Como ofertar e projetar uma solução compacta Laserway PABLO DE CNOP GRANADO LOPES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Como ofertar e projetar uma solução compacta Laserway PABLO DE CNOP GRANADO LOPES"

Transcrição

1 Como ofertar e projetar uma solução compacta Laserway PABLO DE CNOP GRANADO LOPES

2 CONCEITOS BÁSICOS A solução Laserway é baseada em uma rede multiserviços que utiliza o método de transmissão GPON, amplamente utilizado nas redes de acesso FTTx e que devido à sua massiva adoção mundial, passou também a ser adotada em redes locais. Tem como características: Solução baseada em padrões: ITU-T G.984 ANSI/TIA 568C BICSI TDMM 13 Rede baseada em fibra óptica até a área de trabalho Topologia Ponto-Multiponto

3 BENEFÍCIOS DE UMA REDE PASSIVA ÓPTICA LOCAL Uma rede óptica passiva local (PON LAN) tem um grande número de vantagens se comparada com uma rede de ativos ethernet convencional, entre elas: Redução de CAPEX, de 40 a 54% Redução de infra-estrutura para passagem dos cabos Salas técnicas com componentes passivos, e em menor número Diminuição de switches ativos Redução de OPEX, de 50 a 75% Consumo de energia elétrica até 70% menor Gerência e manutenção simplificadas, a partir de um ponto central da rede

4 BENEFÍCIOS DE UMA REDE PASSIVA ÓPTICA LOCAL Tecnicamente a prova de futuro: Rede em fibra monomodo desde a sala de equipamentos até as áreas de trabalho. Alcance superior de 20Km entre sala de equipamentos e área de trabalho. Sem as limitações do cabeamento metálico Rede segura, com criptografia AES 128Bits no tráfego de dados da sala de equipamentos para área de trabalho (dowstream)

5 BENEFÍCIOS DE UMA REDE PASSIVA ÓPTICA LOCAL Rede embasada em conceitos Green IT Economia de energia: Switches, ar condicionado, UPS Economia de espaço: Redução de salas técnicas Peso da construção: Cabos, calhas, dutos, racks etc. Redução de material desperdiçado durante a instalação LEED: Potencial de ganhos de créditos Equipamentos Carrier Class, desenhados para ter vida útil superior à 25 anos, como requerido pelas operadoras Alta disponibilidade: 99,999% (downtime < 5,26min/ano)

6 BENEFÍCIOS DE UMA REDE PASSIVA ÓPTICA LOCAL Solução com equipamentos ativos: -Implementação de features L2 e L3; -Roteamento L3 estático e dinâmico -QoS 802.1q/802.1p; -Listas de controle de acesso; -Gerência centralizada; -Controle eficiente de banda; -Autenticação 802.1x q (Vlans)

7 SOLUÇÃO LASERWAY - INFRAESTRUTURA Como potencializar os ganhos com infraestrutura? Reduzindo e até mesmo eliminando os espaços dedicados às salas de telecom, graças ao alcance de 20km entre salas de equipamentos e áreas de trabalho Redução dimensional dos cabos, e a conseqüente redução de gastos com calhas, dutos e demais encaminhamentos de cabos

8 SOLUÇÃO LASERWAY - FLEXIBILIDADE Como potencializar os ganhos com flexibilidade/mobilidade? Inclusão de pontos de consolidação no encaminhamento horizontal, facilitando as futuras alterações de layout Utilização de cabos conectorizados em fábrica (service cables) Produtos plug and play Produtos conectorizados em campo, com conectores prépolidos

9 SOLUÇÃO LASERWAY - INFRAESTRUTURA A Solução mais usualmente adotada em projetos utiliza: Fusões, tanto em backbone quanto em distribuição horizontal Distribuidores internos ópticos para rack Racks de parede, em substituição à algumas salas de telecom CDOIs como ponto de consolidação Roseta óptica área de trabalho

10 DIAGRAMA DOS PRODUTOS PROPOSTOS SOLUÇÃO COM ARMÁRIO DE TELECOM Sala de Equipamentos Cabeamento em fibra com fusões Armários de Telecom Áreas de trabalho Extensões Ópticas Pontos de consolidação Cabeamento em fibra com fusões

11 SOLUÇÃO LASERWAY - INFRAESTRUTURA Mas como projetar solução compacta e flexível? Racks com equipamentos passivos podem dar lugar a Distribuidores Internos Ópticos de parede Pontos de consolidação sem utilização de fusões, utilizando tanto service cables quanto conectorização em campo com conectores pré-polidos Evitar ou até mesmo eliminar fusões no cabeamento de backbone, com soluções pré-conectorizadas (service cables)

12 DIAGRAMA DOS PRODUTOS PROPOSTOS SOLUÇÃO COMPACTA Sala de Equipamentos Service cable MPO/MPO Áreas de trabalho Cabo Low Friction Pontos de consolidação CEIP12 Armários de Telecom DGOI-C64 Service Fanout MPO/SC-APC UB - TS

13 SOLUÇÃO LASERWAY SALAS DE TELECOM DGOI-C64 Distribuidor interno óptico, com fixação em parede. No cabeamento estruturado é posicionado como Armário de Telecom Possibilidades de utilização: Interconexão entre Backbone MPO e cabeamento horizontal, com a utilização de service-fanouts MPO/SC-APC em suas saídas Interconexão entre Backbone SC-APC e encaminhamento horizontal SC-APC Possibilidade de utilização de splitters conectorizados, com cordões SC-APC

14 SOLUÇÃO LASERWAY PONTO DE CONSOLICAÇÃO CEIP-12 Distribuidor interno óptico, com fixação em parede. No cabeamento estruturado é posicionado como Ponto de Consolidação ou Mutoa. Características Conectores SC-APC protegidos Próprio para utilização com: Entrada pré-conectorizada SC-APC Saída conectorizada em campo com cabo low friction e conector EasyConnector Saída com cordões SC-APC/SC-APC

15 SOLUÇÃO LASERWAY CABO LOW FRICTION + CONECTOR DE CAMPO Cabo Micro Indoor Low Friction Cabo com capa externa de atrito reduzido, ideal para instalação em dutos, podendo ser instalado sem guia de instalação Dimensões reduzidas (1,6 x 2.0mm) Próprio para conectorização em campo Elevada flexibilidade e robustez Fibra BLI-A/B Revestimento LSZH

16 SOLUÇÃO LASERWAY CABO LOW FRICTION + CONECTOR DE CAMPO Conector de Campo Easy Connector Montagem simples, com uso das ferramentas apropriadas Terminação em campo rápida e fácil Próprio para instalação em conjunto com o micro indoor low friction (1.6 x 2mm) Perda de inserção Tip 0,3 db/ Máx 0,6 db

AGENDA. Conceitos. Por que o Laserway? Estudo de casos. Normas e Associações. Conclusões

AGENDA. Conceitos. Por que o Laserway? Estudo de casos. Normas e Associações. Conclusões CASES LASERWAY AGENDA Conceitos Por que o Laserway? Estudo de casos Normas e Associações Conclusões CONCEITOS A solução LASERWAY Furukawa é 100% óptica e integra cabling, equipamentos e acessórios para

Leia mais

Aula 4b Elementos da Infraestrutura

Aula 4b Elementos da Infraestrutura Aula 4b Elementos da Infraestrutura Prof. José Maurício S. Pinheiro 2010 1 Elementos de Infra-estrutura São utilizados em projetos de sistemas de cabeamento para estabelecer o tráfego de voz, dados e imagens,

Leia mais

índice CENTRAL DE EQUIPAMENTOS REDE DE DISTRIBUIÇÃO REDE DE ACESSO REDE DE TERMINAÇÃO PARA RESIDÊNCIAS REDE DE TERMINAÇÃO PARA PRÉDIOS VANTAGENS

índice CENTRAL DE EQUIPAMENTOS REDE DE DISTRIBUIÇÃO REDE DE ACESSO REDE DE TERMINAÇÃO PARA RESIDÊNCIAS REDE DE TERMINAÇÃO PARA PRÉDIOS VANTAGENS índice 5 12 18 22 26 33 CENTRAL DE EQUIPAMENTOS REDE DE DISTRIBUIÇÃO REDE DE ACESSO REDE DE TERMINAÇÃO PARA RESIDÊNCIAS REDE DE TERMINAÇÃO PARA PRÉDIOS VANTAGENS 34 FACILIDADE DE COMPRA VIA CANAL DIRETO

Leia mais

Cidades Digitais. Convergência - Banda Larga Melhorando a vida do cidadão. José C. Alcântara Jr alcantara@furukawa.com.br

Cidades Digitais. Convergência - Banda Larga Melhorando a vida do cidadão. José C. Alcântara Jr alcantara@furukawa.com.br Cidades Digitais Convergência - Banda Larga Melhorando a vida do cidadão José C. Alcântara Jr alcantara@furukawa.com.br Sociedade Conectada A todo instante - Em qualquer lugar Sociedade Conectada A todo

Leia mais

Cabeamento Estruturado. Definição. Definição. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br Redes de Computadores - UDESC

Cabeamento Estruturado. Definição. Definição. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br Redes de Computadores - UDESC Cabeamento Estruturado Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br Redes de Computadores - UDESC Definição Entende-se por rede interna estruturada aquela que é projetada de modo a prover uma infra-estrutura

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores - 1º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 01 Conceitos

Leia mais

Cabo Óptico Pré-Conectorizado LC/SC

Cabo Óptico Pré-Conectorizado LC/SC Cabo Óptico Pré-Conectorizado LC/SC Tipo do Produto Descrição Cabo Óptico Pré-Conectorizado Cabo óptico de construção tipo tight buffer (indoor ou indoor/outdoor) pré-conectorizado em fábrica com conectores

Leia mais

Cabo Óptico Pré Conectorizado Fanout

Cabo Óptico Pré Conectorizado Fanout Cabo Óptico Pré Conectorizado Fanout Tipo do Produto Cabo Óptico Pré-Conectorizado Descrição Cabo Óptico de construção tipo " tight buffer" (indoor ou indoor/outdoor) ou cordão multifibra (somente indoor)

Leia mais

para ambientes enterprise Guia de aplicação

para ambientes enterprise Guia de aplicação para ambientes enterprise Guia de aplicação A solução LASERWAY FOI CRIADA para atender ao segmento de mercado Enterprise e é uma solução inovadora de infraestrutura de redes aplicada a Redes de Áreas Locais

Leia mais

Redes FTTx Oportunidades & Desafios

Redes FTTx Oportunidades & Desafios Redes FTTx Oportunidades & Desafios Curitiba 25/Nov/2011 A Empresa Presente no mercado desde 1987 JV com Grupo Draka em 2000 Fundação Draktel Fibras Ópticas Presença comercial em toda América do Sul Elevadas

Leia mais

NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 8

NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 8 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Assessoria Especial para Modernização da Gestão Central de Compras e Contratações NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 8 PREGÃO ELETRÔNICO Nº 4/2015 PROCESSO Nº 04300.003546/2014-01

Leia mais

A Solução Furukawa Broadband System. FTTH e FTTA

A Solução Furukawa Broadband System. FTTH e FTTA A Solução Furukawa Broadband System FTTH e FTTA A linha Furukawa Broadband System oferece diversas opções de cabos, divisores (Splitters), equipamentos e acessórios de infraestrutura óptica. Uma linha

Leia mais

CABEAMENTO E INFRAESTRUTURA

CABEAMENTO E INFRAESTRUTURA CABEAMENTO E INFRAESTRUTURA CONHEÇA NOSSA EMPRESA Ao longo de 10 anos de trabalho, nós da Allcomnet adquirimos experiência na área de telecomunicações, visando formas de integrar tecnologias que facilitam

Leia mais

EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços

EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços ANSI EIA/TIA 569-B EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços Conforme a EIA/TIA 569A a infra-estrutura é dividida nos seguintes subsistemas: Área de Trabalho; Percursos horizontais; Sala ou armário

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA 2014

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA 2014 APRESENTAÇÃO CORPORATIVA 2014 Política de Qualidade Atender as expectativas dos nossos clientes e requisitos regulamentares com a participação de todos os funcionários, buscando a melhoria contínua em

Leia mais

Camada Física Camada Física Camada Física Função: A camada Física OSI fornece os requisitos para transportar pelo meio físico de rede os bits que formam o quadro da camada de Enlace de Dados. O objetivo

Leia mais

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Infraestrutura de Redes de Computadores

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Infraestrutura de Redes de Computadores Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Infraestrutura de Redes de Computadores Euber Chaia Cotta e Silva euberchaia@yahoo.com.br Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Introdução ao cabeamento

Leia mais

DISPONIBILIDADE DE ACESSO AO USUÁRIO FINAL DOS SERVIÇOS MULTIMÍDIA DE MANEIRA RÁPIDA, PRÁTICA E FUTURE PROOF.

DISPONIBILIDADE DE ACESSO AO USUÁRIO FINAL DOS SERVIÇOS MULTIMÍDIA DE MANEIRA RÁPIDA, PRÁTICA E FUTURE PROOF. DISPONIBILIDADE DE ACESSO AO USUÁRIO FINAL DOS SERVIÇOS MULTIMÍDIA DE MANEIRA RÁPIDA, PRÁTICA E FUTURE PROOF. Furukawa Broadband System A linha Furukawa Broadband System tem produtos voltados ao segmento

Leia mais

O Data Center Óptico. Considerações sobre a Opticalização hoje e no futuro. Flávio R. Marques. Suporte Técnico e Implantação fmarques@furukawa.com.

O Data Center Óptico. Considerações sobre a Opticalização hoje e no futuro. Flávio R. Marques. Suporte Técnico e Implantação fmarques@furukawa.com. O Data Center Óptico Considerações sobre a Opticalização hoje e no futuro Flávio R. Marques Suporte Técnico e Implantação fmarques@furukawa.com.br Sobre o que conversamos em 2013 O Data Center é uma matriz

Leia mais

Convergência óptica de redes

Convergência óptica de redes Convergência óptica de redes Motivação: Em 1837 Samuel Morse inventou o telégrafo. No ano de 1844 transmitiu a primeira mensagem telegráfica pública e demonstrou como ele seria capaz de enviar sinais rapidamente

Leia mais

DTN WEBEX NOVOS PRODUTOS

DTN WEBEX NOVOS PRODUTOS DTN WEBEX NOVOS PRODUTOS Conectividade 6A Linha de Bandejas Ópticas HDX Linha de Racks ITMAX Linha de Racks Fechados Acessórios de Organização Produtos de alta densidade FTP UTP Descarregado Azul/Branco/Bege

Leia mais

GUIA DE RECOMENDAÇÃO PARA DATACENTER. Soluções Furukawa para Data Center. Data Center. Estrutura e Topologia

GUIA DE RECOMENDAÇÃO PARA DATACENTER. Soluções Furukawa para Data Center. Data Center. Estrutura e Topologia Soluções Furukawa para Data Center Seja qual for a aplicação utilizada em seu Data Center, a Furukawa oferece soluções metálicas e ópticas e de infraestrutura para que você se preocupe somente com o seu

Leia mais

Agenda WWW.PARKS.COM.BR

Agenda WWW.PARKS.COM.BR Agenda Localização de aplicações GPON no espectro eletromagnético; Principio Fibra Óptica ; Ângulos de inserção; Relação Comprimento de onda e atenuação; Vantagens de aplicação de fibra e GPON; Cuidados;

Leia mais

PASSIVE OPTICAL NETWORK - PON

PASSIVE OPTICAL NETWORK - PON PASSIVE OPTICAL NETWORK - PON É uma solução para a rede de acesso, busca eliminar o gargalo das atuais conexões entre as redes dos usuários e as redes MAN e WAN. A solução PON não inclui equipamentos ativos

Leia mais

InfraEstrutura de Redes

InfraEstrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul InfraEstrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Cabeamento Estruturado

Leia mais

Padronização. Rua Lourenço Pinto, 299 - Curitiba Paraná Brasil CEP 80010-160

Padronização. Rua Lourenço Pinto, 299 - Curitiba Paraná Brasil CEP 80010-160 Padronização O presente documento tem o intuito de definir a padronização utilizada para a infra-estrutura de rede de dados e voz, em sites da GVT. Deverá ser usado como base para execução dos projetos

Leia mais

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento APRENDIZAGEM INDUSTRIAL UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento O cabeamento horizontal Compreende os segmentos de cabos que são lançados horizontalmente entre as áreas de trabalho e as salas de telecomunicações

Leia mais

Cabeamento Estruturado

Cabeamento Estruturado Cabeamento Estruturado Infra-estrutura de cabeamento metálico ou óptico, capaz de atender a diversas aplicações proporcionando flexibilidade de layout, facilidade de gerenciamento, administração e manutenção

Leia mais

Data Center Novas Tendências. Florianópolis 10 de outubro de 2013

Data Center Novas Tendências. Florianópolis 10 de outubro de 2013 Data Center Novas Tendências Florianópolis 10 de outubro de 2013 Está tudo crescendo tão rápido que tenho dúvidas se a infraestrutura de cabeamento do meu DC é capaz de suportar as novas velocidades de

Leia mais

Provedores de Internet

Provedores de Internet Fibra Óptica Meio Ideal para Backbones Fibra x Cobre Fibra x Cobre A Taxa de Transmissão no FTTH não é afetada pela distância do cliente até o equipamento da Central l(olt) Tecnologias sobre Cobre como

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Cablagem estruturada Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Abril de 2006 Os problemas Porquê organizar as cablagens? É fácil manter a organização

Leia mais

Catálogo de. Produtos LABORATÓRIO ÓPTICO FERRAMENTARIA / METALURGIA PRODUTOS INJETADOS MARCAS DISTRIBUÍDAS B5NX-CNC

Catálogo de. Produtos LABORATÓRIO ÓPTICO FERRAMENTARIA / METALURGIA PRODUTOS INJETADOS MARCAS DISTRIBUÍDAS B5NX-CNC FIBRAS ÓPTICAS E ACESSÓRIOS LABORATÓRIO ÓPTICO FERRAMENTARIA / METALURGIA B5NX-CNC PRODUTOS INJETADOS Catálogo de MARCAS DISTRIBUÍDAS Produtos R A Division of Cisco Systems, Inc. RACKS E ACESSÓRIOS Linha

Leia mais

Capítulo 5 - Sistemas de Cabeamento Estruturado

Capítulo 5 - Sistemas de Cabeamento Estruturado Capítulo 5 - Sistemas de Cabeamento Estruturado Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 44 Roteiro Cabeamento Planejamento para o Cabeamento Estruturado Cabeamento Horizontal Cabeamento

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Contrato Didático-Pedagógico: Semana Aulas Programação 1. 04 2. 04 3. 04 4. 04

PLANO DE ENSINO. Contrato Didático-Pedagógico: Semana Aulas Programação 1. 04 2. 04 3. 04 4. 04 PLANO DE ENSINO Curso: REDES DE COMPUTADORES Disciplina: PRÁTICAS DE CABEAMENTO ESTRUTURADO Professor: FRANCISCO TESIFOM MUNHOZ Período: NOTURNO Carga Horária: 80h Ano Letivo: 2008 Período: 1º semestre

Leia mais

Redes Ópticas Passivas. Rodovias Sistemas de ITS

Redes Ópticas Passivas. Rodovias Sistemas de ITS Redes Ópticas Passivas Rodovias Sistemas de ITS Fibra Óptica Meio Ideal para Backbones e Redes de Acesso Arquitetura Rede de Acesso PON para Operadoras & ISP TECNOLOGIA PON Padronização ITU & IEEE ITU-T

Leia mais

Normas e Padrões. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Normas e Padrões. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Normas e Padrões Prof. Marciano dos Santos Dionizio Devido à falta de padronização para cabeamento de redes, em 1991 a EIA (Electronics Industries Alliance) e a TIA (Telecomunications Industry Association)

Leia mais

Cabeamento Estruturado. Norma 568

Cabeamento Estruturado. Norma 568 Cabeamento Estruturado Norma 568 1 Resumo Evolução da Norma; Onde e como utilizar a norma; Conhecer como a norma ANSI/EIA/TIA 568B está dividida em subsistemas; D e s c r e v e r a s c a r a c t e r í

Leia mais

Conquistas e Novos Desafios

Conquistas e Novos Desafios Conquistas e Novos Desafios Segmento ISPs e Integradores FTTx Marcos Kazushi Futikami - VSB Mercado - Cenario CRESCIMENTO CONTÍNUO AO LONGO DOS ANOS Brasil: 100% dos municípios do Brasil são cobertos pelos

Leia mais

EXTENSÃO ÓPTICA CONECTORIZADA

EXTENSÃO ÓPTICA CONECTORIZADA EXTENSÃO ÓPTICA CONECTORIZADA Tipo do Produto Extensão Óptica Família do Produto Descrição TeraLan A Extensão Óptica Conectorizada é composta, (1) normalmente, por dois itens principais : Extensão Óptica:

Leia mais

22/02/2014. Cabeamento estruturado garante: Organização; Flexibilidade; Desempenho; Escalabilidade; Simplificação do uso; Simplificação da manutenção.

22/02/2014. Cabeamento estruturado garante: Organização; Flexibilidade; Desempenho; Escalabilidade; Simplificação do uso; Simplificação da manutenção. Consiste de um conjunto de produtos de conectividade, empregados de acordo com regras específicas de engenharia; Tais produtos garantem conectividade máxima para os dispositivos existentes e preparam a

Leia mais

Introdução Sistemas de Cabeamento Estruturado

Introdução Sistemas de Cabeamento Estruturado Introdução Sistemas de Cabeamento Estruturado Criação de SCE para integração entre diversos sistemas: dados, voz, imagem Linhas telefônicas transportam dados, voz e imagem em altas velocidades Redes de

Leia mais

Cabeamento Estruturado para Data Centers: Conceitos, Técnicas e Tendências

Cabeamento Estruturado para Data Centers: Conceitos, Técnicas e Tendências Cabeamento Estruturado para Data Centers: Conceitos, Técnicas e Tendências Dr. Paulo Sérgio Marin, EE/BSc, MSc. Engenheiro Eletricista Infraestrutura de TI, Telecom & Missão Crítica São Paulo, 20 de agosto

Leia mais

Soluções para documentação de redes ópticas

Soluções para documentação de redes ópticas Soluções para documentação de redes ópticas O QUE É O FIBERDOC? Atenta ao crescimento de redes de fibra óptica, a TELE DESIGN desenvolveu o FIBERDOC, um sistema de documentação para esse tipo de rede.

Leia mais

Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos

Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 4 4. CABEAMENTO ESTRUTURADO- PARTE II Cada nível do subsistema estudado no capítulo anterior foi regulamentado por normas que visam padronizar

Leia mais

GPON. Rede Óptica Passiva GigabitG. Leonardo F. Oliveira. Especialista Lato Sensu em Rede de Computadores Leonardo@uesb.edu.br

GPON. Rede Óptica Passiva GigabitG. Leonardo F. Oliveira. Especialista Lato Sensu em Rede de Computadores Leonardo@uesb.edu.br GPON Rede Óptica Passiva GigabitG Leonardo F. Oliveira Especialista Lato Sensu em Rede de Computadores Leonardo@uesb.edu.br GPON O que égpon? Utilização da fibra óptica para interligar pontos distantes

Leia mais

CABEAMENTO ESTRUTURADO NORMAS AMERICANAS EIA/TIA

CABEAMENTO ESTRUTURADO NORMAS AMERICANAS EIA/TIA CABEAMENTO ESTRUTURADO NORMAS AMERICANAS EIA/TIA NORMAS AMERICANAS EIA/TIA EIA/TIA 568-B: Commercial Building Telecomunications Cabling Standard Essa norma de 2001 é a revisão da norma EIA/TIA 568-A de

Leia mais

Redes de Nova Geração e o ITED

Redes de Nova Geração e o ITED Redes de Nova Geração e o ITED A explosão da procura telefónica dos anos 80 induziu a implantação do RITA O incremento da Internet e a liberalização do mercado das telecomunicações influenciou claramente

Leia mais

Aula 2 Cabeamento Metálico

Aula 2 Cabeamento Metálico Aula 2 Cabeamento Metálico Prof. José Mauricio S. Pinheiro - 2010 1 Cada meio de transmissão possui características próprias que o tornam adequado para tipos específicos de serviço. Os cabos metálicos

Leia mais

Projeto de Cabeamento Estruturado

Projeto de Cabeamento Estruturado Projeto de Cabeamento Estruturado Sistema de Cabeamento Estruturado Subsistemas 1 Subsistema Cabeamento Horizontal 2 Subsistema Cabeamento Vertical 3 - Área de Trabalho - ATR 4 - Armário de Telecomunicações

Leia mais

InfraEstrutura de Redes

InfraEstrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul InfraEstrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Line Cords e Patch Cables.

Leia mais

Aplicabilidade de Redes Ópticas Passivas em Substituição ao Cabeamento Metálico no Ambiente Industrial

Aplicabilidade de Redes Ópticas Passivas em Substituição ao Cabeamento Metálico no Ambiente Industrial Aplicabilidade de Redes Ópticas Passivas em Substituição ao Cabeamento Metálico no Ambiente Industrial José Maurício dos Santos Pinheiro jm.pinheiro@uol.com.br UBM Resumo:As redes de comunicação construídas

Leia mais

Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado

Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado Prof. José Maurício S. Pinheiro 2010 1 Histórico No início da década de 80 os sistemas Mainframe dominavam o mercado. Surgem os conceitos de "Networking"

Leia mais

Infraestrutura de Redes

Infraestrutura de Redes Infraestrutura de Redes Apresentação 01: Conceitos de Cabeamento Estruturado Prof. João Paulo Just - http://just.pro.br 1 Conceitos de Cabeamento Porque? Anteriormente: serviços como sistemas de alarmes,

Leia mais

Fibra Óptica. Por que escolher a 3M? O futuro é FTTB / FTTA FTTP. Soluções inovadoras, a 3M é um fornecedor completo para

Fibra Óptica. Por que escolher a 3M? O futuro é FTTB / FTTA FTTP. Soluções inovadoras, a 3M é um fornecedor completo para Celular Fiber-tothe-Antenna FTTH FTTB / FTTA Planta Externa subterrânea FTTP Por que escolher a 3M? Soluções inovadoras, a 3M é um fornecedor completo para implementações de projetos FTTH em MDUs. A 3M

Leia mais

Sistemas de Cabeamento SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO 23/09/2015. Topologias Lógicas x Topologias Físicas. Cabeamento Não-estruturado aula 26/08

Sistemas de Cabeamento SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO 23/09/2015. Topologias Lógicas x Topologias Físicas. Cabeamento Não-estruturado aula 26/08 Sistemas de Cabeamento SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO Uma rede de computadores é um conjunto de recursos inter-relacionados e interligados com o objetivo de formar um sistema em comum. PROF. FABRICIO

Leia mais

O QUE É O FIBERDOC FIBERDOC

O QUE É O FIBERDOC FIBERDOC Solução para documentação de redes ópticas O QUE É O FIBERDOC FIBERDOC O FIBERDOC, desenvolvido pela Visium/Arcitech, é um sistema de documentação de redes ópticas que através de uma interface gráfica

Leia mais

Tema: As vantagens de implantar uma rede estruturada em ambiente corporativo.

Tema: As vantagens de implantar uma rede estruturada em ambiente corporativo. 1 TEMA Assunto: Redes de computadores. Tema: As vantagens de implantar uma rede estruturada em ambiente corporativo. 2 PROBLEMA Problema: Qual a importância de criar uma rede estruturada em instituições

Leia mais

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Infraestrutura de Redes de Computadores

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Infraestrutura de Redes de Computadores Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Infraestrutura de Redes de Computadores Euber Chaia Cotta e Silva euberchaia@yahoo.com.br Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Administração Euber

Leia mais

ITMAX SOLUÇÃO DATA CENTER

ITMAX SOLUÇÃO DATA CENTER ITMAX SOLUÇÃO DATA CENTER DATA CENTER A Furukawa apresenta a solução ITMAX para Data Center, com produtos especialmente desenvolvidos para atender este mercado que requer componentes de alta performance.

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Design de Rede Local Design Hierárquico Este design envolve a divisão da rede em camadas discretas. Cada camada fornece funções específicas que definem sua função dentro da rede

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Cabeamento Estruturado www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução Cabeamento Estruturado é a disciplina que estuda a disposição organizada e padronizada

Leia mais

Meios Físicos de Comunicação

Meios Físicos de Comunicação Meios Físicos de Comunicação Aula 3 Equipamentos de Conectividade e Organização Meios Físicos de Comunicação - Equipamentos de Conectividade e Organização 1 Conteúdo Elementos de Infraestrutura Estrutura

Leia mais

MODELO DE DOCUMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PROJETO

MODELO DE DOCUMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PROJETO DISCIPLINA: PROJETO FÍSICO DE REDE PROJETO: CABEAMENTO ESTRUTURADO DE REDES LOCAIS MODELO DE DOCUMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PROJETO OBS: O MODELO PODERÁ SER ALTERADO DE ACORDO COM A NECESSIDADE DE CADA

Leia mais

Cabos Ópticos Totalmente Secos Soluções Ópticas para Infraestrutura de Redes Ópticas

Cabos Ópticos Totalmente Secos Soluções Ópticas para Infraestrutura de Redes Ópticas Cabos Ópticos Totalmente Secos Soluções Ópticas para Infraestrutura de Redes Ópticas Christiane Suemy EXCELÊNCIA EM INFRAESTRUTURA DE REDE DE ACESSO PARA PROVEDORES DE INTERNET SPLITTER DE 1 er NÍVEL SPLITTER

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações

Redes de Dados e Comunicações Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Cabo Par Trançado Conector-RJ 45 A norma EIA/TIA padronizou o conector RJ-45 para a conectorização de cabos UTP. Para a conectorização do cabo UTP,

Leia mais

REDES. A Evolução do Cabeamento

REDES. A Evolução do Cabeamento REDES A Evolução do Cabeamento Até o final dos anos 80, todos os sistemas de cabeamento serviam apenas a uma aplicação, isto é, eram sistemas dedicados. Estes sistemas eram sempre associados à um grande

Leia mais

NORMA ANSI/EIA/TIA 568 - B. Projeto Físico de Rede

NORMA ANSI/EIA/TIA 568 - B. Projeto Físico de Rede NORMA ANSI/EIA/TIA 568 - B O PADRÃO BASEIA-SE NOS SEIS PRINCIPAIS COMPONENTES DE UM SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO, QUE SÃO: 1 FACILIDADE DE ENTRADA (Entrance Facility) : É COMPOSTA POR HARDWARE DE

Leia mais

PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE

PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE São Paulo, 29 de julho de 2010 PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE 1. Informações e recomendações importantes O projeto foi solicitado pela Unidade para a implantação de rede local para o prédio GETS, sendo

Leia mais

Splitter Óptico 1xN Balanceado

Splitter Óptico 1xN Balanceado Splitter Óptico 1xN Balanceado Tipo do Produto Família do Produto Descrição Splitter óptico FBS - Furukawa Broadband System Splitters Ópticos são componentes passivos que realizam a divisão do sinal óptico

Leia mais

Aula 4a - Sistemas de Cabeamento

Aula 4a - Sistemas de Cabeamento Aula 4a - Sistemas de Cabeamento Prof. José Maurício S. Pinheiro 2010 1 Sistemas de Cabeamento Uma rede de computadores é um conjunto de recursos inter-relacionados e interligados com o objetivo de formar

Leia mais

Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1.

Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1. Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1. (CODATA 2013) Em relação à classificação da forma de utilização

Leia mais

Soluções Inteligentes para Redes Ópticas FTTx

Soluções Inteligentes para Redes Ópticas FTTx Soluções Inteligentes para Redes Ópticas FTTx 1 O Grupo FURUKAWA Há mais de130 anos a Furukawa participa ativamente na vida das pessoas, através da contínua inovação tecnológica. 1884 FOUNDED 1896 ESTABLISHED

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E DE ESPECIFICAÇÕES

MEMORIAL DESCRITIVO E DE ESPECIFICAÇÕES MEMORIAL DESCRITIVO E DE ESPECIFICAÇÕES SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO OBRA: ESCOLA DE ENSINO PROFISSIONALIZANTE PROJETO PADRÃO PROPRIETÁRIO: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - MEC FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Meios Físicos de Comunicação

Meios Físicos de Comunicação Meios Físicos de Comunicação Aula 5 Fibra Óptica Meios Físicos de Comunicação - Fibra Óptica 1 Conteúdo Conceitos Iniciais Tipos Fatores de Perdas Medição e Teste Vantagens Conversores e Conectores Meios

Leia mais

Meios Físicos de Transmissão

Meios Físicos de Transmissão Meios Físicos de Transmissão O meios de transmissão diferem com relação à banda passante, potencial para conexão ponto a ponto ou multiponto, limitação geográfica devido à atenuação característica do meio,

Leia mais

DIO A270 DISTRIBUIDOR INTERNO ÓPTICO A270

DIO A270 DISTRIBUIDOR INTERNO ÓPTICO A270 DIO A270 DISTRIBUIDOR INTERNO ÓPTICO A270 Manual de Instalação DISTRIBUIDOR INTERNO ÓPTICO DIO A270 APRESENTAÇÃO FURUKAWA INDUSTRIAL S.A. Produtos Elétricos Empresa especializada em soluções completas

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Redes de Computadores Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com 2/16 Nível Físico Tem a função de transmitir uma seqüência de bits através de um canal e comunicação. Este nível trabalha basicamente

Leia mais

A empresa CLEMAR ENGENHARIA LTDA., solicita os seguintes esclarecimentos:

A empresa CLEMAR ENGENHARIA LTDA., solicita os seguintes esclarecimentos: COP-148/2009 Processo nº 000578-14.89/09-2 Assunto: Esclarecimento A empresa CLEMAR ENGENHARIA LTDA., solicita os seguintes esclarecimentos: Questionamento 1: CABEAMENTO ESTRUTURADO: Utilizando os diagramas

Leia mais

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES RESUMO 1º BIMESTRE - 2º SEMESTRE

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES RESUMO 1º BIMESTRE - 2º SEMESTRE APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES RESUMO 1º BIMESTRE - 2º SEMESTRE 1 1. CABEAMENTO ESTRUTURADO Cabeamento estruturado é a disciplina que estuda a disposição organizada e padronizada de conectores e meios

Leia mais

BACK BONE DE FIBRA ÓPTICA

BACK BONE DE FIBRA ÓPTICA MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO RUA JOÃO POLITI, 1589 ITAJUBÁ MG BACK BONE DE FIBRA ÓPTICA Responsável Técnico: Airton Leandro Seidel 1 INDICE GERAL DO MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBJETIVO DO PROJETO 03 2. ESCOPO

Leia mais

REDES A PROVA DE FUTURO MAGNO FUGISAVA GERENTE REGIONAL FURUKAWA INDUSTRIAL

REDES A PROVA DE FUTURO MAGNO FUGISAVA GERENTE REGIONAL FURUKAWA INDUSTRIAL REDES A PROVA DE FUTURO MAGNO FUGISAVA GERENTE REGIONAL FURUKAWA INDUSTRIAL REDES DE TELECOMUNICAÇÕES Evolução e Tendências TENDÊNCIAS EM LAN Evolução do Cabeamento MUDANÇA NO PERFIL DOS USUÁRIOS DOS SERVIÇOS

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.09.000 SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO 06.09.001 - EQUIPAMENTOS ATIVOS

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.09.000 SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO 06.09.001 - EQUIPAMENTOS ATIVOS ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.09.000 SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO 06.09.001 - EQUIPAMENTOS ATIVOS Tipo: Gabinete Rack do tipo bastidor com porta e ventilação forçada 24U x 19"x 670mm, com porta de

Leia mais

Figura 1 Taxas de transmissão entre as redes

Figura 1 Taxas de transmissão entre as redes Conceitos de Redes Locais A função básica de uma rede local (LAN) é permitir a distribuição da informação e a automatização das funções de negócio de uma organização. As principais aplicações que requerem

Leia mais

HARTING News IP 65/67. Julho, 2004. Flexibilidade e facilidade de instalação mediante o repetidor PROFIBUS PRC 67-10

HARTING News IP 65/67. Julho, 2004. Flexibilidade e facilidade de instalação mediante o repetidor PROFIBUS PRC 67-10 Neste número: Novos Dispositivos para PROFIBUS HARTING amplia a sua gama de dispositivos para PROFIBUS, Repetidores e Conversores RS-485, para oferecer maiores possibilidades de instalação de uma rede

Leia mais

A HARTING obteve a certificação DET NORSKE VERITAS para os comutadores Ethernet industrial das famílias econ, scon e mcon.

A HARTING obteve a certificação DET NORSKE VERITAS para os comutadores Ethernet industrial das famílias econ, scon e mcon. A HARTING obteve a certificação DET NORSKE VERITAS para os comutadores Ethernet industrial das famílias econ, scon e mcon. Os comutadores Ethernet da HARTING, concebidos para serem aplicados nos ambientes

Leia mais

Descritivo Técnico BreezeACCESS-VL

Descritivo Técnico BreezeACCESS-VL Broadband Wireless Access -Visualização da linha de produtos BreezeACCESS VL- Solução completa ponto multiponto para comunicação Wireless em ambiente que não tenha linda de visada direta, utiliza a faixa

Leia mais

LAN Design. LAN Switching and Wireless Capítulo 1. Version 4.0. 2006 Cisco Systems, Inc. All rights reserved. Cisco Public 1

LAN Design. LAN Switching and Wireless Capítulo 1. Version 4.0. 2006 Cisco Systems, Inc. All rights reserved. Cisco Public 1 LAN Design LAN Switching and Wireless Capítulo 1 Version 4.0 2006 Cisco Systems, Inc. All rights reserved. Cisco Public 1 Objetivos do Módulo Compreender os benefícios e do uso de uma organização hierárquica

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 53

COMUNICADO TÉCNICO Nº 53 Página 1 de 8 COMUNICADO TÉCNICO Nº 53 FIBRA ÓPTICA COMO MEIO DE COMUNICAÇÃO PADRÃO DE EQUIPAMENTOS APLICADOS NA PROTEÇÃO Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Automação ELABORADO POR: COLABORADORES:

Leia mais

Cabeamento Estruturado Metálico em Edifícios Comerciais

Cabeamento Estruturado Metálico em Edifícios Comerciais Cabeamento Estruturado Metálico em Edifícios Comerciais Cabeamento estruturado - definição Sistema de cabeamento capaz de prover tráfego de gêneros de informações diferenciadas dentro de um mesmo sistema

Leia mais

09/08/2015 DISCIPLINA: TECNOLOGIA DE REDES DE COMPUTADORES. Tecnologia em Jogos Digitais. Mídias (meios) de transmissão

09/08/2015 DISCIPLINA: TECNOLOGIA DE REDES DE COMPUTADORES. Tecnologia em Jogos Digitais. Mídias (meios) de transmissão Tecnologia em Jogos Digitais Mídias (meios) de transmissão DISCIPLINA: TECNOLOGIA DE REDES DE COMPUTADORES Mídias físicas: composta pelo cabeamento e outros elementos componentes utilizados na montagem

Leia mais

Certificação de redes ópticas de 10GbE

Certificação de redes ópticas de 10GbE CABEAMENTO ESTRUTURADO Certificação de redes ópticas de 10GbE 70 RTI DEZ 2008 JDSU (Brasil) As redes ópticas baseadas em 10GbE exigem um bom processo de certificação. O artigo a seguir detalha os principais

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores - 1º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 04 Sistemas

Leia mais

Buscamos sempre a solução mais eficaz, de acordo com o avanço tecnológico dos sistemas de Telecomunicações e Tecnologia da Informação.

Buscamos sempre a solução mais eficaz, de acordo com o avanço tecnológico dos sistemas de Telecomunicações e Tecnologia da Informação. A T7 Solutions Informática e Telecomunicações atua como prestadora de serviços de Infraestrutura de TI e Telecom, com foco no desenvolvimento e implementação de soluções de Infraestrutura, Dados e Voz.

Leia mais

Documentação Técnica Empresa SA. PR049_10

Documentação Técnica Empresa SA. PR049_10 AS BUILT Documentação Técnica Documentação Técnica serviço de cabeamento lógico, realizado na Empresa SA. Serviço realizado após aprovação da proposta PR049_10, sendo todo projeto acompanhado pelo Sr.

Leia mais

BAIXA CAPILARIDADE ALTO CONSUMO ENERGIA ALTO CUSTO

BAIXA CAPILARIDADE ALTO CONSUMO ENERGIA ALTO CUSTO OTIMIZAÇÃO DE REDES USO DA REDE EXISTENTE E OTIMIZAÇÃO DE FIBRA EVOLUÇÂO NATURAL DA REDE DE ACESSO ÓPTICO BAIXA CAPILARIDADE LOCAL OPERADORA PONTO A PONTO USUÁRIOS Ponto a ponto: para cada novo cliente

Leia mais

Administração de CPD Internet Data Center

Administração de CPD Internet Data Center Administração de CPD Internet Data Center Cássio D. B. Pinheiro pinheiro.cassio@ig.com.br cassio.orgfree.com Objetivos Apresentar os principais conceitos e elementos relacionados a um dos principais tipos

Leia mais

É um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos.

É um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. REDES DE COMPUTADORES CABO COAXIAL É um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. Topologias de rede A topologia de uma rede é um diagrama que descreve como

Leia mais

Curso Técnico em Redes de Computadores NORMAS PADRÕES E PROTOCOLOS

Curso Técnico em Redes de Computadores NORMAS PADRÕES E PROTOCOLOS Curso Técnico em Redes de Computadores NORMAS PADRÕES E PROTOCOLOS CONCEITUAÇÃO Norma Prática tornada obrigatória por entidades técnicas e/ou regulamentadoras. Padrão Prática recomendada e de ampla aceitação

Leia mais

Técnico em Redes de Computadores. Equipamentos e Acessórios

Técnico em Redes de Computadores. Equipamentos e Acessórios Técnico em Redes de Computadores Equipamentos e Acessórios Componentes de uma Rede Uma rede é um sistema composto de um arranjo de componentes: Cabeamento Hardware Software Cabeamento Componentes de uma

Leia mais