Mapa de Registo de Resíduos de Entidades Gestoras de Resíduos Urbanos na RAA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mapa de Registo de Resíduos de Entidades Gestoras de Resíduos Urbanos na RAA"

Transcrição

1 Governo dos Açores Secretaria Regional dos Recursos Naturais Mapa de Registo de Resíduos de Entidades Gestoras de Resíduos Urbanos na RAA Identificação da Entidade Gestora de Resíduos Urbanos Ano: 2013 Data Entrega: :04:54 NIF Designação CAE Endereço Associação de Municípios da Ilha do Pico Tratamento e eliminação de outros resíduos não perigosos Largo Edmundo Machado Ávila, 5 1º andar Lajes do Pico Telefone Fax Responsável pelo projeto Contato preferencial N.º de trabalhadores afetos à gestão de resíduos N.º de registo da guia de transporte Alvará de Operação de Gestão de Resíduos Alexandra Chu /DRA/2009, 2/DRA/2007 N.º registo guia transporte rodoviário resíduos não urbanos: A têm mais do que 1 nº de registo e são todos utilizados para o transporte de resíduos urbanos para reciclagem, nomeadamente: Armazém de papel/cartão 103 (transporte de cartão); Armazém do Município de São Roque do Pico 104 (transporte de vidro); Armazém do Município da Madalena 105 (transporte de vidro); Instalações da antiga lixeira da Silveira 106 (transporte de vidro); Sede da 2900 (transporte de pilhas, acumuladores, tinteiros e toners). O responsável pelo projeto é o Eng.º Roberto Silva, contudo não foi possível, por motivos técnicos do portal, alterar o registo.

2 Gestão de Resíduos Código LER Descrição Qt. Origem Infraestrutura Op. Destino Op. Fonte EMBALAGENS DE VIDRO 23,08000 Município das Lajes do Pico NIF: Oficinas Municipais das Lajes do Pico NIF: /DRA/2007 SaintGobain Mondego (Vidrociclo) NIF: COMPONENTES RETIRADOS DE EQUIPAMENTO FORA DE USO, NÃO ABRANGIDOS EM ,16450 Município das Lajes do Pico NIF: Oficinas Municipais NIF: /DRA/2007 Biorecuperação Sistemas Ecológicos, Lda NIF: EMBALAGENS DE VIDRO 18,68000 Município da Madalena NIF: Oficinas Municipais da Madalena NIF: /DRA/2007 SaintGobain Mondego (Vidrociclo) NIF: EMBALAGENS DE VIDRO 21,26000 Município da Madalena NIF: Oficinas Municipais da Madalena NIF: /DRA/2007 SaintGobain Mondego (Vidrociclo) NIF: EMBALAGENS DE VIDRO 18,68000 Município de São Roque do Pico Oficinas Municipais de São Roque 2/DRA/2007 SaintGobain Mondego (Vidrociclo) NIF: EMBALAGENS DE VIDRO 19,54000 Município de São Roque do Pico Oficinas Municipais de São Roque 2/DRA/2007 SaintGobain Mondego (Vidrociclo) NIF: ,16000 Associação de Municípios da Ilha do Pico Armazem de papel/cartão 2/DRA/2007 Amarelisa NIF: ,28000 Associação de Municípios da Ilha do Pico Armazem de papel/cartão 2/DRA/2007 Amarelisa NIF: ,42000 Associação de Municípios da Ilha do Pico Armazem de papel/cartão 2/DRA/2007 Seraical NIF:

3 ,24000 Associação de Municípios da Ilha do Pico Armazem de papel/cartão 2/DRA/2007 Amarelisa NIF: ,66000 Associação de Municípios da Ilha do Pico Armazem de papel/cartão 2/DRA/2007 Amarelisa NIF: ,56000 Associação de Municípios da Ilha do Pico Armazem de papel/cartão 2/DRA/2007 J. Nunes & Filhos, Lda. NIF: ,04000 Direção Regional dos Assuntos do Mar NIF: ,52000 Manuel José da Rosa NIF: ,04000 Paulo Fernando Bettencourt NIF: ,40000 Manuel Eduardo G. Goulart NIF: ,28000 Manuel Fernando S. da Rosa NIF: PAPEL E 0,02000 Comissão Vitivinícola Regional NIF:

4 PAPEL E 2,62000 Banco Totta & Açores NIF: PLÁSTICOS 0,18000 Jerónimo Alemão NIF: MATERIAIS IMPRÓPRIOS PARA CONSUMO OU PROCESSAMENTO 203,96000 Cofaco Açores Pico NIF: MATERIAIS IMPRÓPRIOS PARA CONSUMO OU PROCESSAMENTO 0,58000 A.A.P.A.P. NIF: MATERIAIS DE ISOLAMENTO, NÃO ABRANGIDOS EM E ,92000 Tecnovia Açores, S. A. (Ilha do Pico) NIF: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO À BASE DE GESSO, NÃO ABRANGIDOS EM ,80000 Tecnovia Açores, S. A. (Ilha do Pico) NIF: MISTURA DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO, NÃO ABRANGIDOS EM , E ,46000 Tecnovia Açores, S. A. (Ilha do Pico) NIF: MISTURAS DE BETÃO, TIJOLOS, LADRILHOS, TELHAS E MATERIAIS CERÂMICOS, NÃO ABRANGIDAS EM ,88000 Tecnovia Açores, S. A. (Ilha do Pico) NIF: EMBALAGENS DE PLÁSTICO 230,04000 Tecnovia Açores, S. A. (Ilha do Pico) NIF:

5 RESÍDUOS DE TECIDOS ANIMAIS 67,08000 SUINIPICO SUINICULTURA DO PICO SA NIF: MATERIAIS IMPRÓPRIOS PARA CONSUMO OU PROCESSAMENTO 66,57000 SUINIPICO SUINICULTURA DO PICO SA NIF: ,66000 Lisa Alexandra Bettencourt NIF: ,78000 Ruben Manuel da Silveira NIF: ,12000 Eugénia Sousa NIF: MISTURA DE RESÍDUOS URBANOS E EQUIPARADOS 1187,66000 Município de São Roque do Pico ,14000 SomagueEdiçor, Engenharia, S.A. NIF: São Miguel Ponta Delgada EMBALAGENS DE PLÁSTICO 0,36000 SomagueEdiçor, Engenharia, S.A. NIF: São Miguel Ponta Delgada PLÁSTICO 51,73000 SomagueEdiçor, Engenharia, S.A. NIF: São Miguel Ponta Delgada

6 RESÍDUOS DE TECIDOS ANIMAIS 708,42000 Matadouro do Pico NIF: RESÍDUOS DE TECIDOS ANIMAIS 386,60000 Matadouro do Pico NIF: MATERIAIS IMPRÓPRIOS PARA CONSUMO OU PROCESSAMENTO 5,06000 LactoPico Cooperativa de Lacticínios da Ilha do Pico, CRL NIF: MATERIAIS IMPRÓPRIOS PARA CONSUMO OU PROCESSAMENTO 1,20000 Lactaçores União das Cooperativas de LActicínios dos Açores, UCRL NIF: RESÍDUOS DO DESARENAMENTO 5,72000 Matadouro do Pico NIF: LAMAS DO TRATAMENTO BIOLÓGICO DE ÁGUAS RESIDUAIS INDUSTRIAIS, NÃO ABRANGIDAS EM ,42000 Matadouro do Pico NIF: PAPEL E 0,48000 Unidade de Saúde da Ilha do Pico NIF: ,34000 Luís Ávila NIF: ,38000 António Herberto Pereira da Silva NIF:

7 5,46000 Tiago Orlando Medina Cardoso NIF: MISTURA DE RESÍDUOS URBANOS E EQUIPARADOS 0,04000 Junta de Freguesia de São João NIF: MISTURA DE RESÍDUOS URBANOS E EQUIPARADOS 1614,48000 Município das Lajes do Pico NIF: MISTURA DE RESÍDUOS URBANOS E EQUIPARADOS 2200,02000 Município da Madalena NIF: RESÍDUOS URBANOS E EQUIPARADOS NÃO ESPECIFICADOS 3,42000 Estela Neves & Silva, Lda. NIF: ,60450

8 Caracterização de Resíduos Urbanos da Recolha Indiferenciada Finos (<20mm) Bioresíduos Papel/Cartão Plástico Vidro Compósitos Têxteis Têxteis Sanitários Metais Madeira Resíduos Perigosos Outros Total 3,86 % 29,77 % 16,44 % 12,97 % 9,84 % 4,73 % 6,65 % 10,57 % 2,75 % 0,29 % 0,25 % 1,88 % 100,00 % Resíduos existentes nos resíduos indiferenciados % de resíduos de embalagens 30,73 % % de resíduos de REEE 0,60 % % de resíduos recicláveis 31,46 % Fonte de Dados Campanha de Caracterização Ano da Campanha 2013

9 Caracterização dos Resíduos de Embalagens existentes na recolha indiferenciada dos Resíduos Urbanos Papel/Cartão Vidro Plástico Ferrosos Não Ferrosos Alumínio Não Ferrosos Outros Madeira Têxteis Embalagens Outros Total 5,77 % 9,30 % 11,67 % 1,44 % 0,42 % 0,00 % 0,00 % 0,02 % 2,11 % 69,27 % 100,00 % Fonte de Dados Campanha de Caracterização Ano da Campanha 2013 Os valores indicados são a % dos resíduos de embalagens existentes nos resíduos indiferenciados, sendo o "Outros" a % das outras componentes dos resíduos indiferenciados que não são resíduos de embalagens. A caracterização foi realizada de acordo com as categorias e subcategorias indicadas na Portaria nº 28/2012 de 1 de março, a qual não destinge nos metais não ferrosos o alumínio dos outros. Assim sendo, considerouse que o os metais não ferrosos são todos alumínio.

10 Recolha municipal de resíduos Recolha de resíduos indiferenciados N.º de circuitos 0 N.º de dias de recolha por semana 0 Recolha seletiva de resíduos de embalagens N.º de circuitos por fileira 3 N.º de dias de recolha por fileira 3 Sistema Habitantes abrangidos Qt. de contentores Indicação das fileiras recolhidas Recolha seletiva de embalagens de papel/cartão Portaaporta 0 Contentor na via pública 0 Contentor subterrâneo na via pública Outro 0 0 A recolha dos resíduos é da responsabilidades dos municípios. A apenas intervém na recolha seletiva de embalagens de papel/cartão, através de concurso, concessionando assim a recolha a um privado. Sistema Portaaporta por baldes, cestos os outros recipientes Portaaporta por sacos de plástico próprios para o efeito Habitantes abrangidos Qt. de baldes, cestos Ecoponto 0 0 Outro 0 0 Recolha porta a porta nos grandes produtores de papel/ cartão (232 estabelecimentos), realizada por uma empresa privada Óleos alimentares usados N.º de circuitos 0 N.º de dias de recolha 0 Recolha seletiva de resíduos de pilhas e acumuladores de telemóveis Sistema Habitantes abrangidos Qt. de oleões N.º de circuitos 0 N.º de dias de recolha 0 Portaaporta Oleão na via publica Oleão em estabelecimentos de comércio a retalho ou por grosso Sistema Pilhão na via pública Outro Habitantes abrangidos Qt. de recipientes A recolha de pilhas é realizada pelos municípios Oleão noutro local Outro A recolha de óleos é realizada pelo operador licenciado na ilha para o efeito Monstros Bioresíduos N.º de circuitos 0 N.º de dias de recolha 0 N.º de circuitos 0 N.º de dias de recolha 0

11 Sistema Habitantes abrangidos Qt. de oleões Sistema Habitantes abrangidos Qt. de oleões Portaaporta Portaaporta Ecoponto Ecocentro Outro Na via pública em datas prédeterminadas Ecocentro Outro A recolha de monstros é realizada pelos municípios

12 Resíduos de construção e demolição O município está a exigir o plano de prevenção e gestão de resíduos de construção e demolição sempre que aplicável? O município implementou o procedimento de cobrança de uma caução ou de uma taxa com o objetivo de garantir a execução do plano de prevenção e gestão de resíduos de construção e demolição? Não Não

Governo Regional dos Açores Secretaria Regional da Agricultura e Ambiente Direção Regional do Ambiente

Governo Regional dos Açores Secretaria Regional da Agricultura e Ambiente Direção Regional do Ambiente Governo Regional dos Açores Secretaria Regional da Agricultura e Ambiente Direção Regional do Ambiente Data de elaboração: Maio de 2016 Relatório Resíduos Urbanos Ilha de Santa Maria 2015 1. ENQUADRAMENTO

Leia mais

Alvará(s) 13/DRA/2009

Alvará(s) 13/DRA/2009 Governo dos Açores Direção Regional do Ambiente Operador de Gestão de Resíduos Varela e Cª, Lda. NIF 512004854 E-Mail ana.malcata@bensaude.pt Sede Edifício Varela, Rua de Lisboa 9500-216 São José Ponta

Leia mais

Exemplar Não Controlado

Exemplar Não Controlado 12 01 05 Aparas de matérias plásticas. Data: 07/12/2012 Pág. n.º 2/7 15 RESÍDUOS DE EMBALAGENS; ABSORVENTES, PANOS DE LIMPEZA, MATERIAIS FILTRANTES E VESTUÁRIO DE PROTEP ROTEÇÃO NÃO ANTERIORMENTE ESPECIFICADOS

Leia mais

Teramb, Empresa Municipal de Gestão e Valorização Ambiental, EEM

Teramb, Empresa Municipal de Gestão e Valorização Ambiental, EEM Governo dos Açores Direção Regional do Ambiente Operador de Gestão de Resíduos Teramb, Empresa Municipal de Gestão e Valorização Ambiental, EEM NIF 509620515 E-Mail teramb@gmail.com Instalação Aterro Intermunicipal

Leia mais

RARU 13 ANEXO II Metodologia e Pressupostos

RARU 13 ANEXO II Metodologia e Pressupostos O Decreto-Lei nº 178/2006, de 5 de setembro, com a nova redação do Decreto-Lei n.º 73/2011, de 17 de junho, veio criar um Sistema Integrado de Registo Eletrónico de Resíduos (SIRER), suportado pelo Sistema

Leia mais

Serviços e Produtos. Palavras-Chave:

Serviços e Produtos. Palavras-Chave: Serviços e Produtos Recepção, Triagem e Valorização de RCD Reciclagem de RCD em obra Controlo de produção em obra de Agregados Reciclados (utilização em observância das normas técnicas aplicáveis) Acompanhamento

Leia mais

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 104/2012 (S )

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 104/2012 (S ) 1 6 ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 104/2012 (S11720-201210) Nos termos do artigo 33º.do Decreto-Lei nº. 178/2006, de 5 de Setembro, com as alterações introduzidas

Leia mais

1 9 ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 120/2012 (S13671-201211) Nos termos do Artigo 33º. do Decreto-Lei n.º 178/2006, com a redação conferida pelo Decreto- Lei n.º

Leia mais

Plano de Gestão de. Resíduos Sólidos Urbanos

Plano de Gestão de. Resíduos Sólidos Urbanos Plano de Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos I. INTRODUÇÃO Até meados do século passado, o lixo doméstico, praticamente, não constituía problema. A maioria dos materiais utilizados continha componentes

Leia mais

Procedimento NSHS 07/2011

Procedimento NSHS 07/2011 1. OBJECTIVO O presente procedimento tem como objectivo estabelecer regras para os aspectos de gestão dos resíduos produzidos nos campus do IST. 2. DESTINATÁRIOS Todos os trabalhadores e colaboradores

Leia mais

Lamas do tratamento local de efluentes Outros resíduos não anteriormente especificados Materiais impróprios para consumo

Lamas do tratamento local de efluentes Outros resíduos não anteriormente especificados Materiais impróprios para consumo 01 01 01 Resíduos da extração de minérios metálicos 01 01 02 Resíduos da extração de minérios não metálico 01 03 06 Rejeitados não abrangidos em 01 03 04 e 01 03 05 01 03 08 Poeiras e pós não abrangidos

Leia mais

Planos de Gestão de Resíduos Hospitalares em UPCS

Planos de Gestão de Resíduos Hospitalares em UPCS Anabela Santiago Paulo Diegues Dezembro de 2007 Enquadramento Legislativo Principal Legislação aplicável aos Resíduos Hospitalares Despacho nº 242/96, de 13 de Agosto Portaria nº 174/97, de 10 de Março

Leia mais

Recolha Selectiva Multimaterial -Que Soluções?

Recolha Selectiva Multimaterial -Que Soluções? Recolha Selectiva Multimaterial -Que Soluções? Concelho de Valongo Câmara Municipal de Valongo Departamento de Ambiente e Qualidade de Vida Divisão de Qualidade Ambiental Sector de Higiene Urbana Caracterização

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS

PLANO MUNICIPAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS PLANO MUNICIPAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS 2015 1. Introdução O hábito do consumo exponencial, os avanços tecnológicos, entre outros, são indutores da produção de grandes quantidades de resíduos sólidos

Leia mais

DEPOSIÇÃO INTERNA DE RESÍDUOS

DEPOSIÇÃO INTERNA DE RESÍDUOS 1 de 7 1. Para a execução de uma correta gestão de resíduos deve-se assegurar que após a utilização de um bem se devem seguir, sempre que possível, novas utilizações do mesmo. 2. Não sendo viável a sua

Leia mais

Boas Práticas Ambientais na Gestão de Resíduos Município de Cantanhede. Maria João Aires Dias de Mariz

Boas Práticas Ambientais na Gestão de Resíduos Município de Cantanhede. Maria João Aires Dias de Mariz Boas Práticas Ambientais na Gestão de Resíduos Município de Cantanhede Maria João Aires Dias de Mariz 19 de setembro de 2014 A Inova Empresa de Desenvolvimento Económico e Social de Cantanhede, E.M.-S.A.,

Leia mais

2009. Julho.14 Iva Rodrigues Ferreira. Câmara Municipal de Gondomar Departamento de Ambiente

2009. Julho.14 Iva Rodrigues Ferreira. Câmara Municipal de Gondomar Departamento de Ambiente Reciclagem Multimaterial no Município de Gondomar 2009. Julho.14 Iva Rodrigues Ferreira Câmara Municipal de Gondomar Departamento de Ambiente O Município de Gondomar 164.090 habitantes (segundo os censos

Leia mais

Relatório Trimestral da Reciclagem no Vale do Sousa

Relatório Trimestral da Reciclagem no Vale do Sousa Relatório Trimestral da Reciclagem no Vale do Sousa 3º Trimestre de 2015 ÍNDICE 1. MATERIAL RECEBIDO... 3 1.1. PLÁSTICOS... 3 1.2. PAPEL... 4 1.3. VIDRO... 5 1.4. SUCATA... 6 1.5. RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS

Leia mais

Aplicação de um modelo PAYT no município da Maia: clientes empresariais. Luís s Fernandes

Aplicação de um modelo PAYT no município da Maia: clientes empresariais. Luís s Fernandes Aplicação de um modelo PAYT no município da Maia: clientes empresariais Luís s Fernandes - A Maiambiente EEM; - Princípios do PAYT - Poluidor-pagador; - Recolha em empresas; -A recolha na Maia; -Considerações

Leia mais

Alvará de Licença para a Realização de Operação de Gestão de Resíduos N.º 00029/2012 emitido pela CCDR-LVT.

Alvará de Licença para a Realização de Operação de Gestão de Resíduos N.º 00029/2012 emitido pela CCDR-LVT. Alvará de Licença para a Realização de Operação de Gestão de Resíduos N.º 00029/2012 emitido pela CCDR-LVT. Código LER Designação 01 - Resíduos da prospeção e exploração de minas e pedreiras, bem como

Leia mais

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 058/2012 (S )

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 058/2012 (S ) 1 6 ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 058/2012 (S07477-201206) Nos termos do artigo 33º do Decreto-Lei nº 178/2006, de 5 de Setembro com a redação conferida pelo

Leia mais

RECOLHA SELECTIVA ECOPONTOS

RECOLHA SELECTIVA ECOPONTOS RECOLHA SELECTIVA ECOPONTOS O QUE É UM ECOPONTO? Ecoponto é uma bateria de contentores individuais destinados a receber separadamente os diversos materiais para reciclagem. Os ecopontos de Oliveira de

Leia mais

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº00017/2013 (S )

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº00017/2013 (S ) 1 5 ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº00017/2013 (S01678-201302) Nos termos do Artigo 35º do Decreto-Lei n.º 178/2006, com a redação conferida pelo Decreto- Lei n.º

Leia mais

Dário Antunes Correia

Dário Antunes Correia 1 5 ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 82/2012 (S09084-201207) Nos termos do Artigo 33º do Decreto-Lei n.º 178/2006, de 5 de Setembro, com a redação conferida pelo

Leia mais

Relatório Trimestral da Reciclagem no Vale do Sousa

Relatório Trimestral da Reciclagem no Vale do Sousa Relatório Trimestral da Reciclagem no Vale do Sousa 1º Trimestre de 2015 ÍNDICE 1. MATERIAL RECEBIDO... 3 1.1. PLÁSTICOS... 3 1.2. PAPEL... 4 1.3. VIDRO... 5 1.4. SUCATA... 6 1.5. RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS

Leia mais

Produção de Resíduos na FEUP

Produção de Resíduos na FEUP Produção de Resíduos na FEUP Tipologia e Características Outubro 2010 Monitor: Gustavo Pizarro Supervisor: Joana Dias AMB 105 Francisco Pinheiro João Costa Maria Cristina França Nuno Pereira Ricardo Faria

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ACÇÃO DE RESÍDUOS URBANOS DE SANTA CRUZ DAS FLORES

PLANO MUNICIPAL DE ACÇÃO DE RESÍDUOS URBANOS DE SANTA CRUZ DAS FLORES PLANO MUNICIPAL DE ACÇÃO DE RESÍDUOS URBANOS DE SANTA CRUZ DAS FLORES ÍNDICE 1. Enquadramento legislativo 2. Diagnóstico da situação actual 3. Prospectiva da situação futura 4. Objectivos estratégicos

Leia mais

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 2/2013 (S )

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 2/2013 (S ) 1 10 ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 2/2013 (S00119-201301) Nos termos do Artigo 33º. do Decreto-Lei n.º 178/2006, com a redação conferida pelo Decreto- Lei n.º

Leia mais

A Gestão de Resíduos de Construção e Demolição na Região do Norte 30 de Outubro de 2008 Seminário: Gestão de Resíduos de Construção e Demolição

A Gestão de Resíduos de Construção e Demolição na Região do Norte 30 de Outubro de 2008 Seminário: Gestão de Resíduos de Construção e Demolição A Gestão de Resíduos de Construção e Demolição na Região do Norte 30 de Outubro de 2008 Seminário: Gestão de Resíduos de Construção e Demolição Mirandela 1 Introdução A indústria da construção em Portugal

Leia mais

Ecocentro Recolha e Centro de Triagem Resiaçores Recolha SMAH Compostagem - TERAMB Incineração - TERAMB Aterro Sanitário - TERAMB

Ecocentro Recolha e Centro de Triagem Resiaçores Recolha SMAH Compostagem - TERAMB Incineração - TERAMB Aterro Sanitário - TERAMB Ecocentro Recolha e Centro de Triagem Resiaçores Recolha SMAH Compostagem - TERAMB Incineração - TERAMB Aterro Sanitário - TERAMB SMAH Recolha, transporte de resíduos urbanos e limpeza pública Resiaçores

Leia mais

ECO GESTÃO GESTÃO DE RESÍDUOS EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO. Formando

ECO GESTÃO GESTÃO DE RESÍDUOS EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO. Formando ECO GESTÃO GESTÃO DE RESÍDUOS EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO Formando 1 MANUAL DE FORMANDO exercício 1 > A empresa X dedica-se à produção de panelas e tachos. No Quadro 1 é apresentado uma descrição do processo

Leia mais

Plano Municipal de Gestão de Resíduos do Município de Lisboa

Plano Municipal de Gestão de Resíduos do Município de Lisboa Plano Municipal de Gestão de Resíduos do Município de Lisboa [2015-2020] 4ª Comissão Ambiente e Qualidade de Vida Primeiro Plano Municipal de Resíduos na cidade de Lisboa O Caminho [Lisboa Limpa] Melhorar

Leia mais

Relatório Trimestral da Reciclagem no Vale do Sousa

Relatório Trimestral da Reciclagem no Vale do Sousa Relatório Trimestral da Reciclagem no Vale do Sousa 2º Trimestre de 2014 ÍNDICE 1. MATERIAL RECEBIDO... 3 1.1. PLÁSTICOS... 3 1.2. PAPEL... 4 1.3. VIDRO... 5 1.4. SUCATA... 6 1.5. RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS

Leia mais

C.R.C.P.Com de GRÂNDOLA BALCÃO ÚNICO

C.R.C.P.Com de GRÂNDOLA BALCÃO ÚNICO C.R.C.P.Com de GRÂNDOLA BALCÃO ÚNICO PROJECTO EXECUÇÃO PLANO PREVENÇÃO E GESTÃO RESÍDUOS CONSTRUÇÃO (PPG) (Out. 2009) INSTITUTO DOS REGISTOS E DO NOTARIADO Av. D. João II, nº 1.8.01D, Edifício H, Campus

Leia mais

Planeamento e Gestão de Resíduos de Construção e Demolição (RCD)

Planeamento e Gestão de Resíduos de Construção e Demolição (RCD) Planeamento e Gestão de Resíduos de Construção e Demolição (RCD) Rita Teixeira d Azevedo O planeamento e a gestão de resíduos de construção e demolição pretende identificar e implementar os elementos necessários

Leia mais

Geramos valor para a Natureza. MUSAMI Operações Municipais do Ambiente, EIM, SA

Geramos valor para a Natureza. MUSAMI Operações Municipais do Ambiente, EIM, SA Geramos valor para a Natureza MUSAMI Operações Municipais do Ambiente, EIM, SA A MUSAMI Gerar Valor para a Natureza é a nossa missão. Como? Promovendo a valorização crescente dos resíduos, desenvolvendo

Leia mais

Resíduos Concelho da Praia da Vitória. Plano Ação de Gestão e Prevenção de. Departamento de Gestão de Recursos Ambientais Praia Ambiente E.M.

Resíduos Concelho da Praia da Vitória. Plano Ação de Gestão e Prevenção de. Departamento de Gestão de Recursos Ambientais Praia Ambiente E.M. Plano Ação de Gestão e Prevenção de Resíduos Concelho da Praia da Vitória Departamento de Gestão de Recursos Ambientais Praia Ambiente E.M. 2012 Praia Ambiente, E.M Rua do Evangelho 9760-456 Praia da Vitória

Leia mais

PLANO DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE RESÍDUOS DE

PLANO DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE RESÍDUOS DE PLANO DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E REVISÕES Rev. Preparação Verificação Aprovação Nome: Nome: Nome: 00 Rubrica: Rubrica: Rubrica: Data: Data: Data: DOC. 31 Páginas: 1/15 ÍNDICE 1.

Leia mais

GUIA PARA O PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS SISTEMA DE GESTÃO PARA EMBALAGENS NÃO REUTILIZÁVEIS

GUIA PARA O PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS SISTEMA DE GESTÃO PARA EMBALAGENS NÃO REUTILIZÁVEIS GUIA PARA O PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS SISTEMA DE GESTÃO PARA EMBALAGENS NÃO REUTILIZÁVEIS Versão: 1.0 Data: 05-06-2009 Índice Acesso e estados dos Formulários... 3 Escolha do Formulário e submissão...

Leia mais

Regulamento. de Utilização do. Ecocentro de. Mafra

Regulamento. de Utilização do. Ecocentro de. Mafra Regulamento de Utilização do Ecocentro de Mafra Abril, 2015 REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO ECOCENTRO Artigo 1º - Objecto O presente documento estabelece as regras a que fica sujeita a entrega de resíduos

Leia mais

Instruções para a redução, o tratamento e a separação de resíduos de materiais resultantes de convenções e exposições

Instruções para a redução, o tratamento e a separação de resíduos de materiais resultantes de convenções e exposições Instruções para a redução, o tratamento e a separação de resíduos de materiais resultantes de convenções e exposições Introdução: Para se articular com a política de tratamento de resíduos sólidos Reciclagem

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES, DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E AMBIENTE COMISSÃO DE COORDENAÇÃO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DO CENTRO

MINISTÉRIO DAS CIDADES, DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E AMBIENTE COMISSÃO DE COORDENAÇÃO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DO CENTRO MINISTÉRIO DAS CIDADES, DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E AMBIENTE COMISSÃO DE COORDENAÇÃO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DO CENTRO Novembro de 2003 MINISTÉRIO DAS CIDADES, DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E AMBIENTE

Leia mais

Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos dos Açores. Sistema de apoio financeiro ao transporte marítimo de resíduos

Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos dos Açores. Sistema de apoio financeiro ao transporte marítimo de resíduos Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos dos Açores Sistema de apoio financeiro ao transporte marítimo de resíduos 2012 1. Qual a finalidade deste sistema de apoio? Este sistema de apoio tem

Leia mais

Relatório Trimestral da Reciclagem no Vale do Sousa

Relatório Trimestral da Reciclagem no Vale do Sousa Relatório Trimestral da Reciclagem no Vale do Sousa 4º Trimestre de 2014 ÍNDICE 1. MATERIAL RECEBIDO... 3 1.1. PLÁSTICOS... 3 1.2. PAPEL... 4 1.3. VIDRO... 5 1.4. SUCATA... 6 1.5. RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS

Leia mais

Legislação temática Resíduos

Legislação temática Resíduos Diploma Resumo Data Alterações, revogações e normas complementares Portaria nº 1028/92 Estabelece normas de segurança e identificação para o transporte dos óleos usados 05-11-1992 Decreto-Lei nº 138/96

Leia mais

1 5 ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 93/2012 (S10463-201209) Nos termos do artigo 33º.do Decreto-Lei nº. 178/2006, de 5 de Setembro, com as alterações introduzidas

Leia mais

S.R. DA AGRICULTURA E AMBIENTE Portaria n.º 81/2014 de 22 de Dezembro de 2014

S.R. DA AGRICULTURA E AMBIENTE Portaria n.º 81/2014 de 22 de Dezembro de 2014 S.R. DA AGRICULTURA E AMBIENTE Portaria n.º 81/2014 de 22 de Dezembro de 2014 O Decreto Legislativo Regional 29/2011/A, de 16 de Novembro, que aprova o regime geral de prevenção e gestão de resíduos, tem

Leia mais

LISTA DE OPERADORES DE GESTÃO DE RESÍDUOS

LISTA DE OPERADORES DE GESTÃO DE RESÍDUOS LISTA DE OPERADORES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Gestão de Óleos Usados APICIUS RECICLAGEM DE RESÍDUOS, LDA Sede: Estrada Comandante Camacho de Freitas, 701 9020 153 Funchal TELF: 291 766 498; 291 772 255; 917

Leia mais

REGULAMENTO ECOCENTRO DE MAFRA

REGULAMENTO ECOCENTRO DE MAFRA REGULAMENTO DO ECOCENTRO Elaborado por: Verificado por: Aprovado por: Hélder Rocha (GC) Ana Malta Vacas (GQ) Andrade Gomes (ADM) Página: 1 / 10 DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º - Objecto O presente documento

Leia mais

Município de Alcoutim. Plano de Ação de Resíduos Sólidos Urbanos (PAPERSU)

Município de Alcoutim. Plano de Ação de Resíduos Sólidos Urbanos (PAPERSU) Município de Alcoutim Plano de Ação de Resíduos Sólidos Urbanos (PAPERSU) Abril de 2015 1 1. Introdução e enquadramento histórico O concelho de Alcoutim, predominantemente rural, apresenta um rico património

Leia mais

PLANO DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO

PLANO DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO PLANO DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO ÍNDICE 1.- INTRODUÇÃO... 3 2.- ESPECIFICAÇÕES SOBRE AS OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO... 3 3.- PLANO DE PREVENÇÃO

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DOS ECOCENTROS

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DOS ECOCENTROS MANUAL DE UTILIZAÇÃO DOS ECOCENTROS RESINORTE, S. A. Rev. C de 22 de maio de 2013 1/11 ÍNDICE PREÂMBULO... 3 ARTIGO 1.º - Âmbito... 4 ARTIGO 2.º - Definições... 4 ARTIGO 3.º - Utilizadores dos Ecocentros...

Leia mais

BOLETIM MUNICIPAL CÂMARA MUNICIPAL DA AMADORA. Edição Especial 15 de Novembro de 2003

BOLETIM MUNICIPAL CÂMARA MUNICIPAL DA AMADORA. Edição Especial 15 de Novembro de 2003 Edição Especial 15 de Novembro de 2003 Regulamento Municipal de Utilização do Ecocentro de Carenque (Deliberação da CMA de 15 de Outubro de 2003) (Deliberação da AMA de 30 de Outubro de 2003) CÂMARA DA

Leia mais

SAIBA O QUE FAZER AOS SEUS RESÍDUOS

SAIBA O QUE FAZER AOS SEUS RESÍDUOS SAIBA O QUE FAZER AOS SEUS RESÍDUOS manual INFOMAIL A Câmara Municipal, no âmbito do projecto ECOALJUSTREL, apela aos munícipes que tenham em atenção algumas regras na deposição e acondicionamento dos

Leia mais

Ambiente Cabo Verde: Novo Regime Jurídico da Gestão de Resíduos

Ambiente Cabo Verde: Novo Regime Jurídico da Gestão de Resíduos 4 de dezembro de 2015 capeverde@vda.pt da Gestão de Manuel Gouveia Pereira mgp@vda.pt O Governo de Cabo Verde aprovou o Decreto-Lei n.º 56/2015, de 17 de outubro, que estabelece o novo. Objeto > Estabelece

Leia mais

Modelação e Impacto dos PAYT na Produção de Resíduos

Modelação e Impacto dos PAYT na Produção de Resíduos Modelação e Impacto dos PAYT na Produção de Resíduos Critérios de Análise INFA / ECOGESTUS Impacto nos Custos Caracterização e Quantificação dos Resíduos Aspectos Legais Sustentabilidade do Sistema / Riscos

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011 AMB3E

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011 AMB3E RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011 AMB3E www.amb3e.pt Entidade Atividade Licença Amb3E Associação Portuguesa de Gestão de Resíduos Gestão de um sistema integrado de Gestão de Resíduos de Equipamento Elétrico

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO ECOCENTRO DE S. JORGE DE VÁRZEA

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO ECOCENTRO DE S. JORGE DE VÁRZEA REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO ECOCENTRO DE S. JORGE DE VÁRZEA MARÇO DE 2007 PREÂMBULO A EMAFEL,E.M., Empresa Pública Municipal de Ambiente de Felgueiras, E.M, é uma empresa municipal recém criada pelo Município

Leia mais

Póvoa de Varzim. Nome Localização Contacto Horário. Ecocentrode Laúndos ParqueIndustrial de Laúndos Tel.: Seg. asábado. 07:00h 19:00h MENU

Póvoa de Varzim. Nome Localização Contacto Horário. Ecocentrode Laúndos ParqueIndustrial de Laúndos Tel.: Seg. asábado. 07:00h 19:00h MENU Póvoa de Varzim Nome Localização Contacto Horário Ecocentrode Laúndos ParqueIndustrial de Laúndos Tel.: 252090000 Seg. asábado. 07:00h 19:00h MENU RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS PLÁSTICO ELÉTRICOS E ELETRÓNICOS

Leia mais

Produção e caracterização de resíduos da construção civil

Produção e caracterização de resíduos da construção civil 1 Produção e caracterização de resíduos da construção civil 2 Geração de resíduos RCC Brasil 230 a 760 kg/hab.ano RCC Europa 600 a 918 kg/hab.ano Resíduos domiciliares Europa 390 kg/hab.ano 3 Geração de

Leia mais

Nos termos do artigo 6.º do Despacho n.º 7110/2015, de 29 de junho, até à entrada em vigor dos requisitos de qualificação a que se refere o n.º 2 do artigo 2.º do referido despacho, os operadores de gestão

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) 1 - Justificativa: Este Termo de Referência tem como finalidade orientar os Geradores para a elaboração

Leia mais

TECNOSISTEMAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS

TECNOSISTEMAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS TECNOSISTEMAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS O que é um resíduo (DL 178/2006)? Qualquer substância ou objecto que o detentor se desfaz ou tem a intenção ou a obrigação de se desfazer, nomeadamente os identificados

Leia mais

PLANO DE GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS

PLANO DE GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS 2015 PLANO DE GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS Município de Castelo de Vide Gabinete Técnico Florestal Setembro de 2015 INDICE 1. Introdução... 2 1.1. Enquadramento geográfico e populacional... 3 1.2.

Leia mais

Separação de Resíduos

Separação de Resíduos Separação de Resíduos Tipos de Resíduos Orgânicos Rejeitos Papéis Recicláveis Plásticos Metais Isopor Plástico Existem 7 tipos de resinas plásticas: - PET: polietileno tereftalato: Frascos de refrigerantes

Leia mais

PAPERSU DO MUNICÍPIO DE GONDOMAR

PAPERSU DO MUNICÍPIO DE GONDOMAR PAPERSU DO MUNICÍPIO DE GONDOMAR abril 2015 INDICE 1. INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO HISTÓRICO... 2 2. CARACTERIZAÇÃO E MODELO TÉCNICO ATUAL... 2 2.1. CARACTERÍSTICAS DO MUNICÍPIO...2 2.2. RECOLHA DE RESÍDUOS...3

Leia mais

PROJECTO REAGIR Reciclagem de Entulho no Âmbito da Gestão Integrada de Resíduos

PROJECTO REAGIR Reciclagem de Entulho no Âmbito da Gestão Integrada de Resíduos PROJECTO REAGIR Reciclagem de Entulho no Âmbito da Gestão Integrada de Resíduos Câmara Municipal de Montemor-o-Novo Divisão de Ambiente e Serviços Urbanos Eng. Ana Simão PROJECTO REAGIR Reciclagem de Entulho

Leia mais

GESTÃO DE RESÍDUOS DE EMBALAGENS EM PORTUGAL

GESTÃO DE RESÍDUOS DE EMBALAGENS EM PORTUGAL GESTÃO DE RESÍDUOS DE EMBALAGENS EM PORTUGAL GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS DE EMBALAGENS 2 A Sociedade Ponto Verde é uma entidade licenciada pelo Ministério da Economia e pelo Ministério do Ambiente e Ordenamento

Leia mais

Agostinho Paim Cota NIF: 128 659 823

Agostinho Paim Cota NIF: 128 659 823 LISTA DE OPERADORES DE GESTÃO DE RESÍDUOS LICENCIADOS EM SÃO JORGE ATUALIZADA A 31.07.2012 Agostinho Paim Cota NIF: 128 659 823 - Armazenagem dos seguintes resíduos: LER Alvará n.º 5/DRA/2012 (validade:

Leia mais

PAPERSU DO MUNICÍPIO DE MATOSINHOS

PAPERSU DO MUNICÍPIO DE MATOSINHOS PAPERSU DO MUNICÍPIO DE MATOSINHOS abril 2015 INDICE 1. INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO HISTÓRICO... 3 2. CARACTERIZAÇÃO E MODELO TÉCNICO ATUAL... 3 2.1. Características do município... 3 2.2. Recolha de resíduos...

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 SOCIEDADE PONTO VERDE. www.pontoverde.pt

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 SOCIEDADE PONTO VERDE. www.pontoverde.pt RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 SOCIEDADE PONTO VERDE www.pontoverde.pt Entidade Atividade Licença Sociedade Ponto Verde Gestão de um Sistema Integrado de Gestão de Resíduos de Embalagens (SIGRE) Licença

Leia mais

MÓDULO 2. Prof. Dr. Valdir Schalch

MÓDULO 2. Prof. Dr. Valdir Schalch RESÍDUOS SÓLIDOSS MÓDULO 2 Prof. Dr. Valdir Schalch RESÍDUOS SÓLIDOS S - DEFINIÇÃO... aqueles nos estados sólidos e semi-sólidos, que resultam de atividades da comunidade de origem: industrial, doméstica,

Leia mais

Resumo. Este estudo tem quatro grandes linhas de investigação: - optimização do processo de TMBV;

Resumo. Este estudo tem quatro grandes linhas de investigação: - optimização do processo de TMBV; Aplicação da ao Tratamento Mecânico e Biológico dos Resíduos Sólidos Urbanos com vista à Reciclagem de Embalagens de Plástico, de Vidro e de Metais Índice Resumo...2 1. Introdução...3 2. Objectivos...5

Leia mais

04/02/16 INDICE ESTRATÉGIAS DE RECOLHA SELETIVA RUMO AO CUMPRIMENTO DAS METAS. Histórico da RS no grupo EGF. Histórico da RS no grupo EGF - Ecopontos

04/02/16 INDICE ESTRATÉGIAS DE RECOLHA SELETIVA RUMO AO CUMPRIMENTO DAS METAS. Histórico da RS no grupo EGF. Histórico da RS no grupo EGF - Ecopontos 04/02/16 ESTRATÉGIAS DE RECOLHA SELETIVA RUMO AO CUMPRIMENTO DAS METAS Celes=na Barros EGF, SA INDICE Histórico da Recolha Sele=va no Grupo Metas de retomas Recolha Sele=va Valorização Orgânica Digestão

Leia mais

Autores-Equipa. Conteúdo 04/02/16. Breve caracterização da recolha selegva em Portugal. 1. Breve caracterização da recolha selegva em Portugal

Autores-Equipa. Conteúdo 04/02/16. Breve caracterização da recolha selegva em Portugal. 1. Breve caracterização da recolha selegva em Portugal 04/02/16 Autores-Equipa MODELO DE PREVISÃO DE ENCHIMENTO DE CONTENTORES DA RECOLHA SELECTIVA Prof. Alexandre Magrinho; PhD Instituto Politécnico de Setúbal alexandre.magrinho@estsetubal.ips.pt Magrinho,

Leia mais

resíduos e materiais de construção quantificação, composição e indicadores de geração de resíduos de construção e demolição (rcd)

resíduos e materiais de construção quantificação, composição e indicadores de geração de resíduos de construção e demolição (rcd) 26_ 30 resíduos e materiais de construção quantificação, composição e indicadores de geração de resíduos de construção e demolição (rcd) O presente trabalho apresenta o resultado de estudos dedicados à

Leia mais

Agrupamento de Escolas Terras de Larus Escola Básica 2,3 da Cruz de Pau Ciências Naturais 8º Ano Ficha de Avaliação

Agrupamento de Escolas Terras de Larus Escola Básica 2,3 da Cruz de Pau Ciências Naturais 8º Ano Ficha de Avaliação Agrupamento de Escolas Terras de Larus Escola Básica 2,3 da Cruz de Pau Ciências Naturais 8º Ano Ficha de Avaliação Nome: n.º Turma: Data: Classificação: Prof: Enc. Edu. 1. As figuras seguintes ilustram

Leia mais

LISTA DE OPERADORES LICENCIADOS PARA OPERAÇÕES DE GESTÃO DE

LISTA DE OPERADORES LICENCIADOS PARA OPERAÇÕES DE GESTÃO DE LISTA DE OPERADORES LICENCIADOS PARA OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS NA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Na presente lista estão apresentados os operadores licenciados e em fase de licenciamento na Região Autónoma

Leia mais

Conteúdo. Evolução da política de gestão de resíduos. Evolução da política de gestão de resíduos. Evolução da política de gestão de resíduos

Conteúdo. Evolução da política de gestão de resíduos. Evolução da política de gestão de resíduos. Evolução da política de gestão de resíduos Conteúdo NOVOS DESAFIOS PARA A GESTÃO DE RESÍDUOS Avaliação do Ciclo de Vida Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) Utilização da ACV na gestão de 10 aplicações 1. Abril. 2008 Hotel Tivoli Tejo, Lisboa Susana

Leia mais

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 19 /2013 (S )

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 19 /2013 (S ) 1 7 ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 19 /2013 (S02180-201302) Nos termos do Artigo 33º. do Decreto-Lei n.º 178/2006, com a redação conferida pelo Decreto-Lei n.º

Leia mais

PROJECTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS

PROJECTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS OBRA: REDE VIÁRIA FAQUÊLO ARCOS (S. PAIO) PROJECTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS CONSTRUÇÃO DE ARRUAMENTO DESDE A ROTUNDA DANMARIE - LÉS - LYS À AV. ENGº CASTRO CALDAS - A2 ARCOS DE VALDEVEZ ÍNDICE 1) Planta

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DA ILHA DE S.MIGUEL AMIGOS DO AMBIENTE

ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DA ILHA DE S.MIGUEL AMIGOS DO AMBIENTE ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DA ILHA DE S.MIGUEL AMIGOS DO AMBIENTE PELO QUE S. MIGUEL TEM DE MELHOR. Na altura em que se completam dez anos sobre o início da actividade da AMISM, é oportuno fazer um balanço

Leia mais

LIPOR A Sustentabilidade na Gestão dos Resíduos Urbanos

LIPOR A Sustentabilidade na Gestão dos Resíduos Urbanos SEMINÁRIO RESÍDUOS E SAÚDE LIPOR A Sustentabilidade na Gestão dos Resíduos Urbanos Susana Lopes Departamento Produção e Logística 29 de maio de 2013 1 Tópicos Sistema Integrado Gestão de Resíduos o caso

Leia mais

Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil.

Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil. Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de 2002. Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil. Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. O CONSELHO

Leia mais

Introdução. Outros TBM. Orgânicos Rejeitados. Reciclagem. Emprego. Produtos. Conclusão. Introdução. Porta-a-porta Outros TBM

Introdução. Outros TBM. Orgânicos Rejeitados. Reciclagem. Emprego. Produtos. Conclusão. Introdução. Porta-a-porta Outros TBM : solução de reciclagem e tratamento para RSU pedrocarteiro@quercus.pt 144 836 (população máxima) http://residuos.quercus.pt A SPV simplificou a informação para o consumidor. 1 2 Fonte: SPV Dados reciclagem

Leia mais

INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DA GUIA DE ACOMPANHAMENTO DE RESÍDUOS

INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DA GUIA DE ACOMPANHAMENTO DE RESÍDUOS CONSTITUÇÃO DA GUIA DE (GAR) A GAR Modelo n.º 1428 apresenta-se em triplicado: - Azul: Exemplar para o produtor ou detentor; - Verde: Exemplar para o Transportador; - Vermelho: Exemplar para o destinatário.

Leia mais

REGULAMENTO DO SERVIÇO DE GESTÃO DE RESÍDUOS E LIMPEZA URBANA NO MUNICÍPIO DE FERREIRA DO ZÊZERE

REGULAMENTO DO SERVIÇO DE GESTÃO DE RESÍDUOS E LIMPEZA URBANA NO MUNICÍPIO DE FERREIRA DO ZÊZERE REGULAMENTO DO SERVIÇO DE GESTÃO DE RESÍDUOS E LIMPEZA URBANA NO MUNICÍPIO DE FERREIRA DO ZÊZERE REGULAMENTO DO SERVIÇO DE GESTÃO DE RESÍDUOS E LIMPEZA URBANA NO MUNICÍPIO DE FERREIRA DO ZÊZERE Nota Justificativa

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS SIG NA OPTIMIZAÇÃO DA LOGÍSTICA DA RECOLHA SELECTIVA

UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS SIG NA OPTIMIZAÇÃO DA LOGÍSTICA DA RECOLHA SELECTIVA SEMINÁRIO OPTIMIZAÇÃO DA LOGÍSTICA DE RECOLHA SELECTIVA DE RESÍDUOS (RESÍDUOS DE EMBALAGEM E RESÍDUOS ORGÂNICOS) 25 DE MAIO DE 2006 AUDITÓRIO DA CENTRAL DE VALORIZAÇÃO ORGÂNICA DA LIPOR BAGUIM DO MONTE

Leia mais

BOLETIM ESTATÍSTICO DE PAPEL E CARTÃO

BOLETIM ESTATÍSTICO DE PAPEL E CARTÃO BOLETIM ESTATÍSTICO DE PAPEL E CARTÃO 0. ÍNDICE 2 1. INTRODUÇÃO.............................................................. 3 2. CONSUMO DE PAPEL PARA RECICLAR.......................................

Leia mais

Metodologia utilizada para determinação das metas intercalares

Metodologia utilizada para determinação das metas intercalares Metodologia utilizada para determinação das metas intercalares 1. Introdução O Plano Estratégico para os Resíduos Urbanos, PERSU 2020, define três metas vinculativas e específicas por Sistema de Gestão

Leia mais

Declaração de Instalação, Modificação e de Encerramento dos Estabelecimentos de Restauração ou de Bebidas

Declaração de Instalação, Modificação e de Encerramento dos Estabelecimentos de Restauração ou de Bebidas Declaração de Instalação, Modificação e de Encerramento dos Estabelecimentos de Restauração ou de Bebidas abrangidos pelo regime instituído pelo Decreto-Lei nº 234/2007, de 19 de Junho Uso exclusivo da

Leia mais

Fileira Ler Designação Operações

Fileira Ler Designação Operações Fileira Ler Designação Operações 03 03 08 Resíduos da triagem de papel e cartão destinados a reciclagem R12/R13 09 01 07 Película e papel fotográfico, contendo prata ou compostos de prata R12/R13 Cartão

Leia mais

Acção de Sensibilização sobre Higiene e Segurança Alimentar. 15 de Março de 2007

Acção de Sensibilização sobre Higiene e Segurança Alimentar. 15 de Março de 2007 Acção de Sensibilização sobre Higiene e Segurança Alimentar 15 de Março de 2007 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 29 de Abril de 2004 Higiene dos géneros alimentícios (aplicável a partir de 1 de

Leia mais

S.R. DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EQUIPAMENTOS, S.R. DA SAÚDE, S.R. DO AMBIENTE E DO MAR Portaria n.º 74/2009 de 14 de Setembro de 2009

S.R. DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EQUIPAMENTOS, S.R. DA SAÚDE, S.R. DO AMBIENTE E DO MAR Portaria n.º 74/2009 de 14 de Setembro de 2009 S.R. DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EQUIPAMENTOS, S.R. DA SAÚDE, S.R. DO AMBIENTE E DO MAR Portaria n.º 74/2009 de 14 de Setembro de 2009 O Plano Estratégico de Gestão de Resíduos da Região Autónoma dos Açores,

Leia mais

mandamentos mandamentos do produtor de lixo

mandamentos mandamentos do produtor de lixo 10 mandamentos mandamentos do produtor de lixo 1 Reduzo o lixo que produzo Quando vou às compras, levo sacos reutilizáveis. Prefiro produtos concentrados, com pouca embalagem. Entrego os bens que já não

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE AÇÃO DE GESTÃO DE RESÍDUOS URBANOS DO CONCELHO DO NORDESTE

PLANO MUNICIPAL DE AÇÃO DE GESTÃO DE RESÍDUOS URBANOS DO CONCELHO DO NORDESTE PLANO MUNICIPAL DE AÇÃO DE GESTÃO DE RESÍDUOS URBANOS DO CONCELHO DO NORDESTE PAULO MACIEMARAL 2014 CONTEÚDO CAPÍTULO 1 ENQUADRAMENTO LEGISLATIVO... 12 CAPÍTULO 2 DIAGNÓSTICO DA SITUAÇÃO ACTUAL... 13 2.1.

Leia mais

PAPERSU DO MUNICÍPIO DE PAREDES

PAPERSU DO MUNICÍPIO DE PAREDES PAPERSU DO MUNICÍPIO DE PAREDES ABRIL 2015 INDICE 1. INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO HISTÓRICO... 2 2. CARACTERIZAÇÃO E MODELO TÉCNICO ATUAL... 2 2.1. CARACTERÍSTICAS DO MUNICÍPIO... 2 2.2. PRODUÇÃO DE RESÍDUOS...

Leia mais

1. Entidade Sociedade Ponto Verde (SPV) 2. Indicadores de atividade (em geral)

1. Entidade Sociedade Ponto Verde (SPV) 2. Indicadores de atividade (em geral) RELATÓRIO DE ATIVIDADES 214 GESTÃO DE RESÍDUOS DE EMBALAGENS SPV SOCIEDADE PONTO VERDE 1. Entidade Sociedade Ponto Verde (SPV) 2. Indicadores de atividade (em geral) 1) Mercado Potencial atualizado em

Leia mais

Foi desencadeado o processo de consulta aos membros da Comissão de Acompanhamento da Gestão de Embalagens e Resíduos de Embalagem.

Foi desencadeado o processo de consulta aos membros da Comissão de Acompanhamento da Gestão de Embalagens e Resíduos de Embalagem. Decreto-Lei n.º 92/2006 de 25 de Maio O Decreto-Lei n.º 366-A/97, de 20 de Dezembro, alterado pelo Decreto-Lei n.º 162/2000, de 27 de Julho, transpôs para a ordem jurídica nacional a Directiva n.º 94/62/CE,

Leia mais

PLANO DE AÇÃO PERSU MUNICÍPIO DA AMADORA. Câmara Municipal da Amadoraa

PLANO DE AÇÃO PERSU MUNICÍPIO DA AMADORA. Câmara Municipal da Amadoraa PLANO DE AÇÃO PERSU 20200 MUNICÍPIO DA AMADORA Câmara Municipal da Amadoraa 2015 1 1. INTRODUÇÃO O presente documento constitui a estratégia do município da Amadora para a gestão dos resíduos urbanos tendo

Leia mais