Conceitos Básicos de INTERNET

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conceitos Básicos de INTERNET"

Transcrição

1 Departamento de Informática Curso de Pós-Graduação em Redes de Computadores Conceitos Básicos de INTERNET Wandreson Luiz Brandino wandreson.com Abril/97

2 Sumário 1. O CONCEITO DA INTERNET HISTÓRICO E EVOLUÇÃO IMPORTÂNCIA CONCEITOS DE REDES E PROTOCOLOS ENDEREÇAMENTOS E DOMÍNIOS PORTAS SERVIÇOS BÁSICOS TERMINAL REMOTO (TELNET) CORREIO ELETRÔNICO ( ) TRANSFERÊNCIA DE ARQUIVOS (FTP) FTP Anônimo FTP por comandos em lote LISTAS DE DISCUSSÃO NEWSGROUPS OUTROS SERVIÇOS ARCHIE WAIS GOPHER FACILIDADES ADICIONAIS FINGER PING TALK NSLOOKUP WWW (WORLD WIDE WEB) A LINGUAGEM HTML COMANDOS BÁSICOS USANDO O FRONTPAGE ÉTICA NA INTERNET EMOTICONS E A INTERNET MELHOR USO DA INTERNET COMPRESSÃO DE ARQUIVOS SEGURANÇA VÍRUS, VERMES, CRACKERS, HACKERS E A INTERNET GERENCIAMENTO DA INTERNET RFCS O FUTURO DA INTERNET BIBLIOGRAFIA

3 1. O Conceito da INTERNET A Internet - também conhecida como a rede das redes - é uma rede que contém milhares de redes de computadores que servem a milhões de pessoas em todo o mundo. Apesar de seu objetivo inicial ter sido permitir que pesquisadores acessassem sofisticados recursos de hardware, bem como prover uma comunicação interpessoal mais eficiente, a Internet demonstrou ser muito útil nas mais diferentes áreas, e por isso acabou transcendendo seu objetivo original. Hoje, seus usuários são imensamente diversificados - educadores, bibliotecários, empresários e aficionados por computadores, utilizando os mais variados serviços, que vão desde a simples comunicação interpessoal ao acesso a informações e recursos de valor inestimável. Por exemplo, pessoas que vivem em regiões cuja distância chega a milhares de quilômetros se comunicam sem nunca terem se visto, e há informações disponíveis 24 h por dia em milhares de lugares. Um ponto importante a destacar, na Internet, é que a maioria das informações disponíveis é gratuita. Naturalmente, alguns serviços são pagos e o acesso é restrito mas, na sua maioria é gratuito. A Internet se assemelha à anarquia 1, no sentido filosófico da palavra. A Internet é uma cidade eletrônica, já que nela podemos encontrar: bibliotecas, bancos, museus, previsões do tempo, acessar a bolsa de valores, conversar com outras pessoas, pedir uma pizza, comprar livros ou CD s, ouvir música, ler jornais e revistas, ter acesso a banco de dados, ir ao Shopping Center e muito mais. É um verdadeiro mundo on-line. 1 Ausência de governo Um estado de falta de leis ou de desordem política devido à ausência de autoridade governamental Uma sociedade utópica de indivíduos que apreciam a liberdade total sem governo 2

4 2. Histórico e Evolução A Internet se originou de uma única rede chamada ARPANET. Esta foi criada em 1969 pelo Departamento de Defesa Norte-Americano com o objetivo de promover o desenvolvimento na área militar. Os EUA pretendiam descentralizar os repositórios de informações de segurança nacional localizados em Washington para não correrem riscos de destruição de informações, já que elas estavam centralizadas. A ARPANET permitia que pesquisadores de várias universidades e empresas ligadas à defesa militar acessassem recursos de hardware e de software, assim como trocassem informações relativas ao desenvolvimento de projetos. Em vista dos benefícios alcançados na área de pesquisa militar, observou-se que esta tecnologia poderia se estender a uma ampla gama de conhecimentos, atraindo assim a atenção de pesquisadores ligados a outras áreas. Várias outras redes se conectaram com a ARPANET, promovendo o crescimento desta. Com esse crescimento foram descobertos outros benefícios que poderiam ser alcançados; desta forma, o objetivo original passou a ser aos poucos substituído por metas mais abrangentes. A partir de então, começou um grande crescimento da rede. Devido a este crescimento, o Departamento de Defesa Norte-Americano formou uma rede própria, chamada MILNET, separando-se da original ARPANET. Ambas então, passaram a ser conhecidas como DARPA Internet, hoje Internet. Com sua expansão, a Internet passou a conectar-se com várias outras redes em diversos países do mundo. Com o crescimento da Internet, a NSF (National Science Foundation), agência do governo americano, a fim de tirar o maior proveito de seu sistema de computação, composto por supercomputadores, os interligou à Internet e, a partir daí todas as universidades passaram a ter acesso. Hoje, no Brasil, é possível utilizar os recursos de supercomputadores do IMPE e da UFRGS através da Internet, desde que o usuário tenha acesso. 3

5 3. Importância Como já foi dito, as motivações originais que deram origem à Internet foram a distribuição de recursos computacionais e a comunicação interpessoal. Hoje percebese que a sua importância foi bastante incrementada, visto que houve um grande avanço na tecnologia de comunicação de dados além do melhor uso dos benefícios oferecidos pela rede. Alguns dos benefícios oferecidos pela rede estão listados abaixo: O incremento no avanço da ciência, pois torna-se mais rápida e fácil a comunicação das comunidades científicas com troca de informação sobre trabalhos e avanços em determinada área. Por exemplo, uma pessoa de uma universidade dos EUA pode obter informações para sua pesquisa sobre Doenças Tropicais acessando bancos de dados de hospitais em diversos países como Brasil, Venezuela e África do Sul, sem precisar sair da sua sala; A utilização de recursos computacionais avançados por diversas pessoas em pontos distantes, bastando apenas um meio de comunicação da sua estação de trabalho ao local a ser acessado. Este meio pode ser uma linha telefônica ligada a um provedor de acesso (que está conectado à Internet) ou através de uma rede corporativa, que está toda ligada à grande rede. Por exemplo: uma pessoa que precisa executar um programa que exija grande recurso pode acessar e utilizar um supercomputador em uma universidade distante. O processamento seria executado pelo supercomputador e haveria apenas uma transferência dos resultados ao final do processamento. Aplicações deste tipo são conhecidas como Cliente/Servidor; A democratização da informação, pois não existe um único órgão que gerência o fluxo de informações. Cada um pode enviar mensagens e artigos livremente sem qualquer manipulação ou censura. Além de ser democrática, apresenta ainda outras qualidades como a de ser antidiscriminatória, permitindo que pessoas de qualquer raça, nível social ou credo se comuniquem sem preconceito. Entretanto, já existem algumas iniciativas, do governo americano, ainda sem resultados, de proibir certos tipos de tráfego na rede. Como por exemplo: comunicação entre traficantes, receitas de bombas ou páginas de Seitas religiosas que pregam o suicídio ou coisas do gênero, como aconteceu recentemente nos Estados Unidos; A obtenção dos mais variados softwares incluindo atualizações, pois existem programas que são de domínio público, ou seja, podem ser livremente copiados e utilizados. Além disso, as empresas descobriram na Internet uma excelente forma de deixar seus clientes bem atualizados sobre seus novos produtos. Desta forma, elas podem economizar com propaganda e levar a informação ao cliente de forma mais ágil e barata. É interessante ressaltar que estes são pequenos exemplos da importância da Internet. Já que a descoberta de novos serviços e recursos é constante. 4

6 4. Conceitos de Redes e Protocolos Redes: Atualmente o modelo do computador central (Fig. 1) fornecendo serviços a uma organização vem sendo substituída por uma configuração onde computadores de menor porte são interconectados para a execução das mais variadas tarefas. Este modelo é denominado de redes de computadores (Fig. 2) e sua difusão ocorreu após o barateamento e evolução dos microcomputadores. Esta configuração apresenta uma série Fígura de vantagens: 1 Fígura 2 Compartilhamento de recursos, pois programas, base de dados e hardware (exemplo: impressora) estão disponíveis a todos os usuários. A economia de recursos financeiros pois a relação custo/benefício de uma rede de computadores é menor que uma máquina de grande porte central, além da manutenção da rede e de seus computadores ser mais simples e portanto mais barata. Observe que uma informação enviada de um computador A para um computador B pode passar por diversos tipos de rede, com diferentes topologias, diferentes sistemas operacionais, etc. Isto só é possível graças ao protocolo que é utilizado. As conexões entre computadores podem ser feitas por satélite, cabo submarino, fibra ótica, cabo de cobre, etc, com diferentes velocidades, Protocolo: Além da conexão física entre os computadores, faz-se necessário o uso de uma certa linguagem comum (procedimentos) para a troca de informações entre eles. A esta conjunto de procedimentos, denominamos Protocolo de Comunicação. Estes protocolos definem os padrões e formalidades para uma perfeita comunicação na rede. Por exemplo, em uma comunicação por telefone é habitual o uso do alô para se iniciar uma conversa, o tchau para se terminar, além de outros. No rádio também faz-se o uso de alguns parâmetros para a comunicação, tal como 5

7 câmbio e câmbio final. Estes são exemplos de alguns protocolos utilizados em uma comunicação pessoal à distância. Em redes de computadores, tal como na Internet, acontece da mesma forma. Uma das benéficas características da Internet é o fato dela suportar diversas tecnologias, possibilitando a conexão de uma grande gama de redes, de diferentes fabricantes do mundo, além de diversos tipos de computadores, sistemas operacionais, etc. Para possibilitar a comunicação dos computadores na Internet é utilizado uma família de protocolos denominada TCP/IP (Transport Control Protocol / Internet Protocol). Os computadores comunicam-se entre si, enviando pacotes de informações uns para os outros. O TCP/IP é um protocolo aberto, isto é não-proprietário. Com isso, torna-se barato a sua utilização pois desobriga o pagamento de royalties, o que facilita sua implementação por estar amplamente documentado (o TCP/IP e todos os protocolos ou regras utilizadas na Internet, são definidos em RFC s, assunto que veremos mais adiante). Estas características foram grandes responsáveis pela rápida expansão da Internet. 6

8 5. Endereçamentos e Domínios Enquanto pôde, a Internet procurou manter a lista completa de seus computadores e redes. Com o crescimento da rede, esta lista tornou-se difícil de manusear, tanto pelo tamanho quanto pelo número de alterações feitas diariamente. O Domain Name System (Sistema de Nomes de Referência) evoluiu como uma maneira adequada de tratar estas listas. O Domain Name System (DNS) é responsável por diversas tarefas. Ele cria uma hierarquia de domínios, referências, ou grupos de computadores. Estabelece um nome de referência (também conhecido como endereço da Internet) para cada computador na rede. As referências principais tem a responsabilidade de manter listas e endereços de outras referências do nível imediatamente inferior em cada grupo. Este nível inferior de referências é o responsável pelo próximo nível e assim por diante até o usuário final, ou computador final. O DNS utiliza esta hierarquia para transformar um nome de computador, escrito por extenso, em um número denominado endereço IP. O protocolo TCP/IP precisa saber o endereço da máquina local e o endereço IP da máquina que se deseja conectar. Quando o usuário informa o nome de uma máquina e não o seu endereço IP é o serviço de DNS que se responsabiliza em transformar aquele nome de máquina em endereço IP, para que se possa estabelecer a comunicação. Em geral, este processo é totalmente transparente ao usuário final. Assim como uma casa em um sistema postal, uma máquina na Internet possui um endereço. A forma de endereçamento na Internet é feita através de números. Cada máquina possui o seu número, denominado endereço IP. Porém, para maior facilidade da utilização dos endereços, foram criados apelidos para cada máquina. Utilizando-se a analogia do sistema postal podemos compreender melhor os endereços da Internet. Uma casa pode ser localizada através de seu país, estado, cidade, rua e número, onde o número esta contido na rua, que por sua vez esta contida na cidade e assim por diante (Fig 3). Na Internet o mecanismo é o mesmo, uma máquina é endereçada por um conjunto de informações, por exemplo a máquina cairo do Laboratório de Informática do CT-III da UFES pode ser localizada da seguinte forma: cairo.inf.ufes.br Este endereço indica que a máquina cairo está contida no conjunto inf que por sua vez está contida no conjunto ufes que está no conjunto br. O que foi referido como conjuntos, no mundo da Internet recebe o nome de domínios. Desta forma, existe o grande domínio br. Este contém vários sub-domínios dentre os quais o sub-domínio ufes, que por sua vez contém o sub-domínio inf, que possui a máquina cairo. Observe que a Internet possui uma estrutura descentralizada, isto significa que existe mais de uma máquina respondendo pelo domínio br, e mais de uma pelo domínio ufes, e assim sucessivamente. Isto possibilita que se uma máquina esteja inoperante, outra possa responder àquela solicitação. 7

9 Hierarquia de Nomes. Canadá ca Brasil br França fr Estados Unidos UFES ufes Governamental gov Comercial com Educacional edu Governamental gov Comercial com Elétrica ele Informática inf Outros cairo Fígura 3 Com os conceitos de domínios já discutidos pode-se mostrar como a Internet está estruturada. A Internet é formada por um conjunto de grande domínios globais, divididos em países, como mostrado abaixo: br ca uk it pt Brasil Canada Reino Unido Itália Portugal Existem ainda alguns domínios globais pertencentes aos Estados Unidos. Estes foram os domínios iniciais da Internet, antes das expansões para os outros países: mil gov edu com net org Militar Governamental Educacional Comercial Empresas/grupos preocupados com a Administração da Internet Outras organizações da Internet Cada um destes domínios apresenta vários sub-domínios pelos quais são responsáveis. Por exemplo, o grande domínio global br (que é gerenciado pela FAPESP), possui alguns sub-domínios: ufes.br rnp.br usp.br UFES Rede Nacional de Pesquisa USP 8

10 Observe que no Brasil, como as universidades e órgãos de pesquisa já faziam parte da Internet antes dela ser aberta comercialmente, os domínios não indicam se são instituições de pesquisa ou não. Após a abertura comercial da Internet no Brasil, alguns novos domínios foram criados, como os apresentados abaixo: com.br gov.br mil.br Comercial Governamental Militar Desta forma, a Internet ramifica-se em domínios e sub-domínios, sendo cada domínio responsável pelos seus sub-domínios contados logo abaixo. Cada máquina é então endereçada informando o seu nome e o sub-domínio ao qual ela pertence. Assim, voltando ao nosso exemplo, o endereço cairo.inf.ufes.br, refere-se à máquina de nome cairo pertencente ao sub-domínio inf, que está contida no subdomínio ufes, contido no grande domínio global br. No nosso exemplo, a máquina de apelido cairo.inf.ufes.br possui o endereço IP Como pode ser visto, é mais simples memorizar o seu apelido do que seu verdadeiro endereço. O sub-domínio ufes, que é gerenciado pelo NPD, é responsável pelos seguintes sub-domínios: inf ele cce Departamento de Informática Departamento de Engenharia Elétrica Centro de Ciências Exatas Observe que cada máquina na Internet tem pelo menos um endereço IP. Algumas máquinas especiais, como roteadores, podem ter mais de um endereço IP. Este assunto, entretanto está além do escopo deste texto, e não será discutido 9

11 5.1 Portas Qualquer serviço existente na Internet está associado a uma porta. Desta forma, quando um usuário deseja se conectar a um serviço, ele precisa informar, além do nome da máquina ou endereço IP a porta correspondente. Alguns serviços, entretanto, tem suas portas bem definidas e por isso não é necessário que o usuário informe o número da porta associada. Por exemplo, o serviço de Terminal Remoto (Telnet) está associado à porta 23, o serviço de WWW está associado à porta 80, e assim por diante. Alguns sistemas mudam a porta padrão por conveniência ou para fornecerem diferentes serviços. Por exemplo, poderiamos ter, o Telnet associado à porta 3000, como é o caso da máquina martini.eecs.umich.edu; desta forma para nos conectarmos a ela precisamos dar o comando da seguinte forma: telnet martini.eecs.umich.edu 3000 No entanto esta porta, está associada a um serviço ligeiramente diferente do telnet. Mas ele usa o mesmo aplicativo para se conectar. Nos Browsers visualizados, como o Netscape e o Explorer, é possível informar em qual porta queremos o serviço. Para tanto, após o endereço, basta colocar dois pontos e o número da porta. O exemplo abaixo é redundante, já que o serviço de WWW já esta na porta 80, mas serve como ilustração: 10

12 6. Serviços Básicos A Internet oferece serviços basicamente envolvendo transferência de informações. Dentre a gama de serviços oferecidos, existem três básicos: , FTP e TELNET. A seguir estudaremos cada um deles. 6.1 Terminal Remoto (Telnet) O Telnet é o serviço que possibilita o acesso a máquinas remotas, como se seu terminal estivesse conectado a ela. Por exemplo, uma pessoa localizada no Laboratório de Informática do Departamento de Informática, pode acessar o Núcleo de Processamento de Dados (NPD) através deste serviço e, com isso, pode-se fazer uma impressão de texto nas impressoras do NPD, caso as do laboratório estejam inoperantes. É importante salientar que pode-se fazer uma conexão com qualquer máquina, desde que esta esteja na Internet, e que ofereça o serviço de Telnet. Desta forma uma pessoa localizada em Vitória pode se conectar com uma máquina localizada no Japão. Para isto, é necessário que o usuário possua uma conta na máquina remota ou que a máquina ofereça acesso público. Este serviço é importante pois possibilita a distribuição de recursos computacionais. Por exemplo, a utilização de um supercomputador em um local distante, o acesso a bibliotecas e a serviços oferecidos por outras bases de dados como jornais, revistas, etc. Telnet no Windows A tela do sistema, é a apresentada na Fígura 4. Através do menu, pode-se escolher com qual máquina conectar e que porta utilizar, além da facilidade de desconexão no final do serviço. Após a conexão com a máquina remota, o sistema solicitará que o usuário informe nome (Login) e senha (Password) para completar a conexão. Caso a senha esteja incorreta o sistema perguntará novamente, até que o usuário digite a senha corretamente ou a conexão seja terminada. 11

13 Figura 4 Telnet no Unix Para se conectar a uma máquina remota utiliza-se o comando: telnet <nome da máquina> Ex: telnet npd1.ufes.br (o acesso ao NPD é feito pela máquina npd1) Com a conexão completada, a máquina remota solicita o nome da sua conta, como abaixo: login: E em seguida a sua senha: password: Outra forma de se conectar a uma máquina, é simplesmente digitar o comando: telnet Em seguida aparecerá o prompt do aplicativo telnet: TELNET> A partir daí, basta executar um comando do aplicativo. Alguns destes comandos estão relacionados abaixo: 12

14 ? open <nome da máquina> close quit #Lista os comandos #Estabelece conexão com a máquina remota #Finaliza a conexão com a máquina remota #Encera o aplicativo Telnet Abaixo são apresentados alguns servidores que permitem a conexão Telnet e quais serviços eles oferecem: Endereço Username Instituição Serviço Prestado aleph.pucrs.br guest PUC-RS Acesso a banco de dados bibliográficos ccvax.unicamp.br Diversos UNICAMP/CC Diversos 13

15 6.2 Correio Eletrônico ( ) O (Eletronic Mail) é um serviço de correio eletrônico, onde pode-se trocar correspondência de uma forma rápida e barata com outras pessoas, de forma análoga ao correio tradicional. Utilizando-se desta analogia, uma carta, quando enviada, deve conter o endereço do destinatário e do remetente. No correio eletrônico também usa-se endereços, denominados endereços eletrônicos. Como já foi visto, cada máquina possui seu endereço. Visto que vários usuários utilizam-se de uma mesma máquina, faz-se necessário a identificação de cada usuário. Esta identificação é feita acrescentado a identificação do sistema ao endereço da máquina, unidos pelo (arroba) ou at. Por exemplo, o usuário brandino que possui uma conta na máquina de endereço cairo.inf.ufes.br será identificado da seguinte forma: ou brandino at inf.ufes.br Desta forma, pode-se enviar mensagens para qualquer usuário de qualquer máquina do mundo. Uma boa prática é utilizar como identificação do usuário, seu nome verdadeiro, porém nem sempre isso é possível, basta imaginar quantos nomes de Maria, João ou José temos, daí usa-se apelidos, sobrenomes, ou combinação destes. Veja alguns exemplos de endereços eletrônicos abaixo: zegonc brandino rcesar #Nome real José Gonçalves Pereira Filho #Nome real Wandreson Luiz Brandino #Nome real Roberto Cesar Cordeiro Caso você cometa algum erro ao escrever o endereço do destinatário, a sua mensagem não será entregue e retornará a você para que possa envia-la à pessoa correta. Entretanto, se a combinação de nomes digitada existir na Internet, a sua carta será entregue a uma outra pessoa, e não retornará à você. As mensagens de possuem alguns identificadores básicos que formam o cabeçalho da mensagem, a fim de identificar origem, destino, assunto, etc. Veja agora como é a estrutura interna de uma mensagem: 14

16 Message 9: From Fri Apr 11 10:40: Date: Fri, 11 Apr :40: From: (Rogerio F. Rodrigues) To: Subject: Congresso SBRC/97 #(número da mensagem) #(end. do remetente e data de envio) #(data de chegada) #(end. do remetente e seu nome real) #(end. do destinatário) #(Assunto da Mensagem) #(Corpo da Mensagem) Ola Wandreson, Como vao as coisas ai em Vitoria? Aqui na PUC esta aquela batalha de sempre, estou acabando a tese. Quando terminar a versao draft te mando uma copia. A proposito, voce vai no SBRC/97? Mande mensagem confirmando pra gente armar alguma coisa. Abracos Rogerio Observe que a mensagem é enviada para e não para isto porque pode-se omitir o nome da máquina, e deixar só o nome do domínio, desde que se configure na máquina responsável pelo domínio inf.ufes.br, que qualquer mensagem enviada a inf.ufes.br deve ser direcionada à máquina cairo.inf.ufes.br. Ou seja, uma mensagem enviada para ou para vão para o mesmo destinatário. Alguns dados que vão com a mensagem não são descritos aqui, servem para identificar por onde a mensagem passou. Isto ajuda a confirmar se a mensagem veio de onde o usuário indica que ela veio realmente. É uma forma de validação da mensagem. Para a Internet, sua mensagem de correio eletrônico é um fluxo de pacotes, cada um com o endereço do destinatário. Em um processo conhecido como chaveamento de pacotes, a Internet envia os pacotes pelo melhor caminho entre seu computador e o endereço de destino. Este caminho pode não ser o mais curto, mas leva em consideração fatores como o volume de correio eletrônico nos diferentes backbones ou linhas e a qualidade da transmissão. A amplitude dos pacotes de correio eletrônico se estende muito além do mundo da Internet. Se colocarmos a Internet como qualquer grupo de usuários que se comunica pelo protocolo TCP/IP. Há muitos outros tipos de redes extensas, algumas quase tão amplas como a Internet. Muitas dessas outras redes têm acordos com a Interenet e entre si para intercambiar correio eletrônico de um lado para o outro, do mesmo modo que os países trocam correio normal em suas fronteiras. Frequentemente, uma mensagem de correio eletrônico pode ter de passar por uma série de redes intermediárias para alcançar o destinatário. Uma vez que nem todas as redes usam o mesmo formato de correio eletrônico, uma porta de comunicação traduz o formato de uma mensagem de correio eletrônico em um formato que a próxima rede pode compreender. Isto é usado por muitos BBS que não tem acesso direto com a Internet, o BBS se conecta a um servidor por um determinado tempo, envia as mensagens e recebe outras. Para se enviar um mail é necessário utilizar um aplicativo (programa para utilizar este serviço). Podemos citar alguns programas para este fim: O ambiente 15

17 UNIX fornece o programa mail, que utiliza uma interface a caracter na linha de comando, existem também programas de mail para as interfaces gráficas do UNIX. No ambiente Windows também existem aplicativos para este fim, um dos mais conhecidos é o Eudora, entretanto os programas de browser WWW (veremos este assunto mais adiante), também fornecem aplicativos para correio eletrônico, entre eles podemos citar o Netscape e o Explorer, que são os mais populares Navegadores de páginas da Web. A seguir é apresentado o mail nativo do UNIX e do Netscape: Mail no Unix Para se executar o programa de mail no UNIX, basta digitar mail na linha de comando, isto faz com que o computador mostre todos os mail s que foram endereçados àquele usuários, como mostrado abaixo: O sinal > indica qual a mensagem corrente. A lista, como pode se notar, apresenta vários campos. Um campo representa o status da mensagem. A mensagem pode apresentar os seguintes status: N Nova Mensagem U Mensagem não lida P Mensagem já lida e preservada na caixa postal Sem Letra Mensagem já lida e não preservada Os outros campos são referentes ao número da mensagem, endereços do remetente, data, hora, tamanho da mensagem e assunto. Existem alguns comandos usados para se manipular estas mensagens, a maioria podem ser abreviados, estes são listados abaixo: print <número da mensagem> print 5 more <número da mensagem> more 3 delete <número da mensagem> (Ler uma mensagem) (Ler uma mensagem com pausa) (Apagar uma mensagem) 16

18 delete 4 preserve <número da mensagem> preserve 1 save <nome do arquivo> save trabalhos x quit? (Preservar a mensagem) (Salva a mensagem corrente em arquivo) (Sai do mail sem alterar o status) (Sai do aplicativo e altera o status) (Exibe lista de comandos e sua utilidades) Para se enviar uma mensagem, deve-se executar o programa mail, seguido do endereço eletrônico da pessoa a quem quer se enviar a mensagem. Exemplo: mail Aparecerá em seguida a requisição do assunto da mensagem Subject: (Digite o Assunto) A partir daí, digita-se a mensagem a ser enviada. Para se indicar o final da mensagem utiliza-se uma linha com apenas um ponto ou Control D Estes são apenas os comandos básicos, existem outros, mas estes são suficientes para iniciar a utilização do correio eletrônico. Mail no Netscape Da mesma forma que as mensagens podem ser enviadas diretas de uma máquina UNIX, também podem ser enviadas por máquinas rodando Windows, mesmo que a conta do usuário, esteja em uma máquina UNIX ou em qualquer sistema operacional que converse com a Internet. Bastando para isto, configurar no software aonde (endereço da máquina) esta a caixa postal. Na tela abaixo é mostrado, como se pode configurar o Visualizador para poder ler as mensagens, independente de onde elas estejam, e em que máquina. 17

19 Nesta outra tela, é mostrado um ambiente onde o usuário pode ler, escrever, enviar as mensagens, além de organiza-las da melhor forma. Observe, que a mesma mensagem pode ser enviada a outros usuários, preenchendo o campo de cópia carbono com o endereço destes usuários 18

20 6.3 Transferência de Arquivos (FTP) O FTP (File Transfer Protocol), como o próprio nome indica é um serviço que possibilita a transferência de arquivos entre máquinas. Com este aplicativo podemos transferir programas desenvolvidos por outras pessoas e executá-los em nosso computador. Por exemplo, uma pessoa que deseja obter um anti-vírus para o seu computador, pode transferi-lo de uma máquina remota onde este está a disposição. Outros tipos de arquivos comumente transferidos são relacionados a textos e imagens. A quantidade de informações disponíveis no FTP é imensa, não se sabe ao certo quantos gigabytes estão disponíveis, ou seria terabytes? Para se realizar a transferência de arquivos, faz-se necessário uma conexão com a máquina remota, para tanto utiliza-se o comando mostrado abaixo: FTP no UNIX ftp <nome da máquina> Ex: ftp ftp.microsoft.com Após este comando e com estabelecimento da conexão, será requisitado o nome da conta: name: Logo após, a senha: password: Outra forma é digitar o comando ftp, na linha de comando. Então aparecerá: FTP> Daí, para se estabelecer a conexão com a máquina remota, basta digitar: open <nome da máquina> Outros comandos disponíveis no FTP são: Comando dir ou ls cd <caminho> lcd <caminho> pwd!<comando> Ex:!del *.txt get <arquivo> Ex: get scan.exe mget <arquivos> Descrição Mostra a listagem do diretório corrente Muda o diretório remoto Muda o diretório local Informa o diretório remoto atual Permite a execução de comandos na máquina local Deleta os arquivos *.txt na máquina local Transfere um arquivo da máquina remota para a máquina local Transfere múltiplos arquivos da máquina remota para a 19

21 Comando mget *.txt put <arquivo> Ex: put agenda.dat mput <arquivos> mput *.gif hash help ou? quit ou bye ascii bin Descrição máquina local Transfere um arquivo da máquina local para a máquina remota Transfere múltiplos arquivos da máquina local para a máquina remota Imprime o símbolo #, a cada 1024 bytes transferidos Obtém a lista dos comandos disponíveis Encerra uma conexão FTP Para transferência de arquivos no forma ASCII Esta transferência, faz conversão de formatos, no caso de estarmos transferindo arquivos de máquinas com sistemas operacionais diferentes. Aconselhável para transferência de arquivos textos Para transferência no formato binário Esta transferência não altera nenhum bit do arquivo, transferindo-o de forma a deixa-lo igual na máquina local e remota. Aconselhável para transferência de programas Observe que os comandos bin e ascii tem que ser informados ao computador antes do início da transferência de um arquivo. Antes de transferir algum dado, verifique se o FTP esta no modo apropriado, porque se não você pode transferir dados e depois não conseguir ter acesso a eles. FTP no Windows Da mesma forma que se é feito o FTP através do UNIX, pode-se fazê-lo também pelo Windows. Os programas de FTP são bem fáceis de se utilizar, basta encontrar o arquivo e transferi-lo para o diretório desejado na máquina local. Observe que o programa abaixo permite fazer FTP anônimo (discutido adiante) e identificado. O FTP também pode ser feito pelos browsers da Web, entretanto, estes só o permitem fazê-lo por FTP anônimo. Não se esqueça de selecionar de que tipo é o arquivo que você esta trazendo, porque se você informar que o arquivo é do tipo ASCII e ele for um programa (tipo binário), quando ele chegar no seu computador e você tentar executá-lo, ele não vai funcionar. E além disso você vai ter perdido tempo e utilizado recursos da Internet desnecessariamente. Existem basicamente três tipo de arquivos: ASCII (American Standard Code for Information Interchange, ou Código Americano Padrão para Intercâmbio de 20

INTERNET -- NAVEGAÇÃO

INTERNET -- NAVEGAÇÃO Página 1 INTRODUÇÃO Parte 1 O que é a Internet? A Internet é uma rede mundial de computadores, englobando redes menores distribuídas por vários países, estados e cidades. Ao contrário do que muitos pensam,

Leia mais

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO PROTOCOLOS DA INTERNET FAMÍLIA TCP/IP INTRODUÇÃO É muito comum confundir o TCP/IP como um único protocolo, uma vez que, TCP e IP são dois protocolos distintos, ao mesmo tempo que, também os mais importantes

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL. Professor Carlos Muniz

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL. Professor Carlos Muniz SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL Na internet, cada computador conectado à rede tem um endereço IP. Todos os endereços IPv4 possuem 32 bits. Os endereços IP são atribuídos à interface

Leia mais

1. Alguns protocolos básicos da pilha TCP/IP

1. Alguns protocolos básicos da pilha TCP/IP 1. Alguns protocolos básicos da pilha TCP/IP 1.1 Exemplo de subredes HUB ROTEADOR HUB 1.2 ICMP - Internet Control Message Protocol ICMP é um protocolo que roda sobre IP e é usado para comunicar diversas

Leia mais

Pequena história da Internet

Pequena história da Internet Pequena história da Internet A Internet nasceu em 1969, nos Estados Unidos. Interligava originalmente laboratórios de pesquisa e se chamava ARPAnet (ARPA: Advanced Research Projects Agency). Era uma rede

Leia mais

USO GERAL DOS PROTOCOLOS SMTP, FTP, TCP, UDP E IP

USO GERAL DOS PROTOCOLOS SMTP, FTP, TCP, UDP E IP USO GERAL DOS PROTOCOLOS SMTP, FTP, TCP, UDP E IP SMTP "Protocolo de transferência de correio simples (ou em inglês Simple Mail Transfer Protocol ) é o protocolo padrão para envio de e- mails através da

Leia mais

INTERNET -- NAVEGAÇÃO

INTERNET -- NAVEGAÇÃO Página 1 Acessando endereços simultaneamente Parte 2 Um recurso interessante e extremamente útil é o de abrir várias janelas ao mesmo tempo. Em cada janela você poderá acessar um endereço diferente na

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II INTERNET Protocolos de Aplicação Intranet Prof: Ricardo Luís R. Peres As aplicações na arquitetura Internet, são implementadas de forma independente, ou seja, não existe um padrão

Leia mais

Projeto de sistemas O novo projeto do Mercado Internet

Projeto de sistemas O novo projeto do Mercado Internet Projeto de sistemas O novo projeto do Mercado Internet Mercados em potencial de serviços Serviços da Web ftp,http,email,news,icq! Mercados em potencial de serviços FTP IRC Telnet E-mail WWW Videoconferência

Leia mais

Era da Informação exige troca de informações entre pessoas para aperfeiçoar conhecimentos dos mais variados

Era da Informação exige troca de informações entre pessoas para aperfeiçoar conhecimentos dos mais variados O Uso da Internet e seus Recursos Ana Paula Terra Bacelo anapaula@cglobal.pucrs.br Faculdade de Informática /PUCRS Sumário Introdução Internet: conceitos básicos Serviços da Internet Trabalhos Cooperativos

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Aula 23 http://www.ic.uff.br/~bianca/introinfo/ Aula 23-07/12/2007 1 Histórico da Internet Início dos anos 60 Um professor do MIT (J.C.R. Licklider) propõe a idéia de uma Rede

Leia mais

APOSTILA BÁSICA SOBRE INTERNET

APOSTILA BÁSICA SOBRE INTERNET APOSTILA BÁSICA SOBRE INTERNET DEFINIÇÕES BÁSICAS A Internet é um conjunto de redes de computadores interligados pelo mundo inteiro, ue têm em comum um conjunto de protocolos e serviços. O ue permite a

Leia mais

Introdução. O que é a Internet

Introdução. O que é a Internet A INTERNET Introdução Este trabalho tem como objetivo levar ao leitor um pouco do mundo da Internet. O usuário através deste documento poderá descobrir o que é a Internet, o porque dela, de onde veio e

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações Web

Desenvolvimento de Aplicações Web Desenvolvimento de Aplicações Web André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br Método de Avaliação Serão realizadas duas provas teóricas e dois trabalhos práticos. MF = 0,1*E + 0,2*P 1 + 0,2*T 1 + 0,2*P

Leia mais

Internet - A rede Mundial

Internet - A rede Mundial Internet - A rede Mundial Fernando Albuquerque 061-2733589 fernando@cic.unb.br O que é? Qual a sua história? Como funciona? Como está organizada? Quais os serviços? Como acessar? Quais os cuidados? Qual

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Redes de Computadores Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Nível de Aplicação Responsável por interafir com os níveis inferiores de uma arquitetura de protocolos de forma a disponibilizar

Leia mais

Permite o acesso remoto a um computador;

Permite o acesso remoto a um computador; Telnet Permite o acesso remoto a um computador; Modelo: Cliente/Servidor; O cliente faz um login em um servidor que esteja conectado à rede (ou à Internet); O usuário manipula o servidor como se ele estivesse

Leia mais

Desenvolvimento em Ambiente Web. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Desenvolvimento em Ambiente Web. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Desenvolvimento em Ambiente Web Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Internet A Internet é um conjunto de redes de computadores de domínio público interligadas pelo mundo inteiro, que tem

Leia mais

*Conceitos básicos *Formas de conexão *Correio Eletrônico *WWW *Principais navegadores para Internet

*Conceitos básicos *Formas de conexão *Correio Eletrônico *WWW *Principais navegadores para Internet Conceitos básicos Formas de conexão Correio Eletrônico WWW Principais navegadores para Internet Para compreender a Internet faz-se necessário o conhecimento de conceitos simples e que muitas vezes causam

Leia mais

Rede de Computadores. Arquitetura Cliente-Servidor

Rede de Computadores. Arquitetura Cliente-Servidor Rede de Computadores Arquitetura ClienteServidor Coleção de dispositivos de computação interconectados que permitem a um grupo de pessoas compartilhar informações e recursos É a conexão de dois ou mais

Leia mais

Redes - Internet. Sumário 26-09-2008. Aula 3,4 e 5 9º C 2008 09 24. } Estrutura baseada em camadas. } Endereços IP. } DNS -Domain Name System

Redes - Internet. Sumário 26-09-2008. Aula 3,4 e 5 9º C 2008 09 24. } Estrutura baseada em camadas. } Endereços IP. } DNS -Domain Name System Redes - Internet 9º C 2008 09 24 Sumário } Estrutura baseada em camadas } Endereços IP } DNS -Domain Name System } Serviços, os Servidores e os Clientes } Informação Distribuída } Principais Serviços da

Leia mais

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br ADMINISTRAÇÃO TCP/IP. Fernando Albuquerque 061-2733589 fernando@cic.unb.br

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br ADMINISTRAÇÃO TCP/IP. Fernando Albuquerque 061-2733589 fernando@cic.unb.br ADMINISTRAÇÃO TCP/IP Fernando Albuquerque 061-2733589 fernando@cic.unb.br Protocolos TCP/IP - Tópicos Introdução IP Endereçamento Roteamento UDP, TCP Telnet, FTP Correio DNS Web Firewalls Protocolos TCP/IP

Leia mais

Informática Internet Internet

Informática Internet Internet Informática Internet Internet A Internet é uma rede mundial de computadores de acesso de público ilimitado. Na prática, pode-se dizer que ela é composta por um conjunto de muitas redes interconectadas.

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE SERVIÇOS INTERNET. Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA

CONCEITOS BÁSICOS DE SERVIÇOS INTERNET. Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA CONCEITOS BÁSICOS DE SERVIÇOS INTERNET Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA A Internet é uma amálgama de hardware Como funciona (máquinas clientes e servidores, além de infraestrutura

Leia mais

Camada de Aplicação. DNS Domain Name System. Redes de Computadores Prof. Leandro C. Pykosz

Camada de Aplicação. DNS Domain Name System. Redes de Computadores Prof. Leandro C. Pykosz Camada de Aplicação Redes de Computadores Prof. Leandro C. Pykosz Camada de Aplicação A camada de aplicação fornece os serviços "reais" de rede para os usuários. Os níveis abaixo da aplicação fornecem

Leia mais

INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET. Prof. Marcondes Ribeiro Lima

INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET. Prof. Marcondes Ribeiro Lima INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET Prof. Marcondes Ribeiro Lima Fundamentos de Internet O que é internet? Nome dado a rede mundial de computadores, na verdade a reunião de milhares de redes conectadas

Leia mais

Internet. A Grande Rede Mundial. Givanaldo Rocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha

Internet. A Grande Rede Mundial. Givanaldo Rocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha Internet A Grande Rede Mundial Givanaldo Rocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha O que é a Internet? InterNet International Network A Internet é uma rede mundial de

Leia mais

Servidor de E-mails e Protocolo SMTP. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes

Servidor de E-mails e Protocolo SMTP. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Servidor de E-mails e Protocolo SMTP Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes Definições Servidor de Mensagens Um servidor de

Leia mais

Aula prática. Objetivo IPCONFIG. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br. Informa a configuração atual de rede da máquina;

Aula prática. Objetivo IPCONFIG. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br. Informa a configuração atual de rede da máquina; Aula prática Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br Objetivo Nesta aula, você aprenderá a utilizar alguns utilitários de rede que podem ajudá-lo a identificar problemas na rede. No windows existem

Leia mais

INTERNET. Professor: Leandro Crescencio E-mail: leandromc@inf.ufsm.br. http://www.inf.ufsm.br/~leandromc. Colégio Politécnico 1

INTERNET. Professor: Leandro Crescencio E-mail: leandromc@inf.ufsm.br. http://www.inf.ufsm.br/~leandromc. Colégio Politécnico 1 INTERNET Professor: Leandro Crescencio E-mail: leandromc@inf.ufsm.br http://www.inf.ufsm.br/~leandromc Colégio Politécnico 1 Internet Origem: Guerra Fria DARPA (Departamento de Defesa de Pesquisas Avançadas)

Leia mais

INTERNET CONCEITOS. Internet é a "grande rede mundial de computadores"

INTERNET CONCEITOS. Internet é a grande rede mundial de computadores INTERNET CONCEITOS O que é Internet Estamos acostumados a ouvir que Internet é a "grande rede mundial de computadores" Entretanto, essa definição não é muito simplista. Na realidade, Ela é uma coleção

Leia mais

Teleprocessamento e Redes

Teleprocessamento e Redes Teleprocessamento e Redes Aula 21: 06 de julho de 2010 1 2 3 (RFC 959) Sumário Aplicação de transferência de arquivos de/para um host remoto O usuário deve prover login/senha O usa duas conexões TCP em

Leia mais

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO MANUAL DE CONFIGURAÇÃO CONTMATIC PHOENIX SUMÁRIO CAPÍTULO I APRESENTAÇÃO DO ACESSO REMOTO... 3 1.1 O que é o ACESSO REMOTO... 3 1.2 Como utilizar o ACESSO REMOTO... 3 1.3 Quais as vantagens em usar o PHOENIX

Leia mais

Navegação na Web utilizando um browser. Utilização de uma aplicação para Correio Electrónico

Navegação na Web utilizando um browser. Utilização de uma aplicação para Correio Electrónico Navegação na Web utilizando um browser Utilização de uma aplicação para Correio Electrónico A, ou apenas Net, é uma rede mundial de computadores ligados entre si através de linhas telefónicas comuns, linhas

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16 REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16 Índice 1. SISTEMA OPERACIONAL DE REDE...3 1.1 O protocolo FTP... 3 1.2 Telnet... 4 1.3 SMTP... 4 1.4 SNMP... 5 2 1. SISTEMA OPERACIONAL DE REDE O sistema

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES O QUE É PROTOCOLO? Na comunicação de dados e na interligação em rede, protocolo é um padrão que especifica o formato de dados e as regras a serem seguidas. Sem protocolos, uma rede

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

A Internet, ou apenas Net, é uma rede mundial de computadores ligados, entre si, através de linhas telefónicas comuns, linhas de comunicação

A Internet, ou apenas Net, é uma rede mundial de computadores ligados, entre si, através de linhas telefónicas comuns, linhas de comunicação A Internet, ou apenas Net, é uma rede mundial de computadores ligados, entre si, através de linhas telefónicas comuns, linhas de comunicação privadas, satélites e outros serviços de telecomunicação. Hardware

Leia mais

Capítulo 8 - Aplicações em Redes

Capítulo 8 - Aplicações em Redes Capítulo 8 - Aplicações em Redes Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 31 Roteiro Sistemas Operacionais em Rede Modelo Cliente-Servidor Modelo P2P (Peer-To-Peer) Aplicações e Protocolos

Leia mais

Informática I. Aula 22. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1

Informática I. Aula 22. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1 Informática I Aula 22 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1 Critério de Correção do Trabalho 1 Organização: 2,0 O trabalho está bem organizado e tem uma coerência lógica. Termos

Leia mais

Internet. Professor: Francisco Silva

Internet. Professor: Francisco Silva Internet e Serviços Internet A Internet, ou apenas Net, é uma rede mundial de computadores ligados entre si através de linhas telefónicas comuns, linhas de comunicação privadas, satélites e outros serviços

Leia mais

T ecnologias de I informação de C omunicação

T ecnologias de I informação de C omunicação T ecnologias de I informação de C omunicação 9º ANO Prof. Sandrina Correia TIC Prof. Sandrina Correia 1 Objectivos Aferir sobre a finalidade da Internet Identificar os componentes necessários para aceder

Leia mais

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação 1 Introdução à Camada de Transporte Camada de Transporte: transporta e regula o fluxo de informações da origem até o destino, de forma confiável.

Leia mais

Tecnologias da Informação e Comunicação: Internet

Tecnologias da Informação e Comunicação: Internet Tecnologias da Informação e Comunicação UNIDADE 3 Tecnologias da Informação e Comunicação: Internet Aula nº 2º Período Escola EB 2,3 de Taíde Ano lectivo 2009/2010 SUMÁRIO Introdução à Internet: história

Leia mais

sol.eps.ufsc.br (endereço nominal) 150.162.1.50 (endereço numérico) Como padrão para os EUA, tem-se alguns exemplos das terminações de endereço:

sol.eps.ufsc.br (endereço nominal) 150.162.1.50 (endereço numérico) Como padrão para os EUA, tem-se alguns exemplos das terminações de endereço: 1. A INTERNET 1.1 Como Funciona a Internet? Cada país que participa da Internet possui estruturas de rede chamadas backbones com conectividade através do protocolo TCP/IP Transmission Control Protocol

Leia mais

UNIDADE 3: Internet. Navegação na Web utilizando um browser. Utilização de uma aplicação para Correio Electrónico

UNIDADE 3: Internet. Navegação na Web utilizando um browser. Utilização de uma aplicação para Correio Electrónico Navegação na Web utilizando um browser Utilização de uma aplicação para Correio Electrónico A Internet, ou apenas Net, é uma rede mundial de computadores ligados entre si através de linhas telefónicas

Leia mais

NAVEGANDO NA INTERNET

NAVEGANDO NA INTERNET UNIDADE 2 NAVEGANDO NA INTERNET OBJETIVOS ESPECÍFICOS DE APRENDIZAGEM Ao finalizar esta Unidade você deverá ser capaz de: Definir a forma de utilizar um software de navegação; Debater os conteúdos disponibilizados

Leia mais

Parte 2 - Internet. Tópicos abordados neste capítulo. 2.1 - O que é a Internet? 2.2 - Como Tudo Começou. 2.3 - Importância da Internet

Parte 2 - Internet. Tópicos abordados neste capítulo. 2.1 - O que é a Internet? 2.2 - Como Tudo Começou. 2.3 - Importância da Internet Parte 2 - Internet Tópicos abordados neste capítulo 2.1 - O que é a Internet? 2.2 - Como Tudo Começou 2.3 - Importância da Internet 2.4 - Um Passeio Pelos Recursos da Internet 2.4.1 - Correio Eletrônico

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 03 Telecomunicações Sistemas de Telecomunicações 1 Sistemas de Telecomunicações Consiste de Hardware e Software transmitindo informação (texto,

Leia mais

Redes de Computadores LFG TI

Redes de Computadores LFG TI Redes de Computadores LFG TI Prof. Bruno Guilhen Camada de Aplicação Fundamentos Fundamentos Trata os detalhes específicos de cada tipo de aplicação. Mensagens trocadas por cada tipo de aplicação definem

Leia mais

Informática Básica. Internet Intranet Extranet

Informática Básica. Internet Intranet Extranet Informática Básica Internet Intranet Extranet Para começar... O que é Internet? Como a Internet nasceu? Como funciona a Internet? Serviços da Internet Considerações finais O que é Internet? Ah, essa eu

Leia mais

CAPÍTULO 2. Este capítulo tratará :

CAPÍTULO 2. Este capítulo tratará : 1ª PARTE CAPÍTULO 2 Este capítulo tratará : 1. O que é necessário para se criar páginas para a Web. 2. A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web 3. Navegadores 4. O que é site, Host,

Leia mais

Internet. História da Internet

Internet. História da Internet Internet A rede mundial de computadores é um grande fenômeno e está ampliando os horizontes de profissionais e empresas. O acesso é feito a qualquer hora e de qualquer lugar: do escritório, em casa, na

Leia mais

Noções de redes de computadores e Internet

Noções de redes de computadores e Internet Noções de redes de computadores e Internet Evolução Redes de Comunicações de Dados Sistemas Centralizados Características: Grandes Centros de Processamentos de Dados (CPD); Tarefas Científicas; Grandes

Leia mais

Entregar um relatório respondendo as questões propostas e principais observações feitas durante a prática (para os itens 1, 3, 4, 5, 6 e 7).

Entregar um relatório respondendo as questões propostas e principais observações feitas durante a prática (para os itens 1, 3, 4, 5, 6 e 7). EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática 2 Certificados digitais e Linux-TCP/IP Entregar um relatório respondendo as questões propostas e principais observações feitas durante

Leia mais

TECNOLOGIA WEB. Principais Protocolos na Internet Aula 2. Profa. Rosemary Melo

TECNOLOGIA WEB. Principais Protocolos na Internet Aula 2. Profa. Rosemary Melo TECNOLOGIA WEB Principais Protocolos na Internet Aula 2 Profa. Rosemary Melo Tópicos abordados Compreender os conceitos básicos de protocolo. Definir as funcionalidades dos principais protocolos de Internet.

Leia mais

Tópicos Especiais em Informática

Tópicos Especiais em Informática Tópicos Especiais em Informática FTP Prof. Ms.-Eng. Igor Sousa Faculdade Lourenço Filho 3 de novembro de 2014 igorvolt@gmail.com (FLF) Tópicos Especiais em Informática 3 de novembro de 2014 1 / 18 Introdução

Leia mais

Internet ou Net. É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns.

Internet ou Net. É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns. Internet Internet ou Net É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns. Como Comunicam os computadores Os computadores comunicam entre si utilizando uma linguagem

Leia mais

Internet. O que é a Internet?

Internet. O que é a Internet? O que é a Internet? É uma rede de redes de computadores, em escala mundial, que permite aos seus utilizadores partilharem e trocarem informação. A Internet surgiu em 1969 como uma rede de computadores

Leia mais

INTERNET -- NAVEGAÇÃO

INTERNET -- NAVEGAÇÃO Página 1 Parte 3 GLOSÁRIO Artigo - Qualquer mensagem enviada para os grupos de discussão (Newsgroups). A Archie - Ferramenta de procura de arquivos. Para consultá-lo, usa-se o Telnet ou enviam-se comandos

Leia mais

Microsoft Internet Explorer. Browser/navegador/paginador

Microsoft Internet Explorer. Browser/navegador/paginador Microsoft Internet Explorer Browser/navegador/paginador Browser (Navegador) É um programa que habilita seus usuários a interagir com documentos HTML hospedados em um servidor web. São programas para navegar.

Leia mais

LW1. Como a internet funciona? PROF. ANDREZA S. AREÃO

LW1. Como a internet funciona? PROF. ANDREZA S. AREÃO LW1 Como a internet funciona? PROF. ANDREZA S. AREÃO O que é a Internet? Rede de Computadores: Consiste de dois ou mais computadores ligados entre si e compartilhando dados, impressoras, trocando mensagens

Leia mais

Ao ligar o equipamento, você verá a mensagem abaixo, o objetivo dela é fazer a configuração mínima para LOGAR ao servidor da Internet.

Ao ligar o equipamento, você verá a mensagem abaixo, o objetivo dela é fazer a configuração mínima para LOGAR ao servidor da Internet. MANUAL DE OPERAÇÃO DO NET MACHINE VOCÊ NÃO NECESSITA MAIS DE UM COMPUTADOR PARA CONVERSAR COM ALGUÉM QUE ESTA NO MIRC NET MACHINE É UM PLACA ELETRÔNICA DE BAIXO CUSTO A PLACA TAMBEM PODE MANDAR E LER E-MAILS

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula Complementar - MODELO DE REFERÊNCIA OSI Este modelo se baseia em uma proposta desenvolvida pela ISO (International Standards Organization) como um primeiro passo em direção a padronização dos protocolos

Leia mais

INTERNET OUTLOOK. 1. Considerando os conceitos e os modos de navegação na Internet, assinale a opção correta.

INTERNET OUTLOOK. 1. Considerando os conceitos e os modos de navegação na Internet, assinale a opção correta. Prof. Júlio César S. Ramos P á g i n a 1 INTERNET OUTLOOK 1. Considerando os conceitos e os modos de navegação na Internet, assinale a opção correta. A O Outlook Express permite criar grupo de pessoas

Leia mais

Enviando e recebendo mensagens através dos protocolos SMTP e POP3

Enviando e recebendo mensagens através dos protocolos SMTP e POP3 Universidade Católica de Salvador Departamento de Engenharia e Informática Disciplina: Teleprocessamento e Redes Enviando e recebendo mensagens através dos protocolos SMTP e POP3 João Gilberto Magalhães

Leia mais

Camada de Aplicação, sistemas de nomes de domínio, correio eletrônico e world wide web

Camada de Aplicação, sistemas de nomes de domínio, correio eletrônico e world wide web Camada de Aplicação, sistemas de nomes de domínio, correio eletrônico e world wide web Apresentação dos protocolos da camada de aplicação do modelo OSI. DNS É mais fácil de lembrar de um nome de host do

Leia mais

Principais protocolos da Internet. Alexandre Gonçalves Xavier

Principais protocolos da Internet. Alexandre Gonçalves Xavier Principais protocolos da Internet Servidor x Serviço O que é um serviço em uma rede? Servidores Cliente x Servidor Rede Serviços Visualização de Páginas É um serviço baseado em hipertextos que permite

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

DWEB. Design para Web. Fundamentos Web I. Curso Superior de Tecnologia em Design Gráfico

DWEB. Design para Web. Fundamentos Web I. Curso Superior de Tecnologia em Design Gráfico DWEB Design para Web Curso Superior de Tecnologia em Design Gráfico Fundamentos Web I E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual

Leia mais

Conceitos sobre TCP/IP. Endereços IP (Internet Protocol) Introdução

Conceitos sobre TCP/IP. Endereços IP (Internet Protocol) Introdução Conceitos sobre TCP/IP Endereços IP (Internet Protocol) Introdução O uso de computadores em rede e, claro, a internet, requer que cada máquina tenha um identificador que a diferencie das demais. Para isso,

Leia mais

Introdução à Internet. Sumário. Internet: Um Pequeno Histórico. O que é Internet? Objetivos. A Comunicação. Márcia V.

Introdução à Internet. Sumário. Internet: Um Pequeno Histórico. O que é Internet? Objetivos. A Comunicação. Márcia V. Objetivos Introdução à Internet Márcia V. Costa Miranda Passar uma visão geral da rede Internet. Resumo do histórico sobre Internet. Explicar a utilização de um browser de navegação navegador. Exibir os

Leia mais

Arquitetura de Redes. Sistemas Operacionais de Rede. Protocolos de Rede. Sistemas Distribuídos

Arquitetura de Redes. Sistemas Operacionais de Rede. Protocolos de Rede. Sistemas Distribuídos Arquitetura de Redes Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Sistemas Operacionais de Rede NOS Network Operating Systems Sistemas operacionais que trazem recursos para a intercomunicação

Leia mais

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF REDES ESAF 01 - (ESAF - Auditor-Fiscal da Previdência Social - AFPS - 2002) Um protocolo é um conjunto de regras e convenções precisamente definidas que possibilitam a comunicação através de uma rede.

Leia mais

INTERNET, INTRANET E EXTRANET

INTERNET, INTRANET E EXTRANET INTERNET, INTRANET E EXTRANET 1 Internet Rede de computadores que interliga milhões de usuários em todo o mundo. Não é uma rede única, mas um grupo de redes hierarquizadas. Pessoas e computadores trocando

Leia mais

CONCEITOS INICIAIS. Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web;

CONCEITOS INICIAIS. Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web; CONCEITOS INICIAIS Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web; O que é necessário para se criar páginas para a Web; Navegadores; O que é site, Host, Provedor e Servidor Web; Protocolos.

Leia mais

TECNOLOGIA WEB Aula 1 Evolução da Internet Profa. Rosemary Melo

TECNOLOGIA WEB Aula 1 Evolução da Internet Profa. Rosemary Melo TECNOLOGIA WEB Aula 1 Evolução da Internet Profa. Rosemary Melo Tópicos abordados Surgimento da internet Expansão x Popularização da internet A World Wide Web e a Internet Funcionamento e personagens da

Leia mais

UMA ABORDAGEM SOBRE A INTERFACE DE PROGRAMAÇÃO DE APLICAÇÕES SOCKETS E A IMPLEMENTAÇÃO DE UM SERVIDOR HTTP

UMA ABORDAGEM SOBRE A INTERFACE DE PROGRAMAÇÃO DE APLICAÇÕES SOCKETS E A IMPLEMENTAÇÃO DE UM SERVIDOR HTTP UMA ABORDAGEM SOBRE A INTERFACE DE PROGRAMAÇÃO DE APLICAÇÕES SOCKETS E A IMPLEMENTAÇÃO DE UM SERVIDOR HTTP Alan Jelles Lopes Ibrahim, alan.jelles@hotmail.com Eduardo Machado Real, eduardomreal@uems.br

Leia mais

Módulo 11 A Web e seus aplicativos

Módulo 11 A Web e seus aplicativos Módulo 11 A Web e seus aplicativos Até a década de 90, a internet era utilizada por acadêmicos, pesquisadores e estudantes universitários para a transferência de arquivos e o envio de correios eletrônicos.

Leia mais

DNS DOMAIN NAME SYSTEM

DNS DOMAIN NAME SYSTEM FRANCISCO TESIFOM MUNHOZ 2007 Índice 1 DNS DOMAIN NAME SYSTEM 3 2 PROXY SERVER 6 3 DHCP DYNAMIC HOST CONFIGURATION PROTOCOL 7 4 FIREWALL 8 4.1 INTRODUÇÃO 8 4.2 O QUE É FIREWALL 9 4.3 RAZÕES PARA UTILIZAR

Leia mais

EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Wireshark Sniffer de rede

EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Wireshark Sniffer de rede EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Wireshark Sniffer de rede Entregar um relatório contendo introdução, desenvolvimento e conclusão. A seção desenvolvimento pode conter

Leia mais

Protocolo FTP. Professor Leonardo Larback

Protocolo FTP. Professor Leonardo Larback Protocolo FTP Professor Leonardo Larback Protocolo FTP O FTP (File Transfer Protocol) é um protocolo de transferência de arquivos. Atualmente, o FTP é definido pela RFC 959 File Transfer Protocol (FTP)

Leia mais

Sérgio Cabrera Professor Informática 1

Sérgio Cabrera Professor Informática 1 1. A tecnologia que utiliza uma rede pública, como a Internet, em substituição às linhas privadas para implementar redes corporativas é denominada. (A) VPN. (B) LAN. (C) 1OBaseT. (D) 1OBase2. (E) 100BaseT.

Leia mais

UUCP é o acrónimo de Unix to Unix Copy Protocol. É simultaneamente um programa e um protocolo.

UUCP é o acrónimo de Unix to Unix Copy Protocol. É simultaneamente um programa e um protocolo. TELNET O bom e velho Telnet permite acesso remoto à qualquer máquina que esteja rodando o módulo servidor (assim como no SSH) mas é mais inseguro, pois os dados não são criptografados. Manter o servidor

Leia mais

sensitives). Os endereços Internet (E-mail) são comumente escritos em 1 - INTERNET:

sensitives). Os endereços Internet (E-mail) são comumente escritos em 1 - INTERNET: 1 - INTERNET: 1.1 - Conceitos: 1.1.1 - A Internet Uma definição mais formal sobre o que é a Internet pode ser resumida como uma rede de computadores, de abrangência mundial e pública, através da qual estão

Leia mais

Processo Judicial Eletrônico

Processo Judicial Eletrônico Processo Judicial Eletrônico Internet: origem, desenvolvimento e funcionamento Conceitos básicos das novas tecnologias Documento eletrônico Criptografia e métodos de assinatura digital Processo eletrônico

Leia mais

Capítulo 5 Noções sobre TCP/IP

Capítulo 5 Noções sobre TCP/IP Capítulo 5 Noções sobre TCP/IP Endereços IP Arquitetura TCP/IP DHCP Redes classe A, B e C Protocolos TCP/IP Estudos complementares 3 Estudos complementares Consulte os capítulos 5 e 12 do livro: Capítulo

Leia mais

efagundes com Como funciona a Internet

efagundes com Como funciona a Internet Como funciona a Internet Eduardo Mayer Fagundes 1 Introdução à Internet A Internet é uma rede de computadores mundial que adota um padrão aberto de comunicação, com acesso ilimitado de pessoas, empresas

Leia mais

1. AULA 1 - INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES

1. AULA 1 - INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES 1. AULA 1 - INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES Objetivos da Aula Aprender os conceitos básicos para compreensão das próximas aulas. Na maioria dos casos, os conceitos apresentados serão revistos com maior

Leia mais

Como acessar o novo webmail da Educação? Manual do Usuário. 15/9/2009 Gerencia de Suporte, Redes e Novas Tecnologias Claudia M.S.

Como acessar o novo webmail da Educação? Manual do Usuário. 15/9/2009 Gerencia de Suporte, Redes e Novas Tecnologias Claudia M.S. Como acessar o novo webmail da Educação? Manual do Usuário 15/9/2009 Gerencia de Suporte, Redes e Novas Tecnologias Claudia M.S. Tomaz IT.002 02 2/14 Como acessar o Webmail da Secretaria de Educação? Para

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Universidade Federal do Rio Grande do Norte Universidade Federal do Rio Grande do Norte Redes de Computadores - Camada de Aplicação Curso de Engenharia de Software Prof. Marcos Cesar Madruga/Thiago P. da Silva Material basedado em [Kurose&Ross 2009]

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA AULA 06 INTERNET

INFORMÁTICA APLICADA AULA 06 INTERNET UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 06 INTERNET Profª Danielle Casillo SUMÁRIO O que é Internet Conceitos básicos de internet

Leia mais

Valor Comercial das Telecomunicações. Telecomunicações nas Empresas. Superar barreiras geográficas. Superar barreiras do tempo

Valor Comercial das Telecomunicações. Telecomunicações nas Empresas. Superar barreiras geográficas. Superar barreiras do tempo Valor Comercial das Telecomunicações Superar barreiras geográficas Atendimento ao cliente/preenchimento de pedidos Superar barreiras do tempo Consultas de crédito (POS) Superar barreiras de custo Videoconferência

Leia mais

ATIVIDADE 1. Redes Windows. 1.1 Histórico do SMB

ATIVIDADE 1. Redes Windows. 1.1 Histórico do SMB ATIVIDADE 1 Redes Windows Falar sobre Samba e redes mistas Windows / Linux, sem antes explicar o conceito básico de uma rede não parece correto e ao mesmo tempo, perder páginas e mais páginas explicando

Leia mais

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Internet

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Internet André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Internet Noções de Internet: O que é Internet; História da Internet; Recursos da Internet; Serviços não-web.

Leia mais

15/8/2007 Gerencia de Tecnologia da Informação Claudia M.S. Tomaz

15/8/2007 Gerencia de Tecnologia da Informação Claudia M.S. Tomaz 15/8/2007 Gerencia de Tecnologia da Informação Claudia M.S. Tomaz MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO WEBMAIL GETEC 01 2/13 Como acessar o Webmail da Secretaria de Educação? Para utilizar o Webmail da Secretaria de

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. Késsia Marchi

Redes de Computadores. Prof. Késsia Marchi Redes de Computadores Prof. Késsia Marchi Redes de Computadores Redes de Computadores Possibilita a conexão entre vários computadores Troca de informação Acesso de múltiplos usuários Comunicação de dados

Leia mais

Introdução à redes de computadores

Introdução à redes de computadores 1/8 Introdução à redes de computadores Faz todo o sentido ligar os computadores em rede. Você não precisa ter uma impressora, um HD de grande capacidade, um gravador de DVDs e conexão via ADSL para cada

Leia mais

Exercícios de Fixação TCP/IP

Exercícios de Fixação TCP/IP Capítulo 2 Endereço de Rede Exercícios de Fixação TCP/IP a) (V) Os pacotes IP são datagramas não-confiáveis b) (F) Os endereços do tipo 127.x.x.x são utilizados em redes do tipo Intranet c) (F) Os endereços

Leia mais