Sugerimos cada IMPLEMENTADOR ter cópia do texto original das leis, resoluções e normas referentes ao tipo de implementação que executa.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sugerimos cada IMPLEMENTADOR ter cópia do texto original das leis, resoluções e normas referentes ao tipo de implementação que executa."

Transcrição

1 Cap. 3 - Regulamentação ÍNDICE 01 - Introdução 02 - Lei da Balança 03 - Lei 9.503/97 Código de Trânsito Brasileiro de 23/09/ Como andar dentro da lei 05 - PBT (Peso Bruto Total) 06 - PBTC (Peso Bruto Total Combinado) 07 - CMT (Capacidade Máxima de Tração) 08 - Configurações da suspensão traseira 09 - Configurações dos s 10 - Dimensões 11 - Pesos por 12 - Tolerâncias permitidas pela legislação 13 - (Autorização Especial de Trânsito) 14 - Diferença entre bitrem, rodotrem e outras combinações de veículos de carga 15 - Limites Legais de Pesos e Dimensões - Resumo da Legislação 01 - Introdução As regulamentações, tanto das características dos caminhões como do seu uso, constituem-se numa necessidade para o seu convívio pacífico com os outros veículos, os seres vivos e o meio ambiente, sem causar ameaças, danos ou destruições aos outros elementos. Portanto as regulamentações, devem ser tomadas como limitações benéficas, que não impedem o seu melhor desempenho na execução do trabalho e garantem a segurança e a longevidade do caminhão e organizam a sua locomoção com maior eficiência e rapidez. As regulamentações abrangem três fases: A VOLKSWAGEN CAMINHÕES E ÔNIBUS garante que os seus veículos, como vendidos pelas concessionárias, obedecem rigorosamente a todas as legislações, normas e regulamentações nacionais. Os IMPLEMENTADORES também devem obedecer a todas as leis, resoluções e normas regulamentadoras do tipo de complementação, modificação estrutural ou adaptação de equipamentos operacionais, a que eles se dedicam. Os USUÁRIOS por sua vez, devem realizar as operações de carga e locomoção obedecendo os dispositivos normativos destas atividades. Frente ao menor conhecimento dos USUÁRIOS, os IMPLEMENTADORES devem instruí-los devidamente quanto a quantidade e distribuição da carga e demais detalhes operacionais, para garantir a segurança e longevidade tanto do veículo, como da implementação executada, e também de terceiros. Em vista do grande dinamismo e volume das regulamentações, seria impossível mantermos a atualização continua referente a novas normas ou leis, suas modificações, cancelamentos, substituições, etc. Por este motivo, transcrevemos a obra "Pesos e Dimensões Legais no Brasil", bastante didático e completo, para tornar qualquer interessado em bom conhecedor do assunto e totalmente capacitado para dar continuidade aos seus conhecimentos com as regulamentações complementares futuras. Sugerimos cada IMPLEMENTADOR ter cópia do texto original das leis, resoluções e normas referentes ao tipo de implementação que executa. A legislação completa pode ser obtida no site do DENATRAN, que é a entidade regulamentadora: file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 1/22

2 A legislação completa pode ser obtida no site do DENATRAN, que é a entidade regulamentadora: DENATRAN (Departamento Nacional de Trânsito) Esplanada dos Ministérios - Bloco T - anexo II - 5o. andar - Brasília - DF. CEP: Telefone: (0xx61) / 3565 / 3996 Site: Lei da Balança Consiste em um conjunto de artigos extraídos do Código de Trânsito Brasileiro e de Resoluções do CONTRAN que influem diretamente nas limitações das dimensões e pesos dos veículos nas vias terrestres brasileiras. A pesagem de veículos de carga é fundamental para a preservação dos patrimônios públicos, da maior importância para os governos e sociedade, que são as vias públicas e estradas. No Brasil, 63% de todo o transporte de carga se dá em cima do caminhão. É indiscutível a responsabilidade dos governos em preservar as rodovias, fiscalizando e coibindo o excesso de peso. A deficiência nas fiscalizações dos pesos s permitidos pela Lei da Balança, implica na freqüente ocorrência deste tipo de infração, prejudicando o setor e degradação das estradas brasileiras. O transporte rodoviário de carga é penalizado duplamente: Primeiro com o aumento da capacidade da frota pressionado os fretes para baixo; Segundo com a rápida degradação das rodovias, aumentando os custos de manutenção. O excesso de carga diminui a eficiência nos freios e a vida útil de componentes, aumenta os riscos de dirigibilidade, o que colabora com o incremento dos índices de acidentes. NOTA O termo Lei da Balança não existe na legislação Lei 9.503/97 Código de Trânsito Brasileiro de 23/09/97 Possui 341 artigos que proporcionam instrumentos e condições para que o processo de circulação de bens e pessoas através do espaço físico brasileiro, tanto rural como urbano, se desenvolva dentro de padrões de segurança, eficiência, fluidez e conforto. Principais Resoluções do CONTRAN: 49/98 Plaqueta - Tara e Lotação. 62/98 Pneus extralargos. 75/98 CTV Combinações para Transporte de Veículos. 102/99 Tolerância Peso Bruto Transmitido por Eixo. 104/99 Tolerância PBT e PBTC. 114/00 Acrescenta paragrafo único ao artigo 4 da resolução 104/ /11/2006 Pesos e dimensões. Revoga as resoluções 12/98 e 163/ /11/2006 Limites estabelecidos na 210. Revoga as resoluções 68/98; 164/04; 184/05 e 189/06. Portaria 86 20/12/ Homologação dos veículos e combinações de veículos com seus respectivos limites de comprimento, Peso Bruto Total - PBT e Peso Bruto Total Combinado - PBTC /11/ Pesos e percentuais de tolerância. Fixa metodologia de aferição de peso de veículos e estabelece percentuais de tolerância. file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 2/22

3 04 - Como andar dentro da lei Limites legais de pesos Regulamentado pelas autoridades de trânsito - Estabelece o valor de peso por ou para um conjunto de s. Limite técnico que o fabricante do veículo estabeleceu para o ou seu conjunto. Para andar dentro da lei Comparar o limite legal com o técnico e utilizar-se o menor deles PBT (Peso Bruto Total) Peso Bruto Total de um veículo é a resultante do peso do veículo vazio, em ordem de marcha, somado com o peso da carroceria que equipa esse veículo e com o peso da carga que está sobre a carroceria. file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 3/22

4 06 - PBTC (Peso Bruto Total Combinado) Peso Bruto Total Combinado é o peso transmitido ao pavimento pela combinação de um caminhão-trator mais seu semi-reboque ou do caminhão mais seu reboque ou reboques. file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 4/22

5 07 - CMT (Capacidade Máxima de Tração) Capacidade Máxima de Tração é o de peso que a unidade de tração é capaz de tracionar indicado pelo fabricante. A diferença entre o CMT e o PBTC está no fato de que o PBTC exprime o limite legal da composição, enquanto que o CMT define a máxima capacidade técnica do veículo especificada pela montadora respeitando os limites dos componentes Configurações da suspensão traseira Tandem - Tipo Bogie Suspensão tipo Bogie utilizada em veículos com tração 6x4. Tandem - Tipo Balancim Suspensão tipo Balancim utilizada em veículos com tração 6x2. Não Tandem No modelo Não Tandem os s são independentes. A capacidade para as duas configurações (Tandem e Não Tandem) são diferentes. file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 5/22

6 09 - Configurações dos s Eixo simples com rodagem simples - direcional e trativo Os s dianteiros direcionais são sempre com rodagem simples. A legislação contempla a montagem de dois s dianteiros direcionais. Eixo duplo com rodagem simples - direcionais ou trativos Para caminhões existe a possibilidade de transformação de 6x2 em 8x2 ou 6x4 em 8x4. Eixo simples com rodagem dupla - trativo ou não trativo Os s traseiros dos veículos comerciais normalmente são com rodagem dupla Dimensões Distância entre s - DEE Conhecer as principais dimensões de um veículo é essencial para a instalação correta de carrocerias. Vamos analizar as principais dimensões: Nos veículos 4x2 é a distância entre o centro do dianteiro e o centro do traseiro. Nos veículos 6x2 ou 6x4 é a distância entre o centro do dianteiro e o centro do último traseiro. file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 6/22

7 Atenção: Em folhetos técnicos antigos da Volkswagen, é possível encontrar a distância entre s para veículos Volkswagen 6x2 e 6x4, como a medida entre o centro do dianteiro e o centro da articulação da suspensão traseira. Dimensões Bitola 1 - Bitola dianteira Corresponde à distância medida entre as linhas de centro dos dois pneus dianteiros. 2 - Bitola traseira Corresponde à distância medida entre as linhas de centro imaginárias da rodagem dupla dos pneus do traseiro. Vão Livre Nota: As dimensões são medidas no chassi com todos os pneus calibrados. 1 - Vão livre dianteiro Corresponde à distância medida entre a superfície do pavimento plano e a extremidade inferior do dianteiro ou componente mais baixo da suspensão dianteira. 2 - Vão livre traseiro Corresponde à distância medida entre a superfície do pavimento plano e a parte inferior do traseiro ou componente mais baixo da suspensão traseira. Dimensões - Resolução 210/06-13/11/2006 file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 7/22

8 Largura máxima L - Máxima 2,60 metros A largura máxima legal para caminhões e ônibus (L) é de 2,60 metros. Como referência, a lei considera a largura da carroceria. Outra medida de largura, citada em nossos folhetos, é a distância entre os espelhos retrovisores. Esta largura não é estabelecida por lei, mas seu conhecimento é importante quando se planeja garagens e oficinas. Altura máxima H - Máxima 4,40 metros A altura máxima legal para caminhões e ônibus (H) é fixada em 4,40 metros. Nota: É raro, mas não impossível, encontrar-se pontes e viadutos com vãos livres inferiores a 4,40 metros. Isso acontece porque a antiga legislação previa a altura máxima de 4,00 metros. total É a distância entre os extremos dianteiro e traseiro do veículo. Em nossos folhetos, o comprimento apresentado é apenas o do chassi. Quando os veículos, caminhões e ônibus, recebem carroceria, esta distância é medida entre os extremo dianteiro do veículo e extremo traseiro da carroceria. s legais - Resolução 210/06 a partir de 13/11/ Veículo simples = 14 metros file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 8/22

9 - Cavalo-mecânico (Veículo trator) = 18,60 metros - Veículo com reboque = 19,80 metros - Bi-trem = 19,80 metros e 17,50 metros À partir de 2010 a unidade tratora deverá ser dotada de tração dupla (6x4) - Treminhão = 30 metros e 25 metros - Rodotrem = 30 metros e 25 metros file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 9/22

10 Nota: Para os veículos já existentes, que excedam o comprimento, a largura ou a altura especificadas, pode-se obter Autorização Específica Anual até o seu sucateamento. Balanço dianteiro - BD É a distância entre o centro do dianteiro e a extremidade do pára-choque dianteiro. A lei não se manifesta sobre esta característica. Nota: O balanço dianteiro dos semi-reboques deve obedecer a NBR NM ISO Balanço traseiro - BT É a distância entre o centro do último traseiro e a extremidade traseira. A lei considera, neste caso, a extremidade traseira levando em conta todos os elementos rigidamente fixados na carroceria. Balanço traseiro = ou < 60% DEE, limitado em 3,50 metros Quando o veículo é encarroçado, o balanço traseiro se modifica em relação ao informado no folheto. Balanço traseiro = ou < 60% DEE, limitado em 3,50 metros Nota: Os limites para o comprimento do balanço traseiro de veículos de transporte de carga é até 60% (sessenta por cento) da distância entre os dois s extremos, não podendo exceder a 3,50 m (três metros e cinquenta centímetros). Resolução nº 210/06, do CONTRAN, de 13/10/2006. file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 10/22

11 11 - Pesos por Eixos dianteiros ou traseiros com rodagem simples (A) 6 toneladas (B) 12 toneladas 2 s em tandem com 8 pneus (A) 1 = 10 toneladas (B) DE = 1,20 a 2,40 m = 17 toneladas (C) DE = acima de 2,40 m = 20 toneladas 2 s não tandem com 8 pneus (A) DE = 1,20 a 2,40 m = 15 toneladas (B) DE = acima de 2,40 m = 20 toneladas 3 s em tandem com 12 pneus (A) DE = 1,20 a 2,40 m = 25,5 toneladas (B) DE = acima de 2,40 m = 30 toneladas file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 11/22

12 12 - Tolerâncias permitidas pela legislação Peso por Importante! Pela resolução nº 258 de 30/11/2007 do Contran, a tolerância de 7,5% fica permitida até 31 de dezembro de A partir desta data, só será admitida a tolerância de 5%. PBT / PBTC na aferição da balança Na balança Na fiscalização em balança será admitida a tolerância máxima de 5% do PBT / PBTC regulamentares do conjunto para compensar eventuais desvios da balança. Esta tolerância não pode ser incorporada aos limites de peso dos veículos. Peso declarado na nota fiscal Independente da existência ou não de balança Na fiscalização dos limites de peso dos veículos por meio do peso declarado na Nota Fiscal, Conhecimento ou Manifesto de carga não será admitida qualquer tolerância sobre o peso declarado. file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 12/22

13 Importante! A tolerância tem como finalidade compensar eventuais erros de balanças, deslocamento e arrumação das cargas e ganhos de peso devido à umidade e, assim, evitar multas injustas, especialmente quando os pesos aferidos resultam superiores aos reais. Não deve ser usada, portanto, para aumentar os limites de peso por, pois, não é esse o espírito da lei (Autorização Especial de Trânsito) Resolução 211 de 13/11/2006 Art. 1 - As Combinações de Veículos de Carga - CVC, com mais de duas unidades, incluindo a unidade tratora, com o peso bruto total acima de 57 tons. ou com comprimento total acima de 19,80 metros, só poderão circular portando Autorização Especial de Trânsito -. Art. 2 - A Autorização Especial de Trânsito - pode ser concedida pelo Órgão Executivo da União dos Estados dos Municípios ou do Distrito Federal, mediante atendimento aos seguintes requisitos: I - Para a CVC a) Peso Bruto Total Combinado - PBTC igual ou inferior a 74 toneladas; b) superior a 19,80 metros e de 30 metros, quando o PBTC for inferior ou igual a 57 toneladas; c) de 25 metros e de 30 metros, quando o PBTC for superior a 57 toneladas; d) Limites legais de peso por fixado pelo CONTRAN; e) A compatibilidade da Capacidade Máxima de Tração - CMT da unidade tratora, determinada pelo fabricante, com o Peso Bruto Total Combinado - PBTC; f) Estar equipado com sistema de freios conjugados entre si e com a unidade tratora, atendendo o dispositivo na Resolução n. 777/93 - CONTRAN; g) O acoplamento dos veículos rebocados deverá ser do tipo automático conforme NBR 11410/11411 e estarem reforçados com correntes ou cabos de aço de segurança; h) O acoplamento dos veículos articulados deverá ser do tipo pino-rei e quinta roda e obedecer ao dispositivo na NBR NM/ISO 337; i) Possuir sinalização especial na forma do Anexo II e estar provida de lanternas laterias colocadas a intervalos regulares de no 3 metros entre si, que permitam a sinalização do comprimento total do conjugado. Além desses requisitos, necessitam ainda: - Unidade tratora destas composições dotada de tração dupla, ser capaz de vencer aclives de 6%. - Aprovação do percurso estabelecido. - O trânsito será do amanhecer ao pôr do sol e sua velocidade máxima de 80 km/h. Nas vias com pista dupla e duplo sentido de circulação, dotada de separadores físicos poderá ser autorizado o trânsito diuturno. Vide outras exigências na resolução 211 de 13/11/2006. Resolução 75 de 19/11/1998 Artigo 1 - As Combinações para transporte de veículos - CTV, construídas e destinadas exclusivamente ao transporte de outros veículos, cujas dimensões excedam aos limites previstos na resolução n0 210/06 - CONTRAN, só poderão circular nas vias portando Autorazação Especial de Trânsito -, e atendendo às configurações previstas no Anexo I. Paragráfo único - Entende-se por "Combinação para transporte de veículos" o veículo ou combinação de veículos, construídos ou adaptados especialmente para o transporte de automóveis, vans, ônibus, caminhões e simulares. Artigo 3 - Para a concessão da Autorazação Especial de Trânsito -, deverão ser observados os seguintes limites: I - Altura 4,70 metros (quatro metros e setenta centímetros), quando transportando veículos; II - Largura 2,60 metros (dois metros e sessenta centímetros); file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 13/22

14 II - Largura 2,60 metros (dois metros e sessenta centímetros); III - s - medido do pára-choque dianteira à extremidade posterior (plano inferior e superior) da carroceria do veículo: a) veículo simples - 14,00 metros (quatorze metros); b) veículos articulados - até 22,40 metros (vinte e dois metros e quarenta centímetros), desde que a distância em entre os s extremos não ultrapassem a 17,47 metros (dezessete metros e quarenta e sete centímetros); c) veículos com reboque - até 22,40 metros (vinte e dois metros e quarenta centímetros) Diferença entre bitrem, rodotrem e outras combinações de veículos de carga Bitrem É uma combinação de veículos de carga composta por um total de sete s, que permite o transporte de um peso bruto total combinado PBTC de 57 toneladas. Os semi-reboques dessa combinação são interligados por um engate do tipo B (quinta-roda) e podem ser tracionados por um cavalo-mecânico (veículo trator) 6x2 (trucado). A partir de 2010 obrigatoriamente deverá ser tração dupla (6x4). Rodotrem É um combinação de veículos de carga (dois semi-reboques) composta por um total de 9 s que permite o transporte de um peso bruto total combinado (PBTC) de 74 toneladas. Os dois semi-reboques dessa combinação são interligados por um veículo intermediário denominado dolly, que possui a característica de acoplar no semireboque dianteiro por um engate do tipo A (engate automático e com cambão) e fazer a ligação com o semireboque traseiro através de um engate do tipo B (quinta-roda) essa combinação só pode ser tracionada por um cavalo-mecânico (veículo trator) 6x4 (traçado) e necessita de um trajeto definido para obter Autorização Especial de Trânsito (). Por definição o bitrem é um conjunto que possui duas articulações (quinta-roda do caminhão e a quinta-roda do semi-reboque dianteiro) e o rodotrem é um conjunto que possui três articulações (quinta-roda do caminhão, engate dianteiro do dolly e quinta-roda do dolly). file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 14/22

15 Tri-trem É uma combinação de veículo de carga - CVC - formada por três semi-reboques interligados através de quinta roda, ou seja com engates do tipo B, como acontece na combinação bi-trem. Esta CVC possbilita um PBTC de 74 toneladas, a mesma do rodotrem, mas, devido às características específicas, são desenvolvidas especialmente para o transporte florestal e canavieiro. Romeu e Julieta É um caminhão que traciona um reboque, engatados por meio de ralas. Treminhão É um caminhão tracionando dois ou mais reboques, engatados por meio de ralas Limites Legais de Pesos e Dimensões - Resumo da Legislação A Resolução nº 211 de 13/11/2006 do CONTRAN estabelece o requisitos para a circulação de Combinação de Veículos de Carga - CVC. Com base nesta Resolução, o DENATRAN, através da Portaria 86 de 20/12/2006, homologou veículos e combinações de veículos de transporte de carga, com seus respectivos limites de comprimento, peso bruto total PBT e peso bruto total combinado PBTC. file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 15/22

16 Principais mudanças Aumento do limite de PBT de 45t para 57t. Os limites de peso por permanecem os mesmos; O PBT das carretas com comprimento inferior a 17,50m, independentemente do nº de s, não poderão exceder a 45,0t; Rodotrens licenciados até 3/02/2006, com menos de 25m, podem circular, mediante, até o sucateamento; Rodotrens licenciados depois de 3 de fevereiro de 2006 têm que ter comprimento de 25 metros; Veículos com dimensões excedentes, registrados e licenciados até 13 de novembro de 1996 podem requerer independentemente da idade do cavalo-mecânico (veículo trator); Veículos simples com balanço traseiro acima de 3,50m, até o limite de 4,2m poderão trafegar mediante anual; Principais configurações de veículos usadas no país ,0 toneladas 16,800 toneladas 16,800 toneladas ,00 metros Não ,0 toneladas 24,150 toneladas 24,150 toneladas ,00 metros Não ,0 toneladas 27,300 toneladas 27,300 toneladas ,60 metros Não file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 16/22

17 ,0 toneladas 27,300 toneladas 27,300 toneladas ,60 metros Não ,0 toneladas 34,650 toneladas 34,650 toneladas vide nota (1) 18,60 metros Não ,0 toneladas 42,000 toneladas 42,000 toneladas ,60 metros Não ,0 toneladas 45,150 toneladas 45,150 toneladas vide nota (1) 18,60 metros Não file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 17/22

18 ,5 41,500 toneladas 43,575 toneladas 43,575 toneladas vide nota (1) 18,60 metros Não ,000 toneladas 48,300 toneladas 48,300 toneladas 17,50 metros (1) 18,60 metros Não ,5 48,500 toneladas 50,925 toneladas 50,925 toneladas 17,50 metros (1) 18,60 metros Não ,000 toneladas 52,500 toneladas 52,500 toneladas 17,50 metros (1) 18,60 metros Não file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 18/22

19 ,000 toneladas 55,650 toneladas 55,650 toneladas 17,50 metros (1) 18,60 metros Não ,000 toneladas 37,800 toneladas 37,800 toneladas vide nota (6) 19,80 metros Não ,000 toneladas 45,150 toneladas 45,150 toneladas vide nota (6) 19,80 metros Não ,000 toneladas 45,150 toneladas 45,150 toneladas vide nota (6) 19,80 metros Não file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 19/22

20 ,000 toneladas 52,500 toneladas 52,500 toneladas vide nota (6) 19,80 metros Não ,000 toneladas 66,150 toneladas 66,150 toneladas 25,00 metros (2) 30,00 metros Sim ,000 toneladas 59,850 toneladas 59,850 toneladas 17,50 metros (2) 19,80 metros Não (3) ,000 toneladas 77,700 toneladas 77,700 toneladas 25,00 metros (2) 30,00 metros Sim + 17 file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 20/22

21 74,000 toneladas 77,700 toneladas 77,700 toneladas 25,00 metros (2) 30,00 metros Sim ,000 toneladas 77,700 toneladas 77,700 toneladas 25,00 metros (2) 30,00 metros Sim ,5 65,500 toneladas 68,775 toneladas 68,775 toneladas 25,00 metros (2) 30,00 metros Sim ,5 + 25,5 74,000 toneladas (4) 77,700 toneladas 74,000 toneladas 25,00 metros (2) 30,00 metros Sim NOTA (1) As combinações com comprimento inferior a 17,50m não estão proibidas de circular, apenas permanecem limitadas ao PBT de 45,0t. file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 21/22

22 ao PBT de 45,0t. (2) A circulação das combinações de veículos de carga com Peso Bruto Total Combinado - PBTC até 74 (setenta e quatro) toneladas e comprimento inferior a 25 (vinte e cinco) metros, registradas até 03 de fevereiro de (3) Os DERs dos estados da Bahia, Ceará, Goiás e Minas Gerais continuam exigindo para circulação de bitrens nas rodovias sob sua circunscrição. Em Santa Catarina com a decisão da justiça federal de extinguir ação contra a resolução 124 do Contran, tanto a UNIT (DNIT) quanto o DEINFRA estão proibidos de exigir. (4) O bitrem de 9 s continua sendo considerado nova composição, dessa forma só terá livre acesso a após efetivada sua homologação pelo DENATRAN. (5) O CTB - Código de Trânsito Brasileiro em seu artigo 100, determina que nenhum veículo poderá transitar com Peso Bruto Total superior ao fixado pelo fabricante, nem ultrapassar a capacidade máxima de tração da unidade tratora. (6) A bem da verdade, essas configurações ficaram sem definição legal. Espera-se, para breve, publicação de resolução determinando a reinclusão das mesmas. Os dados apresentados levam em conta a regulamentação anterior que deve ser reposta.. file:///e:/diretrizes DE IMPLEMENTAÇÃO/Docs/Port/Cap03.htm 22/22

b) veículos com reboque ou semi-reboque, exceto caminhões: 39,5 t;

b) veículos com reboque ou semi-reboque, exceto caminhões: 39,5 t; Limites de peso bruto em função do comprimento: O peso bruto total ou peso bruto total combinado, respeitando os limites da capacidade máxima de tração - CMT da unidade tratora determinada pelo fabricante

Leia mais

HOME AGENDA DO TRC LEGISLAÇÃO PEDÁGIO PISOS SALARIAIS INDICADORES AET CLASSIFICADOS CONTATO

HOME AGENDA DO TRC LEGISLAÇÃO PEDÁGIO PISOS SALARIAIS INDICADORES AET CLASSIFICADOS CONTATO HOME AGENDA DO TRC LEGISLAÇÃO PEDÁGIO PISOS SALARIAIS INDICADORES AET CLASSIFICADOS CONTATO Quadro resumo da nova Legislação de Pesos e Dimensões com validade a partir de 01/01/2007, quando foram revogadas

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO RESOLUÇÃO Nº 210 DE 13 DE NOVEMBRO DE 2006

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO RESOLUÇÃO Nº 210 DE 13 DE NOVEMBRO DE 2006 MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO RESOLUÇÃO Nº 210 DE 13 DE NOVEMBRO DE 2006 Estabelece os limites de peso e dimensões para veículos que transitem por vias terrestres e dá outras providências.

Leia mais

a) Peso Bruto Total Combinado - PBTC igual ou inferior a 74 toneladas;

a) Peso Bruto Total Combinado - PBTC igual ou inferior a 74 toneladas; RESOLUÇÃO CONTRAN Nº 211, de 13/11/2006 Requisitos necessários à circulação de Combinações de Veículos de Carga - CVC, a que se referem os arts. 97, 99 e 314 do Código de Trânsito Brasileiro - CTB. O CONSELHO

Leia mais

Elygerson Alves Alvarez FABET

Elygerson Alves Alvarez FABET Legislação Elygerson Alves Alvarez FABET FABET Fundação Adolpho Bósio de Educação no Transporte Desde 1997 Legislação de Trânsito Leis da Balança Rodovia Castelo Branco, km 66,5 - Loteamento Dona Catarina,

Leia mais

NUMERO N 1 INTRODUCAO

NUMERO N 1 INTRODUCAO NUMERO N 1 INTRODUCAO A disciplinação de cargas por eixo no Brasil foi introduzida pelo Estado de São Paulo, em 1960, que introduziu lei sobre o peso bruto dos veículos. Em 1961, o governo Federal baixou

Leia mais

DIRETORIA DE INFRA-ESTRUTURA RODOVIÁRIA COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS

DIRETORIA DE INFRA-ESTRUTURA RODOVIÁRIA COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS DIRETORIA DE INFRA-ESTRUTURA RODOVIÁRIA COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS QUADRO DE FABRICANTES DE VEÍCULOS 2008 ÍNDICE: ITEM DESCRIÇÃO 01. Introdução... 02. Classificação de Veículos... 03. Definições...

Leia mais

Estrada de Rodagem Lei de Balança

Estrada de Rodagem Lei de Balança Estrada de Rodagem Lei de Balança Prof. Dr. Rodrigo de Alvarenga Rosa rodrigoalvarengarosa@gmail.com (27) 9941-3300 1 Modo Rodoviário - Pesos e Dimensões A legislação vigente para pesos e dimensões dos

Leia mais

D I R E T O R I A D E I N F R A - E S T R U T U R A R O D O V I Á R I A COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS

D I R E T O R I A D E I N F R A - E S T R U T U R A R O D O V I Á R I A COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS D I R E T O R I A D E I N F R A - E S T R U T U R A R O D O V I Á R I A COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS QUADRO DE FABRICANTES DE VEÍCULOS OUTUBRO / 2009 ÍNDICE: ITEM DESCRIÇÃO 01. Introdução...

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO EXTERNO. Principais Objetivos do Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito SIAET

MANUAL DO USUÁRIO EXTERNO. Principais Objetivos do Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito SIAET MANUAL DO USUÁRIO EXTERNO Introdução O Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito - SIAET é um sistema informatizado de prestação de serviços através da Internet, desenvolvido para solicitação,

Leia mais

Considerando a necessidade de se reduzir custos no transporte de veículos, peças e componentes automotivos, sem prejuízo para a segurança;

Considerando a necessidade de se reduzir custos no transporte de veículos, peças e componentes automotivos, sem prejuízo para a segurança; RESOLUÇÃO Nº 305 DE 06 DE MARÇO DE 2009 Estabelece requisitos de segurança necessários à circulação de Combinações para Transporte de Veículos CTV e Combinações de Transporte de Veículos e Cargas Paletizadas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº258. 30 DE NOVEMBRO DE 2007

RESOLUÇÃO Nº258. 30 DE NOVEMBRO DE 2007 RESOLUÇÃO Nº258. 30 DE NOVEMBRO DE 2007 Regulamenta os artigos 231, X e 323 do Código Trânsito Brasileiro, fixa metodologia de aferição de peso de veículos, estabelece percentuais de tolerância e dá outras

Leia mais

Novas Práticas para o Limite Legal de Peso no Transporte de Agregado no Brasil

Novas Práticas para o Limite Legal de Peso no Transporte de Agregado no Brasil Novas Práticas para o Limite Legal de Peso no Transporte de Agregado no Brasil Aspectos jurídicos da Lei da Balança a e responsabilidades do Transportador e Embarcador Dr. Moacyr Francisco Ramos agosto/2011

Leia mais

FISCALIZAÇÃO DO EXCESSO DE PESO NAS RODOVIAS FEDERAIS CONCEDIDAS. Manual de Operação

FISCALIZAÇÃO DO EXCESSO DE PESO NAS RODOVIAS FEDERAIS CONCEDIDAS. Manual de Operação FISCALIZAÇÃO DO EXCESSO DE PESO NAS RODOVIAS FEDERAIS CONCEDIDAS Manual de Operação 4ª Edição Versão Agosto/2009 1 ÍNDICE 1. Introdução 1.1 O Manual 1.2 A Importância do Controle do Excesso de Peso 2.

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO EXTERNO. Principais Objetivos do Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito SIAET

MANUAL DO USUÁRIO EXTERNO. Principais Objetivos do Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito SIAET MANUAL DO USUÁRIO EXTERNO Introdução O Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito - SIAET é um sistema informatizado de prestação de serviços através da Internet, desenvolvido para solicitação,

Leia mais

CARGAS EXCEDENTES/INDIVISÍVEIS A t u a l i z a d o e m

CARGAS EXCEDENTES/INDIVISÍVEIS A t u a l i z a d o e m A P Ê N D I C E E CARGAS EXCEDENTES/INDIVISÍVEIS A t u a l i z a d o e m 2 7 / 0 5 / 1 2 NOTA DO AUTOR: este capítulo traz dicas resumidas acerca da fiscalização de veículos e combinações que ultrapassam

Leia mais

http://bd.camara.leg.br

http://bd.camara.leg.br http://bd.camara.leg.br Dissemina os documentos digitais de interesse da atividade legislativa e da sociedade. ESTUDO FISCALIZAÇÃO DE EXCESSO DE PESO EM RODOVIAS Rodrigo César Neiva Borges Consultor Legislativo

Leia mais

D I R E T O R I A D E I N F R A - E S T R U T U R A R O D O V I Á R I A COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS

D I R E T O R I A D E I N F R A - E S T R U T U R A R O D O V I Á R I A COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS D I R E T O R I A D E I N F R A - E S T R U T U R A R O D O V I Á R I A COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS GUIA PRÁTICO ( INSTRUÇÕES OPERACIONAIS ) MAIO /2010 Rev. 4 01. INTRODUÇÃO Este Guia Prático

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO RESOLUÇÃO Nº 805, DE 24 DE OUTUBRO DE 1995

CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO RESOLUÇÃO Nº 805, DE 24 DE OUTUBRO DE 1995 CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO RESOLUÇÃO Nº 805, DE 24 DE OUTUBRO DE 1995 Estabelece os requisitos técnicos mínimos do pára-choque traseiro dos veículos de carga O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO, usando

Leia mais

Art. 4º A responsabilidade pela inscrição e conteúdo dos pesos e capacidades, conforme estabelecido no Anexo desta Resolução será:

Art. 4º A responsabilidade pela inscrição e conteúdo dos pesos e capacidades, conforme estabelecido no Anexo desta Resolução será: RESOLUÇÃO Nº 290, DE 29 DE AGOSTO DE 2008 Disciplina a inscrição de pesos e capacidades em veículos de tração, de carga e de transporte coletivo de passageiros, de acordo com os artigos 117, 230- XXI,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997. Mensagem de veto Vide texto compilado Institui o Código de Trânsito Brasileiro. O PRESIDENTE

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE TRANSPORTE DE CARGA EM RODOVIAS NO RIO GRANDE DO SUL

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE TRANSPORTE DE CARGA EM RODOVIAS NO RIO GRANDE DO SUL DEFINIÇÕES 2. Para efeito destas Perguntas e Respostas, ficam estabelecidas as seguintes definições: 2.1. Balanço Traseiro é a distância compreendida entre o último eixo traseiro e o plano vertical que

Leia mais

Ministério da Indústria, do Comércio e do Turismo

Ministério da Indústria, do Comércio e do Turismo Ministério da Indústria, do Comércio e do Turismo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial - INMETRO Portaria nº 70, de 08 de maio de 1996 O Presidente do Instituto Nacional

Leia mais

Instituto de Engenharia São Paulo, SP, 06 de novembro de 2013

Instituto de Engenharia São Paulo, SP, 06 de novembro de 2013 Instituto de Engenharia São Paulo, SP, 06 de novembro de 2013 INFRAESTRUTURA: A ADEQUADA UTILIZAÇÃO DA MALHA RODOVIÁRIA BRASILEIRA Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias CONTROLE DO EXCESSO

Leia mais

ESCLARECIMENTOS SOBRE A LEI DA BALANÇA

ESCLARECIMENTOS SOBRE A LEI DA BALANÇA ESCLARECIMENTOS SOBRE A LEI DA BALANÇA XVII Encontro de Transporte Seguro dos Produtos de Cloro Álcalis e seus Derivados Expositor: Paulo de Tarso Martins Gomes Presidente da ABTLP Local: São Paulo SP

Leia mais

CAPÍTULO 04 NÚMERO N

CAPÍTULO 04 NÚMERO N CAPÍTULO 04 NÚMERO N Um dos fatores que influem no dimensionamento dos pavimentos flexíveis é o trafego que solicitará determinada via durante sua vida útil de serviço. As cargas que solicitam a estrutura

Leia mais

RESOLUÇÃO N 396 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011

RESOLUÇÃO N 396 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 RESOLUÇÃO N 396 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 Dispõe sobre requisitos técnicos mínimos para a fiscalização da velocidade de veículos automotores, reboques e semirreboques, conforme o Código de Trânsito Brasileiro.

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Engate para reboque: afinal, pode ou não pode? Julyver Modesto de Araújo* Apesar de a norma ter sido publicada em 31/07/06, somente no final do mês de janeiro de 2007 é que as primeiras

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 354 DE 24 DE JUNHO DE 2010.

RESOLUÇÃO Nº 354 DE 24 DE JUNHO DE 2010. RESOLUÇÃO Nº 354 DE 24 DE JUNHO DE 2010. Estabelece requisitos de segurança para o transporte de blocos e chapas serradas de rochas ornamentais. O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO CONTRAN, no uso da atribuição

Leia mais

Instruções para Implementadores

Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation Curitiba, Brazil Instruções para Implementadores Data Grupo Edição Pág. 10.2011 95 01 1( 8 ) Características Construtivas Cabina e Chassi VM BRA50589 89034684 Portuguese/Brazil

Leia mais

DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA DT-068/2010 R-03

DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA DT-068/2010 R-03 DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA DT-068/2010 R-03 FOLHA DE CONTROLE DECISÃO TÉCNICA Código Página Revisão Emissão DT-068 I 03 OUT/2010 APRESENTAÇÃO As prescrições

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 14/98. CONSIDERANDO o art. 105, do Código de Trânsito Brasileiro;

RESOLUÇÃO Nº 14/98. CONSIDERANDO o art. 105, do Código de Trânsito Brasileiro; RESOLUÇÃO Nº 14/98 Estabelece os equipamentos obrigatórios para a frota de veículos em circulação e dá outras providências. O Conselho Nacional de Trânsito CONTRAN, usando da competência que lhe confere

Leia mais

OPERAÇÃO DE TRANSITO EM EVENTOS

OPERAÇÃO DE TRANSITO EM EVENTOS OPERAÇÃO DE TRANSITO EM EVENTOS OPERAÇÃO DE TRANSITO EM EVENTOS Definição e Responsabilidades Em conformidade com a LEI nº 14.072 de 18 de outubro de 2005, qualquer EVENTO somente poderá ser iniciado após

Leia mais

c Publicada no DOU de 2-9-2003.

c Publicada no DOU de 2-9-2003. RESOLUÇÃO DO CONTRAN N o 146, DE 27 DE AGOSTO DE 2003 Dispõe sobre requisitos técnicos mínimos para a fiscalização da velocidade de veículos automotores, reboques e semirreboques, conforme o Código de

Leia mais

GUIA BÁSICO SOBRE EXCESSO DE PESO NO TRANSPORTE DE BRITA

GUIA BÁSICO SOBRE EXCESSO DE PESO NO TRANSPORTE DE BRITA APRESENTAÇÃO O setor de agregados do estado do Rio de Janeiro utiliza essencialmente o modal rodoviário para escoamento de seus produtos até o mercado consumidor. O transporte de brita sobre rodas, apesar

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 131, DE 02 DE ABRIL DE 2002

RESOLUÇÃO N.º 131, DE 02 DE ABRIL DE 2002 RESOLUÇÃO N.º 131, DE 02 DE ABRIL DE 2002 Dispõe sobre requisitos técnicos mínimos para fiscalização da velocidade de veículos automotores, elétricos, reboques e semi-reboques, conforme o Código de Trânsito

Leia mais

GERENCIAMENTO DE VEÍCULOS

GERENCIAMENTO DE VEÍCULOS 1. OBJETIVO Estabelecer o procedimento padrão a ser implementado na Irapuru Transportes Ltda quanto ao gerenciamento (solicitação e programação) de veículos (carretas e cavalos) da frota própria bem como

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO INTERNO. Principais Objetivos do Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito SIAET

MANUAL DO USUÁRIO INTERNO. Principais Objetivos do Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito SIAET MANUAL DO USUÁRIO INTERNO Introdução O Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito SIAET é um sistema informatizado de prestação de serviços através da internet, desenvolvido para solicitação,

Leia mais

PORTARIA Nº 127 DE 17 DE DEZEMBRO DE 2008

PORTARIA Nº 127 DE 17 DE DEZEMBRO DE 2008 PORTARIA Nº 127 DE 17 DE DEZEMBRO DE 2008 Estabelece procedimento adicional à concessão de código marca/modelo/versão a veículos classificados na espécie misto, tipo utilitário, carroçaria jipe, com motores

Leia mais

* DECISÃO NORMATIVA Nº 32 *

* DECISÃO NORMATIVA Nº 32 * Aprovada na Direção Executiva em xx de Novembro de 2002, Homologada pelo Conselho Rodoviário do DAER em xx de Novembro de 2002, e publicada no Diário Oficial do Estado em xx de Novembro de 2002. * DECISÃO

Leia mais

DIRETORIA DE INFRA-ESTRUTURA RODOVIÁRIA COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS

DIRETORIA DE INFRA-ESTRUTURA RODOVIÁRIA COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS DIRETORIA DE INFRA-ESTRUTURA RODOVIÁRIA COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS GUIA PRÁTICO ( INSTRUÇÕES OPERACIONAIS ) 2007 ENGª JOYCE MARIA LUCAS SILVA DIRETORIA DE INFRA-ESTRUTURA RODOVIÁRIA / DIR

Leia mais

Resolução 363/2010 (processo administrativo autuação)

Resolução 363/2010 (processo administrativo autuação) Resolução 363/2010 (processo administrativo autuação) SEM ALTERAÇÕES (VIDE COMENTÁRIOS EM www.bizuario.blogspot.com E www.bizuario.com ). Resolução 364/2010 (dispositivo antifurto) Capítulo 1.12 696-31

Leia mais

Que competências, dados e informações são necessárias para estruturar e fazer funcionar um departamento de obtenção de AET`s

Que competências, dados e informações são necessárias para estruturar e fazer funcionar um departamento de obtenção de AET`s Que competências, dados e informações são necessárias para estruturar e fazer funcionar um departamento de obtenção de AET`s Competências Dimensionamento do veículo É o ato de deminar a melhor combinação

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL COORDENAÇÃO-GERAL DE OPERAÇÕES PORTARIA Nº 12, DE 26 DE MARÇO DE 2015 Dispõe sobre a restrição do trânsito de Combinações de Veículos de

Leia mais

LEGISLAÇÃO BRASILEIRA DE PESOS E DIMENSÕES

LEGISLAÇÃO BRASILEIRA DE PESOS E DIMENSÕES LEGISLAÇÃO BRASILEIRA DE PESOS E DIMENSÕES Por Neuto Gonçalves dos Reis 1 São freqüentes, no meio rodoviário, as referências à Lei da Balança. Na verdade, nunca existiu uma lei tratando especificamente

Leia mais

DELIBERAÇÃO Nº 38, DE 11 DE JULHO DE 2003

DELIBERAÇÃO Nº 38, DE 11 DE JULHO DE 2003 DELIBERAÇÃO Nº 38, DE 11 DE JULHO DE 2003 Dispõe sobre requisitos técnicos mínimos para a fiscalização da velocidade, de avanço de sinal vermelho e da parada sobre a faixa de pedestres de veículos automotores,

Leia mais

DECISÃO TÉCNICA DT-068/2006 R-02 TRANSPORTE DE POSTE E DE RESÍDUOS DE CONCRETO

DECISÃO TÉCNICA DT-068/2006 R-02 TRANSPORTE DE POSTE E DE RESÍDUOS DE CONCRETO DECISÃO TÉCNICA DT-068/2006 R-02 TRANSPORTE DE POSTE E DE RESÍDUOS DE CONCRETO DOCUMENTO NORMATIVO DECISÃO TÉCNICA TRANSPORTE DE POSTES E DE RESÌDUOS DE CONCRETO Código Página Revisão Emissão DT-068 I

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA DIRETORIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, PESQUISA E EXTENSÃO. CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA GESTÃO ESTRATÉGICA DE PROJETOS

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA DIRETORIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, PESQUISA E EXTENSÃO. CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA GESTÃO ESTRATÉGICA DE PROJETOS CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA DIRETORIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, PESQUISA E EXTENSÃO. CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA GESTÃO ESTRATÉGICA DE PROJETOS ACIDENTES COM TRANSPORTE DE CARGAS NA MG 010: ANÁLISE SOBRE ESTATÍSTICA

Leia mais

PORTARIA Nº 27, DE 07 DE MAIO DE 2002

PORTARIA Nº 27, DE 07 DE MAIO DE 2002 PORTARIA Nº 27, DE 07 DE MAIO DE 2002 O DIRETOR DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE TRÂNSITO - DENATRAN, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 19 da Lei 9.503, de 23 de setembro de 1997 que instituiu

Leia mais

ANEXO II ESPECIFICAÇÃO REQUERIDA AOS VEÍCULOS NA OPERAÇÃO DOS SERVIÇOS.

ANEXO II ESPECIFICAÇÃO REQUERIDA AOS VEÍCULOS NA OPERAÇÃO DOS SERVIÇOS. EDITAL CONCORRÊNCIA 01/2015 ANEXO II ESPECIFICAÇÃO REQUERIDA AOS VEÍCULOS NA OPERAÇÃO DOS SERVIÇOS. Este Anexo apresenta as especificações requeridas para os veículos que deverão compor a frota do Sistema

Leia mais

Veja com base num exemplo prático como se calculam a multas por excesso de peso com base na Resolução nº 258/07 do CONTRAN e Portaria 86 do DENATRAN

Veja com base num exemplo prático como se calculam a multas por excesso de peso com base na Resolução nº 258/07 do CONTRAN e Portaria 86 do DENATRAN Veja com base num exemplo prático como se calculam a multas por excesso peso com base na Resolução nº 258/07 do CONTRAN e Portaria 86 do DENATRAN EXEMPLO DE CÁLCULO DA MULTA POR EXCESSO DE PESO E1 E2 E3

Leia mais

PROPOSTA PARA INTERNALIZAÇÃO DOS ACORDOS DO MERCOSUL SOBRE PESOS E DIMENSÕES

PROPOSTA PARA INTERNALIZAÇÃO DOS ACORDOS DO MERCOSUL SOBRE PESOS E DIMENSÕES PROPOSTA PARA INTERNALIZAÇÃO DOS ACORDOS DO SOBRE PESOS E DIMENSÕES O acordo sobre pesos e dimensões de veículos em trânsito internacional entre os países do e do CONE SUL já foi incorporado às normas

Leia mais

ANEXO I SECRETARIA DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM

ANEXO I SECRETARIA DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM ANEXO I SECRETARIA DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM REQUERIMENTO DE AUTORIZAÇÃO ESPECÍFICA - AE Ilmo. Sr. Superintendente do Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de São Paulo,

Leia mais

BATALHÃO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA

BATALHÃO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA BATALHÃO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA 1) - Normas Gerais de Circulação e Conduta: a)- Trânsito é a utilização das vias por pessoas, veículos e animais, isolados ou em grupos, conduzidos ou não, para fins de circulação,

Leia mais

LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997

LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997 LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997 Institui o Código de Trânsito Brasileiro. CAPÍTULO IX DOS VEÍCULOS Seção II Da Segurança dos Veículos Art. 105. São equipamentos obrigatórios dos veículos, entre

Leia mais

Actros 2646 6x4. Actros 2546 6x2. Equipamentos de série. Aplicações. Aplicações

Actros 2646 6x4. Actros 2546 6x2. Equipamentos de série. Aplicações. Aplicações Equipamentos de série (mais os itens da cabina ) Segurança (mais os itens das cabinas e ) Ar-condicionado Suspensão traseira pneumática Freios a Disco Eletrônico; ABS (Antibloqueio das Rodas); ASR (Controle

Leia mais

DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES DIRETORIA EXECUTIVA

DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES DIRETORIA EXECUTIVA DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES DIRETORIA EXECUTIVA RESOLUÇÃO Nº 11, PUBLICADA NO D.O.U EM 25 DE OUTUBRO DE 2004 RETIFICADA EM 04/01/2005 E 16/06/2005 A Diretoria Executiva, na

Leia mais

Considerando a necessidade de aperfeiçoar e atualizar os requisitos de segurança para os veículos de carga nacionais e importados,

Considerando a necessidade de aperfeiçoar e atualizar os requisitos de segurança para os veículos de carga nacionais e importados, RESOLUÇÃO N o 323, DE 17 DE JULHO DE 2009 Estabelece os requisitos técnicos de fabricação e instalação de protetor lateral para veículos de carga. O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO CONTRAN, usando da competência

Leia mais

Baú Lonado (Sider) Características do Produto. Chassi

Baú Lonado (Sider) Características do Produto. Chassi Baú Lonado (Sider) Cortinas laterais em malha de PVC; Trilhos para abertura total das laterias; Agilidade na carga e decarga lateral; Características do Produto Chassi Constituído de longarinas tipo I,

Leia mais

LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO SÉRIE A DE SIMULADOS PRIMEIRO DOS 3 SIMULADOS PREVISTOS NA SÉRIE A

LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO SÉRIE A DE SIMULADOS PRIMEIRO DOS 3 SIMULADOS PREVISTOS NA SÉRIE A LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO SÉRIE A DE SIMULADOS PRIMEIRO DOS 3 SIMULADOS PREVISTOS NA SÉRIE A ASSUNTOS: DO REGISTRO DE VEÍCULOS DO LICENCIAMENTO DA HABILITAÇÃO RESOLUÇÕES 04,110, 168 e 205 01 Com relação ao

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 5.026, DE 2013 (Do Sr. Leopoldo Meyer)

PROJETO DE LEI N.º 5.026, DE 2013 (Do Sr. Leopoldo Meyer) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 5.026, DE 2013 (Do Sr. Leopoldo Meyer) Acrescenta inciso ao art. 105 da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, que institui o Código de Trânsito Brasileiro, para

Leia mais

Dispõe sobre o Sistema Viário Básico do Município de Nova Mutum e dá outras providências.

Dispõe sobre o Sistema Viário Básico do Município de Nova Mutum e dá outras providências. LEI COMPLENTAR Nº 136, DE 15 DE JULHO DE 2015 Dispõe sobre o Sistema Viário Básico do Município de Nova Mutum e dá outras providências. O Sr. Adriano Xavier Pivetta, Prefeito Municipal de Nova Mutum, Estado

Leia mais

Tabelas de Composições. Caminhões Volkswagen. Caminhões e Ônibus

Tabelas de Composições. Caminhões Volkswagen. Caminhões e Ônibus Tabelas de Composições Caminhões Volkswagen Caminhões e Ônibus Lei da Balança Peso do Veículo vazio Peso do Equipamento Consiste em um conjunto de artigos extraídos do Código de Trânsito Brasileiro e de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 201/06 LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO

RESOLUÇÃO Nº 201/06 LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO RESOLUÇÃO Nº 201/06 Dispõe sobre modificações de veículos previstas nos arts. 98 e 106 do Código de Trânsito Brasileiro e dá outras providências. O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO CONTRAN, usando da competência

Leia mais

RESOLUÇÃO N 495, DE 5 DE JUNHO DE 2014

RESOLUÇÃO N 495, DE 5 DE JUNHO DE 2014 RESOLUÇÃO N 495, DE 5 DE JUNHO DE 2014 Estabelece os padrões e critérios para a instalação de faixa elevada para travessia de pedestres em vias públicas. O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO CONTRAN, usando

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 277, DE 28 DE MAIO DE 2008

RESOLUÇÃO N.º 277, DE 28 DE MAIO DE 2008 RESOLUÇÃO N.º 277, DE 28 DE MAIO DE 2008 Dispõe sobre o transporte de menores de 10 anos e a utilização do dispositivo de retenção para o transporte de crianças em veículos. O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 146, DE 27 DE AGOSTO DE 2003 (com as alterações das Resoluções nº 165/04, nº 202/06 e nº 214/06)

RESOLUÇÃO Nº 146, DE 27 DE AGOSTO DE 2003 (com as alterações das Resoluções nº 165/04, nº 202/06 e nº 214/06) RESOLUÇÃO Nº 146, DE 27 DE AGOSTO DE 2003 (com as alterações das Resoluções nº 165/04, nº 202/06 e nº 214/06) Dispõe sobre requisitos técnicos mínimos para a fiscalização da velocidade de veículos automotores,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 416, DE 09 DE AGOSTO DE 2012.

RESOLUÇÃO Nº 416, DE 09 DE AGOSTO DE 2012. RESOLUÇÃO Nº 416, DE 09 DE AGOSTO DE 2012. Estabelece os requisitos de segurança para veículos de transporte de passageiros tipo micro-ônibus, categoria M2 de fabricação nacional e importado O CONSELHO

Leia mais

ALFREDO CARLOS ORPHÃO LOBO Presidente do Inmetro em Exercício

ALFREDO CARLOS ORPHÃO LOBO Presidente do Inmetro em Exercício MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria n.º 31, de 22 de janeiro de 2004. O PRESIDENTE

Leia mais

RESOLUÇÃO N, 396 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011

RESOLUÇÃO N, 396 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 RESOLUÇÃO N, 396 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 Dispõe sobre requisitos técnicos mínimos para a fiscalização da velocidade de veículos automotores, reboques e semirreboques, conforme o Código de Trânsito Brasileiro.

Leia mais

Considerando o que estabelece o inciso XXVI, do Art. 19 do Código de Trânsito Brasileiro.

Considerando o que estabelece o inciso XXVI, do Art. 19 do Código de Trânsito Brasileiro. PORTARIA N º 47, 29 de dezembro de 1998. O DIRETOR DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE TRÂNSITO- DENATRAN, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 19 da Lei 9.503, de 23 de setembro de 1997 que instituiu

Leia mais

PORTARIA DETRAN Nº 1.310, DE 1 DE AGOSTO DE 2014

PORTARIA DETRAN Nº 1.310, DE 1 DE AGOSTO DE 2014 PORTARIA DETRAN Nº 1.310, DE 1 DE AGOSTO DE 2014 A Diretora Vice Presidente, respondendo pelo expediente da Presidência do Departamento Estadual de Trânsito - DETRAN-SP, considerando as disposições dos

Leia mais

Sistema Cadastro Taras SCT

Sistema Cadastro Taras SCT Sistema Cadastro Taras SCT CONSIDERAÇÕES INICIAIS Senhor Contribuinte/Contador A Secretaria de Fazenda do Estado de Mato Grosso está implementando em seus principais pontos de fiscalização, inclusive Postos

Leia mais

GERENCIAMENTO DE VEÍCULOS

GERENCIAMENTO DE VEÍCULOS 1. OBJETIVO Estabelecer o procedimento padrão a ser implementado na Irapuru Transportes Ltda quanto ao gerenciamento (solicitação e programação) de veículos (carretas e cavalos) da frota própria bem como

Leia mais

Evolução dos métodos de pesagem e dos critérios de tolerância

Evolução dos métodos de pesagem e dos critérios de tolerância Lei da balança Evolução dos métodos de pesagem e dos critérios de tolerância Por Neuto Gonçalves dos Reis* Até chegar à atual Resolução n o 258/07, os métodos de pesagem e os critérios de tolerância percorreram

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 630, DE 2015 (Do Sr. Hildo Rocha)

PROJETO DE LEI N.º 630, DE 2015 (Do Sr. Hildo Rocha) *C0051829A* C0051829A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 630, DE 2015 (Do Sr. Hildo Rocha) Acrescenta dispositivo ao art. 105 da Lei nº 9.503, de 1997, que institui o Código de Trânsito Brasileiro,

Leia mais

Considerando a necessidade de aperfeiçoar e atualizar os requisitos de segurança para os veículos de carga nacionais e importados, resolve:

Considerando a necessidade de aperfeiçoar e atualizar os requisitos de segurança para os veículos de carga nacionais e importados, resolve: RESOLUÇÃO N o 152, DE 29 DE OUTUBRO DE 2003 Estabelece os requisitos técnicos de fabricação e instalação de pára-choque traseiro para veículos de carga. O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO CONTRAN, usando

Leia mais

Clipping. Diário Oficial da União - Seção 1 - páginas 26 a 30 Ano CL - Nº 110, terça-feira, 11 de junho de 2013 SEÇÃO 1 MINISTÉRIO DAS CIDADES

Clipping. Diário Oficial da União - Seção 1 - páginas 26 a 30 Ano CL - Nº 110, terça-feira, 11 de junho de 2013 SEÇÃO 1 MINISTÉRIO DAS CIDADES Veículo: Diário Oficial da União Data: 11/06/2013 Editoria: Ministério das Cidades Páginas: 26 a 30 Clipping Diário Oficial da União - Seção 1 - páginas 26 a 30 Ano CL - Nº 110, terça-feira, 11 de junho

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 62, DE 21 DE MAIO DE 1998

RESOLUÇÃO Nº 62, DE 21 DE MAIO DE 1998 RESOLUÇÃO Nº 62, DE 21 DE MAIO DE 1998 Estabelece o uso de pneus extralargos e define seus limites de peso de acordo com o Parágrafo único do art. 100 do Código de Trânsito Brasileiro. O CONSELHO NACIONAL

Leia mais

TENDÊNCIAS PARA O CONTROLE DE PESO DE VEÍCULOS NAS RODOVIAS

TENDÊNCIAS PARA O CONTROLE DE PESO DE VEÍCULOS NAS RODOVIAS ENQUALAB-2006 Encontro para a Qualidade de Laboratórios Rede Metrológica do Estado de São Paulo - REMESP 30 de maio a 01 de junho de 2006, São Paulo, Brasil. TENDÊNCIAS PARA O CONTROLE DE PESO DE VEÍCULOS

Leia mais

MARCOPOLO LANÇA NOVO ÔNIBUS VIALE BRT, O MAIS AVANÇADO PRODUZIDO NO BRASIL. Veículo utiliza conceitos inéditos de design, conforto e eficiência

MARCOPOLO LANÇA NOVO ÔNIBUS VIALE BRT, O MAIS AVANÇADO PRODUZIDO NO BRASIL. Veículo utiliza conceitos inéditos de design, conforto e eficiência MARCOPOLO LANÇA NOVO ÔNIBUS VIALE BRT, O MAIS AVANÇADO PRODUZIDO NO BRASIL Veículo utiliza conceitos inéditos de design, conforto e eficiência A Marcopolo lança o seu mais novo e moderno ônibus urbano,

Leia mais

Quadro comparativo da Medida Provisória nº 673, de 2015 (Projeto de Lei de Conversão nº 8, de 2015)

Quadro comparativo da Medida Provisória nº 673, de 2015 (Projeto de Lei de Conversão nº 8, de 2015) ( 2015) 1 Art. 24. Compete aos órgãos e entidades executivos de trânsito dos Municípios, no âmbito de sua circunscrição: Altera a Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997 - Código de Trânsito Brasileiro,

Leia mais

RESOLUÇAO 212, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2006, DO CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO CONTRAN Dispõe sobre a implantação do Sistema de Identificação Automática

RESOLUÇAO 212, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2006, DO CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO CONTRAN Dispõe sobre a implantação do Sistema de Identificação Automática RESOLUÇAO 212, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2006, DO CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO CONTRAN Dispõe sobre a implantação do Sistema de Identificação Automática de Veículos SINIAV em todo o território nacional. O

Leia mais

RTQ 32 - PÁRA-CHOQUE TRASEIRO DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS PARA O TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS - CONSTRUÇÃO, ENSAIO E INSTALAÇÃO

RTQ 32 - PÁRA-CHOQUE TRASEIRO DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS PARA O TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS - CONSTRUÇÃO, ENSAIO E INSTALAÇÃO RTQ 32 - PÁRA-CHOQUE TRASEIRO DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS PARA O TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS - CONSTRUÇÃO, ENSAIO E INSTALAÇÃO SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Siglas e Abreviaturas

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 2756/2014

PROJETO DE LEI Nº 2756/2014 PROJETO DE LEI Nº 2756/2014 EMENTA: DISPÕE SOBRE A OBRIGATORIEDADE DE DISPOSITIVO DE ALARME PARA CAMINHÃO COM CAÇAMBA BASCULANTE NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. Autor(es): Deputado

Leia mais

Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation

Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation Substitui a edição 01 do VBI de 05.2012. As alterações estão marcadas com um traço vertical (l) na margem. Nota: Sempre verifique a versão mais atualizada

Leia mais

SECRETARIA DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM SUPERINTENDÊNCIA

SECRETARIA DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM SUPERINTENDÊNCIA NORMA PARA CONCESSÃO DE AUTORIZAÇÃO ESPECIAL DE TRÂNSITO PARA VEÍCULOS OU COMBINAÇÃO DE VEÍCULOS UTILIZADOS NO TRANSPORTE DE CARGA INDIVISÍVEL E VEÍCULOS ESPECIAIS QUE NÃO SE ENQUADREM NOS LIMITES DE PESO

Leia mais

RESPOSTA TÉCNICA. Fabricação de cabines, carrocerias e reboques para outros veículos automotores, exceto caminhões e ônibus

RESPOSTA TÉCNICA. Fabricação de cabines, carrocerias e reboques para outros veículos automotores, exceto caminhões e ônibus RESPOSTA TÉCNICA Título Reboques Resumo Informações sobre reboques (carretas) e normas para fabricação. Palavras-chave Carreta; legislação; lei; reboque; semi-reboque Assunto Fabricação de cabines, carrocerias

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 169, de 17 de MARÇO de 2005.

RESOLUÇÃO Nº 169, de 17 de MARÇO de 2005. RESOLUÇÃO Nº 169, de 17 de MARÇO de 2005. Altera a Resolução nº 168/04, de 14 de dezembro de 2004, publicada no Diário Oficial da União nº 245, Secção I, Página 73, de 22 de dezembro de 2004. O CONSELHO

Leia mais

Volvo Trucks. Driving Progress. Novo Volvo VM. VOCACIONAL 6x4R / 8x4R

Volvo Trucks. Driving Progress. Novo Volvo VM. VOCACIONAL 6x4R / 8x4R Volvo Trucks. Driving Progress Novo Volvo VM VOCACIONAL 6x4R / 8x4R Força e capacidade acima da sua meta. O novo Volvo VM é um caminhão semipesado, confortável, seguro e o mais econômico da categoria.

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM

DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM NORMA PARA CONCESSÃO DE AUTORIZAÇÃO ESPECIAL DE TRÂNSITO AO VEÍCULO OU COMBINAÇÃO DE VEÍCULOS UTILIZADOS NO TRANSPORTE DE CARGA INDIVISÍVEL E VEÍCULOS ESPECIAIS QUE NÃO SE ENQUADREM NOS LIMITES DE PESO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 14/98 (com as alterações das Resoluções nº 87/99, nº 228/07, nº 259/07 e nº 279/08)

RESOLUÇÃO Nº 14/98 (com as alterações das Resoluções nº 87/99, nº 228/07, nº 259/07 e nº 279/08) RESOLUÇÃO Nº 14/98 (com as alterações das Resoluções nº 87/99, nº 228/07, nº 259/07 e nº 279/08) Estabelece os equipamentos obrigatórios para a frota de veículos em circulação e dá outras providências.

Leia mais

RESOLUÇÃO 261 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2007

RESOLUÇÃO 261 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2007 RESOLUÇÃO 261 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2007 Dispõe sobre a concessão de código de marca/modelo/versão para veículos e dá outras providências. O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO CONTRAN, usando da competência

Leia mais

GT PESO E DIMENSÕES PARA VEÍCULO DE CARGA ANEXO DA ATA DA 3ª REUNIÃO DO GT, DE 20/05/2015.

GT PESO E DIMENSÕES PARA VEÍCULO DE CARGA ANEXO DA ATA DA 3ª REUNIÃO DO GT, DE 20/05/2015. A TRS recomenda a redução da velocidade máxima das CVCs e informa que é importante a manutenção de distância segura para as CVCs atuais, alegando que as atuais combinações não atendem o requisito estabelecido

Leia mais

Mercedes-Benz lança novas opções para o transporte rodoviário de passageiros

Mercedes-Benz lança novas opções para o transporte rodoviário de passageiros Lançamento de ônibus Mercedes-Benz lança novas opções para o transporte rodoviário de passageiros Informação à imprensa 26 de agosto de 2014 Chassis O 500 RSD 6x2 e RSDD 8x2, com 2º eixo direcional de

Leia mais

ANO CLII Nº 101. Brasília DF, sexta-feira, 29 de maio de 2015 págs 100 à 103. MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA

ANO CLII Nº 101. Brasília DF, sexta-feira, 29 de maio de 2015 págs 100 à 103. MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANO CLII Nº 101 Brasília DF, sexta-feira, 29 de maio de 2015 págs 100 à 103. MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS Resolução nº 26, de 27 de maio de

Leia mais

provacao.com.br Legislação de Trânsito www.cursoaprovacao.com.br Visite o Portal dos Concursos Públicos www.cursoaprovacao.com.br

provacao.com.br Legislação de Trânsito www.cursoaprovacao.com.br Visite o Portal dos Concursos Públicos www.cursoaprovacao.com.br Polícia Rodoviária Federal Tele - Transmitido Mais de 360 aprovados na Receita Federal em 2006 67 das 88 vagas no AFRF no PR/SC 150 das 190 vagas no TRF no PR/SC 150 das 190 vagas no TRF Resoluções Prof.

Leia mais

O número N pode ser calculado pela seguinte expressão:

O número N pode ser calculado pela seguinte expressão: O CÁLCULO DO NÚMERO N Um dos fatores que influem no dimensionamento dos pavimentos flexíveis é o trafego que solicitará determinada via durante sua vida útil de serviço. As cargas que solicitam a estrutura

Leia mais

CONSIDERANDO o disposto no art. 14-A e no inciso IV do art. 26 da Lei nº 10.233, de 05 de junho de 2001;

CONSIDERANDO o disposto no art. 14-A e no inciso IV do art. 26 da Lei nº 10.233, de 05 de junho de 2001; RESOLUÇÃO ANTT Nº 1.737, de 21/11/2006 Estabelece procedimentos de registro e fiscalização, institui infrações e sanções referentes ao Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Carga - RNTRC,

Leia mais

Portaria 05/82 do DSV, de 14/07/82

Portaria 05/82 do DSV, de 14/07/82 Portaria 05/82 do DSV, de 14/07/82 O Diretor do Departamento de Operação do Sistema Viário - DSV, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei. Considerando que incumbe à autoridade de trânsito

Leia mais