Uma Abordagem usando PU

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Uma Abordagem usando PU"

Transcrição

1 Uma Abordagem usando PU Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Referências: Baseada em: Rational Software Corpotation G. Booch, Ivar Jacobson, James Rumbaugh Ulrich Schiel

2 Receita de bolo Utilizar os conceitos de Processo Unificado Conjuntamente com a experiência de cada um Objetivo: Modelar um sofware (apenas projetar o que seria essa modelagem) Baseado como cliente o professor da disciplina 2

3 Proposta 3 Desenvolver um sistema de controle de vendedores ambulantes de um empresa. A empresa dividiu cada cidade em que atua em regiões. Cada região é controlada por um supervisor ao qual está subordinado um certo número de vendedores. Todo dia os vendedores passam pela empresa, de manhã, e registram, em um boletim de controle, a hora da partida, o roteiro de visitas planejado e o número de contratos de vendas que levaram. Ao final da tarde, cada vendedor passa por pontos, e registra o resultado das atividades do dia, ou seja, os contratos de venda fechados.

4 Proposta 4 Até as 20 horas, todos vendedores devem ter registrados suas produções do dia. Cada ponto da empresa, processa a esta hora, um resumo das atividades registradas e o remete para a central da empresa. No outro dia o supervisor analisa os boletins recebidos e passa-os, com alguns comentários, ao controle geral de vendas da empresa. O supervisor, além de controlar a produção dos vendedores, registra o recebimento de novos vendedores e a liberação deles para o departamento pessoal que, por sua vez, controla a contratação, alocação, relocação e demissão de vendedores e supervisores.

5 5 Ciclo de Vida PU

6 Disciplinas Requisitos Analise Projeto Implementação Testes 6

7 7 Requisitos

8 Obtenção de Requisitos Artefatos Modelo de Casos de Uso Atores Casos de Usos Descrição da arquitetura 8

9 Obtenção de Requisitos r e s p o n s á v e l TRABALHADOR Analista de Sistemas Especificador de Use-Cases Projetista de Interfaces Arquiteto ARTEFATO Modelo use-case atores glossários Use-cases Protótipos de interfaces Arquitetura 9

10 Obtenção de Requisitos Passos: 1. Listar potenciais requisitos 2. Entender o contexto do sistema 3. Capturar requisitos funcionais 4. Capturar requisitos não funcionais 10

11 Requisitos Passos - Concepção Listar potenciais requisitos Desenvolver uma lista de características obtidas de clientes, usuários, analistas e desenvolvedores CARACTERÍSTICA: nome breve descrição ou definição conjunto de valores Estado (proposto, aprovado, incorporado, validado) estimativa de custos prioridade (crítica, importante ou secundária) riscos (crítico, significante, ordinário) 11

12 Requisitos Passos - Concepção Entender o contexto do sistema Criar um modelo do domínio objetos de negócio (pedidos, contas, contratos,..) objetos do mundo real (veículos, máquinas, trajetos,..) eventos básicos (chegada de um pedido, partida de um transporte,..) usar diagramas UML, em particular diagramas de casos de uso e classe 12

13 Requisitos Passos - Concepção Capturar requisitos funcionais ATIVIDADES E SUBPASSOS A1) encontrar os atores e use-cases encontrar os atores encontrar e descrever cada use-case descrever o Modelo Use-Case como um todo A2) Priorizar Use-Cases (visão arquitetural) 13

14 Requisitos Passos - Elaboração A3) Detalhar cada Use-Case estruturar a descrição do use-case (construir um diagrama de estados e analisar cada caminho) formalizar a descrição do use-case (usar diagramas de estado, diagramas de atividade ou diagramas de interação) descrever o Modelo Use-Case como um todo 14

15 Requisitos Passos - Elaboração A4) Prototipar as interfaces com o usuário projeto lógico da interface do usuário projeto físico da interface do usuário e protótipo 15

16 Requisitos Concepção/Elaboração PROJETO LÓGICO para cada ator, ver todos use-cases nos quais está envolvido e especificar os elementos de interação (ícones, listas, campos, figuras, etc.) A mesma interface (formulário) pode aparecer em diversos use-cases para diversos atores! 16

17 Requisitos Concepção/Elaboração QUESTÕES para determinar os elementos de interação: quais informações o ator fornece ao sistema? quais informações o ator necessita do sistema? com quais elementos de interação o ator trabalha? quais ações o ator pode acionar e quais decisões tomar? quais classes de domínio ou entidades de negócio estão envolvidos com elementos de interação? 17

18 Requisitos - Elaboração Projeto Físico: combinar elementos de interação para formar interfaces que atendam a atores determinar elementos adicionais (folders, janelas, controles, etc.) desenvolver um protótipo para cada interface 18

19 Requisitos - Elaboração Capturar requisitos funcionais A5) Estruturar o modelo Casos de Uso identificar funcionalidades comuns (generalizações, <<estende>>) identificar funcionalidades adicionais ou opcionais identificar outros relacionamentos entre use-cases (<<inclui>>, inverso de <<estende>>) 19

20 Requisitos - Elaboração Capturar requisitos não-funcionais Usabilidade requisitos de interfaces metáfora, frequência de uso,.. documentação confiabilidade tolerância a falhas. performance tempos de resposta volumes de transações requisitos físicos equipamentos, material, espaços, configurações de rede, software 20

21 21 Analise

22 Análise Os requisitos externos são transformados em um modelo interno preciso e completo para desenvolver o projeto do sistema 22 MODELO USE-CASE linguagem do usuário Visão externa do sistema Estruturado por use-cases Captura a funcionalidade do sistema Usado para o contrato com o cliente Pode conter redundâncias, inconsistências, etc. MODELO DA ANÁLISE Linguagem do desenvolvedor Visão interna do sistema Estruturado por classes Descreve como realizar a funcionalidade Usado para o desenvolvedor entender o sistema Deve ser preciso e inambíguo

23 Análise - Artefatos 1. MODELO DA ANÁLISE Classe de fronteira EXEMPLO Interface de registro 2. CLASSE DE ANÁLISE Classe de controle processar resumo do dia Classe de entidades Boletim de controle 23

24 Análise - Artefatos 3. REALIZAÇÃO DE UM USE-CASE RELOGIO partida Processar resumo 4. 8 horas VENDEDOR 1.registra partida 2. abre boletim 3. registra retorno 5. dados boletim 6. Registra resumo Resumo do dia 7. mostra resumo completa boletim 10. resumo boletim comentado de controle Resultado do dia mostra resumos 8. analisa resumo 9. comentários SUPERVISOR

25 Análise - artefatos 3. REALIZAÇÃO DE UM USE-CASE fluxo de eventos Descrição textual do diagrama de colaboração requisitos especiais Descrição textual de requisitos não-funcionais 4. PACOTES DE ANÁLISE Devem ter coesão e fraco acoplamento Candidatos a subsistemas do projeto PACOTE DE SERVIÇOS: é um conjunto de ações coerentes, indivisíveis para uso em vários use-cases 5. DESCRIÇÃO DA ARQUITETURA 25

26 Analise - Trabalhadores Arquiteto Especificador de Casos de Uso responsável que a realização de um use-case corresponde a sua especificação Especificador de componentes responsável pelas classe de análise e pelos pacotes 26

27 Análise - Passos 1. Análise Arquitetural 2. Análide de cada Caso de Uso 3. Análise de cada Classe 4. Análise de cada Pacote 27

28 Análise Arquitetura Lógica MODELO USE-CASE ARQUITETO PACOTE ANÁLISE (esboço) REQUISITOS ADICIONAIS MODELO DO DOMÍNIO Análise arquitetural CLASSE DE ANÁLISE (esboço) DESCRIÇÃO ARQUITETURA (mod. Requisitos) DESCRIÇÃO ARQUITETURA (mod. Análise) 28

29 Análise Arquitetura Lógica ATIVIDADES E SUBPASSOS A1) Identificar pacotes de análise Encontrar pacotes coesos e fracamente acoplados Identificar funcionalidades comuns entre pacotes (pacotes genéricos) Identificar pacotes de serviço (serviços opcionais, classes relacionadas funcionalmente) Dependências entre pacotes 29

30 Análise Arquitetura Lógica A2) Identificar classes de entidades óbvias Obtidas a partir das classe do domínio A3) Identificar requisitos especiais comuns Persistência Distribuição e concorrência Aspectos de segurança Tolerância a falhas Gerência de transações 30

31 Análise Caso de Uso encontrar as classe de análise para realizar o use-case distribuir o comportamento do use-case entre as classes identificar requisitos especiais ESPECIFICADOR DE USE-CASES 31 REQUISITOS ADICIONAIS DESCRIÇÃO ARQUITETURA (mod Análise) MODELO USE-CASE MODELO DO DOMÍNIO Análise de um Use-Case REALIZAÇÃO DE UM USE-CASE (diagramas de classes e de colaboração) CLASSE DE ANÁLISE (esboço)

32 Análise Caso de Uso - Passos ATIVIDADES E SUBPASSOS A1) Identificar classes de análise encontrar classes de entidades para armazenar as informações do use-case para cada ator humano, determinar uma classe de fronteira central (representa a janela principal) determinar as classe de fronteira que interagem com as classes de entidade determinar, pelo menos, uma classe de controle que coordena o use-case Construir um diagrama de Classes 32

33 Análise Caso de Uso - Passos A2) Descrever interações entre objetos construir um diagrama de comunicação toda classe de análise deve participar de algum diagrama de comunicação dar maior ênfase às conexões e condições do que à sequência às conexões de mensagens podem corresponder associações do diagrama de objetos ou não considerar as relações entre use-cases no diagrama A3) Determinar requisitos especiais 33

34 Análise Caso de Uso - Passos VENDEDOR partida boletim de controle 6. dados boletim 5. 8 horas Processar resumo 1.registra partida 3. registra retorno 2. abre boletim 7. Registra resumo Resumo do dia 8. mostra resumo 4. completa boletim 11. resumo comentado 9. analisa resumo Resultado do dia mostra resumos 10. comentários SUPERVISOR 34

35 Análise Classes Identificar as responsabilidades de cada classe, baseado em sua função na realização de use-cases Definir os atributos e relacionamentos Capturar requisitos especiais para cada classe CLASSE DE ANÁLISE (esboço) ESPECIFICADOR DE COMPONENTES REALIZAÇÃO DE UM USE-CASE (diagramas de classes e de colaboração) Análise de uma classe CLASSE DE ANÁLISE (completa) 35

36 Análise Classes - Passos A1) Identificar responsabilidades Determinar os papéis de cada classe nos diferentes use-cases A2) Definir os atributos tipos de atributos são conceituais classes com muitos atributos podem ser divididas atributos de classes de fronteira são campos em interfaces classes de controle geralmente não tem atributos A3) Identificar associações e agregações A4) Identificar generalizações A5) Determinar requisitos especiais 36

37 Análise Pacotes Rever as questões de acoplamento fraco e coesão Garantir que cada pacote preenche sua função Rever as dependências entre pacotes de acordo com associações estáticas ou dinâmicas entre as classes, criadas nos passos anteriores 37

38 38 Projeto

39 Projeto Adquirir uma compreensão de aspectos de requisitos não funcionais e restrições sobre linguagens de programação, sistemas operacionais, SGBDs, aspectos de distribuição, etc. Criar informações suficientes para a implementação, descrevendo subsistemas, interfaces e classes. Estar apto a dividir a tarefa de implementação em equipes Determinar mais cedo as interfaces entre os subsistemas Criar um modelo que possibilite uma implementação que preencha as estruturas definidas sem altera-las 39

40 Projeto MODELO DE ANÁLISE MODELO DE PROJETO conceitual físico Genérico (c.r. projeto) específico 3 tipos de classes Depende da implementação Menos formal Mais formal Mais rápido (1/5 do projeto Mais demorado (5 x análise) Poucos níveis Muitos níveis Menos dinamica Mais dinâmica, foco na sequencia Não se mantém no ciclo Se manté em todo ciclo 40

41 Projeto - Artefatos 1. Modelo de Projeto hierarquia de subsistemas contendo classe de projeto, projetos de use-cases e interfaces 2. Classes de Projeto na linguagem de programação da implementação visibilidade dos atributos (ex. publico, protegido, privado) generalizações herança; associações e agregações atributos métodos em pseudo-código 41

42 Projeto - Artefatos 3. Realização dos Casos de Uso Diagrama de classes Diagrama de interações (diagramas de sequência) Fluxo de eventos (textual) Requisitos de implementação 42

43 43 Projeto - Artefatos 4. Subsistema de Projeto (pacotes de análise, componentes, produtos de software, sistemas existentes) - SUBSISTEMAS DE SERVIÇO 5. Interface (separa funcionalidade de implementação) 6. Arquitetura (VISÃO DO PROJETO) (1. Subsistemas, interfaces e dependências 2. Classes chave, classes ativas 3. Realização de use-cases centrais ao sistema 7. Modelo de Distribuição (Diagrama de componentes) 8. Arquitetura (VISÃO DO MODELO DE DISTRIBUIÇÃO) (Diagrama de Implantação)

44 Projeto - Trabalhadores MODELO DO PROJETO Arquiteto MODELO DE DISTRIBUIÇÃO ARQUITETURA Especificador de use-cases REALIZAÇÃO DE USE CASE CLASSE DE PROJETO Especificador de componentes SUBSISTEMA INTERFACE 44

45 Projeto - Passos ARQUITETO ESPECIFICADOR DE USE-CASES ESPECIFICADOR DE COMPONENTES Projeto da arquitetura Projeto de uma classe Projeto de um use-case 45 Projeto de um subsistema

46 Projeto - Arquitetura A1) Identificar nós e suas configurações determinar os nós envolvidos e suas característica determinar os tipos de conexões entre os nós verificar necessidades de processamentos redundantes, backups, etc. A2) Identificar subsistemas e suas interfaces subsistemas da aplicação identificar middleware (SO, SGBD, software de comunicação, pacotes GUI, distribuição, etc.) definir dependências entre os subsistemas identificar as interfaces entre os subsistemas 46

47 Projeto - Arquitetura A3) Identificar classes de projeto significativas a partir das classes de análise classes ativas (requisitos de concorrência, performance, inicialização, distribuição, prevenção de deadlocks) A4) outros requisitos de projeto (persistência, transparência de distribuição, segurança, recuperação de erros, gerência de transações) 47

48 Projeto Casos de Uso OBJETIVO: identificar classes de projeto distribuir o comportamento entre os objetos definir requisitos das operações requisitos de implementação do use-case A1) Identificar classes de projeto participantes estudar as classes de análise identificar classes que realizam os requisitos especiais da análise definir as classes de projeto e passar para o projetista de componentes 48

49 Projeto Casos de Uso A2) Descrever a interação entre objetos o use-case é acionado por uma mensagem de um ator a um objeto traçar um ou vários diagramas de sequência utilize nomes e textos (fluxo de eventos) para descrever as sequências considere as associações entre use-cases no diagrama de sequência A3) Identificar subsistemas e interfaces identificar os subsistemas obtidos a partir de pacotes deste use-case verifique se há classes de projeto especiais e seus subsistemas A4) Descrever a interação entre subsistemas a partir dos caminhos no diagrama se sequência determinar a interação determinar qual interfaces é utilizada por qual mensagem 49

50 Projeto - Classe Aspectos atributos operações e sua realização relacionamentos estados dependências interfaces requisitos de implementação 50

51 Projeto - Classe A1) Definir uma classe de projeto a partir de classes de fronteira : depende da linguagem classes de entidades persistentes podem produzir tabelas relacionais classes de controle podem gerar várias classes de projeto (distribuição) ou serem encapsuladas em classes de entidades A2) Definir operações realizar as responsabilidades da classe requisitos especiais (e.g. acesso ao banco de dados) atender às necessidades das interfaces da classe A3) Definir atributos considerar os atributos da análise os tipos dos atributos são determinados pela linguagem de programação valores de atributos usados por vários objetos devem ser transformados em objetos 51

52 Projeto - Classe A4) Identificar associações e agregações dependendo da linguagem, transformá-los em relacionamentos tentar transformar cardinalidades, papéis, etc. em atributos ou em novas classes para realizar a associação analise a navegabilidade pelas associações A5) Identificar generalizações A6) Descrever métodos realização de operações por pseudo-código, diagramas de atividades, linguagem natural,.. A7) Descrever estados diagrama de estados 52

53 Projeto - Subsistema 1. Rever as dependências entre subsistemas 2. Rever as interfaces 3. Rever o conteúdo 53

54 Implementação 1. MODELO DA IMPLEMENTAÇÃO 2. COMPONENTE 3. SUBSISTEMA DE IMPLEMENTAÇÃO 4. INTERFACE 5. ARQUITETURA (visão da implementação) 6. PLANO DE INTEGRAÇÃO 54

55 Implementação MODELO DA IMPLEMENTAÇÃO É uma hierarquia de subsistemas de implementação contendo componentes e interfaces COMPONENTE É UM PACOTE CONTENDO ELEMENTOS DO PROJETO Diagrama de Componentes <<executable>> (programa executável) <<file>> (arquivo contendo código fonte ou dados) <<library>> (biblioteca estática ou dinâmica) <<table>> (tabela do banco de dados) <<document>> (um documento) 55

56 Implementação SUBSISTEMAS DE IMPLEMENTAÇÃO um package em Java um project em Visual Basic um diretório de C++ INTERFACES Implementam as interfaces do projeto ARQUITETURA (visão da implementação) Decomposição em subsistemas, compostos de interfaces e componentes e Componentes chave PLANO DE INTEGRAÇÃO Primeira versão executável: testes localizados de integração para facilitar a detecção de erros:=>versão final 56

57 Implementação - Trabalhadores MODELO DA IMPLEMENTAÇÃO Arquiteto MODELO DE DISTRIBUIÇÃO DESCRIÇÃO DA ARQUITETURA COMPONENTE Engenheiro de componentes SUBSISTEMA DE IMPLEMENTAÇÃO INTERFACE Integrador do sistema PLANO DE INTEGRAÇÃO 57

58 Implementação - Passos ARQUITETO INTEGRADOR DE SISTEMAS ENGENHEIRO DE COMPONENTES Implementação arquitetural Implementar um subsistema Teste de unidade Integrar sistemas 58 Implementar uma classe

59 Teste Planejar os testes em cada iteração, tanto os testes de integração quanto os testes de sistema preparar casos de teste, criar procedimentos de teste e procedimentos executáveis Realizar os testes e analisar os resultados 59

60 Teste - Artefatos Modelo de Teste Casos de Teste 60

61 61 Ciclo de Vida PU

Estudo de Caso Sistema de Caixa Automático

Estudo de Caso Sistema de Caixa Automático Estudo de Caso Sistema de Caixa Automático Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Referências: Notas de Aula Ulrich Schiel Notas de Aula Ariadne

Leia mais

Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos com UML UP/RUP: Projeto

Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos com UML UP/RUP: Projeto Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos com UML UP/RUP: Projeto Engenharia de Software I Informática 2009 Profa. Dra. Itana Gimenes RUP: Artefatos de projeto Modelo de Projeto: Use-Case Realization-projeto

Leia mais

Programa do Módulo 2. Processo Unificado: Visão Geral

Programa do Módulo 2. Processo Unificado: Visão Geral 9.1 Programa do Módulo 2 Orientação a Objetos Conceitos Básicos Análise Orientada a Objetos (UML) O Processo Unificado (RUP) Processo Unificado: Visão Geral 9.2 Encaixa-se na definição geral de processo:

Leia mais

O Processo Unificado: Captura de requisitos

O Processo Unificado: Captura de requisitos O Processo Unificado: Captura de requisitos Itana Gimenes Graduação em Informática 2008 Captura de Requisitos Modelagem do negócio: Visão de negócios Modelo de objetos de negócio de negócio Especificação

Leia mais

Documentação de um Produto de Software

Documentação de um Produto de Software Documentação de um Produto de Software Versão 3.0 Autora: Profª Ana Paula Gonçalves Serra Revisor: Prof. Fernando Giorno 2005 ÍNDICE DETALHADO PREFÁCIO... 4 1. INTRODUÇÃO AO DOCUMENTO... 6 1.1. TEMA...

Leia mais

1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE)

1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE) 1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE) Segundo Tonsig (2003), para conseguir desenvolver um software capaz de satisfazer as necessidades de seus usuários, com qualidade, por intermédio de uma arquitetura sólida

Leia mais

Wilson Moraes Góes. Novatec

Wilson Moraes Góes. Novatec Wilson Moraes Góes Novatec Copyright 2014 Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução desta obra, mesmo parcial, por qualquer processo,

Leia mais

Unified Modeling Language UML - Notações

Unified Modeling Language UML - Notações Unified Modeling Language UML - Notações Prof. Ms. Elvio Gilberto da Silva elvio@fmr.edu.br UML Ponto de Vista É gerada com propósito geral de uma linguagem de modelagem visual usada para especificar,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR Bacharelado em Ciência da Computação

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR Bacharelado em Ciência da Computação SOFT DISCIPLINA: Engenharia de software AULA NÚMERO: 08 DATA: / / PROFESSOR: Andrey APRESENTAÇÃO O objetivo desta aula é apresentar e discutir conceitos relacionados a modelos e especificações. Nesta aula

Leia mais

Felipe Denis M. de Oliveira. Fonte: Alice e Carlos Rodrigo (Internet)

Felipe Denis M. de Oliveira. Fonte: Alice e Carlos Rodrigo (Internet) UML Felipe Denis M. de Oliveira Fonte: Alice e Carlos Rodrigo (Internet) 1 Programação O que é UML? Por quê UML? Benefícios Diagramas Use Case Class State Interaction Sequence Collaboration Activity Physical

Leia mais

Introdução a UML. Hélder Antero Amaral Nunes haanunes@gmail.com

Introdução a UML. Hélder Antero Amaral Nunes haanunes@gmail.com Introdução a UML Hélder Antero Amaral Nunes haanunes@gmail.com Introdução a UML UML (Unified Modeling Language Linguagem de Modelagem Unificada) é uma linguagem-padrão para a elaboração da estrutura de

Leia mais

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS PDS - DATASUS Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS Coordenação Geral de Arquitetura e Engenharia Tecnológica Coordenação de Padronização e Qualidade de Software Gerência de Padrões e Software

Leia mais

Modelagem OO com UML. Vítor E. Silva Souza (vitorsouza@inf.ufes.br) http://www.inf.ufes.br/ ~ vitorsouza

Modelagem OO com UML. Vítor E. Silva Souza (vitorsouza@inf.ufes.br) http://www.inf.ufes.br/ ~ vitorsouza Modelagem OO com UML Vítor E. Silva Souza (vitorsouza@inf.ufes.br) http://www.inf.ufes.br/ ~ vitorsouza Departamento de Informática Centro Tecnológico Universidade Federal do Espírito Santo Modelos Maneira

Leia mais

Unified Process. Sueleni Mendez Batista. Orientadora: Dra. Elisa Hatsue Moriya Huzita

Unified Process. Sueleni Mendez Batista. Orientadora: Dra. Elisa Hatsue Moriya Huzita Unified Process Sueleni Mendez Batista Orientadora: Dra. Elisa Hatsue Moriya Huzita Processo de Desenvolvimento de Software 8O processo de desenvolvimento de software é um conjunto de atividades e resultados

Leia mais

Algumas propriedades dos objetos:

Algumas propriedades dos objetos: Orientação a Objetos Vivemos num mundo de objetos. Esses objetos existem na natureza, nas entidades feitas pelo homem, nos negócios e nos produtos que usamos. Eles podem ser categorizados, descritos, organizados,

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Curso de Desenvolvimento de Software Prof. Alessandro J de Souza ajdsouza@cefetrn.br 1 Rational Unified Process RUP Fase Elaboração 2 VISÃO GERAL Fase Elaboração. Visão Geral 3

Leia mais

do grego: arkhé (chefe ou mestre) + tékton (trabalhador ou construtor); tekhne arte ou habilidade;

do grego: arkhé (chefe ou mestre) + tékton (trabalhador ou construtor); tekhne arte ou habilidade; 1 ARQUITETURA E DESIGN DE SOFTWARE O que é Arquitetura? do grego: arkhé (chefe ou mestre) + tékton (trabalhador ou construtor); tekhne arte ou habilidade; do dicionário: Arte de projetar e construir prédios,

Leia mais

! Introdução. " Motivação para Processos de Software. ! Processo Unificado (USDP) " Definições " RUP x USDP " Características do Processo Unificado

! Introdução.  Motivação para Processos de Software. ! Processo Unificado (USDP)  Definições  RUP x USDP  Características do Processo Unificado Agenda! Introdução " Motivação para Processos de Software! (USDP) " Definições " RUP x USDP " Características do! Descrição detalhada do! Processos Derivados! Templates simplificados! Conclusões 2 Processo

Leia mais

O modelo unificado de processo. O Rational Unified Process, RUP.

O modelo unificado de processo. O Rational Unified Process, RUP. Cursos: Sistemas de Informação Disciplina: Administração ADM Prof. Jarbas Avaliação: Prova B1, 5º/6º semestres Data: 27/09/2010 Nome: Gabarito RA: Assinatura: Turma: 1) Segundo as afirmações a seguir,

Leia mais

O Rational Unified Process (RUP) é um processo de desenvolvimento de software inspirado no

O Rational Unified Process (RUP) é um processo de desenvolvimento de software inspirado no 1.1 RATIONAL UNIFIED PROCESS (RUP) O Rational Unified Process (RUP) é um processo de desenvolvimento de software inspirado no processo que atende pelo nome de Processo Unificado (ou UP do inglês Unified

Leia mais

Análise e Projeto Orientados por Objetos

Análise e Projeto Orientados por Objetos Análise e Projeto Orientados por Objetos Aula 02 Análise e Projeto OO Edirlei Soares de Lima Análise A análise modela o problema e consiste das atividades necessárias para entender

Leia mais

UML - Unified Modeling Language

UML - Unified Modeling Language UML - Unified Modeling Language Casos de Uso Marcio E. F. Maia Disciplina: Engenharia de Software Professora: Rossana M. C. Andrade Curso: Ciências da Computação Universidade Federal do Ceará 24 de abril

Leia mais

Processo de Desenvolvimento Unificado

Processo de Desenvolvimento Unificado Processo de Desenvolvimento Unificado Processo de Desenvolvimento de Software? Conjunto de atividades bem definidas; com responsáveis; com artefatos de entrada e saída; com dependências entre as mesmas

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Rogério Eduardo Garcia (rogerio@fct.unesp.br) Bacharelado em Ciência da Computação Aula 05 Material preparado por Fernanda Madeiral Delfim Tópicos Aula 5 Contextualização UML Astah

Leia mais

Engenharia de Software na Prática Hélio Engholm Jr.

Engenharia de Software na Prática Hélio Engholm Jr. Engenharia de Software na Prática Hélio Engholm Jr. Novatec Sumário Agradecimentos... 17 Sobre o autor... 18 Prefácio... 19 Capítulo 1 Desenvolvimento de software para o valor de negócios... 20 1.1 Qualidade

Leia mais

CURSO: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas SÉRIE: 3º Semestre TURNO: Noturno DISCIPLINA: ANÁLISE DE SISTEMAS ORIENTADA A OBJETOS

CURSO: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas SÉRIE: 3º Semestre TURNO: Noturno DISCIPLINA: ANÁLISE DE SISTEMAS ORIENTADA A OBJETOS CURSO: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas SÉRIE: 3º Semestre TURNO: Noturno DISCIPLINA: ANÁLISE DE SISTEMAS ORIENTADA A OBJETOS CARGA HORÁRIA: 60 horas I - Ementa Modelagem de Processos

Leia mais

A Linguagem de Modelagem Unificada (UML)

A Linguagem de Modelagem Unificada (UML) Aécio Costa A Linguagem de Modelagem Unificada (UML) Percebeu-se a necessidade de um padrão para a modelagem de sistemas, que fosse aceito e utilizado amplamente. Surge a UML (Unified Modeling Language)

Leia mais

Documento de Arquitetura

Documento de Arquitetura Documento de Arquitetura A2MEPonto - SISTEMA DE PONTO ELETRÔNICO A2MEPonto - SISTEMA DE PONTO ELETRÔNICO #1 Pág. 1 de 11 HISTÓRICO DE REVISÕES Data Versão Descrição Autor 28/10/2010 1 Elaboração do documento

Leia mais

Especificação de Sistemas de Tempo-Real utilizando Orientação a Objetos

Especificação de Sistemas de Tempo-Real utilizando Orientação a Objetos Especificação de Sistemas de Tempo-Real utilizando Orientação a Objetos Marco Aurélio Wehrmeister mawehrmeister@inf.ufrgs.br Roteiro Introdução Orientação a Objetos UML Real-Time UML Estudo de Caso: Automação

Leia mais

UML (Unified Modeling Language) Linguagem de Modelagem Unificada

UML (Unified Modeling Language) Linguagem de Modelagem Unificada UML (Unified Modeling Language) Linguagem de Modelagem Unificada Introdução É a padronização das metodologias de desenvolvimento de sistemas baseados na orientação a objetos. Foi criada por três grandes

Leia mais

Eduardo Bezerra. Editora Campus/Elsevier

Eduardo Bezerra. Editora Campus/Elsevier Princípios de Análise e Projeto de Sistemas com UML 2ª edição Eduardo Bezerra Editora Campus/Elsevier Capítulo 11 Arquitetura do sistema Nada que é visto, é visto de uma vez e por completo. --EUCLIDES

Leia mais

Análise Orientada a Objetos

Análise Orientada a Objetos Análise Orientada a Objetos Breve Histórico: Fim da década de 80: amadurecimento da Orientação a Objeto Década de 1990: diversas proposições a partir de diversos autores, como Booch, Rumbaugh e Jacobson.

Leia mais

Unified Modeling Language

Unified Modeling Language Unified Modeling Language Modelagem de Negócios e de Sistemas com Casos de Uso Denize Terra Pimenta dpimenta@gmail.com www.analisetotal.com.br Índice 2 1 Objetivos Esta palestra é uma introdução à modelagem

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - MÓDULO 3 - MODELAGEM DE SISTEMAS ORIENTADA A OBJETOS COM UML 1. INTRODUÇÃO A partir de 1980, diversos métodos de desenvolvimento de sistemas surgiram para apoiar o paradigma orientado a objetos com uma

Leia mais

Engenharia de Requisitos

Engenharia de Requisitos Engenharia de Requisitos Introdução a Engenharia de Requisitos Professor: Ricardo Argenton Ramos Aula 08 Slide 1 Objetivos Introduzir a noção de requisitos do sistema e o processo da engenharia de requisitos.

Leia mais

Análise e Projeto de Sistemas

Análise e Projeto de Sistemas Análise e Projeto de Sistemas Unified Modeling Language Benno Eduardo Albert benno@ufrj.br O que é modelagem Tripé de apoio ao desenvolvimento. Notação: UML Ferramenta: Rational Rose. 2 O que é modelagem

Leia mais

Análise e Projeto Orientados a Objetos Aula IV Requisitos. Prof.: Bruno E. G. Gomes IFRN

Análise e Projeto Orientados a Objetos Aula IV Requisitos. Prof.: Bruno E. G. Gomes IFRN Análise e Projeto Orientados a Objetos Aula IV Requisitos Prof.: Bruno E. G. Gomes IFRN 1 Introdução Etapa relacionada a descoberta e descrição das funcionalidades do sistema Parte significativa da fase

Leia mais

Concepção e Elaboração

Concepção e Elaboração UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA Análise e Projeto Orientado a Objetos Concepção e Elaboração Estudo

Leia mais

UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas

UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Sistemas de Informação e Tecnologia em 3º Semestre Análise Orientada aos Objetos Modelagem de Casos de Uso Objetivo: Apresentar

Leia mais

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1.

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1. ARCO - Associação Recreativa dos Correios Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Versão Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor Página

Leia mais

Autoria:Aristófanes Corrêa Silva Adaptação: Alexandre César M de Oliveira

Autoria:Aristófanes Corrêa Silva Adaptação: Alexandre César M de Oliveira Unified Modeling Language (UML) Universidade Federal do Maranhão UFMA Pós Graduação de Engenharia de Eletricidade Grupo de Computação Assunto: Introdução Autoria:Aristófanes Corrêa Silva Adaptação: Alexandre

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC DCC Departamento de Ciência da Computação Joinville-SC

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC DCC Departamento de Ciência da Computação Joinville-SC CURSO: Bacharelado em Ciência da Computação DISCIPLINA: ANPS Análise e Projeto de Sistemas AULA NÚMERO: 3 DATA: PROFESSOR: Murakami Sumário 1 APRESENTAÇÃO...1 2 DESENVOLVIMENTO...1 2.1 Revisão...1 2.1.1

Leia mais

Introdução ao Processo Unificado (PU)

Introdução ao Processo Unificado (PU) Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Sistemas de Informação - CPCX Introdução ao Processo Unificado (PU) Prof. Fernando Maia da Mota Slides gentilmente cedidos por Profa. Dra. Maria Istela Cagnin

Leia mais

Unisant Anna Gestão Empresarial com ERP 2014 Modelagem de Sistemas - UML e MER

Unisant Anna Gestão Empresarial com ERP 2014 Modelagem de Sistemas - UML e MER Objetivo dessa aula é descrever as características e a simbologia dos diagramas UML e MER na modelagem de sistemas de informação de uma forma a permitir a comunicação entre técnicos e gestores. Modelagem

Leia mais

O Processo de Desenvolvimento de Software

O Processo de Desenvolvimento de Software O Processo de Desenvolvimento de Software Objetivos Contextualizar Análise e Projeto de software dentro de uma metodologia de desenvolvimento (um processo de desenvolvimento de software) Um processo de

Leia mais

1. Introdução 2. Desenvolvimento de Softwares orientado a objetos 3. UML A unificação dos métodos para a criação de um novo padrão 4. Uso da UML 5.

1. Introdução 2. Desenvolvimento de Softwares orientado a objetos 3. UML A unificação dos métodos para a criação de um novo padrão 4. Uso da UML 5. 1. Introdução 2. Desenvolvimento de Softwares orientado a objetos 3. UML A unificação dos métodos para a criação de um novo padrão 4. Uso da UML 5. Fases do Desenvolvimento de um Sistema em UML 1. Análise

Leia mais

O que é a UML? Introdução a UML. Objetivos da Modelagem. Modelos. A UML não é. Princípios da Modelagem. O que é um modelo?

O que é a UML? Introdução a UML. Objetivos da Modelagem. Modelos. A UML não é. Princípios da Modelagem. O que é um modelo? O que é a UML? Introdução a UML Linguagem Gráfica de Modelagem para: Visualizar Especificar Construir Documentar Comunicar Artefatos de sistemas complexos Linguagem: vocabulário + regras de combinação

Leia mais

A linguagem UML. UML e Diagramas de Casos de Uso e Classes. Por que usar UML? O que é modelagem?

A linguagem UML. UML e Diagramas de Casos de Uso e Classes. Por que usar UML? O que é modelagem? UML e Diagramas de Casos de Uso e Classes Prof. Ms. Luiz Alberto Contato: lasf.bel@gmail.com A linguagem UML UML (Unified Modeling Language) Linguagem de Modelagem Unificada É uma linguagem de modelagem

Leia mais

ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA

ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA INTRODUÇÃO O projeto de um banco de dados é realizado sob um processo sistemático denominado metodologia de projeto. O processo do

Leia mais

Levantamento, Análise e Gestão Requisitos. Aula 04

Levantamento, Análise e Gestão Requisitos. Aula 04 Levantamento, Análise e Gestão Requisitos Aula 04 Agenda Linguagem de Modelagem Unificada (UML) Modelagem Visual Síntese Histórica da UML Conceitos da UML Notações da UML Diagramas Estruturais Diagramas

Leia mais

4. Exemplo de Levantamento de Classes...26. 3. Levantamento das Classes...24. 1. Conceito de Classe e Objeto... 15. 1. Modelo de Casos de Uso...

4. Exemplo de Levantamento de Classes...26. 3. Levantamento das Classes...24. 1. Conceito de Classe e Objeto... 15. 1. Modelo de Casos de Uso... Projeto de Software usando UML Sumário Capítulo I : Casos de Uso...3 1. Modelo de Casos de Uso... 3 2. Diagramas de Casos de Uso... 3 3. Exemplo... 9 4. Conclusão... 13 Capítulo II : Levantamento de Classes...15

Leia mais

Modelo para Documento de. Especificação de Requisitos de Software

Modelo para Documento de. Especificação de Requisitos de Software Modelo para Documento de Especificação de Requisitos de Software (Baseado na norma IEEE Std 830-1993 - Recommended Practice for Software Requirements Specifications) A boa organização lógica do documento

Leia mais

Análise e Projeto Orientados a Objeto

Análise e Projeto Orientados a Objeto Análise e Projeto Orientados a Objeto com UML e Padrões Parte I Análise, Projeto, e Processo Baseado em Craig Larman 1 Aplicando UML, Padrões e APOO Objetivo Desenvolver habilidades práticas na utilização

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software. Engenharia de Software. nelmarpg@yahoo.com.br

Processo de Desenvolvimento de Software. Engenharia de Software. nelmarpg@yahoo.com.br Processo de Desenvolvimento de Software nelmarpg@yahoo.com.br 1 Objetivos Contextualizar Análise e Projeto de software dentro de uma metodologia de desenvolvimento (um processo de desenvolvimento de software)

Leia mais

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos. Centro Tecnológico. Universidade Federal do Espírito Santo

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos. Centro Tecnológico. Universidade Federal do Espírito Santo Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Disciplina: INF 02810 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 1. Introdução 2. Processo de Software 3. Gerência de

Leia mais

MC302A Modelagem de Sistemas com UML. Prof. Fernando Vanini vanini@ic.unicamp.br

MC302A Modelagem de Sistemas com UML. Prof. Fernando Vanini vanini@ic.unicamp.br MC302A Modelagem de Sistemas com UML Prof. Fernando Vanini vanini@ic.unicamp.br Modelamento de Sistemas e Orientação a Objetos O paradigma de Orientação a Objetos oferece um conjunto de características

Leia mais

Histórico da Revisão. Versão Descrição Autor. 1.0 Versão Inicial

Histórico da Revisão. Versão Descrição Autor. 1.0 Versão Inicial 1 of 14 27/01/2014 17:33 Sistema de Paginação de Esportes Universitários Documento de Arquitetura de Software Versão 1.0 Histórico da Revisão Data 30 de novembro de 1999 Versão Descrição Autor 1.0 Versão

Leia mais

Engenharia de Softwares e Sistema IF682 (2012.1) Bruno Medeiros(bmo@cin.ufpe.br)

Engenharia de Softwares e Sistema IF682 (2012.1) Bruno Medeiros(bmo@cin.ufpe.br) Engenharia de Softwares e Sistema IF682 (2012.1) Bruno Medeiros(bmo@cin.ufpe.br) Algumas definições Engenharia de Software conjunto de tecnologias e práticas usadas para construir software de qualidade

Leia mais

3. Fase de Planejamento dos Ciclos de Construção do Software

3. Fase de Planejamento dos Ciclos de Construção do Software 3. Fase de Planejamento dos Ciclos de Construção do Software A tarefa de planejar os ciclos de construção do software pode partir de diretrizes básicas. Estas diretrizes visam orientar que os ciclos de

Leia mais

Lógica e Programação Java

Lógica e Programação Java Lógica e Programação Java Agenda Orientação a Objetos Parte 2 UML (software astah) Diagramas Estruturais Diagramas Comportamentais Diagramas de Interação astah Diagrama de Classes Antigo Jude Versão Community

Leia mais

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga 2º Semestre / 2011 O Processo Unificado dos autores Ivar Jacobson, Grady Booch e James

Leia mais

Modelos de processos de desenvolvimento de software

Modelos de processos de desenvolvimento de software Definição Um modelo de processo de software é uma representação abstrata de um processo. Os modelos de processo podem ser desenvolvidos a partir de várias perspectivas e podem mostrar as atividades envolvidas

Leia mais

Modelagem de Requisitos com Casos de Uso. Descrever em detalhe a técnica de Modelagem com Use Cases

Modelagem de Requisitos com Casos de Uso. Descrever em detalhe a técnica de Modelagem com Use Cases Engenharia de Software Modelagem de Requisitos com Casos de Uso 1 Objetivos Descrever em detalhe a técnica de Modelagem com Use Cases 2 1 Use Case É uma forma específica de uso do sistema através da execução

Leia mais

Engenharia de Software Engenharia de Requisitos. Análise Orientada a Objetos Prof. Edison A M Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti.

Engenharia de Software Engenharia de Requisitos. Análise Orientada a Objetos Prof. Edison A M Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti. Engenharia de Software Engenharia de Requisitos Análise Orientada a Objetos Prof. Edison A M Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti.br 1 Contextualizando... Fonte: [1] O Processo de ER pode ser

Leia mais

UML Unified Modeling Language

UML Unified Modeling Language UML Unified Modeling Language Linguagem de Modelagem Unificada A linguagem UML UML (Unified Modeling Language) Linguagem de Modelagem Unificada É uma linguagem para especificação, É uma linguagem para

Leia mais

UML 2. Gilleanes T. A. Guedes. Novatec

UML 2. Gilleanes T. A. Guedes. Novatec UML 2 uma abordagem prática Gilleanes T. A. Guedes Novatec Sumário Agradecimentos...15 Sobre o Autor...16 Prefácio...17 Capítulo 1 Introdução à UML...19 1.1 Breve Histórico da UML...19 1.2 Por Que Modelar

Leia mais

APLICAÇÃO DA MODELAGEM UML NA FASE DE ANÁLISE DE UM PROJETO DE SOFTWARE PARA AGENDAMENTO DE USO DE VEÍCULOS INTERNOS DE UMA EMPRESA

APLICAÇÃO DA MODELAGEM UML NA FASE DE ANÁLISE DE UM PROJETO DE SOFTWARE PARA AGENDAMENTO DE USO DE VEÍCULOS INTERNOS DE UMA EMPRESA APLICAÇÃO DA MODELAGEM UML NA FASE DE ANÁLISE DE UM PROJETO DE SOFTWARE PARA AGENDAMENTO DE USO DE VEÍCULOS INTERNOS DE UMA EMPRESA ANDRE APARECIDO LEAL DE ALMEIDA Discente da AEMS Faculdades Integradas

Leia mais

LEVANTAMENTO DE REQUISITOS SEGUNDO O MÉTODO VOLERE

LEVANTAMENTO DE REQUISITOS SEGUNDO O MÉTODO VOLERE LEVANTAMENTO DE REQUISITOS SEGUNDO O MÉTODO VOLERE RESUMO Fazer um bom levantamento e especificação de requisitos é algo primordial para quem trabalha com desenvolvimento de sistemas. Esse levantamento

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Requisitos Cap. 06 e 07 Sommerville 8 ed. REQUISITOS DE SOFTWARE» Requisitos são descrições de serviços fornecidos pelo sistema e suas restrições operacionais. REQUISITOS DE USUÁRIOS: São

Leia mais

A história de UML e seus diagramas

A história de UML e seus diagramas A história de UML e seus diagramas Thânia Clair de Souza Vargas Departamento de Informática e Estatística Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Florianópolis, SC Brazil thania@inf.ufsc.br Abstract.

Leia mais

ANÁLISE E PROJETO ORIENTADO A OBJETOS. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com

ANÁLISE E PROJETO ORIENTADO A OBJETOS. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com ANÁLISE E PROJETO ORIENTADO A OBJETOS Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com Análise Descrição do problema a ser implementado Descrição dos objetos e classes que fazem parte do problema, Descrição

Leia mais

Sommerville, Ian. Software Engineering. Editora: Addison Wesley. (capítulos sobre Requisitos)

Sommerville, Ian. Software Engineering. Editora: Addison Wesley. (capítulos sobre Requisitos) Sommerville, Ian. Software Engineering. Editora: Addison Wesley. (capítulos sobre Requisitos) Engenharia, Levantamento, Elicitação, Gerenciamento Fernando Pedrosa fpedrosa@gmail.com 1 2 Área da Engenharia

Leia mais

Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software

Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Curso Técnico em Informática ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Clayton Maciel Costa

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DIRETORIA DE PROJETOS ESPECIAIS PROJETO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DIRETORIA DE PROJETOS ESPECIAIS PROJETO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DIRETORIA DE PROJETOS ESPECIAIS PROJETO A VEZ DO MESTRE METODOLOGIA RÁPIDA UMA VISÃO ORIENTADA A OBJETO UML - LINGUAGEM DE MODELAGEM

Leia mais

MANUAL TÉCNICO PARA METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DO EXÉRCITO

MANUAL TÉCNICO PARA METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DO EXÉRCITO MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA MANUAL TÉCNICO PARA METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DO EXÉRCITO 1ª Edição 2012 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO

Leia mais

Análise de Sistemas Orientados a Objetos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org. www.tiagodemelo.info

Análise de Sistemas Orientados a Objetos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org. www.tiagodemelo.info Análise de Sistemas Orientados a Objetos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org www.tiagodemelo.info Roteiro Conceitos de Orientação a Objetos (OO) Visão Geral da UML Diagrama de Classes Diagramas

Leia mais

TRABALHO DE DIPLOMAÇÃO Regime Modular ORIENTAÇÕES SOBRE O ROTEIRO DO PROJETO FINAL DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES

TRABALHO DE DIPLOMAÇÃO Regime Modular ORIENTAÇÕES SOBRE O ROTEIRO DO PROJETO FINAL DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES TRABALHO DE DIPLOMAÇÃO Regime Modular ORIENTAÇÕES SOBRE O ROTEIRO DO PROJETO FINAL DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES [Observação: O template a seguir é utilizado como roteiro para projeto de sistemas orientado

Leia mais

Para cada fase consideramos. Tempo para um projeto típico Tempo para um projeto Complexo. Arquitetura do Processo Unificado. A meta a ser atingida

Para cada fase consideramos. Tempo para um projeto típico Tempo para um projeto Complexo. Arquitetura do Processo Unificado. A meta a ser atingida Arquitetura do Processo Unificado Tempo para um projeto típico Tempo para um projeto Complexo O tempo gasto nas fases iniciais aumentam Para cada fase consideramos A meta a ser atingida Workflows a executar

Leia mais

VANT-EC-SAME. Software de Suporte do VANT V-SUP Caso de Desenvolvimento Versão 1.0

VANT-EC-SAME. Software de Suporte do VANT V-SUP Caso de Desenvolvimento Versão 1.0 VANT-EC-SAME Software de Suporte do VANT V-SUP Caso de Desenvolvimento Versão 1.0 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 17/0/07 1.0 Versão Inicial Douglas Moura Confidencial VANT-EC-SAME, 2007

Leia mais

Palavras-Chaves: engenharia de requisitos, modelagem, UML.

Palavras-Chaves: engenharia de requisitos, modelagem, UML. APLICAÇÃO DA ENGENHARIA DE REQUISITOS PARA COMPREENSÃO DE DOMÍNIO DO PROBLEMA PARA SISTEMA DE CONTROLE COMERCIAL LEONARDO DE PAULA SANCHES Discente da AEMS Faculdades Integradas de Três Lagoas RENAN HENRIQUE

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Agência Nacional de Vigilância Sanitária METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS GGTIN GESIS Brasília, julho de 2006. Página: 1 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 12/06/2006 1.0.00 Criação

Leia mais

Palavras-Chaves: estoque, modelagem, requisitos, UML, vendas.

Palavras-Chaves: estoque, modelagem, requisitos, UML, vendas. UTILIZAÇÃO DA UML NO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE CONTROLE DE VENDAS E ESTOQUE GILBERTO FRANCISCO PACHECO DOS SANTOS Discente da AEMS Faculdades Integradas de Três Lagoas JACKSON LUIZ ARROSTI Discente

Leia mais

ARQUITETURA DE SISTEMAS. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com)

ARQUITETURA DE SISTEMAS. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) ARQUITETURA DE SISTEMAS Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) Roteiro Definição Documento de arquitetura Modelos de representação da arquitetura Estilos arquiteturais Arquitetura de sistemas web Arquitetura

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Curso: Sistemas de Informação Arquitetura de Software Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 3 Introdução à Arquitetura de Software (continuação)

Leia mais

Análise e Projeto OO com UML. Lição 3 Especificação e Modelagem de Requisitos com UML

Análise e Projeto OO com UML. Lição 3 Especificação e Modelagem de Requisitos com UML Análise e Projeto OO com UML Lição 3 Especificação e Modelagem de Requisitos com UML Prof. Fábio Bianchi Campos 1 Objetivos Gerais Apresentar as características básicas de uma especificação de requisitos;

Leia mais

FACULDADE INTEGRADAS DE PARANAÍBA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS. Bancos de Dados Conceitos Fundamentais

FACULDADE INTEGRADAS DE PARANAÍBA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS. Bancos de Dados Conceitos Fundamentais FACULDADE INTEGRADAS DE PARANAÍBA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS Bancos de Dados Conceitos Fundamentais Tópicos Conceitos Básicos Bancos de Dados Sistemas de Bancos de Dados Sistemas de Gerenciamento de Bancos

Leia mais

No artigo anterior explicamos. Desenvolvimento de Software Dirigido por Caso de Uso. Parte II: Especificando Caso de Uso

No artigo anterior explicamos. Desenvolvimento de Software Dirigido por Caso de Uso. Parte II: Especificando Caso de Uso Desenvolvimento de Software Dirigido por Caso de Uso Parte II: Especificando Caso de Uso Vinicius Lourenço de Sousa viniciuslsousa@gmail.com Atua no ramo de desenvolvimento de software há mais de 10 anos,

Leia mais

Modelos de Sistema. 2007 by Pearson Education. Ian Sommerville 2006 Engenharia de Software, 8ª. edição. Capítulo 8 Slide 1.

Modelos de Sistema. 2007 by Pearson Education. Ian Sommerville 2006 Engenharia de Software, 8ª. edição. Capítulo 8 Slide 1. Modelos de Sistema Ian Sommerville 2006 Engenharia de Software, 8ª. edição. Capítulo 8 Slide 1 Objetivos Explicar por que o contexto de um sistema deve ser modelado como parte do processo de RE Descrever

Leia mais

Engenharia de Software: Metodologias e Contextualização. Prof. José Eduardo A. de O. Teixeira vqv.com.br / j.edu@vqv.com.br

Engenharia de Software: Metodologias e Contextualização. Prof. José Eduardo A. de O. Teixeira vqv.com.br / j.edu@vqv.com.br Engenharia de Software: Metodologias e Contextualização Prof. José Eduardo A. de O. Teixeira vqv.com.br / j.edu@vqv.com.br Conceitos iniciais Informática: Ciência que tem como objetivo o tratamento da

Leia mais

Análise Orientada a Objeto

Análise Orientada a Objeto Análise Orientada a Objeto Análise Orientada a Objeto ANÁLISE ORIENTADA A OBJETO É interessante observar como a análise orientada a objeto utiliza conceitos que aprendemos há muito tempo: objetos, atributos,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR Bacharelado em Ciência da Computação

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR Bacharelado em Ciência da Computação SOFT DISCIPLINA: Engenharia de Software AULA NÚMERO: 10 DATA: / / PROFESSOR: Andrey APRESENTAÇÃO O objetivo desta aula é apresentar e discutir os conceitos de coesão e acoplamento. DESENVOLVIMENTO Projetar

Leia mais

UML: Unified Modeling Language. Graduação em Informática 2008 Profa. Itana Gimenes

UML: Unified Modeling Language. Graduação em Informática 2008 Profa. Itana Gimenes UML: Unified Modeling Language Graduação em Informática 2008 Profa. Itana Gimenes Unified Modelling Language (UML) Não é uma linguagem de programação. Linguagem de modelagem visual utilizada para especificar,

Leia mais

Extração de Requisitos

Extração de Requisitos Extração de Requisitos Criação: Março 2001 Atualização: Setembro 2005 Referências I.Sommerville. Sw Engineering, 6ª ed, 2001, cap6 P.Jalote. An Integrated Approach to Sw Engineering, 2ª ed., 1997, cap3

Leia mais

Modelo para Documento de. Especificação de Requisitos de Software

Modelo para Documento de. Especificação de Requisitos de Software Modelo para Documento de Especificação de Requisitos de Software Prof. Dr. Juliano Lopes de Oliveira (Baseado na norma IEEE Std 830-1993 - Recommended Practice for Software Requirements Specifications)

Leia mais

Desenvolvimento estruturado versus orientado a objetos.

Desenvolvimento estruturado versus orientado a objetos. Desenvolvimento estruturado versus orientado a objetos. Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Objetivos Identificar diferenças entre: Desenvolvimento

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 81,9(56,'$'(/87(5$1$'2%5$6,/ &2081,'$'((9(1*e/,&$/87(5$1$³6 23$8/2 Reconhecida pela Portaria Ministerial nº 681 de07/12/89 DOU de 11/12/89 &$03867255(6 CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE SISTEMAS

Leia mais

Modelagem de Processos. Prof.: Fernando Ascani

Modelagem de Processos. Prof.: Fernando Ascani Modelagem de Processos Prof.: Fernando Ascani Bibliografia UML Guia de consulta rápida Douglas Marcos da Silva Editora: Novatec UML Guia do usuário Grady Booch James Rumbaugh Ivair Jacobson Editora: Campus

Leia mais

METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª REGIÃO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - SETI Versão 1.0 MANAUS-AM (2010) MDS Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

Leia mais

Tópicos em Engenharia de Computação

Tópicos em Engenharia de Computação Tópicos em Engenharia de Computação Introdução / Revisão UML e POO (JAVA) Prof. Ivan Prof. Zagari UML Linguagem Unificada. Não é metodologia, processo ou método. Versão atual 2.0 3 categorias de Diagramas

Leia mais

UML Linguagem de Modelagem Unificada

UML Linguagem de Modelagem Unificada Modelagem de Sistemas UML Linguagem de Modelagem Unificada Prof. Mauro Lopes 1-25 Objetivos Nesta aula iremos apresentar os elementos conceituais da Linguagem de Modelagem Unificada (UML). Boa aula a todos.

Leia mais