OPORTUNIDADES DO AGRONEGÓCIO EM MOÇAMBIQUE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OPORTUNIDADES DO AGRONEGÓCIO EM MOÇAMBIQUE"

Transcrição

1 OPORTUNIDADES DO AGRONEGÓCIO EM MOÇAMBIQUE 1

2 O CEPAGRI (1-3) 2 Criado através do Decreto nº 20/2006 de 29 de Junho como instituição subordinada ao Ministério da Agricultura Criado com objectivo de: Estimular e apoiar o exercício da actividade empresarial e da iniciativa privada em agronegócio; Estabelecer mecanismos de diálogo entre os intervenientes de forma a identificar estratégias e políticas adequadas e favoráveis ao investimento privado que promovam o agronegócio e a agroindústria.

3 O CEPAGRI (2-3) 3 Desempenha 3 papéis fundamentais: Promoção do sector comercial agrário e agroindustrial, de forma a maximizar a sua contribuição no desenvolvimento socioeconómico do país; Atracção de investimento privado para o sector comercial agrário e agro-industrial; Promoção do desenvolvimento de um sector comercial agrário e agro-industrial eficiente e sustentável

4 O CEPAGRI (3-3) 4 Açúcar Arroz Horticultura Avicultura Tabaco Coco Biocombustíveis No âmbito das suas atribuições e competências, o CEPAGRI tem a responsabilidade de promover as seguintes cadeias de agronegócio cruciais para o país

5 Estrutura da Apresentação 5 I. Informação Geral do Sector II. III. IV. Nas pontecialidades Agrícolas em Moçambique Na tendência da produção, importação e exportações agricolas Nas oportunidades de agronegócio V. Nossa Experiência na promoção do agronegócio VI. Desafios do Agronegócio

6 I. INFORMAÇÃO GERAL DO SECTOR Agricultura é o sector chave da economia e apresenta um desempenho Contribuição do Sector da Agricultura na Economia 12,0% PIB (2012) Emprego 10,0% 25% 20% 8,0% 6,0% Sector de Agricultura 80% 4,0% PIB 2,0% Agricultura Outros sectores 0,0% O sector da agricultura contribui com 25% do PIB e emprega cerca de 80% da massa laboral De 2008 a 2013, o País registou um crescimento médio anual de 7.1% e o sector cresceu a uma taxa de 4.6% ao ano Fonte: INE, Banco Mundial; Foster & Rosenzweig (2008)

7 7 II. POTENCIALIDADES AGRÍCOLAS DE MOÇAMBIQUE (1-2) O potencial do país pode ser visto em quatro áreas chaves Investimentos significativos pelo sector privado Previsão de mais de USD 14 bilhões em investimentos em infraestrutura até 2020 Várias parcerias público-privadas inovadoras 36 milhões ha de terra arável, maioritariamente disponível para investimento Clima tropical e subtropical com solos férteis e precipitação abundante Os principais rios oferecem enorme potencial de irrigação Condições Agro- Climáticas Ideais Ambiente Propício para Investimentos Comprometimento do Governo ao Crescimento do Sector Privado Dinâmica s Fortes de Mercado Economia forte e crescente (PIB crescendo em média ~8% ao nos últimos 10 anos Oportunidades para a substituição de diversas importações agrícolas Oportunidades para produzir para exportações Localização Desenvolvimento agrário visto como crucial para o desenvolvimento Costeira: fácil nacional acesso aos mercados Programas governamentais de incentivos para empresas internacionais Instituições específicas criadas para auxiliar os investidores

8 8 II. POTENCIALIDADES AGRICOLAS DE MOÇAMBIQUE (2-2) O (PEDSA) identifica seis corredores de crescimento para atrair investimento Maputo, Limpopo Pemba-Lichinga, Nacala, Zambeze e Beira, bem como as cadeias de valor para receber atenção especial em cada corredor Tete Manica Niassa Sofala Zambézia Gaza Inhambane Maputo Localizações aproximadas Cabo Delgado Nampula Corredor Pemba- Lichinga Nacala Vale do Zambeze Beira Limpopo Maputo Cadeias de valor Batata, trigo, feijões, milho, soja, algodão, tabaco e frangos Mandioca, milho, algodão, fruta, frangos e amendoim Arroz, milho, batata, bovinos, caprinos, algodão e frangos Milho, trigo, hortícolas, frangos, soja, arroz e bovinos Arroz, hortícolas, bovinos e frangos Arroz, hortícolas, bovinos e frangos Nota: Este mapa não considera a região comum entre o corredor de Beira e o Vale do Zambeze. Fonte: CEPAGRI, PEDSA

9 9 III. TENDÊNCIA DO SECTOR: Produção de Culturas Alimentares (1-6) A produção de algumas culturas alimentares, com destaque para mapira, arroz, batata reno e feijão, cresceu muito mais rápido do que a economia no geral ou a população do país Cultura Produção Média Anual, Produção Média Anual, Crescimento vs Crescimento Médio Anual Arroz ,82% 18,11% Mapira ,94% 16,65% Batata Reno ,98% 11,84% Feijão ,31% 9,76% Mandioca ,55% 7,35% Milho ,31% 7,16% Batata Doce ,18% 3,22% A economia de Moçambique cresce 7-8% por ano, ligado parcialmente aos grandes projectos de investimento no sector de energia (carvão & gás). Fonte: FAOSTAT, MINAG

10 10 III. TENDÊNCIA DO SECTOR: Produção de Culturas de Rendimento(2-6) A produção de gergelim e banana cresceu acima do dobro da última década Cultura Produção Média Anual, Produção Média Anual, Crescimento vs Crescimento Médio Annual Gergelim ,28% 30,42% Banana ,43% 17,76% Açúcar ,16% 6,83% Amendoim ,11% 4,25% Cajú ,45% 3,96% Tabaco ,38% 2,36% Fonte: FAOSTAT, MINAG

11 11 III. TENDÊNCIA DO SECTOR: Exportações Agrícolas (3 6) O valor das exportações dos produtos agrários mais importantes aumentou significativamente nos últimos anos, com destaque para tabaco, bananas, madeira e açúcar Fonte: Banco de Moçambique, UNCTAD

12 12 III. TENDÊNCIA DO SECTOR: Exportações Agrícolas(4-6) Os países Asiáticos já contam entre os principais destinos das exportações agrícolas de Moçambique. Na perspectiva de Portugal ser um dos principais destinos de exportação (Banana) o MINAG assinou neste ano um Memorando sobre Medidas Sanitárias e Fitosanitárias País de Destino Valor de Exportação 2012 (USD Milhões) Principais produtos exportados Irão 151,7 Banana China 87,9 Madeira, Oleaginosas, Algodão Malasia 82,8 Madeira India 67,7 Frutas, Horticolas Itália 59,5 Açúcar Zimbabwe 56,5 Farinha Polónia 51,9 Açúcar, Tabaco Espanha 51,4 Açúcar, Frutas Holanda 40,6 Tabaco África do Sul 36,6 Frutas, Oleaginosas, Horticolas Fonte: International Trade Center

13 13 III. TENDÊNCIA DO SECTOR: Importações Agrícolas(5-6) O trigo, o arroz, o óleo vegetal e os lacticínios são os produtos agrícolas mais importados Para estas cadeias de valor, existem oportunidades de investimento em termos de substituição das importações, porque o país tem as condições agro-climáticas para a sua produção. Fonte: Banco de Moçambique, UNCTAD

14 Milhões de USD 14 III. TENDÊNCIA DO SECTOR: Exportações e Importações Agrícolas(6-6) A balança comercial agrícola continua negativa o país é um importador líquido de produtos agricolas o que sugere maior oportunidade de negócio local para a substituição destas importações Exportações e Importações Agricolas* Exportações Importações Balança * Usou-se como definição de agrícolas as Categorias de SITC Revision (27+28). Inclui pescas Fonte: International Trade Center, UN Comtrade

15 15 IV. OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO Das várias oportunidades em Moçambique, podemos destacar o potencial de investimento de 12 cadeias de valor estratégicas Arroz Soja Milho Banana Oportunidade s de Investimento Cana de açúcar Mandioc a Algodão Frutas e Vegetais Aves Castanh a de caju Pecuária Floresta Fonte: CEPAGRI, Grow Africa Conference 2012

16 16 V. NOSSA EXPERIÊNCIA NO AGRONEGÓCIO(1-5) Nas Políticas e Estratégias: Plano Estratégico para o Desenvolvimento do Sector Agrário (PEDSA) Plano Nacional de Investimento do Sector Agrário (PNISA), com período de implementação ; Plano Director para o Desenvolvimento do Agronegócio (PDDA), com horizonte temporal ; Programa de Mecanização Agrária; Programa Nacional de Fertilizantes e o respectivo Regulamento sobre Gestão de Fertilizantes; Regulamento de Sementes; Programa de Irrigação Programa de Zoneamento Agrário

17 17 V. NOSSA EXPERIÊNCIA NO AGRONEGÓCIO(2-5) Na Mobilização do Financiamento: Criadas as linhas especiais de crédito com taxas de juros bonificadas ( Hortícolas e Avicultura); Linha para o reforço da mecanização agrária; Mobilizados recursos junto dos parceiros para financiar o agronegócio através de programas específicos: Corredor de Desenvolvimento Agrário da Beira (BAGC); Programa de Desenvolvimento do Sector Privado (PDSP-AgroInveste); Programa de Desenvolvimento de Cadeias de Valor no Corredor do Limpopo - PROSUL (Hortícolas, Mandioca e Pecuária). Na Promoção de Jovens Agricultores Nas áreas de produção, comercialização e consultoria (SEPPA, BINZO, AGRO-NHACUTSI e VERDE CAMPO)

18 18 V. NOSSA EXPERIÊNCIA NO AGRONEGÓCIO(3-5) Nos Incentivos a Produção: Aprovado o diploma ministerial nº 118/2005 de 13 de Junho, que aprova as instruções especificas sobre o uso de incentivos da taxa incidente sobre o gasóleo no sector agrícola; Aprovado o decreto nº 1/2010, de 17 de Fevereiro, que introduz o sistema tarifário de venda da energia eléctrica em média tensão para o sistema de irrigação destinados a produção de alimentos, reduzida em 10% do custo por Kwatt/hora; Aprovado Lei 4/2012 sobre IRPC, estipulando que actividades agrícola e pecuária beneficiam, até 31 de Dezembro de 2015, um redução da taxa em 80%; e até Dezembro de 2015, uma redução em 50%;

19 V. NOSSA EXPERIÊNCIA NO AGRONEGÓCIO(4-5) 19 Apoio a Cadeias de Valor Específicas (Cont.) Açucar: Em curso a implementação do plano de acção do sector do açúcar Biocombustiveis: implementação o Programa de Desenvolvimento dos Biocombustiveis no quadro da Política e Estratégia de Biocombustíveis Na promoção de Fóruns e Feiras Agrárias Realização de Feiras Nacionais de Agronegócio Participação e Reserva de espaço para exposição do Sector Privado Realização de feiras rurais através das nossas Delegações Provinciais

20 VI. DESAFIOS DO AGRONEGÓCIO O desafio central é de traduzir as oportunidades agro-ecológicas em dinâmicas inclusivas de geração de riqueza, através da criação de emprego e promoção de produtores emergentes Acções Principais previstas no Área Desafios Principais Plano do Desenvolvimento do Agronegócio Tecnologias Apropriadas Capacitação Técnica Financiamento Infraestrutura s Elevar produtividade agrária Melhorar o acesso as tecnologias e insumos melhorados; Capacitação dos produtores e empresários e Promover envolvimento de jovens no agronegócio Melhorar o acesso ao financiamento Melhorar a gestão de riscos Melhorar a provisão de infraestruturas Estabelecimento de Centros de Serviços (Pilar I) mecanização, lojas de insumos, unidades de processamento e assistência técnica Desenvolvimento Capital Humano (Pilar II) Vocação empresarial, transferência de tecnologias, incubadoras de agronegócio Financiamento (Pilar IV) Linhas de crédito, Fundo de Garantia, Promoção de seguro agrário Acesso ao Infrastruturas Mercados Infraestruturas (Pilar VI) vias de acesso, electrificação, unidades de agroprocessamento

21 Nota: Dois processos em Paraleo ETAPAS PARA REGULARIZAÇÃO DO DUAT E DO PROJECTO DE INVESTIMENTO Processo I: Proposta de Investimento Processo 2: Aquisicao de Terra O CPI é o decisor final, responsável pela aprovação da proposta de investimento. Um dos requisitos mais importantes para a aprovação é a aquisição do direito do uso da terra. Porém este é muito mais complicado do que uma aplicação de papel e exige trabalho de campo, tal como indicado a direita. 1. Proposta de investimento (IP) é entregues ao CPI Identificacao do Local / Provincia de interesse Visita a DPA-Direccao Provincial de Agricultura DPA diz sim ha Terra disponivel Fazer consulta comunitária (são necessários Recursos para esse processo) Emissao da acta da consulta Comunitaria Submeter a proposta de Investimento a DPA 2a. MIC aprovaç 2b. 2c. 2d. MINAG MoE MICOA aprovaç aprovação Aprova AIA CEPAGRI 8a. 8b. 7. DPA submete a proposta de Investimento (PI) ao Governo da Provincia Se PI>1,000 ha, Governador dá parecer e encaminha ao MINAG para a sua aprovação (Se<1,000 ha a aprovação do Governador será suficiente) DNTF Apreciação do CEPAGRI (repare que CEPAGRI recebe propostas vindas da DNTF e CPI) 3. CPI Aprovacao do Processo I 9. Assinatura do MINAG e Termino do Processo Se PI>10,000 Ha,a aprovacao do MINAG é insuficiente CPI Aprovação do processo I e II Se PI>10,000 ha PI Conselho Economico Se aprovado CEPAGRI, Ministry of Agriculture PI Conselho de Ministros Se aprovado Atribuição De DUAT provisório (2 anos)

22 22 Invista em Moçambique Obrigado Para mais informações sobre as oportunidades disponíveis em Moçambique, por favor contactar: Centro de Promoção da Agricultura (CEPAGRI) Rua da Gávea nº33, Caixa Postal nº 1772, Maputo, Moçambique

Oportunidades de Investimento no Sector Agrario em Mocambique

Oportunidades de Investimento no Sector Agrario em Mocambique Oportunidades de Investimento no Sector Agrario em Mocambique Apresentado pelo Director do Centro de Promoção da Agricultura Abdul Cesar Mussuale Turino, Fevereiro 2012 Estrutura de Apresentacao I. Informacao

Leia mais

OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO NO AGRONEGÓCIO EM MOÇAMBIQUE

OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO NO AGRONEGÓCIO EM MOÇAMBIQUE REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E SEGURANÇA ALIMENTAR OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO NO AGRONEGÓCIO EM MOÇAMBIQUE ABRIL, 2015 Estrutura da Apresentação 2 I. Papel do CEPAGRI II. III. IV.

Leia mais

ESTRATÉGIAS DO GOVERNO E OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO NO AGRONEGÓCIO EM MOÇAMBIQUE

ESTRATÉGIAS DO GOVERNO E OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO NO AGRONEGÓCIO EM MOÇAMBIQUE ESTRATÉGIAS DO GOVERNO E OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO NO AGRONEGÓCIO EM MOÇAMBIQUE 1 Preparada para o Lançamento da Nova Aliança para a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 11 de Abril de 2013 Moçambique:

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA Direcção Nacional dos Serviços Agrários

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA Direcção Nacional dos Serviços Agrários MINISTÉRIO DA AGRICULTURA Direcção Nacional dos Serviços Agrários AVALIAÇÃO PRELIMINAR DA CAMPANHA AGRÍCOLA 2009-10 Conteúdo da Apresentação 1. Previsão da estação chuvosa 2009/10 e interpretação na agricultura;

Leia mais

Estimulando o investimento sustaintavel na agricultura. Catalysing sustainable Investment in Agriculture

Estimulando o investimento sustaintavel na agricultura. Catalysing sustainable Investment in Agriculture Estimulando o investimento sustaintavel na agricultura Catalysing sustainable Investment in Agriculture Oportunidade de Investmento no Corredor da Beira Quase 10 milhões de hectares de solos apropriados

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO PARA O DESENVOLVIMENTO DO SECTOR AGRÁRIO PEDSA 2011-2020

PLANO ESTRATÉGICO PARA O DESENVOLVIMENTO DO SECTOR AGRÁRIO PEDSA 2011-2020 República de Moçambique Ministério da Agricultura PLANO ESTRATÉGICO PARA O DESENVOLVIMENTO DO SECTOR AGRÁRIO PEDSA 2011-2020 3 de Maio 2011 1 I. Contextualização II. Fundamentação III. Visão e Missão IV.

Leia mais

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA E COMÉRCIO INSTITUTO PARA A PROMOÇÃO DE EXPORTAÇÕES - IPEX

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA E COMÉRCIO INSTITUTO PARA A PROMOÇÃO DE EXPORTAÇÕES - IPEX 1 MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA E COMÉRCIO INSTITUTO PARA A PROMOÇÃO DE EXPORTAÇÕES - IPEX MOÇAMBIQUE Informação Geral IPEX Instituto para a Promoção de Exportações POTENCIAIS SECTORES DE EXPORTAÇÃO Por Provincia

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CLIMA DE INVESTIMENTOS EM MOÇAMBIQUE

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CLIMA DE INVESTIMENTOS EM MOÇAMBIQUE REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CLIMA DE INVESTIMENTOS EM MOÇAMBIQUE CONTEÚDO 1 Razões para investir em Moçambique 2 Evolução do Investimento

Leia mais

Financiamento Bancário em Moçambique Sector da Água

Financiamento Bancário em Moçambique Sector da Água Financiamento Bancário em Moçambique Sector da Água Tiago Valença Pinto Maputo, 31 de Maio de 2013 tiago.pinto@mozabanco.co.mz O PIB Moçambicano cresceu 7,5% em 2012 e a inflação manteve-se em patamares

Leia mais

MIC REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA E COMÉRCIO DIRECÇÃO NACIONAL DO COMÉRCIO

MIC REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA E COMÉRCIO DIRECÇÃO NACIONAL DO COMÉRCIO INFOCOM MIC REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA E COMÉRCIO DIRECÇÃO NACIONAL DO COMÉRCIO Boletim Especial/Setembro de 7 DNC/MIC BOLETIM ESPECIAL DO BALANÇO ALIMENTAR ABRIL DE 7 A MARÇO DE 8

Leia mais

Instituto Nacional de Irrigação. A Perspectiva das Instituições Contratantes 31 de Maio de 2013

Instituto Nacional de Irrigação. A Perspectiva das Instituições Contratantes 31 de Maio de 2013 Instituto Nacional de Irrigação 31 de Maio de 2013 Estrutura da apresentação I. Reforma do subsector de irrigação em Moçambique II. O INIR - Instituto Nacional de Irrigação 1. Objectivos 2. Organização

Leia mais

Apresentação Do Banco. Setembro de 2010

Apresentação Do Banco. Setembro de 2010 Apresentação Do Banco Setembro de 2010 Conteúdos Onde estamos Missão Valores Accionistas Nosso mercado Responsabilidade social Factos Contactos Onde estamos Onde Estamos O Banco Terra está representado,

Leia mais

A expansão dos recursos naturais de Moçambique Quais são os Potenciais Impactos na Competitividade da Agricultura?

A expansão dos recursos naturais de Moçambique Quais são os Potenciais Impactos na Competitividade da Agricultura? A expansão dos recursos naturais de Moçambique Quais são os Potenciais Impactos na Competitividade da Agricultura? Outubro 2014 A agricultura é um importante contribuinte para a economia de Moçambique

Leia mais

Fórum da Conectividade Rural

Fórum da Conectividade Rural FUNDO DO SERVIÇO DE ACESSO UNIVERSAL (FSAU) Fórum da Conectividade Rural O Fundo do Serviço de Acesso Universal e o seu papel na promoção de parcerias Público- Privadas para a conectividade rural Apresentado

Leia mais

Plano de Comercialização Agrícola para 2011 e 2012

Plano de Comercialização Agrícola para 2011 e 2012 MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA E COMÉRCIO Plano de Comercialização Agrícola para 2011 e 2012 1 Estrutura de apresentação Objectivo do Plano Caracterização geral da comercialização agrícola Principais Intervenientes

Leia mais

QUADRO DO SETOR ALIMENTAR EM SANTA CATARINA 1. PANORAMA DO SETOR DE ALIMENTOS EM SANTA CATARINA

QUADRO DO SETOR ALIMENTAR EM SANTA CATARINA 1. PANORAMA DO SETOR DE ALIMENTOS EM SANTA CATARINA Câmara Italiana de Comércio e Indústria de Santa Catarina (Órgão reconhecido pelo Governo Italiano Decreto Mise29/7/2009) Tel.: +55 48 3027 2710 / Fax: +55 48 3222 2898 www.brasileitalia.com.br info@brasileitalia.com.br

Leia mais

Internet Como um Serviço Essencial

Internet Como um Serviço Essencial Internet Como um Serviço Essencial [O Desenvolvimento da Banda Larga e o Crescimento da Economia Digital ] 20 de Nov de 2015 americo@incm Pontos de Apresentação 1. Banda larga em Moçambique; 2. Como desenvolver

Leia mais

ESTÁGIO DA AGRICULTURA EM MOÇAMBIQUE OPORTUNIDADES E DESAFIOS SEMINÁRIO DA CTA FACIM 2013

ESTÁGIO DA AGRICULTURA EM MOÇAMBIQUE OPORTUNIDADES E DESAFIOS SEMINÁRIO DA CTA FACIM 2013 ESTÁGIO DA AGRICULTURA EM MOÇAMBIQUE OPORTUNIDADES E DESAFIOS SEMINÁRIO DA CTA FACIM 2013 1 1 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO I. INFORMAÇÃO GERAL DO SECTOR II. ESTÁGIO DO SECTOR AGRÁRIO III. TENDÊNCIAS DO SECTOR

Leia mais

Centro de Promoção de Investimentos. Rafique Jusob

Centro de Promoção de Investimentos. Rafique Jusob Centro de Promoção de Investimentos Rafique Jusob CPI - Centro de Promoção de Investimentos O CPI oferece um pacote de serviços para assistência aos investidores nacionais e estrangeiros facilitando o

Leia mais

D456789: N;74:<;= >:? S65A48:? AB5;54:? MINAG D6G;5H;I6<H: >6 CJ=HJ5;? 6 AA4?: P5KA4: Boas Perspecvas de produção para a Campanha Agrícola 2014-15.

D456789: N;74:<;= >:? S65A48:? AB5;54:? MINAG D6G;5H;I6<H: >6 CJ=HJ5;? 6 AA4?: P5KA4: Boas Perspecvas de produção para a Campanha Agrícola 2014-15. D456789: N;74::? S65A48:? AB5;54:? MINAG D6G;5H;I66 CJ=HJ5;? 6 AA4?: P5KA4: Edição Nº 01 Campanha Agrícola 2014/15 Publicado em: 02/10/2014 B A Em Foco Boas Perspecvas de produção para a Campanha

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ORÇAMENTO DO ESTADO

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ORÇAMENTO DO ESTADO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO S FINANÇAS RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ORÇAMENTO DO ESTADO ANO 2012 JANEIRO A JUNHO RELATÓRIO 1. Introdução 2. Equilíbrio Orçamental 3. Receitas do Estado 4. Financiamento

Leia mais

O PAPEL DOS FORNECEDORES PRIVADOS DE ÁGUA EM MOÇAMBIQUE

O PAPEL DOS FORNECEDORES PRIVADOS DE ÁGUA EM MOÇAMBIQUE O PAPEL DOS FORNECEDORES PRIVADOS DE ÁGUA EM MOÇAMBIQUE Suzana Saranga Loforte Gestora de Recursos Hídricos & Meio Ambiente Direcção Nacional de Águas Ministério das Obras Públicas e Habitação de Moçambique

Leia mais

A Estrategia de Desenvolvimento Rural e o Programa de Promoção do Uso dos Recursos Naturais para o Desenvolvimento

A Estrategia de Desenvolvimento Rural e o Programa de Promoção do Uso dos Recursos Naturais para o Desenvolvimento REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO ESTATAL Direcção Nacional de Promoção do Desenvolvimento Rural A Estrategia de Desenvolvimento Rural e o Programa de Promoção do Uso dos Recursos Naturais

Leia mais

Comunicado de imprensa sobre a Auscultação Pública à volta da versão inicial do Plano Director do ProSAVANA

Comunicado de imprensa sobre a Auscultação Pública à volta da versão inicial do Plano Director do ProSAVANA Programa de Cooperação Trilateral para o Desenvolvimento Agrário do Corredor de Nacala (ProSAVANA) Comunicado de imprensa sobre a Auscultação Pública à volta da versão inicial do Plano Director do ProSAVANA

Leia mais

5 de Março de 2015 Quente-Quente No. 1025

5 de Março de 2015 Quente-Quente No. 1025 5 de Março de 2015 Quente-Quente No. 1025 Informação Semanal de Mercados Agrícolas no País, Região e Mundo Publicação do Sistema de Informação de Mercados Agrícolas (SIMA) Ministério da Agricultura - Direcção

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS DIRECÇÃO NACIONAL DE PLANIFICAÇÃO E ORÇAMENTO ORÇAMENTO CIDADÃO

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS DIRECÇÃO NACIONAL DE PLANIFICAÇÃO E ORÇAMENTO ORÇAMENTO CIDADÃO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS DIRECÇÃO NACIONAL DE PLANIFICAÇÃO E ORÇAMENTO ORÇAMENTO CIDADÃO 5ᵃ Edição ORÇAMENTO CIDADÃO 2016 Visão: Assegurar a participação do Cidadão em

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO. Valores

SUMÁRIO EXECUTIVO. Valores SUMÁRIO EXECUTIVO O Plano Estratégico da Província de Inhambane para o período 2011-2020 (PEP II) é parte integrante do processo provincial de planificação do Governo, com a finalidade de promover o desenvolvimento

Leia mais

ROSÁRIO MARQUES Directora Executiva CCILC. AIP Mercados para Exportação 05 de Março de 2014

ROSÁRIO MARQUES Directora Executiva CCILC. AIP Mercados para Exportação 05 de Março de 2014 ROSÁRIO MARQUES Directora Executiva CCILC AIP Mercados para Exportação 05 de Março de 2014 Colômbia Aspectos Gerais País muito jovem - 55% da população com menos de 30 anos. 7 Áreas Metropolitanas com

Leia mais

INOVAÇÃO PORTUGAL PROPOSTA DE PROGRAMA

INOVAÇÃO PORTUGAL PROPOSTA DE PROGRAMA INOVAÇÃO PORTUGAL PROPOSTA DE PROGRAMA FACTORES CRÍTICOS DE SUCESSO DE UMA POLÍTICA DE INTENSIFICAÇÃO DO PROCESSO DE INOVAÇÃO EMPRESARIAL EM PORTUGAL E POTENCIAÇÃO DOS SEUS RESULTADOS 0. EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

Leia mais

Workshop sobre o Investimento Responsável no Sector Agrário

Workshop sobre o Investimento Responsável no Sector Agrário REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS Workshop sobre o Investimento Responsável no Sector Agrário Cidade Maputo, 23 de Abril de 2015 CONTEÚDO Papel

Leia mais

Diversificação e articulação da base produtiva e comercial em Moçambique

Diversificação e articulação da base produtiva e comercial em Moçambique Diversificação e articulação da base produtiva e comercial em Moçambique "Tendências do Investimento Privado em Moçambique: questões para reflexão" Nelsa Massingue da Costa Maputo, Setembro 2013 TENDÊNCIAS

Leia mais

Workshop Mercado de Angola

Workshop Mercado de Angola Papel das Instituições Financeiras Multilaterais e dos Instrumentos Financeiros de Cooperação Bilateral Competências do Coordenação da actividade do MFAP no âmbito das relações internacionais Gestão da

Leia mais

PROGRAMA EMBRAPA_MOÇAMBIQUE

PROGRAMA EMBRAPA_MOÇAMBIQUE José Luiz Bellini Leite Coordenador Geral Henoque Ribeiro da Silva Coordenador Técnico RIO DE JANEIRO, 24 DE JANEIRO DE 2013 MOÇAMBIQUE Possui 799.390 Km2 de território, sendo 35,9 milhões de hectares

Leia mais

Missão África: Moçambique e Angola

Missão África: Moçambique e Angola ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA ELÉTRICA E ELETRÔNICA Missão África: Moçambique e Angola Belo Horizonte, 27 de maio de 2015 Missão África Com o objetivo de retomar as relações com o continente africano

Leia mais

Programa de Assistência para Projectos Comunitários Embaixada do Japão Informação 2015

Programa de Assistência para Projectos Comunitários Embaixada do Japão Informação 2015 Programa de Assistência para Projectos Comunitários Embaixada do Japão Informação 2015 Visão Geral O Governo do Japão reconhece a importância dos projectos de desenvolvimento ao nível das bases que podem

Leia mais

Chave para Negócios. em Moçambique por Diogo Gomes de Araújo

Chave para Negócios. em Moçambique por Diogo Gomes de Araújo Case study SOFID: Chave para Negócios em Moçambique por Diogo Gomes de Araújo Business Roundtable: Moçambique Lisboa, 1 de Abril de 2011 1. O que é a SOFID? 2. O que oferece? 3. Onde actua? 4. Para quê?

Leia mais

Potencialidades com os portos Africanos Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas, 9 Novembro de 2010. Artur Alves

Potencialidades com os portos Africanos Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas, 9 Novembro de 2010. Artur Alves Potencialidades com os portos Africanos Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas, 9 Novembro de 2010 Artur Alves Enquadramento A rede de países da CPLP apresenta um conjunto de valências, que exploradas

Leia mais

PAPEL DA UTIP UNIDADE TÉCNICA PARA O INVESTIMENTO PRIVADO

PAPEL DA UTIP UNIDADE TÉCNICA PARA O INVESTIMENTO PRIVADO PAPEL DA UTIP UNIDADE TÉCNICA PARA O INVESTIMENTO PRIVADO 1 UTIP SITUAÇÃO JURÍDICA LEGAL DEFINIÇÃO, FUNÇÕES E DIPLOMA LEGAL REGIME, GERÊNCIA E SUPERINTENDÊNCIA UTIP: É uma pessoa colectiva pública, com

Leia mais

Instrumentos Financeiros de Apoio à Internacionalização. Financiamentos, Garantias, Capital de Risco, etc. / SOFID, S.A.

Instrumentos Financeiros de Apoio à Internacionalização. Financiamentos, Garantias, Capital de Risco, etc. / SOFID, S.A. Ficha de Produto Tipo de Produto: Instrumentos Financeiros de Apoio à Internacionalização Produto: Financiamentos, Garantias, Capital de Risco, etc. / SOFID, S.A. Objectivo: Contribuir para o progresso

Leia mais

Boletim Semanal do Sistema de Informação de Mercados Agrícolas da Província de Nampula

Boletim Semanal do Sistema de Informação de Mercados Agrícolas da Província de Nampula Boletim Semanal do Sistema de Informação de Mercados Agrícolas da Província de Nampula Publicação da Direcção Provincial de Agricultura e Desenvolvimento Rural Telef. 213308; Fax 214177 e-mail: dpadrafnpla@teledata.mz

Leia mais

Soluções de Financiamento para a Internacionalização

Soluções de Financiamento para a Internacionalização Soluções de Financiamento para a Internacionalização por João Real Pereira Internacionalização para Moçambique Oportunidades e Financiamento 15 de Março de 2012 Braga Sumário 1. O que é a SOFID? Estrutura

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE MECANIZAÇÃO AGRÁRIA (PNMA) Brazil, Minas Gerais,Uberaba, 14 de Fevereiro de 2017

PROGRAMA NACIONAL DE MECANIZAÇÃO AGRÁRIA (PNMA) Brazil, Minas Gerais,Uberaba, 14 de Fevereiro de 2017 PROGRAMA NACIONAL DE MECANIZAÇÃO AGRÁRIA (PNMA) Brazil, Minas Gerais,Uberaba, 14 de Fevereiro de 2017 ESTRUTURA DE APRESENTAÇÃO I. CONTEXTUALIZAÇÃO II. III. IV. OBJECTIVOS ESTRATÉGIA DE IMPLEMENTAÇÃO RESULTADOS

Leia mais

Produtos, Serviços e Soluções. Novembro de 2015

Produtos, Serviços e Soluções. Novembro de 2015 Produtos, Serviços e Soluções Novembro de 2015 PRONAF AGROINDÚSTRIA Financiamento das necessidades de custeio do beneficiamento e industrialização da produção, da armazenagem e conservação de produtos

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE PARLAMENTO NACIONAL. LEI N. 4 /2005 de 7 de Julho Lei do Investimento Nacional

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE PARLAMENTO NACIONAL. LEI N. 4 /2005 de 7 de Julho Lei do Investimento Nacional REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE PARLAMENTO NACIONAL LEI N. 4 /2005 de 7 de Julho Lei do Investimento Nacional Cabe ao Estado estabelecer as políticas necessárias para melhorar o desenvolvimento económico

Leia mais

Mário de Jesus Economista Membro fundador do FRES Fórum de Reflexão Económica e Social

Mário de Jesus Economista Membro fundador do FRES Fórum de Reflexão Económica e Social Mário de Jesus Economista Membro fundador do FRES Fórum de Reflexão Económica e Social Se tivermos em atenção os factos, comprovados pelos registos e estatísticas mais ou menos oficiais, de cariz económico,

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO PARA A COORDENAÇÃO DA ACÇÃO AMBIENTAL DIRECÇÃO NACIONAL DE GESTÃO AMBIENTAL

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO PARA A COORDENAÇÃO DA ACÇÃO AMBIENTAL DIRECÇÃO NACIONAL DE GESTÃO AMBIENTAL REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO PARA A COORDENAÇÃO DA ACÇÃO AMBIENTAL DIRECÇÃO NACIONAL DE GESTÃO AMBIENTAL Relatório sobre a divulgação do Decreto de REDD+ a nível dos Governos Provinciais Introdução

Leia mais

22 Todas as províncias X X Unidades Orgânicas do MDN MDN. 5 Maputo X X Unidades Orgânicas do MDN MDN

22 Todas as províncias X X Unidades Orgânicas do MDN MDN. 5 Maputo X X Unidades Orgânicas do MDN MDN Programa: Fortalecimento da gestão institucional Objectivo do Programa: Consolidar as bases jurídico-legais que definam os princípios orientadores do funcionamento das instituições da Defesa Indicador

Leia mais

PROJECTO DE RELATÓRIO

PROJECTO DE RELATÓRIO ASSEMBLEIA PARLAMENTAR PARITÁRIA ACP- UE Comissão de Desenvolvimento Económico, Finanças e Comércio 3.9.2007 PROJECTO DE RELATÓRIO sobre o impacto do investimento directo estrangeiro (IDE) nos Estados

Leia mais

Estudo Sobre a Disseminação e Adopção das Variedades de Batata Doce de Polpa Alaranjada em Moçambique

Estudo Sobre a Disseminação e Adopção das Variedades de Batata Doce de Polpa Alaranjada em Moçambique Estudo Sobre a Disseminação e Adopção das Variedades de Batata Doce de Polpa Alaranjada em Moçambique Por: Maria Isabel Andrade, Abdul Naico e Jose Ricardo INIA/IITA-Moçambique, Tel.258 1 461610, e-mail:

Leia mais

COMÉRCIO, COMO CATALISADOR DE SERVIÇOS

COMÉRCIO, COMO CATALISADOR DE SERVIÇOS REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE GOVERNO DA PROVÍNCIA DO NIASSA COMÉRCIO, COMO CATALISADOR DE SERVIÇOS O orador: Horácio Deusdado Gervásio Linaula (Director Provincial) ESTRUTURA No âmbito desta Conferência Sobre

Leia mais

28 de Agosto de 2002. Destaques

28 de Agosto de 2002. Destaques Famine Early Warning Systems Network 28 de Agosto de 2002 Destaques Uma avaliação rápida de necessidades alimentares foi levada a cabo de 22 de Julho a 11 de Agosto de 2002 por equipas do PMA, FEWS NET,

Leia mais

Internacionalização. Países lusófonos - Survey. Janeiro de 2015

Internacionalização. Países lusófonos - Survey. Janeiro de 2015 Internacionalização Países lusófonos - Survey Janeiro de 2015 1 Índice 1. Iniciativa Lusofonia Económica 2. Survey Caracterização das empresas participantes 3. Empresas não exportadoras 4. Empresas exportadoras

Leia mais

Internacionalização de PME. Mercado de MOÇAMBIQUE

Internacionalização de PME. Mercado de MOÇAMBIQUE Internacionalização de PME Mercado de MOÇAMBIQUE 12 de Junho de 2013 Mercado de MOÇAMBIQUE ÍNDICE Índice Introdução MOÇAMBIQUE Sociedades Comerciais e Representações Comerciais Estrangeiras Lei de Investimentos

Leia mais

Instrumentos para o Financiamento da Internacionalização

Instrumentos para o Financiamento da Internacionalização Instrumentos para o Financiamento da Internacionalização por João Real Pereira Seminário : Oportunidades de negócio e investimento em Minas Gerais 26 de Abril de 2012 Porto Sumário 1. Origem e mandato

Leia mais

ESPAÇO RURAL ALIMENTOS PARA OS BRASILEIROS E PARA O MUNDO

ESPAÇO RURAL ALIMENTOS PARA OS BRASILEIROS E PARA O MUNDO ESPAÇO RURAL ALIMENTOS PARA OS BRASILEIROS E PARA O MUNDO Introdução O modelo de desenvolvimento rural nos últimos tempos, baseado na modernização agrícola conservou muitas das características históricas

Leia mais

EMPRESAS DE BRASIL E CHINA NA ÁFRICA Parceria, Concorrência e Desenvolvimento

EMPRESAS DE BRASIL E CHINA NA ÁFRICA Parceria, Concorrência e Desenvolvimento EMPRESAS DE BRASIL E CHINA NA ÁFRICA Parceria, Concorrência e Desenvolvimento O CASO DE MOÇAMBIQUE Por Cardoso T. Muendane, Ph.D. sics@sics.co.mz 2010 LAY OUT Breve apresentação de Moçambique IDE em Moçambique

Leia mais

Plano de Desenvolvimento na Área da Energia em Moçambique

Plano de Desenvolvimento na Área da Energia em Moçambique Plano de Desenvolvimento na Área da Energia em Moçambique A. de Sousa Fernando asousa@edm.co.mz 1 Principais Operadores do Sector Eléctrico Electricidade de Moçambique (EDM) Empresa Nacional de Electricidade,

Leia mais

Exmo. Senhor Presidente do Pelouro do Trabalho da Confederação das Associações Económicas de Moçambique,

Exmo. Senhor Presidente do Pelouro do Trabalho da Confederação das Associações Económicas de Moçambique, Senhores Membros do Conselho de Ministros Excelências, Exmo. Senhor Presidente do Pelouro do Trabalho da Confederação das Associações Económicas de Moçambique, Exmo Senhor Secretário-geral da Organização

Leia mais

Alcinda Tembe Gaspar alcindatembe@yahoo.com.br. José Libombo Jr (SV)

Alcinda Tembe Gaspar alcindatembe@yahoo.com.br. José Libombo Jr (SV) Doença de Newcastle em Moçambique XIII Congresso de Medicina Veterinária em Língua Portuguesa Alcinda Tembe Gaspar alcindatembe@yahoo.com.br José Libombo Jr (SV) 0 Situação Geografica e Económica Moçambique

Leia mais

Gove convida bancos italianos

Gove convida bancos italianos Publicado em 16-05-2014 Italianos avaliam negócios no país Uma missão empresarial da Itália estará em Maputo de 19 a 21 de Maio para estudar as várias possibilidades de investimentos que Moçambique oferece.

Leia mais

Linhas Gerais do Processo de Atualização do EDIC DE CABO VERDE

Linhas Gerais do Processo de Atualização do EDIC DE CABO VERDE Linhas Gerais do Processo de Atualização do EDIC DE CABO VERDE ATUALIZAÇÃO DO EDIC - ESTUDO DIAGNÓSTICO SOBRE A INTEGRAÇÃO DO COMÉRCIO DE CABO VERDE CONVITE / CONCURSO I. ENQUADRAMENTO Cabo Verde é beneficiário

Leia mais

MEDIDAS DE REFORÇO DA SOLIDEZ FINANCEIRA DAS INSTITUIÇÕES DE CRÉDITO

MEDIDAS DE REFORÇO DA SOLIDEZ FINANCEIRA DAS INSTITUIÇÕES DE CRÉDITO NotíciasdoDireito Janeiro a Março de 2012 SECTOR BANCÁRIO E FINANCEIRO MEDIDAS DE REFORÇO DA SOLIDEZ FINANCEIRA DAS INSTITUIÇÕES DE CRÉDITO A Lei n.º 4/2012, de 11 de Janeiro, altera a Lei n.º 63-A/2008,

Leia mais

Apresentado por: Miquelina Menezes Maputo, 17 de Novembro de 2011

Apresentado por: Miquelina Menezes Maputo, 17 de Novembro de 2011 Energia Para Moçambique Análise do potencial do país no âmbito da geração de energias renováveis e revisão dos projectos de energia solar, eólica, hídrica, biomassa e biodiesel Apresentado por: Miquelina

Leia mais

CONSELHO COORDENADOR DO MINISTÉRIO DE ENERGIA PROJECTO DE CONSTRUÇÃO DA FÁBRICA DE PAINEIS SOLARES EM MOÇAMBIQUE

CONSELHO COORDENADOR DO MINISTÉRIO DE ENERGIA PROJECTO DE CONSTRUÇÃO DA FÁBRICA DE PAINEIS SOLARES EM MOÇAMBIQUE Energia Para CONSELHO COORDENADOR DO MINISTÉRIO DE ENERGIA PROJECTO DE CONSTRUÇÃO DA FÁBRICA DE PAINEIS SOLARES EM MOÇAMBIQUE Apresentado por: Dr.ª Miquelina Menezes PCA Nampula, Agosto de 2012 BREVE DESCRIÇÃO

Leia mais

Projecto AMC em Moçambique

Projecto AMC em Moçambique MICOA Projecto AMC em Moçambique Assembleia Geral de Horizont3000 20.11.2014 Page 1 Enquadramento do Projecto AMC-Moz Projecto de cooperação bilateral entre a Republica de Moçambique e a Republica Federal

Leia mais

Tax News Flash n.º 7/2015 Construir o futuro

Tax News Flash n.º 7/2015 Construir o futuro 8 de Outubro de 2015 Tax News Flash n.º 7/2015 Construir o futuro Aprovação do Regulamento do Procedimento para a Realização do Investimento Privado realizado ao abrigo da Lei do Investimento Privado em

Leia mais

ESTRATÉGIA DE ACTUAÇÃO DO BDA ATÉ 2017

ESTRATÉGIA DE ACTUAÇÃO DO BDA ATÉ 2017 ESTRATÉGIA DE ACTUAÇÃO DO BDA ATÉ 2017 PARTE I: TRAJECTÓRIA HISTÓRICA ASPECTOS LEGAIS FUNDAMENTOS ASPECTOS MACROECONÓMICOS Aspectos Legais CRIAÇÃO DO FUNDO DE DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E SOCIAL - FDES

Leia mais

Apoio à Internacionalização das Empresas

Apoio à Internacionalização das Empresas Apoio à Internacionalização das Empresas 26 de Novembro de 2009 Apoio à internacionalização das empresas Moçambique: Dados Gerais O Sector Financeiro em Moçambique O Grupo Caixa Geral de Depósitos Soluções

Leia mais

D SCUR CU S R O O DE D SUA U A EXCE

D SCUR CU S R O O DE D SUA U A EXCE DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA O PRIMEIRO-MINISTRO MINISTRO DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE, DR. RUI MARIA DE ARAÚJO, POR OCASIÃO DA ATRIBUIÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL DA CPLP A

Leia mais

Oportunidades para empreender no agronegócio. Genésio Vasconcelos Campina Grande (PB), 22 de setembro de 2011

Oportunidades para empreender no agronegócio. Genésio Vasconcelos Campina Grande (PB), 22 de setembro de 2011 Oportunidades para empreender no agronegócio Genésio Vasconcelos Campina Grande (PB), 22 de setembro de 2011 Missão da Embrapa Viabilizar soluções de pesquisa, desenvolvimento e inovação para a sustentabilidade

Leia mais

Critérios de Atribuição

Critérios de Atribuição PRÉMIO MUNICIPAL JOVENS EMPRESÁRIOS DO CONCELHO DE MOURA Critérios de Atribuição Preâmbulo Os Jovens Empresários têm um papel muito importante no Concelho de Moura, pois são o futuro deste Concelho e desempenham

Leia mais

Benchmarking Internacional de Transferência de Tecnologia América Latina. Rui Trigo Morais

Benchmarking Internacional de Transferência de Tecnologia América Latina. Rui Trigo Morais Benchmarking Internacional de Transferência de Tecnologia América Latina Rui Trigo Morais Para caracterizar devidamente os instrumentos de transferência de I&D na América Latina, as suas especificidades,

Leia mais

PLANO DIRECTOR PARA O DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO DO CORREDOR DE NACALA EM MOÇAMBIQUE. Esboço Versão 0. (Sumário) Março, 2015

PLANO DIRECTOR PARA O DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO DO CORREDOR DE NACALA EM MOÇAMBIQUE. Esboço Versão 0. (Sumário) Março, 2015 Cooperação Triangular para o Desenvolvimento Agrário da Savana Tropical em Moçambique PLANO DIRECTOR PARA O DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO DO CORREDOR DE NACALA EM MOÇAMBIQUE Esboço Versão 0 (Sumário) Março,

Leia mais

SEMINÁRIO MAXIMIZAÇÃO DO POTENCIAL DA DIRETIVA SERVIÇOS

SEMINÁRIO MAXIMIZAÇÃO DO POTENCIAL DA DIRETIVA SERVIÇOS SEMINÁRIO MAXIMIZAÇÃO DO POTENCIAL DA DIRETIVA SERVIÇOS Eliminação de Barreiras à livre Prestação de Serviços Confederação do Comércio e Serviços de Portugal Esquema 1. PORTUGAL- UMA ESPECIALIZAÇÃO COM

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVOSoja

BOLETIM INFORMATIVOSoja BOLETIM INFORMATIVOSoja Ed. No 03 Bimensal / Maio-Junho 2011 Director: Luís Pereira Editor: Belchion Lucas MOLUMBO, NOVO QUARTEL GENERAL DA SOJA O P o s t o Administrativo de Molumbo, distrito de Milange,

Leia mais

Perspectivas de Desenvolvimento das Comunicações

Perspectivas de Desenvolvimento das Comunicações O PAPEL DAS COMUNICAÇÕES NO CRESCIMENTO ECONÓMICO Perspectivas de Desenvolvimento das Comunicações Apresentaçāo: Ema Maria dos Santos Chicoco PCA Autoridade Reguladora das Comunicações de Moçambique (INCM)

Leia mais

Uma estratégiacom o objectivoúnicode contribuirpara fixar população no interior do seu território.

Uma estratégiacom o objectivoúnicode contribuirpara fixar população no interior do seu território. TAGUS, 20 de Janeiro de 2015 20 anos Uma estratégiacom o objectivoúnicode contribuirpara fixar população no interior do seu território. Combater o exodo rural e abandono da activiade agro- Combater o exodo

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ORÇAMENTO DO ESTADO

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ORÇAMENTO DO ESTADO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO S FINANÇAS RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ORÇAMENTO DO ESTADO ANO 2013 JANEIRO A JUNHO RELATÓRIO 1. Introdução 2. Equilíbrio Orçamental 3. Receitas do Estado 4. Financiamento

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA PRIMEIRO. MINISTRO, Dr. Pascoal Mocumbi, POR OCASIÃO DO LANÇAMENTO OFICIAL DA PESQUISA

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA PRIMEIRO. MINISTRO, Dr. Pascoal Mocumbi, POR OCASIÃO DO LANÇAMENTO OFICIAL DA PESQUISA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA PRIMEIRO MINISTRO, Dr. Pascoal Mocumbi, POR OCASIÃO DO LANÇAMENTO OFICIAL DA PESQUISA NACIONAL DE BASE SOBRE GOVERNAÇÃO E CORRUPÇÃO Maputo, 27 de Novembro

Leia mais

Energia e Desenvolvimento Sustentável:

Energia e Desenvolvimento Sustentável: Energia e Desenvolvimento Sustentável: Encruzilhadas da Era Moderna José Felipe Ribeiro Embrapa DE-TDAS Energia e Envolvimento Sustentável: Encruzilhadas da Era Moderna José Felipe Ribeiro Embrapa SEDE

Leia mais

A Estrutura e Tendência da Despesa Pública Agrícola em Moçambique

A Estrutura e Tendência da Despesa Pública Agrícola em Moçambique Dezembro 2011 Relatorios de Pesquisa 70P A Estrutura e Tendência da Despesa Pública Agrícola em Moçambique Helder Zavale Gilead Mlay Duncan Boughton Adriano Chamusso Helder Gemo e Pius Chilonda Este relatório

Leia mais

Direcção do Registo Académico

Direcção do Registo Académico 1 Direcção do Registo Académico EDITAL MATRÍCULAS E INSCRIÇÕES PARA OS NOVOS INGRESSOS ANO LECTIVO DE 2016 1. Introdução A Universidade Eduardo Mondlane (UEM) informa ao público que a matrícula para os

Leia mais

Innovations Against Poverty

Innovations Against Poverty Distribution www.sida.se Sustainability Training Partnership segments Cost Model Innovations Against Poverty Guia para Candidatos 2011/2012 Introdução Terminologia Negócio Inclusivo O programa Innovations

Leia mais

Departamento de Tecnologia e Extensão RELATÓRIO DO CURSO SOBRE O CULTIVO DE TILÁPIA

Departamento de Tecnologia e Extensão RELATÓRIO DO CURSO SOBRE O CULTIVO DE TILÁPIA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS PESCAS INSTITUTO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA AQUACULTURA Departamento de Tecnologia e Extensão RELATÓRIO DO CURSO SOBRE O CULTIVO DE TILÁPIA Maputo, Outubro de

Leia mais

Avaliação do Instrumento de Apoio a Políticas Económicas (PSI) 2010-2012

Avaliação do Instrumento de Apoio a Políticas Económicas (PSI) 2010-2012 REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Avaliação do Instrumento de Apoio a Políticas Económicas (PSI) 2010-2012 Elaborado Por: Ministério das Finanças Ministério da Planificação e Desenvolvimento Banco de Moçambique

Leia mais

República de Moçambique Ministério das Obras Públicas e Habitação. ABASTECIMENTO DE ÁGUA NAS PRINCIPAIS CIDADES Projectos e Cooperação

República de Moçambique Ministério das Obras Públicas e Habitação. ABASTECIMENTO DE ÁGUA NAS PRINCIPAIS CIDADES Projectos e Cooperação República de Moçambique Ministério das Obras Públicas e Habitação ABASTECIMENTO DE ÁGUA NAS PRINCIPAIS CIDADES Projectos e Cooperação Pedro Paulino Maio 2013 CONTEÚDO 1. CONTEXTO INSTITUCIONAL: Quadro

Leia mais

Análise de Vulnerabilidade 2004: Processo e o Ponto de Situação

Análise de Vulnerabilidade 2004: Processo e o Ponto de Situação Análise de Vulnerabilidade 2004: Processo e o Ponto de Situação Maputo, Junho de 2004 Mapa das regiões de AV 2004 41 distritos vulneráveis á insegurança alimentar devido aos efeitos combinados de seca

Leia mais

Moçambique. Estratégia da Suécia para a cooperação para o desenvolvimento com 2015-2020 MFA

Moçambique. Estratégia da Suécia para a cooperação para o desenvolvimento com 2015-2020 MFA MINISTRY FOR FOREIGN AFFAIRS, SWEDEN UTRIKESDEPARTEMENTET Estratégia da Suécia para a cooperação para o desenvolvimento com Moçambique 2015-2020 MFA 103 39 Stockholm Telephone: +46 8 405 10 00, Web site:

Leia mais

EDITAL. Iniciativa OTIC Oficinas de Transferência de Tecnologia e de Conhecimento

EDITAL. Iniciativa OTIC Oficinas de Transferência de Tecnologia e de Conhecimento EDITAL Iniciativa OTIC Oficinas de Transferência de Tecnologia e de Conhecimento A difusão de informação e do conhecimento tem um papel fundamental na concretização de projectos inovadores e com grande

Leia mais

STEPS FORWARD: LINKING AGRICULTURE TO NUTRITION IN MOZAMBIQUE

STEPS FORWARD: LINKING AGRICULTURE TO NUTRITION IN MOZAMBIQUE STEPS FORWARD: LINKING AGRICULTURE TO NUTRITION IN MOZAMBIQUE Hosted by Abt Associates Reduzir a desnutrição crónica em Moçambique: contexto internacional e assistência dos parceiros de desenvolvimento

Leia mais

Diretrizes da Agenda Setorial do Setor de Energias Renováveis: Biocombustíveis

Diretrizes da Agenda Setorial do Setor de Energias Renováveis: Biocombustíveis SENADO FEDERAL Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Diretrizes da Agenda Setorial do Setor de Energias Renováveis: Bioetanol Biodiesel Biocombustíveis Brasília, 28 de novembro de 2012 Foco e Prioridades

Leia mais

A Metrologia na Gestão da Segurança a dos Alimentos e os Impactos sobre as Exportações. Visão do Campo

A Metrologia na Gestão da Segurança a dos Alimentos e os Impactos sobre as Exportações. Visão do Campo A Metrologia na Gestão da Segurança a dos Alimentos e os Impactos sobre as Exportações Visão do Campo METROALIMENTOS 2008 24/09/2008 José Luiz Viana de Carvalho OBJETIVOS Barreiras não-tarifárias Boas

Leia mais

Desenvolvendo Mercados de Insumos e Produtos Agrícolas em Moçambique: Análise Situacional. Kizito Mazvimavi e Sofia Manussa

Desenvolvendo Mercados de Insumos e Produtos Agrícolas em Moçambique: Análise Situacional. Kizito Mazvimavi e Sofia Manussa Apresentação para o Diálogo sobre a Agricultura em Moçambique, 21 Julho de 2011, Maputo Desenvolvendo Mercados de Insumos e Produtos Agrícolas em Moçambique: Análise Situacional Estudos Especiais Liderados

Leia mais

Secretaria de Estado para o Desenvolvimento Rural

Secretaria de Estado para o Desenvolvimento Rural Secretaria de Estado para o Desenvolvimento Rural Decreto-Lei n.º 1/09 de 28 de Abril Tendo em conta a nova orgânica do Governo que de entre outros órgãos institui a Secretaria de Estado para o Desenvolvimento

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS EM MOÇAMBIQUE

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS EM MOÇAMBIQUE REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS EM MOÇAMBIQUE Lourenço Sambo e Danilo Nalá Lisboa, 17 de Julho de 2015 CONTEÚDO 1

Leia mais

MAIS E MELHOR CRÉDITO PARA AS MICROEMPRESAS E PME EM MOÇAMBIQUE

MAIS E MELHOR CRÉDITO PARA AS MICROEMPRESAS E PME EM MOÇAMBIQUE MAIS E MELHOR CRÉDITO PARA AS MICROEMPRESAS E PME EM MOÇAMBIQUE Junho de 2015 FECOP Breve Historial Surge em 2009, da vontade os Governos Português e Moçambicano fortalecerem os laços de cooperação entre

Leia mais

Para obter mais informações, entre em contato com: Colleen Parr, pelo telefone (214) 665-1334, ou pelo e-mail colleen.parr@fleishman.

Para obter mais informações, entre em contato com: Colleen Parr, pelo telefone (214) 665-1334, ou pelo e-mail colleen.parr@fleishman. Para obter mais informações, entre em contato com: Colleen Parr, pelo telefone (214) 665-1334, ou pelo e-mail colleen.parr@fleishman.com Começa a segunda onda prevista de crescimento e desenvolvimento

Leia mais

itc - Iniciativa para Terras Comunitárias Experiências da itc no processo de delimitação e demarcação de terras comunitárias

itc - Iniciativa para Terras Comunitárias Experiências da itc no processo de delimitação e demarcação de terras comunitárias itc - Iniciativa para Terras Comunitárias Experiências da itc no processo de delimitação e demarcação de terras comunitárias Reunião da DNTF sobre Delimitações em Nampula Este relatório contém 21 páginas

Leia mais

Políticas Agrárias e a Mulher

Políticas Agrárias e a Mulher República de Moçambique Ministério da Agricultura Direcção deeconomia REPÚBBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA AGRICULTURA Actualização do Regulamento Proposta da LFFB de Revisão do Regulamento da Lei de

Leia mais

O Agronegócio Mundial e Brasileiro

O Agronegócio Mundial e Brasileiro O Agronegócio Mundial e Brasileiro Eugênio Stefanelo Segundo Porter, você é competitivo quando tem um desempenho em longo prazo acima da média dos concorrentes. O agronegócio, que engloba as operações

Leia mais