ASSOCIAÇÃO DE BOMBEIROS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL AUTONOMIA DO CORPO DE BOMBEIROS DA BRIGADA MILITAR

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ASSOCIAÇÃO DE BOMBEIROS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL AUTONOMIA DO CORPO DE BOMBEIROS DA BRIGADA MILITAR"

Transcrição

1 ASSOCIAÇÃO DE BOMBEIROS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL AUTONOMIA DO CORPO DE BOMBEIROS DA BRIGADA MILITAR

2 ESSÊNCIA DA ATIVIDADE DE BOMBEIRO. A profissão Bombeiro é classificada como profissão natural, isto é, está entre aquelas que surgem naturalmente em uma sociedade por necessidade. A atividade de Bombeiro é única, é ela que tem a missão de socorrer a comunidade em situações de calamidade. Por ser uma atividade única e essencial para sociedade ela deve ser autônoma para executar da melhor forma suas responsabilidades.

3 PROFISSÕES DE CONFIANÇA ENFERMEIROS FONTE:

4 CORPO DE BOMBEIROS SUBORDINADO A PM. Qual o motivo da atividade de Bombeiro ser encampada pela Brigada Militar? Não há descrição formal ou informal dos motivos que expliquem tal acontecimento. A partir de 1935 os Bombeiros foram subordinados a Brigada Militar, no interior do Estado isto aconteceu anos depois; Antes de 1935 os Bombeiros eram mantidos pelo Município, Estado e empresas de seguros; Está situação de subordinação implica na inexistência de uma obra ou informações sobre a história dos Bombeiros no Estado;

5 SITUAÇÃO DA AUTONOMIA NO MUNDO E NO BRASIL Sempre que avaliamos algo, é necessário fazer uma analogia. No caso, como estão estruturados os Bombeiros no mundo e no Brasil? No mundo os Bombeiros são autônomos, vinculados aos Municípios, Estados ou a nível Federal;

6 Rio de Janeiro e Distrito Federal, sempre foram Autônomos.

7 DISTINÇÃO ENTRE AS ATIVIDADES. Em qualquer ramo de atividade é benéfico agregar atividades afins. Ao descrever a atividade de Bombeiro e de Polícia é possível fazer a seguinte avaliação: Polícia: Faz policiamento ostensivo, combate e investiga crimes; Bombeiro: Faz prevenção e combate a incêndio, salvamento de pessoas e animais, atividades de Defesa Civil. Portanto, essas atividades não possuem afinidades que justifiquem sua subordinação, de uma com a outra; obviamente sempre poderá haver apoio de ambas em determinadas circunstâncias;

8 UMA COISA É UMA COISA. OUTRA COISA, É OUTRA COISA COMPLETAMENTE DIFERENTE... BOMBEIROS 193 A serviço da vida, do salvamento. Engenheiro, Médico, Hospital... Engenharia de Incêndio, de arquitetura, da química.. Prevenção Incêndios Perícia de Locais Sinistrados Controle de Incêndios Padroeiro São Floriano Patrono D. Pedro II Dia 02 de Julho Salvar, Sempre, Salvar. CREA, CRM... POLÍCIA MILITAR 190 A serviço da lei, da ordem, da justiça Juiz, Promotor, Delegado, Delegacia Engenharia de Trânsito, Tráfego, Ambiental... Prevenção ao Crime Perícia local Crime Combate ao Crime Padroeiro São Sebastião Patrono Tiradentes Dia 21 de Abril Lema... OAB, MP...

9 INCONSTITUCIONALIDADE. A Constituição Federal (1988) prevê no Art.144, a missão institucional dos Bombeiros, deixando clara a sua não subordinação as Policias Militares. Ainda prevê em seu Art.37 o Princípio da Eficiência na Administração Pública, ou seja, uma instituição somente é eficiente, quando exercida por pessoas capacitadas para a atividade fim a qual se destina. A Constituição Federal deixa claro que são duas instituições que prestam serviços diferentes e de forma autônoma. Portanto, não há descrição de uma destas atividades ser subordinada a outra;

10 SISTEMA DE SEGURANÇA PÚBLICA. Cabe avaliar em que sistema de segurança pública estão inseridos os Bombeiros para que haja uma melhor compreensão de sua posição dentro do mesmo; Se existem duas Polícias independentes (metodologia, ideologia e organização), porque os Bombeiros são subordinados a uma delas? É contrariar a lógica e o bom censo, uma mesma atividade (Polícia) ser separada de forma organizacional e de metodologia de trabalho, enquanto outra atividade (Bombeiros) com finalidade diferente ser subordinada a uma delas;

11 RECURSOS FINANCEIROS. Uma instituição com identidade e autonomia possibilita ter maior sucesso na busca de recursos; Possibilita a captação de recursos nacionais e internacionais; Evita a intermediação e o direcionamento de recursos para outras atividades; Tem garantia de verbas para manutenção e investimentos (orçamento próprio).

12 ADMINISTRADO POR BOMBEIROS. Terá mais agilidade, economia e capacidade para administrar a instituição; Melhor qualificação, desempenho administrativo e operacional (agilidade e qualidade), conseqüentemente melhor prestação de serviço à comunidade;

13 MAIOR INTEGRAÇÃO ENTRE OS ORGÃOS BOMBEIRO/SAMU

14 A SELEÇÃO E FORMAÇÃO SERÃO DE BOMBEIRO E NÃO DE POLICIAL. É contrariar a lógica e o bom senso selecionar um profissional com um determinado perfil e empregar em outra atividade. Não existe concurso público para o Corpo de Bombeiros, existe concurso para ingressar na Brigada Militar(Polícia Militar). Todos os servidores que desempenham a atividade de Bombeiro são selecionados com o perfil intelectual e psicológico de Policial. Economia, qualidade e agilidade na formação de pessoal, pois haverá somente a formação de Bombeiro; A formação será de Bombeiro, conseqüentemente aprimora-se a qualificação e o desempenho do servidor;

15 FORMAÇÃO BOMBEIRO FORMAÇÃO POLICIAL Salvamento e Combate a incêndio Eletricidade Química/Física/ Matemática Mecânica Emergência e Socorros Termologia e Gases Anatomia Fisiologia Hidráulica Aplicada Desenho Arquitetônico Radioatividade Defesa Civil Prevenção de Incêndio Resistência de Materiais Polícia Ostensiva Criminologia Psicologia Forense Sociologia Investigação de Crime Direito Internacional Direito Penal Defesa Civil Direito Humanos História do Direito Ética Policial Criminalística Tiro Policial

16 FORMAÇÃO HOJE!

17 FORMAÇÃO DE POLÍCIA 70% FORMAÇÃO DE BOMBEIRO 30%

18 O PROFISSIONAL BOMBEIRO (INDIVÍDUO). Como será a vida de um indivíduo que exerce uma determinada atividade profissional a qual não é identificada e nem reconhecida? Está é a situação dos profissionais que exercem a atividade de Bombeiro no Estado; Os Bombeiros não possuem identidade, portanto não possuem auto-estima. O Bombeiro é confundido com Policial Militar, o servidor não tem identidade profissional e a comunidade não tem como identificá-lo; Confunde a população (não sabe quando é Policial ou Bombeiro);

19 PORTANTO NÃO CONFUNDA!

20 BOMBEIRO BOMBEIRO POLÍCIA POLÍCIA

21 E NOS OUTROS ESTADOS SERÁ QUE CONFUNDE?

22 SANTA CATARINA RIO DE JANEIRO ALAGOAS PERNANBUCO

23 ECONOMIA AOS COFRES PÚBLICOS. Toda a instituição pública deve ter como princípio a economicidade sem deixar de prestar serviço de qualidade a população, ou seja, não deve haver desperdício na utilização da verba pública; Diminuição da burocracia(documentos para PM, telefonemas, etc.); Deixar de ser estruturado como atividade de PM; Diminuição no tempo de formação de Bombeiros; Possibilitará uma estrutura enxuta;

24 MELHOR RELAÇÃO COM A COMUNIDADE. Toda instituição pública deve sempre estar presente no cotidiano da sociedade, dialogando para saber suas necessidades e atender suas demandas; Identificação dos Bombeiros pela comunidade; Diálogo de qualidade com a comunidade;

25 ESTRUTURA ATUAL DOS BOMBEIROS. O Corpo de Bombeiros já possui uma estrutura básica que permite sua emancipação e atuação imediata;

26 PREVENÇÃO DE INCÊNDIO. O Estado não possui uma Lei de Prevenção de Incêndio única, em alguns municípios é aplicada a Lei Estadual e em outros legislação própria. Situação que dificulta o trabalho dos profissionais que elaboram projetos de prevenção (engenheiros, arquitetos, etc.) além de onerar os empresários que querem instalar novas unidades de sua empresa em cidades diferentes.

27 FUMREBOM. Em cada município a Lei do FUMREBOM (Fundo Municipal de Reaparelhamento dos Bombeiros) é diferente, criando uma grande dificuldade para utilizar e administrar as verbas. Faz-se necessário uma única Lei em todos os municípios;

28 MUNICÍPIOS ATENDIDOS Podemos demonstrar a precariedade da prestação do serviço de Bombeiro através de sua área de abrangência, atualmente dos 496 municípios do Estado apenas 93 possuem uma unidade de Bombeiro.

29 BOMBEIROS EXISTENTE X NECESSÁRIO Atualmente existem aproximadamente Servidores do Estado que desempenham a atividade de Bombeiro; A recomendação da ONU é de 01 Bombeiro para cada habitantes; O Estado do Rio Grande do Sul possui uma população de hab.

30 ESTRUTURAÇÃO PARA GRANDES EVENTOS. Para efetuar um grande evento em qualquer lugar do mundo um dos pré-requisitos é a estruturação dos Bombeiros para atuar caso seja necessário, mas para atender a este requisito ele deve primeiramente existir. Como está a preparação para Copa do Mundo em 2014 (de acordo com as exigências da FIFA) dos Bombeiros de Porto Alegre?

31 DEFESA CIVIL (DESASTRES E CALAMIDADES). Está descrito no Art. 144, 5º da CF que aos Corpos de Bombeiros Militares, além das atribuições definidas em lei, incumbem a execução de atividades de Defesa Civil. Na sociedade atual estamos sendo surpreendidos por eventos de calamidade pública de ordem natural ou ocasionados pelo homem em que se faz necessário uma estrutura de socorro bem preparada (Defesa Civil). A autonomia do Corpo de Bombeiros do Rio Grande do Sul é a principal providência para atuar no atendimento a calamidades, pois este é o responsável legal para executar as atividades de Defesa Civil, é também a instituição que possui maior afinidade, dando a base estrutural para tais atividades. EmnossoEstadooCorpodeBombeirosnãoexistedefato,portanto,não são os Bombeiros que executam as atividades de Defesa Civil!

32 SERÁ QUE ESTAMOS PREPARADOS?

33 ENCHENTES EM SANTA CATARINA DESMORONAMENTO EM SÃO PAULO DESLIZAMENTOS NO RIO DE JANEIRO TERREMOTO NO CHILE

34 ESTÁ COMPROVADO QUE O CORPO DE BOMBEIROS AUTÔNOMO É MELHOR. A NFPA - têm estudado os departamentos de bombeiros em cidades de todos os tamanhos, por todos os Estados Unidos e Canadá por muitos anos, e está convencida de que não há nenhuma vantagem, nem econômica, nem operacional quando as funções de polícia e de bombeiros são combinadas.

35 Do Corpo de Bombeiros do Acre: A nova realidade é plena de sucessos, com a população recebendo serviços qualificados. A corporação pode celebrar convênios visando à aquisição de viaturas e equipamentos, bem como parcerias com universidades para aprimoramento técnico. Do Corpo de Bombeiros de Goiás: O desmembramento nos proporcionou orçamento próprio, reestruturação das unidades, aumento de efetivo especializado e melhor distribuição de pessoal. Do Corpo de Bombeiros do Ceará: A autonomia nos trouxe desenvolvimento administrativo e operacional". Do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais: Com a emancipação obtivemos orçamento próprio e agilidade no processo decisório. Revista Emergência, pag.7, 2003

36 E O SERVIDOR COMO FICA?

37 MUNICIPALIZAÇÃO A Constituição Federal prevê que a atividade de Bombeiros é obrigação do Estado, portanto, dos Bombeiros Militares.

38 SALÁRIO Em alguns Estados ocorreu a isonomia entre os salários de Bombeiro e Polícia. Lembrando que o aumento salarial de qualquer Servidor Estadual, depende da receita do Estado.

39 HOSPITAL HojeoHospitaldaBrigadaMilitaratendetodososusuáriosdoIPE. A verba de manutenção do HBM, provém da Secretaria Estadual de Saúde.

40 INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA Continuaremos sendo Servidores Públicos Estaduais, portanto, usufruindo do IPE.

41 ESTATUTO Teremos um Estatuto próprio, voltado para a realidade do Bombeiro. Com Estatuto próprio será regularizado as promoções de acordo com a necessidade da Corporação. O Regulamento Disciplinar será o mesmo, com algumas adaptações, pois os Bombeiros continuarão sendo militares.

42 AINDA TEM DÚVIDA QUE A EMANCIPAÇÃO SERÁ MELHOR?

43 SANTA CATARINA O Corpo de Bombeiros do Estado de Santa Catarina vivia uma situação igual a nossa antes da emancipação da Policia Militar. No ano de 2000, os Bombeiros Gaúchos tinham um plano para emancipação. Santa Catariana, copiou este plano com algumas modificações e emancipou-se em 2003.

44 OFICIAIS PRAÇAS EFETIVO INCLUSÕES INCLUSÕES EM PROMOÇÕES ANTES HOJE ORÇAMENTO ZERO ,33 VIATURAS QUARTÉIS NOVOS

45 PORTANTO PARAMOS NO TEMPO...

46

47 ...OU EVOLUIMOS COMO OS NOSSOS VIZINHOS.

48

49 OBRIGADO NA BUSCA DA IDENTIDADE, SALVANDO A DIGNIDADE, SOLIDÁRIOS A SOCIEDADE.

PROJETO PARCERIA COM A POLÍCIA

PROJETO PARCERIA COM A POLÍCIA PROJETO PARCERIA COM A POLÍCIA CAPACITAÇÃO SOBRE A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA PARA A POLÍCIA MILITAR E CIVIL 1) INTRODUÇÃO: O Ministério Público desempenha um papel fundamental quando colabora com a capacitação

Leia mais

Aquisição de Equipamentos Necessários para o Patrulhamento das Rodovias e Estradas Federais

Aquisição de Equipamentos Necessários para o Patrulhamento das Rodovias e Estradas Federais Secretaria de Orçamento Programa 0663 SEGURANÇA NAS RODOVIAS FEDERAIS Objetivo Reduzir a incidência de acidentes de trânsito nas rodovias federais. Público Alvo Usuários das rodovias federais Ações Orçamentárias

Leia mais

Formação/capacitação de profissionais da Execução penal Responsável: Escola Penitenciária/SEJUDH

Formação/capacitação de profissionais da Execução penal Responsável: Escola Penitenciária/SEJUDH Formação/capacitação de profissionais da Execução penal Responsável: Escola Penitenciária/ a- Atribuições s profissionais que atuam no Sistema penitenciário que são ligas a execução penal/: I - Profissional

Leia mais

Seminário Intersetorial Empresas e Povos Indígenas 13/03/14

Seminário Intersetorial Empresas e Povos Indígenas 13/03/14 Seminário Intersetorial Empresas e Povos Indígenas 13/03/14 1 ANDAMENTOS DOS TRABALHOS GTAI/FMASE FMASE 2005 = Coordena ações de interesse do setor sobre aspectos socioambientais geração, transmissão,

Leia mais

EXMO. SR. PRESIDENTE DO INSTITUTO DOS ADVOGADOS BRASILEIROS

EXMO. SR. PRESIDENTE DO INSTITUTO DOS ADVOGADOS BRASILEIROS EXMO. SR. PRESIDENTE DO INSTITUTO DOS ADVOGADOS BRASILEIROS Ref. Indicação n. 107/2006 Assunto: projeto de Lei 7.404/96 Autor do Parecer: Membro da Comissão Permanente de Direito Constitucional Dra Leila

Leia mais

Governador lança Patrulha Maria da Penha no Território de Paz Lomba do Pinheiro Seg, 22 de Outubro de 2012 12:28

Governador lança Patrulha Maria da Penha no Território de Paz Lomba do Pinheiro Seg, 22 de Outubro de 2012 12:28 Governador lança Patrulha Maria da Penha no Território de Paz Lomba do Pinheiro As atividades do projeto Patrulha Maria da Penha iniciaram-se neste sábado (20) no Território de Paz Lomba do Pinheiro. O

Leia mais

Integração dos Órgãos Municipais ao Sistema Nacional de Trânsito

Integração dos Órgãos Municipais ao Sistema Nacional de Trânsito 1º Seminário para a Municipalização do Trânsito Integração dos Órgãos Municipais ao Sistema Nacional de Trânsito SÉRGIO LUIZ PEROTTO Especialista em direito de trânsito Consultor de trânsito e mobilidade

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM: POLÍTICAS E GESTÃO PRISIONAL

PÓS-GRADUAÇÃO EM: POLÍTICAS E GESTÃO PRISIONAL PÓS-GRADUAÇÃO EM: POLÍTICAS E GESTÃO PRISIONAL DISCIPLINAS MÓDULOS CH 01 ÉTICA NA SEGURANÇA PÚBLICA E PRISIONAL Capacitar o aluno para assumir uma conduta ética e legal no relacionamento profissional e

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PIRACICABA Estado de São Paulo Procuradoria Geral

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PIRACICABA Estado de São Paulo Procuradoria Geral PROJETO DE LEI No. 104/08 Dispõe sobre a criação de empregos de Agente Comunitário de Saúde, junto ao Quadro de Pessoal da Prefeitura do Município de Piracicaba, nos termos da Lei Federal nº 11.350/06

Leia mais

PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. PROFI

PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. PROFI PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. PROFI Os currículos e as fichas de cadastro deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico seguranca.cidada@mj.gov.br até o dia 16/03/2014.

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Presidente, Sras. Deputadas e Srs.

Excelentíssimo Senhor Presidente, Sras. Deputadas e Srs. PRONUNCIAMENTO DO DEPUTADO FEDERAL CAPITÃO ASSUMÇÃO 02 DE ABRIL DE 2009 Deputados: Excelentíssimo Senhor Presidente, Sras. Deputadas e Srs. Em trâmite perante a Comissão de Constituição e Justiça e de

Leia mais

MAPA DE PESSOAL UNIDADE ORGANICA CÂMARA POLICIA MUNICIPAL

MAPA DE PESSOAL UNIDADE ORGANICA CÂMARA POLICIA MUNICIPAL Nº POSTOS DE TRABALHO A PREENCHER PREENCHIDOS POR VINCULO DE EMPREGO TERMO CÂMARA POLICIA MUNICIPAL DIRETOR DE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE POLICIA MUNICIPAL Policia Municipal Licenciatura Define os objetivos

Leia mais

FÓRUM TEMÁTICO DE SEGURANÇA PÚBLICA

FÓRUM TEMÁTICO DE SEGURANÇA PÚBLICA FÓRUM TEMÁTICO DE SEGURANÇA PÚBLICA HISTÓRICO O Serviço de bombeiros em Santa Maria, é originário da Estação de Bombeiros de Santa Maria, criada em 16 Mar 1955 e instalada provisoriamente nas dependências

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 232/2014 Poder Executivo

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 232/2014 Poder Executivo DIÁRIO OFICIAL DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Porto Alegre, quarta-feira, 19 de março de 2014. PRO 1 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 232/2014 Poder Executivo Altera a redação dos arts. 46, 52, 60, 82,

Leia mais

CONCURSO DE ACESSO AOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EDIÇÃO 2015/2016 2.º SEMESTRE

CONCURSO DE ACESSO AOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EDIÇÃO 2015/2016 2.º SEMESTRE O Presidente do Instituto Superior de Engenharia do Porto, João Manuel Simões da Rocha faz saber: 1. É aberto o calendário constante do Anexo I, o concurso de acesso para frequência, no 2.º semestre do

Leia mais

LOGÍSTICA: história e conceitos RESUMO

LOGÍSTICA: história e conceitos RESUMO 1 LOGÍSTICA: história e conceitos Newilson Ferreira Coelho FAFIJAN Marilda da Silva Bueno FAFIJAN RESUMO Através de uma pesquisa bibliográfica, este estudo apresenta a logística, sua história e conceitos

Leia mais

Inclusão Social pelo Projeto de Educação: Saneamento Básico

Inclusão Social pelo Projeto de Educação: Saneamento Básico PREMIO NACIONAL DE QUALIDADE EM SANEAMENTO PNQS 2011 INOVAÇÃO DA GESTÃO EM SANEAMENTO - IGS Inclusão Social pelo Projeto de Educação: Saneamento Básico SETEMBRO/2011 A. OPORTUNIDADE A.1 Qual foi a oportunidade

Leia mais

FORMAÇÃO DE MONITORES RELACIONANDO EDUCAÇÃO FORMAL E NÃO FORMAL EM MUSEUS DE CIÊNCIA

FORMAÇÃO DE MONITORES RELACIONANDO EDUCAÇÃO FORMAL E NÃO FORMAL EM MUSEUS DE CIÊNCIA POSTER FORMAÇÃO DE MONITORES RELACIONANDO EDUCAÇÃO FORMAL E NÃO FORMAL EM MUSEUS DE CIÊNCIA Nome do Grupo de Trabalho: Educação Popular Número do Grupo de Trabalho: 06 Autora: ISABEL APARECIDA MENDES Co-autora

Leia mais

EDITAL PARA PROCESSO SELETIVO DOCENTE IMED Com objetivo de consolidar sua missão de proporcionar um centro de excelência acadêmica para formação de sujeitos capazes de compreender e transformar a realidade

Leia mais

Perícia Criminal CONVERSÃO DO CURSO REGULAR PARA PÓS-GRADUAÇÃO

Perícia Criminal CONVERSÃO DO CURSO REGULAR PARA PÓS-GRADUAÇÃO O Grupo Verbo Jurídico figura hoje como uma das instituições mais completas quando se trata de preparação para Concursos Públicos, também atuando no segmento editorial e de ensino. No ramo de ensino, destaca-se

Leia mais

PAINEL DAS OCUPAÇÕES TÉCNICAS DE NÍVEL MÉDIO UNIEPRO - DN

PAINEL DAS OCUPAÇÕES TÉCNICAS DE NÍVEL MÉDIO UNIEPRO - DN PAINEL DAS OCUPAÇÕES TÉCNICAS DE NÍVEL MÉDIO UNIEPRO - DN METODOLOGIA Metodologia - Análise dos salários de admissão e salários estimados com 10 anos de experiência das ocupações técnicas de nível médio

Leia mais

Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação

Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação Art. 205 - A educação, direito de todos e dever do Estado e da família,

Leia mais

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Proposta de ações para elaboração do Plano Estadual da Pessoa com Deficiência Objetivo Geral: Contribuir para a implementação

Leia mais

Prefeitura Municipal de Santos

Prefeitura Municipal de Santos Prefeitura Municipal de Santos Estância Balneária SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO Seção de Suplência/ SESUPLE Parceiros do Saber Projeto de alfabetização de Jovens e Adultos Justificativa

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI N. 1.478, DE 15 DE JANEIRO DE 2003 Cria o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Acre IDAF/AC e define sua competência e organização básica. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte

Leia mais

Gestão de Ambientes de Saúde

Gestão de Ambientes de Saúde Gestão de Ambientes de Saúde É sempre tempo de melhorar a performance do seu ambiente de saúde Não adianta você ter um avião rápido e seguro se não dispõe de um piloto capacitado para viajar. O mesmo ocorre

Leia mais

Realização: FEDERAÇÃO CATARINENSE DE MUNICÍPIOS

Realização: FEDERAÇÃO CATARINENSE DE MUNICÍPIOS FEDERAÇÃO CATARINENSE DE MUNICÍPIOS Núcleos de Defesa Civil (NUDECs): estruturação, atribuições e funcionamento Regina Panceri Gerente Capacitação, Pesquisa e Projetos SDC 3 O que é, o que é????? O que

Leia mais

5 - Curso de Aperfeiçoamento em Crack e outras Drogas para Agentes dos Sistemas Judiciário, Policial e Ministério Público;

5 - Curso de Aperfeiçoamento em Crack e outras Drogas para Agentes dos Sistemas Judiciário, Policial e Ministério Público; EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA 1/ PARA ALUNOS DOS CURSOS DO CENTRO REGIONAL DE REFERÊNCIA EM CRACK E OUTRAS DROGAS DA ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE SANTA CATARINA A (SES), por meio DO Centro de Referência

Leia mais

CURSO DE CAPACITAÇÃO EM LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS -LIBRAS. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente)

CURSO DE CAPACITAÇÃO EM LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS -LIBRAS. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) CURSO DE CAPACITAÇÃO EM LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS -LIBRAS Mostra Local de: Apucarana (Municípios do Vale do Ivaí) Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Nome

Leia mais

Sistema de Indicadores de Percepção Social (SIPS) Segurança Pública no Brasil

Sistema de Indicadores de Percepção Social (SIPS) Segurança Pública no Brasil Sistema de Indicadores de Percepção Social (SIPS) Segurança Pública no Brasil 30 de março de 2011 Dando continuidade à tarefa de contribuir com a discussão sobre a percepção da população brasileira em

Leia mais

Vulnerabilidade x Resiliência em Cidades Brasileiras

Vulnerabilidade x Resiliência em Cidades Brasileiras Fundação Nacional de Saúde IV Seminário Internacional de Engenharia de Saúde Pública Vulnerabilidade x Resiliência em Cidades Brasileiras Dr. Neison Cabral Freire Fundação Joaquim Nabuco, Recife/PE Belo

Leia mais

Política Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas

Política Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas Política Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1 A Política Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas tem por finalidade estabelecer princípios, diretrizes

Leia mais

Financial Services. Precisão competitiva. Metodologias específicas e profissionais especializados na indústria de seguros

Financial Services. Precisão competitiva. Metodologias específicas e profissionais especializados na indústria de seguros Financial Services Precisão competitiva Metodologias específicas e profissionais especializados na indústria de seguros Nossa experiência na indústria de seguros A indústria de seguros vem enfrentando

Leia mais

INFORMATIVO. Carreiras reestruturadas e concursos públicos realizados para. uma melhor prestação de serviços

INFORMATIVO. Carreiras reestruturadas e concursos públicos realizados para. uma melhor prestação de serviços INFORMATIVO GESTÃO DE PESSOAS 2013-2016 Maio - 2016 Carreiras reestruturadas e concursos públicos realizados para uma melhor prestação de serviços uma sociedade cada vez mais complexa e dinâmica exige

Leia mais

REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 2.020-D DE 2007

REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 2.020-D DE 2007 REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 2.020-D DE 2007 Estabelece diretrizes gerais sobre medidas de prevenção e combate a incêndio e a desastres em estabelecimentos, edificações e áreas de reunião de público;

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA 14/2012 PARA INSCRIÇÕES E SELEÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SEGURANÇA PÚBLICA E CIDADANIA SERVIDORES PÚBLICOS ESTADUAIS

EDITAL DE ABERTURA 14/2012 PARA INSCRIÇÕES E SELEÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SEGURANÇA PÚBLICA E CIDADANIA SERVIDORES PÚBLICOS ESTADUAIS EDITAL DE ABERTURA 14/2012 PARA INSCRIÇÕES E SELEÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SEGURANÇA PÚBLICA E CIDADANIA SERVIDORES PÚBLICOS ESTADUAIS 1. DA REALIZAÇÃO A Rede Escola de Governo (REG), através da Fundação

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 316/2015 Deputado(a) Enio Bacci CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 316/2015 Deputado(a) Enio Bacci CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES DIÁRIO OFICIAL DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Porto Alegre, sexta-feira, 21 de agosto de 2015. PRO 1 PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 316/2015 Deputado(a) Enio Bacci Dispõe sobre o Plano de Carreira dos Servidores

Leia mais

A FILOSOFIA DE UMA POLÍCIA COMUNITÁRIA COMO RESPEITO AOS DIREITOS HUMANOS

A FILOSOFIA DE UMA POLÍCIA COMUNITÁRIA COMO RESPEITO AOS DIREITOS HUMANOS A FILOSOFIA DE UMA POLÍCIA COMUNITÁRIA COMO RESPEITO AOS DIREITOS HUMANOS Bruno Marques da SILVA 1 RESUMO: Este trabalho tem por objetivo fazer uma análise história e objetiva sobre as adaptações que as

Leia mais

EDITAL DE CREDENCIAMENTO UTRAMIG / Nº 11 / 2012. Processo de Credenciamento de Docentes Colaboradores Externos

EDITAL DE CREDENCIAMENTO UTRAMIG / Nº 11 / 2012. Processo de Credenciamento de Docentes Colaboradores Externos EDITAL DE CREDENCIAMENTO UTRAMIG / Nº 11 / 2012 Processo de Credenciamento de Docentes Colaboradores Externos A Fundação de Educação para o Trabalho de Minas Gerais UTRAMIG comunica a abertura do processo

Leia mais

Relatório de atividades 2011-2012 Núcleo de Gênero Pró-Mulher

Relatório de atividades 2011-2012 Núcleo de Gênero Pró-Mulher MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Ministério Público do Distrito Federal e Territórios Coordenação dos Núcleos de Direitos Humanos - CNDH Núcleo de Gênero Pró-Mulher Relatório de atividades 2011-2012 Núcleo

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO - SEPLAG EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N.

PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO - SEPLAG EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N. PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO - SEPLAG EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2011 O SECRETÁRIO DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO DO MUNICÍPIO

Leia mais

O PAPEL DA ERGONOMIA NO DESIGN DE INTERIORES

O PAPEL DA ERGONOMIA NO DESIGN DE INTERIORES O PAPEL DA ERGONOMIA NO DESIGN DE INTERIORES Este artigo busca destacar a importância da aplicabilidade das técnicas ergonômicas no que se refere ao design de interiores. A ergonomia será apresentada como

Leia mais

Entenda o PL 7.168/2014 de A a Z

Entenda o PL 7.168/2014 de A a Z Entenda o PL 7.168/2014 de A a Z O Projeto de Lei 7.168/2014 avança na construção de um novo Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil. Ele trata das relações entre Estado e OSCs e estabelece

Leia mais

PONTO 1: Contrato Individual de Trabalho: 1. Conceito. 2. Sujeitos. 3. Características. 4. Requisitos.

PONTO 1: Contrato Individual de Trabalho: 1. Conceito. 2. Sujeitos. 3. Características. 4. Requisitos. 1 DIREITO DO TRABALHO PONTO 1: Contrato Individual de Trabalho: 1. Conceito. 2. Sujeitos. 3. Características. 4. Requisitos. 1. Contrato Individual de Trabalho arts. 442 a 456 da CLT: 1. Conceito: É o

Leia mais

BRASIL Entrevista con el Sr. General Ex Raymundo De Cerqueira Filho Ministro Presidente del Tribunal Superior Militar Brasil

BRASIL Entrevista con el Sr. General Ex Raymundo De Cerqueira Filho Ministro Presidente del Tribunal Superior Militar Brasil DIALOGANDO SOBRE JUSTICIA MILITAR BRASIL Entrevista con el Sr. General Ex Raymundo De Cerqueira Filho Ministro Presidente del Tribunal Superior Militar Brasil 1. De acordo com as leis de seu País, qual

Leia mais

Município de Oliveira do Hospital PROJETO DO REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS

Município de Oliveira do Hospital PROJETO DO REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS PROJETO DO REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS O Município de Oliveira do Hospital entende como de interesse municipal as iniciativas empresariais que contribuem para o desenvolvimento e dinamização

Leia mais

TEXTO RETIRADO DO REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA APAE DE PASSOS:

TEXTO RETIRADO DO REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA APAE DE PASSOS: TEXTO RETIRADO DO REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA APAE DE PASSOS: Art. 3º - A Escola oferece os seguintes níveis de ensino: I. Educação Infantil: de 0 a 05 anos de idade. Educação Precoce de 0 a 03 anos Educação

Leia mais

Apoio à Valorização da Diversidade no Acesso e na Permanência na Universidade

Apoio à Valorização da Diversidade no Acesso e na Permanência na Universidade Programa 1377 Educação para a Diversidade e Cidadania Objetivo Combater as desigualdades étnico-racial, de gênero, orientação sexual, geracional, regional e cultural no espaço escolar. Justificativa Público

Leia mais

Indicador(es) Órgão(s) 26 - Ministério da Educação

Indicador(es) Órgão(s) 26 - Ministério da Educação Programa úmero de Ações 13 1060 Brasil Alfabetizado e Educação de Jovens e Adultos Objetivo Indicador(es) Garantir acesso e permanência de jovens e adultos a programas educacionais que visam atender as

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. Manual do Usuário

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. Manual do Usuário MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Manual do Usuário SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 3 INTRODUÇÃO 4 ACESSO AO SISTEMA 5 CADASTRO 6 1 Identificação da ICT 6 2 Política

Leia mais

EDITAL Abertura de Processo Seletivo

EDITAL Abertura de Processo Seletivo EDITAL Abertura de Processo Seletivo Projeto de Iniciação Científica das Faculdades Integradas Campo-grandenses (FIC) Dispõe sobre as normas para o processo de chamada de propostas de projetos de iniciação

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS O MP E AS VERBAS DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS O MP E AS VERBAS DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS O MP E AS VERBAS DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO PÚBLICO O Ministério Público é instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a defesa

Leia mais

TRANSCRIÇÃO PROF. MIRACY

TRANSCRIÇÃO PROF. MIRACY TRANSCRIÇÃO PROF. MIRACY Somos um programa da faculdade de direito da UFMG. minha fala talvez, vai ser por isso um pouco diferenciada das demais abordarei não direito do trabalho em si e ou as suas transformações

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA CIVIL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA CIVIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA CIVIL Regulamento Específico do Curso de Especialização em Gestão e Tecnologia de Produção de Edifícios - CEGT CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

Leia mais

Com relação aos Compromissos Nacionais

Com relação aos Compromissos Nacionais Plano de Ação México Com relação aos Compromissos Nacionais 1. Nos último anos, o Ministério da Cultura do Brasil (MinC) vem debatendo com especial ênfase o impacto econômico propiciado pela música na

Leia mais

PARECER Nº, DE 2009. RELATOR: Senador EDUARDO AZEREDO RELATOR ad hoc: Senador TASSO JEREISSATI I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2009. RELATOR: Senador EDUARDO AZEREDO RELATOR ad hoc: Senador TASSO JEREISSATI I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2009 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, em caráter terminativo, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 147, de 2006, que altera a Lei nº 4.950-A, de 22 de abril de 1966, que

Leia mais

Tabela das Despesas Contabilizáveis para as Ações e Serviços Públicos de Saúde - ASPS. Assist. Social

Tabela das Despesas Contabilizáveis para as Ações e Serviços Públicos de Saúde - ASPS. Assist. Social Descrição da Despesa ASPS Assist. Social Outros Base Legal Subsídio do Secretário da Saúde, Assistência e Meio Ambiente. X 1 1 Casos em que a Secretaria da Saúde abranja outras áreas de atuação, deverá

Leia mais

IV SEMINÁRIO INTERNACIONAL EM SEGURANÇA PÚBLICA RESULTADO DA AVALIAÇÃO DOS ARTIGOS/RESUMOS TRABALHOS ACEITOS

IV SEMINÁRIO INTERNACIONAL EM SEGURANÇA PÚBLICA RESULTADO DA AVALIAÇÃO DOS ARTIGOS/RESUMOS TRABALHOS ACEITOS IV SEMINÁRIO INTERNACIONAL EM SEGURANÇA PÚBLICA RESULTADO DA AVALIAÇÃO DOS ARTIGOS/RESUMOS TRABALHOS ACEITOS ART01_ CONFECÇÃO DE UMA COMUNICAÇÃO DE ESTUDO DE CASO POLICIAL ; ART05_ ASPECTOS DE GOVERNANÇA

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moisés Viana Unidade Central de Controle Interno

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moisés Viana Unidade Central de Controle Interno ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moisés Viana Unidade Central de Controle Interno PARECER de CONTROLE Nº 003/09 ENTIDADE SOLICITANTE: Departamento de Água

Leia mais

CARTA ABERTA EM DEFESA DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA

CARTA ABERTA EM DEFESA DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA CARTA ABERTA EM DEFESA DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA O Fórum das universidades públicas participantes do PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA vem, por meio desta, defender

Leia mais

DIREITOS DO TRABALHADOR COM DEFICIENCIA. PALAVRAS-CHAVES: Deficiência, Trabalho, Proteção Legal.

DIREITOS DO TRABALHADOR COM DEFICIENCIA. PALAVRAS-CHAVES: Deficiência, Trabalho, Proteção Legal. DIREITOS DO TRABALHADOR COM DEFICIENCIA Acimarney Correia Silva Freitas¹, Cecília Grabriela Bittencourt², Érika Rocha Chagas 3, Maria do Rosário da Silva Ramos 4 ¹Orientador deste Artigo e Professor de

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. CÓD. 1551 Tarde/Noite - Currículo nº 03 CÓD. 3655 Manhã - Currículo nº 02 MATRIZ CURRICULAR

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. CÓD. 1551 Tarde/Noite - Currículo nº 03 CÓD. 3655 Manhã - Currículo nº 02 MATRIZ CURRICULAR Aprovado no CONGRAD de 26.08.14 Vigência: ingressos a partir de 2015/1 CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CÓD. 1551 Tarde/Noite - Currículo nº 03 CÓD. 3655 Manhã - Currículo nº 02 MATRIZ CURRICULAR CÓD. DISCIPLINAS

Leia mais

O SR. ALVARO DIAS (Bloco Minoria/PSDB PR) pronuncia o seguinte discurso: Sr. Presidente, Srs. Senadores, Srªs Senadoras, hoje não falarei mal da

O SR. ALVARO DIAS (Bloco Minoria/PSDB PR) pronuncia o seguinte discurso: Sr. Presidente, Srs. Senadores, Srªs Senadoras, hoje não falarei mal da O SR. ALVARO DIAS (Bloco Minoria/PSDB PR) pronuncia o seguinte discurso: Sr. Presidente, Srs. Senadores, Srªs Senadoras, hoje não falarei mal da Presidente, Senador Requião. Trago a esta tribuna um assunto

Leia mais

Plano e Regulamento de Benefícios e Serviços

Plano e Regulamento de Benefícios e Serviços TITULO I DEFINIÇÕES GERAIS DOS BENEFICIOS E SERVIÇOS CAPITULO I DA FINALIDADE Art.1. Este plano tem por finalidade estabelecer os benefícios e serviços da ABEPOM, bem como regulamentar os critérios, limites

Leia mais

ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS

ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS 13. CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Área de atuação O curso pretende formar o arquiteto pleno, capacitado a atuar nos diversos âmbitos

Leia mais

Encontro Acadêmico Interdisciplinaridade Ensino, Pesquisa e Extensão Região Norte

Encontro Acadêmico Interdisciplinaridade Ensino, Pesquisa e Extensão Região Norte Encontro Acadêmico Interdisciplinaridade Ensino, Pesquisa e Extensão Região Norte Desafios para a extensão em caráter interdisciplinar: Experiência da UEA em Extensão Prof. José Antônio Nunes de Mello

Leia mais

(Assessoria de Comunicação Social/MEC) INSTRUMENTO DIAGNÓSTICO PAR MUNICIPAL 2011-2014. (6ª versão maio 2011) Ministério da Educação

(Assessoria de Comunicação Social/MEC) INSTRUMENTO DIAGNÓSTICO PAR MUNICIPAL 2011-2014. (6ª versão maio 2011) Ministério da Educação (Assessoria de Comunicação Social/MEC) INSTRUMENTO DIAGNÓSTICO PAR MUNICIPAL 2011-2014 (6ª versão maio 2011) Ministério da Educação Instrumento Diagnóstico - PAR Municipal 2011-2014 A gestão que prioriza

Leia mais

POLÍTICA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO

POLÍTICA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO REITORIA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO POLÍTICA

Leia mais

PROJETO RESSANEAR SANEAMENTO E RESÍDUOS SÓLIDOS EM PAUTA

PROJETO RESSANEAR SANEAMENTO E RESÍDUOS SÓLIDOS EM PAUTA PROJETO RESSANEAR SANEAMENTO E RESÍDUOS SÓLIDOS EM PAUTA POLÍTICA NACIONAL DE SANEAMENTO JOHNNY FERREIRA DOS SANTOS Diretor de Água e Esgoto - Porto Alegre, 01 de Setembro de 2011 MARCOS LEGAIS E POLÍTICO-INSTITUCIONAIS

Leia mais

Filósofos. A história administração. Filósofos. Igreja Católica e Organização Militar. Revolução Industrial

Filósofos. A história administração. Filósofos. Igreja Católica e Organização Militar. Revolução Industrial Uninove Sistemas de Informação Teoria Geral da Administração 3º Semestre Prof. Fábio Magalhães Blog da disciplina: http://fabiotga.blogspot.com A história administração A história da Administração é recente,

Leia mais

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 846

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 846 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 846 Altera a denominação do Curso de Especialização em Redes de Computadores, criado pela Resolução CEPEC nº 422, e aprova o novo

Leia mais

SAÚDE DA FAMÍLIA E VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER: UM DESAFIO PARA A SAÚDE PUBLICA DE UM MUNICIPIO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Brasil

SAÚDE DA FAMÍLIA E VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER: UM DESAFIO PARA A SAÚDE PUBLICA DE UM MUNICIPIO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Brasil ID 1676 SAÚDE DA FAMÍLIA E VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER: UM DESAFIO PARA A SAÚDE PUBLICA DE UM MUNICIPIO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Brasil Dutra, Laís; Eugênio, Flávia; Camargo, Aline; Ferreira

Leia mais

Carta de Princípios dos Adolescentes e Jovens da Amazônia Legal

Carta de Princípios dos Adolescentes e Jovens da Amazônia Legal Carta de Princípios dos Adolescentes e Jovens da Amazônia Legal A infância, adolescência e juventude são fases fundamentais no desenvolvimento humano e na formação futura dos cidadãos. No plano social,

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR 54 1999 de 13/12/1999

LEI COMPLEMENTAR 54 1999 de 13/12/1999 LEI COMPLEMENTAR 54 1999 de 13/12/1999 Dispõe sobre a organização básica do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais - CBMMG - e dá outras providências. O Povo do Estado de Minas Gerais, por seus representantes,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Código: 031 Município: Marília Eixo Tecnológico: Segurança Habilitação Profissional: Técnico de Nível Médio em Segurança do Trabalho Qualificação: Técnico

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE NO ÂMBITO PRÉ- HOSPITALAR E HOSPITALAR PARA ENFRENTAMENTO DE SITUAÇÕES DE MÚLTIPLAS VÍTIMAS, DESASTRES E CATÁSTROFES

ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE NO ÂMBITO PRÉ- HOSPITALAR E HOSPITALAR PARA ENFRENTAMENTO DE SITUAÇÕES DE MÚLTIPLAS VÍTIMAS, DESASTRES E CATÁSTROFES ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE NO ÂMBITO PRÉ- HOSPITALAR E HOSPITALAR PARA ENFRENTAMENTO DE SITUAÇÕES DE MÚLTIPLAS VÍTIMAS, DESASTRES E CATÁSTROFES NO ESTADO DE MINAS GERAIS: LEGISLAÇÃO, ESTRUTURA FÍSICA,

Leia mais

Ambientes acessíveis

Ambientes acessíveis Fotos: Sônia Belizário Ambientes acessíveis É FUNDAMENTAL A ATENÇÃO AO DESENHO E A CONCEPÇÃO DOS PROJETOS, PRINCIPALMENTE NOS ESPAÇOS PÚBLICOS,PARA ATENDER ÀS NECESSIDADES E LIMITAÇÕES DO MAIOR NÚMERO

Leia mais

XII CONGRESSO BRASILEIRO DE IDENTIFICAÇÃO, PERÍCIA PAPILOSCÓPICA E NECROPAPILOSCÓPICA ENCONTRO NACIONAL DE DIRETORES DOS INSTITUTOS DE IDENTIFICAÇÃO

XII CONGRESSO BRASILEIRO DE IDENTIFICAÇÃO, PERÍCIA PAPILOSCÓPICA E NECROPAPILOSCÓPICA ENCONTRO NACIONAL DE DIRETORES DOS INSTITUTOS DE IDENTIFICAÇÃO XII CONGRESSO BRASILEIRO DE IDENTIFICAÇÃO, PERÍCIA PAPILOSCÓPICA E NECROPAPILOSCÓPICA E ENCONTRO NACIONAL DE DIRETORES DOS INSTITUTOS DE IDENTIFICAÇÃO UMA NOVA VISÃO COM A PAPILOSCOPIA NA IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Nos últimos 20 anos, o País vem se redemocratizando e

Nos últimos 20 anos, o País vem se redemocratizando e ERRATA A página 19 foi substituída pela página abaixo: Quadro de servidores públicos municipais 1999-2002 Nos últimos 20 anos, o País vem se redemocratizando e passando por uma redistribuição de poderes

Leia mais

PROJETO DE LEI N, DE 2015. (Do Senhor Deputado Professor Victório Galli)

PROJETO DE LEI N, DE 2015. (Do Senhor Deputado Professor Victório Galli) PROJETO DE LEI N, DE 2015 (Do Senhor Deputado Professor Victório Galli) O CONGRESSO NACIONAL decreta: Dispõe sobre a regulamentação do exercício das profissões de Analista de Sistemas, Desenvolvedor, Engenheiro

Leia mais

ACOMPANHAMENTO E APOIO TÉCNICO À GESTÃO DESCENTRALIZADA DO SUAS

ACOMPANHAMENTO E APOIO TÉCNICO À GESTÃO DESCENTRALIZADA DO SUAS ACOMPANHAMENTO E APOIO TÉCNICO À GESTÃO DESCENTRALIZADA DO SUAS O ACOMPANHAMENTO E APOIO NO ÂMBITO DO SUAS LINHA DO TEMPO Acompanhamento e Apoio Técnico no SUAS 2005 2007 2008 NOB-SUAS Prevê a habilitação

Leia mais

PONTO 1: Contrato Individual 1. CONTRATO INDIVIDUAL. 1.1 PRINCÍPIOS, RELAÇÃO DE EMPREGO e DEFINIÇÃO

PONTO 1: Contrato Individual 1. CONTRATO INDIVIDUAL. 1.1 PRINCÍPIOS, RELAÇÃO DE EMPREGO e DEFINIÇÃO 1 DIREITO DO TRABALHO PONTO 1: Contrato Individual 1. CONTRATO INDIVIDUAL 1.1 PRINCÍPIOS, RELAÇÃO DE EMPREGO e DEFINIÇÃO Relação de emprego, conforme a CLT, é apenas para trabalhadores urbanos. Art. 7º

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL Processo PGT/CCR/REP/Nº 18369/2013

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL Processo PGT/CCR/REP/Nº 18369/2013 Câmara de Coordenação e Revisão Origem: PRT 11ª Região. Interessados: 1. Secretaria de Direitos Humanos 2. Negão e Outros Assunto: Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente. 07.01.02 Procurador

Leia mais

QUALIDADE. Avaliação positiva

QUALIDADE. Avaliação positiva EXPEDIENTE 06 QUALIDADE Ter um modelo de processos bem definido não é uma tarefa simples. Uma certificação ou avaliação que garanta a qualidade deles, menos ainda. O custo para obtê-las é alto, fato que

Leia mais

Memorias Convención Internacional de Salud Pública. Cuba Salud 2012. La Habana 3-7 de diciembre de 2012 ISBN 978-959-212-811-8

Memorias Convención Internacional de Salud Pública. Cuba Salud 2012. La Habana 3-7 de diciembre de 2012 ISBN 978-959-212-811-8 RISCOS PERCEBIDOS E VIVIDOS POR POLICIAIS CIVIS: ESTUDO COMPARATIVO EM DOIS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Autores: Patricia Constantino Centro Latino Americano de Estudos de Violência e Saúde/CLAVES/FIOCRUZ

Leia mais

CONHECER OS DIREITOS E DEVERES DOS ALUNOS

CONHECER OS DIREITOS E DEVERES DOS ALUNOS ESTATUTO DO ALUNO DIREITOS E DEVERES - LEI 39/2010, DE 2 DE SETEMBRO Artigo 7.º Responsabilidade dos alunos 1. Os alunos são responsáveis, em termos adequados à sua idade e capacidade de discernimento,

Leia mais

IMPUGNAÇÃO Nº 2. Sr. Pregoeiro, o Edital em tela conforme previsto no item 1, subitem 1.1, tem como objeto o que abaixo segue, verbis:

IMPUGNAÇÃO Nº 2. Sr. Pregoeiro, o Edital em tela conforme previsto no item 1, subitem 1.1, tem como objeto o que abaixo segue, verbis: 1 IMPUGNAÇÃO Nº 2 Considerando a apresentação, por parte da empresa LYON SERVIÇOS TERCEIRIZADOS LTDA., da IMPUGNAÇÃO AO INSTRUMENTO CONVOCATÓRIO referente ao Pregão Eletrônico nº 27/2010, cujo objeto é

Leia mais

Curso de Especialização em DIREITO PREVIDENCIÁRIO

Curso de Especialização em DIREITO PREVIDENCIÁRIO Curso de Especialização em DIREITO PREVIDENCIÁRIO ÁREA DO CONHECIMENTO: Direito. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em DIREITO PREVIDENCIÁRIO. PERFIL PROFISSIONAL: O curso

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO PREVIDENCIÁRIO

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO PREVIDENCIÁRIO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO PREVIDENCIÁRIO ÁREA DO CONHECIMENTO Direito. NOME DO CURSO Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em DIREITO PREVIDENCIÁRIO. AMPARO LEGAL E PORTARIA DO MEC

Leia mais

CADASTRO E CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS E RESPONSÁVEIS TÉCNICOS

CADASTRO E CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS E RESPONSÁVEIS TÉCNICOS ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE SERVIÇOS TÉCNICOS NORMA TÉCNICA DO CORPO DE BOMBEIROS Nº 039/2006 CADASTRO E CREDENCIAMENTO

Leia mais

ENSINO MÉDIO excelência UNICAMP, preparando também para o Vestibular!

ENSINO MÉDIO excelência UNICAMP, preparando também para o Vestibular! ENSINO MÉDIO excelência UNICAMP, preparando também para o Vestibular! 1º lugar no ENEM nos últimos 10 anos em Limeira O nosso curso atende os Parâmetros Curriculares Nacionais: busca dar significado ao

Leia mais

O Ambiente que Estimula a Formação de Equipes Fora de Série.

O Ambiente que Estimula a Formação de Equipes Fora de Série. O Ambiente que Estimula a Formação de Equipes Fora de Série. Exemplos de Equipes Fora de Série: Qual é a sua história pessoal sobre uma Equipe Fora de Série? Excelência Pessoal/ Individual Pontes Excelência

Leia mais

JOVEM HOMOSSEXUAL substituir por JOVENS GAYS, LÉSBICAS, BISSEXUAIS E TRANSGÊNEROS (GLBT) ou por JUVENTUDE E DIVERSIDADE SEXUAL

JOVEM HOMOSSEXUAL substituir por JOVENS GAYS, LÉSBICAS, BISSEXUAIS E TRANSGÊNEROS (GLBT) ou por JUVENTUDE E DIVERSIDADE SEXUAL JOVEM HOMOSSEXUAL substituir por JOVENS GAYS, LÉSBICAS, BISSEXUAIS E TRANSGÊNEROS (GLBT) ou por JUVENTUDE E DIVERSIDADE SEXUAL OBJETIVOS E METAS 1. Prover apoio psicológico, médico e social ao jovem em

Leia mais

RECOMENDAÇÃO Nº 01/2013

RECOMENDAÇÃO Nº 01/2013 RECOMENDAÇÃO Nº 01/2013 O MINISTÉRIO PÚBLICO, neste ato representado pela Promotora de Justiça da Comarca Sanclerlândia - GO, Dra. Andréia Zanon Marques Junqueira que subscreve ao final, no uso de suas

Leia mais

Tributos em espécie. Impostos, taxas, contribuições de melhoria, empréstimos compulsórios e contribuições especiais

Tributos em espécie. Impostos, taxas, contribuições de melhoria, empréstimos compulsórios e contribuições especiais Tributos em espécie Impostos, taxas, contribuições de melhoria, empréstimos compulsórios e contribuições especiais 1 Espécies tributárias Impostos Taxas De polícia De serviço Contribuição de melhoria Empréstimo

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei nº 2542, de 2007. (Do Sr. Deputado JOSÉ GENOINO)

CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei nº 2542, de 2007. (Do Sr. Deputado JOSÉ GENOINO) CÂMARA DOS DEPUTADOS Projeto de Lei nº 2542, de 2007 (Do Sr. Deputado JOSÉ GENOINO) Dispõe sobre a Atividade de Inteligência Privada, e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta

Leia mais

MODELO DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL UNIVERSITÁRIA

MODELO DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL UNIVERSITÁRIA MODELO DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL UNIVERSITÁRIA O Projeto El-Gate Portal de Cooperação Universitária Europa-América Latina (EUROPEAID/126-821/C/ACT/RAL), é uma iniciativa financiada pela União Europeia

Leia mais

Tecnologia sociais entrevista com Larissa Barros (RTS)

Tecnologia sociais entrevista com Larissa Barros (RTS) Tecnologia sociais entrevista com Larissa Barros (RTS) A capacidade de gerar tecnologia e inovação é um dos fatores que distinguem os países ricos dos países pobres. Em sua maioria, essas novas tecnologias

Leia mais

CNAS. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Secretaria Especial dos Direitos Humanos (2007-2015) 2015)

CNAS. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Secretaria Especial dos Direitos Humanos (2007-2015) 2015) Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária (2007-2015) 2015) MARCO LEGAL A CRIANÇA E O ADOLESCENTE COMO SUJEITOS DE DIREITOS

Leia mais

DEPARTAMENTO DE GENÉTICA

DEPARTAMENTO DE GENÉTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE GENÉTICA Planejamento Estratégico 2012-2016 Março de 2012 2 Planejamento Estratégico DEPARTAMENTO DE GENÉTICA 1. Missão O Departamento

Leia mais