ASSÉDIO MORAL E O DANO MORAL NAS RELAÇÕES DE TRABALHO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ASSÉDIO MORAL E O DANO MORAL NAS RELAÇÕES DE TRABALHO"

Transcrição

1 ASSÉDIO MORAL E O DANO MORAL NAS RELAÇÕES DE TRABALHO SUMÁRIO André Cristiano Girardi 1 Ney Felipe Neves 2 Introdução; 1 As relações de trabalho; 2 Peculiaridades pertinentes do contrato de trabalho; 3 Assédio moral; 4 Dano moral; 5 Dano moral: evolução doutrinária; 6 caracterização: dano moral; 7 Dano moral e assédio moral: justiça do trabalho; Considerações finais; Referência das fontes citadas. RESUMO O presente artigo teve como objetivo geral conceituar assédio moral e dano moral nas relações e trabalho. Inicialmente, foram apresentadas considerações acerca das relações de trabalho, tendo como pano de fundo as explicações e entendimentos legais e doutrinários acerca do contrato de trabalho, obrigações, limites e direitos, especificidades das relações de trabalho foram indicadas no sentido de enumerar itens que a caracterizam. A partir daí, a discussão se voltou ao enfoque sobre dano moral, sua dimensão e amplitude, sob a égide doutrinária e também jurisprudencial. Prosseguiu-se a apresentação de debates e entendimentos sobre assédio moral, para então contextualizar a matéria no escopo das relações de trabalho. Conclui que o assunto merece contínuos estudos e que a discussão sobre reparabilidade e cabimento de reparação deve ser objeto da Justiça do Trabalho que de fato deve assumir tal competência. Para a elaboração deste artigo científico foi utilizado o método dedutivo. Palavras-chaves: Contrato de trabalho. Relações de trabalho. Assédio moral. Dano moral. INTRODUÇÃO As relações de trabalho pressupõem princípios e regras assumidas, pautadas em dispositivos legais, práticas e políticas. Nesse contexto, discutir sobre assédio moral e dano moral requer a investigação conceitual criteriosa, como também a apresentação de princípios estabelecidos ao entendimento legal. 1 Acadêmico do 10º período do Curso de Direito da UNIVALI, período noturno, campus II, Balneário Camboriú/SC. 2 Professor Universitário dos Cursos de Direito, Comércio Exterior, Logística e Gastronomia da UNIVALI. Professor convidado dos cursos de Pós-Graduação em Direito Trabalhista e Tributário da Universidade do Contestado (UnC) e Pós-Graduação MBA em Gestão Estratégica do Design da UNIVALI. Professor do Curso de Administração Logística e Comércio Exterior do IFES. Advogado Empresarial

2 Compete reconhecer que, muitas são as discussões sobre conceitos e amplitudes de alcance do dano moral e do assédio moral. Da mesma forma, debates se estabelecem acerca da reparabilidade no que se refere a direitos e tipos de indenização, cabendo, por vezes, questionamentos. Nesse artigo, procura-se tratar da matéria de acordo com a literatura especializada, que por sua vez, fundamenta-se, em sua maioria, em respectivos mecanismos legais vigentes. O objetivo geral de estudo é o de conceituar assédio moral e dano moral nas relações e trabalho. Na realidade, a discussão que se insere a partir do tema em estudo considera as vertentes doutrinária e jurisprudencial. Trata-se de assunto contemporâneo, que merece ser discutido no âmbito trabalhista, buscando meios a sua compreensão a partir do que se apresenta na legislação. A contextualização do assunto parte do entendimento das relações de trabalho para então conceituar dano moral e assédio moral, visando, assim, verificar a pertinência e aplicabilidade de regras afins no ambiente de trabalho. O método dedutivo, o qual foi utilizado nesta pesquisa, se caracteriza por apresentar conclusões verdadeiras contanto que as premissas em que se baseou também o sejam. 1 AS RELAÇÕES DE TRABALHO Para melhor compreender as relações de trabalho é importante considerálas a partir de condições determinantes, cujas principais são apresentadas por 192

3 MARANHÃO 3 : a) da duração, em contrato de trabalho por tempo determinado e contrato de trabalho por tempo indeterminado; b) da qualidade do trabalho, em manual e intelectual; c) da finalidade do contrato, em industrial, agrícola, marítimo, comercial e doméstico; d) dos sujeitos da relação, em contrato individual e contrato coletivo ou de equipe; e) do lugar do trabalho, em local designado pelo empregador, estabelecimento do empregador e à domicílio; f) do modo de remuneração, em salário fixo e salário variável; g) da forma, em explícito (verbal ou escrito) e tácito. Já as relações de trabalho sob a ótica legal e conforme entendimento do ilustre doutrinador DELGADO 4, importa definir preliminarmente o contrato de trabalho. Observa-se que contrato é acordo tácito ou expresso com o ajuste entre as partes a respeito de direitos e obrigações recíprocas. O contrato de trabalho deve ser compreendido por meio jurídico, em que o negócio expresso ou tácito mediante o qual uma pessoa natural coloca-se em obrigação frente à pessoa natural, jurídica ou ente despersonificado, a uma prestação pessoal, não eventual, subordinada e onerosa de serviços. 4 Não obstante, há o entendimento sobre a forma mais adequada de definir o contrato de trabalho é como contrato de emprego sendo aquele pelo qual uma ou mais pessoas naturais se obrigam, por remuneração, a trabalhar para outra, subordinada a esta; é aquele que resulta da vontade de pelo menos dois sujeitos de direito que as externam. Estas duas declarações de vontade criam o vinculo de emprego entre os agentes contratantes. 5 3 MARANHÃO, Délio. Instituições do direito do trabalho. São Paulo: LTR, 2004, p DELGADO, Maurício Godinho. Curso de direito do trabalho. São Paulo: LTR, 2003, p CATHARINO, José Martins apud MARTINS, Sergio Pinto. Direito processual do trabalho. São Paulo: Atual, 2007, p

4 O contrato de emprego também é considerado nesta linha do contrato de trabalho, este mais amplo e abrangente, por englobar as relações de trabalho em geral. A Consolidação das Leis do Trabalho, em seu art. 442, define contrato de trabalho: contrato individual de trabalho é o acordo tácito ou expresso, correspondente à relação de emprego. Este conceito, conforme a melhor doutrina, não esclarece em verdade, o real sentido da definição do contrato de trabalho, considerando que nele não se expressa os elementos componentes do contrato de trabalho e seus termos, já que o contrato de trabalho não corresponde à relação de emprego, e sim propicia seu surgimento. Tendo como foco as relações de trabalho, segundo entendimento de CATHARINO 5, a terminologia contrato de trabalho é a mais usual, em que pese ainda a melhor aceitação desta nomenclatura, para as operações em direito do trabalho no Brasil a mais adequada seria contrato de emprego. Com simples verificação, segue-se o trinômio empregador-empregadoemprego, atrelados à existência de contrato de trabalho subordinado, realizado em proveito de outrem. Desta forma, justifica-se a cientificidade da terminologia adotada. 2 PECULIARIDADES PERTINENTES DO CONTRATO DE TRABALHO O contrato de trabalho, em termos de elementos constitutivos, se assemelha ao modelo civilista, tendo como elementos principais os essenciais, naturais e acidentais. Os elementos essenciais têm de estarem presentes no contrato de trabalho, pois sua ausência ou irregularidade acarreta danos a existência e a própria validade do contrato. 194

5 Os elementos naturais do contrato de trabalho são os acordos sobre a jornada de trabalho, o salário e a função. E os elementos acidentais são o termo e as condições. A capacidade das partes, licitude do objeto, forma prescrita e não defesa em lei, forma e prova e livres manifestações de vontade constituem a essencialidade do contrato, não somente de trabalho, mas os contratos de forma ampla. O contrato de trabalho é de direito privado, embora as normas trabalhistas sejam imperativas, pois no contrato de trabalho as partes colocam-se em situação de paridade jurídica visto que a relação é regulada pelas cláusulas contratuais. Considera-se o contrato de trabalho sinalagmático, pois as obrigações contratuais são recíprocas (trabalho versus salário), conferindo equilíbrio formal entre as partes. Vale ressaltar que o fato gerador da reciprocidade contratual possui uma exceção, quando da interrupção do contrato de trabalho. O empregado, dentro do contrato de trabalho, é parte infungível, enquanto o empregador, por autorização da ordem justrabalhista, é plenamente fungível, podendo ser sucedido no contexto da mesma relação de emprego. O ponto de infungibilidade do trabalhador supõe que a prestação laboral, em nenhuma hipótese pode ser cumprida por terceiros, em razão de ser a prestação de serviços atividade pessoal, é pura obrigação de fazer. Sendo a relação juslaboral de débito permanente, que possui elemento típico a continuidade e a duração, o que se opõe aos contratos instantâneos oriundos do direito civil, como a compra e venda. A onerosidade deste contrato reside no fato de que cada parte contratante contribui com obrigações economicamente mensuráveis, sendo uma dinâmica contratual com troca de vantagens e sacrifícios para ambas às partes; o empregado, 195

6 porque vende sua força de trabalho e se submete à subordinação e o empregador porque tem de contra prestar pecuniariamente por essa atividade. 3 ASSÉDIO MORAL A preocupação com o assédio moral, sobretudo, em ambiente laborativo não é antiga, mas sua ocorrência já existe há bastante tempo. Basta lembrar de imposições de superioridade feita por determinadas classes dominantes, ou até mesmo quando da colonização do país por estrangeiros determinando aos habitantes indígenas como deveriam proceder, invadindo o espaço moral daquela raça. As pesquisas prosseguiram nesta mesma direção, sendo mais estudado o assédio moral nas organizações de trabalho e nas famílias. Os conceitos preliminares sobre o que de fato seria o assédio moral foram sendo delineados ao longo dos estudos. HELOANI 6 enumera os principais, salientando estudos de psicólogos e psicanalistas. AUTOR Heyns Leymann Psicólogo Organizacional, Sueco, que se dedicou à pesquisa sobre assédio moral em organizações de seu país. Marie-France Hirigoyen Psiquiatra, francesa, que conduziu pesquisas na Europa sobre assédio moral. Margarida Barreto DEFINIÇÃO DE ASSÉDIO MORAL Trata-se de um conceito que se desenvolve em uma situação comunicativa hostil, em que um ou mais indivíduos coagem uma pessoa de tal forma que esta é levada a uma posição de fraqueza psicológica. A violência perversa no cotidiano, disseminou amplamente a problemática desse sofrimento invisível,o assédio em local de trabalho está ligado a qualquer conduta abusiva em relação a uma pessoa (seja por comportamentos, palavras, atos, gestos ou escritas) que possa acarretar um dano à sua personalidade à sua dignidade ou mesmo à sua integridade física ou psíquica, podendo acarretar inclusive perda de emprego ou degradação do ambiente de trabalho em que a vítima está inserida. É a exposição de trabalhadores a situações 6 HELOANI, Roberto. Assédio moral: um ensaio sobre a expropriação da dignidade no trabalho. RAEeletrônica, v. 3, n. 1, art. 10, jan./jun Disponível em: <http://www.rae.com.br/eletronica/index.cfm?fuseaction=artigo&id=1915&secao=pensata&volume=3&num ero=1&ano=2004>. Acesso em: 03 abr

7 Médica do trabalho, brasileira, pesquisadora de assuntos relacionados a assédio moral, com publicações a respeito. Maria Ester de Freitas Professora e pesquisadora, brasileira, com publicações sobre assédio moral. vexatórias, constrangedoras e humilhantes durante o exercício de sua função, de forma repetitiva, caracterizando uma atitude desumana, violenta e antiética nas relações de trabalho, assédio este realizado por um ou mais chefes contra seu subordinado. Faces do poder perverso nas organizações, posiciona com justeza, que esse fenômeno se conecta ao esforço repetitivo de desqualificação de uma pessoa, que, dependendo das circunstâncias, pode levar ou não ao assédio sexual. Observa-se que pelas definições e entendimentos apresentados, há o consenso sobre a violência, isto é, se trata de um caso de violência, cuja avaliação decorre de análises específicas. Mas, é preciso destacar a intenção, ou seja, o objetivo de realmente ferir moralmente a vítima. Para CAVALCANTE e NETO 7 consideram que não há especificamente definição e orientações nos dispositivos legais trabalhistas no Brasil que trate do assédio moral nas relações de trabalho. Mas a interpretação é possível a partir da ordem jurídico-trabalhista. Enumeram os autores algumas explicações exemplos de assédio moral. Citam como primeiro caso aquele em que o empregador exige que o empregado cumpra com tarefas que necessite de forças além do que pode suportar desconsiderando cláusulas do contrato individual de trabalho. Nesse contexto enquadram-se questões referentes à força muscular, aptidão para a tarefa, capacidade profissional. São considerações dos autores: Serviço defeso em lei envolve as atividades proibidas pela lei penal ou que oferecem risco à vida do trabalhador ou do próximo. Trabalho contrário aos bons costumes é aquele que é ofensivo a moral pública. Serviços alheios ao contrato representam a realização de 7 CAVALCANTE, Jouberto de Quadros Pessoa; JORGE NETO, Francisco Ferreira. O direito do trabalho e o assédio moral. Jus Navigandi, Teresina, a. 10, n. 638, 7 abr Disponível em: <http://jus.uol.com.br/revista/texto/6457>. Acesso em: 14 mar

8 tarefas exigidas pelo empregador que estão contrárias aos serviços pelos quais o trabalhador foi contratado. 8 Por fim, os autores ainda elencam aquelas situações nas quais o empregado se vê obrigado a realizar serviços com riscos ocupacionais sem que seu empregador assuma as providências de evitação e minimização de impactos e conseqüências. 9 Como se pode observar, são muitas as situações a serem verificadas para constatação do assédio Moral, devendo ser visto no ambiente laboral como dano moral e exige indenização, já que não ha dúvidas quanto ao abalo moral do exercido no empregado, assim como, propensos eventos danosos na vida pessoal do mesmo. 4 DANO MORAL Sobre o tema, dano moral, para ANDRADE 9, o dano moral representa, em conformidade com a doutrina, uma lesão de um bem integrante da personalidade, violação de bem personalíssimo, como, por exemplo, a saúde. o dano moral é lesão de bem integrante da personalidade, tal como a honra, a liberdade, a saúde, a integridade psicológica, causando dor, sofrimento, tristeza, vexame e humilhação à vítima. Não diverge GABRIEL 10 remetendo ao detalhamento da compreensão de dano moral a partir das explicações de Savatier: É qualquer sofrimento humano que não é causado por uma perda pecuniária, e abrange todo atentado à reputação da vítima, à sua autoridade legitima, ao seu pudor, à sua segurança e tranqüilidade, 8 CAVALCANTE, Jouberto de Quadros Pessoa; JORGE NETO, Francisco Ferreira. O direito do trabalho e o assédio moral. Jus Navigandi, Teresina, a. 10, n. 638, 7 abr Disponível em: <http://jus.uol.com.br/revista/texto/6457>. Acesso em: 14 mar ANDRADE, André Gustavo de. A evolução do conceito de dano moral. Banco do Conhecimento, Disponível em: <http://www.tj.rj.gov.br/institucional/dir_gerais/dgcon/pdf/artigos/direi_civil/a_evolucao_do_conceito_de_dano_m oral.pdf>. Acesso em: 20 mar SAVATIER, René apud GABRIEL, Sérgio. Dano moral e indenização. Jus Navigandi, Teresina, a. 7, n. 56, 1 abr Disponível em: <http://jus.uol.com.br/revista/texto/2821>. Acesso em: 22 mar

9 ao seu amor próprio estético, à integridade de sua inteligência, as suas afeições etc. Tal entendimento conduz a vislumbrar sua abrangência, sem ser preciso o debate sobre sua ocorrência, mas sim sobre sua repercussão indenizável. No mesmo vértice, deve ser analisado se a característica do evento danoso repercutiu ou não na esfera material, equacionando ambos os danos. Quanto à valoração, há teorias que partem de um conceito negativo que não se acomoda a significado, quando então o dano moral é aquele que não tem caráter patrimonial, que, de acordo com GABRIEL 11, não está associado a prejuízo, ou seja, é qualquer sofrimento que não é causado por uma perda pecuniária. Em vista disso, observa-se que os bens que compõem a personalidade constituem valores distintos dos bens patrimoniais, cuja agressão gera o dano moral. Assim, evidencia que o dano moral não se confunde com o dano material. Sua existência é distinta e autônoma, de maneira a exigir tutela jurídica independente. Ainda para GABRIEL, 11 é importante reconhecer que, nos últimos anos, o dano moral não é mais considerado apenas nas situações que conduzem aos sentimentos de angústia e tristeza ou a sensação de dor e sofrimento. Sua tutela abrange todos os bens personalíssimos, alcançando, inclusive, o enfoque ético. Daí, por alguns é reconhecido como dano imaterial ou não-patrimonial. No entanto, importante alertar como bem asseverou PAMPLONA FILHO 12 que o atentado ao direito à honra e boa fama de alguém pode determinar prejuízos pecuniários quando atinge, por exemplo, patrimônios. Daí, a atenção deve ser dada quando da classificação de dano moral, pois este não gera este tipo de perda. 11 GABRIEL, Sérgio. Dano moral e indenização. Jus Navigandi, Teresina, a. 7, n. 56, 1 abr Disponível em: <http://jus.uol.com.br/revista/texto/2821>. Acesso em: 22 mar PAMPLONA FILHO, Rodolfo. O dano moral na relação de emprego. São Paulo: LTR, 2002, p

10 Segundo ainda o autor, se há conseqüências de ordem patrimonial, ainda que mediante repercussão, o dano deixa de ser extrapatrimonial. Para CAHALI 13, é mais razoável caracterizar o dano moral pelos seus próprios elementos, tais como A privação ou diminuição daqueles bens que têm um valor precípuo na vida do homem e que são a paz, a tranqüilidade de espírito, a liberdade individual, a integridade individual, a integridade física, a honra e os demais sagrados afetos, classificando-se desse modo, em dano que afeta a parte social do patrimônio moral (honra, reputação, etc.) e dano que molesta a parte afetiva do patrimônio moral (dor, tristeza, saudade, etc.), dano moral que provoca direta ou indiretamente dano patrimonial (cicatriz deformante, etc.) e dano moral puro (dor, tristeza, etc.). Completa, com muita autoridade SILVA 14 salienta que a moral atrelada a uma subjetividade, tendo em vista o plano valorativo da pessoa. Este enfoque prevê a questão da repercussão do dano moral. Sua avaliação traz a tona a subjetividade, pois de fato compromete em um nível correspondente ao papel e posição da pessoa afetada na sociedade. 5 DANO MORAL: EVOLUÇÃO DOUTRINÁRIA Inicialmente, o dano moral, conforme explica CHAMONE 15, tinha negado o pagamento indenizatório sob a égide de ressarcimento ao dano moral, sob a alegação de ser ele inestimável, não sendo, desse modo, aceita a estipulação de valor para pagamento de uma dor, sob a idéia de que esta dor teria um preço. Com a evolução do pensamento de nossos julgadores delimitou-se que o ressarcimento do dano moral não objetiva a restitutio in integrum do dano causado, tendo mais uma genérica função satisfatória. É então substituído o conceito de 13 CAHALI, Yussef Said. Dano moral. São Paulo: Ed. Revista dos Tribunais, 2000, p SILVA, Luiz Pinho Pedreira da. A Reparação do dano moral no Direito do Trabalho. São Paulo: Ltr, 2004, p CHAMONE, Marcelo Azevedo. O dano na responsabilidade civil Disponível em: <jus.uol.com.br/revista/texto/11365/o-dano-na-responsabilidade-civil>. Acesso em: 03 jun

11 equivalência, próprio do dano material, pelo de compensação, que se obtém de maneira indireta, as consequências do sofrimento. Não se pode desprezar a necessidade de penalidades, para não passar impune a infração e, assim, estimular novas agressões. O dano material atinge bens do patrimônio da vítima, enquanto o dano moral ofende bens da personalidade. Por conseguinte, CAVALCANTE e NETO 16 incluem o assédio moral como dano moral, cabendo a cobrança de penalidades. Para os autores, cabe, inclusive, a solicitação de rescisão do contrato por parte do empregado, sendo-lhe devido todas as verbas rescisórias e indenizatórias. PROENÇA 17, esclarece que o advento da Constituição Federal deu-se um passo à frente. Na Carta Magna se observa cumulabilidade do dano moral com o material, desde que pleiteado pela própria vítima, sendo reconhecido pelo colendo Superior Tribunal de Justiça ao formular a Súmula nº. 37, que diz: São cumuláveis as indenizações por dano material e dano moral oriundos do mesmo fato. Em contrapartida, entra em cena para novo debate o peso do dano, delimitando VARELA 18 e a questão: A gravidade do dano há de medir-se por um padrão objetivo (conquanto a apreciação deva ter em linha de conta as circunstâncias de cada caso), e não à luz de fatores subjetivos (de uma sensibilidade particularmente embotada ou especialmente requintada). Por outro lado, a gravidade apreciar-se-á em função da tutela do direito: o dano deve ser de tal modo grave que justifique a concessão de uma satisfação de ordem pecuniária ao lesado. De fato, torna-se inviável categorizar graus e níveis de prejuízos com a atribuição de monta que se equipare. No entanto, comprovado o evento danoso é mister o reconhecimento e retratação. 16 CAVALCANTE, Jouberto de Quadros Pessoa; JORGE NETO, Francisco Ferreira. O Direito do Trabalho e o assédio moral. Jus Navigandi, Teresina, a. 10, n. 638, 7 abr Disponível em: <http://jus.uol.com.br/revista/texto/6457>. Acesso em: 14 mar PROENÇA, Ricardo. Inadimplemento contratual e danos morais, set Disponível em: <http://ricardoproenca.blogspot.com/2010/09/inadimplemento-contratual-danos-morais.html>. Acesso em: 10 mai VARELLA, Antunes apud CAVALIERI FILHO, Sérgio. Programa de responsabilidade civil. São Paulo: Malheiros Editores, 2005, P

12 6 CARACTERIZAÇÃO: DANO MORAL Para VIEIRA 19 : Na tormentosa questão de saber o que configura o dano moral cumpre ao juiz seguir a trilha da lógica do razoável, em busca da sensibilidade ético-social normal. Deve tomar por paradigma o cidadão que se coloca a igual distância do homem frio, insensível e o homem de extremada sensibilidade. Nessa linha de princípio, só deve ser reputado como dano moral a dor, vexame, sofrimento ou humilhação que, fugindo à normalidade, interfira intensamente no comportamento psicológico do indivíduo, causando-lhe aflição, angústia e desequilíbrio em seu bem estar, não bastando mero dissabor, aborrecimento, mágoa, irritação ou sensibilidade exacerbada. Sobre o assunto, ressalta CAVALIERI FILHO 20 que os danos morais implicam dor, vexame, sofrimento e profundo constrangimento para a vítima, e resultam da violação da sua intimidade, honra, imagem e outros direitos de personalidade. Tal se configura em razão de ato ilícito ou do desenvolvimento de atividades consideradas de risco, pela ocorrência de distúrbios na psique, na tranquilidade e nos sentimentos da pessoa humana, abalando a sua dignidade. Assim, não é qualquer dissabor ou constrangimento que deve ser alçado ao patamar de dano moral, devendo o dano moral ser visto e entendido como uma dor, vexame, sofrimento ou humilhação que, fugindo à normalidade, interfira intensamente no comportamento psicológico da pessoa, causando-lhe sofrimento, angústia e desequilibro em seu bem-estar e a sua integridade psíquica, deve, portanto, existir um dano a se reparar DANO MORAL E ASSÉDIO MORAL: JUSTIÇA DO TRABALHO 19 VIEIRA, Paulo de Tarso. Responsabilidade civil no código do consumidor e a defesa do fornecedor. São Paulo : Saraiva, 2002, p CAVALIERI FILHO, Sérgio. Programa de responsabilidade civil, Ed Atlas, 2007, p Sentença proferida no processo nº , 1ª Vara Cível da Comarca de Ji-Paraná/RO. Disponível em: <http://www.jusbrasil.com.br/diarios/ /djba-caderno pg-232> Acesso em: 14 nov

13 De acordo com a Constituição de 1988, o dano moral no âmbito das relações de trabalho deve ser indenizado. A partir da Emenda Constitucional nº 45 de 2004, assim é regida a matéria: Art Compete à Justiça do Trabalho processar e julgar: (...) VI as ações de indenização por dano moral ou patrimonial, decorrentes da relação de trabalho. Muito embora a previsão legal direcionada a indenização por dano moral nas relações de emprego, há necessidade de que o empregado prove efetivamente a ocorrência do assédio moral, sendo imprescindível a reunião de documentos com essa finalidade. DARCANCHY 22 enfatiza: O assédio moral degrada o indivíduo, minando a sua auto-estima e condições físicas e psicológicas para o trabalho. A vítima escolhida é estigmatizada pelo seu agressor que age para que ela passe a ser vista como culpada pelos seus "erros, incapacidade, incompetência, falta de sociabilidade, depressão, alterações de ânimo" e outros comportamentos, até que fique desacreditada e isolada dos demais. Nesse momento seu agressor se satisfaz e escolhe outra vítima. Observa-se que em se tratando de assédio e dano moral no âmbito do trabalho prevalece à questão da indenização compensatória. Ou seja, a moderna noção de indenização por danos morais, quanto aos seus objetivos, funda-se no valor de estímulo e no valor compensatório, uma vez que inexistem critérios objetivos traçados legalmente para se concluir o valor da indenização. 23 Denota-se o art. 953, do novo Código Civil sobre o tema: A indenização por injúria, difamação ou calúnia consistirá na reparação do dano que delas resulte ao ofendido. 22 DARCANCHY, Mara Vidigal. Assédio moral no meio ambiente do trabalho. Jus Navigandi, Teresina, a. 11, n. 913, 2 jan Disponível em: <http://jus.uol.com.br/revista/texto/7765>. Acesso em: 14 mar SCHIAVI, Mauro. Dano moral coletivo decorrente da relação de trabalho. Lacier, Disponível em: <www.lacier.com.br/artigos/dano%20moral%20coletivo.doc>. Acesso em: 10 mai

14 Parágrafo único: Se o ofendido não puder provar prejuízo material, caberá ao juiz fixar, equitativamente, o valor da indenização, de conformidade com as circunstâncias do caso. Assim, ao sentenciar quanto aos valores da reparação, espera-se que os ilustres julgadores levem em conta tanto a estimativa prudencial quanto o princípio da equidade. Na estimativa prudencial, observa-se a extensão do dano sofrido, o grau de culpa e a perspectiva econômica do autor e da vítima, enquanto a atuação dolosa do agente merece reprimenda mais severa, e a atuação culposa reclama reparação mais branda. Conforme se verifica abaixo: A indenização por dano moral revela conteúdo de interesse público, na medida em que encontra ressonância no princípio da dignidade da pessoa humana, sob a perspectiva de uma sociedade que se pretende livre, justa e solidária (CF, arts. 1º, III, e 3º, I) A dosimetria do "quantum" indenizatório guarda relação direta com a existência e a extensão do dano sofrido, o grau de culpa e a perspectiva econômica do autor e da vítima, razão pela qual a atuação dolosa do agente reclama reparação econômica mais severa, ao passo que a imprudência ou negligência clamam por reprimenda mais branda Assim, à luz do sistema aberto, cabe ao julgador, atento aos parâmetros relevantes para aferição do valor da indenização por dano moral, fixar o "quantum" indenizatório com prudência, bom senso e razoabilidade, sob pena de afronta ao princípio da restauração justa e proporcional. Recurso de revista não conhecido. 24 Verifica-se nessa caracterização do assédio moral a indicação de posturas humilhantes sendo consideradas no escopo do mesmo, cabendo medias punitivas. RESTRIÇÕES AO USO DE TOALETE. DANO MORAL. CONFIGURAÇÃO A CLT consagra o poder diretivo do empregador (art. 2º), que se manifesta por meio do controle, vigilância e fiscalização dos seus empregados. Tal poder encontra limites também legalmente traçados. Ninguém pode tudo. Os poderes de qualquer indivíduo, de qualquer instituição, para além do que trace o ordenamento, estão limitados não só pelo que podem os outros indivíduos e instituições, mas, ainda, pelo que, 24 RR Data de Julgamento: 19/09/2012, Relator Ministro: Hugo Carlos Scheuermann, 1ª Turma, Data de Publicação: DEJT 28/09/2012. Disponivel em: <http://aplicacao5.tst.jus.br/consultaunificada2/inteiroteor.do?action=printinteiroteor&format=html&highlight=tr ue&numeroformatado=rr%20-% &base=acordao&rowid=aaanghaafaaak1maal&datapublicacao=28/09/2012&query=par ametro%20fixacao%20dano%20moral%20assedio%20moral>. Acesso em: 13 nov

15 legitimamente, podem exigir na defesa de seus patrimônios jurídicos A Constituição da República (arts. 1º, inciso III, e 5º, -caput- e incisos III e X) tutela a privacidade e a honra, coibindo práticas que ofendam a dignidade da pessoa humana e constituam tratamento degradante Resta definido, no quadro fixado pela instância pregressa (pelos limites e funções da instância extraordinária, definitivos), que a reclamada restringia o uso de toaletes por parte de seus empregados, limitando a poucos minutos o tempo para tanto e de forma fiscalizada, por meio de incontroversos registros no sistema computadorizado. 25 Destarte, nosso ordenamento pátrio, ampara até mesmo o menor prejuízo financeiro sofrido pelo empregado, não há como deixar de amparar as lesões que esse mesmo empregado pode sofrer nos atributos de sua personalidade (em sua honra, boa fama, integridade física, espiritual) em virtude de ato ilícito praticado pelo empregador no contexto da relação trabalhista. CONCIDERAÇÕES FINAIS Encerrando o estudo, observa-se que muitas são as situações a serem consideradas sob a vertente de danos morais no trabalho. A questão do assédio moral, pontuada por juristas e teóricos especialistas da matéria no ambiente de trabalho não deixa dúvidas quanto à imperiosa necessidade de que se imponham medidas efetivas ao desestímulo de tais procedimentos. Cabe ao legislador elucidar a parametrização punitiva de tais questões, cabendo não somente a proteção ao trabalhador, mas disciplina ao empregador. Nesse estudo, verificou-se a ampla abrangência de entendimentos referentes ao assédio moral no âmbito do desempenho do empregado. Mas é preciso evidenciar as medidas corretivas e preventivas. 25 RR Data de Julgamento: 24/10/2012, Relator Ministro: Alberto Luiz Bresciani de Fontan Pereira, 3ª Turma, Data de Publicação: DEJT 31/10/2012. Disponível em: <http://aplicacao5.tst.jus.br/consultaunificada2/inteiroteor.do?action=printinteiroteor&format=html&highlight=tr ue&numeroformatado=rr%20-% &base=acordao&rowid=aaanghaafaaakyraam&datapublicacao=31/10/2012&query=inde nizacao%20punitiva%20assedio%20moral>. Acesso em: 13 nov

16 Pode-se, por fim, enfatizar o necessário aprofundamento reflexivo do assunto a fim de que se torne mais conhecido e assimilado nos contextos organizacionais. Não se observou a competência da Justiça do Trabalho para tratar da matéria, o que se entende que deve ser de direito. Ou seja, cabe a mesma o reconhecimento do valor das relações e trabalho. Logo, tendo o assédio moral se inserido nesse contexto nada mais adequado que a este foro caiba o julgamento. Dessa forma, vale registrar o entendimento que seja devida a assunção pela Justiça do Trabalho das dimensões que tratem de reparação e indenização por assédio e dano moral. REFERÊNCIA DAS FONTES CITADAS ANDRADE, André Gustavo de. A evolução do conceito de dano moral. Banco do Conhecimento, Disponível em: do_conceito_de_dano_moral.pdf>. Acesso em: 20 mar CAHALI, Yussef Said. Dano Moral. São Paulo: Ed. Revista dos Tribunais, CASSAR, Vólia Bomfim. Direito do trabalho. 3. ed. Niterói: Impetus, CATHARINO, José Martins apud MARTINS, Sérgio Pinto. Direito Processual do Trabalho. São Paulo: Atual, CAVALCANTE, Jouberto de Quadros Pessoa; JORGE NETO, Francisco Ferreira. O Direito do Trabalho e o assédio moral. Jus Navigandi, Teresina, a. 10, n. 638, 7 abr Disponível em: <http://jus.uol.com.br/revista/texto/6457>. Acesso em: 14 mar CHAMONE, Marcelo Azevedo. O dano na responsabilidade civil Disponível em: <jus.uol.com.br/revista/texto/11365/o-dano-na-responsabilidade-civil>. Acesso em: 03 jun DARCANCHY, Mara Vidigal. Assédio moral no meio ambiente do trabalho. Jus Navigandi, Teresina, a. 11, n. 913, 2 jan Disponível em: <http://jus.uol.com.br/revista/texto/7765>. Acesso em: 14 mar DELGADO, Maurício Godinho. Curso de Direito do Trabalho. São Paulo: LTR,

17 GABRIEL, Sérgio. Dano moral e indenização. Jus Navigandi, Teresina, a. 7, n. 56, 1 abr Disponível em: <http://jus.uol.com.br/revista/texto/2821>. Acesso em: 22 mar HELOANI, Roberto. Assédio Moral: um ensaio sobre a expropriação da dignidade no trabalho. RAE-eletrônica, v. 3, n. 1, art. 10, jan./jun Disponível em: <http://www.rae.com.br/eletronica/index.cfm?fuseaction=artigo&id=19 15&Secao=PENSATA&Volume=3&Numero=1&Ano=2004>. Acesso em: 03 abr MARANHÃO, Délio. Instituições do Direito do Trabalho. São Paulo: Ltr, PAMPLONA FILHO, Rodolfo. O dano moral na relação de emprego. São Paulo: LTR, PINTO MARTINS, Sérgio. Dano moral decorrente do contrato de trabalho. São Paulo: Atlas, PROENÇA, Ricardo. Inadimplemento contratual. Danos morais, set Disponível em: <http://ricardo-proenca.blogspot.com/2010/09/inadimplementocontratual-danos-morais.html>. Acesso em: 10 mai SAVATIER, René apud GABRIEL, Sérgio. Dano moral e indenização. Jus Navigandi, Teresina, a. 7, n. 56, 1 abr Disponível em: <http://jus.uol.com.br/revista/texto/2821>. Acesso em: 22 mar SCHIAVI, Mauro. Dano moral coletivo decorrente da relação de trabalho. Lacier, Disponível em: <www.lacier.com.br/artigos/dano%20moral%20coletivo.doc>. Acesso em: 10 mai SILVA, Luiz Pinho Pedreira da. A Reparação do dano moral no Direito do Trabalho. São Paulo: LTR, RR Data de Julgamento: 19/09/2012, Relator Ministro: Hugo Carlos Scheuermann, 1ª Turma, Data de Publicação: DEJT 28/09/2012. Disponivel em: <http://aplicacao5.tst.jus.br/consultaunificada2/inteiroteor.do?action=printinteiroteor &format=html&highlight=true&numeroformatado=rr%20-% &base=acordao&rowid=aaanghaafaaak1maal&datapublicac ao=28/09/2012&query=parametro%20fixacao%20dano%20moral%20assedio%20mo ral>. Acesso em: 13 nov RR Data de Julgamento: 24/10/2012, Relator Ministro: Alberto Luiz Bresciani de Fontan Pereira, 3ª Turma, Data de Publicação: DEJT 31/10/2012. Disponível em: <http://aplicacao5.tst.jus.br/consultaunificada2/inteiroteor.do?action=printinteiroteor &format=html&highlight=true&numeroformatado=rr%20-% &base=acordao&rowid=aaanghaafaaakyraam&datapublicaca 207

18 o=31/10/2012&query=indenizacao%20punitiva%20assedio%20moral>. Acesso em: 13 nov VARELLA, Antunes apud CAVALIERI FILHO, Sérgio. Programa de Responsabilidade Civil. São Paulo: Malheiros Editores, VIEIRA, Paulo de Tarso. Responsabilidade civil no código do consumidor e a defesa do fornecedor. São Paulo: Saraiva,

O Dano Moral no Direito do Trabalho

O Dano Moral no Direito do Trabalho 1 O Dano Moral no Direito do Trabalho 1 - O Dano moral no Direito do Trabalho 1.1 Introdução 1.2 Objetivo 1.3 - O Dano moral nas relações de trabalho 1.4 - A competência para julgamento 1.5 - Fundamentação

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Requisitos para Caracterização do Dano Moral Alessandro Meyer da Fonseca* O instituto do dano moral cujo direito a reparabilidade durante muitos anos foi objeto de debates pelos

Leia mais

Sentença. 1. Relatório. Relatório dispensado (artigo 38 da Lei 9.099/95). 2. Fundamentação

Sentença. 1. Relatório. Relatório dispensado (artigo 38 da Lei 9.099/95). 2. Fundamentação Processo : 2013.01.1.151018-6 Classe : Procedimento do Juizado Especial Cível Assunto : Contratos de Consumo Requerente : CELSO VIEIRA DA ROCHA JUNIOR Requerido : EMPRESA EBAZAR Sentença 1. Relatório Relatório

Leia mais

Débora Cristina Tortorello Barusco. Bacharel, Empresária, nascida aos 04 de Outubro de 1962, cidade de Bebedouro, São Paulo.

Débora Cristina Tortorello Barusco. Bacharel, Empresária, nascida aos 04 de Outubro de 1962, cidade de Bebedouro, São Paulo. 1 2 Débora Cristina Tortorello Barusco. Bacharel, Empresária, nascida aos 04 de Outubro de 1962, cidade de Bebedouro, São Paulo. Ao meu marido João, por tudo que construímos ao longo da nossa vida, através

Leia mais

O Dano Moral por Uso Indevido da Imagem do Empregado. O direito à imagem é um dos direitos de personalidade alçados a nível constitucional.

O Dano Moral por Uso Indevido da Imagem do Empregado. O direito à imagem é um dos direitos de personalidade alçados a nível constitucional. 1 O Dano Moral por Uso Indevido da Imagem do Empregado. O direito à imagem é um dos direitos de personalidade alçados a nível constitucional. Art. 5. Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA SEGUNDA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA SEGUNDA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA SEGUNDA CÂMARA CÍVEL Agravo Inominado na Apelação Cível nº. 0335220-03.2008.8.19.0001 Agravante: GOLDEN CROSS ASSISTÊNCIA INTERNACIONAL DE SAÚDE LTDA Agravado: JORGE MEDEIROS FREITAS

Leia mais

SENTENÇA. Inicial instruída com fls. 19/68. Deferida a assistência judiciária, foi ordenada a emenda da inicial fls. 69. Petição às fls. 70/75.

SENTENÇA. Inicial instruída com fls. 19/68. Deferida a assistência judiciária, foi ordenada a emenda da inicial fls. 69. Petição às fls. 70/75. 1 de 5 08/01/2014 18:17 SENTENÇA Cuida-se de ação ajuizada por CLEURIDES MADALENA CAMPOS VIEIRA em face de ROYAL HOLIDAY BRASIL NEGÓCIOS TURÍSTICOS LTDA, alegando que em 24/06/2010, que aderiu a um programa

Leia mais

Atualizações Trabalhistas

Atualizações Trabalhistas Atualizações Trabalhistas Aviso-prévio não pode ser suprimido por norma coletiva, suplente de Conselho Fiscal tem estabilidade sindical e empregado pago para não trabalhar deve ser indenizado por assédio

Leia mais

A R E R S E PONS N A S B A ILID I A D D A E D E C I C VIL N O N

A R E R S E PONS N A S B A ILID I A D D A E D E C I C VIL N O N A RESPONSABILIDADE CIVIL NO DIREITO DE FAMÍLIA 06.09.2014 Dimas Messias de Carvalho Mestre em Direito Constitucional Promotor de Justiça aposentado/mg Professor na UNIFENAS e UNILAVRAS Advogado Membro

Leia mais

Admitido o recurso. Contrarrazões foram apresentadas.

Admitido o recurso. Contrarrazões foram apresentadas. A C Ó R D Ã O 7.ª Turma GMDMA/LPS/sm RECURSO DE REVISTA. INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS. REVISTA EM BOLSAS E PERTENCES PESSOAIS DA EMPREGADA. Entendeu a Corte de origem que a revista dos pertences dos empregados

Leia mais

Conflitos entre o Processo Penal E o Processo Administrativo sob O ponto de vista do médico. Dr. Eduardo Luiz Bin Conselheiro do CREMESP

Conflitos entre o Processo Penal E o Processo Administrativo sob O ponto de vista do médico. Dr. Eduardo Luiz Bin Conselheiro do CREMESP Conflitos entre o Processo Penal E o Processo Administrativo sob O ponto de vista do médico Dr. Eduardo Luiz Bin Conselheiro do CREMESP PRÁTICA MÉDICA A prática médica se baseia na relação médicopaciente,

Leia mais

ASSÉDIO MORAL NO AMBIENTE DE TRABALHO

ASSÉDIO MORAL NO AMBIENTE DE TRABALHO ASSÉDIO MORAL NO AMBIENTE DE TRABALHO 1 CONCEITO Dano Moral Assédio Moral 2 Assédio Moral no Trabalho Conduta sem conotação sexual, ligada ao abuso de poder e caracterizada por práticas de humilhação e

Leia mais

O O CONFLITO ENTRE O PODER DE DIREÇÃO DA EMPRESA E A INTIMIDADE/PRIVACIDADE DO EMPREGADO NO AMBIENTE DE TRABALHO. Adriana Calvo

O O CONFLITO ENTRE O PODER DE DIREÇÃO DA EMPRESA E A INTIMIDADE/PRIVACIDADE DO EMPREGADO NO AMBIENTE DE TRABALHO. Adriana Calvo O O CONFLITO ENTRE O PODER DE DIREÇÃO DA EMPRESA E A INTIMIDADE/PRIVACIDADE DO EMPREGADO NO AMBIENTE DE TRABALHO Adriana Calvo Professora de Direito do Trabalho do Curso Preparatório para carreiras públicas

Leia mais

A RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR NOS ACIDENTES DO TRABALHO: APLICAÇÃO DA TEORIA DA PERDA DE UMA CHANCE

A RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR NOS ACIDENTES DO TRABALHO: APLICAÇÃO DA TEORIA DA PERDA DE UMA CHANCE A RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR NOS ACIDENTES DO TRABALHO: APLICAÇÃO DA TEORIA DA PERDA DE UMA CHANCE CHAMORRO, N. A. A. Resumo: O estudo baseia-se na responsabilidade civil do empregador pela perda

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DOS OPERADORES DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS

RESPONSABILIDADE CIVIL DOS OPERADORES DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS RESPONSABILIDADE CIVIL DOS OPERADORES DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS Atividade de intermediação de negócios imobiliários relativos à compra e venda e locação Moira de Toledo Alkessuani Mercado Imobiliário Importância

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DA CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 6.542, DE 2006 VOTO EM SEPARADO DEPUTADO REGIS DE OLIVEIRA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DA CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 6.542, DE 2006 VOTO EM SEPARADO DEPUTADO REGIS DE OLIVEIRA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DA CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 6.542, DE 2006 Regulamenta o inciso IX do art. 114 da Constituição Federal, para dispor sobre competências da Justiça do Trabalho referentes

Leia mais

ABANDONO INTELECTUAL DE FILHO E A INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS

ABANDONO INTELECTUAL DE FILHO E A INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS ABANDONO INTELECTUAL DE FILHO E A INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS Daniela Galvão de Araujo Mestre em Teoria do Direito e do Estado Especialista em Direito Processual Civil, Penal e Trabalhista Docente do

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.468.978 - SC (2014/0174626-0) RELATOR : MINISTRO RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA RECORRENTE : BANCO SEMEAR S/A ADVOGADOS : ANDREA RODRIGUES FLAIDA BEATRIZ NUNES DE CARVALHO E OUTRO(S) VICTOR

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO fls. 2 ACÓRDÃO Registro: 2015.0000373304 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0008132-86.2013.8.26.0003, da Comarca de São Paulo, em que é apelante/apelado ANDRE PASQUALINI, é apelado/apelante

Leia mais

DANOS MATERIAIS. A indenização material cabível vem prescrita no Art. 950 do CC/2002 e seu parágrafo único:

DANOS MATERIAIS. A indenização material cabível vem prescrita no Art. 950 do CC/2002 e seu parágrafo único: DOENÇA OCUPACIONAL - ARTS. 20 E 118, DA LEI 8.213/91 INDENIZAÇÃO POR DANOS MATERIAIS E MORAIS NOVA COMPETÊNCIA DO ART. 114, DA CF QUANTIFICAÇÃO DO DANO MATERIAL E MORAL Competência da Justiça do Trabalho.

Leia mais

Responsabilidade Civil e Criminal em Acidentes de Trabalho. M. J. Sealy

Responsabilidade Civil e Criminal em Acidentes de Trabalho. M. J. Sealy Responsabilidade Civil e Criminal em Acidentes de Trabalho O Conceito de Acidente de Trabalho (de acordo com a Lei 8.213/91 Art. 19) Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO. PROJETO DE LEI N o 2.369, DE 2003 (Apensados PL nº 2.593, de 2003, e PL nº 4.

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO. PROJETO DE LEI N o 2.369, DE 2003 (Apensados PL nº 2.593, de 2003, e PL nº 4. COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI N o 2.369, DE 2003 (Apensados PL nº 2.593, de 2003, e PL nº 4.593, de 2009) Dispõe sobre o assédio moral nas relações de trabalho.

Leia mais

O Dano Moral e o Direito Moral de Autor

O Dano Moral e o Direito Moral de Autor O Dano Moral e o Direito Moral de Autor Guilherme L. S. Neves Advogado especializado em Direito do Entretenimento Associado à Drummond e Neumayr Advocacia 11/05/2007 Introdução: Como é cediço, o direito

Leia mais

V I S T O S, relatados e discutidos estes autos de. GRUPO PREVENIR CONSULTING LTDA. [ME] e GOLDEN PLAN PARTICIPAÇÕES COMERCIAIS LTDA.. I.

V I S T O S, relatados e discutidos estes autos de. GRUPO PREVENIR CONSULTING LTDA. [ME] e GOLDEN PLAN PARTICIPAÇÕES COMERCIAIS LTDA.. I. RECURSO ORDINÁRIO, provenientes da V I S T O S, relatados e discutidos estes autos de MM. 08ª VARA DO TRABALHO DE CURITIBA, PR, sendo Recorrente JESSICA LUANNA CASSAROTTI e Recorridos GRUPO PREVENIR CONSULTING

Leia mais

FONTES DO DIREITO DO TRABALHO

FONTES DO DIREITO DO TRABALHO FONTES DO DIREITO DO TRABALHO CONCEITO As fontes do direito do trabalho são fundamentais para o conhecimento da própria ciência, vez que nelas são descobertas as reais origens e as bases da matéria do

Leia mais

Resumo Aula-tema 03: Relações de Trabalho: empregado x empregador. Terceirização.

Resumo Aula-tema 03: Relações de Trabalho: empregado x empregador. Terceirização. Resumo Aula-tema 03: Relações de Trabalho: empregado x empregador. Terceirização. O Direito do Trabalho não se preocupa apenas e tão somente com as relações entre empregado e empregador. Sua abrangência

Leia mais

Vigésima Sétima Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro

Vigésima Sétima Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro APELAÇÃO CÍVEL Nº 0035092-08.2012.8.19.0004 APELANTE: BANCO BRADESCO S/A APELADO: BRUNO GARCIA DE SÁ RELATOR: DES. FERNANDO ANTONIO DE ALMEIDA APELAÇÃO CÍVEL DIREITO DO CONSUMIDOR AÇÃO SOB O RITO SUMÁRIO

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 5.423, DE 2009 Acrescenta dispositivo à Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, estabelecendo

Leia mais

O PAPEL DOS SINDICATOS NAS RELAÇÕES DE TRABALHO E A SUA ATUAÇÃO CONTRA O ASSÉDIO MORAL

O PAPEL DOS SINDICATOS NAS RELAÇÕES DE TRABALHO E A SUA ATUAÇÃO CONTRA O ASSÉDIO MORAL O PAPEL DOS SINDICATOS NAS RELAÇÕES DE TRABALHO E A SUA ATUAÇÃO CONTRA O ASSÉDIO MORAL Camile Silva Nóbrega 1 RESUMO O papel dos sindicatos na atuação contra o assédio moral nas relações de trabalho, criando

Leia mais

AS FORMAS DE CARACTERIZAÇÃO DO ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO DAS EMPRESAS PRIVADAS

AS FORMAS DE CARACTERIZAÇÃO DO ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO DAS EMPRESAS PRIVADAS 1 AS FORMAS DE CARACTERIZAÇÃO DO ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO DAS EMPRESAS PRIVADAS Júlio César Arcarde Moreira 1 RESUMO: O trabalho humano produtivo é essencial para o desenvolvimento econômico, político

Leia mais

BULLYING PROFISSIONAL E O CONSTRANGIMENTO ILEGAL HIERÁRQUICO NO DIREITO ADMINISTRATIVO MILITAR

BULLYING PROFISSIONAL E O CONSTRANGIMENTO ILEGAL HIERÁRQUICO NO DIREITO ADMINISTRATIVO MILITAR BULLYING PROFISSIONAL E O CONSTRANGIMENTO ILEGAL HIERÁRQUICO NO DIREITO ADMINISTRATIVO MILITAR Eder Machado Silva * Resumo: O presente artigo tem por objetivo abrir uma discussão sobre essa visão de violência

Leia mais

DIREITO CIVIL TEORIA DOS DANOS AUTÔNOMOS!!! 28/07/2015

DIREITO CIVIL TEORIA DOS DANOS AUTÔNOMOS!!! 28/07/2015 DIREITO CIVIL ESTÁCIO-CERS O Dano extrapatrimonial e a sua história Posição constitucional e contribuição jurisprudencial Prof Daniel Eduardo Branco Carnacchioni Tema: O Dano extrapatrimonial e a sua história

Leia mais

A APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340, DE 07 DE AGOSTO DE 2006 NA JUSTIÇA MILITAR

A APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340, DE 07 DE AGOSTO DE 2006 NA JUSTIÇA MILITAR A APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340, DE 07 DE AGOSTO DE 2006 NA JUSTIÇA MILITAR Jonas Guedes 1 Resumo: O tema abordado no presente artigo versará sobre o crime de lesão corporal, sob a égide do Direito Constitucional

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.322.914 - PR (2012/0097003-6) RELATORA RECORRENTE RECORRIDO ADVOGADA S : MINISTRA NANCY ANDRIGHI : ROBERTO GETULIO MAGGI : CARLOS FREDERICO REINA COUTINHO E OUTRO(S) : SUL AMÉRICA

Leia mais

Nº 70051316248 COMARCA DE SANTA ROSA PAULO VANDERLEI MARTINS MUNICÍPIO DE SANTA ROSA

Nº 70051316248 COMARCA DE SANTA ROSA PAULO VANDERLEI MARTINS MUNICÍPIO DE SANTA ROSA INDENIZATÓRIA. COBRANÇA INDEVIDA DE IPTU. DANO MORAL. PROVA. 1. Nem toda ilegalidade praticada pelo Estado acarreta dano moral. A configuração do dano moral exige grave ofensa à dignidade da pessoa humana.

Leia mais

Questões da Prova de Direito Civil MPU - Professor Lauro Escobar

Questões da Prova de Direito Civil MPU - Professor Lauro Escobar Acerca da responsabilidade civil, julgue os itens subsecutivos. 81 Caso o paciente morra em decorrência de ter recebido tratamento médico inadequado, a teoria da perda de uma chance poderá ser utilizada

Leia mais

CONTRATOS ATÍPICOS Limites legais e dogmáticos para criação uma nova perspectiva a partir do Código Civil.

CONTRATOS ATÍPICOS Limites legais e dogmáticos para criação uma nova perspectiva a partir do Código Civil. CONTRATOS ATÍPICOS Limites legais e dogmáticos para criação uma nova perspectiva a partir do Código Civil. Adalgiza Paula O. Mauro Advogada no Paraná, pós-graduada em Direito Civil e Direito Processual

Leia mais

ADRIANA WYZYKOWSKI RENATO DA COSTA UNO DE GOES BARROS RODOLFO PAMPLONA FILHO

ADRIANA WYZYKOWSKI RENATO DA COSTA UNO DE GOES BARROS RODOLFO PAMPLONA FILHO ADRIANA WYZYKOWSKI Professora substituta da Universidade Federal da Bahia - (UFBA) e da Universidade Salvador UNI-FACS. Mestre em Relações Sociais e Novos Direitos pela Universidade Federal da Bahia -

Leia mais

Palestrante: Tatiana C. Reis Filagrana

Palestrante: Tatiana C. Reis Filagrana Palestra -ABANDONO AFETIVO: QUESTÕES CONTROVERTIDAS Palestrante: Tatiana C. Reis Filagrana ARTIGOS -LEI Art. 186 CCB: Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito

Leia mais

AULA 01. Direito Civil, vol.4, Silvio Rodrigues, editora Saraiva.

AULA 01. Direito Civil, vol.4, Silvio Rodrigues, editora Saraiva. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Responsabilidade Civil / Aula 01 Professora: Andréa Amim Monitora: Mariana Simas de Oliveira AULA 01 CONTEÚDO DA AULA: Bibliografia. Estrutura da Responsabilidade

Leia mais

Vigésima Sétima Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro

Vigésima Sétima Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro APELAÇÃO CÍVEL Nº 0460569-74.2012.8.19.0001 APELANTE: ALINE ALMEIDA PERES APELADO: INSTITUTO BRASILEIRO DE MEDICINA DE REABILITAÇÃO LTDA RELATOR: DES. FERNANDO ANTONIO DE ALMEIDA APELAÇÃO CÍVEL DIREITO

Leia mais

Responsabilidade Civil Engenheiros e Arquitetos E&O e D&O

Responsabilidade Civil Engenheiros e Arquitetos E&O e D&O Responsabilidade Civil Engenheiros e Arquitetos E&O e D&O AsBEA Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura Encontro Regional AsBEA 2010 Nada a perder, algo a ganhar... Algo a ganhar, pouco a

Leia mais

Sumário. Agradecimentos... 11 Coleção sinopses para concursos... 13 Guia de leitura da Coleção... 15 Nota dos autores à 3ª edição...

Sumário. Agradecimentos... 11 Coleção sinopses para concursos... 13 Guia de leitura da Coleção... 15 Nota dos autores à 3ª edição... Sumário Agradecimentos... 11 Coleção sinopses para concursos... 13 Guia de leitura da Coleção... 15 Nota dos autores à 3ª edição... 17 Capítulo I OPÇÃO METODOLÓGICA... 19 Parte I DIREITO DAS OBRIGAÇÕES

Leia mais

A inserção injusta causa às pessoas / consumidores danos de ordem moral e em algumas vezes patrimonial, que, reconhecida gera o direito à reparação.

A inserção injusta causa às pessoas / consumidores danos de ordem moral e em algumas vezes patrimonial, que, reconhecida gera o direito à reparação. 1.1 - Introdução Infelizmente o ajuizamento de ações de indenização por danos materiais e principalmente morais em face de empresas por inclusão indevida do nome de seus clientes em órgãos de proteção

Leia mais

Produtividade. Competitividade. PODER DE COMANDO EMPRESARIAL X ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO Cenário da competitividade. Tributação. Relações do trabalho

Produtividade. Competitividade. PODER DE COMANDO EMPRESARIAL X ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO Cenário da competitividade. Tributação. Relações do trabalho Cenário da competitividade Tributação Relações do trabalho Competitividade Produtividade Infraestrutura Fonte: Elaborado pela CNI, com base em estatísticas do BLS, OCDE, Banco Mundial, IBGE, BACEN, FGV,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO fls. 1 Registro: 2016.0000032905 232 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0027207-72.2012.8.26.0577, da Comarca de São José dos Campos, em que é apelante/apelado RENAULT DO

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0024.09.640755-6/001 Númeração 6407556- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Alberto Henrique Des.(a) Alberto Henrique 13/03/2014 21/03/2014 EMENTA:

Leia mais

Contrarrazões da primeira ré às fls.455/465, do reclamante às fls. 466/468, e da segunda ré às fls.469/471.

Contrarrazões da primeira ré às fls.455/465, do reclamante às fls. 466/468, e da segunda ré às fls.469/471. Acórdão 10a Turma INDENIZAÇÃO POR DANO MORAL- DEFERIMENTO - O dano moral configura-se por um sofrimento decorrente de lesão de direitos não-patrimoniais caracterizado por excesso, abuso, tratamento humilhante

Leia mais

O Eg. Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, em acórdão de fls. 382/404, negou provimento ao Recurso Ordinário do Reclamante.

O Eg. Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, em acórdão de fls. 382/404, negou provimento ao Recurso Ordinário do Reclamante. A C Ó R D Ã O (8ª Turma) GDCJPS/lfa/bt RECURSO DE REVISTA DANO MORAL CANCELAMENTO INDEVIDO DO PLANO DE SAÚDE Na esteira de diversos precedentes desta Corte, configura ato ilícito capaz de gerar danos morais

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal RECLAMAÇÃO 15.309 SÃO PAULO RELATORA RECLTE.(S) PROC.(A/S)(ES) RECLDO.(A/S) ADV.(A/S) INTDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. ROSA WEBER :MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO :PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO

Leia mais

INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 18 COMPETÊNCIA

INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 18 COMPETÊNCIA INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 18 COMPETÊNCIA Índice 1. Competência...3 1.1. Critérios Objetivos... 3 1.1.1. Critérios Subjetivos... 4 1.1.2. Competência Territorial... 4 2. Dos Processos...4

Leia mais

A Visão do Desembargador Sergio Cavalieri Filho Sobre a Responsabilidade Civil nos 10 Anos do Código Civil na Construção da Doutrina e Jurisprudência

A Visão do Desembargador Sergio Cavalieri Filho Sobre a Responsabilidade Civil nos 10 Anos do Código Civil na Construção da Doutrina e Jurisprudência 222 Série Aperfeiçoamento de Magistrados 13 10 Anos do Código Civil - Aplicação, Acertos, Desacertos e Novos Rumos Volume 2 A Visão do Desembargador Sergio Cavalieri Filho Sobre a Responsabilidade Civil

Leia mais

7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil. Tópicos Especiais em Direito Civil

7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil. Tópicos Especiais em Direito Civil 7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil Tópicos Especiais em Direito Civil Introdução A Responsabilidade Civil surge em face de um descumprimento obrigacional pela desobediência de uma regra estabelecida

Leia mais

LATROCÍNIO COM PLURALIDADE DE VÍTIMAS

LATROCÍNIO COM PLURALIDADE DE VÍTIMAS LATROCÍNIO COM PLURALIDADE DE VÍTIMAS ALESSANDRO CABRAL E SILVA COELHO - alessandrocoelho@jcbranco.adv.br JOSÉ CARLOS BRANCO JUNIOR - jcbrancoj@jcbranco.adv.br Palavras-chave: crime único Resumo O presente

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECLAMAÇÃO Nº 14.696 - RJ (2013/0339925-1) RELATORA : MINISTRA MARIA ISABEL GALLOTTI RECLAMANTE : BANCO BRADESCO FINANCIAMENTOS S/A ADVOGADO : JOSÉ ANTÔNIO MARTINS E OUTRO(S) RECLAMADO : TERCEIRA TURMA

Leia mais

(voto proferido pela Ministra Eliana Calmon). Já decidiu este Superior Tribunal de Justiça que "o valor da indenização por dano moral sujeita-se ao

(voto proferido pela Ministra Eliana Calmon). Já decidiu este Superior Tribunal de Justiça que o valor da indenização por dano moral sujeita-se ao O DANO MORAL E A ESCOLA-BASE: O LEAD CASE DO STJ PAULO R. ROQUE A. KHOURI Advogado Mestrando em Direito Privado pela Universidade de Lisboa Autor do Livro Contratos e Responsabilidade Civil no CDC Professor

Leia mais

Dano Moral no Direito do Consumidor. HÉCTOR VALVERDE SANTANA hvs jur@ho tm ail.c o m

Dano Moral no Direito do Consumidor. HÉCTOR VALVERDE SANTANA hvs jur@ho tm ail.c o m Dano Moral no Direito do Consumidor HÉCTOR VALVERDE SANTANA hvs jur@ho tm ail.c o m RELAÇÃO JURÍDICA DE CONSUMO Consumidor padrão ou standard : art. 2º, caput Consumidor por equiparação: arts. 2º, parágrafo

Leia mais

+ -47 41.1 ' r, ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. JORGE RIBEIRO NÓBREGA

+ -47 41.1 ' r, ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. JORGE RIBEIRO NÓBREGA t. + -47 41.1 ' r ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. JORGE RIBEIRO NÓBREGA ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N. 001.2004.024269-3/001 Oriundo da 7a Vara Cível da Comarca de Campina Grande-PB

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.061.500 - RS (2008/0119719-3) RELATOR : MINISTRO SIDNEI BENETI RECORRENTE : BANCO CITIBANK S/A ADVOGADO : EDUARDO GRAEFF E OUTRO(S) RECORRIDO : ADELINA FARINA RUGA ADVOGADO : MARCOS

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: PRT 4ª Região Membro Oficiante: Dr. Fabiano Holz Beserra Interessado 1: TRT 4ª Região Interessado 2: Prefeitura Municipal de Porto Alegre Assunto: Fraudes Trabalhistas 03.01.09 - Trabalho na Administração

Leia mais

22/10/2015 https://pje.tjdft.jus.br/pje/consultapublica/detalheprocessoconsultapublica/documentosemloginhtml.seam?ca=e7a42b30ee6f6d0ff5bb5ab6f2d34

22/10/2015 https://pje.tjdft.jus.br/pje/consultapublica/detalheprocessoconsultapublica/documentosemloginhtml.seam?ca=e7a42b30ee6f6d0ff5bb5ab6f2d34 Poder Judiciário da União TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO DISTRITO FEDERAL E DOS TERRITÓRIOS 2JEFAZPUB 2º Juizado Especial da Fazenda Pública do DF Número do processo: 0706261 95.2015.8.07.0016 Classe judicial:

Leia mais

Vigésima Sétima Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro

Vigésima Sétima Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro APELAÇÃO CÍVEL Nº 2216384-69.2011.8.19.0021 APELANTE: TERESA RAMOS DE SANTANA APELADO: RICARDO ELETRO DIVINOPOLIS LTDA APELADO: ZTE DO BRASIL COMERCIO SERVIÇOS E PARTICIPAÇÕES LTDA RELATOR: DES. FERNANDO

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI N o 2.369, DE 2003 Dispõe sobre o assédio moral nas relações de trabalho. Autor: Deputado MAURO PASSOS Relator: Deputado VICENTINHO

Leia mais

O empregado caminhando na empresa, cai e se machuca vai pedir uma indenização na justiça do trabalho. (empregado x empregador);

O empregado caminhando na empresa, cai e se machuca vai pedir uma indenização na justiça do trabalho. (empregado x empregador); Turma e Ano: Flex B (2014) Matéria / Aula: Processo do Trabalho / Aula 04 Professor: Leandro Antunes Conteúdo: Procedimento Sumário, Procedimento Sumaríssimo. A competência para julgar acidente de trabalho:

Leia mais

Capacitar o aluno para que possa compreender a importância do Direito do Trabalho no plano histórico, social, político e econômico.

Capacitar o aluno para que possa compreender a importância do Direito do Trabalho no plano histórico, social, político e econômico. PROGRAMA DE DISCIPLINA I. Curso: DIREITO II. Disciplina: DIREITO DO TRABALHO I (D-36) Área: Ciências Sociais Período: Sétimo Turno: Matutino/Noturno Ano: 2013.1 Carga Horária: 72 H; Créd.: 04 III. Pré-Requisito:

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br As excludentes da responsabilidade civil decorrentes do acidente de trabalho Paula Gracielle de Mello* Sumário: 1. Introdução. 2. Responsabilidade Civil no Direito Brasileiro.3.

Leia mais

ACÓRDÃO. Vistos, relatados e discutidos estes autos de. APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 640.051-4/4-00, da Comarca de

ACÓRDÃO. Vistos, relatados e discutidos estes autos de. APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 640.051-4/4-00, da Comarca de TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO x ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA REGISTRADO(A) SOB N Vistos, relatados e discutidos estes autos de APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 640.051-4/4-00,

Leia mais

PARECER Nº, DE 2012. RELATOR: Senador ARMANDO MONTEIRO I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2012. RELATOR: Senador ARMANDO MONTEIRO I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2012 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 39, de 2007, do Senador Alvaro Dias, que Acrescenta o art. 879-A ao Decreto-Lei nº 5.452, de 1º

Leia mais

3 RESPONSABILIDADE CIVIL

3 RESPONSABILIDADE CIVIL 3 RESPONSABILIDADE CIVIL De acordo com F. Savater, com a instituição social da pessoa nasce o conceito eticamente básico de responsabilidade, que é tanto a vocação de responder ante os outros, quanto ser

Leia mais

Inicialmente, nomeou à autoria o Conselho Federal de Corretores de Imóveis, ao argumento de que apenas cumpriu ordens exaradas daquele ente federal.

Inicialmente, nomeou à autoria o Conselho Federal de Corretores de Imóveis, ao argumento de que apenas cumpriu ordens exaradas daquele ente federal. AÇÃO ORDINÁRIA (PROCEDIMENTO COMUM ORDINÁRIO) Nº 2008.72.00.012458-2/SC AUTOR: ROBERTO CORRÊA DE SOUZA FILHO ADVOGADO: SILMARA APARECIDA DE BARROS VALLE RÉU: CONSELHO REGIONAL DE CORRETORES DE IMOVEIS

Leia mais

A LEI MARIA DA PENHA E A AÇÃO PENAL CABÍVEL À VÍTIMA. Maria Eduarda Lopes Coelho de Vilela 1

A LEI MARIA DA PENHA E A AÇÃO PENAL CABÍVEL À VÍTIMA. Maria Eduarda Lopes Coelho de Vilela 1 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 1134 A LEI MARIA DA PENHA E A AÇÃO PENAL CABÍVEL À VÍTIMA Maria Eduarda Lopes Coelho de Vilela 1 1 Discente do 6º

Leia mais

Referem-se a preocupação com responsabilidades perante ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo e Ministério da Previdência Social.

Referem-se a preocupação com responsabilidades perante ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo e Ministério da Previdência Social. Questionamento: Dra Magadar, bom dia. A APEPREM está recebendo questionamentos acerca das providências possíveis e de competência dos Gestores cuja entidade mantém contrato de prestação de serviços com

Leia mais

367 PROCESSO ELETRÔNICO

367 PROCESSO ELETRÔNICO DÉCIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL PROCESSO ELETRÔNICO (kl) APELAÇÃO Nº. 195804-83/2009-0001 APELANTE: GAMA SAÚDE S. A. APELADO: ALBANO DE SOUZA MARQUES APELANTE: RELATOR: DES. LINDOLPHO MORAIS MARINHO DECISÃO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA NONA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº 0014455-71.2010.8.19.0209 APELANTE 1: UNIMED RIO COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO DO RIO DE JANEIRO LTDA. APELANTE

Leia mais

SENTENÇA. XXXXXX-XX.2012.8.26.0100 Procedimento Ordinário - Perdas e Danos D. (Omitido) Jonica Investimentos Imobiliários Ltda.

SENTENÇA. XXXXXX-XX.2012.8.26.0100 Procedimento Ordinário - Perdas e Danos D. (Omitido) Jonica Investimentos Imobiliários Ltda. fls. 1 SENTENÇA Processo nº: Classe - Assunto Requerente: Requerido: XXXXXX-XX.2012.8.26.0100 Procedimento Ordinário - Perdas e Danos D. (Omitido) Jonica Investimentos Imobiliários Ltda. (Tecnisa) Juiz(a)

Leia mais

Seguros FIPI e EPL Rafael Domingues

Seguros FIPI e EPL Rafael Domingues Seguros FIPI e EPL Rafael Domingues Seguro FIPI Rafael Domingues FIPI CONTEXTO A Instituições financeiras estão cada vez mais expostas a reclamações decorrentes da prestação de serviços profissionais;

Leia mais

ESTABILIDADE PROVISÓRIA DA GESTANTE

ESTABILIDADE PROVISÓRIA DA GESTANTE ESTABILIDADE PROVISÓRIA DA GESTANTE Weliton José da Silva Balduino 1 Rafaella Gil Almeida 2 INTRODUÇÃO Historicamente, a mulher sempre desempenhou atividades, seja, no lar, nas atividades agrícolas familiares

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo fls. 5 TRIBUNAL DE JUSTIÇA São Paulo ACÓRDÃO Registro: 2014.0000527400 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0010031-52.2012.8.26.0554, da Comarca de Santo André, em que é apelante

Leia mais

A CONTRATAÇÃO DE SEGUROS DE RESPONSABILIDADE CIVIL: O QUE É PRECISO COMPREENDER E ENSINAR PARA O EMPRESÁRIO

A CONTRATAÇÃO DE SEGUROS DE RESPONSABILIDADE CIVIL: O QUE É PRECISO COMPREENDER E ENSINAR PARA O EMPRESÁRIO A CONTRATAÇÃO DE SEGUROS DE RESPONSABILIDADE CIVIL: O QUE É PRECISO COMPREENDER E ENSINAR PARA O EMPRESÁRIO 1 P R O F. ª D R A. A N G É L I C A C A R L I N I C A R L I N I S O C I E D A D E D E A D V O

Leia mais

BREVES APONTAMENTOS ACERCA DA FUNÇÃO SOCIAL DOS ALIMENTOS NO CÓDIGO CIVIL DE 2002

BREVES APONTAMENTOS ACERCA DA FUNÇÃO SOCIAL DOS ALIMENTOS NO CÓDIGO CIVIL DE 2002 1 BREVES APONTAMENTOS ACERCA DA FUNÇÃO SOCIAL DOS ALIMENTOS NO CÓDIGO CIVIL DE 2002 Noeli Manini Remonti 1 A lei, ao criar o instituto dos alimentos, estipulou a obrigação alimentar para garantir a subsistência

Leia mais

PROCESSO Nº TST-RR-687-71.2012.5.20.0002. A C Ó R D Ã O 2ª Turma GMJRP/pr

PROCESSO Nº TST-RR-687-71.2012.5.20.0002. A C Ó R D Ã O 2ª Turma GMJRP/pr A C Ó R D Ã O 2ª Turma GMJRP/pr DANO MORAL. CARACTERIZAÇÃO. INDENIZAÇÃO. ANOTAÇÃO NA CARTEIRA DE TRABALHO DE FALTAS AO SERVIÇO JUSTIFICADAS POR ATESTADOS MÉDICOS. Discute-se a caracterização de dano moral

Leia mais

Responsabilidade Civil nas Atividades Empresariais. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Responsabilidade Civil nas Atividades Empresariais. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Responsabilidade Civil nas Atividades Empresariais Para Reflexão Ao indivíduo é dado agir, em sentido amplo, da forma como melhor lhe indicar o próprio discernimento, em juízo de vontade que extrapola

Leia mais

. Desembargador José Di Lorenzo Serpa. Costa).

. Desembargador José Di Lorenzo Serpa. Costa). ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNALDE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N. 098.2008.000211-01001. Relator. Desembargador José Di Lorenzo Serpa. Apelante Banco do Brasil S/A (Adv.:

Leia mais

Projeto de Lei do Senado nº., de 2007. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

Projeto de Lei do Senado nº., de 2007. O CONGRESSO NACIONAL decreta: 1 Projeto de Lei do Senado nº., de 2007 Dispõe sobre a obrigatoriedade de patrocínio, pela União, de traslado de corpo de brasileiro de família hipossuficiente falecido no exterior. O CONGRESSO NACIONAL

Leia mais

DIREITOS DO TRABALHADOR NA RESCISÃO DO CONTRATO

DIREITOS DO TRABALHADOR NA RESCISÃO DO CONTRATO Autora: Idinéia Perez Bonafina Escrito em julho/2015 DIREITOS DO TRABALHADOR NA RESCISÃO DO CONTRATO 1. DIREITOS DO TRABALHADOR NA RESCISÃO DO CONTRATO O presente artigo abordará os direitos do trabalhador

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO Acórdão 10ª Turma INDENIZAÇÃO. DANO MORAL. ATRASO NA ENTREGA DAS GUIAS DO FGTS E SEGURO- DESEMPREGO. A demora injustificada na entrega das guias do FGTS e do Seguro- Desemprego, feita ultrapassado o decêndio

Leia mais

www.asser.org.br CNPJ: 31.660.087/0001-57.

www.asser.org.br CNPJ: 31.660.087/0001-57. Ofício nº 63/2014 Rio de Janeiro, 11 de Dezembro de 2014. De: Associação dos Servidores do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca ASSER/CEFET-RJ Para: Gerência de Relacionamento

Leia mais

A POSSIBILIDADE DA RESCISÃO INDIRETA POR ASSÉDIO MORAL

A POSSIBILIDADE DA RESCISÃO INDIRETA POR ASSÉDIO MORAL A POSSIBILIDADE DA RESCISÃO INDIRETA POR ASSÉDIO MORAL Nara Daiana Tondo Büttenbender 1 Rosemeri Farina 2 SUMÁRIO Introdução; 1 Conceito e caracterização do assédio moral no contrato individual de trabalho;

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR » Cacildo Baptista Palhares Júnior Advogado em Araçatuba (SP) Questões comentadas de direito do consumidor da prova objetiva do concurso de 2010 para Defensor da Bahia Com referência ao CDC, julgue os

Leia mais

ARTIGO: FRENTE DE TRABALHO REGIME ESPECIAL INEXISTENCIA DE RELAÇÃO DE EMPREGO - INCOMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO

ARTIGO: FRENTE DE TRABALHO REGIME ESPECIAL INEXISTENCIA DE RELAÇÃO DE EMPREGO - INCOMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO ARTIGO: FRENTE DE TRABALHO REGIME ESPECIAL INEXISTENCIA DE RELAÇÃO DE EMPREGO - INCOMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO Autores: SANDRA CRISTINA FLORIANO PEREIRA DE OLIVEIRA SANCHES, bacharel de direito pela

Leia mais

Responsabilidades do Empregador

Responsabilidades do Empregador Responsabilidades do Empregador RESPONSABILIDADE SOLIDÁRIA trabalhador poderá exigir que a obrigação seja satisfeita integralmente por um dos coobrigados (p.ex.: grupo de empresas, empreiteiros) RESPONSABILIDADE

Leia mais

EXPERT GROUP MEETING ON SUSTAINABLE URBAN TRANSPORT: MODERNISING AND GREENING TAXI FLEETS IN LATIN AMERICAN CITIES

EXPERT GROUP MEETING ON SUSTAINABLE URBAN TRANSPORT: MODERNISING AND GREENING TAXI FLEETS IN LATIN AMERICAN CITIES EXPERT GROUP MEETING ON SUSTAINABLE URBAN TRANSPORT: MODERNISING AND GREENING TAXI FLEETS IN LATIN AMERICAN CITIES United Nations Department of Economic and Social Affairs (DESA) Rio de Janeiro, 18 e 19

Leia mais

RELAÇÃO DE EMPREGO RELAÇÃO JURIDICA

RELAÇÃO DE EMPREGO RELAÇÃO JURIDICA RELAÇÃO DE EMPREGO A partir do momento em que o trabalho começou a existir, surgiram também as relações de emprego. Sob o ponto de vista do direito, a relação de emprego é um regramento jurídico que envolve

Leia mais

RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO

RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO RESPONSABILIDADE MÉDICA EMPRESARIAL E DA EQUIPE CIRÚRGICA POR ERRO ANESTÉSICO TOMÁS LIMA DE CARVALHO Em julgamento proferido no dia 22 de setembro de 2009, a Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça

Leia mais

O DANO MORAL NO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA

O DANO MORAL NO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA O DANO MORAL NO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA Segue, na íntegra, interessante notícia sobre o tema, veiculada no clipping da Associação dos Advogados de São Paulo de 9 de fevereiro de 2015, e acórdão do

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 12ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 12ª REGIÃO PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 12ª REGIÃO PROCESSO nº 0001042-63.2013.5.12.0004 RECORRENTE: ROSANGELA ALVES DE SOUZA MARCELO RECORRIDO: LOJAS RENNER SOCIEDADE ANONIMA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 26ª CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR Proc. nº 0008489-07.2014.8.19.0042 APELAÇÃO CÍVEL CONSUMIDOR

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 26ª CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR Proc. nº 0008489-07.2014.8.19.0042 APELAÇÃO CÍVEL CONSUMIDOR RECURSO...: APELANTE (S)...: APELADO (S)...: JUÍZO DE ORIGEM.: JDS. DES. RELATOR: APELAÇÃO CÍVEL CONSUMIDOR BRUNO MACEDO BASTOS. BANCO SANTANDER BRASILO S/A. 3ª VARA CÍVEL DE PETRÓPOLIS. RICARDO ALBERTO

Leia mais

Contrato de Corretagem. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Contrato de Corretagem. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Contrato de Corretagem Corretagem O vocábulo "corretor", vem do verbo correr, em seu significado semântico quer dizer: O que anda, procura, agencia negócios comerciais ou civis, serve de intermediário

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa e ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ACÓRDÃO AGRAVO INTERNO N 009.2008.001331-5/001. Relator: Dr. Aluízio Bezerra Filho, Juiz de Direito Convocado em substituição

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Seção de Direito Privado 12ª Câmara ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Seção de Direito Privado 12ª Câmara ACÓRDÃO fls. 1 Registro: 2011.0000317218 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0038728-72.2007.8.26.0000, da Comarca de Indaiatuba, em que são apelantes ERIK RÉGIS DOS SANTOS e AQUARELA

Leia mais