cartilha informativa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "cartilha informativa"

Transcrição

1 cartilha informativa

2 Versão 1.2 Janeiro / Nenhuma parte deste documento pode ser reproduzida ou transmitida em qualquer forma ou por qualquer meio, eletrônico ou mecânico, incluindo fotocópias, gravação ou sistemas de armazenamento e recuperação de informações para qualquer propósito sem autorização formal do fabricante. Trilobit. Todos os direitos reservados. Cartilha Informativa - REP v.1.2 2

3 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO Trilobit Mercado de relógios de ponto Portaria Alterações promovidas pela Portaria Memória...6 Impressora...6 Relógio de precisão...6 Detecção de abertura...7 Porta fiscal...7 Certificação...7 Software de ponto...7 Vinculação do REP ao empregador Software de ponto QUESTÕES TÉCNICAS Código de barras...9 Vantagens dos leitores de código de barras...9 Desvantagens dos leitores de código de barras Leitor de proximidade...9 Vantagens dos leitores de proximidade...10 Desvantagens dos leitores de proximidade Biometria Vantagens dos leitores biométricos...10 Desvantagens dos leitores biométricos EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS OFERECIDOS PELA TRILOBIT REP Memória...11 Impressora...11 Detecção de abertura...11 Duplo lacre...12 Fonte de alimentação full-range externa...12 Proteção contra curto-circuitos...12 Processador dedicado sem sistema operacional...12 TCP/IP nativo...12 Software de gerenciamento...13 SDK para desenvolvedores...13 Cadastro de biometria...13 Softwares homologados...13 Tecnologia e fabricação 100% nacional Assistência técnica Modelos de assistência técnica...14 Serviços oferecidos QUESTÕES COMERCIAIS O mercado atual de REP Modelo comercial Trilobit Política de preços...15 Faturamento direto...15 BNDES...16 Exclusividade...16 Cases de sucesso...16 Cartilha Informativa - REP v.1.2 3

4 ANEXO I - PORTARIA 373/ O que é a Portaria Acordos coletivos Qual o melhor caminho? Negociação com o sindicato...19 Fiscalização pelo Ministério do Trabalho...19 Incerteza sobre o sistema alternativo...19 Custo do sistema alternativo...19 Conclusão...19 ANEXO II PARTICIPAÇÃO DO INMETRO Portaria INMETRO 479/ Portaria INMETRO 480/ Conclusão ANEXO III - PORTARIAS EDITADAS PELO MTE RELATIVAS AO SREP ANEXO IV - PORTARIAS EDITADAS PELO INMETRO RELATIVAS AO REP Cartilha Informativa - REP v.1.2 4

5 1. APRESENTAÇÃO 1.1 Trilobit A Trilobit é uma empresa especializada no desenvolvimento de produtos e sistemas de alta tecnologia para os mercados nacional e internacional. Atualmente atua em quatro diferentes divisões: Segurança, Eletromedicina, Automação e Registro de Ponto. A empresa possui sua matriz localizada em Igarapava, interior de São Paulo, e duas filiais na capital do estado. Na matriz são exercidas as atividades de fabricação de equipamentos e logística de distribuição, e nas filiais as atividades de desenvolvimento de produtos, suporte técnico, administração e relacionamento comercial. A empresa distribui seus produtos em todo o território nacional através de uma extensa rede de revendas, integradores e parceiros, e possui acordos internacionais de distribuição de produtos de segurança para países do Oriente Médio e Mercosul. A Trilobit tem se tornado ao longo de seus nove anos de existência referência no mercado através de sua qualidade, seriedade, ética e transparência em seu relacionamento técnico e comercial. 1.2 Mercado de relógios de ponto Até agosto/2009 o Brasil vivia uma realidade bastante diferente no mercado de relógios de ponto. Havia relógio mecânicos, cartográficos e eletrônicos, além de sistemas de marcação de ponto totalmente informatizados e livros de ponto manuais. Embora houvesse fiscalização e burocracias sobre as questões trabalhistas, não havia regulamentação a respeito das formas de apontamento de freqüência. Era comum que empresas adotassem diferentes métodos, e a cada instante surgiam novas tecnologias que rapidamente, e sem critério, eram absorvidas e integradas em novos equipamentos. Novos fabricantes surgiam a cada dia, inclusive fabricantes estrangeiros que sequer conheciam a realidade das normas trabalhistas brasileiras. O excesso de liberdade permitido pelas autoridades criou uma infinidade de opções para as empresas, e criouse uma cultura de que os equipamentos de controle de ponto eram instrumentos descartáveis, substituíveis e que poderiam ser utilizados de qualquer maneira, muitas vezes apenas para cumprir obrigações legais. Sua qualidade passou a ser critério secundário de escolha, pois quando um equipamento apresentava qualquer tipo de defeito, era substituído por outro, temporária ou definitivamente. Empresas fabricantes ou distribuidoras dos antigos relógios de ponto procuravam amarrar seus clientes de modo que seus relógios só podiam ser utilizados em conjunto com seus softwares, criando verdadeiras armadilhas para os usuários. Era também não apenas comum, mas quase obrigatório, que os relógios de ponto permitissem ao empregador configurar horários pré-determinados para marcação de ponto, impedindo os funcionários de realizar suas marcações em outros horários. Era também absolutamente normal que os equipamentos e softwares permitissem ao empregador alterar os dados de marcação dos funcionários, ajustando os dados para evitar pagamento de horasextras, adicionais, etc. 1.3 Portaria O excesso de liberdade e o mau-uso dela culminaram em desconfiança e falta de validade jurídica das formas de apontamento de freqüência. Se as empresas não tinham como provar que os dados de seus sistemas de ponto eram confiáveis e reflexos reais das jornadas de trabalho dos funcionários, era impossível que fossem aceitas como provas em qualquer contenda judicial. Os equipamentos deixaram de ser um instrumento de proteção para empregadores e empregados e tornaram-se armadilhas para ambos. Nesse contexto, o Ministério do Trabalho editou em 25/ago/2009 a Portaria A Portaria estabeleceu regras claras para disciplinar o uso do ponto eletrônico em todo o território nacional. Houve, então, uma clara distinção entre três modelos de registro de ponto: Manual - livros de ponto preenchidos manualmente; Mecânico - relógios mecânicos e cartográficos, que não utilizam meios eletrônicos para identificar pessoas ou transferir dados; Eletrônico - agora chamados de Registradores Eletrônicos de Ponto, englobam todos os equipamentos que utilizam meios eletrônicos para identificar pessoas ou transferir dados. Cartilha Informativa - REP v.1.2 5

6 Nenhuma empresa é obrigada a optar por uma forma em particular, mas se optar por usar a forma Eletrônica deverá, obrigatoriamente, seguir as instruções da Portaria A nova legislação também impôs regras para os softwares de tratamento de ponto, também com o intuito de normatizar, disciplinar e padronizar uma série de procedimentos. Quanto aos equipamentos para marcação de ponto propriamente ditos, a Portaria criou a necessidade de que fossem criados os Registradores Eletrônicos de Ponto (REP). Não havia, à época, nenhum equipamento que tivesse todas as características e funcionalidades exigidas pelas novas regras. Muitas das exigências eram absolutamente novas, tanto para fabricantes quanto para usuários. Entretanto, para todos, as alterações seriam, a médio prazo, extremamente benéficas. 1.4 Alterações promovidas pela Portaria A Portaria trouxe uma série de novas regras, funcionalidades e exigências para o mercado de registro de ponto. As principais novidades são listadas abaixo. Memória Os antigos relógios de ponto tinham uma memória pequena que era liberada em determinadas ocasiões (quando o software de ponto puxava as marcações, por exemplo). No relógio ficavam apenas as marcações mais recentes ou não-tratadas. A Portaria mudou essa característica de forma radical. Os REP, obrigatoriamente, deverão manter em sua memória interna todas as marcações de ponto nele realizadas, sem permitir de forma alguma que sejam apagadas ou alteradas por qualquer motivo. Em outras palavras, o REP deve ter uma memória inalterável, que sempre refletirá com exatidão as marcações de ponto realizadas. Obviamente, se os registros em memória não podem ser apagados, o uso da memória do equipamento irá crescer com o tempo, e um dia irá se esgotar. Quando isso acontecer, a empresa que utiliza o REP deverá guardá-lo da mesma forma que arquiva um documento fiscal, para eventuais fiscalizações. Impressora É obrigatório para os REP a existência de uma impressora incorporada ao equipamento. Toda vez que um funcionário realizar a marcação de ponto, o equipamento deve emitir um comprovante com todos os dados daquela marcação, incluindo horário, nome e PIS do funcionário e CNPJ da empresa. Esse comprovante ficará com o funcionário, e é sua garantia de que efetivamente cumpriu sua jornada. Com a impressora, o Ministério do Trabalho pretende resolver a questão da isonomia de informações. Até então, o empregador tinha domínio total das informações de apontamento, e o funcionário dispunha apenas de sua palavra. Com o comprovante, tornou-se possível para o funcionário obter uma prova substancial do seu horário de trabalho, e tem, então, instrumento com validade jurídica. Além disso, a impressora deve ser capaz de emitir um relatório com todas as marcações de ponto das últimas 24 horas, para controle do empregador. O papel a ser utilizado pela impressora também é normatizado pela Portaria É necessário que o papel tenha garantia de retenção das informações impressas por pelo menos cinco anos. O REP também deve ser capaz de detectar a falta de papel, e nesse caso deve permanecer inoperante, até que o equipamento seja re-alimentado com papel. Relógio de precisão O REP deve possuir um relógio interno de altíssima precisão. Pela especificação da Portaria, ele não pode atrasar ou adiantar mais do que um minuto por ano. Para isso, são realizadas vários testes pelos órgãos técnicos responsáveis pela certificação do REP, e deve existir uma calibração rigorosa no processo de fabricação. O REP também deve garantir que, mesmo sem energia, o relógio interno irá manter a data e hora corretos por, pelo menos, horas (60 dias). Cartilha Informativa - REP v.1.2 6

7 Detecção de abertura A Portaria determina que o REP deve detectar qualquer tentativa de abertura do equipamento, e bloquear completamente seu funcionamento caso isso ocorra. Essa característica tem como objetivo evitar qualquer tentativa de fraude, e cabe ao fabricante zelar pela integridade e segurança de seu equipamento. Os fabricantes devem enviar junto com cada equipamento vendido um termo de responsabilidade assinado por seus responsáveis técnicos garantindo que o equipamento não pode ser fraudado, e é de suma importância que haja mecanismos para que sejam detectadas quaisquer tentativas de abertura do REP e o acesso às suas partes internas (memória, leitores, etc.). O fabricante deve ser responsável pela elaboração de métodos de rearme caso seja necessário abrir o equipamento para efetuar qualquer reparo ou serviço de manutenção, e toda a responsabilidade sobre eventuais funcionamentos fora dos padrões exigidos pela Portaria recaem sobre ele, exclusivamente. Porta fiscal O equipamento deve possuir uma porta USB para uso exclusivo por parte de auditores do trabalho. O fiscal deve ser capaz de, a qualquer momento, inserir um pendrive no REP e extrair toda a sua memória. Não podem haver bloqueios para o fiscal (chaves, senhas, etc.), e o arquivo gerado pelo REP, chamado de AFD (Arquivo Fonte de Dados), é padronizado pela Portaria, ou seja, todos os equipamentos devem gerar AFDs no mesmo formato. Essa porta fiscal, por ser de uso exclusivo do fiscal, não pode ser utilizada de forma alguma para carregar dados, configurar o REP ou realizar qualquer operação. Se o fabricante desejar usar uma porta USB para outros fins, deverá colocar uma segunda porta USB em seu equipamento. Alterações recentes na Portaria (janeiro/2011) impuseram uma limitação no tempo máximo que o REP pode levar para que toda a memória do equipamento seja descarregada no pendrive fiscal: os REP já fabricados e comercializados não podem demorar mais do que noventa minutos para realizar a operação. Equipamentos que passarem por certificação e homologação após janeiro/2011 deverão realizar essa operação em, no máximo, quarenta minutos. Certificação Todos os REP devem passar por um rigoroso processo de certificação junto a órgãos técnicos credenciados pelo Ministério do Trabalho. O órgão técnico verifica se o equipamento atende às determinações da Portaria após exaustivos testes e emite um certificado de conformidade. Com esse documento em mãos, o fabricante deve requisitar ao Ministério do Trabalho o registro e homologação de seu equipamento, e apenas após aprovação é que o REP poderá ser comercializado. Qualquer REP que não tenha sido homologado pelo Ministério não é aceito pelos auditores fiscais, e empresas que os utilizarem serão autuadas por infringir a legislação trabalhista. O Ministério mantém uma lista atualizada em seu site (http://www.mte.gov.br/) com todos os fabricantes e modelos de REP homologados para uso. Software de ponto A Portaria exige não somente que as empresas façam uso dos REP no caso de registro eletrônico de ponto, mas também que o empregador utilize um software de tratamento de acordo com as determinações da nova legislação. Apesar do software não precisar ser homologado pelo Ministério do Trabalho, o fabricante deve fazer uma série de garantias, como por exemplo que seu software não permite alterações nas marcações de ponto. O conjunto REP + software passou a ser chamado de SREP (Sistema de Registro Eletrônico de Ponto). O REP deve ser a parte do sistema que recolhe fielmente as marcações e gera o AF D (vide acima), e o software deve ser a parte que realiza a interpretação das marcações e gera um AF DT (Arquivo Fonte de Dados Tratado), que também possui formato padronizado. Cartilha Informativa - REP v.1.2 7

8 Vinculação do REP ao empregador O empregador, ao adquirir um REP, deve, antes de iniciar o uso, informar ao Ministério do Trabalho o número de série do equipamento que irá utilizar através do sistema chamado CAREP (http://www2.mte.gov.br/sistemas/carep/). Esse procedimento tem como função inibir ainda mais qualquer tentativa de fraude, de modo que haja absoluto controle dos REP existentes no mercado e quem utiliza cada equipamento. Uma vez realizada a vinculação empregador x REP, essa não pode ser desfeita. O REP, com a Portaria 1.510, tornou-se equivalente a um documento fiscal, que a empresa deve manter sob sua guarda. Assim como um fiscal pode pedir os livros contábeis de uma empresa para auditoria, também pode pedir para a empresa o REP que foi a ela vinculado para os mesmos fins. Isso criou uma situação bastante diferente em relação ao que existia no mercado: a impossibilidade de trocas temporárias para manutenção ou um mercado de revenda de equipamentos usados. Se um empregador só pode utilizar um REP que está vinculado a ele, e não pode ser feita uma desvinculação, não existe a possibilidade do uso de um REP temporário emprestado por uma empresa. Da mesma forma, um REP não pode ser compartilhado entre duas ou mais empresas, visto que a vinculação só pode ser realizada com um único CNPJ. Dessa forma, os fabricantes devem zelar e os consumidores devem exigir uma excelente qualidade dos produtos, para que o risco de parada seja minimizado ao máximo. 1.5 Software de ponto Antes do advento da Portaria 1.510, não havia nenhum tipo de normatização ou padronização no formato dos arquivos gerados pelos relógios de ponto e tratados pelos softwares do mercado. Cada fabricante estipulava as suas regras, e era virtualmente impossível para um desenvolvedor de software integrar seu programa com todos os hardwares do mercado, e vice-versa. Visto que a Portaria estabeleceu um formato padrão de arquivo que todos os REP do mercado devem ser capazes de gerar e todos os softwares devem ser capazes de interpretar - o AFD -, isso criou uma nova realizada extremamente favorável para os usuários: todos os REP existentes são automaticamente compatíveis com todos os softwares do mercado. Basta ao usuário gerar o arquivo AFD no seu REP, independente do modelo, e importar esse arquivo em seu software de ponto, independente qual seja. Esse procedimento permite ao consumidor total liberdade para optar pela melhor equipamento e pelo melhor software de forma independente. Cartilha Informativa - REP v.1.2 8

9 2. QUESTÕES TÉCNICAS Esta seção tem como objetivo explicar alguns conceitos técnicos sobre as diferentes tecnologias de identificação utilizadas nos REP. É importante conhecer algumas características de funcionamento e as vantagens e desvantagens de cada tecnologia para que haja tranqulidade e eficiência no momento de orientar o cliente quanto à melhor alternativa. 2.1 Código de barras Crachás com código de barras são, provavelmente, a opção mais comum e barata existente no mercado para identificação dos funcionários. Cada pessoa recebe um crachá com um código único impresso, inteligível pelo REP, e com esse crachá ela realiza sua marcação de ponto. Entretanto, existem inúmeros padrões de códigos de barras. Embora todos sejam parecidos, há uma grande diferença na formatação das barras e nos dados contidos nelas. Quando o cliente já possui crachás impressos e deseja reutilizá-los com o REP que está adquirindo, é extremamente importante identificar qual o padrão utilizado nos crachás existentes para determinar se são ou não compatíveis. Entre os padrões mais comuns, destacam-se: 2 de 5 intercalado (Compatível com REP Trilobit) Code 128 (Compatível com REP Trilobit) 3 de 9 EAN Sempre que houver dúvida deve-se consultar a Trilobit para que não haja dúvidas quanto à compatibilidade. Vantagens dos leitores de código de barras Crachás com código de barras são extremamente baratos. É comum nas empresas que crachás sejam perdidos, haja necessidade de alteração em algum dado, novos funcionários sejam contratados, e tudo isso gera a necessidade da confecção de novos cartões. É inclusive possível que a própria empresa imprima em algum software de edição de texto (Word, por exemplo) os códigos de barras em etiquetas adesivas, sem necessidade de conhecimentos técnicos. Em empresas pequenas que procuram uma solução de baixo custo, é uma opção bastante interessante. Desvantagens dos leitores de código de barras De todas as tecnologia, o código de barras é o mais sujeito a fraudes. Pode facilmente ser reproduzido, copiado e o nível de segurança é baixo. Como existe contato físico entre o cartão e o equipamento, também existe uma possibilidade maior de desgaste natural das peças mecânicas devido ao atrito. O leitor de crachás funciona através de um feixe de luz infravermelha, e é necessário uma manutenção e limpeza regular para evitar o acúmulo de pó. 2.2 Leitor de proximidade Os crachás de proximidade têm se tornado cada vez mais comuns. Embora não sejam tão baratos quanto um crachá de código de barras, o preço tem caído bastante e suas características têm chamado a atenção de muitas empresas no mercado. Existem vários modelos de crachás de proximidade, e sempre deve ser realizada uma verificação minuciosa para detectar a compatibilidade com os REP da Trilobit. Os modelos mais comuns são: Mifare Smartcard (Compatível com REP Trilobit) Acura Prox Wiegand (Compatível com REP Trilobit) Acura Prox ABAT rack (Compatível com REP Trilobit) HID Prox Wiegand 26 bits (Compatível com REP Trilobit) HID Indala Wiegand 26 bits (Compatível com REP Trilobit) HID Indala ABAT rack (Compatível com REP Trilobit) HID iclass (Compatível com REP Trilobit) Cartilha Informativa - REP v.1.2 9

10 O tipo de crachá utilizado deve sempre casar com um tipo de leitor específico. Um crachá HID iclass somente será lido por um leitor HID iclass. Um crachá Acura Prox Wiegand somente será lido por um leitor Acura Prox Wiegand, e assim sucessivamente. Os REP da Trilobit são compatíveis com vários modelos além dos citados acima. Sempre que houver dúvida quanto ao modelo de crachá e leitor adequado, a Trilobit deve ser consultada. Vantagens dos leitores de proximidade Ao contrário de outras tecnologias, não há nenhum tipo de contato físico entre o crachá e o equipamento durante a operação. Basta aproximar o crachá do leitor para que seja realizada a leitura e identificação do funcionário. Isso reduz enormemente o custo de manutenção do aparelho, além de estender sua vida útil por muitos anos. O nível de segurança também é extremamente alto, visto que é praticamente impossível duplicar um cartão de proximidade. Desvantagens dos leitores de proximidade Não é possível para a empresa confeccionar seus próprios cartões de proximidade, e embora o custo dos crachás tenha caído bastante, ainda é relativamente alto. Isso implica em um custo um pouco maior para a empresa no caso de perdas ou necessidade de troca. Caso um funcionário perca um cartão, pode ser impossível fazer a reposição com um cartão com mesmo número, o que exige uma alteração no cadastro desse funcionário, criando um custo maior de operação do sistema de ponto como um todo. Embora seja praticamente impossível duplicar um cartão, nada impede que um funcionário empreste o cartão para seu colega, prática que é ilegal mas difícil de ser controlada. 2.3 Biometria As técnicas de identificação através de biometria da digital são cada vez mais comuns. Embora o preço seja relativamente alto comparado às outras tecnologias, os níveis de segurança oferecidos têm sido um grande atrativo no mercado. Existem basicamente duas formas de identificação através de biometria: 1:N (um para N) - o funcionário simplesmente coloca o dedo no sensor biométrico e é identificado pelo REP. É também conhecido por biometria de identificação. 1:1 (um para 1) - o funcionário se identifica para o relógio através de um crachá ou através da digitação de um número no teclado e, em seguida, coloca o dedo no sensor biométrico, como se o dedo fosse uma espécie de senha. É também conhecido por biometria de verificação. Os REP da Trilobit são compatíveis com as duas formas de identificação, e a empresa pode configurar o equipamento para funcionar de uma forma ou de outra conforme sua necessidade. Vantagens dos leitores biométricos No caso da técnica de identificação 1:N (apenas o dedo), o custo com crachás é zero, e muitas vezes o custo adicional do aparelho se paga apenas com essa economia. Com as duas técnicas, também elimina-se a possibilidade de empréstimo de crachás, visto que a autenticação sempre depende da biometria do funcionário, que é única. Desvantagens dos leitores biométricos Como há contato físico do dedo com o sensor biométrico, existe um desgaste natural e necessidade de manutenção preventiva do equipamento. Caso o sensor seja riscado, por exemplo, o equipamento não funcionará adequadamente. Também é importante observar que a biometria das pessoas sofre pequenas alterações ao longo do dia ou sob determinadas condições (com calor, a mão sua; se estiver molhado, o dedo enruga; se houver contato com produtos químicos, a digital sofre alterações; etc.). Isso pode gerar uma série de inconvenientes durante o processo de utilização de um equipamento biométrico. Como a leitura da digital é realizada através de um sensor ótico, está sujeito a condições de luminosidade. Caso o cadastro das digitais tenha sido realizado em ambiente com muita luz e o equipamento esteja em um local escuro, pode não ser possível identificar o funcionário. Caso pela manhã o equipamento sofra uma insolação maior do que no final da tarde, os funcionários podem encontrar maior dificuldade para realizar a identificação em um dos períodos. É importante destacar, também, que uma parcela significativa da população não possui digital reconhecível por sensores biométricos, seja por questões genéticas ou por exposição contínua a produtos químicos. Isso deve ser previsto pelo empregador e deve ser criada uma alternativa para a marcação de ponto do funcionário. Cartilha Informativa - REP v

11 3. EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS OFERECIDOS PELA TRILOBIT A Trilobit oferece vários modelos de REP devidamente homologados pela Ministério do Trabalho, além de acessórios, bobinas de papel e peças de reposição. Também oferece serviços de manutenção, assistência técnica e instalação em todo o território nacional REP-1000 Os REP da série REP-1000 possuem inúmeros sub-modelos e especificações únicas que os tornam uma solução ideal para empresas de todos os tamanhos. Abaixo algumas das principais características. Memória Todos os modelos do REP-1000 contam com memória de altíssima capacidade. Após as modificações instituídas pelo Ministério do Trabalho em janeiro/2011, todos os modelos do REP-1000 terão capacidade de armazenar mais de 5 milhões de registros. Isso significa que um equipamento em que 200 pessoas façam suas marcações de ponto todos os dias demorará aproximadamente 25 anos para esgotar sua memória. Uma vez que não há a possibilidade de apagar registros ou substituir a memória do equipamento, essa deve ser a característica mais importante de um REP. Quando a memória se esgotar, um novo equipamento deve ser comprado, e o antigo guardado para eventuais fiscalizações trabalhistas. Impressora A Trilobit optou por utilizar uma impressora com mecanismo Fujitsu em toda a série REP Trata-se do mecanismo de impressão mais confiável no mundo. A impressora é capaz de utilizar bobinas de 50mm de diâmetro (aproximadamente 27 metros), o que corresponde a cerca de 490 comprovantes por bobina. Bobinas de papel com esse comprimento não estão sujeitas a enroscar e oferecem uma grande segurança para o usuário, que não precisa se preocupar com a estabilidade da impressora a longo prazo. A substituição das bobinas é feita através de um sistema chamado easy-load, que permite a troca em menos de cinco segundos por qualquer pessoa. Não há necessidade da presença de um técnico para a troca da bobina, e visto que o interesse de manter o equipamento funcionando é tanto do empregador quanto do funcionário, essa tarefa pode ser, sem riscos, delegado à própria pessoa que está realizando sua marcação de ponto. O custo das bobinas de papel, por tratar-se de comprimento padrão no mercado, é extremamente baixo, e o usuário não fica dependente do fabricante do REP ou do revendedor para a compra de novas bobinas, ganhando total liberdade de escolha e autonomia em seu dia a dia. Para que fosse tomada a decisão de utilizar esse tipo de impressora, a Trilobit realizou uma pesquisa junto às empresas com a maior experiência em emissão de tickets no Brasil e no mundo: fabricantes de máquinas de cartão de crédito e débito. O volume de comprovantes impressos por essas empresas é incalculável, e a opinião de todos os responsáveis técnicos entrevistados é que máquinas que utilizam bobinas pequenas - muitos utilizam bobinas de nove metros de comprimento - são as mais confiáveis e geram uma quantidade muito pequena de problemas para todos os envolvidos. Essas empresas adquiriram esse tipo de conhecimento com muitos anos de atuação no mercado, e a Trilobit teve a humildade de ouvir, aprender e utilizar essa solução. Detecção de abertura O REP da Trilobit possui um sistema de detecção de abertura do equipamento totalmente eficiente, além de um lacre externo. É impossível que alguém tenha acesso ao interior do equipamento para fraudá-lo sem deixar pistas claras, garantindo maior segurança e tranquilidade para o empregador. Além disso, no caso de abertura do equipamento para que seja realizado qualquer serviço de manutenção, a rede de assistência técnica da Trilobit tem total autonomia para realizar o rearme do equipamento, não dependendo de contato telefônico com o fabricante. Tudo é realizado online sem interferência da Trilobit, o que permite que qualquer problema seja solucionado a qualquer momento, seja em um fim de semana ou mesmo em um feriado. Cartilha Informativa - REP v

12 Duplo lacre Além do lacre externo e do mecanismo de detecção de intrusão do equipamento, a Trilobit oferece um mecanismo adicional de segurança para o empregador. No interior do REP existe um segundo lacre que impede qualquer pessoa de acessar a memória do equipamento. Não existe, portanto, a possibilidade de que haja qualquer tipo de acesso por pessoas não-autorizadas à memória do equipamento, e nem mesmo a rede de assistência técnica tem autorização para acessá-la. Esse segundo lacre dá ao empregador segurança adicional de que, mesmo em casos em que haja necessidade de manutenção do equipamento, a alma do aparelho - sua memória - será absolutamente inacessível, eliminando qualquer dúvida sobre a confiabilidade do REP. Fonte de alimentação full-range externa Todos os modelos da série REP-1000 possuem fonte VA C ou 12-24VCC automáticas externas. Os motivos mais comuns para falha do equipamento são, sem dúvida, problemas na alimentação elétrica. Picos de energia, quedas abruptas e todo tipo de problemas elétricos podem ocasionar queima de equipamentos eletrônicos, e o REP não é exceção. Ao utilizar-se uma fonte externa com proteções, qualquer problema elétrico ficará isolado e, se a fonte for danificada, basta trocá-la sem necessidade de se mexer no REP. Isso garante ao empregador grande agilidade e redução de custos na manutenção do equipamento. Proteção contra curto-circuitos A Trilobit colocou em seus REP proteção contra curto-circuitos tanto na entrada de alimentação quanto na porta USB. Caso haja qualquer problema com pendrives defeituosos ou na rede de alimentação elétrica, fusistores naplaca central do equipamento irão automaticamente desarmar e impedir que componentes internos sejam danificados desligando temporariamente as conexões elétricas da porta USB ou de alimentação. Após um determinado tempo, os fusistores automaticamente irão se rearmar e o equipamento voltará a operar normalmente, sem necessidade de qualquer interferência. Processador dedicado sem sistema operacional É comum que fabricantes utilizem sistemas operacionais embarcados em seus equipamentos (Linux, Windows, etc.). Embora isso facilite o processo de desenvolvimento do produto, trata-se de um grande risco para o usuário no caso de equipamentos que exigem grande segurança no acesso aos dados, como é o caso do REP. A Trilobit utiliza um processador totalmente dedicado e sem sistema operacional, tornando impossível qualquer tentativa de intrusão ou acesso aos dados que não seja através das ferramentas que a própria Trilobit disponibiliza, como seu software de gerenciamento distribuído junto com o REP. Não há, portanto, nenhuma possibildade de que o REP seja atingido por vírus, seja através da rede ou através do pendrive, nem que haja sucesso em qualquer tentativa de intrusão ao equipamento. TCP/IP nativo É cada vez mais comum, e tem se tornado praticamente obrigatório, que todo tipo de equipamento eletrônico tenha uma conexão Ethernet TCP/IP, e o REP não é exceção. A possibilidade de conectar o equipamento a uma rede local ou externa e realizar uma série de operações remotamente economiza tempo e dinheiro das empresas, a um baixíssimo custo de infra-estrutura. Entretanto, para atender essa necessidade muitos fabricantes aproveitaram soluções antigas e realizaram emendas em seus produtos através do uso de adaptadores Serial <> Ethernet. Esses adaptadores são conhecidos por sua lentidão e excesso de problemas, e embora sejam uma opção relativamente barata para os fabricantes, são muito pouco confiáveis para os usuários finais, que ficam à mercê de sua instabilidade. A Trilobit optou por utilizar uma solução nativa para a comunicação Ethernet TCP/IP, com velocidade de 10/100Mbits. Essa solução é totalmente integrada à placa principal do REP, e conta com uma série de proteções elétricas para oferecer maior segurança ao cliente, além de maior velocidade nas operações de envio de cadastro e download das marcações de ponto, mesmo quando há grande volume de informações no REP. Cartilha Informativa - REP v

13 Software de gerenciamento A Trilobit envia gratuitamente, junto com cada REP, um software de gerenciamento. Esse software permite fazer todos os cadastro no REP (empregador, funcionários, crachás, biometrias, configurações, etc.) e também o download de todas as informações do relógio, inclusive as marcações de ponto. Esse software não faz o tratamento do ponto, mas serve para auxiliar o empregador a realizar todo tipo de operação no REP. Podem ser administrados vários REP simultaneamente no software, no caso de empresas que possuam mais de um equipamento, e também podem ser gerados os arquivos AFD para transporte das marcações para software de tratamento, sem necessidade de se acessar fisicamente o REP. SDK para desenvolvedores O REP-1000 possui um SDK completo para comunicação através da rede Ethernet. Desenvolvedores de software podem utilizar as funções disponibilizadas para comunicar-se diretamente com o REP e extrair as marcações de ponto, configurações, cadastrar funcionários, etc. Todas as funções existentes no software de gerenciamento da Trilobit podem ser realizadas diretamente por softwares de terceiros através do SDK, além de outras funcionalidades, eliminando completamente nosso software auxiliar intermediário. O SDK é totalmente gratuito, e a Trilobit oferece total apoio técnico e exemplos em várias linguagens de programação para que seja realizada uma integração técnica de alta qualidade. Cadastro de biometria O REP da Trilobit permite várias formas de cadastro biométrico, oferecendo maior flexibilidade ao usuário. Pode ser utilizado um scanner de mesa, criando uma estação de cadastramento. O cadastro pode ser realizado no próprio REP, e posteriormente pode ser distribuído para outros REP ou realizado backup. E ainda, um REP pode temporariamente tornar-se um scanner remoto de uma estação de cadastramento: diretamente do computador o usuário elege um REP, e o scanner biométrico desse REP será utilizado como se estivesse conectado diretamente no computador. Esses diferentes métodos de cadastramento permitem total liberdade e economia para o usuário, que pode verificar sua real necessidade de adquirir acessórios e evitar gastos desnecessários. Softwares homologados A Trilobit já possui integração total com os principais sistemas de ponto do Brasil. Todas esses sistema fizeram uso de nosso SDK e foi desenvolvida uma solução de excelente qualidade. Até a data de elaboração deste documento, destacavam-se: Assecont Liondas ATFlex MacChips BMA Nasajon Carbon System Norber Condados Pantron Data Access Rainbow Digital Control Secullum Digital Software Senior EMotta Sirrus Folhamatic WK Sistemas FolhaWeb Zeus Inspell Tecnologia e fabricação 100% nacional O REP da Trilobit foi concebido e criado pela própria equipe de desenvolvimento da empresa. A fabricação é realizada também nas próprias dependências da Trilobit. Esse domínio completo sobre o produto é garantia ao mercado de que a Trilobit possui pleno conhecimento de todos os detalhes do aparelho, e tem total condição de realizar qualquer adequação ou correção necessária para que o produto final seja entregue nas mais perfeitas condições. Cartilha Informativa - REP v

14 Quando o produto é desenvolvido por terceiros ou fabricado por encomenda, a empresa não tem domínio sobre os detalhes do equipamento, e torna-se refém de eventuais problemas, bugs e incorreções. A Trilobit acredita que esse domínio total é condição elementar para a comercialização de um produto que exige alta confiabilidade por conta de sua natureza legal e necessidade de validação jurídica. 3.2 Assistência técnica Qualquer produto, por melhor que seja concebido e fabricado, está sujeito a problemas de funcionamento, seja por falhas ocasionadas pelo próprio fabricante quanto por acidentes ou desgaste natural do equipamento devido ao uso prolongado. A Trilobit distribui seus produtos em todo o território nacional, e tem absoluta compreensão da responsabilidade em que isso implica. Portanto desenvolveu uma extensa rede de assistência técnica para os REP, que cobre todo o Brasil. Onde quer que haja um REP instalado, há uma empresa capacitada próxima para realizar qualquer tipo de intervenção técnica. Modelos de assistência técnica A Trilobit trabalha com dois modelos de assistência técnica: abertas e fechadas. Ambas possuem as mesmas obrigações e direitos, e credenciam-se através de um criterioso processo de análise técnica, comercial e administrativa. No modelo de assistência técnica aberta, uma empresa adquire exclusividade em uma determinada região para prestar serviços de manutenção e instalação em qualquer REP. Qualquer chamado técnico é automaticamente repassado para essa empresa, e ela deve prestar um serviço de alta qualidade com extrema rapidez e eficiência. O modelo de assistência técnica fechada é reservado para clientes com alto volume de REP instalados e que desejam ter controle total sobre as intervenções técnicas. Nesse modelo, a empresa recebe autorização para prestar serviços de manutenção em sua base de REP, apenas, e não há qualquer limitação regional. Não são repassados chamados técnicos para empresas desse modelo. Assistências técnicas abertas não têm autorização para realizar intervenções em REP de uma assistência técnica fechada e vice-versa, e as empresas de ambos os modelos devem seguir criteriosos procedimentos para efetuar qualquer intervenção técnica, sob pena de cancelamento de contrato. As empresas credenciadas recebem logins e senhas para efetuar cadastro em um site exclusivo da Trilobit, e a cada intervenção devem fazer o preenchimento nesse site dos serviços realizados para a obtenção da contra-chave online para rearme do equipamento. Todo o procedimento é registrado e periodicamente é realizada auditoria para verificar qualquer indício de irregularidades nas operações. Serviços oferecidos A rede de assistência técnica aberta da Trilobit não realiza apenas intervenções técnicas quando é detectado um problema em algum REP. Ela, por contrato, deve oferecer a todos os revendedores Trilobit serviços adicionais para garantir os melhores negócios aos nossos parceiros. Toda assistência técnica deve oferecer serviços de instalação de REP. Se um revendedor de Porto Alegre realizar uma venda em Salvador, pode entrar em contato com a assistência de Salvador para que ela faça a instalação do REP. Os valores para esse tipo de serviço são monitorados pela Trilobit para que não haja nenhum tipo de abuso comercial, abrindo uma enorme gama de possibilidades de negócios para todos os revendedores. Também são oferecidos pelas assistências técnicas vários modelos de contrato de manutenção, que são firmados entre o revendedor e a assistência aberta. Revendedores são livres para terceirizar contratos para que seja realizado um atendimento de excelente qualidade junto aos clientes finais e usuários dos REP. Cartilha Informativa - REP v

15 4. QUESTÕES COMERCIAIS A Trilobit realiza um constante monitoramento do mercado e procura sempre inovar para que seus parceiros revendedores tenham sempre as melhores condições comerciais e condições de orientar da forma mais ética e correta os clientes finais quanto às vantagens dos produtos Trilobit. Acreditamos que o cliente final, ao ter conhecimento básico da Portaria e da importância de certas características dos REP, terá condição de fazer uma escolha consciente do produto que melhor lhe serve. Temos certeza que, ao ter todas as informações, o cliente quase sempre irá eleger o REP da Trilobit como sua solução ideal. 4.1 O mercado atual de REP Existem hoje inúmeros modelos e fabricantes de REP disponíveis no mercado. Cada um tem suas características e particularidades. A Trilobit entende que é conveniente que seus revendedores conheçam as alternativas no mercado e compreendam os motivos pelos quais acreditamos que os produtos da Trilobit são superiores em qualidade. Todas as características descritas na seção anterior desse documento têm como objetivo explicar e elucidar quais são os pontos cruciais para a tomada de decisão no momento da compra de um REP. É extremamente importante que se entenda a grande diferença entre o mercado atual e o mercado pré-portaria Os relógios de ponto deixaram de ser instrumento de controle interno das empresas e se transformaram em equipamentos de alta tecnologia com finalidade jurídica. Da mesma forma que uma empresa não escolhe qualquer pessoa para fazer sua contabilidade, não pode escolher qualquer fabricante para fornecer seus REP. O empregador não tinha motivos para se preocupar com os equipamentos que utilizava antes da Portaria, mas agora está sujeito a fiscalização e pesadas multas. Deve, sim, optar por um equipamento de excelente qualidade e confiabilidade, para evitar toda e qualquer possibilidade de criar problemas com os auditores do trabalho. Há uma clara movimentação do mercado em direção a uma posição muito mais séria e responsável, absolutamente diferente do que era realizado até então. Empresas que tiverem a correta compreensão disso e entenderem quais são as questões mais importantes na hora de comprar um REP certamente evitarão tomar qualquer decisão precipitada, e irão se surpreender com o REP Trilobit. Registro de ponto agora é assunto sério. 4.2 Modelo comercial Trilobit A Trilobit respeita e valoriza suas revendas. Por isso, firmou em cartório um termo de compromisso em que garante respeitar esse modelo de negócios, não realizando vendas diretas para o cliente final sob nenhuma circunstância. Temos convicção que honrar esse compromisso todos os dias é condição elementar para que nossos parceiros sintamse valorizados e tenham confiança em nossa empresa para realizar qualquer tipo de negócio. Política de preços Para que não haja favorecimento de nenhuma empresa em detrimento de outras, a Trilobit trabalha com uma lista de preços para todos os REP. Essa lista é pública e, sobre ela, podem ser aplicados descontos de acordo com o volume de negócios da revenda, forma de pagamento e o histórico comercial. Todos os revendedores iniciam os trabalhos com a Trilobit com condições rigorosamente iguais, e diferenciam-se de acordo com o sucesso e evolução da parceria. Faturamento direto A Trilobit pode, a pedido de um revendedor, realizar faturamento direto para o cliente final. Para que isso ocorra, deve ser feita uma requisição formal com todas as informações necessárias para que a Trilobit tenha condições de gerenciar o processo. O revendedor é co-responsável pelo pagamento de seu cliente, e portanto deve auxiliar a Trilobit de todas as formas no processo de cobrança, inclusive assumindo integralmente o pagamento em caso de inadimplência. Caso o revendedor queira que a Trilobit fature por valor acima da tabela de preços, será apurada a diferença e o saldo, menos os impostos, será reservado para o revendedor, que deverá emitir nota fiscal para que seja efetuado o pagamento. O pagamento desses valores estará sempre sujeito à quitação do cliente final, e sob nenhuma hipótese a Trilobit efetuará qualquer tipo de adiantamento. É importante sempre consultar a Trilobit para verificar a carga tributária incidente em uma venda, visto que há muitas variáveis envolvidas. Cartilha Informativa - REP v

16 BNDES A Trilobit está habilitada para comercializar todos os seus REP através do Cartão BNDES. Empresas que utilizam o cartão podem utilizar esse método de financiamento sem qualquer burocracia. Entretanto, é importante salientar que as taxas cobradas pelo BNDES serão repassadas para o comprador. Atualmente a taxa é de 3%. Caso um revendedor queira distribuir os produtos da Trilobit através do BNDES, a Trilobit pode indicá-los como distribuidores. Nessa modalidade, o revendedor adquire os produtos da Trilobit através de negociação comum (sem ser através do BNDES), mas oferece aos seus clientes a possibilidade de financiamento através do BNDES. Uma vez que um revendedor opte por distribuir produtos da Trilobit através do BNDES, ele não poderá, sob hipótese alguma, comprar da Trilobit através do Cartão BNDES, por imposição da própria instituição. Dessa forma, o revendedor deve pesar o que é mais conveniente: comprar através de financiamento BNDES ou revender através de financiamento BNDES. Nunca poderá fazer os dois simultaneamente. É comum que os revendedores não optem pela distribuição através do BNDES. Nesse caso, os revendedores compram com financiamento do BNDES e realizam suas vendas com prazo menor, capitalizando suas empresas a taxas de juros bastante baixas. Nesse cenário, quando há necessidade de se realizar uma venda para o cliente final, o revendedor solicita à Trilobit um faturamento direto através do Cartão BNDES, e não abre mão da possibilidade de continuar comprando da Trilobit através do BNDES. Exclusividade A Trilobit não exige nenhum tipo de exclusividade de seus revendedores. Nossa filosofia é oferecer os melhores produtos e serviços nas melhores condições possíveis, de modo que a exclusividade torne-se uma opção natural do revendedor, sem absolutamente nenhum tipo de amarras ou restrições. Desejamos ser a melhor opção para nossos parceiros, sempre, e queremos que eles renovem sua confiança em nossa empresa a cada dia. Cases de sucesso A Trilobit está presente nas maiores e mais importantes empresas do país, seja com seus REP, com seus equipamentos de controle de acesso ou com qualquer outro produto ou sistema desenvolvido pela empresa. Cartilha Informativa - REP v

17 REGISTRADOR ELETRÔNICO DE PONTO - REP-1000 Cartilha Informativa - REP v

18 ANEXO I - PORTARIA 373/2011 O que é a Portaria Em 28/fev/2011 foi publicada a Portaria 373/2011 do Ministério do Trabalho. Essa publicação surpreendeu a todos, fabricantes, revendedores e, principalmente, usuários finais dos REP. A Trilobit acredita ser essencial que as informações a respeito do conteúdo e das novas regras estipuladas por essa Portaria sejam comunicadas a seus parceiros como forma de compartilhar suas interpretações e promover maior tranquilidade na tomada de decisões por todos. Duas novidades devem ser observadas na Portaria 373/2011. A primeira, e mais importante, é a prorrogação da obrigatoriedade do uso do REP para 01/set/2011. Essa é a segunda prorrogação feita pelo Ministério do Trabalho. Não houve nenhuma alteração quanto às características do equipamento nem quanto ao processo de homologação pelo Ministério. A regra geral continua a mesma: empresas que optarem pelo uso do ponto eletrônico a partir de 01/set/2011 devem utilizar um REP. A segunda novidade é a revogação e substituição da Portaria 1120/95, que previa a utilização de sistemas alternativos de controle de ponto por parte das empresas, desde que houvesse acordo coletivo com o respectivo sindicato. Essa possibilidade foi mantida e formalizada, porém estabeleceu-se que qualquer sistema alternativo deve seguir uma série de regras e garantir, assim como o REP, que não haja: restrições à marcação do ponto; possibilidade de marcação automática do ponto; exigência de autorização prévia para marcação de sobrejornada; e possibilidade de alteração ou eliminação dos dados registrados pelo empregado. Ou seja, os sistemas alternativos propostos pelo Ministério devem ser, no mínimo, tão seguros quanto o REP. Resumidamente, podemos dizer que a Portaria 373/2011 reforçou a seriedade e a certeza da implementação da Portaria 1.510/2009. O fato de se publicar novas regras complementares à Portaria original, sem alterá-la, demonstra a preocupação do Ministério do Trabalho em realizar ajustes para que a legislação seja coerente com a realidade das empresas brasileiras. Nosso país e nossa legislação trabalhista são complexos, e é necessário que sejam previstas situações de excessão que ainda não haviam sido contempladas. Entendemos que a Portaria 373/2011 é uma etapa importante no processo de melhoria continuada da Portaria 1.510/2009. O próprio Ministério do Trabalho já havia se pronunciado a respeito desse assunto, dizendo que procura criar um sistema de marcação de ponto de referência mundial, e é claro que ao longo desse processo seriam necessários ajustes e correções. Não é possível afirmar se a Portaria 373/2011 será a última a estabelecer alterações nesta legislação, porém o que torna-se claro é que a obrigatoriedade do uso do REP permanece e sai fortalecida. Acordos coletivos Uma vez que o Ministério do Trabalho reforçou e formalizou a possilidade de se utilizar sistemas alternativos de marcação de ponto através de acordos coletivos, é muito importante para as empresas entender como funciona esse processo, para que a decisão mais adequada possa ser tomada. Os acordos coletivos são sempre celebrados entre duas partes: a empresa e o sindicato que representa seus trabalhadores. As partes são livres para negociar e chegar a um consenso sobre quaisquer assuntos que desejem. Uma vez finalizada a negociação, entretanto, é obrigatório que as decisões sejam levadas ao Ministério do Trabalho, que as analisará e dirá se estão de acordo com a legislação ou não. Caso estejam, o Ministério fará a homologação do acordo e iniciará um processo de fiscalização periódica junto com o sindicato na empresa para verificar se as determinações estão sendo cumpridas. Ou seja, em resumo o processo pode ser indicado como: Negociação entre empresa e sindicato; Homologação pelo Ministério do Trabalho; Fiscalização do cumprimento pelo Sindicato; Fiscalização do cumprimento pelo Ministério do Trabalho. Cartilha Informativa - REP v

19 Como trata-se de um processo complexo, que envolve negociação, aspectos jurídicos e legais e questões trabalhistas, é seguro afirmar que esse tipo de situação é plausível apenas para um pequeno número de empresas que já possuem conhecimento e experiência com esse assunto. Em geral são empresas com quantidades enormes de funcionários e que, historicamente, possuem ligação com os sindicatos, como é o caso das montadoras de veículos e o sindicato dos metalúrgicos. Qual o melhor caminho? É difícil dizer qual o caminho mais adequado para as empresas, se adotar o uso do REP ou seguir o caminho de um acordo coletivo. Ambos têm suas vantagens e desvantagens, mas a Trilobit entende que adotar o REP pode garantir à empresa maior segurança e menores custos, pelos motivos apresentados abaixo. Negociação com o sindicato Os sindicatos, para aceitarem a não-utilização do REP nas empresas, certamente irão negociar benefícios e vantagens para os trabalhadores, como redução da jornada de trabalho, aumento dos salários, melhoria nas condições de trabalho, etc. Esse é um custo que deve ser calculado caso a caso, mas que deve ser considerado pela empresa. Fiscalização pelo Ministério do Trabalho Caso seja feito um acordo com o sindicato e seja feita a homologação, o Ministério do Trabalho tem por obrigação realizar, periodicamente, uma fiscalização na empresa para verificar o cumprimento do acordo e da legislação trabalhista. Nossa legislação é extremamente complexa e é sabido que, em geral, as empresas não têm conhecimento ou condições de se adequar completamente às regras, que mudam constantemente. A empresa deve avaliar se o risco de se ter um fiscal periodicamente em suas instalações vale a pena. Incerteza sobre o sistema alternativo O Ministério do Trabalho, ao formalizar a possibilidade da adoção de um sistema alternativo de ponto, disse que esse deve seguir uma série de regras que, assim como o REP, dêem à empresa e a seus funcionários maior segurança jurídica, como, por exemplo, impossibilitar alterações nos registros de ponto. No REP isso é verificado por órgãos técnicos que fazem uma extensa avaliação do equipamento e atestam que não existe essa possibilidade. Até o momento, entretanto, o Ministério não se pronunciou sobre quem será o responsável por dizer que o sistema alternativo tem essas características. A empresa, até o momento, não tem nenhuma segurança em adotar o sistema A ou B, e nem tem como verificar se o sistema de fato atende às especificações do Ministério. Custo do sistema alternativo É importante observar que qualquer sistema alternativo terá custos. A empresa terá que adquirí-lo no mercado e mantê-lo. Como ainda não se sabe quais serão esses sistemas alternativos nem como serão, é impossível mensurar esse custo. Conclusão A Trilobit entende que a Portaria 373/2011 melhora e reforça a Portaria 1.510/2009 ao permitir às empresas e sindicatos que façam acordos, como já era possível anteriormente, para que sejam utilizadas formas alternativas de controle de ponto. O Ministério do Trabalho acerta ao dizer que esses sistemas alternativos também devem seguir uma série de critérios de segurança, seguindo uma linha coerente de raciocínio com o processo de regulamentação do ponto eletrônico no Brasil. Poucas empresas farão acordos coletivos com os sindicatos, e a Trilobit não acredita que seja correto aconselhar as pequenas e médias empresas a seguir por esse caminho, por todos os motivos apresentados anteriormente. Para essas empresas, a solução mais adequada é o REP, que desde agosto/2009 tem sido promovido pelo próprio Ministério do Trabalho sem nenhuma alteração relevante. Em suma, acreditamos que a opção pelo REP continua sendo o caminho mais seguro para as empresas brasileiras, já que elas podem se adequar totalmente à legislação e se proteger juridicamente desde já de ações trabalhistas. Cartilha Informativa - REP v

20 ANEXO II PARTICIPAÇÃO DO INMETRO REGISTRADOR ELETRÔNICO DE PONTO - REP-1000 Em 28/out/2011 o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMEtro) iniciou oficialmente sua participação no processo de certificação dos Registradores Eletrônicos de Ponto. Nessa data, o órgão, que determina regras e padrões de qualidade para uma série de produtos comercializáveis no Brasil, realizou uma consulta pública para reunir informações, sugestões e críticas ao REP. Esse trabalho, que durou 30 dias, permitiu ao INMEtro reunir mais de 400 sugestões de diversas empresas, associações, federações, sindicatos e pessoas físicas. Cada sugestão foi analisada e respondida individualmente, e ao final foram publicadas as Portarias INMEtro 479 e 480. Portaria INMETRO 479/2011 A Portaria INMEtro 479/2011 de 15/dez/2011 tem como objetivo estabelecer os critérios e requisitos técnicos de qualidade para todos os REP. São explicitadas todas as características funcionais e construtivas que os fabricantes de REP devem seguir, além dos procedimentos de testes a serem seguidos pelos institutos certificadores. Esse documento permite um maior nível de certeza e segurança para as empresas, funcionários e fabricantes. Portaria INMETRO 480/2011 A Portaria INMEtro 480/2011 tem como objetivo estabelecer os requisitos de avaliação de conformidade para todos os REP. Esse documento demonstra quais serão os modelos de certificação e quais mecanismos de controle de qualidade a serem adotados pelos fabricantes. Esses requisitos são os mesmos utilizados em certificações de todo tipo de produtos no Brasil, de modo a padronizar os processos da indústria brasileira. É previsto um acompanhamento constante por parte dos órgãos competentes para garantir que os REP comercializados estão de acordo com a legislação e foram construídos em conformidade com a certificação realizada. São definidos os métodos de avaliação, as responsabilidades do fabricante e as penalidades a que estão sujeitos aqueles que descumprirem essas regras. Conclusão O ingresso do INMEtro no processo de certificação dos REP traz grandes vantagens para fabricantes, revendedores, empresas e funcionários. Embora não tenha trazido nenhuma novidade importante nas características dos equipamentos, o órgão permitirá um maior controle da qualidade dos REP no mercado. Ao estabelecer critérios claros sobre o acompanhamento contínuo da produção dos equipamentos, garante às empresas e funcionários um maior nível de tranquilidade e segurança jurídica. O INMEtro também reconhece nas Portarias que os REP até então homologados atendem plenamente os requisitos funcionais e de segurança exigidos por lei, e que as empresas que adquiriram ou vierem a adquirir esses equipamentos fabricados anteriormente ao ingresso do INMEtro no processo poderão utilizá-los indefinidamente sem qualquer prejuízo legal ou jurídico. Isso demonstra com muita clareza que o INMEtro tem como principal objetivo criar mecanismos que garantam um acompanhamento constante da qualidade dos REP produzidos, de modo a trazer tranquilidade ao mercado e afastar qualquer possibilidade de que eventuais falhas de processo de fabricantes possam diminuir a segurança dos Registradores. É importante destacar que embora nenhum processo de qualidade tenha sido exigido dos fabricantes de REP até então, a Trilobit aplica uma série de controles em seu processo de produção. Todas as etapas produtivas, como a homologação de fornecedores, mensuração e conferência de componentes, controle de qualidade da linha de produção, certificação de lotes de produção, testes burn-in e acompanhamento pós-venda para feedback produtivo já são realizados pela empresa desde o início do projeto para garantir aperfeiçoamento constante dos produtos. Cartilha Informativa - REP v

Sistema de Registro Eletrônico de Ponto - SREP. Informações úteis para o Empregador. Versão 1.2

Sistema de Registro Eletrônico de Ponto - SREP. Informações úteis para o Empregador. Versão 1.2 Sistema de Registro Eletrônico de Ponto - SREP Portaria MTE 1.510/2009 Informações úteis para o Empregador Versão 1.2 1 Sumário 1 PONTOS IMPORTANTES DA PORTARIA 1.510/2009... 3 1.1 Definições... 4 1.2

Leia mais

A solução mais completa e inovadora em Registro Eletrônico do mercado.

A solução mais completa e inovadora em Registro Eletrônico do mercado. A solução mais completa e inovadora em Registro Eletrônico do mercado. O ID REP Company é a solução da ID Data para o controle de ponto dos colaboradores. Vencedor de dois prêmios de design, traz a mais

Leia mais

Madis Rodbel Lança equipamento de ponto que atende a portaria 1510 do MTE

Madis Rodbel Lança equipamento de ponto que atende a portaria 1510 do MTE No dia 21 de agosto de 2009, o Ministério do Trabalho e Emprego assinou a Portaria 1510, que regulamenta o Registro Eletrônico de Ponto - REP e a utilização do Sistema de Registro Eletrônico de Ponto -

Leia mais

DIGIREP. Registro Eletrônico de Ponto

DIGIREP. Registro Eletrônico de Ponto DIGIREP Registro Eletrônico de Ponto Versão preferencial com fundo branco: Versão Tons de Cinza com fundo branco: Versão colorida em fundo preto: Versão Tons de Cinza em fundo preto: DigiREP é um equipamento

Leia mais

Características Técnicas

Características Técnicas Características Técnicas Equipamento homologado de acordo com o Portaria 1510/09 do MTE, com as seguintes características: Possui 2 processadores de 32 Bits, onde um é dedicado para marcações de ponto

Leia mais

Modelo Tecnologia de Identificação Display Impressora. Gráfico; Gráfico; Alfanumérico; Gráfico; Alfanumérico; Alfanumérico; Alfanumérico;

Modelo Tecnologia de Identificação Display Impressora. Gráfico; Gráfico; Alfanumérico; Gráfico; Alfanumérico; Alfanumérico; Alfanumérico; O Velti Ponto está homologado de acordo com a Portaria nº 1.510/2009 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) em 10 modelos que se diferenciam pela tecnologia de identificação (leitores), tipo de display

Leia mais

Modelo R02 - Volume 1 - Conhecendo o Equipamento

Modelo R02 - Volume 1 - Conhecendo o Equipamento Modelo R02 - Volume 1 - Conhecendo o Equipamento INTRODUÇÃO Este manual foi desenvolvido com a finalidade de apresentar os recursos do equipamento, modos de registro de ponto e comunicação. O equipamento

Leia mais

C e C controle de Ponto e Acesso Ltda. Soluções em controle de Ponto e Acesso de Minas.

C e C controle de Ponto e Acesso Ltda. Soluções em controle de Ponto e Acesso de Minas. A/C Nossos dados cadastrais Nome fantasia.: Micro-Point Razão social.: C&C CONTROLE DE PONTO E ACESSO LTDA CNPJ.: 08.369.442/0001-11 IE.: 001.029.830-0060 Av. Amazonas 5470 Nova Suíça Belo Horizonte MG

Leia mais

Capacidade de gerenciamento de até 15.000 colaboradores na Memória de Trabalho (MT);

Capacidade de gerenciamento de até 15.000 colaboradores na Memória de Trabalho (MT); Características Registrador eletrônico de ponto que atende a Portaria 1.510/09 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), e os requisitos da Portaria 595/13 do Inmetro, que determina novos padrões de segurança

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS e OPERACIONAIS ID REP COMPANY

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS e OPERACIONAIS ID REP COMPANY ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS e OPERACIONAIS ID REP COMPANY 2 ÍNDICE a) Objetivo... 3 b) Hierarquia dos Produtos...3 c) ID REP c.1) Características Funcionais Genéricas...4 c.2) Características Operacionais

Leia mais

Relógio de Ponto Hexa - HENRY

Relógio de Ponto Hexa - HENRY Relógio de Ponto Hexa - HENRY Visão Geral Equipamento Homologado pelo Ministério do Trabalho e Certificado pelo Inmetro. Trabalha com vários tipos de comunicação, tornando-se um equipamento moldável e

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Velti Ponto (REP) O Velti Ponto está homologado de acordo com a Portaria nº 1.510/2009 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) em 10 modelos que se diferenciam pela tecnologia de identificação (leitores),

Leia mais

DIGIREP. Registro Eletrônico de Ponto

DIGIREP. Registro Eletrônico de Ponto DIGIREP Registro Eletrônico de Ponto DigiREP é um equipamento para Registro Eletrônico de Ponto, com impressão das marcações, atendendo à Portaria 1510 do Ministério do Trabalho e Emprego - MTE. A Digicon

Leia mais

Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda.

Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. +55 41 3661-0100 Rua Rio Piquiri, 400 - Jardim Weissópolis - Pinhais/PR - Brasil CEP: 83322-010 CNPJ: 01.245.055/0001-24 Inscrição Estadual: 90.111.008-53

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA E OPERACIONAL ID REP. a) Objetivo 2. b) Hierarquia dos Produtos 2

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA E OPERACIONAL ID REP. a) Objetivo 2. b) Hierarquia dos Produtos 2 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA E OPERACIONAL ID REP a) Objetivo 2 b) Hierarquia dos Produtos 2 c) ID REP c.1) Características Funcionais Genéricas 3 c.2) Características Operacionais Genéricas 4 c.2 Características

Leia mais

Baseado na portaria n 373 de 25 de fevereiro de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego;

Baseado na portaria n 373 de 25 de fevereiro de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego; Características Baseado na portaria n 373 de 25 de fevereiro de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego; Poderá ser utilizado por empresas autorizadas por convenção ou acordo coletivo a usar sistemas

Leia mais

Características Técnicas

Características Técnicas Características Técnicas Equipamento homologado de acordo com o Portaria 1510/09 do MTE, com as seguintes características: Possui 2 processadores de 32 Bits, onde um é dedicado para marcações de ponto

Leia mais

Evento Portaria 1510. Conceitos, aspectos legais e suas perspectivas. Os desafios das Empresas para se adequar a Portaria do MTE 1510

Evento Portaria 1510. Conceitos, aspectos legais e suas perspectivas. Os desafios das Empresas para se adequar a Portaria do MTE 1510 Evento Portaria 1510 Conceitos, aspectos legais e suas perspectivas Os desafios das Empresas para se adequar a Portaria do MTE 1510 O Que Rege a Portaria 1510? Portaria MTE 1510 de 21 de Agosto de 2009

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS e OPERACIONAIS ID CP

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS e OPERACIONAIS ID CP ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS e OPERACIONAIS ID CP 2 ÍNDICE a) Objetivo...3 b) Hierarquia dos Produtos...3 c) ID CP c.1) Características Funcionais Genéricas...4 c.2) Características Operacionais Genéricas...5

Leia mais

O equipamento está homologado de acordo com a Portaria nº 1.510/2009 MTE, disponível em 7 modelos:

O equipamento está homologado de acordo com a Portaria nº 1.510/2009 MTE, disponível em 7 modelos: Características O equipamento está homologado de acordo com a Portaria nº 1.510/2009 MTE, disponível em 7 modelos: --Prisma E - Display alfa numérico (biometria + código de barras); --Prisma F - Display

Leia mais

Duas capacidades de armazenamento de digitais: 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais (opcional);

Duas capacidades de armazenamento de digitais: 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais (opcional); Características Possui estrutura com design moderno e LEDs que indicam a confirmação de registros; Os dados são gravados em um cartucho USB. Este modo de gravação oferece total proteção contra a perda

Leia mais

Características. Hexa Controle de ponto

Características. Hexa Controle de ponto Características Os modelos são: o HEXA A - BIOMETRIA/CÓDIGO DE BARRAS/PROXIMIDADE/MIFARE o HEXA B - BIOMETRIA/PROXIMIDADE o HEXA C - BIOMETRIA/CÓDIGO DE BARRAS o HEXA D - BIOMETRIA/MIFARE o HEXA E - CÓDIGO

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS PERGUNTAS E RESPOSTAS ASSUNTO: REP REGISTRADOR ELETRÔNICO DE PONTO 2. Quando a portaria entra em vigor? Na data de sua publicação, 25/08/2009, exceto para o uso do REP, cujo início da obrigatoriedade depende

Leia mais

Micro-Point Controle de Ponto e Acesso. Soluções em controle de Ponto e Acesso de Minas.

Micro-Point Controle de Ponto e Acesso. Soluções em controle de Ponto e Acesso de Minas. Proposta Comercial para fornecimento de equipamento. Nossos dados cadastrais Nome fantasia.: Micro-Point Razão social.: C&C CONTROLE DE PONTO E ACESSO LTDA CNPJ.: 08.369.442/0001-11 IE.: 001.029.830-0060

Leia mais

Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda.

Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. +55 41 3661-0100 Rua Rio Piquiri, 400 - Jardim Weissópolis - Pinhais/PR - Brasil CEP: 83322-010 CNPJ: 01.245.055/0001-24 Inscrição Estadual: 90.111.008-53

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS e OPERACIONAIS ID REP HOME

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS e OPERACIONAIS ID REP HOME ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS e OPERACIONAIS ID REP HOME ÍNDICE a) OBJETIVO...3 b) MODELOS...3 c) ID REP HOME c.1) Características Funcionais Genéricas...4 c.2) Características Operacionais Genéricas...5 c.3)

Leia mais

Modelo R02 - Volume 2 - Operacional

Modelo R02 - Volume 2 - Operacional Modelo R02 - Volume 2 - Operacional INTRODUÇÃO Este manual foi elaborado com a finalidade de exemplificar todas as operações possíveis de serem executadas no equipamento. O equipamento Prisma Super Fácil

Leia mais

Baseado na portaria n 373 de 25 de fevereiro de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego;

Baseado na portaria n 373 de 25 de fevereiro de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego; Características Baseado na portaria n 373 de 25 de fevereiro de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego; Poderá ser utilizado por empresas autorizadas por convenção ou acordo coletivo a usar sistemas

Leia mais

EVENTO 25/03/2010 Ponto Eletrônico Portaria 1.510/09 MTE. digicon

EVENTO 25/03/2010 Ponto Eletrônico Portaria 1.510/09 MTE. digicon EVENTO 25/03/2010 Ponto Eletrônico Portaria 1.510/09 MTE Palestrante Alencar Berwanger Gerente de Produto Senior Sistemas Agenda Aspectos Gerais da Portaria Impacto nas Empresas Alterações nos Sistemas

Leia mais

Especificação Técnica BEREP

Especificação Técnica BEREP Especificação Técnica BEREP 1 1 Objetivo Os produtos da linha BEREP são produtos especificos para controle de ponto de funcionários. Foram concebidos dentro das especificações técnicas estabelecidas pelas

Leia mais

a. Proíbe todo tipo de restrição à marcação de ponto, marcações automáticas e alteração dos dados registrados;

a. Proíbe todo tipo de restrição à marcação de ponto, marcações automáticas e alteração dos dados registrados; 1. Quais são os principais pontos da Portaria MTE 1.510/2009? a. Proíbe todo tipo de restrição à marcação de ponto, marcações automáticas e alteração dos dados registrados; b. Estabelece requisitos para

Leia mais

Sumário REGISTRADOR ELETRÔNICO DE PONTO - REP-1000 REGISTRADOR ELETRÔNICO DE PONTO - REP-1000

Sumário REGISTRADOR ELETRÔNICO DE PONTO - REP-1000 REGISTRADOR ELETRÔNICO DE PONTO - REP-1000 Versão 1.04 Março de 2010. Sumário As informações contidas neste manual estão sujeitas a alterações sem prévio aviso e não representam compromisso por parte do fabricante. As imagens aqui reproduzidas

Leia mais

a. Proíbe todo tipo de restrição à marcação de ponto, marcações automáticas e alteração dos dados registrados;

a. Proíbe todo tipo de restrição à marcação de ponto, marcações automáticas e alteração dos dados registrados; Observação: Essa página se propõe a responder, exclusivamente, perguntas sobre o Sistema de Registro Eletrônico de Ponto SREP, previsto na Portaria nº 1.510/2009. Perguntas sobre outros temas como direitos

Leia mais

Seja qual for o tamanho da sua empresa, temos sempre a melhor solução!

Seja qual for o tamanho da sua empresa, temos sempre a melhor solução! REGISTRADO PELO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Seja qual for o tamanho da sua empresa, temos sempre a melhor solução! Soluções completas para Registro Eletrônico de Ponto Sinta-se Seguro A Telemática

Leia mais

Modelo R02 - Volume 3 - Manutenção e Instalação

Modelo R02 - Volume 3 - Manutenção e Instalação Modelo R02 - Volume 3 - Manutenção e Instalação INTRODUÇÃO O equipamento Prisma Super Fácil foi desenvolvido com a finalidade de registrar a frequência dos colaboradores obedecendo às especificações da

Leia mais

FORMAS DE UTILIZAÇÃO DOS PRODUTOS:

FORMAS DE UTILIZAÇÃO DOS PRODUTOS: O ID REP SB é um produto específico para controle de ponto de funcionários. Foi concebido dentro das especificações técnicas estabelecidas pelas novas regras de funcionamento de sistemas eletrônicos de

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS PERGUNTAS E RESPOSTAS ASSUNTO: OUTROS ASSUNTOS RELACIONADOS AO SREP 1. Quais são os principais pontos da Portaria MTE 1.510/2009? a. Proíbe todo tipo de restrição à marcação de ponto, marcações automáticas

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS e OPERACIONAIS ID REP SMALL BUSINESS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS e OPERACIONAIS ID REP SMALL BUSINESS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS e OPERACIONAIS ID REP SMALL BUSINESS ÍNDICE a) OBJETIVO...3 b) MODELO...3 c) ID REP c.1) Características Funcionais Genéricas...4 c.2) Características Operacionais Genéricas...5

Leia mais

PORTARIA MTE nº 1510/2009 NOVAS REGRAS SOBRE O CONTROLE ELETRÔNICO DE PONTO

PORTARIA MTE nº 1510/2009 NOVAS REGRAS SOBRE O CONTROLE ELETRÔNICO DE PONTO PORTARIA MTE nº 1510/2009 NOVAS REGRAS SOBRE O CONTROLE ELETRÔNICO DE PONTO Neste fascículo de Uma entrevista com o Advogado, apresentamos o conteúdo de artigo enviado pelo Ministério do Trabalho e Emprego

Leia mais

manual de instruções

manual de instruções taximetro eletrônico digital Parabéns! Você acaba de adquirir um equipamento de última geração, o taxímetro eletrônico digital FIP-AT Evolution. Com sua estrutura moderna, alta capacidade de processamento

Leia mais

DUVÍDAS FREQUENTES SOBRE PONTO ELETRÔNICO

DUVÍDAS FREQUENTES SOBRE PONTO ELETRÔNICO DUVÍDAS FREQUENTES SOBRE PONTO ELETRÔNICO 1. Quais são os principais pontos da Portaria MTE 1.510/2009? Proíbe todo tipo de restrição à marcação de ponto, marcações automáticas e alteração dos dados registrados;

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA Anexo II.6 Especificações do Sistema de Bilhetagem Eletrônica PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA ÍNDICE 1 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 2 CONCEPÇÃO DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA... 2 2.1 Processos

Leia mais

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais opcional);

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais opcional); Características Possui estrutura com design moderno e LEDs que indicam a confirmação de registros; Exclusivo sistema de hibernação quando o equipamento encontra-se sem energia vinda da rede elétrica, o

Leia mais

Certificado Digital. Manual do Usuário

Certificado Digital. Manual do Usuário Certificado Digital Manual do Usuário Índice Importante... 03 O que é um Certificado Digital?... 04 Instalação do Certificado... 05 Revogação do Certificado... 07 Senhas do Certificado... 08 Renovação

Leia mais

Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade

Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade DM003.0 Página 1 / 42 Índice 1 APRESENTAÇÃO... 4 DETALHAMENTO DOS LINKS DO TECBIZ ONLINE... 5 2 INICIAL... 5 3 ASSOCIADO... 5 3.1 SELECIONA ASSOCIADO... 5 3.2 ALTERAR

Leia mais

Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda.

Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. +55 41 3661-0100 Rua Rio Piquiri, 400 - Jardim Weissópolis - Pinhais/PR - Brasil CEP: 83322-010 CNPJ: 01.245.055/0001-24 Inscrição Estadual: 90.111.008-53

Leia mais

Termos de uso e Serviços do Software: Father Gerador Automático de Sistemas Última modificação: 13 de Novembro de 2014

Termos de uso e Serviços do Software: Father Gerador Automático de Sistemas Última modificação: 13 de Novembro de 2014 Termos de uso e Serviços do Software: Father Gerador Automático de Sistemas Última modificação: 13 de Novembro de 2014 Provedor dos serviços Os Serviços são fornecidos pela empresa SSI Serviços e Soluções

Leia mais

MARQUE PONTO. Registrador Eletrônico de Ponto - Manual de Operação 1.3

MARQUE PONTO. Registrador Eletrônico de Ponto - Manual de Operação 1.3 w MARQUE PONTO Registrador Eletrônico de Ponto - Manual de Operação 1.3 1 2 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO 4 1.1. APRESENTAÇÃO 4 1.2. MODO DE USO 4 1.3. APRESENTAÇÃO E INFORMAÇÕES INICIAIS 5 2 FIXAÇÃO DO EQUIPAMENTO

Leia mais

Manual do usuário MINIREP

Manual do usuário MINIREP Manual do usuário MINIREP Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida sem permissão da Diponto Ltda. As informações e especificações técnicas podem mudar a qualquer momento sem aviso prévio. Leitura

Leia mais

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 (opcional);

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 (opcional); Características Fabricada em aço-carbono, com pintura em epóxi preto; Tratamento anticorrosivo; Acabamento em aço inox; Fechadura para acesso aos componentes eletrônicos; Iluminação frontal, com chave

Leia mais

Características. São Paulo: (11) 4063-5544 Campinas: (19) 4062-9211 Campo Grande: (67) 4062-7122 Cuiabá: (65) 4052-9722. MPEBrasil

Características. São Paulo: (11) 4063-5544 Campinas: (19) 4062-9211 Campo Grande: (67) 4062-7122 Cuiabá: (65) 4052-9722. MPEBrasil Características - Único com este conceito no mercado e com preços atraentes; Iluminação frontal, com chave liga/desliga, em quatro opções de cores (azul, verde, vermelho e amarelo); - Possui sistema de

Leia mais

*REGISTRO ELETRÔNICO DE PONTO

*REGISTRO ELETRÔNICO DE PONTO SICAP NEWS Ano 2 nº 19 Informativo Mensal Março 2010 *REGISTRO ELETRÔNICO DE PONTO * Base Legal: Art. 74 da CLT e Portaria 1.510/2009, do MTE Conforme dispõe o 2º do art. 74 da CLT, estão obrigados à anotação

Leia mais

Manual d o usuário DATAREPi8T

Manual d o usuário DATAREPi8T Manual d o usuário DATAREPi8T Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida sem permissão da Diponto Ltda. As informações e especificações técnicas podem mudar a qualquer momento sem aviso prévio.

Leia mais

Certificado Digital e-cpf

Certificado Digital e-cpf Certificado Digital e-cpf Parabéns! Ao ter em mãos esse manual, significa que você adquiriu um certificado digital AC Link. Manual do Usuário 1 Índice Apresentação... 03 O que é um Certificado Digital?...

Leia mais

opções de crédito para sua empresa

opções de crédito para sua empresa para sua empresa sumário introdução... 3 cartão bndes... 6 Introdução... 7 Custos operacionais... 8 Recebimentos... 9 Distribuidores... 9 Exemplos de operação...10 Revendedor compra com o Cartão BNDES

Leia mais

ANEXO III ESPECIFICAÇÃO REQUERIDA DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA.

ANEXO III ESPECIFICAÇÃO REQUERIDA DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA. EDITAL CONCORRÊNCIA 01/2015 ANEXO III ESPECIFICAÇÃO REQUERIDA DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA. Este Anexo apresenta as especificações requeridas para o Sistema de Bilhetagem Eletrônica SBE a ser implantado

Leia mais

Características * Gabinete de aço. * Leitora de Código de Barras (Crachás). * Capacidade para 3000 funcionários. * Compartimento do rolo de papel em

Características * Gabinete de aço. * Leitora de Código de Barras (Crachás). * Capacidade para 3000 funcionários. * Compartimento do rolo de papel em Apresentação Parabéns pela escolha do seu REP PONTO SYSTEM. Você está adquirindo um produto de alta tecnologia e de fácil operação de uma empresa com 25 anos de tradição na produção de Relógio Ponto e

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO N o 2.839 DE 2010 Susta a Portaria nº 1.510 do Ministério do Trabalho e Emprego, de 21 de agosto de 2009, publicada

Leia mais

TABELA RESUMO DE INFRAÇÕES E PENALIDADES (LEI SC 10297/1996)

TABELA RESUMO DE INFRAÇÕES E PENALIDADES (LEI SC 10297/1996) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 A B C D ICMS SANTA CATARINA TABELA RESUMO DE INFRAÇÕES E PENALIDADES (LEI SC 10297/1996) INFRAÇÃO PENALIDADE % Base Deixar de recolher, total ou parcialmente,

Leia mais

Manual. ID REP Config Versão 1.0

Manual. ID REP Config Versão 1.0 Manual ID REP Config Versão 1.0 Sumário 1. Introdução... 3 2. Pré-Requisitos... 3 2.1. Atualização... 3 3. Instalação do ID REP Config... 4 4. Visão Geral do Programa... 6 4.1. Tela Principal... 6 4.2.

Leia mais

Este manual foi desenvolvido usando a versão 3.4.81 do Ponto Secullum 3 e a versão 1.0.51 do Ponto Secullum 4.

Este manual foi desenvolvido usando a versão 3.4.81 do Ponto Secullum 3 e a versão 1.0.51 do Ponto Secullum 4. Migrando do Ponto Secullum 3 para o Ponto Secullum 4 A Secullum Sistemas de Ponto e Acesso vem através desse manual esclarecer as duvidas em relação a migração do sistema de Ponto Secullum 3 para o Ponto

Leia mais

As melhores soluções para sua empresa. Programação. Gentileza desligar seu celular e/ou rádio.

As melhores soluções para sua empresa. Programação. Gentileza desligar seu celular e/ou rádio. As melhores soluções para sua empresa. Programação Gentileza desligar seu celular e/ou rádio. As melhores soluções para sua empresa. Missão: Proporcionar às empresas brasileiras alta-performance na gestão

Leia mais

Conteúdo BIOTRONIC PLUS

Conteúdo BIOTRONIC PLUS 0 Conteúdo Manual de Instalação...3 RECURSOS DESTE RELÓGIO...5 1 - REGISTRANDO O ACESSO...7 1.1 Acesso através do sensor biométrico:...7 1.2 Acesso através de cartão de código de barras:...7 1.3 Acesso

Leia mais

Manual do usuário Certificado Digital e-cpf. Parabéns! Ao ter em mãos este manual, significa que você adquiriu um Certificado Digital DOCCLOUD

Manual do usuário Certificado Digital e-cpf. Parabéns! Ao ter em mãos este manual, significa que você adquiriu um Certificado Digital DOCCLOUD Manual do usuário Certificado Digital e-cpf Parabéns! Ao ter em mãos este manual, significa que você adquiriu um Certificado Digital DOCCLOUD Índice Apresentação 03 O que é um Certificado Digital? 04 Instalando

Leia mais

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA SUMÁRIO >> Introdução... 3 >> O que é a nota fiscal eletrônica?... 6 >> O que muda com esse novo modelo de documento fiscal?... 8 >> O DANFE - Documento Acessório

Leia mais

Sumário. www.samisistemas.com.br Porto Alegre 51 3254.5454 Florianópolis 48 3094.1775 São Paulo 11 3076.499 Rio de Janeiro 21 3031.

Sumário. www.samisistemas.com.br Porto Alegre 51 3254.5454 Florianópolis 48 3094.1775 São Paulo 11 3076.499 Rio de Janeiro 21 3031. Sumário Legenda... 3 1. Caixa... 4 1.1. Caixa... 4 1.1.1. Abertura de Caixa... 4 1.1.1.1. Lançamentos de Caixa... 6 1.1.2. Fechamento de Caixa... 38 1.2. Consultas... 39 1.2.1. Fita do Caixa... 39 1.2.2.

Leia mais

Nunca foi tão fácil utilizar

Nunca foi tão fácil utilizar Nunca foi tão fácil utilizar o Conectividade Social da CAIXA O que antes era feito com a autenticação de disquetes e precisava do antigo programa CNS para o relacionamento com a CAIXA e prestação de informações

Leia mais

RMA - DN Automação (Autorização para Retorno de Mercadoria)

RMA - DN Automação (Autorização para Retorno de Mercadoria) RMA - DN Automação (Autorização para Retorno de Mercadoria) Orientações gerais aos parceiros de negócios A DN Automação trabalha exclusivamente através de parceiros de negócios (revendedores e agentes),

Leia mais

5 motivos para gerenciar sua frota na nuvem

5 motivos para gerenciar sua frota na nuvem 5 motivos para gerenciar sua frota na nuvem 2 ÍNDICE >> Introdução... 3 >> O que é software na nuvem... 6 >> Vantagens do software na nuvem... 8 >> Conclusão... 13 >> Sobre a Frota Control... 15 3 Introdução

Leia mais

GUIA ATS INFORMÁTICA: TUDO SOBRE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DO CONSUMIDOR

GUIA ATS INFORMÁTICA: TUDO SOBRE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DO CONSUMIDOR GUIA ATS INFORMÁTICA: TUDO SOBRE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DO CONSUMIDOR SUMÁRIO Introdução... 3 Requisitos para implementação da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica... 12 Vantagens da Nota Fiscal de Consumidor

Leia mais

Certificado Digital Modelo NF-e. Manual do Usuário

Certificado Digital Modelo NF-e. Manual do Usuário Certificado Digital Modelo NF-e Manual do Usuário Parabéns! Você acaba de adquirir o seu Certificado Digital Serasa Experian. Este manual é composto por informações importantes para que você possa usar

Leia mais

Certificado Digital e-cpf

Certificado Digital e-cpf Página1 Certificado Digital e-cpf Manual do Usuário Página2 Índice Apresentação... 03 O que é um Certificado Digital?... 03 Instalando o Certificado... 04 Conteúdo do Certificado... 07 Utilização, guarda

Leia mais

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais (opcional);

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais (opcional); Características Fabricada em aço-carbono, com pintura em epóxi preto; Tratamento anticorrosivo e acabamento em aço inox; Fechadura para acesso aos componentes eletrônicos; Sistema de amortecimento de giros

Leia mais

BDCC BANCO DE DADOS COMUM DE CREDENCIAMENTO

BDCC BANCO DE DADOS COMUM DE CREDENCIAMENTO BDCC BANCO DE DADOS COMUM DE CREDENCIAMENTO 1 ORIGEM problemas - ISPS Code CFRB, art.37, inciso XVII: A Administração Fazendária e seus servidores fiscais terão, dentro de suas áreas de competência e jurisdição,

Leia mais

PORTARIA 1.510. Os impactos sobre as MPEs

PORTARIA 1.510. Os impactos sobre as MPEs PORTARIA 1.510 Os impactos sobre as MPEs A PORTARIA 1.510 O que é? Regulamentação do MTE Muda as regras de fabricação e uso de Relógios e Sistemas de Ponto Novas obrigações para empresas usuárias e fabricantes

Leia mais

Manual de Instruções Controladora Básica

Manual de Instruções Controladora Básica Manual de Instruções Controladora Básica 2 Sumário 1. Apresentação... 5 2. Recomendações Importantes... 5 3. Especificações Técnicas... 6 4. Configuração do Sistema... 6 5. Esquema de Ligação... 7 5.1.

Leia mais

Conhecendo a Id Data e o Grupo Daiken

Conhecendo a Id Data e o Grupo Daiken Conhecendo a Id Data e o Grupo Daiken Conhecendo a ID Data e o Grupo Daiken ID DATA: Empresa associada ao Grupo Daiken. Desenvolvedora de soluções em identificação; Controle de acesso, ponto e identificação

Leia mais

A SOLUÇÃO EM AUTOMAÇÃO COMERCIAL

A SOLUÇÃO EM AUTOMAÇÃO COMERCIAL Futura Ponto (REP) A SOLUÇÃO EM AUTOMAÇÃO COMERCIAL Website: www.futurasistemas.com.br Telefone: (11) 3227-8984/ (11) 3929-8980 ÍNDICE Futura Ponto (REP)...03 Configurações Iniciais...04 Cadastrar Empresa...05

Leia mais

Acabamento em aço inox (Tampa superior embutida, proporcionando um melhor acabamento);

Acabamento em aço inox (Tampa superior embutida, proporcionando um melhor acabamento); Características Fabricada em aço-carbono com pintura em epóxi preto; Tratamento anti-corrosivo; Acabamento em aço inox (Tampa superior embutida, proporcionando um melhor acabamento); Fechadura para acesso

Leia mais

Maior Tranqüilidade - Todos esses benefícios, protegendo seus bens materiais e as pessoas que por ali circulam.

Maior Tranqüilidade - Todos esses benefícios, protegendo seus bens materiais e as pessoas que por ali circulam. 1 - APRESENTAÇÃO Este descritivo tem como objetivo, apresentar o Sistema de Identificação de Visitantes enfocando suas funcionalidades e condições técnicas necessárias de implantação. Vantagens do Sistema

Leia mais

Manual. ID REP Config Versão 1.0

Manual. ID REP Config Versão 1.0 Manual ID REP Config Versão 1.0 Sumário 1. Introdução... 3 2. Pré-Requisitos... 3 3. Instalação do ID REP Config... 4 4. Visão Geral do Programa... 8 4.1. Tela Principal... 8 4.2. Tela de Pesquisa... 12

Leia mais

Manual Ponto System CB7 WWW.PONTOSYSTEM.COM.BR. Telefones: (041) 3333-4740

Manual Ponto System CB7 WWW.PONTOSYSTEM.COM.BR. Telefones: (041) 3333-4740 Manual Ponto System CB7 WWW.PONTOSYSTEM.COM.BR Telefones: (041) 3333-4740 1 ÍNDICE Instalação do Sistema... 3 Atualização do Sistema... 4 Acesso ao Sistema... 5 Janela principal... 6 Cadastros Cadastro

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

NOVO SISTEMA E NOVAS REGRAS PARA O REGISTRO DE MARCAÇÃO DE PONTO ELETRÔNICO AUTOR: José Adeildo Nicolau da Costa*

NOVO SISTEMA E NOVAS REGRAS PARA O REGISTRO DE MARCAÇÃO DE PONTO ELETRÔNICO AUTOR: José Adeildo Nicolau da Costa* NOVO SISTEMA E NOVAS REGRAS PARA O REGISTRO DE MARCAÇÃO DE PONTO ELETRÔNICO AUTOR: José Adeildo Nicolau da Costa* O que é o novo registro de ponto? É o Sistema de Registro Eletrônico de Ponto - SREP -

Leia mais

Portal de Fornecedores Não-Revenda

Portal de Fornecedores Não-Revenda Portal de Fornecedores Não-Revenda Introdução ao Portal e Requisitos Técnicos Consulte nesta orientação os processos iniciais para cadastro e acesso ao Portal de Fornecedores Não Revenda assim como os

Leia mais

Obrigado por adquirir o FOCUS 10!

Obrigado por adquirir o FOCUS 10! Obrigado por adquirir o FOCUS 10! Somos do setor de apoio à implantação do software de Gestão Óptica - Focus 10. Daremos todo o suporte remoto, para os primeiros dos muito importantes passos a serem dados

Leia mais

As melhores soluções para sua empresa. Core business. Soluções em software, hardware para acesso e segurança e cartões de identificação.

As melhores soluções para sua empresa. Core business. Soluções em software, hardware para acesso e segurança e cartões de identificação. As melhores soluções para sua empresa. Core business Soluções em software, hardware para acesso e segurança e cartões de identificação. As melhores soluções para sua empresa. REP-Relógio Eletrônico de

Leia mais

CONTEÚDO. 4- Manutenção... 12. 5- Certificado de garantia... 13

CONTEÚDO. 4- Manutenção... 12. 5- Certificado de garantia... 13 CONTEÚDO 1-Apresentação... 4 2- Relógio... 5 2.1 - Aplicação... 5 2.2 - características... 5 2.3 - programação... 6 2.4 - Acessórios... 6 2.5 - Instalação... 6 3- Operação... 7 3.1 - Programação... 7 3.2

Leia mais

Sistema Futura Ponto. Aparecida Legori Futura Sistemas 27/05/2014

Sistema Futura Ponto. Aparecida Legori Futura Sistemas 27/05/2014 2014 Sistema Futura Ponto Aparecida Legori Futura Sistemas 27/05/2014 Índice Cadastro 1. Departamentos 2. Função 3. Empresa 4. Eventos 5. Feriados 6. Grade Horária 7. Justificativas 8. Funcionários 9.

Leia mais

Consignação Manual do Correspondente Consignação

Consignação Manual do Correspondente Consignação Manual do Correspondente Consignação Banestes S.A. - Banco do Estado do Espírito Santo GCONS - Gerência de Consignação SUMÁRIO 1. Conceito...3 2. Apresentação...3 3. Informações Gerais...3 3.1. Condições

Leia mais

Certificado Digital Co C mo u sar? r

Certificado Digital Co C mo u sar? r Certificado Digital Como usar? Certificado Digital Documento eletrônico que identifica pessoas físicas e jurídicas e cuja validade é garantida por uma terceira parte de confiança Garante a identidade do

Leia mais

VANTAGENS DA NFC-e PARA O CONTRIBUINTE

VANTAGENS DA NFC-e PARA O CONTRIBUINTE Divulgação INTRODUÇÃO A NFC-e é um documento eletrônico (arquivo de computador) que substituirá as notas fiscais de venda a consumidor, modelo 2 e o cupom fiscal emitido por ECF com grandes vantagens para

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA 1 NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA TUTORIAL DE USO DA FERRAMENTA ANO 2012 2 Sumário 1 Nota Fiscal de Serviços eletrônica - NFS-e... 3 1.1 Considerações Iniciais... 3 1.2 Legislação... 3 1.3 Definição...

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO. PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO N o 2.839 DE 2010

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO. PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO N o 2.839 DE 2010 COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO N o 2.839 DE 2010 Susta a Portaria nº 1.510 do Ministério do Trabalho e Emprego, de 21 de agosto de 2009, publicada

Leia mais

TEF Transferência Eletrônica de Fundos

TEF Transferência Eletrônica de Fundos 1. VISÃO GERAL 1.1 OBJETIVOS: O TEF é uma solução eficiente e robusta para atender as necessidades do dia a dia de empresas que buscam maior comodidade e segurança nas transações com cartões, adequação

Leia mais

1. Especificações Técnicas

1. Especificações Técnicas SUMÁRIO 1.Especificações Técnicas...2 2.Passfinger 2040...3 3.Instalação...4 4.Operação...5 4.1.Ligar o REP...5 4.2.Modo de Espera (Idle)...5 4.3.Navegação nos Menus...5 4.4.Escrever texto...6 4.4.1.Modo

Leia mais

imagem ilustrativa Cartilha DIMEP D-SAT

imagem ilustrativa Cartilha DIMEP D-SAT imagem ilustrativa Cartilha DIMEP D-SAT O que é CF-e-SAT? O SAT-CF-e (Sistema Autenticador e Transmissor de Cupons Fiscais Eletrônicos) tem por objetivo documentar, de forma eletrônica, as operações comerciais

Leia mais