UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE AS IMAGENS DE VAN GOGH: FANTASIA E REALIDADE? Por: Barbara Dantas Melo Orientador Profª. Geni Lima Niterói 2007

2 2 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE AS IMAGENS DE VAN GOGH: FANTASIA E REALIDADE? Apresentação de monografia à Universidade Candido Mendes como requisito parcial para obtenção do grau de especialista em Arteterapia em Educação e Saúde Por: Barbara Dantas Melo

3 3 AGRADECIMENTOS Aos meus pais e irmãs que tanto contribuíram para que eu chegasse até aqui.

4 4 DEDICATÓRIA À todos aqueles que são apaixonados por arte: artistas, historiadores da arte, professores etc.

5 5 RESUMO O presente trabalho aborda a respeito do pintor moderno holandês Vincent Van Gogh que viveu no século XIX, sua história de vida, angústias e decepções, formação familiar, início e trajetória artística. Descreve um pouco do pensamento do século XIX, movimentos artísticos e tudo o que de certa forma influenciou no desenvolvimento de sua carreira. Contém a análise de algumas importantes obras fazendo-se a relação com a sua vida, pensamentos, sentimentos, cultura, sociedade da época, estabelecendo-se sempre um paralelo com os períodos da história da arte do momento. Dessa forma junta-se a arte e a psicologia, deixando a imagem falar, se apresentar.

6 6 METODOLOGIA O método usado para a elaboração deste trabalho acadêmico foi a Pesquisa Bibliográfica. Segundo Lakatos e Marconi (2001, p.43-44) este tipo de pesquisa trata-se de fazer o levantamento de toda a bibliografia já publicada a respeito do assunto em questão, em forma de livros, revistas, publicações avulsas e imprensa escrita. Isto possibilita colocar o pesquisador em contato direto com tudo o que já foi escrito sobre o tema, com o objetivo de permitir analisar as informações obtidas e a manipulação das mesmas, oferecendo meios de resolver problemas já existentes e explorar novas áreas. Este tipo de pesquisa constitui-se o primeiro passo para toda pesquisa científica. O tema em questão foi abordado por meio de biografias sobre o pintor Vincent Van Gogh, livros que falam da história da arte no século XIX segundo teóricos como Giulio Carlo Argan, Gombrich e a sociedade da época; livros de psicologia que abordam Freud, Jung, bibliografia sobre o tema criatividade e livros de Arteterapia para o tratamento de imagens. A pesquisa foi também complementada com a consulta em sites, revistas e enciclopédias.

7 7 SUMÁRIO INTRODUÇÃO 8 CAPÍTULO I - A Vida de Van Gogh 9 CAPÍTULO II - A Arte e Sociedade do Séc. XIX na Europa 27 CAPÍTULO III A Obra de Van Gogh 35 CONCLUSÃO 51 BIBLIOGRAFIA CONSULTADA 53 ANEXOS 54 ÍNDICE 58 FOLHA DE AVALIAÇÃO 60

8 8 INTRODUÇÃO O pintor Vincent Van Gogh hoje em dia é considerado um dos nomes mais importantes da arte moderna. O seu reconhecimento foi tardio, pois a sua arte trouxe algo que nunca foi visto antes: uma grande capacidade de expressão. Sua trajetória de vida foi marcada por conflitos, frustrações, desentendimentos e um desejo profundo de servir ao próximo. Foi considerado polêmico por causa das inúmeras crises do seu incontrolável gênio. Além da sua grande quantidade de obras, um estudo das imagens produzidas por ele, acarreta um grande interesse por ter demonstrado um estilo próprio que estava sempre em mutação. O objetivo deste trabalho além de estudar um pouco sobre a vida de Van Gogh, também é trazê-lo hoje para o universo da Arteterapia tentando desvendar o que possivelmente estava por trás das imagens coloridas e marcantes que até hoje transmitem tanta expressão e sentimento. O capítulo I mostra a trajetória de vida do pintor e o desenvolvimento de sua carreira artística. O capítulo II comenta a respeito dos aspectos mais importantes acontecidos no século XIX na Europa que de alguma forma influenciaram a obra de Van Gogh, abordando um pouco do pensamento, sociedade e história da arte no momento. Então no capítulo III, são utilizados recursos usados em Arteterapia para analisar uma imagem, onde observa-se a junção da realidade e da fantasia, unidas numa abordagem simbólica. Assim, propõe-se um novo olhar não apenas estético e nem de juízo de valor e sim onde a própria imagem fala revelando a alma do pintor.

9 9 CAPÍTULO I A VIDA DE VAN GOGH A vida só pode ser compreendida olhando-se para trás; mas só pode ser vivida olhando-se para a frente Saren Kierkegaard, filósofo dinamarquês Vincent Willem Van Gogh nasceu no dia 30 de março de 1853 num pequeno povoado holandês de Groot Zundert, próximo à fronteira belga. Filho de pastor da Igreja Reformada Holandesa, Theodorus Van Gogh e de Anne Cornélie Barbentus, que decidiram lhe dar o mesmo nome de um filho que tinham perdido no momento de nascer, exatamente um ano antes. Foi descendente de uma família composta por alguns pintores e marchands, sendo o mais velho de seis irmãos. Em 1º de maio de 1857 nasceu o seu irmão Theo, pessoa que com o tempo exerceu maior influência sobre sua vida. Com uma infância muito humilde, desde garoto Van Gogh mostrou traços marcantes de sua personalidade. Tímido, sonhador, solitário e sensível por natureza. Não costumava brincar com os demais jovens, nunca tendo problema de comportamento na escola, mas gostava de ler livros variados, fazer coleções de todos os tipos e caminhar sozinho nos jardins, bosques, prados e campos para contemplar a natureza pela qual sentia um grande amor. Ele possuía um forte apego familiar. Porém a sua primeira separação do lar e de sua família teve conseqüências psicológicas. Por faltarem documentos ou relatos verbais sobre o seu bom ou mau aproveitamento na escola, posteriormente pode-se observar o quanto se expressou bem através de cartas em francês e inglês, assegurando-se que sua passagem por estabelecimentos de ensino foi de certa forma positiva. Os desenhos de sua época de juventude, mesmo não sendo tão convincentes assim já indicam um talento precoce. O seu desenho mais antigo, quando tinha 11 anos de idade, mostra um recanto de seu povoado. Quando

10 10 de fato se entregou a arte mais tarde, essa tendência naturalista 1 voltou a aparecer cheia de cores e intensidade. 1.1-O Primeiro Emprego Aos dezesseis anos começou a trabalhar para um de seus tios, na filial da galeria de pintura Goupil e Cia., na cidade de Haia, dirigida por H. G Tersteeg em 1869, tornando-se o empregado mais jovem da filial holandesa da galeria. Seus pais pagaram-lhe uma boa pensão na casa da família Roos, lugar onde mais tarde viveria o seu irmão Theo. Os Roos formavam um agradável lar burguês. Sua mãe oriunda de Haia também mantinha estreitas relações com vários membros dessa família. Na galeria, além de empacotar livros e colaborar na comercialização de gravuras e litografias, iniciava ali seu apego às artes plásticas. Visitava vários museus e sentia aguçada a sua curiosidade pela cultura em geral. As cartas que escreveu ao longo de sua vida indicam que não perdeu tempo em analisar atentamente os desenhos, pinturas e aquarelas e em servir a compradores que pertenciam a sua maior parte à alta nobreza e à corte. Eles freqüentavam a casa e Van Gogh pôde em muitas ocasiões conversar com artistas famosos contribuindo assim para sua formação artística. Quando fazia três anos que Van Gogh vivia em Haia, recebeu um dia a visita de seu irmão Theo que estava com 15 anos. Durante os dias que passaram juntos, passearam e prometeram permanecer fiéis a amizade acontecesse o que acontecesse. A partir daí, Van Gogh começou a escrever cartas ao irmão e quando Theo também ingressou no começo de janeiro de 1873 na filial de Bruxelas da Goupil & Cia., o irmão Vincent pôde escrever sobre sua profissão comum. Ambos cumpriram o prometido e a correspondência hoje traduzida foi publicada em vários idiomas, tornando-se um dos textos mais famosos da história da arte. Essa correspondência inicia-se com algumas palavras de agradecimento pelas horas passadas juntos. Depois 1 Reprodução exata da natureza nas artes; realismo

11 11 da primeira surgiram 650 cartas, algumas de grande emotividade, que destacam dois homens unidos pelo amor fraternal e mesmos ideais. A partir de junho de 1873 Van Gogh é transferido para a sucursal londrina da Goupil &Cia., graças a sua alta capacidade e competência profissional. Durante o período que esteve em Londres, morou primeiramente em uma pensão familiar e depois por razões econômicas, instalou-se na casa da viúva de um exilado francês A Primeira Frustração Amorosa Na Inglaterra, Van Goh conheceu um mundo diferente daquele ao que estava habituado na infância. Apaixonou-se perdidamente pela jovem Úrsula Loyer filha do exilado francês onde estava hospedado. Não foi correspondido e teve sua primeira grande frustração amorosa que lhe deixaram marcas. Para esquecer a desilusão amorosa, foi de férias aos Países Baixos, à casa de seus pais e quando regressou a Londres junto de sua irmã Anne, mudou de residência, alugando um apartamento. Ali viveu só, isolado de toda a vida familiar; nunca saía, fechando-se ainda mais em si mesmo e acabou voltando-se para a religião como um ponto de apoio nos momentos difíceis que passava. Aos poucos o seu desempenho na galeria foi sendo comprometido e para favorecê-lo em outubro de 1874, o seu tio Cent achando que uma mudança de ambiente poderia ajudá-lo, conseguiu que ele fosse enviado para uma curta temporada no departamento central de Paris, sugestão que Van Gogh concordou em parte. Quando esteve de volta a Londres de novo em dezembro, instalou-se no mesmo apartamento retomando a mesma vida solitária de antes. Cinco meses mais tarde foi levado de novo a Paris, onde a direção o encarregou da seção da galeria de quadros. O seu desempenho no trabalho nesse ano de 1875 começava a deixar a desejar, fazendo críticas diante da clientela, sendo reprovado por seus chefes também por ter ausentado-se de Paris para passar uns dias em Etten quando o seu pai foi nomeado pastor. Reconhecendo seus erros e sem propor defesa, apresentou em janeiro de 1876 sua demissão.

12 Sua Vocação Religiosa Após procurar em jornais ingleses alguns anúncios para dar aula, quando estava deixando Paris recebeu uma carta de um mestre da Inglaterra estabelecido em Ramsgate. Ele lhe propôs um período de teste de um mês, sem salário. Assim, tornou-se professor de francês, cálculo, ortografia e deu aulas particulares. Mais tarde, pôs-se a serviço do pregador metodista Jones, que também dava aulas em Isleworth. Uma de suas funções era anunciar a palavra de Deus nas igrejas do bairro, afastadas umas das outras por distâncias consideráveis. Visitava os pobres, dava aulas gratuitas e consolava aflitos e enfermos. Durante este período, foi conhecendo de perto vários de seus alunos menos abastados e seu desejo em pregar o evangelho aos humildes aumentou a ponto de convencer sua família de que este seria mesmo o seu destino. Van Gogh estava convencido de que sua missão terrena estava intimamente ligada a auxiliar as pessoas carentes através de seus sermões e pretendia se tornar um pastor. Em Isleworth não teria futuro nenhum e depois de regressar à casa de seus pais em Etten, foi para Dordrecht, de janeiro a maio de 1877, trabalhar como funcionário da livraria Blussé & Van Braam, emprego conseguido pela ajuda de seu tio Cent. Ali, viveu recolhido em si mesmo, não falava com ninguém, não mostrando interesse pela tarefa designada e no lugar do trabalho passava a maior parte do tempo traduzindo a Bíblia para o francês, o alemão e o inglês, acrescentando texto em holandês.quando chegava ao seu alojamento depois da meia - noite, lia passagens da Bíblia ou desenhava. Assistia aos cultos além da Igreja Holandesa Reformada, aos da Igreja Romana Antiga, Católica e Luterana. Os seus costumes foram achados muito estranhos pelo seu patrão. De volta a Amsterdã, em 1877 foi iniciar os estudos prévios para passar no exame oficial e estudar teologia. Mais tarde, continuou determinado a estudar teologia e partiu para Bruxelas, mas não foi admitido nos exames de uma Escola Evangélica. Viveu nessa época prisioneiro do medo, sob forte

13 13 tensão e foi nessa época que sua paixão pelo desenho se manifestou claramente. Com o intuito de pregar religião assim mesmo, resolveu se entregar a obras missionárias e mesmo assim não foi aprovado no exame de missionários de Bruxelas (curso que durava somente um trimestre) o que para ele significou um fracasso. Alguns lhe disseram que foi porque não falava com fluidez, mas a causa real foi a sua incapacidade de subordinação, de adaptação a uma certa ordem. E foi por esse fato que foi despedido de sua missão evangelizadora por volta de 1878, onde conviveu com os mineiros do distrito belga de Borinage, tratando de doentes incuráveis e vivendo em péssimas condições de higiene e conforto. Ele achou que poderia lutar contra o egoísmo humano vivendo com essas pessoas simples. Seu pai, sabendo do fato, decidiu afastar o filho definitivamente desse mundo, levando-o para viver novamente com a família. Em Cuesmes, trabalhou por um ano como pregador independente. 1.4-Definitivamente, um Pintor Aos 27 anos em Bruxelas, Van Gogh passou a desenhar com freqüência e seus temas retratavam o cotidiano dos menos favorecidos. Por não contar com recursos materiais fazia exercícios de um manual para autodidatas. Por estar na capital, sua condição de vida foi melhorando e ele alugou um apartamento modesto numa casa de hóspedes, apesar de para desenhar com modelos vivos aquele lugar não fosse o mais adequado. Dirigiu-se à casa de M. Schmidt, chefe da filial da Goupil & Cia. em Bruxelas. Com a sua ajuda entrou em contato com o pintor holandês Willem Roelofs, que o aconselhou a desenhar do natural. Roelofs e Schmidt sugeriram que trabalhasse na Academia de Desenho em Bruxelas, onde as primeiras lições eram gratuitas. Não sendo muito de seu agrado o fez então e passou a desenhar sem parar, preenchendo o vazio das experiências anteriores. Com o tempo, foi se tornando mais equilibrado e recobrando a calma, mudou até mesmo de aparência deixando de usar as roupas humildes de antes.

14 14 Finalmente pôde se inscrever na Academia de Bruxelas para estudar desenho em 15 de setembro de 1880, mas não se sabe quanto tempo permaneceu nela. Iniciou uma forte amizade com o pintor Antoine Rappard, um holandês cinco anos mais jovem, aceitando convite para pintar algumas vezes em seu estúdio. O regresso de Van Rappard aos Países Baixos no fim de abril de 1881, ajudou Van Gogh a deixar Bruxelas aproximadamente na mesma data, indo visitar seu irmão Theo, mas com a intenção de voltar para sua família, para proteção de seu pai, onde sempre se refugiava nos períodos de tensão Período de Etten Um certo dia em 1881, notou que seu poder de observação havia mudado, passando a encontrar inspiração nos temas rurais devidos aos passeios pelos arredores de Etten. Foi através dessa descoberta fascinante que surgiram suas primeiras pinturas, reproduzindo temas da natureza. Percebendo que o método de Bargues(anteriormente aprendido) não poderia alcançar um progresso fulminante, decidiu também recrutar modelos. Dessa forma foi conseguindo resultados satisfatórios devido ao seu trabalho na empresa Goupil, que muito contribuiu para educar o seu gosto pela arte do desenho. Sua sensibilidade seria novamente testada. Apaixonou-se pela prima Kee Vos, que decidida em não retribuir esta paixão, partiu para Amsterdã e houve nova derrota no plano amoroso. Tentando convencer seu pai e irmãos para vencer a resistência de Kee, isso gerou tensão no ambiente familiar, inclusive discussões com o seu pai. Mesmo assim Van Gogh continuou a pintar e a partir desta etapa deslanchou no terreno artístico Período de Haia Vincent Van Gogh permaneceu em Haia até setembro de Realizou ali seus primeiros estudos pictóricos e gráficos, sendo muito importante para sua formação artística. Procurou renovar amizade com pintores que conheceu na Goupil & Cia, em Haia.. O pintor Mauve apoiou-o e emprestou-lhe inclusive dinheiro para poder instalar-se. Van Gogh o admirava e com a sua tutela e

15 15 conselhos, progrediu rapidamente. Não se sabe ao certo o motivo da relação deteriorar-se e romper-se totalmente. Anos mais tarde, após a morte de Mauve, Van Gogh manifestou gratidão e respeito, dedicando uma de suas obras ao artista. Van Gogh também contou em Haia com suas relações no comércio de arte, levando-se em conta também que seu irmão Theo fazia parte do pessoal da Goupil & Cia. Chegou a ser considerado louco pelo seu ex-chefe e diretor da galeria, em grande parte pela exploração que fazia ao irmão e principalmente por ter acolhido em sua casa em 1882 uma mulher grávida que havia sido abandonada chamada de Classina Maria Hoornik conhecida como Sien, sendo supostamente uma prostituta. Tornou-se sua modelo trabalhando em sua companhia durante todo o inverno, responsabilizando-se por ela e até almejando casar-se. Dessa forma o concubinato do filho de um pastor escandalizava todas as suas amizades e sua família. Mas em setembro de 1883 após diversas discussões a relação se rompe. O artista Van Gogh foi desenvolvendo as suas obras e tornando-as cada vez mais cheias de expressão. Sempre fazendo amizade com pintores, aprimorava o seu trabalho aplicando-se os conselhos recebidos, mas ainda não tinha conseguido ter o seu talento de fato reconhecido. Mesmo não conseguindo vender suas obras, não desanimou e continuava a realizar os seus trabalhos Período de Drenthe Segundo a correspondência de Van Gogh ao seu irmão, o motivo mais provável de sua nova transferência para a localidade de Hoogeveen em Drenthe, foi sua ruptura com Sien que havia voltado ao tabagismo e álcool, além de reincidir na prostituição. A notícia da separação foi recebida com alívio pela família e pelo irmão Theo, que o havia visitado um mês antes e sugerido o rompimento. A perspectiva de viver no campo o fez muito bem. Maravilhado pela natureza e pelo lugar, trabalhou com grande entusiasmo naquela região, apesar de posteriormente encontrar pouca satisfação em suas ambições

16 16 pictóricas. Durante um tempo alojou-se em um pequeno hotel do vilarejo. Van Gogh sentiu-se impressionado pelo esforço dos camponeses e dos operários das turfeiras e tentou expressar sua condição nos poucos quadros e nos numerosos desenhos dessa etapa. A situação de seu irmão Theo na Goupil & Cia. sofreu um revés, ameaçando o seu próprio sustento financeiro. Assim, resolveu dirigir-se a Nuenem para passar uma temporada na casa de seus pais que residiam ali há pouco tempo Período de Nuenen Quando finalizou sua relação com Sien, seu pai começou a querer aproximar-se mais, fazendo-lhe chegar seu perdão e enviando algum dinheiro em certas ocasiões. Mesmo com algumas reticências, Van Gogh aceitou ficar na casa de seu pai, sem a intenção de passar muito tempo. Seus pais o acolheram com grande alegria, mesmo possuindo alinda certa desaprovação. Em duas semanas, tomou a decisão de sair após uma discussão com seu pai. Acabou ficando ali mesmo, sedo-lhe doado um quarto nos fundos para que usasse como estúdio. Com um período de trégua pôde concentrar-se na arte e passou dois anos em Nuenen trabalhando intensamente, produzindo cerca de 200 quadros e uma quantidade superior de desenhos e aquarelas. Infelizmente suas aspirações artísticas eram questionadas na família, onde intermináveis discussões atrapalhavam quando queria dedicar-se à pintura. No começo de 1884, quando tudo estava a ponto de romper-se definitivamente, sua mãe sofreu um acidente ao descer do trem, onde teve que ficar de cama durante bastante tempo. O artista não separou-se da mãe, tentando distraí-la, pintando para ela. Com o tempo acabou alugando um espaço na casa de Schafratch, o sacristão da igreja católica. Durante a recuperação de sua mãe, ela recebeu a visita de Margot Begemann, dez anos mais velha do que o pintor. Ambos se tornaram amigos, até desembocar no amor. Dessa forma foi diferente, sendo ela que se interessou. Com a intervenção de outras pessoas, foi impedido o casamento, onde Margot sofreu uma tentativa de suicídio.

17 17 Nessa ocasião Van Gogh se sentiu muito atraído pelos temas de tecelões em seus ateliês(isso durou meses). Suas relações familiares foram melhorando. Fez um acordo com o seu irmão e amigo Theo para lhe enviar todos os meses suas obras, tornando-se assim proprietário absoluto das mesmas e livrando-se da sensação de viver de caridade. Van Gogh travou amizade com vários habitantes de Eindhoven, onde pôde até estudar um pouco de música e fazer a relação dela com as cores. Depois de receber essas lições, em pouco tempo começou a dar aulas de pintura a um grupo pequeno de pessoas. Entre eles o próspero Antoine Kerssemakers, Hermans um rico ex-ourives que gostava de antigüidades e Dimmel Gestel que com um tempo, chegou a torna-se um pintor de grande talento. Desses, a amizade com Kerssemakers foi consolidando-se com o tempo pintando juntos, fazendo estudos, viajando. Quando Van Gogh deixou Nuenen presentou Kerssemakers em lembrança da amizade, com o quadro Paisagem de outono com Quatro Árvores. Um de seus estudos favoritos foi no inverno de , realizando umas 50 cabeças de camponeses, desembocando em Os Camponeses Comendo Batatas. Um mês antes da realização dessa tela em 26 de março de 1885, seu pai morreu de uma crise cardíaca. Até aquele momento as relações com ele não tinham melhorado muito, apesar de suas tentativas. Seu pai desaprovava também que ele lesse autores franceses como Michelet, Victor Hugo e Zola. Considerando-os assassinos, imorais e incendiários. Ele gostava de seu pai como progenitor e não como pastor de igreja. A sua morte o fez sentir se muito triste Período de Antuérpia Van Gogh permaneceu em Antuérpia de 28 de novembro de 1885 até março de Apesar de não ter nada de premeditado, em cartas anteriores a seu irmão Theo, o pintor demonstrava interesse em viajar para essa cidade. Aparentemente o falecimento de seu pai ajudou-o a tomar essa decisão. Naquele momento tinha a intenção de aprender a desenhar nus e para isso conseguiu o livro de John Marshall intitulado Anatomia para os Artistas. Alugou

18 18 então um quartinho no número 194 da Rua des Images, em cima de uma loja de pinturas. Encontrou alguns compatriotas e já conhecia a cidade por tê-la visitado com Kerssemakers. Inicialmente visitou muitos museus e admirou a beleza da cidade, dando longos passeios. Nessa época interessou-se pelas litografias japonesas e por Rubens. Da janela do alojamento, podia-se ver as fachadas dos fundos de velhas casas, que pintou com muita desenvoltura e colorido incomuns. Van Gogh trabalhou sem descanso e preferiu economizar dinheiro de sua alimentação para compra de telas, tintas e pincéis. Mas essa atitude de abandono de si o prejudicou. Agravou o seu estado fumando muito para enganar o estômago e provocando-lhe a queda de 10 dentes, tendo apenas 32 anos de idade. Indo ao médico foi diagnosticado sífilis. Estando temeroso da morte, esta serviu de inspiração em quadros como Crânio com Cigarro, e o desenho Esqueleto Pendurado, representações que nunca haviam aparecido em sua pintura antes. A necessidade de encontrar modelos que posassem para ele e por outro lado, a impossibilidade de lhes pagar pelo trabalho, levaram-no a bater nas portas da Academia, apesar de não concordar com esse tipo de ensino que considerava limitado. Sendo aceito pôde participar das aulas, fazer novas amizades, mesmo com o seu gênio difícil inscrevendo-se em clubes de desenho à noite. E assim já começava a ter o desejo de se reunir ao seu irmão Theo em Paris A Vida em Paris Van Gogh estava impaciente para pisar no Museu do Louvre entre o fim de fevereiro e o princípio de março de 1886, começando então a sua nova andança por Paris. Seu irmão Theo ainda trabalhava para a empresa Goupil e possuía a perspectiva de viverem juntos na capital francesa. Ambos concordaram em permanecer provisoriamente no modesto apartamento que Theo ocupava. Como o espaço não era suficiente, foram obrigados a buscar um apartamento maior para instalar o estúdio do artista. Theo tornou-se seu guia na capital e lhe apresentou todos os seus amigos pintores. Nessa ocasião os impressionistas reuniam-se para sua oitava e última exposição, começando

19 19 a aparecer novas tendências como o divisionismo e o pontilhismo, das mãos de Seurat e Signat. Um dos aspectos que mais atraía Van Gogh em Paris, foi a possibilidade de inscrever-se na Academia de Fernand Cormon, pintor com quem havia se aperfeiçoado Breitner, seu antigo companheiro de excursões pictóricas. Como artista, Cormon era considerado medíocre, mas como docente tornou seu estúdio o mais renomado da capital francesa. Foi ali que Gauguin e Toulouse- Lautrec realizaram uma grande parte de sua aprendizagem, como tantos outros pintores cuja fama começou na ser cultivada entre aquelas paredes. Van Gogh se inscreveu rapidamente no estúdio e travou sincera amizade com Émile Bernard, onde os atos de indisciplina deste o fizeram ser expulso e não compartilharam o aprendizado durante muito tempo. Van Gogh ficou ali por dois meses apenas e conseguiu adquirir, mesmo com uma ou outra discussão com Cormon, uma reputação de trabalhador revolucionário fazendo três estudos por sessão. Com essa mudança de ambiente e uma vida sem preocupações materiais e apoio do irmão, fizeram surgir um melhor Van Gogh artísticamente e em estado de ânimo. Mudando-se para um novo e maior apartamento, ao sair do estúdio de Cormon, deixava de pintar modelos antigos e passou a pintar múltiplos panoramas da cidade a partir da janela de seu estúdio. Presenteou Toulouse-Lautrec com um desses quadros realizados sob a influência pontilhista. Uma vez instalado o seu estúdio, convidou Émile Bernard para visitá-lo. Bernard ficou muito sensibilizado pelos Camponeses Comendo Batatas. O que fazia Van Gogh ficar desalentado não era não ter admiradores e sim ver Pissarro, Guillaumin e Gauguin numa penúria que comprometia sua produção e paralizava seus esforços. Van Gogh encontrou temas de inspiração próximos de sua casa e pintou jardins malcuidados, pequenos restaurantes, o moinho Le Radet 2. Mais tarde Montmartre tornou pequena e sua busca de outros motivos o levou a arredores. Percorrendo muitos quilômetros, empreendeu caminhadas distantes até 2 O Moinho Le Radet é conhecido pelo nome de Moulin de la Galette, assim chamado por sua especialidade em tortas(galettes), Foi tema de pintores como Renoir.

20 20 Asnières, Joinville, Surêsnes e Chatou. Tornou-se também seguindo os passos de Seurat, hóspede da ilha da Grande Jatte. Quase sempre foram os temas de Asnière, próximo do lugar onde vivia Émile Bernard, que despertaram maior atenção. Van Gogh visitou com freqüência o amigo em seu estúdio de madeira, construído dentro do jardim da casa de seus pais. Foi ali que o pintor começou o retrato de Bernard que nunca chegou a terminar. Naquele estúdio, pintou naturezas-mortas utilizando um pontilhado indeciso, realizou os famosos Livros Amarelos que expôs no Salão dos independentes de Desde a sua chegada a Paris, Van Gogh visitava com freqüência o Museu do Louvre, estando às vezes para contemplar apenas um quadro. Depois de sua estada na Antuérpia passou a utilizar cores mais claras em suas obras. No verão, Theo pôde contar a sua mãe com grande alegria a mudança de ânimo positiva operada em seu irmão. Em outras palavras e contrariamente ao ocorrido até então, o pintor desfrutava de certa aceitação social. Na mesma época, pintou provavelmente por falta de modelos, auto-retratos. Como exemplo, Auto-retrato com Chapéu de Palha. Nesse auto-retrato, ele mostra que tinha mudado. Não se representou como um camponês, nem um boêmio, mas como um senhor bem situado, dignamente vestido. Paris é uma das etapas menos conhecidas em relação às fases de evolução de sua arte, talvez pela interrupção da correspondência que mantinha com o seu irmão que tanta informação trouxe sobre sua trajetória. Esse período foi muito importante como artista pela produção de pelo menos 200 pinturas e 50 desenhos. Durante vários meses, Van Gogh uniu-se ao clã dos vanguardistas em companhia de Toulouse-Lautrec, Émile Bernard, Gauguin, Anquetin, Signac e Seurat. Seu temperamento apaixonado e sua combatividade o levaram a tornar-se um dos chefes do movimento renovador, considerando que o impressionismo já estava superado. Muitos autores o nomearam como Pósimpressionista e outros até como Expressionista. Van Gogh não parecia o pessimista de outros tempos e com personalidade doentia. Estava sendo um conversador jovial, agradável e de humor malicioso. O clima cultural de Paris

21 21 permitia expandir-se. Na primavera de 1887, esses vanguardistas organizaram uma exposição em um dos cafés onde se reuniam, chamado Le Tambourin, no Boulevard de Clichy. Essa foi a única aventura de Van Gogh em sua permanência em Paris. O grupo tomou o nome nessa ocasião de Pintores do Pequeno Boulevard, em oposição a Monet, Sisley, Pissarro, Degas, Seurat e outros, que expunham no Boulevard de Montmartre e que se poderiam chamar de Pintores do Grande Boulevard. Van Gogh expôs suas obras nas paredes do Tambourin juntamente com sua coleção de estampas japonesas. Por razões ainda incertas, uma discussão entre Segatori (proprietária do Café) e o pintor pôs fim a essa associação artística e sentimental. Foi assim que o pintor voltou ao café para retirar seus quadros e estampas e os levou em um carrinho de mão. Um dos artistas que se relacionou com Van Gogh está Julien François Tanguy, chamado de Père Tanguy. Van Gogh por meio dele resolveu render-se ao trabalho dos japoneses, que fascinava Paris no fim do século XIX. Ele e seu irmão Theo colecionavam estampas japonesas. Sem que existam explicações aparentemente razoáveis, durante os meses de inverno de essas brilhantes expectativas perderam o sentido e a vida de Paris perdeu seu poder de atração aos olhos de Van Gogh. Ele se tornou mais difícil do que nunca em suas relações com os demais. Quem mais sofreu nessa ocasião foi seu irmão, cuja saúde estava a desejar. Theo confessa a sua irmã Guillaumette: A vida é quase insuportável; ninguém quer vir em casa porque Vincent não faz mais nada além de buscar discórdia; além disso, é tão desordenado que nossa convivência não é nada agradável. Espero que vá se instalar sozinho em alguma parte. Já me falou disso, mas, se lhe dissesse que deveria ir, então ficaria. Não lhe quero nenhum mal, mas, se peço uma coisa, aí que não a faz, pois ficando me torna penoso ver que regride... Poderia se dizer que há dois homens nele: um admiravelmente bem dotado, encantador e doce, e outro egoísta e desapiedado. Aparece um depois do outro, de

Pós - Impressionismo. (1880 a 1905 = França Paris) 8ºs Anos 2015 4º Bimestre Artes Prof. Juventino

Pós - Impressionismo. (1880 a 1905 = França Paris) 8ºs Anos 2015 4º Bimestre Artes Prof. Juventino Pós - Impressionismo (1880 a 1905 = França Paris) 8ºs Anos 2015 4º Bimestre Artes Prof. Juventino Não foi um Movimento Não houve um grupo de artistas que se reuniam para debates acadêmicos. Eram artistas

Leia mais

Impressão: nascer do sol

Impressão: nascer do sol IMPRESSIONISMO França 1860 a 1886. Os impressionistas representavam sensações visuais imediatas através da cor e da luz. Seu objetivo principal era apresentar uma impressão ou as percepções iniciais registradas

Leia mais

Expressionismo. Surgiu na Alemanha entre 1.905 e 1.914.

Expressionismo. Surgiu na Alemanha entre 1.905 e 1.914. Expressionismo Expressionismo Surgiu na Alemanha entre 1.905 e 1.914. A expressão, empregada pela primeira vez em 1.911 na revista Der Sturm [A Tempestade], marca oposição ao Impressionismo francês. Para

Leia mais

O Impressionismo foi um movimento artístico que revolucionou profundamente a pintura e deu início às grandes tendências da arte do

O Impressionismo foi um movimento artístico que revolucionou profundamente a pintura e deu início às grandes tendências da arte do Impressionismo Impressionismo O Impressionismo foi um movimento artístico que revolucionou profundamente a pintura e deu início às grandes tendências da arte do século XX; O termo impressionismo foi imprimido

Leia mais

Impressionismo. a) Apenas o item IV está correto. b) Apenas os itens II, III e V são corretos. c) Apenas os itens II, III e V estão incorretos.

Impressionismo. a) Apenas o item IV está correto. b) Apenas os itens II, III e V são corretos. c) Apenas os itens II, III e V estão incorretos. Impressionismo Questão 01 - Como os artistas realistas, que com a ciência haviam aprendido a utilizar determinados conhecimentos, os impressionistas se viram na necessidade de interpretar com maior vivacidade

Leia mais

ALUNO: Nº SÉRIE/ANO: TURMA: TURNO: 8º D V. DISCIPLINA: TIPO DE ATIVIDADE: PROFESSOR (A): HISTÓRIA DA ARTE TEXTO COMPLEMENTAR - 1 2º trimestre TATIANE

ALUNO: Nº SÉRIE/ANO: TURMA: TURNO: 8º D V. DISCIPLINA: TIPO DE ATIVIDADE: PROFESSOR (A): HISTÓRIA DA ARTE TEXTO COMPLEMENTAR - 1 2º trimestre TATIANE Fonte: http://www.musee-orsay.fr/fr/collections/catalogue-des-oeuvres/resultatcollection.html?no_cache=1&zoom=1&tx_damzoom_pi1%5bzoom%5d=0&tx_da mzoom_pi1%5bxmlid%5d=001089&tx_damzoom_pi1%5bback%5d=fr%2fcollec

Leia mais

Fauvismo. 9ºAno 2015 1º Bimestre Artes - Juventino. Fauve = Fera

Fauvismo. 9ºAno 2015 1º Bimestre Artes - Juventino. Fauve = Fera Fauvismo 9ºAno 2015 1º Bimestre Artes - Juventino Fauve = Fera Fauves (feras) foi a palavra utilizada pelo crítico de arte Louis Vauxcelles para caracterizar um grupo de jovens pintores que expuseram em

Leia mais

PINTANDO O SETE NA SALA DE AULA. Míriam Borges da Fonseca Rodrigues (veraformosa@yahoo.com.br) Centro Universitário de Patos de Minas - UNIPAM

PINTANDO O SETE NA SALA DE AULA. Míriam Borges da Fonseca Rodrigues (veraformosa@yahoo.com.br) Centro Universitário de Patos de Minas - UNIPAM PINTANDO O SETE NA SALA DE AULA Míriam Borges da Fonseca Rodrigues (veraformosa@yahoo.com.br) Centro Universitário de Patos de Minas - UNIPAM A escola Nossa Senhora da Piedade tem uma área de 3.200 metros,

Leia mais

Os Impressionistas. Episódio: Vincent Van Gogh. Palavras-chave Pintura, biografia, Van Gogh, impressionismo, França

Os Impressionistas. Episódio: Vincent Van Gogh. Palavras-chave Pintura, biografia, Van Gogh, impressionismo, França Os Impressionistas Episódio: Vincent Van Gogh Resumo Este vídeo, da série Os impressionistas, aborda a vida e obra do artista holandês Vincent Van Gogh. Autodidata, Van Gogh é um dos mais aclamados e mitificados

Leia mais

Emil Nolde Emil Nolde Emil Nolde Emil Nolde Emil Nolde Emil Nolde O Expressionismo de Die Brücke não se restringiu à pintura e à gravura, tendo tido expressão, igualmente na literatura, na música e arquitectura.

Leia mais

Walter Benjamin - Questões de Vestibulares

Walter Benjamin - Questões de Vestibulares Walter Benjamin - Questões de Vestibulares 1. (Uem 2011) A Escola de Frankfurt tem sua origem no Instituto de Pesquisa Social, fundado em 1923. Entre os pensadores expoentes da Escola de Frankfurt, destaca-se

Leia mais

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA ARTES. Aula 4.2 Conteúdo: Romantismo Realismo Impressionismo

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA ARTES. Aula 4.2 Conteúdo: Romantismo Realismo Impressionismo Aula 4.2 Conteúdo: Romantismo Realismo Impressionismo 1 Habilidades: Reconhecer diferentes funções da arte, do trabalho de produção dos artistas em seus meios culturais. 2 Romantismo Designa uma tendência

Leia mais

Autor (a): Januária Alves

Autor (a): Januária Alves Nome do livro: Crescer não é perigoso Editora: Gaivota Autor (a): Januária Alves Ilustrações: Nireuda Maria Joana COMEÇO DO LIVRO Sempre no fim da tarde ela ouvia no volume máximo uma musica, pois queria

Leia mais

Documento do MEJ Internacional. O coração do Movimento Eucarístico Juvenil

Documento do MEJ Internacional. O coração do Movimento Eucarístico Juvenil Documento do MEJ Internacional Para que a minha alegria esteja em vós Por ocasião dos 100 anos do MEJ O coração do Movimento Eucarístico Juvenil A O coração do MEJ é a amizade com Jesus (Evangelho) B O

Leia mais

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação...

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação... Sumário Agradecimentos... 7 Introdução... 9 1 - Um menino fora do seu tempo... 13 2 - O bom atraso e o vestido rosa... 23 3 - O pequeno grande amigo... 35 4 - A vingança... 47 5 - O fim da dor... 55 6

Leia mais

A arte do século XIX

A arte do século XIX A arte do século XIX Índice Introdução ; Impressionismo ; Romantismo ; Realismo ; Conclusão ; Bibliografia. Introdução Durante este trabalho irei falar e explicar o que é a arte no século XIX, especificando

Leia mais

Releitura Fotográfica Jornalística das Obras de Vincent van Gogh 1

Releitura Fotográfica Jornalística das Obras de Vincent van Gogh 1 Releitura Fotográfica Jornalística das Obras de Vincent van Gogh 1 Gustavo KRELLING 2 Maria Zaclis Veiga FERREIRA 3 Universidade Positivo, Curitiba, PR RESUMO O produto artístico é uma releitura fotográfica

Leia mais

PADRÃO PLÁSTICO TOM.

PADRÃO PLÁSTICO TOM. PADRÃO PLÁSTICO TOM. Os princípios de dinâmica de um padrão tonal são muito parecidos com o que vimos em relação aos da linha. Ao colocarmos algumas pinceladas de preto sobre um campo, eles articulam uma

Leia mais

Gestão de iniciativas sociais

Gestão de iniciativas sociais Gestão de iniciativas sociais Leia o texto a seguir e entenda o conceito do Trevo e as suas relações com a gestão organizacional. Caso queira ir direto para os textos, clique aqui. http://www.promenino.org.br/ferramentas/trevo/tabid/115/default.aspx

Leia mais

Família e dinheiro. Quer saber mais sobre como usar melhor o seu dinheiro? Todos juntos ganham mais

Família e dinheiro. Quer saber mais sobre como usar melhor o seu dinheiro? Todos juntos ganham mais 1016327-7 - set/2012 Quer saber mais sobre como usar melhor o seu dinheiro? No site www.itau.com.br/usoconsciente, você encontra vídeos, testes e informações para uma gestão financeira eficiente. Acesse

Leia mais

VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA

VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA Em seu sentido literal, vanguarda (vem do francês Avant Garde, guarda avante ) faz referência ao batalhão militar que precede as tropas em ataque durante

Leia mais

OLHAR GLOBAL. Inspirado no mito da Fênix, Olivier Valsecchi cria imagens com cinzas. A poeira do. renascimento. Fotografe Melhor n o 207

OLHAR GLOBAL. Inspirado no mito da Fênix, Olivier Valsecchi cria imagens com cinzas. A poeira do. renascimento. Fotografe Melhor n o 207 OLHAR GLOBAL Inspirado no mito da Fênix, Olivier Valsecchi cria imagens com cinzas A poeira do renascimento 36 Fotografe Melhor n o 207 Olivier convida pessoas que encontra na rua ou na internet para posarem

Leia mais

Mulher de chapéu, Matisse. 1905, Óleo sobre tela

Mulher de chapéu, Matisse. 1905, Óleo sobre tela Mulher de chapéu, Matisse 1905, Óleo sobre tela O termo Fauvismo deriva de fauve (fera selvagem), exclamação feita pelo crítico de arte Louis Vauxcelles perante a exposição de pintura do Salão de Outono

Leia mais

Indice. Bullying O acaso... 11

Indice. Bullying O acaso... 11 Indice Bullying O acaso... 11 Brincadeira de mau gosto. Chega! A história... 21 O dia seguinte... 47 A paixão... 53 O reencontro... 61 O bullying... 69 9 Agosto/2010 O acaso Terça-feira. O sol fazia um

Leia mais

Benedicto Silva. Foto 1. Minha mãe e eu, fotografados pelo meu pai (setembro de 1956).

Benedicto Silva. Foto 1. Minha mãe e eu, fotografados pelo meu pai (setembro de 1956). 1. INTRODUÇÃO 1.1. MINHA RELAÇÃO COM A FOTOGRAFIA Meu pai tinha uma câmara fotográfica. Ele não era fotógrafo profissional, apenas gostava de fotografar a família e os amigos (vide Foto 1). Nunca estudou

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM RECUPERAÇÃO DE IMAGEM Quero que saibam que os dias que se seguiram não foram fáceis para mim. Porém, quando tornei a sair consciente, expus ao professor tudo o que estava acontecendo comigo, e como eu

Leia mais

História da Arte - Linha do Tempo

História da Arte - Linha do Tempo História da Arte - Linha do Tempo PRÉ- HISTÓRIA (1000000 A 3600 a.c.) Primeiras manifestações artísticas. Pinturas e gravuras encontradas nas paredes das cavernas. Sangue de animais, saliva, fragmentos

Leia mais

LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE

LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE Introdução A CF deste ano convida-nos a nos abrirmos para irmos ao encontro dos outros. A conversão a que somos chamados implica

Leia mais

Plano de aula para três encontros de 50 minutos cada. Tema: Vida e obra de Vincent Van Gogh. Público alvo: 4º série do Ensino fundamental

Plano de aula para três encontros de 50 minutos cada. Tema: Vida e obra de Vincent Van Gogh. Público alvo: 4º série do Ensino fundamental UDESC UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA DAV- DEPARTAMENTO DE ARTES VISUAIS Curso: Licenciatura em Artes Visuais Disciplina: Cultura Visual Professora: Jociele Lampert Acadêmica: Cristine Silva Santos

Leia mais

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos.

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos. 1) Como está sendo a expectativa do escritor no lançamento do livro Ser como um rio que flui? Ele foi lançado em 2006 mas ainda não tinha sido publicado na língua portuguesa, a espera do livro pelos fãs

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

Centro Educacional Juscelino Kubitschek

Centro Educacional Juscelino Kubitschek Centro Educacional Juscelino Kubitschek ALUNO: N.º: DATA: / / ENSINO: Fundamental II 8ª série) DISCIPLINA: Artes PROFESSOR (A): Equipe de Artes TURMA: TURNO: Roteiro e Lista de estudo para recuperação

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008 Humberto Cordeiro Carvalho admitido pela companhia em 1 de julho de 1981. Eu nasci em 25 de maio de 55 em Campos do Goytacazes. FORMAÇÃO Segundo grau Escola

Leia mais

Para gostar de pensar

Para gostar de pensar Rosângela Trajano Para gostar de pensar Volume III - 3º ano Para gostar de pensar (Filosofia para crianças) Volume III 3º ano Para gostar de pensar Filosofia para crianças Volume III 3º ano Projeto editorial

Leia mais

Você quer ser um Discípulo de Jesus?

Você quer ser um Discípulo de Jesus? Você quer ser um Discípulo de Jesus? A História do povo de Israel é a mesma história da humanidade hoje Ezequel 37:1-4 Eu senti a presença poderosa do Senhor, e o seu Espírito me levou e me pôs no meio

Leia mais

Professor Heitor de Assis Jr. heitor_assis@yahoo.com.br CURSOS DE HISTÓRIA DA ARTE. Comedores de Batata. 1885. Vincent van Gogh (1853-90)

Professor Heitor de Assis Jr. heitor_assis@yahoo.com.br CURSOS DE HISTÓRIA DA ARTE. Comedores de Batata. 1885. Vincent van Gogh (1853-90) Professor Heitor de Assis Jr. CURSOS DE HISTÓRIA DA ARTE heitor_assis@yahoo.com.br Vincent van Gogh (1853-90) Até 27 anos, quando se decidiu pela pintura, ocupou-se principalmente com a pregação evangélica.

Leia mais

EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO SÉC. XX

EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO SÉC. XX EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO SÉC. XX História da Arte Profª Natalia Pieroni IDADE CONTEMPORÂNEA LINHA DO TEMPO - HISTORIOGRAFIA Período PRÉ-HISTÓRIA Origens do homem até 40000 a. C IDADE ANTIGA 40000

Leia mais

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido 1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido No estudo da Comunicação, a publicidade deve figurar como um dos campos de maior interesse para pesquisadores e críticos das Ciências Sociais e Humanas.

Leia mais

MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 16 QUEDA E MALDIÇÃO Nome: Professor: Rebanho

MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 16 QUEDA E MALDIÇÃO Nome: Professor: Rebanho MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 16 QUEDA E MALDIÇÃO Nome: Professor: Rebanho VERSÍCULOS PARA DECORAR ESTA SEMANA Usamos VERSÍCULOS a Bíblia na PARA Nova DECORAR Versão Internacional ESTA SEMANA NVI Usamos

Leia mais

Aula 2: Projeto de pesquisa

Aula 2: Projeto de pesquisa 1 Metodologia da Pesquisa Científica Aula 2: Projeto de pesquisa 1 O projeto de pesquisa O projeto de pesquisa é a base da organização do seu trabalho de pesquisa. Ao elaborar o projeto você organiza suas

Leia mais

Comunicação JOGOS TEATRAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO MATERNAL E EDUCAÇÃO INFANTIL

Comunicação JOGOS TEATRAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO MATERNAL E EDUCAÇÃO INFANTIL Comunicação JOGOS TEATRAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO MATERNAL E EDUCAÇÃO INFANTIL ROSA, Maria Célia Fernandes 1 Palavras-chave: Conscientização-Sensibilização-Transferência RESUMO A psicóloga Vanda

Leia mais

História e Teologia de Missões

História e Teologia de Missões MISSÕES BRASILEIRAS O Gigante começa a despertar Esta é uma área de pesquisa ainda com pouca exploração. Imigrantes forma os principais instrumentos de evangelização. O primeiro grupo veio em 1558, quando

Leia mais

Lista de exercícios Sociologia- 1 ano- 1 trimestre

Lista de exercícios Sociologia- 1 ano- 1 trimestre Lista de exercícios Sociologia- 1 ano- 1 trimestre 01-O homo sapiens moderno espécie que pertencemos se constitui por meio do grupo, ou seja, sociedade. Qual das características abaixo é essencial para

Leia mais

Concurso Literário. O amor

Concurso Literário. O amor Concurso Literário O Amor foi o tema do Concurso Literário da Escola Nova do segundo semestre. Durante o período do Concurso, o tema foi discutido em sala e trabalhado principalmente nas aulas de Língua

Leia mais

Simone Costa. Você Produtiva. Livro de exercícios

Simone Costa. Você Produtiva. Livro de exercícios Simone Costa Você Produtiva Índice Exercício 01: Autoconhecimento - Um mergulho em mim Exercício 2: Quem sou eu? Exercício 03: Agarre-se aos seus valores Exercício 04 : Respeitar a si mesma Exercício 05:

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Cristina Soares. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Cristina Soares. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Cristina Soares Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Quando decidi realizar meu processo de coaching, eu estava passando por um momento de busca na minha vida.

Leia mais

DESAFIOS CRIATIVOS E FASCINANTES Aula de Filosofia: busca de valores humanos

DESAFIOS CRIATIVOS E FASCINANTES Aula de Filosofia: busca de valores humanos DESAFIOS CRIATIVOS E FASCINANTES Aula de Filosofia: busca de valores humanos Glorinha Aguiar glorinhaaguiar@uol.com.br Eu queria testar a metodologia criativa com alunos que eu não conhecesse. Teria de

Leia mais

A pintura de natureza-morta (com temática de arranjos de frutas, legumes e utensílios domésticos) surgiu como um gênero mais simplório, no início do

A pintura de natureza-morta (com temática de arranjos de frutas, legumes e utensílios domésticos) surgiu como um gênero mais simplório, no início do A pintura de natureza-morta (com temática de arranjos de frutas, legumes e utensílios domésticos) surgiu como um gênero mais simplório, no início do Barroco, derivado das pinturas que representavam cenas

Leia mais

DA TRISTEZA Á DEPRESSÃO

DA TRISTEZA Á DEPRESSÃO Mulher Vitoriosa http://mulher92.webnode.pt/ DA TRISTEZA Á DEPRESSÃO Mente saudável MULHER EM FORMA 1 Querida amiga visitante, o Espírito de Deus levou-me a escrever esta mensagem porque Ele sabe que algumas

Leia mais

MANUAL. Esperança. Casa de I G R E J A. Esperança I G R E J A. Esperança. Uma benção pra você! Uma benção pra você!

MANUAL. Esperança. Casa de I G R E J A. Esperança I G R E J A. Esperança. Uma benção pra você! Uma benção pra você! MANUAL Esperança Casa de I G R E J A Esperança Uma benção pra você! I G R E J A Esperança Uma benção pra você! 1O que é pecado Sem entender o que é pecado, será impossível compreender a salvação através

Leia mais

CONSTRUÇÃO DO EU LÍRICO E O RETRATO NA POETICA CECÍLIA MEIRELES

CONSTRUÇÃO DO EU LÍRICO E O RETRATO NA POETICA CECÍLIA MEIRELES CONSTRUÇÃO DO EU LÍRICO E O RETRATO NA POETICA CECÍLIA MEIRELES Silvia Eula Muñoz¹ RESUMO Neste artigo pretendo compartilhar os diversos estudos e pesquisas que realizei com orientação do Prof. Me. Erion

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC. José Fernando Baldo Caneiro. Trabalho Final História da Arte Auto Van Gogh

CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC. José Fernando Baldo Caneiro. Trabalho Final História da Arte Auto Van Gogh CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC José Fernando Baldo Caneiro Trabalho Final História da Arte Auto Van Gogh São Paulo 2005 1 INTRODUÇÃO Van Gogh foi um artista como poucos. Influências de vários movimentos e

Leia mais

CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES REVISÃO. Aula 6.1 Conteúdo: Revisão da Unidade II

CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES REVISÃO. Aula 6.1 Conteúdo: Revisão da Unidade II Aula 6.1 Conteúdo: Revisão da Unidade II 1 Habilidades: Revisar os Conteúdos da Unidade II para realizar avaliação II. 2 Revisão 1 Barroco: expressão, do português homônimo, tem o sentido pérola imperfeita,

Leia mais

VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE

VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE É Preciso saber Viver Interpretando A vida na perspectiva da Espiritualidade Cristã Quem espera que a vida seja feita de ilusão Pode até ficar maluco ou morrer na solidão É

Leia mais

Florence Nightingale: obras, ensinamentos e contribuições Séc XIX

Florence Nightingale: obras, ensinamentos e contribuições Séc XIX UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE BACHARELADO EM ENFERMAGEM HISTÓRIA E TEORIAS DA ENFERMAGEM Prof. Eurípedes Gil de França Aula 6 Enfermagem Moderna Florence Nightingale: obras, ensinamentos e

Leia mais

0 21 anos: Fase do amadurecimento biológico 21 42 anos: Fase do amadurecimento psicológico mais de 42 anos: Fase do amadurecimento espiritual

0 21 anos: Fase do amadurecimento biológico 21 42 anos: Fase do amadurecimento psicológico mais de 42 anos: Fase do amadurecimento espiritual Por: Rosana Rodrigues Quando comecei a escrever esse artigo, inevitavelmente fiz uma viagem ao meu passado. Lembrei-me do meu processo de escolha de carreira e me dei conta de que minha trajetória foi

Leia mais

SANTA TERESA DE JESUS, UMA APROXIMAÇÃO PEDAGÓGICO-PASTORAL Por ocasião do V Centenário do Nascimento de Santa Teresa de Jesus, o Colégio Teresiano

SANTA TERESA DE JESUS, UMA APROXIMAÇÃO PEDAGÓGICO-PASTORAL Por ocasião do V Centenário do Nascimento de Santa Teresa de Jesus, o Colégio Teresiano 1 SANTA TERESA DE JESUS, UMA APROXIMAÇÃO PEDAGÓGICO-PASTORAL Por ocasião do V Centenário do Nascimento de Santa Teresa de Jesus, o Colégio Teresiano assumiu o compromisso de fazer memória da vida singular

Leia mais

VISITE O BLOG www.homemalpha.com.br

VISITE O BLOG www.homemalpha.com.br VISITE O BLOG www.homemalpha.com.br APRESENTAÇÃO A timidez é um problema que pode acompanhar um homem a vida inteira, tirando dele o prazer da comunicação e de expressar seus sentimentos, vivendo muitas

Leia mais

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES Introdução ao tema A importância da mitologia grega para a civilização ocidental é tão grande que, mesmo depois de séculos, ela continua presente no nosso imaginário. Muitas

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

ISBN 978-1-78042-575-7. Todos os direitos de adaptação e de reprodução reservados para todos os países.

ISBN 978-1-78042-575-7. Todos os direitos de adaptação e de reprodução reservados para todos os países. MONDRIAN Confidential Concepts, Worldwide, USA Sirrocco London (edição portuguesa) Mondrian Estate / Artists Rights Society, New York, USA / Beeldrecht, Amsterdam ISBN 978-1-78042-575-7 Todos os direitos

Leia mais

Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história.

Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história. Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história. Nem um sopro de vento. E já ali, imóvel frente à cidade de portas e janelas abertas, entre a noite vermelha do poente e a penumbra do jardim,

Leia mais

Uma narrativa, uma história e um imaginário. Fernanda Cielo* 1

Uma narrativa, uma história e um imaginário. Fernanda Cielo* 1 Uma narrativa, uma história e um imaginário. Fernanda Cielo* 1 Meu nome é Maria Bonita, sou mulher de Vírgulino Ferreira- vulgo Lampiãofaço parte do bando de cangaceiros liderados por meu companheiro.

Leia mais

Como conseguir um Marido Cristão Em doze lições

Como conseguir um Marido Cristão Em doze lições Como conseguir um Marido Cristão Em doze lições O. T. Brito Pág. 2 Dedicado a: Minha filha única Luciana, Meus três filhos Ricardo, Fernando, Gabriel e minha esposa Lúcia. Pág. 3 Índice 1 é o casamento

Leia mais

Revisão/ 2 Ano/Arte. Neoclassicismo/ Romantismo/ Realismo/ Impressionismo/Pósimpressionismo/Neoimpressionismo/ Art noveau

Revisão/ 2 Ano/Arte. Neoclassicismo/ Romantismo/ Realismo/ Impressionismo/Pósimpressionismo/Neoimpressionismo/ Art noveau Revisão/ 2 Ano/Arte Neoclassicismo/ Romantismo/ Realismo/ Impressionismo/Pósimpressionismo/Neoimpressionismo/ Art noveau Neoclassicismo: Novo clássico. Novo resgate do vocabulário e das ideias que surgiram

Leia mais

Vós sois deuses, pois brilhe a vossa a luz! Jesus

Vós sois deuses, pois brilhe a vossa a luz! Jesus CURSO DE DESENVOLVIMENTO HUMANO E ESPIRITUAL DESCUBRA A ASSINATURA DE SUAS FORÇAS ESPIRITUAIS Test Viacharacter AVE CRISTO BIRIGUI-SP Jul 2015 Vós sois deuses, pois brilhe a vossa a luz! Jesus I SABER

Leia mais

É PROIBIDO O USO COMERCIAL DESSA OBRA SEM A AUTORIZAÇÃO DO AUTOR

É PROIBIDO O USO COMERCIAL DESSA OBRA SEM A AUTORIZAÇÃO DO AUTOR É PROIBIDO O USO COMERCIAL DESSA OBRA SEM A AUTORIZAÇÃO DO AUTOR Introdução: Aqui nesse pequeno e-book nós vamos relacionar cinco super dicas que vão deixar você bem mais perto de realizar o seu sonho

Leia mais

TRIANGULAÇÃO DE IMAGENS

TRIANGULAÇÃO DE IMAGENS 1 TRIANGULAÇÃO DE IMAGENS Profa. Teresa Cristina Melo da Silveira (Teca) E.M. Professor Oswaldo Vieira Gonçalves SME/PMU 1 Comunicação Relato de Experiência Triangulação de Imagens foi o nome escolhido

Leia mais

1. Você escolhe a pessoa errada porque você espera que ela mude após o casamento.

1. Você escolhe a pessoa errada porque você espera que ela mude após o casamento. 10 Maneiras de se Casar com a Pessoa Errada O amor cego não é uma forma de escolher um parceiro. Veja algumas ferramentas práticas para manter os seus olhos bem abertos. por Rabino Dov Heller, Mestre em

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Entrevista Descrição da demanda: Relatório da Entrevista:

Entrevista Descrição da demanda: Relatório da Entrevista: Entrevista Dia 21/05, às 19:00, no MOM Família de 2 pessoas: Roney e Helena Endereço da casa: Rua Uberlândia, 531 (esquina com Rua Padre Eustáquio) Tempo: 2h Presentes: Amanda Descrição da demanda: Os

Leia mais

AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE

AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE Mesmo não acreditando na Educação Criativa, o professor pode fazer uma experiência para ver o resultado. É o caso da professora deste relato. Glorinha Aguiar glorinhaaguiar@uol.com.br

Leia mais

Programa de Pós Graduação em Educação da FCT/UNESP, Presidente Prudente, SP. depenna05@yahoo.com.br

Programa de Pós Graduação em Educação da FCT/UNESP, Presidente Prudente, SP. depenna05@yahoo.com.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 18 a 22 de outubro, 2010 799 INTERVENÇÃO EM ARTE COM O AUXÍLIO DO SOFTWARE PHOTOSHOP Denise Penna Quintanilha Programa de Pós Graduação em

Leia mais

Sobre esta obra, você tem a liberdade de:

Sobre esta obra, você tem a liberdade de: Sobre esta obra, você tem a liberdade de: Compartilhar copiar, distribuir e transmitir a obra. Sob as seguintes condições: Atribuição Você deve creditar a obra da forma especificada pelo autor ou licenciante

Leia mais

Homens. Inteligentes. Manifesto

Homens. Inteligentes. Manifesto Homens. Inteligentes. Manifesto Ser homem antigamente era algo muito simples. Você aprendia duas coisas desde cedo: lutar para se defender e caçar para se alimentar. Quem fazia isso muito bem, se dava

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

O tema da nossa edição deste mês é Ouvindo histórias.

O tema da nossa edição deste mês é Ouvindo histórias. 1 Olá! O tema da nossa edição deste mês é Ouvindo histórias. Este mês, conhecemos histórias muito interessantes que deixaram tantas recordações e aprendizados para nossos alunos! Padrinhos Argumento: EM

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO CÓDIGO 042 CÓD. CURSO CÓD. DISC. 17032441 CRÉDITOS UNIDADE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CURSO PROPAGANDA, PUBLICIDADE E CRIAÇÃO DISCIPLINA Evolução das Artes Visuais II ETAPA 2ª Período

Leia mais

HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com

HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com TRECHO: A VOLTA POR CIMA Após me formar aos vinte e seis anos de idade em engenharia civil, e já com uma

Leia mais

A Bíblia nessa passagem a história de um homem que queria deixar de ser cego.

A Bíblia nessa passagem a história de um homem que queria deixar de ser cego. Mensagem: O HOMEM QUE ABRIU OS OLHOS PARA DEUS Pastor: José Júnior Dia: 22/09/2012 sábado AMAZON JOVENS Texto-base: Lucas 18:35-43 A Bíblia nessa passagem a história de um homem que queria deixar de ser

Leia mais

ALIANÇA MUNICIPAL ESPÍRITA DE JUIZ DE FORA (AME-JF) AULA No. 38 Departamento de Evangelização da Criança (DEC) IDADES: 7/8 PLANO DE AULA

ALIANÇA MUNICIPAL ESPÍRITA DE JUIZ DE FORA (AME-JF) AULA No. 38 Departamento de Evangelização da Criança (DEC) IDADES: 7/8 PLANO DE AULA ALIANÇA MUNICIPAL ESPÍRITA DE JUIZ DE FORA (AME-JF) AULA No. 38 Departamento de Evangelização da Criança (DEC) I CICLO B IDADES: 7/8 1. TEMA: Causa e Efeito - o que é PLANO DE AULA 2. OBJETIVO: A criança

Leia mais

ARTES: A TRANSIÇÃO DO SÉCULO XVIII PARA O SÉCULO XIX

ARTES: A TRANSIÇÃO DO SÉCULO XVIII PARA O SÉCULO XIX ARTES: A TRANSIÇÃO DO SÉCULO XVIII PARA O SÉCULO XIX Neoclassicismo ou Academicismo: * Últimas décadas do século XVIII e primeiras do XIX; * Retoma os princípios da arte da Antiguidade grecoromana; * A

Leia mais

ENCONTRO "PCN EM AÃÃO"

ENCONTRO PCN EM AÃÃO ENCONTRO "PCN EM AÃÃO" RELATO DA PAUTA DO ENCONTRO Cuiabaß - Parte de 5¼ a 8¼ súrie por Caio M. Costa 1 a. dia - Manhã 1 a. parte - todos juntos - Ana Rosa e Rosaura Apresentação dos PCNs Níveis de concretização

Leia mais

1. Pateo do Collegio conhecia não conhecia não responderam 16 18 0. 1. Pateo do Collegio gostei não gostei não responderam 33 0 1

1. Pateo do Collegio conhecia não conhecia não responderam 16 18 0. 1. Pateo do Collegio gostei não gostei não responderam 33 0 1 1. Pateo do Collegio conhecia conhecia 16 18 0 1. Pateo do Collegio gostei gostei 33 0 1 Pateo do Collegio 3% Pateo do Collegio gostei 0% conhecia 53% conhecia 47% gostei 97% Por quê? Aprendi mais sobre

Leia mais

DANIEL EM BABILÔNIA Lição 69. 1. Objetivos: Ensinar que devemos cuidar de nossos corpos e recusar coisas que podem prejudicar nossos corpos

DANIEL EM BABILÔNIA Lição 69. 1. Objetivos: Ensinar que devemos cuidar de nossos corpos e recusar coisas que podem prejudicar nossos corpos DANIEL EM BABILÔNIA Lição 69 1 1. Objetivos: Ensinar que devemos cuidar de nossos corpos e recusar coisas que podem prejudicar nossos corpos 2. Lição Bíblica: Daniel 1-2 (Base bíblica para a história e

Leia mais

Esta edição segue as normas do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

Esta edição segue as normas do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. [2] Luciano Portela, 2015 Todos os direitos reservados. Não há nenhum empecilho caso queira compartilhar ou reproduzir frases do livro sem permissão, através de qualquer veículo impresso ou eletrônico,

Leia mais

Anna Catharinna 1 Ao contrário da palavra romântico, o termo realista vai nos lembrar alguém de espírito prático, voltado para a realidade, bem distante da fantasia da vida. Anna Catharinna 2 A arte parece

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS

LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS 1 LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS Lc 19 1 Jesus entrou em Jericó e estava atravessando a cidade. 2 Morava ali um homem rico, chamado Zaqueu, que era chefe dos cobradores

Leia mais

A criança preocupada. Claudia Mascarenhas Fernandes

A criança preocupada. Claudia Mascarenhas Fernandes A criança preocupada Claudia Mascarenhas Fernandes Em sua época Freud se perguntou o que queria uma mulher, devido ao enigma que essa posição subjetiva suscitava. Outras perguntas sempre fizeram da psicanálise

Leia mais

Neoclassicismo. Segundo a leitura acima analise os itens e marque uma ÚNICA alternativa:

Neoclassicismo. Segundo a leitura acima analise os itens e marque uma ÚNICA alternativa: Neoclassicismo Questão 01 De acordo com a tendência neoclássica, uma obra de arte só seria perfeitamente bela na medida em que imitasse não as formas da natureza, mas as que os artistas clássicos gregos

Leia mais

1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação

1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação 1 1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação O objetivo principal de Introdução Filosofia é despertar no aluno a percepção que a análise, reflexão

Leia mais

Crescer por dentro. compreender e caminhar rumo ao SER

Crescer por dentro. compreender e caminhar rumo ao SER Crescer por dentro compreender e caminhar rumo ao SER 2 Crescer por dentro compreender e caminhar rumo ao SER Gita Lazarte Primeira Edição São Paulo 2011 3 4 Agradecimentos: A meus filhos Leonardo, Arturo

Leia mais

10 segredos para falar inglês

10 segredos para falar inglês 10 segredos para falar inglês ÍNDICE PREFÁCIO 1. APENAS COMECE 2. ESQUEÇA O TEMPO 3. UM POUCO TODO DIA 4. NÃO PRECISA AMAR 5. NÃO EXISTE MÁGICA 6. TODO MUNDO COMEÇA DO ZERO 7. VIVA A LÍNGUA 8. NÃO TRADUZA

Leia mais

Assim nasce uma empresa.

Assim nasce uma empresa. Assim nasce uma empresa. Uma história para você que tem, ou pensa em, um dia, ter seu próprio negócio. 1 "Non nobis, Domine, non nobis, sed nomini Tuo da gloriam" (Sl 115,1) 2 Sem o ar Torna-te aquilo

Leia mais