MANUAL DO USUÁRIO EXTERNO. Principais Objetivos do Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito SIAET

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DO USUÁRIO EXTERNO. Principais Objetivos do Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito SIAET"

Transcrição

1 MANUAL DO USUÁRIO EXTERNO Introdução O Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito - SIAET é um sistema informatizado de prestação de serviços através da Internet, desenvolvido para solicitação, análise e expedição de Autorização Especial de Trânsito - AET, fornecendo-as diretamente pela Internet ou agilizando o processo daquelas que necessitam de estudo de viabilidade. Este manual irá auxiliar os transportadores, embarcadores e público em geral, denominados usuários externos, junto ao Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes DNIT. Principais Objetivos do Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito SIAET O Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito - SIAET tem como base o cadastro das restrições físicas das rodovias federais e a legislação regulatória. Fundamenta o processo de emissão de Autorização Especial de Trânsito - AET para transporte de cargas especiais, excepcionais e indivisíveis em peso e/ou dimensões. Tem como principais objetivos: - Cadastramento e Alteração dos dados dos usuários; - Solicitação de AET de acordo com a Resolução; - Emissão, Alteração e Cancelamento de AET.

2 Acessando o Sistema O endereço eletrônico na Internet para acesso do usuário externo ao Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito - SIAET é: No item SERVIÇOS, ao clicar em AUTORIZAÇÃO ESPECIAL DE TRÂNSITO AET, duas opções se apresentam ao usuário: Apresentação do SIAET; Emissão da AET. A tela de Apresentação do SIAET disponibiliza ao usuário uma série de informações sobre o Sistema, consolidadas num MENU. Versão 8.0 2

3 Ao clicar na opção Emitir sua Autorização Especial de Trânsito - AET, se o usuário estiver entrando pela primeira vez no Sistema, é necessário o preenchimento do formulário de cadastramento para entrada ao SIAET, onde o mesmo criará uma senha e obterá um código automatizado. Para solicitação e emissão da AET copie o código de segurança no retângulo apropriado, e informe, na Área de Acesso de Transportador, o código de acesso e senha. Clique em seguida na seta ao lado para prosseguir a operação. Nas resoluções que necessitam da aprovação do engenheiro, já cadastrado no DNIT, o mesmo terá acesso ao Sistema pela inclusão do seu CPF e senha na Área de Acesso de Engenheiro. Usuário - pessoa que opera o sistema. Senha - código fornecido pelo usuário para ter acesso ao sistema. Para retornar à tela anterior, clique em voltar. Versão 8.0 3

4 Cadastramento de Usuários Para cadastramento dos transportadores, embarcadores ou público em geral no Banco de Dados do Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito SIAET, devem ser preenchidos os campos em branco. O usuário deverá fornecer todas as informações solicitadas no formulário: Nome ou Razão Social - nome da pessoa jurídica, quando empresa, ou da pessoa física, quando autônomo; Nome Fantasia nome pelo qual a empresa é conhecida CNPJ/CPF número da inscrição da empresa no cadastro de pessoa jurídica ou física junto à secretaria da receita federal; Nº da Identidade número do documento de identificação da pessoa física; Órgão Expedidor sigla o órgão emissor do documento de identificação; Endereço local de residência da empresa ou da pessoa física; Bairro porção da área urbana de uma cidade; Cidade circunscrição territorial de um Estado; UF Sigla do Estado onde se localiza a cidade; CEP código de endereçamento postal local; DDD código da área do serviço telefônico; Telefone conjunto de números por intermédio dos quais se efetuam as ligações telefônicas; Fax número do sistema de comunicação que permite a transmissão e reprodução de imagens gráficas; endereço eletrônico para correspondência via internet; Home-Page página na internet onde a empresa divulga para seus clientes informações, serviços e/ou produtos; Representante Legal pessoa física ou firma comercial que desempenha a função do proprietário junto a matriz ou noutra praça. Senha palavra ou sinal combinado que dá acesso ao seu portador ao sistema, com no máximo 10 (dez) dígitos. Versão 8.0 4

5 Copie o Código de Segurança no retângulo apropriado e Clique em Enviar para concluir a operação. de acesso. Após o envio das informações será fornecido automaticamente ao usuário um código Caso o usuário deseje solicitar uma Autorização Especial de Trânsito - AET, selecione a opção Clique aqui para cadastrar uma AET. Para concluir a operação clique em Encerrar sessão. Para retornar à tela anterior, clique em voltar. Versão 8.0 5

6 Tela Principal Ao clicar na opção cadastrar uma Autorização Especial de Trânsito AET, o usuário cai na tela principal. Nessa tela deverá selecionar a Resolução na qual identifica o transporte de sua carga. Além disso, vai encontrar várias situações relativas à sua AET, tais como: consultar, emitir, alterar, copiar ou cancelar, além de permitir a impressão do boleto de pagamento, e a listagem de dados de interesse do transportador. Para retornar a tela anterior, clique em voltar. O boleto bancário será emitido para pagamento das seguintes taxas: - de emissão de AET: comum a todas as resoluções; - de utilização da via: somente para cargas acima de 74 toneladas referentes a resolução nº 11/04. Versão 8.0 6

7 A tela principal contém as seguintes opções: Resolução nº 577/81 do CONTRAN utilizada para transporte de cargas e equipamentos adaptados a suportes apropriados devidamente fixados na parte superior externa da carroceria desde que não ultrapasse uma altura máxima de 50 centímetros. Exemplo: transporte de Asa Delta, Escada e Outros. Resolução nº 210/06 do CONTRAN utilizada para veículos que possuem os limites estabelecidos de largura máxima de 2,60 metros, altura máxima de 4,40 centímetros, peso bruto de 45 toneladas e comprimento dependendo de sua configuração veicular. Exemplo: Carreta e caminhão baú fechado, Carreta Boiadeiro e assemelhados. A Resolução nº 210/06 pode ser classificada em: - Autorização Específica Definitiva - utilizada para veículos que tenham suas dimensões máximas dentro dos limites estabelecidos; - Autorização Especial Anual utilizada para veículos que excedam as dimensões máximas estabelecidas. Resolução nº 211/06 do CONTRAN utilizada para combinação de veículos ou veículos especiais destinados aos transportes de cargas divisíveis não superiores a 74 toneladas e 30 metros de comprimento. Exemplo: Caminhão do tipo Romeu e Julieta, Treminhão, TriTrem, RodoTrem, Bitrem. Resolução nº 75/98 do CONTRAN utilizada para veículos ou combinações de veículos construídos ou adaptados especialmente para transportes de automóveis, vans, ônibus, caminhões e similares. Exemplo: Cegonheiros; Resolução nº 82/98 do CONTRAN utilizada para transporte de passageiro em veículo de carga a título precário. Exemplo: transporte de passageiro entre localidades de origem e destino que estiverem situados em um mesmo município, municípios limítrofes, municípios de um mesmo Estado quando não houver linha regular de ônibus ou as linhas existentes não forem suficientes para suprir as necessidades daquelas comunidades; Resolução nº 213/06 do CONTRAN utilizada para transporte de contêiner. Resolução nº11/04 do DNIT utilizada para transportes de cargas indivisíveis e excedentes em peso e/ou dimensões. Exemplo de Cargas: Estruturas Metálicas, Transformadores, Guindastes, Perfuratrizes e Assemelhados. Consultar situação de Autorização Especial de Trânsito - Permite ao usuário verificar a situação da AET podendo se informar sobre correções ou cancelamentos. Emitir Autorização Especial de Trânsito permite ao usuário, após o preenchimento do formulário, análise e liberação pelos técnicos do Departamento Nacional de Infra- Estrutura Terrestre DNIT, emitir sua Autorização Especial de Trânsito, desde que esteja com as taxas pagas. Alterar Autorização Especial de Trânsito permite ao usuário alterar os dados de sua Autorização Especial de Trânsito AET desde que: Versão 8.0 7

8 - não tenha sido liberada ou cancelada pelos técnicos do DNIT; - seja referente à mesma resolução; Copiar Autorização Especial de Trânsito permite aproveitar uma AET cadastrada para gerar uma nova. Exemplo: Renovação da AET. Cancelar Autorização Especial de Trânsito permite ao usuário fazer o cancelamento de sua Autorização Especial de Trânsito AET nas seguintes condições: - não tenha sido liberada pelos técnicos do DNIT; - não tenham sido pagas as taxas de emissão da AET ou TUV Imprimir Boleto permite aos usuários imprimir o boleto bancário para pagamento relativo à AET cadastrada. Listar AETs do Transportador permite ao usuário listar todas as AETs que foram cadastradas, independente se a situação for cancelada, liberada, não liberada, em análise, analisada. Alterar Dados Cadastrais do Transportador permite ao usuário alterar as informações a respeito da empresa, transportador ou embarcador. Listar Trechos Rodoviários permite ao usuário salvar em seu computador o Plano Nacional de Viação PNV para fins de pesquisa do trecho a ser percorrido. Trechos liberados para trânsito noturno para uso na resolução 211/06 permite ao usuário visualizar os trechos rodoviários federais não delegados para trânsito noturno. Versão 8.0 8

9 Resolução nº 577/81 CONTRAN Resolução nº 577/81 - Dispõe sobre o transporte de cargas sobre a carroceria de veículos tipo automóveis, por exemplo: transporte de asa delta. Para solicitação da Autorização Especial de Trânsito AET, de acordo com esta Resolução, é necessário o preenchimento, pelo usuário, dos campos em branco, que contém os seguintes dados: Carga - tudo que pode ser transportado (o prazo de validade da AET para escadas é de 1 ano e outras cargas para 30 dias). Altura Total (veículo + carga) - medida vertical a partir do solo até o final da carga; Comprimento total - medida do tamanho horizontal do veículo somado com o excedente da carga, se houver excesso; Largura Total (veículo + carga) - medida lateral incluindo o excesso se houver; Peso Total (veículo + carga) - peso máximo que o veículo transmite ao pavimento, constituído da soma da tara mais a lotação; Excesso posterior ao pára-choque - comprimento da carga que ultrapassa a medida traseira do veículo; Excesso anterior ao pára-choque - comprimento da carga que ultrapassa a medida dianteira do veículo; Origem da Carga - município onde está iniciando o percurso; Destino da Carga - município onde será entregue a carga; Proprietário - pessoa física ou jurídica a quem pertence o veículo; Placa/UF - chapa metálica com o número de licença do automóvel; Tipo de veículo - modelo do veículo classificado como: simples, articulado ou com reboque; Marca - nome do fabricante do veículo; Ano - data da fabricação do veículo; Data de saída - dia, mês e ano do início da viagem; Local - município onde está sendo solicitada a AET; UF - Sigla do estado onde se localiza a cidade que está solicitando a AET. Versão 8.0 9

10 Copie o código de segurança e clique em Enviar para concluir a operação. Para retornar a tela anterior, clique em voltar. O usuário pode SALVAR TEMPORARIAMENTE as suas informações e completar o preenchimento do formulário, posteriormente, no momento que desejar. Ao realizar essa operação, o Sistema fornece um número para a sua AET e o seu cadastro fica em digitação. O retorno à digitação pode-se dar pelo clique na frase Voltar para a edição, ou pela escolha da opção alterar da tela principal. Após o envio da solicitação será emitido ao usuário o número da Autorização Especial de Trânsito AET e a opção para visualização e impressão do boleto bancário. A resolução nº 577/98 é automatizada, não necessitando de análise do técnico do DNIT. Para sua emissão é necessário o pagamento da taxa e confirmação deste pagamento ao SIAET através do sistema bancário. Versão

11 Resolução nº 210/06 CONTRAN Resolução nº 210/06 - Estabelece os limites de pesos e dimensões para veículos que transitem por vias terrestres, por exemplo: caminhão baú. Para a emissão da Autorização Especial de Trânsito - AET, segundo a resolução nº 210/98, o usuário deverá preencher os dados do veículo e do reboque, de acordo com os seguintes campos: Carga - descrição da carga a ser transportada; Marca - nome do fabricante do veículo; Modelo - representação característica do veículo; Tipo de veículo - modelo do veículo classificado como: simples, articulado ou com reboque; Direção - dispositivo hidráulico ou mecânico usado para conduzir o veículo; Ano - data da fabricação do veículo; Placa - chapa metálica com o número de licença do automóvel; Potência - capacidade de força desenvolvida num intervalo de tempo; CMT - capacidade máxima de tração: máximo peso que a unidade de tração é capaz de tracionar indicado pelo fabricante, baseado em condições sobre suas limitações de geração e multiplicação de momento de força e resistência dos elementos que compõem a transmissão; Nº do chassi - número da armação básica em que se firmam as partes de uma estrutura de um veículo, identificando-o; Nº do CRLV - número do código do registro de licenciamento do veículo; Nº do RENAVAM - número do registro nacional de veículos automotores; Data do Licenciamento - sucessão de dia, mês e ano em que se sucedeu o licenciamento. Licenciamento - procedimento anual, relativo a obrigações do proprietário do veículo, comprovado por meio de documento específico (Certificado de Licenciamento Anual) Tipo de tração - 4 x 2 ou 6 x 2 ou 6 x 4; Altura Total - distância do plano vertical a partir do solo até o ponto superior da carroceria; Largura Total - medida lateral incluindo o excesso se houver; Comprimento total - medida da parte anterior a posterior do veículo, somada ao ponto final do balanço traseiro; Peso do conjunto trator - peso máximo que a tara do veículo transmite ao pavimento; Versão

12 Peso do reboque - peso máximo que a tara do reboque transmite ao pavimento; Peso da carga - peso máximo que a lotação transmite ao pavimento; Peso Bruto Total Combinado (tara + carga) peso máximo transmitido ao pavimento pela combinação de um caminhão-trator mais seu semi reboque ou do caminhão mais o seu reboque ou reboques; Balanço traseiro - comprimento do balanço traseiro medido em metros; Veículo de tração - informar se cavalo trator ou caminhão; Número de eixos do Veículo Trator - quantidade de peças em torno da qual giram as rodas de um veículo; Número de eixos do Reboque - quantidade de peças em torno da qual giram as rodas de um reboque; Rodas - peças circulares que giram em torno de um eixo; Distância entre eixos - medida de centro a centro das rodas dos eixos dos extremos do veículo; 1º e 2º Reboque/Semi-reboque - informe qual configuração está sendo utilizada; Distância do último eixo do veículo trator ao primeiro eixo do reboque/semi-reboque - medida em metros do centro a centro das rodas dos eixos dos extremos do veículo trator ao primeiro ou ao 2º reboque/semi-reboque; Distância do último eixo do 1º reboque/semi-reboque para o primeiro eixo do 2º reboque/semi-reboque - medida em metros do centro a centro das rodas dos eixos dos extremos do 1º reboque/semi-reboque ao 2º reboque/semi-reboque; Botão Desenhar Veículo - ao clicar aparecerá o veículo com todos os eixos determinados pelo usuário; Número de Conjunto de eixos de cada veículo da composição - qualquer configuração de eixos desde que respeitados os limites máximos de peso estabelecidos pela resolução conforme quadro I; Tipo do conjunto de eixos - classificado automaticamente pelo Sistema como: Isolado, Duplo, Triplo ou Múltiplo; Tandem - dois ou mais eixos que constituam um conjunto integral de suspensão, podendo qualquer deles ser ou não motriz. O Sistema já analisa o tipo de conjunto de eixos devendo o usuário considerar ou não a existência dos eixos em tandem; Peso do conjunto de eixos - limite máximo de peso bruto total e peso bruto transmitido por conjunto de eixos, na superfície das vias públicas; Reboques e/ou semi-reboques complementares - cadastro de todos os reboques que possuem a mesma configuração veicular com o objetivo de emitir somente uma AET. Placa - chapa metálica com o número de licença do automóvel; Marca - fabricante do reboque e/ou semi-reboque; Modelo - representação característica do veículo; Versão

13 Ano - data da fabricação do veículo; Nº dos chassis - quantidade de números e letras que identificam o veículo; Nº do CRLV - número do código do registro de licenciamento do veículo; RENAVAM - número correspondente ao Registro Nacional de Veículos Auto Motores; Licenciamento - dia, mês e ano do vencimento do licenciamento do veículo; BR número da rodovia federal onde está localizado o trecho; Trecho - subdivisão de uma rodovia federal segundo o Plano Nacional de Viação - PNV Estado - divisão territorial de um país; Km Inicial - ponto na rodovia onde se inicia o percurso; Km final - ponto na rodovia onde termina o percurso; Local - município onde está sendo solicitada a AET; UF - Sigla do Estado onde se localiza a cidade que está solicitando a AET. Os limites máximos de peso bruto total e peso bruto transmitidos por eixo do veículo, nas superfícies das vias públicas, são os seguintes: PESO DO CONJUNTO VEICULAR 45 TONELADAS TIPO DE EIXO NÚMERO DE DISTÂNCIA ENTRE PESO POR EIXO (t) EIXO EM TANDEM POR CONJUNTO PNEUS EIXOS (m) ISOLADO 4 < 2,40 10 Não 2 < 2,40 6 Não TRIPLO 4 1,20 < d 2,40 25,5 Sim DUPLO 4 e 4 4 e 2 1,20 < d 2,40 17 Sim 1,20 < d 2,40 15 Não 1,20 9 Sim 1,20 < d 2,40 13,5 Sim 2 e 2 1,20 < d 2,40 12 Sim Quadro 1 Limites máximos de peso bruto total e peso bruto transmitidos por eixo do veículo, nas superfícies das vias públicas. Versão

14 Versão

15 Copie o código de segurança e clique em Enviar para concluir a operação.para retornar a tela anterior, clique em voltar. O usuário pode SALVAR TEMPORARIAMENTE as suas informações e completar o preenchimento do formulário, posteriormente, no momento que desejar. Ao realizar essa operação, o Sistema fornece um número para a sua AET e o seu cadastro fica em digitação. O retorno à digitação pode-se dar pelo clique na frase Voltar para a edição, ou pela escolha da opção alterar da tela principal. Após o envio da solicitação será emitido ao usuário o número da Autorização Especial de Trânsito - AET e a opção para visualização e impressão do boleto bancário. Para sua emissão é necessário o pagamento da taxa e confirmação desse pagamento ao SIAET pelo sistema bancário. Versão

16 Resolução nº 211/06 CONTRAN Resolução nº 211/06 - Dispõe sobre requisitos de segurança necessários à circulação de Combinação de Veículos de Carga - CVC, como por exemplo, caminhão do tipo Bitrem, Rodotrem, Romeu e Julieta, Treminhão, Tritrem; Para a emissão da Autorização Especial de Trânsito - AET, segundo a resolução nº 211/06, o usuário deverá preencher os dados da carga, do veículo e do reboque, de acordo com os seguintes campos: Tipo de Combinação Veicular: Bitrem 4 eixos, Bitrem 5 eixos invertido, Bitrem 5 eixos normal, Bitrem 6 eixos invertido, Bitrem 6 eixos normal, Bitrem 7 eixos, Bitrem 8 eixos invertido, Bitrem 8 eixos normal, Bitrem 9 eixos, Rodotrem 6 eixos, Rodotrem 7 eixos, Rodotrem 8 eixos, Rodotrem 9 eixos, Romeu e Julieta 4 eixos, Romeu e Julieta 5 eixos toco, Romeu e Julieta 5 eixos truck,romeu e Julieta 6 eixos, Romeu e Julieta 7 eixos, Treminhão 7 eixos, Treminhão 8 eixos e Treminhão 9 eixos; Engenheiro Responsável - profissional responsável pelas informações referentes à segurança do veículo. Esse engenheiro deverá estar devidamente cadastrado no Sistema e deverá aprovar a AET do transportador antes da sua análise pelo DNIT. Nº do CREA - número de identificação do profissional na sua entidade fiscalizadora; UF - Sigla do Estado onde se localiza a entidade fiscalizadora; U1 (Caminhão trator); Marca - fabricante do veículo trator e/ou reboque e/ou semi-reboque e/ou dolly; Modelo - representação característica do veículo trator e/ou reboque e/ou semireboque e/ou dolly; Tração - força que desloca o veículo trator; Ano Fabricação - ano da fabricação do veículo e/ou reboque e/ou semi-reboque e/ou dolly; Placa/UF - chapa metálica com o número de licença do veículo e/ou reboque e/ou semi-reboque e/ou dolly; Tara - Abatimento no peso do veículo e/ou reboque e/ou semi-reboque e/ou dolly; Potência - capacidade de força desenvolvida num intervalo de tempo; CMT - capacidade máxima de tração: máximo peso que a unidade de tração é capaz de tracionar indicado pelo fabricante, baseado em condições sobre suas limitações de geração e multiplicação de momento de força e resistência dos elementos que compõem a transmissão; Direção - dispositivo hidráulico ou mecânico usado para conduzir o veículo; Carroceria (Tipo U2, U3 ou U4) - Estrutura do veiculo, montada sobre o chassi, onde são transportadas as cargas; Versão

17 BR - número da rodovia federal onde está localizado o trecho; Trecho - subdivisão de uma rodovia federal segundo o Plano Nacional de Viação - PNV; Estado - divisão territorial de um país; Km Inicial - ponto na rodovia onde se inicia o percurso; Km final - ponto na rodovia onde termina o percurso; Comprimento Máximo - soma das medidas do veículo mais a carga; PBTC - Peso Bruto Total Combinado - peso máximo transmitido ao pavimento pelo caminhão -trator mais seus, reboques semi-reboques e a carga; Reboques e/ou Semi-reboques complementares: nesse campo deverão ser informados a placa, marca, modelo, ano de fabricação, carroceria, tara(t), com mesmas configurações que possibilite emitir somente uma AET. Local - município onde está sendo solicitada a AET; UF - Sigla do Estado onde se localiza a cidade que está solicitando a AET. Versão

18 Versão

19 Copie o código de segurança e clique em Enviar para concluir a operação. Para retornar a tela anterior, clique em voltar. O usuário pode SALVAR TEMPORARIAMENTE as suas informações e completar o preenchimento do formulário, posteriormente, no momento que desejar. Ao realizar essa operação, o Sistema fornece um número para a sua AET e o seu cadastro fica em digitação. O retorno à digitação pode-se dar pelo clique na frase Voltar para a edição, ou pela escolha da opção alterar da tela principal. Após o envio da solicitação será emitido ao usuário o número da Autorização Especial de Trânsito AET, assim como, a opção para visualização e impressão do boleto bancário, e do arquivo para o preenchimento da planilha do estudo veicular na qual deverá ser enviada para o do informando o número da AET de referência. Versão

20 Resolução nº 75/98 CONTRAN Resolução nº 75/98 - Estabelece requisitos de segurança necessários à circulação de Combinações para Transportes de Veículos - CTV, como por exemplo: transporte de veículo tipo cegonheiro. Para a emissão da Autorização Especial de Trânsito - AET, segundo a resolução nº 75/98, o usuário deverá preencher os dados do veículo e do reboque, de acordo com os seguintes campos: Engenheiro Responsável - profissional responsável pelas informações referentes à segurança do veículo. Esse engenheiro deverá estar devidamente cadastrado no Sistema e deverá aprovar a AET do transportador antes da sua análise pelo DNIT. Nº do CREA/UF - número de identificação do profissional na sua entidade fiscalizadora; Proprietário do veículo - pessoa física ou jurídica a quem pertence o veículo; Tipo de veículo - modelo do veículo classificado como: simples, articulado ou com reboque; Marca - fabricante do veículo; Modelo - representação característica do veículo; Ano - data da fabricação do veículo; Placa - chapa metálica com o número de licença do automóvel; Nº dos chassis - quantidade de números e letras que identificam o veículo; Nº do CRLV - número do código do registro de licenciamento do veículo; CMT - capacidade máxima de tração: máximo peso que a unidade de tração é capaz de tracionar indicado pelo fabricante, baseado em condições sobre suas limitações de geração e multiplicação de momento de força e resistência dos elementos que compõem a transmissão; Potência unidade tratora - capacidade de força desenvolvida num intervalo de tempo pela unidade tratora; Deverá ser verificado a distribuição de carga por eixo conforme a Resolução nº 210/06 do Conselho Nacional de Trânsito - CONTRAN; Altura Total (veículo + carga) - medida vertical a partir do solo até o final da carga, em metros; Largura Total (veículo + carga) - distância entre os extremos do veículo e da carga no plano horizontal, em metros; Distância entre eixos extremos - distância entre o primeiro eixo e o último eixo do veículo, em metros; Versão

21 Balanço dianteiro - comprimento do balanço dianteiro medido em metros; Balanço traseiro - comprimento do balanço traseiro medido em metros; Comprimento total - medida do tamanho horizontal do veículo somado com o excedente da carga, se houver excesso; Peso Bruto Total - peso máximo transmitido ao pavimento pelo caminhão-trator mais seu semi reboques,reboques e a carga; Direção - dispositivo hidráulico ou mecânico usado para conduzir o veículo; Reboques e/ou Semi-Reboques - cadastro de todos os reboques que possuem a mesma configuração veicular com o objetivo de emitir somente uma AET. Placa - chapa metálica com o número de licença do automóvel; Marca - fabricante do reboque e/ou semi-reboque; Modelo - representação característica do veículo; Ano - data da fabricação do veículo; Nº dos chassis - quantidade de números e letras que identificam o veículo; Nº do CRLV - número do código do registro de licenciamento do veículo; RENAVAM - número correspondente ao Registro Nacional de Veículos Auto Motores; Licenciamento - dia, mês e ano do vencimento do licenciamento do veículo; Configuração; Veículo de tração; Número de rodas do Veículo Trator - quantidade de peças em torno da qual giram as rodas de um veículo; Número de rodas do Reboque - quantidade de peças em torno da qual giram as rodas de um reboque; Rodas - peças circulares que giram em torno de um eixo; Distância entre eixos - medida de centro a centro das rodas dos eixos dos extremos do veículo; 1º e 2º Reboque/Semi-reboque - informe qual configuração está sendo utilizada; Distância do último eixo do veículo trator ao primeiro eixo do reboque/semi-reboque - medida em metros do centro a centro das rodas dos eixos dos extremos do veículo trator ao primeiro ou ao 2º reboque/semi-reboque; Distância do último eixo do 1º reboque/semi-reboque para o primeiro eixo do 2º reboque/semi-reboque - medida em metros do centro a centro das rodas dos eixos dos extremos do 1º reboque/semi-reboque ao 2º reboque/semi-reboque; Botão Desenhar Veículo - ao clicar aparecerá o veículo com todos os eixos determinados pelo usuário; Versão

22 Número de Conjunto de eixos de cada veículo da composição - qualquer configuração de eixos desde que respeitados os limites máximos de peso estabelecidos pela resolução conforme quadro I; Tipo do conjunto de eixos - classificado automaticamente pelo Sistema como: Isolado, Duplo, Triplo ou Múltiplo; Tandem - dois ou mais eixos que constituam um conjunto integral de suspensão, podendo qualquer deles ser ou não motriz. O Sistema já analisa o tipo de conjunto de eixos devendo o usuário considerar ou não a existência dos eixos em tandem; Peso do conjunto de eixos - limite máximo de peso bruto total e peso bruto transmitido por conjunto de eixos, na superfície das vias públicas; Local - município onde está sendo solicitada a AET; UF - Sigla do Estado onde se localiza a cidade que está solicitando a AET. Versão

23 Versão

24 Copie o código de segurança e clique em Enviar para concluir a operação. Para retornar a tela anterior, clique em voltar. O usuário pode SALVAR TEMPORARIAMENTE as suas informações e completar o preenchimento do formulário, posteriormente, no momento que desejar. Ao realizar essa operação, o Sistema fornece um número para a sua AET e o seu cadastro fica em digitação. O retorno à digitação pode-se dar pelo clique na frase Voltar para a edição, ou pela escolha da opção alterar da tela principal. Após o envio da solicitação será emitido ao usuário o número da Autorização Especial de Trânsito AET e a opção para visualização e impressão do boleto bancário. Para a emissão da AET é necessário o pagamento da taxa e confirmação desse pagamento ao SIAET pelo do sistema bancário. Versão

25 Resolução nº 82/98 CONTRAN Resolução nº 82/98 - Dispõe sobre a autorização, a título precário, para o transporte de passageiros em veículos de cargas. Para a emissão da Autorização Especial de Trânsito - AET, segundo a resolução nº 82/98, o usuário deverá preencher os dados do veículo e o motivo da viagem, de acordo com os seguintes campos: Proprietário do veículo - pessoa física ou jurídica a quem pertence o veículo; Nº do CRLV - número do código do registro de licenciamento do veículo; Nº da Vistoria - número do documento de vistoria realizado pela autoridade competente para conceder a AET; Motivo da autorização - selecionar uma única opção de I ao V; Número de passageiros a serem transportados - informar a quantidade de passageiros a serem transportados; Origem - município onde está iniciando o percurso; Destino - município onde está finalizado o percurso; Comprimento da carroceria - medida da parte anterior a posterior da carroceria; Itinerário a ser percorrido - informação sobre a BR, trecho, Estado, Km inicial e Km final; Local - município onde está sendo solicitada a AET; UF - Sigla do Estado onde se localiza a cidade que está solicitando a AET. Versão

26 Copie o código de segurança e clique em Enviar para concluir a operação. Para retornar a tela anterior, clique em voltar. Versão

27 O usuário pode SALVAR TEMPORARIAMENTE as suas informações e completar o preenchimento do formulário, posteriormente, no momento que desejar. Ao realizar essa operação, o Sistema fornece um número para a sua AET e o seu cadastro fica em digitação. O retorno à digitação pode-se dar pelo clique na frase Voltar para a edição, ou pela escolha da opção alterar da tela principal. Após o envio da solicitação será emitido ao usuário o número da Autorização Especial de Trânsito AET e a opção para visualização e impressão do boleto bancário. Para a emissão da AET é necessário o pagamento da taxa e confirmação desse pagamento ao SIAET pelo do sistema bancário. Versão

28 Resolução nº 213/06 CONTRAN Resolução nº 213/06 - Dispõe sobre a autorização para o transporte de contêiner com altura superior a 4,40m e inferior ou igual a 4,60m. Para a emissão da Autorização Especial de Trânsito - AET, segundo a resolução nº 213/06, o usuário deverá preencher os dados do veículo e o motivo da viagem, de acordo com os seguintes campos: Pesos e dimensões do conjunto; Altura Total (m) - medida vertical a partir do solo até o final da carga, em metros; Largura Total (m) - distância entre os extremos do veículo e da carga no plano horizontal, em metros; Comprimento Total (m) - medida do tamanho horizontal do veículo; Peso do Conjunto Trator (t) - tara do cavalo trator; Peso do reboque (t) - tara do reboque; Peso da carga (t) - peso máximo que a lotação transmite ao pavimento; Peso Bruto Total Combinado (t) - peso máximo transmitido ao pavimento pelo caminhão - trator mais seu semi - reboques,reboques e a carga; Número de eixos - neste campo o usuário deverá informar o número de eixos do cavalo e do reboque e/ou semi-reboque, se houver; Número de rodas ou pneus - informe o número de pneus por eixo e a distância entre eixos; Distância do último eixo do veículo trator para o primeiro eixo do 1º reboque/semi-reboque - distância medida em metros; Botão Desenhar Veículo - ao clicar aparecerá o veículo com todos os eixos determinados pelo usuário; Período - tempo de duração da Autorização Especial de Trânsito informada no formulário de impressão da AET; Número de Conjunto de Eixos - qualquer configuração de eixos desde que respeitados os limites máximos de peso estabelecidos pela resolução; Tipo do conjunto de eixos - classificado automaticamente pelo Sistema como: Isolado, Duplo, Triplo ou Múltiplo; Tandem - dois ou mais eixos que constituam um conjunto integral de suspensão, podendo qualquer deles ser ou não motriz. O Sistema já analisa o tipo de conjunto de eixos devendo o usuário considerar ou não a existência dos eixos em tandem; Versão

29 Peso(ton) - peso por eixo informado em toneladas; Reboques e/ou Semi-Reboques - cadastro de todos os reboques que possuem a mesma configuração veicular com o objetivo de emitir somente uma AET. Placa - chapa metálica com o número de licença do automóvel; Marca - fabricante do reboque e/ou semi-reboque; Modelo - representação característica do veículo; Ano - data da fabricação do veículo; Nº dos chassis - quantidade de números e letras que identificam o veículo; Nº do CRLV - número do código do registro de licenciamento do veículo; RENAVAM - número correspondente ao Registro Nacional de Veículos Auto Motores; Licenciamento - dia, mês e ano do vencimento do licenciamento do veículo; Local - município onde está sendo solicitada a AET; UF - Sigla do Estado onde se localiza a cidade que está solicitando a AET; Versão

30 Copie o código de segurança e clique em Enviar para concluir a operação. Para retornar a tela anterior, clique em voltar. O usuário pode SALVAR TEMPORARIAMENTE as suas informações e completar o preenchimento do formulário, posteriormente, no momento que desejar. Ao realizar essa operação, o Sistema fornece um número para a sua AET e o seu cadastro fica em digitação. O retorno à digitação pode-se dar pelo clique na frase Voltar para a edição, ou pela escolha da opção alterar da tela principal. Versão

31 Após o envio da solicitação será emitido ao usuário o número da Autorização Especial de Trânsito AET e a opção para visualização e impressão do boleto bancário. Para a emissão da AET é necessário o pagamento da taxa e confirmação desse pagamento ao SIAET pelo do sistema bancário. Versão

32 Resolução nº 11/04 DNIT Resolução nº 11/04 - Dispõe sobre o transporte de cargas indivisíveis e excedentes em peso e/ou dimensões e para trânsito de veículos especiais. Para a emissão da Autorização Especial de Trânsito - AET, o usuário deverá preencher os dados da carga, do veículo e do reboque, segundo a Resolução nº 11/04, incluindo o número de eixos, número de conjunto de eixos, nome da rodovia, trecho a ser percorrido, estado a que pertence com os quilômetros da rodovia. O novo layout da Resolução nº 11/04 facilita o preenchimento do cadastro pelo usuário em blocos de informações. Dados Iniciais Tipo de AET - se de pessoa física ou jurídica ou se de interesse público. Carga - tudo que pode ser transportado como carga indivisível; Proprietário da Carga - pessoa física ou jurídica a quem pertence a carga; Percurso / Trechos Rodoviários Informar se o percurso é para todo território nacional ou se com percurso definido. Dependendo da configuração veicular e peso, será exigido o percurso. Origem - município onde está iniciando o percurso, com a indicação da unidade da federação; Destino - município onde será entregue a carga, com a indicação da unidade da federação; Percurso Total distância em quilômetros a ser percorrido (esse campo é gerado automaticamente pelo Sistema, quando da indicação do km inicial e do km final dos trechos rodoviários); BR - número da rodovia federal onde está localizado o trecho; Trecho - subdivisão de uma rodovia federal segundo o Plano Nacional de Viação - PNV; Estado - UF correspondente à BR a ser percorrida; Km Inicial - quilômetro inicial da BR a ser percorrida; Km Final - quilômetro final da BR a ser percorrida; Botão incluir - clique quando finalizar o cadastro do trecho a ser percorrido. Versão

33 Reboques e/ou Semi-Reboques Complementares Reboques e/ou Semi-Reboques - cadastro de todos os reboques que possuem a mesma configuração e característica veicular com o objetivo de emitir somente uma AET. Placa - chapa metálica com o número de licença do automóvel; Marca - fabricante do reboque e/ou semi-reboque; Modelo - representação característica do veículo; Ano - data da fabricação do veículo; Nº do chassi - quantidade de números e letras que identificam o veículo; Nº do CRLV - número do código do registro de licenciamento do veículo; RENAVAM - número correspondente ao Registro Nacional de Veículos Automotores; Licenciamento - dia, mês e ano do vencimento do licenciamento do veículo; Configuração do Conjunto Transportador Dados do Veículo Proprietário do veículo - nome correspondente ao proprietário, seja ele pessoa física ou jurídica; Veículo Gôndola ou Viga - tipo de base de sustentação da carga sobre o reboque e/ou semi-reboque; Marca - fabricante do conjunto transportador (unidade tratora + reboques e/ou semi/reboques; Modelo - representação característica do veículo; Ano de Fabricação - ano de fabricação do veículo; Placa - chapa metálica com o número de licença do veículo; Direção Informar se hidráulica ou mecânica; Potência - potência do veículo medida em cavalo vapor; Medidas longitudinais (em metros) Excesso Anterior ao Pára-brisa informar o excesso que ultrapassa o pára-brisa do caminhão. Número de Eixos da cada Veículo da Composição - Informar para cada caminhãotrator e para cada reboque/semi-reboque, o nº de eixos, o nº de pneus e a distância entre eixos. a) Somatório das distâncias entre eixos O Sistema calcula automaticamente a distância entre eixos de acordo com o especificado no item anterior. Versão

34 b) Excesso Traseiro - comprimento da carga que ultrapassa o limite da carroceria do veículo; c) Excesso Dianteiro comprimento da carga que ultrapassa o limite do pára-choque dianteiro do veículo; d) Distância entre o primeiro eixo do trator ao pára-choque dianteiro; e) Distância entre o último eixo da carroceria ao pára-choque traseiro; f) Distância do último eixo do 1º Trator para o primeiro eixo do 2º trator ou 1º reboque/semi-reboque; g) Distância do último eixo do 2º Trator para o primeiro eixo do 1º reboque/semireboque; h) Distância do último eixo do 1º Reboque/Semi-reboque para o primeiro eixo do 2º Reboque/Semi-reboque; i) Comprimento do Conjunto (veículo+carga) - O Sistema calcula automaticamente essa medida pela somatória dos itens (a+b+c+d+e+f+g+h); j) Comprimento do Veículo - O Sistema calcula automaticamente essa medida, pela diferença entre o comprimento do conjunto e os comprimentos referentes aos excessos traseiro e dianteiro (i) - (a+b). Comprimento da carga - medida do comprimento total da carga; Guindaste - informe sim ou não; Desenho Esquemático do Conjunto Botão Desenhar Veículo - ao clicar aparecerá o veículo com todos os eixos determinados pelo usuário; Medidas transversais (em metros) a) Largura do veículo: corresponde à largura do veículo sem a carga; b) Excesso Lateral Esquerdo - corresponde ao excesso da carga à esquerda do veículo; c) Excesso Lateral Direito - corresponde ao excesso da carga à direita do veículo; Largura Total (veículo + carga) O Sistema calcula automaticamente essa medida pelo somatório dos itens a+b+c. Altura Total (em metros) Altura Total (veículo + carga) corresponde à altura medida do veículo com a carga. Versão

35 Distribuição do Peso (em toneladas) Capacidade máxima de tração (CMT) - máximo peso que a unidade de tração é capaz de tracionar indicado pelo fabricante, baseado em condições sobre suas limitações de geração e multiplicação de momento de força e resistência dos elementos que compõem a transmissão, que não poderá ser inferior ao PBTC; a) Peso da Carga peso máximo que a lotação transmite ao pavimento; b) Peso da 1ª unidade de tração peso máximo que a tara do veículo transmite ao pavimento; c) Peso da 2ª unidade de tração peso máximo que o segundo veículo transmite ao pavimento; d) Peso da Carreta1 peso máximo que a tara da carreta 1 transmite ao pavimento; e) Peso da Carreta 2 peso máximo que a tara da carreta 2 transmite ao pavimento; f) Peso dos Acessórios e Contrapeso indicar o peso dos acessórios e contrapeso; Peso Bruto Total Combinado (tara+carga) - O Sistema calcula automaticamente essa medida pelo somatório dos itens a+b+c+d+e+f. Corresponde ao peso máximo transmitido ao pavimento pelo caminhão-trator mais seus semi-reboques, reboques e a carga; Peso por Conjunto de Eixos (em toneladas) Número de Conjunto de Eixos - qualquer configuração de eixos desde que respeitados os limites máximos de peso estabelecidos pela resolução; Tipo - o sistema informará se o eixo é isolado, duplo, triplo ou múltiplo de acordo com as distâncias entre eixos informadas. Peso informar o peso por eixo; Engenheiro Responsável Técnico Dependendo das dimensões e peso da carga poderá haver a necessidade do usuário indicar o engenheiro responsável técnico pela segurança do veículo, já devidamente cadastrado no DNIT. Com a indicação do CPF são gerados automaticamente pelo Sistema os demais dados do engenheiro (CREA Nº, UF CREA e NOME). Se os dados do engenheiro estiverem corretos o Sistema fornece ao usuário três informações: 1. O engenheiro informado está cadastrado no DNIT; 2. Ao clicar no botão ENVIAR sua AET será automaticamente encaminhada ao engenheiro, sendo necessário o contato do usuário com o mesmo para solicitar aprovação da sua AET; 3. Sua AET só será analisada pelo DNIT após aprovação do engenheiro. Versão

36 Versão

37 Copie o código de segurança e clique em Enviar para concluir a operação. Para retornar a tela anterior, clique em voltar. O usuário pode SALVAR TEMPORARIAMENTE as suas informações e completar o preenchimento do formulário, posteriormente, no momento que desejar. Ao realizar essa operação, o Sistema fornece um número para a sua AET e o seu cadastro fica em digitação. O retorno à digitação pode-se dar pelo clique na frase Voltar para a edição, ou pela escolha da opção alterar da tela principal. Após o envio da solicitação será emitido ao usuário o número da Autorização Especial de Trânsito AET e a opção para visualização e impressão do boleto bancário. Para a emissão da AET é necessário o pagamento da taxa e confirmação desse pagamento ao SIAET pelo do sistema bancário. Versão

38 Mensagem de Envio de Autorização Especial de Trânsito AET Após o envio da solicitação e análise prévia pelo SIAET, conforme a resolução pertinente,será fornecido ao solicitante o número da AET. Esse número é necessário para acompanhamento do processo de análise e emissão da AET. Para retornar a tela anterior, clique em voltar. Versão

39 Consultar Situação de Autorização Especial de Trânsito Para consultar a situação da Autorização Especial de Trânsito - AET, o usuário deverá informar nos campos em branco o número e o ano da solicitação, e logo após clicar na seta ao lado. Aparecerá uma mensagem informando em qual situação de análise da AET se encontra com base nas informações do próprio sistema e dos analistas do DNIT, bem como a UF da Superintendência Regional que fará a análise. Neste campo o sistema e o analista do DNIT informarão ao Transportador / Embarcador quais ações deverão ser tomadas para que a respectiva AET seja liberada. Como exemplo, abaixo resultado de consulta de uma AET pelo Transportador: Para retornar a tela anterior, clique em voltar. Versão

40 Emitir Autorização Especial de Trânsito AET Para a emissão da Autorização Especial de Trânsito - AET, o usuário deverá informar nos campos em branco o número e o ano da solicitação, e logo após clicar na seta ao lado. A AET será emitida se estiver com as taxas pagas e informadas ao SIAET pelo Sistema Bancário e liberada pelos técnicos do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes DNIT. Para retornar a tela anterior, clique em voltar. Versão

41 Alterar Autorização Especial de Trânsito - AET Caso haja necessidade de alterar alguma informação na Autorização Especial de Trânsito - AET, é necessário informar o número e o ano da AET, em seguida clicar na seta ao lado. Para retornar a tela anterior, clique em voltar. Versão

42 Copiar Autorização Especial de Trânsito Para copiar uma autorização especial de trânsito basta informar o número de uma AET já emitida, clicar no botão de envio, alterar os dados desejados e clicar em enviar. Para retornar a tela anterior, clique em voltar. Versão

43 Cancelar Autorização Especial de Trânsito AET Para cancelar a Autorização Especial de Trânsito - AET deve-se informar no campo em branco, o número e o ano da solicitação a seguir clique na seta ao lado. O sistema pede a confirmação do cancelamento, tendo como opções as alternativas sim ou não. Para retornar a tela anterior, clique em voltar. Versão

44 O usuário receberá um aviso de confirmação do cancelamento da AET informando o êxito da operação. Para retornar a tela anterior, clique em voltar. Versão

45 Imprimir Boleto Bancário Um condicionante para emissão da Autorização Especial de Trânsito - AET é a confirmação do pagamento da Taxa de Autorização Especial de Trânsito ou Tarifa de Utilização da Via - TUV. Para emissão do boleto bancário informe o número da AET. Versão

46 Os dados da transportadora, o número da AET emitida e a que se refere o pagamento aparecerão automaticamente no boleto bancário. As informações deverão ser verificadas e o boleto impresso pelo usuário para o pagamento junto ao banco. Para retornar feche a janela. Para imprimir clique em imprimir. Versão

47 Listar AET do Transportador A consulta permite listar todas as AET emitidas por situação, ano, mês e resolução, bastando escolher as opções. Para retornar a tela anterior, clique em voltar. Versão

48 Alterar os Dados Cadastrais do Transportador Para alterar os dados cadastrais do transportador o usuário deverá clicar na opção Alterar os Dados Cadastrais do Transportador contida na Tela Principal. Os dados podem ser modificados por meio de um clique no campo desejado e a substituição do mesmo. Para retornar a tela anterior, clique em voltar. Clique em Enviar para concluir a operação. O sistema confirma as alterações dos dados e fornece novamente o primeiro código de acesso, permitido o acesso a Tela Principal. Versão

49 Listar Trechos Rodoviários Informações das BR nos estados, com seus Quilômetros Inicio e Fim, para auxilio na inclusão de trecho nos formulários. Para retornar a tela anterior, clique em voltar. Versão

50 Trechos liberados para trânsito noturno para uso da resolução 211/06 Permite ao usuário visualizar os trechos rodoviários federais não delegados para trânsito noturno. Para tanto basta clicar na opção correspondente onde será visualizado o relatório abaixo: Versão

51 Algumas Mensagens de Erro no ato do preenchimento da AET Quando a Autorização Especial de Trânsito - AET não estiver de acordo com os parâmetros da resolução solicitada o sistema descreverá o erro de envio da solicitação, dentre eles: - Trecho solicitado não está de acordo com o Plano Nacional de Viação - PNV. - Dimensões de altura, largura e/ou comprimento do veículo não está de acordo com a resolução; - Peso Bruto Total Combinado PBTC está acima dos limites estabelecidos pela resolução; - Distribuição de carga por eixo não está de acordo com os parâmetros estabelecidos pela resolução; - Número de conjuntos veiculares incorreto; - CMT menor que o PBTC não é permitido; - A falta do Engenheiro na AET correspondente; - Tentar emitir uma AET para todo o território nacional se as dimensões e pesos não se enquadram; - Digitar incorretamente a imagem de segurança localizada no rodapé do formulário; - Tentar imprimir mais de 2 vezes a AET; - Tentar imprimir uma AET sem ter pago a taxa; - Esquecer de clicar no botão Desenhar Veículo; - Entre outros; Versão

52 Versão

53 Para retornar a tela anterior, clique em OK, voltar ou retorna, dependendo da tela que o usuário estiver. Versão

MANUAL DO USUÁRIO EXTERNO. Principais Objetivos do Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito SIAET

MANUAL DO USUÁRIO EXTERNO. Principais Objetivos do Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito SIAET MANUAL DO USUÁRIO EXTERNO Introdução O Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito - SIAET é um sistema informatizado de prestação de serviços através da Internet, desenvolvido para solicitação,

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO INTERNO. Principais Objetivos do Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito SIAET

MANUAL DO USUÁRIO INTERNO. Principais Objetivos do Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito SIAET MANUAL DO USUÁRIO INTERNO Introdução O Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito SIAET é um sistema informatizado de prestação de serviços através da internet, desenvolvido para solicitação,

Leia mais

HOME AGENDA DO TRC LEGISLAÇÃO PEDÁGIO PISOS SALARIAIS INDICADORES AET CLASSIFICADOS CONTATO

HOME AGENDA DO TRC LEGISLAÇÃO PEDÁGIO PISOS SALARIAIS INDICADORES AET CLASSIFICADOS CONTATO HOME AGENDA DO TRC LEGISLAÇÃO PEDÁGIO PISOS SALARIAIS INDICADORES AET CLASSIFICADOS CONTATO Quadro resumo da nova Legislação de Pesos e Dimensões com validade a partir de 01/01/2007, quando foram revogadas

Leia mais

Elygerson Alves Alvarez FABET

Elygerson Alves Alvarez FABET Legislação Elygerson Alves Alvarez FABET FABET Fundação Adolpho Bósio de Educação no Transporte Desde 1997 Legislação de Trânsito Leis da Balança Rodovia Castelo Branco, km 66,5 - Loteamento Dona Catarina,

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE TRANSPORTE DE CARGA EM RODOVIAS NO RIO GRANDE DO SUL

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE TRANSPORTE DE CARGA EM RODOVIAS NO RIO GRANDE DO SUL DEFINIÇÕES 2. Para efeito destas Perguntas e Respostas, ficam estabelecidas as seguintes definições: 2.1. Balanço Traseiro é a distância compreendida entre o último eixo traseiro e o plano vertical que

Leia mais

b) veículos com reboque ou semi-reboque, exceto caminhões: 39,5 t;

b) veículos com reboque ou semi-reboque, exceto caminhões: 39,5 t; Limites de peso bruto em função do comprimento: O peso bruto total ou peso bruto total combinado, respeitando os limites da capacidade máxima de tração - CMT da unidade tratora determinada pelo fabricante

Leia mais

ANEXO I SECRETARIA DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM

ANEXO I SECRETARIA DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM ANEXO I SECRETARIA DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM REQUERIMENTO DE AUTORIZAÇÃO ESPECÍFICA - AE Ilmo. Sr. Superintendente do Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de São Paulo,

Leia mais

Estrada de Rodagem Lei de Balança

Estrada de Rodagem Lei de Balança Estrada de Rodagem Lei de Balança Prof. Dr. Rodrigo de Alvarenga Rosa rodrigoalvarengarosa@gmail.com (27) 9941-3300 1 Modo Rodoviário - Pesos e Dimensões A legislação vigente para pesos e dimensões dos

Leia mais

NUMERO N 1 INTRODUCAO

NUMERO N 1 INTRODUCAO NUMERO N 1 INTRODUCAO A disciplinação de cargas por eixo no Brasil foi introduzida pelo Estado de São Paulo, em 1960, que introduziu lei sobre o peso bruto dos veículos. Em 1961, o governo Federal baixou

Leia mais

D I R E T O R I A D E I N F R A - E S T R U T U R A R O D O V I Á R I A COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS

D I R E T O R I A D E I N F R A - E S T R U T U R A R O D O V I Á R I A COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS D I R E T O R I A D E I N F R A - E S T R U T U R A R O D O V I Á R I A COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS QUADRO DE FABRICANTES DE VEÍCULOS OUTUBRO / 2009 ÍNDICE: ITEM DESCRIÇÃO 01. Introdução...

Leia mais

1. INSTALAÇÃO DO SISTEMA. 3 2. PRIMEIRO LOGIN. 8 3. ATUALIZAÇÃO DO SISTEMA. 12 4. DESINSTALAÇÃO DO SISTEMA. 14 5. EXCLUIR DADOS. 15 6.

1. INSTALAÇÃO DO SISTEMA. 3 2. PRIMEIRO LOGIN. 8 3. ATUALIZAÇÃO DO SISTEMA. 12 4. DESINSTALAÇÃO DO SISTEMA. 14 5. EXCLUIR DADOS. 15 6. Índice 1. INSTALAÇÃO DO SISTEMA...3 2. PRIMEIRO LOGIN...8 3. ATUALIZAÇÃO DO SISTEMA...12 4. DESINSTALAÇÃO DO SISTEMA...14 5. EXCLUIR DADOS...15 6. APRESENTAÇÃO DO EXTRANET...17 6.1 Sistema DESCONECTADO...18

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO RESOLUÇÃO Nº 210 DE 13 DE NOVEMBRO DE 2006

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO RESOLUÇÃO Nº 210 DE 13 DE NOVEMBRO DE 2006 MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO RESOLUÇÃO Nº 210 DE 13 DE NOVEMBRO DE 2006 Estabelece os limites de peso e dimensões para veículos que transitem por vias terrestres e dá outras providências.

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA AQUISIÇÃO

PROCEDIMENTOS PARA AQUISIÇÃO PROCEDIMENTOS PARA AQUISIÇÃO Acesse o site www.teubilhete.com.br, selecione a opção Teu Online, e clique no botão, preencha o formulário com os dados de sua empresa. Reúna duas vias impressas do Contrato

Leia mais

SISTEMA DE CADASTRO DE TARAS - SCT

SISTEMA DE CADASTRO DE TARAS - SCT SISTEMA DE CADASTRO DE TARAS - SCT 1 O contribuinte e o contabilista terão acesso ao Sistema de Cadastro de Taras SCT, através do Menu Principal conforme tela abaixo: Figura 1 2 Posteriormente, ao clicar

Leia mais

FISCALIZAÇÃO DO EXCESSO DE PESO NAS RODOVIAS FEDERAIS CONCEDIDAS. Manual de Operação

FISCALIZAÇÃO DO EXCESSO DE PESO NAS RODOVIAS FEDERAIS CONCEDIDAS. Manual de Operação FISCALIZAÇÃO DO EXCESSO DE PESO NAS RODOVIAS FEDERAIS CONCEDIDAS Manual de Operação 4ª Edição Versão Agosto/2009 1 ÍNDICE 1. Introdução 1.1 O Manual 1.2 A Importância do Controle do Excesso de Peso 2.

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997. Mensagem de veto Vide texto compilado Institui o Código de Trânsito Brasileiro. O PRESIDENTE

Leia mais

GERENCIAMENTO DE VEÍCULOS

GERENCIAMENTO DE VEÍCULOS 1. OBJETIVO Estabelecer o procedimento padrão a ser implementado na Irapuru Transportes Ltda quanto ao gerenciamento (solicitação e programação) de veículos (carretas e cavalos) da frota própria bem como

Leia mais

DEAMB DIVISÃO DE EMERGÊNCIAS AMBIENTAIS

DEAMB DIVISÃO DE EMERGÊNCIAS AMBIENTAIS DIVISÃO DE INFORMAÇÃO E SISTEMATIZAÇÃO DEAMB DIVISÃO DE EMERGÊNCIAS AMBIENTAIS MANUAL DO LICENCIAMENTO ON-LINE DE FONTES MÓVEIS DE POLUIÇÃO TRANSPORTE DE PRODUTOS E/OU RESÍDUOS PERIGOSOS VERSÃO 2015 INTRODUÇÃO

Leia mais

ALFREDO CARLOS ORPHÃO LOBO Presidente do Inmetro em Exercício

ALFREDO CARLOS ORPHÃO LOBO Presidente do Inmetro em Exercício MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria n.º 31, de 22 de janeiro de 2004. O PRESIDENTE

Leia mais

Manual do Usuário - Cliente Externo

Manual do Usuário - Cliente Externo Versão 3.0 SGCL - Sistema de Gestão de Conteúdo Local SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 1.1. Referências... 4 2. COMO ESTÁ ORGANIZADO O MANUAL... 4 3. FUNCIONALIDADES GERAIS DO SISTEMA... 5 3.1. Acessar a Central

Leia mais

Espaço do Coordenador

Espaço do Coordenador Espaço do Coordenador Guia de utilização Versão 2.5 PARTE 6: Pedidos de pessoal 2 SUMÁRIO 8.4 PEDIDOS DE PESSOAL... 6 8.4.1 CLT... 7 8.4.2 ESTAGIÁRIO... 17 8.4.3 AUTÔNOMO... 26 8.4.4 VALE ALIMENTAÇÃO/REFEIÇÃO...

Leia mais

Manual do Usuário. SIGAI - versão 1.3. I Funcionalidades do Módulo Internet

Manual do Usuário. SIGAI - versão 1.3. I Funcionalidades do Módulo Internet Manual do Usuário SIGAI - versão 1.3 I Funcionalidades do Módulo Internet 1 Conteúdo PARTE1- MÓDULO INTERNET...4 ACESSANDO O SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ADOÇÃO INTERNACIONAL - SIGAI NA INTERNET...4 SOLICITAÇÃO

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS QUANTO A UTILIZAÇÃO DO SUBSISTEMA DE CONTROLE DE EXPEDIÇÃO DE DOCUMENTOS/SGA

MANUAL DE PROCEDIMENTOS QUANTO A UTILIZAÇÃO DO SUBSISTEMA DE CONTROLE DE EXPEDIÇÃO DE DOCUMENTOS/SGA MANUAL DE PROCEDIMENTOS QUANTO A UTILIZAÇÃO DO SUBSISTEMA DE CONTROLE DE EXPEDIÇÃO DE DOCUMENTOS/SGA DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO DE SECRETARIA GERAL SERVIÇO DE COMUNICAÇÕES ADMINISTRATIVAS

Leia mais

a) Peso Bruto Total Combinado - PBTC igual ou inferior a 74 toneladas;

a) Peso Bruto Total Combinado - PBTC igual ou inferior a 74 toneladas; RESOLUÇÃO CONTRAN Nº 211, de 13/11/2006 Requisitos necessários à circulação de Combinações de Veículos de Carga - CVC, a que se referem os arts. 97, 99 e 314 do Código de Trânsito Brasileiro - CTB. O CONSELHO

Leia mais

Cadastro de Transportadora

Cadastro de Transportadora Cadastro de Transportadora Para realizar o cadastro de uma transportadora proceda da seguinte forma: Acesse o módulo Administrativo. Clique no menu Cadastro em seguida clique na opção Transportadora e

Leia mais

Sistema de Recolhimentos

Sistema de Recolhimentos Divisão de Arrecadação DIAR/CFI/PRAD Sistema de Recolhimentos Manual do Usuário Contribuinte NTI Núcleo de Tecnologia da Informação 1. Sistema de Recolhimentos A Guia de Recolhimentos da União, ou GRU,

Leia mais

Como oferto um lance. Clique nas opções abaixo para ser direcionado ao passo a passo: ATENDIMENTO. - Como oferto um lance?

Como oferto um lance. Clique nas opções abaixo para ser direcionado ao passo a passo: ATENDIMENTO. - Como oferto um lance? Clique nas opções abaixo para ser direcionado ao passo a passo: ATENDIMENTO - Como oferto um lance? - Como imprimo 2ª via de boleto ao cliente? - Como realizo uma transferência de cota? - Onde consulto

Leia mais

SLEA SISTEMA DE LICENCIAMENTO ELETRÔNICO DE ATIVIDADES DA PREFEITURA DE SÃO PAULO

SLEA SISTEMA DE LICENCIAMENTO ELETRÔNICO DE ATIVIDADES DA PREFEITURA DE SÃO PAULO SLEA SISTEMA DE LICENCIAMENTO ELETRÔNICO DE ATIVIDADES DA PREFEITURA DE SÃO PAULO Manual passo-a-passo para obtenção do Auto de Licença de Funcionamento/ Auto de Licença de Funcionamento Condicionado Eletrônico

Leia mais

DIRETORIA DE INFRA-ESTRUTURA RODOVIÁRIA COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS

DIRETORIA DE INFRA-ESTRUTURA RODOVIÁRIA COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS DIRETORIA DE INFRA-ESTRUTURA RODOVIÁRIA COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS GUIA PRÁTICO ( INSTRUÇÕES OPERACIONAIS ) 2007 ENGª JOYCE MARIA LUCAS SILVA DIRETORIA DE INFRA-ESTRUTURA RODOVIÁRIA / DIR

Leia mais

Manual sistema Laundry 4.0

Manual sistema Laundry 4.0 Manual sistema Laundry 4.0 Sistema para serviços de Lavanderia Comércios Empresa responsável Novacorp informática Fone (41) 3013-1006 E-mail marcio@novacorp.com.br WWW.novacorp.com.br Sumario 1 Este manual

Leia mais

Manual do Registro de Saída da Nota Fiscal Eletrônica. Procedimentos e Especificações Técnicas

Manual do Registro de Saída da Nota Fiscal Eletrônica. Procedimentos e Especificações Técnicas Manual do Registro de Saída da Nota Fiscal Eletrônica Procedimentos e Especificações Técnicas Versão 1.01 Maio 2012 ÍNDICE INTRODUÇÃO GERAL... 3 MODELO OPERACIONAL... 4 REGISTRO DE SAÍDA - SITUAÇÃO NORMAL...

Leia mais

Sistema de Cobrança Eletrônica para Clientes do Banco do Nordeste Sistema de Cobrança Eletrônica para Clientes Cobrança BNB

Sistema de Cobrança Eletrônica para Clientes do Banco do Nordeste Sistema de Cobrança Eletrônica para Clientes Cobrança BNB Pág. 1 Sistema de Cobrança Eletrônica para Clientes Cobrança BNB Pág. 2 Instalação o o o o Baixar o Setup v3.5.38.exe disponível no site do BNB Executando o aplicativo aparecerá a imagem abaixo Clique

Leia mais

Busca Por Nome da Empresa:

Busca Por Nome da Empresa: CERTIDÃO ESPECÍFICA Ao escolher o Tipo de Certidão Específica, será exibida uma breve definição da certidão simplificada e a tabela de preços. Após escolher o tipo de certidão desejada, clique no botão.

Leia mais

SAV - SISTEMA DE AGENDAMENTO DE VEÍCULOS

SAV - SISTEMA DE AGENDAMENTO DE VEÍCULOS SAV - SISTEMA DE AGENDAMENTO DE VEÍCULOS Introdução ao SAV Prezado Cliente SAV - Sistema de Agendamento de Veículos visa prover as empresas de transporte de um rápido, eficiente e consistente nível de

Leia mais

Passo a Passo do Cadastro Funcionários no SIGLA Digital

Passo a Passo do Cadastro Funcionários no SIGLA Digital Passo a Passo do Cadastro Funcionários no SIGLA Digital Funcionários Página 1 de 12 O cadastro de funcionários permite cadastrar o usuário que vai utilizar o SIGLA Digital e também seus dados pessoais.

Leia mais

TUTORIAL ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS

TUTORIAL ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS TUTORIAL ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS Brasília/DF Agosto/2015 3 4 Sumário 1 Menu Cadastro.... 8 1.1 Cadastro de Entidade... 9 1.2 Cadastro de Atividade... 10 1.3 Cadastro de Participante... 15 2 Menu Execução...

Leia mais

Manual do Sistema HDI Online / Worksite (Circulação: Corretoras parceiras da HDI Seguros )

Manual do Sistema HDI Online / Worksite (Circulação: Corretoras parceiras da HDI Seguros ) Manual do (Circulação: Corretoras parceiras da HDI Seguros ) HDI Seguros Departamento de Produto Automóvel Produto Auto Magda Dioclecio Martins 01 1/47 1. Introdução 1.1. Objetivo Aplicabilidades múltiplas

Leia mais

ASSISTÊNCIA 24 HORAS PARA MOTO Para Veículo Sem Restrição de Ano de Fabricação

ASSISTÊNCIA 24 HORAS PARA MOTO Para Veículo Sem Restrição de Ano de Fabricação ASSISTÊNCIA 24 HORAS PARA MOTO Para Veículo Sem Restrição de Ano de Fabricação Condições Gerais da Prestação de Serviços do Plano 1. OBJETO DOS SERVIÇOS 1.1. Os serviços de assistência 24 horas a veículos

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇO ELETRÔNICA (NFS-e) Acesso ao Sistema - Pessoa Física

NOTA FISCAL DE SERVIÇO ELETRÔNICA (NFS-e) Acesso ao Sistema - Pessoa Física Acesso ao Sistema - Pessoa Física Página 2 de 37 Índice ÍNDICE... 2 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS... 4 1.1. DEFINIÇÃO... 4 1.2. OBRIGATORIEDADE DE EMISSÃO DA NFS-E... 4 1.3. CONTRIBUINTES IMPEDIDOS DA EMISSÃO

Leia mais

Considerando que é dever do Estado prover a concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições:

Considerando que é dever do Estado prover a concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Instituto Nacional de Metrologia,Normalização e Qualidade Industrial - Inmetro Portaria n.º 158, de 29 de agosto de 2005. O PRESIDENTE

Leia mais

PROCEDIMENTO DO CLIENTE

PROCEDIMENTO DO CLIENTE PROCEDIMENTO DO CLIENTE Título: Manual da Loja Virtual. Objetivo: Como anunciar produtos e acompanhar as vendas. Onde: Empresa Quem: Cliente Quando: Início Através deste manual, veremos como anunciar e

Leia mais

Orientações para os procedimentos de cadastro e inscrição em nosso site.

Orientações para os procedimentos de cadastro e inscrição em nosso site. Orientações para os procedimentos de cadastro e inscrição em nosso site. Atenção: Os dados que aparecem nas imagens abaixo, são meramente ilustrativos, naturalmente os dados que devem ser visualizados,

Leia mais

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Geral. Núcleo de Tecnologia da Informação

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Geral. Núcleo de Tecnologia da Informação Divisão de Almoxarifado DIAX/CGM/PRAD Manual do Sistema de Almoxarifado Geral Versão On-Line Núcleo de Tecnologia da Informação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Manual do Sistema de Almoxarifado

Leia mais

Instruções de Preenchimento para Inscrição ao ENEM 2010

Instruções de Preenchimento para Inscrição ao ENEM 2010 Instruções de Preenchimento para Inscrição ao ENEM 2010 Para realizar a inscrição ao ENEM 2010, o participante deve ter em mãos seus documentos pessoais: CPF e RG. Além disso, a informação correta do CEP

Leia mais

Sumário PANORAMA... 6 APRESENTAÇÃO... 6 PORTAL GISSONLINE... 7 ACESSO PARA CONTRIBUINTES COM IDENTIFICAÇÃO E SENHA... 8

Sumário PANORAMA... 6 APRESENTAÇÃO... 6 PORTAL GISSONLINE... 7 ACESSO PARA CONTRIBUINTES COM IDENTIFICAÇÃO E SENHA... 8 Sumário PANORAMA... 6 APRESENTAÇÃO... 6 O QUE É GISSONLINE?... 6 FILOSOFIA DA GISSONLINE... 6 BENEFÍCIOS QUE A GISSONLINE OFERECE... 6 PORTAL GISSONLINE... 7 ACESSO PARA CONTRIBUINTES COM IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA GOVERNO DE BIGUAÇU SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA GUIA DE ORIENTAÇÕES. NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS (NFS-e)

ESTADO DE SANTA CATARINA GOVERNO DE BIGUAÇU SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA GUIA DE ORIENTAÇÕES. NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS (NFS-e) ESTADO DE SANTA CATARINA GOVERNO DE BIGUAÇU SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA GUIA DE ORIENTAÇÕES NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS (NFS-e) Diretoria Geral de Tributos Biguaçu, Janeiro de 2012 INTRODUÇÃO

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07 MANUAL DO SISTEMA Versão 6.07 Configurando o Módulo... 3 Contas... 3 Conta Caixa... 5 Aba Geral... 5 Aba Empresas... 8 Conta Banco... 9 Aba Geral... 9 Aba Conta Banco... 10 Aba Empresas... 12 Tipos de

Leia mais

Gerenciador de Ambiente Laboratorial - GAL Versão 1.0.7 Manual do Usuário

Gerenciador de Ambiente Laboratorial - GAL Versão 1.0.7 Manual do Usuário Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Informática do SUS DATASUS Gerenciador de Ambiente Laboratorial GAL Versão 1.0.7 Página 1 de 70 Gerenciador de Ambiente Laboratorial - GAL Usuário

Leia mais

MUNICÍPIO DE ESTEIO SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-E MANUAL DE ACESSO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO ON-LINE

MUNICÍPIO DE ESTEIO SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-E MANUAL DE ACESSO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO ON-LINE MUNICÍPIO DE ESTEIO SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-E MANUAL DE ACESSO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO ON-LINE Versão 1.0.5 Março/2014 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO... 6 2.

Leia mais

Guia Rápido do Usuário

Guia Rápido do Usuário CERTIDÕES UNIFICADAS Guia Rápido do Usuário CERTUNI Versão 1.0.0 CASA DA MOEDA DO BRASIL Conteúdo Acessando o Sistema... 3 Alterando Senhas... 3 Encerrando sua Sessão... 4 Gerando Pedido... 4 Alterando

Leia mais

Gerenciamento de Deslocamentos e Viagens

Gerenciamento de Deslocamentos e Viagens MANUAL: Gerenciamento de Deslocamentos e Viagens Administrador do Sistema de Viagens Versão: 1.0 Sumário Apresentação... 1 1. Acesso ao sistema... 2 2. Perfis do sistema... 2 3. Configurando o sistema

Leia mais

AJUDA - FORMULÁRIO DE PROPOSTA ON-LINE - AVG

AJUDA - FORMULÁRIO DE PROPOSTA ON-LINE - AVG AJUDA - FORMULÁRIO DE PROPOSTA ON-LINE - AVG Esse é o manual para auxílio ao preenchimento do formulário de propostas on-line para a modalidade de Auxílio Participação em Eventos Científicos AVG. INFORMAÇÕES

Leia mais

2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 1

2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 1 2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 1 2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 2 AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

Leia mais

TELA INICIAL: BOTÕES INICIAIS:

TELA INICIAL: BOTÕES INICIAIS: Sumário 1. Tela Inicial... 02 2. Venda [F1]... 03 a. Cliente [F2]... 03 b. Importar [F9]... 04 c. Produtos [F3]... 04 d. Fechamento [F4]... 05 e. Impressão, Ponto de Referência e Observações... 07 f. Consulta

Leia mais

MÓDULO 3 Cadastros básicos

MÓDULO 3 Cadastros básicos MÓDULO 3 Cadastros básicos Agora que você já conhece o SCAWEB, demonstraremos como realizar os cadastros básicos do HÓRUS. Inicialmente, você precisará acessar o HÓRUS com o email e senha cadastrados no

Leia mais

MANUAL PARA SOLICITAÇÃO DO CERTIFICADO DIGITAL

MANUAL PARA SOLICITAÇÃO DO CERTIFICADO DIGITAL MANUAL PARA SOLICITAÇÃO DO CERTIFICADO DIGITAL Agosto / 2015 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 IMPORTANTE ANTES DE SOLICITAR O CERTIFICADO DIGITAL... 3 SOLICITAÇÃO DO CERTIFICADO DIGITAL... 4 APRESENTAÇÃO DOS

Leia mais

Passo a Passo dos Relatórios de Venda no Sigla Digital

Passo a Passo dos Relatórios de Venda no Sigla Digital Passo a Passo dos Relatórios de Venda no Sigla Digital Relatório de Vendas Página 1 de 7 Este é um dos principais módulos do Sigla Digital. Utilizado para gerar relatórios das vendas realizadas pelo Orçamento

Leia mais

CDV. GID Desmanches. Manual do Usuário. Praça dos Açorianos, s/n - CEP 90010-340 Porto Alegre, RS (051) 3210-3100 http:\\www.procergs.com.

CDV. GID Desmanches. Manual do Usuário. Praça dos Açorianos, s/n - CEP 90010-340 Porto Alegre, RS (051) 3210-3100 http:\\www.procergs.com. CDV GID Desmanches Manual do Usuário Praça dos Açorianos, s/n - CEP 90010-340 Porto Alegre, RS (051) 3210-3100 http:\\www.procergs.com.br Sumário Administração... 1 Favoritos... 12 Fornecedor... 21 Cadastro...

Leia mais

MÓDULO DE DECLARAÇÃO DE RENDIMENTOS DECORE MANUAL Versão 2.0

MÓDULO DE DECLARAÇÃO DE RENDIMENTOS DECORE MANUAL Versão 2.0 CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE MÓDULO DE DECLARAÇÃO DE RENDIMENTOS DECORE MANUAL Versão 2.0 Spiderware Consultoria em Informática Rua Mayrink Veiga, 11 / 804 Rio de Janeiro RJ CEP 20090-050 Tel. 0 (XX)

Leia mais

SISTEMA CADASTRO INTEGRADO MANUAL DO USUÁRIO DAS ENTIDADES ESTADUAIS E MUNICIPAIS, PREFEITURA E CORPO DE BOMBEIROS

SISTEMA CADASTRO INTEGRADO MANUAL DO USUÁRIO DAS ENTIDADES ESTADUAIS E MUNICIPAIS, PREFEITURA E CORPO DE BOMBEIROS SISTEMA CADASTRO INTEGRADO MANUAL DO USUÁRIO DAS ENTIDADES ESTADUAIS E MUNICIPAIS, PREFEITURA E CORPO DE BOMBEIROS Abril / 2008 1 INDICE Objetivo do Sistema de Registro de Contribuinte na Junta Comercial...3

Leia mais

O sistema CNEs/MJ é composto pelo CNEs/Web e CNEs/ Prestação de contas.

O sistema CNEs/MJ é composto pelo CNEs/Web e CNEs/ Prestação de contas. Material de apoio Material de apoio Informações Gerais O sistema CNEs/MJ é composto pelo CNEs/Web e CNEs/ Prestação de contas. O acesso ao CNEs/Web é realizado pelo site do CNES no endereço: www.mj.gov.br/cnes

Leia mais

Sugerimos cada IMPLEMENTADOR ter cópia do texto original das leis, resoluções e normas referentes ao tipo de implementação que executa.

Sugerimos cada IMPLEMENTADOR ter cópia do texto original das leis, resoluções e normas referentes ao tipo de implementação que executa. Cap. 3 - Regulamentação ÍNDICE 01 - Introdução 02 - Lei da Balança 03 - Lei 9.503/97 Código de Trânsito Brasileiro de 23/09/97 04 - Como andar dentro da lei 05 - PBT (Peso Bruto Total) 06 - PBTC (Peso

Leia mais

Manual do Fornecedor/cedente (MPE) Balcão Financeiro

Manual do Fornecedor/cedente (MPE) Balcão Financeiro Manual do Fornecedor/cedente (MPE) Balcão Financeiro Painel de recebíveis e Painel de linhas de crédito Versão 1.0 1 As informações contidas neste documento, incluindo quaisquer URLs e outras possíveis

Leia mais

SISDEX SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS EXPEDIDOS

SISDEX SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS EXPEDIDOS - MDA - SPOA - CGMI SISDEX SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS EXPEDIDOS MANUAL DO USUÁRIO Administrador do Sistema BRASÍLIA, AGOSTO DE 2007 Versão 1.0 SISDEX SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS EXPEDIDOS

Leia mais

COMO FAZER ENTRADA DE MATERIAL POR XML. Após abrir o sistema, localize o menu no canto superior esquerdo e clique em Movimentação > Entrada Material

COMO FAZER ENTRADA DE MATERIAL POR XML. Após abrir o sistema, localize o menu no canto superior esquerdo e clique em Movimentação > Entrada Material COMO FAZER ENTRADA DE MATERIAL POR XML Observação: O arquivo XML da nota fiscal deve estar salvo em seu computador. Se o seu fornecedor não enviou o arquivo por e-mail, você pode obter o arquivo pela internet,

Leia mais

MANUAL OPERACIONAL Sistema de Cadastro Único 7

MANUAL OPERACIONAL Sistema de Cadastro Único 7 MANUAL OPERACIONAL Sistema de Cadastro Único 7 Versão Preliminar 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...4 1.1 Apresentação...4 1.2 Organização e uso do manual...4 1.3 Dúvidas e canais de atendimento...4 2 VISÃO GERAL

Leia mais

Sistema de Gerenciamento de Projetos V 1.01 MANUAL DO COORDENADOR

Sistema de Gerenciamento de Projetos V 1.01 MANUAL DO COORDENADOR Roteiro para utilização do GEP Versão de referência: GEP V1.00 Índice analítico I Apresentação... 2 I.1 Controles básicos do sistema;... 2 I.2 Primeiro acesso... 2 I.3 Para trocar a senha:... 3 I.4 Áreas

Leia mais

Sistema Serviço de Valet

Sistema Serviço de Valet Sistema Serviço de Valet Manual do Usuário Página 1 Sistema Serviço de Valet Manual do Usuário Versão 1.0.0 Sistema Serviço de Valet Manual do Usuário Página 2 Índice 1. Informações gerais... 3 2. Passo-a-passo...

Leia mais

1.2.1. Legislação referente ao Patrimônio Cultural Brasileiro

1.2.1. Legislação referente ao Patrimônio Cultural Brasileiro O CNART Bem vindo(a) ao CNART! Este sistema foi desenvolvido pelo IPHAN para registrar os negociantes e agentes de leilão que comercializam objetos com valor histórico e artístico no país. Apresentamos,

Leia mais

Manual de Instalação e Utilização do Sistema Integrado de Secretária (SIS 1.0)

Manual de Instalação e Utilização do Sistema Integrado de Secretária (SIS 1.0) Parte:Manual Atualização: OriginalPágina 1 Manual de Instalação e Utilização do Sistema Integrado de Secretária () Instalação Se houver alguma versão do FireBird Instalada na máquina desinstale antes de

Leia mais

DIRETORIA DE INFRA-ESTRUTURA RODOVIÁRIA COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS

DIRETORIA DE INFRA-ESTRUTURA RODOVIÁRIA COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS DIRETORIA DE INFRA-ESTRUTURA RODOVIÁRIA COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS QUADRO DE FABRICANTES DE VEÍCULOS 2008 ÍNDICE: ITEM DESCRIÇÃO 01. Introdução... 02. Classificação de Veículos... 03. Definições...

Leia mais

ORIENTAÇÃO AO TOMADOR DE SERVIÇO, QUANTO A RETENÇÃO DO ISS

ORIENTAÇÃO AO TOMADOR DE SERVIÇO, QUANTO A RETENÇÃO DO ISS 1 PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCISCO BELTRÃO SECRETARIA DE FINANÇAS / DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO ORIENTAÇÃO AO TOMADOR DE SERVIÇO, QUANTO A RETENÇÃO DO ISS Olá Tomadores de Serviço, a Prefeitura Municipal

Leia mais

C C P SUPORTE TÉCNICO EBS

C C P SUPORTE TÉCNICO EBS C C P SUPORTE TÉCNICO EBS Horário de atendimento: Das 08h30min às 18h, de Segunda a Sexta-feira. Formas de atendimento: E-mail: Envie-nos suas dúvidas e/ou sugestões para suporte@ebs.com.br. Suporte On-Line

Leia mais

Internet Banking. Outubro - 2012

Internet Banking. Outubro - 2012 Internet Banking Outubro - 2012 1 Índice 1. Início... Pg. 4 2. Menu Home... Pg. 5 3. Menu Conta Corrente... Pg. 7 3.1 Extratos Conta Corrente... Pg. 8 3.2 Extratos de Tarifas...Pg. 9 3.3 Informações Complementares...

Leia mais

MANUAL DIPAM A Versão de 10/05/2012

MANUAL DIPAM A Versão de 10/05/2012 MANUAL DA DIPAM A Versão de 10/05/2012 1 Índice Geral... 3 Configuração Mínima... 3 Instalação... 4 Procedimento pós-instalação para sistemas com Vista ou Windows 7... 8 Uso do Programa DIPAM-A... 10 DIPAM

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DE PERNAMBUCO CREA-PE

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DE PERNAMBUCO CREA-PE Versão 1.0.3 Página 1 de 30 13/08/2013 INTRODUÇÃO O Crea-PE está dando um grande passo rumo à modernização em sua área de informatização: está substituindo o seu sistema de cadastro para melhorar o atendimento

Leia mais

Perfil Chefe de Transporte

Perfil Chefe de Transporte Manual do Usuário Perfil Chefe de Transporte APRESENTAÇÃO Bem vindos ao manual do usuário do Sistema de Gestão de Frotas. Este Manual proporcionará aos seus usuários, descobrir todas as funcionalidades

Leia mais

BATALHÃO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA

BATALHÃO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA BATALHÃO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA 1) - Normas Gerais de Circulação e Conduta: a)- Trânsito é a utilização das vias por pessoas, veículos e animais, isolados ou em grupos, conduzidos ou não, para fins de circulação,

Leia mais

MANUAL DO OFICIAL DE JUSTIÇA

MANUAL DO OFICIAL DE JUSTIÇA MANUAL DO OFICIAL DE JUSTIÇA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MATO GROSSO Janeiro 2012 Conteúdo Elaboração do projeto... 3 1. Acesso ao Sistema... 4 2. Tipo de Certificado... 4 2.1. Navegador padrão para acessar

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO

Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO Versão 1.0 Julho/2012 ÍNDICE 1 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO... 4 1.1 Equipamento e Sistemas Operacionais 4 1.1.1

Leia mais

TUTORIAL HOMOLOGAÇÃO DE BOLETOS

TUTORIAL HOMOLOGAÇÃO DE BOLETOS Sumário Apresentação... 1 1. Cadastrar Banco... 2 2. Cadastrar Cobrança... 5 3. Permitir Acesso a Cobrança... 7 4. Inserir Dados Integração Bancária... 9 5. Importar Layout... 16 6. Gerar e imprimir boleto...

Leia mais

Prestador de Serviços

Prestador de Serviços Copyright 2014 - ControleNaNet Conteúdo A Ficha de Serviços...3 Os Recibos... 5 Como imprimir?... 6 As Listagens...7 Clientes... 9 Consulta...9 Inclusão... 11 Alteração... 12 Exclusão... 13 Serviços...

Leia mais

Carteira de Transporte Escolar Metropolitano. Manual de Orientação aos Estudantes Com direito ao PASSE LIVRE. Região Metropolitana de Sorocaba

Carteira de Transporte Escolar Metropolitano. Manual de Orientação aos Estudantes Com direito ao PASSE LIVRE. Região Metropolitana de Sorocaba MA-GRS-004 Versão: 01 Vigência: 2016 Página: 1 / 19 Carteira de Transporte Escolar Metropolitano 2016 Manual de Orientação aos Estudantes Com direito ao PASSE LIVRE Região Metropolitana de Sorocaba MA-GRS-004

Leia mais

Aquisição. Manual APC

Aquisição. Manual APC Sumário 1. ORÇAMENTO... 1 1.1 CADASTRO DAS VERBAS...3 1.2 UNIDADE ORGANIZACIONAL...4 1.1.1 Orçamento...6 2. SUGESTÕES DE COMPRA... 1 1.3 ITENS...3 2.1.1 VISUALIZAÇÃO...7 1.4 CONSULTA GERAL E GERAÇÃO DE

Leia mais

Roteiro elaborado com o objetivo de auxiliar os convenentes no registro das prestações de contas no SIGPC Contas Online.

Roteiro elaborado com o objetivo de auxiliar os convenentes no registro das prestações de contas no SIGPC Contas Online. FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO FNDE Roteiro de orientações ao convenente para prestação de contas do Programa Caminho da Escola no SiGPC Contas Online Roteiro elaborado com o objetivo de

Leia mais

Nota Fiscal Cidadã Manual do Registro de Reclamações

Nota Fiscal Cidadã Manual do Registro de Reclamações Nota Fiscal Cidadã Manual do Registro de Reclamações Versão 6 Objetivo do Manual Orientar sobre os procedimentos necessários para comunicação à SEFA da ocorrência de infrações à legislação do Programa

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA - DIAT GERÊNCIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÕES TRIBUTÁRIAS - GESIT

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA - DIAT GERÊNCIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÕES TRIBUTÁRIAS - GESIT SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA - DIAT GERÊNCIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÕES TRIBUTÁRIAS - GESIT Atualizado em 03/04/14 MANUAL DOS APLICATIVOS: SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA

Leia mais

Monitor de Comercialização - Proponente MT-212-00056-2

Monitor de Comercialização - Proponente MT-212-00056-2 Monitor de Comercialização - Proponente MT-212-00056-2 Última Atualização: 08/01/2015 Índice I Como acessar um Leilão II Informações básicas III Anexos IV Painel de Lances V Envio de Lances VI Prorrogação

Leia mais

VIA NOVA BENEFÍCIOS RH FÁCIL LAYOUT DO ARQUIVO MAGNÉTICO EPV PARA PEDIDOS

VIA NOVA BENEFÍCIOS RH FÁCIL LAYOUT DO ARQUIVO MAGNÉTICO EPV PARA PEDIDOS VIA NOVA BENEFÍCIOS RH FÁCIL LAYOUT DO ARQUIVO MAGNÉTICO EPV PARA PEDIDOS SUMÁRIO CAPÍTULO 1 FUNCINAMENTO DO SISTEMA Informações do arquivo 3 Formas de Entrega Processo do Cliente 4 Composições do arquivo

Leia mais

Ao iniciar o Secretária 2000, você será solicitado a modificar ou confirmar a Data e Hora do sistema, quando aparecer a tela abaixo.

Ao iniciar o Secretária 2000, você será solicitado a modificar ou confirmar a Data e Hora do sistema, quando aparecer a tela abaixo. Ao iniciar o Secretária 2000, você será solicitado a modificar ou confirmar a Data e Hora do sistema, quando aparecer a tela abaixo. 1. Modifique a data e hora e lique em Confirmar, ou clique somente em

Leia mais

Manual SERVIRTUAL (Usuário externo)

Manual SERVIRTUAL (Usuário externo) Manual SERVIRTUAL (Usuário externo) SER - SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA - PARAIBA GOIEF Gerencia Operacional de Informações Econômico Fiscais NAPDF Núcleo de Análise e Planejamento de Documentos Fiscais

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO. 2. ACESSANDO E UTILIZANDO O SISTEMA 2.1. Acessando. Sumário

1. APRESENTAÇÃO. 2. ACESSANDO E UTILIZANDO O SISTEMA 2.1. Acessando. Sumário 1 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. ACESSANDO E UTILIZANDO O SISTEMA... 2 2.1. ACESSANDO... 2 2.2. UTILIZANDO... 5 2.2.1 EMPRESA... 6 2.2.2 FINANCEIRO E CONTÁBIL... 7 2.2.3 AMBIENTAL... 8 2.2.4 SOCIAL...

Leia mais

O Processo de Coberturas Técnicas e Cortesias Comercias

O Processo de Coberturas Técnicas e Cortesias Comercias O Processo de Coberturas Técnicas e Cortesias Comercias 1 SUMÁRIO 1 O Processo de Cobertura Técnica e Cortesia Comercial...3 2 Rotina de lançamento de Coberturas Técnicas e Cortesias Comerciais...3 3 Fechamento

Leia mais

Manual SAGe Versão 1.0

Manual SAGe Versão 1.0 Manual SAGe Versão 1.0 Emissão de Parecer de Assessoria (após a versão 12.14.00) Conteúdo 1. Introdução... 2 2. Recebimento do e-mail de solicitação de parecer... 3 3. Operações no sistema SAGe... 4 3.1

Leia mais

SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA. MANUAL MÓDULO EMPRESA Revisão 01 / Julho de 2006

SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA. MANUAL MÓDULO EMPRESA Revisão 01 / Julho de 2006 SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA MANUAL MÓDULO EMPRESA Revisão 01 / Julho de 2006 Índice Introdução... 03 Login e Senha... Cadastrar Novas Empresas... 04 05 Alterar Senha... Novo Funcionário... Novo Estudante...

Leia mais

Transporte Fracionado de Gás Liquefeito de Petróleo - GLP

Transporte Fracionado de Gás Liquefeito de Petróleo - GLP Transporte Fracionado de Gás Liquefeito de Petróleo - GLP 2 Este Manual foi elaborado com a participação e colaboração: Este manual foi elaborado com base na legislação vigente sobre o transporte de Gás

Leia mais

PARA REALIZAR SUA INSCRIÇÃO É NECESSÁRIO QUE VOCÊ TENHA EM MÃOS DOCUMENTO DE IDENTIDADE, CPF E UMA CONTA DE E-MAIL.

PARA REALIZAR SUA INSCRIÇÃO É NECESSÁRIO QUE VOCÊ TENHA EM MÃOS DOCUMENTO DE IDENTIDADE, CPF E UMA CONTA DE E-MAIL. PASSO A PASSO PARA REALIZAR INSCRIÇÃO CURSOS SUPERIORES PARA REALIZAR SUA INSCRIÇÃO É NECESSÁRIO QUE VOCÊ TENHA EM MÃOS DOCUMENTO DE IDENTIDADE, CPF E UMA CONTA DE E-MAIL. LEIA ATENTAMENTE O EDITAL ANTES

Leia mais

Banco Volkswagen Manual do Sistema CCO CDC - Pessoa Física

Banco Volkswagen Manual do Sistema CCO CDC - Pessoa Física Banco Volkswagen Manual do Sistema CCO CDC - Pessoa Física CCO CONSÓRCIO CENTRAL DE CRÉDITO ON-LINE CCO Central de Crédito On-Line Histórico do Documento Tipo de Norma: Manual Operacional Número: 26 Departamento

Leia mais

1 DOCUMENTOS FATURÁVEIS

1 DOCUMENTOS FATURÁVEIS 1 DOCUMENTOS FATURÁVEIS O faturamento do posto deve ser ágil e exato, para tanto as funcionalidades básicas que devem ser focadas são as de conferência de documentos e de configuração e validação das informações

Leia mais

O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida nem transmitida

Leia mais