Aquisição de Equipamentos Necessários para o Patrulhamento das Rodovias e Estradas Federais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aquisição de Equipamentos Necessários para o Patrulhamento das Rodovias e Estradas Federais"

Transcrição

1 Secretaria de Orçamento Programa 0663 SEGURANÇA NAS RODOVIAS FEDERAIS Objetivo Reduzir a incidência de acidentes de trânsito nas rodovias federais. Público Alvo Usuários das rodovias federais Ações Orçamentárias Indicador(es) Acidentes em rodovias federais Órgão(s) 30 - Ministério da Justiça 39 - Ministério dos Transportes Número de Ações Produto: Equipamento adquirido Aquisição de Equipamentos Necessários para o Patrulhamento das Rodovias e Estradas Federais Reaparelhar a Polícia Rodoviária para patrulhar eficientemente rodovias e estradas federais. Aquisição de materiais de sinalização, de fiscalização, de segurança e de comunicação a serem utilizados nas rodovias federais. Departamento de Polícia Rodoviária Levantar as necessidades de reposição e/ou de aquisição de novos equipamentos nos postos, nas delegacias e nas superintendências da Polícia Rodoviária, obedecendo a critérios de prioridade quanto à natureza dos trabalhos realizados e às suas áreas de atuação; abrir licitação e comprar material a ser destinado ao patrulhamento de rodovias e estradas federais. Lei nº 9.503/1997; Decreto nº 1.655/1995; Portaria nº 166/ Capacitação do Policial Rodoviário Produto: Policial capacitado Capacitar o quadro da Polícia Rodoviária, habilitando-o para o melhor desempenho das suas funções, em especial, aquelas voltadas ao patrulhamento ostensivo, ao socorro emergencial a acidentados e à sinalização, nas rodovias federais do País. Treinamento de pessoal, cursos de capacitação, de reciclagem e de requalificação profissional. Departamento de Polícia Rodoviária Identificar as necessidades de treinamento do corpo policial; elaborar programas e conteúdos; celebrar convênios com instituições de ensino especializadas em capacitação profissional e, posteriormente, efetivar cursos e definir sua periodicidade. S N N S Instituições de ensino. 156

2 Secretaria de Orçamento Decreto nº 2.794/ Produto: Sistema implantado Implantação do Sistema de Informações da Polícia Rodoviária Unidade de Medida: % de execução física Interligar o sistema de informações do Polícia Rodoviária a outros órgãos de segurança para checagem de veículos e pessoas. Aquisição de equipamentos e programas de informática. Departamento de Polícia Rodoviária Cumprir as etapas necessárias à implantação de sistema informatizado que interligue a Polícia Rodoviária aos demais órgãos de segurança do País, por intermédio do Sistema de Informações de Segurança - INFOSEG. Cumprir a contratação direta de empresas especializadas em redes e programas de computadores e a aquisição dos equipamentos e do mobiliário necessários à sua efetivação no mais breve tempo possível. S N N S Empresas especializadas em redes e programas de informática. Lei nº 9.503/1997; Decreto nº 1.655/ Reforma de Unidades Operacionais da Polícia Rodoviária Produto: Área reformada Unidade de Medida: m² Prover a Polícia Rodoviária de estrutura física necessária ao desempenho de suas atribuições, prestando serviços de melhor qualidade à sociedade. Melhoramento das instalações físicas das unidades da polícia rodoviária em todo o território nacional. Departamento de Polícia Rodoviária. Implementar a ação por meio do levantamento das necessidades de reforma física nas instalações das delegacias, dos postos e das superintendências da Polícia Rodoviária no território brasileiro. Cumprida essa primeira etapa, elaborar projetos, com a devida planilha de custos, que serão avaliados segundo critérios de prioridade e urgência preestabelecidos. Uma vez aprovados, implementar as etapas de obras, por meio da contratação direta, via licitação, de empresas do ramo da construção civil. Decreto nº 1.655/1995; Portaria nº 166/ Produto: Equipamento adquirido Modernização do Sistema de Telecomunicações da Polícia Rodoviária Melhorar as condições de comunicação, relativas à transmissão de dados e informações, entre as unidades operacionais da Polícia Rodoviária. 157

3 Secretaria de Orçamento Implantação de torres de comunicação e repetidoras (estações de reprodução dos sinais das torres). Departamento de Polícia Rodoviária Promover o levantamento dos pontos críticos com deficiência de comunicação entre viaturas e postos da Polícia Podoviária, em virtude de problemas técnicos ou de relevo geográfico. Identificadas essas necessidades, realizar estudos que ofereçam a solução para cada problema detectado. Elaborar projetos, levantar custos e, posteriormente, contratar diretamente empresas especializadas na área de telecomunicações que possam contribuir para os resultados esperados pelo projeto. S N N S Empresas especializadas em telecomunicações. Decreto nº 1.655/95 e Portaria nº 166/ Manutenção da Sinalização Rodoviária Produto: Sinalização mantida Unidade de Medida: km UO: DNIT Propiciar a manutenção periódica das sinalizações horizontal e vertical de toda a malha rodoviária federal, contribuindo para a segurança do tráfego. Orientação aos usuários sobre a utilização das faixas de tráfego, delimitação das pistas de rolamento e acostamentos, disciplina do uso das pistas e canalização do tráfego, melhora da segurança do tráfego, principalmente no período das chuvas, fornecimento aos usuários de informações sobre localização e distância dos diversos municípios, bem como identificação dos seus limites de jurisdição, orientação quanto às características técnicas e operacionais das rodovias e estabelecimento de limites de velocidade. Área de Engenharia Rodoviária. Elaborar, com base nos levantamentos das necessidades de sinalização das rodovias, a programação dos serviços a serem executados que poderão ser feitos por convênios ou contratos. Lei nº / Manutenção de Unidades Operacionais da Polícia Rodoviária nas Estradas Produto: Unidade operacional mantida Garantir o funcionamento das unidades operacionais da Polícia Rodoviária nas estradas e rodovias federais. Manutenção de superintendências, distritos, delegacias e postos da Polícia Rodoviária, por meio do custeio de serviços e da aquisição de materiais. Departamento de Polícia Rodoviária. Planejar a atividade com base nos relatórios de custeio de exercícios precedentes, avaliando as possíveis ampliações de estrutura e seu impacto sobre a manutenção das unidades operacionais. Repassar diretamente às unidades envolvidas os recursos necessários à plena funcionabilidade institucional dos postos, das delegacias e das superintendências, avaliando, inclusive, sua atuação estratégica dentro do território nacional. Em razão das características específicas da Polícia Rodoviária, existem, no âmbito orçamentário, duas ações de manutenção, sendo que esta visa garantir a aquisição de equipamentos, combustíveis, peças para viaturas, dentre outros. 158

4 Secretaria de Orçamento Lei nº 9.503/97 e Decreto nº 1.655/ Patrulhamento Ostensivo e Controle de Trânsito nas Rodovias e Estradas Federais Produto: Rodovia patrulhada Unidade de Medida: km Preservar a ordem do trânsito por meio de ações de fiscalização, combatendo mais eficientemente a criminalidade e prevenindo acidentes. Intensificação da presença da Polícia Rodoviária nas estradas, manutenção e abastecimento da frota do Departamento. Departamento da Polícia Rodoviária. Implementar a ação de forma direta por meio da fiscalização ostensiva em pontos críticos ou em datas estratégicas, que atenda às políticas de segurança pública no âmbito da Polícia Rodoviária. Garantir recursos para ações emergenciais, fiscalização em periodo de férias escolares, em feriados prolongados e em outras datas que atendam a situações imprevisíveis, mas de grande relevância no contexto da preservação da ordem do tráfego em rodovias e estradas federais. Inciso I, art. 20, Lei nº 9.503/1997; inciso II, art. 1º, Decreto nº 1.655/ Sistema de Informações da Polícia Rodoviária Produto: Sistema mantido Retirar de circulação veículos em situação irregular, furtados ou roubados, bem como encaminhar à Justiça foragidos, procurados e pessoas que se encontrem com pendências judiciais. Manutenção do sistema de informações da Polícia Rodoviária. Departamento de Polícia Rodoviária Implementar a ação de forma direta, por meio da liberação dos recursos necessários à manutenção física e operacional do Sistema de Informações da Polícia Rodoviária. Atuar, inclusive, na atualização permanente do banco de dados e no treinamento adequado do corpo técnico responsável por essa área. Lei nº 9.503/97 e Decreto nº 1.655/ Produto: Unidade de serviço implantada Implantação de Serviços de Informação ao Usuário nas Rodovias e Estradas Federais 159

5 Secretaria de Orçamento Esclarecer e informar usuários sobre as condições de conservação das rodovias e das estradas federais. Desenvolvimento e implantação de sistema, computacional e telefônico, contendo informações sobre o estado de conservação das rodovias e das estradas federais, disponível a qualquer cidadão. Departamento de Polícia Rodoviária Contratar, diretamente, empresas especializadas em implantação de rede e manutenção de sistemas. Destinar recursos à aquisição dos equipamentos necessários ao suporte técnico dos serviços de informação ao usuário, tais como computadores, faxes, linhas telefônicas e outros. Promover, também, treinamento adequado aos servidores que atuarão no atendimento ao público e na manutenção do banco de dados do sistema, que disponibilizará informações sobre acidentes, fluxo de tráfego, localização geográfica de postos e delegacias e sobre demais assuntos de relevância que ajudem a promover a segurança nas rodovias e nas estradas federais. S N N S Empresas especializadas em redes de comunicação. Lei nº 9.503/97 e Decreto nº 1.655/ Produto: Sistema implantado Implantação de Sistema de Monitoramento de Veículos de Policiamento Rodoviário Unidade de Medida: % de execução física Implantar sistema de monitoramento de veículo de policiamento, de modo a agilizar a recepção e a transmissão de dados via satélite. Instalação de equipamentos de comunicação via satélite em postos e viaturas operacionais da Polícia Rodoviária. Departamento de Polícia Rodoviária Financiar, de forma direta, a aquisição e a instalação de aparelhos de alta tecnologia em viaturas policiais, que modernizem o sistema de comunicação da Polícia Rodoviária com a utilização de sinais de satélite. Lei nº 9.503/1997; Decreto nº 1.655/ Sistema de Monitoramento de Veículos de Policiamento Rodoviário Produto: Sistema mantido Oferecer maior segurança nas rodovias e nas estradas federais. Pagamento das despesas com manutenção e utilização do sistema de monitoramento de veículos via satélite. Departamento de Polícia Rodoviária 160

6 Secretaria de Orçamento Destinar recursos à manutenção de equipamentos, banco de dados, redes informatizadas e outros utilizados pelo Sistema de Monitoramento de Veículos. Executar as atividades de manutenção por empresas contratadas diretamente pela Polícia Rodoviária, por tempo limitado e sob as regras de licitação pública. Lei nº 9.503/97 e Decreto nº 1.655/ Socorro a Acidentados em Rodovias Federais - SALVE Produto: Acidentado atendido Prestar atendimento emergencial às vítimas de acidentes nas rodovias federais. Aquisição de equipamentos de desencarceramento, isto é, utilizados para cortar ferragens de veículos, de equipamentos para veículos de resgate e aquisição de materiais de primeiros socorros. Departamento de Polícia Rodoviária Formar brigadas especializadas em acidentes de trânsito, adquirir equipamentos específicos para essas atividades, treinar pessoal, dentre outros, que permitam melhor desempenho dos policiais em tarefas de socorro às vítimas, no âmbito das rodovias e das estradas federais. Inciso IV, art. 20, Lei nº 9.503/97; inciso IV, art. 1º, Decreto nº 1.655/ Produto: Operação/ escolta realizada Operações Especiais com Outros Órgãos de Segurança, Comandos e Escolta de Autoridades Auxiliar no combate à criminalidade como narcotráfico, contrabando, descaminho, crimes contra a vida, o patrimônio e meio ambiente. Realização de operações policiais em pontos críticos e/ou em períodos de maior tráfego nas rodovias, notadamente feriados e férias e, ainda, escolta de autoridades. Departamento de Polícia Rodoviária Conjugar esforços com outros órgãos de segurança, no sentido de direcionar os contingentes da Polícia Rodoviária para ações emergenciais ou de grande relevância, no que diz respeito às políticas de segurança pública e, ainda, garantir o deslocamento de efetivos policiais para escolta a autoridades. Lei nº 9.503/1997; Decreto nº 1.655/ Eliminação de Pontos Críticos 161

7 Secretaria de Orçamento Produto: Ponto crítico eliminado UO: DNIT Eliminar pontos de estrangulamentos nas rodovias federais, visando reduzir significativamente a quantidade de acidentes de trânsito. Realização de obras rodoviárias direcionadas ao saneamento de pontos de estrangulamento nas rodovias federais (travessias urbanas, pontes e viadutos, construção de passarelas, interseção e acessos, retificação de curvas, recapeamento de pistas, sinalização horizontal e vertical, pavimentação de acostamentos). Delegar competência aos Distritos Rodoviários Federais, responsáveis pela obra, para que seja feita licitação para contratar empresas para elaboração dos projetos, assim como para execução das obras. Contratar empresa de supervisão, caso não seja o Distrito o supervisor dos serviços. Etapas de Projeto Ordem Etapa da Etapa Resultado Valor 0 Pontos críticos - Estudos Estudos/projetos de tráfego, topográficos, geotécnicos e de meio ambiente 1 Pontos críticos - Terraplenagem Conformação/regularização (cortes e aterros) do leito estradal 2 Pontos críticos - Pavimentação Execução do pavimento (sub-base, base e revestimento da pista) 3 Pontos críticos - Obras de arte correntes 4 Pontos críticos - Obras de arte especiais Projetos de acordo com as normas técnicas Construção da plataforma de acordo com padrões regulamentados Redução do potencial de risco Execução de obras de arte correntes Redução da gravidade do acidente Execução das fundações, das infra, meso e superestruturas das pontes, viadutos, passarelas etc. Redução da gravidade do acidente Pontos críticos - Drenagem Execução de drenagem superficial e profunda Proteção das agressões naturais decorrentes de intempéries 6 Pontos críticos - Sinalização e segurança Execução de sinalizações horizontal e vertical, de cercas e de defensas Segurança e orientação aos usuários Pontos críticos - Supervisão Acompanhamento e fiscalização dos serviços executados Total Serviços elaborados de acordo com os padrões técnicos e de qualidade definidos nos projetos Lei nº / Aquisição de Viaturas e Veículos Especiais para Patrulhamento das Rodovias e Estradas Federais Produto: Veículo adquirido Adquirir viaturas que garantam o patrulhamento ostensivo de rodovias e estradas federais. Aquisição e renovação de viaturas operacionais, de resgate e motocicletas tipo policial meses Departamento de Polícia Rodoviária Levantar as necessidades de renovação da frota de veículos, considerando sua depreciação e seu desgaste físico. Em uma segunda etapa, promover 162

8 Secretaria de Orçamento estudos referentes às novas aquisições e à sua destinação no âmbito dos postos, das delegacias e das superintendências da Polícia Rodoviária. Uma vez concluídos esses estudos, abrir licitação no intuito de promover a reposição da frota. Lei nº 9.503/1997; Decreto nº 1.655/

Extinção do Departamento Nacional de Estradas de Rodagem - DNER

Extinção do Departamento Nacional de Estradas de Rodagem - DNER Programa 0225 GESTÃO DA POLÍTICA DE TRANSPORTES Objetivo Apoiar o planejamento, avaliação e controle dos programas na área de transportes. Público Alvo Governo Ações Orçamentárias Indicador(es) Órgão(s)

Leia mais

Esfera: 10 Função: 26 - Transporte Subfunção: 782 - Transporte Rodoviário UO: 39252 - Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes - DNIT

Esfera: 10 Função: 26 - Transporte Subfunção: 782 - Transporte Rodoviário UO: 39252 - Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes - DNIT Programa 0663 Segurança Pública nas Rodovias Federais Numero de Ações 13 Ações Orçamentárias 108X Implantação de Postos de Pesagem Produto: Posto implantado Implantar um dispositivo eficiente de controle

Leia mais

Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2013

Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2013 Programa 2117 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério das Comunicações Número de Ações 18 Tipo: Operações Especiais 09HB - Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do

Leia mais

148D - Desenvolvimento e implantação do novo Sistema de Controle de Atividades Financeiras - SISCOAF II

148D - Desenvolvimento e implantação do novo Sistema de Controle de Atividades Financeiras - SISCOAF II Programa 2070 - Segurança Pública com Cidadania Número de Ações 24 Tipo: Projeto 148D - Desenvolvimento e implantação do novo Sistema de Controle de Atividades Financeiras - SISCOAF II Esfera: 10 - Orçamento

Leia mais

Esfera: 10 Função: 20 - Agricultura Subfunção: 122 - Administração Geral UO: 22101 - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Esfera: 10 Função: 20 - Agricultura Subfunção: 122 - Administração Geral UO: 22101 - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Programa 0360 Gestão da Política Agropecuária Numero de Ações 11 Ações Orçamentárias 10HD Implantação do Projeto de Melhoria da Infra-estrutura da Sede do MAPA Produto: Projeto implantado Unidade de Medida:

Leia mais

Esfera: 10 Função: 06 - Segurança Pública Subfunção: 422 - Direitos Individuais, Coletivos e Difusos UO: 30101 - Ministério da Justiça

Esfera: 10 Função: 06 - Segurança Pública Subfunção: 422 - Direitos Individuais, Coletivos e Difusos UO: 30101 - Ministério da Justiça Programa 0698 Gestão e Apoio Institucional na Área da Justiça Numero de Ações 8 Ações Orçamentárias 1B30 do Plano Nacional de Combate à Pirataria Produto: Ação implementada Esfera: 10 Função: 06 - Segurança

Leia mais

Secretaria de Logística e Transportes DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM

Secretaria de Logística e Transportes DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM Estrutura da Secretaria de Logística e Transportes Malha Rodoviária do Estado de São Paulo Data Base: outubro/2012 Pesquisa Rodoviária Principais Corredores CNT SEST/SENAT 2012 Pesquisa Rodoviária Principais

Leia mais

PROGRAMA PROREDES BIRD RS

PROGRAMA PROREDES BIRD RS PROGRAMA PROREDES BIRD RS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO EM SINALIZAÇÃO E SEGURANÇA VIÁRIA PARA FINS DE APOIO NA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE ENGENHARIA PARA O

Leia mais

Acompanhamento Psicossocial de Servidores do Departamento de Polícia Rodoviária Federal

Acompanhamento Psicossocial de Servidores do Departamento de Polícia Rodoviária Federal Programa 0663 Segurança Pública nas Rodovias Federais Ações Orçamentárias Número de Ações 18 108X0000 Implantação de Postos de Pesagem Produto: Posto implantado Unidade de Medida: unidade UO: 39252 DNIT

Leia mais

O Art. 320 do CTB e a aplicação dos recursos das multas de trânsito

O Art. 320 do CTB e a aplicação dos recursos das multas de trânsito O Art. 320 do CTB e a aplicação dos recursos das multas de trânsito Base legal - Código de Trânsito Brasileiro (CTB) Art. 320 - A receita arrecadada com a cobrança das multas de trânsito será aplicada,

Leia mais

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012 Programa 2120 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério do Desenvolvimento Agrário 00H1 - Pagamento de Pessoal Ativo da União Tipo: Operações Especiais Número de Ações 23 Garantir o pagamento de

Leia mais

PLANO DE METAS POLICIAIS 2007 SR/DPF/RJ

PLANO DE METAS POLICIAIS 2007 SR/DPF/RJ PLANO DE METAS POLICIAIS 2007 SR/DPF/RJ ITEM META JUSTIFICATIVA EXECUTOR AÇÃO 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Igualar/superar o número de IPL s instaurados e relatados em 2006. Implementar operações com realização de

Leia mais

Governador lança Patrulha Maria da Penha no Território de Paz Lomba do Pinheiro Seg, 22 de Outubro de 2012 12:28

Governador lança Patrulha Maria da Penha no Território de Paz Lomba do Pinheiro Seg, 22 de Outubro de 2012 12:28 Governador lança Patrulha Maria da Penha no Território de Paz Lomba do Pinheiro As atividades do projeto Patrulha Maria da Penha iniciaram-se neste sábado (20) no Território de Paz Lomba do Pinheiro. O

Leia mais

Esfera: 10 Função: 01 - Legislativa Subfunção: 122 - Administração Geral UO: 03101 - Tribunal de Contas da União

Esfera: 10 Função: 01 - Legislativa Subfunção: 122 - Administração Geral UO: 03101 - Tribunal de Contas da União Programa 0550 Controle Externo Numero de Ações 15 Ações Orçamentárias 09HB Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Públicos Federais

Leia mais

CONCEITOS IMPORTANTES 04/03/2013. Prof. Rodrigo Rosa - UFES 1

CONCEITOS IMPORTANTES 04/03/2013. Prof. Rodrigo Rosa - UFES 1 P R O F. D R. E N G. R O D R I G O D E A L V A R E N G A R O S A C R E A : 5. 6 3 3 - D - E S r o d r i g o r o s a @ c t. u f e s. b r C e l. : 2 7 9 9 4 1-3 3 0 0 CONCEITOS IMPORTANTES Privatização:

Leia mais

Plano Básico Ambiental - PBA. Estrada Parque Visconde de Mauá - RJ-163 / RJ-151. Novembro de 2009

Plano Básico Ambiental - PBA. Estrada Parque Visconde de Mauá - RJ-163 / RJ-151. Novembro de 2009 - PBA Estrada Parque Visconde de Mauá - RJ-163 / RJ-151 4.6 Programa de Gerenciamento de Risco e Plano de Ação de Emergências Elaborado por: SEOBRAS Data: 18/11/2009 Revisão Emissão Inicial INDÍCE 4.6

Leia mais

2121 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

2121 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Programa 2121 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Número de Ações 43 Ação Orçamentária Tipo: Operações Especiais 00IO - Inventariança do Fundo

Leia mais

Unidade de Medida: % de execução física Especificação do Produto

Unidade de Medida: % de execução física Especificação do Produto Programa 0565 - Prestação Jurisdicional do Supremo Tribunal Federal Número de Ações 13 Tipo: Operações Especiais 09HB - Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime de

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS DO PROGRAMA PAC 2 PAVIMENTAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DE VIAS URBANAS

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS DO PROGRAMA PAC 2 PAVIMENTAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DE VIAS URBANAS MINISTÉRIO DAS CIDADES SECRETARIA NACIONAL DE TRANSPORTE E DA MOBILIDADE URBANA ANEXO I MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS DO PROGRAMA PAC 2 PAVIMENTAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DE VIAS URBANAS Seleção PAC 2

Leia mais

Diretrizes para os Serviços Públicos de Saneamento Básico

Diretrizes para os Serviços Públicos de Saneamento Básico Diretrizes para os Serviços Públicos de Saneamento Básico As competências constitucionais Competência para prestação de serviços públicos locais (CF, art. 30) Compete aos Municípios:... V - organizar e

Leia mais

NOTA CONASEMS Regras para utilização dos recursos transferidos fundo a fundo

NOTA CONASEMS Regras para utilização dos recursos transferidos fundo a fundo NOTA CONASEMS Regras para utilização dos recursos transferidos fundo a fundo O Financiamento da Saúde, de acordo com a Constituição Federal de 1988, é responsabilidade das três esferas de Governo, com

Leia mais

Indicador(es) Órgão(s) 26 - Ministério da Educação

Indicador(es) Órgão(s) 26 - Ministério da Educação Programa úmero de Ações 13 1060 Brasil Alfabetizado e Educação de Jovens e Adultos Objetivo Indicador(es) Garantir acesso e permanência de jovens e adultos a programas educacionais que visam atender as

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE BOMBEIROS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL AUTONOMIA DO CORPO DE BOMBEIROS DA BRIGADA MILITAR

ASSOCIAÇÃO DE BOMBEIROS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL AUTONOMIA DO CORPO DE BOMBEIROS DA BRIGADA MILITAR ASSOCIAÇÃO DE BOMBEIROS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL AUTONOMIA DO CORPO DE BOMBEIROS DA BRIGADA MILITAR ESSÊNCIA DA ATIVIDADE DE BOMBEIRO. A profissão Bombeiro é classificada como profissão natural,

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE CONSEMAC. Câmara Setorial Permanente de Gestão de Resíduos - CSPGR PARECER Nº 03/2011

CONSELHO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE CONSEMAC. Câmara Setorial Permanente de Gestão de Resíduos - CSPGR PARECER Nº 03/2011 CONSELHO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE CONSEMAC Câmara Setorial Permanente de Gestão de Resíduos - CSPGR PARECER Nº 03/2011 Abril 2011 1 OBJETO Obrigatoriedade da utilização de misturas asfálticas com asfalto

Leia mais

OBRAS PÚBLICAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA: AÇÕES DA UNIDADE DE CONTROLE INTERNO DO PODER EXECUTIVO ESTADUAL

OBRAS PÚBLICAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA: AÇÕES DA UNIDADE DE CONTROLE INTERNO DO PODER EXECUTIVO ESTADUAL OBRAS PÚBLICAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA: AÇÕES DA UNIDADE DE CONTROLE INTERNO DO PODER EXECUTIVO ESTADUAL A Auditoria Geral do Estado constitui-se como órgão superior de controle interno no âmbito do Poder

Leia mais

1H24 - Implantação de Sistema Integrado de Gestão da Informação Jurisdicional II no Superior Tribunal de Justiça (e-jus) Unidade de Medida:

1H24 - Implantação de Sistema Integrado de Gestão da Informação Jurisdicional II no Superior Tribunal de Justiça (e-jus) Unidade de Medida: Programa 0568 - Prestação Jurisdicional no Superior Tribunal de Justiça Número de Ações 11 Tipo: Operações Especiais 09HB - Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime

Leia mais

Plano Plurianual - Sec. Mun. de Saúde (art. 165, 1º da Constituição Federal )

Plano Plurianual - Sec. Mun. de Saúde (art. 165, 1º da Constituição Federal ) PROGRAMA : ADMINISTRAÇÃO GERAL OBJETIVO : Manter as atividades administrativas e operacionais dos órgãos para melhoria da prestação de serviços ao público 44.467.000,00 Manutenção das Atividades Administrativas

Leia mais

Tabela AVP 27. Investimentos rodoviários aplicados no programa PRODETUR/CE I Projetos e Obras

Tabela AVP 27. Investimentos rodoviários aplicados no programa PRODETUR/CE I Projetos e Obras Fonte: SETUR/2001 Figura AVP 12. Mapa de rodovias do PRODETUR/CE I O conjunto de trechos de rodovias que foi beneficiado pelo PRODETUR/CE I perfaz um total de aproximadamente 252,86 quilômetros com investimentos

Leia mais

Integração dos Órgãos Municipais ao Sistema Nacional de Trânsito

Integração dos Órgãos Municipais ao Sistema Nacional de Trânsito 1º Seminário para a Municipalização do Trânsito Integração dos Órgãos Municipais ao Sistema Nacional de Trânsito SÉRGIO LUIZ PEROTTO Especialista em direito de trânsito Consultor de trânsito e mobilidade

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL CONCESSIONÁRIA: RODOVIA: TRECHO: EXTENSÃO: BR-290/RS & BR-116/RS 121,00 KM PORTO ALEGRE RS CONCEPA OSÓRIO PORTO ALEGRE - GUAÍBA

RELATÓRIO MENSAL CONCESSIONÁRIA: RODOVIA: TRECHO: EXTENSÃO: BR-290/RS & BR-116/RS 121,00 KM PORTO ALEGRE RS CONCEPA OSÓRIO PORTO ALEGRE - GUAÍBA RELATÓRIO MENSAL CONCESSIONÁRIA: RODOVIA: TRECHO: EXTENSÃO: CONCEPA BR-290/RS & BR-116/RS OSÓRIO PORTO ALEGRE - GUAÍBA 121,00 KM PORTO ALEGRE RS DEZEMBRO DE 2015 ÍNDICE ITEM DESCRIÇÃO PÁGINA 1. Informações

Leia mais

Base Legal da Ação Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990 e Lei nº 9.717, de 27 de novembro de 1998.

Base Legal da Ação Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990 e Lei nº 9.717, de 27 de novembro de 1998. 0089 - Previdência de Inativos e Pensionistas da União 0181 - Pagamento de Aposentadorias e Pensões - Servidores Civis Tipo: Operações Especiais Número de Ações 1 Pagamento de proventos oriundos de direito

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Faixa de Domínio, linhas físicas de telecomunicações, cabos metálicos e fibras ópticas.

PALAVRAS-CHAVE: Faixa de Domínio, linhas físicas de telecomunicações, cabos metálicos e fibras ópticas. fls. 1/6 ÓRGÃO: MANUAL: DIRETORIA DE ENGENHARIA ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para implantação de Linhas Físicas de Telecomunicações, com Cabos Metálicos e com Fibras Ópticas. PALAVRAS-CHAVE:

Leia mais

A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 734/2012- PGJ, 27 DE ABRIL DE 2012 (Protocolado nº 59.120/12)

A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 734/2012- PGJ, 27 DE ABRIL DE 2012 (Protocolado nº 59.120/12) A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 734/2012- PGJ, 27 DE ABRIL DE 2012 (Protocolado nº 59.120/12) Revogado pelo Ato (N) nº 970/2016 PGJ, de 28 de junho de 2016. Institui a Coordenadoria

Leia mais

DECRETO Nº - 8.614, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2015

DECRETO Nº - 8.614, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2015 DECRETO Nº - 8.614, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2015 Regulamenta a Lei Complementar nº 121, de 9 de fevereiro de 2006, para instituir a Política Nacional de Repressão ao Furto e Roubo de Veículos e Cargas e para

Leia mais

Experiência TRANSPORTE DE TRABALHADORES RURAIS Parceria para uma Nova Realidade

Experiência TRANSPORTE DE TRABALHADORES RURAIS Parceria para uma Nova Realidade 1 Experiência TRANSPORTE DE TRABALHADORES RURAIS Parceria para uma Nova Realidade Instituição: Delegacia Regional do Trabalho em Goiás Responsável: Delegada Regional do Trabalho em Goiás: Odessa Martins

Leia mais

VALEC POLÍTICA AMBIENTAL. Título: POLÍTICA AMBIENTAL Identificador: POL 5.03.01.16-001. Proponente: DIPLAN. Folha: 1 / 12.

VALEC POLÍTICA AMBIENTAL. Título: POLÍTICA AMBIENTAL Identificador: POL 5.03.01.16-001. Proponente: DIPLAN. Folha: 1 / 12. POL 5.3.1.16-1 1 / 12 POL 5.3.1.16-1 2 / 12 POL 5.3.1.16-1 3 / 12 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 4 2. DA VALEC S.A.... 6 3. OBJETIVOS PROPOSTOS E METAS PARA O PRIMEIRO ANO... 7 4. NORMAS AMBIENTAIS PROPOSTAS...

Leia mais

LEI Nº 657/2013 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

LEI Nº 657/2013 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI Nº 657/2013 Autor: Poder Executivo. SÚMULA: Dispõe sobre as Diretrizes Orçamentárias para o exercício financeiro de 2014, e dá outras providências. A Câmara Municipal de Boa Esperança, Estado do Paraná,

Leia mais

Artigo 3º São objetivos secundários da FEPE:

Artigo 3º São objetivos secundários da FEPE: 1 REGIMENTO DA FAZENDA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO-FEPE ELABORADO DE ACORDO COM A RESOLUÇÃO UNESP-59, DE 14-11-2008, RESOLUÇÃO UNESP-40, DE 11-10-2011 E PORTARIA UNESP-469, DE 25-7- 2012 Do Conceito

Leia mais

Fomento a Projetos Culturais na Área do Livro e da Leitura

Fomento a Projetos Culturais na Área do Livro e da Leitura Programa 0168 LIVRO ABERTO Objetivo Estimular o hábito da leitura, facilitando o acesso às bibliotecas públicas e propiciar a difusão do conhecimento científico, acadêmico e literário. Indicador(es) Taxa

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL 18ª SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO MARANHÃO RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2011

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL 18ª SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO MARANHÃO RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2011 RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2011 SÃO LUÍS/MA MARÇO/2012 RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2011 RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2011 APRESENTADO AOS ÓRGÃOS DE CONTROLE INTERNO E EXTERNO COMO

Leia mais

Estudos para Reorganização do Setor Elétrico

Estudos para Reorganização do Setor Elétrico Programa 0276 Gestão da Política de Energia Objetivo Apoiar o planejamento, avaliação e controle dos programas na área de energia. Público Alvo Governo Ações Orçamentárias Indicador(es) Órgão(s) 32 - Ministério

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador. Sub-E I X O 4-4ª C N S T

Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador. Sub-E I X O 4-4ª C N S T Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador PLANEJAMENTO DO SUS Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador FINANCIAMENTO DA

Leia mais

LEI Nº 384/2010. A Câmara Municipal de Boa Esperança, Estado do Paraná, aprova e eu, CLAUDIO GOTARDO, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte LEI:

LEI Nº 384/2010. A Câmara Municipal de Boa Esperança, Estado do Paraná, aprova e eu, CLAUDIO GOTARDO, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte LEI: LEI Nº 384/2010 SÚMULA: DISPÕE SOBRE AS DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DA LEI ORÇAMENTÁRIA DO MUNICÍPIO DE BOA ESPERANÇA, ESTADO DO PARANÁ, PARA O EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2011, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº DE DE DE 2012

RESOLUÇÃO Nº DE DE DE 2012 RESOLUÇÃO Nº DE DE DE 2012 Estabelece os padrões e critérios para a instalação de ondulações transversais (lombadas físicas) em vias públicas, disciplinadas pelo Parágrafo único do art. 94 do Código de

Leia mais

ANEXO V MODELO DE CARTA-CONSULTA. Estimativa do nº de usuários a serem beneficiados na área de intervenção: habitantes

ANEXO V MODELO DE CARTA-CONSULTA. Estimativa do nº de usuários a serem beneficiados na área de intervenção: habitantes Informações sobre o Município beneficiado ANEXO V MODELO DE CARTA-CONSULTA Município Beneficiado: População Beneficiada Estimativa do nº de usuários a serem beneficiados na área de intervenção: habitantes

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 182/2013 A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECRETA:

PROJETO DE LEI Nº 182/2013 A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECRETA: PROJETO DE LEI Nº 182/2013 Altera o Quadro Permanente de Pessoal da Assembleia Legislativa do Estado do Espírito Santo, com a criação, transformação e a extinção de cargos efetivos e comissionados. A ASSEMBLEIA

Leia mais

2ª etapa. Discussão aprofundada de cada uma das propostas aprovadas para o Plano no 7º Fórum de Saneamento. Grupos de Trabalho

2ª etapa. Discussão aprofundada de cada uma das propostas aprovadas para o Plano no 7º Fórum de Saneamento. Grupos de Trabalho 7º Fórum de Saneamento e Meio Ambiente Grupos de Trabalho As propostas aprovadas são entendidas como desejos dos usuários que devem ser transformadas em diretrizes de gestão. Grupos de Trabalho 2ª etapa

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PROJETO EXECUTIVO DE ENGENHARIA DE DUPLICAÇÃO, RESTAURAÇÃO E MELHORAMENTOS DA RODOVIA BR-381/MG

ELABORAÇÃO DE PROJETO EXECUTIVO DE ENGENHARIA DE DUPLICAÇÃO, RESTAURAÇÃO E MELHORAMENTOS DA RODOVIA BR-381/MG DNIT - SREMG João Monlevade - 28/06/2012 ELABORAÇÃO DE PROJETO EXECUTIVO DE ENGENHARIA DE DUPLICAÇÃO, RESTAURAÇÃO E MELHORAMENTOS DA RODOVIA BR-381/MG RODOVIA: BR-381MG TRECHO: DIVISA ES/MG - DIV. MG/SP

Leia mais

MA160.MA.77/RT.001 3.18. PROGRAMA DE ATENDIMENTO MÉDICO SANITÁRIO PARA A POPULAÇÃO RESIDENTE NA AID

MA160.MA.77/RT.001 3.18. PROGRAMA DE ATENDIMENTO MÉDICO SANITÁRIO PARA A POPULAÇÃO RESIDENTE NA AID 3.18. PROGRAMA DE ATENDIMENTO MÉDICO SANITÁRIO PARA A POPULAÇÃO RESIDENTE NA AID 3.18.1. Introdução O quadro de saúde da região da área de influência direta do empreendimento traduzido pelas condições

Leia mais

2122 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

2122 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Programa 2122 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Número de Ações 13 00M1 - Benefícios Assistenciais decorrentes do Auxílio-Funeral e Natalidade Tipo:

Leia mais

11E6 - Implantação de Sistema Integrado de Gestão da Informação Jurisdicional no Poder Judiciário (e-jus) Unidade de Medida:

11E6 - Implantação de Sistema Integrado de Gestão da Informação Jurisdicional no Poder Judiciário (e-jus) Unidade de Medida: Programa 1389 - Controle da Atuação Administrativa e Financeira no Poder Judiciário Número de Ações 12 Tipo: Operações Especiais 09HB - Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio

Leia mais

A Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, Estado do Paraná, aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei:

A Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, Estado do Paraná, aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 3.477 DATA: 14 de agosto de 2008. SÚMULA: Altera e acresce dispositivos da Lei nº 3.025, de 18 de janeiro de 2005, alterada pela Lei nº 3.264, de 19 de setembro de 2006, que Dispõe sobre a reestruturação

Leia mais

Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Públicos Federais

Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Públicos Federais Programa 0391 Mineração e Desenvolvimento Sustentável Objetivo Promover o desenvolvimento da produção mineral do País Indicador(es) úmero de Ações 15 úmero-índice da Produção Mineral úmero-índice de Pessoal

Leia mais

Relatório de atividades 2011-2012 Núcleo de Gênero Pró-Mulher

Relatório de atividades 2011-2012 Núcleo de Gênero Pró-Mulher MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Ministério Público do Distrito Federal e Territórios Coordenação dos Núcleos de Direitos Humanos - CNDH Núcleo de Gênero Pró-Mulher Relatório de atividades 2011-2012 Núcleo

Leia mais

ATO PGJ N.º 230/2010

ATO PGJ N.º 230/2010 ATO PGJ N.º 230/2010 REGULAMENTA AS ATRIBUIÇÕES DA ASSESSORIA DE SEGURANÇA INSTITUCIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO AMAZONAS. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS, no uso de suas

Leia mais

META 01 do CNJ para 2011 CRIAR UNIDADE DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS NOS TRIBUNAIS PARA AUXILIAR A IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA.

META 01 do CNJ para 2011 CRIAR UNIDADE DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS NOS TRIBUNAIS PARA AUXILIAR A IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA. META 01 do CNJ para 2011 CRIAR UNIDADE DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS NOS TRIBUNAIS PARA AUXILIAR A IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA. PROJETOS ESTRATÉGICOS A carteira de Projetos Estratégicos do Tribunal

Leia mais

LEI Nº 6559 DE 16 DE OUTUBRO DE 2013. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL DO IDOSO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

LEI Nº 6559 DE 16 DE OUTUBRO DE 2013. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL DO IDOSO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 6559 DE 16 DE OUTUBRO DE 2013. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL DO IDOSO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de

Leia mais

A seguir são apresentadas as etapas metodológicas da Pesquisa CNT de Rodovias.

A seguir são apresentadas as etapas metodológicas da Pesquisa CNT de Rodovias. Metodologia A Pesquisa CNT de Rodovias propõe-se a avaliar a situação das rodovias brasileiras a partir da perspectiva dos usuários da via. As características - pavimento, sinalização e geometria - são

Leia mais

MUNICÍPIO DE CRUZEIRO DO SUL - ACRE GABINETE DO PREFEITO. ANEXO I (Lei n 513, de 22/10/2009 - Diretrizes Orçamentárias 2010)

MUNICÍPIO DE CRUZEIRO DO SUL - ACRE GABINETE DO PREFEITO. ANEXO I (Lei n 513, de 22/10/2009 - Diretrizes Orçamentárias 2010) Pág. 1 de 7 ANEXO I (Lei n 513, de 22/10/2009 - Diretrizes Orçamentárias 2010) PRIORIDADES E METAS PARA 2010 PODER LEGISLATIVO AÇÃO LEGISLATIVA - Dar apoio administrativo e garantir a manutenção das ações,

Leia mais

TEXTO 4. 2. Realizar o planejamento das ações do Programa, definir as ações a serem executadas e as

TEXTO 4. 2. Realizar o planejamento das ações do Programa, definir as ações a serem executadas e as TEXTO 4 PROGRAMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DO ACESSO AO MUNDO DO TRABALHO - ACESSUAS TRABALHO GESTÃO. No texto anterior vimos o fluxo do ACESSUAS TRABALHO a partir se seus três eixos de ação: articulação, mobilização

Leia mais

PROJETO DE REFORMA, AMPLIAÇÃO E ADAPTAÇÃO DE INFRA-ESTRUTURA FÍSICA NO 2º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR

PROJETO DE REFORMA, AMPLIAÇÃO E ADAPTAÇÃO DE INFRA-ESTRUTURA FÍSICA NO 2º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR Governo do Estado do Amapá Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública PROJETO DE REFORMA, AMPLIAÇÃO E ADAPTAÇÃO DE INFRA-ESTRUTURA FÍSICA NO 2º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR SET/2008 1. APRESENTAÇÃO

Leia mais

De acordo com o nível de Governo, os órgãos rodoviários classificam-se em: Federais, Estaduais e Municipais.

De acordo com o nível de Governo, os órgãos rodoviários classificam-se em: Federais, Estaduais e Municipais. 2. A ORGANIZAÇÃO RODOVIÁRIA De acordo com o nível de Governo, os órgãos rodoviários classificam-se em: Federais, Estaduais e Municipais. Esfera Federal de Governo DNIT - Departamento Nacional de Infra-estrutura

Leia mais

METAS PROAD. META: Aumentar a frota dos veículos oficiais em função da expansão da Universidade e conseqüentes demandas por diversos serviços.

METAS PROAD. META: Aumentar a frota dos veículos oficiais em função da expansão da Universidade e conseqüentes demandas por diversos serviços. 1 de 9 30/09/2011 16:41 Metas para o PDI 2011-2020 UNIRIO Imprimir Dados Institucionais Unidade Organizacional: Pró-Reitoria de Administração Nome do responsável pelo preenchimento: Núria Mendes Sánchez

Leia mais

Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente

Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente p Relatório Consulta Pública Região Nordeste Oficinas 334 pessoas se credenciaram para participar das oficinas na cidade de Pedro Afonso. Foi solicitado à elas que elencassem as demandas e problemas regionais.

Leia mais

Considerando a necessidade da observação e análise permanente da situação de saúde da população:

Considerando a necessidade da observação e análise permanente da situação de saúde da população: REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Estado do Rio de Janeiro PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAPIMIRIM GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 901 de 04 de Agosto de 2011. ESTRUTURA E ATRIBUI O DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO EDITAL 016/2010 - PROJETO BRA/06/032 CÓDIGO: ALTO IMPACTO O Projeto BRA/06/032 comunica que

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE TRÂNSITO

POLÍTICA NACIONAL DE TRÂNSITO POLÍTICA NACIONAL DE TRÂNSITO INTRODUÇÃO A Associação Brasileira de Pedestres ABRASPE apresenta aqui sua sugestão para revisão do texto original de Política Nacional de Trânsito apresentado pelo Departamento

Leia mais

Apresentada operação de segurança para o Carnaval da Bahia 2016 Com a presença do governador Rui Costa e demais autoridades, foi apresentada, nesta

Apresentada operação de segurança para o Carnaval da Bahia 2016 Com a presença do governador Rui Costa e demais autoridades, foi apresentada, nesta Apresentada operação de segurança para o Carnaval da Bahia 2016 Com a presença do governador Rui Costa e demais autoridades, foi apresentada, nesta quarta-feira (27), no Hotel Fiesta, em Salvador, a operação

Leia mais

Relatório Sintético do Levantamento de Auditoria/ 2006

Relatório Sintético do Levantamento de Auditoria/ 2006 Relatório Sintético do Levantamento de Auditoria/ 2006 IDENTIFICAÇÃO DA OBRA Caracterização da obra Processo: 2662/2006-4 Ano Orçamento: 2006 UF: AM Nome do PT: OBRAS RODOVIARIAS EMERGENCIAIS (CREDITO

Leia mais

ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E METAS

ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E METAS ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E S 31 MATRIZ DE INDICADORES e S Indicador 1 - Visão Visão: Ser reconhecido como um dos 10 Regionais mais céleres e eficientes na prestação jurisdicional, sendo considerado

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 18 DE 21 DE MAIO DE 2013.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 18 DE 21 DE MAIO DE 2013. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 18 DE 21 DE MAIO DE 2013. Dispõe sobre a destinação de recursos financeiros, nos moldes operacionais

Leia mais

L E I Nº 6.816, DE 25 DE JANEIRO DE 2006.

L E I Nº 6.816, DE 25 DE JANEIRO DE 2006. L E I Nº 6.816, DE 25 DE JANEIRO DE 2006. Dispõe sobre a reestruturação organizacional da Secretaria Executiva de Estado de Obras Públicas - SEOP e dá outras providências. A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BENEFÍCIOS DE ASSISTÊNCIA 24H DA SOMATTO

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BENEFÍCIOS DE ASSISTÊNCIA 24H DA SOMATTO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BENEFÍCIOS DE ASSISTÊNCIA 24H DA SOMATTO ÂMBITO TERRITORIAL Os serviços de assistência serão prestados ao associado, em todo Território Brasileiro, conforme limitações estipuladas

Leia mais

DER/PR ES-T 03/05 TERRAPLENAGEM: EMPRÉSTIMOS

DER/PR ES-T 03/05 TERRAPLENAGEM: EMPRÉSTIMOS TERRAPLENAGEM: EMPRÉSTIMOS Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Paraná - DER/PR Avenida Iguaçu 420 CEP 80230 902 Curitiba Paraná Fone (41) 3304 8000 Fax (41) 3304 8130 www.pr.gov.br/derpr Especificações

Leia mais

PEDRANÓPOLIS. OBRAS E AÇÕES - Gestão 2007-2010 R$ 9.186.200,00

PEDRANÓPOLIS. OBRAS E AÇÕES - Gestão 2007-2010 R$ 9.186.200,00 PEDRANÓPOLIS OBRAS E AÇÕES - Gestão 2007-2010 R$ 9.186.200,00 AGRICULTURA: Distribuição de leite: distribuídos 81.267 litros de leite, no período de Jan/2007 a Dez/2008 Custo: R$ 100 mil, beneficiando

Leia mais

ÍNDICE. 3.6.9.2.5 - Programa de Segurança no Trânsito e Mobilidade Urbana... 1/9. 2517-00-EIA-RL-0001-02 Março de 2014 Rev. nº 01

ÍNDICE. 3.6.9.2.5 - Programa de Segurança no Trânsito e Mobilidade Urbana... 1/9. 2517-00-EIA-RL-0001-02 Março de 2014 Rev. nº 01 2517-00-EIA-RL-0001-02 Março de 2014 Rev. nº 01 LT 500 KV MANAUS BOA VISTA E SUBESTAÇÕES ASSOCIADAS ÍNDICE... 1/9 Índice 1/1 2517-00-EIA-RL-0001-02 LT 500 KV MANAUS BOA VISTA E SUBESTAÇÕES ASSOCIADAS

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RISCO ESTUDO DE CASO: GASODUTO PILAR-IPOJUCA. IPOJUCA. Prof. Eduardo Lucena C. de Amorim

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RISCO ESTUDO DE CASO: GASODUTO PILAR-IPOJUCA. IPOJUCA. Prof. Eduardo Lucena C. de Amorim PLANO DE GERENCIAMENTO DE RISCO ESTUDO DE CASO: GASODUTO PILAR-IPOJUCA. IPOJUCA. Prof. Eduardo Lucena C. de Amorim Dutos Onshore Gasoduto Pilar - Ipojuca 2 Gasoduto Pilar - Ipojuca Este duto tem origem

Leia mais

MUNICÍPIO DE MORRINHOS Estado de Goiás

MUNICÍPIO DE MORRINHOS Estado de Goiás LEI Nº 2.560, DE 23 DE OUTUBRO DE 2009. CERTIDÃO Certifico e dou fé que esta Lei foi publicada no placard do Município no dia- / / Autoriza o Poder Executivo Municipal a celebrar Termo de Mútua Cooperação

Leia mais

Verificação do Cumprimento e Avaliação dos Indicadores do Compromisso Nacional para Aperfeiçoar as Condições de Trabalho na Indústria da Construção

Verificação do Cumprimento e Avaliação dos Indicadores do Compromisso Nacional para Aperfeiçoar as Condições de Trabalho na Indústria da Construção Verificação do Cumprimento e Avaliação dos Indicadores do Compromisso Nacional para Aperfeiçoar as Condições de Trabalho na Indústria da Construção JUSTIFICATIVA O método de verificação e avaliação dos

Leia mais

Cooperação Técnica para Modernização dos Serviços Relativos à Propriedade Industrial

Cooperação Técnica para Modernização dos Serviços Relativos à Propriedade Industrial Programa 0393 Propriedade Intelectual Objetivo Garantir a propriedade intelectual e promover a disseminação de informações, visando estimular e diversificar a produção e o surgimento de novas tecnologias.

Leia mais

II criação e fortalecimento de redes sociais e comunitárias;

II criação e fortalecimento de redes sociais e comunitárias; LEI 11.530, DE 24 DE OUTUBRO DE 2007 Institui o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania PRONASCI e dá outras providências. * V. Portaria MJ 1.411/2007 (Instrumentos de cooperação federativa

Leia mais

Principais Serviços. Projeto. Supervisão e Gerenciamento

Principais Serviços. Projeto. Supervisão e Gerenciamento A Empresa Engespro é uma empresa de engenharia consultiva criada há 30 anos, pelo Engenheiro Civil Jeronymo Pacheco Pereira que com grande força empreendedora vislumbrou oportunidades de mercado fundando

Leia mais

META NACIONAL 15: garantir, em regime de colaboração entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, no prazo de 1 (um) ano de vigência deste PNE, política nacional de formação dos profissionais

Leia mais

Articulação e operacionalização do sistema de alerta de cheias da Bacia Hidrográfica do rio Itajaí

Articulação e operacionalização do sistema de alerta de cheias da Bacia Hidrográfica do rio Itajaí Articulação e operacionalização do sistema de alerta de cheias da Bacia Hidrográfica do rio Itajaí Competências dos atores intervenientes Dra. Noemia Bohn (FURB) Lei nº 9.433/97 Política Nacional de Recursos

Leia mais

Art. 2º. Fazer publicar esta Portaria em Boletim de Serviço, revogando-se a Portaria 577/05-R, de 05 de dezembro de 2005.

Art. 2º. Fazer publicar esta Portaria em Boletim de Serviço, revogando-se a Portaria 577/05-R, de 05 de dezembro de 2005. PORTARIA 328/R-06 DE 22 DE JUNHO DE 2006. O REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso da competência que lhe foi atribuída pelo artigo 39, inciso XX, do Regimento Geral da UFRN; CONSIDERANDO

Leia mais

PARECER Nº 010/09 I INTRODUÇÃO

PARECER Nº 010/09 I INTRODUÇÃO 1 PROCESSO Nº: 125416209 INTERESSADO: Superintendência Municipal de Trânsito de Jataí ASSUNTO: Legalidade do Estacionamento de viaturas Policiais sobre passeios e calçadas. PARECER Nº 010/09 I INTRODUÇÃO

Leia mais

Faixa de Domínio Solicitação para adequação/regularização de acesso

Faixa de Domínio Solicitação para adequação/regularização de acesso Faixa de Domínio Solicitação para adequação/regularização de acesso Nos termos do Contrato de Concessão, bem como dos regulamentos administrativos impostos pelo Poder Concedente, compete à ECO101 Concessionária

Leia mais

Estudo de Viabilidade de PPP Sistema Rodoviário BR-116/BR-324/BA. Volúmen IV - Avaliação Econômica. Março 2006. (Consultant logo here)

Estudo de Viabilidade de PPP Sistema Rodoviário BR-116/BR-324/BA. Volúmen IV - Avaliação Econômica. Março 2006. (Consultant logo here) Estudo de Viabilidade de PPP Sistema Rodoviário BR-116/BR-324/BA Volúmen IV - Avaliação Econômica Março 2006 (Consultant logo here) TOMO 02 RESTAURAÇÃO E MANUTENÇÃO Índice Página Glossário 02 Seção 01

Leia mais

RELATÓRIO SINTÉTICO DAS ATIVIDADES DE AUDITORIA BIÊNIO: FEVEREIRO/2011 A JANEIRO/2013

RELATÓRIO SINTÉTICO DAS ATIVIDADES DE AUDITORIA BIÊNIO: FEVEREIRO/2011 A JANEIRO/2013 ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO CEARÁ Auditoria Administrativa de Controle Interno RELATÓRIO SINTÉTICO DAS ATIVIDADES DE AUDITORIA BIÊNIO: FEVEREIRO/2011 A JANEIRO/2013

Leia mais

Construção de Navios-Patrulha Oceânicos. Desenvolvimento de Míssil Nacional Antinavio

Construção de Navios-Patrulha Oceânicos. Desenvolvimento de Míssil Nacional Antinavio Programa 0626 Reaparelhamento e Adequação da Marinha do Brasil Ações Orçamentárias Número de Ações 16 1N470000 Construção de Navios-Patrulha Oceânicos Produto: Navio construído Unidade de Medida: unidade

Leia mais

DPF ROBERTO ALZIR DIAS CHAVES

DPF ROBERTO ALZIR DIAS CHAVES DPF ROBERTO ALZIR DIAS CHAVES SUBSECRETÁRIO EXTRAORDINÁRIO DE GRANDES EVENTOS SSEGEV@SEGURANCA.RJ.GOV.BR SEGURANÇA DOS JOGOS OLÍMPICOS MISSÃO Garantir a segurança dos Jogos, sob a liderança do Governo

Leia mais

1. DA AUTORIZAÇÃO 2. DO OBJETO

1. DA AUTORIZAÇÃO 2. DO OBJETO MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES SECRETARIA DE INCLUSÃO DIGITAL AVISO DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 02, DE 4 DE OUTUBRO DE 2012 PROGRAMA COMPUTADORES PARA INCLUSÃO A União, por intermédio da Secretaria de Inclusão

Leia mais

FÓRUM TEMÁTICO DE SEGURANÇA PÚBLICA

FÓRUM TEMÁTICO DE SEGURANÇA PÚBLICA FÓRUM TEMÁTICO DE SEGURANÇA PÚBLICA HISTÓRICO O Serviço de bombeiros em Santa Maria, é originário da Estação de Bombeiros de Santa Maria, criada em 16 Mar 1955 e instalada provisoriamente nas dependências

Leia mais

PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE SAÚDE - "A SANTA MARIA QUE QUEREMOS"

PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE SAÚDE - A SANTA MARIA QUE QUEREMOS 1 - Apoiar a construção coletiva e implementação do Plano Realizar a Conferência com uma ampla participação da comunidade Conferência Municipal de Saúde Conferência realizada PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES

Leia mais

NR 30. Segurança e Saúde no trabalho AQUAVIÁRIO. Segurança do trabalho. Prof: Ivanildo silva. Técnicos envolvidos: -Edson Rodrigo. -Oldair.

NR 30. Segurança e Saúde no trabalho AQUAVIÁRIO. Segurança do trabalho. Prof: Ivanildo silva. Técnicos envolvidos: -Edson Rodrigo. -Oldair. Escola Vital Segurança e Saúde no trabalho AQUAVIÁRIO Segurança do trabalho. NR 30 Prof: Ivanildo silva Técnicos envolvidos: TST2N -Edson Rodrigo -Oldair -Carlos -Giovane Emidio NR 30 Trabalho AQUAVIÁRIO.

Leia mais

ESPÍRITO SANTO DO TURVO OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2011-2014

ESPÍRITO SANTO DO TURVO OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2011-2014 DESENVOLVIMENTO SOCIAL: ESPÍRITO SANTO DO TURVO OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2011-2014 celebrado 1 convênio com a Prefeitura para atendimento a 50 idosos e 50 famílias R$ 14 mil. Programa Renda Cidadã estão sendo

Leia mais

Método utiliza blocos de EPS no aterro de viaduto em Jundiaí, interior de São Paulo

Método utiliza blocos de EPS no aterro de viaduto em Jundiaí, interior de São Paulo Método utiliza blocos de EPS no aterro de viaduto em Jundiaí, interior de São Paulo Em substituição ao aterro feito com terra, tecnologia está sendo executada pela Rota das Bandeiras, empresa do grupo

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA RODOVIA BR-381/MG

AUDIÊNCIA PÚBLICA RODOVIA BR-381/MG - SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MINAS GERAIS AUDIÊNCIA PÚBLICA RODOVIA BR-381/MG - SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MINAS GERAIS PROJETO EXECUTIVO DE DUPLICAÇÃO, RESTAURAÇÃO E MELHORAMENTOS

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ISO 9001 - UMA ESTRATÉGIA PARA ALAVANCAR A GESTÃO OPERACIONAL NA ELETRONORTE

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ISO 9001 - UMA ESTRATÉGIA PARA ALAVANCAR A GESTÃO OPERACIONAL NA ELETRONORTE SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GOP - 23 16 a 21 Outubro de 2005 Curitiba - Paraná GRUPO IX GRUPO DE OPERAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS - GOP ISO 9001 - UMA ESTRATÉGIA

Leia mais

SAU SERVIÇOS DE ATENDIMENTO A USUÁRIOS. Outubro/2008

SAU SERVIÇOS DE ATENDIMENTO A USUÁRIOS. Outubro/2008 SAU SERVIÇOS DE ATENDIMENTO A USUÁRIOS Outubro/2008 O QUE É O SAU? SERVIÇOS DE ATENDIMENTO A USUÁRIOS PROJETO PILOTO ABRANGENDO 421,2 KM DE TRECHOS DAS RODOVIAS FEDERAIS BR-040, BR- 060 E BR-153, NO DISTRITO

Leia mais