Clip... Será exibida a seguinte janela: Seguiremos as mesmas marcações da figura acima e acionaremos OK. Para conferirmos se a massa d'água foi realmente perfurada selecionaremos a mesma, que por sua vez deverá conter o contorno da ilha que a perfurou. Na figura abaixo desligamos as ilhas para melhor visualização. Nota 5: Para conferir qual o datum e meridiano central que estamos trabalhando, temos que clicar com o botão direito do mouse no Data Frame que fica na Table Of Contents. Aparecerá um menu flutuante onde acionaremos Properties... Aparecerá a seguinte janela: 17

18 Clicando na aba Coordinate System poderemos observar no quadro Current coordinate system as informações que procuramos, como por exemplo: Datum, Projeção e Meridiano Central. Nota 6: Para suavizar as curvas, utilizaremos a barra de ferramentas Advanced Editing: Primeiro selecione a curva de nível que deseja suavizar, depois clique no botão Smooth onde aparecerá a seguinte janela: Sugerimos que o valor informado não seja maior que 5, tendo em vista a qualidade do produto final do vetor, considerando a sua sinuosidade. Poderemos lançar mão da ferramenta Select By Attributes... Obs 1: É importante atentar-se para se o resultado da suavização ocasionou ou não muitos erros de posicionamento do vetor sobre o Raster. Se positivo, efetue Ctrl Z para desfazer o comando. Obs 2: Atualmente não estamos mais suavizando, mas as informações acima expostas contam para o aprendizado. Nota 7: Para que o seu MXD fique sempre setado para o EGBR e para os rasters corretos, independente da movimentação da pasta com os arquivo no computador ou em rede, seguiremos os seguintes passos: a) Na barra de menus File, clique em Map Properties... aparecerá a seguinte janela: 18

19 b) Clicaremos no botão Data Source Opitions... será exibida uma caixa onde escolheremos a opção Store relative path names. Obs 1: O operador pode optar por não usar deste artifício, mas fica sujeito a erros de direcionamento de arquivos. 19

Rodar o ArcMap e navegar até o diretório do tutorial (~Map) para selecionar o mapa que foi concluído no exercício anterior airport_tutorial

Rodar o ArcMap e navegar até o diretório do tutorial (~Map) para selecionar o mapa que foi concluído no exercício anterior airport_tutorial ArcMAP (parte 4) Nesta parte do tutorial, você irá usar o ArcMap para editar os seus dados bem como criar mapas. Neste exercício, você irá expandir a rodovia do aeroporto para criar uma nova rodovia juntando

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

1 - INTRODUÇÃO 2 - CONCEITOS BÁSICOS ARCPAD

1 - INTRODUÇÃO 2 - CONCEITOS BÁSICOS ARCPAD 1 - INTRODUÇÃO O ArcPad é um software de mapeamento e tratamento de Informações Geográficas desenvolvido pela ESRI cujo objetivo principal é a portabilidade e mobilidade dos dados. O ArcPad pode ser utilizado

Leia mais

Igualmente ao procedimento do mapa de uso da terra, você começará criando um novo data frame para visualizar dados.

Igualmente ao procedimento do mapa de uso da terra, você começará criando um novo data frame para visualizar dados. ArcMAP (parte 3) Nesta parte do tutorial, você irá mapear a densidade populacional para o município. Um mapa de densidade populacional mostra onde as pessoas estão concentradas. Primeiramente, você adicionará

Leia mais

Iniciação à Informática

Iniciação à Informática Meu computador e Windows Explorer Justificativa Toda informação ou dado trabalhado no computador, quando armazenado em uma unidade de disco, transforma-se em um arquivo. Saber manipular os arquivos através

Leia mais

1 - Crie um novo documento no ArcMap. Com o programa aberto, selecione o Dataframe Layers

1 - Crie um novo documento no ArcMap. Com o programa aberto, selecione o Dataframe Layers Conversão de Raster para Polígono usando o ArcMap Nos posts anteriores, conhecemos uma situação onde uma empresa solicita, além do produto esperado, imagens no canal alfa para geração de polígonos envolventes

Leia mais

Aula de ArcGIS Criando uma planta de um

Aula de ArcGIS Criando uma planta de um Aula de ArcGIS Criando uma planta de um topográfico Prof. Frederico D. Bortoloti Introdução No menu Iniciar, vá no grupo de programas ArcGIS e clique em ArcMap No ArcMap, feche a janela inicial. Passo

Leia mais

SIAP - Sistema de Apoio ao Professor

SIAP - Sistema de Apoio ao Professor Introdução O SIAP, Sistema de Apoio ao Professor, é um programa que vai contribuir, de forma decisiva, com o cotidiano escolar de alunos, professores, gestores e funcionários administrativos. Com a implantação

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Manual de Utilização Índice 1 Introdução...2 2 Acesso ao Sistema...3 3 Funcionamento Básico do Sistema...3 4 Tela Principal...4 4.1 Menu Atendimento...4 4.2 Menu Cadastros...5 4.2.1 Cadastro de Médicos...5

Leia mais

Tutorial Administrativo (Backoffice)

Tutorial Administrativo (Backoffice) Manual - Software ENTRANDO NO SISTEMA BACKOFFICE Para entrar no sitema Backoffice, digite no seu navegador de internet o seguinte endereço: http://pesquisa.webbyapp.com/ Entre com o login e senha. Caso

Leia mais

Word 1 - Introdução 1.1 - Principais recursos do word 1.2 - A janela de documento 1.3 - Tela principal

Word 1 - Introdução 1.1 - Principais recursos do word 1.2 - A janela de documento 1.3 - Tela principal Word 1 - Introdução O Word para Windows ou NT, é um processador de textos cuja finalidade é a de nos ajudar a trabalhar de maneira mais eficiente tanto na elaboração de documentos simples, quanto naqueles

Leia mais

Módulo de Georreferenciamento. Sistema. Página 1/75

Módulo de Georreferenciamento. Sistema. Página 1/75 Módulo de Georreferenciamento Sistema Página 1/75 Para iniciar o Módulo de Georreferenciamento acesse, no AutoCAD a partir do Menu flutuante >Posição >Georreferenciamento >Módulo de Georreferenciamento.

Leia mais

APOSTILA BÁSICA COMO UTILIZAR A LOUSA DIGITAL E O SOFTWARE SMART NOTEBOOK

APOSTILA BÁSICA COMO UTILIZAR A LOUSA DIGITAL E O SOFTWARE SMART NOTEBOOK APOSTILA BÁSICA COMO UTILIZAR A LOUSA DIGITAL E O SOFTWARE SMART NOTEBOOK 1 SÚMARIO ASSUNTO PÁGINA Componentes da Lousa... 03 Função Básica... 04 Função Bandeja de Canetas... 05 Calibrando a Lousa... 06

Leia mais

PREPARAÇÃO DE BASES EM SIG

PREPARAÇÃO DE BASES EM SIG UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instituto de Geociências Departamento de Geologia e Recursos Naturais (DGRN) GE 804 Sistema de Informações Georreferenciadas Prof. Carlos Roberto de Souza Filho PREPARAÇÃO

Leia mais

Iniciando o ArcView 3.2

Iniciando o ArcView 3.2 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS DEGEO LABORATÓRIO DE GEOPROCESSAMENTO DIDÁTICO Iniciando o ArcView 3.2 Selma Regina Aranha Ribeiro Ricardo Kwiatkowski Silva Carlos André

Leia mais

O computador organiza os programas, documentos, músicas, fotos, imagens em Pastas com nomes, tudo separado.

O computador organiza os programas, documentos, músicas, fotos, imagens em Pastas com nomes, tudo separado. 1 Área de trabalho O Windows XP é um software da Microsoft (programa principal que faz o Computador funcionar), classificado como Sistema Operacional. Abra o Bloco de Notas para digitar e participar da

Leia mais

CRM MITIS GERAR SMP PELO ASSISTENTE

CRM MITIS GERAR SMP PELO ASSISTENTE CRM MITIS GERAR SMP PELO ASSISTENTE INFORMAÇÕES INICIAIS... 3 PÁGINA INICIAL-CADASTRO DE VISITAS... 3 AGENDA DE VISITAS JANELA PRINCIPAL... 3 CADASTRO DE VISITAS... 3 GERAR SMP PELO ASSISTENTE... 4 PREENCHIMENTO

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO EDOutlet (Online e Offline):

MANUAL DE OPERAÇÃO EDOutlet (Online e Offline): MANUAL DE OPERAÇÃO EDOutlet (Online e Offline): Sumário 1 - EDOutletOffline (sem internet):... 1 2 EDOutlet (com internet)... 7 2.1 DIGITANDO AS REFERÊNCIAS:... 9 2.2 IMPORTAÇÃO DE PEDIDOS:... 11 3 ENVIANDO

Leia mais

CURSO DE INFORMÁTICA BÁSICA AULA 2 O AMBIENTE WINDOWS

CURSO DE INFORMÁTICA BÁSICA AULA 2 O AMBIENTE WINDOWS CURSO DE INFORMÁTICA BÁSICA AULA 2 O AMBIENTE WINDOWS Relembrando... Gabinete Ligando o computador São três passos básicos O ambiente Windows O Windows é um tipo de software chamado sistema operacional

Leia mais

Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados.

Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados. Windows Menu Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados. Minimizar Fechar Maximizar/restaurar Uma janela é composta de vários elementos

Leia mais

Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010.

Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010. Manual do Usuário Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010. Impresso no Brasil. Sujeito a alterações técnicas. A reprodução deste documento,

Leia mais

A Estação da Evolução

A Estação da Evolução Microsoft Excel 2010, o que é isto? Micorsoft Excel é um programa do tipo planilha eletrônica. As planilhas eletrônicas são utilizadas pelas empresas pra a construção e controle onde a função principal

Leia mais

Microsoft Office Excel

Microsoft Office Excel 1 Microsoft Office Excel Introdução ao Excel Um dos programas mais úteis em um escritório é, sem dúvida, o Microsoft Excel. Ele é uma planilha eletrônica que permite tabelar dados, organizar formulários,

Leia mais

Tutorial 3 Dataframe layers Dataframe

Tutorial 3 Dataframe layers Dataframe Tutorial 3 Inserir malha geográfica Inserir uma linha conectando as duas localidades Copiar a imagem produzida Definir uma projeção cartográfica Mudar o nome do Dataframe Exportar os layers do Dataframe

Leia mais

APOSTILA WORD BÁSICO

APOSTILA WORD BÁSICO APOSTILA WORD BÁSICO Apresentação O WORD é um editor de textos, que pertence ao Pacote Office da Microsoft. Suas principais características são: criação de textos, cartas, memorandos, documentos, mala

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Iniciando o Windows XP...2 Desligar o computador...3 Área de trabalho...3

Leia mais

SSE 3.0. Guia Rápido. Módulo Secretaria. Nesta Edição

SSE 3.0. Guia Rápido. Módulo Secretaria. Nesta Edição SSE 3.0 Guia Rápido Módulo Secretaria Nesta Edição 1 Acessando o Módulo Secretaria 2 Cadastros Auxiliares 3 Criação de Modelos Definindo o Layout do Modelo Alterando o Layout do Cabeçalho 4 Parametrização

Leia mais

ArcGIS 10: Parcel Editor: Divisão de Shapefile em Partes Iguais

ArcGIS 10: Parcel Editor: Divisão de Shapefile em Partes Iguais ArcGIS 10: Parcel Editor: Divisão de Shapefile em Partes Iguais A Edição de Parcelas de Fábrica é um poderoso recurso de edição do ArcGIS 10. Essa ferramenta é fundamental para divisão de arquivos shapefile

Leia mais

Aula Au 3 la 7 Windows-Internet

Aula Au 3 la 7 Windows-Internet Aula 37 Aula Ferramenta de Captura 2 Você pode usar a Ferramenta de Captura para obter um recorte de qualquer objeto na tela e, em seguida, anotar, salvar ou compartilhar a imagem. 3 Vamos fazer o seguinte:

Leia mais

Mini Curso Básico De Introdução Ao Metasys. Apostila 1

Mini Curso Básico De Introdução Ao Metasys. Apostila 1 Mini Curso Básico De Introdução Ao Metasys. Apostila 1 Aluno: Turma Aula 1: Objetivos Aprender quais são as partes principais do computador, e quais suas funcoes. Aprender a ligar e desligar o computador

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD

CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Turismo Pós-Graduação em Gestão de Negócios CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD EMENTA

Leia mais

Continuação. 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART

Continuação. 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART Continuação 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART a) Vá para o primeiro slide da apresentação salva no item 31. b) Na guia PÁGINA INICIAL, clique no botão LAYOUT e selecione (clique) na opção TÍTULO

Leia mais

MANUAL BACKUP CTE. Ao clicar no mencionado botão, aguarde o fim do progresso (que aparece na parte inferior esquerda da tela) conforme figura abaixo:

MANUAL BACKUP CTE. Ao clicar no mencionado botão, aguarde o fim do progresso (que aparece na parte inferior esquerda da tela) conforme figura abaixo: MANUAL BACKUP CTE Na tela inicial do sistema CTE, clique no (penúltimo) botão, Cópia de Segurança. Esta tela também pode ser acessada durante a utilização do sistema através do menu ARQUIVO/GERENCIAR PROJETO

Leia mais

CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA. Microsoft Windows XP

CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA. Microsoft Windows XP CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA Microsoft Windows XP William S. Rodrigues APRESENTAÇÃO WINDOWS XP PROFISSIONAL O Windows XP, desenvolvido pela Microsoft, é o Sistema Operacional mais conhecido e utilizado

Leia mais

editor Writer, do BrOffice

editor Writer, do BrOffice editor Writer, do BrOffice Utilizar o editor Writer, do BrOffice, para editar textos e inserir tabelas; Conscientizar sobre o cuidado com os direitos autorais, citando sempre as fontes de onde foram retirados

Leia mais

Apostila de CmapTools 3.4

Apostila de CmapTools 3.4 Apostila de CmapTools 3.4 Índice Definição do software... 3 Criando um novo mapa... 3 Adicionando um conceito... 3 Alterando a formatação das caixas (Barra de Ferramentas Estilos Paleta Styles)... 7 Guia

Leia mais

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA LEIAME APRESENTAÇÃO Nenhuma informação do TUTORIAL DO MICRO- SOFT OFFICE WORD 2003 poderá ser copiada, movida ou modificada sem autorização prévia e escrita do Programador Roberto Oliveira Cunha. Programador:

Leia mais

W o r d p r e s s 1- TELA DE LOGIN

W o r d p r e s s 1- TELA DE LOGIN S U M Á R I O 1Tela de Login...2 2 Painel......3 3 Post...4 4 Ferramentas de Post...10 5 Páginas...14 6 Ferramentas de páginas...21 7 Mídias...25 8 Links......30 1 1- TELA DE LOGIN Para ter acesso ao wordpress

Leia mais

ALBUM DE FOTOGRAFIAS NO POWER POINT

ALBUM DE FOTOGRAFIAS NO POWER POINT ALBUM DE FOTOGRAFIAS NO POWER POINT O PowerPoint é uma poderosa ferramenta que faz parte do pacote Office da Microsoft. O principal uso desse programa é a criação de apresentação de slides, para mostrar

Leia mais

Manual. Pedido Eletrônico

Manual. Pedido Eletrônico Manual Pedido Eletrônico ÍNDICE 1. Download... 3 2. Instalação... 4 3. Sistema de Digitação SantaCruz... 8 3.1. Configuração... 8 4. Utilização do Sistema Digitação SantaCruz... 11 4.1. Atualizar cadastros...11

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Compartilhamento de Arquivos no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução...

Leia mais

GEOVISION VER AS IMAGENS ATRAVÉS DO INTERNET EXPLORER.

GEOVISION VER AS IMAGENS ATRAVÉS DO INTERNET EXPLORER. GEOVISION VER AS IMAGENS ATRAVÉS DO INTERNET EXPLORER. Abra o INTERNET EXPLORER, vá em FERRAMENTAS, OPÇÕES DA INTERNET. Clique na guia SEGURANÇA, NÍVEL PERSONALIZADO. Ir até os ActiveX ( desenho de uma

Leia mais

INE 5223. Sistemas Operacionais. Noções sobre sistemas operacionais, funcionamento, recursos básicos. Windows (cont.)

INE 5223. Sistemas Operacionais. Noções sobre sistemas operacionais, funcionamento, recursos básicos. Windows (cont.) INE 5223 Sistemas Operacionais Noções sobre sistemas operacionais, funcionamento, recursos básicos Windows (cont.) Baseado no material do IFRN e de André Wüst Zibetti WINDOWS 7 Tópicos Windows 7 Área de

Leia mais

Banner Flutuante. Dreamweaver

Banner Flutuante. Dreamweaver Banner Flutuante Dreamweaver Começamos com um arquivo em branco no Dreamweaver MX. Para que o banner apareça sobre a página, precisamos inserir uma camada a mais no arquivo HTML. Selecione o menu Inserir

Leia mais

WORD. Professor: Leandro Crescencio E-mail: leandromc@inf.ufsm.br. http://www.inf.ufsm.br/~leandromc. Colégio Politécnico 1

WORD. Professor: Leandro Crescencio E-mail: leandromc@inf.ufsm.br. http://www.inf.ufsm.br/~leandromc. Colégio Politécnico 1 WORD Professor: Leandro Crescencio E-mail: leandromc@inf.ufsm.br http://www.inf.ufsm.br/~leandromc Colégio Politécnico 1 WORD Mala direta Cartas Modelo Mesclar Etiquetas de endereçamento Formulários Barra

Leia mais

Acessando a Plataforma de Rastreamento

Acessando a Plataforma de Rastreamento Acessando a Plataforma de Rastreamento Para acessar a plataforma digite no seu navegador preferido o endereço: xxxxxxxx.mloc.com.br onde xxxxxxxx é o nome da sua empresa de rastreamento. Ex: rastreadora.mloc.com.br

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Criação de Formulários no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Criação de Formulários no Google Drive Introdução...

Leia mais

Barra de ferramentas padrão. Barra de formatação. Barra de desenho Painel de Tarefas

Barra de ferramentas padrão. Barra de formatação. Barra de desenho Painel de Tarefas Microsoft Power Point 2003 No Microsoft PowerPoint 2003, você cria sua apresentação usando apenas um arquivo, ele contém tudo o que você precisa uma estrutura para sua apresentação, os slides, o material

Leia mais

Prática 3 Princípios da Animação

Prática 3 Princípios da Animação Prática 3 Princípios da Animação As animações em um site são bem discutidas quanto ao seu uso, pois, qualquer coisa que se movimenta na visão periférica ocupa lugar na consciência. Isso faz com que o usuário

Leia mais

A guia Desenvolvedor

A guia Desenvolvedor A guia Desenvolvedor Primeiramente a aba Desenvolvedor deve estar ativada. Para ativá-la clique no botão do Office no canto superior esquerdo para abrir a seguinte janela: A seguir clique em Opções do

Leia mais

Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa dos Santos Schmid WORD 2007

Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa dos Santos Schmid WORD 2007 WORD 2007 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE TECNOLOGIA Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa

Leia mais

Sistema de Registro das Atividades do RT - Tutorial de utilização

Sistema de Registro das Atividades do RT - Tutorial de utilização Sistema de Registro das Atividades do RT - Tutorial de utilização Acesso WEB 1. Primeiro acesso Para acessar o sistema, abra seu navegador de internet e vá até o site http://sistemart.crmv pr.org.br. Você

Leia mais

Menu Notas Fiscais Entradas. Sugestão de Compras: 1º passo: selecionar os critérios de pesquisa e filtros:

Menu Notas Fiscais Entradas. Sugestão de Compras: 1º passo: selecionar os critérios de pesquisa e filtros: Menu Notas Fiscais Entradas (não é um manual) Sugestão de Compras: 1º passo: selecionar os critérios de pesquisa e filtros: Loja desejada. Fornecedor desejado (com marcas homologadas). Filtro para ignorar

Leia mais

Este arquivo está disponível em: http://www.unesc.net/diario/manual

Este arquivo está disponível em: http://www.unesc.net/diario/manual Este arquivo está disponível em: http://www.unesc.net/diario/manual Diário On-line Apresentação ----------------------------------------------------------------------------------------- 5 Requisitos Básicos

Leia mais

NÚCLEO DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO: WINDOWS MOVIE MAKER TUTORIAL

NÚCLEO DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO: WINDOWS MOVIE MAKER TUTORIAL NÚCLEO DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO: WINDOWS MOVIE MAKER TUTORIAL O que é o Windows Movie Maker? É um programa que permite criar nossos próprios filmes com som, músicas, transição e efeito de vídeo.

Leia mais

Sistema de Controle de Cheques GOLD

Sistema de Controle de Cheques GOLD Sistema de Controle de Cheques GOLD Cheques GOLD é um sistema para controlar cheques de clientes, terceiros ou emitidos. Não há limitações quanto as funcionalidades do programa, porém pode ser testado

Leia mais

Iniciando o Word 2010. Criar um novo documento. Salvando um Documento. Microsoft Office Word

Iniciando o Word 2010. Criar um novo documento. Salvando um Documento. Microsoft Office Word 1 Iniciando o Word 2010 O Word é um editor de texto que utilizado para criar, formatar e imprimir texto utilizado para criar, formatar e imprimir textos. Devido a grande quantidade de recursos disponíveis

Leia mais

CERTIDÕES UNIFICADAS

CERTIDÕES UNIFICADAS CERTIDÕES UNIFICADAS Manual de operação Perfil Cartório CERTUNI Versão 1.0.0 MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Departamento de Inovação Tecnológica Divisão de Tecnologia da Informação Sumário LISTA DE FIGURAS... 2

Leia mais

TUTORIAL COM OS PROCEDIMENTOS DE

TUTORIAL COM OS PROCEDIMENTOS DE TUTORIAL COM OS PROCEDIMENTOS DE GERAÇÃO DE BOLETOS CAIXA ECONÔMICA FEDERAL NO FINANCE Finance V10 New 2 Índice Como gerar Boleto Bancário pela Caixa Econômica... 3 Como efetuar a Conciliação por Extrato

Leia mais

A tela inicial do Windows Media Encoder nos fornece uma janela com opções distintas. Neste caso, iremos prosseguir em um tutorial básico de streaming

A tela inicial do Windows Media Encoder nos fornece uma janela com opções distintas. Neste caso, iremos prosseguir em um tutorial básico de streaming A tela inicial do Windows Media Encoder nos fornece uma janela com opções distintas. Neste caso, iremos prosseguir em um tutorial básico de streaming (Vídeo). Clique sobre a primeira opção desta janela,

Leia mais

Clique no botão novo

Clique no botão novo Tutorial para uso do programa Edilim Criado pela profª Carina Turk de Almeida Correa 1- Abra o programa Edilim. Clique no botão novo, como mostrado abaixo: Clique no botão novo 2- Todos os arquivos a serem

Leia mais

Vinte dicas para o Word 2007

Vinte dicas para o Word 2007 Vinte dicas para o Word 2007 Introdução O Microsoft Word é um dos editores de textos mais utilizados do mundo. Trata-se de uma ferramenta repleta de recursos e funcionalidades, o que a torna apta à elaboração

Leia mais

GIED Grupo de Informática Educativa. Apresentação de Slides

GIED Grupo de Informática Educativa. Apresentação de Slides Apresentação de Slides Animação Figuras Fala dos personagens Personagens Cenários Professora: Olá pessoal. Hoje nós vamos aprender sobre apresentação de Slides. de Projeção (cenário parecido com o OA de

Leia mais

MANUAL DO ANIMAIL 1.0.0.1142 Terti Software

MANUAL DO ANIMAIL 1.0.0.1142 Terti Software O Animail é um software para criar campanhas de envio de email (email Marketing). Você pode criar diversas campanhas para públicos diferenciados. Tela Principal do sistema Para melhor apresentar o sistema,

Leia mais

[Digite aqui] [Digite aqui] [Digite aqui] Utilização do LegNet pelo Internet Explorer

[Digite aqui] [Digite aqui] [Digite aqui] Utilização do LegNet pelo Internet Explorer [Digite aqui] [Digite aqui] [Digite aqui] Utilização do LegNet pelo Internet Explorer REVISÃO: 21/01/2015 1 POR QUE O SISTEMA FICA LENTO COM O INTERNET EXPLORER? Um dos motivos que faz com o que o sistema

Leia mais

MANUAL HELP-DESK DATACOM AUTOMAÇÕES

MANUAL HELP-DESK DATACOM AUTOMAÇÕES MANUAL HELP-DESK DATACOM AUTOMAÇÕES Esse Manual tem como objetivo explicar todas as funções do novo sistema de abertura de chamados da Datacom Automações. Esse novo programa facilitará o atendimento entre

Leia mais

LASERTECK SOFTECK MANUAL DO USUÁRIO

LASERTECK SOFTECK MANUAL DO USUÁRIO LASERTECK SOFTECK MANUAL DO USUÁRIO 2013 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 REQUISITOS DO SISTEMA... 3 3 INSTALAÇÃO... 3 4 COMO COMEÇAR... 3 5 FORMULÁRIOS DE CADASTRO... 4 6 CADASTRO DE VEÍCULO... 6 7 ALINHAMENTO...

Leia mais

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Excel 2000 Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Índice 1.0 Microsoft Excel 2000 3 1.1 Acessando o Excel 3 1.2 Como sair do Excel 3 1.3 Elementos da

Leia mais

1 UNIT Universidade do Trabalhador Dr. Abel dos Santos Nunes

1 UNIT Universidade do Trabalhador Dr. Abel dos Santos Nunes 1 UNIT Universidade do Trabalhador Dr. Abel dos Santos Nunes Janelas são estruturas do software que guardam todo o conteúdo exibido de um programa, cada vez que um aplicativo é solicitado à janela do sistema

Leia mais

ArcMAP (parte 2) Rodar o ArcMap teclar: Iniciar > Todos os programas > ArcGIS > ArcMap. Sobre a janela selecionar o item An existing map:

ArcMAP (parte 2) Rodar o ArcMap teclar: Iniciar > Todos os programas > ArcGIS > ArcMap. Sobre a janela selecionar o item An existing map: ArcMAP (parte 2) Nesta parte do tutorial, você irá mapear cada tipo de uso da terra dentro do noise contour. Você adicionará dados ao seu mapa, desenhará feições baseadas em atributos, selecionará feições

Leia mais

Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line)

Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line) Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line) Criamos, desenvolvemos e aperfeiçoamos ferramentas que tragam a nossos parceiros e clientes grandes oportunidades

Leia mais

INTRODUÇÃO AO WINDOWS

INTRODUÇÃO AO WINDOWS INTRODUÇÃO AO WINDOWS Paulo José De Fazzio Júnior 1 Noções de Windows INICIANDO O WINDOWS...3 ÍCONES...4 BARRA DE TAREFAS...5 BOTÃO...5 ÁREA DE NOTIFICAÇÃO...5 BOTÃO INICIAR...6 INICIANDO PROGRAMAS...7

Leia mais

PROFORMAÇÃO II Pré-Inscrição

PROFORMAÇÃO II Pré-Inscrição PROFORMAÇÃO II Pré-Inscrição A CNP desenvolveu o programa Pré-Inscrição que objetiva registrar as informações da Ficha de Inscrição dos professores cursistas que participarão do Proformação II. As instruções

Leia mais

Passo a passo da instalação do certificado da AC Raiz da Sefaz. Certificado AC Raiz Sefaz AL

Passo a passo da instalação do certificado da AC Raiz da Sefaz. Certificado AC Raiz Sefaz AL Certificação Digital Sefaz Certificação Digital SEFAZ Com o objetivo de tornar mais seguras as aplicações disponíveis na nossa página na Internet, a Secretaria Executiva de Fazenda passará a partir do

Leia mais

Dicas para usar melhor o Word 2007

Dicas para usar melhor o Word 2007 Dicas para usar melhor o Word 2007 Quem está acostumado (ou não) a trabalhar com o Word, não costuma ter todo o tempo do mundo disponível para descobrir as funcionalidades de versões recentemente lançadas.

Leia mais

Superintendência Regional de Ensino de Ubá - MG Núcleo de Tecnologia Educacional NTE/Ubá. LibreOffice Impress Editor de Apresentação

Superintendência Regional de Ensino de Ubá - MG Núcleo de Tecnologia Educacional NTE/Ubá. LibreOffice Impress Editor de Apresentação Superintendência Regional de Ensino de Ubá - MG Núcleo de Tecnologia Educacional NTE/Ubá LibreOffice Impress Editor de Apresentação Iniciando o Impress no Linux Educacional 4 1. Clique no botão 'LE' no

Leia mais

❶ No Sistema Gênesis, na Aba ESTOQUE

❶ No Sistema Gênesis, na Aba ESTOQUE ❶ No Sistema Gênesis, na Aba ESTOQUE a) Checagem de Estoque - Verifique o estoque dos produtos desejados. b) Listar produtos com a quantia de estoque mínimo atingido: ESTOQUE / RELATÓRIO / ALERTA DE COMPRA

Leia mais

Como já foi dito anteriormente o Excel possui recursos que permitem alterar a aparência de nossas planilhas.

Como já foi dito anteriormente o Excel possui recursos que permitem alterar a aparência de nossas planilhas. Formatação de Células Como já foi dito anteriormente o Excel possui recursos que permitem alterar a aparência de nossas planilhas. O recurso de formatação de células é um recurso muito utilizado. Ele permite

Leia mais

GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - MILLENNIUM

GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - MILLENNIUM GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - MILLENNIUM ÍNDICE ITEM Página 1. Objetivo... 3 2. Requisitos... 3 3. Diretório do Millennium... 3 4. Procedimento para Transferência de Servidor... 3 4.1 Compartilhamento

Leia mais

Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO. Versão: 1.0 Direitos reservados.

Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO. Versão: 1.0 Direitos reservados. Bem Vindo GDS TOUCH Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO O GDS Touch é um painel wireless touchscreen de controle residencial, com design totalmente 3D, interativo

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO WEBMAIL SBC

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO WEBMAIL SBC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO WEBMAIL SBC SUMÁRIO 1 - Tela de Login...03 2 - Caixa de Entrada...04 3 - Escrever Mensagem...06 4 - Preferências...07 4.1 - Configurações Gerais...07 4.2 - Trocar Senha...07 4.3

Leia mais

Barra de Títulos. Barra de Menu. Barra de Ferramentas. Barra de Formatação. Painel de Tarefas. Seleção de Modo. Área de Trabalho.

Barra de Títulos. Barra de Menu. Barra de Ferramentas. Barra de Formatação. Painel de Tarefas. Seleção de Modo. Área de Trabalho. Conceitos básicos e modos de utilização das ferramentas, aplicativos e procedimentos do Sistema Operacional Windows XP; Classificação de softwares; Principais operações no Windows Explorer: criação e organização

Leia mais

Aula Delimitação de APPS no ArcGis e produção de um memorial descritivo das situações encontradas dentro e fora das APP

Aula Delimitação de APPS no ArcGis e produção de um memorial descritivo das situações encontradas dentro e fora das APP Aula Delimitação de APPS no ArcGis e produção de um memorial descritivo das situações encontradas dentro e fora das APP 1. Abrir o Arcmap, clicar no ícone Arcmap (seta preta na figura abaixo), que pode

Leia mais

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO CURSO ARCGIS 10

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO CURSO ARCGIS 10 INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO (PRÁTICA) RICARDO T. ZAIDAN CURSO ARCGIS 10 EXERCÍCIO 1 FAMILIARIZANDO COM AS FERRAMENTAS DO ARCGIS 10 EXERCÍCIO 2 EXPLORANDO O ARCCATALOG EXERCÍCIO 3 VISUALIZAÇÃO DE DADOS

Leia mais

Manual do Usuário ipedidos MILI S.A. - D.T.I.

Manual do Usuário ipedidos MILI S.A. - D.T.I. Manual do Usuário ipedidos MILI S.A. - D.T.I. MILI S.A. - D.T.I. Índice 1 ACESSANDO O PORTAL IPEDIDOS... 3 1.1 Login...5 1.2 Tela Principal, Mensagens e Atendimento On-line...6 2 CADASTRAR... 10 2.1 Pedido...10

Leia mais

Sistema Click Principais Comandos

Sistema Click Principais Comandos Sistema Click Principais Comandos Sumário Sumário... 1 1. Principais Funções:... 2 2. Inserção de Registro (F6):... 3 3. Pesquisar Registro (F7):... 4 3.1 Pesquisa por letras:... 5 3.2 Pesquisa por números:...

Leia mais

Estratégia para fazer cópias de segurança ( backup ) em nuvem

Estratégia para fazer cópias de segurança ( backup ) em nuvem 1 de 20 Estratégia para fazer cópias de segurança ( backup ) em nuvem Resolvi documentar uma solução que encontrei para fazer minhas cópias de segurança. Utilizo um software gratuito chamado Cobian Backup

Leia mais

GUIA PRÁTICO PARA EDIÇÃO DE FOTOS E IMAGENS

GUIA PRÁTICO PARA EDIÇÃO DE FOTOS E IMAGENS GUIA PRÁTICO PARA EDIÇÃO DE FOTOS E IMAGENS CRÉDITOS: Márcio Corrente Gonçalves Mônica Norris Ribeiro 1 REDIMENSIONANDO IMAGENS / FOTOS Para uma melhor formatação dos POSTS é necessário padronizar as imagens

Leia mais

Unidade 1: O Painel de Controle do Excel *

Unidade 1: O Painel de Controle do Excel * Unidade 1: O Painel de Controle do Excel * material do 2010* 1.0 Introdução O Excel nos ajuda a compreender melhor os dados graças à sua organização em células (organizadas em linhas e colunas) e ao uso

Leia mais

Manual de utilização do programa

Manual de utilização do programa PCIToGCode Manual de utilização do programa PCIToGCode O PCITOGCODE é um aplicativo desenvolvido para converter imagem de uma placa de circuito impresso em um arquivo de códigos G. Com o arquivo de códigos

Leia mais

Logo abaixo temos a Barra de Menus que é onde podemos acessar todos os recursos do PHP Editor.

Logo abaixo temos a Barra de Menus que é onde podemos acessar todos os recursos do PHP Editor. Nessa aula iremos estudar: A anatomia da janela do PHP Editor Iniciando o servidor Web O primeiro exemplo de PHP Anatomia da janela do PHP Editor Barra de Títulos: É a barra azul que se encontra na parte

Leia mais

Crie um novo documento de mais ou menos 300x300Selecione a ferramenta Elipse tool (elipse U)

Crie um novo documento de mais ou menos 300x300Selecione a ferramenta Elipse tool (elipse U) Animação Crie um novo documento de mais ou menos 300x300Selecione a ferramenta Elipse tool (elipse U) Crie uma bola segurando a tecla SHIFT com uma cor qualquer Duplique essa bola através do menu Editar

Leia mais

Esse manual é um conjunto de perguntas e respostas para usuários(as) do Joomla! 1.5.

Esse manual é um conjunto de perguntas e respostas para usuários(as) do Joomla! 1.5. Esse manual é um conjunto de perguntas e respostas para usuários(as) do Joomla! 1.5. Ele considera que você já tem o Joomla! instalado no seu computador. Caso você queira utilizá lo em um servidor na web,

Leia mais

Sistema de Recursos Humanos

Sistema de Recursos Humanos Sistema de Recursos Humanos Projeto 1 O objetivo desse sistema é gerenciar a admissão e a demissão de funcionários. Esse funcionário pode ou não ter dependentes. Esse funcionário está alocado em um departamento

Leia mais

VERSÃO 1 PRELIMINAR - 2010 MÓDULO 3 - PRESENCIAL

VERSÃO 1 PRELIMINAR - 2010 MÓDULO 3 - PRESENCIAL MÓDULO 3 - PRESENCIAL CmapTools É um software para autoria de Mapas Conceituais desenvolvido pelo Institute for Human Machine Cognition da University of West Florida1, sob a supervisão do Dr. Alberto J.

Leia mais

Usar Atalhos para a Rede. Logar na Rede

Usar Atalhos para a Rede. Logar na Rede GUIA DO USUÁRIO: NOVELL CLIENT PARA WINDOWS* 95* E WINDOWS NT* Usar Atalhos para a Rede USAR O ÍCONE DA NOVELL NA BANDEJA DE SISTEMA Você pode acessar vários recursos do software Novell Client clicando

Leia mais

Aula Número 01. Sumário

Aula Número 01. Sumário Aula Número 01 Sumário Conceitos Básicos:... 3 Movendo-se numa Planilha... 4 Selecionando Múltiplas Células... 4 Abrindo e Salvando um Arquivo... 6 Salvando um arquivo... 8 Introduzindo e Editando Dados...

Leia mais

Funções básicas Cronograma Cronograma Funções Básicas

Funções básicas Cronograma Cronograma Funções Básicas Funções Básicas Fevereiro 2015 - 1) Selecionar o menu Portfólio > Projetos, clique para janela projetos abrir. 2) Selecione botão incluir para abrir um projeto. Preencha os campos obrigatórios nos Dados

Leia mais