Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco."

Transcrição

1 Tarifas de Uso de Rede Este tutorial apresenta os conceitos básicos de Tarifas de Uso de Rede das Operadoras de Telefonia Fixa e Celular. Eduardo Tude Engenheiro de Teleco (IME 78) e Mestre em Teleco (INPE 81) tendo atuado nas áreas de Redes Ópticas, Sistemas Celulares e Comunicações por Satélite. Ocupou várias posições de Direção em empresas de Teleco como VP de Operações da BMT, Diretor de Operações da Pegasus Telecom e Gerente de Planejamento Celular da Ericsson. Pioneiro no desenvolvimento de Satélites no Brasil (INPE), tem vasta experiência internacional, é detentor de uma patente na área e tem participado constantemente como palestrante em seminários. Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco. José Luis De Souza José Luis é Engenheiro de Telecomunicações (UGF 73) com extensão em software (ICAI Madrid 1977) tendo atuado nas áreas de Comutação Pública e Privada, Operações de Telefonia Celular, Trunking, Paging, etc. Presidente da FITec, ocupou várias posições de Direção de empresas de Teleco, sendo as mais recentes as de Presidente da Daruma, Presidente da TESS (hoje Claro), VP Comercial da TESS e Diretor de Operações 1

2 Comerciais da ATL (hoje Claro). Participou do desenvolvimento do Sistema Metaconta na ITT (hoje Alcatel), foi Coordenador do Projeto Trópico no CPqD, desenvolveu produtos nas áreas de automação e comutação como Diretor de Tecnologia da Avel e da Batik, participou da criação da empresa Radiolink de Trunking de Paging, como Diretor Técnico da Itatel. Desde 1992 participa ativamente como membro dos conselhos da Telexpo e Futurecom, além de Coordenar e Proferir palestras nestes e outros congressos internacionais. È membro do Conselho de Administração da Telebrasil da qual foi o primeiro Presidente do Conselho Consultivo. Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Diretor do Teleco. Categoria: Regulamentação Nível: Introdutório Enfoque: Regulatório Duração: 15 minutos Publicado em: 03/05/2004 2

3 Tarifa de Uso: O que é? Tarifa de uso de rede é o valor cobrado por minuto por uma operadora para cursar uma chamada em sua rede, quando o cliente que pagará a chamada não é seu. Uma espécie de pedágio cobrado a uma outra operadora para usar sua rede. São as seguintes as tarifas em vigor: Tarifa de Uso Operadora TU-RL Tarifa de uso da rede local Telefonia Fixa TU-RIU Tarifa de Uso da Rede Interurbana Telefonia Fixa VU-M Valor de Uso da Rede Móvel Celular (SMP) Assim, a TU-RL é a tarifa por minuto cobrada por uma operadora do STFC (Serviço Telefônico Fixo Comutado) para cursar uma chamada por sua rede local e TU-RIU é a tarifa por minuto cobrada por uma operadora de STFC para cursar uma chamada por sua rede de longa distância. Rede Local é o conjunto dos centros de comutação, equipamentos e meios de transmissão da prestadora, utilizados como suporte à prestação de STFC na modalidade Local. Rede Interurbana: rede de Prestadora de STFC na modalidade Longa Distância Nacional, constituída pelo conjunto dos centros de comutação, equipamentos e meios de transmissão, suporte à prestação de STFC nas modalidades Longa Distância Nacional e Internacional. VU-M é o valor cobrado por minuto pela operadora do SMP para cursar uma chamada por sua rede. Rede do SMP é o conjunto dos centros de comutação, controle, equipamentos e meios de transmissão, utilizados pela prestadora como suporte à prestação do SMP numa determinada área de prestação. O Regulamento SMP divide o Brasil em 67 áreas para prestação do serviço, que podem ser chamadas também de áreas locais do SMP, correspondentes aos códigos DDD (11, 12, , , etc). No presente as áreas locais do STFC não seguem a mesma lógica e são em número muito mais elevado. Em uma área local do SMP estão contidas várias áreas locais do STFC. A Anatel pretende que no futuro as áreas locais do STFC sejam ampliadas de modo a se igualar às do SMP. Isto tem sido foco de discussões entre operadoras nas discussões dos contratos de interconexão. 3

4 Tarifas de uso: Situações Apresenta-se a seguir a aplicação de tarifas de uso nas situações encontradas em chamadas de operadoras fixas e celulares sem considerar as chamadas a cobrar. Chamada Local Fixo» Fixo Numa chamada destinada à mesma área local, entre operadoras diferentes, a operadora onde é originada a chamada remunera TU-RL à outra operadora envolvida. Se a operadora é a mesma não cabe cobrança de tarifa de uso. Chamada Local Fixo» Móvel Numa chamada local (aquela em que não é necessário usar o código de seleção de prestadora - CSP) de um telefone fixo para um celular, a operadora fixa paga VU-M para a operadora celular. Chamada Local Móvel» Fixo Numa chamada local(aquela em que não é necessário usar o código de seleção de prestadora - CSP) de um telefone celular para um telefone fixo, a operadora de celular pagará TU-RL ou TU-RL + TU-RIU dependendo da localização de seu ponto de interconexão com a operadora fixa e da localidade a que se destina a chamada como iliustrado na figura a seguir. Chamada Local Móvel» Móvel Numa chamada local, entre operadoras diferentes, a operadora onde é originada a chamada remunera VU-M à outra operadora envolvida. Se a operadora é a mesma não cabe cobrança de tarifa de uso. Chamadas de Longa Distância Numa chamada de longa distância a operadora escolhida pelo cliente através do CSP deverá remunerar com tarifas de uso de rede as operadoras de serviço local nas duas pontas, caso sejam diferentes dela mesma. São muitas as combinações possíveis. Analisando com exemplos: 4

5 Numa chamada originada em Brasília por um cliente da Brasil Telecom destinada a São Paulo a um cliente da Claro, utilizando o CSP da Intelig Telecom estão envolvidas as seguintes remunerações pelo uso das redes: A Intelig Telecom, que cobrará a chamada do cliente, pagará TU-RL à Brasil Telecom e VU-M à Claro. Numa chamada originada em Pindamonhagaba por um cliente da Telefônica destinada ao Rio de Janeiro a um cliente da Telemar, utilizando o Código de Seleção de Prestadora (CSP) da Embratel estão envolvidas as seguintes remunerações pelo uso das redes: A Embratel, que cobrará a chamada do cliente, pagará TU-RL à Telefonica e TU-RL à Telemar. Caso a Embratel não tenha interconexão direta na área local de Pindamonhangaba pagará, ainda, TU-RIU à Telefônica para levar a chamada até o ponto de presença da Embratel. No caso de chamadas a cobrar estas situações se aplicam considerando-se aquele que paga a ligação como o originador da chamada. 5

6 Tarifas de Uso: Valores Os valores de TU-RL, TU-RIU e VU-M variam de operadora para operadora. A tabela a seguir apresenta o valor médio de 2003/2004 estimado pelo Teleco considerando o reajuste de tarifas em vigor, (IPCA para fixo): TU-RL R$ 0,052 TU-RIU R$ 0,096 VU-M R$ 0,386 Como se pode observar, os valores de remuneração das redes móveis são muito maiores que os valores de remuneração das rede de telefonia fixa. O acerto de contas entre operadoras do STFC respeita ainda o regulamento de encontro de contas que estipula um desbalanceamento de tráfego sainte maior que 55% para que uma parte pague à outra os valores apurados no mês. A partir de 2006 será exigido pela ANATEL que o encontro de contas seja feito mensalmente independentemente do porcentual de desbalanceamento de tráfego. O mesmo se aplica ao relacionamento entre operadoras do SMP para o tráfego na mesma área de registro (área de local), até junho de A TU-RL e a TU-RIU são reajustadas anulamente com base em indicadores econômicos e negociação envolvendo fator de produtividade com a ANATEL. A data base é junho. Já o VU-M é suposto que venha a ser resultado de livre negociação. Este é um dos atuais pontos focais das preocupações das operadoras fixas e celulares, uma vez que o impacto nos preços ao público e o equilíbrio econômico-financeiro das operações estão em jogo quando se fala de VU-M. A rodada definitiva será em fevereiro de 2005, data base para o rejuste, embora as discussões já tenham sido iniciadas, inclusive publicamente. As tarifas de uso representam 7% receita da concessionárias de telefonia fixa local. O impacto do VU-M da receita bruta das operadoras do SMP é bem maior estando entre 27 e 38%. 6

7 Tarifas de Uso: Considerações Finais Este tutorial apresentou os conceitos básicos de Tarifas de Uso de Rede das Operadoras de Telefonia Fixa e Celular. Como apresentado, a questão principal em discussão, analisada a seguir, envolve a negociação dos valores de VU-M, fonte principal de receita de usuários pré-pago que representavam (março de 2004) 77,7% dos celulares do Brasil (49,1 milhões). A tabela apresentada a seguir com o perfil de tráfego dos clientes da Telemig Celular exemplifica esta situação. Tabela: Minutos mensais de uso (MOU) de clientes da Telemig Celular (2003) Clientes Recebidas Chamadas Originadas Pos pago Pré-pago O cliente pré-pago recebe mais que origina chamadas. Os minutos de chamadas recebidas correspondem a cerca de 75% do total de minutos. Isto faz com que ar aceite do cliente pré-pago seja composta em mais de 2/3 de receita de VU-M. Os níveis atuais de receita têm viabilizado a popularização do celular como parte importante do modelo brasileiro de remuneração de uso de redes. Maior o VU-M, melhor o desempenho das operadoras do SMP e mais ofertas para atrair clientes pré-pagos com claro subsídio dos aparelhos. Menor VU-M menos subsídios para atrair clientes, menor crescimento da base de clientes. O VU-M compõe a tarifa VC1 fixo-móvel, tendo impacto direto no resultado das operadoras do STFC, uma vez que a inadimplência do cliente fica com estas e a receita do VU-M vai para as operadoras do SMP. O aumento do VU-M implica em aumento das tarifas fixo-móvel, alterando também a competitividade das operadoras do STFC, porque diminui o tráfego fixo-móvel. Maior o VU-M, maior o VC-1 e menos competitiva a operadora do STFC. Com as ofertas de tarifas especiais. para chamadas móvel-móvel da mesma operadora e de móvel-fixo, as operadoras do SMP têm conseguido atrair parcela significativa do tráfego fixo-móvel. No mercado corporativo, caracterizado pelo elevado volume de tráfego, as tarifas estão ainda mais agressivas, sendo mais baixas que o VU-M em muitos casos, sinalizando que profundas negociações acontecerão em fevereiro de A competição entre operadoras do serviço fixo e móvel está, portanto, centrada no VU-M, uma vez que o grande volume de tráfego ainda é o local e a TU-RL tem valor em média 7 vezes menor que o do VU-M. 7

8 Por outro lado, para que as tarifas de público em geral venham a cair, não há outra solução se não a de baixar o VU-M, o que certamente é esperado pela ANATEL, por ter optado pela livre negociação do seu valor. Está claro que para aumentar a penetração do SMP, as operadoras têm que ter ofertas agressivas de aparelhos pré-pagos, dando maior acesso aos clientes das classes D e E. Com VU-M s menores, as negociações com fabricantes de aparelhos certamente farão com que sejam oferecidos modelos simples de custo inferior aos hoje comercializados. Com isso, a economia de escala deve equilibrar a equação de todos os atores. Finalmente, vale lembrar que os governos estaduais devem fazer a sua parte, reduzindo o ICMS a nível aceitável (10%), sem o que a equação de viabilidade do serviço pré-pago não se equilibrará, por falta de escala. 8

9 Tarifas de Uso: Teste seu Entendimento 1. Numa chamada local de um telefone fixo da operadora A para um telefone fixo da operadora B: A operadora A remunera a TU-RIU à operadora B. A operadora B remunera a TU-RL à operadora A se a chamada for a cobrar. A operadora A remunera a TU-RL À operadora B se a chamada for a cobrar. 2. Numa chamada de um telefone móvel de Brasília para um telefone móvel de Salto usando o CSP da Intelig Telecom: A operadora de Brasília não remunera nenhuma outra. A operadora de Brasília só remunera a Intelig Telecom com VU-M. A Intelig Telecom remunera a operadora de Brasíla e a de Salto com as correspondentes VU-M s. 3. O reajuste do VU-M será fixado anualmente por: Negociação entre a operadora do SMP e as demais operadoras. Determinação da ANATEL. Indexação ao IGP-DI e negociação com a ANATEL. 9

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco.

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco. Código de Seleção de Prestadora (CSP) Este tutorial apresenta o Código de Seleção de Prestadora (CSP) utilizado no Brasil para chamadas de longa distância. Eduardo Tude Engenheiro de Teleco (IME 78) e

Leia mais

Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Telefonia Fixa e sua regulamentação no Brasil.

Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Telefonia Fixa e sua regulamentação no Brasil. Telefonia Fixa no Brasil Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Telefonia Fixa e sua regulamentação no Brasil. Eduardo Tude Engenheiro de Teleco (IME 78) e Mestre em Teleco (INPE 81) tendo

Leia mais

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 26/11/2002).

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 26/11/2002). Acesso à Internet Este tutorial apresenta as formas de acesso a Internet disponíveis para o usuário brasileiro, e apresenta os números atuais da Internet no Brasil. (Versão revista e atualizada do tutorial

Leia mais

Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Sistemas Celulares e sua regulamentação no Brasil.

Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Sistemas Celulares e sua regulamentação no Brasil. Telefonia Celular no Brasil Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Sistemas Celulares e sua regulamentação no Brasil. (Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 09/12/2002).

Leia mais

Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre o que é um Service Level Agreement (SLA).

Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre o que é um Service Level Agreement (SLA). Service Level Agreement (SLA) Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre o que é um Service Level Agreement (SLA). Eduardo Tude Engenheiro de Teleco (IME 78) e Mestre em Teleco (INPE 81) tendo

Leia mais

Numeração Telefônica no Brasil. Este tutorial apresenta a estrutura básica do plano de numeração utilizada em sistemas telefônicos no Brasil.

Numeração Telefônica no Brasil. Este tutorial apresenta a estrutura básica do plano de numeração utilizada em sistemas telefônicos no Brasil. Numeração Telefônica no Brasil Este tutorial apresenta a estrutura básica do plano de numeração utilizada em sistemas telefônicos no Brasil. Eduardo Tude Engenheiro de Teleco (IME 78) e Mestre em Teleco

Leia mais

Relatórios de Resultado de Operadoras de Telecomunicações

Relatórios de Resultado de Operadoras de Telecomunicações Relatórios de Resultado de Operadoras de Telecomunicações Este tutorial tem por objetivo apresentar as principais definições da terminologia utilizada nos relatórios de resultado das operadoras de telecomunicações

Leia mais

Tarifas de Uso de Rede. Este tutorial apresenta os conceitos básicos de Tarifas de Uso de Rede das Operadoras de Telefonia Fixa e Celular.

Tarifas de Uso de Rede. Este tutorial apresenta os conceitos básicos de Tarifas de Uso de Rede das Operadoras de Telefonia Fixa e Celular. Tarifas de Uso de Rede Este tutorial apresenta os conceitos básicos de Tarifas de Uso de Rede das Operadoras de Telefonia Fixa e Celular. José Luis De Souza José Luis é Engenheiro de Telecomunicações (UGF

Leia mais

Este dimensionamento pode ser feito utilizando os calculadores de Erlang C e Erlang B do Teleco.

Este dimensionamento pode ser feito utilizando os calculadores de Erlang C e Erlang B do Teleco. Dimensionamento de Centrais de Atendimento (Call Center) Este tutorial apresenta os conceitos básicos para dimensionamento de centrais de atendimento também conhecidas como Call Center ou Contact Center.

Leia mais

Qualidade na Telefonia Fixa

Qualidade na Telefonia Fixa Qualidade na Telefonia Fixa Este tutorial apresenta os indicadores básicos utilizados pela Anatel para acompanhar a Qualidade do Serviço prestado pelas operadoras do Serviço Telefônico Fixo Comutado no

Leia mais

Conversão da Tarifação das Chamadas Locais do STFC de Pulso para Minuto. (Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 04/11/2005).

Conversão da Tarifação das Chamadas Locais do STFC de Pulso para Minuto. (Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 04/11/2005). Conversão da Tarifação das Chamadas Locais do STFC de Pulso para Minuto Este tutorial apresenta os conceitos básicos envolvidos na mudança do critério de tarifação de chamadas locais do STFC de Pulso para

Leia mais

Dimensionamento de Centrais de Atendimento (Call Center)

Dimensionamento de Centrais de Atendimento (Call Center) 1 Dimensionamento de Centrais de Atendimento (Call Center) Este tutorial apresenta os conceitos básicos para dimensionamento de centrais de atendimento também conhecidas como Call Center ou Contact Center.

Leia mais

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco.

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco. VPN: Redes Privadas Virtuais O objetivo deste tutorial é apresentar os tipos básicos de Redes Privadas Virtuais (VPN's) esclarecendo os significados variados que tem sido atribuído a este termo. Eduardo

Leia mais

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 11/11/2002).

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 11/11/2002). ADSL (Speedy, Velox, Turbo) Este tutorial apresenta a tecnologia ADSL (Asymetric Digital Subscriber Line) desenvolvida para prover acesso de dados banda larga a assinantes residenciais ou escritórios através

Leia mais

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco.

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco. O que é IP O objetivo deste tutorial é fazer com que você conheça os conceitos básicos sobre IP, sendo abordados tópicos como endereço IP, rede IP, roteador e TCP/IP. Eduardo Tude Engenheiro de Teleco

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço 1 - Aplicação Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 009 - Plano Conta Light Requerimento de Homologação Nº 3556 Este Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço é aplicável pela autorizatária 14 BRASIL

Leia mais

ESTÁ EM VIGOR O NOVO REGULAMENTO DE ÁREAS LOCAIS DA TELEFONIA FIXA

ESTÁ EM VIGOR O NOVO REGULAMENTO DE ÁREAS LOCAIS DA TELEFONIA FIXA Brasília, 8 de junho de 2004 Agência Nacional de Telecomunicações - APC ESTÁ EM VIGOR O NOVO REGULAMENTO DE ÁREAS LOCAIS DA TELEFONIA FIXA O novo Regulamento de Áreas Locais do Serviço Telefônico Fixo

Leia mais

Plano Pré-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pré-Pago Alternativo de Serviço Plano Pré-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 001 - Plano de Referência de Serviço Requerimento de Homologação Nº 4657 1 - Aplicação Este Plano de Referência de Serviço é aplicável pela Oi, no Estado

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO N o 486, DE 24 DE JANEIRO DE 2012 DOU: 25.01.12 Seção 1 pág. 63 Retificado DOU: 27.01.2012 Seção I pág. 49 O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES,

Leia mais

PLANO BÁSICO LOCAL (Região III, Setor 3 da Região - I do PGO)

PLANO BÁSICO LOCAL (Região III, Setor 3 da Região - I do PGO) PLANO BÁSICO LOCAL (Região III, Setor 3 da Região - I do PGO) A. Empresa: Oi (Telemar Norte Leste S.A.) B. Nome do Plano: C. Identificação para a Anatel: D. Modalidade do STFC coberta: Local E. Descrição

Leia mais

SERVIÇO MÓVEL PESSOAL - SMP

SERVIÇO MÓVEL PESSOAL - SMP SERVIÇO MÓVEL PESSOAL - SMP PLANO BÁSICO DE SERVIÇO Nome da Prestadora: BRASIL TELECOM CELULAR S/A ÁREA 5 Número: Página 1 de 8 1. Aplicação Este Plano Básico de Serviço é aplicável pela autorizatária

Leia mais

A. NOME DA EMPRESA. Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO. Plano Básico de Serviço Local. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL

A. NOME DA EMPRESA. Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO. Plano Básico de Serviço Local. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL A. NOME DA EMPRESA Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO Plano Básico de Serviço Local. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL Plano Básico de Serviço Local. D. MODALIDADE DE STFC COBERTA Plano específico para

Leia mais

PREÇO E TARIFAS APLICÁVEIS AO SERVIÇO PLANO COMERCIAL 21 + PACOTE FIXO-MÓVEL

PREÇO E TARIFAS APLICÁVEIS AO SERVIÇO PLANO COMERCIAL 21 + PACOTE FIXO-MÓVEL SUMÁRIO DAS CONDIÇÕES RELATIVAS À PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES - TELEFONIA PREÇO E TARIFAS APLICÁVEIS AO SERVIÇO PLANO COMERCIAL 21 + PACOTE FIXO-MÓVEL Franquia mensal que contempla pacotes

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Fale Light PLANO ALTERNATIVO N 068 - LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Fale Light PLANO ALTERNATIVO N 068 - LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Fale Light PLANO ALTERNATIVO N 068 - LC Empresa Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Plano Fale Light PAS 068 Modalidade do STFC Local. Descrição

Leia mais

Gestão de Serviços de Interconexão

Gestão de Serviços de Interconexão Gestão de Serviços de Interconexão Adriano Severino Pereira - Intelig Rogério Gonçalves Rosa - Telefonica Rogério Vaz Rego - Transit Selma Lucia Turra - Transit Sumario Atualmente as operadoras, perdem

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR. Do reajuste tarifário das chamadas telefônicas do STFC envolvendo acessos do SMP e

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR. Do reajuste tarifário das chamadas telefônicas do STFC envolvendo acessos do SMP e Do reajuste tarifário das chamadas telefônicas do STFC envolvendo acessos do SMP e SME à luz do Regulamento anexo à Resolução nº 576/2011 da Anatel Luciana Chaves Freire Félix Procuradora Federal em Brasília-DF

Leia mais

1 Acesso à Internet

1 Acesso à Internet Acesso à Internet ste tutorial apresenta as formas de acesso a Internet disponíveis para o usuário brasileiro, e apresenta os números atuais da Internet no Brasil. Eduardo Tude Engenheiro de Teleco (IME

Leia mais

DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 124a

DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 124a DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 124a A. Empresa: Oi (Telemar Norte Leste S.A.) B. Nome do Plano: Plano Alternativo de Serviço n.º 124A Oi Fixo Controle C. Identificação para a Anatel: Plano

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERANTIVO N 036 - LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERANTIVO N 036 - LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERANTIVO N 036 - LC Empresa Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Plano NET FONE VIA EMBRATEL PAS 036 Modalidade

Leia mais

Detalhamento do Plano

Detalhamento do Plano PLANO ALTERNATIVO LOCAL PLANO Nº 032 A. Empresa: OI (TELEMAR NORTE LESTE S.A.), autorizatária do Serviço Telefônico Fixo Comutado na Modalidade Local, na Região III e no Setor 3 da Região 1 do Plano Geral

Leia mais

DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 150

DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 150 DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 50 A. Empresa: Oi (Telemar Norte Leste S.A.) B. Nome do Plano: Plano Alternativo de Serviço n.º 50 Franquia 500 minutos Internet sem Limites + Franquia VC

Leia mais

APÊNDICE 6 AO ANEXO 2 - PROCEDIMENTO DE CONCILIAÇÃO DE CDR

APÊNDICE 6 AO ANEXO 2 - PROCEDIMENTO DE CONCILIAÇÃO DE CDR 1. Objetivo APÊNDICE 6 AO ANEXO 2 - PROCEDIMENTO DE CONCILIAÇÃO DE CDR O objetivo do Procedimento de Conciliação de CDR s é padronizar o processo de conciliação de CDRs a ser adotado pelas Operadoras,

Leia mais

REGULAMENTO DA OFERTA TIM CASA FIXO BRASIL + MÓVEL TIM BRASIL (1/9/2015 a 20/12/2015)

REGULAMENTO DA OFERTA TIM CASA FIXO BRASIL + MÓVEL TIM BRASIL (1/9/2015 a 20/12/2015) REGULAMENTO DA OFERTA TIM CASA FIXO BRASIL + MÓVEL TIM BRASIL (1/9/2015 a 20/12/2015) Empresa Participante: INTELIG TELECOMUNICAÇÕES LTDA., com sede na Rua Fonseca Teles, nº 18, A30, bloco B, Térreo, São

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 458, DE 8 DE FEVEREIRO DE 2007.

ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 458, DE 8 DE FEVEREIRO DE 2007. ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 458, DE 8 DE FEVEREIRO DE 2007. REGULAMENTO DE REMUNERAÇÃO PELO USO DE REDES DE PRESTADORAS DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO - STFC TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DO

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 088-LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 088-LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 088-LC Empresa Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Via Fone Fale Simples Modalidade do STFC Local. Descrição Resumida A adesão a este plano

Leia mais

SERVIÇO MÓVEL PESSOAL SMP PLANO DE REFERÊNCIA DE SERVIÇO

SERVIÇO MÓVEL PESSOAL SMP PLANO DE REFERÊNCIA DE SERVIÇO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL SMP PLANO DE REFERÊNCIA DE SERVIÇO Nome da Prestadora: 14 BRASIL TELECOM CELULAR S.A. Área 7 (AC, GO, MT, MS, RO, TO e DF) Número: 001/REF/SMP Brasil Telecom GSM. Página 1 de 9 1

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 093-LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 093-LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 093-LC Empresa Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Plano 093 Local Modalidade do STFC Local. Descrição Resumida A adesão a este plano de serviço

Leia mais

PLANO BÁSICO DE SERVIÇO LONGA DISTÂNCIA NACIONAL - STFC

PLANO BÁSICO DE SERVIÇO LONGA DISTÂNCIA NACIONAL - STFC PLANO BÁSICO DE SERVIÇO LONGA DISTÂNCIA NACIONAL - STFC Este Plano Básico de Serviço visa oferecer aos assinantes do Serviço de Telefonia Fixa Comutada (STFC), a possibilidade de realizar chamadas na modalidade

Leia mais

Detalhamento do Plano

Detalhamento do Plano A. Empresa: S/A PLANO ALTERNATIVO LOCAL (Região II exceto os Setores 20, 22 e 25 do PGO) B. Nome do Plano: Plano Alternativo de Serviço Nº 146 C. Identificação para a Anatel: Plano Alternativo de Serviço

Leia mais

MUDANÇAS NO REGULAMENTO DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL VÃO A CONSULTA PÚBLICA

MUDANÇAS NO REGULAMENTO DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL VÃO A CONSULTA PÚBLICA Brasília, 15 de julho de 2002 MUDANÇAS NO REGULAMENTO DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL VÃO A CONSULTA PÚBLICA O conselheiro José Leite Pereira Filho, da Agência Nacional de Telecomunicações Anatel, anunciou na

Leia mais

ADSL. Esta tecnologia é utilizada pelo Speedy da Telefonica, Turbo da Brasil Telecom, Velox da Telemar e Turbonet da GVT.

ADSL. Esta tecnologia é utilizada pelo Speedy da Telefonica, Turbo da Brasil Telecom, Velox da Telemar e Turbonet da GVT. ADSL Este tutorial apresenta a tecnologia ADSL (Asymetric Digital Subscriber Line) desenvolvida para prover acesso de dados banda larga a assinantes residenciais ou escritórios através da rede de pares

Leia mais

SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES

SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA SENADO FEDERAL EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 04 DE NOVEMBRO DE 2014 crescimento do setor de telecomunicações

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO ILIMITADO FIXO BRASIL

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO ILIMITADO FIXO BRASIL REGULAMENTO DA PROMOÇÃO ILIMITADO FIXO BRASIL Esta Promoção é realizada pela TELEFÔNICA BRASIL S/A, com sede na Av. Engenheiro Luis Carlos Berrini, 1.376, Cidade Monções, São Paulo-SP, inscrita no CNPJ/MF

Leia mais

Os Novos Contratos de Concessão do STFC em 2006

Os Novos Contratos de Concessão do STFC em 2006 Os Novos Contratos de Concessão do STFC em 2006 Este tutorial apresenta os novos contratos de concessão em vigor para as concessionárias de Serviço Telefônico Fixo Comutado a apartir de 1º de janeiro de

Leia mais

Número 03 São Paulo, 15 de julho de 2013. Operadora: Indicadores econômico-financeiros

Número 03 São Paulo, 15 de julho de 2013. Operadora: Indicadores econômico-financeiros Número 03 São Paulo, 15 de julho de 2013 Operadora: Indicadores econômico-financeiros 1. Desempenho Operacional A Claro encerrou 2012 com 65,2 milhões de celulares no país, variação de 8% em relação a

Leia mais

Banda Larga Móvel: Avaliação do Serviço em Limeira, São Carlos e Vinhedo

Banda Larga Móvel: Avaliação do Serviço em Limeira, São Carlos e Vinhedo Banda Larga Móvel: Avaliação do Serviço em Limeira, São Carlos e Vinhedo Este tutorial apresenta os resultados do projeto de avaliação da banda larga móvel realizado pelo curso de Engenharia de Telecomunicações

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE FALE FIXO LOCAL PLANO ALTERANTIVO N 107 - LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE FALE FIXO LOCAL PLANO ALTERANTIVO N 107 - LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE FALE FIXO LOCAL PLANO ALTERANTIVO N 107 - LC Empresa Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Plano NET FONE FALE FIXO LOCAL PAS 107 - LC

Leia mais

USO DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES PARA ACESSO A INTERNET

USO DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES PARA ACESSO A INTERNET AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES USO DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES PARA ACESSO A INTERNET er@ da informação impacto nos serviços Edmundo Antonio Matarazzo Superintendência de Universalização agosto

Leia mais

PLANO BÁSICO DE SERVIÇO LOCAL - STFC

PLANO BÁSICO DE SERVIÇO LOCAL - STFC PLANO BÁSICO DE SERVIÇO LOCAL - STFC Este Plano Básico de Serviço visa oferecer aos assinantes do Serviço de Telefonia Fixa Comutada (STFC), a possibilidade de realizar chamadas na modalidade Local, através

Leia mais

PLANO BÁSICO LOCAL- PB01

PLANO BÁSICO LOCAL- PB01 PLANO BÁSICO LOCAL- PB01 1. EMPRESA ALPHA NOBILIS CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. - BRASTEL 2. NOME DO PLANO Plano Básico Local 3. MODALIDADE DO STFC COBERTA Local. 4. DESCRIÇÃO RESUMIDA Habilitação: é o

Leia mais

Arquiteturas para implantação de aplicações móveis wireless

Arquiteturas para implantação de aplicações móveis wireless Arquiteturas para implantação de aplicações móveis wireless Este tutorial apresenta uma visão geral da arquitetura para implantação de aplicações móveis wireless. Eduardo Tude Engenheiro de Teleco (IME

Leia mais

REGULAMENTO. Planos de Voz Pós Pago promocionais: Nextel 3G 150, Nextel 3G 300, Nextel 3G 500, Nextel 3G 800 e Nextel 3G 2.500.

REGULAMENTO. Planos de Voz Pós Pago promocionais: Nextel 3G 150, Nextel 3G 300, Nextel 3G 500, Nextel 3G 800 e Nextel 3G 2.500. REGULAMENTO Planos de Voz Pós Pago promocionais: Nextel 3G 150, Nextel 3G 300, Nextel 3G 500, Nextel 3G 800 e Nextel 3G 2.500. Estes planos são comercializados pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES Ltda., prestadora

Leia mais

TELEFONIA FIXA E MÓVEL

TELEFONIA FIXA E MÓVEL DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TELEFONIA FIXA E MÓVEL NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS PLANTA DE TELEFONIA NO BRASIL 2011 Acessos fixos 14,4% Acessos móveis 85,6% FONTE: ANATEL dez/10 PLANTA

Leia mais

Necessidade de Separação dos Subtipos de Ligações VC2 e VC3 TELEFÔNICA BRASIL S/A

Necessidade de Separação dos Subtipos de Ligações VC2 e VC3 TELEFÔNICA BRASIL S/A Necessidade de Separação dos Subtipos de Ligações VC2 e VC3 TELEFÔNICA BRASIL S/A 1) Planilha de formação de preços. Falta de Minutagem dos sub-tipos de ligações vc1, vc2 e vc3. O Anexo V do Termo de Referência

Leia mais

HOJE SISTEMAS DE INFORMÁTICA LTDA (HOJE TELECOM) OFERTA PÚBLICA DE INTERCONEXÃO

HOJE SISTEMAS DE INFORMÁTICA LTDA (HOJE TELECOM) OFERTA PÚBLICA DE INTERCONEXÃO HOJE SISTEMAS DE INFORMÁTICA LTDA (HOJE TELECOM) OFERTA PÚBLICA DE INTERCONEXÃO RESOLUÇÃO N.º 410, de 11 de julho de 2005 da ANATEL D.O.U. de 13/07/2005. INTERCONEXÃO DE REDES DE TELECOMUNICAÇÕES DE INTERESSE

Leia mais

A. NOME DA EMPRESA. Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO. Plano Alternativo Transitel. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL D. MODALIDADE DE STFC COBERTA

A. NOME DA EMPRESA. Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO. Plano Alternativo Transitel. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL D. MODALIDADE DE STFC COBERTA A. NOME DA EMPRESA Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO Plano Alternativo Transitel. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL PA-27 local. D. MODALIDADE DE STFC COBERTA Plano específico para a modalidade LOCAL.

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO N 095-LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO N 095-LC Empresa PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO N 095-LC Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Plano NET FONE VIA EMBRATEL PAS 095-LC Modalidade

Leia mais

4 Mercado setor de telecomunicações

4 Mercado setor de telecomunicações 4 Mercado setor de telecomunicações Nesta sessão é apresentada uma pequena visão geral do mercado de telecomunicações no Brasil, com dados históricos dos acontecimentos mais relevantes a este trabalho,

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 102 - PLANO OI MAIS CELULAR Requerimento de Homologação Nº 11514 (R1), 11488(R2) e 11490 (R3) 1. Aplicação Este Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço é aplicável

Leia mais

REGULAMENTO MODELO DE CUSTOS. Brasília, 18 de junho de 2014

REGULAMENTO MODELO DE CUSTOS. Brasília, 18 de junho de 2014 REGULAMENTO MODELO DE CUSTOS Brasília, 18 de junho de 2014 MATÉRIA OBJETO DA DELIBERAÇÃO Norma para fixação dos valores máximos das tarifas de uso de rede do STFC, dos valores de referência de uso de rede

Leia mais

05) Um mesmo assinante poderá ter em casa o acesso normal do STFC e o AICE? - O assinante poderá ter somente um AICE e poderá ter outro plano.

05) Um mesmo assinante poderá ter em casa o acesso normal do STFC e o AICE? - O assinante poderá ter somente um AICE e poderá ter outro plano. 01) O que é AICE? Significa Acesso Individual Classe Especial. É um Plano básico e com regulamentação própria (Regulamentado pela Resolução Nº 586, da ANATEL, de 05 de abril de 2012). Modalidade de telefonia

Leia mais

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco.

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco. Relatórios de Resultado de Operadoras de Telecomunicações Este tutorial tem por objetivo apresentar as principais definições da terminologia utilizada nos relatórios de resultado das operadoras de telecomunicações

Leia mais

LIGUE TELECOM SOLUÇÕES INOVADORAS PARA QUEM BUSCA COMUNICAÇÃO SEM LIMITES.

LIGUE TELECOM SOLUÇÕES INOVADORAS PARA QUEM BUSCA COMUNICAÇÃO SEM LIMITES. v8.art.br LIGUE TELECOM SOLUÇÕES INOVADORAS PARA QUEM BUSCA COMUNICAÇÃO SEM LIMITES. www.liguetelecom.com.br 0800 888 6700 VOIP FIXO INTERNET LIGUE TELECOM SOLUÇÕES INOVADORAS PARA QUEM BUSCA COMUNICAÇÃO

Leia mais

Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Femtocell, pequenas estações rádio base (ERB's) desenvolvidas para operar dentro de residências.

Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Femtocell, pequenas estações rádio base (ERB's) desenvolvidas para operar dentro de residências. O que é Femtocell? Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Femtocell, pequenas estações rádio base (ERB's) desenvolvidas para operar dentro de residências. Eduardo Tude Engenheiro de Teleco

Leia mais

Se eu tenho o serviço de Voz sobre Internet, para quem posso ligar?

Se eu tenho o serviço de Voz sobre Internet, para quem posso ligar? 1 Conheça o sistema de Voz sobre IP (ou VOIP) O que é Voz sobre IP / Voz sobre Internet Protocolo? R. Voz sobre IP permite que você faça ligações telefônicas utilizando uma rede de computadores, como a

Leia mais

TERMO DE ADESÃO/ REGULAMENTO OFERTA CABO FONE PLUS

TERMO DE ADESÃO/ REGULAMENTO OFERTA CABO FONE PLUS TERMO DE ADESÃO/ REGULAMENTO OFERTA CABO FONE PLUS Pelo presente instrumento, de um lado, a CABO SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES LTDA., pessoa jurídica de direito privado, com sede na Rua Senador José Ferreira

Leia mais

Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal. JOÃO REZENDE Presidente da Anatel Anatel

Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal. JOÃO REZENDE Presidente da Anatel Anatel Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal JOÃO REZENDE Presidente da Anatel Anatel Brasília/DF Maio/2013 15 anos de LGT Em 1997, na corrida pelo usuário, a

Leia mais

MAHA-TEL TELECOMUNICAÇÕES LTDA (MAHA-TEL TELECOM) OFERTA PÚBLICA DE INTERCONEXÃO

MAHA-TEL TELECOMUNICAÇÕES LTDA (MAHA-TEL TELECOM) OFERTA PÚBLICA DE INTERCONEXÃO MAHA-TEL TELECOMUNICAÇÕES LTDA (MAHA-TEL TELECOM) OFERTA PÚBLICA DE INTERCONEXÃO RESOLUÇÃO NO. 410, de 11 de julho de 2005 da ANATEL D.O.U. de 13/07/2005. INTERCONEXAO DE REDES DE TELECOMUNICACOES DE INTERESSE

Leia mais

ALTERAÇÕES DA MINUTA REVISADA EM ABRIL/2011

ALTERAÇÕES DA MINUTA REVISADA EM ABRIL/2011 CONTROLE DE VERSÃO TRANSPORTE OI STFC ALTERAÇÕES DA MINUTA REVISADA EM ABRIL/2011 1. Alterações realizadas no corpo do contrato: Alteradas as qualificações da CONTRATANTE Redação das qualificações da CONTRATANTE

Leia mais

III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP

III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP Tendências, Panorama e Desafios do Roaming Internacional II Painel Que Mercado na CPLP? Agenda Sobre a Oi Que Mercado na CPLP Panorama Roaming Internacional

Leia mais

Agradecemos antecipadamente a sua atenção e nos colocamos a sua disposição para quaisquer esclarecimentos adicionais que se façam necessários.

Agradecemos antecipadamente a sua atenção e nos colocamos a sua disposição para quaisquer esclarecimentos adicionais que se façam necessários. João Pessoa - PB, 10 de Maio de 2011. A: INFOWORK A/C: SR. WAGNER Prezado Sr. Apresentamos a seguir a proposta comercial da oferta Vip Empresarial 10 Mb, que atende a todas as necessidades de sua empresa,

Leia mais

Regulamento OFERTA DO PLANO DE SERVIÇO Oi EMPRESA CONTROLE sem fidelização

Regulamento OFERTA DO PLANO DE SERVIÇO Oi EMPRESA CONTROLE sem fidelização TELEMAR NORTE LESTE S/A, com sede na cidade e estado do Rio de Janeiro, na Rua do Lavradio, n 71 Centro, inscrita no CNPJ sob o n 33.000.118/0001-79, Oi S.A., sociedade anônima, com sede na Cidade do Rio

Leia mais

DESCRITIvO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 110

DESCRITIvO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 110 DESCRITIvO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 110 I) Empresas: Este Plano Alternativo de Serviço aplica-se à TELEMAR NORTE LESTE S.A., sucessora por incorporação das Empresas Concessionárias do Serviço

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO CLARO FONE FALE ON NET PLANO ALTERNATIVO N 110 - LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO CLARO FONE FALE ON NET PLANO ALTERNATIVO N 110 - LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO CLARO FONE FALE ON NET PLANO ALTERNATIVO N 110 - LC Empresa Empresa Claro S/A, incorporadora da Embratel S.A., autorizada do STFC na modalidade Local. Nome do Plano Plano CLARO

Leia mais

Atualmente dedica-se à Teleco e à prestação de serviços de consultoria em telecomunicações.

Atualmente dedica-se à Teleco e à prestação de serviços de consultoria em telecomunicações. O que esperar dos Serviços VoIP Este tutorial tem por objetivo apresentar os principais conceitos dos serviços VoIP e o que se pode obter desses serviços considerando principalmente as características

Leia mais

TERMO DE ADESÃO/ REGULAMENTO OFERTA CABO FONE NEW 150

TERMO DE ADESÃO/ REGULAMENTO OFERTA CABO FONE NEW 150 TERMO DE ADESÃO/ REGULAMENTO OFERTA CABO FONE NEW 150 Pelo presente instrumento, de um lado, a CABO SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES LTDA., pessoa jurídica de direito privado, com sede na Rua Senador José

Leia mais

DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO de SERVIÇO Nº35A

DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO de SERVIÇO Nº35A DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO de SERVIÇO Nº35A I) Empresas: Este Plano Alternativo de Serviço aplica-se à TELEMAR NORTE LESTE S.A., sucessora por incorporação das Empresas Concessionárias do Serviço

Leia mais

Revisão dos Contratos de Concessão. O PGMU. Desafio do Backhaul 390 Encontro Tele.Síntese

Revisão dos Contratos de Concessão. O PGMU. Desafio do Backhaul 390 Encontro Tele.Síntese Revisão dos Contratos de Concessão. O PGMU. Desafio do Backhaul 390 Encontro Tele.Síntese Mario Dias Ripper F&R Consultores Brasília, 02 de setembro de 2014. PGMU III Geografia Características do Brasil

Leia mais

Vendas (11) 4318-0643 - www.idealvoz.com.br

Vendas (11) 4318-0643 - www.idealvoz.com.br A Ideal Voz se diferencia do mercado por ser o único Agente Claro Empresas do Brasil que também atende as marcas Embratel e Net. Com um único atendimento podemos fornecer soluções em telefonia móvel e

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Presidente da Câmara dos Deputados Federais Marco Maia

Excelentíssimo Senhor Presidente da Câmara dos Deputados Federais Marco Maia Excelentíssimo Senhor Presidente da Câmara dos Deputados Federais Marco Maia Proposição n RCP 0013/12 As entidades signatárias, reunidas na Campanha Banda Larga é um direito seu!, instituída desde fevereiro

Leia mais

REGULAMENTO. Promoção Nextel 3G Controle 45R

REGULAMENTO. Promoção Nextel 3G Controle 45R REGULAMENTO Promoção Nextel 3G Controle 45R Esta promoção é comercializada pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES Ltda., prestadora do Serviço Móvel Pessoal SMP, doravante denominada simplesmente NEXTEL, situada

Leia mais

Portabilidade Numérica

Portabilidade Numérica Portabilidade Numérica Este tutorial trata da Portabilidade Numérica, definida como a faculdade do usuário em manter o seu número ao trocar de prestadora de serviços. José Barbosa Mello José Barbosa Mello

Leia mais

Anexo XIII. São Paulo, 04 de Junho de 2009. Proposta Comercial Serviço 0800 Inteligente. Prezado(a) Sr(a).

Anexo XIII. São Paulo, 04 de Junho de 2009. Proposta Comercial Serviço 0800 Inteligente. Prezado(a) Sr(a). São Paulo, 04 de Junho de 2009. Proposta Comercial Serviço 0800 Inteligente Prezado(a) Sr(a). Apresentamos a seguir a proposta comercial do Serviço 0800 Inteligente destacando as vantagens de se ter os

Leia mais

TARIFAÇÃO DE CHAMADAS DE LONGA DISTÂNCIA NACIONAL E INTERNACIONAL - A INFORMAÇÃO DA TARIFA NO INÍCIO DA LIGAÇÃO. Claudio Nazareno Consultor Legislativo da Área XIV Comunicação Social, Informática, Telecomunicações,

Leia mais

EVOLUÇÃO DO MERCADO DE TELEFONIA MÓVEL

EVOLUÇÃO DO MERCADO DE TELEFONIA MÓVEL EVOLUÇÃO DO MERCADO DE TELEFONIA MÓVEL METODOLOGIA O estudo foi realizado utilizando a metodologia Desk Research com base nos dados da ANATEL Agência Nacional de Telecomunicações e IBGE Instituto Brasileiro

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO DE LONGA DISTÂNCIA NACIONAL PLANO ALTERNATIVO N 236 - LD

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO DE LONGA DISTÂNCIA NACIONAL PLANO ALTERNATIVO N 236 - LD PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO DE LONGA DISTÂNCIA NACIONAL PLANO ALTERNATIVO N 236 - LD 1. EMPRESA Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. 2. NOME DO PLANO Plano PAS 236 LDN 3. MODALIDADE DO

Leia mais

TERMO DE ADESÃO/ REGULAMENTO OFERTA CABO FONE MAIS

TERMO DE ADESÃO/ REGULAMENTO OFERTA CABO FONE MAIS TERMO DE ADESÃO/ REGULAMENTO OFERTA CABO FONE MAIS CABO SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES LTDA., pessoa jurídica de direito privado, com sede na Rua Senador José Ferreira de Souza nº 1916 Bairro Candelária,

Leia mais

TERMO DE ADESÃO/ REGULAMENTO OFERTA CABO FONE MAIS COM FRANQUIA

TERMO DE ADESÃO/ REGULAMENTO OFERTA CABO FONE MAIS COM FRANQUIA TERMO DE ADESÃO/ REGULAMENTO OFERTA CABO FONE MAIS COM FRANQUIA CABO SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES LTDA., pessoa jurídica de direito privado, com sede na Rua Senador José Ferreira de Souza nº 1916 Bairro

Leia mais

DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 103

DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 103 DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 103 I) Empresas: Este Plano Alternativo de Serviço aplica-se à TELEMAR NORTE LESTE S.A., sucessora por incorporação das Empresas Concessionárias do Serviço

Leia mais

Alteração Item I.II Oferta prorrogada até 31/05/2013

Alteração Item I.II Oferta prorrogada até 31/05/2013 Alteração Item I.II Oferta prorrogada até 31/05/2013 I. DIOSIÇÕES GERAIS DA PROMOÇÃO PROMOÇÃO VIVO VOCÊ ILIMITADO REGULAMENTO VIVO I.I. Descrição Geral: A Promoção Vivo Você Ilimitado (doravante Promoção

Leia mais

Regulamento OFERTA DO PLANO DE SERVIÇO Oi EMPRESA CONTROLE

Regulamento OFERTA DO PLANO DE SERVIÇO Oi EMPRESA CONTROLE Oi MÓVEL S.A., no Setor Comercial Norte, quadra 03, Bloco A, Ed. Estação Telefônica Térreo Parte 2, Brasília, inscrita no CNPJ sob o nº 05.423.963/0001-11, doravante em conjunto denominada simplesmente

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA OTIMIZANDO SEU SERVIÇO DE CALL- CENTER

EMPRESA BRASILEIRA OTIMIZANDO SEU SERVIÇO DE CALL- CENTER EMPRESA BRASILEIRA OTIMIZANDO SEU SERVIÇO DE CALL- CENTER Este documento descreve uma análise executada na infraestrutura de telecomunicações de uma corporação prestadora de serviços líder de mercado no

Leia mais

TERMO DE ADESÃO/REGULAMENTO OFERTA CABO FONE MAIS EMPRESARIAL

TERMO DE ADESÃO/REGULAMENTO OFERTA CABO FONE MAIS EMPRESARIAL TERMO DE ADESÃO/REGULAMENTO OFERTA CABO FONE MAIS EMPRESARIAL CABO SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES LTDA., pessoa jurídica de direito privado, com sede na Avenida Senador José Ferreira da Costa nº 1916 Bairro

Leia mais

Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática

Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Audiência Pública Valores dos Serviços de Telecomunicações Ministério das Comunicações Consultor Jurídico Marcelo Bechara

Leia mais

Este tutorial apresenta o enhanced Telecom Operations Map (etom) desenvolvido pelo Tele Management Forum (TM Forum).

Este tutorial apresenta o enhanced Telecom Operations Map (etom) desenvolvido pelo Tele Management Forum (TM Forum). Mapa de Processos de uma Operadora de Telecomunicações (etom) Este tutorial apresenta o enhanced Telecom Operations Map (etom) desenvolvido pelo Tele Management Forum (TM Forum). Eduardo Tude Engenheiro

Leia mais

2. VoIP Meeting IP News. 20 de Julho de 2010 Hotel Atlante Plaza Recife - PE Fernando Schulhof (11) 3057-0307. 0307 fds01@terra.com.

2. VoIP Meeting IP News. 20 de Julho de 2010 Hotel Atlante Plaza Recife - PE Fernando Schulhof (11) 3057-0307. 0307 fds01@terra.com. 2. VoIP Meeting IP News 20 de Julho de 2010 Hotel Atlante Plaza Recife - PE Fernando Schulhof (11) 3057-0307 0307 fds01@terra.com.br VOIP Conceito: Voice Over IP (Voz sobre IP) Anatel: Não regulamenta

Leia mais

REGULAMENTO Promoção Planos Locais Empresas III

REGULAMENTO Promoção Planos Locais Empresas III REGULAMENTO Promoção Planos Locais Empresas III A presente promoção será realizada pela empresa TELEFÔNICA BRASIL S.A., doravante denominada VIVO, nos seguintes termos e condições: 1. Definições Para esta

Leia mais

4 A Telefonia Móvel no Brasil

4 A Telefonia Móvel no Brasil 4 A Telefonia Móvel no Brasil 4.1 Breve Histórico da Telefonia Móvel O uso da telefonia móvel teve início no Brasil no final de 1990. Em 30 de dezembro deste ano o Sistema Móvel Celular (SMC) começou a

Leia mais

Telefonia Fixa Ruralcel / Ruralvan

Telefonia Fixa Ruralcel / Ruralvan Agência Nacional de Telecomunicações Superintendência de Serviços Públicos Telefonia Fixa Ruralcel / Ruralvan Gilberto Alves Superintendente de Serviços Públicos Outubro, 2007 1 Agenda 1. Como era a prestação:

Leia mais

REGULAMENTO. Promoção Nextel Pós

REGULAMENTO. Promoção Nextel Pós REGULAMENTO Promoção Nextel Pós Esta promoção é comercializada pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES Ltda., prestadora do Serviço Móvel Pessoal SMP, doravante denominada simplesmente NEXTEL, situada na situada

Leia mais