CARTÃO MEDICAMENTO RESPONSABILIDADE SOCIAL PROGRAMA DE FORNECIMENTO DE MEDICAMENTO À POPULAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CARTÃO MEDICAMENTO RESPONSABILIDADE SOCIAL PROGRAMA DE FORNECIMENTO DE MEDICAMENTO À POPULAÇÃO"

Transcrição

1 CARTÃO MEDICAMENTO RESPONSABILIDADE SOCIAL PROGRAMA DE FORNECIMENTO DE MEDICAMENTO À POPULAÇÃO

2 PROGRAMA CARTÃO MEDICAMENTO RESPONSABILIDADE SOCIAL, MEDICAMENTOS AO ALCANÇE DE TODOS. Os processos burocráticos para aquisição de medicamentos, a difícil tarefa de previsibilidade das doenças, pois todo medicamento tem validade, os cuidados com o correto armazenamento, os custos para os descartes dos vencidos e a exigência da Lei em contratar Profissional Farmacêutico responsável para o Setor, contribui para que todo o processo não consiga atingir níveis satisfatórios de todos os envolvidos, sejam eles funcionários, contratados ou os Cidadãos que necessitem de medicamentos. Consequentemente as responsabilidades sempre recaem sobre os dirigentes públicos, gerando grande desconforto e significativo desgaste político. O Programa Cartão Medicamento se propõe a ser a melhor ferramenta para que a Prefeitura disponibilize aos seus munícipes, os medicamentos prescritos em seus postos de saúde, atacando de imediato os sintomas e evitando o surgimento ou o desenvolvimento de novas patologias. OBJETIVOS - Conseguir tratar o necessitado eventual ou crônico de forma direta e pontual, sem limite de retirada dos medicamentos prescritos; - Reduzir no médio prazo as despesas municipais na área de saúde, através da redução do agravamento das patologias, seus conseqüentes gastos com internações em hospitais públicos e exames complementares de alta complexidade; - Promover o natural fechamento do ciclo da cura pela simples razão de que os Cidadãos terão acesso aos tratamentos medicamentosos de forma ininterrupta e completa, com cobertura de mais de 97% das ocorrências em ambulatórios e consultórios médicos e odontológicos; - Deixar o Dispensário dos postos de saúde apenas com medicamentos para o Pronto Atendimento, reduzindo a tarefa de reposição, logística de entrega, controle de estoque, ambientação, eventual necessidade de descarte. Para que isso ocorra de forma eficiente, o Projeto disponibiliza os medicamentos nas farmácias conveniadas todos os dias da semana; FUNCIONAMENTO DO PROGRAMA CARTÃO MEDICAMENTO - O Projeto inova o atual sistema de aquisição e distribuição de medicamentos com base no sistema de seguridade, onde a Prefeitura paga uma mensalidade fixa por Cidadão inscrito no Programa, disponibilizando os medicamentos prescritos na rede de farmácias credenciada. - A Prefeitura seleciona as Classes Terapêuticas prioritárias para atendimento à sua população.

3 - O desenvolvimento e implantação do Programa Cartão Medicamento estão isentos de custos. CARTÃO MEDICAMENTO - Todo cidadão inscrito no Programa receberá um cartão de identificação; MEMENTO - A Garantemed disponibiliza a título de sugestão, uma lista de medicamentos intitulada de Memento. A Prefeitura poderá incluir novos princípios ativos a serem cobertos pelo Programa, sendo que a amplitude da relação ou sua diminuição define o valor mensal per capta a ser pago.

4 CLASSES TERAPÊUTICAS COM COBERTURA NO PROGRAMA ANTIDEPRESSIVOS HIPOTENSORES ARTERIAIS ANTIÚLCERAS PÉPTICAS ANTI-HEMORROIDÁRIOS DIURÉTICOS ANTIINFLAMATÓRIOS ASSOCIAÇÃO HIPOTENSOR/DIURÉTICO ANTIBACTERIANOS HIPOTENSORES ARTERIAIS ANTILIPÊMICOS HIPOTENSORES ARTERIAIS ANSIOLÍTICOS/TRANQÜILIZANTES ANTIPARKINSONIANOS ANTIARRÍTMICOS ANTIPSICÓTICOS HIPOTENSORES ARTERIAIS ANTIEPILÉPTICOS ANTIDIABÉTICOS ANTIASMÁTICOS ANALGÉSICOS ANTIDIABÉTICOS HORMÔNIOS FEMININOS CONJUGADOS VASODILATADORES CORONARIANOS RECALCIFICANTES ANTIALÉRGICOS ANTICINETÓTICOS ANTI-HISTAMÍNICOS ANTAGONISTAS ANTIÁCIDOS GÁSTRICOS ANTIESPASMÓDICOS ANTIMANÍACOS URICORREDUTORES CARDIOTÔNICOS - ANTI-HELMÍNTICOS ANTICONVULSIVANTES MIORRELAXANTES ANTAGONISTAS ANTICONCEPCIONAIS ORAIS ANTIBACTERIANOS TÓPICOS HORMÔNIOS TIREOIDIANOS ANTIBACTERIANOS CONJUGADOS HORMÔNIOS SUPRA-RENAIS HIPOTENSORES ARTERIAIS HORMÔNIOS SUPRA-RENAIS TÓPICOS ANTIALOPECIA

5 HIPOTENSORES ARTERIAIS ANTITUSSÍGENOS ANTIMICÓTICOS MUCOLÍTICOS REMINERALIZANTES ANTIESPASMÓDICOS ANTIINFLAMATÓRIOS TÓPICOS ANTIFISÉTICOS AEROSSÓIS ANTI-SÉPTICOS ANTIANDROGÊNIOS ANTICOAGULANTES PSICOESTIMULANTES LAXATIVOS E PURGATIVOS AMEBICIDAS ANTI-HISTAMÍNICOS TÓPICOS ANTIMICÓTICOS TÓPICOS ANTIANÊMICOS ANTIVIRÓTICOS REIDRATANTES PRODUTOS DERMATOLÓGICOS ANTIENXAQUECA ANTIESCABIOSE ANTIEMÉTICOS ANTIBACTERIANOS TÓPICOS HORMÔNIOS SUPRA-RENAIS CONJUGADOS DESCONGESTIONANTES NASAIS COMPLEMENTO DIETÉTICO ANTIPROTOZOÁRIOS TÓPICOS ANTI-HELMÍNTICOS CONJUGADOS VITAMINAS ANTIDIARRÉICOS/ANTIDISENTÉRICOS ANTIGRIPAIS

6 CARTILHA DO USUÁRIO Contem orientação necessária para a utilização do Programa e a lista das Farmácias credenciadas. CONTRATAÇÃO - A Prefeitura contrata o projeto por meio de licitação pagando um valor mensal fixo por cada cidadão assistido, possibilitando aos departamentos competentes, planejarem os custos da pasta com medicamentos durante todo o ano. A Garantemed entrega à Prefeitura: - os cartões de identificação do Usuário; - listas dos medicamentos cobertos pelo Programa. - cartilha de orientação ao Usuário, contendo: a) Apresentação do Programa; b) Procedimentos do Usuário; c) Relação das farmácias credenciadas com seus respectivos endereços.

7 - O GaranteMed disponibiliza um exemplar da relação de medicamentos (Memento) cobertos para todos os Médicos e Clínicas conveniadas. COMO FUNCIONA Procura Usuário percebe o sintoma Médico Consulta e prescreve, usando o Memento Usuário vai a farmácia Farmácia Avia a receita Atendido Usuário recebe medicamentos Libera via web - O cidadão vai até o posto de saúde, consulta com o medico ou dentista que lhes prescreve uma receita; - Munido do cartão de identificação e um documento público de identidade, junto com a receita médica advinda de um médico ou dentista do Posto de Saúde ou credenciado, o Usuário vai até uma farmácia da rede autorizada e retira os medicamentos cobertos pelo Programa; - Toda aquisição de medicamentos é autorizada via WEB, proporcionando mais conforto ao usuário. O PROGRAMA CARTÃO MEDICAMENTO contempla ainda: Acesso permanente a qualquer farmácia credenciada, todos os dias da semana, inclusive com plantões 24 horas nas cidades onde houver o serviço, ampliando assim o tempo de atendimento. O Programa coloca à disposição dos médicos e usuários um número de telefone para chamadas gratuitas , através de uma equipe de farmacêuticas de 2ª a 6ª feiras, das 08h00 às 22h00 e aos domingos e feriados até as 20h00.

8 Atendimento sem filas, que geralmente não ocorre nos postos de saúde que convivem com a falta de medicamentos em seus estoques, causando grandes constrangimentos e insatisfações. A percepção da população quanto à presença constante e eficiente do Estado em momentos de tensão. Promover à inclusão social dando dignidade a grande maioria da população, evitando que ela fique aguardando muitas vezes por medicamentos não disponíveis nos Postos de Saúde, sendo pouco relevante o motivo dessa falta. Muito diferente do que ocorre nos dias atuais, onde os impostos e os empregos são gerados na cidade do fornecedor, o Programa incentiva a manutenção do emprego local, a geração dos impostos no próprio município e o fortalecimento do setor de fármacos da região; GESTÃO DE RISCOS A GaranteMed disponibiliza relatórios padrões para gestão de ações sociais e de medicina preventiva, criando assim um banco de dados importantíssimo para mapear pontualmente as deficiências, bem como elege as ações da atual e das futuras administrações. - Relatórios gerenciais customizados; * Apresentação de dados por área de interesse: * Demanda por classe terapêutica, ou principio ativo; * Perfil individual, familiar, ou por região; * Evolução cronológica de consumo; * Acompanhamento do tratamento, com alertas para quando houver interrupção.

9 GESTÃO DE MEDICAMENTOS GARANTEMED PERFIL PREFEITURA: DEMANDA POR AÇÃO TERAPÊUTICA RELATORIO PERFIL PREFEITURA EMPRESA PREFEITURA MUNICÍPIPAL DEMANDA POR ACÃO TERAPÊUTICA % DE PARTICIPAÇÃO CALCULADA COM BASE PREÇO DE VENDA PERÍODO MARÇO DE 2009 A FEVEREIRO DE 2010 AÇÃO TERAPÊUTICA 2009/ / / / / / / / / / / /02 TOTAL ANTIBIOTICOS E QUIMIOTERAPICOS 1,83% 2,54% 3,22% 1,96% 2,55% 1,81% 2,16% 2,41% 2,13% 1,74% 1,58% 2,08% 26,0% ANTIFÚNGICOS 0,74% 0,69% 1,09% 0,77% 1,18% 0,96% 0,65% 0,87% 0,68% 0,64% 0,60% 0,69% 9,6% VITAMINAS, MINERAIS E OLIGOELEMENTOS 0,41% 0,57% 0,75% 0,42% 0,45% 0,31% 0,31% 0,45% 0,33% 0,32% 0,25% 0,44% 5,0% ANTIINFLAMATÓRIOS NÃO-ESTERÓIDES (AINE) 0,43% 0,39% 0,51% 0,38% 0,39% 0,41% 0,28% 0,30% 0,36% 0,38% 0,34% 0,37% 4,5% ANALGÉSICOS 0,30% 0,41% 0,43% 0,33% 0,40% 0,36% 0,34% 0,48% 0,32% 0,28% 0,31% 0,58% 4,5% ANTIINFECCIOSOS VAGINAIS 0,34% 0,30% 0,35% 0,30% 0,41% 0,32% 0,35% 0,32% 0,25% 0,25% 0,24% 0,28% 3,7% ANTIULCEROSOS E ANTI-SECRETORES 0,48% 0,44% 0,42% 0,21% 0,26% 0,26% 0,13% 0,19% 0,14% 0,31% 0,27% 0,21% 3,3% INTESTINAIS E GENITURINÁRIOS 0,29% 0,28% 0,30% 0,23% 0,32% 0,33% 0,25% 0,19% 0,13% 0,17% 0,20% 0,24% 2,9% ANTI-HISTAMÍNICOS E CORTICÓIDES 0,21% 0,19% 0,34% 0,14% 0,27% 0,25% 0,33% 0,23% 0,24% 0,20% 0,13% 0,21% 2,7% ANTIMICÓTICOS TÓPICOS 0,19% 0,21% 0,21% 0,16% 0,24% 0,18% 0,20% 0,28% 0,18% 0,21% 0,23% 0,26% 2,6% Relatório de Tratamentos da População assistida por Ação Terapêutica Análise de concentração da demanda, ao longo de um período. Ações de Medicina preventiva, minimizando causas da concentração. Identificação da necessidade de detalhamento na utilização de medicamentos por perfil (individual, centro de custo, regionais, etc.) AREA DE ATUAÇÃO

10 DIFERENCIAL DA ADMINISTRAÇÃO Amparo e atendimento digno à saúde dos munícipes, assstida pelo Projeto Cartão Medicamento ; Otimização dos recursos disponíveis nas verbas vinculadas à saúde; A certeza de que o investimento retornará por diversos meios.

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PORTARIA Nº 111, DE 27 DE JUNHO DE 2012. Dispõe sobre normas técnicas e administrativas relacionadas à prescrição e dispensação de medicamentos e insumos do Componente Básico

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA AUXÍLIO-MEDICAMENTO PROMED

REGULAMENTO PROGRAMA AUXÍLIO-MEDICAMENTO PROMED REGULAMENTO DO PROGRAMA AUXÍLIO-MEDICAMENTO PROMED Fl. 02 ÍNDICE CAPÍTULO I - Do Programa Auxílio-Medicamento... 3 CAPÍTULO II - Das Definições Preliminares... 3 CAPÍTULO III - Dos Beneficiários... 4 CAPÍTULO

Leia mais

Projeto de Lei Nº... de 2007 (Dep. Pompeo de Mattos)

Projeto de Lei Nº... de 2007 (Dep. Pompeo de Mattos) Projeto de Lei Nº... de 2007 (Dep. Pompeo de Mattos) Dispõe sobre a criação do Programa de Medicamentos ao Trabalhador-PMT, em complemento aos programas de saúde assistencial ou ocupacional. O Congresso

Leia mais

Deliberação n.º 173/CD/2011

Deliberação n.º 173/CD/2011 Deliberação n.º 173/CD/2011 A Portaria n.º 1471/2004, de 21 de Dezembro, estabeleceu os princípios e regras a que deve obedecer a dimensão das embalagens dos medicamentos susceptíveis de comparticipação

Leia mais

www.saude.gov.br (Portal da saúde) Farmácia Popular do Brasil

www.saude.gov.br (Portal da saúde) Farmácia Popular do Brasil www.saude.gov.br (Portal da saúde) Farmácia Popular do Brasil O Governo Federal criou o Programa Farmácia Popular do Brasil para ampliar o acesso aos medicamentos para as doenças mais comuns entre os cidadãos.

Leia mais

ANEXO. (a que se refere o n.º 1 da Deliberação n.º 028/CD/2014) TABELA N.º 1. Tratamentos de curta ou média duração

ANEXO. (a que se refere o n.º 1 da Deliberação n.º 028/CD/2014) TABELA N.º 1. Tratamentos de curta ou média duração ANEXO (a que se refere o n.º 1 da Deliberação n.º 028/CD/2014) TABELA N.º 1 Tratamentos de curta ou média duração 1.1.1.1 - Medicamentos anti-infeciosos - Antibacterianos - Penicilinas - Benzilpenicilinas

Leia mais

PROMOÇÃO DA SAÚDE E PREVENÇÃO DE RISCOS E DOENÇAS NA SAÚDE SUPLEMENTAR

PROMOÇÃO DA SAÚDE E PREVENÇÃO DE RISCOS E DOENÇAS NA SAÚDE SUPLEMENTAR PROMOÇÃO DA SAÚDE E PREVENÇÃO DE RISCOS E DOENÇAS NA SAÚDE SUPLEMENTAR 1 Objetivo - identificar e valorizar, na saúde suplementar, experiências exitosas e inovadoras no Brasil, quanto a ações e programas

Leia mais

Classe de Renda (MSB) Classe de Renda (R$) Contribuição (R$)

Classe de Renda (MSB) Classe de Renda (R$) Contribuição (R$) Regras de Custeio Modelo de Securitização Prêmio e-pharma Valor pago pela Petrobras por beneficiário/mês (taxa de manutenção) Pré-pagamento Petrobras Arrecadação em Fundo (R$2,36-R$14,17) por beneficiário/mês

Leia mais

Junho 2013 1. O custo da saúde

Junho 2013 1. O custo da saúde Junho 2013 1 O custo da saúde Os custos cada vez mais crescentes no setor de saúde, decorrentes das inovações tecnológicas, do advento de novos procedimentos, do desenvolvimento de novos medicamentos,

Leia mais

Classe de Renda (MSB) Classe de Renda (R$) Contribuição (R$)

Classe de Renda (MSB) Classe de Renda (R$) Contribuição (R$) Regras de Custeio Modelo de Securitização Prêmio e-pharma Valor pago pela Petrobras por beneficiário/mês (taxa de manutenção) Pré-pagamento Petrobras Arrecadação em Fundo (R$2,36-R$14,17) por beneficiário/mês

Leia mais

LISTA DE MEDICAMENTOS DISPONIBILIZADOS PELA REDE PRÓPRIA

LISTA DE MEDICAMENTOS DISPONIBILIZADOS PELA REDE PRÓPRIA LISTA DE MEDICAMENTOS DISPONIBILIZADOS PELA REDE PRÓPRIA INDICAÇÃO MEDICAMENTO APRESENTAÇÃO ANALGÉSICO / ANTIPIRÉTICO / ESPASMOLÍTICO DIPIRONA GOTAS 500MG/ML ANALGÉSICO E ANTIPIRÉTICO / ANTIRREUMÁTICO

Leia mais

PRO JETO : COMPORTAMENTO DOS PREÇOS DE PRO D U TOS E S E RV IÇOS RELACIONADOS À SAÚDE ICV-DIEESE

PRO JETO : COMPORTAMENTO DOS PREÇOS DE PRO D U TOS E S E RV IÇOS RELACIONADOS À SAÚDE ICV-DIEESE PROJETO PARA APRESENTAÇÃO AO MINISTÉRIO DA SAÚDE PRO JETO : COMPORTAMENTO DOS PREÇOS DE PRO D U TOS E S E RV IÇOS RELACIONADOS À SAÚDE ICV-DIEESE PRODUTO II MAIO/2005 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO Título:

Leia mais

A Tecnologia da Informação e a saúde em Campinas.

A Tecnologia da Informação e a saúde em Campinas. A Tecnologia da Informação e a saúde em Campinas. BENATO, L. Informática dos Municípios Associados (IMA) Resumo Campinas-SP conta com mais de 1 milhão de usuários do SUS, incluindo os munícipes de Campinas

Leia mais

Promoção de Saúde e Qualidade de Vida Por que investir?

Promoção de Saúde e Qualidade de Vida Por que investir? Promoção de Saúde e Qualidade de Vida Por que investir? Discussão de Cases- Boas Práticas Luiz Henrique Picolo Furlan, MD, MSc Responsável Técnico do Plano de Saúde Fundação Copel Criada em 21/10/1971

Leia mais

Projeto de Ação Conjunta de Inspeções em Distribuidoras de Medicamentos

Projeto de Ação Conjunta de Inspeções em Distribuidoras de Medicamentos Agência Nacional de Vigilância Sanitária Projeto de Ação Conjunta de Inspeções em Distribuidoras de Medicamentos Gerência-Geral de Inspeção e Controle de Medicamentos e Produtos Gerência de Investigação

Leia mais

Promoção de Saúde e Qualidade de Vida Por que investir?

Promoção de Saúde e Qualidade de Vida Por que investir? Promoção de Saúde e Qualidade de Vida Por que investir? Discussão de Cases- Boas Práticas Luiz Henrique Picolo Furlan, MD, MSc Responsável Técnico do Plano de Saúde Fundação Copel Criada em 21/10/1971

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2012

PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 (Do Sr. Marco Tebaldi) Dispõe sobre o Programa de agendamento de consultas e entrega domiciliar de medicamentos de uso contínuo às pessoas portadoras de necessidades especiais

Leia mais

Índice. Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2

Índice. Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2 1 Índice Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2 A Empresa Informações sobre a empresa, farmacêuticas responsáveis, instalações, diferenciais

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE Prioritária 1: Manter o incentivo aos Programas do Núcleo Apoio da Saúde da Família

Leia mais

PREFEITURA DE NOVO HAMBURGO INFORMATIZA SERVIÇOS DE SAÚDE E TRAZ MELHORIAS PARA CIDADÃOS E PROFISSIONAIS DA REDE

PREFEITURA DE NOVO HAMBURGO INFORMATIZA SERVIÇOS DE SAÚDE E TRAZ MELHORIAS PARA CIDADÃOS E PROFISSIONAIS DA REDE Case de Sucesso Integrando CIOs, gerando conhecimento. PREFEITURA DE NOVO HAMBURGO INFORMATIZA SERVIÇOS DE SAÚDE E TRAZ MELHORIAS PARA CIDADÃOS E PROFISSIONAIS DA REDE Perfil A Secretaria Municipal da

Leia mais

A SAÚDE NO GOVERNO LULA PROGRAMA DE GOVERNO

A SAÚDE NO GOVERNO LULA PROGRAMA DE GOVERNO A SAÚDE NO GOVERNO LULA PROGRAMA DE GOVERNO ÍNDICE Diagnóstico Princípios Básicos: 1- Redefinição da atuação pública na saúde 2-Saúde como direito de todos 3-Estabilidade e continuidade das políticas de

Leia mais

PHARMACEUTICAL BENEFIT MANAGEMENT PBM

PHARMACEUTICAL BENEFIT MANAGEMENT PBM PHARMACEUTICAL BENEFIT MANAGEMENT PBM CONCEITO, DESCRIÇÃO E ASPECTOS CONTRATUAIS CASTRO PEIXOTO ADVOCACIA PBM - Pharmaceutical Benefit Management Conceito, descrição e aspectos contratuais 1. PBM Conceito

Leia mais

MÓDULO 1 Conhecendo o HÓRUS

MÓDULO 1 Conhecendo o HÓRUS MÓDULO 1 Conhecendo o HÓRUS Bem-vindo(a) ao primeiro módulo do curso! A partir de agora você conhecerá as principais características do sistema HÓRUS. Para iniciar, você saberia dizer por que este sistema

Leia mais

Aquisição e Gerenciamento de Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica

Aquisição e Gerenciamento de Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica Aquisição e Gerenciamento de Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica Maceió -Setembro/2013 HISTÓRICO PORTARIA GM/MS nº 3.916/98 POLÍTICA NACIONAL DE MEDICAMENTOS ESTABELECEU DIRETRIZES

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO 01.00

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO 01.00 PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO 01.00 TÍTULO: Programação dos Medicamentos do Consórcio pelo município SEÇÃO: Farmácia do Município Nº do POP 01.00 Nº da Revisão 01 OBJETIVO: Este POP tem como objetivo

Leia mais

Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde

Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde Smartcity Business América 2015 Curitiba PR Brazil Maio de 2015 Sociedades Inteligentes e Governaça Airton Coelho, MsC, PMP Secretário de Ciência e

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA 003/12. a) Todo o medicamento só poderá ser fornecido mediante apresentação de receita de profissional habilitado.

INSTRUÇÃO NORMATIVA 003/12. a) Todo o medicamento só poderá ser fornecido mediante apresentação de receita de profissional habilitado. SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE INSTRUÇÃO NORMATIVA 003/12 Dispõe sobre a obrigatoriedade no cumprimento das Normas e Rotinas de Dispensação, Solicitação de Medicamentos, Recebimento, Armazenamento e Controle

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

6ª Jornada de Gestão em Tecnologias da. Armazenamento e Distribuição de Materiais e Medicamentos em Ambientes Hospitalares

6ª Jornada de Gestão em Tecnologias da. Armazenamento e Distribuição de Materiais e Medicamentos em Ambientes Hospitalares 6ª Jornada de Gestão em Tecnologias da Informação em Saúde Armazenamento e Distribuição de Materiais e Medicamentos em Ambientes Hospitalares Pauta Apresentação da Associação Projeto de Automação na Farmácia

Leia mais

Assistência Multidisciplinar de Saúde ... ... ... ... ... ...

Assistência Multidisciplinar de Saúde ... ... ... ... ... ... Assistência Multidisciplinar de Saúde..................... AMS: Assistência Multidisciplinar de Saúde Benefício concedido pela Petrobras a todos os empregados, aposentados, pensionistas e seus respectivos

Leia mais

Tecnologia da Informação CAASP. DIS Departamento de Informática e Sistemas. Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP

Tecnologia da Informação CAASP. DIS Departamento de Informática e Sistemas. Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP Tecnologia da Informação CAASP DIS Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP Introdução...03 Projetos e Fatos Relevantes 2008...03 Raio X de Investimentos e Custos...10 Considerações

Leia mais

Objetivo Principal. Objetivos Secundários

Objetivo Principal. Objetivos Secundários Objetivo Principal O Personal Med Hospitalar foi resultado de um longo esforço de O&M em hospitais de vários portes e regiões do Brasil. O sistema foi concebido a partir do detalhamento de 176 processos

Leia mais

Tem por objetivo garantir a existência contínua de um estoque organizado, de modo a não faltar nenhum dos itens necessários à produção.

Tem por objetivo garantir a existência contínua de um estoque organizado, de modo a não faltar nenhum dos itens necessários à produção. Resumo aula 3 Introdução à gestão de materiais A gestão de materiais é um conjunto de ações destinadas a suprir a unidade com materiais necessários ao desenvolvimento das suas atribuições. Abrange: previsão

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE APLICAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS

ORIENTAÇÕES SOBRE APLICAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS ORIENTAÇÕES SOBRE APLICAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS 1) PAB FIXO Podem ser custeados com o PAB-FIXO, todos os procedimentos pertinentes à atenção básica da saúde (ambulatorial),

Leia mais

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE - PAS/SERPRO PERGUNTAS E RESPOSTAS

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE - PAS/SERPRO PERGUNTAS E RESPOSTAS PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE - PAS/SERPRO PERGUNTAS E RESPOSTAS Para que todos os empregados possam ter suas dúvidas esclarecidas, os questionamentos recebidos pela Comissão Saúde serão respondidos

Leia mais

RELATO DA INICIATIVA OU PROJETO

RELATO DA INICIATIVA OU PROJETO Prefeitura Municipal de Vitória Controladoria Geral do Município RELATO DA INICIATIVA OU PROJETO Nome da Iniciativa ou Projeto Portal de Transparência Vitória Caracterização da situação anterior O Portal

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO FINANCEIRA VICE-DIRETORIA ADMINISTRATIVA

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO FINANCEIRA VICE-DIRETORIA ADMINISTRATIVA POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO FINANCEIRA VICE-DIRETORIA ADMINISTRATIVA ABRIL 2011 1 1. APRESENTAÇÃO A expansão das atividades de ensino e melhoramento da infraestrutura física ofertada tem exigido da Faculdade

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são

Leia mais

Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul

Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul IPAM SAÚDE É O PLANO OFICIAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL Lei Complementar nº 298, de 20 de dezembro de 2007 Regulamentada pelo Decreto

Leia mais

I. Resumo de Serviços

I. Resumo de Serviços I. Resumo de Serviços Definição de Usuário Período de Vigência Serviços às Pessoas Farma Assist Entende-se por Usuário, no caso de pessoas físicas, o titular da apólice, desde que tenha residência habitual

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade Serviços Associados Manual de Procedimentos ATAP

Sistema de Gestão da Qualidade Serviços Associados Manual de Procedimentos ATAP Pág. 1 / 6 1 Objetivos do Programa Neste manual, estão descritos os procedimentos, a política e os pré-requisitos que regem o Programa para Assistência Técnica Autorizada Perto, singularmente denominada

Leia mais

Monitorização da Prescrição de Medicamentos Indicadores Nacionais Setembro 2011

Monitorização da Prescrição de Medicamentos Indicadores Nacionais Setembro 2011 Monitorização da Prescrição de Medicamentos Indicadores Nacionais Setembro 2011 Ministério da Saúde Lisboa, 19 de Setembro de 2011 0 1. Enquadramento A denominada prescrição electrónica de medicamentos

Leia mais

SISTEMA DE SOLUÇÕES PARA GESTÃO DE CLÍNICAS DE DIAGNÓSTICO POR IMAGENS

SISTEMA DE SOLUÇÕES PARA GESTÃO DE CLÍNICAS DE DIAGNÓSTICO POR IMAGENS SISTEMA DE SOLUÇÕES PARA GESTÃO DE CLÍNICAS DE DIAGNÓSTICO POR IMAGENS OBJETIVO DA SOLUÇÃO GERCLIM WEB A solução GERCLIM WEB tem por objetivo tornar as rotinas administrativas e profissionais de sua clínica,

Leia mais

Almox Express Especificação de Requisitos

Almox Express Especificação de Requisitos 1. Introdução Almox Express Especificação de Requisitos Este documento descreve um sistema de gerenciamento de almoxarifado, denominado de Almox Express, a ser desenvolvido por um grupo de estudo. Nele

Leia mais

ANEXO II QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, REQUISITOS E REMUNERAÇÃO

ANEXO II QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, REQUISITOS E REMUNERAÇÃO ANEXO II QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, REQUISITOS E REMUNERAÇÃO FUNÇÃO / REMUNERAÇÃO Médico Infectologista REQUISITO Medicina e Título de Especialista concedido pela Respectiva Sociedade de Classe ou Residência

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE INSTRUÇÃO NORMATIVA 4/07

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE INSTRUÇÃO NORMATIVA 4/07 SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE INSTRUÇÃO NORMATIVA 4/07 Dispõe sobre a obrigatoriedade no cumprimento das Normas e Rotinas de Dispensação, Solicitação de Material, Recebimento, Armazenamento e Controle

Leia mais

CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14

CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: FARMACOLOGIA BÁSICA Código: ODO-015 CH Total: 60 horas Pré-requisito:

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde Por uma política de saúde do trabalhador do SUS na Secretaria Municipal de Divinópolis/MG Marília Fraga Cerqueira

Leia mais

Estratégia de Desenvolvimento no Brasil e o Programa Bolsa Família. Junho 2014

Estratégia de Desenvolvimento no Brasil e o Programa Bolsa Família. Junho 2014 Estratégia de Desenvolvimento no Brasil e o Programa Bolsa Família Junho 2014 Estratégia de Desenvolvimento no Brasil Estratégia de desenvolvimento no Brasil Crescimento econômico com inclusão social e

Leia mais

Guia Prático de Utilização do Plano

Guia Prático de Utilização do Plano Guia Prático de Utilização do Plano Aqui você tem o que há de melhor para a sua saúde. O QUE É A UNIMED APRESENTAÇÃO Sua finalidade é prestar assistência médica e hospitalar de alto padrão, dentro do sistema

Leia mais

GERENCIADOR INTELIGENTE DE REDE DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA.

GERENCIADOR INTELIGENTE DE REDE DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA. GERENCIADOR INTELIGENTE DE REDE DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA. O e-eficiência foi desenvolvido em plataforma WEB, o que permite o acesso das pessoas autorizadas através de Desktops, Notebooks e Tablet s, propiciando

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

Assim que o usuário entrar nesta ferramenta do sistema a seguinte tela será exibida:

Assim que o usuário entrar nesta ferramenta do sistema a seguinte tela será exibida: O que é o TDMax Web Commerce? O TDMax Web Commerce é uma ferramenta complementar no sistemas de Bilhetagem Eletrônica, tem como principal objetivo proporcionar maior conforto as empresas compradoras de

Leia mais

RELAÇÃO MUNICIPAL DE MEDICAMENTOS

RELAÇÃO MUNICIPAL DE MEDICAMENTOS RELAÇÃO MUNICIPAL DE MEDICAMENTOS Seção B. Medicamentos por ordem alfabética Esta seção também apresenta a classificação farmacológica e as indicações de uso. Ressaltamos que os medicamentos podem apresentar

Leia mais

AME. Levando mais saúde para o cidadão. Junho 2009. PROCERGS - Centro de Soluções em Governo Eletrônico. Prêmio CONIP de Excelência

AME. Levando mais saúde para o cidadão. Junho 2009. PROCERGS - Centro de Soluções em Governo Eletrônico. Prêmio CONIP de Excelência PROCERGS - Centro de Soluções em Governo Eletrônico AME Levando mais saúde para o cidadão Prêmio CONIP de Excelência Categoria: Administração Pública Eficiente e Eficaz - Aplicações Voltadas para o Cidadão

Leia mais

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA. Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA. Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo Padrão Nível 1 Uso seguro e racional de medicamentos Dimensões da qualidade Aceitabilidade, adequação e integralidade Assistência Farmacêutica

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DA FARMÁCIA AGHU

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DA FARMÁCIA AGHU MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DA FARMÁCIA AGHU Pré- requisitos: - Perfil de acesso do funcionário - Cadastro do funcionário na farmácia que poderá ocorrer a dispensação. - Cadastro das unidades de internação.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM MEDICINA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL DA COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA -

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM MEDICINA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL DA COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA - TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM MEDICINA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL DA COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA - CODEBA 1. OBJETO Prestação de serviços em medicina

Leia mais

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA NO SUS Claudia Witzel

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA NO SUS Claudia Witzel ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA NO SUS Claudia Witzel CICLO DA ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA O Ciclo da Assistência Farmacêutica compreende um sistema integrado de técnicas, científicas e operacionais SELEÇÃO DE MEDICAMENTOS

Leia mais

CONCEITOS RELACIONADOS ÀS ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS NOS EPISÓDIOS 1, 2 E 3.

CONCEITOS RELACIONADOS ÀS ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS NOS EPISÓDIOS 1, 2 E 3. CONCEITOS RELACIONADOS ÀS ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS NOS EPISÓDIOS 1, 2 E 3. PROBLEMA: É UM OBSTÁCULO QUE ESTÁ ENTRE O LOCAL ONDE SE ESTÁ E O LOCAL EM QUE SE GOSTARIA DE ESTAR. ALÉM DISSO, UM PROBLEMA

Leia mais

A Saúde dos Portugueses que caminhos?

A Saúde dos Portugueses que caminhos? A Saúde dos Portugueses que caminhos? APRESENTAÇÃO Universidade A da [CLIENTE] Beira Interior Covilhã, 19.Maio.2007 PAGE 1 AGENDA Serviço Nacional de Saúde Financiamento privado: o caso MultiCare MultiCare

Leia mais

cartilha Cartão de Pagamento de Defesa Civil

cartilha Cartão de Pagamento de Defesa Civil cartilha Cartão de Pagamento de Defesa Civil 1 Índice Introdução...3 Público-alvo...3 Descrição... 3 Adesão... 3 Utilização... 3 Limites de utilização do produto... 4 Serviços e benefícios para a unidade...

Leia mais

LIVRETO EXPLICATIVO DO PLAM MASTER

LIVRETO EXPLICATIVO DO PLAM MASTER LIVRETO EXPLICATIVO DO PLAM MASTER INDIVIDUAL FAMILIAR OPERADORA Plano de Assistência Médica Mineira Ltda PLAM Inscrição na Agência Nacional de Saúde ANS nº 38.228-1 OPERADORA - Plano de Assistência Médica

Leia mais

Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado

Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos

Leia mais

RDC 60. Perguntas e Respostas. RDC nº 60, RDC 60 - PERGUNTAS E RESPOSTAS

RDC 60. Perguntas e Respostas. RDC nº 60, RDC 60 - PERGUNTAS E RESPOSTAS Regulamentação SOBRE AMOSTRAS GRÁTIS DE MEDICAMENTOS RDC 60 Perguntas e Respostas RDC nº 60, de 26 de NOVEmbro de 2009 1 Regulamentação SOBRE AMOSTRAS GRÁTIS RDC 60 Perguntas e Respostas RDC nº 60, de

Leia mais

INFORMATIZAÇÃO DE FARMÁCIAS PÚBLICAS UTILIZANDO SOFTWARE

INFORMATIZAÇÃO DE FARMÁCIAS PÚBLICAS UTILIZANDO SOFTWARE INFORMATIZAÇÃO DE FARMÁCIAS PÚBLICAS UTILIZANDO SOFTWARE Murilo Nunes Elias 1 1 Departamento de Informática e Estatística Universidade Federal de Santa Catarina(UFSC) Caixa Postal 475 88.040 900 Florianópolis

Leia mais

BENEFÍCIOS FLEXÍVEIS. HuggardCaine Consultoria e Gestão em RH

BENEFÍCIOS FLEXÍVEIS. HuggardCaine Consultoria e Gestão em RH BENEFÍCIOS FLEXÍVEIS HuggardCaine Consultoria e Gestão em RH O QUE SÃO BENEFÍCIOS FLEXÍVEIS? Escolha da empresa Nenhuma escolha Escolha do funcionário Regras da empresa Regras Livres Upgrades Bene,cios

Leia mais

O PACTO PELA VIDA É UM DOS SUBCOMPONENTES DO PACTO PELA SAÚDE PORTARIA 399/06. É O MARCO JURÍDICO DA PRIORIZAÇÃO DA SAÚDE DO IDOSO NO BRASIL

O PACTO PELA VIDA É UM DOS SUBCOMPONENTES DO PACTO PELA SAÚDE PORTARIA 399/06. É O MARCO JURÍDICO DA PRIORIZAÇÃO DA SAÚDE DO IDOSO NO BRASIL SAÚDE DO IDOSO CURSO ESPECÍFICOS ENFERMAGEM - A Saúde do Idoso aparece como uma das prioridades no Pacto pela Vida, o que significa que, pela primeira vez na história das políticas públicas no Brasil,

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

Perguntas e respostas sobre a RDC nº 44/2010

Perguntas e respostas sobre a RDC nº 44/2010 Perguntas e Respostas (atualizada em 27/01/2011) 1. De que trata a RDC 44/2010? Esta resolução estabelece novos mecanismos para a prescrição e o controle da dispensação de medicamentos antimicrobianos.

Leia mais

CURSO: O SUS PARA NOVOS SECRETÁRIOS DE SAÚDE. Início da Nova Gestão Diagnóstico, Planejamento e Controle Social.

CURSO: O SUS PARA NOVOS SECRETÁRIOS DE SAÚDE. Início da Nova Gestão Diagnóstico, Planejamento e Controle Social. CURSO: O SUS PARA NOVOS SECRETÁRIOS DE SAÚDE. Início da Nova Gestão Diagnóstico, Planejamento e Controle Social. TRANSIÇÃO Organograma Oficial da Secretaria com os atuais ocupantes, condição (efetivo ou

Leia mais

Longo caminho. Acontece no mundo inteiro. Os doentes crônicos

Longo caminho. Acontece no mundo inteiro. Os doentes crônicos Gestão Foto: dreamstime.com Longo caminho Medida da ANS inicia discussão sobre a oferta de medicamentos ambulatoriais para doentes crônicos pelas operadoras de saúde Por Danylo Martins Acontece no mundo

Leia mais

Agenda. Prós e contras do oferecimento do beneficio farmacêutico pelas Operadoras. Dados que comprovem suas vantagens e desvantagens

Agenda. Prós e contras do oferecimento do beneficio farmacêutico pelas Operadoras. Dados que comprovem suas vantagens e desvantagens ANS Set 2011 Agenda Prós e contras do oferecimento do beneficio farmacêutico pelas Operadoras Dados que comprovem suas vantagens e desvantagens como vc proporia esse beneficio Como se operacionalizar (lista

Leia mais

5.1 Nome da iniciativa ou Projeto. Academia Popular da Pessoa idosa. 5.2 Caracterização da Situação Anterior

5.1 Nome da iniciativa ou Projeto. Academia Popular da Pessoa idosa. 5.2 Caracterização da Situação Anterior 5.1 Nome da iniciativa ou Projeto Academia Popular da Pessoa idosa 5.2 Caracterização da Situação Anterior O envelhecimento é uma realidade da maioria das sociedades. No Brasil, estima-se que exista, atualmente,

Leia mais

Sistema de Informações Gerenciais (Roteiro de Demonstração)

Sistema de Informações Gerenciais (Roteiro de Demonstração) #.1.1 Disponibilizar informações de interesse do administrador, através de integração com diversos sistemas da administração municipal; Arquivos > Customização do Sistema #.1.2 #.1.3 #.1.4 #.1.5 Permitir

Leia mais

Edifício Itower Manual do Credenciado

Edifício Itower Manual do Credenciado Edifício Itower Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos de atendimento.

Leia mais

O SISTEMA DE PARCERIAS COM O TERCEIRO SETOR NA CIDADE DE SÃO PAULO

O SISTEMA DE PARCERIAS COM O TERCEIRO SETOR NA CIDADE DE SÃO PAULO O SISTEMA DE PARCERIAS COM O TERCEIRO SETOR NA CIDADE DE SÃO PAULO Januário Montone II Congresso Consad de Gestão Pública Painel 23: Inovações gerenciais na saúde O SISTEMA DE PARCERIAS COM O TERCEIRO

Leia mais

PORTARIA Nº 876/GM, DE 16 DE MAIO DE 2013. p. DOU, Seção1, de 17.5.2013, págs. 135/136

PORTARIA Nº 876/GM, DE 16 DE MAIO DE 2013. p. DOU, Seção1, de 17.5.2013, págs. 135/136 PORTARIA Nº 876/GM, DE 16 DE MAIO DE 2013 p. DOU, Seção1, de 17.5.2013, págs. 135/136 Dispõe sobre a aplicação da Lei nº 12.732, de 22 de novembro de 2012, que versa a respeito do primeiro tratamento do

Leia mais

Aula 7: Controle Sanitário (Lei 5991/73) Profa. Camila Barbosa de Carvalho

Aula 7: Controle Sanitário (Lei 5991/73) Profa. Camila Barbosa de Carvalho Aula 7: Controle Sanitário (Lei 5991/73) Profa. Camila Barbosa de Carvalho Lei 5991/73 Dispõe sobre o controle sanitário do comércio de drogas, medicamentos, insumos farmacêuticos e correlatos, e dá outras

Leia mais

Tecnologia gerando valor para a sua clínica.

Tecnologia gerando valor para a sua clínica. Aumente a eficiência de seu negócio O sclínica é a ferramenta ideal para a gestão de clínicas de diagnóstico. Desenvolvido a partir das necessidades específicas deste mercado, oferece uma interface inteligente,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 (Do Sr. Ronaldo Nogueira) Dispõe o credenciamento de profissionais e de empresas da área de saúde, para o atendimento de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) em nível ambulatorial.

Leia mais

PESSOA FÍSICA e PESSOA JURÍDICA

PESSOA FÍSICA e PESSOA JURÍDICA MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS SIASGnet - SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DE SERVIÇOS GERAIS

Leia mais

1 LEI Nº 005/2014 DE 04 DE FEVEREIRO DE 2014 Autoriza à doação de Cestas Básicas do Programa Cesta Solidária a família de baixa renda e dá outras providências legais que específica. ANDRÉ LUIZ SEVERINO

Leia mais

Superintendência de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Primária

Superintendência de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Primária Superintendência de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Primária MARÇO/2014 Política Nacional de Atenção Básica Portaria n. 2488, de 21 de outubro de 2011. Das Funções na Rede de Atenção à Saúde Decreto

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

COMERCIAL) 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. E-

COMERCIAL) 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. E- 2014 ÍNDICE 1. Cadastros básicos 2. Módulos básicos (Incluso em todas as versões) CMC BASE 3. Agenda 4. Arquivos 5. Empresas ou Cadastros de empresas 6. Pessoas ou cadastro de pessoas 7. Módulos que compõem

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR Regulamento do Programa de Assistência Domiciliar aprovado pelo Conselho REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA DOMILICIAR CAPITULO I DEFINIÇÕES GERAIS

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA Quando da apresentação de protocolos, manual de normas e rotinas, procedimento operacional padrão (POP) e/ou outros documentos,

Leia mais

II Seminário de Hospitais de Ensino do Estado de São Paulo

II Seminário de Hospitais de Ensino do Estado de São Paulo II Seminário de Hospitais de Ensino do Estado de São Paulo Conhecendo o Grupo 18 COLÉGIOS - PR / SC / RJ / SP/ RS 1 HOSPITAL UNIVERSITÁRIO - HUSF FUNCLAR FUNDAÇÃO CLARA DE ASSIS UNIFAG UNIDADE DE PESQUISA

Leia mais

EIXO DE APRENDIZAGEM: CERTIFICAÇÃO E AUDITORIA Mês de Realização

EIXO DE APRENDIZAGEM: CERTIFICAÇÃO E AUDITORIA Mês de Realização S QUE VOCÊ ENCONTRA NO INAED Como instituição que se posiciona em seu mercado de atuação na condição de provedora de soluções em gestão empresarial, o INAED disponibiliza para o mercado cursos abertos,

Leia mais

Perguntas e respostas sobre a RDC nº 44/2010

Perguntas e respostas sobre a RDC nº 44/2010 1. De que trata a RDC 44/2010? Esta resolução estabelece novos mecanismos para a prescrição e o controle da dispensação de medicamentos antimicrobianos. As novas regras estabelecem adequações de embalagem

Leia mais

PREFEITURA DE XINGUARA

PREFEITURA DE XINGUARA 50/000-20 Anexo IV - Programas, Metas e Ações - (PPA Inicial) Página de 5 Programa: 000 AÇÃO LEGISLATIVA Manutenção da CMX através do apoio financeiro às atividades legislativas, custeio de despesas administrativas,

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO PROCEDIMENTO DE MONITORAMENTO DO ATENDIMENTO AO CLIENTE

SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO PROCEDIMENTO DE MONITORAMENTO DO ATENDIMENTO AO CLIENTE Sistema de Gestão da Qualidade SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO PROCEDIMENTO DE MONITORAMENTO DO ATENDIMENTO AO CLIENTE Responsável: Márcio Gláucio Maia da Silva Cópia Controlada

Leia mais

PARECER Nº, DE 2015. RELATOR: Senador BENEDITO DE LIRA

PARECER Nº, DE 2015. RELATOR: Senador BENEDITO DE LIRA PARECER Nº, DE 2015 1 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 218, de 2011, do Senador EUNÍCIO OLIVEIRA, que dispõe sobre o empregador arcar com os

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO. Categoria Franqueador Senior

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO. Categoria Franqueador Senior PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueador Senior Dados da empresa Razão Social: Sorridents Franchising Ltda Nome Fantasia: Sorridents Clínicas Odontológicas

Leia mais

RETIFICAÇÃO DO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO 2014/01

RETIFICAÇÃO DO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO 2014/01 RETIFICAÇÃO DO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO 2014/01 A Associação Beneficente de Saúde ASBESAAN, entidade de direito privado e sem fins lucrativos, qualificado como Organização Social, através do Decreto

Leia mais

Experiência: Sistema de Controle logístico de Medicamentos Antirretrovirais - SICLOM

Experiência: Sistema de Controle logístico de Medicamentos Antirretrovirais - SICLOM Experiência: Sistema de Controle logístico de Medicamentos Antirretrovirais - SICLOM Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Responsável: Juliana Monteiro da Cruz, Gerente de Desenvolvimento

Leia mais

SERVIÇO DE FARMÁCIA DO HC/UFTM

SERVIÇO DE FARMÁCIA DO HC/UFTM SERVIÇO DE FARMÁCIA DO HC/UFTM Suely da Silva - Chefe da Unidade de Dispensação Farmacêutica do HC/UFTM - Filial EBSERH Mauritânia Rodrigues Ferreira Cajado - Farmacêutica da Dispensação do HC/UFTM Introdução

Leia mais

Marcelo Antonio de Souza Registro na SUSEP sob N.º 20.2001208-0

Marcelo Antonio de Souza Registro na SUSEP sob N.º 20.2001208-0 A vida das pessoas muda constantemente. As suas preferências, necessidades e objetivos são determinados de acordo com cada fase: a faculdade, o casamento, o nascimento do primeiro filho ou a aposentadoria.

Leia mais