REDUÇÃO DA PROGRAMAÇÃO INFANTIL DA TV ABERTA E AUSÊNCIA DE POLÍTICA PÚBLICA NA PROMOÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA BRASILEIRA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REDUÇÃO DA PROGRAMAÇÃO INFANTIL DA TV ABERTA E AUSÊNCIA DE POLÍTICA PÚBLICA NA PROMOÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA BRASILEIRA"

Transcrição

1 REDUÇÃO DA PROGRAMAÇÃO INFANTIL DA TV ABERTA E AUSÊNCIA DE POLÍTICA PÚBLICA NA PROMOÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA BRASILEIRA Vânia Lúcia Quintão Carneiro - Universidade de Brasília (UNB) Na década de 1990, as crianças brasileiras foram brindadas com ofertas frequentes de programas infantis que ensinavam, divertiam e desafiavam os tradicionais programas de auditório. Rá-timbum! foi o primeiro a ecoar. Outros se seguiram, sob a liderança da TV Cultura, como Mundo da Lua, Castelo Rá-tim-bum, Cocorocó e X-Tudo. Criaram novos formatos, conquistaram audiências e afirmaram possibilidades de fazer programa infantil com qualidade educativa. Contudo, desde a primeira década do século 21, as notícias sobre programação infantil tratavam de sua redução nas principais emissoras de televisão aberta do Brasil. Em 2012, um espaço tradicional da TV Globo foi retirado do ar durante a semana e ficou restrito aos sábados. Tratavase da programação diária TV Globinho, que transmitia variados programas infantis, do Xou da Xuxa até programas de qualidade premiados, como os pioneiros em unir diversão televisiva e educação Vila Sésamo e Sítio do Pica-pau Amarelo. Ao tempo em que se retirava do ar a TV Globinho, anunciava-se o novo canal infantil Gloob, fechado, pago. Recentemente, uma das poucas emissoras abertas que continua exibindo programação infantil no período da manhã, o SBT, ameaça rever seus planos de investimento em programação infantil (Jimenez, 2014). Diante dessa redução incessante, as crianças têm poucas opções na televisão aberta. Ficam à mercê de qualidade cada vez mais inadequada, ao priorizarem audiências de adultos. O acesso a novas programações por canais a cabo ainda não atinge o grande público de baixa renda, que busca informação e entretenimento nos circuitos abertos gratuitos. Considere-se que pelo Estatuto da Criança e do Adolescente programação de TV para o público infanto-juvenil é um direito, uma vez que As emissoras de Rádio e Televisão somente exibirão no horário recomendado para o público infanto-juvenil, programas com finalidades educativas, artísticas, culturais e informativas. Até que ponto essa situação não viola os direitos das crianças

2 brasileiras? Que alternativas estão sendo propostas pela política pública de proteção e promoção dos direitos das crianças? O presente artigo analisa a redução da programação infantil da televisão aberta brasileira nos canais com maiores audiências. Para tanto se apoia em textos da legislação referente a televisão e a direitos da criança e em nossa observação contínua quanto à programação infantil e sua recepção por crianças, com a contribuição de bolsistas de PIBEX e PIBIC e alunos da disciplina Usos TV/vídeo na Escola ( FE-UNB). Partindo dos pressupostos de que a televisão é a principal fonte de informação e diversão da maioria das crianças e de que o atendimento prioritário a interesses das crianças é universal, este trabalho busca apreender motivos e implicações dessa progressiva redução. A análise se inicia abordando a ampliação dos programas concomitantemente aos avanços dos direitos das crianças e, em contraposição, a redução de programas e a inexistência de políticas públicas, no caso brasileiro, para salvaguardar os direitos da criança no acesso a programação de qualidade. 1. Ampliação da programação e os direitos da criança Os anos 90 marcam a ampliação da produção e da oferta de programas inovadores para crianças brasileiras. Destaca-se um novo educativo, que se afasta dos conteúdos escolares e se aproxima do entretimento, do lúdico, do imaginário, enfocando a criança como protagonista de narrativas variadas, divertidas e comprometidas com o atendimento a necessidades afetivas, sociais de valores, cognitivas. Sob a égide da Convenção Sobre os Direitos da Criança (1989), adotada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 1989 e ratificada pelo Brasil em 1990, foi fonte inspiradora ao legislador nacional na elaboração do Estatuto da Criança e do Adolescente, Lei n , de 13 de julho de Tal documento normativo, de grande capacidade mobilizadora, teve o mérito de mudar o então paradigma vigente, elevando as crianças à figura de sujeito de direitos, que hoje constitui o segmento da população mundial que mais goza de atenção ( Valera, 2012).

3 Nesse texto, o direito à educação é o direito principal da criança. O direito ao lazer, ao acesso a atividades culturais e artísticas em condições de igualdade também é destacado. Mais precisamente no artigo 31 é reconhecido o direito ao divertimento e às atividades recreativas próprias da idade, acrescentando o direito `a livre participação na vida cultural e artística e atribuindo a promoção pelo Estado de oportunidades adequadas para que a criança, em condições de igualdade, participe plenamente da vida cultural, artística, recreativa e de lazer. Em relação aos meios de comunicação há o reconhecimento (art. 17) da importância do papel que desempenham e do cuidado para garantir o acesso da criança a informações e materiais de diversas fontes nacionais e internacionais, em especial que visem promover seu bem-estar social, espiritual e moral e sua saúde física e mental. Essa difusão informativa de interesse social e cultural para a criança deverá ser incentivada pelo Estado. O atendimento preferencial às finalidades educativas, culturais e informativas constitui o primeiro princípio a orientar produção e programação de emissoras de televisão, respaldado no artigo 221 da Constituição Brasileira (1988), presente no artigo 70 do Estatuto da Criança e do Adolescente. Desde a última década do século 20, a TV Cultura atua com sucesso para conquistar audiência com seus programas educativos de entretenimento infanto-juvenil. Em 1991 pôs no ar o programa RÁ-TIM-BUM, o projeto mais ambicioso, lançado para divertir e ensinar. Antes de estar pronto, já lhe atribuía a missão de competir com a TV Globo, líder nacional de audiência. O Rá-Tim-Bum marcou presença na produção de programas infantis pela televisão. Sua competência em ensinar e divertir foi reconhecida. Recebeu, entre vários prêmios, a medalha de ouro do Festival Internacional de Cinema e Televisão de New York, 1991, na categoria de programa educativo infantil. As repercussões da premiação o colocaram em primeiro plano na agenda da mídia brasileira. E com ele a reafirmação da possibilidade da integração entre diversão, linguagens audiovisuais e finalidades pedagógicas. A TV Cultura abriu com Rá-Tim- Bum e manteve um espaço de reflexão/discussão sobre programas educativos, através de novas produções. No lançamento do Rá-Tim-Bum anunciava-se a próxima atração de sucesso da TV

4 Cultura, o seriado de ficção Mundo da Lua, que sucedeu, em janeiro de 1993, ao Xou da Xuxa, na Rede Globo. Observava-se um esgotamento da fórmula auditório-apresentadora. O infantil TV Colosso trouxe a linguagem dos bonecos e das vinhetas que faziam sucesso nos programas do gênero na TV Cultura. Outro programa inovador (da TV Cultura), até hoje no ar, é o Castelo Rá-Tim-Bum, lançado em 1994, constituiu-se um novo gênero de entretenimento educativo (Carneiro, 1999). A influência do Castelo na produção de mais e melhores infantis por outras emissoras foi visível. Record e SBT colocaram no ar programas infantis bem feitos e instrutivos inspirados no Castelo. A TV Cultura teve retorno explícito de audiência constatado por todos os órgãos de aferição de índices. Essas novas tendências na produção infantil foram impulsionadas pelos avanços em outros países, dos quais também chegaram novas produções interessantes. Nos Estados Unidos também ocorreram avanços na produção de programas para o público infanto-juvenil que resultaram em ampliação da quantidade e da qualidade educativa. Além disso, nas regras estabelecidas pela Children s Televison Act (1990) e adotadas em 1991 pela Federal Communications Comission (FCC), as emissoras de televisão comercial incluindo TVs a cabo passaram a ter de veicular programas com finalidades educativas/informativas (E/I) para crianças, como condição para renovar licenças de operação. Em 1996, especificou-se em 3 horas por semana o tempo de transmissão de programas (E/I) para crianças pelas emissoras. O desempenho da função educativa para as crianças pelas emissoras comerciais continua sendo cobrado atualmente pelos órgãos oficiais competentes. A importância de decisões políticas tomadas em favor da promoção de uma programação de qualidade se deve à constatação comprovada de que fornecem às crianças acesso a produtos que podem melhorar seu bem-estar social, emocional, sua cognição (Calvert & Kotler, 2003: 312) Em 2004, relatório da FCC reafirmou que com a implantação do sistema de televisão digital, as exigências básicas adotadas continuariam sendo cobradas para as televisões no novo sistema

5 pelos órgãos oficiais competentes. Vale lembrar que as crianças americanas também dispõem de um canal público infantil PBS Kids.

6 2. Redução da programação e políticas públicas Ante a redução dos espaços da TV aberta e o crescimento dos canais infantis pagos, a implantação do sistema de televisão digital possibilita a multiplicação de canais e a criação de um canal digital infantil público para exibir programas específicos parece ser a saída. A redução da programação infantil das televisões abertas e sua migração para canais pagos não é fenômeno recente. Tampouco o sucesso dos programas específicos bem produzidos, junto a audiências de crianças. De 2000 a 2005, o tempo de programação destinada às audiências infantis nas três principais emissoras brasileira se reduziu aproximadamente à metade. Uma das consequências observadas foi a mudança quanto aos programas preferidos. Os programas infantis que em 2000 ocupavam o segundo lugar passaram para o terceiro, e as novelas subiram para o segundo lugar. Os desenhos continuaram em primeiro. As crianças passaram a consumir mais programas para adultos. Contudo, embora programas de adultos fossem os mais assistidos pelas crianças, tanto pela curiosidade e a atração que exerce o mundo dos adultos, como pela falta de programas infantis, principalmente no horário nobre quando a maioria está em casa. Em nossa pesquisa (2005) com 424 crianças, quando perguntadas sobre o programa mais assistido geralmente citaram programa de adulto, mas quando perguntadas sobre de que programas mais gostavam, sempre indicaram um programa dirigido a crianças, principalmente desenho. (Carneiro, 2005). Apesar da visibilidade da redução dos programas infantis, a política pública de defesa dos direitos das crianças não atua na defesa e promoção dos benefícios da programação infantil. Sua atuação combativa restringe à proteção das crianças diante dos abusos da televisão aberta como o processo de Classificação Indicativa amplamente divulgado (CLASSIFICAÇÃO, 2006) e

7 regulamentado pela Portaria e o combate a publicidade infantil na televisão, que culminou com recente aprovação pelo Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente - Conanda, composto por entidades da sociedade civil e ministérios do governo federal, da resolução que, na prática, proíbe a veiculação de propagandas voltadas para crianças. (CONANDA, 2014). Algumas emissoras apontam essa política pública como responsável pela situação de fechamentos dos espaços infantis. O motivo maior para essa transformação é, entretanto, o fato de ser mais lucrativo o investimento nos canais pagos infantis. Daí que programas específicos para crianças migram para canais infantis por assinatura. Estes canais infantis têm tido grande sucesso de audiência junto as crianças que podem pagar por tais canais. Vale assinalar que os canais infantis são os que mais ampliaram a base de assinantes e estão na liderança dos canais pagos. O Discovery Kids, destinado a crianças em idade pré-escolar, possui o maior número de assinantes entre todos os canais pagos. Produzir programas de qualidade para crianças tem sido um grande negócio. (Mattos, 2012). Simultaneamente à extinção da TV Globinho já se anunciava o novo canal infantil da Globosat, o Gloob. Para a Globo trata-se de tendência internacional entregar as audiências de crianças para a TV paga, com a vantagem de não ter controle externo, como classificação indicativa e proibições à publicidade infantil. A redução da oferta de programas infantis na televisão aberta não ocorreu apenas na TV brasileira. Tendência semelhante também pode ser observada na Espanha. No período de 1999/2000, o total da programação infantil em todas as emissoras abertas correspondia a 10,3% de toda a programação; e no período seguinte, 2001/2002, reduziu-se a 7,3%. (LIBRO BLANCO, 2003; p ).

8 Na Espanha, a perda de programação infantil da televisão aberta com a migração para os canais pagos foi compensada com a implantação do sistema de TV Digital. Foi o terceiro país a implantar o sistema de televisão digital, precedida pelos Estados Unidos e Inglaterra. (Bustamonte, 2006). Entre os primeiros cinco canais digitais públicos autorizados a funcionar, em 2006, um deles é o Clan TVE, canal infantil gratuito, público e acessível aos lares espanhóis, beneficiando todas as crianças espanholas. Possui programação variada orientada para atender às demandas de entretenimento de crianças até os 13 anos, com produções basicamente em espanhol, transmitidas 24 horas. A programação caracteriza-se como educativa, informativa, divertida e participativa, enfatizando valores éticos e democráticos: respeito, amizade, proteção do meio ambiente, colaboração e esforço. Trata-se de um canal de televisão pública de temática infantil e juvenil pertencente à TVE, que emite através da TDT e da plataforma de televisão paga Digital+. Estreou em 12 de dezembro de (RTVE, 2012) No primeiro trimestre de 2010, uma comparação entre os canais infantis específicos e os canais voltados a todos os públicos mostrou que dos quarenta programas mais assistidos pelas crianças, mais da metade, 57,5 %, correspondia a programas de canais infantis, e entre esses o líder era a Clan TVE, seguido pela Disney Channel, enquanto o restante correspondeu a emissoras abertas. Portanto, umas das consequências visíveis da existência da Clan TVE é o aumento do consumo de programação infantil específica pelas crianças e a diminuição do consumo de programa de adultos oferecidos pelos canais voltados para todos os públicos, como as tradicionais televisões abertas (Barrios, 2011). No Brasil, com a instituição do Sistema Brasileiro de Televisão Digital SBTVD houve expectativas de criação de um canal de televisão pública infantil, de modo que todas as crianças brasileiras pudessem ter acesso a opções de programação divertida e educativa, como o fazem as crianças dos Estados Unidos, Reino Unido, França, Itália, Canadá, Holanda, Japão, Chile, entre outros. Contudo, em 2006, pelo Decreto nº 5.820, sobre a implantação do SBTVD-T, não se destinou nenhum canal digital público para as crianças brasileiras.

9 Uma investigação sobre ordenamentos jurídicos da mídia e direitos das crianças e adolescentes em quatorze países da América Latina, inclusive o Brasil, constatou que uma das ausências mais notórias está relacionada à legislação específica que trata sobre a relação tevê pública e direitos de crianças e adolescentes (ANDI, 2012, p.54-55), o que confirma a ausência de políticas públicas e o desrespeito aos direitos de crianças e adolescentes em relação a televisão. Conclusão Da análise de documentos da legislação (decretos, Constituição, estatuto, convenção) em relação a TV e a direitos das crianças constata-se não haver no Brasil políticas públicas de defesa dos direitos das crianças, quanto ao acesso a programação gratuita que atenda às suas necessidades educativas e de divertimento específicas. Tampouco houve até agora responsabilidade política para conceder um canal digital público exclusivamente para as audiências infantis, apesar de ter havido avanço não apenas dos direitos, como do conhecimento sobre o papel benéfico na educação e na diversão infantil pela televisão, produzida em função de necessidades, conhecimentos e interesses das crianças. Com a migração da programação infantil da TV aberta para a TV paga, e na falta de um canal de TV público infantil, a maioria das crianças brasileiras fica privada de acesso a um canal infantil, ao contrário de crianças que têm poder aquisitivo para assinar canais pagos. Como Basílio (2003, p.122), indago: Sem políticas públicas voltadas para crianças e televisão pública, como falar em direitos da criança? Bibliografia AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DOS DIREITOS DA INFÂNCIA ANDI.. Regulação de mídia e direitos das crianças e adolescentes: uma análise do marco legal de 14 países latino-americanos, sob a perspectiva da promoção e proteção. Brasília, ANDI, Disponível em:

10 em: 25 jan Acesso BAZÍLIO, Luiz Cavalieri; KRAMER, Sonia. Solidariedade em tempos de violência apontamentos e inquietações. In: BAZÍLIO, L. Cavalieri, KRAMER, Sonia. Infância, educação e direitos humanos. São Paulo: Cortez, P BERROS, Jesús Bermejo. Viejos esquemas, nuevas oportunidades. Consumo de los contenidos para la infância en el nuevo escenario de la TDT. Telos Cuadernos de Comunicación e Innovación. N. 87, abril-jun BRASIL. Estatuto da criança e do adolescente. Disponível em: <http://www.unicef.org/brazil/pt/resources_10079.htm >. Acesso em 10 maio de BRASIL. Decreto nº 5.820, de 29 de Junho de 2006 BRASIL. Constituição Brasileira. Brasília, Brasil. Portaria nº 1220, de 11 de julho de Regulamenta disposições de leis relativas ao processo de classificação indicativa de obras audiovisuais destinadas à televisão e congêneres. BUSTAMANTE, Enrique. Radio y televisión en España: Historia de una asignatura pendiente de la democracia. Madrid, Gediza, 2006 CALVERT, S. L., KOTLER, J A.(2003) Lessons from children s television: The impact of the Children s Television Act on children s learning. Applied Developmental Psychology 24 (2003) CARNEIRO, Vânia L Quintão. Castelo Rá-Tim-Bum. O educativo como entretenimento. São Paulo, Annablume, A tv de crianças e adolescentes com câmera à mão...revista Comunicar, Huelva: [25], nov

11 CHILDREN`S TELEVISION ACT OF 1990 (1990). Publ. No , 104 Stat , codified at 47 USC Sections 303a, 303b, 394. CONSELHO NACIONAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE. COMANDA aprova resolução que proíbe a publicidade direcionada a crianças. Disponível em < Acesso em 10 jun CONSELL DE L AUDIOVISUAL DE CATALUNYA - CCA. Libro Blanco: La educación en el entorno audiovisual. Quaderns del CAC, número extraordinario, Barcelona, FEDERAL COMMUNICATIONS COMMISSION (1991). Policies and rules concerning children s Television Programming. Federal Communications Commission Record, 6, 2111, 2127 FEDERAL COMMUNICATIONS COMMISSION (1996). Policies and rules concerning children s Television Programming: Revision of Programming Policies for Television Boradcast Broadcsters. MMDocket No FEDERAL COMMUNICATIONS COMMISSION (2004). Report and order MMDocket No MATTOS, Laura. Quem precisa da TV aberta? Folha de São Paulo, São Paulo, 9 nov. 2008, Folha Ilustrada. ORGANIZAÇÕES DAS NAÇÕES UNIDAS ONU. Convenção sobre os Direitos da Criança Disponível em: < Acesso em: 10 jan Declaração dos Direitos da Criança Disponível em: < Acesso em: 20 abril 2012.

12 CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: construindo a cidadania na tela da tevê. Brasília, Ministério da Justiça & Agencia de Noticias dos Direitos da Infância (ANDI), RADIO TELEVISIÓN ESPAÑOLA - RTVE. Clan TV. Espanha, Disponível em: <http://www.rtve.es/infantil/padres/faqs/>. Acesso em: 20 jul RICCO, Flávio. SBT vai acabar com a programação infantil.. Disponível em: Acesso em: 15 abril VALERA, Carlos Alberto. A convenção sobre os direitos da criança. Disponível em: < Acesso em: 10 set. 2012

TV RÁ TIM BUM O primeiro canal infantil brasileiro da TV por Assinatura para a criança brasileira

TV RÁ TIM BUM O primeiro canal infantil brasileiro da TV por Assinatura para a criança brasileira O primeiro canal infantil brasileiro da TV por Assinatura para a criança brasileira Tel: 3874-3015 / Fax: 3611-2060 PROGRAMAÇÃO INFANTIL DA TV CULTURA Na década de 70, a TV Cultura uniu-se à TV Globo e

Leia mais

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Comunicação é um direito de todos No Brasil, os meios de comunicação estão concentrados nas mãos de poucas empresas familiares que têm a

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 5.269, DE 2001 (Apensos os Pls. 2.134/96, 2.415/96, 3.046/97, 3.422/97, 4.052/98, 4.360/98, 1.568/99, 2.029/99, 2.089/99, 2.507/00, 3.573/00, 3.235/00,

Leia mais

Sistemas de comunicação e novas tecnologias

Sistemas de comunicação e novas tecnologias Sistemas de comunicação e novas tecnologias Módulo 3: Capitalismo informacional 3.3: Ascensão da TV paga Esta obra estálicenciada sob umalicença CreativeCommons. Prof. Dr. Marcos Dantas 1948 Pequenos empreendedores

Leia mais

Estudo sobre volume de publicidade direcionado a crianças na televisão aberta e por assinatura

Estudo sobre volume de publicidade direcionado a crianças na televisão aberta e por assinatura Estudo sobre volume de publicidade direcionado a crianças na televisão aberta e por assinatura Estudo realizado, entre dezembro de 2012 e janeiro de 2013, pelo IBOPE Media, a pedido da ABA Associação Brasileira

Leia mais

Os prêmios da Televisão Pública e Cultural da América Latina REGULAMENTO TERCEIRA EDIÇÃO (2015)

Os prêmios da Televisão Pública e Cultural da América Latina REGULAMENTO TERCEIRA EDIÇÃO (2015) PRÊMIOS TAL Os prêmios da Televisão Pública e Cultural da América Latina 1. Objetivo REGULAMENTO TERCEIRA EDIÇÃO (2015) Os Prêmios TAL buscam a premiação e o reconhecimento do conteúdo de qualidade produzido

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA PARA CADASTRO E SELEÇÃO DE OBRAS AUDIOVISUAIS BRASILEIRAS

CHAMADA PÚBLICA PARA CADASTRO E SELEÇÃO DE OBRAS AUDIOVISUAIS BRASILEIRAS CHAMADA PÚBLICA PARA CADASTRO E SELEÇÃO DE OBRAS AUDIOVISUAIS BRASILEIRAS 1. Sobre a Sétima A SÉTIMA quer ajudar os realizadores, artistas, coletivos de audiovisual, distribuidoras e produtoras, que não

Leia mais

LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA

LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA (versão simples da Lei da Comunicação Social Eletrônica) CAPÍTULO 1 PARA QUE SERVE A LEI Artigo 1 - Esta lei serve para falar como vai acontecer de fato o que está escrito em alguns

Leia mais

PRODUÇÕES AUDIOVISUAIS COMO UM PRODUTO DE INCENTIVO A FAVOR DAS ENTIDADES DA TV COMUNITÁRIA

PRODUÇÕES AUDIOVISUAIS COMO UM PRODUTO DE INCENTIVO A FAVOR DAS ENTIDADES DA TV COMUNITÁRIA 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA PRODUÇÕES AUDIOVISUAIS COMO UM

Leia mais

As modificações promovidas pela nova lei vão sendo. Regulamentação da TV por assinatura

As modificações promovidas pela nova lei vão sendo. Regulamentação da TV por assinatura Visão Jurídica > Lei do SeAc Regulamentação da TV por assinatura Após vários anos de discussão no Congresso nacional, em setembro de 2011 foi finalmente promulgada a Lei n. 12.485/11, instituindo o chamado

Leia mais

Avanços na Regulação da Publicidade Infantil

Avanços na Regulação da Publicidade Infantil Avanços na Regulação da Publicidade Infantil IV Fórum de Monitoramento do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas não Transmissíveis no Brasil AGO/2014 O arsenal de publicidade

Leia mais

5 Considerações finais retomando o problema

5 Considerações finais retomando o problema 5 Considerações finais retomando o problema A análise dos dados, dividida nos eixos critérios de avaliação, interpretação e juízo moral, tentou responder as perguntas formuladas no início da pesquisa como

Leia mais

Inovação e o Telejornalismo Digital

Inovação e o Telejornalismo Digital Inovação e o Telejornalismo Digital Prof. Antonio Brasil Cátedra UFSC - RBS 2011 Telejornalismo Digital Novas práticas, desafios e oportunidades O que é Telejornalismo Digital Inovação tecnológica Interatividade

Leia mais

Carta Unir para Cuidar Apresentação

Carta Unir para Cuidar Apresentação Carta Unir para Cuidar Apresentação Durante o 17º Encontro Nacional de Apoio à Adoção (ENAPA), na capital federal, de 07 a 09 de junho de 2012, as entidades participantes assumem, com esta carta de compromisso,

Leia mais

1º FESTIVAL DE CURTAS EDUCAÇÃO FISCAL PARA A CIDADANIA 2010 DERAT/SP

1º FESTIVAL DE CURTAS EDUCAÇÃO FISCAL PARA A CIDADANIA 2010 DERAT/SP A Delegacia da Receita Federal do Brasil de Administração Tributária em São Paulo, doravante denominada apenas DERAT/SPO, com sede na Rua Luís Coelho, 197, Consolação, São Paulo, SP, vem tornar público,

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL SÃO VICENTE DE PAULO Ensino Fundamental, Médio e Normal PROJETO RÁDIO VOZES

COLÉGIO ESTADUAL SÃO VICENTE DE PAULO Ensino Fundamental, Médio e Normal PROJETO RÁDIO VOZES COLÉGIO ESTADUAL SÃO VICENTE DE PAULO Ensino Fundamental, Médio e Normal PROJETO RÁDIO VOZES IRATI 2005 RESUMO Dentro do Programa Ética e Cidadania Ensino Médio Construindo Valores na Escola, o Projeto

Leia mais

Lei 12.485/2011. SeAC Serviço de Acesso condicionado. Lei da TV Paga

Lei 12.485/2011. SeAC Serviço de Acesso condicionado. Lei da TV Paga Lei 12.485/2011 SeAC Serviço de Acesso condicionado Lei da TV Paga Segundo a Anatel, o serviço de TV por assinatura atende aproximadamente 54,2 milhões de lares brasileiros e 27,9% das residências do país.

Leia mais

PRÊMIO DE JORNALISMO FAEPA/SENAR-PB 2015 REGULAMENTO. Encerramento das inscrições. Cerimônia de premiação dos vencedores

PRÊMIO DE JORNALISMO FAEPA/SENAR-PB 2015 REGULAMENTO. Encerramento das inscrições. Cerimônia de premiação dos vencedores PRÊMIO DE JORNALISMO FAEPA/SENAR-PB 2015 REGULAMENTO Calendário ATIVIDADES DATA Lançamento no site Encerramento das inscrições Anúncio oficial dos finalistas Cerimônia de premiação dos vencedores 03 de

Leia mais

#ElesPorElas. Movimento ElesPorElas (HeForShe) de Solidariedade da ONU Mulheres pela Igualdade de Gênero Impactando Universidades

#ElesPorElas. Movimento ElesPorElas (HeForShe) de Solidariedade da ONU Mulheres pela Igualdade de Gênero Impactando Universidades #ElesPorElas Movimento ElesPorElas (HeForShe) de Solidariedade da ONU Mulheres pela Igualdade de Gênero Impactando Universidades ElesPorElas Criado pela ONU Mulheres, a Entidade das Nações Unidas para

Leia mais

CONCURSO CULTURAL DESAFIO DE GAMES & EDUCAÇÃO 2015

CONCURSO CULTURAL DESAFIO DE GAMES & EDUCAÇÃO 2015 CONCURSO CULTURAL DESAFIO DE GAMES & EDUCAÇÃO 2015 O Laboratório de Pesquisa em Jogos Digitais do Instituto Metrópole Digital (IMD) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), torna público

Leia mais

O PL 29 e as políticas de comunicação no Brasil: a importância da participação da sociedade civil e do Poder Executivo no processo legislativo

O PL 29 e as políticas de comunicação no Brasil: a importância da participação da sociedade civil e do Poder Executivo no processo legislativo O PL 29 e as políticas de comunicação no Brasil: a importância da participação da sociedade civil e do Poder Executivo no processo legislativo 1 Lara Haje Laboratório de Políticas de Comunicação (LaPCom)

Leia mais

Media Networks esteve presente na Conferencia VSAT Latin America 2014

Media Networks esteve presente na Conferencia VSAT Latin America 2014 16 de Maio, 2014 // Número 026 Media Networks esteve presente na Conferencia VSAT Latin America 2014 Ver más Apresentando as vantagens da Internet via satélite para a região Com plataforma via satélite

Leia mais

III - regionalização da produção cultural, artística e jornalística, conforme percentuais estabelecidos em lei;

III - regionalização da produção cultural, artística e jornalística, conforme percentuais estabelecidos em lei; Excelentíssimos Senhores Senadores, gostaria de agradecer pela oportunidade de participar dessa audiência pública, essencial não apenas para regulamentação do art. 221, II e III da Constituição, mas também

Leia mais

GUIA DO PRÊMIO ODM BRASIL

GUIA DO PRÊMIO ODM BRASIL GUIA DO PRÊMIO ODM BRASIL 4ª Edição QUANDO O BRASIL SE JUNTA, TODO MUNDO GANHA. Secretaria-Geral da Presidência da República Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) Movimento Nacional

Leia mais

REGULAMENTO 2015. A 7ª edição do Festival será realizada em São Paulo, de 01/05/2015 a 10/05/2015.

REGULAMENTO 2015. A 7ª edição do Festival será realizada em São Paulo, de 01/05/2015 a 10/05/2015. I - SOBRE O FESTIVAL DESCRIÇÃO E OBJETIVOS O IN- EDIT~BRASIL - Festival Internacional do Documentário Musical - é um evento cinematográfico que tem como objetivo fomentar a produção e a difusão de filmes

Leia mais

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diretriz 01 - Promoção da cultura do respeito e da garantia dos direitos humanos de

Leia mais

PARECER Nº, DE 2012. RELATOR: Senador MOZARILDO CAVALCANTI I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2012. RELATOR: Senador MOZARILDO CAVALCANTI I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2012 Da COMISSÃO DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTES, sobre o Projeto de Lei da Câmara nº 65, de 2012 (Projeto de Lei nº 1.263, de 2003, na origem), de autoria do Deputado Leonardo Monteiro,

Leia mais

Mídia e Região na Era Digital: Diversidade Cultural & Convergência Midiática. (org. Anamaria Fadul e Maria Cristina Gobbi)

Mídia e Região na Era Digital: Diversidade Cultural & Convergência Midiática. (org. Anamaria Fadul e Maria Cristina Gobbi) Mídia e Região na Era Digital: Diversidade Cultural & Convergência Midiática (org. Anamaria Fadul e Maria Cristina Gobbi) XI Colóquio Internacional de Comunicação para o Desenvolvimento Regional (9,10,11

Leia mais

REGULAMENTO ARTE MOVIE FESTIVAL DE CURTAS

REGULAMENTO ARTE MOVIE FESTIVAL DE CURTAS REGULAMENTO ARTE MOVIE FESTIVAL DE CURTAS A empresa Gaia Cultura & Arte, CNPJ: 10.709.140/0001-97, sediada na Rua Giordano Bruno, 160 na cidade de Porto Alegre, torna público, para o conhecimento dos interessados,

Leia mais

Direito de Autor e Sociedade da Informação

Direito de Autor e Sociedade da Informação Direito de Autor e Sociedade da Informação 1. Vivemos imersos há alguns anos, e de um modo crescentemente acentuado, na assim chamada sociedade da informação. Ao certo o rótulo não tem conteúdo definido,

Leia mais

LIMITAÇÕES AO CAPITAL ESTRANGEIRO EM PORTAIS DA INTERNET CRISTIANO AGUIAR LOPES

LIMITAÇÕES AO CAPITAL ESTRANGEIRO EM PORTAIS DA INTERNET CRISTIANO AGUIAR LOPES LIMITAÇÕES AO CAPITAL ESTRANGEIRO EM PORTAIS DA INTERNET CRISTIANO AGUIAR LOPES Consultor Legislativo da Área XIV Comunicação Social, Informática, Telecomunicações, Sistema Postal, Ciência e Tecnologia

Leia mais

RESTRIÇÕES A INVESTIMENTOS ESTRANGEIROS EM EMPRESAS JORNALÍSTICAS E DE RADIODIFUSÃO EM OUTROS PAÍSES

RESTRIÇÕES A INVESTIMENTOS ESTRANGEIROS EM EMPRESAS JORNALÍSTICAS E DE RADIODIFUSÃO EM OUTROS PAÍSES RESTRIÇÕES A INVESTIMENTOS ESTRANGEIROS EM EMPRESAS JORNALÍSTICAS E DE RADIODIFUSÃO EM OUTROS PAÍSES Walkyria Menezes Leitão Tavares Consultora Legislativa da ÁreaXIV Comunicação Social, Informática, Telecomunicações,

Leia mais

JARBAS JOSÉ VALENTE. Presidente Substituto da Agência Nacional de Telecomunicações

JARBAS JOSÉ VALENTE. Presidente Substituto da Agência Nacional de Telecomunicações JARBAS JOSÉ VALENTE Presidente Substituto da Agência Nacional de Telecomunicações Brasília, 4 de junho de 2013 Agenda Lei da Comunicação Audiovisual de Acesso Condicionado (Lei n. 12.485, de 11/09/2012);

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA Vitória, ES Janeiro 2010. 1ª Revisão Janeiro 2011. 2ª Revisão Janeiro 2012. POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA REDE GAZETA IDENTIDADE CORPORATIVA Missão

Leia mais

assinatura no Brasil junho de 2011 Manoel Rangel

assinatura no Brasil junho de 2011 Manoel Rangel O PLC 116 e os serviços de televisão por assinatura no Brasil Audiência no Senado Federal junho de 2011 Manoel Rangel Diretor-presidente id t Tópicos desta apresentação A evolução da proposta do PLC 116

Leia mais

Digital no Brasil Audiência PúblicaP 12 de julho de 2007 Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, - CCT

Digital no Brasil Audiência PúblicaP 12 de julho de 2007 Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, - CCT Implantação do Rádio R Digital no Brasil Audiência PúblicaP Brasília 12 de julho de 2007 Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática - CCT Ronald Siqueira Barbosa Lembrando a importância

Leia mais

Representação da UNESCO no Brasil. DIREITOS HUMANOS NA MÍDIA COMUNITÁRIA: a cidadania vivida no nosso dia a dia

Representação da UNESCO no Brasil. DIREITOS HUMANOS NA MÍDIA COMUNITÁRIA: a cidadania vivida no nosso dia a dia Representação da UNESCO no Brasil DIREITOS HUMANOS NA MÍDIA COMUNITÁRIA: a cidadania vivida no nosso dia a dia 1ª Edição Brasília e São Paulo UNESCO e OBORÉ Setembro de 2009 2009 Organização das Nações

Leia mais

Guia para Boas Práticas

Guia para Boas Práticas Responsabilidade Social Guia para Boas Práticas O destino certo para seu imposto Leis de Incentivo Fiscal As Leis de Incentivo Fiscal são fruto da renúncia fiscal das autoridades públicas federais, estaduais

Leia mais

Rede Jovem de Cidadania, programa de TV de Acesso público. Alexia Melo. Clebin Quirino. Michel Brasil. Gracielle Fonseca. Rafaela Lima.

Rede Jovem de Cidadania, programa de TV de Acesso público. Alexia Melo. Clebin Quirino. Michel Brasil. Gracielle Fonseca. Rafaela Lima. Rede Jovem de Cidadania, programa de TV de Acesso público Alexia Melo Clebin Quirino Michel Brasil Gracielle Fonseca Rafaela Lima Satiro Saone O projeto Rede Jovem de Cidadania é uma iniciativa da Associação

Leia mais

BEM-VINDO à NET DIGITAL.

BEM-VINDO à NET DIGITAL. BEM-VINDO à NET DIGITAL. Prepare-se para ter muito mais TV pelo seu controle remoto. Parabéns! A partir de agora, você está em um mundo com muito mais programação com qualidade de imagem e som digital

Leia mais

Educação, Voluntariado e Mídia

Educação, Voluntariado e Mídia Educação, Voluntariado e Mídia AUTORES Antonio Carlos Gomes da Costa Geraldinho Vieira COORDENAÇÃO DO PROJETO Luís Norberto Pascoal PROJETO GRÁFICO Linea Creativa REVISÃO DE TEXTO Ricardo Lima Lígia Abramides

Leia mais

TRABALHO INFANTIL. Fabiana Barcellos Gomes

TRABALHO INFANTIL. Fabiana Barcellos Gomes TRABALHO INFANTIL Fabiana Barcellos Gomes Advogada, Pós graduada em Direito e Processo Penal com ênfase em Segurança Pública, Direito do Trabalho e Pós graduanda em Direito de Família e Sucessões O que

Leia mais

PRONUNCIAMENTO SOBRE VIGÊNCIA DA PORTARIA 1.220/2007, DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, QUE ATRASA A PROGRAMAÇÃO DA

PRONUNCIAMENTO SOBRE VIGÊNCIA DA PORTARIA 1.220/2007, DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, QUE ATRASA A PROGRAMAÇÃO DA PRONUNCIAMENTO SOBRE VIGÊNCIA DA PORTARIA 1.220/2007, DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, QUE ATRASA A PROGRAMAÇÃO DA TELEVISÃO ABERTA NOS ESTADOS DO AMAZONAS, MATO GROSSO DO SUL, PARÁ, RONDÔNIA, RORAIMA E ACRE

Leia mais

Logo! O nosso site está disponível em Português. Enquanto isso, baixe as regras do concurso em Português clicando aqui. LEMBRE-SE: As candidaturas

Logo! O nosso site está disponível em Português. Enquanto isso, baixe as regras do concurso em Português clicando aqui. LEMBRE-SE: As candidaturas Logo! O nosso site está disponível em Português. Enquanto isso, baixe as regras do concurso em Português clicando aqui. LEMBRE-SE: As candidaturas devem ser em espanhol. PRÊMIO INOVADORES DA AMÉRICA BASES

Leia mais

A SituAção da 2015 PAternidAde no Mundo: resumo e recomendações

A SituAção da 2015 PAternidAde no Mundo: resumo e recomendações Situação a 2015 aternidade o Mundo: esumo e ecomendações ais são importantes. As relações pai-filho/a, em todas as comunidades e em todas as fases da vida de uma criança, têm impactos profundos e abrangentes

Leia mais

Dia Nacional da Consciência Negra

Dia Nacional da Consciência Negra Dia Nacional da Consciência Negra Sobre a EBC Criada em 007 para instituir o Sistema Público de Comunicação, a Empresa Brasil de Comunicação é formada pela TV Brasil, TV Brasil Internacional, Agência Brasil,

Leia mais

REGULAMENTO. CURTA5 I Festival de Curtas-Metragens do Instituto Federal da Bahia - IFBA

REGULAMENTO. CURTA5 I Festival de Curtas-Metragens do Instituto Federal da Bahia - IFBA Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia Campus Eunápolis COORDENAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL Av. David Jonas Fadini, s/ n, Juca Rosa, Eunápolis BA CEP 45823-431

Leia mais

CARACTERÍSTICAS OBJETIVOS PRODUTOS

CARACTERÍSTICAS OBJETIVOS PRODUTOS INTRODUÇÃO Niterói - cidade considerada digital já em 1999 é uma das mais conectadas em banda larga do país. Na cidade conhecida por seus belos casarões, museus e centros culturais, foi criada em agosto

Leia mais

I Conferência Nacional de Comunicação CONFECOM. Marcelo Bechara Brasília, 21 de outubro de 2009

I Conferência Nacional de Comunicação CONFECOM. Marcelo Bechara Brasília, 21 de outubro de 2009 I Conferência Nacional de Comunicação CONFECOM Marcelo Bechara Brasília, 21 de outubro de 2009 1962 Lei nº 4.117, de 27 de agosto de 1962 Institui o Código Brasileiro de Telecomunicações CBT. 1963 Decreto

Leia mais

TV VILA EMBRATEL Uma experiência de Web TV Comunitária a partir de uma solução de Sistemas de Gerenciamento de Conteúdo

TV VILA EMBRATEL Uma experiência de Web TV Comunitária a partir de uma solução de Sistemas de Gerenciamento de Conteúdo TV VILA EMBRATEL Uma experiência de Web TV Comunitária a partir de uma solução de Sistemas de Gerenciamento de Conteúdo Anissa Ayala CAVALCANTE 1 - UFMA Jessica WERNZ 2 - UFMA Márcio CARNEIRO 3 - UFMA

Leia mais

Documento em construção. Declaração de Aichi-Nagoya

Documento em construção. Declaração de Aichi-Nagoya Documento em construção Declaração de Aichi-Nagoya Declaração da Educação para o Desenvolvimento Sustentável Nós, os participantes da Conferência Mundial da UNESCO para a Educação para o Desenvolvimento

Leia mais

SISTEMA BRASILEIRO DE TELEVISÃO DIGITAL

SISTEMA BRASILEIRO DE TELEVISÃO DIGITAL SISTEMA BRASILEIRO DE TELEVISÃO DIGITAL Questões Centrais Manoel Rangel, Diretor da Agência Nacional do Cinema. Esta apresentação: De que maneira a tecnologia deve ser ponderada na decisão? O uso do espectro

Leia mais

MDD Mídias Interativas. A Evolução da TV no Brasil

MDD Mídias Interativas. A Evolução da TV no Brasil Pós-Graduação MDD Mídias Interativas A Evolução da TV no Brasil Apresentações Profª. Graciana Simoní Fischer de Gouvêa Email: graciana.fischer@prof.infnet.edu.br Evolução da TV Evolução do Homem x TV Evolução

Leia mais

TELEVISÃO x CRIANÇA: novo alvo da publicidade televisiva.

TELEVISÃO x CRIANÇA: novo alvo da publicidade televisiva. TELEVISÃO x CRIANÇA: novo alvo da publicidade televisiva. Mariana Carneiro da Cunha CAMPELO 1 Resumo Ao longo dos anos, na publicidade televisiva brasileira, vem ocorrendo algumas mudanças na comunicação

Leia mais

UIPES/ORLA Sub-Região Brasil

UIPES/ORLA Sub-Região Brasil 1 A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE NO MUNDO GLOBALIZADO 1 Introdução Área de atuação. A Carta de Bangkok (CB) identifica ações, compromissos e garantias requeridos para atingir os determinantes

Leia mais

PRESIDÊNCIA GRUPO DE MULHERES PARLAMENTARES DAS AMÉRICAS DO FIPA

PRESIDÊNCIA GRUPO DE MULHERES PARLAMENTARES DAS AMÉRICAS DO FIPA RELATÓRIO 2009-2011 PRESIDÊNCIA GRUPO DE MULHERES PARLAMENTARES DAS AMÉRICAS DO FIPA Linda Machuca Moscoso Membro da Assembléia Nacional do Equador RESUMO EXECUTIVO DO RELATÓRIO 2009-2011 Este resumo executivo

Leia mais

Grande oportunidade de expor sua marca em um pacote que une diversão e interação numa data muito especial para este público!

Grande oportunidade de expor sua marca em um pacote que une diversão e interação numa data muito especial para este público! No mês de abril, a RECREIO oferece a seus leitores um pacote especial de conteúdo relacionado à Páscoa, com entretenimento, curiosidades, chocolate e, muita diversão! O envolvimento com o tema permeará

Leia mais

Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional

Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional Tribunal de Contas da União, 17 de agosto de 2011 Plano Aquarela Desde 2005 é a base metodológica

Leia mais

CURSO EDUCAÇÃO, RELAÇÕES RACIAIS E DIREITOS HUMANOS

CURSO EDUCAÇÃO, RELAÇÕES RACIAIS E DIREITOS HUMANOS CURSO EDUCAÇÃO, RELAÇÕES RACIAIS E DIREITOS HUMANOS MARTA LÚCIA DA SILVA ROSANA CAPPUTI BORGES Educação Infantil: desigualdades de idade e raça, um grande desafio a ser conquistado. São Paulo 2012 EDUCAÇÃO

Leia mais

Colóquio Internacional Democracia e interfaces digitais para a participação

Colóquio Internacional Democracia e interfaces digitais para a participação Colóquio Internacional Democracia e interfaces digitais para a participação pública (Projeto) PPG-AU/UFBA Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo 1 Contexto e justificativa Odesenvolvimento

Leia mais

Regulamento 2014. Objetivos

Regulamento 2014. Objetivos Regulamento 2014 Objetivos O É Tudo Verdade Festival Internacional de Documentários tem por objetivo promover o documentário e proporcionar uma maior reflexão sobre o gênero. Período A 19ª edição do festival

Leia mais

Newsletter MEDIA NETWORKS DARÁ SERVIÇO DE ISAT EM BANDA KU PARA A RIEDER INTERNET

Newsletter MEDIA NETWORKS DARÁ SERVIÇO DE ISAT EM BANDA KU PARA A RIEDER INTERNET MEDIA NETWORKS DARÁ SERVIÇO DE ISAT EM BANDA KU PARA A RIEDER INTERNET Veja mais A plataforma ISAT da Media Networks estenderá a cobertura da RIEDER no território paraguaio Com Gastón Acurio newslettermedianetworks.fija.pe@telefonica.com

Leia mais

BANGLADESH E O SEU BANCO COMUNITÁRIO Carlos Daniel Baioto*

BANGLADESH E O SEU BANCO COMUNITÁRIO Carlos Daniel Baioto* BANGLADESH E O SEU BANCO COMUNITÁRIO Carlos Daniel Baioto* *Carlos Daniel Baioto é professor de pós-graduação em gestão cooperativa na Unisinos, São Leopoldo, RS. É consultor nas áreas de projetos de tecnologias

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 030/2013.

PROJETO DE LEI N.º 030/2013. PROJETO DE LEI N.º 030/2013. Institui o Programa Menor Aprendiz no âmbito do Município de Bela Vista de Minas e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Bela Vista de Minas, Estado de Minas Gerais,

Leia mais

Contribuição à Educação em Sexualidades Jan. a Dez. de 2012. Coordenação

Contribuição à Educação em Sexualidades Jan. a Dez. de 2012. Coordenação Contribuição à Educação em Sexualidades Jan. a Dez. de 2012 Coordenação Apoio OBJETIVO GERAL Ouvir os jovens como sujeitos de direitos sexuais e reprodutivos para construção de linguagens que correspondam

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DA PUBLICIDADE PARA CRIANÇAS AS E ADOLESCENTES

REGULAMENTAÇÃO DA PUBLICIDADE PARA CRIANÇAS AS E ADOLESCENTES REGULAMENTAÇÃO DA PUBLICIDADE PARA CRIANÇAS AS E ADOLESCENTES Prof. Dr. Edgard Rebouças (UFPE) Campanha Quem financia a baixaria é contra a cidadania edreboucas@uol.com..com.br Justificativas Necessidade

Leia mais

Comunicação em Saúde: Experiências da Rádio Web Saúde com jovens latino-americanos Comunicação em Saúde

Comunicação em Saúde: Experiências da Rádio Web Saúde com jovens latino-americanos Comunicação em Saúde Comunicação em Saúde: Experiências da Rádio Web Saúde com jovens latino-americanos Comunicação em Saúde Ana Valéria Machado Mendonça¹ Grasiela de Sousa Pereira² Dyego Ramos Henrique Raelma Paz Silva Maria

Leia mais

Regulamento 2015. Objetivos

Regulamento 2015. Objetivos Regulamento 2015 Objetivos O É Tudo Verdade Festival Internacional de Documentários tem por objetivo promover o documentário e proporcionar uma maior reflexão sobre o gênero. Período A 20ª edição do festival

Leia mais

Nova Lei da TV Paga estimula concorrência e liberdade de escolha Preços de pacotes devem cair e assinantes terão acesso a programação mais

Nova Lei da TV Paga estimula concorrência e liberdade de escolha Preços de pacotes devem cair e assinantes terão acesso a programação mais Nova Lei da TV Paga estimula concorrência e liberdade de escolha Preços de pacotes devem cair e assinantes terão acesso a programação mais diversificada A Lei 12.485/2011 destrava a concorrência no setor,

Leia mais

Sistema socioeducativo e investimento público federal: metodologia inovadora na década.

Sistema socioeducativo e investimento público federal: metodologia inovadora na década. Texto de contribuição para o encontro executivo da RENADE. Tocantins, Palmas, janeiro de 2013. Daniel Adolpho Daltin Assis Sistema socioeducativo e investimento público federal: metodologia inovadora na

Leia mais

A Resolução CFM nº 1.974/2011

A Resolução CFM nº 1.974/2011 A Resolução CFM nº 1.974/2011 A Resolução CFM nº 1.974/2011 Publicada no Diário Oficial da União em 19/8/2011. Entra em vigor 180 dias após sua publicação. Ementa: Estabelece os critérios norteadores da

Leia mais

SELO SOCIAL VIRAVIDA. Você acaba de chegar ao SELO SOCIAL VIRAVIDA SELO SOCIAL VIRAVIDA REGULAMENTO

SELO SOCIAL VIRAVIDA. Você acaba de chegar ao SELO SOCIAL VIRAVIDA SELO SOCIAL VIRAVIDA REGULAMENTO SELO SOCIAL VIRAVIDA BOAS VINDAS! Você acaba de chegar ao SELO SOCIAL VIRAVIDA SELO SOCIAL VIRAVIDA REGULAMENTO 1. DO SELO 1. O Selo Social ViraVida é uma iniciativa do Serviço Social da Indústria - SESI,

Leia mais

Projecto de Lei n.º 253 /XII-1ª (Canal Parlamento através da Televisão Digital Terrestre) Exposição de Motivos

Projecto de Lei n.º 253 /XII-1ª (Canal Parlamento através da Televisão Digital Terrestre) Exposição de Motivos Projecto de Lei n.º 253 /XII-1ª (Canal Parlamento através da Televisão Digital Terrestre) Exposição de Motivos O serviço de programas televisivo Canal Parlamento consiste, no essencial, na transmissão

Leia mais

Sequência Didática. Criança, a alma do negócio (2) http://tvescola.mec.gov.br/tve/video?iditem=7212. 1 - Título:

Sequência Didática. Criança, a alma do negócio (2) http://tvescola.mec.gov.br/tve/video?iditem=7212. 1 - Título: Sequência Didática 1 - Título: Criança, a alma do negócio (2) http://tvescola.mec.gov.br/tve/video?iditem=7212 2 Resumo: Você, educador(a), e você também que não tem a educação como profissão, mas se interessa

Leia mais

TV para Crianças: o impacto do fim da programação infantil diária da TV Globo 1

TV para Crianças: o impacto do fim da programação infantil diária da TV Globo 1 TV para Crianças: o impacto do fim da programação infantil diária da TV Globo 1 Patricia Laura Kuhn 2 Lisandra Portela Steffen Danda 3 Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul,

Leia mais

O AUMENTO DA RENDA DA POPULAÇÃO TEM EFEITO DIRETO SOBRE O AUDIOVISUAL.

O AUMENTO DA RENDA DA POPULAÇÃO TEM EFEITO DIRETO SOBRE O AUDIOVISUAL. 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 O AUMENTO DA RENDA DA POPULAÇÃO TEM EFEITO DIRETO SOBRE O AUDIOVISUAL. A CLASSE C IDENTIFICA CINEMA, INTERNET E TV POR ASSINATURA COMO

Leia mais

Sheet1. Criação de uma rede formada por tvs e rádios comunitárias, para acesso aos conteúdos

Sheet1. Criação de uma rede formada por tvs e rádios comunitárias, para acesso aos conteúdos Criação de um canal de atendimento específico ao público dedicado ao suporte de tecnologias livres. Formação de comitês indicados por representantes da sociedade civil para fomentar para a ocupação dos

Leia mais

O que é o Projeto Cine Gira Brasil

O que é o Projeto Cine Gira Brasil O que é o Projeto Cine Gira Brasil O Cine Gira Brasil é um projeto de cinema itinerante aprovado pelo Ministério da Cultura via artigo n o 18 da Lei Rouanet, que permite que empresas deduzam o valor investido

Leia mais

Introdução: Código de Conduta Corporativa

Introdução: Código de Conduta Corporativa Transporte Excelsior Ltda Código de Conduta Corporativa Introdução: A Transporte Excelsior através desse Código Corporativo de Conduta busca alinhar e apoiar o cumprimento de nossa Missão, Visão e Valores,

Leia mais

CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DA CRIANÇA

CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DA CRIANÇA CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DA CRIANÇA Adoptada pela Resolução No. 44/25 da Assembleia Geral das Nações Unidas em 20 de Novembro de 1989 PREÂMBULO Os Estados Partes da presente Convenção, Considerando

Leia mais

Prêmio ESET de Jornalismo em Segurança da Informação 2015. - Regulamento Bases e Condições -

Prêmio ESET de Jornalismo em Segurança da Informação 2015. - Regulamento Bases e Condições - Prêmio ESET de Jornalismo em Segurança da Informação 2015 - Regulamento Bases e Condições - O Prêmio ESET de Jornalismo em Segurança da Informação 2015 (daqui em diante: CJSI) é uma iniciativa única, desenvolvida

Leia mais

NORMATIVAS INTERNACIONAIS Publicação/Origem

NORMATIVAS INTERNACIONAIS Publicação/Origem LEVANTAMENTO DOS MARCOS LÓGICOS E LEGAIS DO SERVIÇO DE ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA, ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES 1. Marcos Lógicos NORMATIVAS INTERNACIONAIS DECLARAÇÃO DE GENEBRA

Leia mais

Acessibilidade pela FAAC WebTV LIBRAS em transmissão ao vivo 1

Acessibilidade pela FAAC WebTV LIBRAS em transmissão ao vivo 1 Acessibilidade pela FAAC WebTV LIBRAS em transmissão ao vivo 1 Ana Beatriz Abbate 2 Henrique da Silva Pereira 3 Vinícius Laureto de Oliveira 4 Willians Cerozzi Balan 5 UNESP Universidade Estadual Paulista

Leia mais

FACULDADE SERGIPANA - FASER COORDENAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTAÇÃO ATIVIDADES COMPLEMENTARES

FACULDADE SERGIPANA - FASER COORDENAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTAÇÃO ATIVIDADES COMPLEMENTARES FACULDADE SERGIPANA - FASER COORDENAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTAÇÃO ATIVIDADES COMPLEMENTARES APRESENTAÇÃO Atividades Complementares são atividades desenvolvidas pelos alunos, ao longo da vida acadêmica,

Leia mais

Prêmios Internacionais. cobertura

Prêmios Internacionais. cobertura Prêmios Internacionais cobertura Festivais Inegavelmente, o Brasil é uma potência criativa global. Essa posição de destaque tem se consolidado ainda mais nos últimos anos e a grande vitrine desse processo

Leia mais

CARTA DE SÃO PAULO PELA PROTEÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE TRABALHO INFANTIL ARTÍSTICO

CARTA DE SÃO PAULO PELA PROTEÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE TRABALHO INFANTIL ARTÍSTICO CARTA DE SÃO PAULO PELA PROTEÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE TRABALHO INFANTIL ARTÍSTICO A. PREÂMBULO I CONSIDERANDO que o Brasil é signatário da Declaração dos Direitos da Criança,

Leia mais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos, 18 Compromissos A criança e o adolescente no centro da gestão municipal O Estatuto

Leia mais

CIDADES EDUCADORAS DICIONÁRIO

CIDADES EDUCADORAS DICIONÁRIO CIDADES EDUCADORAS A expressão Cidade Educativa, referindo-se a um processo de compenetração íntima entre educação e vida cívica, aparece pela primeira vez no Relatório Edgar Faure, publicado em 1972,

Leia mais

PROAC PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL

PROAC PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL PROAC PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL Permite o apoio financeiro a projetos culturais credenciados pela Secretaria de Cultura de São Paulo, alcançando todo o estado. Segundo a Secretaria, o Proac visa a: Apoiar

Leia mais

Projecto de Lei n.º 181/XIII. Proíbe a utilização de menores de idade em espetáculos tauromáquicos. Exposição de motivos

Projecto de Lei n.º 181/XIII. Proíbe a utilização de menores de idade em espetáculos tauromáquicos. Exposição de motivos Projecto de Lei n.º 181/XIII Proíbe a utilização de menores de idade em espetáculos tauromáquicos Exposição de motivos A Lei n.º 31/2015, de 23 de Abril, regula o exercício de actividades de artista tauromáquico

Leia mais

RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO

RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO DECLARAÇÃO DE APOIO CONTÍNUO DO DIRETOR PRESIDENTE Brasília-DF, 29 de outubro de 2015 Para as partes

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO FERNANDA SERRER ORIENTADOR(A): PROFESSOR(A) STOP MOTION RECURSO MIDIÁTICO NO PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM

Leia mais

Regulamento para Inscrição na Mostra Competitiva Mercocidades -----------------------------------------------------

Regulamento para Inscrição na Mostra Competitiva Mercocidades ----------------------------------------------------- Regulamento para Inscrição na Mostra Competitiva Mercocidades ----------------------------------------------------- 1 - O Evento: O Primeiro Plano 2015 - Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades,

Leia mais

Os 10 Princípios Universais do Pacto Global

Os 10 Princípios Universais do Pacto Global Os 10 Princípios Universais do Pacto Global O Pacto Global advoga dez Princípios universais, derivados da Declaração Universal de Direitos Humanos, da Declaração da Organização Internacional do Trabalho

Leia mais

O PLC 116 e os serviços de televisão por assinatura no Brasil

O PLC 116 e os serviços de televisão por assinatura no Brasil O PLC 116 e os serviços de televisão por assinatura no Brasil Audiência no Senado Federal 1º de dezembro 2010 Manoel Rangel Diretor-presidente - ANCINE Competição: o principal ponto do PLC 116 Abertura

Leia mais

Festival de Cinema de Futebol REGULAMENTO 2015

Festival de Cinema de Futebol REGULAMENTO 2015 Festival de Cinema de Futebol REGULAMENTO 2015 1 - DO FESTIVAL 1.1 - O CINEfoot - Festival de Cinema de Futebol é o primeiro festival de cinema do Brasil e da América Latina com abordagens conceitual e

Leia mais

Ação Orçamentária - Padronizada Setorial 14U2 - Implantação, Instalação e Modernização de Espaços e Equipamentos Culturais

Ação Orçamentária - Padronizada Setorial 14U2 - Implantação, Instalação e Modernização de Espaços e Equipamentos Culturais Momento do Tipo de Temático Macrodesafio Fortalecer a cidadania Eixo Desenvolvimento Social e Erradicação da Miséria Valor de Referência para Individualização de Projetos em Iniciativas Esferas Fiscal

Leia mais

CÓDIGO BOAS PRÁTICAS COMUNICAÇÃO COMERCIAL DAS BEBIDAS ALCOÓLICAS

CÓDIGO BOAS PRÁTICAS COMUNICAÇÃO COMERCIAL DAS BEBIDAS ALCOÓLICAS Novembro 2004 CÓDIGO DE BOAS PRÁTICAS NA COMUNICAÇÃO COMERCIAL DAS BEBIDAS ALCOÓLICAS O ENQUADRAMENTO DAS BOAS PRÁTICAS NA ACTIVIDADE E COMUNICAÇÃO COMERCIAL O ponto de partida adoptado pelo sector é o

Leia mais

Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania

Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania 1. Sobre o Projeto 1.1. O que é o Projeto Serviços e Cidadania? É um canal de serviços gratuitos que oferece apoio nas áreas de gestão, jurídica e comunicação

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos educadores Multiplicadores

RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos educadores Multiplicadores RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos educadores Multiplicadores APRESENTAÇÃO A SaferNet Brasil é uma associação civil de direito privado, com atuação nacional, sem fins lucrativos ou econômicos,

Leia mais