EXMO. SR. PRESIDENTE DO INSTITUTO DOS ADVOGADOS BRASILEIROS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EXMO. SR. PRESIDENTE DO INSTITUTO DOS ADVOGADOS BRASILEIROS"

Transcrição

1 EXMO. SR. PRESIDENTE DO INSTITUTO DOS ADVOGADOS BRASILEIROS Ref. Indicação n. 107/2006 Assunto: projeto de Lei 7.404/96 Autor do Parecer: Membro da Comissão Permanente de Direito Constitucional Dra Leila Maria Bittencourt da Silva Ementa do PARECER: projeto de Lei 7.404/06 deve ser rejeitado por inconstitucionalidade, além de ferir normas elementares inerentes à prestação do serviço público essencial, assim como inviabiliza as reivindicações justas de melhoria de condições para os profissionais em questão, além de inconstitucional proposta de relação de trabalho sem anotação de carteira para os ativos da segurança pública. É o RELATÓRIO O projeto de Lei 7.404/06 autoriza que os integrantes dos órgãos de segurança pública estadual e das guardas municipais exerçam.atividades de segurança privada. O projeto foi apensado aos projetos de Leis números: 6572/2006,4305/2004 e O projeto em discussão, além disso, isenta o empregador privado de efetuar o registro em carteira de trabalho e exclui o trabalhador dos exames psicotécnico, físico e de saúde, se integrantes da segurança pública que estiverem na ativa. Na exposição de motivos alega o autor do projeto alega a necessidade destes profissionais de buscarem uma vida digna para a família e pelo fato de que a lei viria reconhecer uma situação de fato já existente, isto é de que policiais e guardas municipais trabalham em segurança privada.

2 Éo PARECER A Declaração Universal dos Direitos do homem, no art. 3 diz que todo indivíduo tem direito à segurança de sua pessoa" e o art,. 7 que "todos tem direito de serem protegidos". Segurança é um dos mais elementares direitos fundamentais do homem. Mas é de cada um e de todos, assim como é simultaneamente bem individual e bem coletivo. A polícia existe para garantir a segurança endógena do Estado. A cláusula geral segurança pública é da tradição do direito policial europeu, inclusive o alemão, que prossegue nas leis policiais modernas. Mas há a doutrina que consagra a segurança pública como meio para preservação da ordem pública. Segurança pública não se confunde com segurança privada embora em muitos países funções de segurança pública possam ser confiadas às empresas privadas de segurança, especialmente nos domínios da vigilância. Portugal, Suécia e Alemanha são países com maior número de seguranças privados por habitantes, rondando 635. Em 1993 na França havia cerca de pessoas em exercício de segurança privada e cerca de detetives privados rivalizando com o das forças policiais., Os agentes públicos do pessoal militar, que incluem Polícias Militares e Corpo de Bombeiros, são disciplinados em estatuto próprio de cada unidade da federação e no couber em Lei federal sobre Agentes Militares federais, com diversas alterações em outras leis. O mesmo ocorre com os policiais civis, bem como os guardas municipais, mas todos submetidos aos dispositivos constitucionais do art. 142 e 144, bem como as regras especiais referentes ao serviço público e regras gerais dos servidores públicos e além dos princípios inerentes à Administração Pública. A Constituição de 1988, de distintas normas para os integrantes dos órgãos de segurança pública, e suas emendas fixaram que integram os órgãos de segurança pública: a polícia federal, a polícia federal rodoviária, a polícia ferroviária, polícias civis, polícias militares e corpos de bombeiros. Cada um com os estatutos próprios que disciplinam seus integrantes. O parágrafo 6 do art. 142,da Constituição federal, dispõe que as polícias militares e corpo de bombeiros militares são forças auxiliares e reserva do exército, subordinando-se com a polícia militar aos governadores e aos municípios a guarda municipal, não sendo esta destinada a polícia ostensiva e judiciária. Os policiais federais segundo a Constituição federal ainda exercem funções de polícia marítima, aeroportuária e de fronteiras, com expressa exclusividade, as funções de polícia Judiciária da União. Todos os profissionais desta natureza, policiais, civis ou militares, não podem exercer atividade particular remunerada em face razão da própria natureza da atividade pública. A segurança é poder de coerção jurídica ou física para o qual o Estado tem exclusivo monopólio, que não pode transferir tal atribuição à atividade privada. Portanto seus agentes nesta área de atuação também não poderão exercer atividade assemelhada particular, vez que não encontram respaldo constitucional. A regra geral é que o servidor público somente pode fazer o que a lei determina, logo se sua atribuição está expressa no texto, dela não pode exceder. Foram editadas Lei e Portarias que, alteram as disposições normativas alusivas à área de segurança privada e atribuem ao Departamento de Polícia Federal a

3 competência para regular, autorizar nos termos da legislação específica a segurança privada. A política de segurança privada envolve a gestão pública, além das classes patronal e laboral, obedecendo aos princípios da dignidade da pessoa humana, das relações públicas, da satisfação do usuário final, da prevenção e ostensividade para dar visibilidade ao público em geral, da proatividade para evitar ou minimizar os efeitos nefastos dos eventos danosos, do aprimoramento técnico-profissional dos seus quadros, inclusive com a criação de divisões especializadas pelas empresas para permitir um crescimento sustentado em todas as áreas do negócio, da viabilidade econômica dos empreendimentos regulados e da observância das disposições que regulam as relações de trabalho. Inadmissível, pois, que agentes públicos da segurança pública exerçam funções de prestação de serviços de segurança privada sob controle e fiscalização direta do Departamento de Política Federal, por inconstitucionalidade. Teríamos duas esferas de controle para a mesma pessoa física se houvesse participação dupla em segurança pública e privada. Inadmissível também contratação de empregado sem vínculo trabalhista, por violação das normas constitucionais básicas referentes às relações de trabalho, pois o projeto prevê o trabalho de segurança privada sem anotação de carteira para os ativos da segurança pública. Ora, lei ordinária não pode contrariar a Constituição federal. Opinamos pela total inconstitucionalidade, seja no âmbito das normas de prestação de serviço público seja pela incongruência quanto às normas trabalhistas. Por fim, não é competente o Poder Legislativo federal para estabelecer normas sobre organização dos servidores dos Estados e Municípios, retirando-lhes as restrições impostas pelo estatuto de cada corpo ração, posto que incide em inconstitucionalidade por invasão da autonomia estadual. Cada Estado da Federação possui estatuto próprio, que exige exclusividade. Portanto também inconstitucional por invasão da competência legislativa federal nos Estados e nas Constituições estaduais. Aos Estados cumpre organizar os seus serviços e os "municípios podem, por lei municipal, constituir guarda municipal, obedecidos os preceitos da lei federal. Às polícias militares compete a manutenção da ordem pública e segurança interna nos Estados cabendo executar com exclusividade, ressalvadas as missões peculiares das Forças Armadas, o policiamento ostensivo, fardado, planejado pela autoridade competente, a fim de assegurar o cumprimento da lei, a manutenção da ordem pública e o exercício dos poderes constituídos, subordinada ao Governador do Estado. A lei do Estado e a Constituição estadual dispõem sobre a organização básica da Polícia Militar e sua competência, bem como os s corpos de bombeiros. Em toda a legislação e Constituições estaduais clara é a exclusividade, assim como as guardas municipais estão submetidas na criação e organização, sob observância da lei federal e da Constituição Federal, a lei municipal. Os órgãos de segurança pública e as guardas municipais com o atribuições peculiares específicas na Constituição têm agentes com atribuições especiais voltadas ao interesse público de alta especialização e peculiar interesse que tomam por força de sua competência inadequadas para possibilitar o exercício de funções privadas por absoluta incompatibilidade constitucional, que se depreende da natureza das funções. A prestação de segurança privada é regida por normas gerais para todo o território nacional.

4 Cumpre ressaltar que se agentes públicos atuam na segurança privada, conforme reconhece a justificativa do projeto, eles o fazem ao arrepio da lei e das normas que regulam a prestação de serviço de tal magnitude, o que deve ser combatido com rigor em face da incompatibilidade das atribuições. Em segundo lugar, se os vencimentos dos agentes públicos, que atuam nas polícias e guardas municipais, não são suficientes para manter a família em condições dignas, conforme justificativa do projeto, restam as reivindicações legais, as quais nos associamos, Cumpre alertar que não podemos, contudo, admitir que a existência de violação da lei, de fato, justifique o reconhecimento jurídico e legal da situação violadora. Ademais, seria possibilitar um outro serviço indigno, que seria o trabalho sem anotação da carteira, sem controle e alheio à proteção legal e à dignidade. Seria trocar uma alegada indignidade, que oferece estabilidade, garantias funcionais e outros benefícios por um trabalho que indignamente não registra seus funcionários, o que constitui inconstitucionalidade de vários tipos. Não seria possível no âmbito da legalidade da prestação de serviço de segurança a prática de atos por um rol de pessoas sem vínculo, controle e fiscalização estatal. Justo é rejeitar o projeto no todo e estimular que os profissionais em questão percebam o suficiente para uma vida digna e sustento de suas famílias. Caso contrário, estaríamos ratificando, de um lado o tratamento indigno aos policiais civis, corporações de bombeiros e aos guardas municipais. Por outro lado estaríamos também ratificando a prestação do serviço de segurança por uma contingente de pessoas, que sem vínculo trabalhista trabalhariam na informalidade em prestação de segurança, que implica responsabilidades, deveres e obrigações, além do preparo específico. Entãom teríamos uma categoria de profissionais anômala: agentes públicos insatisfeitos com a remuneração indigna e estes mesmos agentes com remuneração informal sem possibilidade de reivindicação legal. Cumpre argumentar que o horário de folga dos profissionais da segurança pública visa o descanso necessário, físico e psíquico que a atividade impõe, cujo falta de repouso gera desgaste de conseqüências imprevisíveis. O projeto insere no mesmo rol, profissionais com estatutos distintos, os quais não cabem nesta matéria discutir, policiais civis e policiais militares, e corpo de bombeiros, além das guardas municipais de natureza jurídica e funcional completamente distinta das demais. A Constituição Federal admitiu a instituição de guardas municipais para a proteção, apenas, dos bens, serviços e instalações dos respectivos municípios. Por enquanto onde tais guardas municipais atualmente estiverem fazendo policiamento geral, estará havendo exorbitância de atribuições, até que a PEC 215/07. seja aprovada. Esta Emenda constitucional pretende que os guardas municipais possam ser órgãos de segurança pública, de competência para desempenhar também e de forma complementar as funções de policiamento ostensivo e preservação da ordem pública, atribuídas à polícia. Mais um absurdo do projeto em discussão, vez que esta categoria não é preparada conforme os profissionais da segurança pública, razão pela qual estão despreparados para as atividades de segurança privada. A prestação de segurança privada, que é regida por normas gerais para todo o território nacional com relação à vigilância patrimonial, transporte de valores, escolta armada e segurança pessoal, sob controle e fiscalização da Direção Geral do Departamento de Polícia Federal, carece de regulamentação adequada, tanto que a

5 exposição de motivos do projeto em discussão reconhece que policiais atuam desta atividade, embora sem autorização legal. "Trabalhadores mal treinados, parcamente remunerados, valendo-se de armamento absoletos, expondo a própria vida ao risco que se comprometeu evitar, é a expressão da justificativa do projeto de Lei 4305/2004 que dispõe sobre os vínculos e obrigações do empregador ao contrário do projeto de Lei em exame. Ora, isto significa reconhecer que o Estado brasileiro ainda não soube encontrar a forma adequada para lidar com estes profissionais da segurança privada. Isto tem gerado inúmeros problemas, conforme verificamos dentre outros, em diversos noticiários e processos judiciais, em face do abuso de agentes de segurança privada no exercício de suas funções, que muitas vezes não recebem o tratamento necessário à função, seja de capacitação, seja de controle da atividade. Não há legislação própria sobre a profissão de agente de segurança privada, cuja profissão na lei 7102/83, que trata sobre vigilância bancária, carece de melhor controle, fiscalização e regulamentação, a fim de coibir abusos na ausência de lei adequada. Este projeto não supre as necessidades de disciplinar a segurança privada. Os projetos de Lei apensados, que tratam de matéria conexa, contrariam o conteúdo do projeto em discussão. CONCLUSÃO: Desaprovação do projeto, em face de sua inadequação com as normas constitucionais federais, estaduais e estatutos das corporações. lnconstitucionalidade quanto à competência legislativa federal referente à organização dos quadros das polícias estaduais e guardas municipais nesta matéria. s.m.j Rio de Janeiro, 19 de outubro de 2009 Leila Maria Bittencourt da Silva Membro da Comissão Permanente de Direito Constitucional

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 5.054 DE 2005 VOTO EM SEPARADO DO DEPUTADO REGIS DE OLIVEIRA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 5.054 DE 2005 VOTO EM SEPARADO DO DEPUTADO REGIS DE OLIVEIRA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 5.054 DE 2005 Torna obrigatório o exame de ordem para todos os que quiserem inscrever-se como advogado. Autor: Deputado Almir Moura Relator:

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei nº 2542, de 2007. (Do Sr. Deputado JOSÉ GENOINO)

CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei nº 2542, de 2007. (Do Sr. Deputado JOSÉ GENOINO) CÂMARA DOS DEPUTADOS Projeto de Lei nº 2542, de 2007 (Do Sr. Deputado JOSÉ GENOINO) Dispõe sobre a Atividade de Inteligência Privada, e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 1.939, DE 2015 (Do Sr. Weverton Rocha)

PROJETO DE LEI N.º 1.939, DE 2015 (Do Sr. Weverton Rocha) *C0054196A* C0054196A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 1.939, DE 2015 (Do Sr. Weverton Rocha) Dispõe sobre a criação e a estruturação do regime jurídico de Advogado de Empresa Estatal Federal e

Leia mais

www.concursovirual.com.br

www.concursovirual.com.br DIREITO ADMINISTRATIVO TEMA: CONHECIMENTOS GERAIS CORREIOS/2015 CONHECIMENTOS GERAIS ESTADO UNITÁRIO - PODER CENTRAL (França) ESTADO COMPOSTO ESTADO UNITÁRIO (Formação histórica) ESTADO REGIONAL MENOS

Leia mais

Agências Executivas. A referida qualificação se dará mediante decreto do Poder Executivo. Agências Reguladoras

Agências Executivas. A referida qualificação se dará mediante decreto do Poder Executivo. Agências Reguladoras Agências Executivas A Lei nº 9.649/98 autorizou o Poder Executivo a qualificar, como agência executiva aquela autarquia ou fundação pública que celebre contrato de gestão com o Poder Público. A referida

Leia mais

LEI Nº 1047/2012. O Prefeito do Município de Pinhalão, Estado do Paraná. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 1047/2012. O Prefeito do Município de Pinhalão, Estado do Paraná. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1047/2012 O Prefeito do Município de Pinhalão,. SÚMULA: Dispõe sobre as Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2013 e dá outras providências. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu,

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO VOTO EM SEPARADO DO DEPUTADO RONALDO FONSECA

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO VOTO EM SEPARADO DO DEPUTADO RONALDO FONSECA COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO PROJETO DE LEI N 0 5.618, DE 2005 (Apensados os Projetos de Lei nº 7.456, de 2006 e nº 7.741, de 2010) Dispõe sobre a regulamentação da profissão

Leia mais

DECRETO N. 52.288 DE 24 DE JULHO DE 1963

DECRETO N. 52.288 DE 24 DE JULHO DE 1963 DECRETO N. 52.288 DE 24 DE JULHO DE 1963 Promulga a Convenção sobre Privilégios e Imunidades das Agências Especializadas das Nações Unidas, adotada, a 21 de novembro de 1947, pela Assembléia Geral das

Leia mais

E S T A D O D E M A T O G R O S S O Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D E M A T O G R O S S O Prefeitura Municipal de Jaciara DECRETO EXECUTIVO MUNICIPAL Nº 3.243/2015 25.06.2015. Altera a regulamentação da Lei 1.509/2013 de 13.03.2013 em seus artigos 22 e 23, nos termos do artigo 11 da referida Lei; dá nova nomenclatura ao cargo

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ CÂMARA MUNICIPAL DE TERESINA Assessoria Jurídica Legislativa

ESTADO DO PIAUÍ CÂMARA MUNICIPAL DE TERESINA Assessoria Jurídica Legislativa PARECER AJL/CMT Nº 031/2015. Teresina (PI), 04 de março de 2015. Assunto: Projeto de Lei nº 029/2015 Autor: Vereadora Teresa Britto Ementa: Dispõe sobre a obrigatoriedade, no âmbito do Município de Teresina,

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 1.656-A, DE 2015 (Do Sr. Cabo Daciolo)

PROJETO DE LEI N.º 1.656-A, DE 2015 (Do Sr. Cabo Daciolo) *C0055732A* C0055732A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 1.656-A, DE 2015 (Do Sr. Cabo Daciolo) Cria o Programa de Financiamento Habitacional para os Militares da Defesa Nacional e agentes de Segurança

Leia mais

PARECER Nº, DE 2009. RELATOR: Senador EDUARDO AZEREDO RELATOR ad hoc: Senador TASSO JEREISSATI I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2009. RELATOR: Senador EDUARDO AZEREDO RELATOR ad hoc: Senador TASSO JEREISSATI I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2009 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, em caráter terminativo, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 147, de 2006, que altera a Lei nº 4.950-A, de 22 de abril de 1966, que

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL

CONSTITUIÇÃO FEDERAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida,

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Determinado partido político, que possui dois deputados federais e dois senadores em seus quadros, preocupado com a efetiva regulamentação das normas constitucionais,

Leia mais

PEDRO DUTRA Advogado. São Paulo, 09 de outubro de 1998

PEDRO DUTRA Advogado. São Paulo, 09 de outubro de 1998 São Paulo, 09 de outubro de 1998 À ANATEL Agência Nacional de Telecomunicações Protocolo Geral SAS, Quadra 6, Bloco H 70313-900 Brasília-DF Via E-mail PEDRO DUTRA, advogado inscrito na OAB-SP sob o nº

Leia mais

CONSULTA Nº 6.452/2012

CONSULTA Nº 6.452/2012 CONSULTA Nº 6.452/2012 Assunto: Se o médico (profissional autônomo) também precisa seguir a normatização da NR-32, já que é uma determinação apenas do Ministério do Trabalho. Relator: Conselheiro Renato

Leia mais

GUARDA MUNICIPAL E SEGURANÇA PÚBLICA

GUARDA MUNICIPAL E SEGURANÇA PÚBLICA GUARDA MUNICIPAL E SEGURANÇA PÚBLICA Aristides Medeiros ADVOGADO Consoante estabelecido no art. 144, caput, da Constituição Federal, os órgãos incumbidos da segurança pública, isto é, da segurança geral,

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Presidente, Sras. Deputadas e Srs.

Excelentíssimo Senhor Presidente, Sras. Deputadas e Srs. PRONUNCIAMENTO DO DEPUTADO FEDERAL CAPITÃO ASSUMÇÃO 02 DE ABRIL DE 2009 Deputados: Excelentíssimo Senhor Presidente, Sras. Deputadas e Srs. Em trâmite perante a Comissão de Constituição e Justiça e de

Leia mais

PARECER Nº DE 2015. RELATOR: Senador DOUGLAS CINTRA

PARECER Nº DE 2015. RELATOR: Senador DOUGLAS CINTRA PARECER Nº DE 2015 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 356 de 2012, do Senador Paulo Paim, que altera o artigo 53 do Código Civil

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 232/2014 Poder Executivo

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 232/2014 Poder Executivo DIÁRIO OFICIAL DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Porto Alegre, quarta-feira, 19 de março de 2014. PRO 1 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 232/2014 Poder Executivo Altera a redação dos arts. 46, 52, 60, 82,

Leia mais

COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO. PROJETO DE LEI N o 3.230, DE 2008 (Apenso o Projeto de Lei n.º 1.701, de 2007)

COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO. PROJETO DE LEI N o 3.230, DE 2008 (Apenso o Projeto de Lei n.º 1.701, de 2007) COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO PROJETO DE LEI N o 3.230, DE 2008 (Apenso o Projeto de Lei n.º 1.701, de 2007) Acrescenta 1º e 2º ao art. 45 do Decreto n.º 70.235, de 6 de março de 1972, para vedar a

Leia mais

CARTILHA DO SUBSÍDIO

CARTILHA DO SUBSÍDIO CARTILHA DO SUBSÍDIO Cléa da Rosa Pinheiro Vera Mirna Schmorantz A Direção do SINAL atenta às questões que dizem com a possibilidade de alteração da estrutura remuneratória das carreiras de Especialista

Leia mais

Plano de Execução de Mandados Judiciais de Reintegração de Posse Coletiva.

Plano de Execução de Mandados Judiciais de Reintegração de Posse Coletiva. Plano de Execução de Mandados Judiciais de Reintegração de Posse Coletiva. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO RIO DEPARTAMENTO DE OUVIDORIA AGRÁRIA RIA E MEDIAÇÃ ÇÃO O DE CONFLITOS Fones (61) 2191.9904/9906

Leia mais

ASPECTOS DA DESAPROPRIAÇÃO POR NECESSIDADE OU UTILIDADE PÚBLICA E POR INTERESSE SOCIAL.

ASPECTOS DA DESAPROPRIAÇÃO POR NECESSIDADE OU UTILIDADE PÚBLICA E POR INTERESSE SOCIAL. ASPECTOS DA DESAPROPRIAÇÃO POR NECESSIDADE OU UTILIDADE PÚBLICA E POR INTERESSE SOCIAL. Por Osvaldo Feitosa de Lima, Advogado e mail: drfeitosalima@hotmail.com Em razão do princípio da supremacia do interesse

Leia mais

DIREITO PREVIDENCIÁRIO

DIREITO PREVIDENCIÁRIO 1. Da Previdência Social DIREITO PREVIDENCIÁRIO Art. 201. A previdência social será organizada sob a forma de regime geral, de caráter contributivo e de filiação obrigatória, observados critérios que preservem

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 47, DE 2003 (PEC nº 64, de 2007, apensada)

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 47, DE 2003 (PEC nº 64, de 2007, apensada) COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A APRECIAR E PROFERIR PARECER À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N O 47, DE 2003, DO SENADO FEDERAL, QUE ALTERA O ART. 6 O DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL, PARA INTRODUZIR A ALIMENTAÇÃO

Leia mais

Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação

Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação Art. 205 - A educação, direito de todos e dever do Estado e da família,

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ CÂMARA MUNICIPAL DE TERESINA PALÁCIO SENADOR CHAGAS RODRIGUES Assessoria Jurídica Legislativa PARECER AJL/CMT Nº 094/2013

ESTADO DO PIAUÍ CÂMARA MUNICIPAL DE TERESINA PALÁCIO SENADOR CHAGAS RODRIGUES Assessoria Jurídica Legislativa PARECER AJL/CMT Nº 094/2013 PARECER AJL/CMT Nº 094/2013 Teresina (PI), 10 de maio de 2013. Assunto: Projeto de Lei Complementar nº. 078/2013 Autor: Mesa Diretora Ementa: Institui, no âmbito da Câmara Municipal de Teresina, o Plano

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moisés Viana Unidade Central de Controle Interno

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moisés Viana Unidade Central de Controle Interno ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moisés Viana Unidade Central de Controle Interno PARECER de CONTROLE Nº 003/09 ENTIDADE SOLICITANTE: Departamento de Água

Leia mais

O Congresso Nacional decreta:

O Congresso Nacional decreta: PROJETO DE LEI Nº, do Sr. Roberto Gouveia Dispõe sobre a garantia dos trabalhadores à prevenção dos riscos decorrentes do trabalho e à promoção, proteção, recuperação e reabilitação da saúde, no âmbito

Leia mais

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL OBRIGATORIEDADE

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL OBRIGATORIEDADE FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Os artigos 578 e 579 da CLT preveem que as contribuições devidas aos sindicatos, pelos que participem das categorias econômicas ou profissionais ou das profissões liberais representadas

Leia mais

PARAMETROS DO ESTRITO CUMPRIMENTO DE DEVER LEGAL

PARAMETROS DO ESTRITO CUMPRIMENTO DE DEVER LEGAL 1 PARAMETROS DO ESTRITO CUMPRIMENTO DE DEVER LEGAL Prof.Dr.Luís Augusto Sanzo Brodt ( O autor é advogado criminalista, professor adjunto do departamento de Ciências Jurídicas da Fundação Universidade Federal

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS

CÂMARA DOS DEPUTADOS CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI Nº, DE 2004 (Da Comissão de Legislação Participativa) SUG nº 84/2004 Regulamenta o art. 14 da Constituição Federal, em matéria de plebiscito, referendo e iniciativa

Leia mais

Natanael Gomes Bittencourt Acadêmico do 10º semestre de Direito das Faculdades Jorge Amado

Natanael Gomes Bittencourt Acadêmico do 10º semestre de Direito das Faculdades Jorge Amado ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Natanael Gomes Bittencourt Acadêmico do 10º semestre de Direito das Faculdades Jorge Amado Resumo: A Administração Pública se liga ao interesse público e às necessidades sociais,

Leia mais

Nós, servidores do sistema SEMA, aqui representados pela Associação de Servidores do

Nós, servidores do sistema SEMA, aqui representados pela Associação de Servidores do Salvador, 02 de dezembro de 2011. Senhoras e senhores, Nós, servidores do sistema SEMA, aqui representados pela Associação de Servidores do Centro de Recursos Ambientais (ASCRA) e pela Associação dos Especialistas

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Com fundamento na recente Lei n. 1.234, do Estado Y, que exclui as entidades de direito privado da Administração Pública do dever de licitar, o banco X (empresa pública

Leia mais

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PROJETO DE LEI N o 1.003, DE 2011 Cria a figura do Vigilante Ambiental Voluntário em caráter nacional. Autor: Deputado Guilherme Mussi Relator: Deputado

Leia mais

Diretrizes para os Serviços Públicos de Saneamento Básico

Diretrizes para os Serviços Públicos de Saneamento Básico Diretrizes para os Serviços Públicos de Saneamento Básico As competências constitucionais Competência para prestação de serviços públicos locais (CF, art. 30) Compete aos Municípios:... V - organizar e

Leia mais

LEI Nº 9.038, DE 14 DE JANEIRO DE 2005. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 9.038, DE 14 DE JANEIRO DE 2005. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 9.038, DE 14 DE JANEIRO DE 2005 Dispõe sobre o Programa Municipal de Parcerias Público- Privadas. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2013.

PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2013. PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2013. Dispõe sobre a celebração de convênio entre o Estado de Goiás e associações, visando à implantação de sistema de videomonitoramento e segurança, para vigilância permanente

Leia mais

7 SPDM ASSOCIAÇÃO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA Programa de Atenção Integral à Saúde

7 SPDM ASSOCIAÇÃO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA Programa de Atenção Integral à Saúde REGULAMENTO DE COMPRAS e CONTRATAÇÃO DE OBRAS E SERVIÇOS DAS UNIDADES SOB GERENCIAMENTO DA O.S.S. SPDM ASSOCIAÇÃO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA PROGRAMA DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE A SPDM

Leia mais

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Dispõe sobre o ensino na Aeronáutica; e revoga o Decreto-Lei no 8.437, de 24 de dezembro de 1945, e as Leis nos 1.601, de 12 de maio de 1952, e 7.549, de 11 de dezembro de 1986. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA

Leia mais

: 1006/99 : 01.046528.98.9 : - SMED

: 1006/99 : 01.046528.98.9 : - SMED Parecer nº : 1006/99 Processo nº : 01.046528.98.9 Requerente : Secretaria Municipal de Educação - SMED Assunto : Conselhos Escolares - Assessoria Jurídica EMENTA : Conselhos Escolares. Contratação de Assessoria

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PIRACICABA Estado de São Paulo Procuradoria Geral

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PIRACICABA Estado de São Paulo Procuradoria Geral PROJETO DE LEI No. 104/08 Dispõe sobre a criação de empregos de Agente Comunitário de Saúde, junto ao Quadro de Pessoal da Prefeitura do Município de Piracicaba, nos termos da Lei Federal nº 11.350/06

Leia mais

PARECER JURÍDICO. ORIGEM: Departamento Jurídico. DESTINO: Diretor Titular da Secretaria de Finanças Prof. Amarildo Pedro Cenci

PARECER JURÍDICO. ORIGEM: Departamento Jurídico. DESTINO: Diretor Titular da Secretaria de Finanças Prof. Amarildo Pedro Cenci PARECER JURÍDICO ORIGEM: Departamento Jurídico DESTINO: Diretor Titular da Secretaria de Finanças Prof. Amarildo Pedro Cenci QUESTÃO: - A Contribuição Sindical de Professores que laboram em Instituições

Leia mais

BRASIL Entrevista con el Sr. General Ex Raymundo De Cerqueira Filho Ministro Presidente del Tribunal Superior Militar Brasil

BRASIL Entrevista con el Sr. General Ex Raymundo De Cerqueira Filho Ministro Presidente del Tribunal Superior Militar Brasil DIALOGANDO SOBRE JUSTICIA MILITAR BRASIL Entrevista con el Sr. General Ex Raymundo De Cerqueira Filho Ministro Presidente del Tribunal Superior Militar Brasil 1. De acordo com as leis de seu País, qual

Leia mais

Prefeitura Municipal de Campinas

Prefeitura Municipal de Campinas Prefeitura Municipal de Campinas Criada pelo Decreto Municipal nº 17.301 de 29 de março de 2011 Estrutura: Coordenadoria Setorial Administrativo e de Expediente Departamento de Controle Preventivo Coordenadoria

Leia mais

LEI MUNICIPAL 563/73

LEI MUNICIPAL 563/73 LEI MUNICIPAL 563/73 Dispõe sobre a organização administrativa da PREFEITURA MUNICIPAL DE TAQUARA e dá outras providências. ALCEU MARTINS, Prefeito Municipal de Taquara: Faço saber que a Câmara Municipal,

Leia mais

DECRETO Nº 17.033, DE 11 DE MARÇO DE 1996

DECRETO Nº 17.033, DE 11 DE MARÇO DE 1996 DECRETO Nº 17.033, DE 11 DE MARÇO DE 1996 Dispõe sobre a Instituição da Autarquia Estadual, Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas - IPAAM, aprova seu Regimento interno e dá outras providências. O

Leia mais

Art. 2º. Fazer publicar esta Portaria em Boletim de Serviço, revogando-se a Portaria 577/05-R, de 05 de dezembro de 2005.

Art. 2º. Fazer publicar esta Portaria em Boletim de Serviço, revogando-se a Portaria 577/05-R, de 05 de dezembro de 2005. PORTARIA 328/R-06 DE 22 DE JUNHO DE 2006. O REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso da competência que lhe foi atribuída pelo artigo 39, inciso XX, do Regimento Geral da UFRN; CONSIDERANDO

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE UBERLÂNDIA INQUÉRITO CIVIL PÚBLICO Nº 1.22.003.000316/2011-10

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE UBERLÂNDIA INQUÉRITO CIVIL PÚBLICO Nº 1.22.003.000316/2011-10 INQUÉRITO CIVIL PÚBLICO Nº 1.22.003.000316/2011-10 RECOMENDAÇÃO N 36/2013/PRM/UDI/3 OFÍCIO O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, por meio do Procurador da República signatário, no cumprimento de suas atribuições

Leia mais

Atuação do Controle Interno na Contratação de Pessoal. Reinaldo Gomes Ferreira Diretor da DAP

Atuação do Controle Interno na Contratação de Pessoal. Reinaldo Gomes Ferreira Diretor da DAP Atuação do Controle Interno na Contratação de Pessoal Reinaldo Gomes Ferreira Diretor da DAP CONTRATAÇÃO DE PESSOAL 1. Controle Interno Normas / Atos de Pessoal; 2. Procedimentos do controle interno nas

Leia mais

NOTA JURÍDICA CONASEMS n. 014 NÚCLEO DE DIREITO SANITÁRIO

NOTA JURÍDICA CONASEMS n. 014 NÚCLEO DE DIREITO SANITÁRIO ASSUNTO: DEFINIÇÃO DO QUE SEJAM AÇÕES E SERVIÇOS DE SAÚDE. DESNECESSIDADE DE NOVA REGULAMENTAÇÃO. ART. 200 DA CF E ART. 6º DA LEI 8.080/90. Desde o ano 2000, quando foi promulgada a Emenda Constitucional

Leia mais

PARECER DA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA RELATÓRIO

PARECER DA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA RELATÓRIO PARECER DA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA Projeto de Lei nº 124 de 07 de agosto de 2013 AUTOR: Poder Executivo PARECER: Favorável, sem apresentação de emendas EMENTA: Dispõe sobre o Sistema de Transporte

Leia mais

Art. 1º O Art. 2º da Lei nº 11.350, de 5 de outubro de 2006, passa a vigorar acrescido do seguinte parágrafo único:

Art. 1º O Art. 2º da Lei nº 11.350, de 5 de outubro de 2006, passa a vigorar acrescido do seguinte parágrafo único: PROJETO DE LEI N o, DE 2010 (Do Sr. Pedro Chaves) Altera a Lei nº 11.350, de 5 de outubro de 2006, para regulamentar a EC nº 63/10, instituir o piso salarial profissional nacional, as Diretrizes do Plano

Leia mais

Noções Gerais de Direito Administrativo. Profª Paula d Oran Pinheiro Manaus/AM 23 a 27 de julho 2012 1 / 1

Noções Gerais de Direito Administrativo. Profª Paula d Oran Pinheiro Manaus/AM 23 a 27 de julho 2012 1 / 1 Noções Gerais de Direito Administrativo Profª Paula d Oran Pinheiro Manaus/AM 23 a 27 de julho 2012 1 / 1 Unidade I - Noções Preliminares 1.Conceito de Direito Conjunto de regras impostas pelo Estado,

Leia mais

COMPENSAÇÃO NO DIREITO TRIBUTÁRIO

COMPENSAÇÃO NO DIREITO TRIBUTÁRIO COMPENSAÇÃO NO DIREITO TRIBUTÁRIO Rafael da Rocha Guazelli de Jesus * Sumário: 1. Introdução 2. O Instituto da Compensação 3. Algumas legislações que tratam da compensação 4. Restrições impostas pela Fazenda

Leia mais

Voto nº: 590/2001. I - Relatório MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO: TRIBUNAL DE CONTAS PROCESSO Nº CMRJ-005.465/01 DATA DE AUTUAÇÃO: 14/08/01

Voto nº: 590/2001. I - Relatório MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO: TRIBUNAL DE CONTAS PROCESSO Nº CMRJ-005.465/01 DATA DE AUTUAÇÃO: 14/08/01 Voto nº: 590/2001 MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO: TRIBUNAL DE CONTAS PROCESSO Nº CMRJ-005.465/01 DATA DE AUTUAÇÃO: 14/08/01 VOTO Nº: 590/2001 PROCESSO Nº: CMRJ-005.465/2001 ASSUNTO: CONSULTA INTERESSADO:

Leia mais

Reestrutura as Universidades Estaduais da Bahia e dá outras providências

Reestrutura as Universidades Estaduais da Bahia e dá outras providências LEI 7.176/97 DE 10 DE SETEMBRO DE 1997 Reestrutura as Universidades Estaduais da Bahia e dá outras providências O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono

Leia mais

RESUMO EXECUTIVO DA MESA REDONDA DE TELECOMUNICAÇÕES DO I FÓRUM NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DA COMISSÃO DE SERVIÇOS DE INFRAESTRUTURA DO SENADO FEDERAL

RESUMO EXECUTIVO DA MESA REDONDA DE TELECOMUNICAÇÕES DO I FÓRUM NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DA COMISSÃO DE SERVIÇOS DE INFRAESTRUTURA DO SENADO FEDERAL RESUMO EXECUTIVO DA MESA REDONDA DE TELECOMUNICAÇÕES DO I FÓRUM NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DA COMISSÃO DE SERVIÇOS DE INFRAESTRUTURA DO SENADO FEDERAL SUMÁRIO EXECUTIVO As soluções apontadas durante o

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO

DIREITO ADMINISTRATIVO DIREITO ADMINISTRATIVO Aula 01 Servidores PúblicosP Profº.. Francisco De Poli de Oliveira 1. INTRODUÇÃO Trata o nosso estudo sobre os servidores públicos, quando abordaremos os elementos introdutórios

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010. Dispõe sobre os parâmetros para a criação e o funcionamento dos Fundos Nacional, Estaduais e Municipais

Leia mais

Recomendação Conjunta

Recomendação Conjunta Recomendação Conjunta OFÍCIO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO E SOCIAL O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, por intermédio dos Procuradores da República signatários, no uso de suas atribuições legais e constitucionais,

Leia mais

Guarda Municipal de Fortaleza Direito Constitucional Segurança Pública Emilly Albuquerque

Guarda Municipal de Fortaleza Direito Constitucional Segurança Pública Emilly Albuquerque Guarda Municipal de Fortaleza Direito Constitucional Segurança Pública Emilly Albuquerque 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. SEGURANÇA PÚBLICA Art. 144 CF Art.

Leia mais

IMPUGNAÇÃO Nº 2. Sr. Pregoeiro, o Edital em tela conforme previsto no item 1, subitem 1.1, tem como objeto o que abaixo segue, verbis:

IMPUGNAÇÃO Nº 2. Sr. Pregoeiro, o Edital em tela conforme previsto no item 1, subitem 1.1, tem como objeto o que abaixo segue, verbis: 1 IMPUGNAÇÃO Nº 2 Considerando a apresentação, por parte da empresa LYON SERVIÇOS TERCEIRIZADOS LTDA., da IMPUGNAÇÃO AO INSTRUMENTO CONVOCATÓRIO referente ao Pregão Eletrônico nº 27/2010, cujo objeto é

Leia mais

Maurício Piragino /Xixo Escola de Governo de São Paulo. mauxixo.piragino@uol.com.br

Maurício Piragino /Xixo Escola de Governo de São Paulo. mauxixo.piragino@uol.com.br Democracia Participativa e Direta: conselhos temáticos e territoriais (Conselhos Participativos nas Subprefeituras); Iniciativa Popular, Plebiscitos e Referendo" Maurício Piragino /Xixo Escola de Governo

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO. PROJETO DE LEI N o 7.927, DE 2014 (do Tribunal Superior do Trabalho)

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO. PROJETO DE LEI N o 7.927, DE 2014 (do Tribunal Superior do Trabalho) CÂMARA DOS DEPUTADOS DEPUTADO POLICARPO COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI N o 7.927, DE 2014 (do Tribunal Superior do Trabalho) Dispõe sobre a criação de cargos de

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ CÂMARA MUNICIPAL DE TERESINA Assessoria Jurídica Legislativa

ESTADO DO PIAUÍ CÂMARA MUNICIPAL DE TERESINA Assessoria Jurídica Legislativa PARECER AJL/CMT Nº 028/2015. Teresina (PI), 04 de março de 2015. Assunto: Projeto de Lei nº 028/2015 Autor: Vereadora Teresa Britto Ementa: Dispõe sobre a obrigatoriedade, no âmbito do Município de Teresina,

Leia mais

SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS CONSELHO NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS

SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS CONSELHO NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS CONSELHO NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO No- 1, DE 9 DE JUNHO DE 2015 Aprova o Regimento Interno do Conselho Nacional dos Direitos Humanos - CNDH. O PLENÁRIO DO CONSELHO

Leia mais

DIRETORIA LEGISLATIVA SEÇÃO DE ASSESSORAMENTO TEMÁTICO NOTA TÉCNICA. A Jornada de Trabalho e seus Reflexos na Saúde do Militar do Estado de Goiás

DIRETORIA LEGISLATIVA SEÇÃO DE ASSESSORAMENTO TEMÁTICO NOTA TÉCNICA. A Jornada de Trabalho e seus Reflexos na Saúde do Militar do Estado de Goiás DIRETORIA LEGISLATIVA SEÇÃO DE ASSESSORAMENTO TEMÁTICO NOTA TÉCNICA A Jornada de Trabalho e seus Reflexos na Saúde do Militar do Estado de Goiás Elaborada pela Pesquisadora Legislativa Emília Cristine

Leia mais

AUDIÇÃO NA COMISSÃO PARLAMENTAR DO AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E PODER LOCAL. Projeto de Lei Nº 368/XII

AUDIÇÃO NA COMISSÃO PARLAMENTAR DO AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E PODER LOCAL. Projeto de Lei Nº 368/XII AUDIÇÃO NA COMISSÃO PARLAMENTAR DO AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E PODER LOCAL Projeto de Lei Nº 368/XII Protecção dos direitos individuais e comuns à água O projecto de Lei para Protecção dos direitos

Leia mais

A MAIORIDADE PENAL NO BRASIL E EM OUTROS PAÍSES

A MAIORIDADE PENAL NO BRASIL E EM OUTROS PAÍSES A MAIORIDADE PENAL NO BRASIL E EM OUTROS PAÍSES RIBAMAR SOARES Consultor Legislativo da Área II Direito Civil e Processual Civil, Direito Penal e Processual Penal, de Família, do Autor, de Sucessões, Internacional

Leia mais

CARTILHA CONTRATAÇÃO DIRETA

CARTILHA CONTRATAÇÃO DIRETA UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO - UNIVASF PRÓ-REITORIA DE GESTÃO E ORÇAMENTO - PROGEST DEPARTAMENTO DE COMPRAS E LICITAÇÕES - DCL Av. José de Sá Maniçoba, S/N Sala 30 Centro, Petrolina-PE

Leia mais

I. DO OBJETIVO II. DOS FATOS

I. DO OBJETIVO II. DOS FATOS Nota Técnica nº 001/2009 CNS Em 02 de setembro de 2009. Assunto: A Natureza Deliberativa e a Executoriedade das Decisões do Conselho Nacional de Saúde. I. DO OBJETIVO Trata a presente nota jurídica de

Leia mais

RESOLUÇÃO nº 076 de 13 de setembro de 2012

RESOLUÇÃO nº 076 de 13 de setembro de 2012 RESOLUÇÃO nº 076 de 13 de setembro de 2012 Dispõe sobre a obrigatoriedade da criação do controle interno nos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, bem como no Ministério Público e Tribunal de Contas,

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1891

CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1891 CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1891 Preâmbulo Nós, os representantes do povo brasileiro, reunidos em Congresso Constituinte, para organizar um regime livre e democrático, estabelecemos, decretamos e promulgamos

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE JANUÁRIA ESTADO DE MINAS GERAIS CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 001/2010 RESPOSTA DE RECURSO

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE JANUÁRIA ESTADO DE MINAS GERAIS CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 001/2010 RESPOSTA DE RECURSO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE JANUÁRIA ESTADO DE MINAS GERAIS CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 001/2010 RESPOSTA DE RECURSO Candidato: Genilson Dias Custódio N de Inscrição: 05966 Cargo: Técnico Administrativo

Leia mais

Parecer formulado em 10 de janeiro de 2014 Consultor Jurídico do SINDI-CLUBE Dr. Valter Piccino OAB/SP 55.180

Parecer formulado em 10 de janeiro de 2014 Consultor Jurídico do SINDI-CLUBE Dr. Valter Piccino OAB/SP 55.180 Novas disposições do estatuto social necessárias à postulação de incentivos fiscais e manutenção da isenção do imposto de renda da pessoa jurídica das associações sem fins lucrativos. Parecer formulado

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 (Do Sr. Milton Monti) Cria a Universidade Federal de Bauru - UNIFEB e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Fica criada a Universidade Federal de Bauru

Leia mais

Defendendo uma sociedade justa e igualitária LANA IARA GOIS DE SOUZA RAMOS PARECER JURÍDICO

Defendendo uma sociedade justa e igualitária LANA IARA GOIS DE SOUZA RAMOS PARECER JURÍDICO CEZAR BRITTO PARECER JURÍDICO APLICABILIDADE DO PISO SALARIAL NACIONAL DO MAGISTÉRIO PÚBLICO. INCONSTITUCIONALIDADE DO PROJETO DE LEI QUE PREVÊ PAGAMENTO PARCELADO DO VALOR DA SUA ATUALIZAÇÃO E RETROATIVO.

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 139, DE 25 DE JANEIRO DE 1996. Altera a Lei Complementar n.º 129, de 02 de fevereiro de 1995 e dá outras providências.

LEI COMPLEMENTAR Nº 139, DE 25 DE JANEIRO DE 1996. Altera a Lei Complementar n.º 129, de 02 de fevereiro de 1995 e dá outras providências. LEI COMPLEMENTAR Nº 139, DE 25 DE JANEIRO DE 1996. Altera a Lei Complementar n.º 129, de 02 de fevereiro de 1995 e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: FAÇO SABER que

Leia mais

CAPÍTULO I DO APOIO A GESTÃO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE CAPÍTULO II DA CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE

CAPÍTULO I DO APOIO A GESTÃO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE CAPÍTULO II DA CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE LEI N.º 1.297, DE 06 DE JULHO DE 2010. Dispõe sobre apoio a Gestão do Sistema Único de Saúde, da realização de conferências no âmbito municipal, da reformulação e funcionamento do Conselho Municipal de

Leia mais

A importância do Direito Civil no âmbito do Direito Tributário

A importância do Direito Civil no âmbito do Direito Tributário A importância do Direito Civil no âmbito do Direito Tributário Kiyoshi Harada* Sumário: 1. Introdução. 1.1 Da utilização de determinada categoria jurídica por vários ramos do direito. 1.2 Dos critérios

Leia mais

ATO PGJ N.º 230/2010

ATO PGJ N.º 230/2010 ATO PGJ N.º 230/2010 REGULAMENTA AS ATRIBUIÇÕES DA ASSESSORIA DE SEGURANÇA INSTITUCIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO AMAZONAS. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS, no uso de suas

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER Nº 15.220 PROFESSOR. CONTRATAÇÃO EMERGENCIAL. DURAÇÃO DO PERÍODO DE FÉRIAS. GOZO DE LICENÇA POR OCASIÃO DE LUTO OU CASAMENTO. Por determinação da Secretária Adjunta da Educação, vem a esta Procuradoria-Geral

Leia mais

ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO

ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-GERAL FEDERAL DEPARTAMENTO DE CONSULTORIA PARECER nq ' z /2012/DEPCONSU/PGF/AGU PROCESSO ADMINISTRATIVO N9 00400.018452/2011-04 INTERESSADO: Instituto Federal de Educação,

Leia mais

PARECER Nº, DE 2011. RELATOR: Senador GIM ARGELLO

PARECER Nº, DE 2011. RELATOR: Senador GIM ARGELLO PARECER Nº, DE 2011 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, acerca dos Projetos de Lei do Senado nº 119, de 2008, do Senador Arthur Virgílio, que altera a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990,

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ CÂMARA MUNICIPAL DE TERESINA PALÁCIO SENADOR CHAGAS RODRIGUES Assessoria Jurídica Legislativa

ESTADO DO PIAUÍ CÂMARA MUNICIPAL DE TERESINA PALÁCIO SENADOR CHAGAS RODRIGUES Assessoria Jurídica Legislativa PARECER AJL/CMT Nº 117/2013 Teresina (PI), 04 de junho de 2013. Assunto: Projeto de Lei n 093/2013 Autor: Prefeito Municipal de Teresina Ementa: Autoriza o Município de Teresina, através do Poder Executivo

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.191.881 - RJ (2010/0080549-7) RELATOR : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES RECORRENTE : RECOMEX REPRESENTAÇÃO E COMÉRCIO EXTERIOR LTDA ADVOGADO : ALBERTO DAUDT DE OLIVEIRA E OUTRO(S)

Leia mais

PARECER N.º 256/CITE/2014

PARECER N.º 256/CITE/2014 PARECER N.º 256/CITE/2014 Assunto: Parecer sobre queixa relativa a pedido de autorização de trabalho em regime de horário flexível de trabalhadora com responsabilidades familiares nos termos do n.º 5 do

Leia mais

Entenda o PL 7.168/2014 de A a Z

Entenda o PL 7.168/2014 de A a Z Entenda o PL 7.168/2014 de A a Z O Projeto de Lei 7.168/2014 avança na construção de um novo Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil. Ele trata das relações entre Estado e OSCs e estabelece

Leia mais

Gabinete do Senador Humberto Costa PARECER Nº, DE 2015. Relator: Senador HUMBERTO COSTA

Gabinete do Senador Humberto Costa PARECER Nº, DE 2015. Relator: Senador HUMBERTO COSTA PARECER Nº, DE 2015 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, sobre o Projeto de Lei da Câmara (PLC) nº 106, de 2014, do Deputado Ronaldo Nogueira, que dispõe sobre o exercício da profissão de detetive particular.

Leia mais

XLIII PLENÁRIA NACIONAL DO FÓRUM DOS CONSELHOS ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO - FNCE

XLIII PLENÁRIA NACIONAL DO FÓRUM DOS CONSELHOS ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO - FNCE XLIII PLENÁRIA NACIONAL DO FÓRUM DOS CONSELHOS ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO - FNCE O Futuro da Educação a Distância na Educação Básica Francisco Aparecido Cordão facordao@uol.com.br Dispositivos da LDB e DECRETOS

Leia mais

Projeto de Lei nº 6.144/13 Portadores de Necessidades Especiais e a Segurança Privada. Brasília, 21 de outubro de 2015.

Projeto de Lei nº 6.144/13 Portadores de Necessidades Especiais e a Segurança Privada. Brasília, 21 de outubro de 2015. Projeto de Lei nº 6.144/13 Portadores de Necessidades Especiais e a Segurança Privada 1 Brasília, 21 de outubro de 2015. Quem Somos? A Federação Nacional das Empresas de Segurança e Transporte de Valores-

Leia mais

MEDIDAS DE CONSOLIDAÇÃO ORÇAMENTAL ADICIONAIS (PENSÕES, AJUDAS DE CUSTO E SUBSÍDIOS DE TRANSPORTE) Introdução

MEDIDAS DE CONSOLIDAÇÃO ORÇAMENTAL ADICIONAIS (PENSÕES, AJUDAS DE CUSTO E SUBSÍDIOS DE TRANSPORTE) Introdução MEDIDAS DE CONSOLIDAÇÃO ORÇAMENTAL ADICIONAIS (PENSÕES, AJUDAS DE CUSTO E SUBSÍDIOS DE TRANSPORTE) Introdução No âmbito da estratégia de consolidação orçamental adoptada pelo Governo, foi também publicado,

Leia mais

Atribuições dos Tecnólogos

Atribuições dos Tecnólogos UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL TECNOLOGIA EM CONTRUÇÃO CIVIL EDIFÍCIOS E ESTRADAS Atribuições dos Tecnólogos Prof.ª Me. Fabiana Marques Maio / 2014 SOBRE O TECNÓLOGO Segundo

Leia mais

Título I. Dos Princípios Gerais

Título I. Dos Princípios Gerais CORDENADORIA DO NPJ Criado pela Resolução 01/99 Colegiado Superior REGULAMENTO Dispõe sobre o funcionamento da Coordenadoria do Núcleo de Prática Jurídica e seus órgãos no Curso de Graduação em Direito.

Leia mais

LEI Nº 2.581/2009. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a seguinte Lei:

LEI Nº 2.581/2009. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a seguinte Lei: LEI Nº 2.581/2009 DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE CAETÉ. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 6.124 DE 2005. (Apensados: PL nº 5.448/01 e PL nº 2.276/07)

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 6.124 DE 2005. (Apensados: PL nº 5.448/01 e PL nº 2.276/07) COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 6.124 DE 2005 (Apensados: PL nº 5.448/01 e PL nº 2.276/07) Define o crime de discriminação dos portadores do vírus da imunodeficiência

Leia mais