Mapa de Registo de Resíduos de Entidades Gestoras de Resíduos Urbanos na RAA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mapa de Registo de Resíduos de Entidades Gestoras de Resíduos Urbanos na RAA"

Transcrição

1 Governo dos Açores Secretaria Regional dos Recursos Naturais Mapa de Registo de Resíduos de Entidades Gestoras de Resíduos Urbanos na RAA Identificação da Entidade Gestora de Resíduos Urbanos Ano: 2013 Data Entrega: :04:54 NIF Designação CAE Endereço Associação de Municípios da Ilha do Pico Tratamento e eliminação de outros resíduos não perigosos Largo Edmundo Machado Ávila, 5 1º andar Lajes do Pico Telefone Fax Responsável pelo projeto Contato preferencial N.º de trabalhadores afetos à gestão de resíduos N.º de registo da guia de transporte Alvará de Operação de Gestão de Resíduos Alexandra Chu /DRA/2009, 2/DRA/2007 N.º registo guia transporte rodoviário resíduos não urbanos: A têm mais do que 1 nº de registo e são todos utilizados para o transporte de resíduos urbanos para reciclagem, nomeadamente: Armazém de papel/cartão 103 (transporte de cartão); Armazém do Município de São Roque do Pico 104 (transporte de vidro); Armazém do Município da Madalena 105 (transporte de vidro); Instalações da antiga lixeira da Silveira 106 (transporte de vidro); Sede da 2900 (transporte de pilhas, acumuladores, tinteiros e toners). O responsável pelo projeto é o Eng.º Roberto Silva, contudo não foi possível, por motivos técnicos do portal, alterar o registo.

2 Gestão de Resíduos Código LER Descrição Qt. Origem Infraestrutura Op. Destino Op. Fonte EMBALAGENS DE VIDRO 23,08000 Município das Lajes do Pico NIF: Oficinas Municipais das Lajes do Pico NIF: /DRA/2007 SaintGobain Mondego (Vidrociclo) NIF: COMPONENTES RETIRADOS DE EQUIPAMENTO FORA DE USO, NÃO ABRANGIDOS EM ,16450 Município das Lajes do Pico NIF: Oficinas Municipais NIF: /DRA/2007 Biorecuperação Sistemas Ecológicos, Lda NIF: EMBALAGENS DE VIDRO 18,68000 Município da Madalena NIF: Oficinas Municipais da Madalena NIF: /DRA/2007 SaintGobain Mondego (Vidrociclo) NIF: EMBALAGENS DE VIDRO 21,26000 Município da Madalena NIF: Oficinas Municipais da Madalena NIF: /DRA/2007 SaintGobain Mondego (Vidrociclo) NIF: EMBALAGENS DE VIDRO 18,68000 Município de São Roque do Pico Oficinas Municipais de São Roque 2/DRA/2007 SaintGobain Mondego (Vidrociclo) NIF: EMBALAGENS DE VIDRO 19,54000 Município de São Roque do Pico Oficinas Municipais de São Roque 2/DRA/2007 SaintGobain Mondego (Vidrociclo) NIF: ,16000 Associação de Municípios da Ilha do Pico Armazem de papel/cartão 2/DRA/2007 Amarelisa NIF: ,28000 Associação de Municípios da Ilha do Pico Armazem de papel/cartão 2/DRA/2007 Amarelisa NIF: ,42000 Associação de Municípios da Ilha do Pico Armazem de papel/cartão 2/DRA/2007 Seraical NIF:

3 ,24000 Associação de Municípios da Ilha do Pico Armazem de papel/cartão 2/DRA/2007 Amarelisa NIF: ,66000 Associação de Municípios da Ilha do Pico Armazem de papel/cartão 2/DRA/2007 Amarelisa NIF: ,56000 Associação de Municípios da Ilha do Pico Armazem de papel/cartão 2/DRA/2007 J. Nunes & Filhos, Lda. NIF: ,04000 Direção Regional dos Assuntos do Mar NIF: ,52000 Manuel José da Rosa NIF: ,04000 Paulo Fernando Bettencourt NIF: ,40000 Manuel Eduardo G. Goulart NIF: ,28000 Manuel Fernando S. da Rosa NIF: PAPEL E 0,02000 Comissão Vitivinícola Regional NIF:

4 PAPEL E 2,62000 Banco Totta & Açores NIF: PLÁSTICOS 0,18000 Jerónimo Alemão NIF: MATERIAIS IMPRÓPRIOS PARA CONSUMO OU PROCESSAMENTO 203,96000 Cofaco Açores Pico NIF: MATERIAIS IMPRÓPRIOS PARA CONSUMO OU PROCESSAMENTO 0,58000 A.A.P.A.P. NIF: MATERIAIS DE ISOLAMENTO, NÃO ABRANGIDOS EM E ,92000 Tecnovia Açores, S. A. (Ilha do Pico) NIF: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO À BASE DE GESSO, NÃO ABRANGIDOS EM ,80000 Tecnovia Açores, S. A. (Ilha do Pico) NIF: MISTURA DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO, NÃO ABRANGIDOS EM , E ,46000 Tecnovia Açores, S. A. (Ilha do Pico) NIF: MISTURAS DE BETÃO, TIJOLOS, LADRILHOS, TELHAS E MATERIAIS CERÂMICOS, NÃO ABRANGIDAS EM ,88000 Tecnovia Açores, S. A. (Ilha do Pico) NIF: EMBALAGENS DE PLÁSTICO 230,04000 Tecnovia Açores, S. A. (Ilha do Pico) NIF:

5 RESÍDUOS DE TECIDOS ANIMAIS 67,08000 SUINIPICO SUINICULTURA DO PICO SA NIF: MATERIAIS IMPRÓPRIOS PARA CONSUMO OU PROCESSAMENTO 66,57000 SUINIPICO SUINICULTURA DO PICO SA NIF: ,66000 Lisa Alexandra Bettencourt NIF: ,78000 Ruben Manuel da Silveira NIF: ,12000 Eugénia Sousa NIF: MISTURA DE RESÍDUOS URBANOS E EQUIPARADOS 1187,66000 Município de São Roque do Pico ,14000 SomagueEdiçor, Engenharia, S.A. NIF: São Miguel Ponta Delgada EMBALAGENS DE PLÁSTICO 0,36000 SomagueEdiçor, Engenharia, S.A. NIF: São Miguel Ponta Delgada PLÁSTICO 51,73000 SomagueEdiçor, Engenharia, S.A. NIF: São Miguel Ponta Delgada

6 RESÍDUOS DE TECIDOS ANIMAIS 708,42000 Matadouro do Pico NIF: RESÍDUOS DE TECIDOS ANIMAIS 386,60000 Matadouro do Pico NIF: MATERIAIS IMPRÓPRIOS PARA CONSUMO OU PROCESSAMENTO 5,06000 LactoPico Cooperativa de Lacticínios da Ilha do Pico, CRL NIF: MATERIAIS IMPRÓPRIOS PARA CONSUMO OU PROCESSAMENTO 1,20000 Lactaçores União das Cooperativas de LActicínios dos Açores, UCRL NIF: RESÍDUOS DO DESARENAMENTO 5,72000 Matadouro do Pico NIF: LAMAS DO TRATAMENTO BIOLÓGICO DE ÁGUAS RESIDUAIS INDUSTRIAIS, NÃO ABRANGIDAS EM ,42000 Matadouro do Pico NIF: PAPEL E 0,48000 Unidade de Saúde da Ilha do Pico NIF: ,34000 Luís Ávila NIF: ,38000 António Herberto Pereira da Silva NIF:

7 5,46000 Tiago Orlando Medina Cardoso NIF: MISTURA DE RESÍDUOS URBANOS E EQUIPARADOS 0,04000 Junta de Freguesia de São João NIF: MISTURA DE RESÍDUOS URBANOS E EQUIPARADOS 1614,48000 Município das Lajes do Pico NIF: MISTURA DE RESÍDUOS URBANOS E EQUIPARADOS 2200,02000 Município da Madalena NIF: RESÍDUOS URBANOS E EQUIPARADOS NÃO ESPECIFICADOS 3,42000 Estela Neves & Silva, Lda. NIF: ,60450

8 Caracterização de Resíduos Urbanos da Recolha Indiferenciada Finos (<20mm) Bioresíduos Papel/Cartão Plástico Vidro Compósitos Têxteis Têxteis Sanitários Metais Madeira Resíduos Perigosos Outros Total 3,86 % 29,77 % 16,44 % 12,97 % 9,84 % 4,73 % 6,65 % 10,57 % 2,75 % 0,29 % 0,25 % 1,88 % 100,00 % Resíduos existentes nos resíduos indiferenciados % de resíduos de embalagens 30,73 % % de resíduos de REEE 0,60 % % de resíduos recicláveis 31,46 % Fonte de Dados Campanha de Caracterização Ano da Campanha 2013

9 Caracterização dos Resíduos de Embalagens existentes na recolha indiferenciada dos Resíduos Urbanos Papel/Cartão Vidro Plástico Ferrosos Não Ferrosos Alumínio Não Ferrosos Outros Madeira Têxteis Embalagens Outros Total 5,77 % 9,30 % 11,67 % 1,44 % 0,42 % 0,00 % 0,00 % 0,02 % 2,11 % 69,27 % 100,00 % Fonte de Dados Campanha de Caracterização Ano da Campanha 2013 Os valores indicados são a % dos resíduos de embalagens existentes nos resíduos indiferenciados, sendo o "Outros" a % das outras componentes dos resíduos indiferenciados que não são resíduos de embalagens. A caracterização foi realizada de acordo com as categorias e subcategorias indicadas na Portaria nº 28/2012 de 1 de março, a qual não destinge nos metais não ferrosos o alumínio dos outros. Assim sendo, considerouse que o os metais não ferrosos são todos alumínio.

10 Recolha municipal de resíduos Recolha de resíduos indiferenciados N.º de circuitos 0 N.º de dias de recolha por semana 0 Recolha seletiva de resíduos de embalagens N.º de circuitos por fileira 3 N.º de dias de recolha por fileira 3 Sistema Habitantes abrangidos Qt. de contentores Indicação das fileiras recolhidas Recolha seletiva de embalagens de papel/cartão Portaaporta 0 Contentor na via pública 0 Contentor subterrâneo na via pública Outro 0 0 A recolha dos resíduos é da responsabilidades dos municípios. A apenas intervém na recolha seletiva de embalagens de papel/cartão, através de concurso, concessionando assim a recolha a um privado. Sistema Portaaporta por baldes, cestos os outros recipientes Portaaporta por sacos de plástico próprios para o efeito Habitantes abrangidos Qt. de baldes, cestos Ecoponto 0 0 Outro 0 0 Recolha porta a porta nos grandes produtores de papel/ cartão (232 estabelecimentos), realizada por uma empresa privada Óleos alimentares usados N.º de circuitos 0 N.º de dias de recolha 0 Recolha seletiva de resíduos de pilhas e acumuladores de telemóveis Sistema Habitantes abrangidos Qt. de oleões N.º de circuitos 0 N.º de dias de recolha 0 Portaaporta Oleão na via publica Oleão em estabelecimentos de comércio a retalho ou por grosso Sistema Pilhão na via pública Outro Habitantes abrangidos Qt. de recipientes A recolha de pilhas é realizada pelos municípios Oleão noutro local Outro A recolha de óleos é realizada pelo operador licenciado na ilha para o efeito Monstros Bioresíduos N.º de circuitos 0 N.º de dias de recolha 0 N.º de circuitos 0 N.º de dias de recolha 0

11 Sistema Habitantes abrangidos Qt. de oleões Sistema Habitantes abrangidos Qt. de oleões Portaaporta Portaaporta Ecoponto Ecocentro Outro Na via pública em datas prédeterminadas Ecocentro Outro A recolha de monstros é realizada pelos municípios

12 Resíduos de construção e demolição O município está a exigir o plano de prevenção e gestão de resíduos de construção e demolição sempre que aplicável? O município implementou o procedimento de cobrança de uma caução ou de uma taxa com o objetivo de garantir a execução do plano de prevenção e gestão de resíduos de construção e demolição? Não Não

RARU 13 ANEXO II Metodologia e Pressupostos

RARU 13 ANEXO II Metodologia e Pressupostos O Decreto-Lei nº 178/2006, de 5 de setembro, com a nova redação do Decreto-Lei n.º 73/2011, de 17 de junho, veio criar um Sistema Integrado de Registo Eletrónico de Resíduos (SIRER), suportado pelo Sistema

Leia mais

Boas Práticas Ambientais na Gestão de Resíduos Município de Cantanhede. Maria João Aires Dias de Mariz

Boas Práticas Ambientais na Gestão de Resíduos Município de Cantanhede. Maria João Aires Dias de Mariz Boas Práticas Ambientais na Gestão de Resíduos Município de Cantanhede Maria João Aires Dias de Mariz 19 de setembro de 2014 A Inova Empresa de Desenvolvimento Económico e Social de Cantanhede, E.M.-S.A.,

Leia mais

1 9 ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 120/2012 (S13671-201211) Nos termos do Artigo 33º. do Decreto-Lei n.º 178/2006, com a redação conferida pelo Decreto- Lei n.º

Leia mais

Alvará de Licença para a Realização de Operação de Gestão de Resíduos N.º 00029/2012 emitido pela CCDR-LVT.

Alvará de Licença para a Realização de Operação de Gestão de Resíduos N.º 00029/2012 emitido pela CCDR-LVT. Alvará de Licença para a Realização de Operação de Gestão de Resíduos N.º 00029/2012 emitido pela CCDR-LVT. Código LER Designação 01 - Resíduos da prospeção e exploração de minas e pedreiras, bem como

Leia mais

Relatório Trimestral da Reciclagem no Vale do Sousa

Relatório Trimestral da Reciclagem no Vale do Sousa Relatório Trimestral da Reciclagem no Vale do Sousa 1º Trimestre de 2015 ÍNDICE 1. MATERIAL RECEBIDO... 3 1.1. PLÁSTICOS... 3 1.2. PAPEL... 4 1.3. VIDRO... 5 1.4. SUCATA... 6 1.5. RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS

Leia mais

Dário Antunes Correia

Dário Antunes Correia 1 5 ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 82/2012 (S09084-201207) Nos termos do Artigo 33º do Decreto-Lei n.º 178/2006, de 5 de Setembro, com a redação conferida pelo

Leia mais

RECOLHA SELECTIVA ECOPONTOS

RECOLHA SELECTIVA ECOPONTOS RECOLHA SELECTIVA ECOPONTOS O QUE É UM ECOPONTO? Ecoponto é uma bateria de contentores individuais destinados a receber separadamente os diversos materiais para reciclagem. Os ecopontos de Oliveira de

Leia mais

Aplicação de um modelo PAYT no município da Maia: clientes empresariais. Luís s Fernandes

Aplicação de um modelo PAYT no município da Maia: clientes empresariais. Luís s Fernandes Aplicação de um modelo PAYT no município da Maia: clientes empresariais Luís s Fernandes - A Maiambiente EEM; - Princípios do PAYT - Poluidor-pagador; - Recolha em empresas; -A recolha na Maia; -Considerações

Leia mais

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº00017/2013 (S )

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº00017/2013 (S ) 1 5 ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº00017/2013 (S01678-201302) Nos termos do Artigo 35º do Decreto-Lei n.º 178/2006, com a redação conferida pelo Decreto- Lei n.º

Leia mais

ECO GESTÃO GESTÃO DE RESÍDUOS EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO. Formando

ECO GESTÃO GESTÃO DE RESÍDUOS EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO. Formando ECO GESTÃO GESTÃO DE RESÍDUOS EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO Formando 1 MANUAL DE FORMANDO exercício 1 > A empresa X dedica-se à produção de panelas e tachos. No Quadro 1 é apresentado uma descrição do processo

Leia mais

Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos dos Açores. Sistema de apoio financeiro ao transporte marítimo de resíduos

Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos dos Açores. Sistema de apoio financeiro ao transporte marítimo de resíduos Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos dos Açores Sistema de apoio financeiro ao transporte marítimo de resíduos 2012 1. Qual a finalidade deste sistema de apoio? Este sistema de apoio tem

Leia mais

1 5 ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 93/2012 (S10463-201209) Nos termos do artigo 33º.do Decreto-Lei nº. 178/2006, de 5 de Setembro, com as alterações introduzidas

Leia mais

Planeamento e Gestão de Resíduos de Construção e Demolição (RCD)

Planeamento e Gestão de Resíduos de Construção e Demolição (RCD) Planeamento e Gestão de Resíduos de Construção e Demolição (RCD) Rita Teixeira d Azevedo O planeamento e a gestão de resíduos de construção e demolição pretende identificar e implementar os elementos necessários

Leia mais

Geramos valor para a Natureza. MUSAMI Operações Municipais do Ambiente, EIM, SA

Geramos valor para a Natureza. MUSAMI Operações Municipais do Ambiente, EIM, SA Geramos valor para a Natureza MUSAMI Operações Municipais do Ambiente, EIM, SA A MUSAMI Gerar Valor para a Natureza é a nossa missão. Como? Promovendo a valorização crescente dos resíduos, desenvolvendo

Leia mais

S.R. DA AGRICULTURA E AMBIENTE Portaria n.º 81/2014 de 22 de Dezembro de 2014

S.R. DA AGRICULTURA E AMBIENTE Portaria n.º 81/2014 de 22 de Dezembro de 2014 S.R. DA AGRICULTURA E AMBIENTE Portaria n.º 81/2014 de 22 de Dezembro de 2014 O Decreto Legislativo Regional 29/2011/A, de 16 de Novembro, que aprova o regime geral de prevenção e gestão de resíduos, tem

Leia mais

S.R. DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EQUIPAMENTOS, S.R. DA SAÚDE, S.R. DO AMBIENTE E DO MAR Portaria n.º 74/2009 de 14 de Setembro de 2009

S.R. DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EQUIPAMENTOS, S.R. DA SAÚDE, S.R. DO AMBIENTE E DO MAR Portaria n.º 74/2009 de 14 de Setembro de 2009 S.R. DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EQUIPAMENTOS, S.R. DA SAÚDE, S.R. DO AMBIENTE E DO MAR Portaria n.º 74/2009 de 14 de Setembro de 2009 O Plano Estratégico de Gestão de Resíduos da Região Autónoma dos Açores,

Leia mais

PLANO DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO

PLANO DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO PLANO DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO ÍNDICE 1.- INTRODUÇÃO... 3 2.- ESPECIFICAÇÕES SOBRE AS OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO... 3 3.- PLANO DE PREVENÇÃO

Leia mais

BOLETIM ESTATÍSTICO DE PAPEL E CARTÃO

BOLETIM ESTATÍSTICO DE PAPEL E CARTÃO BOLETIM ESTATÍSTICO DE PAPEL E CARTÃO 0. ÍNDICE 2 1. INTRODUÇÃO.............................................................. 3 2. CONSUMO DE PAPEL PARA RECICLAR.......................................

Leia mais

Instruções para a redução, o tratamento e a separação de resíduos de materiais resultantes de convenções e exposições

Instruções para a redução, o tratamento e a separação de resíduos de materiais resultantes de convenções e exposições Instruções para a redução, o tratamento e a separação de resíduos de materiais resultantes de convenções e exposições Introdução: Para se articular com a política de tratamento de resíduos sólidos Reciclagem

Leia mais

LISTA DE OPERADORES LICENCIADOS PARA OPERAÇÕES DE GESTÃO DE

LISTA DE OPERADORES LICENCIADOS PARA OPERAÇÕES DE GESTÃO DE LISTA DE OPERADORES LICENCIADOS PARA OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS NA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Na presente lista estão apresentados os operadores licenciados e em fase de licenciamento na Região Autónoma

Leia mais

Agrupamento de Escolas Terras de Larus Escola Básica 2,3 da Cruz de Pau Ciências Naturais 8º Ano Ficha de Avaliação

Agrupamento de Escolas Terras de Larus Escola Básica 2,3 da Cruz de Pau Ciências Naturais 8º Ano Ficha de Avaliação Agrupamento de Escolas Terras de Larus Escola Básica 2,3 da Cruz de Pau Ciências Naturais 8º Ano Ficha de Avaliação Nome: n.º Turma: Data: Classificação: Prof: Enc. Edu. 1. As figuras seguintes ilustram

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 SOCIEDADE PONTO VERDE. www.pontoverde.pt

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 SOCIEDADE PONTO VERDE. www.pontoverde.pt RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 SOCIEDADE PONTO VERDE www.pontoverde.pt Entidade Atividade Licença Sociedade Ponto Verde Gestão de um Sistema Integrado de Gestão de Resíduos de Embalagens (SIGRE) Licença

Leia mais

Agostinho Paim Cota NIF: 128 659 823

Agostinho Paim Cota NIF: 128 659 823 LISTA DE OPERADORES DE GESTÃO DE RESÍDUOS LICENCIADOS EM SÃO JORGE ATUALIZADA A 31.07.2012 Agostinho Paim Cota NIF: 128 659 823 - Armazenagem dos seguintes resíduos: LER Alvará n.º 5/DRA/2012 (validade:

Leia mais

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 19 /2013 (S )

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 19 /2013 (S ) 1 7 ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 19 /2013 (S02180-201302) Nos termos do Artigo 33º. do Decreto-Lei n.º 178/2006, com a redação conferida pelo Decreto-Lei n.º

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DA ILHA DE S.MIGUEL AMIGOS DO AMBIENTE

ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DA ILHA DE S.MIGUEL AMIGOS DO AMBIENTE ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DA ILHA DE S.MIGUEL AMIGOS DO AMBIENTE PELO QUE S. MIGUEL TEM DE MELHOR. Na altura em que se completam dez anos sobre o início da actividade da AMISM, é oportuno fazer um balanço

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011 AMB3E

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011 AMB3E RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011 AMB3E www.amb3e.pt Entidade Atividade Licença Amb3E Associação Portuguesa de Gestão de Resíduos Gestão de um sistema integrado de Gestão de Resíduos de Equipamento Elétrico

Leia mais

GUIA PARA O PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS ENTIDADE GESTORA SOCIEDADE PONTO VERDE

GUIA PARA O PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS ENTIDADE GESTORA SOCIEDADE PONTO VERDE GUIA PARA O PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS ENTIDADE GESTORA SOCIEDADE PONTO VERDE Versão: 1.0 Data: 05-06-2009 Índice Acesso e estados dos Formulários... 3 Escolha do Formulário e submissão... 4 Bases para

Leia mais

INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DA GUIA DE ACOMPANHAMENTO DE RESÍDUOS

INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DA GUIA DE ACOMPANHAMENTO DE RESÍDUOS CONSTITUÇÃO DA GUIA DE (GAR) A GAR Modelo n.º 1428 apresenta-se em triplicado: - Azul: Exemplar para o produtor ou detentor; - Verde: Exemplar para o Transportador; - Vermelho: Exemplar para o destinatário.

Leia mais

1. Entidade Sociedade Ponto Verde (SPV) 2. Indicadores de atividade (em geral)

1. Entidade Sociedade Ponto Verde (SPV) 2. Indicadores de atividade (em geral) RELATÓRIO DE ATIVIDADES 214 GESTÃO DE RESÍDUOS DE EMBALAGENS SPV SOCIEDADE PONTO VERDE 1. Entidade Sociedade Ponto Verde (SPV) 2. Indicadores de atividade (em geral) 1) Mercado Potencial atualizado em

Leia mais

INSTITUTO DOS RESÍDUOS

INSTITUTO DOS RESÍDUOS INSTITUTO DOS RESÍDUOS Seminário LIPOR Resíduos de Equipamentos Eléctricos e Electrónicos A Política Nacional Relativa aos REEE Índice 1. Enquadramento Legal 2. Objectivos 3. Casos práticos do envolvimento

Leia mais

PLANO DE AÇÃO PERSU MUNICÍPIO DA AMADORA. Câmara Municipal da Amadoraa

PLANO DE AÇÃO PERSU MUNICÍPIO DA AMADORA. Câmara Municipal da Amadoraa PLANO DE AÇÃO PERSU 20200 MUNICÍPIO DA AMADORA Câmara Municipal da Amadoraa 2015 1 1. INTRODUÇÃO O presente documento constitui a estratégia do município da Amadora para a gestão dos resíduos urbanos tendo

Leia mais

Gestão de monstros e veículos

Gestão de monstros e veículos Gestão de monstros e veículos em fim de vida (VFV) Outubro 2010 Mundo da reciclagem Monos ou Monstros domésticos; Importância de reciclar: As grandes dimensões destes equipamentos, obrigam a uma reciclagem

Leia mais

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 00081/2012 (S08958-201207)

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 00081/2012 (S08958-201207) 1 5 ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 00081/2012 (S08958-201207) Nos termos do Artigo 32º do Decreto-Lei n.º 178/2006, de 5 de Setembro, com a redação conferida

Leia mais

Gestão de Resíduos, Produtos para a Construção, Demolição & Reciclagem

Gestão de Resíduos, Produtos para a Construção, Demolição & Reciclagem 1. GESTÃO DE RESÍDUOS (Alvarás n.º 43/2010/CCDRC e n.º 52/2010/CCDRC) 1.1 Resíduos admissíveis nas Unidades de Gestão de Resíduos Resíduos não perigosos (estado sólido ou pastoso) Betão, Argamassas, Telhas,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS CENTRO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS CENTRO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS CENTRO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Comunicado CVS 162, de 29/07/ 2009 A Diretora Técnica do Centro de Vigilância

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE (PGRSS) ODONTOLOGIA O gerenciamento dos RSS constitui-se em um conjunto de procedimentos de gestão, planejados e implementados a partir de bases

Leia mais

Campanha de Limpeza e Conservação do Ambiente da Nossa Terra. A Câmara Municipal das Lajes do Pico convida todos os munícipes a aderir à

Campanha de Limpeza e Conservação do Ambiente da Nossa Terra. A Câmara Municipal das Lajes do Pico convida todos os munícipes a aderir à Campanha de Limpeza e Conservação do Ambiente da Nossa Terra A Câmara Municipal das Lajes do Pico convida todos os munícipes a aderir à Campanha de Limpeza e Conservação do Ambiente da Nossa Terra, e a

Leia mais

PROCESSO DE CANDIDATURA PARA INSTALAÇÃO NO ECO-PARQUE EMPRESARIAL DE ESTARREJA

PROCESSO DE CANDIDATURA PARA INSTALAÇÃO NO ECO-PARQUE EMPRESARIAL DE ESTARREJA PROCESSO DE CANDIDATURA PARA INSTALAÇÃO NO ECO-PARQUE EMPRESARIAL DE ESTARREJA de: (entidade candidata) (data) Prº / ÍNDICE A - TERMO DE CANDIDATURA B - FORMULÁRIOS DE CANDIDATURA 1. IDENTIFICAÇÃO 2. CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

Boletim Estatístico Nº 2 Outubro de 2009

Boletim Estatístico Nº 2 Outubro de 2009 Boletim Estatístico Nº 2 Outubro de 2009 1. Evolução da Reciclagem em 2008 - Actualização Conforme anunciado, republica-se a informação estatística relativa a 2008, depois de efectuadas diversas correcções

Leia mais

ANEXO D - Relatório Anual da Actividade do Serviço de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho

ANEXO D - Relatório Anual da Actividade do Serviço de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho CERTIFICADO Data e hora de entrega: 2013-04-16 16:14 Chave de certificação: 30019WVD972195I MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO Autoridade para as Condições de Trabalho MINISTÉRIO DA SAÚDE Direcção Geral

Leia mais

Semana Europeia da Prevenção dos Resíduos

Semana Europeia da Prevenção dos Resíduos Semana Europeia da Prevenção dos Resíduos 21 a 25 de novembro 2016 Este ano, a Semana Europeia da Prevenção dos Resíduos tem como tema a Redução de Resíduos de Embalagens. Como já vem sendo habitual, o

Leia mais

EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE

EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE QUEM SOMOS? SUSTENTABILIDADE CICLO DE VIDA DAS EMBALAGENS VANTAGENS DA RECICLAGEM REGRAS DE SEPARAÇÃO/BOAS PRÁTICAS QUEM SOMOS? Quem Somos? O que fazemos? A Sociedade Ponto

Leia mais

Pagamentos no âmbito do PROMAR - Fundo Europeu das Pescas

Pagamentos no âmbito do PROMAR - Fundo Europeu das Pescas Pagamentos no âmbito do PROMAR - Fundo Europeu das Pescas (efectuados desde 1 de janeiro de 2007 a 31 de janeiro de 2016) Nº Operação Nome do Beneficiário NUT III Concelho Unidade: Euros Despesa Pública

Leia mais

Brochura Institucional

Brochura Institucional Brochura Institucional INTERFILEIRAS A INTERFILEIRAS representa as organizações - Fileiras de material - criadas ao abrigo de legislação específica com a missão de assegurar a retoma e reciclagem de resíduos

Leia mais

Índice DOCUMENTO TÉCNICO CONSUMÍVEIS INFORMÁTICOS: GESTÃO DE TINTEIROS E CARTUCHOS DE TONER USADOS. APA, outubro 2015

Índice DOCUMENTO TÉCNICO CONSUMÍVEIS INFORMÁTICOS: GESTÃO DE TINTEIROS E CARTUCHOS DE TONER USADOS. APA, outubro 2015 DOCUMENTO TÉCNICO CONSUMÍVEIS INFORMÁTICOS: GESTÃO DE TINTEIROS E CARTUCHOS DE TONER USADOS Índice 1. Objetivos... 2 2. Considerações prévias... 2 3. Enquadramento legislativo... 2 4. Atividades desenvolvidas

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO AMBIENTAL

GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO AMBIENTAL 1 POLÍTICA AMBIENTAL A Direcção da Organização, ao seu mais alto nível, deve traçar o seu caminho ambiental, explicitando-o num documento escrito, através do qual demonstrará

Leia mais

. 03 01 05 Serradura, aparas, fitas de aplainamento, madeira, aglomerados e folheados não

. 03 01 05 Serradura, aparas, fitas de aplainamento, madeira, aglomerados e folheados não Lista de códigos - Lista Europeia de A Semural recepciona os seguintes tipos de resíduos, de acordo com os Códigos - Lista Europeia de Resíduos. Para resíduos perigosos ou outros contacte-nos pois temos

Leia mais

Pagamento da taxa através da guia n.º de / /

Pagamento da taxa através da guia n.º de / / Registo de Entrada N.º Proc.º Em / / Funcionário: Informação - Prosseguir seus termos Em / / A Responsável da U.O.F.U.O.S.U. Despacho - Prosseguir seus termos Em / / O Vereador do Pelouro Exm.º Senhor:

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE UTILIZAÇÃO DOS ECOCENTROS DE MIRANDELA E TORRE DE D. CHAMA

REGULAMENTO MUNICIPAL DE UTILIZAÇÃO DOS ECOCENTROS DE MIRANDELA E TORRE DE D. CHAMA REGULAMENTO MUNICIPAL DE UTILIZAÇÃO DOS ECOCENTROS DE MIRANDELA E TORRE DE D. CHAMA O Decreto-Lei n.º 239/97, de 09 de Setembro, estabelece as regras a que fica sujeita a gestão de resíduos, nomeadamente

Leia mais

RESÍDUOS DE EMBALAGENS

RESÍDUOS DE EMBALAGENS TEMA 3 RESÍDUOS DE EMBALAGENS B. NÍVEL MAIS AVANÇADO Embalagem são todos e quaisquer produtos feitos de materiais de qualquer natureza utilizados para conter, proteger, movimentar, manusear, entregar e

Leia mais

Normas de funcionamento do ECOCENTRO Municipal de S. João da Madeira. Preâmbulo

Normas de funcionamento do ECOCENTRO Municipal de S. João da Madeira. Preâmbulo Normas de funcionamento do ECOCENTRO Municipal de S. João da Madeira Preâmbulo O presente documento define as normas e regras a que ficam sujeitos os utilizadores que pretendam proceder à deposição de

Leia mais

Porquê ler este documento? Por quem é elaborada a informação?

Porquê ler este documento? Por quem é elaborada a informação? Informação a comunicar ao público sobre estabelecimento abrangido pelo regime de prevenção de acidentes graves que envolvem substâncias perigosas (CIRES - IPR) Porquê ler este documento? Este documento

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL. Não te deslumbres comigo. Cometes um erro crasso Se ligares muito ao que digo Sem atentares ao que faço.

RESPONSABILIDADE SOCIAL. Não te deslumbres comigo. Cometes um erro crasso Se ligares muito ao que digo Sem atentares ao que faço. RESPONSABILIDADE SOCIAL Não te deslumbres comigo. Cometes um erro crasso Se ligares muito ao que digo Sem atentares ao que faço. ACEESA - Centro de Estudos Natália Correia Fajã de Baixo, 26 de junho de

Leia mais

OS TECNOSISTEMAS - O CASO DA ILHA DO PICO Perspectivas de desenvolvimento

OS TECNOSISTEMAS - O CASO DA ILHA DO PICO Perspectivas de desenvolvimento A GESTÃO DE RESÍDUOS EM ZONAS INSULARES: UM DESAFIO PARA OS AÇORES OS TECNOSISTEMAS - O CASO DA ILHA DO PICO Perspectivas de desenvolvimento Paulo Santos Monteiro (Prof. Auxiliar da FEUP) 1.700 km 270

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE VILA DO PORTO PLANO DE AÇÃO MUNICIPAL DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE RESÍDUOS URBANOS DO CONCELHO DE VILA DO PORTO

CÂMARA MUNICIPAL DE VILA DO PORTO PLANO DE AÇÃO MUNICIPAL DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE RESÍDUOS URBANOS DO CONCELHO DE VILA DO PORTO CÂMARA MUNICIPAL DE VILA DO PORTO PLANO DE AÇÃO MUNICIPAL DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE RESÍDUOS URBANOS DO CONCELHO DE VILA DO PORTO MAIO DE 2013 CÂMARA MUNICIPAL DE VILA DO PORTO PLANO DE AÇÃO MUNICIPAL DE

Leia mais

REGULAMENTO DE RESÍDUOS URBANOS E LIMPEZA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO DE RESÍDUOS URBANOS E LIMPEZA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA NOTA JUSTIFICATIVA NOTA JUSTIFICATIVA O Regulamento Municipal de Resíduos Sólidos Urbanos e Limpeza Pública do Município de Condeixa-a-Nova, atualmente em vigor tem por base o regime jurídico aprovado pelo Decreto-Lei n.º

Leia mais

Azul. Amarelo. Verde. Pilhão. Conheça a nova vida de cada resíduo ECOPONTO ECOPONTO ECOPONTO

Azul. Amarelo. Verde. Pilhão. Conheça a nova vida de cada resíduo ECOPONTO ECOPONTO ECOPONTO Conheça a nova vida de cada resíduo Ao chegar ao ecoponto correto, cada embalagem inicia uma pequena viagem que tem como destino uma nova vida. São recolhidos pela RESIESTRELA por camiões especiais e levados

Leia mais

Deliberação n.º 515/2010, de 3 de Março (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010)

Deliberação n.º 515/2010, de 3 de Março (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010) (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010) Define os elementos que devem instruir a notificação, a efectuar ao INFARMED, I. P., do exercício da actividade de distribuição por grosso de dispositivos

Leia mais

Conceito de Comerciante e Corretor nos termos do Regime Geral de Gestão de Resíduos

Conceito de Comerciante e Corretor nos termos do Regime Geral de Gestão de Resíduos Comerciante/Corretor Versão 2: 08 de julho de 2014 Conceito de Comerciante e Corretor nos termos do Regime Geral de Gestão de Resíduos Índice 1. Enquadramento legislativo e pressupostos... 1 1.1 Pressupostos

Leia mais

Regras a ter em conta na deposição seletiva de resíduos/reciclagem. Outros Resíduos

Regras a ter em conta na deposição seletiva de resíduos/reciclagem. Outros Resíduos Regras a ter em conta na deposição seletiva de resíduos/reciclagem Outros Resíduos Recolha de Resíduos Verdes e de Objetos Volumosos (Monos/Monstros) Veículos em Fim de Vida Resíduos de Equipamentos Elétricos

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vila Velha Estado do Espírito Santo Secretaria de Desenvolvimento Sustentável

Prefeitura Municipal de Vila Velha Estado do Espírito Santo Secretaria de Desenvolvimento Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) 1 OBJETIVO Este Termo de Referência tem como finalidade orientar os geradores de resíduos sólidos provenientes

Leia mais

Europass- Curriculum Vitae

Europass- Curriculum Vitae Europass- Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Morada(s) Teixeira, Mara Largo Soares dos Reis, nº.22 1ºF, 4300-486 Porto Portugal Telemóvel (351) 91 (351) 96 Correio(s) electrónico(s)

Leia mais

A Participação no Concurso obriga ao conhecimento do Regulamento. Público-Alvo: Alunos do 1º Ciclo. Data Limite:

A Participação no Concurso obriga ao conhecimento do Regulamento. Público-Alvo: Alunos do 1º Ciclo. Data Limite: A Participação no Concurso obriga ao conhecimento do Regulamento Público-Alvo: Alunos do 1º Ciclo Data Limite: Esculturas: 17.03.2016 ECAL: 23.05.2016 VALNOR A VALNOR é uma empresa que aposta na Responsabilidade

Leia mais

IES - INFORMAÇÃO EMPRESARIAL SIMPLIFICADA

IES - INFORMAÇÃO EMPRESARIAL SIMPLIFICADA DECLARAÇÃO ANUAL 0 Nº DE IDENTIFICAÇÃO FISCAL (NIPC) IES - INFORMAÇÃO EMPRESARIAL SIMPLIFICADA (ENTIDADES RESIDENTES QUE EXERCEM, A TÍTULO PRINCIPAL, ACTIVIDADE COMERCIAL, INDUS- TRIAL OU AGRÍCOLA, ENTIDADES

Leia mais

Plano de Acção. (Provisório) Página 1 de 5

Plano de Acção. (Provisório) Página 1 de 5 Plano de Acção (Provisório) 2009-2010 Página 1 de 5 Diagnóstico Objectivos Acções Recursos Intervenientes Calendarização Água Resíduos Energia Transportes Biodiversidade Alterações Climáticas Elementos

Leia mais

Relatório de Reciclagem no Vale do Sousa

Relatório de Reciclagem no Vale do Sousa Relatório de Reciclagem no Vale do Sousa 4º Trimestre de 2006 Outubro 2006 Relatório da Reciclagem 4º Trimestre 2006 2 Total Outubro - 554,22 ton 16,44 1,18 18,74 2,62 11,20 251,82 252,22 Vidro Papel/Cartão

Leia mais

Regulamentação coletiva de trabalho publicada no 2º Trimestre de 2016 em números

Regulamentação coletiva de trabalho publicada no 2º Trimestre de 2016 em números 2016 Regulamentação coletiva de trabalho publicada no 2º Trimestre de 2016 em números 2º Trimestre TRABALHO, SOLIDARIEDADE E SEGURANÇA SOCIAL Ficha Técnica Título: Regulamentação coletiva de trabalho publicada

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL NO AEROPORTO DO PORTO

GESTÃO AMBIENTAL NO AEROPORTO DO PORTO GESTÃO AMBIENTAL NO AEROPORTO DO PORTO PROMOTOR: SPONSOR: GESTÃO AMBIENTAL NO AEROPORTO DO PORTO SOFIA ROCHA Economia Circular 2014-06-17 _AEROPORTO DO PORTO _ 6M PAX _ 60k MOV _AEROPORTO DO PORTO _AEROPORTO

Leia mais

No ecocentro recebemos:

No ecocentro recebemos: Papel e cartão No ecocentro recebemos: Na caixa destinada à deposição de papel e cartão é permitido descarregar: Embalagens de cartão Rolos de cartão maleáveis Papel de escrita Jornais, revistas e livros

Leia mais

STADLER A técnica no seu melhor

STADLER A técnica no seu melhor A técnica no seu melhor Separadores balísticos O separador balístico Tipos de materiais tratados TIPO Papel e papelão PPK Embalagens leves, mistura de papel/papelão, filme e recipientes plásticos Resíduos

Leia mais

Evolução dos edifícios por ilha e município nos Açores

Evolução dos edifícios por ilha e município nos Açores Evolução dos edifícios por ilha e município nos Açores análise aos dados do Recenseamento Geral da Habitação 1981, 1991, 2001 & 2011 Vasco Silva Lisboa, 1 Dezembro 2014 1 RESUMO Com base nos dados recolhidos

Leia mais

Código PE-NOPD-8. Data: 29/04/2011

Código PE-NOPD-8. Data: 29/04/2011 1. Objetivo e campo de aplicação Este padrão tem como finalidade estabelecer a metodologia de descarte de resíduos e efluentes gerados no Laboratório de Macromoléculas e Colóides na Indústria de Petróleo

Leia mais

IBERSOL S.G.P.S., S.A.

IBERSOL S.G.P.S., S.A. IBERSOL S.G.P.S., S.A. IBERSOL S.G.P.S., S.A. Sede: Praça do Bom Sucesso, 105/159, 9º, Porto Capital social: 20.000.000 Euros Matriculada na Conservatória do Registo Comercial do Porto sob o número único

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS RESÍDUOS SÓLIDOS: UM PROBLEMA DE CARÁTER SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO 1. CARACTERÍSTICAS NACIONAIS Brasil - um país de dimensões continentais

Leia mais

Direção de Serviços de Segurança Alimentar / DGAV

Direção de Serviços de Segurança Alimentar / DGAV Direção de Serviços de Segurança Alimentar / DGAV Assunto: COMERCIALIZAÇÃO DE REBENTOS Esclarecimento 11/2013 A presente nota de esclarecimento pretende elucidar os operadores de empresas do setor alimentar

Leia mais

O caminho dos resíduos

O caminho dos resíduos ALGAR Olá! Eu sou o Eco-Herói e vou mostrar-te O caminho dos resíduos Esta página é tua, pinta-me! 1.º Ciclo O caminho dos resíduos O lixo que produzimos e que colocamos no contentor normal segue num camião

Leia mais

LISTA DE OPERADORES LICENCIADOS PARA OPERAÇÕES DE GESTÃO DE

LISTA DE OPERADORES LICENCIADOS PARA OPERAÇÕES DE GESTÃO DE LISTA DE OPERADORES LICENCIADOS PARA OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS NA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Na presente lista estão apresentados os operadores licenciados na Região Autónoma dos Açores. Os resíduos

Leia mais

Gestão De D Resídu d os

Gestão De D Resídu d os Gestão De Resíduos COLETA SELETIVA Projeto Gestão de Resíduos EcoMalzoni Como funcionava a coleta de resíduos antes do Projeto de Gestão de Resíduos? - 85% dos sacos retirados eram pretos, com

Leia mais

INTER RESÍDUOS AEP 28 JULHO 2012 APRESENTAÇÃO. 28/06/12 Elsa Nascimento

INTER RESÍDUOS AEP 28 JULHO 2012 APRESENTAÇÃO. 28/06/12 Elsa Nascimento INTER RESÍDUOS AEP 28 JULHO 2012 APRESENTAÇÃO Quem somos Somos uma empresa vocacionada para a Gestão Ambiental, sendo uma referência no mercado da gestão global de resíduos, sobretudo pela originalidade

Leia mais

2. TIPO DE TRANSPORTES ABRANGIDOS São cobertos por este procedimento os transportes de:

2. TIPO DE TRANSPORTES ABRANGIDOS São cobertos por este procedimento os transportes de: Pág. 1 de 5 No início da campanha 2008/2009 procedeu-se à implementação da emissão electrónica do Documento de Acompanhamento (DA) do transporte de produtos vitivinícolas, tendo-se eliminado gradualmente

Leia mais

Tratamento e Descarte de Resíduos de Obras

Tratamento e Descarte de Resíduos de Obras PROCEDIMENTO DO SMS Tratamento e Descarte de de Obras PR-99-992-CPG-003 Revisão: 02 Página: 1/6 1. OBJETIVO Definir padrões para o manuseio e descarte de resíduos produzidos pelas empresas contratadas

Leia mais

CONTACTOS ESCOLAS COM ENSINO SECUNDÁRIO STª MARIA

CONTACTOS ESCOLAS COM ENSINO SECUNDÁRIO STª MARIA CONTACTOS ESCOLAS COM ENSINO SECUNDÁRIO STª MARIA de Santa Maria Av. do Aeroporto 9580-501 Vila do Porto Telf. 296 820 060 Fax. 296 882 339 Email: ebis.smaria@azores.gov.pt http://srec.azores.gov.pt/dre/sd/115111010600

Leia mais

Unidade de Saúde (detentor)

Unidade de Saúde (detentor) Óleos lubrificantes usados Contrato com operador de gestão autorizado Armazenamento temporário em contentores adequados, que são recolhidos no local pelo operador de gestão Ecocentro Operador de gestão

Leia mais

Unidade de Medida A0010

Unidade de Medida A0010 Código de Identificação de Resíduos Tipo de Resíduo Descrição Unidade de Medida A0010 RESIDUO DE RESTAURANTE (RESTOS mġ DE ALIMENTOS) A0020 RESIDUO GERADO FORA PROCESSO mġ INDUSTRIAL (EMBALAGENS, ESCRI)

Leia mais

Valor Ambiente Gestão e Administração de Resíduos da Madeira S.A. A Gestão dos Resíduos na Região Autónoma da Madeira

Valor Ambiente Gestão e Administração de Resíduos da Madeira S.A. A Gestão dos Resíduos na Região Autónoma da Madeira Valor Ambiente Gestão e Administração de Resíduos da Madeira S.A. A Gestão dos Resíduos na Região Autónoma da Madeira Valor Ambiente 2008 1 A Região Autónoma da Madeira Área 42,5 km 2 População residente

Leia mais

LISTA DE OPERADORES DE GESTÃO DE RESÍDUOS AUTORIZADOS PARA A RETOMA DE RESÍDUOS DE EMBALAGENS NO ÂMBITO DO SIGRE

LISTA DE OPERADORES DE GESTÃO DE RESÍDUOS AUTORIZADOS PARA A RETOMA DE RESÍDUOS DE EMBALAGENS NO ÂMBITO DO SIGRE LISTA DE OPERADORES DE GESTÃO DE RESÍDUOS AUTORIZADOS PARA A RETOMA DE RESÍDUOS DE EMBALAGENS NO ÂMBITO DO SIGRE Papel/cartão A.S. Simões Sociedade de Recuperação de Resíduos, Lda Ambigroup Resíduos, SA

Leia mais

Análise SWOT. Resíduos Sólidos Domiciliares e Comerciais

Análise SWOT. Resíduos Sólidos Domiciliares e Comerciais Análise SWOT Resíduos Sólidos Domiciliares e Comerciais Implantação de associação de catadores, melhorando a coleta seletiva. Disponibilização de quantidade maior de lixeiras na cidade. Geração de empregos

Leia mais

Resíduos Sólidos Desafios da Logística Reversa. Zilda M. F. Veloso 08abril2014

Resíduos Sólidos Desafios da Logística Reversa. Zilda M. F. Veloso 08abril2014 Resíduos Sólidos Desafios da Logística Reversa Zilda M. F. Veloso 08abril2014 I- CONSIDERAÇÕES GERAIS Objetivos POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS GERAÇÃO DE RESÍDUOS PANO DE FUNDO: Sem a PNRS, a geração

Leia mais

Carlos Eduardo Godoy (Prof. Amparo) 1

Carlos Eduardo Godoy (Prof. Amparo)   1 Coleta Seletiva Consciência limpa Carlos Eduardo Godoy (Prof. Amparo) E-mail: cecgodoy@gmail.com 1 Proposta da palestra Apresentar para a Comunidade Móbile informações importantes sobre Responsabilidade

Leia mais

Eleição do Presidente da República

Eleição do Presidente da República , Presidente da Câmara Municipal de Oliveira do da secção de voto nº 1 da(s) assembleia(s) de voto da freguesia de Oiã deste município o (s) seguinte(s) cidadão(s): OIÃ Presidente Vasco Marques Simões

Leia mais

REGULAMENTO ECOSHOP PARA ENTREGAS DIRETAMENTE NOS ECOCENTROS

REGULAMENTO ECOSHOP PARA ENTREGAS DIRETAMENTE NOS ECOCENTROS REGULAMENTO ECOSHOP REGULAMENTO ECOSHOP Main sponsor Apoio Institucional PARA ENTREGAS DIRETAMENTE NOS ECOCENTROS Regulamento de utilização do Cartão EcoShop Artigo 1º - Entidade Promotora O Cartão Eco

Leia mais

EMBALAGENS E RESÍDUOS DE EMBALAGENS

EMBALAGENS E RESÍDUOS DE EMBALAGENS EMBALAGENS E RESÍDUOS DE EMBALAGENS SITUAÇÃO DE REFERÊNCIA 2004 2010 Amadora, Janeiro de 2011 Departamento de Fluxos Especiais e Mercado de Resíduos Divisão de Entidade Gestoras e Mercado de Resíduos A

Leia mais

Informação sobre a Recuperação e Reciclagem de Papel e Cartão em Portugal 2011

Informação sobre a Recuperação e Reciclagem de Papel e Cartão em Portugal 2011 Informação sobre a Recuperação e Reciclagem de Papel e Cartão em Portugal 2011 Índice A RECUPERAÇÃO EM PORTUGAL DE PAPEL E CARTÃO PARA RECICLAR... 3 DADOS GLOBAIS 2011... 4 PAPEL E CARTÃO PARA RECICLAR...

Leia mais

LICENCIAMENTO DE FORNECEDORES DE MATERIAIS FLORESTAIS DE REPRODUÇÃO

LICENCIAMENTO DE FORNECEDORES DE MATERIAIS FLORESTAIS DE REPRODUÇÃO FORMULÁRIO PARA LICENCIAMENTO DE FORNECEDORES DE MATERIAIS FLORESTAIS DE REPRODUÇÃO (art. 27º do Decreto-Lei n.º 205/2003, de 12 de setembro) PREENCHA COM LETRA LEGÍVEL E ESCOLHA AS OPÇÕES DE ACORDO COM

Leia mais

Regime jurídico da resinagem e da circulação da resina de pinheiro

Regime jurídico da resinagem e da circulação da resina de pinheiro REGISTO DE OPERADOR DE RESINA FORMULÁRIO DE REGISTO DE OPERADOR DE RESINA O formulário de registo é composto por: Quadro 1: Preenchimento dos dados de identificação do operador. Quadro 2: Identificação

Leia mais

ANEXO D - Relatório Anual da Actividade do Serviço de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho

ANEXO D - Relatório Anual da Actividade do Serviço de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho CERTIFICADO Data e hora de entrega: 2012-06-11 13:09 Chave de certificação: 95512JNE593754N MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL Autoridade para as Condições de Trabalho Gabinete de Estratégia

Leia mais

Conteúdo. Política de gestão de resíduos Novo regime legal. Prevenção. Prevenção Protagonistas

Conteúdo. Política de gestão de resíduos Novo regime legal. Prevenção. Prevenção Protagonistas Conteúdo Prevenção de resíduos da política às práticas de gestão Prevenção Definição Protagonistas Exemplos Circuito da gestão dos RSU Susana Xará 24. Novembro. 2011 Política de gestão de resíduos Novo

Leia mais

Quarta-feira, 4 de março de CIDADE CASUAL - INTERNACIONAL, LDA. Cessação de funções de membro do órgão social

Quarta-feira, 4 de março de CIDADE CASUAL - INTERNACIONAL, LDA. Cessação de funções de membro do órgão social REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 4 de março de 2015 Série Sumário CONSERVATÓRIA DO REGISTO COMERCIAL PRIVATIVA DA ZONA FRANCA DA MADEIRA CALTRÓN - GESTÃO E INVESTIMENTOS, LDA. Constituição

Leia mais

13-09-2010 MATERIAIS RECICLÁVEIS, PROCESSO DE RECICLAGEM

13-09-2010 MATERIAIS RECICLÁVEIS, PROCESSO DE RECICLAGEM MATERIAIS RECICLÁVEIS, PROCESSO DE RECICLAGEM 1 2 Introdução História da limpeza; Educação Ambiental; Campanhas de Sensibilização, Publicidade; Reciclagem antigamente; Materiais reutilizáveis; Processos

Leia mais

FOTOS DE ALGUNS PROJETOS REALIZADOS

FOTOS DE ALGUNS PROJETOS REALIZADOS FOTOS DE ALGUNS PROJETOS REALIZADOS ARQUITETURA DE INTERIORES Eliane Sarmento. Arquiteta& Equipe Multidisciplinar APARTAMENTO CONDOMÍNIO GOLDEN GREEN BARRA DA TIJUCA R.J. Projeto arquitetura de interior

Leia mais