ESCOLA BÁSICA ALBERTO VALENTE REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESCOLA BÁSICA ALBERTO VALENTE REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR"

Transcrição

1 Agrupamento de Escolas José Maria dos Santos Pinhal Novo ESCOLA BÁSICA ALBERTO VALENTE REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR

2 REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR ARTIGO 1º DEFINIÇÃO A Biblioteca Escolar da, integrada no Agrupamento de Escolas José Maria dos Santos, adiante designada por BE, é um espaço vocacionado à leitura, à defesa e promoção da cultura e actividades lúdicas, constituída por um conjunto de recursos materiais (instalações e equipamentos) e por suportes de informação (escritos, audiovisuais e informáticos), organizados de modo a facilitar a sua utilização pela comunidade escolar. ARTIGO 2º OBJECTIVOS GERAIS São objectivos da BE: 1 Estimular a criatividade, a curiosidade intelectual e o sentido crítico dos estudantes, contribuindo para a sua educação, prazer e informação; 2 Apoiar os programas curriculares proporcionando abordagens diversificadas do processo de ensino/aprendizagem de modo a promover o sucesso escolar; conhecimento; 3 Incentivar a participação activa dos alunos na construção do seu próprio 4 Disponibilizar suportes de informação com vista ao desenvolvimento das capacidades de autonomia e à aquisição de competências de Recolha, Tratamento e Utilização da Informação; 5 Promover o contacto com as novas tecnologias; 2

3 6 Motivar os alunos para que recorram periodicamente à Biblioteca como meio de informação e formação contínua; 7 Criar espaços para exposições alusivas a datas comemorativas de relevo, destaques de livros, notícias de interesse escolar/comunitário e/ou trabalhos/elaborados pelos alunos. ARTIGO 3º RECURSOS DA BE A Espaço físico da BE 1. A BE é constituída por uma sala onde se encontram os seguintes sectores: a) Zona A Recepção/Atendimento - destina-se exclusivamente a ser usada pela Professora Bibliotecária; b) Zona B Leitura - destina-se à leitura silenciosa, consulta e investigação individualizada; c) Zona C Audiovisual - destina-se à audição/visualização de vídeos, DVD s e dinamização de actividades de carácter lúdico, integradas no âmbito da BE; d) Zona D Leitura Informal - destina-se à leitura recreativa de BD e outros; e) Zona E Multimédia - destina-se à utilização, consulta, pesquisa e produção/realização de trabalhos com o recurso ao computador e à Internet 2. A arrecadação existente no espaço da BE é para uso exclusivo da mesma. Nem todas as Bibliotecas possuem arrecadação. B Recursos Humanos A nível do Agrupamento de Escolas José Maria dos Santos, a Equipa Coordenadora das Bibliotecas Escolares é constituída por três Professoras Bibliotecárias, sendo uma destas a Coordenadora, e duas funcionárias auxiliares. 3

4 Para a Biblioteca a que se refere o presente Regulamento Interno (EB Alberto Valente) está designada uma Professora Bibliotecária que dividirá a sua actividade entre as BE da e da EB António Santos Jorge de acordo com o horário apresentado e afixado nas respectivas Bibliotecas Escolares. São funções da Professora Bibliotecária: O atendimento e orientação dos utilizadores A organização e manutenção do espaço da BE O registo manual e informático de todo o fundo documental O controlo dos empréstimos domiciliários O apoio aos alunos: na pesquisa de informação; na realização de trabalhos; na orientação da leitura A formação de utilizadores da BE O trabalho em articulação curricular com os Professores / Educadores A elaboração e apresentação em Conselho de Docentes de um Plano de Actividades e de um Relatório Anual A planificação e preparação em conjunto com a Equipa das Professoras Bibliotecárias das actividades a desenvolver A concretização das actividades planificadas A elaboração de Estatísticas Regulares A participação em Reuniões e Actividades relacionadas com a BE A Auto- Avaliação das BE s C Recursos Materiais Na BE existe mobiliário específico e equipamentos adequados ao seu funcionamento. ARTIGO 4º FUNCIONAMENTO 1 A BE estará em funcionamento de 2ª a 6ª Feira e terá o seu horário afixado em local visível; 4

5 2- O presente Regulamento deverá estar exposto em local acessível a todos os utilizadores que dele devem tomar conhecimento. 3- Não é permitido: - o acesso à BE de utilizadores portadores de casacos grandes, malas, mochilas e bonés; - falar em voz alta; - comer - mascar pastilhas 4. Os documentos com bola vermelha não podem ser requisitados para leitura domiciliária. 5. As obras estão arrumadas pelas categorias da Classificação Decimal Universal (CDU) a que correspondem: a) uma cor determinada; b) números de código; c) uma letra correspondente à primeira letra do apelido do autor, do título da colecção ou outras. Este conjunto de informações constitui a cota. 6. O empréstimo domiciliário só poderá ser feito pelos alunos nos dias estipulados para cada turma e na presença da Professora Bibliotecária, mediante apresentação do cartão do aluno e do preenchimento do respectivo impresso de requisições 7. O utilizador deverá comunicar à Professora Bibliotecária qualquer estrago nos documentos emprestados ou consultados. 8. O facto de a Professora Bibliotecária não estar presente na BE não impede o livre acesso, por parte dos Professores e Educadores, para requisição de documentos ou equipamentos para as aulas. 9. O mesmo se aplica à requisição do espaço da BE para aulas. 5

6 10. Nas situações referidas nos pontos 8 e 9, o Professor/ Educador fica responsável pela vigilância dos documentos consultados, no que diz respeito à conservação e à devolução dos mesmos. 11. Os utilizadores não deverão, em caso algum, repor nas prateleiras os livros ou documentos (em quaisquer suportes) que daí hajam retirado, devendo colocá-los no carrinho indicado para o efeito 12. Não é permitido escrever nos livros e demais documentos 13. Considera-se deterioração: cortar, rasgar, arrancar, escrever, pintar 14. As instalações da BE não podem ser utilizadas para outros fins, para além dos que lhe são específicos e inerentes: a) As Actividades Extra Curriculares não podem ser desenvolvidas no espaço das Bibliotecas escolares, de acordo com as indicações do Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares, uma vez que comprometem a organização do espaço, bem como a conservação e segurança dos documentos existentes. Podem os Professores, contudo, utilizar os recursos da BE (documentos e equipamento). b) Os manuais escolares não devem estar no espaço da BE, de acordo com as indicações do Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares. 15. A utilização de livros, revistas, jornais, meios audiovisuais e informáticos obedecerá a normas específicas. 16. As transgressões às regras de funcionamento são passíveis de sanções, segundo a gravidade da situação, sendo registadas em local apropriado - Livro de Ocorrências. 17. Quando o Professor / Educador pretender que alunos seus efectuem qualquer tipo de pesquisa, deve contactar antecipadamente a Professora Bibliotecária, a fim de que esta possa preparar os materiais. O Professor / Educador acompanha a sua turma. 6

7 18. Não são permitidos comportamentos que prejudiquem o trabalho dos outros utilizadores A. LIVROS, REVISTAS 1. Utilização dos documentos Fora do Espaço da BE a) Os Professores / Educadores poderão requisitar, para uso em sala de aula, todo o tipo de documento/ material. b) Os documentos / materiais da BE, para usar em sala de aula, exigem uma requisição obrigatoriamente feita pelo Professor / Educador. c) Os alunos só poderão fazer requisição domiciliária nos dias estipulados. d) Os documentos / materiais requisitados deverão ser devolvidos com a ficha de requisição, dentro do prazo estipulado e em bom estado. e) Todos os livros / documentos requisitados deverão ser devolvidos até ao dia 10 de Junho do ano lectivo correspondente. f) Durante o período de férias de Verão não há lugar a empréstimo domiciliário. g) As transgressões às regras de funcionamento são passíveis de sanções. 2 Empréstimo Domiciliário a) Os documentos com bola vermelha não podem ser requisitados para leitura domiciliária. Os livros do Plano Nacional de Leitura destinam-se apenas à leitura em sala de aula. b) As revistas apenas podem ser requisitadas para leitura domiciliária pelos Professores / Educadores, procedendo-se de igual modo à requisição de livros. c) O empréstimo domiciliário implica uma requisição d) A requisição domiciliária de livros é feita mediante o preenchimento da ficha 7

8 de requisição e obedece aos seguintes prazos: - Por períodos renováveis de sete dias - Até ao máximo de trinta dias - Não ultrapassando o limite de um livro de cada vez para os alunos - Não ultrapassando o limite de cinco livros de cada vez para os Professores / Educadores. - A não entrega dos livros dentro do prazo implica a impossibilidade de efectuar requisições até à devolução do mesmo. e) O empréstimo domiciliário só poderá ser feito pelos alunos nos dias estipulados para cada turma e na presença da Professora Bibliotecária, mediante apresentação do cartão do aluno e do preenchimento do respectivo impresso de requisições. f) As sanções por danos provocados são as seguintes: * Indemnizar a BE pelos danos ou perdas; * Substituir, no prazo de um mês o material requisitado perdido ou devolvido em mau estado. Esta substituição pode ser feita de duas formas: - Compra de um novo exemplar do mesmo documento - Pagamento do valor actual do documento perdido ou danificado B. EQUIPAMENTO E MATERIAL INFORMÁTICO 1. Utilização de Material Informático a) Os utilizadores do equipamento informático não podem: * Alterar as configurações do computador ou do software instalado. * Fazer downloads para o computador. * Instalar software e programas sem autorização da Professora Bibliotecária. 8

9 * Copiar qualquer tipo de ficheiros de disquetes, PEN, CD s, DVD s, MP3 e MP4 para o computador. * Na utilização da Internet é expressamente proibido o acesso ao «chat», o envio de s e usar a Internet para jogos. * É igualmente proibido o acesso a portais e sites de natureza pornográfica, racista, xenófoba que apelem à violência ou à superstição ou, de um modo geral, de tudo o que atente contra a dignidade humana. 2- Requisição de material informático a) O material e equipamento informático só pode ser requisitado por Professores / Educadores. b) Não há empréstimo domiciliário de material informático para alunos. c) A requisição do material e equipamento informático é feita mediante o preenchimento do impresso próprio existente na BE. d) As sanções por danos provocados são as seguintes: * Indemnizar a BE pelos danos ou perdas; * Substituir, no prazo de um mês o material requisitado perdido ou devolvido em mau estado. Esta substituição pode ser feita de duas formas: - Compra de um novo exemplar do mesmo documento - Pagamento do valor actual do documento perdido ou danificado C. EQUIPAMENTO E MATERIAL AUDIOVISUAL 1- Utilização de Material Audiovisual a) Só é permitida a utilização de cassetes áudio/vídeo, CD s, DVD s existentes na BE, exceptuando-se o material didáctico do próprio Professor / Educador. 9

10 b) Não é permitido o visionamento de canais televisivos. 2 - Requisição de Material Audiovisual a) O material e equipamento informático só pode ser requisitado por Professores / Educadores. b) Não há empréstimo domiciliário de material informático para alunos. c) A requisição do material e equipamento informático é feita mediante o preenchimento do impresso próprio existente na BE. d) As sanções por danos provocados são as seguintes: * Indemnizar a BE pelos danos ou perdas; * Substituir, no prazo de um mês o material requisitado perdido ou devolvido em mau estado. Esta substituição pode ser feita de duas formas: - Compra de um novo exemplar do mesmo documento - Pagamento do valor actual do documento perdido ou danificado ARTIGO 5º DIREITOS DOS UTILIZADORES O utilizador tem direito a: 1- Usufruir de todos os serviços prestados pela BE. 2- Ter livre acesso às estantes e outros espaços abertos ao público. 3- Solicitar cartão de leitor mediante as formalidades previstas. 4- Requisitar livros e outros documentos para consulta: a) Local b) Domiciliária: - Por períodos renováveis de sete dias - Até ao máximo de trinta dias 10

11 - Não ultrapassando o limite de um livro de cada vez para os alunos - Não ultrapassando o limite de cinco documentos de cada vez para os Professores /Educadores 5- Contar com o apoio da Professora Bibliotecária. 6- Tratando-se de um Professor / Educador, utilizar as instalações com uma turma, desde que cumpra todas as disposições constantes no presente Regulamento e se responsabilize pelo comportamento de cada um dos seus alunos. 7- Criticar construtivamente os serviços prestados e apresentar sugestões na «Caixa de Sugestões», devendo identificar-se. 8- Dispor de um ambiente calmo e agradável propício à leitura e ao estudo. ARTIGO 6º DEVERES DOS UTILIZADORES O utilizador deve: 1- Os utilizadores deverão respeitar as normas constantes deste Regulamento, tanto no que diz respeito à utilização do espaço da BE, como no que diz respeito à requisição de material. 2- Manter o silêncio indispensável ao ambiente de trabalho. 3- Conservar os espaços e os equipamentos limpos e arrumados. 4- Manter em bom estado os livros e outros documentos, equipamentos e mobiliário ao seu dispor. 5- Preencher os impressos usados na BE para requisição de livros, material informático e audiovisual e utilização de equipamentos, necessários ao trabalho de gestão e auto-avaliação da BE. 6- Possuir e apresentar o cartão de leitor, para a requisição domiciliária. 7- Cumprir o prazo estipulado para a devolução dos documentos requisitados. 8- Ficar impedido de efectuar novas requisições se não proceder à devolução dos documentos requisitados dentro dos prazos estabelecidos. 9- Indemnizar a BE pelos danos ou perdas que forem da sua responsabilidade 11

12 10- Substituir, no prazo de um mês, o material requisitado perdido ou devolvido em mau estado. Esta substituição pode ser feita de duas formas: - Compra de um novo exemplar do mesmo documento - Pagamento do valor actual do documento perdido ou danificado 11- Não requisitar qualquer documento três semanas antes do final do ano lectivo. 12- Acatar as indicações transmitidas ARTIGO 7º SUGESTÕES /RECLAMAÇÕES A Biblioteca Escolar dispõe de uma Caixa de Sugestões onde os seus utilizadores poderão deixar propostas ou reclamações, de forma identificada. As comunicações serão apreciadas e tratadas pela Equipa da Biblioteca Escolar. ARTIGO 8º CASOS OMISSOS Dos casos omissos neste Regulamento, caberá decisão à Equipa da Biblioteca Escolar e à Direcção do Agrupamento 12

Escola Básica 2º, 3º Ciclos José Maria dos Santos - Biblioteca Escolar

Escola Básica 2º, 3º Ciclos José Maria dos Santos - Biblioteca Escolar Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos José Maria dos Santos Artigo 1º Conceito 1. A Biblioteca é um serviço cultural que procura oferecer um ambiente agradável e silencioso propício à leitura, ao estudo e ao

Leia mais

BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS

BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS EB1/JI da Conquinha Conquinha REGIMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS 1 BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS Artigo 1º Definição A Biblioteca Escolar/Centro de Recursos da EB1/JI da Conquinha

Leia mais

Regulamento Interno AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS BIBLIOTECA ESCOLAR 2011 / 2012. Introdução

Regulamento Interno AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS BIBLIOTECA ESCOLAR 2011 / 2012. Introdução AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS BIBLIOTECA ESCOLAR 2011 / 2012 Regulamento Interno Introdução A Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas Martim de Freitas é parte integrante do processo educativo

Leia mais

ANEXO V NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

ANEXO V NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES ANEXO V NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES As normas de funcionamento e de utilização dos serviços prestados pelas BE do AEMTG estão definidas nos seguintes pontos: Ponto 1. Utilizadores

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA REGIMENTO DO CENTRO DE RECURSOS

ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA REGIMENTO DO CENTRO DE RECURSOS ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA REGIMENTO DO CENTRO DE RECURSOS I. ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO E EQUIPA EDUCATIVA Espaço 1. O Centro de Recursos Educativos (a seguir identificado pela sigla CRE) constitui

Leia mais

Escolas João de Araújo Correia

Escolas João de Araújo Correia Escolas João de Araújo Correia Regulamento Interno das Bibliotecas Escolares/ Centro de Recursos Educativos Artigo 1º Definição As Bibliotecas Escolares/Centro de Recursos Educativos do Agrupamento Dr.

Leia mais

Regulamento Interno da Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos

Regulamento Interno da Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos Regulamento Interno da Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos Capítulo I Artigo 1º Objeto e âmbito 1. A Biblioteca Escolar é uma estrutura fundamental da organização pedagógica da Academia, constituindo-se

Leia mais

REGIMENTO INTERNO BEESAP

REGIMENTO INTERNO BEESAP ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3.º CICLO DE ADOLFO PORTELA ÁGUEDA REGIMENTO INTERNO BEESAP I DEFINIÇÃO E ESPAÇOS A Biblioteca Escolar da Escola Secundária C/ 3.º Ciclo de Adolfo Portela é uma estrutura que recolhe

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MIRANDA DO DOURO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MIRANDA DO DOURO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRANDA DO DOURO REGIMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES 1 CAPÍTULO I ARTº. 1 DEFINIÇÃO DA BE/CRE O Agrupamento de Escolas de Miranda do Douro dispõe de três BE/CRE, uma em cada escola:

Leia mais

Escola EB 2,3 El-Rei D. Manuel I Alcochete REGULAMENTO DOS UTILIZADORES DA BE/CRE CAPÍTULO I PRINCÍPIOS NORMATIVOS

Escola EB 2,3 El-Rei D. Manuel I Alcochete REGULAMENTO DOS UTILIZADORES DA BE/CRE CAPÍTULO I PRINCÍPIOS NORMATIVOS REGULAMENTO DOS UTILIZADORES DA BE/CRE CAPÍTULO I PRINCÍPIOS NORMATIVOS A Biblioteca Escolar /Centro de Recursos Educativos (BE/CRE), empenhada no desenvolvimento da literacia dos alunos, na sensibilização

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES DE MAGALHÃES. Escola Básica Pedro Jacques de Magalhães. Biblioteca Escolar

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES DE MAGALHÃES. Escola Básica Pedro Jacques de Magalhães. Biblioteca Escolar AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES DE MAGALHÃES Escola Básica Pedro Jacques de Magalhães Biblioteca Escolar janeiro de 2013 1.1 Caracterização A BE integra o programa RBE desde 1999. É um centro de recursos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRÓGÃO GRANDE REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR. Artigo 1º Disposição geral

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRÓGÃO GRANDE REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR. Artigo 1º Disposição geral AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRÓGÃO GRANDE ESCOLA 2,3/S MIGUEL LEITÃO DE ANDRADA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR Artigo 1º Disposição geral A Biblioteca Escolar (BE) é um instrumento essencial no desenvolvimento

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Zona Urbana da Figueira da Foz Escola EB 2,3 Dr. João de Barros Escola EB 1 de Abadias Escola EB1 da Gala

Agrupamento de Escolas da Zona Urbana da Figueira da Foz Escola EB 2,3 Dr. João de Barros Escola EB 1 de Abadias Escola EB1 da Gala 0 Agrupamento de Escolas da Zona Urbana da Figueira da Foz Escola EB 2,3 Dr. João de Barros Escola EB 1 de Abadias Escola EB1 da Gala Regulamento das Bibliotecas Escolares Centro de Recursos Educativos

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CAMARATE REGIMENTO DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/ CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CAMARATE REGIMENTO DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/ CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO ESCOLA SECUNDÁRIA DE CAMARATE REGIMENTO DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/ CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS I HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO O horário de funcionamento da biblioteca deve ser tendencialmente

Leia mais

EXTERNATO DA LUZ. A Biblioteca encontra-se dividida em seis áreas funcionais de características diferentes:

EXTERNATO DA LUZ. A Biblioteca encontra-se dividida em seis áreas funcionais de características diferentes: EXTERNATO DA LUZ REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR 1.OBJETIVOS A Biblioteca do Externato da Luz tem por finalidade facilitar o acesso à cultura, à informação, à educação e ao lazer, bem como facultar aos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE NELAS Regimento da BIBLIOTECA/CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE NELAS Regimento da BIBLIOTECA/CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS ARTIGO I DEFINIÇÃO A Biblioteca/Centro de Recursos (BE/CRE) é entendida como um núcleo de organização pedagógica da escola vocacionado para o desenvolvimento de actividades culturais, das literacias da

Leia mais

BIBLIOTECA ESCOLAR REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO DA SILVA CORREIA

BIBLIOTECA ESCOLAR REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO DA SILVA CORREIA BIBLIOTECA ESCOLAR REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO DA SILVA CORREIA ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 CONDIÇÕES DE INSTALAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO... 3 1. A EQUIPA EDUCATIVA... 3 2. COMPETÊNCIAS

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES. Agrupamento de Escolas da Bemposta

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES. Agrupamento de Escolas da Bemposta NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES Agrupamento de Escolas da Bemposta PRINCÍPIOS GERAIS Objetivo O presente conjunto de Normas de Funcionamento define os princípios que devem ser conhecidos

Leia mais

2014-2015 REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR. Agrupamento de Escolas de Colos 1

2014-2015 REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR. Agrupamento de Escolas de Colos 1 2014-2015 REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR Agrupamento de Escolas de Colos 1 INTRODUÇÃO Este regimento é um documento onde estão registados os princípios de organização/gestão da Biblioteca Escolar

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DEPENALVA DO CASTELO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DEPENALVA DO CASTELO REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES No início de cada ano letivo, o horário da biblioteca será estabelecido de acordo com disponibilidades de funcionamento do Agrupamento e indo ao encontro das necessidades

Leia mais

Regimento das Bibliotecas Escolares

Regimento das Bibliotecas Escolares Regimento das Bibliotecas Escolares Escola Básica de Tondela Escola Secundária 3ºciclo de Molelos Escola Básica de Lajeosa do Dão Ano Letivo 2013/2014 Fundar Bibliotecas era construir celeiros públicos,

Leia mais

Regulamento da(s) Biblioteca(s)

Regulamento da(s) Biblioteca(s) Regulamento da(s) Biblioteca(s) Capítulo I Artigo 1.º A do Agrupamento de Escolas de Alfena é, de acordo com o artigo 111.º do Regulamento Interno do Agrupamento, um núcleo da organização pedagógica do

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS DO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DO BAIXO BARROSO

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS DO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DO BAIXO BARROSO DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO NORTE CENTRO DE ÁREA EDUCATIVA DE VILA REAL Cod. 345696 AGRUPAMENTO VERTICAL DO BAIXO BARROSO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS DO AGRUPAMENTO VERTICAL

Leia mais

BIBLIOTECA MUNICIPAL DE NISA. - Normas de Funcionamento -

BIBLIOTECA MUNICIPAL DE NISA. - Normas de Funcionamento - BIBLIOTECA MUNICIPAL DE NISA - Normas de Funcionamento - 1º - Definição A Biblioteca Municipal de Nisa é um equipamento cultural da Câmara Municipal de Nisa, estando ao dispor de toda a população, sem

Leia mais

R E G I M E N T O D A S B I B L I O T E C A S E S C O L A R E S D O A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S S Á D E M I R A N D A ( B E A S M )

R E G I M E N T O D A S B I B L I O T E C A S E S C O L A R E S D O A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S S Á D E M I R A N D A ( B E A S M ) Ano Letivo 2014/2015 R E G I M E N T O D A S B I B L I O T E C A S E S C O L A R E S D O A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S S Á D E M I R A N D A ( B E A S M ) [Agrupamento de Escolas Sá de Miranda]

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/CRE

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/CRE REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/CRE Aprovado em Conselho Pedagógico de 20 / 01 / 2010 Artigo 1.º Disposição Geral Na sociedade da informação e do conhecimento, a Biblioteca Escolar, como um imprescindível

Leia mais

Regulamento da Biblioteca da EB1/JI da Cruz da Areia Agrupamento de escolas José Saraiva

Regulamento da Biblioteca da EB1/JI da Cruz da Areia Agrupamento de escolas José Saraiva Regulamento da Biblioteca da EB1/JI da Cruz da Areia Agrupamento de escolas José Saraiva Artigo 1º DEFINIÇÃO A Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos da EB1/JI da Cruz da Areia é constituída

Leia mais

Regulamento de utilização da Biblioteca

Regulamento de utilização da Biblioteca Regulamento de utilização da Biblioteca REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA A Biblioteca do atmosfera m é um local dedicado à leitura e consulta de documentos e constitui uma das valências que o Montepio

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE ESCOLA BÁSICA DO 1º CICLO DO CASTELO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE ESCOLA BÁSICA DO 1º CICLO DO CASTELO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE ESCOLA BÁSICA DO 1º CICLO DO CASTELO BIBLIOTECA ESCOLAR REGIMENTO NORMAS DE FUNCIONAMENTO - TRIÉNIO 2010/2013 - EB1 do Castelo Rua Flores de Santa Cruz, 14 1100-245 Lisboa

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA SANTIAGO DO CACÉM MEDIATECA REGULAMENTO

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA SANTIAGO DO CACÉM MEDIATECA REGULAMENTO ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA SANTIAGO DO CACÉM MEDIATECA REGULAMENTO I - SETORES CONSTITUINTES A Direção de Instalações designada genericamente por Mediateca compreende cinco setores/áreas de intervenção:

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CENTRAL DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CENTRAL DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CENTRAL DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA 1. FUNDOS BIBLIOGRÁFICOS Os fundos disponíveis na Biblioteca têm classificações diferenciadas e estão sujeitos a condições

Leia mais

Ancorensis Cooperativa de Ensino

Ancorensis Cooperativa de Ensino Ancorensis Cooperativa de Ensino SUMÁRIO CAPÍTULO I GERAL Art.º 1º Definição... 3 Art.º 2º Objectivos... 3 Art.º 3º Espaço Físico... 4 Art.º 4º Horário... 5 Art.º 5º Equipa... 5 Art.º 6º Coordenador...

Leia mais

Regulamento da Biblioteca Municipal de Gouveia

Regulamento da Biblioteca Municipal de Gouveia Regulamento da Biblioteca Municipal de Gouveia Regulamento da Biblioteca Municipal Vergílio Ferreira Preâmbulo O presente regulamento pretende ser um instrumento regulador da actividade da Biblioteca Municipal

Leia mais

REGULAMENTO DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO

REGULAMENTO DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO CAPÍTULO I Artigo 4º Localização Os serviços descritos no ponto 2 do art. 1º estão dispensados da formalidade do cartão O Centro de Documentação e Informação de leitor. () encontra-se localizado no piso

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO

NORMAS DE FUNCIONAMENTO NORMAS DE FUNCIONAMENTO 1 NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA 1. Horário de funcionamento.pág. 3 2. Equipa da Biblioteca..pág. 4 3. Utilizadores e regras da Biblioteca.pág. 7 2 NORMAS DE FUNCIONAMENTO

Leia mais

Agrupamento das Escolas de Lordelo

Agrupamento das Escolas de Lordelo Agrupamento das Escolas de Lordelo Regimento Interno Biblioteca Escolar Capítulo I GESTÃO DOCUMENTAL ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO EQUIPA Ponto 1 (Definição) 1. A Biblioteca Escolar (adiante designada por BE)

Leia mais

INSTITUTO DE PROMOÇÃO SOCIAL DA BAIRRADA

INSTITUTO DE PROMOÇÃO SOCIAL DA BAIRRADA INSTITUTO DE PROMOÇÃO SOCIAL DA BAIRRADA Proposta de regulamento da BIBLIOTECA escolar I - CONCEITO A Biblioteca Escolar é um núcleo de organização pedagógica da Escola e deve ser entendida como um centro

Leia mais

ÍNDICE ARTº 1º - OBJECTO... 3 ARTº 2º - PRINCÍPIOS... 3 ARTº 3º - OBJECTIVOS... 3 ARTº 4º - EQUIPA RESPONSÁVEL... 4

ÍNDICE ARTº 1º - OBJECTO... 3 ARTº 2º - PRINCÍPIOS... 3 ARTº 3º - OBJECTIVOS... 3 ARTº 4º - EQUIPA RESPONSÁVEL... 4 ÍNDICE ARTº 1º - OBJECTO... 3 ARTº 2º - PRINCÍPIOS... 3 ARTº 3º - OBJECTIVOS... 3 ARTº 4º - EQUIPA RESPONSÁVEL... 4 ARTº 5º - FUNÇÕES DO PROFESSOR BIBLIOTECÁRIO... 4 ARTº 6 - ÁREAS FUNCIONAIS... 5 ARTº

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL Artigo 1.º Definição De acordo com o art.º 80 dos Estatutos da Escola Superior de Hotelaria (ESHTE) e Turismo do Estoril,

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CASA MUNICIPAL DA JUVENTUDE DE AVEIRO

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CASA MUNICIPAL DA JUVENTUDE DE AVEIRO NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CASA MUNICIPAL DA JUVENTUDE DE AVEIRO CAPÍTULO I Art. 1º - Definição a. A Casa Municipal da Juventude de Aveiro é um equipamento que a Câmara Municipal de Aveiro coloca ao dispor

Leia mais

Nota Introdutória. Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR)

Nota Introdutória. Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR) Nota Introdutória Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR) Apoiar e promover os objetivos educativos definidos de acordo com as finalidades e currículo

Leia mais

Computadores Portáteis. Regulamento de utilização

Computadores Portáteis. Regulamento de utilização Computadores Portáteis Regulamento de utilização 1 Introdução Os computadores portáteis estão disponíveis para: a) a utilização individual e profissional por professores; b) a utilização por professores,

Leia mais

REGRAS DE FUNCIONAMENTO DA BE/CRE

REGRAS DE FUNCIONAMENTO DA BE/CRE REGRAS DE FUNCIONAMENTO DA BE/CRE A Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos, constitui um espaço de encontro e partilha de aprendizagens e saberes, de pesquisa, gestão e disponibilização de informação,

Leia mais

REGIMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR JOSEFA DE ÓBIDOS (BEJO)

REGIMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR JOSEFA DE ÓBIDOS (BEJO) REGIMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR JOSEFA DE ÓBIDOS (BEJO) CAPÍTULO I Biblioteca Artigo 1º Definição de Biblioteca Escolar A Biblioteca escolar é um espaço educativo, um centro de recursos multimédia ao serviço

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR 2010/2011

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR 2010/2011 REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR 2010/2011 Página 1 de 9 CAPÍTULO I Definição, Missão, Objectivos da Biblioteca Escolar e Articulação Curricular Art. 01 Missão É missão da Biblioteca Escolar apoiar

Leia mais

1.2. Todo o utilizador pode contribuir para o desenvolvimento dos serviços prestados pela Biblioteca com sugestões ou com a sua participação.

1.2. Todo o utilizador pode contribuir para o desenvolvimento dos serviços prestados pela Biblioteca com sugestões ou com a sua participação. ANO LETIVO 2012-2013 GESTÃO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA E DO AUDITÓRIO 1. Regras Gerais 1.1. Todo o utilizador deve contribuir para que exista na Biblioteca um ambiente adequado ao estudo, ao trabalho individual

Leia mais

REGULAMENTO DA SALA DE LEITURA DO CENTRO CULTURAL SOLAR DOS CONDES DE VINHAIS

REGULAMENTO DA SALA DE LEITURA DO CENTRO CULTURAL SOLAR DOS CONDES DE VINHAIS REGULAMENTO DA SALA DE LEITURA DO CENTRO CULTURAL SOLAR DOS CONDES DE VINHAIS Nota Justificativa O presente regulamento, visando estabelecer normas para o funcionamento da sala de Leitura do denominado

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. A Biblioteca do IPAM tem como missão cuidar da recolha, do processamento, controlo, acesso e difusão da informação.

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. A Biblioteca do IPAM tem como missão cuidar da recolha, do processamento, controlo, acesso e difusão da informação. CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Constituição O Instituto Português de Administração de Marketing (IPAM) dispõe da Biblioteca IPAM, constituída por vários pólos que estabelecem um sistema integrado

Leia mais

E B I / J I d e T Á V O R A

E B I / J I d e T Á V O R A E B I / J I d e T Á V O R A R E G U L A M E N T O D E U T I L I Z A Ç Ã O D O S COMPUTA D O R E S PO R T Á T E I S O objectivo deste documento é regulamentar todas as actividades curriculares desenvolvidas,

Leia mais

DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO

DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO BIBLIOTECA Regulamento À Biblioteca do ISCTE compete facultar, nas melhores condições de utilização, os recursos bibliográficos e informativos necessários

Leia mais

Universidade do IVlinho Reitoria RT-71/2013. desdacho

Universidade do IVlinho Reitoria RT-71/2013. desdacho Universidade do IVlinho Reitoria desdacho RT-71/2013 As bibliotecas da Universidade são uma estrutura essencial de apoio ao trabalho dos alunos, professores e investigadores, representando um repositório

Leia mais

Escola Secundária da Ramada

Escola Secundária da Ramada Escola Secundária da Ramada Regulamento Interno da Biblioteca Artigo 1º Disposições Gerais 1. O presente regulamento aplica-se a todos os utilizadores da biblioteca. 2. A biblioteca destina-se a todos

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO

REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO Outubro de 2004 Caro utente: A Escola Superior de Tecnologia do Barreiro funciona actualmente em instalações provisórias que, embora de boa qualidade, apresentam

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS Capítulo I A Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos Art. 1º - DEFINIÇÃO As Bibliotecas Escolares/Centro de Recursos Educativos

Leia mais

PROCEDIMENTO INTERNO

PROCEDIMENTO INTERNO 1. Objectivo Definir quais os procedimentos a adoptar nas práticas do funcionamento do Núcleo de Documentação do Centro Hospitalar Cova da Beira. 2. Aplicação Bibliotecas do Núcleo de Documentação do Centro

Leia mais

Regulamento da Biblioteca João Maria Stevanatto

Regulamento da Biblioteca João Maria Stevanatto Regulamento da Biblioteca João Maria Stevanatto Biblioteca Etec João Maria Stevanatto Regulamento Art.-1º USUÁRIOS BENEFICIADOS I - A biblioteca atende a todos os alunos matriculados, professores e funcionários.

Leia mais

Regulamento Interno Da Biblioteca Escolar

Regulamento Interno Da Biblioteca Escolar Regulamento Interno Da Biblioteca Escolar Regulamento/Regimento Interno das Bibliotecas Escolares do Agrupamento Página 1 Índice 1. DEFINIÇÃO... 3 2. PRINCÍPIOS... 3 3. OBJECTIVOS... 3 4. ORGANIZAÇÃO E

Leia mais

Regulamento Interno da Biblioteca Escolar. (Anexo1 do Regulamento Interno do Agrupamento)

Regulamento Interno da Biblioteca Escolar. (Anexo1 do Regulamento Interno do Agrupamento) Regulamento Interno da Biblioteca Escolar (Anexo1 do Regulamento Interno do Agrupamento) ÍNDICE Capítulo I... 3 Artigo 1º... 3 Artigo 2º... 3 Artigo 3º... 3 Artigo 4.º... 4 Capítulo II... 5 Artigo 5º...

Leia mais

Normas de Funcionamento da Sala de Estudo da Escola Secundária de Alves Redol

Normas de Funcionamento da Sala de Estudo da Escola Secundária de Alves Redol Normas de Funcionamento da Sala de Estudo da Escola Secundária de Alves Redol 1 I Disposições gerais Direcção Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo Artigo 1º Âmbito 1 O presente documento estabelece

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DO ENTRONCAMENTO

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DO ENTRONCAMENTO BIBLIOTECA ESCOLAR REGIMENTO INTERNO REGIMENTO INTERNO O Princípio 7 da Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança afirma: Cada criança tem direito a receber educação ( ). Ser-lhe-á administrada

Leia mais

REGULAMENTO DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA E CIENTÍFICA DO INFARMED, I.P.

REGULAMENTO DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA E CIENTÍFICA DO INFARMED, I.P. REGULAMENTO DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA E CIENTÍFICA DO INFARMED, I.P. 1. ÂMBITO E MISSÃO... 2 2. LOCALIZAÇÃO... 2 3. HORÁRIO... 2 4. ACESSO... 2 5. LEITORES... 3 6. SERVIÇOS DISPONIBILIZADOS PELO

Leia mais

Regulamento dos Laboratórios de Física e Química

Regulamento dos Laboratórios de Física e Química Regulamento dos Laboratórios de Física e Química 1 Missão Os Laboratórios de Física e de Química são essencialmente um lugar de aprendizagem, onde se encontram todo o tipo de materiais, devidamente organizados

Leia mais

FACULDADE PIAGET SERVIÇO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO SDI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

FACULDADE PIAGET SERVIÇO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO SDI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA FACULDADE PIAGET SERVIÇO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO SDI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Faculdade PIAGET SERVIÇO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO SDI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DO ACESSO E DO FUNCIONAMENTO

Leia mais

Regulamento da Biblioteca Municipal de Mesão Frio

Regulamento da Biblioteca Municipal de Mesão Frio Regulamento da Biblioteca Municipal de Mesão Frio CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1 ÂMBITO DE APLICAÇÃO A Biblioteca Municipal de Mesão Frio fica sujeita às disposições constantes no presente regulamento.

Leia mais

REGULAMENTO DA REDE DE BIBLIOTECAS. Sumário

REGULAMENTO DA REDE DE BIBLIOTECAS. Sumário Página 1 de 13 Sumário Preâmbulo... 2 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 Artigo 1.º Constituição... 2 Artigo 2.º Sistema de utilização... 2 CAPÍTULO II UTILIZADORES DA REDE DE BIBLIOTECAS DO INSTITUTO

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO E UTILIZAÇÃO DO CENTRO MUNICIPAL DE JUVENTUDE /CENTRO DE ACTIVIDADES 1. Preâmbulo

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO E UTILIZAÇÃO DO CENTRO MUNICIPAL DE JUVENTUDE /CENTRO DE ACTIVIDADES 1. Preâmbulo REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO E UTILIZAÇÃO DO CENTRO MUNICIPAL DE JUVENTUDE /CENTRO DE ACTIVIDADES 1 Preâmbulo O Centro Municipal de Juventude/Centro de Actividades de Vila do Conde é uma extensão do Centro

Leia mais

ESCOLA SECU DÁRIA DA CIDADELA. Regulamento e Normas de utilização/funcionamento das salas com Equipamento Informático

ESCOLA SECU DÁRIA DA CIDADELA. Regulamento e Normas de utilização/funcionamento das salas com Equipamento Informático ESCOLA SECU DÁRIA DA CIDADELA Regulamento e Normas de utilização/funcionamento das salas com Equipamento Informático Ano lectivo 2009/2010 Áreas de trabalho individualizadas A utilização dos computadores

Leia mais

Regulamento de utilização Centros Informáticos 2008/2009

Regulamento de utilização Centros Informáticos 2008/2009 REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO EQUIPAMENTO INFORMÁTICO SALA 15 E LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA BLOCO 4 1 1 Introdução Este regulamento destina-se a promover uma utilização mais racional, disciplinada e eficiente

Leia mais

regulamento da rede de bibliotecas

regulamento da rede de bibliotecas Sumário Preâmbulo... 2 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 Artigo 1.º Constituição... 2 Artigo 2.º Sistema de utilização... 2 CAPÍTULO II UTILIZADORES DA REDE DE BIBLIOTECAS DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO 2014/2017

PLANO DE ACÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO 2014/2017 PLANO DE ACÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO 2014/2017 1 O plano de ação que se apresenta teve por base as autoavaliações efetuadas durante os anos 2009-10; 2010-11;

Leia mais

DESPACHO. Nº. 14 Data: 2014/05/14 Para conhecimento de: Pessoal docente, discente e não docente. ASSUNTO: - Regulamento da Biblioteca - Alteração

DESPACHO. Nº. 14 Data: 2014/05/14 Para conhecimento de: Pessoal docente, discente e não docente. ASSUNTO: - Regulamento da Biblioteca - Alteração DESPACHO Nº. 14 Data: 2014/05/14 Para conhecimento de: Pessoal docente, discente e não docente ASSUNTO: - Regulamento da - Alteração Com o intuito de normalizar procedimentos referente ao funcionamento

Leia mais

Apresentação. Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares. Oliveira de Azeméis Novembro 2007

Apresentação. Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares. Oliveira de Azeméis Novembro 2007 Apresentação Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares Oliveira de Azeméis Novembro 2007 Apresentação SABE 12-11-2007 2 Apresentação O conceito de Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares (SABE) que se

Leia mais

BIBLIOTECA MÈRE BLANCHOT REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA. Capítulo I - DISPOSIÇÕES GERAIS

BIBLIOTECA MÈRE BLANCHOT REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA. Capítulo I - DISPOSIÇÕES GERAIS BIBLIOTECA MÈRE BLANCHOT REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA Capítulo I - DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - Dos Clientes A Biblioteca Mère Blanchot presta serviços à comunidade acadêmica da Faculdade

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS CAPÍTULO I. Artigo 1.º. Objeto e âmbito

REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS CAPÍTULO I. Artigo 1.º. Objeto e âmbito REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS CAPÍTULO I Artigo 1.º Objeto e âmbito 1. A Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos (BE) é uma estrutura fundamental da organização

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS. ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA do MARQUÊS

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS. ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA do MARQUÊS REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA do MARQUÊS Artigo 1º - Definição A Biblioteca Escolar - Centro de Recursos Educativos da Escola Secundária Quinta

Leia mais

SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DIREÇÃO REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE LAGOA EB 2,3 Padre João José do Amaral

SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DIREÇÃO REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE LAGOA EB 2,3 Padre João José do Amaral SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DIREÇÃO REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE LAGOA EB 2,3 Padre João José do Amaral Sala de Apoio Multidisciplinar Regulamento Interno 1.

Leia mais

Regulamento da Biblioteca do Instituto de Seguros de Portugal. Capítulo I ASPECTOS GERAIS

Regulamento da Biblioteca do Instituto de Seguros de Portugal. Capítulo I ASPECTOS GERAIS Regulamento da Biblioteca do Instituto de Seguros de Portugal Capítulo I ASPECTOS GERAIS Artigo 1.º Objecto 1. O presente Regulamento estabelece um conjunto de normas a serem observadas e cumpridas pelos

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS INICIATIVA ESCOLAS, PROFESSORES E COMPUTADORES PORTÁTEIS EQUIPAMENTOS DO PROJECTO. Ano Lectivo 2006 / 07

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS INICIATIVA ESCOLAS, PROFESSORES E COMPUTADORES PORTÁTEIS EQUIPAMENTOS DO PROJECTO. Ano Lectivo 2006 / 07 REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS DO PROJECTO INICIATIVA ESCOLAS, PROFESSORES E COMPUTADORES PORTÁTEIS Ano Lectivo 2006 / 07 O equipamento informático afecto ao Projecto será partilhado por vários

Leia mais

Preâmbulo. Artigo nº 1

Preâmbulo. Artigo nº 1 Preâmbulo As bibliotecas actuais são, no contexto emergente da Sociedade de Informação e do Conhecimento, importantes pólos de interesse na vida social, cultural e educativa das suas comunidades de intervenção.

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO ESPAÇO INTERNET DE MOURA I - DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I. Artigo 1º. Definição

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO ESPAÇO INTERNET DE MOURA I - DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I. Artigo 1º. Definição REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO ESPAÇO INTERNET DE MOURA I - DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I Artigo 1º Definição O Espaço Internet de Moura define-se como um local destinado aos cidadãos que pretendam utilizar

Leia mais

Regulamento da Biblioteca

Regulamento da Biblioteca Regulamento da Biblioteca SANTA CRUZ DO RIO PARDO SP 2015 I. Do regulamento e sua aplicação Art. 01. O presente Regulamento contém as normas que regem e orientam as rotinas dos serviços prestados pela

Leia mais

Regulamento da Biblioteca e Gestão da Informação nos campi da Foz e Asprela

Regulamento da Biblioteca e Gestão da Informação nos campi da Foz e Asprela Regulamento da Biblioteca e Gestão da Informação nos campi da Foz e Asprela Campus Foz Rua Diogo Botelho, 1327 4169-005 Porto, Portugal t: 226196241 Campus da Asprela Rua Arquiteto Lobão Vital Apartado

Leia mais

Preâmbulo CAPÍTULO I. Disposições gerais. Artigo 1.º. Missão e atribuições

Preâmbulo CAPÍTULO I. Disposições gerais. Artigo 1.º. Missão e atribuições REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DO SINDICATO DOS MAGISTRADOS DO MINISTÉRIO PÚBLICO Preâmbulo A Biblioteca do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público foi criada em 1974, data da fundação do próprio Sindicato.

Leia mais

Regulamento da Biblioteca Pública de Fátima

Regulamento da Biblioteca Pública de Fátima Regulamento da Biblioteca Pública de Fátima Preâmbulo A Biblioteca Pública de Fátima é um serviço público concebido para proporcionar a todos os cidadãos o acesso à cultura, à informação, à educação e

Leia mais

I. Informações gerais

I. Informações gerais NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA DA ORDEM DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS I. Informações gerais 1. Horário A Biblioteca funciona todos os dias úteis das 10.00 às 12.30 e das 14.00 às 18.00 horas.

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SERRA DA GARDUNHA ESCOLA BÁSICA SERRA DA GARDUNHA FUNDÃO REGULAMENTO SALAS INFORMÁTICA 25(TIC) E 26

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SERRA DA GARDUNHA ESCOLA BÁSICA SERRA DA GARDUNHA FUNDÃO REGULAMENTO SALAS INFORMÁTICA 25(TIC) E 26 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SERRA DA GARDUNHA ESCOLA BÁSICA SERRA DA GARDUNHA FUNDÃO REGULAMENTO SALAS INFORMÁTICA 25(TIC) E 26 2011 / 2012 REGULAMENTO SALA 25 (TIC) A Sala 25 (Sala TIC) destina-se preferencialmente

Leia mais

Regulamento. Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço. Guarda. Câmara Municipal da Guarda

Regulamento. Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço. Guarda. Câmara Municipal da Guarda Regulamento Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço Guarda Câmara Municipal da Guarda Sumário: Página CAPÍTULO I ÂMBITO E ESTRUTURA 4 CAPÍTULO II SERVIÇOS PRESTADOS 9 CAPÍTULO III UTILIZADORES 19 CAPÍTULO

Leia mais

Anexo I. Regulamento de Funcionamento da Rede de Lojas Geração C

Anexo I. Regulamento de Funcionamento da Rede de Lojas Geração C Anexo I Regulamento de Funcionamento da Rede de Lojas Geração C INDICE 1 - Disposições Gerais da Rede de Lojas Geração C 2 - Disposições Especificas dos Espaços da Rede de Lojas Geração C 2.1 - Espaço

Leia mais

SERVIÇOS DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO CENTRO DE RECURSOS PARA A APRENDIZAGEM E INVESTIGAÇÃO

SERVIÇOS DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO CENTRO DE RECURSOS PARA A APRENDIZAGEM E INVESTIGAÇÃO www.ipiaget.org SDI SERVIÇOS DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO CENTRO DE RECURSOS PARA A APRENDIZAGEM E INVESTIGAÇÃO sdi@ipiaget.net Campus Académico de Macedo de Cavaleiros Campus Académico de Silves Campus

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA 1 Condições de acesso 1.1 O acesso é livre e gratuito. REGULAMENTO DA BIBLIOTECA 1.2 A admissão como utilizador faz-se mediante a apresentação do cartão do ISCAC no caso de docentes, funcionários e alunos

Leia mais

BIBLIOTECA: REGULAMENTAÇÃO E NORMAS ELABORAÇÃO: GISÉLIA FERREIRA DA SILVA Bibliotecária CRB-5/469

BIBLIOTECA: REGULAMENTAÇÃO E NORMAS ELABORAÇÃO: GISÉLIA FERREIRA DA SILVA Bibliotecária CRB-5/469 Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães, 222 Ponto Central CEP 44.032-620 Endereço

Leia mais

REGULAMENTO DA INCUBADORA DO TAGUSPARK

REGULAMENTO DA INCUBADORA DO TAGUSPARK REGULAMENTO DA INCUBADORA DO TAGUSPARK Data: Outubro de 2013 PARTE I Aspectos Gerais Artigo 1º (Âmbito) No presente regulamento definem-se os procedimentos de funcionamento da Incubadora do Taguspark,

Leia mais

Regulamento da Biblioteca Professor Morais Barbosa

Regulamento da Biblioteca Professor Morais Barbosa e Regulamento da Biblioteca Professor Morais Barbosa Capitulo I Da Biblioteca Professor Morais Barbosa Artigo 1.º Missão: A Biblioteca Professor Morais Barbosa (BPMB) tem por missão organizar, tratar,

Leia mais

BIBLIOTECA MUNICIPAL DAS CALDAS DA RAINHA PERGUNTAS FREQUENTES

BIBLIOTECA MUNICIPAL DAS CALDAS DA RAINHA PERGUNTAS FREQUENTES BIBLIOTECA MUNICIPAL DAS CALDAS DA RAINHA PERGUNTAS FREQUENTES CARTÃO DE LEITOR 1- Efectuar a inscrição como leitor? Para poder efectuar a inscrição como leitor, tem de residir no concelho. Os não residentes

Leia mais

ALIANÇA FRANCESA DO PORTO

ALIANÇA FRANCESA DO PORTO Natureza e objectivos Projecto de REGULAMENTO INTERNO ALIANÇA FRANCESA DO PORTO Introdução Aliança Francesa do Porto sede: Rua Santa Isabel, 88 4050-536 Porto contribuinte nº 507864549 telefone nº 226098616

Leia mais

Regulamento da Biblioteca. Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca.

Regulamento da Biblioteca. Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca. PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO Biblioteca Paulo Lacerda de Azevedo Regulamento da Biblioteca Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca. Usuários da Biblioteca Alunos

Leia mais

DESPACHO ISEP/P/40/2012. Regulamento da Biblioteca do Instituto Superior de Engenharia do porto

DESPACHO ISEP/P/40/2012. Regulamento da Biblioteca do Instituto Superior de Engenharia do porto DESPACHO DESPACHO ISEP/P/40/2012 Regulamento da Biblioteca do Instituto Superior de Engenharia do porto Considerando que: 1. As boas práticas de gestão impõem a existência de regras de organização claras

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE ALCOBAÇA

CÂMARA MUNICIPAL DE ALCOBAÇA REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO E UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA MUNICIPAL EM ALCOBAÇA Nota Justificativa Com o objectivo de facilitar o acesso dos cidadãos em geral e dos munícipes em especial à cultura, à informação,

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2014-2015. Bibliotecas escolares do Agrupamento de escolas Mosteiro e Cávado

PLANO DE ATIVIDADES 2014-2015. Bibliotecas escolares do Agrupamento de escolas Mosteiro e Cávado 20142015 Bibliotecas escolares do Agrupamento de escolas Mosteiro e Cávado 20142015 Domínio A Currículo, literacias e aprendizagem Intervenientes Público alvo Datas Desenvolver atividades curriculares

Leia mais

Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento

Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento orientações Rede Bibliotecas Escolares Sumário Nota introdutória... 2 Orientações Director... 3 Professor bibliotecário... 5 Docentes... 10

Leia mais