A HARTING obteve a certificação DET NORSKE VERITAS para os comutadores Ethernet industrial das famílias econ, scon e mcon.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A HARTING obteve a certificação DET NORSKE VERITAS para os comutadores Ethernet industrial das famílias econ, scon e mcon."

Transcrição

1 A HARTING obteve a certificação DET NORSKE VERITAS para os comutadores Ethernet industrial das famílias econ, scon e mcon. Os comutadores Ethernet da HARTING, concebidos para serem aplicados nos ambientes industriais mais severos, permitem realizar a concepção descentralizada de uma infra-estrutura de rede industrial com base em dois aspectos fundamentais: a capacidade funcional do comutador, conhecida como a Classe de Função, que definirá como devem ser geridas as redes e a Classe de Instalação que, com base na suas características mecânicas, permitirá decidir a localização mais adequada para o comutador como dispositivo descentralizado da rede Ethernet e ter em conta os requerimentos de temperatura, vibração, protecção EMC, resistência mecânica, grau de humidade, dimensões físicas e grau de protecção IP20/30/40/65/67 necessários em cada localização. Com a classificação publicada pela DET NORSKE VERITAS (a DNV é uma entidade com mais de 140 anos de experiência na certificação de estruturas e instalações marítimas) está agora também reconhecida a capacidade dos comutadores HARTING para serem utilizados em sistemas de controlo, monitorização, alarme e segurança, com diversas possibilidades de instalação em salas de Maquinaria, Salas de Controlo, Salas de Bombagem, em Convés e na Ponte, no mercado Marítimo. A DET NORSKE VERITAS classifica, através do documento n.º A (ver tabela n.º 1), no ponto Equipamentos Periféricos, os dispositivos apresentados pela HARTING em função do intervalo de Temperatura, do grau de Humidade ambiental, do nível de Vibração e da protecção EMC necessários para serem instalados em Barcos, Navios de Alta Velocidade e Navios Ligeiros e inclusivamente em conformidade com as especificações padrão estabelecidas pela DNV para instalações em mar aberto offshore. Esta certificação pode ser obtida na página Parâmetros Produto CLASSES DE INSTALAÇÃO Temperatura Humidade Vibração EMC econ 2030-A B B A B econ 2040-A B B A B econ 2050-A B B A B econ 3080-A B B A B econ 3080-A1 B B A B econ 3080-A4 D B A B scon 3100-AA D B A B mcon 3100-AAV D B A B mcon 3082-ADV B B A B mcon 3082-AEV B B A B Tabela 1. Lista de dispositivos apresentados pela HARTING e a classificação concedida pela certificação DNV Certificação Marítima DET NORSKE VERITAS (DNV) para comutadores Ethernet da HARTING Pág. 1/5

2 Na tabela nº 2 deste documento são descritas as áreas de possível instalação dos comutadores HARTING em função da classificação obtida em cada um dos parâmetros estabelecidos pela DNV. Parâmetro Classe Localização B de -5 a +70ºC Áreas de maquinaria, salas de controlo, habitáculos, interior de armários, ponte, em cabinas e em púlpitos. Temperatura D de -25 a +70ºC Áreas de maquinaria, salas de controlo, habitáculos, interior de cubículos, ponte, cabinas, púlpitos, sala de bombas, áreas sem climatização, convés e mastros Em todas as localizações com humidade relativa até 100% e em todo o intervalo de temperaturas Humidade B Vibração A Em anteparas, vigas, convés e ponte EMC B Em todas as localizações, incluindo a Ponte e o Convés. Tabela 2. Descrição dos tipos de instalação em função do parâmetro considerado. As classificações DNV obtidas pelos comutadores HARTING certificam que estes permitem criar uma rede Ethernet com plenas garantias de funcionamento nas aplicações marítimas mais exigentes. Certificação Marítima DET NORSKE VERITAS (DNV) para comutadores Ethernet da HARTING Pág. 2/5

3 Descrição dos dispositivos HARTING submetidos ao processo de certificação DNV: De seguida, indicamos as principais características das famílias de comutadores HARTING e as particularidades dos modelos que foram apresentados para certificação (econ 2030-A, econ 2040-A, econ 2050-A, econ 3080-A, econ 3080-A1, econ 3080-A4, scon 3100-AA, mcon 3100-AAV, mcon 3082-ADV, mcon 3082-AEV) e que obtiveram a classificação DNV. Família de dispositivos econ 2000: São dispositivos sem gestão de 3, 4, 5 e 16 portas RJ45 10/100 Mb/s e versão com 5 portas RJ 10/100/1000 Mb/s, com carcaça de alumínio, que fornece uma excelente dissipação térmica e com dimensões reduzidas (46,5 x 105 x 25,5mm), ideais para quadros de controlo de dimensões reduzidas. A HARTING apresentou para certificação três modelos de 3, 4 e 5 portas RJ45 para configurar nós básicos de comunicação Ethernet em quadros de controlo. econ 2030-A 3x RJ45 10/100 Mb/s, Temp. de 10 a + 70ºC econ 2040-A 4x RJ45 10/100 Mb/s, Temp. 10 a + 70ºC econ 2050-A 5x RJ45 10/100 Mb/s, Temp. de 10 a + 70ºC Família de dispositivos econ 3000: Dispositivos sem gestão, com diferentes configurações até 10 portas de comunicação em par entrançado (RJ45) a 10/100 Mb/s e em fibra óptica (SC ou ST) com fibra multimodo e com opções para monomodo. A sua reduzida largura (23 x 130 x 100mm) permite uma ocupação mínima no carril DIN, favorecendo a redução de tamanho do quadro de controlo. A sua carcaça metálica favorece a dissipação de temperatura e o cumprimento de normas industriais difundidas complementa as excelentes características destes dispositivos para a sua utilização em ambientes complicados. A HARTING apresentou para a certificação DNV três modelos, todos com 8 portas RJ45 e com diferentes possibilidades de instalação em armário e um amplo intervalo de temperatura. Certificação Marítima DET NORSKE VERITAS (DNV) para comutadores Ethernet da HARTING Pág. 3/5

4 econ 3080-A 8x Tx, Temp. -10 a + 70ºC,, instalação rectilínea em carril DIN econ 3080-A1 8x Tx, Temp. -10 a + 40ºC, instalação oblonga em carril DIN econ 3080-A4 8x Tx, Temp. abrangente -40 a +70 ºC, inst. rectilínea em carril DIN Família de dispositivos scon 3000: Dispositivos sem gestão, com 10 portas de comunicação agrupadas em diversas combinações RJ45 e SC ou ST para fibra monomodo ou multimodo e com carcaça metálica de dimensões muito compactas (59x 104 x 132mm). A família scon é composta por dispositivos Ethernet sem gestão, mas com a possibilidade de serem configurados através da porta USB 2.0 para obter desempenhos avançados como redundâncias em anel, port mirroring e selecção de alarme por porta, limitação do acesso a portas, entre outras. A HARTING apresentou para certificação o modelo de 10 portas RJ ( 8x 10/100 Mb/s /100/1000 Mb/s) para a sua instalação nos nós em que for necessária a monitorização no local de redes através de port mirroring e fortalecer a topologia física através do uso de redundâncias (em paralelo, anel ou mistas). As duas portas 1000 Mb/s permitem a criação de um backbone com capacidade para redes de comunicação que necessitem maiores larguras de banda (ex.: videovigilância, informação e entretenimento de passageiros). scon 3100-AA 8x RJ45 10/ x RJ45 10/100/1000 Mbit/s, Temp. 0 a 70ºC Família de dispositivos mcon 3000: São dispositivos com gestão avançada, controláveis a partir de WEB, SNMP e Telnet, e agora com melhores desempenhos graças à sua nova versão 2.0 de firmware. Com até 10 portas de comunicação em combinações de RJ45 e de SC ou ST para fibra multimodo ou monomodo, possuem uma compacta carcaça metálica (59x 104 x 132mm), que fornece protecção mecânica e dissipação térmica excelente. A HARTING apresentou três modelos de comutadores controláveis para abarcar as possibilidades de comunicação em par entrançado e em fibra óptica, tanto para a criação de topologias em árvore como em anel, bem como em combinações das mesmas graças à aplicação do protocolo de resolução de redundâncias RSTP. mcon 3100-AAV 8x RJ45 10/ x RJ45 10/100/1000 Mbit/s, Temp. 0 a 70ºC mcon 3082-ADV 8x 10/100Mbit/s + 2x SC MM 100 Mbit/s, Temp. 0 a 70ºC mcon 3082-AEV 8x 10/100Mbit/s + 2x ST MM 100 Mbit/s, Temp. 0 a 70ºC Certificação Marítima DET NORSKE VERITAS (DNV) para comutadores Ethernet da HARTING Pág. 4/5

5 Conjunto de soluções Ethernet da HARTING A HARTING dispõe de um amplo conjunto de soluções Ethernet composto por comutadores industriais e conectores, cabos, cablagens e acessórios de terminação que permitem a instalação de uma rede Ethernet nas mais diversas condições requeridas pelos ambientes industriais de Fabrico e Processo Automatizados, Distribuição e Geração de Energia, Transporte Terrestre e Marítimo, Maquinaria Industrial, Broadcasting, Electro-Medicina e Telecomunicações, entre outros. Este conjunto de soluções e, em particular, os comutadores Ethernet, permite uma escolha em função da sua funcionalidade, que definirá como o comutador deverá comportar-se na gestão do tráfego das redes Ethernet e na perspectiva da respectiva instalação, que permitirá a definição da topologia de rede de forma distribuída em campo e com dispositivos aplicados no interior de quadros eléctricos (grau de protecção IP20/IP30), instalados em painéis exteriores a quadros (IP40) e até instalados no exterior (IP67). gestão em formato compacto gestão, com portas de fibra e em formato estreito gestão, configuráveis por USB 2.0 com redundância em paralelo e em anel, e com portas de fibra Comutadores IP30 controláveis por WEB, SNMP e Telnet, com possibilidade de autenticação remota e com portas de fibra SC, ST ou com módulos SFP. Versão com PoE. gestão ou com gestão em formato para rack 19 de 3U Comutadores IP40 sem gestão ou com gestão em formato para fixação em painel e com portas M12. Versão com PoE. Comutadores IP67 sem gestão ou com gestão em formato para fixação em carril DIN ou painel e com portas RJ45 ou M12. Fontes de alimentação IP30 e IP 67 para os comutadores HARTING ou para qualquer outro dispositivo de campo Outlets IP30 e IP 67 para terminação de cabo cat 6 em painel ou em interior de Conjunto de conectores, cabos e cablagens para interconexão de par entrançado (RJ45 ou M12) e de fibra óptica (SC, ST ou LC) em graus de protecção IP30 e IP67. Agora com novos modelos para 10Gbit Ethernet para terminação em campo sem ferramentas. Certificação Marítima DET NORSKE VERITAS (DNV) para comutadores Ethernet da HARTING Pág. 5/5

HARTING News IP 65/67. Julho, 2004. Flexibilidade e facilidade de instalação mediante o repetidor PROFIBUS PRC 67-10

HARTING News IP 65/67. Julho, 2004. Flexibilidade e facilidade de instalação mediante o repetidor PROFIBUS PRC 67-10 Neste número: Novos Dispositivos para PROFIBUS HARTING amplia a sua gama de dispositivos para PROFIBUS, Repetidores e Conversores RS-485, para oferecer maiores possibilidades de instalação de uma rede

Leia mais

HARTING News. Fevereiro 2006. Introdução

HARTING News. Fevereiro 2006. Introdução Fevereiro 2006 Neste número: - Switches Ethernet IP30 - Switches para rack de 19 - Outlets metálicos e plásticos - Isolante Han 3A SC - Conectores RJ Industrial Introdução: Para ampliar a gama de soluções

Leia mais

Série Connect. Switches e Conversores Industriais. www.altus.com.br

Série Connect. Switches e Conversores Industriais. www.altus.com.br Série Connect Switches e Conversores Industriais www.altus.com.br Conectividade e simplicidade Compacto: design robusto e eficiente para qualquer aplicação Intuitivo: instalação simplificada que possibilita

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Cablagem estruturada Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Abril de 2006 Os problemas Porquê organizar as cablagens? É fácil manter a organização

Leia mais

Acessorios de Fibra optica:layout 1 27-01-2011 00:32 Page 67

Acessorios de Fibra optica:layout 1 27-01-2011 00:32 Page 67 Acessorios de Fibra optica:layout 1 27-01-2011 00:32 Page 67 Acessórios de Fibra Óptica Acessorios de Fibra optica:layout 1 27-01-2011 00:32 Page 68 Adaptadores de Fibra Óptica Adaptador de Fibra Óptica

Leia mais

NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 8

NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 8 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Assessoria Especial para Modernização da Gestão Central de Compras e Contratações NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 8 PREGÃO ELETRÔNICO Nº 4/2015 PROCESSO Nº 04300.003546/2014-01

Leia mais

Soluções de Interconexão. HARTING Iberia S.A. Apresentação geral. Apresentação. Pág. 1

Soluções de Interconexão. HARTING Iberia S.A. Apresentação geral. Apresentação. Pág. 1 HARTING Iberia S.A. Pág. 1 HARTING Iberia. Conexão Eléctrica e Electrónica. Serviços de Tecnologia Corporativa (CTS) Design, montagem e teste de Backpanels Conectores Eléctricos e Electrónicos CLIENTES

Leia mais

Newell TM - Catálogo Cablagem Estruturada Fibra Óptica e Cobre

Newell TM - Catálogo Cablagem Estruturada Fibra Óptica e Cobre Newell TM - Catálogo Cablagem Estruturada Fibra Óptica e Cobre SOLUÇÃO DE CONECTIVIDADE Introdução pag 2 Acessórios de FO pag 3 FIBRA ÓPTICA LC pag 4 SC pag 5 ST pag 6 FC pag 7 DATASHEETS Cat 5E pag 8

Leia mais

PLANEAMENTO E PROJECTO DE REDES

PLANEAMENTO E PROJECTO DE REDES PLANEAMENTO E PROJECTO DE REDES Engenharia de Sistemas e Informática Bibliografia: Engenharia de Redes Informáticas; Edmundo Monteiro e Fernando Boavida; FCA 1 Conteúdo programático Equipamento Passivo

Leia mais

HARTING News. Junho, 2003. Do controlo centralizado até à inteligência distribuída. arquitectura de instalação com inteligência distribuída.

HARTING News. Junho, 2003. Do controlo centralizado até à inteligência distribuída. arquitectura de instalação com inteligência distribuída. Neste número: Novos desenvolvimentos HARTING para Industrial Ethernet e PROFInet Durante a passada edição da feira de Hannover, o grupo tecnológico HARTING apresentou diversos desenvolvimentos para o ambiente

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V3.2

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V3.2 INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V3.2 Para mais informações ou sugestões, contacte o seu distribuidor. Edição 4 Pag 1/8 Mod.100/2 ÍNDICE ÍNDICE...2 1. INTRODUÇÃO...3 2. DOCUMENTOS NORMATIVOS APLICADOS...3

Leia mais

HARTING News. A tecnologia HARAX tem sido aplicada a sistemas de interconexão do tipo:

HARTING News. A tecnologia HARAX tem sido aplicada a sistemas de interconexão do tipo: Neste número: Novidades HARAX Novos HARAX M8-S e M12-S Novos HARAX M12-L blindados para Profibus, PROFINet e Ethernet IP. Novidades Han-Snap Novo suporte articulado Desde o lançamento da terminação rápida

Leia mais

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch Fast Ethernet com as seguintes configurações mínimas: capacidade de operação em camada 2 do modelo OSI; 24 (vinte e quatro) portas

Leia mais

Meios Físicos de Comunicação

Meios Físicos de Comunicação Meios Físicos de Comunicação Aula 5 Fibra Óptica Meios Físicos de Comunicação - Fibra Óptica 1 Conteúdo Conceitos Iniciais Tipos Fatores de Perdas Medição e Teste Vantagens Conversores e Conectores Meios

Leia mais

CABEAMENTO E INFRAESTRUTURA

CABEAMENTO E INFRAESTRUTURA CABEAMENTO E INFRAESTRUTURA CONHEÇA NOSSA EMPRESA Ao longo de 10 anos de trabalho, nós da Allcomnet adquirimos experiência na área de telecomunicações, visando formas de integrar tecnologias que facilitam

Leia mais

INDICADOR DE POSIÇÃO DE TAP DIGITAL - IPTE

INDICADOR DE POSIÇÃO DE TAP DIGITAL - IPTE Catálogo Técnico INDICADOR DE POSIÇÃO DE TAP DIGITAL - IPTE CATÁLOGO TÉCNICO ÍNDICE CATÁLOGO TÉCNICO... 1 INTRODUÇÃO... 2 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS... 2 DADOS TÉCNICOS... 3 ENSAIOS DE TIPO REALIZADOS...

Leia mais

Electron do Brasil. Tecnologia ao seu alcance. Tecnologia Digital. www.electrondobrasil.com. Catálogo Monitemp - rev3. Qualidade Comprovada!

Electron do Brasil. Tecnologia ao seu alcance. Tecnologia Digital. www.electrondobrasil.com. Catálogo Monitemp - rev3. Qualidade Comprovada! Electron do Brasil Tecnologia Digital Qualidade Comprovada! Ensaios de Tipo Realizados Tecnologia ao seu alcance Catálogo Monitemp - rev3 Produtos Certificados! www.electrondobrasil.com O Monitor de Temperatura

Leia mais

KIT DE ADAPTADORES ÓPTICOS

KIT DE ADAPTADORES ÓPTICOS KIT DE ADAPTADORES ÓPTICOS Tipo do Produto Cordão Óptico Família do Produto Padrão TeraLan RoHS Compliant Descrição Os kits de adaptadores ópticos são compostos por adaptadores ópticos, monofibra ou duplex,

Leia mais

DIRECÇÃO-GERAL DE GEOLOGIA E ENERGIA PERFIL PROFISSIONAL DE TÉCNICO INSTALADOR DE SISTEMAS SOLARES TÉRMICOS

DIRECÇÃO-GERAL DE GEOLOGIA E ENERGIA PERFIL PROFISSIONAL DE TÉCNICO INSTALADOR DE SISTEMAS SOLARES TÉRMICOS DIRECÇÃO-GERAL DE GEOLOGIA E ENERGIA PERFIL PROFISSIONAL DE TÉCNICO INSTALADOR DE SISTEMAS SOLARES TÉRMICOS CÓDIGO - ERG-OO4 ÁREA DE ACTIVIDADE ENERGIA OBJECTIVO GLOBAL - Programar, organizar, coordenar

Leia mais

Monitor de Temperatura MONITEMP

Monitor de Temperatura MONITEMP ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MoniTemp foi desenvolvido para supervisionar até 3 (três) canais de temperatura simultaneamente, ele é utilizado para proteger

Leia mais

Nome : Empresa : Cargo : Endereço : Telefone : FAX: E-mail : Site :

Nome : Empresa : Cargo : Endereço : Telefone : FAX: E-mail : Site : Nome : Empresa : Cargo : Endereço : Cidade: CEP: Telefone : FAX: E-mail : Site : Assinatura Local e Data IMPORTANTE: Preencher os dados completos e em letra legível pois, em caso de aprovação, as informações

Leia mais

Curso de Formação de. Actualização de Projectista ITED 2 (175h) Curso de Formação de. Actualização de Projectista ITED 2 (175h)

Curso de Formação de. Actualização de Projectista ITED 2 (175h) Curso de Formação de. Actualização de Projectista ITED 2 (175h) Curso de Formação de O curso tem como objectivos específicos, dotar os participantes de conhecimentos que lhes permitam: Obter a RENOVAÇÃO da CERTIFICAÇÃO reconhecida pela ANACOM como técnico de projecto

Leia mais

Armário Outdoor com. Free Cooling ou Ar Condicionado. www.facemate.net

Armário Outdoor com. Free Cooling ou Ar Condicionado. www.facemate.net Armário Outdoor com Free Cooling ou Ar Condicionado NOTAS Os armários outdoor estão desenhados para instalação em ambientes de exterior sujeitos a condições de chuva, vento, calor ou radiação solar. O

Leia mais

Descrição. À unidade de supervisão com microprocessador é possível interligar um dispositivo de interface Ethernet, com protocolo SNMP.

Descrição. À unidade de supervisão com microprocessador é possível interligar um dispositivo de interface Ethernet, com protocolo SNMP. Descrição Os alimentadores comercializados pela EFACEC (UPS s ou Alimentadores em Corrente Contínua), são normalmente equipados com uma unidade de supervisão com microprocessador. Esta unidade permite

Leia mais

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento APRENDIZAGEM INDUSTRIAL UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento O cabeamento horizontal Compreende os segmentos de cabos que são lançados horizontalmente entre as áreas de trabalho e as salas de telecomunicações

Leia mais

Conversor de Media 10/100Base-TX para 100Base-FX

Conversor de Media 10/100Base-TX para 100Base-FX Conversor de Media 10/100Base-TX para 100Base-FX Manual do Utilizador 1. Generalidades O IEEE802.3u Ethernet suporta dois tipos de media para ligação de rede, como por exemplo 10/100Base-TX e 100Base-FX.

Leia mais

Expansores de transmissão por Ethernet via cabo de cobre

Expansores de transmissão por Ethernet via cabo de cobre Expansores de transmissão por Ethernet via cabo de cobre Transmissão por Ethernet via cabo coaxial ou cabo Cat5 existente CopperLine é uma tecnologia avançada e exclusiva que expande redes de transmissão

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI GERAÇÃO 3.1 Para mais informações ou sugestões, contacte o seu distribuidor. Edição 8 Pag 1/8 Mod.100/2 ÍNDICE índice...2 1. Introdução...3 2. Documentos normativos aplicados...3

Leia mais

SOLUÇÕES DATA CENTER GROUP

SOLUÇÕES DATA CENTER GROUP SOLUÇÕES DATA CENTER SOLUÇÕES EFICIENTES - PROJECTOS COMPETITIVOS Na SENSYS todos os esforços estão concentrados num elevado grau de qualidade e especialização. Aliada a vários parceiros tecnológicos,

Leia mais

Curso Técnico em Redes de Computadores NORMAS PADRÕES E PROTOCOLOS

Curso Técnico em Redes de Computadores NORMAS PADRÕES E PROTOCOLOS Curso Técnico em Redes de Computadores NORMAS PADRÕES E PROTOCOLOS CONCEITUAÇÃO Norma Prática tornada obrigatória por entidades técnicas e/ou regulamentadoras. Padrão Prática recomendada e de ampla aceitação

Leia mais

NORMA ANSI/EIA/TIA 568 - B. Projeto Físico de Rede

NORMA ANSI/EIA/TIA 568 - B. Projeto Físico de Rede NORMA ANSI/EIA/TIA 568 - B O PADRÃO BASEIA-SE NOS SEIS PRINCIPAIS COMPONENTES DE UM SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO, QUE SÃO: 1 FACILIDADE DE ENTRADA (Entrance Facility) : É COMPOSTA POR HARDWARE DE

Leia mais

GPON. Rede Óptica Passiva GigabitG. Leonardo F. Oliveira. Especialista Lato Sensu em Rede de Computadores Leonardo@uesb.edu.br

GPON. Rede Óptica Passiva GigabitG. Leonardo F. Oliveira. Especialista Lato Sensu em Rede de Computadores Leonardo@uesb.edu.br GPON Rede Óptica Passiva GigabitG Leonardo F. Oliveira Especialista Lato Sensu em Rede de Computadores Leonardo@uesb.edu.br GPON O que égpon? Utilização da fibra óptica para interligar pontos distantes

Leia mais

Monitor de Nível de Óleo para Transformadores - MNO

Monitor de Nível de Óleo para Transformadores - MNO ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Nível de Óleo para Transformadores e reatores MNO, é um equipamento microprocessado de alta precisão que indica o nível de óleo em escala

Leia mais

Como ofertar e projetar uma solução compacta Laserway PABLO DE CNOP GRANADO LOPES

Como ofertar e projetar uma solução compacta Laserway PABLO DE CNOP GRANADO LOPES Como ofertar e projetar uma solução compacta Laserway PABLO DE CNOP GRANADO LOPES CONCEITOS BÁSICOS A solução Laserway é baseada em uma rede multiserviços que utiliza o método de transmissão GPON, amplamente

Leia mais

Relé de Proteção do Motor RPM ANSI 37/49/50/77/86/94 CATÁLOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5

Relé de Proteção do Motor RPM ANSI 37/49/50/77/86/94 CATÁLOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 CATÁLOGO ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Relé de Proteção de Motores RPM foi desenvolvido para supervisionar até 2 (dois) grupos ventiladores/motores simultaneamente, é utilizado

Leia mais

ANSI - 23 26 45 49 49I 62 74 77 94

ANSI - 23 26 45 49 49I 62 74 77 94 ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/7 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MASTERTEMP foi desenvolvido para monitorar a temperatura de óleo e enrolamento, comandar a ventilação e proteger transformadores

Leia mais

DS AGILE SISTEMA DIGITAL INTEGRADO PARA SUBESTAÇÃO DE ENERGIA

DS AGILE SISTEMA DIGITAL INTEGRADO PARA SUBESTAÇÃO DE ENERGIA DS AGILE SISTEMA DIGITAL INTEGRADO PARA SUBESTAÇÃO DE ENERGIA A nova era de Smart Grids inteligentes exige subestações que possuam sistemas de automação mais sofisticados, permitindo aos operadores de

Leia mais

ST90 / ST90A PT10. Transmissor e Sensor de Temperatura

ST90 / ST90A PT10. Transmissor e Sensor de Temperatura ST90 / ST90A PT0 Transmissor e Sensor de Temperatura ST90A PT0 Características Descrição Transmisssor de Temperatura - Ideal para diversos ambientes Industriais e aplicações sanitárias. - Cabeçote em Nylon

Leia mais

Soluções em Automação Industrial Selecionando o cabeamento adequado. Ricardo Avena Technical Sales Manager. Maio 2015

Soluções em Automação Industrial Selecionando o cabeamento adequado. Ricardo Avena Technical Sales Manager. Maio 2015 Soluções em Automação Industrial Selecionando o cabeamento adequado Ricardo Avena Technical Sales Manager Maio 2015 2013 Belden Inc. belden.com @BeldenInc Porque o cabo é importante? Uma infraestrutura

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V2.2

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V2.2 INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V2.2 MANUAL ITED 1ª EDIÇÃO Para mais informações ou sugestões, contacte o seu distribuidor. Edição 10 Pag 1/8 Mod.100/2 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. DOCUMENTOS NORMATIVOS APLICADOS...3

Leia mais

Monitoramento, Controle, Registro e Supervisão de Processos Industriais

Monitoramento, Controle, Registro e Supervisão de Processos Industriais L I N H A D E P R O D U T O S PA R A Monitoramento, Controle, Registro e Supervisão de Processos Industriais Índice Apresentação 03 Características Individuais Controlador de Processos C702 Aquisitor de

Leia mais

MINICOLUNAS. www.simon.pt. Descrição Aplicações Referências Exemplo de configuração Instalação Informação ténica Exemplos de compatibilidade Dimensões

MINICOLUNAS. www.simon.pt. Descrição Aplicações Referências Exemplo de configuração Instalação Informação ténica Exemplos de compatibilidade Dimensões MINICOLUNAS ÍNDICE Descrição Aplicações Referências Exemplo de configuração Instalação Informação ténica Exemplos de compatibilidade Dimensões Descrição Minicolunas para instalações elétricas de châo para

Leia mais

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP 26430 - INST.FED.DE EDUC.,CIENC.E TEC.S.PERNAMBUCANO 158149 - INST.FED.EDUC.CIENC.E TEC.SERTãO PERNAMBUCANO RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP 1 - Itens da Licitação 1 - EQUIPAMENTO

Leia mais

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Infraestrutura de Redes de Computadores

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Infraestrutura de Redes de Computadores Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Infraestrutura de Redes de Computadores Euber Chaia Cotta e Silva euberchaia@yahoo.com.br Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Administração Euber

Leia mais

DTN WEBEX NOVOS PRODUTOS

DTN WEBEX NOVOS PRODUTOS DTN WEBEX NOVOS PRODUTOS Conectividade 6A Linha de Bandejas Ópticas HDX Linha de Racks ITMAX Linha de Racks Fechados Acessórios de Organização Produtos de alta densidade FTP UTP Descarregado Azul/Branco/Bege

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas IW10 Rev.: 02 Especificações Técnicas Sumário 1. INTRODUÇÃO... 1 2. COMPOSIÇÃO DO IW10... 2 2.1 Placa Principal... 2 2.2 Módulos de Sensores... 5 3. APLICAÇÕES... 6 3.1 Monitoramento Local... 7 3.2 Monitoramento

Leia mais

SOLUÇÕES EM VIDEOMONITORAMENTO

SOLUÇÕES EM VIDEOMONITORAMENTO SOLUÇÕES EM VIDEOMONITORAMENTO Principais Características: Revolucionário sistema anti-vibração que possibilita instalação do equipamento em 360º; Capacitor embutido que fornece tempo suficiente para empacotamento

Leia mais

GE Intelligent Platforms. Automação em alta performance Soluções para um mundo conectado

GE Intelligent Platforms. Automação em alta performance Soluções para um mundo conectado GE Intelligent Platforms Automação em alta performance Soluções para um mundo conectado Na vanguarda da evolução da automação industrial. Acreditamos que o futuro da automação industrial seguirá o mesmo

Leia mais

TI Aplicada. Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br

TI Aplicada. Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br TI Aplicada Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br Conceitos Básicos Equipamentos, Modelos OSI e TCP/IP O que são redes? Conjunto de

Leia mais

Monitor de Temperatura Digital para transformadores MONITEMP PLUS

Monitor de Temperatura Digital para transformadores MONITEMP PLUS ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MoniTemp Plus foi desenvolvido para monitorar a temperatura de óleo e enrolamento, comandar a ventilação e proteger transformadores

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas TERMO DE REFERÊNCIA Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas Deve ser montável em rack padrão EIA 19 (dezenove polegadas) e possuir kits completos para instalação; Deve possuir, no mínimo, 24

Leia mais

ANEXO II ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS EXPANSÃO E INTEGRAÇÃO DO SYSTEM STORAGE IBM DS4700.

ANEXO II ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS EXPANSÃO E INTEGRAÇÃO DO SYSTEM STORAGE IBM DS4700. ANEXO II ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS EXPANSÃO E INTEGRAÇÃO DO SYSTEM STORAGE IBM DS4700. LOTE 1 (Único) 1 8 Disco FC de 300 GBytes, 4 Gbps, 15 Krpm E-DDM. Tecnologia Fibre Channel Enhanced Disk Drive Modules;

Leia mais

1. Descrição do Produto

1. Descrição do Produto 1. Descrição do Produto Os repetidores óticos FOCOS/PROFIBUS AL-2431 e AL-2432 destinam-se a interligação de quaisquer dispositivos PROFIBUS, assegurando altíssima imunidade a ruídos através do uso de

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Anéis Ópticos em Backbone www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução Em 1980 foi formado o grupo de trabalho ANSI X3T9.5 com a finalidade de desenvolver

Leia mais

CORDÃO ÓPTICO MONOFIBRA OU DUPLEX

CORDÃO ÓPTICO MONOFIBRA OU DUPLEX CORDÃO ÓPTICO MONOFIBRA OU DUPLEX Tipo do Produto Cordão Óptico Família do Produto TeraLan Descrição Cordão Óptico é o cabo óptico monofibra ou duplex com conector óptico nas duas extremidades Aplicação

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Design de Rede Local Design Hierárquico Este design envolve a divisão da rede em camadas discretas. Cada camada fornece funções específicas que definem sua função dentro da rede

Leia mais

EXTENSÃO ÓPTICA CONECTORIZADA

EXTENSÃO ÓPTICA CONECTORIZADA EXTENSÃO ÓPTICA CONECTORIZADA Tipo do Produto Extensão Óptica Família do Produto Descrição TeraLan A Extensão Óptica Conectorizada é composta, (1) normalmente, por dois itens principais : Extensão Óptica:

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE Aquisição de Solução de Criptografia para Backbone da Rede da Dataprev ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE 1.1 Cada appliance deverá ser instalado em rack de 19 (dezenove) polegadas

Leia mais

Torres Luminosas Compactas e Modulares

Torres Luminosas Compactas e Modulares Torres Luminosas Compactas e Modulares Safe solutions for your industry Índice TLC-60 Torre Luminosa Compacta Página 4 TLM-70 Torre Luminosa Modular Página 10 3 TLC-60 Torre Luminosa Compacta Desenvolvida

Leia mais

Armários Redes Estruturadas 2010

Armários Redes Estruturadas 2010 Zona Industrial de Aveiro Apartado 846 Lote 30-A 3801-801 AVEIRO Telefs.: 234 315 744-234 316 197 Fax.: 234 315 838 e-mail: teleflex@teleflex.pt www.teleflex.pt Armários Redes Estruturadas 2010 Qualidade

Leia mais

Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1.

Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1. Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1. (CODATA 2013) Em relação à classificação da forma de utilização

Leia mais

Comunicado à Imprensa

Comunicado à Imprensa Brazil Windpower 2012 Página 1 de 5 Beckhoff na Brazil Windpower 2012: Segundo pavimento, Estande 261, 262 Tecnologia para turbinas: Soluções abertas de automação para energia eólica A Brazil Windpower

Leia mais

Cabeamento Estruturado Metálico em Edifícios Comerciais

Cabeamento Estruturado Metálico em Edifícios Comerciais Cabeamento Estruturado Metálico em Edifícios Comerciais Cabeamento estruturado - definição Sistema de cabeamento capaz de prover tráfego de gêneros de informações diferenciadas dentro de um mesmo sistema

Leia mais

1 de 6 25/08/2015 10:22

1 de 6 25/08/2015 10:22 1 de 6 25/08/2015 10:22 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria Executiva Subsecretaria de Planejamento e Orçamento Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano Termo de Adjudicação

Leia mais

Série e-svtm Electrobombas verticais multicelulares em aço inoxidável

Série e-svtm Electrobombas verticais multicelulares em aço inoxidável Série e-svtm Electrobombas verticais multicelulares em aço inoxidável Campo de rendimentos hidráulicos extra efficient: extra eficiente A hidráulica recentemente concebida da e-sv TM, combinada com um

Leia mais

LAN Design. LAN Switching and Wireless Capítulo 1. Version 4.0. 2006 Cisco Systems, Inc. All rights reserved. Cisco Public 1

LAN Design. LAN Switching and Wireless Capítulo 1. Version 4.0. 2006 Cisco Systems, Inc. All rights reserved. Cisco Public 1 LAN Design LAN Switching and Wireless Capítulo 1 Version 4.0 2006 Cisco Systems, Inc. All rights reserved. Cisco Public 1 Objetivos do Módulo Compreender os benefícios e do uso de uma organização hierárquica

Leia mais

09/06/2011. Profª: Luciana Balieiro Cosme

09/06/2011. Profª: Luciana Balieiro Cosme Profª: Luciana Balieiro Cosme Revisão dos conceitos gerais Classificação de redes de computadores Visão geral sobre topologias Topologias Barramento Anel Estrela Hibridas Árvore Introdução aos protocolos

Leia mais

Otimização de Painéis

Otimização de Painéis Otimização de Painéis RAOTM May 15 Vedação da passagem dos cabos: não está no topo da lista de prioridades até o momento em que ocorrerem falhas no sistema. Uma pequena alteração na especificação irá eliminar

Leia mais

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO)

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) Par Trançado UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) O cabo UTP é composto por pares de fios, sendo que cada par é isolado um do outro e todos são trançados juntos dentro de uma cobertura externa, que não possui

Leia mais

Conversores de Mídia Gigabit Intelbras KGM 1105 KGS 1115. Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras.

Conversores de Mídia Gigabit Intelbras KGM 1105 KGS 1115. Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. MANUAL DO USUÁRIO Conversores de Mídia Gigabit Intelbras KGM 1105 KGS 1115 Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. Os conversores de mídia KGM 1105 e KGS 1115

Leia mais

Manual do Usuário. Antena Painel Outdoor 65-806 a 960MHz - 17 dbi Downtilt Ajustável ANT040009

Manual do Usuário. Antena Painel Outdoor 65-806 a 960MHz - 17 dbi Downtilt Ajustável ANT040009 Manual do Usuário Antena Painel Outdoor 65-806 a 960MHz - 17 i Downtilt Ajustável ANT040009 Este Manual Aplica- se Somente ao Produto que o Acompanha Índice Pag. 1 - Informações Gerais...2 1.1 - Apresentação...2

Leia mais

CAB Cabeamento Estruturado e Redes Telefônicas

CAB Cabeamento Estruturado e Redes Telefônicas MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA CAB Cabeamento Estruturado e Redes Telefônicas

Leia mais

Aula 4b Elementos da Infraestrutura

Aula 4b Elementos da Infraestrutura Aula 4b Elementos da Infraestrutura Prof. José Maurício S. Pinheiro 2010 1 Elementos de Infra-estrutura São utilizados em projetos de sistemas de cabeamento para estabelecer o tráfego de voz, dados e imagens,

Leia mais

Evolução na Comunicação de

Evolução na Comunicação de Evolução na Comunicação de Dados Invenção do telégrafo em 1838 Código Morse. 1º Telégrafo Código Morse Evolução na Comunicação de Dados A evolução da comunicação através de sinais elétricos deu origem

Leia mais

P R E F Á C I O. Direitos Autorais: Marcas:

P R E F Á C I O. Direitos Autorais: Marcas: P R E F Á C I O Este é um produto da marca GTS Network, que está sempre comprometida com o desenvolvimento de soluções inovadoras e de alta qualidade. Este manual descreve, objetivamente, como instalar

Leia mais

Transmissor de humidade para aplicações de clima crítico

Transmissor de humidade para aplicações de clima crítico ESPECIFICAÇÕES Ótimo conceito de ajuste graças ao ajuste de toda a cadeia de sinal incl. ajuste analógico Ethernet, relé e saídas analógicas permitem uma integração óptima em sistemas de automação individuais

Leia mais

GUIÃO TÉCNICO COMPACTADORES DE ASFALTO. www.construlink.com. Copyright 2003 - Construlink.com - Todos os direitos reservados.

GUIÃO TÉCNICO COMPACTADORES DE ASFALTO. www.construlink.com. Copyright 2003 - Construlink.com - Todos os direitos reservados. GUIÃO TÉCNICO COMPACTADORES DE ASFALTO FICHA TÉCNICA STET Nº 10 Nº de pág.s: 5 8 de Agosto de 2003 www.construlink.com COMPACTADORES DE ASFALTO CB-214D, CB-224D, CB-225D, CB-334D e CB-335D A família de

Leia mais

Técnicas de Interfaceamento de Sinais em Áreas Classificadas. Alexandre M. Carneiro

Técnicas de Interfaceamento de Sinais em Áreas Classificadas. Alexandre M. Carneiro Técnicas de Interfaceamento de Sinais em Áreas Classificadas Alexandre M. Carneiro Liderando aplicações Ex Experiência comprovada e de longo termo Certificação Internacional Grande variedade de produtos

Leia mais

Bastidores para fibra óptica

Bastidores para fibra óptica Apresentação A gama de armários para fibra óptica Olirack foi concebida para a instalação, protecção e isolamento de terminadores e repartidores ópticos. A fibra óptica é um filamento feito de vidro ou

Leia mais

QAS 55/85/105/140/170 ENERGIA PORTÁTIL

QAS 55/85/105/140/170 ENERGIA PORTÁTIL QAS 55/85/105/140/170 ENERGIA PORTÁTIL Os geradores QAS 55/85/105/140/170 operam em serviço contínuo em locais onde não existe eletricidade ou como unidade reserva nos casos em que se verifica uma interrupção

Leia mais

Nobreak. 160 e 300 kva. senoidal on-line trifásico PERFIL PROTEÇÕES

Nobreak. 160 e 300 kva. senoidal on-line trifásico PERFIL PROTEÇÕES Nobreak senoidal on-line trifásico dupla convers o 60 a 300 kva 60 kva de 80 a 120 kva 160 e 300 kva PERFIL Os nobreaks on-line de dupla conversão da linha Gran Triphases foram desenvolvidos com o que

Leia mais

Descritivo Técnico AirMux-400

Descritivo Técnico AirMux-400 Multiplexador Wireless Broadband Principais Características Rádio e Multiplexador wireless ponto-a-ponto com interface E1 e Ethernet; Opera na faixa de 2.3 a 2.5 Ghz e de 4.8 a 6 Ghz; Tecnologia do radio:

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO CFL125

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO CFL125 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DO CFL125 INTRODUÇÃO O CFL125 é um conversor de interface de fibra óptica para interface 10 baset ou 100 baset selecionando automaticamente visando conectar redes através

Leia mais

A excelência ao serviço do cliente

A excelência ao serviço do cliente A ENGIMAGNE A excelência ao serviço do cliente A ENGIMAGNE é uma resposta de excelência para as necessidades de empresas, instituições e particulares em tecnologias e soluções de engenharia, energia e

Leia mais

Universidade Técnica de Lisboa Instituto Superior Técnico. Guia de Laboratório de Gestão de Redes e Sistemas Dsitribuídos

Universidade Técnica de Lisboa Instituto Superior Técnico. Guia de Laboratório de Gestão de Redes e Sistemas Dsitribuídos Universidade Técnica de Lisboa Instituto Superior Técnico Guia de Laboratório de Gestão de Redes e Sistemas Dsitribuídos Teresa Maria Sá Ferreira Vazão Vasques LERCI LEIC Versão 3.0 Setembro de 2005 Conteúdo

Leia mais

Monitor de Temperatura M96

Monitor de Temperatura M96 ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura M96 foi desenvolvido para supervisionar até 8 (oito) canais de temperatura simultaneamente, ele é utilizado para proteger

Leia mais

ETHERNET INDUSTRIAL AMBIENTES AGRESSIVOS

ETHERNET INDUSTRIAL AMBIENTES AGRESSIVOS ETHERNET INDUSTRIAL AMBIENTES AGRESSIVOS AMBIENTES AGRESSIVOS A Ethernet está presente em ambientes terciários e industriais já há vários anos, essencialmente pelas aplicações de escritório e gestão. Mais

Leia mais

Cabeamento Estruturado. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Cabeamento Estruturado. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Cabeamento Estruturado Prof. Marciano dos Santos Dionizio Norma ANSI/EIA/TIA 568B Divide um sistema de cabeamento em subsistemas: 1. Facilidades de Entrada (pela NBR14565: Sala de Entrada de Telecomunicações

Leia mais

DETEÇÃO LOCAL DETEÇÃO LOCAL DE TROVOADAS

DETEÇÃO LOCAL DETEÇÃO LOCAL DE TROVOADAS DETEÇÃO LOCAL 32 1 DE TROVOADAS > Deteção de trovoadas, a quem diz respeito? > Normas, fases das trovoadas e classificação dos detetores > ATSTORM Detetor local de trovoadas por medição do campo electrostático

Leia mais

Soluções DataCenter Servidores

Soluções DataCenter Servidores Apresentação A gama de armários para DataCenter Olirack foi concebida para a instalação de equipamentos de telecomunicações e informáticos. Os espaços DataCenter são projectados para serem extremamente

Leia mais

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia.

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A EMPRESA A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A experiência da Future Technology nas diversas áreas de TI disponibiliza aos mercados público

Leia mais

CDP. Desumidificação de ar para piscinas

CDP. Desumidificação de ar para piscinas CDP Desumidificação de ar para piscinas Desumidificação eficiente para ambientes agressivos Em piscinas, spas, zonas de chuveiros a ginásios onde a humidade relativa é elevada e as condensações podem reduzir

Leia mais

Redes de Computadores. Cabeamento Estruturado

Redes de Computadores. Cabeamento Estruturado Redes de Computadores Ano 2002 Profª. Vívian Bastos Dias Aula 4 Propriedades desejadas de um sistema de cabeamento estruturado: Máxima independência na tecnologia de acessos a redes. Maior adequação à

Leia mais

HARTING News. Janeiro, 2004

HARTING News. Janeiro, 2004 Neste número: Novidades HARTING para conexões de potência. Han Q 7/0 Han Q 4/2 Han K 8/0 Han 48HPR Han-Power S As tendências em instalações industriais requerem que os sistemas de interconexão sejam mais

Leia mais

Apresentamos a AutoDome Easy A solução ideal para aplicações de média dimensão

Apresentamos a AutoDome Easy A solução ideal para aplicações de média dimensão Apresentamos a AutoDome Easy A solução ideal para aplicações de média dimensão A câmara PTZ concebida para uma aplicação perfeita Quando uma minidome fixa não é suficiente, e uma câmara PTZ tradicional

Leia mais

AM@DEUS Manual do Usuário

AM@DEUS Manual do Usuário 80 P R E F Á C I O Este é um produto da marca GTS Network, que está sempre comprometida com o desenvolvimento de soluções inovadoras e de alta qualidade. Este manual descreve, objetivamente, como instalar

Leia mais

Provedores de Internet

Provedores de Internet Fibra Óptica Meio Ideal para Backbones Fibra x Cobre Fibra x Cobre A Taxa de Transmissão no FTTH não é afetada pela distância do cliente até o equipamento da Central l(olt) Tecnologias sobre Cobre como

Leia mais

Topologias e abrangência das redes de computadores. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com

Topologias e abrangência das redes de computadores. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com Topologias e abrangência das redes de computadores Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com Objetivos Tornar os alunos capazes de reconhecer os tipos de topologias de redes de computadores assim como

Leia mais

Redes de Computadores. Sistemas de cablagem

Redes de Computadores. Sistemas de cablagem Redes de Computadores Sistemas de cablagem Sumário! Sistemas de cablagem: Normalização Estrutura Tipos de cablagem e comprimentos Dimensionamento Componentes 2 Sistemas de cablagem! Devem ser instalados

Leia mais