O PAPEL DOS FORNECEDORES PRIVADOS DE ÁGUA EM MOÇAMBIQUE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O PAPEL DOS FORNECEDORES PRIVADOS DE ÁGUA EM MOÇAMBIQUE"

Transcrição

1 O PAPEL DOS FORNECEDORES PRIVADOS DE ÁGUA EM MOÇAMBIQUE Suzana Saranga Loforte Gestora de Recursos Hídricos & Meio Ambiente Direcção Nacional de Águas Ministério das Obras Públicas e Habitação de Moçambique Luanda, 24 a 27 de Setembro de 2013 CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE ENERGIA E ÁGUAS INTERNATIONAL CONFERENCE ON ENERGY AND WATER Centro de Convenções de Talatona, Luanda 24 a 27 de Setembro de 2013

2 Conteúdo da apresentação 1. Contextualização 2. Quadro Legal e Institucional 3. Os Pequenos Fornecedores Privados de Água Serviços Evolução Estratégia do Sector Objetivos da Integração Proposta de Regulamento

3 Contextualização de AA Urbano População total de Moçambique estimada em 24 milhões, 67% vive nas zonas rurais e cerca de 7 milhões residem nas zonas urbanas. Desenvolvimento urbano e imigração resultam numa alta taxa de urbanização, estimada em 5% ano. Projecções da população urbana apontam a curto prazo para 52%. Maioria da população urbana vive nos bairros periféricos com serviços básicos de água aquém da demanda. Cobertura de água rural estimada em 50% e urbana em 69%.

4 CONTEXTUALIZAÇÃO: ABASTECIMENTO DE ÁGUA URBANA Evolução e Impacto da Gestão Delegada Até 1975 Princípios anos 90: : : : Serviços Municipais de Água e Electricidade (SMAE); 1977 Colapso dos Serviços; Património de Água transferido para Empresas Estatais de Água. Má gestão das empresas de água; Sistemas em degradação; Dificuldades na mobilização de Investimentos. Reforma profunda do Sector abastecimento de água (Criação do FIPAG e CRA) Implementação do Programa Quinquenal do Governo Criação da AIAS 60% ODM 70% % 40% % %

5 Estratégias do Sector Estratégia de Gestão dos Recursos Hídricos Protocolo da SADC sobre os Cursos de Água Compartilhados e Acordos Quadro de Gestão Delegada 1998 Estratégia de Abastecimento de Água e Saneamento Urbano ( ) Plano Estratégico de Abastecimento de Água e Saneamento Rural ( ) Modelos de Gestão de PSAA Regulamento de Licenças e Concessões Regulamento de Exploração de Águas Subterrâneas

6 Actual Quadro do Abastecimento de Água Urbano CONSELHO DE MINISTROS MOPH DNA GOVERNO PROVINCIAL CRA (1998) FIPAG (1998) AIAS (2009) OPERADORES DOS SISTEMAS DELEGAÇÕES PROVINCIAIS MOPH Ministerio das Obras Publicas e Habitacao DNA Direccao Nacional de Aguas CRA Conselho de Regulacao de Aguas FIPAG Fundo de Investimento e Patrimonio dom Abastecimento de Agua AIAS Administração de Infra-estruturas de Água e Saneamento OPERADORES DOS SISTEMAS SERVIÇOS AUTÓNOMOS

7 ABASTECIMENTO DE ÁGUA NAS ZONAS URBANAS Impacto da Gestão Delegada Pop. Servida: (18%) Horas: 11 Pop. Servida: (98%) Horas: 22 Nivel de Serviço Pop. Servida: (27%) Horas: 20 Pop. Servida total: (73%) Horas (média): 21 Pop. Servida: (90%) Horas: 18 Pop. Servida: (54%) Horas: 20 Pop. Servida: (66%) Horas: 9 Pop. Servida: (52%) Horas: 24 Pop. Servida: (34%) Horas: 22 Pop. Servida: (89%) Horas: 24 Pop. Servida: (95%) Horas: 24 Pop. Servida: (77%) Horas: 21 Pop. Servida: (73%) Horas: 16 Pop. Servida: (97%) Horas: 24 7 Pop. Servida: (97%) Horas: 24

8 ABASTECIMENTO DE ÁGUA NAS ZONAS URBANAS Pemba ETA Pemba -Setembro 2006 Lichinga ETA Tete Dezembro 2006 Moatize Tete Cuamba Nampula Nacala Angoche ETA Nampula - Março 2008 Quelimane Chimoio Manica Dondo ETA/Reservatório Chimoio Março 2012 Gondola Beira ETA Licuari - Março 2006 Reservatório Elevado Chókwè 2007 Chókwè Xai-Xai Boane Matola Maputo Maxixe Inhambane Captação no Rio Pungue - Março 2007 Legenda Região Norte Região Centro Região Sul Maputo 1ª Conferência ETA Internacional Umbeluzi sobre Dezembro Energia 2011 e Águas 1st International Conference Conduta on Adutora Energy and Water ETA Maxixe - Junho 2007

9 Os FPAs em Moçambique Surgimento associado ao facto de o investimento público não ter estado no mesmo passo que a demanda (crescimento das cidades muito acelerado pós conflito armado) A rede pública abrange sobretudo na zona de cimento Inicialmente construídos para suprir necessidades individuais Baixa taxa de cobertura e de serviços nas zonas periurbanas Transformados em negócio devido a incapacidade dos sistemas públicos de satisfazer a demanda da crescente população urbana

10 Pequenos Sistemas dos FPAs 500 FPA S 800 PSAA LD pessoas servidas 20% da população Evolução dos FPAs 10

11 Caracterização dos FPAs Envergadura dos Pequenos Sistemas (PS) 50% 40% 38% 30% 30% 20% 20% 10% 8% 4% 0% PS Domésticos [0 20] LD PS de Pequena Envergadura ]20-100] LD PS de Média Envergadura ] ] LD PS de Média Envergadura ] ]LD PS de Grande Envergadura LD Investimento inicial predominante: 30 Mil USD (furo, equipamento de bombagem e reservatórios em alguns casos rede primária); Rede e ligações na maior parte dos casos pagos pelos clientes; Tarifa predominante por m MZM/m3 (contra a média 22 MZM/m3 no sistema público)

12 Caracterização dos FPAs Materiais e infra-estruturas que não seguem as especificações técnicas estabelecidas Qualidade de água geralmente não recomendada e serviços baixos (horas, pressão etc.) Exploração intensiva dos aquíferos (água subterrânea) Degradação ambiental Actividade ainda não regulada pelo Estado Entretanto, organizados em Associações com Estatutos devidamente reconhecidos

13 Situação actual

14 Situação actual Maiores FPAs Nº Sistemas Ligações domiciliárias FPA A FPA B FPA C FPA D FPA E FPA F Este grupo controla 20% do abastecimento de água pelos FPAs Famílias que dependem deste negócio (viúvas e mulheres chefes de família/única fonte de rendimento) Expansão da Rede Pública vs Rede FPAs Sobreposição dos projectos públicos (em curso e futuros) com os sistemas dos FPAs CONFLITO Indemnizações/compensações por parte do Estado Aspectos a considerar na preparação dos projectos (investimentos públicos mais onerosos)

15 Medidas do Sector Enquadrar os FPAs de acordo com as Políticas e Estratégias do Sector e de forma transparente e gradual. Integrar os FPAs em sistemas públicos à medida que estes últimos se vão expandido. Licenciar a actividade de Prestação de Serviços de Abastecimento de Água por FPAs, como instrumento do desenvolvimento deste negócio Clarificar os papéis e responsabilidades dos diferentes intervenientes Elaborar o Regulamento de Licenciamento da actividade

16 Objectivos de integração dos FPAs Cumprir a obrigação do Estado de dar água potável a população e proteger a saúde pública; Assegurar a aplicação de tarifas socialmente sustentáveis; Assegurar a complementaridade do serviço público e compatibilizar as actividades dos FPAs com os operadores públicos; Definir áreas de serviço e de expansão Controlar a sobre-exploração dos aquíferos Encorajar a adopção de normas técnicas adequadas; Assegurar a qualidade dos serviços; Garantir actividades dos FPAs consistentes com planos de investimento Estabelecer mecanismos para a resolução de conflitos e recuperação dos investimentos

17 Regulamento de Licenciamento Âmbito: actividade de fornecimento de água para consumo humano por privados, através de sistemas de distribuição de água canalizada, por fontanários, por quiosques Autoridades Licenciadoras: Administrador do Distrito ou Presidente do Município Definidos os papéis de outras entidades públicas: DNA, DPOPH (Governo Provincial), Ministério da Saúde, Ministério de Coordenação da Acção Ambiental, Administrações Regionais de Águas, Conselho de Regulação de Águas Licenciamento: Processo, validade (5 anos) e as condições da sua renovação Direitos e deveres: dos FPAs e das entidades licenciadoras

18 A DNA agradece pela oportunidade de ter partilhado a experiência e os desafios no envolvimento de todos interessados no abastecimento de água para que todo moçambicano tenha acesso a água potável. KANIMANBO

República de Moçambique Ministério das Obras Públicas e Habitação. ABASTECIMENTO DE ÁGUA NAS PRINCIPAIS CIDADES Projectos e Cooperação

República de Moçambique Ministério das Obras Públicas e Habitação. ABASTECIMENTO DE ÁGUA NAS PRINCIPAIS CIDADES Projectos e Cooperação República de Moçambique Ministério das Obras Públicas e Habitação ABASTECIMENTO DE ÁGUA NAS PRINCIPAIS CIDADES Projectos e Cooperação Pedro Paulino Maio 2013 CONTEÚDO 1. CONTEXTO INSTITUCIONAL: Quadro

Leia mais

Jornadas Técnicas Africa Subsahariana Água e Saneamento. Madrid 4-8 de Maio de 2009

Jornadas Técnicas Africa Subsahariana Água e Saneamento. Madrid 4-8 de Maio de 2009 Jornadas Técnicas Africa Subsahariana Água e Saneamento Madrid 4-8 de Maio de 2009 O Governo de Moçambique aprovou a Politica Nacional de Águas em 1995. Em 1998 o FIPAG foi criado para representar o Governo

Leia mais

A INTERNACIONALIZAÇÃO DO SETOR PORTUGUÊS DA ÁGUA. ÁguaGlobal

A INTERNACIONALIZAÇÃO DO SETOR PORTUGUÊS DA ÁGUA. ÁguaGlobal ÁguaGlobal MOÇAMBIQUE CLUSTER DA ÁGUA ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO MOÇAMBIQUE DADOS GERAIS BREVE APRESENTAÇÃO DO ESTUDO DO SETOR DA ÁGUA EM MOÇAMBIQUE SETOR DA ÁGUA EM MOÇAMBIQUE Enquadramento Dados Estatísticos

Leia mais

Internet Como um Serviço Essencial

Internet Como um Serviço Essencial Internet Como um Serviço Essencial [O Desenvolvimento da Banda Larga e o Crescimento da Economia Digital ] 20 de Nov de 2015 americo@incm Pontos de Apresentação 1. Banda larga em Moçambique; 2. Como desenvolver

Leia mais

SISTEMAS SOLARES PEQUENOS (SSP) Uma solução viável para comunidades grandes vivendo em zonas rurais de Moçambique

SISTEMAS SOLARES PEQUENOS (SSP) Uma solução viável para comunidades grandes vivendo em zonas rurais de Moçambique SISTEMAS SOLARES PEQUENOS (SSP) Uma solução viável para comunidades grandes vivendo em zonas rurais de Moçambique Por: Nilton Trindade CONTEÚDO DA APRESENTAÇÃO 1 Objectivos da apresentação 2 Conceito de

Leia mais

SÍNTESE DA SESSÃO 1- ABASTECIMENTO DE ÁGUA: APRESENTAÇÕES RESULTADOS DOS GRUPOS DE TRABALHO Água rural, Água urbana RESULTADOS DO GRUPO VIP

SÍNTESE DA SESSÃO 1- ABASTECIMENTO DE ÁGUA: APRESENTAÇÕES RESULTADOS DOS GRUPOS DE TRABALHO Água rural, Água urbana RESULTADOS DO GRUPO VIP 1 SÍNTESE DA SESSÃO 1- ABASTECIMENTO DE ÁGUA: APRESENTAÇÕES RESULTADOS DOS GRUPOS DE TRABALHO Água rural, Água urbana RESULTADOS DO GRUPO VIP 2 APRESENTAÇÕES Acesso universal aos serviços básicos do AA

Leia mais

POLÍTICA DE ÁGUAS (PROPOSTA)

POLÍTICA DE ÁGUAS (PROPOSTA) REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS E HABITAÇÃO DIRECÇÃO NACIONAL DE ÁGUAS POLÍTICA DE ÁGUAS (PROPOSTA) Junho de 2006 1 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 VISÃO, PRINCIPAIS OBJECTIVOS E POLÍTICAS

Leia mais

Projetos Internacionais

Projetos Internacionais Projetos Internacionais Projetos Nacionais de Desenvolvimento Nacional de Água (I e II) - Banco Mundial (IDA) Cerca de 130 milhões USD (1998-2007) para a produção de água em zonas rurais e urbanas e para

Leia mais

Gestão Delegada dos Serviços de Abastecimento de Água Urbana em Moçambique RESUMO DO ESTUDO DE CASO DO FIPAG E CRA

Gestão Delegada dos Serviços de Abastecimento de Água Urbana em Moçambique RESUMO DO ESTUDO DE CASO DO FIPAG E CRA Gestão Delegada dos Serviços de Abastecimento de Água Urbana em Moçambique RESUMO DO ESTUDO DE CASO DO FIPAG E CRA Logo após ter sido introduzida, 1999, a Gestão Delegada do serviço de abastecimento de

Leia mais

Custos das Fontes Dispersas em Moçambique

Custos das Fontes Dispersas em Moçambique Folheto Informativo Moç. C 01 Custos das Fontes Dispersas em Moçambique Análise dos custos unitários dos contractos de 2009 Júlia Zita, Arjen Naafs WASHCost Dezembro, 2010 O objectivo deste documento da

Leia mais

Apresentação da DHV. Local delivery of world-class solutions. DHV 2012 All rights reserved

Apresentação da DHV. Local delivery of world-class solutions. DHV 2012 All rights reserved Apresentação da DHV Local delivery of world-class solutions DHV 2012 All rights reserved Grupo DHV Serviços de Consultoria Multidisciplinares 4,300 Colaboradores 70 Escritórios em 20 países 95 anos de

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS DIRECÇÃO NACIONAL DE PLANIFICAÇÃO E ORÇAMENTO ORÇAMENTO CIDADÃO

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS DIRECÇÃO NACIONAL DE PLANIFICAÇÃO E ORÇAMENTO ORÇAMENTO CIDADÃO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS DIRECÇÃO NACIONAL DE PLANIFICAÇÃO E ORÇAMENTO ORÇAMENTO CIDADÃO 5ᵃ Edição ORÇAMENTO CIDADÃO 2016 Visão: Assegurar a participação do Cidadão em

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE CONSELHO DE REGULAÇÃO DE ÁGUAS JULHO 2013 RELATÓRIO AO GOVERNO 2012 Conteúdo Acrónimos... II Nota Prévia... III Sumário Executivo... 1 1 Objectivos Estratégicos do CRA 2010/2012

Leia mais

Caracterização do Sector Português da Água

Caracterização do Sector Português da Água Caracterização do Sector Português da Água ÁGUAGLOBAL A Internacionalização do Sector Português da Água AEP - Edifício de Serviços 19 de Abril de 2012 Centro Empresarial Torres de Lisboa Rua Tomás da Fonseca,

Leia mais

A Regulação, Barómetro do Desenvolvimento!

A Regulação, Barómetro do Desenvolvimento! 1 Nota Prévia A Regulação, Barómetro do Desenvolvimento! O abastecimento de água das principais cidades atingiu níveis elevados de autosustentabilidade e de cobertura, resultado de um esforço continuado

Leia mais

ÁGUA E SAÚDE PÚBLICA. Estratégia de Desenvolvimento do Sector de Aguas de Moçambique.

ÁGUA E SAÚDE PÚBLICA. Estratégia de Desenvolvimento do Sector de Aguas de Moçambique. Públicas e Habitação 1 CONGRESSO DE ENGENHEIROS DE LÍNGUA PORTUGUESA ÁGUA E SAÚDE PÚBLICA Estratégia de Desenvolvimento do Sector de Aguas de Moçambique. DNA 18 OUTUBRO 2012 Maputo, October Outubro de2011

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS DIRECÇÃO NACIONAL DO ORÇAMENTO ORÇAMENTO CIDADÃO 2015. (Versão Preliminar)

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS DIRECÇÃO NACIONAL DO ORÇAMENTO ORÇAMENTO CIDADÃO 2015. (Versão Preliminar) REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS DIRECÇÃO NACIONAL DO ORÇAMENTO ORÇAMENTO CIDADÃO 2015 (Versão Preliminar) Maio de 2015 1 Orçamento Cidadão 2015 Visão: Assegurar a participação

Leia mais

Gestão descentralizada dos sistemas de abastecimento de água: desafios de eficiência e sustentabilidade. Três estudos de caso

Gestão descentralizada dos sistemas de abastecimento de água: desafios de eficiência e sustentabilidade. Três estudos de caso 2 Gestão descentralizada dos sistemas de abastecimento de água: desafios de eficiência e sustentabilidade. Três estudos de caso André Uandela 1. Introdução No presente capítulo o autor pretende fazer uma

Leia mais

Síntese da Conferência

Síntese da Conferência Síntese da Conferência Sob o lema Saneamento para Todos, Responsabilidade de Todos realizou-se de 14 a 16 de Maio de 2014, a Conferência Nacional de Saneamento, no Centro de Conferências Joaquim Chissano,

Leia mais

A absorção financeira no sector da água, do saneamento e da higiene 1

A absorção financeira no sector da água, do saneamento e da higiene 1 A absorção financeira no sector da água, do saneamento e da higiene 1 Estudo de caso de Moçambique 1 A WaterAid encarregou a Development Finance International (DFI) para realizar uma análise da absorção

Leia mais

Plano de Desenvolvimento na Área da Energia em Moçambique

Plano de Desenvolvimento na Área da Energia em Moçambique Plano de Desenvolvimento na Área da Energia em Moçambique Augusto de Sousa Fernando asousa@edm.co.mz 1 Electricidade de Moçambique (EDM) Empresa Nacional de Electricidade, responsável pela Produção, Transporte,

Leia mais

Dotar o território de instrumentos de planeamento de gestão compatíveis com a preservação e conservação dos recursos;

Dotar o território de instrumentos de planeamento de gestão compatíveis com a preservação e conservação dos recursos; 1. Medida 3.5.: Apoio ao Desenvolvimento do Sistema Ambiental e do Ordenamento 2. Descrição Esta medida contempla o apoio aos investimentos a realizar nos domínios do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento

Leia mais

Eleições Autárquicas 2013

Eleições Autárquicas 2013 Eleições Autárquicas 2013 Boletim sobre o processo político em Moçambique Número EA 28 1 de Agosto de 2013 Editor: Joseph Hanlon Editor Adjunto: Adriano Nuvunga Chefe de redação: Fatima Mimbire Repórter:

Leia mais

COMÉRCIO, COMO CATALISADOR DE SERVIÇOS

COMÉRCIO, COMO CATALISADOR DE SERVIÇOS REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE GOVERNO DA PROVÍNCIA DO NIASSA COMÉRCIO, COMO CATALISADOR DE SERVIÇOS O orador: Horácio Deusdado Gervásio Linaula (Director Provincial) ESTRUTURA No âmbito desta Conferência Sobre

Leia mais

Utilizando a Riqueza dos Recursos Naturais para Melhorar o Acesso à Água e Saneamento em Moçambique

Utilizando a Riqueza dos Recursos Naturais para Melhorar o Acesso à Água e Saneamento em Moçambique Utilizando a Riqueza dos Recursos Naturais para Melhorar o Acesso à Água e Saneamento em Moçambique 2013 2015 Programa da Austrália para a Pesquisa em Desenvolvimento O projecto Financiamento: Programa

Leia mais

Universidade Eduardo Mondlane

Universidade Eduardo Mondlane Universidade Eduardo Mondlane - Pobreza Urbana Intercâmbio entre a Ciência e a Prática - 16 Abril de 2008 Governação Municipal Participativa e a Redução da Pobreza Fernando Vieira 1 2 Estrutura e Objectivo

Leia mais

PARTICIPAÇÃO DA REPÚBLICA DE ANGOLA NA GESTÃO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS INTERNACIONAIS

PARTICIPAÇÃO DA REPÚBLICA DE ANGOLA NA GESTÃO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS INTERNACIONAIS PARTICIPAÇÃO DA REPÚBLICA DE ANGOLA NA GESTÃO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS INTERNACIONAIS Armindo Mário Gomes da Silva Engº Civil UAN DIRECTOR GERAL DO GABHIC CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE ENERGIA E ÁGUAS

Leia mais

Informação Semanal de Mercados Agrícolas no País, Região e Mundo. Preço do Arroz Cai em Alguns Mercados

Informação Semanal de Mercados Agrícolas no País, Região e Mundo. Preço do Arroz Cai em Alguns Mercados 05 de Janeiro de 2006 Quente-Quente No. 548 Informação Semanal de Mercados Agrícolas no País, Região e Mundo Publicação do Sistema de Informação de Mercados Agrícolas (SIMA) Ministério da Agricultura -

Leia mais

L ATITUDE PEMBA O MAR NO HORIZONTE

L ATITUDE PEMBA O MAR NO HORIZONTE L ATITUDE PEMBA O MAR NO HORIZONTE TANZÂNIA Mocimboa da Praia MALAWI Lichinga NIASSA CABO DELGADO NAMPULA Pemba Nacala TETE TETE ZAMBEZIA PEMBA MANICA SOFALA Quelimane CHIMOIO BEIRA para Hararre GAZA INHAMBANE

Leia mais

Desenvolvimento Municipal em Moçambique: As Lições da Primeira Década

Desenvolvimento Municipal em Moçambique: As Lições da Primeira Década Relatório No: 47876-MZ Desenvolvimento Municipal em Moçambique: As Lições da Primeira Década (Em dois volumes) Volume I: Síntese Maio 2009 AFTU1 Região de Africa Documento do Banco Mundial Public Disclosure

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA À REDE DE CONSULTORES

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA À REDE DE CONSULTORES FORMULÁRIO DE CANDIDATURA À REDE DE CONSULTORES da empresa da pessoa de contacto Data: Detalhes de contacto País: Data de preenchimento: Telefone: Fax: e-mail: Caixa Postal: 1. CONSULTORES Os consultores

Leia mais

Perspectivas de Desenvolvimento das Comunicações

Perspectivas de Desenvolvimento das Comunicações O PAPEL DAS COMUNICAÇÕES NO CRESCIMENTO ECONÓMICO Perspectivas de Desenvolvimento das Comunicações Apresentaçāo: Ema Maria dos Santos Chicoco PCA Autoridade Reguladora das Comunicações de Moçambique (INCM)

Leia mais

Electricidade um factor estratégico de crescimento e desenvolvimento Segunda Conferência RELOP Cabo Verde 6, 7 e 8 Julho de 2009

Electricidade um factor estratégico de crescimento e desenvolvimento Segunda Conferência RELOP Cabo Verde 6, 7 e 8 Julho de 2009 Luanda Electricidade um factor estratégico de crescimento e desenvolvimento Segunda Conferência RELOP Cabo Verde 6, 7 e 8 Julho de 2009 Declaração de VISÃO & MISSÃO (o que queremos ser) Consolidar e Liderar

Leia mais

MINISTÉRIO DA ENERGIA E ÁGUAS

MINISTÉRIO DA ENERGIA E ÁGUAS MINISTÉRIO DA ENERGIA E ÁGUAS DECLARAÇÃO ALUSIVA AO DIA MUNDIAL DA ÁGUA 22 DE MARÇO DE 2016 Água e Emprego DECLARAÇÃO ALUSIVA AO DIA MUNDIAL DA ÁGUA O dia 22 de Março foi instituído em 1992 pela Organização

Leia mais

Fórum da Conectividade Rural

Fórum da Conectividade Rural FUNDO DO SERVIÇO DE ACESSO UNIVERSAL (FSAU) Fórum da Conectividade Rural O Fundo do Serviço de Acesso Universal e o seu papel na promoção de parcerias Público- Privadas para a conectividade rural Apresentado

Leia mais

OPORTUNIDADES DO AGRONEGÓCIO EM MOÇAMBIQUE

OPORTUNIDADES DO AGRONEGÓCIO EM MOÇAMBIQUE OPORTUNIDADES DO AGRONEGÓCIO EM MOÇAMBIQUE 1 O CEPAGRI (1-3) 2 Criado através do Decreto nº 20/2006 de 29 de Junho como instituição subordinada ao Ministério da Agricultura Criado com objectivo de: Estimular

Leia mais

Previsão Climática para o Período Outubro-2008 a Março-2009

Previsão Climática para o Período Outubro-2008 a Março-2009 Previsão Climática para o Período Outubro-2008 a Março-2009 Na elaboração desta previsão climática sazonal tomou-se em consideração a interação do sistema Oceano-Atmosfera e suas implicações para o clima

Leia mais

A Evolução dos Serviços de Água em Portugal

A Evolução dos Serviços de Água em Portugal A Evolução dos Serviços de Água em Portugal AcquaLifeExpo Lisboa, 22-25 de Março de 2012 Centro Empresarial Torres de Lisboa Rua Tomás da Fonseca, Torre G 8º 1600-209 LISBOA - PORTUGAL www.ersar.pt Tel.:

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO. Valores

SUMÁRIO EXECUTIVO. Valores SUMÁRIO EXECUTIVO O Plano Estratégico da Província de Inhambane para o período 2011-2020 (PEP II) é parte integrante do processo provincial de planificação do Governo, com a finalidade de promover o desenvolvimento

Leia mais

Parte 4 Recursos e Serviços públicos

Parte 4 Recursos e Serviços públicos Parte 4 Recursos e Serviços públicos GOVERNAÇÃO LOCAL E MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS PARA FINANCIAR SERVIÇOS BÁSICOS. ESTUDOS DE CASO: ÁGUA E SAÚDE Introdução e resumo Descentralização e governação local têm

Leia mais

POLÍTICA E ESTRATÉGIA DE HABITAÇÃO PARA MOÇAMBIQUE

POLÍTICA E ESTRATÉGIA DE HABITAÇÃO PARA MOÇAMBIQUE POLÍTICA E ESTRATÉGIA DE HABITAÇÃO PARA MOÇAMBIQUE Apresentado por :Zefanias Chitsungo (Director Nacional de Habitação e Urbanismo) INTRODUÇÃO Moçambique tem mais de 20 milhões de habitantes; sendo que

Leia mais

PROPOSTA DO PLANO ECONÓMICO E SOCIAL PARA 2013

PROPOSTA DO PLANO ECONÓMICO E SOCIAL PARA 2013 REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ENERGIA DIRECÇÃO DE ESTUDOS E PLANIFICA ÇÃO PROPOSTA DO PLANO ECONÓMICO E SOCIAL PARA 2013 Nampula, 16 de Agosto de 2012 MINISTÉRIO DA ENERGIA 1 1. CONTEXTUALIZAÇÃO

Leia mais

Workshop Mercado de Angola

Workshop Mercado de Angola Papel das Instituições Financeiras Multilaterais e dos Instrumentos Financeiros de Cooperação Bilateral Competências do Coordenação da actividade do MFAP no âmbito das relações internacionais Gestão da

Leia mais

15 de Janeiro de 2014 Quente-Quente No. 967

15 de Janeiro de 2014 Quente-Quente No. 967 15 de Janeiro de 2014 Quente-Quente No. 967 Informação Semanal de Mercados Agrícolas no País, Região e Mundo Publicação do Sistema de Informação de Mercados Agrícolas (SIMA) Ministério da Agricultura -

Leia mais

Direitos das Comunidades Realidade ou retórica

Direitos das Comunidades Realidade ou retórica Direitos das Comunidades Realidade ou retórica Síntese das conclusões e r ecomendações principais da consulta na Zona Nor te (Cabo Delgado, Niassa e Nampula) Zona Centro (Manica, Sofala, Zambézia e Tete)

Leia mais

As instituições de auditoria chinesas no desenvolvimento da auditoria de resultados

As instituições de auditoria chinesas no desenvolvimento da auditoria de resultados Comunicação da cerimónia de abertura (Bao Guoming, Directora do Departamento de Auditoria do Sector Público Administrativo do Gabinete Nacional de Auditoria da China) As instituições de auditoria chinesas

Leia mais

DECLARAÇÃO DE SUNDSVALL

DECLARAÇÃO DE SUNDSVALL DECLARAÇÃO DE SUNDSVALL PROMOÇÃO DA SAÚDE E AMBIENTES FAVORÁVEIS À SAÚDE 3ª Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde Sundsvall, Suécia, 9 15 de Junho de 1991 Esta conferência sobre Promoção da

Leia mais

Projecto AMC em Moçambique

Projecto AMC em Moçambique MICOA Projecto AMC em Moçambique Assembleia Geral de Horizont3000 20.11.2014 Page 1 Enquadramento do Projecto AMC-Moz Projecto de cooperação bilateral entre a Republica de Moçambique e a Republica Federal

Leia mais

BOLETIM DA REPÚBLICA 5.º SUPLEMENTO PUBLICAÇÃO OFICIAL DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE. Segunda-feira, 14 de Novembro de 2011 I SÉRIE Número 45

BOLETIM DA REPÚBLICA 5.º SUPLEMENTO PUBLICAÇÃO OFICIAL DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE. Segunda-feira, 14 de Novembro de 2011 I SÉRIE Número 45 Segunda-feira, 14 de Novembro de 2011 I SÉRIE Número 45 BOLETIM DA REPÚBLICA PUBLICAÇÃO OFICIAL DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE 5.º SUPLEMENTO IMPRENSA NACIONAL DE MOÇAMBIQUE, E.P. Ministério das Obras Públicas

Leia mais

VII REUNIÓN DEL PANEL TÉCNICO DE APOYO DE LA CODIA, Foz do Iguaçu, 22 Novembro 2012

VII REUNIÓN DEL PANEL TÉCNICO DE APOYO DE LA CODIA, Foz do Iguaçu, 22 Novembro 2012 Evolución de la gestión de recursos hídricos e de los servicios del agua en Portugal Evolução da gestão de recursos hídricos e serviços de água em Portugal António Guerreiro de Brito Parceria Portuguesa

Leia mais

Centro Cultural de Belém

Centro Cultural de Belém Audição Pública sobre a proposta de regulamentação do Gás Natural Centro Cultural de Belém Perspectiva dos consumidores A opinião da COGEN Portugal A. Brandão Pinto Presidente da Comissão Executiva ÍNDICE

Leia mais

Análise do Financiamento no Sector de Água e Saneamento em Moçambique

Análise do Financiamento no Sector de Água e Saneamento em Moçambique Análise do Financiamento no Sector de Água e Saneamento em Moçambique Ficha Técnica TÍTULO: PROPRIEDADE: AUTOR: REVISÃO LINGUÍSTICA: LAYOUT E MAQUETIZAÇÃO: IMPRESSÃO: TIRAGEM: Análise do Financiamento

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 267XI/1.ª LINHA DE CRÉDITO BONIFICADO DE APOIO À ACTIVIDADE AGRÍCOLA

PROJECTO DE LEI N.º 267XI/1.ª LINHA DE CRÉDITO BONIFICADO DE APOIO À ACTIVIDADE AGRÍCOLA Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 267XI/1.ª LINHA DE CRÉDITO BONIFICADO DE APOIO À ACTIVIDADE AGRÍCOLA Exposição de motivos São conhecidas as dificuldades económicas que parte das empresas agrícolas

Leia mais

5 de Março de 2015 Quente-Quente No. 1025

5 de Março de 2015 Quente-Quente No. 1025 5 de Março de 2015 Quente-Quente No. 1025 Informação Semanal de Mercados Agrícolas no País, Região e Mundo Publicação do Sistema de Informação de Mercados Agrícolas (SIMA) Ministério da Agricultura - Direcção

Leia mais

PROGRAMA GEODATA FOMENTO HABITACIONAL E PROMOTORES URBANISTICOS

PROGRAMA GEODATA FOMENTO HABITACIONAL E PROMOTORES URBANISTICOS PROGRAMA GEODATA FOMENTO HABITACIONAL E PROMOTORES URBANISTICOS Referência GDT_20150607_PUFH Versão 3 Data 07 de Junho de 2015 META-INFORMAÇÃO: Título Fomento Habitacional e Promotores Urbanísticos Data

Leia mais

CONSELHO COORDENADOR DO MINISTÉRIO DE ENERGIA PROJECTO DE CONSTRUÇÃO DA FÁBRICA DE PAINEIS SOLARES EM MOÇAMBIQUE

CONSELHO COORDENADOR DO MINISTÉRIO DE ENERGIA PROJECTO DE CONSTRUÇÃO DA FÁBRICA DE PAINEIS SOLARES EM MOÇAMBIQUE Energia Para CONSELHO COORDENADOR DO MINISTÉRIO DE ENERGIA PROJECTO DE CONSTRUÇÃO DA FÁBRICA DE PAINEIS SOLARES EM MOÇAMBIQUE Apresentado por: Dr.ª Miquelina Menezes PCA Nampula, Agosto de 2012 BREVE DESCRIÇÃO

Leia mais

RUMO AO FUTURO QUE QUEREMOS. Acabar com a fome e fazer a transição para sistemas agrícolas e alimentares sustentáveis

RUMO AO FUTURO QUE QUEREMOS. Acabar com a fome e fazer a transição para sistemas agrícolas e alimentares sustentáveis RUMO AO FUTURO QUE QUEREMOS Acabar com a fome e fazer a transição para sistemas agrícolas e alimentares sustentáveis O futuro que queremos não se concretizará enquanto a fome e a subnutrição persistirem,

Leia mais

28 de Janeiro de 2015 Quente-Quente No. 1020

28 de Janeiro de 2015 Quente-Quente No. 1020 28 de Janeiro de 2015 Quente-Quente No. 1020 Informação Semanal de Mercados Agrícolas no País, Região e Mundo Publicação do Sistema de Informação de Mercados Agrícolas (SIMA) Ministério da Agricultura

Leia mais

PESGRU - Plano Estratégico para a Gestão de Resíduos Urbanos em Angola

PESGRU - Plano Estratégico para a Gestão de Resíduos Urbanos em Angola PESGRU - Plano Estratégico para a Gestão de Resíduos Urbanos em Angola 1º CONGRESSO DOS ENGENHEIROS DE LÍNGUA PORTUGUESA 18 de Setembro de 2012 Agenda da apresentação do PESGRU I. Enquadramento do PESGRU

Leia mais

Audiência Parlamentar Internacional em Moçambique Maputo, 19 de Setembro de 2009 1. ELECTRIFICAÇÃO RURAL EM MOÇAMBIQUE Moçambique é rico em recursos energéticos, como é o caso da energia hidroeléctrica,

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ORÇAMENTO DO ESTADO

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ORÇAMENTO DO ESTADO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO S FINANÇAS RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ORÇAMENTO DO ESTADO ANO 2012 JANEIRO A JUNHO RELATÓRIO 1. Introdução 2. Equilíbrio Orçamental 3. Receitas do Estado 4. Financiamento

Leia mais

NOVO REGIME DE ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO SECTOR PETROLÍFERO

NOVO REGIME DE ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO SECTOR PETROLÍFERO NOVO REGIME DE ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO SECTOR PETROLÍFERO A Lei n.º 28/11, de 01.09., estabelece as bases gerais de organização e funcionamento aplicáveis às seguintes atividades: (i) refinação

Leia mais

Decreto Presidencial n.º 152/11, de 13 de Junho

Decreto Presidencial n.º 152/11, de 13 de Junho Decreto Presidencial n.º 152/11, de 13 de Junho Página 1 de 16 Considerando a importância histórica, paisagística, turística e a localização privilegiada do perímetro demarcado do Futungo de Belas, o Conselho

Leia mais

A PARCERIA PORTUGUESA PARA A ÁGUA Visita da Delegação da Comissão de Recursos Hídricos do Rio das Pérolas 17 de Maio 2011

A PARCERIA PORTUGUESA PARA A ÁGUA Visita da Delegação da Comissão de Recursos Hídricos do Rio das Pérolas 17 de Maio 2011 O que quer que possuamos, duplica o seu valor quando temos a oportunidade de o partilhar com outros. JEAN-NICOLAS BOUILLY (1763-1842) A PARCERIA PORTUGUESA PARA A ÁGUA Visita da Delegação da Comissão de

Leia mais

DOS SISTEMAS MUNICIPAIS PARA A CRIAÇÃO DE UMA EMPRESA INTERMUNICIPAL DE ÁGUA E SANEAMENTO NA ILHA DE SANTIAGO

DOS SISTEMAS MUNICIPAIS PARA A CRIAÇÃO DE UMA EMPRESA INTERMUNICIPAL DE ÁGUA E SANEAMENTO NA ILHA DE SANTIAGO CÂMARA MUNICIPAL DA PRAIA DOS SISTEMAS MUNICIPAIS PARA A CRIAÇÃO DE UMA EMPRESA INTERMUNICIPAL DE ÁGUA E SANEAMENTO NA ILHA DE SANTIAGO - A reforma em curso e as necessidades em investimentos imediatos

Leia mais

19 de Junho de 2013 Quente-Quente No. 937

19 de Junho de 2013 Quente-Quente No. 937 19 de Junho de 2013 Quente-Quente No. 937 Informação Semanal de Mercados Agrícolas no País, Região e Mundo Publicação do Sistema de Informação de Mercados Agrícolas (SIMA) Ministério da Agricultura - Direcção

Leia mais

(2005/C 71/13) TENDO EM CONTA o seu parecer sobre a Avaliação do programa IDA e uma segunda fase do programa IDA (CdR 44/98 fin) (4);

(2005/C 71/13) TENDO EM CONTA o seu parecer sobre a Avaliação do programa IDA e uma segunda fase do programa IDA (CdR 44/98 fin) (4); Parecer do Comité das Regiões sobre a «Comunicação da Comissão ao Conselho, ao Parlamento Europeu, ao Comité Económico e Social Europeu e ao Comité das Regiões Ligar a Europa em alta velocidade: Estratégias

Leia mais

Condições Gerais de Acesso Forma de Cedência

Condições Gerais de Acesso Forma de Cedência Regulamento Municipal de Atribuição de Lotes para Instalação de Atividades Económicas, publicado pelo Aviso n.º 8063/2008, de 14 de março, com as alterações introduzidas pelo Regulamento n.º 492/2011,

Leia mais

III.2. Do Plano de Acção à Subvenção Global: A contratualização com Associação de Municípios no âmbito do INAlentejo

III.2. Do Plano de Acção à Subvenção Global: A contratualização com Associação de Municípios no âmbito do INAlentejo III.2. Do Plano de Acção à Subvenção Global: A contratualização com Associação de Municípios no âmbito do INAlentejo A contratualização com associações de municípios no âmbito dos Programas Operacionais,

Leia mais

Proposta preliminar para discussão com. Versão de 23 de abril de 2004. Potenciais Parceiros Privados

Proposta preliminar para discussão com. Versão de 23 de abril de 2004. Potenciais Parceiros Privados Proposta preliminar para discussão com Versão de 23 de abril de 2004 Potenciais Parceiros Privados Apresentação O Governo do Estado de Minas Gerais, com a publicação da Lei nº 14.868, de 16 de dezembro

Leia mais

AS ENERGIAS RENOVÁVEIS EM ANGOLA: DESAFIOS E OPORTUNIDADES

AS ENERGIAS RENOVÁVEIS EM ANGOLA: DESAFIOS E OPORTUNIDADES AS ENERGIAS RENOVÁVEIS EM ANGOLA: DESAFIOS E OPORTUNIDADES Engª Sandra Cristóvão Directora Nacional de Energias Renováveis Ministério da Energia e Águas Luanda, 24 a 27 de Setembro de 2013 CONFERÊNCIA

Leia mais

22 Todas as províncias X X Unidades Orgânicas do MDN MDN. 5 Maputo X X Unidades Orgânicas do MDN MDN

22 Todas as províncias X X Unidades Orgânicas do MDN MDN. 5 Maputo X X Unidades Orgânicas do MDN MDN Programa: Fortalecimento da gestão institucional Objectivo do Programa: Consolidar as bases jurídico-legais que definam os princípios orientadores do funcionamento das instituições da Defesa Indicador

Leia mais

Avaliação do Instrumento de Apoio a Políticas Económicas (PSI) 2010-2012

Avaliação do Instrumento de Apoio a Políticas Económicas (PSI) 2010-2012 REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Avaliação do Instrumento de Apoio a Políticas Económicas (PSI) 2010-2012 Elaborado Por: Ministério das Finanças Ministério da Planificação e Desenvolvimento Banco de Moçambique

Leia mais

DESTAQUES LEGISLATIVOS ABRIL 2015

DESTAQUES LEGISLATIVOS ABRIL 2015 ANGOLA DESTAQUES LEGISLATIVOS AVIAÇÃO CIVIL LEI N.º 4/15 ASSEMBLEIA NACIONAL DIÁRIO DA REPÚBLICA Iª SÉRIE N.º 50, DE 10 DE ABRIL DE 2015 Sumário: Lei de Alteração à Lei n.º 1/08, de 16 de Janeiro Lei da

Leia mais

Diretrizes para os Serviços Públicos de Saneamento Básico

Diretrizes para os Serviços Públicos de Saneamento Básico Diretrizes para os Serviços Públicos de Saneamento Básico As competências constitucionais Competência para prestação de serviços públicos locais (CF, art. 30) Compete aos Municípios:... V - organizar e

Leia mais

Tax News Flash n.º 7/2015 Construir o futuro

Tax News Flash n.º 7/2015 Construir o futuro 8 de Outubro de 2015 Tax News Flash n.º 7/2015 Construir o futuro Aprovação do Regulamento do Procedimento para a Realização do Investimento Privado realizado ao abrigo da Lei do Investimento Privado em

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA ELABORAÇÃO DE PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DOS MUNICÍPIOS DE BRASIL NOVO, MEDICILÂNDIA, URUARÁ E PLACAS PROJETO042/2014

Leia mais

ESTRATÉGIAS DO GOVERNO E OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO NO AGRONEGÓCIO EM MOÇAMBIQUE

ESTRATÉGIAS DO GOVERNO E OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO NO AGRONEGÓCIO EM MOÇAMBIQUE ESTRATÉGIAS DO GOVERNO E OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO NO AGRONEGÓCIO EM MOÇAMBIQUE 1 Preparada para o Lançamento da Nova Aliança para a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 11 de Abril de 2013 Moçambique:

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE SAÚDE PÚBLICA PANORAMA DO SANEAMENTO BÁSICO NO PAÍS

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE SAÚDE PÚBLICA PANORAMA DO SANEAMENTO BÁSICO NO PAÍS MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE SAÚDE PÚBLICA PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO 2007-2010 INFRA-ESTRUTURA SOCIAL E URBANA SANEAMENTO PANORAMA DO SANEAMENTO

Leia mais

Exmo. Senhor Presidente do Pelouro do Trabalho da Confederação das Associações Económicas de Moçambique,

Exmo. Senhor Presidente do Pelouro do Trabalho da Confederação das Associações Económicas de Moçambique, Senhores Membros do Conselho de Ministros Excelências, Exmo. Senhor Presidente do Pelouro do Trabalho da Confederação das Associações Económicas de Moçambique, Exmo Senhor Secretário-geral da Organização

Leia mais

Secretaria de Estado para o Desenvolvimento Rural

Secretaria de Estado para o Desenvolvimento Rural Secretaria de Estado para o Desenvolvimento Rural Decreto-Lei n.º 1/09 de 28 de Abril Tendo em conta a nova orgânica do Governo que de entre outros órgãos institui a Secretaria de Estado para o Desenvolvimento

Leia mais

ANEXO 3. A floresta portuguesa FACTOS E NÚMEROS

ANEXO 3. A floresta portuguesa FACTOS E NÚMEROS ANEXO 3 FACTOS E NÚMEROS A floresta portuguesa 1. Os espaços florestais ocupam 5,4 milhões de hectares e representam cerca de dois terços da superfície de Portugal Continental. Destes, 3,4 milhões de hectares

Leia mais

e.mail: anip.caf@multitel.co.ao República de Angola

e.mail: anip.caf@multitel.co.ao República de Angola República de Angola 1 FORUM DE NEGOCIOS ANGOLA - ARGENTINA Córdoba, 20 de Mayo de 2010 santprata@hotmail.com 2 Slide 2/2 Quadro Legal sobre o Investimento Garantias ao Investidor Incentivos ao Investimento

Leia mais

SPEED/Presentations/2011/001. Doing Business. Como Melhorar o Ranking de Moçambique? Perspectiva de curto prazo. PSWG 13 de Abril de 2011

SPEED/Presentations/2011/001. Doing Business. Como Melhorar o Ranking de Moçambique? Perspectiva de curto prazo. PSWG 13 de Abril de 2011 SPEED/Presentations/2011/001 Doing Business Como Melhorar o Ranking de Moçambique? Perspectiva de curto prazo PSWG 13 de Abril de 2011 1 1. Introdução 1.1. Critérios para a identificação das reformas Exequibilidade

Leia mais

Projecto Luanda km 9 Furo

Projecto Luanda km 9 Furo Projecto Luanda km 9 Furo Voluntários com Asas é uma iniciativa que nasceu dentro da TAP com o objectivo de reunir trabalhadores com vontade e disponibilidade para desenvolver acções de voluntariado. Os

Leia mais

Regulação dos Serviços Públicos de Saneamento Básico e os Resíduos da Construção Civil

Regulação dos Serviços Públicos de Saneamento Básico e os Resíduos da Construção Civil Regulação dos Serviços Públicos de Saneamento Básico e os Resíduos da Construção Civil Lei n 4.285 de 26 de dezembro de 2008 Art. 5º São áreas de competência da ADASA: I recursos hídricos, compreendidos

Leia mais

Relatório de Comunicação de Progresso

Relatório de Comunicação de Progresso Mcel Moçambique Celular SARL Telecomunicações móveis Relatório de Comunicação de Progresso PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS AÇUCENA PAUL apaul@mcel.co.mz Período 2006-2008 www.mcel.co.mz Descrição de acções

Leia mais

INVESTIMENTO PRIVADO AGOSTO 2011

INVESTIMENTO PRIVADO AGOSTO 2011 AGOSTO 2011 O Papel da Iniciativa Privada tem sido crescente Reconhece-se que isso tem contribuído para que os transportes cumpram melhor os objectivos essenciais a que se destinam. Considera-se como objectivo

Leia mais

ACTUALIZAÇÃO ANUAL DO PROGRAMA DE ESTABILIDADE E CRESCIMENTO: PRINCIPAIS LINHAS DE ORIENTAÇÃO. 11 de Março de 2011

ACTUALIZAÇÃO ANUAL DO PROGRAMA DE ESTABILIDADE E CRESCIMENTO: PRINCIPAIS LINHAS DE ORIENTAÇÃO. 11 de Março de 2011 Ministério das Finanças e da Administração Pública ACTUALIZAÇÃO ANUAL DO PROGRAMA DE ESTABILIDADE E CRESCIMENTO: PRINCIPAIS LINHAS DE ORIENTAÇÃO 11 de Março de 2011 Enquadramento No actual quadro de incerteza

Leia mais

AEROPORTOS DE MOÇAMBIQUE, E.P

AEROPORTOS DE MOÇAMBIQUE, E.P AEROPORTOS DE MOÇAMBIQUE, E.P 1. PROGRAMA DE INVESTIMENTOS 2. AEROPORTO INTERNACIONAL DE MAPUTO Maputo, 30 Nov 2010 INTRODUÇÃO Devido a dinâmica de desenvolvimento dos últimos tempos, algumas unidades

Leia mais

BOLETIM DA REPÚBLICA 11.º SUPLEMENTO PUBLICAÇÃO OFICIAL DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE. Sexta-feira, 30 de Dezembro de 2011 I SÉRIE Número 52 SUMÁRIO

BOLETIM DA REPÚBLICA 11.º SUPLEMENTO PUBLICAÇÃO OFICIAL DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE. Sexta-feira, 30 de Dezembro de 2011 I SÉRIE Número 52 SUMÁRIO Sexta-feira, 30 de Dezembro de 2011 I SÉRIE Número 52 BOLETIM DA REPÚBLICA PUBLICAÇÃO OFICIAL DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE 11.º SUPLEMENTO IMPRENSA NACIONAL DE MOÇAMBIQUE, E.P. Conselho de Ministros: Decreto

Leia mais

Formulário para a apresentação de candidaturas. à gestão do Eixo 3 do PRODERAM. Estratégias Locais de Desenvolvimento

Formulário para a apresentação de candidaturas. à gestão do Eixo 3 do PRODERAM. Estratégias Locais de Desenvolvimento Parametrização Formulário para a apresentação de candidaturas à gestão do Eixo 3 do PRODERAM Estratégias Locais de Desenvolvimento Informação Relativa ao Território Declaro que autorizo a utilização dos

Leia mais

A Estrategia de Desenvolvimento Rural e o Programa de Promoção do Uso dos Recursos Naturais para o Desenvolvimento

A Estrategia de Desenvolvimento Rural e o Programa de Promoção do Uso dos Recursos Naturais para o Desenvolvimento REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO ESTATAL Direcção Nacional de Promoção do Desenvolvimento Rural A Estrategia de Desenvolvimento Rural e o Programa de Promoção do Uso dos Recursos Naturais

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS DIRECÇÃO NACIONAL DO ORÇAMENTO

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS DIRECÇÃO NACIONAL DO ORÇAMENTO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS DIRECÇÃO NACIONAL DO ORÇAMENTO ORÇAMENTO CIDADÃO 4ª Edição, 2015 Visão: Assegurar a participação do Cidadão em todas as fases do processo orçamental

Leia mais

PwC s Academy Luanda Centro e Talatona

PwC s Academy Luanda Centro e Talatona www.pwc.pt/academy Luanda Centro e Talatona Cursos práticos em Novembro de 2014 Formação profissional a realizar em Luanda Centro e em Talatona em Angola Formação de profissionais para profissionais Estarei

Leia mais

GUIA PARA A FORMAÇÃO DE ENTIDADES A CREDENCIAR NO ÂMBITO DA SCIE

GUIA PARA A FORMAÇÃO DE ENTIDADES A CREDENCIAR NO ÂMBITO DA SCIE GUIA PARA A FORMAÇÃO DE ENTIDADES A CREDENCIAR NO ÂMBITO DA SCIE 1/17 Índice 1. Introdução... 3 2. Formação... 4 2.1 Objectivos gerais do curso... 4 2.2. Conteúdos programáticos... 4 2.3. Equipa formativa...

Leia mais

Província de Cabinda

Província de Cabinda Província de Cabinda Conselho de Ministros Decreto-Lei n.º 1/07 De 2 de Janeiro Considerando a necessidade da aprovação do Estatuto Especial para a Província de Cabinda estabelecido nos termos do Memorando

Leia mais

PROJECTOS EM PIPELINE DO SECTOR DE ÁGUAS

PROJECTOS EM PIPELINE DO SECTOR DE ÁGUAS PROJECTOS EM PIPELINE DO SECTOR DE ÁGUAS Direcção Nacional de Águas (DNA), Maputo, 31 de Maio de 2013 1 CONTEÚDO 1. ORGANIZAÇÃO INSTITUCIONAL 2. FONTES E MECANISMO DE FINANCIAMENTO DE PROJECTOS 3. PROCESSO

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA SAÚDE DIRECÇÃO NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA. Situação da epidemia de Cólera em Moçambique em 2009

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA SAÚDE DIRECÇÃO NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA. Situação da epidemia de Cólera em Moçambique em 2009 REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA SAÚDE DIRECÇÃO NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA Situação da epidemia de Cólera em Moçambique em 2009 Maputo, Janeiro de 2010 I. Introdução Tradicionalmente, a epidemia de

Leia mais

Necessidade de Capacitação Institucional para os Próximos Três Anos

Necessidade de Capacitação Institucional para os Próximos Três Anos REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS Reforço da Gestão Macro Fiscal No Contexto da Exploração dos Recursos Naturais Necessidade de Capacitação Institucional para os Próximos Três Anos Por: Isabel

Leia mais