AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MIRANDA DO DOURO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MIRANDA DO DOURO"

Transcrição

1 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRANDA DO DOURO REGIMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES 1

2 CAPÍTULO I ARTº. 1 DEFINIÇÃO DA BE/CRE O Agrupamento de Escolas de Miranda do Douro dispõe de três BE/CRE, uma em cada escola: na Escola EB1, na EBS de Miranda do Douro e na EB1,2,3 de Sendim. A Biblioteca é uma estrutura essencial ao desenvolvimento da missão da escola. É constituída por diferentes espaços físicos onde, em regime de livre acesso, se encontram à disposição da comunidade educativa livros e recursos que permitem a todos os utilizadores tornarem-se pensadores críticos e utilizadores efetivos da informação em todos os suportes e meios de comunicação. Todas as suas atividades devem articular-se com os princípios e orientações do Regulamento Interno do Agrupamento e com os que constam nos documentos do M. E. sobre a Rede de Bibliotecas Escolares, assim como pelas orientações que, em cada ano escolar, procedem dos Órgãos de Gestão Pedagógica da Escola. Este regimento tem como finalidade regulamentar o funcionamento das Bibliotecas do Agrupamento, por forma a fomentar a utilização e dinamização deste espaço que se quer polivalente e gerador de experiências enriquecedoras. ARTº.2 - OBJECTIVOS A BE/CRE, como núcleo de organização pedagógica, apoia o desenvolvimento do Projeto Educativo, os projetos curriculares de escolas e de turmas, definindo como prioritários os seguintes objetivos: - Apoiar e promover os objetivos educativos definidos nos documentos das Escolas/Agrupamento; - Desenvolver e manter nos alunos o hábito e o prazer da leitura e da aprendizagem; - Proporcionar oportunidades de produção e utilização da informação para o conhecimento, compreensão, imaginação e divertimento; - Apoiar os alunos na aprendizagem e na prática de capacidades de avaliação e utilização de informação, independentemente da natureza e do suporte em que se encontrem; - Providenciar acesso aos recursos locais, regionais, nacionais e globais e às oportunidades que exponham os alunos a ideias, experiências e opiniões diversificadas; -Organizar atividades que favoreçam a tomada de consciência cultural e social; 2

3 -Defender a ideia de que a liberdade intelectual e o acesso à informação são essenciais à construção de uma cidadania efetiva e responsável e à participação na democracia; -Promover a leitura, os recursos e os serviços da Biblioteca escolar junto dos alunos e restante comunidade educativa; -Favorecer a igualdade de acesso à informação e à cultura; -Catalogar e conservar criteriosamente o acervo bibliográfico, audiovisual e informático existente e que venha a ser adquirido. Com exceção das impressões solicitadas pelos alunos, todos os outros serviços prestados pela Biblioteca escolar são gratuitos:. Leitura domiciliária;. Leitura presencial;. Orientações no estudo e na pesquisa;. Consulta informática;. Orientação na ocupação de tempos livres;. Apoio à realização de trabalhos diversos. CAPÍTULO II ARTº. 3 - A BE da Escola EBS é constituída por um espaço de atendimento/ receção e multimédia, mais uma sala retangular. A biblioteca da escola EB1 de Miranda do Douro e da EB1,2,3 de Sendim é constituída por uma sala com dimensões proporcionais ao número de alunos. Organização Funcional do Espaço:. Zona de atendimento - é a zona onde se procede a:.esclarecimentos e encaminhamento de utilizadores;.empréstimos;.organização e difusão de informação em todos os suportes;.consulta do catálogo. 3

4 . Leitura informal É a zona para leitura de revistas, jornais e álbuns ou outros de carácter mais lúdico. Proporciona também a leitura de obras de ficção, leitura coletiva de textos, conto e reconto de histórias, etc. Num ambiente descontraído.. Leitura formal É a zona que privilegia a leitura, consulta de livros ou outros documentos impressos de uma forma mais orientada. -Audiovisual Zona equipada com um televisor, leitor de VHS, leitor de DVD e leitores individuais de CD. -Multimédia Zona equipada com computadores para alunos e para docentes, todos ligados à internet. Os utilizadores podem utilizar o seu computador pessoal. Existe internet sem fios. Na BE da Escola EB1 existe apenas um computador para professores. ARTº.4 HORÁRIO - A Biblioteca da Escola EB1 de Miranda do Douro e EB1,2,3 de Sendim abrem, de Segunda a Sexta-Feira, das nove às dezassete horas e trinta minutos. A Biblioteca da EBS está aberta, de Segunda à sexta-feira, das nove às doze e trinta e das treze e trinta às das às dezassete e trinta. - Os horários poderão sofrer alterações de acordo com os recursos humanos disponíveis ou sempre que as atividades programadas o justifiquem. CAPÍTULO III GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS ART.º 5 - A organização e gestão das Bibliotecas do Agrupamento cabe a uma equipa constituída no mínimo por quatro docentes indicados pelo Conselho Executivo. A coordenadora tem assento no Conselho pedagógico. - A equipa deve ser constituída por docentes com formação em diferentes áreas do conhecimento, para permitir uma efetiva complementaridade de saberes. 4

5 Atribuições da Coordenadora da equipa: -Promover a integração da BE na escola; -Assegurar a gestão da BE, dos recursos humanos e materiais a ela afetos; -Coordenar a equipa, previamente definida com o Conselho Executivo; - Definir e operacionalizar, em articulação com a direção executiva, as estratégias e atividades de política documental da escola; - Favorecer o desenvolvimento das literacias, designadamente da leitura e da informação, e apoiar o desenvolvimento curricular; -Promover o uso da biblioteca e dos seus recursos dentro e fora da escola; - Representar a BE no Conselho Pedagógico, sempre que o regulamento interno o preveja; -Promover a articulação entre as bibliotecas do Agrupamento; -Assegurar que os recursos de informação sejam adquiridos e organizados de acordo com os critérios de biblioteconomia, ajustados às necessidades dos utilizadores; - Efetuar, no final de cada ano letivo o relatório de autoavaliação do trabalho desenvolvido pelas BEs. Funções dos docentes na equipa: - Apoiar os utilizadores; - Assegurar o cumprimento de normas estabelecidas que contribuam para o bom ambiente do espaço na BE; - Zelar pela conservação do espaço, materiais e equipamentos existentes;, - Colaborar em todas as atividades a desenvolver; - No domínio da formação específica de cada um, contribuir com sugestões para o enriquecimento deste espaço. - Desenvolver as atividades que lhe tenham sido atribuídas em reunião de equipa. Funções do pessoal não docente: - Zelar pela conservação do espaço, materiais e equipamentos existentes; -Assegurar o cumprimento das normas estabelecidas que contribuam para o bom ambiente do espaço BE; 5

6 -Limpeza do espaço; - Apoiar nas tarefas inerentes à biblioteca; - Conferir as requisições no momento da sua efetuação e zelar pelo cumprimento dos prazos e condições a que os utilizadores se comprometem; - Controlar as entradas e saídas dos utilizadores; - Impedir a permanência nas instalações de quem mostre desrespeito pelas regras contidas no regulamento da BE/CRE. ARTº. 6 - Professores colaboradores. São professores que não tendo horário na BE, colaboram em algumas tarefas. CAPÍTULO IV ART.º 7 - Organização e Gestão dos Recursos de Informação - A documentação encontra-se arrumada em estantes de livre acesso. Todos os materiais estão a ser classificados de acordo com a CDU. Cada classe, subclasse está sinalizada com uma cor e o respetivo nome. - As aquisições são feitas depois de analisar o levantamento das necessidades dos diferentes departamentos curriculares, em função do fundo documental já existente e das recomendações da RBE. Os procedimentos são tomados pela coordenadora em colaboração com o Conselho Executivo. ARTº. 8 - A difusão da informação é feita através de contactos pessoais, de um boletim informativo da biblioteca, artigos nos jornais escolares e essencialmente no blogue coletivo. A presença da coordenadora no Conselho Pedagógico também contribui para que a informação chegue a todos os professores e Encarregados de Educação. CAPÍTULO V UTILIZAÇÃO ARTº. 9 - A BE/CRE pode ser utilizada por professores, alunos, funcionários, pais e/ou encarregados de educação. Os utilizadores têm direito à consulta e leitura de presença de todos os documentos. 6

7 - É possível utilizar a Biblioteca para lecionação de aulas, quando os alunos necessitam de fazer pesquisas, ou utilizar meios audiovisuais e multimédia, caso estes não estejam disponíveis nas salas de aula. Para tal devem os professores responsáveis pela turma fazer a requisição com a antecedência mínima de 48h. -Todos os elementos da comunidade educativa tem acesso à leitura domiciliária. Cada utilizador só pode requisitar, simultaneamente, até três documentos. - O empréstimo de documentos implica sempre o preenchimento de uma requisição. - O empréstimo é feito por um período máximo de oito dias para monografias e de três dias para outro tipo de documentos. - Findo o prazo estabelecido, caso não se verifique a sua devolução, a Biblioteca solicita formalmente aos utentes a reposição do documento em falta. - Excetuam-se do empréstimo domiciliário enciclopédias, dicionários e outros documentos de referência, devidamente assinalados. - É possível requisitar materiais para as salas de aulas. Os materiais devem ser devolvidos logo que a aula termine. - Pontualmente, podem ser excluídos de empréstimo domiciliário (ou reduzido o período de empréstimo) documentos que, pela sua atualidade, se considere importante estarem disponíveis na biblioteca. - O extravio ou deterioração de documentos emprestados implica, por parte dos utilizadores, a sua substituição ou pagamento do valor correspondente ao seu custo. Equipamento Informático - Para utilizar o equipamento informático os alunos devem solicitar autorização junto do funcionário. - O número máximo de alunos por computador é de dois. - O equipamento informático pode ser utilizado para fins lúdicos, pessoais e/ou escolares, sendo prioritária a sua utilização para trabalhos escolares. - É interdita aos utentes a instalação de software ou a alteração de definições e configurações do equipamento. - Qualquer anomalia detetada no software ou hardware deve ser registada em ficha de registo de ocorrências disponível para esse efeito. Equipamento audiovisual - O visionamento de filmes implica a respetiva requisição junto do funcionário da biblioteca. 7

8 - A audição de documentos áudio, a título individual, só é possível mediante a utilização de auscultadores. Outros Equipamentos ARTº Máquina fotográfica digital, Câmara de vídeo, calculadoras são requisitados no balcão. CAPÍTULO VI ARTº PARCERIAS - A BE tem a colaboração e apoio da RBE. - Do coordenador regional que presta todo o apoio. - Da Bibliotecária Municipal, a nível do primeiro ciclo. - Dos pais, professores e outros. - Estabelecemos parcerias com o Centro de saúde e Santa casa da Misericórdia. - Os recursos podem circular entre as Bibliotecas do Agrupamento. Para o efeito deve funcionar uma requisição entre Bibliotecas CAPÍTULO VII ARTº Articulação Curricular da BE com as estruturas pedagógicas e os docentes - A equipa da BE trabalha para a integração da biblioteca na escola, logo para a colaboração com todas as estruturas pedagógicas do Agrupamento. - A BE/CRE propõe organizar a informação/ documentos segundo grandes temas, por forma a colaborar com os departamentos curriculares e facilitar o acesso à informação em tempo útil. - Colaborar com todas as disciplinas curriculares e curriculares não disciplinares. - A BE organiza a informação por temas e realiza pesquisas sempre que tal seja solicitado com alguma antecedência. - Presta apoio a qualquer utilizador na localização e seleção da informação sempre que seja solicitado. 8

9 ARTº A BE também promove a literacia da informação através da formação de utilizadores. - Colabora com os docentes que solicitam a sua intervenção para ajudar e encaminhar alunos na concretização de trabalhos. CAPÍTULO VIII ARTº. 14 Direitos Os utilizadores têm direito a: - Utilizar todos os serviços de livre acesso postos à disposição. - Retirar das estantes os documentos que pretendam ler, consultar. -Requisitar os documentos previstos neste regimento. - Consultar livremente os catálogos. - Apresentar críticas, sugestões, propostas e reclamações. ARTº. 15 Deveres Os utilizadores têm como deveres: - Cumprir as normas estabelecidas no presente regimento. -Manter em bom estado de conservação os documentos que utilizam, bem como fazer bom uso das instalações e dos equipamentos. - Preencher os impressos que lhe são apresentados, para fins estatísticos, gestão e avaliação. - Assumir e indemnizar a BE por todos os danos ou perdas que forem da sua responsabilidade. CAPÍTULO XIX Disposições Finais - É proibido comer e beber no espaço da BE/CRE. 9

10 - É proibido o uso de telemóveis. - O ambiente da BE/CRE deve ser calmo e silencioso. - Os utentes que mostrem desrespeito pelas normas contidas no presente regulamento serão convidados a abandonar o espaço da BE/CRE. - O horário de funcionamento da BE/CRE pode variar, sendo os seus utilizadores informados. - A fim de melhorar os serviços da BE/CRE deve solicitar-se no balcão uma ficha de registo de críticas e sugestões. NOTA: Qualquer situação omissa será resolvida pela coordenadora da BE e Órgãos de Gestão. 10

Regulamento Interno AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS BIBLIOTECA ESCOLAR 2011 / 2012. Introdução

Regulamento Interno AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS BIBLIOTECA ESCOLAR 2011 / 2012. Introdução AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS BIBLIOTECA ESCOLAR 2011 / 2012 Regulamento Interno Introdução A Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas Martim de Freitas é parte integrante do processo educativo

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Zona Urbana da Figueira da Foz Escola EB 2,3 Dr. João de Barros Escola EB 1 de Abadias Escola EB1 da Gala

Agrupamento de Escolas da Zona Urbana da Figueira da Foz Escola EB 2,3 Dr. João de Barros Escola EB 1 de Abadias Escola EB1 da Gala 0 Agrupamento de Escolas da Zona Urbana da Figueira da Foz Escola EB 2,3 Dr. João de Barros Escola EB 1 de Abadias Escola EB1 da Gala Regulamento das Bibliotecas Escolares Centro de Recursos Educativos

Leia mais

Regulamento Interno da Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos

Regulamento Interno da Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos Regulamento Interno da Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos Capítulo I Artigo 1º Objeto e âmbito 1. A Biblioteca Escolar é uma estrutura fundamental da organização pedagógica da Academia, constituindo-se

Leia mais

Escola EB 2,3 El-Rei D. Manuel I Alcochete REGULAMENTO DOS UTILIZADORES DA BE/CRE CAPÍTULO I PRINCÍPIOS NORMATIVOS

Escola EB 2,3 El-Rei D. Manuel I Alcochete REGULAMENTO DOS UTILIZADORES DA BE/CRE CAPÍTULO I PRINCÍPIOS NORMATIVOS REGULAMENTO DOS UTILIZADORES DA BE/CRE CAPÍTULO I PRINCÍPIOS NORMATIVOS A Biblioteca Escolar /Centro de Recursos Educativos (BE/CRE), empenhada no desenvolvimento da literacia dos alunos, na sensibilização

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES. Agrupamento de Escolas da Bemposta

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES. Agrupamento de Escolas da Bemposta NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES Agrupamento de Escolas da Bemposta PRINCÍPIOS GERAIS Objetivo O presente conjunto de Normas de Funcionamento define os princípios que devem ser conhecidos

Leia mais

ANEXO V NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

ANEXO V NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES ANEXO V NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES As normas de funcionamento e de utilização dos serviços prestados pelas BE do AEMTG estão definidas nos seguintes pontos: Ponto 1. Utilizadores

Leia mais

BIBLIOTECA ESCOLAR REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO DA SILVA CORREIA

BIBLIOTECA ESCOLAR REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO DA SILVA CORREIA BIBLIOTECA ESCOLAR REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO DA SILVA CORREIA ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 CONDIÇÕES DE INSTALAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO... 3 1. A EQUIPA EDUCATIVA... 3 2. COMPETÊNCIAS

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA REGIMENTO DO CENTRO DE RECURSOS

ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA REGIMENTO DO CENTRO DE RECURSOS ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA REGIMENTO DO CENTRO DE RECURSOS I. ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO E EQUIPA EDUCATIVA Espaço 1. O Centro de Recursos Educativos (a seguir identificado pela sigla CRE) constitui

Leia mais

ESCOLA BÁSICA ALBERTO VALENTE REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR

ESCOLA BÁSICA ALBERTO VALENTE REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR Agrupamento de Escolas José Maria dos Santos Pinhal Novo ESCOLA BÁSICA ALBERTO VALENTE REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR ARTIGO 1º DEFINIÇÃO A Biblioteca

Leia mais

Nota Introdutória. Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR)

Nota Introdutória. Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR) Nota Introdutória Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR) Apoiar e promover os objetivos educativos definidos de acordo com as finalidades e currículo

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES DE MAGALHÃES. Escola Básica Pedro Jacques de Magalhães. Biblioteca Escolar

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES DE MAGALHÃES. Escola Básica Pedro Jacques de Magalhães. Biblioteca Escolar AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES DE MAGALHÃES Escola Básica Pedro Jacques de Magalhães Biblioteca Escolar janeiro de 2013 1.1 Caracterização A BE integra o programa RBE desde 1999. É um centro de recursos

Leia mais

1.2. Todo o utilizador pode contribuir para o desenvolvimento dos serviços prestados pela Biblioteca com sugestões ou com a sua participação.

1.2. Todo o utilizador pode contribuir para o desenvolvimento dos serviços prestados pela Biblioteca com sugestões ou com a sua participação. ANO LETIVO 2012-2013 GESTÃO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA E DO AUDITÓRIO 1. Regras Gerais 1.1. Todo o utilizador deve contribuir para que exista na Biblioteca um ambiente adequado ao estudo, ao trabalho individual

Leia mais

REGIMENTO INTERNO BEESAP

REGIMENTO INTERNO BEESAP ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3.º CICLO DE ADOLFO PORTELA ÁGUEDA REGIMENTO INTERNO BEESAP I DEFINIÇÃO E ESPAÇOS A Biblioteca Escolar da Escola Secundária C/ 3.º Ciclo de Adolfo Portela é uma estrutura que recolhe

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA SANTIAGO DO CACÉM MEDIATECA REGULAMENTO

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA SANTIAGO DO CACÉM MEDIATECA REGULAMENTO ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA SANTIAGO DO CACÉM MEDIATECA REGULAMENTO I - SETORES CONSTITUINTES A Direção de Instalações designada genericamente por Mediateca compreende cinco setores/áreas de intervenção:

Leia mais

R E G I M E N T O D A S B I B L I O T E C A S E S C O L A R E S D O A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S S Á D E M I R A N D A ( B E A S M )

R E G I M E N T O D A S B I B L I O T E C A S E S C O L A R E S D O A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S S Á D E M I R A N D A ( B E A S M ) Ano Letivo 2014/2015 R E G I M E N T O D A S B I B L I O T E C A S E S C O L A R E S D O A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S S Á D E M I R A N D A ( B E A S M ) [Agrupamento de Escolas Sá de Miranda]

Leia mais

2014-2015 REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR. Agrupamento de Escolas de Colos 1

2014-2015 REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR. Agrupamento de Escolas de Colos 1 2014-2015 REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR Agrupamento de Escolas de Colos 1 INTRODUÇÃO Este regimento é um documento onde estão registados os princípios de organização/gestão da Biblioteca Escolar

Leia mais

INSTITUTO DE PROMOÇÃO SOCIAL DA BAIRRADA

INSTITUTO DE PROMOÇÃO SOCIAL DA BAIRRADA INSTITUTO DE PROMOÇÃO SOCIAL DA BAIRRADA Proposta de regulamento da BIBLIOTECA escolar I - CONCEITO A Biblioteca Escolar é um núcleo de organização pedagógica da Escola e deve ser entendida como um centro

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CAMARATE REGIMENTO DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/ CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CAMARATE REGIMENTO DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/ CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO ESCOLA SECUNDÁRIA DE CAMARATE REGIMENTO DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/ CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS I HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO O horário de funcionamento da biblioteca deve ser tendencialmente

Leia mais

Escolas João de Araújo Correia

Escolas João de Araújo Correia Escolas João de Araújo Correia Regulamento Interno das Bibliotecas Escolares/ Centro de Recursos Educativos Artigo 1º Definição As Bibliotecas Escolares/Centro de Recursos Educativos do Agrupamento Dr.

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/CRE

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/CRE REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/CRE Aprovado em Conselho Pedagógico de 20 / 01 / 2010 Artigo 1.º Disposição Geral Na sociedade da informação e do conhecimento, a Biblioteca Escolar, como um imprescindível

Leia mais

BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS

BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS EB1/JI da Conquinha Conquinha REGIMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS 1 BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS Artigo 1º Definição A Biblioteca Escolar/Centro de Recursos da EB1/JI da Conquinha

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE ESCOLA BÁSICA DO 1º CICLO DO CASTELO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE ESCOLA BÁSICA DO 1º CICLO DO CASTELO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE ESCOLA BÁSICA DO 1º CICLO DO CASTELO BIBLIOTECA ESCOLAR REGIMENTO NORMAS DE FUNCIONAMENTO - TRIÉNIO 2010/2013 - EB1 do Castelo Rua Flores de Santa Cruz, 14 1100-245 Lisboa

Leia mais

Regulamento de utilização da Biblioteca

Regulamento de utilização da Biblioteca Regulamento de utilização da Biblioteca REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA A Biblioteca do atmosfera m é um local dedicado à leitura e consulta de documentos e constitui uma das valências que o Montepio

Leia mais

Regulamento da(s) Biblioteca(s)

Regulamento da(s) Biblioteca(s) Regulamento da(s) Biblioteca(s) Capítulo I Artigo 1.º A do Agrupamento de Escolas de Alfena é, de acordo com o artigo 111.º do Regulamento Interno do Agrupamento, um núcleo da organização pedagógica do

Leia mais

Agrupamento das Escolas de Lordelo

Agrupamento das Escolas de Lordelo Agrupamento das Escolas de Lordelo Regimento Interno Biblioteca Escolar Capítulo I GESTÃO DOCUMENTAL ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO EQUIPA Ponto 1 (Definição) 1. A Biblioteca Escolar (adiante designada por BE)

Leia mais

Regulamento Interno Da Biblioteca Escolar

Regulamento Interno Da Biblioteca Escolar Regulamento Interno Da Biblioteca Escolar Regulamento/Regimento Interno das Bibliotecas Escolares do Agrupamento Página 1 Índice 1. DEFINIÇÃO... 3 2. PRINCÍPIOS... 3 3. OBJECTIVOS... 3 4. ORGANIZAÇÃO E

Leia mais

Ancorensis Cooperativa de Ensino

Ancorensis Cooperativa de Ensino Ancorensis Cooperativa de Ensino SUMÁRIO CAPÍTULO I GERAL Art.º 1º Definição... 3 Art.º 2º Objectivos... 3 Art.º 3º Espaço Físico... 4 Art.º 4º Horário... 5 Art.º 5º Equipa... 5 Art.º 6º Coordenador...

Leia mais

REGULAMENTO DA SALA DE LEITURA DO CENTRO CULTURAL SOLAR DOS CONDES DE VINHAIS

REGULAMENTO DA SALA DE LEITURA DO CENTRO CULTURAL SOLAR DOS CONDES DE VINHAIS REGULAMENTO DA SALA DE LEITURA DO CENTRO CULTURAL SOLAR DOS CONDES DE VINHAIS Nota Justificativa O presente regulamento, visando estabelecer normas para o funcionamento da sala de Leitura do denominado

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Zona Urbana da Figueira da Foz Escola EB 2,3 Dr. João de Barros

Agrupamento de Escolas da Zona Urbana da Figueira da Foz Escola EB 2,3 Dr. João de Barros Agrupamento de Escolas da Zona Urbana da Figueira da Foz Escola EB 2,3 Dr. João de Barros Regimento da Biblioteca Escolar Centro de Recursos Educativos Regimento da Biblioteca Escolar Dr. João de Barros

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Zona Urbana da Figueira da Foz Escola EB1 das Abadias. Regimento da Biblioteca Escolar Centro de Recursos Educativos

Agrupamento de Escolas da Zona Urbana da Figueira da Foz Escola EB1 das Abadias. Regimento da Biblioteca Escolar Centro de Recursos Educativos Agrupamento de Escolas da Zona Urbana da Figueira da Foz Escola EB1 das Abadias Regimento da Biblioteca Escolar Centro de Recursos Educativos Regulamento da Biblioteca Escolar das Abadias Introdução 1.

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE NELAS Regimento da BIBLIOTECA/CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE NELAS Regimento da BIBLIOTECA/CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS ARTIGO I DEFINIÇÃO A Biblioteca/Centro de Recursos (BE/CRE) é entendida como um núcleo de organização pedagógica da escola vocacionado para o desenvolvimento de actividades culturais, das literacias da

Leia mais

Escola Básica 2º, 3º Ciclos José Maria dos Santos - Biblioteca Escolar

Escola Básica 2º, 3º Ciclos José Maria dos Santos - Biblioteca Escolar Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos José Maria dos Santos Artigo 1º Conceito 1. A Biblioteca é um serviço cultural que procura oferecer um ambiente agradável e silencioso propício à leitura, ao estudo e ao

Leia mais

REGIMENTO DE FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALMEIDA

REGIMENTO DE FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALMEIDA REGIMENTO DE FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALMEIDA CAPÍTULO I Capítulo Artigo Conteúdo Referências Definição/Missão da BE A BE é uma estrutura que gere recursos educativos

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS DO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DO BAIXO BARROSO

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS DO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DO BAIXO BARROSO DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO NORTE CENTRO DE ÁREA EDUCATIVA DE VILA REAL Cod. 345696 AGRUPAMENTO VERTICAL DO BAIXO BARROSO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS DO AGRUPAMENTO VERTICAL

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DO ENTRONCAMENTO

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DO ENTRONCAMENTO BIBLIOTECA ESCOLAR REGIMENTO INTERNO REGIMENTO INTERNO O Princípio 7 da Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança afirma: Cada criança tem direito a receber educação ( ). Ser-lhe-á administrada

Leia mais

REGRAS DE FUNCIONAMENTO DA BE/CRE

REGRAS DE FUNCIONAMENTO DA BE/CRE REGRAS DE FUNCIONAMENTO DA BE/CRE A Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos, constitui um espaço de encontro e partilha de aprendizagens e saberes, de pesquisa, gestão e disponibilização de informação,

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CENTRAL DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CENTRAL DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CENTRAL DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA 1. FUNDOS BIBLIOGRÁFICOS Os fundos disponíveis na Biblioteca têm classificações diferenciadas e estão sujeitos a condições

Leia mais

Regulamento Interno da Biblioteca Escolar. (Anexo1 do Regulamento Interno do Agrupamento)

Regulamento Interno da Biblioteca Escolar. (Anexo1 do Regulamento Interno do Agrupamento) Regulamento Interno da Biblioteca Escolar (Anexo1 do Regulamento Interno do Agrupamento) ÍNDICE Capítulo I... 3 Artigo 1º... 3 Artigo 2º... 3 Artigo 3º... 3 Artigo 4.º... 4 Capítulo II... 5 Artigo 5º...

Leia mais

Escola Secundária da Ramada

Escola Secundária da Ramada Escola Secundária da Ramada Regulamento Interno da Biblioteca Artigo 1º Disposições Gerais 1. O presente regulamento aplica-se a todos os utilizadores da biblioteca. 2. A biblioteca destina-se a todos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DEPENALVA DO CASTELO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DEPENALVA DO CASTELO REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES No início de cada ano letivo, o horário da biblioteca será estabelecido de acordo com disponibilidades de funcionamento do Agrupamento e indo ao encontro das necessidades

Leia mais

ÍNDICE ARTº 1º - OBJECTO... 3 ARTº 2º - PRINCÍPIOS... 3 ARTº 3º - OBJECTIVOS... 3 ARTº 4º - EQUIPA RESPONSÁVEL... 4

ÍNDICE ARTº 1º - OBJECTO... 3 ARTº 2º - PRINCÍPIOS... 3 ARTº 3º - OBJECTIVOS... 3 ARTº 4º - EQUIPA RESPONSÁVEL... 4 ÍNDICE ARTº 1º - OBJECTO... 3 ARTº 2º - PRINCÍPIOS... 3 ARTº 3º - OBJECTIVOS... 3 ARTº 4º - EQUIPA RESPONSÁVEL... 4 ARTº 5º - FUNÇÕES DO PROFESSOR BIBLIOTECÁRIO... 4 ARTº 6 - ÁREAS FUNCIONAIS... 5 ARTº

Leia mais

REGULAMENTO DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO

REGULAMENTO DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO CAPÍTULO I Artigo 4º Localização Os serviços descritos no ponto 2 do art. 1º estão dispensados da formalidade do cartão O Centro de Documentação e Informação de leitor. () encontra-se localizado no piso

Leia mais

DGEstE Direção de Serviços da Região Centro

DGEstE Direção de Serviços da Região Centro DGEstE Direção de Serviços da Região Centro Bibliotecas Escolares - Plano Anual de Atividades (PAA) Ano letivo 2014/2015 Este PAA encontra-se estruturado em 4 domínios (seguindo as orientações da RBE)

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRÓGÃO GRANDE REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR. Artigo 1º Disposição geral

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRÓGÃO GRANDE REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR. Artigo 1º Disposição geral AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRÓGÃO GRANDE ESCOLA 2,3/S MIGUEL LEITÃO DE ANDRADA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR Artigo 1º Disposição geral A Biblioteca Escolar (BE) é um instrumento essencial no desenvolvimento

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Vagos 161070 REGIMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES/ AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VAGOS CENTROS DE RECURSOS EDUCATIVOS

Agrupamento de Escolas de Vagos 161070 REGIMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES/ AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VAGOS CENTROS DE RECURSOS EDUCATIVOS Agrupamento de Escolas de Vagos 161070 REGIMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES/ AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VAGOS CENTROS DE RECURSOS EDUCATIVOS fevereirol2014 Índice Página Introdução... 2 Sessão I Princípios

Leia mais

Preâmbulo CAPÍTULO I. Disposições gerais. Artigo 1.º. Missão e atribuições

Preâmbulo CAPÍTULO I. Disposições gerais. Artigo 1.º. Missão e atribuições REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DO SINDICATO DOS MAGISTRADOS DO MINISTÉRIO PÚBLICO Preâmbulo A Biblioteca do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público foi criada em 1974, data da fundação do próprio Sindicato.

Leia mais

EXTERNATO DA LUZ. A Biblioteca encontra-se dividida em seis áreas funcionais de características diferentes:

EXTERNATO DA LUZ. A Biblioteca encontra-se dividida em seis áreas funcionais de características diferentes: EXTERNATO DA LUZ REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR 1.OBJETIVOS A Biblioteca do Externato da Luz tem por finalidade facilitar o acesso à cultura, à informação, à educação e ao lazer, bem como facultar aos

Leia mais

PROCEDIMENTO INTERNO

PROCEDIMENTO INTERNO 1. Objectivo Definir quais os procedimentos a adoptar nas práticas do funcionamento do Núcleo de Documentação do Centro Hospitalar Cova da Beira. 2. Aplicação Bibliotecas do Núcleo de Documentação do Centro

Leia mais

Regulamento da Biblioteca Municipal de Gouveia

Regulamento da Biblioteca Municipal de Gouveia Regulamento da Biblioteca Municipal de Gouveia Regulamento da Biblioteca Municipal Vergílio Ferreira Preâmbulo O presente regulamento pretende ser um instrumento regulador da actividade da Biblioteca Municipal

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS CAPÍTULO I. Artigo 1.º. Objeto e âmbito

REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS CAPÍTULO I. Artigo 1.º. Objeto e âmbito REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS CAPÍTULO I Artigo 1.º Objeto e âmbito 1. A Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos (BE) é uma estrutura fundamental da organização

Leia mais

RESOLUÇÃO N 002/2007 - DG. Regulamenta Procedimentos para o Funcionamento da Biblioteca da FCV.

RESOLUÇÃO N 002/2007 - DG. Regulamenta Procedimentos para o Funcionamento da Biblioteca da FCV. RESOLUÇÃO N 002/2007 - DG Regulamenta Procedimentos para o Funcionamento da Biblioteca da FCV. O Conselho Superior - CONSU, aprovou em 30 de março de 2007, e eu, Prof. José Carlos Barbieri, Diretor da

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO

NORMAS DE FUNCIONAMENTO NORMAS DE FUNCIONAMENTO 1 NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA 1. Horário de funcionamento.pág. 3 2. Equipa da Biblioteca..pág. 4 3. Utilizadores e regras da Biblioteca.pág. 7 2 NORMAS DE FUNCIONAMENTO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR 2010/2011

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR 2010/2011 REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR 2010/2011 Página 1 de 9 CAPÍTULO I Definição, Missão, Objectivos da Biblioteca Escolar e Articulação Curricular Art. 01 Missão É missão da Biblioteca Escolar apoiar

Leia mais

Escola Secundária com 3º CEB de Tondela BIBLIOTECA / CENTRO DE RECURSOS. Regimento Interno

Escola Secundária com 3º CEB de Tondela BIBLIOTECA / CENTRO DE RECURSOS. Regimento Interno Escola Secundária com 3º CEB de Tondela BIBLIOTECA / CENTRO DE RECURSOS Regimento Interno Artº 1º Definição REGIMENTO DA BIBLIOTECA / CENTRO DE RECURSOS CAPÍTULO I ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO E EQUIPA EDUCATIVA

Leia mais

INSTRUÇÃO N 2, DE 26 DE MARÇO DE 2007. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE, no uso de suas atribuições legais,

INSTRUÇÃO N 2, DE 26 DE MARÇO DE 2007. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE, no uso de suas atribuições legais, INSTRUÇÃO N 2, DE 26 DE MARÇO DE 2007 O SECRETÁRIO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE, no uso de suas atribuições legais, APROVA: REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ECOLÓGICA INFANTIL MARIA DINORAH CAPÍTULO I DA ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

BIBLIOTECA MÈRE BLANCHOT REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA. Capítulo I - DISPOSIÇÕES GERAIS

BIBLIOTECA MÈRE BLANCHOT REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA. Capítulo I - DISPOSIÇÕES GERAIS BIBLIOTECA MÈRE BLANCHOT REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA Capítulo I - DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - Dos Clientes A Biblioteca Mère Blanchot presta serviços à comunidade acadêmica da Faculdade

Leia mais

ANEXO 5 Regulamento Interno REGIME DE FUNCIONAMENTO DA EQUIPA PTE

ANEXO 5 Regulamento Interno REGIME DE FUNCIONAMENTO DA EQUIPA PTE ANEXO 5 Regulamento Interno REGIME DE FUNCIONAMENTO DA EQUIPA PTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA 2011/2014 INDÍCE ARTIGO 1º - DEFINIÇÃO DA EQUIPA DO PLANO TECNOLÓGICO DA EDUCAÇÃO... 3 ARTIGO 2º - COMPETÊNCIAS...

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS Capítulo I A Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos Art. 1º - DEFINIÇÃO As Bibliotecas Escolares/Centro de Recursos Educativos

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CASA MUNICIPAL DA JUVENTUDE DE AVEIRO

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CASA MUNICIPAL DA JUVENTUDE DE AVEIRO NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CASA MUNICIPAL DA JUVENTUDE DE AVEIRO CAPÍTULO I Art. 1º - Definição a. A Casa Municipal da Juventude de Aveiro é um equipamento que a Câmara Municipal de Aveiro coloca ao dispor

Leia mais

BIBLIOTECA MUNICIPAL DE NISA. - Normas de Funcionamento -

BIBLIOTECA MUNICIPAL DE NISA. - Normas de Funcionamento - BIBLIOTECA MUNICIPAL DE NISA - Normas de Funcionamento - 1º - Definição A Biblioteca Municipal de Nisa é um equipamento cultural da Câmara Municipal de Nisa, estando ao dispor de toda a população, sem

Leia mais

FACULDADE PIAGET SERVIÇO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO SDI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

FACULDADE PIAGET SERVIÇO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO SDI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA FACULDADE PIAGET SERVIÇO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO SDI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Faculdade PIAGET SERVIÇO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO SDI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DO ACESSO E DO FUNCIONAMENTO

Leia mais

BIBLIOTECA ESCOLAR PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Escola Portuguesa Ruy Cinatti 2013/2014

BIBLIOTECA ESCOLAR PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Escola Portuguesa Ruy Cinatti 2013/2014 O Pl Anual de Atividades é o documento que define as linhas orientadoras da ação da Biblioteca Escolar e tem como objetivo último tornar os alunos autónomos e eficientes nas diversas literacias. A adquisição

Leia mais

REGULAMENTO POLÍTICA DE FUNCIONAMENTO, ESTRUTURA E ACERVO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO SUDESTE GOIANO

REGULAMENTO POLÍTICA DE FUNCIONAMENTO, ESTRUTURA E ACERVO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO SUDESTE GOIANO REGULAMENTO POLÍTICA DE FUNCIONAMENTO, ESTRUTURA E ACERVO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO SUDESTE GOIANO 1. Apresentação Na Faculdade do Sudeste Goiano a biblioteca tem sido alvo de constante atenção, seu

Leia mais

REGIMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR JOSEFA DE ÓBIDOS (BEJO)

REGIMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR JOSEFA DE ÓBIDOS (BEJO) REGIMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR JOSEFA DE ÓBIDOS (BEJO) CAPÍTULO I Biblioteca Artigo 1º Definição de Biblioteca Escolar A Biblioteca escolar é um espaço educativo, um centro de recursos multimédia ao serviço

Leia mais

REGULAMENTO DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA E CIENTÍFICA DO INFARMED, I.P.

REGULAMENTO DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA E CIENTÍFICA DO INFARMED, I.P. REGULAMENTO DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA E CIENTÍFICA DO INFARMED, I.P. 1. ÂMBITO E MISSÃO... 2 2. LOCALIZAÇÃO... 2 3. HORÁRIO... 2 4. ACESSO... 2 5. LEITORES... 3 6. SERVIÇOS DISPONIBILIZADOS PELO

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA FACULDADE DOM BOSCO DE UBIRATÃ

REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA FACULDADE DOM BOSCO DE UBIRATÃ REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA FACULDADE DOM BOSCO DE UBIRATÃ UBIRATÃ - PR 2013 REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DA BIBLIOTECA: DIRETRIZES GERAIS Art.1º- A Biblioteca apóia

Leia mais

Resolução Congregação 01/2007

Resolução Congregação 01/2007 Resolução Congregação 01/2007 Dispõe sobre os procedimentos da Biblioteca da FEAD. O Presidente da Congregação, no uso de suas atribuições regimentais, e considerando: a) a necessidade de adequar normas

Leia mais

Regulamento da Biblioteca da EB1/JI da Cruz da Areia Agrupamento de escolas José Saraiva

Regulamento da Biblioteca da EB1/JI da Cruz da Areia Agrupamento de escolas José Saraiva Regulamento da Biblioteca da EB1/JI da Cruz da Areia Agrupamento de escolas José Saraiva Artigo 1º DEFINIÇÃO A Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos da EB1/JI da Cruz da Areia é constituída

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES - ANO LETIVO 2011/2012

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES - ANO LETIVO 2011/2012 Biblioteca Escolar GIL VICENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE ESCOLA GIL VICENTE EB1 CASTELO BIBLIOTECA ESCOLAR PLANO ANUAL DE ATIVIDADES - ANO LETIVO 2011/2012 As atividades constantes do presente

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA A Biblioteca da ESIC - Business & Marketing School tem por objetivo principal reunir informações necessárias ao aprimoramento profissional, educacional e pessoal, preparando-as

Leia mais

CEAD BIBLIOTECA FACULDADES SÃO JOSÉ

CEAD BIBLIOTECA FACULDADES SÃO JOSÉ CEAD BIBLIOTECA FACULDADES SÃO JOSÉ Gerencia a informação e o conhecimento; Organiza, conserva e dissemina todo tipo de informação; Importante fonte de apoio bibliográfico e não bibliográfico para formação

Leia mais

Regulamento da Biblioteca João Maria Stevanatto

Regulamento da Biblioteca João Maria Stevanatto Regulamento da Biblioteca João Maria Stevanatto Biblioteca Etec João Maria Stevanatto Regulamento Art.-1º USUÁRIOS BENEFICIADOS I - A biblioteca atende a todos os alunos matriculados, professores e funcionários.

Leia mais

Preâmbulo. Artigo nº 1

Preâmbulo. Artigo nº 1 Preâmbulo As bibliotecas actuais são, no contexto emergente da Sociedade de Informação e do Conhecimento, importantes pólos de interesse na vida social, cultural e educativa das suas comunidades de intervenção.

Leia mais

BIBLIOTECA REGULAMENTO

BIBLIOTECA REGULAMENTO BIBLIOTECA REGULAMENTO Agosto, 2010 SUMÁRIO INFORMAÇÕES GERAIS... 3 DAS FINALIDADES... 4 DA CONSULTA AO ACERVO... 4 DO EMPRÉSTIMO... 5 DOS TIPOS DE EMPRÉSTIMO... 5 DA RENOVAÇÃO... 6 DA RESERVA DE LIVROS...

Leia mais

DESPACHO. Nº. 14 Data: 2014/05/14 Para conhecimento de: Pessoal docente, discente e não docente. ASSUNTO: - Regulamento da Biblioteca - Alteração

DESPACHO. Nº. 14 Data: 2014/05/14 Para conhecimento de: Pessoal docente, discente e não docente. ASSUNTO: - Regulamento da Biblioteca - Alteração DESPACHO Nº. 14 Data: 2014/05/14 Para conhecimento de: Pessoal docente, discente e não docente ASSUNTO: - Regulamento da - Alteração Com o intuito de normalizar procedimentos referente ao funcionamento

Leia mais

Regulamento da Biblioteca e Gestão da Informação nos campi da Foz e Asprela

Regulamento da Biblioteca e Gestão da Informação nos campi da Foz e Asprela Regulamento da Biblioteca e Gestão da Informação nos campi da Foz e Asprela Campus Foz Rua Diogo Botelho, 1327 4169-005 Porto, Portugal t: 226196241 Campus da Asprela Rua Arquiteto Lobão Vital Apartado

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA FACULDADE CATÓLICA SANTA TERESINHA NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA CAICÓ-RN 1. DO OBJETIVO Art.1º - As NORMAS DE ATENDIMENTO regulam horário, consultas, empréstimo, renovação e cópias, compreendendo

Leia mais

POLíTICA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DA COLEÇÃO. da BIBLIOTECA ESCOLAR. Agrupamento de Escolas do Sudeste de Baião

POLíTICA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DA COLEÇÃO. da BIBLIOTECA ESCOLAR. Agrupamento de Escolas do Sudeste de Baião POLíTICA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DA COLEÇÃO da BIBLIOTECA ESCOLAR Agrupamento de Escolas do Sudeste de Baião ÍNDICE 1. Enquadramento teórico... 3 2. Prioridades da Coleção... 4 3. Avaliação da coleção...

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Dr. RAIMUNDO MARINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Dr. RAIMUNDO MARINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1 FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DO BAIXO SÃO FRANCISCO DR. RAIMUNDO MARINHO FACULDADE RAIMUNDO MARINHO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Dr. RAIMUNDO MARINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Seção I Da Biblioteca Art.

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO 2014/2017

PLANO DE ACÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO 2014/2017 PLANO DE ACÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO 2014/2017 1 O plano de ação que se apresenta teve por base as autoavaliações efetuadas durante os anos 2009-10; 2010-11;

Leia mais

Normas de Funcionamento da Sala de Estudo da Escola Secundária de Alves Redol

Normas de Funcionamento da Sala de Estudo da Escola Secundária de Alves Redol Normas de Funcionamento da Sala de Estudo da Escola Secundária de Alves Redol 1 I Disposições gerais Direcção Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo Artigo 1º Âmbito 1 O presente documento estabelece

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO

REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO Outubro de 2004 Caro utente: A Escola Superior de Tecnologia do Barreiro funciona actualmente em instalações provisórias que, embora de boa qualidade, apresentam

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2014-2015. Bibliotecas escolares do Agrupamento de escolas Mosteiro e Cávado

PLANO DE ATIVIDADES 2014-2015. Bibliotecas escolares do Agrupamento de escolas Mosteiro e Cávado 20142015 Bibliotecas escolares do Agrupamento de escolas Mosteiro e Cávado 20142015 Domínio A Currículo, literacias e aprendizagem Intervenientes Público alvo Datas Desenvolver atividades curriculares

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS. ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA do MARQUÊS

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS. ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA do MARQUÊS REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA do MARQUÊS Artigo 1º - Definição A Biblioteca Escolar - Centro de Recursos Educativos da Escola Secundária Quinta

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAPÁ CONSELHO SUPERIOR UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 003/2011 CONSU/UEAP

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAPÁ CONSELHO SUPERIOR UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 003/2011 CONSU/UEAP UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAPÁ CONSELHO SUPERIOR UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 003/2011 CONSU/UEAP Normatiza os serviços disponibilizados pelas Bibliotecas da Universidade do Estado do Amapá-UEAP. A Presidente

Leia mais

I. Informações gerais

I. Informações gerais NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA DA ORDEM DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS I. Informações gerais 1. Horário A Biblioteca funciona todos os dias úteis das 10.00 às 12.30 e das 14.00 às 18.00 horas.

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE VARGINHA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA. Dr. Wladimir de Rezende Pinto

FACULDADE DE DIREITO DE VARGINHA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA. Dr. Wladimir de Rezende Pinto FACULDADE DE DIREITO DE VARGINHA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Dr. Wladimir de Rezende Pinto Missão: Promover o desenvolvimento humano e social através da difusão de conhecimento, da formação ética, da competência

Leia mais

Regulamento dos Laboratórios de Física e Química

Regulamento dos Laboratórios de Física e Química Regulamento dos Laboratórios de Física e Química 1 Missão Os Laboratórios de Física e de Química são essencialmente um lugar de aprendizagem, onde se encontram todo o tipo de materiais, devidamente organizados

Leia mais

Regulamento da Biblioteca do Instituto de Seguros de Portugal. Capítulo I ASPECTOS GERAIS

Regulamento da Biblioteca do Instituto de Seguros de Portugal. Capítulo I ASPECTOS GERAIS Regulamento da Biblioteca do Instituto de Seguros de Portugal Capítulo I ASPECTOS GERAIS Artigo 1.º Objecto 1. O presente Regulamento estabelece um conjunto de normas a serem observadas e cumpridas pelos

Leia mais

Regulamento da Biblioteca Municipal de Mesão Frio

Regulamento da Biblioteca Municipal de Mesão Frio Regulamento da Biblioteca Municipal de Mesão Frio CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1 ÂMBITO DE APLICAÇÃO A Biblioteca Municipal de Mesão Frio fica sujeita às disposições constantes no presente regulamento.

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SERRA DA GARDUNHA ESCOLA BÁSICA SERRA DA GARDUNHA FUNDÃO REGULAMENTO SALAS INFORMÁTICA 25(TIC) E 26

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SERRA DA GARDUNHA ESCOLA BÁSICA SERRA DA GARDUNHA FUNDÃO REGULAMENTO SALAS INFORMÁTICA 25(TIC) E 26 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SERRA DA GARDUNHA ESCOLA BÁSICA SERRA DA GARDUNHA FUNDÃO REGULAMENTO SALAS INFORMÁTICA 25(TIC) E 26 2011 / 2012 REGULAMENTO SALA 25 (TIC) A Sala 25 (Sala TIC) destina-se preferencialmente

Leia mais

DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO

DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO BIBLIOTECA Regulamento À Biblioteca do ISCTE compete facultar, nas melhores condições de utilização, os recursos bibliográficos e informativos necessários

Leia mais

Processo de melhoria. Informação escolar. Processo de avaliação. Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014

Processo de melhoria. Informação escolar. Processo de avaliação. Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014 Processo de melhoria Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014 Recomendações do conselho pedagógico Não houve recomendações emanadas do Conselho Pedagógico. Data de apresentação à direção/ conselho

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA FAIT

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA FAIT REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA FAIT 0 SUMÁRIO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 02 TÍTULO II DOS USUÁRIOS... 02 TÍTULO III DO FUNCIONAMENTO... 02

Leia mais

Regimento das Bibliotecas Escolares

Regimento das Bibliotecas Escolares Regimento das Bibliotecas Escolares Escola Básica de Tondela Escola Secundária 3ºciclo de Molelos Escola Básica de Lajeosa do Dão Ano Letivo 2013/2014 Fundar Bibliotecas era construir celeiros públicos,

Leia mais

Anexo Res. CONSU Nº 40/2011. REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS MORFOLÓGICAS E MULTIDISCIPLINAR CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Anexo Res. CONSU Nº 40/2011. REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS MORFOLÓGICAS E MULTIDISCIPLINAR CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Anexo Res. CONSU Nº 40/2011. REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS MORFOLÓGICAS E MULTIDISCIPLINAR CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este Regulamento dispõe sobre a estruturação, utilização e

Leia mais

Biblioteca Mercedes Silva Pinto. Manual da Biblioteca. Aprenda a utilizar os recursos da Biblioteca Visite-a sempre e aproveite o acervo disponível

Biblioteca Mercedes Silva Pinto. Manual da Biblioteca. Aprenda a utilizar os recursos da Biblioteca Visite-a sempre e aproveite o acervo disponível Biblioteca Mercedes Silva Pinto Manual da Biblioteca Aprenda a utilizar os recursos da Biblioteca Visite-a sempre e aproveite o acervo disponível REGULAMENTO COMPLETO DA BIBLIOTECA I. Regulamento do Uso

Leia mais

Capítulo I. Da Finalidade

Capítulo I. Da Finalidade Dispõe sobre o Regulamento do Serviço de Circulação do Sistema de Bibliotecas (SiBi), da Universidade Federal do Paraná (UFPR) aprovado em Reunião de Chefias em 26 de fevereiro de 2015. Capítulo I Da Finalidade

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA SOCIEDADE CULTURAL E EDUCACIONAL DO INTERIOR PAULISTA FAIP

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA SOCIEDADE CULTURAL E EDUCACIONAL DO INTERIOR PAULISTA FAIP REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA SOCIEDADE CULTURAL E EDUCACIONAL DO INTERIOR PAULISTA FAIP SUMÁRIO DESCRIÇÃO PÁGINA TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 02 TÍTULO II DOS USUÁRIOS 02 TÍTULO III DO FUNCIONAMENTO

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2014-2015 BIBLIOTECAS ESCOLARES

PLANO DE ATIVIDADES 2014-2015 BIBLIOTECAS ESCOLARES 20142015 BIBLIOTECAS ESCOLARES 20142015 Domínio A Currículo, literacias e aprendizagem Intervenientes Público alvo Datas previstas Orçamento Desenvolver atividades curriculares com os docentes de Português

Leia mais