Sul América Companhia de Seguro Saúde CNPJ /

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sul América Companhia de Seguro Saúde CNPJ 01.685.053/0001-56"

Transcrição

1 Seguro Saú Prezados Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação V.Sas. as monstrações financeiras da Seguro Saú ( Companhia ),relativasaoexercícioencerradoem31/12/,acompanhadas das respectivas notas explicativas e do Relatório dos Auditores Inpenntes. As monstrações financeiras foram elaboradas com base na legislação societária, nas normas do Conselho e nos pronunciamentos, interpretações e orientações emitidas pelo Comitê Pronunciamentos Contábeis (CPC), quando referendados pela Agência Nacional Saú Suplementar (ANS). 1. Conjuntura econômica: A crise mundial peru força ao longo e as políticas estímulo adotadas pela maioria dos países senvolvidos possibilitaram a retomada do crescimento, com staque a recuperação dos EUA, compensando uma menor expansão apresentada pelas economias emergentes. O PIB mundial apresentou crescimento 2,9% em criando as bases um melhor sempenho em O governo brasileiro manteve a política econômica adotada em, voltada proteger o País dos efeitos correntes da crise econômica internacional. Alguns incentivos fiscais e creditícios foram colocados em prática buscando estimular o consumo e os investimentos. O consumo se manteve como o principal motor do crescimento, à semelhança do observado em anos anteriores. Já os investimentos foram estimulados pelos gastos em infraestrutura e pelas concessões realizadas ao longo do ano. Os distúrbios políticos em meados do ano e a alta dos juros internacionais, vido à maior expansão da economia americana, abalaram a confiança das empresas e consumidores, minando o crescimento no 2º semestre. O PIB em, o qual era esperado avanço 3,0%, encerrou o ano com crescimento em torno 2,5%. A sconexão entre consumo e produção permaneceu em, levando à redução do superávit externo, bem como a crescentes pressões inflacionárias.visando impedir que a inflação fugisse controle, o Banco Central iniciou um novo ciclo aperto monetário em, elevando a taxa SElIC 7,25% 10,0% no período. A inflação fechou em 5,9%, muito próxima da registrada em (5,8%). Durante o processo recuperação econômica dos EUA, o Banco Central americano u sinais que iniciaria o processo normalização da política monetária a partir do início Isso u início a um processo realocação recursos pelo mundo, que fortaleceu o dólar americano e svalorizou as cotações das commodities e ativos dos mercados emergentes em geral. O mercado ações brasileiro, representado pelo índice Ibovespa, recuou 15,5% em. No mesmo período, o Real mostrou preciação 14,6%. 2. Principais informações financeiras: Resultado (R$ milhões) Var. Prêmios ganhos plano assistência à saú , ,0 276,4% Sinistros retidos... (4.720,6) (1.391,6) (239,2%) Resultado das operações com planos assistência à saú ,3 144,4 634,2% Resultado bruto ,9 117,4 666,4% Resultado financeiro líquido ,9 62,7 110,5% Resultado patrimonial ,4 358,9 (58,9%) Resultado antes dos impostos e participações. 446,8 411,2 8,7% Resultado líquido ,7 388,3 (5,3%) 3. Comentário sobre o sempenho: No exercício findo em 31/12/, os prêmios ganhos pela Companhia totalizaram R$5.780,9 milhões, com aumento 276,4%. Os sinistros retidos somaram R$4.720,6 milhões, representando 81,7% Ativo Notas Circulante Disponível Realizável Aplicações financeiras Aplicações vinculadas a provisões técnicas Aplicações não vinculadas Créditos operações com planos assistência à saú Prêmio a receber Operadoras planos assistência à saú Outros créditos operações com planos assistência à saú Despesas diferidas Créditos tributários e previnciários Bens e títulos a receber Despesas antecipadas Não circulante Realizável a longo prazo Aplicações financeiras Aplicações vinculadas a provisões técnicas 328 Aplicações não vinculadas Créditos tributários e previnciários Despesas comercialização diferidas Ativo fiscal diferido Depósitos judiciais e fiscais Outros créditos a receber a longo prazo Investimentos Participações societárias avaliadas pelo método equivalência patrimonial Participações societárias - Operadoras planos assistência à saú Participações societárias - Outras entidas Outros investimentos Imobilizado Imobilizado uso próprio Bens móveis - Não hospitalares/ Não odontológicos Outras imobilizações Intangível do ativo Relatório da Administração dos prêmios ganhos. A variação da provisão sinistros passou (R$10,4) milhões R$170,8 milhões em e o resultado patrimonial passou R$358,9 milhões R$147,4 milhões no final do ano. Opatrimônio líquido da Companhia atingiu R$2.622,4 milhões, com incremento 13,4% sobre o exercício anterior. A Companhia apresentou no ano um lucro líquido R$367,7 milhões. 4. Reorganização societária: Em 31/01/, foi aprovada em Assembleia Geral Extraordinária a incorporação da controlada direta Sul América Seguro Saú S.A. pela Companhia, visando otimizar a estrutura seguro saú da SulAmérica. O efetivo ferimento da incorporação pela ANS ocorreu em 24/04/. Foi apurado um balanço encerramento efetivação contábil da incorporação quando da aprovação por parte da ANS, com data base em 30/04/. Apresentamos, a seguir, o acervo patrimonial incorporado, ao valor contábil: (Em milhares reais) Ativo Circulante Disponível Realizável Aplicações Créditos operações com planos assistência à saú Despesas comercialização diferidas Créditos tributários e previnciários Bens e títulos a receber - Outros créditos a receber Outros Não circulante Realizável a longo prazo Aplicações Créditos tributários e previnciários Despesas comercialização diferidas Ativo fiscal diferido Depósitos judiciais e fiscais Outros Investimentos Imobilizado Intangível Passivo Circulante Provisões técnicas operações assistência à saú Débitos operações assistência à saú Provisões Tributos e encargos sociais a recolher Empréstimos e financiamentos Débitos diversos Não circulante Provisões técnicas operações - AMH Provisões Tributos e encargos sociais a recolher Débitos diversos Patrimônio líquido Balanços patrimoniais em 31 zembro e (Em milhares reais) Passivo Notas Circulante Provisões técnicas operações assistência à saú Provisões prêmios prêmios não ganhos remissão sinistros a liquidar SUS sinistros a liquidar outros prestadores serviços assistenciais sinistros e não avisados Débitos operações assistência à saú Comercialização sobre operações Operadoras planos assistência à saú Outros débitos operações com planos assistência à saú Provisões Provisões IR e CSll Provisões ações judiciais Tributos e encargos sociais a recolher Empréstimos e financiamentos a pagar 73 Débitos diversos Não circulante Provisões técnicas operações assistência à saú remissão sinistros a liquidar outros prestadores serviços assistenciais Provisões Provisões tributos diferidos Provisões ações judiciais Tributos e encargos sociais a recolher Tributos e encargos sociais a recolher Tributos e contribuições Parcelamento tributos e contribuições Débitos diversos Patrimônio líquido Capital Reservas Reservas capital... (6.923) (6.923) Reservas lucros Ajustes avaliação patrimonial... (45.967) Ações em tesouraria... ( ) ( ) do passivo e patrimônio líquido Demonstrações das mutações no patrimônio líquido os exercícios findos em 31 zembro e (Em milhares reais, exceto on mencionado) Ágio em transações capital Ações em tesouraria Reserva estatutária Divindo adicional proposto das reservas lucro Ajustes avaliação patrimonial Lucros acumulados Capital Reservas capital Reserva legal Saldos em 01/01/ (6.923) (6.923) ( ) Alterações práticas contábeis (nota 2.1) (601) Saldos ajustados em 01/01/ (6.923) (6.923) ( ) Aumento capital com realização reserva... Aquisição ações manutenção em tesouraria... ( ) ( ) Divindo adicional pago... (1.732) (1.732) (1.732) Alterações práticas contábeis (nota 2.1).. (2.844) (2.844) Ajustes avaliação patrimonial Resultado líquido do exercício Proposta da stinação do resultado: Reserva legal (19.559) Reserva estatutária ( ) Juros sobre o Capital Próprio conforme ARCA 29/03/ - R$992,32 por lote mil ações ON e R$1.091,54 por lote mil ações PN... (70.000) (70.000) Divindos propostos - R$1.036,09 por lote mil ações ON e R$1.139,70 por lote mil ações PN... (33.404) (33.404) Saldos em 31/12/ (6.923) (6.923) ( ) Aumento capital em espécie conforme AGE 15/07/ e 26/11/ Aumento capital com realização reserva conforme AGE 28/03/ (34.694) ( ) ( ) Ajustes avaliação patrimonial... (75.439) (75.439) Resultado líquido do exercício Proposta da stinação do resultado: Reserva legal (18.386) Reserva estatutária ( ) Juros sobre o Capital Próprio conforme ARCA 13/12/- R$1.353,78 por lote mil ações ON e R$1.489,15 por lote mil ações PN... ( ) ( ) Divindos propostos - R$31,58 por lote mil ações ON e R$34,74 por lote mil ações PN... (2.333) (2.333) Saldos em 31/12/ (6.923) (6.923) ( ) (45.967) Notas explicativas às monstrações financeiras em 31 zembro e (Em milhares reais, exceto on mencionado) 1. Contexto operacional: A SUL AMÉRICA COMPANHIA DE SEGURO SAÚDE nominada Companhia é uma socieda anônima capital fechado, domiciliada no Brasil, com se na capital do Estado do Rio Janeiro, autorizada pela Agência Nacional Saú Suplementar (ANS) a funcionar como operadora classificada como seguradora especializada em saú, e tem como principal acionista a Nacional Seguros, nominada SAlIC com 63,52% ações ordinárias e 70,15% ações preferenciais, com participação total 65,14%, e tem como controladora indireta final a Sul América S.A., nominada SASA. A SASA é controlada pela Sulasapar Participações S.A. (SUlASAPAR), com 50,88% ações ordinárias, 0,01% ações preferenciais e 25,66% participação total. A SASA, por ter participação no capital dos mais acionistas, é a controladora indireta da Companhia, com 100% participação no capital total. Nestas monstrações financeiras, nominamos SulAmérica o conjunto empresas controlado pela SASA, o qual a Companhia faz parte Incorporação da Sul América Seguro Saú S.A. Em 31/01/ foi aprovada em Assembleia Geral Extraordinária a incorporação da controlada direta Sul América Seguro Saú S.A. pela Companhia, visando otimizar a estrutura seguro saú da SulAmérica. O efetivo ferimento da incorporação pela ANS ocorreu em 24/04/. Foi apurado um balanço encerramento efetivação contábil da incorporação quando da aprovação por parte da ANS. Apresentamos, a seguir, o acervo patrimonial incorporado, ao valor contábil: A ACAl Auditores Inpenntes S.S. elaborou o laudo avaliação com base no método avaliação patrimonial - valor líquido contábil. 5. Distribuição do resultado: (R$ milhares) Lucro líquido do exercício ajustado Alteração práticas contábeis Lucro antes dos impostos e participações ( ) Impostos e contribuições... (67.400) (18.941) ( ) Participações... (11.707) (3.935) Lucro líquido do exercício ( ) Constituição da reserva legal (5%)... (18.386) (19.559) Lucro líquido ajustado Divindos obrigatórios 25% do lucro líquido ajustado ( ) Juros sobre capital próprio líquido a serem consirados nos divindos obrigatórios Bruto Imposto renda... (15.000) (10.500) Saldo dos divindos obrigatórios propostos Destinação: Constituição reserva estatutária Expansão negócios (Até 71,25% do lucro líquido do exercício) Investimentos: Em 31/12/, a Companhia mantinha investimentos diretos nas seguintes sociedas: Sul América Santa Cruz Participações S.A. no montante R$476,1 milhões, Sul América Serviços Saú S.A. no montante R$85,2 milhões, Sul América Saú Companhia Seguro no montante R$120,2 milhões, Sul América Seguros Pessoas e Previdência S.A. no montante R$366,4 milhões, Sul América Investimentos Distribuidora Títulos e es Mobiliários S.A. no montante R$46,3 milhões e Sul América Odontológico S.A. no montante R$46,1 milhões. Adicionalmente, em 10/04/, foi aprovada a aquisição da totalida da participação tida pela Saspar Participações S.A. (SASPAR) no capital da Sul América Capitalização S.A., equivalente a 83,27% do seu capital e votante pela controlada Sul América Santa Cruz Participação S.A.( CRUZ). A aquisição foi concluída em 25/04/ (data fechamento) com o implemento das condições precentes previstas no contrato, firmado em 28/05/ e aditado em 18/03/. 7. Declaração sobre capital financeiro e intenção manter até o vencimento os títulos e valores mobiliários classificados na categoria mantidos até o vencimento : A Companhia não possui ativos classificados na categoria mantidos até o vencimento. 8. Acordo acionistas: A Companhia não é parte nenhum acordo acionistas. Rio Janeiro, 25 fevereiro A ADMINISTRAÇÃO. Demonstrações resultados os exercícios findos em 31 zembro e (Em milhares reais, exceto quando indicado outra forma) Notas Prêmios ganhos plano assistência à saú Receitas com operações assistência à saú Prêmios retidos Variação das provisões técnicas operações assistência à saú... (5.111) (947) Tributos diretos operações com planos assistência à saú da operadora... (50.872) (6.805) Sinistros retidos... ( ) ( ) Sinistros conhecidos ou avisados ( ) ( ) Variação da provisão sinistros avisados (10.356) Resultado das operações com planos assistência à saú Receitas assistência à saú não relacionadas com planos saú da operadora Outras receitas operacionais Outras spesas operacionais com plano assistência à saú ( ) (11.824) Outras spesas operações planos assistência à saú... (68.030) (1.364) (-) Recuperação outras spesas operacionais assistência à saú... 5 perdas sobre créditos... (34.789) (10.460) Outras spesas oper. assist. à saú não relac. com planos saú da operadora (61.947) (16.364) Resultado bruto Despesas comercialização ( ) (21.906) Despesas administrativas ( ) ( ) Resultado financeiro líquido Receitas financeiras Despesas financeiras... ( ) (20.938) Resultado patrimonial Receitas patrimoniais Despesas patrimoniais... (68.257) (3.382) Resultado antes dos impostos e participações Imposto renda (54.965) (15.191) Contribuição (52.617) (9.916) Impostos diferidos Participações sobre o resultado... (11.707) (3.935) Resultado Líquido Quantida ações Resultado líquido por lote mil ações... 5,10 5,64 Demonstrações resultados abrangentes os exercícios findos em 31 zembro e (Em milhares reais) Notas Resultado líquido do exercício Ganhos / (perdas) não realizados com ativos financeiros disponíveis venda (23.056) Imposto renda e contribuição relacionados aos componentes outros resultados abrangentes (2.487) Outros resultados abrangentes empresas investidas reconhecidas pelo método equivalência patrimonial (61.603) Outros componentes do resultado abrangente... (75.439) Resultado abrangente do exercício Demonstrações dos fluxos caixa os exercícios findos em 31 zembro e (Em milhares reais) Atividas operacionais Recebimento planos saú Resgate aplicações financeiras Recebimento juros aplicações financeiras Outros recebimentos operacionais Pagamento a fornecedores / prestadores serviço saú... ( ) ( ) Pagamento comissões... ( ) (1.911) Pagamento pessoal... ( ) (50.730) Pagamentos serviços terceiros... ( ) (44.181) Pagamento IR e CSll... (99.373) (24.468) Pagamento outros tributos... (64.881) (12.196) Pagamento ações judiciais (cíveis/trabalhistas/ tributárias)... (87.008) (32.186) Pagamento aluguel... (8.071) (1.474) Pagamento promoção/publicida... (22.268) (755) Aplicações financeiras... ( ) ( ) Outros pagamentos operacionais... ( ) (26.921) Caixa líquido gerado nas atividas operacionais Atividas investimento... Recebimento venda ativo imobilizado - Outros Recebimento venda investimentos... Recebimento divindos Pagamento aquisição ativo imobilizado - Outros. (3.310) (80) Pagamento relativos ao ativo intangível... (568) Outros pagamentos das atividas investimento... ( ) Caixa líquido gerado (consumido) nas atividas investimento... (26.892) Atividas financimento Integralização capital em dinheiro Pagamento juros - REFIS... (7.318) (13.744) Pagamento amortização - REFIS... (10.438) (20.788) Pagamento participação nos resultados/divindos... (92.905) (73.623) Outros recebimentos/pagamentos da ativida financiamento... ( ) Caixa líquido gerado (consumido) nas atividas financiamento ( ) Variação líquida do caixa (169) Caixa - Saldo inicial Entrada pela incorporação da SAÚDE S.A Caixa no início do exercício ajustado Caixa - Saldo final Ativos livres no início do exercício Ativos livres no final do exercício Aumento / (redução) nas aplicações financeiras - Recursos livres ( )

2 Seguro Saú Ativo Circulante Disponível Realizável Aplicações Créditos operações com planos assistência à saú Despesas comercialização diferidas Créditos tributários e previnciários Bens e títulos a receber - Outros créditos a receber Outros Não circulante Realizável a longo prazo Aplicações Créditos tributários e previnciários Despesas comercialização diferidas Ativo fiscal diferido Depósitos judiciais e fiscais Outros Investimentos Imobilizado Intangível Passivo Circulante Provisões técnicas operações assistência à saú Débitos operações assistência à saú Provisões Tributos e encargos sociais a recolher Empréstimos e financiamentos Débitos diversos Não circulante Provisões técnicas operações assistência a saú Provisões Tributos e encargos sociais a recolher Débitos diversos Patrimônio líquido A ACAl Auditores Inpenntes S.S. elaborou o laudo avaliação com base no método avaliação patrimonial valor líquido contábil. 2. Apresentação das monstrações financeiras: 2.1. Base preção das monstrações financeiras. As monstrações financeiras individuais foram elaboradas com base nas normas emitidas pela ANS e nos pronunciamentos emitidos pelo Comitê Pronunciamentos Contábeis (CPC), quando referendados pela ANS. O pronunciamento CPC 11, que trata do reconhecimento contábil dos contratos seguros, ainda não foi aprovado pela ANS até a data ssas monstrações financeiras e, ssa forma, não pom ser consiradas em conformida com o conjunto normas emitidas pelo CPC. A ANS publicou as Resoluções Normativas nºs 314/, 322/ e 344/, em substituição a Resolução Normativa nº 290/, que apresentam como principal staque a criação da Prêmios ou Contribuições Não Ganhos (PPCNG). Anterior a esta norma, o valor corresponnte ficava registrado na conta Prêmios a receber Faturamento antecipado, como conta retificadora, no ativo. A seguir, uma conciliação entre as monstrações financeiras 31/12/, publicadas em 28/02/ e a utilizada como comtivo, nestas monstrações financeiras: Ativo circulante Aplicações financeiras Créditos operações com planos assistência à saú (a) Outros Ativo não circulante Créditos tributários e previnciários (b) ( ) Ativo fiscal diferido (b) Investimentos (c) Outros Passivo circulante Provisões técnicas operações assistência à saú (a) Débitos operações assistência a saú (a) Débitos diversos (a) (53.262) Outros Passivo não circulante Patrimônio líquido (c) Prêmios ganhos plano assistência à saú Sinistros innizáveis líquidos... ( ) ( ) Resultado Bruto Outras receitas e spesas operacionais (27.006) (27.006) Despesa administrativa e comercialização... ( ) ( ) Resultado financeiro líquido Resultado Patrimonial (c) (2.844) Resultado antes dos impostos e participações (2.844) Impostos e contribuições... (18.941) (18.941) Participações no resultado... (3.935) (3.935) Resultado líquido (2.844) (a) Referente a criação da Prêmios ou Contribuições Não Ganhos (PPCNG); (b) Referente à criação rubrica específica Ativo fiscal diferido; (c) Referente ao reflexo baixas provisões nas empresas controladas, conforme exigência do órgão regulador. As reclassificações não apresentam efeito significativo no resultado ou patrimônio líquido. Portanto, a Administração julgou que os impactos nas monstrações financeiras 01/01/ não foram significativos a compreensão stas monstrações financeiras, não sendo necessária a apresentação do balanço patrimonial reclassificado aquela data. O Conselho Administração autorizou a emissão das presentes monstrações financeiras em reunião realizada em 25/02/ Base mensuração. As monstrações financeiras foram predas com base no custo histórico com exceção dos seguintes itens reconhecidos nos balanços patrimoniais pelo valor justo: Os instrumentos financeiros mensurados pelo valor justo por meio do resultado (nota 5); Os instrumentos financeiros disponíveis venda (nota 5) Moeda funcional e apresentação.nas monstrações financeiras, os itens foram mensurados utilizando a moeda do ambiente econômico primário no qual a Companhia atua. As monstrações financeiras estão apresentadas em Reais (R$), que é a moeda funcional e apresentação da Companhia. 3. Principais práticas contábeis. As práticas contábeis scritas a seguir foram aplicadas maneira consistente a todos os períodos apresentados nas monstrações financeiras Resumo práticas contábeis. As práticas contábeis mais relevantes adotadas são: Apuração resultado. O resultado é apurado pelo regime contábil competência e consira: Os prêmios seguros são reconhecidos pelo período vigência do risco das apólices/faturas como prêmios retidos; Os custos angariação são diferidos e registrados na rubrica Despesas diferidas no ativo circulante e Despesas comercialização diferidas no ativo não circulante e amortizados no resultado pelo prazo médio estimado permanência dos segurados em carteira, consirando a vigência das apólices e o prazo cobertura à qual a spesa comercialização se refere, e a expectativa cancelamento ou não-renovação das apólices; Os sinistros são refletidos nos resultados com base na metodologia conhecida como IBNP (Incurred But Not Paid) que busca refletir a sinistralida final estimada os contratos com cobertura risco em vigência. Os sinistros incluem as spesas estimadas a incorrer, tanto aquelas diretamente alocáveis aos sinistros consirados individualmente (Allocated loss Adjustment Expense - AlAE), quanto a outras spesas relacionadas aos sinistros, mas não diretamente alocáveis (Unallocated loss Adjustment Expenses - UlAE) Balanço patrimonial. Os direitos realizáveis e as obrigações exigíveis após 12 meses são classificados no ativo e passivo não circulante, respectivamente, exceto as aplicações financeiras que são classificadas acordo com a expectativa realização; Os ativos e passivos sujeitos à atualização monetária são atualizados com base nos índices finidos legalmente ou em contratos; Os créditos tributários não são ajustados a valor presente Instrumentos financeiros. Os ativos financeiros não rivativos são classificados e mensurados, conforme scritos a seguir: Mensurado ao valor justo por meio do resultado. Os títulos e valores mobiliários adquiridos com o propósito serem ativa e frequentemente negociados são contabilizados pelo valor justo e classificados no ativo circulante. Os rendimentos, as valorizações e svalorizações sobre esses títulos e valores mobiliários são reconhecidos no resultado.em alguns casos, títulos e valores mobiliários pom ser classificados nesta categoria, mesmo qu sejam frequentemente negociados, consirando-se a estratégia investimentos (vi nota (a)) e acordo com a gestão riscos documentada. Disponível venda. Os títulos e valores mobiliários qu se enquadram nas categorias mensurados ao valor justo por meio do resultado, empréstimos e recebíveis ou mantidos até o vencimento são classificados como disponíveis venda e contabilizados pelo valor custo, acrescido dos rendimentos auferidos no período, que são reconhecidos no resultado e ajustados aos corresponntes valores justos. As valorizações e svalorizações não realizadas financeiramente são reconhecidas em conta específica no patrimônio líquido, líquidas dos corresponntes efeitos tributários e, quando realizadas ou quando há impairment são apropriadas ao resultado, em contrapartida da conta específica do patrimônio líquido. Mantidos até o vencimento. Os títulos e valores mobiliários os quais a Companhia possui a intenção e a capacida financeira sua manutenção em carteira até o vencimento, são contabilizados pelo valor custo acrescido dos rendimentos auferidos no período, que são reconhecidos no resultado. Empréstimos e recebíveis. Os empréstimos e recebíveis são ativos financeiros representados por prêmios a receber e mais contas a receber, que são mensurados inicialmente pelo valor justo acrescido dos custos das transações.após o reconhecimento inicial, esses ativos financeiros são mensurados pelo custo amortizado e ajustados, quando aplicável, por reduções ao valor recuperável Depósitos judiciais e fiscais. Os pósitos judiciais e fiscais são classificados no ativo não circulante e os rendimentos e as atualizações monetárias sobre esse ativo são reconhecidos no resultado Investimentos. Reconhecidos inicialmente pelo valor justo, ajustados pela redução ao valor recuperável, quando aplicável, combinado com os seguintes aspectos: As participações acionárias em controladas e coligadas são avaliadas pelo método equivalência patrimonial; O ágio corrente aquisição com fundamento econômico expectativa rentabilida futura é classificado no investimento; O ágio na aquisição ações controlada, tratado como transação capital, está registrado no patrimônio líquido Redução ao valor recuperável. Ativos financeiros (incluindo recebíveis). Um ativo financeiro não mensurado pelo valor justo por meio do resultado tem seu valor recuperável avaliado sempre que apresenta indícios perda. Já um ativo financeiro mensurado a valor justo tem perda após o reconhecimento inicial do ativo, se apresentar efeito negativo nos fluxos caixa futuro projetados, estimados maneira confiável, tais como:svalorização significativa ou prolongada reconhecida publicamente pelo mercado, scontinuida da operação da entida em que a Companhia investiu, tendências históricas da probabilida inadimplência, entre outros. Ativos não financeiros.os valores contábeis dos ativos não financeiros são revistos no mínimo anualmente apurar se há indicação redução ao valor recuperável. No caso ágio e ativos intangíveis com vida útil infinidaouativosintangíveisemsenvolvimentoqueaindanãoestejamdisponíveis uso, o valor recuperável é estimado no mínimo anualmente. A redução ao valor recuperável ativos (impairment) é terminada quando o valor contábil residual excer o valor recuperação, que será o maior valor entre o valor estimado na venda e o seu valor em uso, terminado pelo valor presente dos fluxos caixa futuros estimados em corrência do uso do ativo ou unida geradora caixa Imposto renda e contribuição corrente e diferido. As provisões imposto renda e contribuição corrente e diferidos são constituídas pelas alíquotas vigentes na data base das monstrações financeiras. O reconhecimentodo imposto renda e da contribuição diferidos é estabelecida levando em consiração as expectativas da Administração sobre a realização dos resultados fiscais tributáveis futuros e sobre certas diferenças temporárias, cujas expectativas estão baseadas em projeções elaboradas e aprovadas o período 3 anos Provisões técnicas contratos seguros. As provisões técnicas são constituídas acordo com a regulamentação estabelecida pela ANS, conforme a seguir: (a) Prêmios ou Contribuições Não Ganhos (PPCNG). A PPCNG é constituída pelo método pro rata die, tendo como base a divisão dos prêmios e contribuições pelo número dias cobertura total, multiplicados pelo número dias da cobertura do risco a correr, os contratos seguros saú. (b) Sinistro a Liquidar (PSL). A PSl representa a previsão pagamentos prováveis, líquida recuperações, terminada com base nos avisos recebidos até a data das monstrações financeiras, atualizada monetariamente nos casos seguros inxados. A PSl é constituída pelo valor das faturas dos prestadores serviços, adicionada da AlAE, calculada com base nos avisos sinistros recebidos; Adicionalmente à PSl, a Companhia provisiona as spesas relativas à gestão da regulação sinistros que ainda estão em fase análise técnica, mas qu são alocados a cada sinistro individualmente, nominadas UlAE ; A UlAE é calculada com base no percentual histórico, obtido pela razão entre o total das spesas com regulação sinistros e o total sinistros pagos multiplicadopelosaldodapsl,duzindo-sedaestimativaomontantecorresponnte aos gastos já incorridos na ativida regulação sinistros. (c) Sinistros a Liquidar em Processos Judiciais. As provisões sinistros a liquidar relacionadas a processos judiciais são estimadas e contabilizadas com base na opinião do Departamento Jurídico interno, dos consultores legais inpenntes e da Administração consirando a respectiva estimativa perda. No caso processos judiciais semelhantes, recorrente e relacionada ao negócio, a provisão sinistros a liquidar leva ainda em consiração itens específicos apurados com base em fatores calculados a partir da comção dos valores spendidos com processos encerrados nos últimos 60 meses e suas corresponntes estimativas históricas exposição ao risco.o cálculo leva em consiração, ainda, a natureza dos processos, a respectiva estimativa perda (provável, possível ou remota), o sembolso financeiro e o grupamento do ramo do seguro envolvido, quando aplicável. Em todos os casos, as provisões são reavaliadas periodicamente acordo com os andamentos processuais e atualizadas mensalmente pelo IPCA e juros 9,36% ao ano. As provisões e os honorários sucumbência referentes às causas natureza cível relacionadas às innizações contratuais sinistros estão contabilizadas na rubrica Provisões técnicas operações assistência à saú, no passivo circulante e no passivo não circulante. Os corresponntes pósitos judiciais estão contabilizados na rubrica Depósitos judiciais e fiscais no ativo não circulante, e são atualizados monetariamente pelataxa Referencial (TR) e juros 6% ao ano, conforme legislação vigente. (d) Eventos Ocorridos e Não Avisados (PEONA). A PEONA, também conhecida no mercado internacional como IBNR (Incurred But Not Reported) é constituída com base no IBNP subtraído da PSl. Para apurar o IBNP, é calculada a estimativa final sinistros já e ainda não pagos com base em triângulos run-off mensais, métodos estatístico-atuariais, que consiram o senvolvimento histórico dos sinistros pagos, adicionado da AlAE, estabelecer uma projeção futura por período ocorrência. Para o ramo saú, o senvolvimento histórico observado é 36 meses. A IBNR é apurada consirando tanto a AlAE quanto a UlAE. A UlAE da IBNR é calculada com base no percentual histórico, obtido pela razão entre o total das spesas com regulação sinistros e o total sinistros pagos multiplicado pelo saldo da IBNR.(e) Remissão.A remissão correspon ao valor dos benefícios cujo evento gerador tenha ocorrido e tenha sido avisado. Esta provisão é constituída garantia dos benefícios remissão prêmios, concedidos aos beneficiários penntes pelo prazo estabelecido em cada contrato, até 5 (cinco) anos, em função do falecimento do segurado titular.a provisão é calculada com base na estimativa sinistros futuros dos beneficiários scontada a data base das monstrações financeiras Provisões judiciais. Cíveis e trabalhistas. A Companhia constitui provisões suprir sembolsos futuros oriundos processos judiciais cíveis não relacionados a innizações contratuais, reclamações trabalhistas ou processos judiciaisnaturezafiscal.osvaloressãoconstituídosapartiranáliseindividualizada do valor estimado perda e da classificação do grau risco (provável, possível ou remoto), realizada pelo Departamento Jurídico interno, pelos consultores legais inpenntes e pela Administração da Companhia. No caso dos processos judiciais cíveis,cujascausassãoconsiradassemelhanteseusuais,istoé,aquelesprocessos judiciais cujo autor é cliente da Companhia e cuja causa pedir é recorrente e relacionada ao negócio, adicionalmente à avaliação individual do grau risco (provável, possível ou remota), os valores provisão são constituídos tendo como base a aplicação percentuais estatísticos calculados a partir da análise dos valores spendidos com os processos encerrados nos últimos 60 meses e suas corresponntes estimativas históricas exposição ao risco. O cálculo leva em consiração, ainda, a natureza dos processos, a respectiva estimativa perda (provável, possível ou remota), o sembolso financeiro e o grupamento do ramo do seguro envolvido, quando aplicável. As regras provisionamento acima também se aplicam aos processos judiciais trabalhistas, cujo autor é ex-empregado ou exprestador serviços da Companhia.Em todos os casos, as provisões são reavaliadas periodicamente acordo com os andamentos processuais e atualizadas mensalmente pelo IPCA e juros simples 9,36% ao ano nos processos cíveis e pela TR e juros simples 9,36% ao ano nos processos trabalhistas. As provisões processos judiciais e os honorários sucumbência, referentes às causas natureza cível não relacionadas às innizações contratuais sinistros, assim como as trabalhistas, estão contabilizados no passivo circulante circulante na rubrica Provisões ações judiciais. Os corresponntes pósitos judiciais estão contabilizados no ativo não circulante na rubrica Depósitos judiciais e fiscais e são atualizados monetariamente pelatr e juros 6% ao ano, os pósitos judiciais cíveis e trabalhistas, e taxa SElIC os pósitos previnciários, conforme legislação vigente. Fiscais. As provisões ações judiciais relacionadas a tributos, contribuições e outras obrigações natureza fiscal, objeto contestação judicial, são reavaliadas periodicamente e atualizadas mensalmente pelo Sistema Especial liquidação e Custódia (SElIC), conforme legislação vigente, e são contabilizadas com base nas opiniões dos advogados patrocinadores das causas e da Administração sobre o prognóstico dos processos judiciais. As provisões são constituídas quando a Administração avalia que uma saída recursos é provável ocorrer até o encerramento dos processos judiciais e seu valor possa ser razoavelmente estimado. Os valores referentes aos questionamentos relativos à ilegalida ou inconstitucionalida tributos, contribuições e outras obrigações natureza fiscal são provisionados inpenntemente da avaliação acerca da probabilida êxito e, por isso, têm seus montantes reconhecidos integralmente nas monstrações financeiras, na rubrica Provisões ações judiciais, no passivo circulante circulante e em Tributos e encargos sociais a recolher no passivo não circulante. Os corresponntes pósitos judiciais estão contabilizados na rubrica Depósitos judiciais e fiscais, no ativo não circulante, e são atualizados monetariamente pela SElIC, conforme legislação vigente Benefícios a empregados. Os benefícios mantidos pela Companhia compreenm o Plano Contribuição Definida, por intermédio do Plano Gerador Benefícios livres (PGBl). Os custos com o PGBl são reconhecidos no resultado pelo valor das contribuições efetuadas Pagamento com base em ações. A Companhia remunera administradores com ações da SASA e o plano é precificado com base no molo Black-Scholes as opções simples emitidas nos programas até 2010 e no molo binominal as opções simples emitidas no programa 2011 e. O valor justo do plano é reconhecido pela Companhia a partir da data outorga, na rubrica Despesas administrativas, com um corresponnte lançamento na rubrica Outros débitos a pagar no passivo circulante. Periodicamente, a Companhia reembolsa à SASA pela remuneração em ações, feitas a seus administradores (vi nota 12.2). A partir do programa, o plano geral opção compra ações, passou a ter somente programa com outorga opções bonificadas.neste atual plano remuneração em ações, o executivo adquire uma quantida ações em tesouraria da Companhia com direito a bonificação.tanto as ações adquiridas quanto as bonificações ações possuem carência, sendo 33% com carência 3 anos, 33% com carência 4 anos e o restante com carência 5 anos Divindos. Os divindos são reconhecidos nas monstrações financeiras quando sua efetiva distribuição ou quando sua distribuição é aprovada pelos acionistas, o que ocorrer primeiro. O Conselho Administração, ao aprovar as monstrações financeiras anuais, Até 02 anos ou sem vencimento Mais 02 anos e até 05 anos Mais 05 anos e até 10 anos apresenta a sua proposta distribuição do resultado do exercício. O valor dos divindos propostos pelo Conselho Administração é refletido em subcontas no patrimônio líquido e apenas a parcela corresponnte ao divindo obrigatório é reconhecida como um passivo nas monstrações financeiras anuais Uso estimativas.apreçãodasmonstraçõesfinanceirasrequerqueaadministração faça estimativas, julgamentos e premissas que afetam a aplicação das práticas contábeis e o registro dos ativos, passivos, receitas e spesas, bem como a divulgação informações sobre dados das suas monstrações financeiras. Os resultados finais ssas transações e informações, quando sua efetiva realização em períodos subsequentes, pom diferir ssas estimativas. As principais estimativas relacionadas às monstrações financeiras referem-se a apuração do valor justo dos instrumentos financeiros, ao registro dos passivos relacionados a sinistros, ao prazo diferimento certas spesas comercialização, a probabilida êxito nas ações judiciais, ao valor do sembolso provável refletidos na provisão ações judiciais e mais saldos sujeitos a esta avaliação. Revisões contínuas são feitas sobre as estimativas e premissas e o reconhecimento contábil efeitos que porventura surjam são efetuados no resultado do período em que as revisões ocorrem. Informações adicionais sobre as estimativas encontram-se nas seguintes notas: justo das aplicações financeiras mensuradas ao valor justo através do resultado e disponíveis venda (nota 5); Despesas comercialização diferidas (nota 7); Movimentação créditosedébitostributários(nota8); Provisõestécnicasoperaçõesassistência à saú (nota 11); e Provisões ações judiciais (nota 14) Normas emitidas e ainda não adotadas: (a) Normas internacionais (IFRS). O International Accounting StandardsBoard(IASB)publicouváriospronunciamentos,orientaçõesouinterpretações contábeis (novos ou alterações), cuja adoção obrigatória é a partir dos exercícios iniciados após 01/01/2014. A Companhia não tem intenção em adotar qualquer uma ssas normas antecipadamente. Aquelas normas que pom ter algum impacto a SulAmérica estão apresentadas a seguir:aplicáveis em ou a partir 01 janeiro 2014: IAS 36 - Redução no valor recuperável ativo (Impairment of assets) (alteração): Introduz alterações e clarificações sobre as divulgações requeridas por esse pronunciamento. IAS 39 Instrumentos financeiros: Reconhecimento e mensuração (Financial instruments: Recognition and measurement) (alteração): Clarifica qu há necessida sr o hedge accounting no caso novação do contrato rivativo vinculado ao hedge s que sejam atingidas certas condições. IAS 32 Instrumentos financeiros: Apresentação (Financial instruments: Presentation) (alteração): Clarifica as condições apresentação um ou mais instrumentos Financeiros pelo líquido suas posições. IFRS12 Divulgação participações em outras entidas (Disclosure of interests in other entities) (alteração): Introduz alterações nas regras consolidação, divulgação e apresentação monstrações sedas as empresas investimento. IFRIC 21 Taxas governamentais (Levies) (nova interpretação): Introduz guia quando reconhecer uma taxa imposta por ente governamental.aplicáveis em ou a partir 01 janeiro 2015: O IASB suprimiu a data início vigência da norma IFRS 9, prevista 01/01/2015, e ainda não anunciou a nova data.apenas, informou qu será antes 01/01/2017. IFRS 9 (novo pronunciamento): Introduz novos requerimentos classificação e mensuração ativos financeiros. IFRS 9 e 7 (alterações): Modificações às IFRS 9 e IFRS 7 sobre data aplicação mandatória da IFRS 9 e divulgações transição. A Companhia está procendo sua análise sobre os impactos ssas novas normas ou alteração em suas monstrações financeiras. Receita Feral do Brasil (RFB). Em 11/11/ foi publicada a Medida Provisória 627 que traz alterações na legislação tributária feral e tem por objetivo harmonizar as regras que regem os tributos ferais com os novos critérios e procedimentos contábeis implantados pelas leis /2007 e /2009 (normas contábeis internacionais IFRS).Consequentemente o RegimeTributário Transição (RTT) será extinto.a norma entra em vigor a partir 01/01/2015 com a opção adoção antecipada já a partir 01/01/2014.A Companhia avaliou a norma e seus impactos em todas as empresas que fazem parte do conjunto empresas que formam a SulAmérica e concluiu qu há efeitos relevantes e que irá adotar a norma a partir 01/01/2015 (inclusive) antecipadamente. 4. Gestão riscos. A gestão riscos corporativos na SulAmérica está baseada nas melhores práticas finidas em COSO (Committe of Sponsoring OrganizationsoftheTreadwayCommission)eSolvênciaII.OConselhoAdministração executa a ativida supervisão do gerenciamento riscos da organização, aprovando o apetite a riscos recomendado pelo Comitê Riscos (CoR). O CoR tem a responsabilida periodicamente rever as estratégias globais dos negócios entenr e administrar os riscos relevantes, ntro das preferências, tolerâncias e limites finidos. Os direcionamentos estabelecidos são aplicados em cada unida negócio (Business Unit - BU), que verão apoiar a filosofia da gestão riscos, administrando-os ntro suas esferas responsabilidas. Esse apoio possibilitará que os mais níveis gerenciais conheçam e utilizem esses limites aos riscos acordo comaspolíticasenormasestabelecidas.4.1.riscosconcentraçãodasoperações: A Companhia possui operações em todo o território nacional. As linhas produtos estão concentradas no estado São Paulo.Atabela abaixo mostra a concentração dos prêmios seguro por unida da feração. Representativida UF SP... 70,9% 24,4% RJ... 9,3% 12,1% BA... 6,2% 32,7% PE... 4,9% 8,0% DF... 1,8% 2,8% Outros... 6,9% 20,0% 100,0% 100,0% 4.2. e gestão dos riscos nas operações: O Gerenciamento Riscos Corporativos abrange as seguintes categorias risco: crédito, mercado, subscrição, operacional, estratégico e legal e compliance Risco crédito: Aplicações financeiras: Os investimentos em crédito privado são realizados acordo com o finido na política investimentos da organização e após análises internas do Comitê Crédito que avalia o risco cada emissor. Os gráficos a seguir apresentam a classificação dos investimentos por categoria risco.verifica-se que 98,0% do total aplicações financeiras em 31/12/ (99,2% em ), estão alocados nas classes AAA ou risco soberano (títulos públicos). Os investimentos contemplam: saldos em conta corrente, operações compromissadas, contas a receber e contas a pagar dos fundos investimentos exclusivos. Estes investimentos estão apresentados nas rubricas Caixa e equivalentes caixa, Títulos e créditos a receber e Outras contas a pagar respectivamente. Operações seguro. A gestão do risco crédito também leva em consiração, no monitoramento da inadimplência, o acompanhamento da redução ao valor recuperável (impairment) dos prêmios a receber (ver informação adicional na nota 6.2) Risco mercado: O gerenciamento ativos e passivos (AlM) é utilizado pela SulAmérica como uma das principais ferramentas terminar os parâmetros das alocações seus investimentos, em especial na carteira provisão técnica. Para controle, avaliação e acompanhamento do risco mercado das carteiras, são utilizados ovar Paramétrico e o stress testing.em corrência dos riscos analisados no processo AlM, está monstrada a seguir a distribuição dos seus investimentos por inxador em 31/12/ e, contemplando os saldos positados em conta corrente, as operações compromissadas e o contas a pagar e a receber dos fundos investimentos exclusivos. Risco liquiz. As tabelas a seguir apresentam as expectativas vencimentos e pagamentos dos principais ativos e passivos financeiros e seguros nas datas 31/12/ e : Mais 10 anos custo mercado Ganho ou (perda) contábil Outras Instrumentos financeiros Aplicações financeiras justo por meio do resultado Disponível venda Refinanciamento fiscal - REFIS Passivos seguros (1) Até 02 anos ou sem vencimento Mais 02 anos e até 05 anos Mais 05 anos e até 10 anos Mais 10 anos custo mercado Ganho ou (perda) contábil Outras Instrumentos financeiros Aplicações financeiras justo por meio do resultado Disponível venda Refinanciamento fiscal - REFIS Passivos seguros (1) (1) Na coluna Outras há em 31/12/, R$3.811 UlAE (R$758 em ). A legislação em vigor prevê alguns redutores que são usados na apuração dos passivos que as operadoras vem oferecer garantias com ativos específicos e portanto, esta informação ve ser analisada em conjunto com a nota O critério apresentação dos instrumentos financeiros utilizado na tabela por ida foi pela data vencimento stes ativos. No entanto, alguns instrumentos financeiros possuem liquiz imediata apesar estarem distribuídos pelas diversas faixas da tabela, sendo em sua totalida suficientes honrar as obrigações nas datas previstas. Risco inflação: Os estudos AlM intificaram que parte dos passivos não judiciais dos negócios seguros é inxada a inflação, além das causas judiciais que por terminação legal estão sujeitos a atualização monetária por índices inflação. Adicionalmente, a Companhia possui produtos com garantias inxadas a inflação. Desta forma, fazer frente ao risco dos passivos, são realizados investimentos em títulos inxados a índices inflacionários. Em 31/12/, a Companhia registrou em aproximadamente R$482,3 milhões (R$142,6 milhões em ) ativos inxados a inflação. A gestão dos investimentos é, substancialmente, feita através da SulAmérica Investimentos DTVM S.A. (SAMI). Apenas 0,02% (0,69% em ) do total da carteira investimentos não é gerenciada pela SAMI Risco subscrição: O risco subscrição po ser intificado, mais especificamente, nos seguintes itens: risco na precificação e risco nas provisões. Análise sensibilida nos negócios: A sensibilida no resultado antes impostos, sob o impacto choques simulados 1 ponto percentual na sinistralida, spesas administrativas e spesas comercialização, está monstrado a seguir:

SUL AMÉRICA COMPANHIA NACIONAL DE SEGUROS CNPJ: 33.041.062/0001-09 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS SEMESTRE FINDO EM 30/06/2013

SUL AMÉRICA COMPANHIA NACIONAL DE SEGUROS CNPJ: 33.041.062/0001-09 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS SEMESTRE FINDO EM 30/06/2013 5118 SUL AMÉRICA COMPANHIA NACIONAL DE SEGUROS CNPJ: 33.041.062/0001-09 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS SEMESTRE FINDO EM 30/06/2013 SUL AMÉRICA COMPANHIA NACIONAL DE SEGUROS CONTEÚDO: 1) RELATÓRIO

Leia mais

Sul América Companhia Nacional de Seguros CNPJ 33.041.062/0001-09

Sul América Companhia Nacional de Seguros CNPJ 33.041.062/0001-09 Companhia Nacional de Seguros Prezados Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações financeiras da Companhia Nacional de Seguros ( Companhia ), relativas ao exercício social

Leia mais

SUL AMÉRICA COMPANHIA DE SEGUROS GERAIS CNPJ: 33.822.131/0001-03 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS SEMESTRE FINDO EM 30/06/2013

SUL AMÉRICA COMPANHIA DE SEGUROS GERAIS CNPJ: 33.822.131/0001-03 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS SEMESTRE FINDO EM 30/06/2013 6696 SUL AMÉRICA COMPANHIA DE SEGUROS GERAIS CNPJ: 33.822.131/0001-03 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS SEMESTRE FINDO EM 30/06/2013 SUL AMÉRICA COMPANHIA DE SEGUROS GERAIS CONTEÚDO: 1) RELATÓRIO

Leia mais

SUL AMÉRICA COMPANHIA NACIONAL DE SEGUROS

SUL AMÉRICA COMPANHIA NACIONAL DE SEGUROS 5118 SUL AMÉRICA COMPANHIA NACIONAL DE SEGUROS CNPJ: 33.041.062/0001-09 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS SEMESTRE FINDO EM 30/06/2015 SUL AMÉRICA COMPANHIA NACIONAL DE SEGUROS CONTEÚDO: 1) RELATÓRIO

Leia mais

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

Sul América Capitalização S.A. - SULACAP CNPJ 03.558.096/0001-04

Sul América Capitalização S.A. - SULACAP CNPJ 03.558.096/0001-04 Prezados Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações financeiras da Sul América Capitalização S.A. - SULACAP ( Companhia ), relativas ao exercício social encerrado em 31/12/,

Leia mais

Sul América Seguros de Pessoas e Previdência S.A. CNPJ 01.704.513/0001-46

Sul América Seguros de Pessoas e Previdência S.A. CNPJ 01.704.513/0001-46 Sul América Seguros de Pessoas e Previdência S.A. CNPJ 01.704.513/0001-46 Prezados Senhores Acionistas, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações financeiras da Sul América Seguros de Pessoas

Leia mais

Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014.

Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014. Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014. Relatório da Administração Senhores Acionistas, Em cumprimento as disposições legais e estatutárias, submetemos

Leia mais

SUL AMÉRICA SEGUROS DE PESSOAS E PREVIDÊNCIA S.A. CNPJ: 01.704.513/0001-46 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS SEMESTRE FINDO EM 30/06/2013

SUL AMÉRICA SEGUROS DE PESSOAS E PREVIDÊNCIA S.A. CNPJ: 01.704.513/0001-46 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS SEMESTRE FINDO EM 30/06/2013 6220 SUL AMÉRICA SEGUROS DE PESSOAS E PREVIDÊNCIA S.A. CNPJ: 01.704.513/0001-46 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS SEMESTRE FINDO EM 30/06/2013 SUL AMÉRICA SEGUROS DE PESSOAS E PREVIDÊNCIA S.A. CONTEÚDO:

Leia mais

SUL AMÉRICA COMPANHIA NACIONAL DE SEGUROS E CONTROLADAS CNPJ: 33.041.062/0001-09 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

SUL AMÉRICA COMPANHIA NACIONAL DE SEGUROS E CONTROLADAS CNPJ: 33.041.062/0001-09 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 5118 SUL AMÉRICA COMPANHIA NACIONAL DE SEGUROS E CONTROLADAS CNPJ: 33.041.062/0001-09 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2012 SUL AMÉRICA COMPANHIA NACIONAL DE SEGUROS E CONTROLADAS CONTEÚDO: 1) RELATÓRIO DO CONSELHO

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

SUL AMÉRICA COMPANHIA DE SEGUROS GERAIS

SUL AMÉRICA COMPANHIA DE SEGUROS GERAIS 6696 SUL AMÉRICA COMPANHIA DE SEGUROS GERAIS CNPJ: 33.822.131/0001-03 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS SEMESTRE FINDO EM 30/06/2015 SUL AMÉRICA COMPANHIA DE SEGUROS GERAIS CONTEÚDO: 1) RELATÓRIO

Leia mais

Sul América Seguro Saúde S.A.

Sul América Seguro Saúde S.A. Seguro Saúde S.A. Prezados Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações financeiras da Seguro Saúde S.A. ( Companhia ), relativas ao exercício encerrado em 31/12/, acompanhadas

Leia mais

Sul América Companhia de Seguro Saúde

Sul América Companhia de Seguro Saúde Seguro Saúde Prezados Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.S.as as demonstrações financeiras da Sul América Companhia de Seguro Saúde ( Companhia ), relativas ao exercício encerrado em 31/12/,

Leia mais

2.1 Base de preparação das demonstrações financeiras e declaração de conformidade às normas IFRS e CPC

2.1 Base de preparação das demonstrações financeiras e declaração de conformidade às normas IFRS e CPC Demonstrações Financeiras 2012 SUL AMÉRICA S.A. E CONTROLADAS NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (Em milhares de reais, exceto onde mencionado) 1 Contexto

Leia mais

Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - ECOSUL

Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - ECOSUL Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - ECOSUL Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2011 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações

Leia mais

Sul América Companhia Nacional de Seguros

Sul América Companhia Nacional de Seguros Prezados Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.S.as as Demonstrações Financeiras da Sul América Companhia Nacional de Seguros ( Companhia ), relativas ao exercício social encerrado em 31.12.,

Leia mais

Salus Infraestrutura Portuária S.A.

Salus Infraestrutura Portuária S.A. Salus Infraestrutura Portuária S.A. Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2014 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Deloitte

Leia mais

31 de dezembro de 2013

31 de dezembro de 2013 Senhores Acionistas: Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, apresentamos as monstrações financeiras da Assurant Seguradora S.A. relativas ao exercício findo em 31 zembro, elaboradas na forma

Leia mais

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES Ilmos. Srs. Diretores e Acionistas de BVA Seguros S/A Rio de Janeiro - RJ RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Examinamos as demonstrações financeiras individuais

Leia mais

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Brito Amoedo Imobiliária S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Sul América Companhia Nacional de Seguros

Sul América Companhia Nacional de Seguros C.N.P.J. Nº 33.041.062/0001-09 Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.S.as as demonstrações financeiras da Sul América Companhia Nacional de Seguros ( Companhia ), relativas ao exercício social

Leia mais

ANEXO - CAPÍTULO III - Modelo de Publicação BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO

ANEXO - CAPÍTULO III - Modelo de Publicação BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO 200Y 200X ATIVO Contas ATIVO CIRCULANTE 12 Disponível 121 Realizável 122+123+124+125+126+127+128+129 Aplicações Financeiras 122 Aplicações Vinculadas a Provisões Técnicas 1221

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 KPDS 82388 Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações

Leia mais

FORPART S.A. - EM LIQUIDAÇÃO

FORPART S.A. - EM LIQUIDAÇÃO DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 Demonstrações Contábeis Em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 Conteúdo Relatório da Administração e do Liquidante Relatório dos Auditores Independentes

Leia mais

MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014

MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 Crowe Horwath Bendoraytes & Cia. Member of Crowe Horwath International Avenida das Américas, 4200

Leia mais

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

Crescimento expressivo. Conjuntura econômica

Crescimento expressivo. Conjuntura econômica Resultados 2010 Resultados 2010 Crescimento expressivo A SulAmérica registrou lucro líquido de R$ 614 milhões, que corresponde a uma elevação de 48,5% em relação a 2009 Conjuntura econômica O ano de 2010

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes

HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2009 e 2008 HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO. Senhores Acionistas,

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO. Senhores Acionistas, RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em atenção às disposições legais e estatutárias, submetemos a apreciação de V.Sas. o relatório da Administração e as Demonstrações Contábeis, relativas ao

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

A T I V O S LOCALIZA RENT A CAR S.A. BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E DE 2013 (Em milhares de reais R$)

A T I V O S LOCALIZA RENT A CAR S.A. BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E DE 2013 (Em milhares de reais R$) LOCALIZA RENT A CAR S.A. BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E DE 2013 (Em milhares de reais R$) Ativos circulantes A T I V O S Nota 31/12/14 31/12/13 31/12/14 31/12/13 Caixa e equivalentes

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - PARTICIPAÇÕES INDUST. DO NORDESTE S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - PARTICIPAÇÕES INDUST. DO NORDESTE S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente 7 Demonstração

Leia mais

Demonstrações Financeiras Brasmotor S.A. 31 de dezembro de 2010 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Brasmotor S.A. 31 de dezembro de 2010 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Brasmotor S.A. 31 de dezembro de 2010 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO. BALANÇOS PATRIMONIAIS Levantados em 30 de Junho de 2014 e de Dezembro de 2013 (Em Milhares de Reais - R$)

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO. BALANÇOS PATRIMONIAIS Levantados em 30 de Junho de 2014 e de Dezembro de 2013 (Em Milhares de Reais - R$) SENHORES ACIONISTAS De acordo com as disposições legais e estatutárias, apresentamos as Demonstrações Financeiras relativas ao semestre encerrado em 30 de junho de 2014 da Mitsui Sumitomo Seguros S.A.,

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Notas explicativas às Demonstrações Contábeis dos Planos de Assistência Médica, Hospitalar e Odontológica da Fundação Celesc de Seguridade Social do Exercício Findo em 31 de dezembro de 2011 e 2010. NOTAS

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2014

MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2014 MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2014 Crowe Horwath Bendoraytes & Cia. Member of Crowe Horwath International Avenida das Américas, 4200 - Bl.4

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - BRASIL BROKERS PARTICIPAÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - BRASIL BROKERS PARTICIPAÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 08. Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 08. Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 08 Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 39 partes

Leia mais

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES DURATEX COMERCIAL EXPORTADORA S.A. AVALIAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL APURADO POR MEIO DOS LIVROS CONTÁBEIS EM 31 DE AGOSTO DE 2015 Escritório Central: Rua Laplace, 96-10 andar - Brooklin - CEP 04622-000

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e Fundo de Investimento Imobiliário Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Passivo e patrimônio

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

Demonstrações Financeiras Yuny Incorporadora S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Yuny Incorporadora S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Yuny Incorporadora S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes Yuny Incorporadora S.A. Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 e 2012

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ÍNDICE BANCO IBI S.A. BANCO MÚLTIPLO

ÍNDICE BANCO IBI S.A. BANCO MÚLTIPLO ÍNDICE BANCO IBI S.A. BANCO MÚLTIPLO Relatório da Administração 3 Balanços Patrimoniais 3 Demonstração de Resultados 4 Demonstração das Mutações 5 Demonstração das Origens 5 Notas Explicativas 6 Diretoria

Leia mais

Federal Vida e Previdência S. A. Demonstrações contábeis Intermediárias Em 30 de junho de 2012

Federal Vida e Previdência S. A. Demonstrações contábeis Intermediárias Em 30 de junho de 2012 Federal Vida e Previdência S. A. Demonstrações contábeis Intermediárias Em 30 de junho de 2012 2 Federal Vida e Previdência S. A. Demonstrações contábeis Intermediárias em 30 de junho de 2012 Conteúdo

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A.

Raízen Combustíveis S.A. Balanço patrimonial consolidado e condensado (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Ativo 30.06.2014 31.03.2014 Passivo 30.06.2014 31.03.2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

Niterói Administradora de Imóveis S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Niterói Administradora de Imóveis S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Niterói Administradora de Imóveis S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Safra Seguros Gerais S.A. Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

Safra Seguros Gerais S.A. Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes 3 SAFRA SEGUROS GERAIS S.A. AV. PAULISTA, 2100 SÃO PAULO SP CNPJ: 06.109.373/0001-81 Submetemos à

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.S.as o Relatório da Administração e as Demonstrações Financeiras da SUHAI Seguros S.A. relativas ao semestre findo em, apuradas

Leia mais

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstração do resultado Exercício/período findo em 31 de dezembro Receita líquida (Nota 14) 13.913 Custo

Leia mais

RODANA RELÓGIOS S/A C.N.P.J. 22.800.833/0001-70

RODANA RELÓGIOS S/A C.N.P.J. 22.800.833/0001-70 RODANA RELÓGIOS S/A C.N.P.J. 22.800.833/0001-70 RELATÓRIO DA DIRETORIA Senhores Acionistas: Em cumprimento as disposições legais e estatutárias, submetemos a apreciação de V.Sas. as Demonstrações Contábeis

Leia mais

GMAC Administradora de Consórcios Ltda.

GMAC Administradora de Consórcios Ltda. GMAC Administradora de Consórcios Ltda. Demonstrações Financeiras Referentes ao Semestre Findo em 30 de Junho de 2015 e Relatório dos Auditores Independentes. Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes

Leia mais

Safra Vida e Previdência S.A. Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

Safra Vida e Previdência S.A. Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes SAFRA VIDA E PREVIDÊNCIA S.A. AV. PAULISTA, 2100 SÃO PAULO SP CNPJ: 30.902.142/0001-05 Submetemos

Leia mais

O FIOSAÚDE está adotando, no que aplica, as Leis nº 11.638/07 e nº 11.941/09 em suas demonstrações contábeis de 31 de dezembro de 2011.

O FIOSAÚDE está adotando, no que aplica, as Leis nº 11.638/07 e nº 11.941/09 em suas demonstrações contábeis de 31 de dezembro de 2011. Notas explicativas às Demonstrações Contábeis do Exercício Findo em 31 de dezembro de. (Valores expressos em Reais) 1. Contexto Operacional A Caixa de Assistência Oswaldo Cruz FIOSAÚDE, pessoa jurídica

Leia mais

Instituto Lina Galvani

Instituto Lina Galvani Balanços patrimoniais Em milhares de reais Ativo 31 de dezembro de 2011 31 de dezembro de 2010 Passivo e patrimônio social 31 de dezembro de 2011 31 de dezembro de 2010 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

Release de Resultado 3T08

Release de Resultado 3T08 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$75,0 MILHÕES OU R$0,33 POR AÇÃO NO E R$211,6 MILHÕES OU R$0,92 POR AÇÃO NO 9M08. São Paulo, 7 de Novembro de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os

Leia mais

Sancor Seguros do Brasil S.A. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015

Sancor Seguros do Brasil S.A. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. o relatório da administração

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

American Life Companhia de Seguros Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes

American Life Companhia de Seguros Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes American Life Companhia de Seguros Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes Relatório da Administração Senhores acionistas: Em cumprimento às

Leia mais

Relatório da Administração Dommo 2014

Relatório da Administração Dommo 2014 Relatório da Administração Dommo 2014 A Administração da Dommo Empreendimentos Imobiliários S.A. apresenta o Relatório da Administração e as correspondentes Demonstrações Financeiras referentes aos exercícios

Leia mais

Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013

Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras

Leia mais

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 MBK Securitizadora S.A. Demonstrações Financeiras

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e 2013

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e 2013 KPDS 110896 Conteúdo Relatório da Administração 3 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 4 Balanços patrimoniais 6 Demonstrações de resultados 7 Demonstrações das mutações

Leia mais

Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015 e 2014

Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015 e 2014 MSB Bank S.A. Banco de Câmbio KPDS 125950 MSB Bank S.A. Banco de Câmbio Conteúdo Relatório da Administração 3 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 4 Balanços patrimoniais

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - BRADESPAR S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - BRADESPAR S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Abril S.A. e empresas controladas

Abril S.A. e empresas controladas Abril S.A. e empresas controladas DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2010 e Relatório dos Auditores Independentes 1 Abril S.A. e empresas controladas

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2013 DEMONSTRAÇÕES DO RESULTADO EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 E DE 2006 E SEMESTRE RELATÓRIO FINDO DA ADMINISTRAÇÃO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 (Em milhares de reais

Leia mais

00009-4 PANATLANTICA SA 92.693.019/0001-89

00009-4 PANATLANTICA SA 92.693.019/0001-89 01 - CONTEXTO OPERACIONAL A Companhia, com sede em Gravataí (RS) e unidade industrial em Glorinha (RS), tem por objeto a industrialização, comércio, importação, exportação e beneficiamento de aços e metais,

Leia mais

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A.

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. 31 de dezembro de 2014 com o relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes

Leia mais

Relatório da diretoria 3 Parecer de avaliação atuarial 5 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras consolidadas 7

Relatório da diretoria 3 Parecer de avaliação atuarial 5 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras consolidadas 7 Demonstrações Financeiras Consolidadas em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 Demonstrações financeiras consolidadas Conteúdo Relatório da diretoria 3 Parecer de avaliação atuarial 5 Relatório dos auditores

Leia mais

Demonstrações Financeiras preparadas de acordo com a Circular SUSEP 483/2014. Santander Capitalização S.A.

Demonstrações Financeiras preparadas de acordo com a Circular SUSEP 483/2014. Santander Capitalização S.A. Demonstrações Financeiras preparadas de acordo com a Circular SUSEP 483/2014 Santander Capitalização S.A. 30 de junho de 2014 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS ÍNDICE Pág. Relatório dos Auditores Independentes

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2015 - ÁPICE SECURITIZADORA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2015 - ÁPICE SECURITIZADORA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

HSBC Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo Tripla Vantagem CNPJ nº 09.522.596/0001-64

HSBC Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo Tripla Vantagem CNPJ nº 09.522.596/0001-64 HSBC Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo Tripla Vantagem CNPJ nº 09.522.596/0001-64 (Administrado pelo HSBC Bank Brasil S.A. - Banco Múltiplo CNPJ nº 01.701.201/0001-89) Demonstrações financeiras

Leia mais

Demonstrações financeiras intermediárias em 30 de junho de 2015

Demonstrações financeiras intermediárias em 30 de junho de 2015 Demonstrações financeiras intermediárias em 30 de junho de 2015 KPDS 126209 Demonstrações financeiras intermediárias em 30 de junho de 2015 Conteúdo Relatório da Administração 3 Relatório dos auditores

Leia mais

de domiciliados no País Reserva de capital 103 50 Total do ativo 145.034 134.655 Total do passivo e patrimônio líquido 145.034 134.

de domiciliados no País Reserva de capital 103 50 Total do ativo 145.034 134.655 Total do passivo e patrimônio líquido 145.034 134. Western Asset Management Company Distribuidora Títulos e es Mobiliários Limitada CNPJ 07.437.241/0001-41 Relatório da Administração Aos nossos clientes: Em cumprimento às disposições legais e estatutárias,

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2015 - CONSTRUTORA TENDA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2015 - CONSTRUTORA TENDA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 7 (IASB) PRONUNCIAMENTO Conteúdo Item OBJETIVO

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 E 2006 (EM MILHARES DE REAIS)

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 E 2006 (EM MILHARES DE REAIS) RELATÓRIO ANUAL SULAMÉRICA 2007 68 69 BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 E 2006 (EM MILHARES DE REAIS) CONTROLADORA CONSOLIDADO ATIVO 2007 2006 2007 2006 ATIVO CIRCULANTE 434.740 24.197 5.066.930

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

ANEXO CAPÍTULO III MANUAL CONTÁBIL DAS OPERAÇÕES DO MERCADO DE SAÚDE

ANEXO CAPÍTULO III MANUAL CONTÁBIL DAS OPERAÇÕES DO MERCADO DE SAÚDE A Norma Contábil é necessária para padronizar o registro das operações do mercado de saúde. O principal objetivo da padronização é monitorar a solvência desse mercado. Solvência é a capacidade de uma operadora

Leia mais

Maringá, 27 de fevereiro de 2015. A Administração

Maringá, 27 de fevereiro de 2015. A Administração CNPJ. 17.643.407/0001-30 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO importante aumento com o objetivo manter principalmente o controle inflacionário pois quando o Banco Central aumenta os juros, estimula a poupança e

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 . (Companhia em fase pré-operacional) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 KPDS 80296 Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre

Leia mais

Sumário do Pronunciamento Técnico CPC 13

Sumário do Pronunciamento Técnico CPC 13 Sumário do Pronunciamento Técnico CPC 13 Adoção Inicial da Lei n o 11.638/07 e da Medida Provisória n o 449/08 Observação: Este sumário, que não faz parte do Pronunciamento, está sendo apresentado apenas

Leia mais

Demonstrações Financeiras BTG Pactual Oil & Gás ll Empreendimentos e Participações S.A.

Demonstrações Financeiras BTG Pactual Oil & Gás ll Empreendimentos e Participações S.A. Demonstrações Financeiras BTG Pactual Oil & Gás ll Empreendimentos e Participações S.A. 31 de dezembro de 2013 com relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Demonstrações

Leia mais

Safra Vida e Previdência S.A.

Safra Vida e Previdência S.A. Safra Vida e Previdência S.A. Demonstrações Contábeis Referentes aos Períodos Findos em 30 de Junho de 2015 e Relatório dos Auditores Independentes PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes ÍNDICE

Leia mais

Crédito y Caución Seguradora de Crédito à Exportação S.A. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes

Crédito y Caución Seguradora de Crédito à Exportação S.A. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes Relatório da Administração Senhores Acionistas Submetemos à apreciação de V.Sas as demonstrações financeiras da

Leia mais

Demonstrações Financeiras Enel Green Power Damascena Eólica S.A.

Demonstrações Financeiras Enel Green Power Damascena Eólica S.A. Demonstrações Financeiras Enel Green Power Damascena Eólica S.A. 31 de dezembro de 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras 31 de dezembro

Leia mais

Parque Eólico Assuruá VII. Relatório dos Auditores Independentes. Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2014

Parque Eólico Assuruá VII. Relatório dos Auditores Independentes. Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2014 Parque Eólico Assuruá VII Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2014 Parque Eólico Assuruá VII Demonstrações contábeis Referentes aos exercícios findos em 31

Leia mais

Super 25 Comércio Eletrônico de Óculos e Acessórios S.A.

Super 25 Comércio Eletrônico de Óculos e Acessórios S.A. Super 25 Comércio Eletrônico de Óculos e Acessórios S.A. Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2014 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações

Leia mais

BV Leasing - Arrendamento Mercantil S.A. Demonstrações Contábeis em 30 de junho de 2014 e 2013

BV Leasing - Arrendamento Mercantil S.A. Demonstrações Contábeis em 30 de junho de 2014 e 2013 BV Leasing - Arrendamento Mercantil S.A. BV LEASING - ARRENDAMENTO MERCANTIL S.A. Relatório da Administração Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, apresentamos as demonstrações

Leia mais

Demonstrações Financeiras Consolidadas em IFRS Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais S.A. BDMG

Demonstrações Financeiras Consolidadas em IFRS Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais S.A. BDMG Demonstrações Financeiras Consolidadas em IFRS Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais S.A. BDMG 31 de dezembro de 2013 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras consolidadas

Leia mais