RESPOSTAS DAS TAREFAS 2ª SÉRIE9. Química - Setor A. Aulas 1 e 2. Aulas 3 e 4. Aula 1 O. Aula 1. Aula 2. Aula 2. Aula 3 ENSINO MÉDIO H H

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RESPOSTAS DAS TAREFAS 2ª SÉRIE9. Química - Setor A. Aulas 1 e 2. Aulas 3 e 4. Aula 1 O. Aula 1. Aula 2. Aula 2. Aula 3 ENSINO MÉDIO H H"

Transcrição

1 ENSINO MÉDIO RESPOSTAS DAS TAREFAS 2ª SÉRIE9 Química - Setor A Aulas 1 e 2 1. a) O etanol e a glicose são substâncias orgânicas, já que possuem carbono em sua composição, são formados por ligação covalente e sofrem combustão. C 2 6 O MM 46 g/mol 46 g 100% 24 g X X 5 52,2%. 2. a) C 6 12 O 6 MM 180 g/mol 180 g 100% 72 g X X 5 40%. C C C C C O c) C O 3. D A palavra orgânico refere-se a alimentos livres de agrotóicos, visto que na prática todo alimento é orgânico, pois possui carbono em sua composição. 1. A Vidro é um material produzido a partir de areia (SiO 2 ); logo, esse material não apresenta características orgânicas. 2. C Bagaço de cana, casca de frutas e fezes são materiais orgânicos. 3. C A falta de água impedirá o desenvolvimento de microrganismos que vão decompor a matéria orgânica. Tarefa Complementar O 1. N C N 2. a) C C C S C C C 2 C 4 8 S C 2 MM 159 g/mol 159 g 100% 48 g X X 5 30,2%. c) C 4 8 S C 2 15 átomos 100% 4 átomos C = 26,7% 1) Compostos orgânicos são solúveis em outros compostos orgânicos, apresentam baias temperaturas de fusão e ebulição e são combustíveis. 2) B Como nos liões o depósito de lio é feito sem os cuidados necessários, são considerados locais propícios à proliferação de vetores de doenças, além de contaminarem o solo e as águas. 3) C Pela leitura do teto, o chorume era o principal agente causador de problemas. Aulas 3 e 4 Aula 3 1. D O sódio é um metal mole, e o carbono, o elemento fundamental à vida. 2. a) alicíclica, saturada, e homogênea aberta, saturada, ramificada e homogênea SISTEMA ANGLO DE ENSINO 1 Ensino Médio zeta - 1a série

2 c) aberta, insaturada, reta e homogênea d) aberta, saturada, reta e homogênea e) aberta, saturada, ramificada e homogênea f) aromática, insaturada e homogênea g) alicíclica, saturada, e homogênea 1. a) C O 3. A moléculas ' ' 5, átomos Aulas 5 e 6 Aula 5 1. Propano: C C C 2 C 3 c) p O p p s t t s s s 2. a) C 5 11 O 2 NS Aberta, reta, saturada, heterogênea c) C 5 11 O 2 NS MM 149 g/mol 1 mol metionina moléculas 149 g moléculas. 1 molécula 2 átomos de oigênio moléculas ' ' átomos Aula 3 1. a) Aberta, saturada, reta, heterogênea Aberta, saturada, reta, heterogênea c) Aberta, insaturada, reta, homogênea d) Alicíclica, insaturada, homogênea e) Alicíclica, saturada, homogênea f) Aromática, insaturada, homogênea g) Aromática, insaturada, homogênea 2. a) II e III em ambas, apenas um carbono secundário: s II) C(C 3 ) 3 C 2 C 3 III) 3 CC 2 C(C 3 ) 2 s 3. C 4. B 5. E 1. C 11 8 N 2 O 3 S g/mol 2. a) C O 2 p 298 g COO c) C O 2 MM 266 g/mol 1 mol ácido linoleico moléculas 266 g 13,3 g moléculas. 1 molécula 17 átomos de carbono Propeno: C C C C 3 Propino: C 3 4 C C C 3 2. O composto prop-1-ino pode ser chamado simplesmente de propino porque a mudança da posição da insaturação na cadeia carbônica não leva a uma alteração no nome do composto. Já a mudança da posição da insaturação no butino origina dois compostos diferentes, o que torna necessária a indicação dessa diferença no nome. Aula 6 1. e 1 ino e 2 ino e 3 ino 2. a) 2 C C C 3, propeno pent 1 eno pent 2 eno Tarefa Complementar Aula 5 1. a) butano h) he-3-ino heptano i) pent-1,3-dieno c) propeno j) pent-1,2-dieno d) pent-2-eno k) ciclopentano e) pent-1-eno l) ciclo-heeno f) pent-2-eno m) benzeno g) pent-2-ino n) ciclo-heano 2. a) c) d) Aula 6 1. Cálculo do número de mols SISTEMA ANGLO DE ENSINO 2 32 Ensino Médio zeta - 1a série

3 n c ,25 Fórmula mínima C 2 14 g/mol. n 0,5 1 0,5 Fórmula molecular C g/mol. pent 1 eno pent 2 eno 2. PV n RT 0,5 24, 22 0, M M 44 g/mol Logo o gás é C 3 8 (propano) Fórmula estrutural: ou 3 C C 2 C 3 Química - Setor B Aulas 1 e 2 1. C (açúcar) m1/v 8 g/0,2 L 40 g/l C (sal) m1/v 0,7 g/0,2 L 3,5 g/l 2. a) C (cálcio) m1/v 0,24 g/0,2 L 1,2 g/l Como 240 mg equivalem a 24% das necessidades diárias, então 1g (1000 mg) corresponde a 100%. c) Caso a bebida possua densidade 1 g/ml, então os 200 ml terão massa de 200g, sendo assim: massa total: 200 g 100% massa de soluto: 0,24 g τ τ 0,12% 5 0, a) Uma hipótese para eplicar as tabelas pode ser elaborada levando em conta que, para líquidos, é muito mais prático medir o volume em vez de sua massa. Por outro lado, nos sólidos a medição da massa é mais simples do que a aferição de seu volume. De posse desse fato, pode-se eplicar por que a tabela nutricional de alimentos sólidos traz informações usando a massa como referência, enquanto nos líquidos traz informação numa relação volumétrica. Pela tabela: Em cada: 25 g de alimento 100% Eistem: 12 g de carboidrato 48%. c) Pela tabela: Em cada: 200 ml de solução há 4,0 mg de sódio 1000 ml (1 L) y y 20,0 mg de sódio. C 20 mg/l ºGL 5 92% em volume, ou seja, em cada 1 L de álcool há 0,92 L de etanol e 0,08 L de água. 2. Como a água possui densidade 1 g/ml, então o 0,08 L de água (80 ml) terá massa igual a 80 g. Já o álcool possui densidade igual a 0,8 g/ml, ou seja: d 5 m/v m d. V 0, g de etanol. 3. mt m (água) m (etanol) g. 4. d m/v d m(água) m(etanol)/v d (80 736)/1 d 816 g/l 5. Como temos 736 g de etanol no frasco que possui massa total de 816 g, massa total: 816 g 100% massa de etanol: 736 g τ τ 90,19 % 0, D A figura apresenta quatro curvas que mostram o tempo necessário para a metabolização do álcool, em função de diferentes concentrações dessa substância no sangue. 2. C Analisando o gráfico, percebemos que, com o passar do tempo, as concentrações de: Açúcares aumentam; Ácidos tartáricos e málico diminuem. Informação presente no teto: o teor alcoólico devese à fermentação dos açúcares. Logo, podemos concluir que, quanto maior a concentração de açúcar, maior poderá ser o teor alcoólico. Assim: quanto mais tarde for feita a colheita da uva, vinhos mais alcoólicos e menos ácidos serão obtidos. 3. E Na concentração máima de fluoretos (F ), temos, a cada segundo: 1,5 mg F 1L L mg F ou 45 g F a cada 1s. Então, em uma hora (3.600s): 45 g F 1s 3.600s g F ou 162 kg F. 1. C Quantidade de lipídeos recomendada: (m R ) 200 mg margarina 100% m R 65% 200 g 65% m 100% 130 g SISTEMA ANGLO DE ENSINO 3 Ensino Médio zeta - 1a série

4 Quantidade de lipídeos utilizada: (m U ) 200 mg creme vegetal 100% m U 35% 200 g 35% m U 100% 70 g Relação m U 70 g 0,53; logo, aproimada- m R 130 g mente 50% (metade) 2. D Mistura inicial m (total) 800 kg m (etanol) 160 kg m Destilado (total) 100 kg m (etanol) 96 kg Resíduo m (total) kg m (etanol) kg 700 kg 100% 64 kg 9,1% 3. E Levando-se em conta que, ao longo da cadeia alimentar, ocorre um progressivo acúmulo do mercúrio nos tecidos dos organismo vivos, a ingestão de corvinas capturadas naquelas regiões deve ser evitada sempre, uma vez que haverá o risco de um efeito cumulativo no organismo humano. Aulas 3 e 4 Aula 3 1. a) [ 2 SO 4 ] 3 M significa que a concentração desse ácido na solução é de 3 mols/l, ou seja, em cada 1 L de solução temos 3 mols de 2 SO 4 dissolvidos. Pela equação dada, cada molécula de ácido sulfúrico, ao ionizar, gera dois íons 1 e 1 íon sulfato; desse modo 2 SO 4(aq) 2 (aq) SO 4 2 (aq) M y X [] 6 M Y [SO 4 2 ] 3 M c) Como a concentração do ácido é de 3 mol/l, em 500 ml (0,5 L) teríamos 1,5 mol de 2 SO 4 1 mol de 2 SO 4 98 g 1,5 mol g de ácido sul fúrico. 2. Substituindo os dados fornecidos: 2 0,855 g M (soluto) V (solução) 342 g/mol 0,05 L 0,1 mol / L 3. Substituindo os dados fornecidos: M (soluto) V 0,1 mol / L (solução) 42 g/mol 0,1 L 0,42 g 1. a) Como há 320 g de NaO em cada 1 L de solução, 320 g M (soluto) V (solução) 40 g/mol 1 L 8 mols / L Como há 320 g de NaO em cada 1 L de solução, ao se evaporar 0,5 L, teríamos uma massa de resíduo que corresponde ao soluto que estava dissolvido, ou seja, 160 g. 17,1 g 2. a) M (soluto) V (solução) 342 g/mol 0,2 L 0,25 mol / L 0,092 g M (soluto) V (solução) 23 g/mol 0,2 L 0,02 mol / L c) Em uma embalagem (200 ml) há 0,092 g de sódio, o que corresponde a 0,092/23 0,004 mol desse elemento. Como em um dia é necessário 0,08 mol, 1 embalagem 0,004 mol de sódio X 0,08 mol 5 20 embalagens 3. a) C 6 8 O 6 e M 176 g/mol 0,044 g M (soluto) V (solução) 176 g/mol 1 L 2, mols / L c) De acordo com o item anterior, 1 L dessa vitamina já fornece 100 % das necessidades diárias; portanto, 1 copo de 200 ml forneceriam 20 % das necessidades. 1. D Solução III ( 2 SO 4 ) 49 g 98 g/mol 0,5 L 1 mol / L Solução IV (NO 3 ) 63 g 63 g/mol 1 L 1 mol / L M (soluto) V (solução) M (soluto) V (solução) 2. a) Como a densidade do vinagre é de 1 g/ml, concluise que 1 L dessa solução (1 000 ml) possui massa total de 1000 g. SISTEMA ANGLO DE ENSINO 4 Ensino Médio zeta - 1a série

5 Como há 3% em massa de ácido acético, podemos concluir que naquele 1 L (nos g) há 30 g de ácido acético (3% de g 5 30 g). c) Em 1 L de vinagre há 30 g de ácido acético, substância cuja massa molar vale 60 g/mol, ou seja: 30 g M (soluto) V 0,5 mol / L (solução) 60 g/mol 1 L 1. B Numa solução 0,3 mol/l há 0,3 mol desse soluto em cada 1 L de solução; logo, nos 500 ml há 0,15 mol. 2. C Como a massa molar do sal usado (Fe 2 (SO 4 ) O) é igual a 562 g/mol, 0,15 mol desse composto possui massa igual a 0, ,3 g. 3. E Como cada sal libera 3 sulfatos por fórmula, concluise que a concentração dos íons sulfatos será o triplo da concentração do sal, ou seja, 0,9 M. Aula 5 1. a) Como a densidade é 1 g/ml, 1 m 3 (10 6 ml) do rio possui uma massa igual a 10 6 gramas. Soluto (chumbo) Solução (água do rio) 41,4 g 10 6 g 10 6 g (1 m 3 ) 41,4 g de chumbo 1 L possui massa igual a g; logo: Soluto (chumbo) Solução (água do rio) 41,4 g 10 6 g y 10 3 g (1 L) y 0,0414 g de chumbo Ou seja, em cada 1 L há 0,0414 g de chumbo, o que equivale a uma concentração de 0,0414 g/l. c) Como em 1 L há 0,0414 g desse metal, e sua massa molar é igual a 207 g/mol, 1 mol de chumbo 207 g z 0,0414 g z mol de chumbo Ou seja, em cada 1 L há mol de chumbo, o que equivale a uma concentração de mol/l. 2. a) Como 1 ml desse medicamento possui massa 1 g, e há 10 mg de soluto dissolvido, Soluto (digluconato Solução de cloreidina) (medicamento) 10 mg ( g) 1 ml (1 g) 10 6 g y g de digluconato de cloreidina Ou seja, em cada 10 6 g de solução há 10 4 g de digluconato de cloreidina, o que equivale a uma concentração de 10 4 ppm ou ppm. o frasco possui um volume de 30 ml; portanto: 10 mg de digluconato de cloreidina 1 ml y 30 ml y 300 mg. 3. a) Soluto (flúor) Solução (pasta) 1,1 mg (1, g) 1 g y 10 6 g y 1, g de flúor. Ou seja, em cada 10 6 g de pasta há 1, g de flúor, o que equivale a uma concentração de 1, ppm de flúor, ou 1100 ppm. Sim, pois, de acordo com o resultado do teste mostrado no item anterior, a concentração de flúor é menor do que a indicada no rótulo. 1. a) 1 L possui massa igual a g, logo: Soluto (NaO) Solução (água do eflu e nte) 4 mg ( g) 10 3 g (1L) 10 6 g y 4 g de NaO. Ou seja, em cada 1 L há 4 g de NaO, o que equivale a uma concentração de 4 ppm. Como em 1 L há 4 mg de NaO (0,004 g), 1 mol de NaO 40 g y 0,004 g y mol de NaO. Ou seja, mol em 1 L, o que equivale a uma concentração de mol/l. c) 100 m 3 do efluente correspondem a L. Como a concentração do NaO é de mol/l, 1 L de efluente mol de NaO L y 10 mols de NaO Como esses compostos reagem na proporção de 1:1 (ClNaO NaCl 2 O), são necessários 10 mols de Cl para neutralizar todo esse efluente. 2. a) Como 1 ml desse medicamento possui massa 1 g, e há 2 mg de soluto dissolvido Soluto (cloridrato Solução de hidroizina) (medicamento) 2 mg ( g) 1 ml (1 g) 106 g y g de cloridrato de hidroizina Ou seja, em cada 106 g de solução há g de cloridrato de hidroizina, o que equivale a uma concentração de ppm ou ppm. Como há 2 mg ( g) de soluto em cada 1 ml (1 g) de solução, massa total: 1 g 100% massa de soluto: g 0,2 % c) A sigla q.s.p. significa quantidade suficiente para, ou seja, quantidade para se chegar ao volume de 1 ml. SISTEMA ANGLO DE ENSINO 5 Ensino Médio zeta - 1a série

6 Aula 6 1. a) Volume final será 500 ml ml 1500 ml 1,5 L De acordo com o item anterior, 1 frasco desse produto prepara 1,5 L de suco, ou seja: 1 frasco 1,5 L 15 L 10 frascos 2. D i 1 mols/l V i? f 0,2 mol/l V f 500 ml i V i f V f 1 V i 0,2 500 V i 100 ml Ou seja, devem-se misturar 100 ml da solução-estoque e completar o volume com 400 ml de água até se alcançar o volume final 500 ml. 1. a) C (suco) 5 m 1 /V 5 35 g/0,5l 5 70 g/l O suco preparado erradamente ficou com o dobro da concentração que deveria ter, visto que foi dissolvido em 500 ml em vez de em 1L. Ao se tomarem 200 ml dos 500 ml que haviam sido preparados, restaram na jarra 300 ml desse suco forte. Para ter a concentração correta, basta dobrar o volume dessa solução, de modo a diminuir a concentração pela metade. Para isso basta adicionar mais 300 ml à água da jarra gotas possuem um volume de 20 0,05 ml 5 1 ml; desse modo C i 5? C f 5 3 mg/l V i 5 1 ml V f 5 1L (1000 ml) C i.v i 5 C f.v f C i C i mg/l 5 3 g/l 3. a) C i 5 25 g/l C f 5 10 g/l V i 5 V f C i V i 5 C f. V f ( 1 300) L de água do mar Ou seja, o volume total de soro obtido seria 200 L L L. Se os 500 L de soro fossem distribuídos por 50 pessoas, cada um iria ingerir 10 L dessa solução. Como a concentração é de 10 g/l, cada um iria ingerir 100 g de NaCl. c) Na evaporação da água do mar, os sais nela dissolvidos não evaporam. Por esse motivo pode-se obter água pura nesse processo. 4. a) A solução I possui uma concentração de igual ao dobro da solução de 2 SO 4, visto que o ácido s e i o n i z a n a p r o p o r ç ã o d e 1 : 2. C o m i s s o t e m o s : [ ] 2 [ 2 SO 4 ] 2 0,25 0,5 mol/l e não é necessária diluição. Na solução II temos que [ ] 1 mol/l, ou seja, o dobro da concentração desejada. Desse modo basta dobrar o volume por meio de uma diluição utilizando 500 ml dessa solução e completando o volume com água. c) Na solução III temos que [ ] 2 mols/l, ou seja, uma concentração quatro vezes maior que a concentração desejada. Desse modo basta pegar 250 ml dessa solução e completar o volume por meio de uma diluição utilizando 750 ml de água. Diluir de um fator 1:4. d) Na solução IV temos que [ ] 2 [ 2 SO 4 ] 2 2 mols/l 4 mols/l, ou seja, uma concentração oito vezes maior do que a concentração desejada. [ ] i 4 mols/l [ ] f 0,5 mol/l V i? V f 1 L i V i f V f 4 V i 0,5 1 V i 0,125 L 125 ml de solução. SISTEMA ANGLO DE ENSINO 6 Ensino Médio zeta - 1a série

2º ANO QUÍMICA 1 PROFª ELAINE CRISTINA. Educação para toda a vida. Colégio Santo Inácio. Jesuítas

2º ANO QUÍMICA 1 PROFª ELAINE CRISTINA. Educação para toda a vida. Colégio Santo Inácio. Jesuítas 2º ANO QUÍMICA 1 1 mol 6,02.10 23 partículas Massa (g)? Massa molar Cálculo do número de mols (n) Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não

Leia mais

SOLUÇÕES. 3) (UNIFOR) O gráfico seguinte dá a solubilidade em água do açúcar de cana em função da temperatura.

SOLUÇÕES. 3) (UNIFOR) O gráfico seguinte dá a solubilidade em água do açúcar de cana em função da temperatura. SOLUÇÕES 1) (FEI) Tem-se 500g de uma solução aquosa de sacarose (C 12 H 22 O 11 ), saturada a 50 C. Qual a massa de cristais que se separam da solução, quando ela é resfriada até 30 C? Dados: Coeficiente

Leia mais

Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos

Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos SOLUÇÕES Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos uma MISTURA Quando na mistura tiver apenas

Leia mais

COLÉGIO NOSSA SENHORA DE LOURDES 2ª SÉRIE Ensino Médio -2015. Roteiro de estudos para recuperação trimestral

COLÉGIO NOSSA SENHORA DE LOURDES 2ª SÉRIE Ensino Médio -2015. Roteiro de estudos para recuperação trimestral COLÉGIO NOSSA SENHORA DE LOURDES 2ª SÉRIE Ensino Médio -2015 Disciplina: Professor (a): QUÍMICA LUÍS FERNANDO Roteiro de estudos para recuperação trimestral Conteúdo: Referência para estudo: Sites recomendados:

Leia mais

3º Bimestre. Química. Autor: Pedro L. S. Dias

3º Bimestre. Química. Autor: Pedro L. S. Dias 3º Bimestre Autor: Pedro L. S. Dias SUMÁRIO UNIDADE III Inorgânica... 5 Capítulo 1... 5 1.1 Soluções... 5 1.2 Solubilidade... 8 1.3 Coeficiente de solubilidade e Curva de solubilidade... 10 1.4 Unidades

Leia mais

Lista de exercícios 9

Lista de exercícios 9 Nome: Bimestre: 2º nº: Ano / série: 2ª série Ensino: Médio Componente Curricular: Química Data: / / 2012 Professor: Ricardo Honda Lista de exercícios 9 Estudo das soluções I Concentração comum 01. Uma

Leia mais

MASSA ATÔMICA. 1u corresponde a 1,66.10-24 g, que equivale aproximadamente à massa de um próton ou de um nêutron.

MASSA ATÔMICA. 1u corresponde a 1,66.10-24 g, que equivale aproximadamente à massa de um próton ou de um nêutron. Cálculos Químicos MASSA ATÔMICA Na convenção da IUPAC (União Internacional de Química Pura e Aplicada) realizada em 1961, adotou-se como unidade padrão para massa atômica o equivalente a 1/12 da massa

Leia mais

Resolução Lista de exercícios de Química nº 9

Resolução Lista de exercícios de Química nº 9 Nome: nº: Bimestre: 2º Ano/série: 2ª série Ensino: Médio Componente Curricular: Química Professor: Ricardo Honda Data: / / Concentração comum Resolução Lista de exercícios de Química nº 9 Estudo das Soluções

Leia mais

Química C Extensivo V. 2

Química C Extensivo V. 2 Química C Extensivo V. 2 Exercícios 01) E 02) E Situação 1. Sistema heterogêneo solução saturada com corpo de fundo; 20 C = 46,5/100 g H 2 Na situação 1 há 80 g de soluto em 100 g de água a 20 C. excesso

Leia mais

SOLUÇÕES SOLUÇÕES MISTURAS

SOLUÇÕES SOLUÇÕES MISTURAS MISTURAS SOLUÇÕES Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos uma mistura. Exemplos: Mistura de

Leia mais

Pág. 1. COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO - COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD CONCURSO VESTIBULAR 2009 2ª Fase PROVA DE QUÍMICA

Pág. 1. COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO - COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD CONCURSO VESTIBULAR 2009 2ª Fase PROVA DE QUÍMICA Questão 1: As bebidas alcoólicas contêm etanol e podem ser obtidas pela destilação do álcool (ex. whiskey e vodka) ou pela fermentação de uma variedade de produtos como frutas e outros vegetais (ex. vinho

Leia mais

Química Avançada 06 - Soluções

Química Avançada 06 - Soluções Química Avançada 06 - Soluções Nome: Turma: 1) (UFF-adaptada) O ácido nítrico é um importante produto industrial. Um dos processos de obtenção do ácido nítrico é fazer passar amônia e ar, sob pressão,

Leia mais

Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2

Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2 11 Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2 4 ), para que a água esteja em conformidade com

Leia mais

Composição média por litro: Calorias: 651 kcal Cálcio: 1160 mg Vitamina B1: 1,7 mg Carboidratos: 45 g Proteínas: 31,7 g

Composição média por litro: Calorias: 651 kcal Cálcio: 1160 mg Vitamina B1: 1,7 mg Carboidratos: 45 g Proteínas: 31,7 g MOLARIDADE Para que haja uma aula o professor primeiramente necessita optar pela área que irá trabalhar e em seguida escolher o tema. Até aqui nada de novo. Isto acontece com todos os professores não importando

Leia mais

TURMA DE MEDICINA - QUÍMICA

TURMA DE MEDICINA - QUÍMICA Prof. Borges / Lessa TURMA DE MEDICINA - QUÍMICA AULA 06 DILUIÇÃO DE SOLUÇÕES Diluir significa adicionar solvente a uma solução que já existe. Este método faz com que o volume de solução aumente e a concentração

Leia mais

Química D Extensivo V. 3

Química D Extensivo V. 3 Química D Extensivo V. 3 Exercícios 01) Alternativa correta: A 5 4 3 2 1 CH 3 CH 2 CH CH CH 2 OH CH 3 CH 3 metil metil 02) Alternativa correta: D 8 7 6 5 4 3 2 1 CH 3 C = CH CH 2 CH 2 CH CH 2 CH 2 OH CH

Leia mais

Resolução da Prova de Química Vestibular Verão UERGS/2003 Prof. Emiliano Chemello

Resolução da Prova de Química Vestibular Verão UERGS/2003 Prof. Emiliano Chemello Fácil Resolução da Prova de Química Vestibular Verão UERGS/2003 Prof. Emiliano Chemello Médio www.quimica.net/emiliano emiliano@quimica.net Difícil Níveis de dificuldade das Questões 01. Em um frasco,

Leia mais

Relações entre as concentrações das Soluções

Relações entre as concentrações das Soluções Relações entre as concentrações das Soluções EXERCÍCIO RESOLVIDO O ácido clorídrico comercial, também conhecido como ácido muriático, apresenta no rótulo de sua embalagem as seguintes informações: 20%

Leia mais

Resolução Comentada - Química

Resolução Comentada - Química Resolução Comentada - Química UFTM 2013 1 Fase Vestibular UFTM 2013 1 Resolução Prova de Química Tipo 1 Questão 76 A soja é considerada um dos alimentos mais completos em termos de propriedades nutricionais,

Leia mais

Operações com soluções 2: Mistura de Soluções de Mesmo Soluto

Operações com soluções 2: Mistura de Soluções de Mesmo Soluto Operações com soluções 2: Mistura de Soluções de Mesmo Soluto Quando misturamos soluções de mesmo soluto, obtemos uma nova solução de concentração intermediária às das soluções misturadas. Nesse caso,

Leia mais

S O L U Ç Õ E S PROF. AGAMENON ROBERTO < 2011 >

S O L U Ç Õ E S PROF. AGAMENON ROBERTO < 2011 > S O L U Ç Õ E S PROF. AGAMENON ROBERTO < 011 > SOLUÇÕES MISTURAS Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s),

Leia mais

EXERCÍCIOS. ROCHA-FILHO, R. C. R.; SILVA, R. R. Introdução aos Cálculos da Química. São Paulo: McGraw-Hill, 1992.

EXERCÍCIOS. ROCHA-FILHO, R. C. R.; SILVA, R. R. Introdução aos Cálculos da Química. São Paulo: McGraw-Hill, 1992. 2ª SÉRIE ENS. MÉDIO MONITORIA DE FÍSICO-QUÍMICA (OBJ. 2º PERÍODO) EXERCÍCIOS 1. (Enem 2011) O peróxido de hidrogênio é comumente utilizado como antisséptico e alvejante. Também pode ser empregado em trabalhos

Leia mais

Resumo das Funções Orgânicas e nomenclatura

Resumo das Funções Orgânicas e nomenclatura Resumo das Funções Orgânicas e nomenclatura EXERCÍCIOS As questões 2 e 3 referem-se aos textos abaixo. Em diversos países, o aproveitamento do lixo doméstico é quase 100%. Do lixo levado as usinas de compostagem,

Leia mais

Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal FCAV - UNESP. CURSO: Agronomia. DISCIPLINA: Química Geral

Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal FCAV - UNESP. CURSO: Agronomia. DISCIPLINA: Química Geral Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal FCAV - UNESP CURSO: Agronomia DISCIPLINA: Química Geral ASSUNTO: Soluções e Unidades de Concentração 1 1. TIPOS MAIS COMUNS DE SOLUÇÃO Solução

Leia mais

Revisão: Química inorgânica Soluções aquosas

Revisão: Química inorgânica Soluções aquosas QUÍMICA è Revisão: Química inorgânica Hidróxidos fortes família 1A e 2A (exceto Ca e Mg) Ácidos fortes nº de oxigênios nº de hidrogênios > 2, principalmente nítrico (HNO 3 ), clorídrico (HCl) e sulfúrico

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDOS DE QUÍMICA 1 etapa/14 2 Série Ensino Médio

ROTEIRO DE ESTUDOS DE QUÍMICA 1 etapa/14 2 Série Ensino Médio ROTEIRO DE ESTUDOS DE QUÍMICA 1 etapa/14 2 Série Ensino Médio Aluno (a): Turma n Mol Massa de átomos molécula, íons, mol e determinação de fórmula química Aspectos quantitativos das reações químicas. Relações

Leia mais

SOLUÇÕES. Curvas de Solubilidade

SOLUÇÕES. Curvas de Solubilidade QUÍMICA SOLUÇÕES 1. INTRODUÇÃO Soluções são misturas homogêneas, ou seja, misturas entre dois ou mais componentes apresentando uma única fase. Exemplos: Água + Álcool Água + Sal + Açucar Curvas de Solubilidade

Leia mais

SOLUÇÕES. As misturas homogêneas possuem uma fase distinta. As misturas heterogêneas possuem duas ou mais fases distintas.

SOLUÇÕES. As misturas homogêneas possuem uma fase distinta. As misturas heterogêneas possuem duas ou mais fases distintas. QUÍMICA PROF - 3C13 SOLUÇÕES As misturas podem ser homogêneas ou heterogêneas. As misturas homogêneas possuem uma fase distinta. As misturas heterogêneas possuem duas ou mais fases distintas. Solução é

Leia mais

b) Calcule o número de oxidação do fósforo e as cargas formais dos átomos de fósforo, oxigênio e hidrogênio na estrutura.

b) Calcule o número de oxidação do fósforo e as cargas formais dos átomos de fósforo, oxigênio e hidrogênio na estrutura. QUÍMICA 01. ácido sulfúrico, assim como o íon hidrogenossulfato, reage com bases fortes, como hidróxido de sódio, liberando calor para as vizinhanças. Dados: M (g.mol-1) H = 1,008; = 15,999; S = 32,06;

Leia mais

Solubilidade & Unidades de Concentração

Solubilidade & Unidades de Concentração Solubilidade & Unidades de Concentração Introdução Como se formam as soluções? Qual é o mecanismo de dissolução? Para responder essas questões devemos estudar as alterações estruturais que ocorrem durante

Leia mais

QUÍMICA PRIMEIRA ETAPA - 1997 - TARDE

QUÍMICA PRIMEIRA ETAPA - 1997 - TARDE QUÍMICA PRIMEIRA ETAPA - 1997 - TARDE QUESTÃO 01 Um estudante listou os seguintes processos como exemplos de fenômenos que envolvem reações químicas: I adição de álcool à gasolina. II fermentação da massa

Leia mais

Exercícios 3º ano Química -

Exercícios 3º ano Química - Exercícios 3º ano Química - Ensino Médio - Granbery 01-ufjf-2003- Cada vez mais se torna habitual o consumo de bebidas especiais após a prática de esportes. Esses produtos, chamados bebidas isotônicas,

Leia mais

Química. Resolução das atividades complementares. Q9 Diluição e concentração

Química. Resolução das atividades complementares. Q9 Diluição e concentração Resolução das atividades complementares 1 Química Q9 Diluição e concentração p. 45 1 (UFSM-RS) A soda cáustica (NaOH) é uma das bases mais usadas pela indústria química na preparação de compostos orgânicos,

Leia mais

O interesse da Química é analisar as...

O interesse da Química é analisar as... O interesse da Química é analisar as... PROPRIEDADES CONSTITUINTES SUBSTÂNCIAS E MATERIAIS TRANSFORMAÇÕES ESTADOS FÍSICOS DOS MATERIAIS Os materiais podem se apresentar na natureza em 3 estados físicos

Leia mais

a) Incorreta. O aumento da temperatura desloca o equilíbrio para o lado direito, no sentido da formação do vapor (transformação endotérmica).

a) Incorreta. O aumento da temperatura desloca o equilíbrio para o lado direito, no sentido da formação do vapor (transformação endotérmica). 01 a) Incorreta. O aumento da temperatura desloca o equilíbrio para o lado direito, no sentido da formação do vapor (transformação endotérmica). b) Incorreta. Quanto mais volátil o líquido, menor será

Leia mais

REVISÃO QUÍMICA. Profº JURANDIR QUÍMICA

REVISÃO QUÍMICA. Profº JURANDIR QUÍMICA REVISÃO QUÍMICA Profº JURANDIR QUÍMICA DADOS 01. (ENEM 2004) Em setembro de 1998, cerca de 10.000 toneladas de ácido sulfúrico (H 2 SO 4 ) foram derramadas pelo navio Bahamas no litoral do Rio Grande

Leia mais

Indicador Faixa de ph Mudança de coloração Metilorange 3,2 a 4,4 Vermelho p/ amarelo Vermelho de Metila 4,8 a 6,0 Vermelho p/ amarelo

Indicador Faixa de ph Mudança de coloração Metilorange 3,2 a 4,4 Vermelho p/ amarelo Vermelho de Metila 4,8 a 6,0 Vermelho p/ amarelo 1. Na tabela abaixo se encontram listados alguns indicadores e suas respectivas faixas de ph a) Com base na tabela indicada, se você tivesse que titular 25 ml de uma solução 12,3 g/l de Acido Nicotínico

Leia mais

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa QUESTÃO 01 Num laboratório químico, havia três frascos que continham, respectivamente, um alcano, um álcool e um alqueno. Foram realizados experimentos que envolviam

Leia mais

Química. Resolução das atividades complementares. Q1 Dispersões e soluções

Química. Resolução das atividades complementares. Q1 Dispersões e soluções Resolução das atividades complementares Química Q Dispersões e soluções p. 8 (UFPR) Uma solução é uma mistura homogênea de duas ou mais substâncias, não importando seu estado físico. Quando algum dos componentes

Leia mais

MATÉRIA Química II. Helder

MATÉRIA Química II. Helder Valores eternos. TD Recuperação ALUNO(A) MATÉRIA Química II PROFESSOR(A) Helder ANO SEMESTRE DATA 1º 1º Jul/2013 TOTAL DE ESCORES ---- ESCORES OBTIDOS ---- 1. Numa solução saturada temos: a) uma soluçâo

Leia mais

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08 P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08 Nome: Gabarito Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Constantes: R 8,314 J mol -1 K -1 0,0821

Leia mais

) existem 3 mols de nitrogênio (N) 1 mol de C 4. 3 mol de N

) existem 3 mols de nitrogênio (N) 1 mol de C 4. 3 mol de N 76 d Para se isolar a cafeína (sólido, em condições ambientais) de uma bebida que a contenha (exemplos: café, chá, refrigerante etc) pode-se usar o procedimento simplificado seguinte "Agita-se um certo

Leia mais

Química B Extensivo V. 3

Química B Extensivo V. 3 Química B Extensivo V. 3 01) Alternativa correta: D Exercícios A água pura (destilada ) não é condutora de eletricidade pois não há presença de sais lá, mas a partir do momento que se adiciona alguma substância

Leia mais

Resolução: 0,86ºC. x = 0,5 mol etanol/kg acetona. 0,5 mol 1000 g de acetona. 200 g de acetona. y = 0,1 mol de etanol. 1 mol de etanol (C 2 H 6 O) 46 g

Resolução: 0,86ºC. x = 0,5 mol etanol/kg acetona. 0,5 mol 1000 g de acetona. 200 g de acetona. y = 0,1 mol de etanol. 1 mol de etanol (C 2 H 6 O) 46 g (ACAFE) Foi dissolvida uma determinada massa de etanol puro em 200 g de acetona acarretando em um aumento de 0,86 C na temperatura de ebulição da acetona. Dados: H: 1 g/mol, C: 12 g/mol, O: 16 g/mol. Constante

Leia mais

QUÍMICA. Questão 31. Questão 32

QUÍMICA. Questão 31. Questão 32 QUÍMICA Questão 3 Em 9,9 g de um sal de cálcio encontra-se 0,5 mol desse elemento. Qual a massa molar do ânion trivalente que forma esse sal? Dado: Ca 40 g/mol. (A) 39 g/mol. (B) 278 g/mol. (C) 63,3 g/mol.

Leia mais

UFU 2010/1 ABERTAS (1ª FASE = ENEM)

UFU 2010/1 ABERTAS (1ª FASE = ENEM) UFU 2010/1 ABERTAS (1ª FASE = ENEM) 1-Leia o texto a seguir. Com o passar do tempo, objetos de prata escurecem e perdem seu brilho em decorrência da oxidação desse metalpelo seu contato com oxigênio e

Leia mais

Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose

Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose 01. (Pucsp) Osmose é a difusão do solvente através de uma membrana semipermeável do meio menos concentrado para o meio mais concentrado. A pressão osmótica

Leia mais

3213-0597 / 3243-1739 www.cursofiq.com.br

3213-0597 / 3243-1739 www.cursofiq.com.br 3213-0597 / 3243-1739 www.cursofiq.com.br Profª Helena Bonaparte Soluções : Concentração, diluição, misturas e neutralização. Unidades de concentração das soluções De acordo com a IUPAC, a quantidade de

Leia mais

Profº André Montillo www.montillo.com.br

Profº André Montillo www.montillo.com.br Profº André Montillo www.montillo.com.br Definição: É uma Mistura Homogênia de 2 ou mais substâncias. Na Solução não ocorre uma reação química, porque não há formação de novas substâncias e não há alterações

Leia mais

EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO

EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO GRANDEZAS QUÍMICAS EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 (UFSE-SE) 1,8.10 moléculas de uma substância A têm massa igual a 18,0 g. A massa molar de A, em g/mol, vale: (Dados: constante de Avogadro: 6.10 ) a) 18 b)

Leia mais

Aulas 13 e 14. Soluções

Aulas 13 e 14. Soluções Aulas 13 e 14 Soluções Definição Solução é a denominação ao sistema em que uma substância está distribuída, ou disseminada, numa segunda substância sob forma de pequenas partículas. Exemplos Dissolvendo-se

Leia mais

a) Qual a configuração eletrônica do cátion do alumínio isoeletrônico ao gás nobre neônio?

a) Qual a configuração eletrônica do cátion do alumínio isoeletrônico ao gás nobre neônio? Questão 1: O Brasil é o campeão mundial da reciclagem de alumínio, colaborando com a preservação do meio ambiente. Por outro lado, a obtenção industrial do alumínio sempre foi um processo caro, consumindo

Leia mais

ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO

ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO IX Olimpíada Capixaba de Química 2011 Prova do Grupo II 2 a série do ensino médio Fase 02 Aluno: Idade: Instituição de Ensino: Coordenador da Instituição de Ensino: ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS

Leia mais

Soluções Químicas são misturas homogêneas de duas ou mais substâncias, onde o solvente aparece em maior quantidade e o soluto em menor quantidade. O estado de agregação do solvente é que determina o estado

Leia mais

PREPARO DE SOLUÇÕES. Classificação das soluções com relação à quantidade de soluto dissolvido

PREPARO DE SOLUÇÕES. Classificação das soluções com relação à quantidade de soluto dissolvido PREPARO DE SOLUÇÕES Uma solução, no sentido amplo, é uma dispersão homogênea de duas ou mais substâncias moleculares ou iônicas. No âmbito mais restrito, as dispersões que apresentam as partículas do disperso

Leia mais

2a. prova Simulado 5 Dissertativo 27.09.06 QUÍMICA INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DO SIMULADO

2a. prova Simulado 5 Dissertativo 27.09.06 QUÍMICA INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DO SIMULADO Simulado 5 Padrão FUVEST Aluno: N o do Cursinho: Sala: QUÍMICA INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DO SIMULADO 1. Aguarde a autorização do fiscal para abrir o caderno de questões e iniciar a prova. 2. Duração da

Leia mais

Química - Prof. Paulo César

Química - Prof. Paulo César Química - Prof. Paulo César Exercícios de complementação sobre Concentrações das Soluções Concentração Comum (C) 01) No rótulo de um frasco de laboratório lê-se: NaOH (aq) C = 30 g/l Isso significa que:

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO Conteúdos curriculares de química: 2. ano - 1. bimestre: Dispersões (definição, classificação, características); Soluções (conceito e regra da solubilidade, curva de solubilidade, classificação); Concentração

Leia mais

BREVE LISTINHA DE EXERCICIOS SOBRE COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE - CONCENTRAÇÕES

BREVE LISTINHA DE EXERCICIOS SOBRE COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE - CONCENTRAÇÕES BREVE LISTINHA DE EXERCICIOS SOBRE COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE - CONCENTRAÇÕES 01 Uma solução composta por duas colheres de sopa de açúcar (34,2g) e uma colher de sopa de água (18,0 g) foipreparada. Podemos

Leia mais

COVEST/UFPE 2003 2ª ETAPA

COVEST/UFPE 2003 2ª ETAPA COVEST/UFPE 2003 2ª ETAPA 97. A solubilidade do oxalato de cálcio a 20 C é de 33,0 g por 100 g de água. Qual a massa, em gramas, de CaC 2 O 4 depositada no fundo do recipiente quando 100 g de CaC 2 O 4

Leia mais

Nas condições citadas, a equação global corretamente balanceada da eletrólise da água é: b) H 2 + O 2. d) 2H 2

Nas condições citadas, a equação global corretamente balanceada da eletrólise da água é: b) H 2 + O 2. d) 2H 2 QUÍMICA As questões 31 e 32 referem-se às informações abaixo. Por contribuir para a preservação ambiental, o uso do gás hidrogênio, como combustível economicamente viável, já está sendo considerado como

Leia mais

QUÍMICA TESTES EXERCÍCIOS DE SOLUBILIDADE SÉRIE CASA

QUÍMICA TESTES EXERCÍCIOS DE SOLUBILIDADE SÉRIE CASA QUÍMICA Prof. Borges TESTES EXERCÍCIOS DE SOLUBILIDADE SÉRIE CASA 1. (Fuvest-SP) Descargas industriais de água pura aquecida podem provocar a morte de peixes em rios e lagos porque causam: a) o aumento

Leia mais

Termos Técnicos Ácidos Classe de substâncias que têm ph igual ou maior que 1 e menor que 7. Exemplo: sumo do limão. Átomos Todos os materiais são formados por pequenas partículas. Estas partículas chamam-se

Leia mais

Propriedades Coligativas

Propriedades Coligativas Propriedades Coligativas São as propriedades das soluções que dependem do número de partículas dispersas e independem da natureza das partículas do soluto. Pressão Máxima de Vapor (PMV) PMV é a pressão

Leia mais

Propriedades coligativas

Propriedades coligativas Química Aula de Revisão 9 3 os anos Décio ago/09 Nome: Nº: Turma: Propriedades coligativas Objetivo O objetivo dessa ficha é dar continuidade à revisão do 3º ano Química, dos assuntos mais significativos.

Leia mais

SEPARAÇÃO DE MISTURAS Exercícios

SEPARAÇÃO DE MISTURAS Exercícios SEI Ensina - MILITAR Química SEPARAÇÃO DE MISTURAS Exercícios 1.A água potável é um recurso natural considerado escasso em diversas regiões do nosso planeta. Mesmo em locais onde a água é relativamente

Leia mais

NaOH (aq) 20 g/l 500 ml

NaOH (aq) 20 g/l 500 ml Química Frente I itor Terra Lista 7 Soluções Concentração de Soluções RESUMO amos adotar a seguinte convenção: - quantidades relativas ao soluto possuem índice 1 Exemplo: n1 é o número de mols de soluto

Leia mais

Aula 19 PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES. Eliana Midori Sussuchi Samísia Maria Fernandes Machado Valéria Regina de Souza Moraes

Aula 19 PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES. Eliana Midori Sussuchi Samísia Maria Fernandes Machado Valéria Regina de Souza Moraes Aula 19 PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES META Apresentar os fatores que influenciam no processo de dissolução. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: reconhecer um processo de dissolução; identificar

Leia mais

A resposta correta deve ser a letra B.

A resposta correta deve ser a letra B. ITA - 1999 1- (ITA-99) Assinale a opção CORRETA em relação à comparação das temperaturas de ebulição dos seguintes pares de substâncias: a) Éter dimetílico > etanol; Propanona > ácido etanóico; Naftaleno

Leia mais

Resolução da UNICAMP 2013 1ª Fase.

Resolução da UNICAMP 2013 1ª Fase. Resolução da UNICAMP 2013 1ª Fase. 1- Na década de 1970, a imprensa veiculava uma propaganda sobre um fertilizante que dizia: contém N, P, K, mais enxofre. Pode-se afirmar que o fertilizante em questão

Leia mais

DISPERSÕES. Profa. Kátia Aquino

DISPERSÕES. Profa. Kátia Aquino DISPERSÕES Profa. Kátia Aquino O que é uma dispersão do ponto de vista químico? Mistura de duas ou mais substâncias, em que as partículas de uma fase a fase dispersa se encontram distribuidas em outra

Leia mais

Preparação e padronização de uma solução 0,10 mol/l de ácido clorídrico

Preparação e padronização de uma solução 0,10 mol/l de ácido clorídrico Universidade Estadual de Goiás UnUCET - Anápolis Química Industrial Química Experimental II Preparação e padronização de uma solução 0,10 mol/l de ácido clorídrico Alunos: Bruno Ramos; Wendel Thiago; Thales

Leia mais

Resumo Teórico. Fala Gás Nobre! Tudo bem?

Resumo Teórico. Fala Gás Nobre! Tudo bem? Resumo Teórico 2 Fala Gás Nobre! Tudo bem? Já assistimos todos os vídeos sobre a Poluição da Água. Estamos cada vez mais próximos do sucesso. Por isso quero te entregar esse material que contém o resumo

Leia mais

Final 8 de Maio de 2010

Final 8 de Maio de 2010 Final 8 de Maio de 2010 Prova Teórica Nome:.... Escola:....... Pergunta Total Átomo, elemento e núcleo Contar os átomos Massa, moles e concentrações Equações Químicas Classificação teórica Classificação

Leia mais

Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza

Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza 1) a-) Calcular a solubilidade do BaSO 4 em uma solução 0,01 M de Na 2 SO 4 Dissolução do Na 2 SO 4 : Dado: BaSO

Leia mais

EXERCÍCIOS DE QUÍMICA PROFESSOR: RENIR DAMASCENO

EXERCÍCIOS DE QUÍMICA PROFESSOR: RENIR DAMASCENO 01. Ana, Lúcia, Renata e Fernanda participaram de uma olimpíada química. A vencedora foi a que apresentou o objeto com maior número de átomos. O resultado foi registrado na tabela a seguir. PARTICIPANTES

Leia mais

química FUVEST ETAPA Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2 c) Determine o volume adicionado da solução

química FUVEST ETAPA Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2 c) Determine o volume adicionado da solução Química QUESTÃO 1 Um recipiente contém 100 ml de uma solução aquosa de H SO 4 de concentração 0,1 mol/l. Duas placas de platina são inseridas na solução e conectadas a um LED (diodo emissor de luz) e a

Leia mais

UNICAMP - 2006. 2ª Fase QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UNICAMP - 2006. 2ª Fase QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UNICAMP - 2006 2ª Fase QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Química Questão 01 O medicamento dissulfiram, cuja fórmula estrutural está representada a seguir, tem grande importância terapêutica e

Leia mais

QUÍMICA. 01. A Coréia do Norte realizou, recentemente, um teste. 03. A Tabela abaixo apresenta a variação da pressão de

QUÍMICA. 01. A Coréia do Norte realizou, recentemente, um teste. 03. A Tabela abaixo apresenta a variação da pressão de QUÍMIA 01. A oréia do Norte realizou, recentemente, um teste nuclear subterrâneo, que foi condenado pelo onselho de Segurança da ONU. Sabe-se que as armas em desenvolvimento por aquele país estão baseadas

Leia mais

SEI Ensina - MILITAR Química

SEI Ensina - MILITAR Química SEI Ensina - MILITA Química Funções e Nomenclaturas e Química rgânica idrocarbonetos e Derivados alogenados Função aracterística Nomenclatura idrocarbonetos Somente átomos de arbono e idrogênio o Alcanos

Leia mais

INTRODUÇÃO À QUÍMICA ORGÂNICA

INTRODUÇÃO À QUÍMICA ORGÂNICA PROFESSOR: EQUIPE DE QUÍMICA BANCO DE QUESTÕES - QUÍMICA - 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO - PARTE 1 ============================================================================================= INTRODUÇÃO À QUÍMICA

Leia mais

10/02/2014. O Processo de Dissolução. Solução: é uma mistura homogênea de soluto e solvente. Solvente: Componente cujo estado físico é preservado.

10/02/2014. O Processo de Dissolução. Solução: é uma mistura homogênea de soluto e solvente. Solvente: Componente cujo estado físico é preservado. Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Bacharelado em Ciência e Tecnologia Diamantina - MG Solução: é uma mistura homogênea de soluto e solvente. Solvente: Componente cujo estado físico

Leia mais

TIPOS DE MÉTODOS ELETROANALÍTICOS

TIPOS DE MÉTODOS ELETROANALÍTICOS CONDUTOMETRIA TIPOS DE MÉTODOS ELETROANALÍTICOS CONDUTOMETRIA Baseia-se em medições de condutância das soluções iônicas (seio da solução). A condução de eletricidade através das soluções iônicas é devida

Leia mais

Roteiro de Estudos 2 trimestre 2015 Disciplina: Química 9º ANOS

Roteiro de Estudos 2 trimestre 2015 Disciplina: Química 9º ANOS Roteiro de Estudos 2 trimestre 2015 Disciplina: Química 9º ANOS Professor: Ricardo Augusto Marques da Costa O que devo saber: UNIDADE 2 Os estados físicos da matéria. Estados físicos da matéria e suas

Leia mais

Aula sobre Soluções Aula 01 (ENEM) Profº.: Wesley de Paula

Aula sobre Soluções Aula 01 (ENEM) Profº.: Wesley de Paula Aula sobre Soluções Aula 01 (ENEM) Profº.: Wesley de Paula Propriedades das Soluções Classificação das Misturas: Soluções e Dispersões Classificação das soluções O Processo de Dissolução em soluções Relações

Leia mais

Assunto: Roteiro de estudos autônomos. Professora: Luciene Data: 11/07/2013

Assunto: Roteiro de estudos autônomos. Professora: Luciene Data: 11/07/2013 Disciplina: Química Assunto: Roteiro de estudos autônomos Série/Ano: 2ª série 1º SEMESTRE Professora: Luciene Data: 11/07/2013 GABARITO INTRODUÇÃO AO ESTUDO DOS GASES ESTEQUIOMETRIA ESTUDO DAS SOLUÇÕES

Leia mais

LISTA DE REVISÃO DE HIDROCARBONETO

LISTA DE REVISÃO DE HIDROCARBONETO 2 o EM QUÍMICA 2º TRIMESTRE 08 07 15 LISTA DE REVISÃO DE HIDROCARBONETO 1. (Enem 2000) Para compreender o processo de exploração e o consumo dos recursos petrolíferos, é fundamental conhecer a gênese e

Leia mais

Sobre as substâncias representadas pelas estruturas I e II, é INCORRETO afirmar:

Sobre as substâncias representadas pelas estruturas I e II, é INCORRETO afirmar: 8 GABARITO 1 1 O DIA 2 o PROCESSO SELETIVO/2005 QUÍMICA QUESTÕES DE 16 A 30 16. Devido à sua importância como catalisadores, haletos de boro (especialmente B 3 ) são produzidos na escala de toneladas por

Leia mais

CONTEÚDOS DE QUÍMICA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO

CONTEÚDOS DE QUÍMICA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO DE QUÍMICA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO GOVERNADOR DE PERNAMBUCO Paulo Henrique Saraiva Câmara SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES Frederico

Leia mais

UFSC. Química (Amarela) 31) Resposta: 43. Comentário

UFSC. Química (Amarela) 31) Resposta: 43. Comentário UFSC Química (Amarela) 1) Resposta: 4 01. Correta. Ao perder elétrons, o núcleo exerce maior atração sobre os elétrons restantes, diminuindo o raio. Li 1s2 2s 1 Li+ 1s 2 Raio atômico: átomo neutro > íon

Leia mais

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final)

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final) Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final) 01. (Uftm) Em soluções aquosas de acetato de sódio, o íon acetato sofre hidrólise: 3 l 3 CH COO (aq) + H O( ) CH COOH (aq) + OH

Leia mais

IME - 2005 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

IME - 2005 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR IME - 2005 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Química Questão 01 Considerando os elementos químicos Be, B, F, Ca e Cs, classifique-os em ordem crescente de acordo com as propriedades periódicas

Leia mais

Propriedades da matéria (Continuação)

Propriedades da matéria (Continuação) Propriedades da matéria (Continuação) Densidade m/v Experimentos / discussão Exercício 1) Um bloco de metal tem volume de 200 ml e massa de 1792 g. a) Qual a densidade desse metal, expressa em g / cm3?

Leia mais

IME 2005 Bernoulli Resolve

IME 2005 Bernoulli Resolve IME 005 Bernoulli Resolve Questão 0 Considerando os elementos químicos Be, B, F, Ca e Cs, classifiqueos em ordem crescente de acordo com as propriedades periódicas indicadas: a) raio atômico b) primeira

Leia mais

Matéria: Química Assunto: Materiais Prof. Gilberto Ramos

Matéria: Química Assunto: Materiais Prof. Gilberto Ramos Matéria: Química Assunto: Materiais Prof. Gilberto Ramos Química Materiais, suas propriedades e usos Estados Físicos Estado vem do latim status (posição,situação, condição,modo de estar). O estado físico

Leia mais

CAPÍTULO 13 EQUILÍBRIO DE FASES E SOLUÇÕES MOLECULARES. 2. Equilíbrios de fases entre líquidos e seus vapores

CAPÍTULO 13 EQUILÍBRIO DE FASES E SOLUÇÕES MOLECULARES. 2. Equilíbrios de fases entre líquidos e seus vapores CAPÍTULO 13 CAPÍTULO 13 EQUILÍBRIO DE FASES E SOLUÇÕES MOLECULARES 1. Introdução No capítulo 12 tratamos de equilíbrio químico de modo geral, mas em particular de sistemas homogêneos, onde todas as espécies

Leia mais

Questão 76. Questão 78. Questão 77. alternativa D. alternativa C. alternativa A

Questão 76. Questão 78. Questão 77. alternativa D. alternativa C. alternativa A Questão 76 O hidrogênio natural é encontrado na forma de três isótopos de números de massa, 1, 2 e 3, respectivamente: 1 1 H, 2 1 H e 3 1 H As tabelas periódicas trazem o valor 1,008 para a sua massa atômica,

Leia mais

Aluno(a): Instituição de Ensino: Município: Coordenador da Instituição de Ensino: ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO

Aluno(a): Instituição de Ensino: Município: Coordenador da Instituição de Ensino: ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO IX Olimpíada Capixaba de Química 2011 Prova do Grupo I 1 a série do ensino médio Fase 01 Aluno(a): Instituição de Ensino: Município: Coordenador da Instituição de Ensino: ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO

Leia mais

Química. Química 3 SUMÁRIO. e Pré-vestibular

Química. Química 3 SUMÁRIO. e Pré-vestibular Química SUMÁRIO Química 1 MÓDULO 1 Estrutura da matéria - Atomística... 3 Estrutura da matéria: modelos atômicos, Z, A, isótopos e íons Estrutura da matéria: A eletrosfera MÓDULO 2 Classificação periódica

Leia mais

Conteúdo: Substancias e misturas

Conteúdo: Substancias e misturas LISTA 1º. ANO - Substâncias Conteúdo: Substancias e misturas 1- Com relação ao número de fases, os sistemas podem ser classificados como homogêneos ou heterogêneos. As alternativas correlacionam adequadamente

Leia mais