Relatório Trimestral da Reciclagem no Vale do Sousa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório Trimestral da Reciclagem no Vale do Sousa"

Transcrição

1 Relatório Trimestral da Reciclagem no Vale do Sousa 1º Trimestre de 2016 Versão 1.2

2 ÍNDICE 1. MATERIAL RECEBIDO PLÁSTICOS PAPEL VIDRO SUCATA RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS E ELETRÓNICOS (REEE) COLCHÕES ENTRADAS DE OUTROS RESÍDUOS MATERIAL PROCESSADO PELA AMBISOUSA TAXAS DE RECICLAGEM TAXAS DE RECICLAGEM DO VALE DO SOUSA TAXAS DE RECICLAGEM POR MUNICÍPIO META RETOMAS DE RECOLHA SELETIVA (PERSU 2020) Página 2 de 14

3 1. MATERIAL RECEBIDO Os quantitativos a seguir apresentados referem-se aos materiais recicláveis que deram entrada nas Estações de Triagem de Lustosa e para serem processados durante o 1º trimestre de Plásticos 1 Tabela 1 Quantitativos de material plástico enviado no 1º trimestre para as Estações de Triagem de Lustosa e Mês Castelo Paços de Paiva Ferreira TOTAL Janeiro 2,54 19,39 13,07 24,00 43,40 24,10 126,50 Fevereiro 4,00 13,26 13,53 22,15 28,36 23,64 104,94 Março 3,64 21,12 14,85 25,81 28,28 21,68 115,38 TOTAL 10,18 53,77 41,45 71,96 100,04 69,42 346,82 % 2,94 15,50 11,95 20,75 28,84 20,02 100,00 69,42 10,18 53,77 Plásticos- 346,82ton 41,45 100,04 71,96 20,02 2,94 15,50 Plásticos (%) 28,84 11,95 20,75 Gráfico 1 Contribuição dos municípios ao nível do material plástico enviado para reciclagem no 1º trimestre 1 LER Página 3 de 14

4 1.2. Papel 2 Tabela 2 - Quantitativos de papel enviados no 1º trimestre para as Estações de Triagem de Lustosa e Mês Castelo Paços de Paiva Ferreira TOTAL Janeiro 6,70 23,48 32,91 36,98 51,66 50,02 201,74 Fevereiro 0,00 24,63 26,87 28,52 70,02 44,80 194,84 Março 4,40 34,91 22,26 28,27 60,66 52,52 203,02 TOTAL 11,10 83,02 82,03 93,77 182,34 147,34 599,60 % 1,85 13,85 13,68 15,64 30,41 24,57 100,00 Papel - 599,60 ton 147,34 11,10 83,02 82,03 182,34 93,77 Papel (%) 24,57 1,85 13,85 13,68 30,41 15,64 Gráfico 2 - Contribuição dos municípios ao nível do papel enviado para reciclagem no 1º trimestre 2 LER Página 4 de 14

5 1.3. Vidro 3 Tabela 3 - Quantitativos de vidro enviados no 1º trimestre para as Estações de Triagem de Lustosa e Mês Castelo Paços de Paiva Ferreira TOTAL Janeiro 19,16 57,09 25,20 46,75 94,34 92,64 335,18 Fevereiro 0,00 41,08 34,88 30,15 80,06 52,08 238,24 Março 11,78 44,71 33,13 51,52 50,52 70,86 262,52 TOTAL 30,94 142,89 93,20 128,41 224,92 215,58 835,94 % 3,70 17,09 11,15 15,36 26,91 25,79 100,00 Vidro - 835,94 ton 215,58 30,94 142,89 93,20 224,92 128,41 25,79 3,70 17,09 Vidro (%) 11,15 26,91 15,36 Gráfico 3 - Contribuição dos municípios ao nível do vidro enviado para reciclagem no 1º trimestre 3 LER Página 5 de 14

6 1.4. Sucata 4 Tabela 4 - Quantitativos de sucata enviados no 1º trimestre para as Estações de Triagem de Lustosa e Mês Castelo Paços de Paiva Ferreira TOTAL Janeiro 0,00 0,00 1,54 1,54 3,14 0,00 6,22 Fevereiro 0,00 0,00 0,00 1,66 3,48 0,00 5,14 Março 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 3,48 3,48 TOTAL 0,00 0,00 1,54 3,20 6,62 3,48 14,84 % 0,00 0,00 10,38 21,56 44,61 23,45 100,00 Sucata - 14,84 ton 3,48 1,54 3,20 6,62 23,45 10,38 Sucata (%) 21,56 44,61 Gráfico 4 - Contribuição dos municípios ao nível da sucata enviada para reciclagem no 1º trimestre 4 LER Página 6 de 14

7 1.5. Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos (REEE) 5 Mês Tabela 5 - Quantitativos de REEE enviados no 1º trimestre para a Estação de Triagem de Paços de Ferreira * * * * * * TOTAL Janeiro 0,00 0,00 0,00 0,32 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 2,60 0,44 3,36 Fevereiro 2,04 0,00 1,70 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 3,74 Março 0,00 0,00 0,00 0,16 2,54 0,34 0,00 0,26 0,00 0,00 3,08 0,30 6,68 TOTAL 2,04 2,18 2,88 0,26 0,00 6,42 13,78 % 14,80 15,82 20,90 1,89 0,00 46,59 100,00 REEE - 13,78 ton 14,80 REEE (%) 2,04 46,59 6,42 2,18 15,82 0,26 2,88 1,89 20,90 Gráfico 5 - Contribuição dos municípios ao nível dos REEE enviados para reciclagem no 1º trimestre 5 LER * (lâmpadas) e (restantes REEE) Página 7 de 14

8 1.6. Colchões 6 Tabela 6 - Quantitativos de colchões enviados no 1º trimestre para a Estação de Triagem de Mês Castelo Paços de Paiva Ferreira TOTAL Janeiro 2,64 0,00 2,08 3,24 7,74 0,00 15,70 Fevereiro 0,00 2,70 0,00 2,86 1,60 1,84 9,00 Março 3,54 0,00 1,56 2,36 3,72 3,24 14,42 TOTAL 6,18 2,7 3,64 8,46 13,06 5,08 39,12 % 15,80 6,90 9,30 21,63 33,38 12,99 100,00 5,08 6,18 2,7 Colchões - 39,12 ton 13,06 3,64 8,46 Colchões (%) 12,99 15,80 6,90 33,38 9,30 21,63 Gráfico 6 - Contribuição dos municípios ao nível dos colchões enviados para desmantelamento no 1º trimestre 6 LER Página 8 de 14

9 1.7. Entradas de outros resíduos A Ambisousa continua a promover o Projeto Tampinhas, cuja iniciativa de carácter social possibilitou o envio para reciclagem de 28,29 toneladas de tampas plásticas e de 28,73 toneladas de embalagens plásticas. Relativamente à Campanha Papel com Valor, durante o 1º trimestre de 2016, foram rececionadas 169,25 toneladas de papel/cartão. Tabela 7 - Quantitativos de materiais rececionados no 1º trimestre, no âmbito de Campanhas promovidas pela Ambisousa Quantitativos rececionados (ton.) Campanha Material 7 Janeiro Fevereiro Março Total Tampas plásticas 7,39 7,98 12,92 28,29 Projeto Tampinhas Embalagens plásticas 7,40 12,14 9,19 28,73 Papel com Valor Papel/Cartão 50,97 62,57 55,72 169,25 Foram ainda rececionadas 0,1 ton de pilhas 8, provenientes do município de. 7 LER (tampas plásticas e embalagens plásticas) e (Papel/Cartão); 8 LER Página 9 de 14

10 Mês 2. MATERIAL PROCESSADO PELA AMBISOUSA Vidro Papel/Cartão Tabela 8 - Quantitativos do material processado pela Ambisousa no 1º trimestre Resíduos Processados nas Estações de Triagem da Ambisousa (toneladas) Retomados pela Sociedade Ponto Verde (Resíduos de Embalagem) Filme Plástico PEAD EPS PET Plásticos Mistos Outros Plásticos ECAL Aço Alumínio REEE Sucata Outras Retomas Madeira Nãoembalagem Plásticos/ Embalagens Plásticas Janeiro 342,34 232,52 16,46 16,18 0,64 28,04 22,36 10,64 0,00 0,00 0,00 13,40 4,78 7,32 3,44 698,12 Fevereiro 293,02 190,26 0,00 13,78 0,68 15,64 0,00 10,90 25,22 11,52 0,00 0,00 11,80 0,00 4,30 577,12 Março 239,52 222,20 38,78 14,56 1,28 26,24 20,58 10,86 0,00 0,00 0,00 5,70 6,74 6,54 4,84 597,84 TOTAL 874,88 644,98 55,24 44,52 2,60 69,92 42,94 32,40 25,22 11,52 0,00 19,10 23,32 13,86 12, ,08 % 46,71 34,43 2,95 2,38 0,14 3,73 2,29 1,73 1,35 0,62 0,00 1,02 1,25 0,74 0,67 100,00 TOTAL 69,92 2,60 44,52 55,24 25,22 11,52 19,10 23,32 32,40 42,94 644,98 Resíduos processados ,08 ton 13,86 12,58 874,88 Vidro Papel/Cartão Filme Plástico PEAD EPS PET Plásticos Mistos Outros Plásticos ECAL Aço Alumínio Madeira REEE Sucata Madeira não-embalagem Plásticos/Embalagens Plásticas 0,14 3,73 2,29 2,95 2,38 34,43 1,73 1,02 0,62 Gráfico 7 Material processado pela Ambisousa no 1º trimestre 1,25 0,74 0,67 Resíduos processados (%) 46,71 Vidro Papel/Cartão Filme Plástico PEAD EPS PET Plásticos Mistos Outros Plásticos ECAL Aço Alumínio Madeira REEE Sucata Madeira não-embalagem Plásticos/Embalagens Plásticas Página 10 de 14

11 3. TAXAS DE RECICLAGEM 3.1. Taxas de Reciclagem do Vale do Sousa Material Tabela 9 Taxas de reciclagem de resíduos de embalagem no 1º trimestre Resíduos de embalagem (ton.) Potencial de embalagem nos RSU (ton.) Taxa de Reciclagem 1º Trimestre 2016 Vidro 874, ,75 33,19% Papel/Cartão 644, ,50 57,51% Plástico 272, ,50 22,37% Aço 11,52 261,50 4,41% Alumínio 0,00 78,00 0,00% Madeira 0,00 20,75 0,00% Total - embalagem 1.804, ,00 33,81% 100% 50% 57,51% 33,19% 22,37% 33,81% 0% 4,41% 0,00% 0,00% Vidro Papel/Cartão Plástico Aço Alumínio Madeira Total - embalagem Gráfico 8 Taxas de reciclagem de embalagens por fileira Tabela 10 Comparativo de resíduos de embalagem enviados para reciclagem no período homólogo do ano anterior e último trimestre Material 1º Trimestre 4º Trimestre 1º Trimestre Vidro 819,84 770,58 874,88 Papel/Cartão 553,96 599,26 644,98 Plástico 253,62 244,72 272,84 Aço 43,82 32,12 11,52 Alumínio 0,00 6,32 0,00 Madeira 0,00 0,00 0,00 Total - embalagem 1.671, , ,22 Página 11 de 14

12 Tabela 11 Comparação e respetiva evolução das taxas de reciclagem de resíduos de embalagens no 1º trimestre de 2016 com as Taxas Globais de Reciclagem na Ambisousa, obtidas em Material Taxa da Reciclagem 1º Trimestre Ambisousa 2015 (%) 2016 Evolução Vidro 35,51% 33,19% Papel/Cartão 47,91% 57,51% Plástico 22,53% 22,37% Aço 8,66% 4,41% Alumínio 2,39% 0,00% Madeira 0,00% 0,00% Total - embalagem 33,58% 33,81% 3.2. Taxas de Reciclagem por Município 10 Tabela 12 Taxas de reciclagem dos resíduos de embalagem no 1º trimestre de 2016 RSU s Depositados em Aterro Vidro Papel/Cartão Plástico Aço Alumínio Madeira Total - embalagem Castelo de Paiva 1.212,94 31,30 10,65 7,97 0,34 0,00 0,00 50,26 Potencial de embalagens nos RSU (ton) 101,97 43,39 47,18 10,12 3,02 0,80 206,47 Taxa de reciclagem (%) 30,70 24,55 16,89 3,33 0,00 0,00 24, ,04 160,22 105,73 42,10 1,78 0,00 0,00 309,83 Potencial de embalagens nos RSU (ton) 472,37 200,99 218,55 46,87 13,98 3,72 956,48 Taxa de reciclagem 33,92 52,61 19,26 3,79 0,00 0,00 32, ,96 106,84 102,26 33,75 1,43 0,00 0,00 244,28 Potencial de embalagens nos RSU (ton) 365,20 155,39 168,97 36,23 10,81 2,88 739,48 Taxa de reciclagem 29,26 65,81 19,98 3,93 0,00 0,00 33, ,36 130,85 109,95 56,34 2,38 0,00 0,00 299,52 Potencial de embalagens nos RSU (ton) 452,01 192,33 209,14 44,85 13,38 3,56 915,26 Taxa de reciclagem 28,95 57,17 26,94 5,30 0,00 0,00 32, ,58 227,56 174,99 78,33 3,31 0,00 0,00 484,18 Potencial de embalagens nos RSU (ton) 698,37 297,15 323,12 69,29 20,67 5, ,10 Taxa de reciclagem 32,58 58,89 24,24 4,77 0,00 0,00 34, ,28 218,11 141,40 54,35 2,29 0,00 0,00 416,15 Potencial de embalagens nos RSU (ton) 545,82 232,25 252,54 54,15 16,15 4, ,21 Taxa de reciclagem 39,96 60,88 21,52 4,24 0,00 0,00 37,65 9 Os valores de Taxa de Reciclagem apresentados para o ano de 2015 foram calculados usando os valores potenciais indicados pela Sociedade Ponto Verde no relatório SMAUT - Caracterização dos Sistemas Municipais Aderentes ao Sistema Ponto Verde Para o 1º Trimestre de 2016, foram utilizados os valores potenciais que constam do Relatório SMAUT de 2014; 10 Estes quantitativos foram obtidos em função dos quantitativos globais enviados para reciclagem. Para o cálculo do potencial de embalagens, foram utilizados os valores apresentados no documento: SMAUT - Caracterização dos Sistemas Municipais Aderentes ao Sistema Ponto Verde 2014 ; 11 Incluindo os quantitativos depositados em aterro provenientes da EMAFEL (9,30 ton). Página 12 de 14

13 % Relatório de Reciclagem no Vale do Sousa 1º Trimestre de Castelo de Paiva Vidro Papel/Cartão Plástico Aço Alumínio Madeira Gráfico 9 Comparação das taxas de reciclagem dos resíduos de embalagem dos municípios do Vale do Sousa, obtidos em função dos quantitativos globais enviados para reciclagem. Página 13 de 14

14 4. META RETOMAS DE RECOLHA SELETIVA (PERSU 2020) Relatório de Reciclagem no Vale do Sousa 1º Trimestre de 2016 Tabela 13 Resultados da meta Retomas de recolha seletiva no 1º trimestre 2016 Sistema AMBISOUSA N.º de habitantes Dados MRRU - Recolha seletiva no 1ºT 2016 (ton) Resultados Trimestrais (kg/hab.ano) 12 Meta 1º 2º 3º 4º Acumulado PERSU 2020 (kg/hab.ano) Trimestre Trimestre Trimestre Trimestre 2016 Plástico/metal Papel/Cartão Vidro Total Castelo de Paiva ,18 11,10 30,94 52,22 2, , ,77 83,02 142,89 279,67 4, , ,45 82,03 93,20 216,69 4, ,3 - Paços de Ferreira ,96 93,77 128,41 294,14 4, , ,04 182,34 224,92 507,30 5, , ,42 147,34 215,58 432,34 5, ,6 - Global - AMBISOUSA ,82 599,60 835, ,36 4, ,9 32 Gráfico 10 Resultados do 1º trimestre 2016 (ton) e meta Retomas de Recolha Seletiva fixada para a Ambisousa no PERSU ,0 30, ,0 20,0 15,0 10,0 5,0 2,9 4,5 4,3 4,9 5,4 5,6 4,9 0,0 Castelo de Paiva Global - AMBISOUSA 1º Trimestre 2016 Resultado 1T 2016 (kg/hab.ano) Meta PERSU 2020 (kg/hab.ano) 12 Considerando um Coeficiente global de transformação de recolha seletiva em retomas de recolha seletiva de 0,93, tendo em conta os coeficientes mínimos de triagem e a proporção destes resíduos recolhida seletivamente; Página 14 de 14

Relatório de Reciclagem no Vale do Sousa

Relatório de Reciclagem no Vale do Sousa Relatório de Reciclagem no Vale do Sousa 4º Trimestre de 2006 Outubro 2006 Relatório da Reciclagem 4º Trimestre 2006 2 Total Outubro - 554,22 ton 16,44 1,18 18,74 2,62 11,20 251,82 252,22 Vidro Papel/Cartão

Leia mais

Relatório Anual da Reciclagem

Relatório Anual da Reciclagem Relatório Anual da Reciclagem 2011 Relatório Anual da Reciclagem Ambisousa Empresa Intermunicipal de Tratamento e Gestão de Resíduos Sólidos, EIM Av. Sá e Melo, n.º 30, Cristelos 4620-151, Lousada www.ambisousa.pt

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 SOCIEDADE PONTO VERDE. www.pontoverde.pt

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 SOCIEDADE PONTO VERDE. www.pontoverde.pt RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 SOCIEDADE PONTO VERDE www.pontoverde.pt Entidade Atividade Licença Sociedade Ponto Verde Gestão de um Sistema Integrado de Gestão de Resíduos de Embalagens (SIGRE) Licença

Leia mais

1. Entidade Sociedade Ponto Verde (SPV) 2. Indicadores de atividade (em geral)

1. Entidade Sociedade Ponto Verde (SPV) 2. Indicadores de atividade (em geral) RELATÓRIO DE ATIVIDADES 214 GESTÃO DE RESÍDUOS DE EMBALAGENS SPV SOCIEDADE PONTO VERDE 1. Entidade Sociedade Ponto Verde (SPV) 2. Indicadores de atividade (em geral) 1) Mercado Potencial atualizado em

Leia mais

Contributos da Gestão de Resíduos Urbanos para o Desenvolvimento Socioeconómico e Ambiental de Portugal

Contributos da Gestão de Resíduos Urbanos para o Desenvolvimento Socioeconómico e Ambiental de Portugal Contributos da Gestão de Resíduos Urbanos para o Desenvolvimento Socioeconómico e Ambiental de Portugal Apresentação Pública 28 de maio de 2014 PARCEIROS: ESTUDO PROMOVIDO POR: 1. INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO

Leia mais

36ª edição do jornal digital Notícias VALNOR

36ª edição do jornal digital Notícias VALNOR 36ª edição do jornal digital Notícias VALNOR 36ª edição do jornal digital Notícias VALNOR Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Dezembro 2014 36ª edição

Leia mais

Apoio à Economia Circular no Portugal 2020. O caso do PO SEUR. Helena Pinheiro de Azevedo

Apoio à Economia Circular no Portugal 2020. O caso do PO SEUR. Helena Pinheiro de Azevedo Apoio à Economia Circular no Portugal 2020 O caso do PO SEUR Helena Pinheiro de Azevedo ECONOMIA CIRCULAR o que é É uma sociedade que privilegia a Eficiência no Uso de Recursos Naturais Evita o uso e desperdício

Leia mais

Boletim Estatístico Nº 2 Outubro de 2009

Boletim Estatístico Nº 2 Outubro de 2009 Boletim Estatístico Nº 2 Outubro de 2009 1. Evolução da Reciclagem em 2008 - Actualização Conforme anunciado, republica-se a informação estatística relativa a 2008, depois de efectuadas diversas correcções

Leia mais

GUIA PARA O PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS ENTIDADE GESTORA SOCIEDADE PONTO VERDE

GUIA PARA O PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS ENTIDADE GESTORA SOCIEDADE PONTO VERDE GUIA PARA O PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS ENTIDADE GESTORA SOCIEDADE PONTO VERDE Versão: 1.0 Data: 05-06-2009 Índice Acesso e estados dos Formulários... 3 Escolha do Formulário e submissão... 4 Bases para

Leia mais

Gestão de Resíduos Desafios e Oportunidades Eds.NORTE. Gestão de Resíduos no Território

Gestão de Resíduos Desafios e Oportunidades Eds.NORTE. Gestão de Resíduos no Território Gestão de Resíduos Desafios e Oportunidades Eds.NORTE Gestão de Resíduos no Território Isabel Vasconcelos Fevereiro de 2006 Produção de Resíduos Resíduos - Quaisquer substâncias ou objectos de que o detentor

Leia mais

A nova TGR e o FIA, oportunidades

A nova TGR e o FIA, oportunidades SEMANA EUROPEIA DOS RESÍDUOS 2015 1º Encontro dos SGR do Alentejo A nova TGR e o FIA, oportunidades Pedro Santana DRES-DGIR 24 de novembro de 2015 Objetivo & âmbito Âmbito Taxa de Gestão de Resíduos Objetivos:

Leia mais

Desafios da Gestão Municipal de Resíduos Sólidos

Desafios da Gestão Municipal de Resíduos Sólidos Desafios da Gestão Municipal de Resíduos Sólidos Cláudia Lins Consultora Ambiental Foi instituída pela Lei 12.305/10 e regulamentada pelo Decreto 7.404/10 A PNRS fixou obrigações para União, Estados e

Leia mais

Região Norte de Portugal

Região Norte de Portugal MERCADO DE RESÍDUOS NA REGIÃO NORTE DE PORTUGAL Jorge Araújo Região Norte de Portugal Alguns números: População 3 745 000 hab. PIB per capita 60 % da UE27 Indústria transformadora 396 000 trab. (51% de

Leia mais

Certificação 3R6 das lojas próprias MEO. Sustentabilidade

Certificação 3R6 das lojas próprias MEO. Sustentabilidade Certificação 3R6 das lojas próprias MEO Sustentabilidade 2014 AGENDA ENQUADRAMENTO CERTIFICAÇÃO 3R6 ENQUADRAMENTO A Ponto Verde Serviços é uma empresa de consultoria ambiental criada em 2011 pela Embopar

Leia mais

O IMPACTO ECONÓMICO DA DIRETIVA 94/62/CE SOBRE EMBALAGENS E RESÍDUOS DE EMBALAGENS

O IMPACTO ECONÓMICO DA DIRETIVA 94/62/CE SOBRE EMBALAGENS E RESÍDUOS DE EMBALAGENS O IMPACTO ECONÓMICO DA DIRETIVA 94/62/CE SOBRE EMBALAGENS E RESÍDUOS DE EMBALAGENS Rui Cunha Marques Pedro Simões Nuno Cruz Sandra Ferreira Marta Cabral 1 Fevereiro 2013 O Projeto Entidade Financiadora

Leia mais

OS TECNOSISTEMAS - O CASO DA ILHA DO PICO Perspectivas de desenvolvimento

OS TECNOSISTEMAS - O CASO DA ILHA DO PICO Perspectivas de desenvolvimento A GESTÃO DE RESÍDUOS EM ZONAS INSULARES: UM DESAFIO PARA OS AÇORES OS TECNOSISTEMAS - O CASO DA ILHA DO PICO Perspectivas de desenvolvimento Paulo Santos Monteiro (Prof. Auxiliar da FEUP) 1.700 km 270

Leia mais

Gestão de Resíduos nos Açores. Carlos de Andrade Botelho

Gestão de Resíduos nos Açores. Carlos de Andrade Botelho Gestão de Resíduos nos Açores Carlos de Andrade Botelho Distância ao Continente = 1.500 Km Dispersão por 600 Km (mais do que a altura de Portugal Continental ou a largura da Alemanha) Ligações marítimas

Leia mais

Joana Rodrigues. Valor Ambiente Gestão e Administração de Resíduos da Madeira, S.A.

Joana Rodrigues. Valor Ambiente Gestão e Administração de Resíduos da Madeira, S.A. SISTEMA DE GESTÃO DE RESÍDUOS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA O presente projecto, co-financiado pelo Fundo de Coesão da União Europeia, contribui para a redução das disparidades sociais e económicas entre

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUOS URBANOS DO SISTEMA MULTIMUNICIPAL DO ALGARVE (2013) RELATÓRIO 1º PERÍODO DE CAMPANHA

CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUOS URBANOS DO SISTEMA MULTIMUNICIPAL DO ALGARVE (2013) RELATÓRIO 1º PERÍODO DE CAMPANHA CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUOS URBANOS DO SISTEMA MULTIMUNICIPAL DO ALGARVE (2013) RELATÓRIO 1º PERÍODO DE CAMPANHA MARÇO 2013 CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUOS URBANOS DO SISTEMA MULTIMUNICIPAL DO ALGARVE (2013)

Leia mais

CONDIÇÕES DE ENTREGA/RECEPÇÃO DO SERVIÇO EXTRA URBANO

CONDIÇÕES DE ENTREGA/RECEPÇÃO DO SERVIÇO EXTRA URBANO SERVIÇO EXTRA URBANO O Serviço extra Urbano corresponde ao serviço a ser prestado aos produtores de resíduos não urbanos de embalagens, de forma a garantir a esses produtores um destino final adequado

Leia mais

a sustentabilidade como mais-vali gestão de resíduos urbanos o desafio 202

a sustentabilidade como mais-vali gestão de resíduos urbanos o desafio 202 a sustentabilidade como mais-vali gestão de resíduos urbanos o desafio 202 2ªs Jornadas da Especializaçã em Direção e Gestão da Construçã Engenharia Civil Os Novos Desafi 30 de outubro de 20 ópicos. Breve

Leia mais

VALNOR comemorou Dia da Criança e Dia do Ambiente

VALNOR comemorou Dia da Criança e Dia do Ambiente VALNOR comemorou Dia da Criança e Dia do Ambiente VALNOR comemorou Dia da Criança e Dia do Ambiente VALNOR entrega prémio do Concurso Ovos Amarelos Sensibilização Ambiental com jovens de Castelo de Vide

Leia mais

COOPERATIVA MONÇÕES DE COLETA SELETIVA DE PORTO FELIZ Rua: Anita Garibaldi, nº694- Jd. Primavera- Tel: PROJETO RECICLANDO COM CIDADANIA

COOPERATIVA MONÇÕES DE COLETA SELETIVA DE PORTO FELIZ Rua: Anita Garibaldi, nº694- Jd. Primavera- Tel: PROJETO RECICLANDO COM CIDADANIA PROJETO RECICLANDO COM CIDADANIA LOCAL DA INSTALAÇÃO: Razão Social: Cooperativa de Reciclagem Monções Nome Fantasia: Cooperativa Monções CNPJ: 12.522.788/0001-85 Endereço: R: Anita Garibaldi, nº694- Jd.

Leia mais

REGULAMENTO ECOSHOP PARA ENTREGAS DIRETAMENTE NOS ECOCENTROS

REGULAMENTO ECOSHOP PARA ENTREGAS DIRETAMENTE NOS ECOCENTROS REGULAMENTO ECOSHOP REGULAMENTO ECOSHOP Main sponsor Apoio Institucional PARA ENTREGAS DIRETAMENTE NOS ECOCENTROS Regulamento de utilização do Cartão EcoShop Artigo 1º - Entidade Promotora O Cartão Eco

Leia mais

LISTA DE OPERADORES DE GESTÃO DE RESÍDUOS AUTORIZADOS PARA A RETOMA DE RESÍDUOS DE EMBALAGENS NO ÂMBITO DO SIGRE

LISTA DE OPERADORES DE GESTÃO DE RESÍDUOS AUTORIZADOS PARA A RETOMA DE RESÍDUOS DE EMBALAGENS NO ÂMBITO DO SIGRE LISTA DE OPERADORES DE GESTÃO DE RESÍDUOS AUTORIZADOS PARA A RETOMA DE RESÍDUOS DE EMBALAGENS NO ÂMBITO DO SIGRE Papel/cartão A.S. Simões Sociedade de Recuperação de Resíduos, Lda Ambigroup Resíduos, SA

Leia mais

EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social

EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social DATA: Segunda-feira, 16 de setembro de 2013 NÚMERO: 178 SÉRIE I, 1º SUPLEMENTO EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social DIPLOMA: Portaria n.º 286-A/2013 SUMÁRIO: Cria a medida Incentivo

Leia mais

Conteúdo. Política de gestão de resíduos Novo regime legal. Prevenção. Prevenção Protagonistas

Conteúdo. Política de gestão de resíduos Novo regime legal. Prevenção. Prevenção Protagonistas Conteúdo Prevenção de resíduos da política às práticas de gestão Prevenção Definição Protagonistas Exemplos Circuito da gestão dos RSU Susana Xará 24. Novembro. 2011 Política de gestão de resíduos Novo

Leia mais

Luís Filipe F. Ferreira DTABN, ESAS, IPS

Luís Filipe F. Ferreira DTABN, ESAS, IPS Luís Filipe F. Ferreira DTABN, ESAS, IPS RESÍDUOS 2 RESÍDUOS 3 RESÍDUOS IMPACTOS AMBIENTAIS RESÍDUOS: Quantidade Natureza POLUIÇÃO E POLUENTES: Natureza Consequências 4 RESÍDUOS: Quantidade Produção: 2000-17

Leia mais

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto.

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. REDUZIR REUTILIZAR RECUPERAR RECICLAR A redução deve ser adaptada por

Leia mais

Constituição e Estrutura Accionista

Constituição e Estrutura Accionista Constituição e Estrutura Accionista DECRETO-LEI Nº 11/2001 DE 23 de Janeiro 8 Criação do Sistema Multimunicipal de Triagem, Recolha, Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos do Norte Alentejano

Leia mais

Definição e classificação

Definição e classificação Definição A gestão de resíduos urbanos Qual o nosso papel? Definição e classificação «Resíduo» qualquer substância ou objecto de que o detentor se desfaz ou tem a intenção ou a obrigação de se desfazer,

Leia mais

Termos e Condições. Bem-vindo ao site de Internet da Telemedia - Promoção 20% - que disponibiliza descontos em equipamentos de televisão Samsung.

Termos e Condições. Bem-vindo ao site de Internet da Telemedia - Promoção 20% - que disponibiliza descontos em equipamentos de televisão Samsung. Termos e Condições Bem-vindo ao site de Internet da Telemedia - Promoção 20% - que disponibiliza descontos em equipamentos de televisão Samsung. 1. Condições Gerais 1.1 A utilização do site: http://www.campanha.telemediaportugal.com,

Leia mais

Painel de Contribuição Núcleo Socioambiental - NSA (Fevereiro/2016)

Painel de Contribuição Núcleo Socioambiental - NSA (Fevereiro/2016) Núcleo Socioambiental - NSA Objetivo Estratégico / Iniciativa Estratégica/ Meta Estratégica 1. Aumentar para 5% os resíduos sólidos reciclados do TST Ação 1. Recolher Resíduos. Reaproveitamento de resíduos

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS RESÍDUOS DE EMBALAGENS DE VIDRO

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS RESÍDUOS DE EMBALAGENS DE VIDRO RESÍDUOS DE EMBALAGENS DE VIDRO Documentos de referência: Despacho n.º15370/2008 (Alteração à licença concedida à Sociedade Ponto Verde em 7 de Dezembro de 2004); Ajustamento, de 24 de Novembro de 2008,

Leia mais

O PAPEL DA SPV NA GARANTIA DE QUALIDADE, PARA A RECICLAGEM DO PAPEL/CARTÃO NO SIGRE

O PAPEL DA SPV NA GARANTIA DE QUALIDADE, PARA A RECICLAGEM DO PAPEL/CARTÃO NO SIGRE O PAPEL DA SPV NA GARANTIA DE QUALIDADE, PARA A RECICLAGEM DO PAPEL/CARTÃO NO SIGRE JLetras/ Fev. 2014 Agenda O FLUXO DE GESTÃO DOS RESÍDUOS DE EMBALAGENS AS RETOMAS DE PAPEL/CARTÃO NO SIGRE O PAPEL DOS

Leia mais

Desafios da gestão de resíduos sólidos urbanos em Portugal. Pedro Fonseca Santos pedrofs@esb.ucp.pt

Desafios da gestão de resíduos sólidos urbanos em Portugal. Pedro Fonseca Santos pedrofs@esb.ucp.pt Desafios da gestão de resíduos sólidos urbanos em Portugal Pedro Fonseca Santos pedrofs@esb.ucp.pt Evolução da gestão de resíduos na Europa Evolução da capitação de RSU vs. PIB em Portugal e na UE-, 1995-2000

Leia mais

EQUIPE DE QUALIDADE E GESTÃO AMBIENTAL (DQGA)

EQUIPE DE QUALIDADE E GESTÃO AMBIENTAL (DQGA) EQUIPE DE QUALIDADE E GESTÃO AMBIENTAL (DQGA) - DIRETORIA DE QUALIDADE E GESTÃO AMBIENTAL (DQGA) - FEAM - QUADRO DE INDICADORES E METAS DA DIRETORIA DE QUALIDADE E GESTÃO AMBIENTAL (DQGA) FEAM CÓD OBJETIVO

Leia mais

Brochura Institucional

Brochura Institucional Brochura Institucional INTERFILEIRAS A INTERFILEIRAS representa as organizações - Fileiras de material - criadas ao abrigo de legislação específica com a missão de assegurar a retoma e reciclagem de resíduos

Leia mais

Gestão de resíduos no ArrábidaShopping

Gestão de resíduos no ArrábidaShopping Gestão de resíduos no ArrábidaShopping 1 Gestão de resíduos no ArrábidaShopping Entre 2009 e 2011, a taxa de reciclagem de resíduos no Centro Comercial ArrábidaShopping subiu de 59% para 63%. Apesar desta

Leia mais

Parceira das empresas

Parceira das empresas Parceira das empresas PARCEIRA DAS EMPRESAS 02 SOCIEDADE PONTO VERDE PARCEIRA DAS EMPRESAS A Sociedade Ponto Verde é uma empresa privada sem fi ns lucrativos, licenciada pelo Ministério do Ambiente e Ordenamento

Leia mais

Agenda. Fluxos financeiros. Como preencher a declaração anual. Reciclagem de embalagens. Multipacks. Valores Ponto Verde 2013

Agenda. Fluxos financeiros. Como preencher a declaração anual. Reciclagem de embalagens. Multipacks. Valores Ponto Verde 2013 JORNADAS TÉCNICAS Lisboa, 13 Dezembro 2012 Agenda 2 Fluxos financeiros Como preencher a declaração anual Reciclagem de embalagens Multipacks Valores Ponto Verde 2013 Fluxos financeiros 3 Fluxos financeiros

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 57

BOLETIM INFORMATIVO Nº 57 Boletim Informativo Março de 2013 Av. da República, 62 F, 5º 1050 197 LISBOA Tel: 21 780 80 60 Email: embopar@embopar.pt www.embopar.pt BOLETIM INFORMATIVO Nº 57 Março de 2013 Notícias Comissão lança Livro

Leia mais

Valor Ambiente Gestão e Administração de Resíduos da Madeira S.A. A Gestão dos Resíduos na Região Autónoma da Madeira

Valor Ambiente Gestão e Administração de Resíduos da Madeira S.A. A Gestão dos Resíduos na Região Autónoma da Madeira Valor Ambiente Gestão e Administração de Resíduos da Madeira S.A. A Gestão dos Resíduos na Região Autónoma da Madeira Valor Ambiente 2008 1 A Região Autónoma da Madeira Área 42,5 km 2 População residente

Leia mais

Resposta Coordenada de Monitoramento da Dengue MT Informe técnico n 12 Atualizado em 11/05/2010 ás 11:00 h.

Resposta Coordenada de Monitoramento da Dengue MT Informe técnico n 12 Atualizado em 11/05/2010 ás 11:00 h. Governo Federal Ministério da Saúde Governo do Estado de Mato Grosso Secretaria de Estado de Saúde Distribuição restrita aos gestores e técnicos das secretarias de saúde, com o objetivo de monitorar a

Leia mais

Saídas. Transferências de Resíduos

Saídas. Transferências de Resíduos FORMULÁRIO ÚNICO SIRAPA MANUAL DE APOIO AO PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO PRTR Saídas Transferências de Resíduos Agência Portuguesa do Ambiente abril 2015 Ficha técnica Título Formulário único SIRAPA - Manual

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão de Embalagens e Resíduos em Agricultura. António Lopes Dias Director-Geral Sigeru, Lda.

Sistema Integrado de Gestão de Embalagens e Resíduos em Agricultura. António Lopes Dias Director-Geral Sigeru, Lda. Sistema Integrado de Gestão de Embalagens e Resíduos em Agricultura António Lopes Dias Director-Geral Sigeru, Lda. Seminários Uso Sustentável de PFF's - 2014 Sumário O que é o VALORFITO Como funciona Situação

Leia mais

III Conferência Internacional sobre Resíduos Urbanos. Sociedade Ponto Verde Reutilização e Reciclagem. Objectivos 2020

III Conferência Internacional sobre Resíduos Urbanos. Sociedade Ponto Verde Reutilização e Reciclagem. Objectivos 2020 III Conferência Internacional sobre Resíduos Urbanos Porto, 23 e 24 de Outubro de 2008 Sociedade Ponto Verde Reutilização e Reciclagem. Objectivos 2020 Luís Veiga Martins REUTILIZAÇÃO OU RECICLAGEM COEXISTÊNCIA

Leia mais

O exemplo da Recolha Selectiva Porta a Porta junto de sectores específicos (restauração, comércio, serviços)

O exemplo da Recolha Selectiva Porta a Porta junto de sectores específicos (restauração, comércio, serviços) Pontos a abordar: Caracterização geral do sistema Lipor Enquadramento (PERSU II) Actuais projectos de Recolha Selectiva Porta a Porta na área da Lipor e análise da sua evolução Comparação da Recolha Selectiva

Leia mais

Prevenção na Produção de Resíduos. Isabel Vasconcelos

Prevenção na Produção de Resíduos. Isabel Vasconcelos Prevenção na Produção de Resíduos Isabel Vasconcelos O melhor resíduo é o que não se produz!!!! Índice Parte I- Gestão dos Resíduos Estratégia de 1ª geração Estratégia de 2ª geração Parte II - Compostagem

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Outubro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem ser

Leia mais

PAPERSU DO MUNICÍPIO DE VILA DO CONDE

PAPERSU DO MUNICÍPIO DE VILA DO CONDE PAPERSU DO MUNICÍPIO DE VILA DO CONDE abril 2015 INDICE 1. INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO HISTÓRICO... 2 2. CARACTERIZAÇÃO E MODELO TÉCNICO ATUAL... 2 2.1. CARACTERÍSTICAS DO MUNICÍPIO... 2 2.2. RECOLHA DE

Leia mais

Biogás. Página 1 de 5

Biogás. Página 1 de 5 Biogás O atual sistema económico conduz à produção de grandes quantidades de resíduos agrícolas, industriais e domésticos, os quais, podem conter componentes importantes e valiosos, revelando-se ainda

Leia mais

Obrigatoriedade da Gestão de Embalagens e Resíduos de Embalagens. Empresas Fabricantes de Argamassas de Construção.

Obrigatoriedade da Gestão de Embalagens e Resíduos de Embalagens. Empresas Fabricantes de Argamassas de Construção. 2008.04.09 Obrigatoriedade da Gestão de Embalagens e Resíduos de Embalagens Empresas Fabricantes de Argamassas de Construção 9 de Maio de 2008 SOCIEDADE PONTO VERDE A Sociedade Ponto Verde é uma entidade

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA FINANÇAS E TRABALHO, SOLIDARIEDADE E SEGURANÇA SOCIAL. 1112 Diário da República, 1.ª série N.º 64 1 de abril de 2016

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA FINANÇAS E TRABALHO, SOLIDARIEDADE E SEGURANÇA SOCIAL. 1112 Diário da República, 1.ª série N.º 64 1 de abril de 2016 1112 Diário da República, 1.ª série N.º 64 1 de abril de 2016 ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Lei n.º 8/2016 Procede à décima alteração ao Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 7/2009, de 12 de fevereiro,

Leia mais

O que acontece com o teu Lixo?

O que acontece com o teu Lixo? VIDRARIA FABRICANTE DE PAPEL COMPOSTAGEM O que acontece com o teu Lixo? Cada um tem seu próprio rumo... O orgânico.. O compost O compostagem de residuos umido reproduz o processo natural de decomposição

Leia mais

DAS EMPRESAS www.pontoverde.pt

DAS EMPRESAS www.pontoverde.pt PARCEIRA DAS EMPRESAS www.pontoverde.pt SOCIEDADE PONTO VERDE PARCEIRA DAS EMPRESAS A Sociedade Ponto Verde é uma empresa privada sem fins lucrativos, licenciada pelo Ministério do Ambiente e Ordenamento

Leia mais

Proposta de. Plano municipal de ação de gestão de resíduos urbanos do Concelho de. Angra do Heroísmo

Proposta de. Plano municipal de ação de gestão de resíduos urbanos do Concelho de. Angra do Heroísmo Proposta de Plano municipal de ação de gestão de resíduos urbanos do Concelho de Angra do Heroísmo 1 Índice 1 Introdução... 6 2 Diagnóstico da situação atual... 8 2.1 Enquadramento geral... 8 2.2 Enquadramento

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 62

BOLETIM INFORMATIVO Nº 62 Av. da República, 62 F, 5º 1050 197 LISBOA Tel: 21 780 80 60 Email: embopar@embopar.pt www.embopar.pt BOLETIM INFORMATIVO Nº 62 Junho de 2014 Notícias Sociedade Ponto Verde ainda sem Licença do Estado

Leia mais

OS RESÍDUOS NO MUNICÍPIO DE PONTE DE LIMA

OS RESÍDUOS NO MUNICÍPIO DE PONTE DE LIMA OS RESÍDUOS NO MUNICÍPIO DE PONTE DE LIMA M. A. P. Dinis Professora Auxiliar CIAGEB, Faculdade de Ciência e Tecnologia Universidade Fernando Pessoa, Porto, Portugal madinis@ufp.edu.pt RESUMO A gestão de

Leia mais

SONDAGEM ESPECIAL. Exportações ganham importância para indústria brasileira. Comércio Exterior. Opinião CNI

SONDAGEM ESPECIAL. Exportações ganham importância para indústria brasileira. Comércio Exterior. Opinião CNI Indicadores CNI SONDAGEM ESPECIAL 64 Comércio Exterior Exportações ganham importância para indústria brasileira A queda na demanda doméstica e a desvalorização da moeda estão estimulando o aumento das

Leia mais

Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo

Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo Atividade Turística Julho de 20 15 de setembro de 20 Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo A hotelaria registou 5,8 milhões de dormidas em julho de 20, valor correspondente a

Leia mais

Relatório Visual. Lençóis Setembro, 2013.

Relatório Visual. Lençóis Setembro, 2013. Relatório Visual Resultados do apoio do Instituto Brasil Solidário - IBS ao GAP - Grupo Ambientalista de Palmeiras nos projetos e ações socioambientais realizados no município de Palmeiras nos anos de

Leia mais

PAPERSU DO MUNICÍPIO DE VALONGO

PAPERSU DO MUNICÍPIO DE VALONGO PAPERSU DO MUNICÍPIO DE VALONGO abril 2015 INDICE 1. INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO HISTÓRICO... 2 2. CARACTERIZAÇÃO E MODELO TÉCNICO ATUAL... 2 2.1. CARACTERÍSTICAS DO MUNICÍPIO... 2 2.2. RECOLHA DE RESÍDUOS...

Leia mais

Recolha diferenciada. Ing. Giancarlo Majocchi

Recolha diferenciada. Ing. Giancarlo Majocchi Recolha diferenciada Ing. Giancarlo Majocchi Diretiva Européia 2008/98/EC Defne o conceito de base e as defniçoes em matéria de gestao do lixo, como as defniçoes de lixos, a reciclagem, a recuperaçao,

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Presidente António dos Reis Duarte

FICHA TÉCNICA. Presidente António dos Reis Duarte FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas e dos Serviços Divisão de Estatísticas do Turismo Av. Cidade

Leia mais

Dossiê de Imprensa 2011

Dossiê de Imprensa 2011 Dossiê de Imprensa 2011 Índice APRESENTAÇÃO... 03 Missão & Objectivos... 03 História & Actualidade... 03 Localização/Unidades de Tratamento de RSU... 05 RESPONSABILIDADE SOCIAL... 06 Recursos Humanos...

Leia mais

:: LINHAS DE AÇÃO. Apoio aos Municípios. Tecnologia e Informação em Resíduos. Promoção e Mobilização Social. Capacitação

:: LINHAS DE AÇÃO. Apoio aos Municípios. Tecnologia e Informação em Resíduos. Promoção e Mobilização Social. Capacitação :: LINHAS DE AÇÃO Apoio aos Municípios Tecnologia e Informação em Resíduos Capacitação Promoção e Mobilização Social :: PRESSUPOSTOS DA COLETA SELETIVA Gestão participativa Projeto de Governo Projeto da

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos

Política Nacional de Resíduos Sólidos Política Nacional de Resíduos Sólidos A lei na prática Ago-12 Sonho: ser a melhor empresa de bebidas do mundo, em um mundo melhor. MEIO AMBIENTE CONSUMO RESPONSÁVEL COMUNIDADE Gente e Cultura Resíduos:

Leia mais

REGULAMENTO. Campanha Pré-Compra do Galaxy S7 edge S7. 1. Definições

REGULAMENTO. Campanha Pré-Compra do Galaxy S7 edge S7. 1. Definições REGULAMENTO Campanha Pré-Compra do Galaxy S7 edge S7 1. Definições 1.1. Campanha : Iniciativa da Promotora sob a denominação Pré-Compra do Galaxy S7 edge S7 que visa promover os Smartphones Samsung Galaxy

Leia mais

GESTÃO DE RISCO 3 TRIMESTRE 2012

GESTÃO DE RISCO 3 TRIMESTRE 2012 Relatório de Risco - 2011 GESTÃO DE RISCO 3 TRIMESTRE 2012 Parte 2: Tabelas com as exposições a risco de crédito, mercado, liquidez e operacional em atendimento à circular n o 3477 do Banco Central do

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DA ILHA DE S.MIGUEL AMIGOS DO AMBIENTE

ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DA ILHA DE S.MIGUEL AMIGOS DO AMBIENTE ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DA ILHA DE S.MIGUEL AMIGOS DO AMBIENTE PELO QUE S. MIGUEL TEM DE MELHOR. Na altura em que se completam dez anos sobre o início da actividade da AMISM, é oportuno fazer um balanço

Leia mais

Campanha de Limpeza e Conservação do Ambiente da Nossa Terra. A Câmara Municipal das Lajes do Pico convida todos os munícipes a aderir à

Campanha de Limpeza e Conservação do Ambiente da Nossa Terra. A Câmara Municipal das Lajes do Pico convida todos os munícipes a aderir à Campanha de Limpeza e Conservação do Ambiente da Nossa Terra A Câmara Municipal das Lajes do Pico convida todos os munícipes a aderir à Campanha de Limpeza e Conservação do Ambiente da Nossa Terra, e a

Leia mais

População 1 milhão habitantes (aproximadamente) (Census 2001) Produção anual de RSU cerca de 480.000 ton/ano capitação 1,3 kg/(hab/dia)

População 1 milhão habitantes (aproximadamente) (Census 2001) Produção anual de RSU cerca de 480.000 ton/ano capitação 1,3 kg/(hab/dia) Constituída por oito Municípios pertencentes à Área Metropolitana do Porto Área: 0.7% 648 km 2 População: 10.3% da população de Portugal População 1 milhão habitantes (aproximadamente) (Census 2001) Produção

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 53

BOLETIM INFORMATIVO Nº 53 Av. da República, 62 F, 5º 1050 197 LISBOA Tel: 21 780 80 60 Fax: 21 780 80 69 Email: embopar@embopar.pt www.embopar.pt BOLETIM INFORMATIVO Nº 53 Março de 2012 Notícias Sistema de depósito europeu não

Leia mais

Segurança e Responsabilidade Social

Segurança e Responsabilidade Social Para maximizar o desempenho e a contribuição para os resultados operacionais a VALNOR, combinando as soluções disponíveis no mercado e a experiência alcançada ao longo dos anos investiu mais 900.000 no

Leia mais

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de outubro de 2013

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de outubro de 2013 Nota de Informação Estatística Lisboa, 1 de outubro de 13 Novas estatísticas das não financeiras da Central de Balanços O Banco de Portugal passa a divulgar no Boletim Estatístico (secção A.19 e Capítulo

Leia mais

AMBIENTAL RESPONSABILIDADE

AMBIENTAL RESPONSABILIDADE A gestão responsável da Patrus Transportes inclui medidas e ações sustentáveis. São programas que garantem o uso inteligente dos recursos naturais, o descarte correto dos materiais e o monitoramento constante

Leia mais

Case study. Mais-valias para clientes através de serviços ambientais RECOLHA DE ÓLEOS ALIMENTARES USADOS EMPRESA ENVOLVIMENTO

Case study. Mais-valias para clientes através de serviços ambientais RECOLHA DE ÓLEOS ALIMENTARES USADOS EMPRESA ENVOLVIMENTO Case study 2010 Mais-valias para clientes através de serviços ambientais RECOLHA DE ÓLEOS ALIMENTARES USADOS EMPRESA A actividade de Pingo Doce, empresa do grupo Jerónimo Martins, iniciou-se em 1980, na

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.127, de 7 de fevereiro de 2011

Instrução Normativa RFB nº 1.127, de 7 de fevereiro de 2011 Instrução Normativa RFB nº 1.127, de 7 de fevereiro de 2011 DOU de 8.2.2011 Dispõe sobre a apuração e tributação de rendimentos recebidos acumuladamente de que trata o art. 12-A da Lei nº 7.713, de 22

Leia mais

RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL

RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL SOUZA,I.C. ;BUFAIÇAL,D.S.S;SANTOS,M.D.;ARANTES,S.S.;XAVIER,L.;FERREIRA,G.K.S; OLIVEIRA,B.A.;PAGOTTO,W.W.B.S.;SILVA,R.P.;SANTOS.L.G.;SANTOS.F.F.S.;FRANCO,R.

Leia mais

3.2 DISTRIBUIÇÃO DOS RESÍDUOS INVENTARIADOS

3.2 DISTRIBUIÇÃO DOS RESÍDUOS INVENTARIADOS 40 DISTRIBUIÇÃO DAS INDÚSTRIAS INVENTARIADAS Como é mostrado no Quadro, dos 68 municípios inventariados, os 02 mais representativos, em número de indústrias, são Recife e Jaboatão do Guararapes. Para Recife,

Leia mais

LEI 11.445/2007 RESSANEAR PROJETO INTEGRADO DE SANEAMENTO BÁSICO E RESÍDUOS SÓLIDOS. Eixo: LOGISTICA REVERSA

LEI 11.445/2007 RESSANEAR PROJETO INTEGRADO DE SANEAMENTO BÁSICO E RESÍDUOS SÓLIDOS. Eixo: LOGISTICA REVERSA LEI 11.445/2007 RESSANEAR PROJETO INTEGRADO DE SANEAMENTO BÁSICO E RESÍDUOS SÓLIDOS Eixo: LOGISTICA REVERSA PLANO MUNICIPAL DE GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS Instrumentos Legais: Resolução

Leia mais

Informação sobre a Recuperação e Reciclagem de Papel e Cartão em Portugal 2011

Informação sobre a Recuperação e Reciclagem de Papel e Cartão em Portugal 2011 Informação sobre a Recuperação e Reciclagem de Papel e Cartão em Portugal 2011 Índice A RECUPERAÇÃO EM PORTUGAL DE PAPEL E CARTÃO PARA RECICLAR... 3 DADOS GLOBAIS 2011... 4 PAPEL E CARTÃO PARA RECICLAR...

Leia mais

Com este pequeno guia pode, finalmente, tirar partido do seu lixo... e sentir-se bem por isso!

Com este pequeno guia pode, finalmente, tirar partido do seu lixo... e sentir-se bem por isso! Com este pequeno guia pode, finalmente, tirar partido do seu lixo... e sentir-se bem por isso! Os restos de comida, as folhas do jardim ou as plantas secas do quintal ganham vida nova através de um processo

Leia mais

RENDIMENTOS DE CAPITAIS

RENDIMENTOS DE CAPITAIS MODELO EM VIGOR A PARTIR DE JANEIRO DE 2016 R. P. 1 CATEGORIA E 2 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS AUTORIDADE TRIBUTÁRIA E ADUANEIRA DECLARAÇÃO DE - IRS MODELO 3 Anexo E DE CAPITAIS 3 IDENTIFICAÇÃO DO(S) SUJEITO(S)

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

Condições SMQVU Ambientais

Condições SMQVU Ambientais Condições SMQVU Ambientais O estado do ambiente condiciona decisivamente a qualidade de vida das pessoas. No inquérito realizado à população residente no Porto, em 23, foi pedido aos entrevistados que

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO DA PLATINA - PR

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO DA PLATINA - PR JANEIRO 75 0 75 2 73 1440 0 1440 104 1336 7 0 7 5 2 119 0 119 1 118 293 0 293 11 282 225 0 225 5 220 2 0 2 0 2 116 0 116 4 112 Página 1 de 12 FEVEREIRO 73 0 73 2 71 1336 0 1336 385 951 2 0 2 2 0 118 0

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO DA PLATINA - PR. Planilha Controle de Estoque - Materiais de Limpeza - 2013 ESTOQUE ANTERIOR

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO DA PLATINA - PR. Planilha Controle de Estoque - Materiais de Limpeza - 2013 ESTOQUE ANTERIOR JANEIRO 20 0 20 1 19 13 0 13 0 13 0 5 5 0 5 16 0 16 1 15 17 0 17 0 17 5 0 5 2 3 20 0 20 2 18 107 0 107 5 102 59 0 59 1 58 23 0 23 1 22 215 0 215 7 208 60 0 60 1 59 5 0 5 0 5 5 0 5 1 4 Página 1 de 12 FEVEREIRO

Leia mais

Certificado Energético Edifício de Habitação IDENTIFICAÇÃO POSTAL. Morada AVENIDA RIO DE JANEIRO, 38, 3º ESQ. Localidade LISBOA. Freguesia ALVALADE

Certificado Energético Edifício de Habitação IDENTIFICAÇÃO POSTAL. Morada AVENIDA RIO DE JANEIRO, 38, 3º ESQ. Localidade LISBOA. Freguesia ALVALADE Válido até 15/10/2024 IDENTIFICAÇÃO POSTAL Morada AVENIDA RIO DE JANEIRO, 38, 3º ESQ. Localidade LISBOA Freguesia ALVALADE Concelho LISBOA GPS 38.754048, -9.138450 IDENTIFICAÇÃO PREDIAL/FISCAL Conservatória

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 58

BOLETIM INFORMATIVO Nº 58 Boletim Informativo Junho de 2013 Av. da República, 62 F, 5º 1050 197 LISBOA Tel: 21 780 80 60 Email: embopar@embopar.pt www.embopar.pt BOLETIM INFORMATIVO Nº 58 Junho de 2013 Notícias Comissão prepara-se

Leia mais

O Setor de Reciclagem de Material Plástico

O Setor de Reciclagem de Material Plástico O Setor de Reciclagem de Material Plástico Características da indústria de reciclagem: Quantas recicladoras existem para Alumínio? Aço? Vidro? Tetrapack? Papelão? Os produtores são quem adquirem a sucata

Leia mais

O MNCR Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis RJ

O MNCR Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis RJ A Catergoria Embora a atividade seja exercida desde de 1950, o catador sempre foi visto como sujeito excluído socialmente, apesar de nós catadores sempre prestarmos um serviço de extrema importância para

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRZ4012 EDITAL Nº 005/2010 1. Perfil: TR 007/2010-CGS - CIÊNCIAS SOCIAIS APLICÁVEIS 3. Qualificação educacional: Graduação na área de CIÊNCIAS SOCIAIS

Leia mais

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Preservação e Conservação A preservação é o esforço para proteger um ecossistema e evitar que ele seja modificado. Depende também da presença e ação do homem sobre

Leia mais

Logística Reversa: destinação dos resíduos de poliestireno expandido (isopor ) pós-consumo de uma indústria i catarinense

Logística Reversa: destinação dos resíduos de poliestireno expandido (isopor ) pós-consumo de uma indústria i catarinense Logística Reversa: destinação dos resíduos de poliestireno expandido 1. Introdução Objetivo da pesquisa: analisar a possibilidade de uma destinação dos resíduos de poliestireno expandido (EPS), utilizados

Leia mais

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12 CADERNO DE PROGRAMA AMBIENTAL EDUCACIONAL ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12 PROGRAMA DE REDUÇÃO DO VOLUME E DESTINAÇÃO DA COLETA SELETIVA DOS MATERIAIS DESCARTADOS Programa Nº 05/2016

Leia mais

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação.

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS SOBERANO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO RENDA FIXA - SIMPLES CNPJ/MF: Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O AGORA BOLSA FIC DE FIA 08.909.429/0001-08. Informações referentes a Abril de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O AGORA BOLSA FIC DE FIA 08.909.429/0001-08. Informações referentes a Abril de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O AGORA BOLSA FIC DE FIA 08.909.429/0001-08 Informações referentes a Abril de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o ÁGORA BOLSA FUNDO

Leia mais

VORTALbonus PROGRAMA '16 REGULAMENTO

VORTALbonus PROGRAMA '16 REGULAMENTO VORTALbonus PROGRAMA '16 REGULAMENTO 01. QUEM PODE PARTICIPAR? 0. O QUE É NECESSÁRIO PARA PARTICIPAR? 03. QUE TRANSAÇÕES NA PLATAORMA DÃO DIREITO A VORTALbonus? 01.1. Todos os utilizadores registados na

Leia mais