INCLUSÃO SOCIAL ATRAVÉS DAS OLIMPIADAS BRASILEIRAS DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS EM PATO BRANCO E MARIÓPOLIS. Introdução

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INCLUSÃO SOCIAL ATRAVÉS DAS OLIMPIADAS BRASILEIRAS DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS EM PATO BRANCO E MARIÓPOLIS. Introdução"

Transcrição

1 INCLUSÃO SOCIAL ATRAVÉS DAS OLIMPIADAS BRASILEIRAS DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS EM PATO BRANCO E MARIÓPOLIS C. A. F. Bortoli*, S. R.W. Sanguino B.** e J. Luchesi* *COMAT/UTFPR, Pato Branco, Brasil **COMAT/UTFPR, Pato Branco, Brasil Resumo O presente projeto visa promover a inclusão social de alunos das escolas brasileiras por meio das atividades das Olimpíadas Brasileiras de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). Essas atividades tiveram início em novembro de 2011 e continuaram durante o ano de 2012 e foram realizadas primeiramente com alunos do Colégio Estadual Cristo Rei na cidade de Pato Branco-PR e depois com alunos do Colégio Estadual Presidente Arthur da Costa e Silva no município de Mariópolis-PR. Palavras-chave: Olimpíadas de Matemática, colégio estadual, ensino, matemática. Abstract This project aims to promote social inclusion of pupils in schools in Brazil through the activities of Brazilian Mathematics Olympics Public Schools (OBMEP). These activities began in November 2011 and continued during the year 2012 and were conducted primarily with students from State College Cristo Rei in the city of Pato Branco, PR, and then with students from State College Presidente Arthur da Costa e Silva in the city of Mariópolis -PR. Keywords: Math Olympics, state college, teaching mathematics. Introdução O trabalho desenvolvido através das Olímpiadas de Matemática foi realizado com alunos do 6 ao 9 ano do Colégio Estadual Cristo Rei, sito a Rua Xavier da Silva, n 356, bairro Pinheirinho na cidade de Pato Branco- PR, com turmas dos níveis I e II, que são separados por anos: 6 e 7 ano, nível I e 8 e 9 ano, nível II. O projeto tem o objetivo de incluir as Olimpíadas Brasileiras de Matemática nas escolas públicas preparando os alunos para sua efetiva realização. Esta é dividida em duas fases: na primeira fase constam vinte questões de múltipla escolha e na segunda fase são seis questões descritivas. Só fazem esta última os alunos que tiveram um número considerável de acertos na primeira fase. Essas Olimpíadas tem por meta estimular o estudo da matemática e revelar talentos nesta área. O projeto que a priori teria início em setembro de 2011, iniciou-se no mês de novembro deste mesmo ano, por motivos

2 maiores. Com o projeto em andamento, o número de frequentadores que até então eram de sete alunos do nível I e de três do nível II caiu para quatro no nível I, devido ao término do ano letivo de 2011 que se aproximava e, além disso, os que não haviam passado para a segunda fase não se motivaram a continuar, uma vez que a preparação se destinava aos alunos da segunda fase. No início do ano letivo de 2012, por o espaço físico no colégio acima citado não ser totalmente adequado, o projeto precisou ser remanejado para o Colégio Estadual Presidente Arthur da Costa e Silva, situado na Alameda quatro, n 648, Centro, na cidade de Mariópolis-PR. Neste colégio as atividades tiveram início com dez alunos do nível I e seis alunos do nível II. No entanto, com o ano letivo em andamento, alguns alunos com déficit de aprendizagem precisaram optar pelas aulas de reforço, ficando assim, inviável a participação desses no projeto. Outros, porém, que são da zona rural e utilizam o transporte escolar não conseguiam retornar em tempo de frequentar as aulas, pois até chegarem as suas casas e voltarem ao ponto de ônibus o mesmo já havia passado. Por esses motivos aconteceram algumas desistências. Materiais e Métodos Com a disponibilização da sala de recursos do Colégio Estadual Cristo Rei, (Figura 1) o projeto implantado no ano de 2011, passou a desenvolver atividades a partir das provas dos anos anteriores da OBMEP, [1], juntamente com a inclusão de alguns desafios aos alunos, a fim de tornar as aulas mais atraentes. Também foram debatidos alguns assuntos de suas aulas regulares quando tinham dúvidas. Figura 1: Colégio Estadual Cristo Rei No Colégio Estadual Presidente Arthur da Costa e Silva (Figura 2), nas dependências da sala do CELEM (Centro de Línguas Estrangeiras Modernas) os métodos continuaram sendo os mesmos, com a inclusão do banco de questões de 2011, [2], e posteriormente com o banco de questões de 2012, [2].

3 Lages de Lima [3], e A Integral de Lebesgue de Luis Adauto de Medeiros e Eliel Amancio de Mello [4]. Nestes seminários foram abordados tópicos de Integral de Riemman e Integral de Lebesgue (esta última idealizada por F. Riesz). Figura 2: Colégio Estadual Presidente Arthur da Costa e Silva As questões vivenciadas no trabalho com os alunos participantes da OBMEP, tanto seus questionamentos como rendimento, durante a semana são debatidos com o professor orientador Santos Richard Wieller Sanguino Bejarano. Uma questão principal que estamos considerando é como motivar a participação maciça dos alunos no projeto de matemática. Seminário Formativo Na atividade de resolução das questões da OBMEP (Olimpíadas Brasileiras de Matemática das Escolas Públicas) percebeu-se que as mesmas proporcionavam um melhor desenvolvimento do raciocínio dedutivo e lógico matemático. Para complementar a formação matemática foram desenvolvidos seminários formativos coordenados pelo professor coorientador Jackson Luchesi, relacionados aos livros Análise Real de Elon Resultados e Discussões Após realizarmos algumas aulas no Colégio Estadual Cristo Rei percebeu-se que alguns alunos apresentavam certo desinteresse, pois o ano letivo estava acabando e os discentes que não passaram para a segunda fase não se motivaram a continuar, entretanto, os frequentadores assíduos tiveram um grande avanço. Com isso percebeu-se que os desistentes só começaram participar por curiosidade ou para não ficar em casa. Alguns pais se mostraram preocupados e procuraram os responsáveis para se informar sobre a situação do aprendizado do filho, demonstrando interesse nas aulas e que os filhos continuassem a participar. Apesar de a coordenação pedagógica incentivar o projeto, não foi possível dar continuidade, pois o colégio tinha uma estrutura física pequena para a demanda escolar. A coordenação lamentou e até pediu que futuramente o colégio fosse procurado para realizar novamente o projeto. Nota-se assim,

4 que esta se preocupa com a situação de seus alunos e procura reverter os índices. Dando continuidade ao projeto no Colégio Estadual Presidente Arthur da Costa e Silva, no primeiro dia das aulas preparatórias o número de alunos interessados era grande. Mas com o início do período letivo alguns alunos que apresentavam defasagem na aprendizagem precisaram frequentar as aulas de reforço oferecidas pelo colégio, (no ano anterior o número de reprovações no colégio foi considerável) e como a maioria dos interessados no projeto necessitavam de auxilio pedagógico, o número de frequentadores diminuiu muito porque este complemento era realizado no mesmo horário das aulas preparatórias para a OBMEP. Por esses motivos atualmente participam dois alunos do nível II e um do nível I, que passaram para a segunda fase, cuja prova se realizará no dia quinze de setembro de Como o número de alunos é pequeno, é possível fazer uma complementação dos conteúdos trabalhados em sala de aula, chegando até a proporcionar alguns desafios para estimular sua independência no conteúdo. A participação dos alunos no projeto é voluntária e, mesmo sabendo que não eram avaliados ou cobrados, eles se interessavam em resolver os questionamentos e, sempre que possível, tentavam relacionar os problemas estudados com o que estava ao seu alcance e realidade. Os participantes do nível I encontraram dificuldades para resolver atividades relacionadas à matemática básica, como por exemplo: operações de multiplicação e divisão, equações do primeiro grau e números racionais. Para os alunos do nível II as dificuldades eram as mesmas, porém com um agravante, a saber, a inclusão das equações do segundo grau, pois ainda não tinham claro o conceito matemático dos conteúdos anteriores. Um conteúdo matemático muito bem aceito pelos participantes diz respeito à geometria em geral, pois o seu entendimento pode ser relacionado concretamente ao seu cotidiano. Conclusão Ao término da primeira parte do projeto tanto no primeiro colégio como no segundo, percebeu-se que os alunos desenvolveram um maior apreço pela matemática, chegando a cogitar em ter a matemática como profissão. Claro que a abrangência do projeto na primeira fase não se deu como esperado, mas isso foi resultado da falha na matemática básica. Percebe-se que cada vez mais os alunos chegam ao 6 ano e seguintes sem saber as operações fundamentais de adição, subtração, multiplicação, divisão e muitos não sabem ler

5 ou não entendem o que leem e isto dificulta na compreensão, e consequentemente na resolução. O projeto é realizado com o intuito de preparar alunos do 6 ao 9 ano abrindo novos horizontes e proporcionando uma nova orientação para professores que observam o andamento e incentivam seus alunos a participarem das aulas, pois perceberam que o projeto oferece muitas oportunidades de aprimoramento. Quando os estudantes tem bons resultados nas Olimpíadas podem pleitear uma bolsa de estudos, aumentando o incentivo na busca de conhecimentos, além disso, se conscientizam de que a educação (através da matemática) promove a inclusão social. Considera-se que o projeto de extensão da UTFPR também deve promover aos alunos participantes do projeto que conheçam melhor sua instituição e realizem atividades na universidade como forma de motivar seu interesse pelo estudo e seguir uma carreira no ensino superior ou no técnico integrado. Isto pode ser um fator motivador para massificar a participação dos alunos em projetos similares. meu professor coorientador Jackson Luchesi. E por fim à Fundação Araucária/UTFPR por financiar esta bolsa e por possibilitar esta experiência de aprendizado. Referências [1] Provas e Soluções. Disponível em: < Acesso em: 01 nov [2] Banco de Questões. Disponível em: < Acesso em: 10 mar [3] Lima, E. L., Análise Real: Funções de uma Variável. 4 ed. Rio de Janeiro: IMPA, p. [4] Medeiros, L. A. J., Mello, E. A., Integral de Lebesgue. 6 ed. Rio de Janeiro: UFRJ. IM, p. Agradecimentos Agradeço primeiramente a Deus, e ao meu professor orientador Santos Richard Wieller Sanguino Bejarano pelo incentivo, pela motivação, pela ajuda e agradeço também ao

OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS (OBMEP): EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS A PARTIR DO PIBID UEPB MONTEIRO

OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS (OBMEP): EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS A PARTIR DO PIBID UEPB MONTEIRO OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS (OBMEP): EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS A PARTIR DO PIBID UEPB MONTEIRO Cícero Félix da Silva; Izailma Nunes de Lima; Ricardo Bandeira de Souza; Manoela

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PROJETO PIBID MATEMÁTICA NO COLÉGIO ESTADUAL CARLOS GOMES

RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PROJETO PIBID MATEMÁTICA NO COLÉGIO ESTADUAL CARLOS GOMES RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PROJETO PIBID MATEMÁTICA NO COLÉGIO ESTADUAL CARLOS GOMES Evandro Riva 1 Rafaela Pereira 2 Santos Richard Wieller Sanguino Bejarano 3 RESUMO: O presente artigo relata as experiências

Leia mais

TREINAMENTO PARA A 1ª FASE DA PROVA DA OBMEP: A E.B.M. PROFESSORA CLOTILDE RAMOS CHAVES

TREINAMENTO PARA A 1ª FASE DA PROVA DA OBMEP: A E.B.M. PROFESSORA CLOTILDE RAMOS CHAVES ISSN 2316-7785 TREINAMENTO PARA A 1ª FASE DA PROVA DA OBMEP: A E.B.M. PROFESSORA CLOTILDE RAMOS CHAVES Aline Sant Anna 1 licaolive@hotmail.com Filomena Teruko Tamashiro Arakaki 1 filoteko@hotmail.com Grasiella

Leia mais

OLIMPÍADAS DE CIÊNCIAS EXATAS: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO ENSINO PÚBLICO E PRIVADO

OLIMPÍADAS DE CIÊNCIAS EXATAS: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO ENSINO PÚBLICO E PRIVADO ISSN 2177-9139 OLIMPÍADAS DE CIÊNCIAS EXATAS: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO ENSINO PÚBLICO E PRIVADO André Martins Alvarenga - andrealvarenga@unipampa.edu.br Andressa Sanches Teixeira - andressaexatas2013@gmail.com

Leia mais

OLIMPIADAS DE MATEMÁTICA E O DESPERTAR PELO PRAZER DE ESTUDAR MATEMÁTICA

OLIMPIADAS DE MATEMÁTICA E O DESPERTAR PELO PRAZER DE ESTUDAR MATEMÁTICA OLIMPIADAS DE MATEMÁTICA E O DESPERTAR PELO PRAZER DE ESTUDAR MATEMÁTICA Luiz Cleber Soares Padilha Secretaria Municipal de Educação de Campo Grande lcspadilha@hotmail.com Resumo: Neste relato apresentaremos

Leia mais

MATERIAL CONCRETO NAS AULAS DO PIBID NO COLÉGIO ESTADUAL ARNALDO BUSATO - EFMNP

MATERIAL CONCRETO NAS AULAS DO PIBID NO COLÉGIO ESTADUAL ARNALDO BUSATO - EFMNP MATERIAL CONCRETO NAS AULAS DO PIBID NO COLÉGIO ESTADUAL ARNALDO BUSATO - EFMNP Deidson Vitório Kurpel 1 Jessica Bóschi 2 Santos Richard Wieller Sanguino Bejarano 3 Resumo Este artigo tem por finalidade

Leia mais

Jogos e Aprendizagem Matemática: A utilização de jogos com alunos do 6º ano do Ensino Fundamental

Jogos e Aprendizagem Matemática: A utilização de jogos com alunos do 6º ano do Ensino Fundamental Jogos e Aprendizagem Matemática: A utilização de jogos com alunos do 6º ano do Ensino Fundamental Camila Schimite Molero e-mail: ca_schi@hotmail.com Italo Gonçalves da Silva e-mail: igsilva423@gmail.com

Leia mais

PROJETO VIDA: O USO DA LUDICIDADE NA INCLUSÃO DIGITAL DE CRIANÇAS

PROJETO VIDA: O USO DA LUDICIDADE NA INCLUSÃO DIGITAL DE CRIANÇAS PROJETO VIDA: O USO DA LUDICIDADE NA INCLUSÃO DIGITAL DE CRIANÇAS L. do P. Cordoba*, J. H. Ribas* e S. de Almeida* *Departamento de Informática/UTFPR, Ponta Grossa,Brasil e-mail: laysecordoba@hotmail.com

Leia mais

PROJETO PIBID MATEMÁTICA NO COLÉGIO ESTADUAL ARNALDO FAIVRO BUSATTO: EXPOSIÇÃO DE JOGOS E DESAFIOS MATEMÁTICOS

PROJETO PIBID MATEMÁTICA NO COLÉGIO ESTADUAL ARNALDO FAIVRO BUSATTO: EXPOSIÇÃO DE JOGOS E DESAFIOS MATEMÁTICOS PROJETO PIBID MATEMÁTICA NO COLÉGIO ESTADUAL ARNALDO FAIVRO BUSATTO: EXPOSIÇÃO DE JOGOS E DESAFIOS MATEMÁTICOS Joel Tiago de Medeiros Tavares 1 Mônica Piotsckowski 2 Santos Richard Wieller Sanguino Bejarano

Leia mais

EXPERIÊNCIAS DO PROJETO EXPRESSÕES NUMÉRICAS E RADICIAÇÃO: UMA ABORDAGEM CONTEXTUALIZADA NA ESCOLA MARIA DO CARMO CARNEIRO.

EXPERIÊNCIAS DO PROJETO EXPRESSÕES NUMÉRICAS E RADICIAÇÃO: UMA ABORDAGEM CONTEXTUALIZADA NA ESCOLA MARIA DO CARMO CARNEIRO. EXPERIÊNCIAS DO PROJETO EXPRESSÕES NUMÉRICAS E RADICIAÇÃO: UMA ABORDAGEM CONTEXTUALIZADA NA ESCOLA MARIA DO CARMO CARNEIRO. Francisca Valdielle Gomes Silva Discente do Curso de Matemática da Universidade

Leia mais

A inserção de jogos e tecnologias no ensino da matemática

A inserção de jogos e tecnologias no ensino da matemática A inserção de jogos e tecnologias no ensino da matemática Michel da Silva Machado e-mail: michel_nick25@hotmail.com Isaque Rodrigues e-mail: isaque.max@hotmail.com Márcia Marinho do Nascimento Mello e-mail:

Leia mais

PIMI: PROGRAMA DE INICIAÇÃO A MATEMÁTICA NAS REDES ESTADUAL E MUNICIPAL

PIMI: PROGRAMA DE INICIAÇÃO A MATEMÁTICA NAS REDES ESTADUAL E MUNICIPAL PIMI: PROGRAMA DE INICIAÇÃO A MATEMÁTICA NAS REDES ESTADUAL E MUNICIPAL Carlos Argolo Pereira Alves 1 José Monteiro de Lemos Neto 2 Josias Alves Rocha Junior 3 Pedro Henrique Silva de Almeida 4 Resumo

Leia mais

DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA: UM DIAGNÓSTICO REALIZADO PELO PIBID

DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA: UM DIAGNÓSTICO REALIZADO PELO PIBID ISSN 2316-7785 DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA: UM DIAGNÓSTICO REALIZADO PELO PIBID Charles Peixoto Mafalda Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões charles1995peixoto@hotmail.com

Leia mais

O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO COLÉGIO SÃO JOÃO BATISTA, CEDRO-CE

O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO COLÉGIO SÃO JOÃO BATISTA, CEDRO-CE O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO COLÉGIO SÃO JOÃO BATISTA, CEDRO-CE ¹C. J. F. Souza (ID); ¹M. Y. S. Costa (ID); ²A. M. Macêdo (CA)

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE JOGOS PARA APRENDIZAGEM DAS QUATRO OPERAÇÕES

A UTILIZAÇÃO DE JOGOS PARA APRENDIZAGEM DAS QUATRO OPERAÇÕES A UTILIZAÇÃO DE JOGOS PARA APRENDIZAGEM DAS QUATRO OPERAÇÕES Edymara Prado Ximenes Monte (Aluna de Graduação do Curso de Matemática da UVA); Renata de Vasconcelos Fonteles (Aluna de Graduação do Curso

Leia mais

EXPLORANDO O ÍNDICE DE MASSA CORPORAL POR MEIO DA MODELAGEM MATEMÁTICA

EXPLORANDO O ÍNDICE DE MASSA CORPORAL POR MEIO DA MODELAGEM MATEMÁTICA ISSN 2177-9139 EXPLORANDO O ÍNDICE DE MASSA CORPORAL POR MEIO DA MODELAGEM MATEMÁTICA. Caroline Conrado Pereira 1 caroline_conrado@ymail.com Centro Universitário Franciscano, Rua Silva Jardim, 1175 Santa

Leia mais

POR QUE INVERTER O SINAL DA DESIGUALDADE EM UMA INEQUAÇÃO? GT 02 Educação matemática no ensino médio e ensino superior.

POR QUE INVERTER O SINAL DA DESIGUALDADE EM UMA INEQUAÇÃO? GT 02 Educação matemática no ensino médio e ensino superior. POR QUE INVERTER O SINAL DA DESIGUALDADE EM UMA INEQUAÇÃO? GT 02 Educação matemática no ensino médio e ensino superior. Bruno Marques Collares, UFRGS, collares.bruno@hotmail.com Diego Fontoura Lima, UFRGS,

Leia mais

VAI E VEM DAS EQUAÇÕES: UMA EXPERIÊNCIA NO ENSINO FUNDAMENTAL

VAI E VEM DAS EQUAÇÕES: UMA EXPERIÊNCIA NO ENSINO FUNDAMENTAL VAI E VEM DAS EQUAÇÕES: UMA EXPERIÊNCIA NO ENSINO FUNDAMENTAL Tanise Coppetti Universidade Federal de Santa Maria tani_coppetti@hotmail.com Resumo: Este trabalho apresenta uma atividade a respeito de equações

Leia mais

Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral

Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral III Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação PUCRS Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral Marcelo Cavasotto, Prof.ª Dra. Ruth Portanova (orientadora) Mestrado em Educação

Leia mais

GEOMETRIA NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA COM UM PROJETO DE EXTENSÃO

GEOMETRIA NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA COM UM PROJETO DE EXTENSÃO GEOMETRIA NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA COM UM PROJETO DE EXTENSÃO André Luís Mattedi Dias mattedi@uefs.br Jamerson dos Santos Pereira pereirajamerson@hotmail.com Jany Santos Souza Goulart janymsdesenho@yahoo.com.br

Leia mais

Palavras-chave: Matemática; Olimpíadas; PIBID. INTRODUÇÃO

Palavras-chave: Matemática; Olimpíadas; PIBID. INTRODUÇÃO OLIMPÍADAS DE MATEMÁTICA: AÇÕES ENTRE PIBID E EMEB JARDIM PARAÍSO Gessica Lisbôa 1 (gssclisboa@hotmail.com) Michelly Trivilin de Morais 2 (michellytrivilin@hotmail.com) Rafael Camilo Custódio Arias 3 (fael_camilo@hotmail.com)

Leia mais

Reflexão das Monitorias de Química Oferecida pelo Projeto PIBID nas Escolas de Pelotas

Reflexão das Monitorias de Química Oferecida pelo Projeto PIBID nas Escolas de Pelotas Reflexão das Monitorias de Química Oferecida pelo Projeto PIBID nas Escolas de Pelotas Eduardo Vargas Pereira (IC) 1*, Diego Soares de Moura (IC) 1, Caroline Pereira Dutra (IC) 1, Roberta Almeida dos Santos

Leia mais

O ALUNO CEGO NO CONTEXTO DA INCLUSÃO ESCOLAR: OS DESAFIOS NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA RESUMO

O ALUNO CEGO NO CONTEXTO DA INCLUSÃO ESCOLAR: OS DESAFIOS NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA RESUMO O ALUNO CEGO NO CONTEXTO DA INCLUSÃO ESCOLAR: OS DESAFIOS NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA RESUMO Edinéia Terezinha de Jesus Miranda PPGEC - UNESP/Bauru Neia.terezinha@gmail.com Nesse

Leia mais

Palavras-chave: Educação Matemática; Avaliação; Formação de professores; Pró- Matemática.

Palavras-chave: Educação Matemática; Avaliação; Formação de professores; Pró- Matemática. PRÓ-MATEMÁTICA 2012: UM EPISÓDIO DE AVALIAÇÃO Edilaine Regina dos Santos 1 Universidade Estadual de Londrina edilaine.santos@yahoo.com.br Rodrigo Camarinho de Oliveira 2 Universidade Estadual de Londrina

Leia mais

APLICAÇÃO DE BINGO DE EXPRESSÕES PARA INCENTIVO DO APRENDIZADO DA MATEMÁTICA

APLICAÇÃO DE BINGO DE EXPRESSÕES PARA INCENTIVO DO APRENDIZADO DA MATEMÁTICA APLICAÇÃO DE BINGO DE EXPRESSÕES PARA INCENTIVO DO APRENDIZADO DA MATEMÁTICA Arine de Paiva Gonçalves 1 Cássio Costa Rodrigues 2, Liliane Martinez Antonow 3 1 If Sudeste MG Câmpus Rio Pomba/ DEMAF, arine.paiva@hotmail.com

Leia mais

A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO ENSINO DAS PROPRIEDADES DE POTÊNCIAS

A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO ENSINO DAS PROPRIEDADES DE POTÊNCIAS A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO ENSINO DAS PROPRIEDADES DE POTÊNCIAS Felipe de Almeida Duarte Bolsista PIBID 1 - UTFPR Campus Cornélio Procópio felipeaduart@hotmail.com Marila Torres de Aguiar Bolsista PIBID¹

Leia mais

Jardim Helena São Miguel Paulista PROJETO DE REGÊNCIA EM TURMAS DO ENSINO MÉDIO RECUPERAÇÃO PARALELA.

Jardim Helena São Miguel Paulista PROJETO DE REGÊNCIA EM TURMAS DO ENSINO MÉDIO RECUPERAÇÃO PARALELA. De acordo com às determinações constantes do Plano de Estágio Supervisionado, submeto à apreciação de V.Sª o plano de aula que foram desenvolvidas no Estágio de Licenciatura em Matemática no período de

Leia mais

DA TEORIA À PRÁTICA: UMA ANÁLISE DIALÉTICA

DA TEORIA À PRÁTICA: UMA ANÁLISE DIALÉTICA DA TEORIA À PRÁTICA: UMA ANÁLISE DIALÉTICA JURUMENHA, Lindelma Taveira Ribeiro. 1 Universidade Regional do Cariri URCA lindelmafisica@gmail.com FERNANDES, Manuel José Pina 2 Universidade Regional do Cariri

Leia mais

A construção de um espaço artístico extracurricular dentro da escola pública

A construção de um espaço artístico extracurricular dentro da escola pública Anais do I Seminário PIBID/FPA 2014. FPA. Vol I, nº 1. São Paulo, 2014. 1 A construção de um espaço artístico extracurricular dentro da escola pública Uma proposta pedagógica de ensino de artes visuais

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

TUX MATH - JOGO EDUCATIVO DE ARITMÉTICA: Cálculo Mental Aperfeiçoamento da tabuada

TUX MATH - JOGO EDUCATIVO DE ARITMÉTICA: Cálculo Mental Aperfeiçoamento da tabuada Diretor: Vili Marcos Tognon Diretor Adjunto: Mateus Soares Júnior Coordenadoras Pedagógicas: Eliane de Fátima Salvati Marcia Maria Garcia de Souza Bordignon Simone da Silva Ferreira Coordenadora de Língua

Leia mais

Palavras-chave: Projeto de ensino; reprovação em Matemática; monitoria.

Palavras-chave: Projeto de ensino; reprovação em Matemática; monitoria. REPROVAÇÃO EM MATEMÁTICA NO ENSINO SUPERIOR: UMA TENTATIVA DE REDUZIR OS ALTOS ÍNDICES Profa. Dra. Camila Pinto da Costa Universidade Federal de Pelotas camila.ufpel@gmail.com Profa. Dra. Rejane Pergher

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO CURSO DE NIVELAMENTO EM MATEMÁTICA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO CURSO DE NIVELAMENTO EM MATEMÁTICA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA ISSN 2177-9139 AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO CURSO DE NIVELAMENTO EM MATEMÁTICA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA Gerusa Camargo Rodrigues gerusa.cr@gmail.com Ana Maria Zornitta de Alencar ana.zornitta@gmail.com

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID RELATÓRIO DE ATIVIDADES DO ALUNO BOLSISTA SUBPROJETO DE 2011. 2 Semestre de 2011

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID RELATÓRIO DE ATIVIDADES DO ALUNO BOLSISTA SUBPROJETO DE 2011. 2 Semestre de 2011 Ministério da Educação Secretaria de Educação Média e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE NIVELAMENTO. Curso: Bacharelado em Administração de Empresas

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE NIVELAMENTO. Curso: Bacharelado em Administração de Empresas PROGRAMA INSTITUCIONAL DE NIVELAMENTO Curso: Bacharelado em Administração de Empresas São Paulo 2014 Conteúdo 1. Introdução... 3 2. Objetivos... 3 3. Política de Nivelamento... 3 4. Diretrizes do Nivelamento...

Leia mais

PIBID: DESCOBRINDO METODOLOGIAS DE ENSINO E RECURSOS DIDÁTICOS QUE PODEM FACILITAR O ENSINO DA MATEMÁTICA

PIBID: DESCOBRINDO METODOLOGIAS DE ENSINO E RECURSOS DIDÁTICOS QUE PODEM FACILITAR O ENSINO DA MATEMÁTICA PIBID: DESCOBRINDO METODOLOGIAS DE ENSINO E RECURSOS DIDÁTICOS QUE PODEM FACILITAR O ENSINO DA MATEMÁTICA Naiane Novaes Nogueira 1 Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia UESB n_n_nai@hotmail.com José

Leia mais

JOGOS DIDÁTICOS: ORIENTANDO SOBRE O USO DE DROGAS

JOGOS DIDÁTICOS: ORIENTANDO SOBRE O USO DE DROGAS JOGOS DIDÁTICOS: ORIENTANDO SOBRE O USO DE DROGAS Geicielem Alves Duarte¹; Simone Ceccon²; Daniella Schluchting Silva³; UFGD/FCBA- Caixa Postal 322, 79825-480 Dourados MS; E-mail: geiceduarte94@gmail.com.

Leia mais

PROJETO MÃO DUPLA TRABALHO COOPERATIVO INTRAESCOLAR

PROJETO MÃO DUPLA TRABALHO COOPERATIVO INTRAESCOLAR PROJETO MÃO DUPLA TRABALHO COOPERATIVO INTRAESCOLAR I.INTRODUÇÃO: Vivemos em uma época de transformações, de avanços tecnológicos, onde as telecomunicações encurtam as distâncias e provocam novas formas

Leia mais

O DESAFIO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM PATOS, PARAÍBA: A PROFICIÊNCIA DOS ALUNOS DE ESCOLAS PÚBLICAS DE PATOS

O DESAFIO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM PATOS, PARAÍBA: A PROFICIÊNCIA DOS ALUNOS DE ESCOLAS PÚBLICAS DE PATOS O DESAFIO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM PATOS, PARAÍBA: A PROFICIÊNCIA DOS ALUNOS DE ESCOLAS PÚBLICAS DE PATOS Davi Argemiro Henrique Cardoso de Oliveira e-mail: davicardosod@gmail.com Francione Gomes Silva

Leia mais

Matemática básica para o curso de Automação Industrial: um estudo de caso da Faculdade de Tecnologia de Catanduva

Matemática básica para o curso de Automação Industrial: um estudo de caso da Faculdade de Tecnologia de Catanduva Matemática básica para o curso de Automação Industrial: um estudo de caso da Faculdade de Tecnologia de Catanduva Rosemeire Bressan Resumo A Matemática considerada base do curso de Automação Industrial

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE A PRODUÇÃO DE SIGNIFICADO NA MATEMÁTICA ESCOLAR

REFLEXÕES SOBRE A PRODUÇÃO DE SIGNIFICADO NA MATEMÁTICA ESCOLAR REFLEXÕES SOBRE A PRODUÇÃO DE SIGNIFICADO NA MATEMÁTICA ESCOLAR Patrícia Lima da Silva¹ Brunna Sordi Stock² RESUMO No segundo semestre do ano de 2009, em uma das disciplinas obrigatórias do currículo de

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA ADAPTADA: UM ENFOQUE NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

EDUCAÇÃO FÍSICA ADAPTADA: UM ENFOQUE NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCAÇÃO FÍSICA ADAPTADA: UM ENFOQUE NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES CAMARGO, Victor Discente da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva ZUTTIN, Fabiana Docente da Faculdade de Ciências Sociais

Leia mais

Resumo. Palavras-chave: Matemática; Geometria; Aulas Investigativas. Introdução

Resumo. Palavras-chave: Matemática; Geometria; Aulas Investigativas. Introdução III Seminário sobre Educação Matemática A desigualdade triangular em diferentes mídias Paulo César da Penha pcpenha@terra.com.br GRUCOGEO/USF/ Secretaria da Educação de Itatiba-SP Resumo O relato de experiência

Leia mais

ANÁLISE DOS ERROS NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE EQUAÇÕES DO 1º GRAU DOS ALUNOS DA 6ª SÉRIE

ANÁLISE DOS ERROS NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE EQUAÇÕES DO 1º GRAU DOS ALUNOS DA 6ª SÉRIE ANÁLISE DOS ERROS NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE EQUAÇÕES DO 1º GRAU DOS ALUNOS DA 6ª SÉRIE Adriane Trindade Lopes Universidade do Estado do Pará adriane_lopes18@yahoo.com.br Gleida Tayanna Conde de Sousa

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu.

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu. ISSN 2316-7785 A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu.br Resumo O artigo é resultado da análise de

Leia mais

COMPOSTAGEM: um terreno fértil para a consciência ambiental.

COMPOSTAGEM: um terreno fértil para a consciência ambiental. COMPOSTAGEM: um terreno fértil para a consciência ambiental. PANZENHAGEN, Liane Margarete 1, VALE, Giovane Maia 2 ; MOREIRA, Ilson 3. Palavras-chave: composteira, meio ambiente, comunidade escolar. Introdução

Leia mais

UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE AS DIFICULDADES DOS ALUNOS DAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO MÉDIO ENVOLVENDO FRAÇÕES

UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE AS DIFICULDADES DOS ALUNOS DAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO MÉDIO ENVOLVENDO FRAÇÕES UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE AS DIFICULDADES DOS ALUNOS DAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO MÉDIO ENVOLVENDO FRAÇÕES Taciany da Silva Pereira¹, Nora Olinda Cabrera Zúñiga² ¹Universidade Federal de Minas Gerais / Departamento

Leia mais

EXPERIENCIAS NO PROJETO PIBID MATEMÁTICA 2011

EXPERIENCIAS NO PROJETO PIBID MATEMÁTICA 2011 EXPERIENCIAS NO PROJETO PIBID MATEMÁTICA 2011 Letícia Liceski Universidade Federal do Paraná leticialiceski@yahoo.com.br Luana Ciriaco da Luz Universidade Federal do Paraná luh.ciriaco@gmail.com Scarlett

Leia mais

Título: Nomes dos Autor: e-mail: Orientador: Introdução: Objetivo: Metodologia:

Título: Nomes dos Autor: e-mail: Orientador: Introdução: Objetivo: Metodologia: Título: As Olimpíadas de Matemática como Estímulo no Ensino Aprendizagem nas Escolas Públicas Nomes dos Autor: Cléber Soares Viana. e-mail: csoaresviana@bol.com.br Orientador: Sebastião Martins Siqueira

Leia mais

LETRAMENTO MATEMÁTICO DE ALUNOS COM BAIXO DESEMPENHO POR MEIO DE REFORÇO ESCOLAR. Palavras-chave: Letramento Matemático; Reforço Escolar; SAERJINHO.

LETRAMENTO MATEMÁTICO DE ALUNOS COM BAIXO DESEMPENHO POR MEIO DE REFORÇO ESCOLAR. Palavras-chave: Letramento Matemático; Reforço Escolar; SAERJINHO. LETRAMENTO MATEMÁTICO DE ALUNOS COM BAIXO DESEMPENHO POR MEIO DE REFORÇO ESCOLAR Agnaldo da Conceição Esquincalha PUC-SP/PUC-Rio/Fundação CECIERJ aesquincalha@gmail.com Resumo: Neste texto elenca-se um

Leia mais

CONTEÚDOS DE GEOMETRIA NAS AVALIAÇÕES DA APRENDIZAGEM NO COLÉGIO ESTADUAL DO PARANÁ, NAS DÉCADAS DE 60 E 70.

CONTEÚDOS DE GEOMETRIA NAS AVALIAÇÕES DA APRENDIZAGEM NO COLÉGIO ESTADUAL DO PARANÁ, NAS DÉCADAS DE 60 E 70. CONTEÚDOS DE GEOMETRIA NAS AVALIAÇÕES DA APRENDIZAGEM NO COLÉGIO ESTADUAL DO PARANÁ, NAS DÉCADAS DE 60 E 70. Ana Célia da Costa Ferreira Resumo: A cada ano, educadores matemáticos tentam encontrar soluções

Leia mais

Estratégias de e-learning no Ensino Superior

Estratégias de e-learning no Ensino Superior Estratégias de e-learning no Ensino Superior Sanmya Feitosa Tajra Mestre em Educação (Currículo)/PUC-SP Professora de Novas Tecnologias da Anhanguera Educacional (Jacareí) RESUMO Apresentar e refletir

Leia mais

PROJETO PIBID JOGO DO LUDO. Palavras chave: Jogo do Ludo. Educação Infantil. Matemática na Educação Infantil.

PROJETO PIBID JOGO DO LUDO. Palavras chave: Jogo do Ludo. Educação Infantil. Matemática na Educação Infantil. PROJETO PIBID JOGO DO LUDO Ana Paula do Valle 1 Kamylla Canalli 2 Lucilene Paixão 3 Neila Tonin Agranionih 4 Resumo: Este artigo tem como objetivo apresentar o desenvolvimento da sequência didática Jogo

Leia mais

USO DE DINÂMICAS DE GRUPOS COMO FERRAMENTA FACILITADORA DE APRENDIZAGEM DURANTE A OFICINA MULTIDISCIPLINAR EM ENGENHARIA

USO DE DINÂMICAS DE GRUPOS COMO FERRAMENTA FACILITADORA DE APRENDIZAGEM DURANTE A OFICINA MULTIDISCIPLINAR EM ENGENHARIA 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( x ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA USO DE DINÂMICAS

Leia mais

O USO DO SOFTWARE MATHEMATICA PARA O ENSINO DE CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL

O USO DO SOFTWARE MATHEMATICA PARA O ENSINO DE CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL O USO DO SOFTWARE MATHEMATICA PARA O ENSINO DE CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL Edward Luis de Araújo edward@pontal.ufu.br Evaneide Alves Carneiro eva@pontal.ufu.br Germano Abud de Rezende germano@pontal.ufu.br

Leia mais

JORNAL DE MATEMÁTICA Uma experiência de estágio

JORNAL DE MATEMÁTICA Uma experiência de estágio JORNAL DE MATEMÁTICA Uma experiência de estágio Darcy de Liz Biffi (Prof.ª de Prática de Ensino e Supervisora de Estágio), darcy@uniplac.net; Lisiane Lazari Armiliato; Naira Girotto (Estagiárias da 7ª

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado o Regulamento de Projeto Integrador do Curso Superior de Tecnologia em Logística da FAE Blumenau.

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado o Regulamento de Projeto Integrador do Curso Superior de Tecnologia em Logística da FAE Blumenau. RESOLUÇÃO CSA N.º 12/2010 APROVA O REGULAMENTO DE PROJETO INTEGRADOR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA DA FAE BLUMENAU. O Presidente do Conselho Superior de Administração CSA, no uso das atribuições

Leia mais

UMA PROPOSTA DE ENSINO DA PROBABILIDADE A PARTIR DO MÉTODO DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS E DA LUDICIDADE EM SALA DE AULA

UMA PROPOSTA DE ENSINO DA PROBABILIDADE A PARTIR DO MÉTODO DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS E DA LUDICIDADE EM SALA DE AULA UMA PROPOSTA DE ENSINO DA PROBABILIDADE A PARTIR DO MÉTODO DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS E DA LUDICIDADE EM SALA DE AULA RESUMO José Jorge de Sousa; Francisco Aureliano Vidal Instituto Federal de Educação,

Leia mais

Ensino de Programação nas Escolas Públicas: Criando. Novos Gênios

Ensino de Programação nas Escolas Públicas: Criando. Novos Gênios Ensino de Programação nas Escolas Públicas: Criando Novos Gênios BELIZARIO, B. N; AFONSO JUNIOR, O. P; OLIVEIRA, J. V. S; 1 Ensino de Programação nas Escolas Públicas: Criando Novos Gênios Orlando Pereira

Leia mais

A utilização de jogos no ensino da Matemática no Ensino Médio

A utilização de jogos no ensino da Matemática no Ensino Médio A utilização de jogos no ensino da Matemática no Ensino Médio Afonso Henrique Leonardo da Conceição e-mail: afonso.conceicao_dc@hotmail.com Tatiane Cristina Camargo e-mail: tatianecamargo.ferreira@gmail.com

Leia mais

EM RITMO DE TABUADA: A MIDIA MUSICAL COMO ESTRATÉGIA PARA ENVOLVER ESTUDANTES À ESCOLA E AO APRENDIZADO DA MATEMÁTICA

EM RITMO DE TABUADA: A MIDIA MUSICAL COMO ESTRATÉGIA PARA ENVOLVER ESTUDANTES À ESCOLA E AO APRENDIZADO DA MATEMÁTICA EM RITMO DE TABUADA: A MIDIA MUSICAL COMO ESTRATÉGIA PARA ENVOLVER ESTUDANTES À ESCOLA E AO APRENDIZADO DA MATEMÁTICA Marisa Aguetoni Fontes, Universidade de Lisboa / Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA & TECNOLOGIA: POSSIBILIDADES E DESAFIOS. BIEMBENGUT, Maria Salett- Universidade Regional de Blumenau - salett@furb.

MODELAGEM MATEMÁTICA & TECNOLOGIA: POSSIBILIDADES E DESAFIOS. BIEMBENGUT, Maria Salett- Universidade Regional de Blumenau - salett@furb. MODELAGEM MATEMÁTICA & TECNOLOGIA: POSSIBILIDADES E DESAFIOS BIEMBENGUT, Maria Salett- Universidade Regional de Blumenau - salett@furb.br SANTOS, Selma dos Universidade Regional de Blumenau - selmasantos@senai-sc.ind.br

Leia mais

A TUTORIA PRESENCIAL EM APARECIDA DE GOIÂNIA

A TUTORIA PRESENCIAL EM APARECIDA DE GOIÂNIA A TUTORIA PRESENCIAL EM APARECIDA DE GOIÂNIA Larissa Santos Pereira, larissasantos.bio@gmail.com, CEPAE/UFG 1 Alessandra R. Astrol de Araujo, aleastrol@gmail.com, CEPAE/UFG 2 Resumo Este artigo descreve

Leia mais

Neste contexto, destacamos as ações desenvolvidas durante o ano letivo em seus respectivos meses. MARÇO:

Neste contexto, destacamos as ações desenvolvidas durante o ano letivo em seus respectivos meses. MARÇO: Relatório O brincando se Aprende Um Projeto Socioeducativo foi criado e aplicado como uma nova metodologia, para despertar o interesse dos alunos do Ensino Médio pelas atividades matemáticas e de linguagens,

Leia mais

Projetos de informatização educacional. Ketiuce Ferreira Silva 3º Período G1 Professora: Gilca

Projetos de informatização educacional. Ketiuce Ferreira Silva 3º Período G1 Professora: Gilca Projetos de informatização educacional Ketiuce Ferreira Silva 3º Período G1 Professora: Gilca O uso do computador como instrumento de educação ainda não é uma realidade para muitos no Brasil, mas aqui

Leia mais

Bolsistas: Fabiana Reczko, Fernanda Menegotto, Jéssica Tumelero e Maiara Ghiggi

Bolsistas: Fabiana Reczko, Fernanda Menegotto, Jéssica Tumelero e Maiara Ghiggi COLÉGIO ESTADUAL VISCONDE DE BOM RETIRO Plano de aula 1 março de 2015 Atividades para 1º ano do ensino médio Bolsistas: Fabiana Reczko, Fernanda Menegotto, Jéssica Tumelero e Maiara Ghiggi Supervisora:

Leia mais

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO José da Silva de Lima¹; José Rodolfo Neves da Silva²; Renally Gonçalves da Silva³; Alessandro Frederico da Silveira

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O APERFEIÇOAMENTO DA PRÁTICA DOCENTE: INOVAÇÕES NO AMBIENTE ESCOLAR

CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O APERFEIÇOAMENTO DA PRÁTICA DOCENTE: INOVAÇÕES NO AMBIENTE ESCOLAR ISSN 2316-7785 CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O APERFEIÇOAMENTO DA PRÁTICA DOCENTE: INOVAÇÕES NO AMBIENTE ESCOLAR Gabriela Dutra Rodrigues Conrado Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA gabrielapof@hotmail.com

Leia mais

Capacitación de docentes en el uso de las nuevas tecnologías. Márcia Campos (marciac@fortalnet.com.br ), Hermínio Borges Neto

Capacitación de docentes en el uso de las nuevas tecnologías. Márcia Campos (marciac@fortalnet.com.br ), Hermínio Borges Neto 1. TÍTULO: QUE RECURSOS PODEM CONTRIBURIR PARA OTIMIZAR A APRENDIZAGEM EM UM AMBIENTE VIRTUAL? 1 2. ÁREA TEMÁTICA Capacitación de docentes en el uso de las nuevas tecnologías 3. AUTORES Márcia Campos (marciac@fortalnet.com.br

Leia mais

PROFESSOR DE MATEMÁTICA E EDUCADOR ESPECIAL: UM PASSO PARA INCLUSÃO

PROFESSOR DE MATEMÁTICA E EDUCADOR ESPECIAL: UM PASSO PARA INCLUSÃO ISSN 2316-7785 PROFESSOR DE MATEMÁTICA E EDUCADOR ESPECIAL: UM PASSO PARA INCLUSÃO RESUMO Karen Rodrigues Copello Universidade Federal de Santa Maria karen_keruso@hotmail.com Debora Silvana Soares Universidade

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DA DISCIPLINA SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO NO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DA FE/UNESP/BAURU

IMPLEMENTAÇÃO DA DISCIPLINA SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO NO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DA FE/UNESP/BAURU IMPLEMENTAÇÃO DA DISCIPLINA SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO NO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DA FE/UNESP/BAURU Naasson Pereira de Alcântara Junior naasson@feb.unesp.br Universidade Estadual Paulista-Unesp, Faculdade

Leia mais

DIFICULDADES NA APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NA ESCOLA OSVALDO DA COSTA E SILVA: ALGUMAS CAUSAS E POSSÍVESIS SOLUÇÕES

DIFICULDADES NA APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NA ESCOLA OSVALDO DA COSTA E SILVA: ALGUMAS CAUSAS E POSSÍVESIS SOLUÇÕES DIFICULDADES NA APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NA ESCOLA OSVALDO DA COSTA E SILVA: ALGUMAS CAUSAS E POSSÍVESIS SOLUÇÕES Rogério Sousa AZEVEDO (1); Iara M Cavalcante NOLETO (2) (1 e 2) Instituto Federal de

Leia mais

O USO DAS REDES SOCIAIS NO ENSINO FUNDAMENTAL COMO AUXILIO AS METODOLOGIAS DE ENSINO

O USO DAS REDES SOCIAIS NO ENSINO FUNDAMENTAL COMO AUXILIO AS METODOLOGIAS DE ENSINO ISSN 2316-7785 O USO DAS REDES SOCIAIS NO ENSINO FUNDAMENTAL COMO AUXILIO AS METODOLOGIAS DE ENSINO Gabriel Souza Germann da Silva Universidade Federal de Pelotas germann.gabriel.mat@gmail.com Antônio

Leia mais

O USO DO SOFTWARE EM SALA DE AULA

O USO DO SOFTWARE EM SALA DE AULA 1 O USO DO SOFTWARE EM SALA DE AULA Flavio Lemos da Silva. flavio_lemos18@hotmail.com Daniella Nunes Santos danii.nunes14@hotmail.com Luan Alves Ferreira luan.aragominas@gmail.com Camila Luciana Bonfim

Leia mais

O ENSINO DE MATEMÁTICA PARA ALUNOS COM DIFICULDADE DE APRENDIZADO - SISTEMA DE APRENDIZAGEM MÚTUO UNIFICADO

O ENSINO DE MATEMÁTICA PARA ALUNOS COM DIFICULDADE DE APRENDIZADO - SISTEMA DE APRENDIZAGEM MÚTUO UNIFICADO O ENSINO DE MATEMÁTICA PARA ALUNOS COM DIFICULDADE DE APRENDIZADO - SISTEMA DE APRENDIZAGEM MÚTUO UNIFICADO MASSILÂNIA BEZERRA DE OLIVEIRA 1, CAIO ALVES DE MOURA 1, CAIQUE AUGUSTO CAMARGO DE ANDRADE 1,

Leia mais

O USO DO TANGRAM COMO QUEBRA-CABEÇA PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA SOBRE MULTIPLICAÇÃO DE POLINÔMIOS

O USO DO TANGRAM COMO QUEBRA-CABEÇA PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA SOBRE MULTIPLICAÇÃO DE POLINÔMIOS ISSN 2177-9139 O USO DO TANGRAM COMO QUEBRA-CABEÇA PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA SOBRE MULTIPLICAÇÃO DE POLINÔMIOS Morgana Fernandes da Silva 1 morganaf60@gmail.com Faculdades Integradas de Taquara,

Leia mais

A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID

A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID Victor Silva de ARAÚJO Universidade Estadual da Paraiba sr.victorsa@gmail.com INTRODUÇÃO A monitoria é uma modalidade

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA IVINHEMA MS MAIO DE 2010 ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR

Leia mais

MBA MARKETING DE SERVIÇOS. Turma 19. Curso em Ambiente Virtual

MBA MARKETING DE SERVIÇOS. Turma 19. Curso em Ambiente Virtual MBA MARKETING DE SERVIÇOS Turma 19 Curso em Ambiente Virtual São Paulo, 1 de Setembro de 2011 1. Apresentação O MBA em Marketing de Serviços, coordenado pelos Professores Marcos Cortez Campomar e Geraldo

Leia mais

A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: ANÁLISE DA COMPREENSÃO DO CONCEITO DE M.D.C. (MÁXIMO DIVISOR COMUM)

A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: ANÁLISE DA COMPREENSÃO DO CONCEITO DE M.D.C. (MÁXIMO DIVISOR COMUM) A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: ANÁLISE DA COMPREENSÃO DO CONCEITO DE M.D.C. (MÁXIMO DIVISOR COMUM) Angelo Pedrote Caon 1 Tânia da Silveira Cardona 2 Resumo 1 UFJF/Instituto de Ciências

Leia mais

PROVA BRASIL E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS

PROVA BRASIL E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PROVA BRASIL E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS Josiane Bernz Siqueira (FURB) 1 professoramat_josiane@hotmail.com Ana Paula Poffo (FURB) 2 annapaulapoffo@hotmail.com Jéssica Sabel (FURB) 2 jessicasabel@terra.com.br

Leia mais

CALCULANDO COM O JOVEM DE FUTURO

CALCULANDO COM O JOVEM DE FUTURO CALCULANDO COM O JOVEM DE FUTURO No ano de 2012, noventa e nove escolas da Rede Estadual de ensino de Mato Grosso do Sul foram contempladas com o Projeto Jovem de Futuro, uma tecnologia voltada para Gestão

Leia mais

Desenvolver a capacidade de planejamento para identificar, analisar e programar abordagens e soluções para problemas reais;

Desenvolver a capacidade de planejamento para identificar, analisar e programar abordagens e soluções para problemas reais; REGULAMENTO DO PROJETO INTEGRADOR DO CURSO DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DO INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS ASSIS CHATEAUBRIAND CAPÍTULO 1: DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 Este

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DOS CAMPOS GERAIS - CESCAGE FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DOS CAMPOS GERAIS - CESCAGE FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DOS CAMPOS GERAIS - CESCAGE FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS MANUAL DE MONITORIA ACADÊMICA Com base na Resolução CSA 02/07, que estabelece Monitoria Acadêmica Centro de

Leia mais

Larissa Vilela de Rezende Lucas Fré Campos

Larissa Vilela de Rezende Lucas Fré Campos ENSINANDO REGRA DE TRÊS SIMPLES COM MATERIAL DOURADO EM UMA ESCOLA ESTADUAL DE LAVRAS Resumo Larissa Vilela de Rezende Lucas Fré Campos UFLA/DEX, larissavilela@outlook.com.br UFLA/DEX, lucas_fre@matematica.ufla.br

Leia mais

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL.

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. TayaraCrystina P. Benigno, UERN; tayara_bbg@hotmail.com Emerson Carlos da Silva, UERN; emersoncarlos90@hotmail.com

Leia mais

Trabalhando Matemática: percepções contemporâneas

Trabalhando Matemática: percepções contemporâneas DOMÍNIO E IMAGEM DE UMA FUNÇÃO: UMA ABORDAGEM POR MEIO DO JOGO BINGO DAS FUNÇÕES Educação Matemática nos Anos Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio (EMAIEFEM) GT 10 ADELSON CARLOS MADRUGA Universidade

Leia mais

Matemática Financeira II

Matemática Financeira II Módulo 3 Unidade 28 Matemática Financeira II Para início de conversa... Notícias como essas são encontradas em jornais com bastante frequência atualmente. Essas situações de aumentos e outras como financiamentos

Leia mais

SUPERANDO TRAUMAS EM MATEMÁTICA

SUPERANDO TRAUMAS EM MATEMÁTICA SUPERANDO TRAUMAS EM MATEMÁTICA Luciene da Costa Santos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) luciene283@hotmail.com Joelma Patez de Almeida Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB)

Leia mais

HISTÓRIA DA MATEMÁTICA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL: ELABORANDO QUADRINHOS

HISTÓRIA DA MATEMÁTICA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL: ELABORANDO QUADRINHOS HISTÓRIA DA MATEMÁTICA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL: ELABORANDO QUADRINHOS Sven Glint Universidade Estadual do Centro-Oeste svenglint@live.com Karolina Barone Ribeiro da Silva Universidade Estadual do Centro-Oeste

Leia mais

PROJETO TREZE HORAS: Uma Proposta Para o Ensino Médio Integrado ao Ensino Técnico

PROJETO TREZE HORAS: Uma Proposta Para o Ensino Médio Integrado ao Ensino Técnico PROJETO TREZE HORAS: Uma Proposta Para o Ensino Médio Integrado ao Ensino Técnico Vanessa Lopes da Silva 1 Leandro Marcon Frigo 2 Resumo A partir do problema dicotômico vivenciado pelo Ensino Técnico Integrado,

Leia mais

MANUAL DO CURSO SUPERIOR TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL QP EM CONTACT CENTER

MANUAL DO CURSO SUPERIOR TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL QP EM CONTACT CENTER MANUAL DO CURSO SUPERIOR TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL QP EM CONTACT CENTER 1) Introdução Belo Horizonte 2009/1º A proposta da elaboração do Manual para o Curso de Tecnologia em Gestão Comercial QP EM

Leia mais

O SOFTWARE EUCLIDEAN REALITY AUXILIANDO NA CONSTRUÇÃO DO TEOREMA DE PITÁGORAS

O SOFTWARE EUCLIDEAN REALITY AUXILIANDO NA CONSTRUÇÃO DO TEOREMA DE PITÁGORAS O SOFTWARE EUCLIDEAN REALITY AUXILIANDO NA CONSTRUÇÃO DO TEOREMA DE PITÁGORAS Vânia de Moura Barbosa Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco vanibosa@terra.com.br Introdução Um dos primeiros questionamentos

Leia mais

PIBID INVESTINDO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA. GT 01 Educação Matemática no Ensino Fundamental: Anos Iniciais e Anos Finais

PIBID INVESTINDO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA. GT 01 Educação Matemática no Ensino Fundamental: Anos Iniciais e Anos Finais PIBID INVESTINDO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA GT 01 Educação Matemática no Ensino Fundamental: Anos Iniciais e Anos Finais Felipe Hepp; URI-FW; felipehepp@hotmail.com Rosane Fontana Garlet;

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES Silva.A.A.S. Acadêmica do curso de Pedagogia (UVA), Bolsista do PIBID. Resumo: O trabalho

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA LUCIENE MARIA DA SILVA OLIVEIRA NÚMEROS INTEIROS UMA NOVA MANEIRA DE CONSTRUIR CONCEITOS OPERATÓRIOS

ESCOLA ESTADUAL IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA LUCIENE MARIA DA SILVA OLIVEIRA NÚMEROS INTEIROS UMA NOVA MANEIRA DE CONSTRUIR CONCEITOS OPERATÓRIOS ESCOLA ESTADUAL IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA LUCIENE MARIA DA SILVA OLIVEIRA NÚMEROS INTEIROS UMA NOVA MANEIRA DE CONSTRUIR CONCEITOS OPERATÓRIOS NOVA ANDRADINA/MS MARÇO 2010 ESCOLA ESTADUAL IRMAN RIBEIRO

Leia mais

ASSOCIAÇÃO JUINENSE DE ENSINO SUPERIOR DO VALE DO JURUENA AJES INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA

ASSOCIAÇÃO JUINENSE DE ENSINO SUPERIOR DO VALE DO JURUENA AJES INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA ASSOCIAÇÃO JUINENSE DE ENSINO SUPERIOR DO VALE DO JURUENA AJES INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO Ata Nº. 0072 Aos vinte e dois dias

Leia mais

RELATÓRIO I Data: 23.04.2015

RELATÓRIO I Data: 23.04.2015 RELATÓRIO I Data: 23.04.2015 Discutir conteúdos trabalhados em sala de aula, sucessor, antecessor, oposto, simétrico, módulo, expressões numéricas envolvendo adição e subtração de números inteiros. 1)

Leia mais

ESTUDO EXPLORATÓRIO SOBRE A ESCOLARIZAÇÃO DE FILHOS DE PROFESSORES DE ESCOLA PÚBLICA Rosimeire Reis Silva (FEUSP)

ESTUDO EXPLORATÓRIO SOBRE A ESCOLARIZAÇÃO DE FILHOS DE PROFESSORES DE ESCOLA PÚBLICA Rosimeire Reis Silva (FEUSP) ESTUDO EXPLORATÓRIO SOBRE A ESCOLARIZAÇÃO DE FILHOS DE PROFESSORES DE ESCOLA PÚBLICA Rosimeire Reis Silva (FEUSP) Pretendemos apresentar aqui os dados de um estudo exploratório, que é a primeira fase de

Leia mais

ÀGORA, Porto Alegre, Ano 3, jan/jun.2012. ISSN 2175-3792

ÀGORA, Porto Alegre, Ano 3, jan/jun.2012. ISSN 2175-3792 9 ÀGORA, Porto Alegre, Ano 3, jan/jun.2012. ISSN 2175-3792 POSSIBILIDADES DE PESQUISA E AUTORIA COM O APOIO DAS TECNOLOGIAS: A EXPERIÊNCIA DA TURMA B21 DA EMEF PROF. JUDITH MACEDO DE ARAÚJO NO LABORATÓRIO

Leia mais