Acesse nosso site: Telefones: (55) (55)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "email: cookvendas@cookenergia.com Acesse nosso site: www.cookenergia.com Telefones: (55) 21 2609-4196 - (55) 21 9387-1021"

Transcrição

1 Cordões Ópticos Montados em Conectores, Especificação: SUMÁRIO: 1 Objetivo. 2 Referências Normativas. 3 Definições. 4 Condições Gerais. 5 Condições Específicas. 6 Inspeção. 7 Aceitação e Rejeição. 8 Procedimento de Limpeza. 9 Instruções de Segurança. 10 Instruções de Segurança. 11 Características. 12 Anexos.

2 1 Objetivo: 1.1 Esta especificação fixa as condições exigíveis em que são produzidos os conectores montados em cordões de fibra óptica. 2 Referências Normativas: NBR Conectores montados em cordões ou cabos de fibras ópticas e adaptadores - Especificação. NBR Conectores montados em cordões ou cabos de fibras ópticas e adaptadores - Determinação da vibração. NBR Conectores montados em cordões ou cabos de fibras ópticas e adaptadores - Determinação do dobramento. NBR Conectores montados em cordões ou cabos de fibras ópticas e adaptadores - Determinação da torção - Método de ensaio. NBR Conectores montados em cordões ou cabos de fibras ópticas e adaptadores - Determinação da retenção axial. NBR Conectores montados em cordões ou cabos de fibras ópticas e adaptadores - Determinação da retenção angular. NBR Conectores montados em cordões ou cabos de fibras ópticas e adaptadores - Determinação do puxamento axial. NBR Conectores montados em cordões ou cabos de fibras ópticas e adaptadores - Determinação da estabilidade. NBR Conectores montados em cordões ou cabos de fibras ópticas e adaptadores - Determinação do impacto NBR Conectores montados em cordões ou cabos de fibras ópticas e adaptadores - Determinação da durabilidade. NBR Conectores montados em cordões ou cabos de fibras ópticas e adaptadores - Determinação da perda por inserção. NBR Conectores montados em cordões ou cabos de fibras ópticas e adaptadores - Determinação da perda por retorno. NBR Conectores montados em cordões ou cabos de fibras ópticas e adaptadores - Determinação do envelhecimento térmico. NBR Conectores montados em cordões ou cabos de fibras ópticas e adaptadores - Determinação do ciclo térmico. NBR Conectores montados em cordões ou cabos de fibras ópticas e adaptadores - Determinação da umidade. 3 Definições: Para efeito desta especificação, são adotadas as definições 3.1 a Cordão Óptico: Tipo de cabo simplificado, flexível, de diâmetro reduzido, contendo uma ou duas fibras ópticas, e elemento para sua proteção. 3.2 Tipo de Conector: Conectores ópticos tipo: SC-PC, SC-APC, ST-PC, FC-PC, FC-APC, LC-PC, E2000-APC, E2000-PC, etc. 4 Condições Gerais: Na montagem dos cordões ópticos ou cabos ópticos conectorizados, o cordão e o cabo óptico, atendem todas as normas aplicáveis ao produto. Os conectores ópticos utilizados na conectorização devem satisfazer aos requisitos técnicos fixados pela NBR Para efeito desta especificação devem ser considerados tipo, classe e categoria de conector, bem como o tipo de fibra óptica.

3 4.1 Os conectores ópticos cobertos por esta especificação devem ser fornecidos montados em uma ou nas duas extremidades de um cordão óptico; Simplex ou Duplex ou cabo óptico; designado pelo comprador, com fibras ópticas monomodo ou multimodo. 4.2 Designação: Cox-ff-ca-cb-m x = T (TIGHT), S ( SIMPLEX), D ( DUPLEX) ff = Tipo de fibra SM ( monomodo ), MM ( multimodo ) ca = tipo de conector na extremidade a. cb = tipo de conector na extremidade b. m = comprimento em metros. 5 Condições Específicas: 5.1 Características Ópticas Iniciais: Perda de Inserção: O conector óptico deve apresentar antes dos ensaios, perda de inserção de acordo com a tabela 1, quando ensaiado conforme NBR Perda por Retorno: O conector óptico deve apresentar antes dos ensaios, perda por retorno de acordo com a tabela 2, quando ensaiado conforme NBR Características ambientais: Os ensaios para observação de Envelhecimento Térmico, Umidade e Ciclo Térmico estão em total conformidade com o item 7.3 da NBR Características Mecânicas: Dobramento: Quando submetido a 100 ciclos de dobramento, com ângulo variando de - 90 a + 90 em relação ao ponto de retenção da fibra, com carga de 9,0 N, a conexão óptica deve ter suas características de perda por inserção e perda por retorno conforme estabelecido na tabela 3, quando ensaiado conforme a NBR

4 5.3.2 Torção: Quando submetido a 5 ciclos de torção, com 5 revoluções em torno do eixo da fibra, para cada lado, com carga de 13,5 N, o conector montado em um cordão óptico deve ter suas características de perda de retorno conforme estabelecido na tabela 3, quando ensaiado conforme NBR Retenção Axial: Quando submetido a uma carga de tração de 45,0 N aplicada no eixo do cordão, entre o cordão e o conector óptico, a conexão óptica deve ter suas características de perda por inserção e perda por retorno conforme estabelecido na tabela 3, quando ensaiado conforme NBR Retenção Angular: Quando submetido a uma carga de tração de 34,0 N aplicada a 90 entre o cordão e o conector óptico, a conexão óptica deve ter suas características de perda por inserção e perda por retorno conforme estabelecido na tabela 3, quando ensaiado conforme NBR Puxamento Axial: Quando submetido a uma carga de tração de 23,0 N aplicada no eixo do cordão, entre o cordão e o conector óptico, o cordão de manobra ou de terminação deve ter suas características de perda por inserção e perda por retorno conforme estabelecido na tabela 4, quando ensaiado conforme NBR Estabilidade: Quando submetidos ao dobramento com ângulos de 90, 60, 30 e 0, com carga de 4,5 N, a conexão óptica deve ter suas características de perda por inserção e perda por retorno conforme estabelecido na tabela 3, quando ensaiado conforme NBR Impacto: Quando submetido a oito impactos com 1,5 m de altura, a conexão óptica deve ter suas características de perda por inserção e perda por retorno conforme estabelecido na tabela 4, quando ensaiado conforme NBR Durabilidade (Repetibilidade): Quando submetido a 200 ciclos de reconexão, a conexão óptica deve ter suas características de perda por inserção e perda por retorno conforme estabelecido na tabela 3, quando ensaiado conforme NBR Vibração: Quando submetido a um movimento harmônico simples, com amplitude de 0,75 mm, freqüência variando entre 10 Hz e 55 Hz e retornando a 10 Hz, em aproximadamente 1 min, por 2 h em cada um dos planos mutuamente perpendiculares, a conexão óptica não deve apresentar dano físico ou estrutural em qualquer de suas partes, incluindo a fibra óptica no ponto de retenção, e suas características de perda por inserção e perda por retorno conforme estabelecido na tabela 3, quando ensaiado conforme NBR

5 6 Inspeção: 6.1 Medições: As medidas ópticas dos requisitos desta especificação são realizadas no comprimento de onda conforme tabela 5. 7 Aceitação e Rejeição: 7.1 Sobre todos os conectores ópticos devem ser aplicados os testes de perda de inserção e de perda de retorono constantes nesta especificação, os demais testes são de qualificação. 8 Procedimento de limpeza: 8.1 Procedimentos de limpeza. Os procedimentos de limpeza dos corpos-de-prova são necessários para a correta avaliação do desempenho da conexão Os materiais de limpeza utilizados para o procedimento de limpeza são os seguintes: a) lenço de papel KimWipes para limpeza de componentes ópticos; b) álcool Isopropílico; c) ar comprimido direto do compressor filtrado, limpo, seco e livre de óleo; d) microscópio de 200x com monitor O procedimento de limpeza B é constituído dos seguintes passos: a) soprar com ar comprimido o adaptador após a remoção dos conectores ópticos; b) quando somente um conector óptico for removido, soprar com ar comprimido pelo final aberto do adaptador;

6 c) limpar completamente ao redor do ferrolho do conector óptico duas vezes com o lenço KimWipes umedecido em álcool Isopropílico. Limpar, então, a extremidade do ferrolho transversalmente; d) repetir o passo (c) com o lenço KimWipes seco; e) soprar com ar comprimido transversalmente à extremidade do ferrolho (este é o passo final antes de inserir o conector óptico); f) verificar no microscópio de 200x com monitor, e verificar se a superfície está completamente limpa, se não estiver, repetir os passos de (a) até (f); g) após a limpeza do ferrolho com ar comprimido, evitar o contato do conector óptico com qualquer superfície, antes de sua re-inserção no adaptador; h) quando ambos os conectores ópticos forem novamente removidos, repetir os passos de (a) a (g) com o segundo conector óptico. 9 Instruções de Segurança. As instruções a seguir tem como objetivo a segurança do operador durante a instalação ou manutenção dos cordões ópticos e/ou adaptadores. a) Não se deve olhar diretamente para o conector da extremidade livre (desconectada) do cordão óptico, sob o risco do laser estar ativo. b) Não se deve olhar diretamente para o adaptador; após a desconexão total do cordão óptico; sob o risco do laser estar ativo. c) Até se confirmar a desativação do laser, tanto o conector da extremidade livre do cordão quanto o adaptador, serão visualizados somente se estiverem posicionados em um ângulo de 45 em relação aos olhos do operador, evitando-se com isso a incidência direta do laser. 10 Instruções de Instalação. As instruções a seguir tem como objetivo orientar o operador durante a conexão dos cordões ópticos nos adaptadores, de acordo com os seguintes tipos: a) Conectores do tipo push-pull - Para inserir o conector óptico no adaptador, empurrar o conector até ser ouvido um som semelhante a um click, realizado entre a trava do conector; situada no Housing Interno e uma janela no corpo do adaptador (Housing Externo). Para a desconexão, puxar o conector óptico até ser ouvido novamente click, até ser retirado por completo. b) Conectores metálicos do tipo rosqueável - Para conectar o conector óptico no adaptador, girar a parte metálica rosqueável (Housing) do conector em sentido horário, suavemente até o limite, sem exceder o mesmo. Para a desconexão, girar a parte metálica rosqueável (Housing) do conector em sentido antihorário até o fim. c) Conectores do tipo engate rápido com trava - Conectores do tipo push-pull, porém tanto a conexão quanto a desconexão são realizadas por meios de travas, parte integrante do corpo do conector (Housing). 11 Características Cordão óptico com conector SC/PC e adaptador: Conector do tipo push-pull, engate rápido com ferrula em zircônia, construído em material em plástico de engenharia não propagante a chama, de alta resistência mecânica, utilizados para conexão de equipamentos de LAN E TELECOM. Perda de Inserção Típica 0,15 db Perda de Retorno Típica 50 db 11.2 Cordão óptico com conector SC/APC e adaptador: Conector do tipo push-pull, engate rápido com ferrula em zircônia com 8º de ângulo, construído em material plástico de engenharia não propagante a chama, de alta resistência mecânica, utilizados para conexão de equipamentos ópticos de sinal de vídeo e em sistemas de telecomunicações, quando requerido alta performance de perda de retorno. Perda de Inserção Típica 0,15 db Perda de Retorno Típica > 65 db

7 11.3 Cordão óptico com conector ST/PC e adaptador: Conector do tipo baioneta, construído em material metálico com ferrula em zircônia, utilizados principalmente em sistemas de Lan e Telecomunicações. Perda de Inserção Típica 0,15 db Perda de Retorno Típica 50 db 11.4 Cordão óptico com conector FC/PC e adaptador: Conector do tipo rosqueável, construído em material metálico com ferrula em zircônia, utilizados principalmente em equipamentos de testes e em sistemas de Telecomunicacoes. Perda de Inserção Típica 0,15 db Perda de Retorno Típica 50 db 11.5 Cordão óptico com conector FC/APC e adaptador: Conector do tipo rosqueável, com ferrula em zircônia, com 8º de ângulo, utilizados principalmente na interconexão de equipamentos de Alta Performance e Sistemas de vídeo e telecomunicações. Perda de Inserção Típica 0,15 db Perda de Retorno Típica > 65 db 11.6 Cordão óptico com conector E2000/APC e adaptador: Conector do tipo push-pull, engate rápido com ferrula em zircônia com 8º de ângulo, construído em material em plástico de engenharia não propagante a chama, de alta resistência mecânica, com trava e proteção visual de laser, utilizados em redes de CFTV e Telecomunicações de alta performance. Perda de Inserção Típica 0,15 db Perda de Retorno Típica > 65 db 11.7 Cordão óptico com conector LC/PC e adaptador: Conector de nova geração, do tipo push-pull, engate rápido, Small Form Factor, construído em plástico de engenharia não propagante a chama, de alta resistência mecânica, com ferrula em zircônia, utilizados em aplicações em sistemas de alta densidade com ocupação reduzida de espaço, necessárias em tecnologia FIBER TO THE HOME (FTTH) e WDM. Perda de Inserção Típica 0,15 db Perda de Retorno Típica 50 db

8 ANEXOS

9 CONECTOR FC PC & APC COMPONENTES ITEM DESCRIÇÃO 1 FÉRRULA DE ZIRCÔNIA 2 HOUSING METÁLICO ROSQUEÁVEL 3 ANEL DE CRIMPAGEM 4 TAMPA DE PROTEÇAO 5 BOOT CONECTOR ST - PC COMPONENTES ITEM DESCRIÇÃO 1 FÉRRULA DE ZIRCÔNIA 2 HOUSING METÁLICO BAIONETA 3 ANEL DE CRIMPAGEM 4 TAMPA DE PROTEÇAO 5 BOOT

10 CONECTOR SC PC & APC COMPONENTES ITEM DESCRIÇÃO 1 HOUSING INTERNO C/ FÉRRULA DE ZIRCÔNIA 2 HOUSING EXTERNO 3 ANEL DE CRIMPAGEM 4 TAMPA DE PROTEÇAO 5 BOOT CONECTOR E2000 APC COMPONENTES ITEM DESCRIÇÃO 1 CONECTOR DE ENGATE RÁPIDO C/ FÉRRULA DE ZIRCÔNIA 2 BOOT

11 CONECTOR LC PC & APC COMPONENTES ITEM DESCRIÇÃO 1 CONECTOR DE ENGATE RÁPIDO C/ FÉRRULA DE ZIRCÔNIA 2 TAMPA DE PROTEÇÃO 3 ANEL DE CRIMPAGEM COM TERMOCONTRÁTIL 4 BOOT

12 ADAPTADOR LC (COR AZUL) ADAPTADOR E2000 APC (COR VERDE)

13 ADAPTADOR SC - PC (COR AZUL) ADAPTADOR SC - APC (COR VERDE) ADAPTADOR FC PC

14 ADAPTADOR FC APC

Cabo Óptico Pré Conectorizado Fanout

Cabo Óptico Pré Conectorizado Fanout Cabo Óptico Pré Conectorizado Fanout Tipo do Produto Cabo Óptico Pré-Conectorizado Descrição Cabo Óptico de construção tipo " tight buffer" (indoor ou indoor/outdoor) ou cordão multifibra (somente indoor)

Leia mais

CORDÃO ÓPTICO MONOFIBRA OU DUPLEX

CORDÃO ÓPTICO MONOFIBRA OU DUPLEX CORDÃO ÓPTICO MONOFIBRA OU DUPLEX Tipo do Produto Cordão Óptico Família do Produto TeraLan Descrição Cordão Óptico é o cabo óptico monofibra ou duplex com conector óptico nas duas extremidades Aplicação

Leia mais

Caixa Dio Completa (carregada com Kit Dio, adaptadores e pigtail )

Caixa Dio Completa (carregada com Kit Dio, adaptadores e pigtail ) Caixa Dio Completa (carregada com Kit Dio, adaptadores e pigtail ) 24 Fibras, 48 Fibras ou 72 Fibras(SM ou MM) Esta caixa DIO completa permite ao usuário configurar o DIO de 1U de acordo com a sua necessidade.

Leia mais

KIT DE ADAPTADORES ÓPTICOS

KIT DE ADAPTADORES ÓPTICOS KIT DE ADAPTADORES ÓPTICOS Tipo do Produto Cordão Óptico Família do Produto Padrão TeraLan RoHS Compliant Descrição Os kits de adaptadores ópticos são compostos por adaptadores ópticos, monofibra ou duplex,

Leia mais

EXTENSÃO ÓPTICA CONECTORIZADA

EXTENSÃO ÓPTICA CONECTORIZADA EXTENSÃO ÓPTICA CONECTORIZADA Tipo do Produto Extensão Óptica Família do Produto Descrição TeraLan A Extensão Óptica Conectorizada é composta, (1) normalmente, por dois itens principais : Extensão Óptica:

Leia mais

Cabo Óptico Pré-Conectorizado LC/SC

Cabo Óptico Pré-Conectorizado LC/SC Cabo Óptico Pré-Conectorizado LC/SC Tipo do Produto Descrição Cabo Óptico Pré-Conectorizado Cabo óptico de construção tipo tight buffer (indoor ou indoor/outdoor) pré-conectorizado em fábrica com conectores

Leia mais

ABNT/CB-03 PROJETO 03:086.03-013 MAR 2015. Conectores de fibra óptica para montagem em campo Especificação APRESENTAÇÃO

ABNT/CB-03 PROJETO 03:086.03-013 MAR 2015. Conectores de fibra óptica para montagem em campo Especificação APRESENTAÇÃO Conectores de fibra óptica para montagem em campo Especificação APRESENTAÇÃO 1) Este Projeto foi elaborado pela Comissão de Estudo de Acessórios para Cabos de Fibra Óptica (CE-03:086.03) do Comitê Brasileiro

Leia mais

Acessorios de Fibra optica:layout 1 27-01-2011 00:32 Page 67

Acessorios de Fibra optica:layout 1 27-01-2011 00:32 Page 67 Acessorios de Fibra optica:layout 1 27-01-2011 00:32 Page 67 Acessórios de Fibra Óptica Acessorios de Fibra optica:layout 1 27-01-2011 00:32 Page 68 Adaptadores de Fibra Óptica Adaptador de Fibra Óptica

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO HISTÓRICO DE VERSÕES

INSTRUÇÃO DE TRABALHO HISTÓRICO DE VERSÕES HISTÓRICO DE VERSÕES 1/25 Versão Data Elaborado por Motivo da Revisão Revisado por Aprovado por 01 03 14/10/2013 09/04/2014 28/07/2014 Lucival B. R. Rocha Marco Antonio F. da Silva Inclusão montagem conector

Leia mais

14 CABOS DE FIBRA ÓTICA

14 CABOS DE FIBRA ÓTICA FIBRA OTICA 4 4 CABOS DE FIBRA ÓTICA Fibra Ótica com diferentes tipos de cabos: Tight Buffer - Estrutura Fechada Fibra ótica com revestimento em PVC. Usado para ligações dentro de edifícios (cabos, cordões

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA 2014

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA 2014 APRESENTAÇÃO CORPORATIVA 2014 Política de Qualidade Atender as expectativas dos nossos clientes e requisitos regulamentares com a participação de todos os funcionários, buscando a melhoria contínua em

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 53

COMUNICADO TÉCNICO Nº 53 Página 1 de 8 COMUNICADO TÉCNICO Nº 53 FIBRA ÓPTICA COMO MEIO DE COMUNICAÇÃO PADRÃO DE EQUIPAMENTOS APLICADOS NA PROTEÇÃO Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Automação ELABORADO POR: COLABORADORES:

Leia mais

CORDÃO ÓPTICO MONOFIBRA OU DUPLEX

CORDÃO ÓPTICO MONOFIBRA OU DUPLEX CORDÃO ÓPTICO MONOFIBRA OU DUPLEX Tipo do Produto Cordão Óptico Família do Produto Padrão TeraLan RoHS Compliant Descrição Ambiente de Instalação Ambiente de Operação Compatibilidade Garantia Garantia

Leia mais

FIBRA ÓTICA CABOS CORDÃO ÓTICO SIMPLEX OU DUPLEX GAVETAS DE DISTRIBUIÇÃO FIBRA ÓTICA TORPEDOS E CAIXAS PARA JUNTAS ADAPTADORES CONVERSORES DE MEIOS

FIBRA ÓTICA CABOS CORDÃO ÓTICO SIMPLEX OU DUPLEX GAVETAS DE DISTRIBUIÇÃO FIBRA ÓTICA TORPEDOS E CAIXAS PARA JUNTAS ADAPTADORES CONVERSORES DE MEIOS FIBRA ÓTICA CABOS CORDÃO ÓTICO SIMPLEX OU DUPLEX GAVETAS DE DISTRIBUIÇÃO FIBRA ÓTICA TORPEDOS E CAIXAS PARA JUNTAS ADAPTADORES CONVERSORES DE MEIOS 04 05 0 07 08 09 02 FIBRA ÓTICA TECNOLOGIA ÓTICA Com

Leia mais

Newell TM - Catálogo Cablagem Estruturada Fibra Óptica e Cobre

Newell TM - Catálogo Cablagem Estruturada Fibra Óptica e Cobre Newell TM - Catálogo Cablagem Estruturada Fibra Óptica e Cobre SOLUÇÃO DE CONECTIVIDADE Introdução pag 2 Acessórios de FO pag 3 FIBRA ÓPTICA LC pag 4 SC pag 5 ST pag 6 FC pag 7 DATASHEETS Cat 5E pag 8

Leia mais

Fibras Ópticas Medição da abertura numérica de uma fibra óptica multimodo

Fibras Ópticas Medição da abertura numérica de uma fibra óptica multimodo Fibras Ópticas Medição da abertura numérica de uma fibra óptica multimodo Equipamento: * Mesa óptica * Fibra multimodo, 50/125 µm * Laser de He-Ne * Microscópio * Multímetro óptico * Cortador de fibra

Leia mais

Aumentar Diminuir Procura Tela Cheia Imprimir

Aumentar Diminuir Procura Tela Cheia Imprimir ADAPTER CABLE M8v CATEGORIA 5 ENHANCED Sistemas de Cabeamento Estruturado para tráfego de voz, dados e imagens, segundo requisitos da norma ANSI/TIA/EIA-568A, incluindo o adendo 5 (Categoria 5e), para

Leia mais

Novo MPO Pus: Com mais características se comparado com MPO Convencional

Novo MPO Pus: Com mais características se comparado com MPO Convencional Novo MPO Pus: Com mais características se comparado com MPO Convencional O conector MPO Plus oferece até 24 vezes mais densidade que os conectores padrão proporcionando uma poupança significativa de custo

Leia mais

Boletim de Novo Produto

Boletim de Novo Produto Boletim de Novo Produto NP 308P Conectores FiberExpress Brilliance Instaláveis em Campo Brilhantes na concepção e instalação, os conectores FiberExpress Brilliance transformam a terminação de fibras ópticas

Leia mais

Treinamento FIBRAS ÓPTICAS. Eng. Marcelo dos Santos. Seicom Florianópolis. Abril de 2008

Treinamento FIBRAS ÓPTICAS. Eng. Marcelo dos Santos. Seicom Florianópolis. Abril de 2008 Treinamento FIBRAS ÓPTICAS Eng. Marcelo dos Santos Seicom Florianópolis Abril de 2008 Programa Tipos de conectores de F.O; Quais conectores os SDH da Vivo FNS usam; Atenuação na fibra; Diferenças entre

Leia mais

Cabeamento Óptico 14/03/2014. Vantagens de utilização. Noções Ópticas. Vantagens de utilização. Sistema de comunicação Fibra. Funcionamento da Fibra

Cabeamento Óptico 14/03/2014. Vantagens de utilização. Noções Ópticas. Vantagens de utilização. Sistema de comunicação Fibra. Funcionamento da Fibra Cabeamento Óptico Fundamentos de Redes de Computadores Prof. Marcel Santos Silva Vantagens de utilização Total imunidade às interferências eletromagnéticas; Dimensões reduzidas; Maior segurança no tráfego

Leia mais

NBR 7480/1996. Barras e fios de aço destinados a armaduras para concreto armado

NBR 7480/1996. Barras e fios de aço destinados a armaduras para concreto armado NBR 7480/1996 Barras e fios de aço destinados a armaduras para concreto armado OBJETIVO Fixar as condições exigíveis na encomenda, fabricação e fornecimento de barras e fios de aço destinados a armaduras

Leia mais

Service Cable Pré-Conectorizado LC/SC/FC/ST

Service Cable Pré-Conectorizado LC/SC/FC/ST Service Cable Pré-Conectorizado LC/SC/FC/ST Tipo do Produto Descrição Cabo Óptico Pré-Conectorizado Cabo óptico de construção tipo tight buffer (indoor ou indoor/outdoor) pré-conectorizado em fábrica com

Leia mais

EXTENSÃO ÓPTICA CONECTORIZADA

EXTENSÃO ÓPTICA CONECTORIZADA EXTENSÃO ÓPTICA CONECTORIZADA Tipo do Produto Extensão Óptica Família do Produto Descrição TeraLan A Extensão Óptica Conectorizada é composta por dois itens principais: Extensão Óptica: cabo óptico monofibra

Leia mais

KIT EXTENSÃO ÓPTICA CONECTORIZADA 12 FIBRAS COLORIDO

KIT EXTENSÃO ÓPTICA CONECTORIZADA 12 FIBRAS COLORIDO KIT EXTENSÃO ÓPTICA CONECTORIZADA 12 FIBRAS COLORIDO Tipo do Produto Extensão Óptica Família do Produto Descrição TeraLan A Extensão Óptica Conectorizada 12 Fibras Colorido é composta por dois itens principais

Leia mais

Splitter Óptico 1xN Balanceado

Splitter Óptico 1xN Balanceado Splitter Óptico 1xN Balanceado Tipo do Produto Família do Produto Descrição Splitter óptico FBS - Furukawa Broadband System Splitters Ópticos são componentes passivos que realizam a divisão do sinal óptico

Leia mais

TECNOLOGIAS DE REDES ÓPTICAS

TECNOLOGIAS DE REDES ÓPTICAS WE RE WELL CONNECTED TECNOLOGIAS DE REDES ÓPTICAS DIAMOND SA / 11-06 / 1 Eduardo Meirelles eduardo.meirelles@diamond-brasil.com.br DIAMOND WORLDWIDE Atividades de desenvolvimento, fabricação e comercialização

Leia mais

CABEAMENTO ESTRUTURADO NORMAS AMERICANAS EIA/TIA

CABEAMENTO ESTRUTURADO NORMAS AMERICANAS EIA/TIA CABEAMENTO ESTRUTURADO NORMAS AMERICANAS EIA/TIA NORMAS AMERICANAS EIA/TIA EIA/TIA 568-B: Commercial Building Telecomunications Cabling Standard Essa norma de 2001 é a revisão da norma EIA/TIA 568-A de

Leia mais

LINHA ÓPTICA. Distribuidor Interno Óptico Gaveta. Distribuidor Interno Óptico Fit

LINHA ÓPTICA. Distribuidor Interno Óptico Gaveta. Distribuidor Interno Óptico Fit Distribuidor Interno Óptico Gaveta Módulo montado. Estrutura padrão 19 com gaveta metálica deslizante, frente em acrílico. Fornecido com módulos que fazem a reserva técnica de cabos, acomodação das emendas

Leia mais

fibra optica:layout 1 27-01-2011 00:23 Page 23

fibra optica:layout 1 27-01-2011 00:23 Page 23 fibra optica:layout 1 27-01-2011 00:23 Page 23 Fibra Óptica fibra optica:layout 1 27-01-2011 00:23 Page 24 FIBRA ÓPTICA Fibra Óptica é um pedaço de vidro com capacidade de transmitir luz. Tal filamento

Leia mais

Meios físicos Os meios físicos

Meios físicos Os meios físicos Meios físicos Os meios físicos são considerados componentes da camada 1. Se encarregam daquilo que diz respeito à representação física são bits (por exemplo, voltagem ou pulsos de luz). 1 Representação

Leia mais

Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica Divisão de Manutenção / Departamento de Manutenção de Sistemas Digitais

Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica Divisão de Manutenção / Departamento de Manutenção de Sistemas Digitais Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica Divisão de Manutenção / Departamento de Manutenção de Sistemas Digitais Especificação Técnica ETD -00.063 Materiais de telecomunicação ópticos Versão:

Leia mais

DTN WEBEX NOVOS PRODUTOS

DTN WEBEX NOVOS PRODUTOS DTN WEBEX NOVOS PRODUTOS Conectividade 6A Linha de Bandejas Ópticas HDX Linha de Racks ITMAX Linha de Racks Fechados Acessórios de Organização Produtos de alta densidade FTP UTP Descarregado Azul/Branco/Bege

Leia mais

PTTMETRO. 5º PTTForum

PTTMETRO. 5º PTTForum PTTMETRO AVALIAÇÃO DE REDES ÓPTICAS METROPOLITANAS 5º PTTForum 29 de Novembro de 2011 Salvador Rodrigues Equipe de Engenharia PTT.br AGENDA: - COMPONENTES DE REDE ÓPTICA

Leia mais

PNEUMÁTICA. Enroladores de mangueiras e de cabos. Desempenho superior, design durável e facilidade de uso

PNEUMÁTICA. Enroladores de mangueiras e de cabos. Desempenho superior, design durável e facilidade de uso PNEUMÁTICA Enroladores de mangueiras e de cabos Desempenho superior, design durável e facilidade de uso 2 Para uso profissional em ambientes industriais. Satisfação das necessidades dos ambientes de trabalho

Leia mais

CFOT-MF/UB. Interno / Externo

CFOT-MF/UB. Interno / Externo CFOT-MF/UB Tipo do Produto Cabos Ópticos Construção Dielétrico Núcleo Seco Tubo Loose (UB) ou Cordão Monofibra (MF) SM ou MM Descrição Conjunto constituído por cordões ópticos ("tight buffer") ou tubos

Leia mais

CEMIG DISTRIBUIÇÃO S.A INSTRUÇÕES PARA ABERTURA DO CABO EN320

CEMIG DISTRIBUIÇÃO S.A INSTRUÇÕES PARA ABERTURA DO CABO EN320 a EMISSÃO INICIAL FTY MM LYT 18/12/14 REV. ALTERAÇÕES EXEC. VISTO APROV. DATA EXEC. VISTO APROV. FTY MM LYT DATA: CEMIG DISTRIBUIÇÃO S.A LD 1 ALMENARA - JEQUITINHONHA, 138kV (Op. 69 kv) 18/12/14 INSTRUÇÕES

Leia mais

Caixa para medidor polifásico com trava na tampa e visor

Caixa para medidor polifásico com trava na tampa e visor FIRUGA 1: CAIXA COM TAMPA 227 VISTA SUPERIOR 114 57 A 14 209 345 45 LENTE 46 171 PRÉ-FURO Ø5 53 VISTA LATERAL ESQUERDA Ø2 FURO PARA LACRE A VISTA FRONTAL MÍN. 10,5 15 LUVA W1/4 VISTA LATERAL DIREITA 48

Leia mais

Fibra Óptica. Por que escolher a 3M? O futuro é FTTB / FTTA FTTP. Soluções inovadoras, a 3M é um fornecedor completo para

Fibra Óptica. Por que escolher a 3M? O futuro é FTTB / FTTA FTTP. Soluções inovadoras, a 3M é um fornecedor completo para Celular Fiber-tothe-Antenna FTTH FTTB / FTTA Planta Externa subterrânea FTTP Por que escolher a 3M? Soluções inovadoras, a 3M é um fornecedor completo para implementações de projetos FTTH em MDUs. A 3M

Leia mais

Caixa de emenda óptica (FOSC) DGJC-102A. Especificação Técnica

Caixa de emenda óptica (FOSC) DGJC-102A. Especificação Técnica Caixa de emenda óptica (FOSC) DGJC-102A Especificação Técnica ÍNDICE 1. Especificações Gerais 1.1 Objetivo 1.2 Aplicação 1.3 Qualidade 1.4 Confiabilidade 1.5 Referência 2. Especificações Técnicas 2.1 Características

Leia mais

CONJUNTOS DE FACAS DE AR WINDJET

CONJUNTOS DE FACAS DE AR WINDJET CONJUNTOS DE FACAS WINDJET CONJUNTO DE FACAS WINDJET SOPRADORES CONJUNTOS DE FACAS WINDJET SUMÁRIO Página Visão geral dos pacotes de facas de ar Windjet 4 Soprador Regenerativo 4 Facas de ar Windjet 4

Leia mais

Dispositivos de rede. roteador bridge. switch. switch ATM. transceiver repetidor

Dispositivos de rede. roteador bridge. switch. switch ATM. transceiver repetidor Dispositivos de rede roteador bridge switch switch ATM transceiver repetidor hub 1 Meios físicos Os meios físicos são considerados componentes da camada 1. Tudo de que se encarregam são bits (por exemplo,

Leia mais

3B SCIENTIFIC PHYSICS

3B SCIENTIFIC PHYSICS 3B SCIENTIFIC PHYSICS Conjunto para microondas 9,4 GHz (230 V, 50/60 Hz) Conjunto para microondas 10,5 GHz (115 V, 50/60 Hz) 1009950 (115 V, 50/60 Hz) 1009951 (230 V, 50/60 Hz) Instruções de operação 10/15

Leia mais

TABELA DE PREÇOS DE REFERÊNCIA 1-7

TABELA DE PREÇOS DE REFERÊNCIA 1-7 Item Serviços do Grupo 1 Unida 1.1 Projeto instalação fibras ópticas aéreas metro 411770 R$ 947.071,00 1.2 Projeto instalação fibras ópticas subterrâneas metro 20680 R$ 66.176,00 1.3 Projeto instalação

Leia mais

REDE DE FIBRA ÓPTICA

REDE DE FIBRA ÓPTICA REDE DE FIBRA ÓPTICA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Sumário 1. Cabos de fibras ópticas... 2 2. Emendas ópticas... 3 3. Interfaces ópticas... 4 4. Distribuidor geral óptico... 5 5. Cordões Ópticos... 5 6. Práticas

Leia mais

Características Técnicas Série Quasar

Características Técnicas Série Quasar Descrição do Produto A Série Quasar é uma linha de painéis tipo CCMi (centro de controle de motores inteligente) para baixa tensão e correntes até 3150 A, ensaiados conforme a norma NBR/IEC 60439-1 - TTA

Leia mais

Instrução de Montagem e de Regulagem

Instrução de Montagem e de Regulagem Instrução de Montagem e de Regulagem A ser guardada pelo usuário! Indicadores de posição da nova geração ÍNDICE DO CONTEÚDO Legenda 3 Indicações de Segurança 4 SWITCHmaster -Montagem e Regulagem dos Cames

Leia mais

Cabeamento Metálico: Tudo o que você precisa saber Parte 3

Cabeamento Metálico: Tudo o que você precisa saber Parte 3 Cabeamento Metálico: Tudo o que você precisa saber Parte 3 Conteúdo Cabos Ópticos Aplicação LAN Cabos Ópticos Aplicação Lan - Linha FCS Acessórios Ópticos - Aplicação Lan - Linha FCS Recomendação De Instalação

Leia mais

Manual de Instruções e Lista de Peças. Máquina de Corte Circular de Tecido 950C

Manual de Instruções e Lista de Peças. Máquina de Corte Circular de Tecido 950C Manual de Instruções e Lista de Peças Máquina de Corte Circular de Tecido 950C 104A 104B Singer é uma marca registrada da The Singer Company Limited ou suas afiliadas. 2009 Copyright The Singer Company

Leia mais

CABOS TIPO: Tight-Buffer.

CABOS TIPO: Tight-Buffer. CABOS TIPO: Tight-Buffer. Manual de Instalação CABOS TIPO: Tight-Buffer APRESENTAÇÃO FURUKAWA INDUSTRIAL S.A. Empresa especializada em soluções completas de alta performance para comunicação de dados e

Leia mais

Noções de Cabeamento Estruturado Óptico

Noções de Cabeamento Estruturado Óptico Noções de Cabeamento Estruturado Óptico Roteiro Fibras ópticas Cuidados com cabos ópticos Elementos do Cabeamento Estruturado Fibras Ópticas Desde seu desenvolvimento, as fibras ópticas representaram um

Leia mais

Distribuidor Interno Óptico Gaveta. Distribuidor Interno Óptico Fit

Distribuidor Interno Óptico Gaveta. Distribuidor Interno Óptico Fit Linha Óptica Família de produtos que tem como principal função proporcionar o tráfego de dados, voz e imagem através de cordões e cabos de fibra óptica com o auxílio de acessórios para garantir a infraestrutura

Leia mais

Curso: Engenharia de Telecomunicações Disciplina: Comunicações Ópticas Carga Horária: 60 horas. Professor: Clovis Almeida

Curso: Engenharia de Telecomunicações Disciplina: Comunicações Ópticas Carga Horária: 60 horas. Professor: Clovis Almeida Curso: Engenharia de Telecomunicações Disciplina: Comunicações Ópticas Carga Horária: 60 horas Professor: Clovis Almeida Regras do Jogo: Aulas expositivas em quadro, Power Point, ou transparências : Entregar

Leia mais

Acessórios Desconectáveis 200A

Acessórios Desconectáveis 200A 200A APLICAÇÃO Os Acessórios da Prysmian possuem uma concepção de projeto baseada no sistema plugue - tomada, porém para tensões, permitindo fácil conexão e desconexão de um cabo de potência, de um equipamento,

Leia mais

Viggia Manual de instruções

Viggia Manual de instruções Viggia Manual de instruções INDICE 1. INTRODUÇÃO...1 1.1. O QUE É O VIGGIA?...1 1.2. QUAIS AS APLICAÇÕES DO LEITOR VIGGIA?...2 2. KIT VIGGIA...3 3. CONFIGURAÇÃO DO LEITOR VIGGIA...4 3.1. TOP RONDA...4

Leia mais

Manual de Instruções. Poços de Proteção. Exemplos

Manual de Instruções. Poços de Proteção. Exemplos Manual de Instruções oços de roteção Exemplos Manual de Instruções de oços de roteção ágina 3-11 2 Índice Índice 1. Instruções de segurança 4 2. Descrição 4 3. Condições de instalação e instalação 5 4.

Leia mais

1. Descrição do Produto

1. Descrição do Produto 1. Descrição do Produto Os repetidores óticos FOCOS/PROFIBUS AL-2431 e AL-2432 destinam-se a interligação de quaisquer dispositivos PROFIBUS, assegurando altíssima imunidade a ruídos através do uso de

Leia mais

Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática

Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores 04. Meios Físicos de Transmissão Prof. Ronaldo Introdução n

Leia mais

Cabo Optico Aéreo Dielétrico Tubo unico ASU (NR/RC)

Cabo Optico Aéreo Dielétrico Tubo unico ASU (NR/RC) Cabo Optico Aéreo Dielétrico Tubo unico ASU (NR/RC) Os cabos ópticos TELCON contam com uma excelente proteção e transmissão óptica para conectar longas distancias e outros serviços como Multimedia, Internet

Leia mais

Anemômetro SEY A20. Anemômetro Digital Multitensão IP67. Manual De Instrução

Anemômetro SEY A20. Anemômetro Digital Multitensão IP67. Manual De Instrução Anemômetro SEY A20 Anemômetro Digital Multitensão IP67 Manual De Instrução 1. DESCRIÇÃO Anemômetro Digital Seyconel com dois níveis de alarme e sinalizador visual foi projetado para cumprir a norma brasileira

Leia mais

Meios Físicos de Comunicação

Meios Físicos de Comunicação Meios Físicos de Comunicação Aula 5 Fibra Óptica Meios Físicos de Comunicação - Fibra Óptica 1 Conteúdo Conceitos Iniciais Tipos Fatores de Perdas Medição e Teste Vantagens Conversores e Conectores Meios

Leia mais

QUALITY FIX DO BRASIL INDÚSTRIA, COMÉRCIO, IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA. MANUAL DO USUÁRIO CONECTORES QUALITY FIX

QUALITY FIX DO BRASIL INDÚSTRIA, COMÉRCIO, IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA. MANUAL DO USUÁRIO CONECTORES QUALITY FIX MANUAL DO USUÁRIO CONECTORES QUALITY FIX 1 Sumário Treinamento específico e essencial.... 3 Manutenção, serviço e armazenamento.... 3 Inspeção... 3 Uso... 4 Tempo de vida do Produto.... 4 Garantia... 4

Leia mais

Anexo V. Manual de Contratação de Serviços de Construção de Redes de Fibras Ópticas

Anexo V. Manual de Contratação de Serviços de Construção de Redes de Fibras Ópticas Anexo V Manual de Contratação de Serviços de Construção de Redes de Fibras Ópticas Elaborado por: Data : 17/11/2005 Revisado por: Data: / / Fanton & Fanton Unidade Administrativa: Aprovado por: Data :

Leia mais

Cabo Óptico DROP DROP F8 X YF COG. Cabo Óptico Externo UTD CFOA X UTD G YF COG. Cordão Óptico COA COA X MF Y - COG

Cabo Óptico DROP DROP F8 X YF COG. Cabo Óptico Externo UTD CFOA X UTD G YF COG. Cordão Óptico COA COA X MF Y - COG Linha Óptica Linha de produtos que tem como principal função proporcionar o tráfego de dados, voz e imagem através de cordões e cabos de fibra óptica com o auxílio de acessórios para garantir a infraestrutura

Leia mais

Máquina de solda Dupla Onda Point-Wave Series

Máquina de solda Dupla Onda Point-Wave Series Máquina de solda Dupla Onda Point-Wave Series Máquina de Solda Dupla Onda de alta performance, com excelente desempenho, sofisticação e custo-benefício aliados a uma vasta base instalada em clientes exigentes

Leia mais

Modos de Propagação. Tecnologia em Redes de Computadores 5º Período Disciplina: Sistemas e Redes Ópticas Prof. Maria de Fátima F.

Modos de Propagação. Tecnologia em Redes de Computadores 5º Período Disciplina: Sistemas e Redes Ópticas Prof. Maria de Fátima F. Modos de Propagação Tecnologia em Redes de Computadores 5º Período Disciplina: Sistemas e Redes Ópticas Prof. Maria de Fátima F. Bueno Marcílio 1 Modos de Propagação Antes de iniciarmos o estudo dos tipos

Leia mais

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento APRENDIZAGEM INDUSTRIAL UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento O cabeamento horizontal Compreende os segmentos de cabos que são lançados horizontalmente entre as áreas de trabalho e as salas de telecomunicações

Leia mais

EMENDAS ÓPTICAS. Uma emenda óptica consiste na junção de dois ou mais segmentos de fibras, podendo ser permanente ou temporária.

EMENDAS ÓPTICAS. Uma emenda óptica consiste na junção de dois ou mais segmentos de fibras, podendo ser permanente ou temporária. EMENDAS ÓPTICAS Uma emenda óptica consiste na junção de dois ou mais segmentos de fibras, podendo ser permanente ou temporária. Servem para: Conectar dois cabos ópticos Possibilitar manobras nas instalações

Leia mais

DIO A270 DISTRIBUIDOR INTERNO ÓPTICO A270

DIO A270 DISTRIBUIDOR INTERNO ÓPTICO A270 DIO A270 DISTRIBUIDOR INTERNO ÓPTICO A270 Manual de Instalação DISTRIBUIDOR INTERNO ÓPTICO DIO A270 APRESENTAÇÃO FURUKAWA INDUSTRIAL S.A. Produtos Elétricos Empresa especializada em soluções completas

Leia mais

TESTE DO SISTEMA OBJETIVO DA SEÇÃO

TESTE DO SISTEMA OBJETIVO DA SEÇÃO OBJETIVO DA SEÇÃO I. Lembrar-se dos requisitos de equipamentos de testes para cabos de pares trançados balanceados e fibras ópticas e seu uso adequado. II. Lembrar-se dos requisitos de testes de enlace

Leia mais

Ficha técnica: MultiFiber Pro

Ficha técnica: MultiFiber Pro Ficha técnica: MultiFiber Pro Kits de teste de fibra e Medidor de energia ótica Os centros de dados estão crescendo, abastecidos pela proliferação da mídia, da virtualização e da necessidade de mais segurança

Leia mais

NORMA ANSI/EIA/TIA 568 - B. Projeto Físico de Rede

NORMA ANSI/EIA/TIA 568 - B. Projeto Físico de Rede NORMA ANSI/EIA/TIA 568 - B O PADRÃO BASEIA-SE NOS SEIS PRINCIPAIS COMPONENTES DE UM SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO, QUE SÃO: 1 FACILIDADE DE ENTRADA (Entrance Facility) : É COMPOSTA POR HARDWARE DE

Leia mais

Pregão Eletrônico nº 15/ OBJETO: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de materiais para telecom.

Pregão Eletrônico nº 15/ OBJETO: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de materiais para telecom. Pregão Eletrônico nº 15/02349 OBJETO: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de materiais para telecom A Celesc Distribuição SA, inscrita no CNPJ nº 08336783/0001-90, com sede na Av Itamarati 160, Bairro

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO ETD - 07 CRUZETA DE CONCRETO ARMADO PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO E PADRONIZAÇÃO EMISSÃO: julho/2003 REVISÃO: setembro/08 FOLHA : 1 / 6 FURAÇÃO DA CRUZETA

Leia mais

FICHA TÉCNICA PATCH PANEL 24 PORTAS C5e RoHS

FICHA TÉCNICA PATCH PANEL 24 PORTAS C5e RoHS FICHA TÉCNICA PATCH PANEL 24 PORTAS C5e RoHS 1- Aplicação: Este produto aplica-se a sistemas de cabeamento estruturado, para tráfego de voz, dados e imagens, do tipo 10BASE-T, 100BASE-Tx, 155M ATM, 4/16MB

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES BARBEADOR. Blue

MANUAL DE INSTRUÇÕES BARBEADOR. Blue MANUAL DE INSTRUÇÕES BARBEADOR Blue INTRODUÇÃO Parabéns pela escolha de mais um produto de nossa linha. Para garantir o melhor desempenho de seu produto, o usuário deve ler atentamente as instruções a

Leia mais

CABO ÓPTICO FIBER-LAN INDOOR/OUTDOOR

CABO ÓPTICO FIBER-LAN INDOOR/OUTDOOR CABO ÓPTICO FIBER-LAN INDOOR/OUTDOOR Tipo do Produto Cabos Ópticos Família do Produto Construção TeraLan Dielétrico Tight Monomodo ou Multimodo Descrição Cabo óptico tipo "tight", constituído por fibras

Leia mais

DISTRIBUIDOR INTERNO ÓPTICO DIO HDMOD

DISTRIBUIDOR INTERNO ÓPTICO DIO HDMOD DISTRIBUIDOR INTERNO ÓPTICO DIO HDMOD 2 Manual de Instalação DIO HDMOD Manual de Instalação DISTRIBUIDOR INTERNO ÓPTICO DIO HDMOD APRESENTAÇÃO FURUKAWA INDUSTRIAL S.A. Produtos Elétricos Empresa especializada

Leia mais

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 6 Cabeamento Residencial

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 6 Cabeamento Residencial APRENDIZAGEM INDUSTRIAL UNIDADE 6 Cabeamento Residencial Cabeamento residencial Sistema que integra os serviços de telecomunicações em uma residência: Rede local de computadores, acesso à internet, controle

Leia mais

FIBER-LAN INDOOR/OUTDOOR

FIBER-LAN INDOOR/OUTDOOR FIBER-LAN INDOOR/OUTDOOR Tipo do Produto Cabos Ópticos Construção Dielétrico Tight Monomodo ou Multimodo Descrição Cabo óptico tipo "tight", constituído por fibras ópticas do tipo multimodo ou monomodo.

Leia mais

CINEMA SB100 alto-falante de barra de som com energia própria

CINEMA SB100 alto-falante de barra de som com energia própria CINEMA SB100 alto-falante de barra de som com energia própria Manual de consulta rápida Obrigado por escolher este produto da JBL O alto-falante de barra de som energizado JBL Cinema SB100 é um sistema

Leia mais

CORDÃO ÓPTICO MONOFIBRA OU DUPLEX

CORDÃO ÓPTICO MONOFIBRA OU DUPLEX CORDÃO ÓPTICO MONOFIBRA OU DUPLEX Tipo do Produto Cordão Óptico Família do Produto TeraLan Descrição Cordão Óptico é o cabo óptico monofibra ou duplex com conectores ópticos nas duas extremidades Aplicações

Leia mais

Detector Digital de Movimento Alta Segurança Externa

Detector Digital de Movimento Alta Segurança Externa Detector Digital de Movimento Alta Segurança Externa PS-85 Guia de Instalação Sumário 1. Instalação... 2 2. Ajuste de altura da Placa PCB... 2 3. Configurações das Chaves DIP...3 4. Sinalização de Movimento...5

Leia mais

26. Dentre as dimensões a seguir, núcleo/casca, quais representam tipicamente fibras monomodo e fibras multimodos, respectivamente?

26. Dentre as dimensões a seguir, núcleo/casca, quais representam tipicamente fibras monomodo e fibras multimodos, respectivamente? CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓDIGO 05 UCs de Eletrônica e/ou de Telecomunicações 26. Dentre as dimensões a seguir, núcleo/casca, quais representam tipicamente fibras monomodo e fibras multimodos, respectivamente?

Leia mais

www.cubos.com.br 2 1) INTRODUÇÃO 3 2) PEÇAS 3 3) INSTRUÇÕES DE USO 3 4) MANUTENÇÃO 5 5) ESPECIFICAÇÕES 6 6) GARANTIA 6 7) CONTATO 6

www.cubos.com.br 2 1) INTRODUÇÃO 3 2) PEÇAS 3 3) INSTRUÇÕES DE USO 3 4) MANUTENÇÃO 5 5) ESPECIFICAÇÕES 6 6) GARANTIA 6 7) CONTATO 6 MANUAL DO USUÁRIO CUBOS UV LIGHT 8W PRO 15W 30W 15W CRISTAL DE QUARTZO 30W CRISTAL DE QUARTZO 55W HO CRISTAL DE QUARTZO 75W HO CRISTAL DE QUARTZO 36W COMPACTO CRISTAL DE QUARTZO 60W COMPACTO CRISTAL DE

Leia mais

GPON. Rede Óptica Passiva GigabitG. Leonardo F. Oliveira. Especialista Lato Sensu em Rede de Computadores Leonardo@uesb.edu.br

GPON. Rede Óptica Passiva GigabitG. Leonardo F. Oliveira. Especialista Lato Sensu em Rede de Computadores Leonardo@uesb.edu.br GPON Rede Óptica Passiva GigabitG Leonardo F. Oliveira Especialista Lato Sensu em Rede de Computadores Leonardo@uesb.edu.br GPON O que égpon? Utilização da fibra óptica para interligar pontos distantes

Leia mais

Certificação de redes ópticas de 10GbE

Certificação de redes ópticas de 10GbE CABEAMENTO ESTRUTURADO Certificação de redes ópticas de 10GbE 70 RTI DEZ 2008 JDSU (Brasil) As redes ópticas baseadas em 10GbE exigem um bom processo de certificação. O artigo a seguir detalha os principais

Leia mais

Fibras Ópticas Medição da atenuação, comprimento e perdas de um cabo óptico com OTDR

Fibras Ópticas Medição da atenuação, comprimento e perdas de um cabo óptico com OTDR Fibras Ópticas Medição da atenuação, comprimento e perdas de um cabo óptico com OTDR Equipamento: * ANDO Mini-OTDR AQ7255 * Cabo de fibra óptica monomodo standard. Objectivos: * Determinação da atenuação,

Leia mais

Manual de Instruções Tupias TPA-740; TPA-890

Manual de Instruções Tupias TPA-740; TPA-890 Manual de Instruções Tupias TPA-740; TPA-890 Figura 1: VISTA DA TUPIAS (IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA) Advertência: Não execute nenhuma operação com o equipamento antes de ler atentamente este manual. Este

Leia mais

EXTENSÃO ÓPTICA MONOFIBRA OU DUPLEX

EXTENSÃO ÓPTICA MONOFIBRA OU DUPLEX EXTENSÃO ÓPTICA MONOFIBRA OU DUPLEX Tipo do Produto Cordão Óptico Família do Produto Padrão TeraLan RoHS Compliant Descrição Extensão Óptica é o elemento óptico ou cabo óptico monofibra ou duplex com conector

Leia mais

REDE DE CABOS DE FIBRA ÓPTICA

REDE DE CABOS DE FIBRA ÓPTICA REDE DE CABOS DE FIBRA ÓPTICA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Sumário 1. Cabos de fibras ópticas... 2 2. Lançamento de Cabo Óptico... 3 3. Emendas ópticas... 3 4. Distribuidor Geral Óptico DGO... 4 5. Medições

Leia mais

100 kpa a 1,0 MPa. Filtro de ar em linha. Série ZFC

100 kpa a 1,0 MPa. Filtro de ar em linha. Série ZFC Filtro de ar em linha Série ZFC Para tamanhos de tubo de ø2 e ø3,2, consulte Filtro de sucção de ar/série ZFC no site da SMC. Faixa de pressão de trabalho A pressão positiva e a pressão de vácuo podem

Leia mais

0932 INF 01/12. Pág. 1 de 8

0932 INF 01/12. Pág. 1 de 8 Pág. 1 de 8 LABORÓRIO Laboratóro de ensaios da TÜV RHEINLAND DO BRASIL Técnico responsável Gerente Técnico do Laboratório Laboratório...: TÜV Rheinland do Brasil Ltda. Endereço...: Rua dos Comerciários,

Leia mais

www.philco.com.br SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO Manual de Instruções

www.philco.com.br SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO Manual de Instruções 11/12 917-09-05 781120 REV0 www.philco.com.br 0800 645 8300 SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO Manual de Instruções INTRODUÇÃO Parabéns pela escolha de um produto de nossa linha. Para garantir o melhor desempenho

Leia mais

Cabos Ópticos. Tecnologia em Redes de Computadores 5º Período Disciplina: Sistemas e Redes Ópticas Prof. Maria de Fátima F.

Cabos Ópticos. Tecnologia em Redes de Computadores 5º Período Disciplina: Sistemas e Redes Ópticas Prof. Maria de Fátima F. Cabos Ópticos Tecnologia em Redes de Computadores 5º Período Disciplina: Sistemas e Redes Ópticas Prof. Maria de Fátima F. Bueno Marcílio 1 Cabos Ópticos Estruturas de encapsulamento e empacotamento de

Leia mais

REMANUFATURA OKIDATA C 3400 TONER E CILINDRO

REMANUFATURA OKIDATA C 3400 TONER E CILINDRO REMANUFATURA OKIDATA C 3400 TONER E CILINDRO 1. Identifique se você tem um cartucho starter (cartucho inicial que acompanha a impressora) ou cartucho de reposição. Verifique a seção de resíduos e o compartimento

Leia mais

Manual de Instruções SATA 67595

Manual de Instruções SATA 67595 1. Conheça o produto...2 2. Âmbito do fornecimento...5 3. Dados técnicos...6 4. Modo de atuação da unidade de limpeza de ar com adsorvente de carvão ativo e do cinto sem adsorvente de carvão ativo...7

Leia mais

Propriedades do concreto JAQUELINE PÉRTILE

Propriedades do concreto JAQUELINE PÉRTILE Propriedades do concreto JAQUELINE PÉRTILE Concreto O preparo do concreto é uma série de operações executadas de modo a obter, á partir de um determinado número de componentes previamente conhecidos, um

Leia mais

REDE DE CABOS DE FIBRA ÓPTICA

REDE DE CABOS DE FIBRA ÓPTICA REDE DE CABOS DE FIBRA ÓPTICA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Sumário: 1. Cabos de fibras ópticas... 2 2. Lançamento de Cabo Óptico... 3 3. Emendas ópticas... 3 4. Distribuidor Geral Óptico DGO... 3 5. Medições

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO CERTIFICADO DE GARANTIA

MANUAL DO USUÁRIO CERTIFICADO DE GARANTIA Prazer em dirigir. MANUAL DO USUÁRIO CERTIFICADO DE GARANTIA www.edrive.ind.br Prazer em dirigir. PARABÉNS PELA AQUISIÇÃO DE SEU E-DRIVE! A manutenção e os cuidados corretos ajudarão a otimizar a durabilidade

Leia mais