DPS CP/ECEME ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DPS CP/ECEME ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA"

Transcrição

1 1 DPS CP/ECEME ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA 1ª QUES TÃ O (Valor 6,0) Analisar o s c o n f l i t o s g e r a d o s p e l a c r i a ç ã o d o E s t a d o d e I s r a e l ( ) : a G u e r r a d o s S e i s D i a s ( ) e a G u e r r a d o Y o m K i p p u r ( ), c o n c l u i n d o s o b r e a s c o n s e q u ê n c i a s d e s s e s c o n f l i t o s p a r a o p r o c e s s o d e p a z n o O r i e n t e M é d i o. 1. MÉTODO TOTAL: 180 (cento e oitenta) escores I ntr od uçã o (% a 1%) Identificação do objeto M1 Abordagem da ideia central. 3 M2 Delimitação do espaço geográfico e/ou do tempo 3 M3 Ideias complementares relacionadas com a questão que evidenciem uma preparação correta para o desenvolvimento 8 M4 Não elaboração da introdução de forma abrupta. 3 M Não antecipação de partes do desenvolvimento. M6 Ligação com o desenvolvimento. 3 (% a 70%) Compreensão do nível de desempenho Desenvolviment o Identificação do objeto M7 Divisão da solução em introdução, desenvolvimento e conclusão. De forma dedutiva. 20 M8 Elaboração das Limitando-se a resumir. conclusões parciais. Não elaborou as conclusões parciais. 0 M9 M M11 Divisão do todo em partes coerentes. Identificação da coerência das ideias com o objeto. Análise das ideias com ligação de causa e efeito. Totalmente. 20 Mais da metade das partes está coerente com o todo. Menos da metade das partes está coerente com otodo. Divisão sem coerência. 0 Totalmente. 2 Atendimento em mais da metade das ideias. 1 Atendimento em menos da metade das ideias. Não atendimento das ideias. 0 Totalmente. 3 Mais da metade das ideias com ligação. 20 Menos da metade das ideias com ligação. Ideias sem ligação. 0 PARÂMETRO IDEIAS ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS CONCLUSÃO Co ncl u sã o (20% a 30%) Compreensão do nível de desempenho M12 Retomada da ideia central (sob novo enfoque). Elaboração da Com as ideias essenciais e de forma dedutiva. síntese coerente M13 Parcialmente com as ideias essenciais. com as conclusões parciais. Não elaborou a síntese ou limitou-se a resumir. 0 M14 Atendimento à imposição do problema (novos conhecimentos). 1 Na conclusão, todas as ideias têm suporte na Conclusão introdução ou no desenvolvimento. baseada nos Na conclusão, mais da metade das ideias tem M1 aspectos suporte na introdução ou no desenvolvimento. desenvolvidos Na conclusão, menos da metade das ideias tem 2 (lógica). suporte na introdução ou no desenvolvimento Ideias sem suporte. 0 M16 Elaboração do parágrafo conclusivo.

2 2 Subtotal MÉTODO CONHECIMENTO TOTAL: 300 (trezentos) escores (trezentos) escores atribuídos para ideias constantes do barema - 0 (cinquenta) escores atribuídos para ideias novas* * A critério do oficial responsável pela correção, caso considere pertinentes ideias que não constem do barema. A essas ideias serão atribuídos valores, no limite do estabelecido para ideias novas (somente computar se o aluno obtiver menos de 300 escores e até esse limite). In trodu çã o (% a 1%) Algumas ideias C1 A criação do Estado de Israel (1948) e a guerra de independência. C2 C3 C4 O acordo anglo-francês Sykes-Picot implementou a política britânica para a região do Oriente-Médio, durante a I Guerra M undial(1916). Lideranças árabes da Palestina, da Síria e da Mesopotâmia buscavam a independência após a derrota turca, e a liderança sionista tinha como objetivo um lar nacional judaico na região. A integridade do Canal de Suez, preocupação britânica, levou ao estabelecimento do sistema de mandatos estabelecidos pela Liga das Nações. C A Declaração Balfour e o Lar Nacional Judaico. C6 O Mandato Britânico na Palestina e a imigração judaica e a crise de C7 A II Guerra Mundial, o apoio árabe e a participação de judeus junto ao exército britânico, o término da guerra e o holocausto judeu. C8 A Guerra do Sinai, Nasser, a estatização do Canal de Suez. C9 Outras ideias julgadas pertinentes. (% a 70%) Ide ia s C C11 C12 C13 C14 C1 C16 C17 a. A Guerra dos Seis Dias (1967) A organização terrorista palestina Al Fatah (198) incorporou-se à OLP e com apoio da Síria (pró-soviética) atuava contra Israel com ações de guerrilha (1961). Conferência do Cairo de 1964, a destruição do Estado de Israel e a criação da Organização para Libertação da Palestina (OLP). Aviação Israelense abateu 6(seis) aviões MIG-21 sírios nos céus de Damasco. Nasser pressionado pela Síria e Jordânia enviou grande contingente do exército para o deserto do Sinai. Em 1967, com sinal verde dos EUA, Israel desencadeou a guerra contra o Egito, destruindo no solo a quase totalidade da aviação egípcia. Atacou também a Síria e a Jordânia. Ocupação israelense da Cisjordânia (fronteira com a Jordânia), das Colinas de Golã (Síria) e de Jerusalém Oriental. Conferência da Cúpula árabe em Cartum no Sudão (28 de agosto) e os três nãos : não ao reconhecimento de Israel, não à negociação e não à paz. Resolução 242 da ONU determinava a retirada das forças israelenses dos territórios ocupados. Anexação de Jerusalém de Leste, das Colinas de Golã. Ocupação da Faixa de Gaza e da Cisjordânia. C18 Outras ideias julgadas pertinentes. Conclusão Parcial C19 Formação do novo território do Grande Israel C20 Acordos de Paz somente (dez) anos depois do conflito. b. A Guerra do Yom Kippur (1973) C21 O imobilismo israelense, o atentado terrorista nas Olimpíadas de Munique. C22 Rejeição do governo de Israel a qualquer plano de paz que implicasse em devolver territórios ocupados na Guerra dos Seis Dias. 1

3 3 C23 A Guerra de Atrito entre Egito e Israel. C24 C2 C26 C27 C28 C29 Falecimento de Nasser e assunção de Anuar Sadat (1970). Tentativa de Paz com Israel fracassa. Em 1973, Sadat rompe o impasse e determina invasão de Israel no Dia do Perdão (Yom Kippur). Ataque surpresa juntamente com a Síria. O objetivo era levar o governo de Israel às negociações. O ponto de inflexão se deu em 14 de outubro de 1973 com forte contra-ofensiva israelense na região do Sinai. Derrota do 3º exército egípcio, ocupação da margem leste do Canal de Suez, comprometendo a cidade do Cairo. O exército de Israel também penetrou em território Sírio comprometendo a capital Damasco. Intervenção dos EUA e da ex-urss, firmada uma trégua a partir de 22 de outubro de Outras ideias julgadas pertinentes. Conclusão Parcial C30 O exército de Israel, pela primeira vez demonstrou não ser invencível. C31 Para os EUA Israel passou a ser o fiel da balança da Guerra Fria no Oriente Médio 1 1 PARÂMETRO IDEIAS ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS CONCLUSÃO Con c lu s ão (20% a 30%) Ideias C32 C33 C34 C3 C36 C37 A Guerra dos Seis Dias contribuiu para o fortalecimento de Israel além de fornecer nova configuração geopolítica do território israelense. As Guerras analisadas consolidaram o poderio militar de Israel no Oriente Médio e o consequente apoio declarado dos EUA. A Guerra do Yom Kippur foi a primeira guerra em que os países árabes usaram o petróleo como arma política: em fins de 1973 a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) aumentou em 300% o valor do barril de petróleo. A Guerra do Yom Kippur abriu caminho para que, em 1978, Egito e Israel assinassem um acordo de Paz (Camp David). Foi plantada definitivamente a semente do fundamentalismo islâmico do Hamas (Movimento de Resistência Islâmica) e da Jihad (Guerra Santa) nos territórios ocupados de Gaza e da Cisjordânia. Houve a divisão do mundo árabe em países pró-ocidente, alinhados com a política dos EUA e outros independentes que aproximaram suas relações com a extinta União Soviética. C38 Outras ideias julgadas pertinentes. Subtotal CONHECIMENTO EXPSÃO RITA PARÂMETRO (A) COERÊNCIA: as ideias são encadeadas de modo a respeitar a ordenação lógica do pensamento; o autor não se contradiz. Pode haver incoerências localizadas ou o texto inteiro se caracterizar por uma grande incoerência. (B) CLAREZA: o texto claro reflete a limpidez do pensamento, facilita a pronta percepção e jamais obriga o leitor a retornar para entender melhor alguma parte. TOTAL: 120 (cento e vinte) escores ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS A1: Desenvolvimento incompreensível, incoerente, ilógico ou contraditório devido à inexistência de articulação de ideias e/ou a excessivas contradições. A2: Desenvolvimento p a r c i a l m e n t e compreensível, embora fragmentado, com má articulação de ideias. Há contradições que não dificultam a compreensão, coerência e lógica global, mas registram dificuldade de compreensão localizada. A3: Desenvolvimento compreensível, coerente, lógico e sem contradições, no qual todas as ideias apresentadas 20 (2) são desenvolvidas, proporcionando leitura fluente. B1: Texto pouco claro como um todo, obrigando retornos frequentes do leitor. B2: Ocorrência de pouca clareza em partes do texto. B3: Texto suficientemente claro, de fácil entendimento do leitor. 2 (2) (3)

4 4 (C) OBJETIVIDADE: caracteriza-se pela economia verbal, sem prejuízo da eficácia da comunicação do pensamento. O bom texto vai direto ao ponto, desenvolve-se de maneira sóbria e retilínea e evita divagações inúteis, muitas vezes propositais (expediente infantil, usado para aumentar o texto sem lhe conferir qualidade). O exagero da objetividade leva ao laconismo, comprometendo a clareza, ou redundando em omissão de conteúdo. (D) COESÃO: avalia-se o emprego de elementos coesivos: pronomes, conjunções, preposições, tempos verbais, pontuação. (E) CORREÇÃO GRAMATICAL C1: É pouco objetivo, vago e com divagações inúteis na (quase) totalidade do texto. C2: É parcialmente objetivo em determinadas partes do texto. C3: É objetivo, com linguagem direta e preciso na exposição das suas ideias. 20 (2) D1: Inobservância total dos elementos que efetuam a coesão dentro dos parágrafos e/ou entre os parágrafos. Pouco coeso. D2: Emprego inadequado dos elementos da coesão. D3: Empregou parcialmente os elementos coesivos. D4: Emprego e diversificado dos elementos coesivos, gerando texto coeso. 1 (2) E1: Ortografia. (4) E2: Pontuação. (4) E3: Concordância. (4) E4: Regência. (4) Subtotal EXPSÃO RITA 120 OBS: (1) Grau mínimo. (2) Grau máximo. (3) Atribuir somente um valor que melhor se enquadre na avaliação do item considerado. Pode haver um valor intermediário. (4) Retirado 1 (um) escore por erro. ULTADO DA QUESTÃO O / GRAU BRUTO MÁXIMO 600 6,00 O / GRAU BRUTO OBTIDO 2ª QUES TÃ O (Valor 4,0) Caracterizar os interesses estratégicos dos EUA, da China e da Rússia na Ásia Central, a partir de 11 de setembro de MÉTODO TOTAL: 80 (oitenta) escores I ntr od uçã o (% a 20%) Identificação do objeto M1 Abordagem da ideia central. 2 M2 Delimitação do espaço geográfico e/ou do tempo 2 M3 Ideias complementares relacionadas com a questão que evidenciem uma preparação correta para o desenvolvimento M4 Não elaboração da introdução de forma abrupta. 2 M Não antecipação de partes do desenvolvimento. 2 M6 Ligação com o desenvolvimento. 2 (80% a 90%) Compreensão do nível de desempenho M7 Divisão da solução em introdução e desenvolvimento. M8 Atendimento da imposição da servidão (citação e caracterização das ideias ou somente caracterização). Em todas as ideias. Em mais da metade das ideias. Em menos da metade das ideias. 2 Em nenhuma das ideias. 0

5 Identificaçã o do objeto M9 M Identificação da coerência das ideias com o objeto. Caracterização das ideias com ligação de causa e efeito. Em todas as ideias. 20 Em mais da metade das ideias. Em menos da metade das ideias. Em nenhuma das ideias. 0 Em todas as ideias. 30 Em mais da metade das ideias. 20 Em menos da metade das ideias. Em nenhuma das ideias. 0 Subtotal MÉTODO CONHECIMENTO TOTAL: 240 (duzentos e quarenta) escores (duzentos e quarenta) escores atribuídos para ideias constantes do barema - 0 (cinquenta) escores atribuídos para ideias novas* * A critério do oficial responsável pela correção, caso considere pertinentes ideias que não constem do barema. A essas ideias serão atribuídos valores, no limite do estabelecido para ideias novas (somente computar se o aluno obtiver menos de 240 escores e até esse limite). I ntr od uçã o (% a 20%) Algumas ideias C1 C2 Ásia Central, foco dos interesses estratégicos dos EUA, China e Rússia, em especial nos campos econômico, político e militar. A região é conhecida por ser um ponto de intercâmbio de diversos povos, vizinha de potências como China e Rússia, além do Irã. C3 As grandes reservas energéticas da região, especialmente petróleo e gás. C4 C A instabilidade política dos países centro-asiáticos: ditaduras, guerras civis e a atuação de movimentos radicais islâmicos. Outras ideias julgadas pertinentes. 20 Desenvol vi- m ent o (80% a 90%) Algumas ideias C6 C7 a. EUA na Ásia Central. A presença americana na região, fruto dos atentados de 11 de Setembro de 2001 e a invasão do Afeganistão em 7 de Outubro do mesmo ano. A guerra no Afeganistão, iniciada em 2001 e ainda não encerrada: o interesse estratégico americano em combater o terrorismo para se prevenir de novos ataques. C8 A presença da OTAN no Afeganistão em auxílio as forças americanas. C9 C C11 C12 C13 C14 A instalação de bases militares dos EUA em diversos países da região, como Cazaquistão, Uzbequistão, Taijquistão e Quirguistão, dentre outros, além do fornecimento de material militar e treinamento para as Forças Armadas destes países, visando a criar uma presença forte dos EUA na área. Os tratados econômicos dos EUA com os Estados da região, buscando colocá-los sobre a influência americana, tentando instigar ideais democráticos nos fechados regimes políticos da Ásia Central. A iniciativa americana da construção dos gasoduto BTC (Baku-Tbilisi- Ceyhan) e o BTE (Baku-Tbilisi-Erzurum), diminuindo a influência russa na região, escoando o gás e o petróleo da região direto para o Ocidente. A estratégia americana da contenção de Rússia e China, incentivada pela União Europeia, que deseja reduzir sua dependência de gás natural russo. b. China e a Ásia Central. O interesse chinês nos recursos energéticos da Ásia Central, vitais para a economia chinesa. A criação da Organização para Cooperação de Shangai (OCS): iniciativa chinesa de um bloco econômico-energético para conter a presença dos EUA na região. O bloco tem como membros os Estados centro-asiáticos (Cazaquistão, Uzbequistão, Taijquistão e Quirguistão) e a Rússia.

6 6 C1 C16 C17 C18 C19 C20 C21 C22 C23 C24 C2 O uso da OCS pela China como meio de financiamento dos países da região, construindo oleodutos e gasodutos que ligam os recursos locais a província chinesa de Xinjiang. A cooperação contra o terrorismo e segurança regional no âmbito da OCS promovida pela China, visando evitar o contato do movimentos radicais islâmicos da região com os rebeldes separatistas da província de Xinjiang, povoada pela etnia uigur, de religião islâmica. A aproximação entre a China e as nações centro-asiáticas, com grande financiamento sem interferência nas questões internas, como regime político e direitos humanos, em contraponto às tendências democratizantes dos EUA. A aproximação da China com o Irã em contraponto à presença americana na região. c. Rússia na Ásia Central. A proximidade da Rússia com a região, tendo acesso muito facilitado pelo terreno, em oposição a cadeia montanhosa que separa a Ásia Central da China, e a forte presença militar russa na fronteira com os Estados da região. A recuperação da presença russa na Ásia Central nos anos recentes, com a implantação ou reativação de diversas bases militares do passado soviético no Quirguistão, Tajiquistão e Uzbequistão, além de um tratado de defesa bilateral com o Cazaquistão. A fundação de organismos multilaterais pela Rússia como a Comunidade dos Estados Independentes (CEI) e a Comunidade Econômica Eurasiática (CEEA ou EURASEC) com regras de investimento muito mais flexíveis que as oferecidas pelos EUA. A forte ligação entre Moscou e os regimes fechados centro-asiáticos, com o estabelecimento de laços diretos entre os líderes locais e a liderança russa. A influência russa sobre o setor energético dos países da região, visando impedir uma aproximação destes com os EUA e União Europeia A política dupla da Rússia na região: apoio a governos e movimentos rivais entre si, enfraquecendo os países centro-asiáticos. Outras ideias julgadas pertinentes. Subtotal CONHECIMENTO EXPSÃO RITA PARÂMETRO (A) COERÊNCIA: as ideias são encadeadas de modo a respeitar a ordenação lógica do pensamento; o autor não se contradiz. Pode haver incoerências localizadas ou o texto inteiro se caracterizar por uma grande incoerência, o que deve ser evitado. (B) CLAREZA: o texto claro reflete a limpidez do pensamento, facilita a pronta percepção e jamais obriga o leitor a retornar para entender melhor alguma parte. (C) OBJETIVIDADE: caracteriza-se pela economia verbal, sem prejuízo da eficácia da comunicação do pensamento. O bom texto vai direto ao ponto, desenvolve-se de maneira TOTAL: 80 (oitenta) escores ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS A1: Desenvolvimento incompreensível, incoerente, ilógico ou contraditório devido à inexistência de articulação de ideias e/ou a excessivas contradições. A2: Desenvolvimento p a r c i a l m e n t e compreensível, embora fragmentado, com má articulação de ideias. Há contradições que não dificultam a compreensão, coerência e lógica global, mas registram dificuldade de compreensão localizada. A3: Desenvolvimento compreensível, coerente, lógico e sem contradições, no qual todas as ideias apresentadas (2) são desenvolvidas, proporcionando leitura fluente. B1: Texto pouco claro como um todo, obrigando retornos frequentes do leitor. B2: Ocorrência de pouca clareza em partes do texto. B3: Texto suficientemente claro, de fácil entendimento do leitor. 1 (2) C1: É pouco objetivo, vago e com divagações inúteis na (quase) totalidade do texto. C2: É parcialmente objetivo em determinadas partes do texto. (3)

7 7 sóbria e retilínea e evita divagações inúteis, muitas vezes propositais (expediente infantil, usado para aumentar o texto sem lhe conferir qualidade). O exagero da objetividade leva ao (D) COESÃO: avalia-se o emprego de elementos coesivos: pronomes, conjunções, preposições, tempos verbais, pontuação. (E) CORREÇÃO GRAMATICAL C3: É objetivo, com linguagem direta e preciso na exposição das suas ideias. 1 (2) D1: Inobservância total dos elementos que efetuam a coesão dentro dos parágrafos e/ou entre os parágrafos de um mesmo tópico (SFC). Pouco coeso. D2: Emprego inadequado dos elementos da coesão. D3: Empregou parcialmente os elementos coesivos. 8 D4: Emprego e diversificado dos elementos coesivos, gerando texto coeso. (2) E1: Ortografia. (4) E2: Pontuação. (4) E3: Concordância. (4) E4: Regência. (4) Subtotal EXPSÃO RITA 80 OBS: (1) Grau mínimo. (2) Grau máximo. (3) Atribuir somente um valor que melhor se enquadre na avaliação do item considerado. Pode haver um valor intermediário. (4) Retirado 1 (um) escore por erro. ULTADO DA QUESTÃO O / GRAU BRUTO MÁXIMO (400 escores = Nota 4,00) 400 4,00 O / GRAU BRUTO OBTIDO ULTADO FINAL VALOR DAS QUESTÕES O O OBTIDOS GRAU OBTIDO 1ª Questão 6, ª Questão 4, TOTAL,00 00 OBSERVAÇÕES JULGADAS PERTINENTES PARA A ORIENTAÇÃO DO

CPS CP/ECEME - 2010 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA

CPS CP/ECEME - 2010 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA CPS CP/ECEME - 20 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA Aluno Nº 1 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Analisar a disputa pela hegemonia na Ásia Central entre EUA, Rússia e China, a partir do ano

Leia mais

PEP 2012 3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA

PEP 2012 3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA 1 PEP 2012 3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA 1ª QUES TÃ O (Valor 6,0) Estudar os reflexos da primeira fase da Guerra Fria (1945-1962), nos campos político e econômico, para

Leia mais

CPS CP/ECEME 2013 2ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO

CPS CP/ECEME 2013 2ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO 1 CPS CP/ECEME 2013 2ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO Aluno nº GEOGRAFIA 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Analisar as iniciativas de integração regional conhecidas como Comunidade Andina das Nações

Leia mais

DPS CP/ECEME 2015 FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO AVALIAÇÃO DE RECUPERAÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE

DPS CP/ECEME 2015 FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO AVALIAÇÃO DE RECUPERAÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE 1 DPS CP/ECEME 201 FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO AVALIAÇÃO DE RECUPERAÇÃO Aluno nº GEOGRAFIA-SAÚDE 1ª QUES TÃ O (Valor 6,0) A n a l i s a r a e s t r u t u r a a t u a l d e s a n e a m e n t o b á s i c

Leia mais

CONFLITO ENTRE ISRAEL E PALESTINA CLAUDIO F GALDINO GEOGRAFIA

CONFLITO ENTRE ISRAEL E PALESTINA CLAUDIO F GALDINO GEOGRAFIA CONFLITO ENTRE ISRAEL E PALESTINA CLAUDIO F GALDINO GEOGRAFIA Oferecimento Fábrica de Camisas Grande Negão AQUELA QUE TRAZ EMOÇÃO. PARA VOCÊ E SEU IRMÃO!!! Canaã Terra Prometida Abraão recebeu de Deus

Leia mais

PEP/2010 5ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0)

PEP/2010 5ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) PEP/2010 5ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO 1 GEOGRAFIA 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) São muitas também as referências ao algo mais, à capacidade que tem o brasileiro de desenvolver com o

Leia mais

DPS CP/ECEME 2015 FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO FAC 1ª AVALIAÇÃO FORMATIVA HISTÓRIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0)

DPS CP/ECEME 2015 FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO FAC 1ª AVALIAÇÃO FORMATIVA HISTÓRIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) DPS CP/ECEME 1 FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO FAC 1ª AVALIAÇÃO FORMATIVA HISTÓRIA Aluno nº 1 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Analisar as ações de Portugal na defesa do Brasil Colônia, frente às ameaças colonizadoras

Leia mais

Prof ª Viviane Jordão

Prof ª Viviane Jordão Prof ª Viviane Jordão LOCALIZAÇÃO Localização geográfica estratégica, na Ásia Ocidental (ponto de encontro entre a Ásia, Europa e África). ORIENTE MÉDIO 1. Turquia 2. Síria 3. Chipre 4. Líbano 5. Israel

Leia mais

Conflitos no Oriente Médio. Prof a Maria Fernanda Scelza

Conflitos no Oriente Médio. Prof a Maria Fernanda Scelza Conflitos no Oriente Médio Prof a Maria Fernanda Scelza Revolução Iraniana 1953: o Xá (rei) Mohamed Reza Pahlevi passou a governar autoritariamente o Irã; Seu objetivo era ocidentalizar o país, tornando-o

Leia mais

CPS CP/ECEME - 2009 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0)

CPS CP/ECEME - 2009 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) CPS CP/ECEME - 29 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO 1ª QUESTÃO (Valor 6,) Analisar as consequências político-econômicas da Guerra do Pacífico (1879-1881) e Guerra do Chaco (1932-1935) para

Leia mais

PEP/2011-2ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA. 1ª QUES TÃ O (Valor 6,0)

PEP/2011-2ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA. 1ª QUES TÃ O (Valor 6,0) 1 PEP/2011-2ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA 1ª QUES TÃ O (Valor 6,0) Comparar os períodos Regencial e Segundo Reinado, nos campos político e econômico, concluindo sobre os

Leia mais

Israel e o mundo Árabe

Israel e o mundo Árabe Israel e o mundo Árabe Leonardo Herms Maia¹ Regina Cohen Barros² Para uma compreensão espacial e econômica deste assunto, irei abordar temas principais que nos mostram como Israel se tornou uma grande

Leia mais

PEP/2015 2ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO

PEP/2015 2ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO 1 PEP/2015 2ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA 1ª QUES TÃ O (Valor 6,0) Estudar as Rebeliões Coloniais de vulto, ocorridas no Brasil, durante os séculos XVII e XVIII, que contestaram

Leia mais

ATIVIDADES ONLINE 9º ANO

ATIVIDADES ONLINE 9º ANO ATIVIDADES ONLINE 9º ANO 1) (UFV) Das alternativas, aquela que corresponde à causa do acordo entre Israel e a Organização para Libertação da Palestina (OLP) é: a) o fortalecimento do grupo liderado por

Leia mais

PEP/2011 3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0)

PEP/2011 3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) PEP/2011 3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO 1 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Estudar o processo de ocupação da Região Norte do Brasil, a partir de 1970, e concluir sobre os impactos causados

Leia mais

CPS CP/ECEME 2013 AVALIAÇÃO DE RECUPERAÇÃO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA

CPS CP/ECEME 2013 AVALIAÇÃO DE RECUPERAÇÃO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA 1 CPS CP/ECEME 2013 AVALIAÇÃO DE RECUPERAÇÃO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO Aluno nº GEOGRAFIA 1ª QUES TÃ O (Valor 6,0) Estudar a atual distribuição dos recursos hídricos e das fontes de energia na América

Leia mais

Desertos, montanhas, estreitos, canais e mares

Desertos, montanhas, estreitos, canais e mares Desertos, montanhas, estreitos, canais e mares Regiões desérticas: Ø Saara/Calaari/Australiano/Atacama/Patagônia/Califórnia Ø Os desertos tem como causa: o A saída dos ventos alísios pois estão localizados

Leia mais

ISRAEL E A QUESTÃO PALESTINA

ISRAEL E A QUESTÃO PALESTINA ISRAEL E A QUESTÃO PALESTINA Origem do Judaísmo Os relatos bíblicos são a principal fonte de informações para entender as origens dos judeus. Segundo a Bíblia, Abraão recebeu de Deus a missão de levar

Leia mais

PEP/2016-3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA

PEP/2016-3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA 1 PEP/2016-3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA 1ª QUES TÃ O (Valor 6,0) OBSERVAÇÃO: ESTA É UMA DAS FORMAS DE SOLUÇÃO PARA A SERVIDÃO COMPARAR. LEIA A PUBLICAÇÃO MÉTODO PARA

Leia mais

CPS CP/ECEME - 2008 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA

CPS CP/ECEME - 2008 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA CPS CP/ECEME - 2008 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA Al nº 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Estudar a retomada do Programa Nuclear Brasileiro, com o enfoque nos aspectos econômico e científico-tecnológico,

Leia mais

A Guerra dos Seis Dias

A Guerra dos Seis Dias A Guerra dos Seis Dias Desde o fim da Segunda Guerra Mundial e da criação do Estado de Israel em 1948 que o Oriente Médio vive em uma constante tensão bélica por conta das inúmeras discordâncias entre

Leia mais

ISRAEL E PALESTINA COMO COMEÇOU O CONFLITO?

ISRAEL E PALESTINA COMO COMEÇOU O CONFLITO? ISRAEL E PALESTINA COMO COMEÇOU O CONFLITO? O movimento sionista, que procurava criar um Estado para os judeus, ganhou força no início do século 20, incentivado pelo antissemitismo sofrido por judeus na

Leia mais

Exercícios sobre Israel e Palestina

Exercícios sobre Israel e Palestina Exercícios sobre Israel e Palestina Material de apoio do Extensivo 1. Observe o mapa a seguir, que representa uma área do Oriente Médio, onde ocorrem grandes tensões geopolíticas. MAGNOLI, Demétrio; ARAÚJO,

Leia mais

A formação do Estado de Israel

A formação do Estado de Israel A formação do Estado de Israel 1946: 500 mil judeus na Palestina querem a independência de Israel do domínio britânico Aumento da tensão entre israelenses e ingleses: centenas de ataques de judeus a britânicos

Leia mais

Esquema da conquista da península do Sinai durante a Guerra dos Seis Dias

Esquema da conquista da península do Sinai durante a Guerra dos Seis Dias Guerra dos Seis Dias A Guerra dos Seis Dias foi um conflito armado entre Israel e a frente árabe, formada por Egito, Jordânia e Síria, apoiados pelo Iraque, Kuweit, Arábia Saudita, Argélia e Sudão. O crescimento

Leia mais

Descolonização e Lutas de Independência no Século XX

Descolonização e Lutas de Independência no Século XX Descolonização e Lutas de Independência no Século XX A Independência da Índia (1947) - Antecedentes: Partido do Congresso (hindu) Liga Muçulmana Longa luta contra a Metrópole inglesa - Desobediência pacífica

Leia mais

PEP/2012 1ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO

PEP/2012 1ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO PEP/2012 1ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO 1 GEOGRAFIA 1 a QUESTÃO (Valor 6,0) Analisar o processo de urbanização no Brasil, com enfoque nos campos econômico e psicossocial, a partir

Leia mais

CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLÓGIAS

CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLÓGIAS CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLÓGIAS Lista de Exercícios de GEOGRAFIA/ 2º ano Professor(a): Amanda Rafaela Data: / Março / 2016 De sonhos e conquistas Aluno(a): 1) (UPE) Sobre o assunto abordado na notícia

Leia mais

Exercícios de Oriente Médio

Exercícios de Oriente Médio Exercícios de Oriente Médio 1. (Cesgranrio) Quanto aos conflitos entre árabes e israelenses, podemos dizer que: I - se aceleram com a partilha da Palestina realizada pela ONU em 1947, que deu origem ao

Leia mais

Conflito entre Israel e Palestina CONFLITO ATUAL

Conflito entre Israel e Palestina CONFLITO ATUAL Conflito entre Israel e Palestina CONFLITO ATUAL Os conflitos entre Israel e a Faixa de Gaza se intensificaram em junho e julho de 2014. Os dois territórios apresentam instabilidade política há anos, ou

Leia mais

Geografia. Questão 1. Questão 2. Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor:

Geografia. Questão 1. Questão 2. Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Geografia Questão 1 Em 1967, por ocasião da Guerra dos Seis Dias, Israel ocupou de seus vizinhos árabes uma série de territórios, entre eles a Península do

Leia mais

A PAZ ENTRE PALESTINOS E ISRAELENSES CONTINUA DISTANTE

A PAZ ENTRE PALESTINOS E ISRAELENSES CONTINUA DISTANTE Aumentar a fonte Diminuir a fonte MUNDO ÁRABE A PAZ ENTRE PALESTINOS E ISRAELENSES CONTINUA DISTANTE Apesar da vitória diplomática palestina na ONU, a existência de um Estado fica difícil com os novos

Leia mais

Recuperação - 3ª Etapa Ensino Médio

Recuperação - 3ª Etapa Ensino Médio 1 CULTURA RELIGIOSA 2º ANO ENS. MÉDIO PROFESSOR(A): RICARTE NOME: Nº PARTE I DOS CONCEITOS ATUAIS NA CULTURA RELIGIOSA QUESTÃO 01: EXPLIQUE OS SEGUINTES CONCEITOS: 1. O RELATIVISMO A) Relativismo filosófico

Leia mais

CP/ECEME/2007 1ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0)

CP/ECEME/2007 1ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) CP/ECEME/2007 1ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) O mundo que se esfacelou no fim da década de 1980 foi o mundo formado pelo impacto da Revolução Russa de

Leia mais

A resolução 1559 e o assassinato do ex- Primeiro Ministro Rafic Al Hariri e seus impactos para o equilíbrio regional de poder no Oriente Médio

A resolução 1559 e o assassinato do ex- Primeiro Ministro Rafic Al Hariri e seus impactos para o equilíbrio regional de poder no Oriente Médio A resolução 1559 e o assassinato do ex- Primeiro Ministro Rafic Al Hariri e seus impactos para o equilíbrio regional de poder no Oriente Médio Análise Segurança Prof. Danny Zahreddine 25 de fevereiro de

Leia mais

Oriente Médio. Geografia Monitor: Renata Carvalho e Eduardo Nogueira 21, 24 e 25/10/2014. Material de Apoio para Monitoria

Oriente Médio. Geografia Monitor: Renata Carvalho e Eduardo Nogueira 21, 24 e 25/10/2014. Material de Apoio para Monitoria Oriente Médio 1.(VEST - RIO) A Guerra do Líbano, o conflito Irã/ Iraque, a questão Palestina, a Guerra do Golfo, são alguns dos conflitos que marcam ou marcaram o Oriente Médio. Das alternativas abaixo,

Leia mais

POLÍTICA ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS ÍNDICE. 1. Objetivo...2. 2. Abrangência...2. 3. Definições...2. 4. Diretrizes...3. 5. Materialidade...

POLÍTICA ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS ÍNDICE. 1. Objetivo...2. 2. Abrangência...2. 3. Definições...2. 4. Diretrizes...3. 5. Materialidade... ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS Folha 1/8 ÍNDICE 1. Objetivo...2 2. Abrangência...2 3. Definições...2 4. Diretrizes...3 5. Materialidade...7 Folha 2/8 1. Objetivos 1. Estabelecer as diretrizes que devem orientar

Leia mais

DPS CP/ECEME 2012 1ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA

DPS CP/ECEME 2012 1ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA DPS CP/ECEME 2012 1ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA Aluno N 1 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) A Inconfidência Mineira e a Conjuração Baiana podem legitimamente considerar-se movimentos

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA GESTÃO PÚBLICA SUPERINTENDÊNCIA DA ESCOLA DE GOVERNO REGULAMENTO DO CONCURSO DE AÇÕES INOVADORAS

GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA GESTÃO PÚBLICA SUPERINTENDÊNCIA DA ESCOLA DE GOVERNO REGULAMENTO DO CONCURSO DE AÇÕES INOVADORAS REGULAMENTO DO CONCURSO DE AÇÕES INOVADORAS A Secretaria de Estado da Gestão Pública do Governo de Alagoas torna público o 3º CONCURSO DE AÇÕES INOVADORAS NA GESTÃO DO PODER EXECUTIVO DE ALAGOAS que será

Leia mais

PEP/2011 1ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA 1ª QUESTÃO

PEP/2011 1ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA 1ª QUESTÃO PEP/2011 1ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO 1ª QUESTÃO Analisar a atuação das Entradas e Bandeiras entre os séculos XVI e XVIII na expansão do território da América Portuguesa, concluindo

Leia mais

EXPRESSÃO ESCRITA. O Sumário aqui presente é a continuação do que desenvolvemos na aula anterior: 1. Introdução. 2.

EXPRESSÃO ESCRITA. O Sumário aqui presente é a continuação do que desenvolvemos na aula anterior: 1. Introdução. 2. EXPRESSÃO ESCRITA Sejam bem-vindos à segunda videoaula de Expressão Escrita. Sou a Maj Anna Luiza professora de Português da Seção de Idiomas da ECEME. Esta aula se destina a você, aluno do CP/ECEME e

Leia mais

CPS CP/ECEME - 2009 2ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA

CPS CP/ECEME - 2009 2ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA CPS CP/ECEME - 2009 2ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO Al Nº: 1ª QUESTÃO (Valor 6,00) Comparar os sistemas de transportes da Região Norte com os da Região Centro-Oeste do Brasil, concluindo

Leia mais

Quarenta anos da Guerra de 1967

Quarenta anos da Guerra de 1967 Quarenta anos da Guerra de 1967 Análise Segurança Fernando Maia 20 de junho de 2007 Quarenta anos da Guerra de 1967 Análise Segurança Fernando Maia 20 de junho de 2007 No dia 5 de junho de 2007, foram

Leia mais

Barak Articula Articulação com o estopim Sharon

Barak Articula Articulação com o estopim Sharon Barak Articula Articulação com o estopim Sharon JERUSALÉM- Ehud Barak está prestes a fazer um acordo para formar um governo de unidade nacional com o líder do direitista palestino Likud, Ariel Sharon,

Leia mais

ISRAEL X ÁRABES / GUERRA DOS 6 DIAS ISRAEL X ÁRABES / GUERRA DO YOM KIPPUR

ISRAEL X ÁRABES / GUERRA DOS 6 DIAS ISRAEL X ÁRABES / GUERRA DO YOM KIPPUR PROPOSTA ORIGINAL DA ONU JERUSALÉM 57 58 ISRAEL X ÁRABES / GUERRA DOS 6 DIAS ISRAEL X ÁRABES / GUERRA DO YOM KIPPUR Golda Meir, foi uma fundadora do Estado de Israel. Emigrou para a Palestina no ano de

Leia mais

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE PARECER DOS RECURSOS

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE PARECER DOS RECURSOS 11) China, Japão e Índia são três dos principais países asiáticos. Sobre sua História, cultura e relações com o Ocidente, analise as afirmações a seguir. l A China passou por um forte processo de modernização

Leia mais

Palestina e Israel: Acordos de Oslo, Camp David II e Mapa da Paz. Análise Segurança

Palestina e Israel: Acordos de Oslo, Camp David II e Mapa da Paz. Análise Segurança Palestina e Israel: Acordos de Oslo, Camp David II e Mapa da Paz Análise Segurança Bárbara Gomes Lamas 17 de novembro de 2004 Palestina e Israel: Acordos de Oslo, Camp David II e Mapa da Paz Análise Segurança

Leia mais

PEP/2013-2ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE

PEP/2013-2ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE 1 PEP/2013-2ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE 1 a QUESTÃO (Valor 6,0) Estudar o fenômeno da migração entre as regiões brasileiras, ocorrida na segunda metade do século

Leia mais

Unidade III Cidadania e Movimento Aula 16.2 Conteúdo: Israel: uma política desenvolvida na região. A difícil criação de um Estado Palestino.

Unidade III Cidadania e Movimento Aula 16.2 Conteúdo: Israel: uma política desenvolvida na região. A difícil criação de um Estado Palestino. Unidade III Cidadania e Movimento Aula 16.2 Conteúdo: Israel: uma política desenvolvida na região. A difícil criação de um Estado Palestino. 2 Habilidades: Analisar os motivos que levaram ao conflito entre

Leia mais

Sessenta anos de Israel

Sessenta anos de Israel Sessenta anos de Israel Resen AnSegurançaCar Resenha Segurança Diego Cristóvão Alves de Souza Paes 03 de junho de 2008 Sessenta anos de Israel Resenha Segurança Diego Cristóvão Alves de Souza Paes 03 de

Leia mais

CPS CP/ECEME - 2008 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA - SAÚDE. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0)

CPS CP/ECEME - 2008 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA - SAÚDE. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) CPS CP/ECEME - 2008 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA Al Nr FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA - SAÚDE 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Em 2006, a expectativa de vida do brasileiro ao nascer era de 72,3 anos, segundo mostra

Leia mais

Brasil está entre os países que mais utilizam drones

Brasil está entre os países que mais utilizam drones Brasil está entre os países que mais utilizam drones Veículos aéreos não tripulados são usados em missões de vigilância terrestre e marítima de fronteiras, além de varreduras antibomba e perícias de obras

Leia mais

Material de AULA AO VIVO. Conteúdo teórico da aula de hoje

Material de AULA AO VIVO. Conteúdo teórico da aula de hoje Olá meu amigo desenrolado, Seja bem- vindo à primeira aula ao vivo do Desenrolado.com. Eu sou o professor George Wilton da disciplina de Geografia que está inserida dentro da área de Ciências humanas e

Leia mais

OBJETIVOS Ao fi nal da aula o(a) aluno(a) deverá: analisar os diversos aspectos que fazem da região da Palestina alvo de diversos conflitos.

OBJETIVOS Ao fi nal da aula o(a) aluno(a) deverá: analisar os diversos aspectos que fazem da região da Palestina alvo de diversos conflitos. Aula9 O ORIENTE MÉDIO META Compreender os processos que levaram palestinos e judeus a disputar o mesmo território. OBJETIVOS Ao fi nal da aula o(a) aluno(a) deverá: analisar os diversos aspectos que fazem

Leia mais

CP/CAEM / 2006 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA

CP/CAEM / 2006 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA CP/CAEM / 2006 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA DO BRASIL 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Analisar as características da população brasileira segundo a expectativa de vida e a taxa de

Leia mais

Conflitos Geopolíticos II. Oriente Médio, África, Índia, Curdistão e Timor Leste

Conflitos Geopolíticos II. Oriente Médio, África, Índia, Curdistão e Timor Leste Conflitos Geopolíticos II Oriente Médio, África, Índia, Curdistão e Timor Leste Oriente Médio Histórico Israel X Palestina 1947 Partilha da Palestina/Israel pela ONU 1948-49 implantação do Estado de Israel

Leia mais

DÉCADA DE 70. Eventos marcantes: Guerra do Vietnã Watergate Crise do Petróleo Revolução Iraniana

DÉCADA DE 70. Eventos marcantes: Guerra do Vietnã Watergate Crise do Petróleo Revolução Iraniana Eventos marcantes: Guerra do Vietnã Watergate Crise do Petróleo Revolução Iraniana GUERRA DO VIETNÃ Após o fim da Guerra da Indochina (1954), Vietnã é dividido na altura do paralelo 17: Norte: república

Leia mais

ANÁLISE DE RECURSOS NA PRODUÇÃO EM MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Como analisar recursos na produção para auxiliar na busca de novos mercados RESUMO

ANÁLISE DE RECURSOS NA PRODUÇÃO EM MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Como analisar recursos na produção para auxiliar na busca de novos mercados RESUMO ANÁLISE DE RECURSOS NA PRODUÇÃO EM MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Como analisar recursos na produção para auxiliar na busca de novos mercados RESUMO Carlos Eduardo Macieski dos Santos * Isaque dos Santos Amorim

Leia mais

ATUDALIDADES - Conflitos na Atualidade

ATUDALIDADES - Conflitos na Atualidade ATUDALIDADES - Conflitos na Atualidade Origem dos povos ORIENTE MÉDIO: Conflitos árabes-israelenses: 1948 Independência de Israel 1949 Guerras da Independência 1956 Crise de Suez 1964 Criação da OLP` 1967

Leia mais

Oriente Médio Oceania

Oriente Médio Oceania 1 Fonte: Para viver juntos: Geografia, 9º ano: ensino fundamental. São Paulo: Edições SM, 2008, p. 206. O mapa acima nos mostra uma região que tem sido motivo de disputas e conflitos entre os europeus

Leia mais

Nova Ordem Mundial. Página 1 com Prof. Giba

Nova Ordem Mundial. Página 1 com Prof. Giba Nova Ordem Mundial Ao final da Segunda Guerra Mundial (1945), o cenário político mundial testemunhava o período de maior tensão de sua história. De um lado, os Estados Unidos, uma potência capitalista;

Leia mais

MANUAL DO AVALIADOR O que é uma Feira de Ciência? Por que avaliar os trabalhos? Como os avaliadores devem proceder?

MANUAL DO AVALIADOR O que é uma Feira de Ciência? Por que avaliar os trabalhos? Como os avaliadores devem proceder? MANUAL DO AVALIADOR O que é uma Feira de Ciência? É uma exposição que divulga os resultados de experimentos ou de levantamentos realizados, com rigor científico, por alunos, sob a orientação de um professor.

Leia mais

Descolonização Afroasiática

Descolonização Afroasiática Aula 50 Descolonização Afroasiática 1 Fatores Setor 1602 2 Casos Nacionais 3 China ealvespr@gmail.com Objetivo da aula Analisar o quadro geral da descolonização afroasiática após a Segunda Guerra Mundial.

Leia mais

PROJETO ATUALIDADE EM FOCO

PROJETO ATUALIDADE EM FOCO Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha PRODUÇÃO TEXTUAL Nº3 ENTREGA: 17/ 03/ 2016 2º Ano do Ensino Médio Nome do aluno: Professor (a): DISCIPLINA:

Leia mais

HISTÓRIA - 3 o ANO MÓDULO 62 ORIENTE MÉDIO

HISTÓRIA - 3 o ANO MÓDULO 62 ORIENTE MÉDIO HISTÓRIA - 3 o ANO MÓDULO 62 ORIENTE MÉDIO Como pode cair no enem Um gigante da indústria da internet, em gesto simbólico, mudou o tratamento que conferia à sua página palestina. O site de buscas alterou

Leia mais

Resolução de Questões- Tropa de Elite ATUALIDADES Questões- AULA 1-4 NILTON MATOS

Resolução de Questões- Tropa de Elite ATUALIDADES Questões- AULA 1-4 NILTON MATOS Resolução de Questões- Tropa de Elite ATUALIDADES Questões- AULA 1-4 NILTON MATOS 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. OBS: EM NEGRITO OS ENUNCIADOS, EM AZUL AS

Leia mais

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO NORMA Nº: NIE-CGCRE-140 APROVADA EM DEZ/2015 Nº 01/07 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico

Leia mais

Geografia: Conflitos Mundiais (Parte 1)

Geografia: Conflitos Mundiais (Parte 1) Geografia: Conflitos Mundiais (Parte 1) Questão Israel x Palestina: A região da Palestina desde a Antiguidade vem sendo palco da ação de potências que se sucedem com o passar do tempo. A terra foi disputada

Leia mais

HISTÓRIA - 2 o ANO MÓDULO 59 OS CONFLITOS NO ORIENTE MÉDIO (1973 A 1991)

HISTÓRIA - 2 o ANO MÓDULO 59 OS CONFLITOS NO ORIENTE MÉDIO (1973 A 1991) HISTÓRIA - 2 o ANO MÓDULO 59 OS CONFLITOS NO ORIENTE MÉDIO (1973 A 1991) Como pode cair no enem (ENEM) Em 1947, a Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou um plano de partilha da Palestina

Leia mais

Palestina - em defesa da nação oprimida

Palestina - em defesa da nação oprimida Palestina - em defesa da nação oprimida Que o Hamas entregue armas à população! Derrotar a ofensiva sionista com o levante das massas palestinas! Unidade dos explorados do Oriente Médio para enfrentar

Leia mais

PEP 2015-6ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO

PEP 2015-6ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO 1 PEP 2015-6ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE 1 a QUESTÃO (Valor 6,0) Estudar os hábitos alimentares nas coletividades urbanas e rurais, da Região Nordeste do Brasil,

Leia mais

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A PESQUISA E USO DE LEGUMINOSAS EM PASTAGENS TROPICAIS: UMA REFLEXÃO. Sila Carneiro da Silva 1

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A PESQUISA E USO DE LEGUMINOSAS EM PASTAGENS TROPICAIS: UMA REFLEXÃO. Sila Carneiro da Silva 1 DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A PESQUISA E USO DE LEGUMINOSAS EM PASTAGENS TROPICAIS: UMA REFLEXÃO Sila Carneiro da Silva 1 O interesse pela produção animal em pastagens tem crescido bastante nos últimos

Leia mais

Art. 205. A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício

Leia mais

Português. Atualidades Fascículo 05 Cinília Tadeu Gisondi Omaki Maria Odette Simão Brancatelli

Português. Atualidades Fascículo 05 Cinília Tadeu Gisondi Omaki Maria Odette Simão Brancatelli Português Atualidades Fascículo 05 Cinília Tadeu Gisondi Omaki Maria Odette Simão Brancatelli Índice Nova Ordem vive entre acordo de paz e conflito...1 Exercicíos...2 Gabarito...2 Negociações amenizam

Leia mais

OPAS/OMS Representação do Brasil Programa de Cooperação Internacional em Saúde - TC 41 Resumo Executivo de Projeto

OPAS/OMS Representação do Brasil Programa de Cooperação Internacional em Saúde - TC 41 Resumo Executivo de Projeto Identificação do Projeto OPAS/OMS Representação do Brasil Programa de Cooperação Internacional em Saúde - TC 41 Resumo Executivo de Projeto Suporte ao desenvolvimento da Rede Saúde & Diplomacia Seguimento

Leia mais

PEP/2015-3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE

PEP/2015-3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE 1 PEP/2015-3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE 1ª QUES TÃ O (Valor 6,0) Comparar a população das Regiões Sul e Sudeste do Brasil com as das Regiões Centro-Oeste, Norte

Leia mais

Os requisitos para aprovação de cursos novos de mestrado deverão ser suficientes, no mínimo, para o conceito 3 (qualificação regular).

Os requisitos para aprovação de cursos novos de mestrado deverão ser suficientes, no mínimo, para o conceito 3 (qualificação regular). Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior FORMULÁRIO - REQUISITOS PARA A CRIAÇÃO DE CURSOS NOVOS IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: Medicina II PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2007-2009

Leia mais

AS QUESTÕES DA DEFESA E O CONGRESSO NACIONAL

AS QUESTÕES DA DEFESA E O CONGRESSO NACIONAL AS QUESTÕES DA DEFESA E O CONGRESSO NACIONAL João Paulo Batista Botelho Consultor Legislativo do Senado Federal 10/4/2014 OBJETIVO Apresentar aspectos gerais do Poder Legislativo brasileiro e seu papel

Leia mais

Princípios e Conceitos de Desenho de Software. Projeto de Sistemas de Software Prof. Rodrigo Ribeiro

Princípios e Conceitos de Desenho de Software. Projeto de Sistemas de Software Prof. Rodrigo Ribeiro Princípios e Conceitos de Desenho de Software Projeto de Sistemas de Software Prof. Rodrigo Ribeiro Revisando... Processo Unificado PRAXIS Processo unificado: Dividido em fases e fluxos Fases Concepção,

Leia mais

islamizadas (Turcomenistão, Azerbajão, Tadjiquistão, Usbequistão, Quirguistão e Casaquistão). História - Claudiomar

islamizadas (Turcomenistão, Azerbajão, Tadjiquistão, Usbequistão, Quirguistão e Casaquistão). História - Claudiomar 1 O ORIENTE MÉDIO: Outros envolvidos nas questões do Oriente Médio: Paquistão, norte e nordeste da África (Egito, Líbia, Tunísia, Marrocos, Argélia, Etiópia, Somália, Djibuti e Sudão) e exrepúblicas soviéticas

Leia mais

Minuta Circular Normativa

Minuta Circular Normativa Minuta Circular Normativa 1. INTRODUÇÃO 1.1. Objetivo a) Estabelecer princípios e diretrizes para orientar as ações de natureza socioambiental nos negócios da Desenbahia e no seu relacionamento com clientes

Leia mais

Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão

Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão IP/07/721 Bruxelas, 30 de Maio de 2007 Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão A política de coesão teve um efeito comprovado

Leia mais

Auditoria de Sistemas de Informação. Prof. Eugênio Guimarães de Souza Esp. em Governança de TI

Auditoria de Sistemas de Informação. Prof. Eugênio Guimarães de Souza Esp. em Governança de TI Auditoria de Sistemas de Prof. Eugênio Guimarães de Souza Esp. em Governança de TI Globalização => disseminação da informação; É mais fácil interceptar a informação; Empresários deixam de tomar decisões

Leia mais

Tecnologias aplicadas à Inteligência Empresarial e Inteligência Competitiva e o Brasil?

Tecnologias aplicadas à Inteligência Empresarial e Inteligência Competitiva e o Brasil? Tecnologias aplicadas à Inteligência Empresarial e Inteligência Competitiva e o Brasil? Daniela Ramos Teixeira Esse artigo mostra uma pequena amostra das nossas conclusões sobre a evolução e o crescimento

Leia mais

Capítulo 12 Oriente Médio: zona de tensões

Capítulo 12 Oriente Médio: zona de tensões Capítulo 12 Oriente Médio: zona de tensões Aspectos Físicos Área: 6,8 milhões de km² porção continental e peninsular. Relevo: - Domínio de terras altas: planaltos. - Planície da Mesopotâmia Predomínio

Leia mais

PROFESSOR: Gabriel Mattos e Marcello Rangel

PROFESSOR: Gabriel Mattos e Marcello Rangel PROFESSOR: Gabriel Mattos e Marcello Rangel BANCO DE QUESTÕES - HISTÓRIA - 3ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO - PARTE 8 ==============================================================================================

Leia mais

9/13/2011. Smart Grid. Oportunidade aproveitamento da capilaridade do sistema elétrico possibilitando novos serviços

9/13/2011. Smart Grid. Oportunidade aproveitamento da capilaridade do sistema elétrico possibilitando novos serviços Smart Grid Oportunidade aproveitamento da capilaridade do sistema elétrico possibilitando novos serviços Objetivo aumento da confiabilidade e qualidade do fornecimento de energia elétrica, a uma melhor

Leia mais

Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Piracaia PIRAPREV CNPJ: 10.543.660/0001-72. Política de Responsabilidade Social

Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Piracaia PIRAPREV CNPJ: 10.543.660/0001-72. Política de Responsabilidade Social Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Piracaia PIRAPREV CNPJ: 10.543.660/0001-72 Política de Responsabilidade Social Dezembro de 2011 1 PREÂMBULO O IPSPMP-PIRAPREV, sendo uma

Leia mais

Reunião de Seção CONFERÊNCIA RELIGIOSA MUNDIAL

Reunião de Seção CONFERÊNCIA RELIGIOSA MUNDIAL Reunião 08 Reunião de Seção CONFERÊNCIA RELIGIOSA MUNDIAL Área de Desenvolvimento enfatizada: ESPIRITUAL Ramo: Sênior Mês recomendado para desenvolver esta reunião: Indiferente. Recomendada para abertura

Leia mais

Fim da 1ª Guerra Mundial: domínio franco britânico e sionismo Oriente Médio

Fim da 1ª Guerra Mundial: domínio franco britânico e sionismo Oriente Médio COLÉGIO SANTA ROSA PROFESSOR: CARLOS FERREIRA ASSUNTO: ORIENTE MÉDIO O Oriente Médio é uma das regiões mais fascinantes do planeta. Habitado desde tempos imemoriais, é uma área estratégica do ponto de

Leia mais

Região de conflitos 1) Irã x Iraque: 2) Guerra do Golfo ou Iraque x Kuwait 3) Guerra no Afeganistão: 4) Guerra no Iraque ou Iraque x EUA:

Região de conflitos 1) Irã x Iraque: 2) Guerra do Golfo ou Iraque x Kuwait 3) Guerra no Afeganistão: 4) Guerra no Iraque ou Iraque x EUA: AVALIAÇÃO MENSAL DE GEOGRAFIA 1º Bim./2012 GABARITO Professor(a): Marcelo Duílio / Mônica Moraes Curso: Fund. II 9º ano Data: 08 / 03 / 2012 Tarde versão 2 Nome: BOA PROVA!!! Nº.: Instruções gerais Para

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental Sulcredi São Miguel

Política de Responsabilidade Socioambiental Sulcredi São Miguel Política de Responsabilidade Socioambiental Sulcredi São Miguel SÃO MIGUEL DO OESTE, JUNHO DE 2015. POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL SULCREDI SÃO MIGUEL 1 ABRANGÊNCIA Esta política orienta o

Leia mais

Como o Departamento Jurídico pode Auxiliar a Empresa em Tempos de Crise

Como o Departamento Jurídico pode Auxiliar a Empresa em Tempos de Crise Como o Departamento Jurídico pode Auxiliar a Empresa em Tempos de Crise 1 Artes Médicas Artmed Grupo A Expandiu seus negócios para o ramo da educação Adaptou-se às mudanças do mercado Transformou-se e

Leia mais

FACULDADE DE ARARAQUARA IESP Instituto Educacional do Estado de São Paulo Rua Miguel Cortez, 50, Vila Suconasa, Araraquara/SP Tel: 3332-4093

FACULDADE DE ARARAQUARA IESP Instituto Educacional do Estado de São Paulo Rua Miguel Cortez, 50, Vila Suconasa, Araraquara/SP Tel: 3332-4093 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Dispõe sobre as Atividades Complementares do Curso de Direito da Faculdade de Araraquara CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este Regulamento dispõe sobre

Leia mais

CP/ECEME/2007 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA (SAÙDE) 1ª QUESTÃO (Valor 6,0)

CP/ECEME/2007 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA (SAÙDE) 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) CP/ECEME/2007 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA (SAÙDE) 1ª QUESTÃO (Valor 6,0)! "#$ &%'(!*)+,-,. / 01 2 3 4 %5 6. %, 87 9;:=?A@ BDC@E@ FGB

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Capoeira - menino Pé no Chão

Mostra de Projetos 2011. Capoeira - menino Pé no Chão Mostra Local de: Dois Vizinhos Mostra de Projetos 2011 Capoeira - menino Pé no Chão Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Associação Casa

Leia mais

Esta política abrange a todos os departamentos da Instituição.

Esta política abrange a todos os departamentos da Instituição. I. OBJETIVO Esta Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA), tem como objetivo estabelecer os princípios e as diretrizes compatíveis com a natureza e complexidade das atividades e produtos da Instituição,

Leia mais

Prémio Jovem Empreendedor Regulamento. Municí pio de Grâ ndolâ

Prémio Jovem Empreendedor Regulamento. Municí pio de Grâ ndolâ Prémio Jovem Empreendedor Regulamento Municí pio de Grâ ndolâ Regulamento do Prémio Jovem Empreendedor Preâmbulo O empreendedorismo tem vindo a assumir, dadas as atuais circunstâncias económicas e sociais,

Leia mais