I Workshop do Rio de Janeiro em Redes de Alta Velocidade IBM Brasil, Internet 2 e RMAVs

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "I Workshop do Rio de Janeiro em Redes de Alta Velocidade IBM Brasil, Internet 2 e RMAVs"

Transcrição

1 I Workshop do Rio de Janeiro em Redes de Alta Velocidade IBM Brasil, Internet 2 e RMAVs Petrópolis de Dezembro de 1999 Rogério Nesi Pereira Cardoso Gerente de Marketing Cross Brand America Latina Section C Page 1

2 Agenda Mercado Brasileiro de Servidores e NW IP Switching Programas desenvolvidos entre a IBM US e a UCAID Programas desenvolvidos entre a IBM Brasil e o MCT CENAPADs RNP - Rede Nacional de Pesquisas RNP2 - A Internet 2 Brasileira RMAVs - Redes Metropolitanas de Alta Velocidade Novos Equipamentos Section C Page 2

3 Total Market Size by OS 1997 = MUS$1, = MUS$1, ,4% 19,7% 23,4% 22,9% 5,3% 6,9% 3,1% 15,2% 4,2% 10,3% 36,6% 40,1% OS/390 OS/400 UNIX Windows NT NetWare Other OS Source: IDC Brazil Commercial Systems & Servers Market Section C Page 3

4 Unix Servers M/S by Main Vendors 1997 = MUS$ = MUS$437,5 7,9% 2,6% 8,2% 32,6% 11,6% 2,5% 9,7% 37,2% 10,6% 6,8% 5,3% 29,5% 3,4% 18,1% 3,9% 10,2% IBM Compaq/DEC NCR HP Unisys Sun Bull Other Source: IDC Brazil Commercial Systems & Servers Market Section C Page 4

5 Total Servers M/S by Main Vendors 1997 = MUS$1, = MUS$1, ,8% 17,4% 2,9% 36,9% 3,9% 40,8% 13,1% 18,0% 12,1% 7,9% 2,5% 9,0% 1,8% 14,0% IBM Compaq/DEC NCR HP Unisys Sun Other Source: IDC Brazil Commercial Systems & Servers Market Section C Page 5

6 As Maiores no Segmento de Switches FONTE: IDG Maiores de Informatica / ,6% 5,4% 10,0% 24,7% 11,7% 18,6% Outros IBM 3COM CABLETRON NORTEL CISCO Section C Page 6

7 As Maiores no Segmento de Roteadores FONTE: IDG Maiores de Informatica / ,1% 23,6% 13,7% 17,5% 16,1% CISCO IBM NORTEL 3COM Outros Section C Page 7

8 Novas Aplicações na Internet 2 Aplicações para redes de alta velocidade: Ensino Distribuido -- permitir a educação sob demanda, apredizagem colaborativa através do armazenamento, acesso e distribuição de produções multimídia, incluindo video digital de alta qualidade, video-conferência desktop, room-to-room e site-to-site. Pesquisa Colaborativa -- permitir a pesquisadores do mundo todo compartilhar grandes volumes de dados com tempo de resposta controlado e sem interrupção ou slow-downs Bilbliotecas Digitais -- grandes aquivos ou produções multimídia podem ser acessados e transferidos em alta velocidade e com alta qualidade. Tele-imersão -- Altera signicativamente os paradigmas educacionais, científicos e industriais, permitindo que indivíduos que estejam em diferentes localidades compartilherm o ambiente virtual, se comuniquem e interajam em tempo real. Novas Caracteristicas de Rede: High bandwidth, low latency (alta velocidade e baixos delays) Appl. driven NW (controle de políticas de segurança) Bandwidth reservation services (reserva de banda) Quality of Service guarantees (tratamento diferenciado para aplicações críticas) Multicast capabilities (otimizacao na distibuição de multiplos fluxos de dados) Extensive network management (gerencia complerta da rede/aplicacoes) Scalability (facilidade de crescimento) Section C Page 8

9 Exemplos do envolvimento da IBM US com a Internet2 nos EUA Parcerias com as seguintes universidades (a IBM US não participa do projeto de rede de alta velocidade - Abilene) Clemson University Duke University Gallaudet University Indiana University North Carolina State University Northwestern University Pennsylvania State University University of Chicago University of Illinois University of Michigan University of Minnesota University of South Carolina Virginia Tech University Argonne National Laboratory Suportar as Instituições na introdução das seguites tecnologias Differentiated Quality of Service (classificação/priorização de dados) Advanced Multicast support (multi-canais de som e vídeo) IPv6 (nova versão do TCP/IP - atualmente IPV4) Section C Page 9

10 IBM US e Internet 2 International Center for Advanced Internet Research (icair) - IBM facilities in Schaumberg with Northwestern University Interactive applications such as global multi-party videoconferencing to virtual reality, collaborative engineering and full-screen, interactive distance learning. DVN - Digital Video initiative The I2-DVN initiative has been established to provide high-quality digital video services to the Internet2 community through a national digital video network DSI - Distributed Storage Infrastructure aims to resolve accessibility issues associated with sharing and using Internet- based educational content. IBM was the first corporate partner to connect to the high-speed network of this U.S.-based research project Section C Page 10

11 I2-DVN ( Digital Video initiative) I2-DVN e' uma iniciativa para disponibilizar serviços de vídeo digital de alta qualidade para a comunidade Internet2 através de uma rede nacional de alta velocidade. O "Player" da IBM esta disponível para download gratuitamente (versões em Inglês, Espanhol e Português, esta última fruto de um trabalho de cooperação entre a IBM Brasil, IBM Itália, T. Watson Research Center e PUC-RJ) Tecnologias Digital Video Store and Forward DV Streaming Teleconferencing Platforms Clients Multicast QoS implementations Encoders Other network technologies Section C Page 11

12 I2-DSI (Distributed Storage Infrastructure) Section C Page 12

13 Diferenciação de Serviços Banda Requerida 'Melhor esforço' Qualidade Garantida Alta File Transfer Java Applet Treinamento à distância Baixa Minutos Transações Segundos Voz Mili-segundos Delay aceitável Automação de processos de negócio críticos Sistemas de reserva aérea e de hoteis Sistemas de atendimento bancário Concentração do conhecimento específico Centrais de atendimento Expansão do mercado Uso da internet/intranet para o comércio eletrônico Redução do "time-to-market" Desktop-conference Melhoria da produtividade dos empregados Secure Internet gateway Section C Page 13

14 IP Switching: MPOA - Multiprotocol over ATM MPLS - Multiprotocol Label Switching Baseada em Fluxo - MPOA Fluxos individuais (host/host ou appl/appl) são comutadas através da rede Requer que os switches matenham o controle dos fluxos da rede Alguns fluxos podem ser comutados, embora nem todos Rede(s) de destino Baseada em Topologia - MPLS TODO o tráfego para um destino comum pode ser comutado O destino pode ser uma rede ou um conjunto de redes Requer que o switch mantenha somente a informação sobre os destinos Section C Page 14

15 Virtual Router Model Other MPOA Servers MPOA Server Route Calculation Virtual Router ATM SWITCH Scaleable Backplane Layer 3 Forwarding MPOA Client Layer 3 Forwarding MPOA Client Section C Page 15

16 8371 Multilayer Ethernet Switch 2-p ATM OC3 8-p 100BaseFX 8-p 10/100BaseTX MSS Software Technology Media speed L2/L3 switching 16 Ports 10/100BaseTx Autosense 100BaseFX Option ATM backplane connection at OC-12 speed (blade) 10 Gbps switching Capacity 6 Million PPS Routing Capacity LANE 2 Client MPOA Client IP and IPX MSS Dynamic Protocol VLAN's IP multicast via IGMP snooping Self-Learning IP Routing RMON (4 groups) Section C Page 16

17 Programa de Desenvolvimento Estratégico em Informática - DESI-BR - mantido pelo MCT RNP - Backbone Acadêmico (em produção com quase 100% de equipamentos IBM - existem alguns roteadortes Cisco 7000) Implantação dos POPs na Fase 1 e Re-equipamento dos POPs na Fase 2: 5 POPs de trafego intenso (DF, MG, RJ, RS e SP) e 5 POPs de tráfego médio (BA, CE, PE, PR, SC) 17 POPs de tráfego reduzido (AC, L, AM, AP, ES, GO, MA, MS, MT, PA, PB, PI, RN, RO, RR, SE, TO) Implantação do Centro de Operações e Implantação de dois Centros de Informações (UNIEMP e UNICAMP); Implantação da Rede Nordeste e Custeio da operação da RNP; Implantação da Fase 3 com a modernização de alguns POPs para a tecnologia ATM; Criação de uma estrutura de servidores proxy, incluindo dois servidores IBM RS/6000 SP de grande porte e 12 servidores IBM RS/6000 R50 de médio porte; RNP2 e RMAVs Implantação do "Projeto de Redes Metropolitanas de Alta Velocidade (12 consórcios contemplados com kits com um substancial volume de equipamento de rede com tecnologia ATM); Implantação do "Projeto de Melhoria da Qualidade da Infra-estrutura Computacional dos Laboratórios de Ensino e Pesquisa em Engenharia da Computação e Sistemas de Informação" (80 kits consistindo de 1 servidor RISC, 5 estações de trabalho RISC e 5 estações PC, impressora e equipamentos de rede); Implantação do "Projeto de Redes para Educação Primária, Secundária e Técnica" (100 kits); Outros implantação dos GTs de Tecnologias da Informação e implantação da rede FINEP. Section C Page 17

18 Centros Nacionais de Processamento de Alto Desempenho - CENAPAD (totalmente baseado em máquinas IBM Risc SP) Computação Paralela - Performance de Pico (aprox.): 40 Gflops, Espaço de Armazenamento em Disco: 250 Gbytes, Servidores de arquivo e dados (17) com mais de 400 Gbytes CENAPAD-SP Universidade Estadual de Campinas - Unicamp, Campinas, SP CENAPAD-NE Universidade Federal do Ceará, Campus do Pici, Fortaleza, CE CENAPAD-RJ LNCC - Laboratório Nacional de Computação Científica, Petrópolis-RJ CENAPAD-MG Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, Belo Horizonte, MG Computação Vetorial - Performance de Pico (aprox.): 5 Gflops, Espaço de Armazenamento em Disco: 132 Gbytes CESUP-RS Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS, Porto Alegre, RS CENAPAD-AMB Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE / Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos - CPTEC, Cachoeira Paulista, SP NAR - Núcleos de Atendimento Remoto NAR-PUCCAMP Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas, SP NAR-CENAPAD-MGCO, NAR-CENAPAD-SP Laboratórios de Serviços Especializados NACAD - Núcleo de Atendimento em Computação de Alto Desempenho Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, Rio de Janeiro, RJ Outras Contribuições IBM Laboratórios de Computação de Alto Desempenho da UFPE UFBA EFEI UFSCar UFSC Section C Page 18

19 Projeto Biblioteca do Vaticano PUC-RJ Projeto da Biblioteca Vaticana, a PUC-Rio e IBM (Brasil, Estados Unidos e Itália) Fase piloto consistindo de testes da integração de várias tecnologias de captura, armazenamento, busca, recuperação e distribuição de conteúdos digitais obtidos a partir de itens do acervo da Biblioteca do Vaticano. 65 manuscritos significativos da variedade e da riqueza de seu acervo de 150 mil manuscritos, incluindo manuscritos medievais sobre medicina árabe, Bíblias, documentos da colonização do Brasil no século 15, manuscritos astecas, etc. Laboratório Thomas Watson Research Center da IBM, no estado de Nova Iorque utilizado para controle de qualidade e PUC-Rio para processamento e disponibilização. Os algoritmos que executavam estas tarefas foram desenvolvidos no centro de pesquisa da IBM. Sistema tri-lingüe português, inglês e italiano, sendo todo o controle de línguas executado por programas a partir de informações no banco de dados. Servidor contendo, aproximadamente, imagens sendo 75% em P&B e 25% em cores. As imagens eram recebidas pelo laboratório em formato tif e, após a compressão e o acréscimo da marca d'água eletrônica, disponibilizadas em formato jpeg. O ambiente tecnológico: Máquinas IBM-PC com sistema operacional OS/2 e Banco de dados relacional DB2/2. Programa para a base bibliográfica e para os textos SM/2. Servidor WEB ICS. Linguagens de programação DB2WWW Connect, C e REXX. Section C Page 19

20 Hierarquia Web Cache na RNP2 Equipamentos de Hardware (Squid Server) Nível 1 IBM SP2 (2 nós) com 300 Gb disco Nível 2 2 x IBM R50 com 100 Gb disco Nível 3 1 x IBM R50 com 50 Gb disco Section C Page 20

21 Soluções end-to-end Somente a IBM e/ou seus business partners, podem oferecer o que voce precisa do menor dos PCs ou Adapterate a maior das redes AS/400 Network Printers Research Networking Hardware Solutions System, Internet & Application Software Business Partners Large Enterprise Customers Companies of All Sizes Small & Medium Business Customers Section C Page 21

22 URLs Interessantes IBM Networking Products ATM Campus (IBM, Cisco e Fore) L3 Switching and MPOA Nways Manager for AIX Network Products Reference Interactive Network Dispatcher IBM enetwork VPN Web Site IBM Firewall IBM S/390 IBM AS400 IBM VideoCharger Section C Page 22

23 Como encontrar-nos? Rogério Nesi OBRIGADO!!! Section C Page 23

RNP2 Workshop 99 Curitiba, 12-13 de Maio IBM Networking, Internet 2 e RMAV

RNP2 Workshop 99 Curitiba, 12-13 de Maio IBM Networking, Internet 2 e RMAV RNP2 Workshop 99 Curitiba, 12-13 de Maio IBM Networking, Internet 2 e RMAV Rogério Nesi Pereira Cardoso Gerente de Marketing e Operações de Networking nesi@br.ibm.com Agenda Programas desenvolvidos entre

Leia mais

A RNP e as Mudanças na Internet

A RNP e as Mudanças na Internet Seminário Serviços e Sistemas de Informação Tecnológica Junho de 1998 Ari Frazão Jr. Consultor de Redes da RNP A Índice: Rede Internet A RNP A Nova Geração da Internet O Brasil Rumo à Internet2 A Ação

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

UFSC - Infraestrutura e Serviços de TIC Visão Geral

UFSC - Infraestrutura e Serviços de TIC Visão Geral Ponto de Presença da RNP em Santa Catarina Rede Metropolitana de Educação e Pesquisa da Região de Florianópolis 04 e 05 Outubro/2012 UFSC - Infraestrutura e Serviços de TIC Visão Geral Edison Tadeu Lopes

Leia mais

Resultados da Lei de Informática - Uma Avaliação. Parte 4 - Programas Prioritários em Informática

Resultados da Lei de Informática - Uma Avaliação. Parte 4 - Programas Prioritários em Informática Resultados da Lei de Informática - Uma Avaliação Parte 4 - Programas Prioritários em Informática Rede Nacional de Pesquisa Ministério da Ciência e Tecnologia Resultados da Lei de Informática - Uma Avaliação

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF UF Tecnologia Velocidade Quantidade de Acessos AC ATM 12 Mbps a 34Mbps 3 AC ATM 34 Mbps

Leia mais

Desenvolvimento da ReMAV-Curitiba Perspectivas Novos parceiros e alianças Institucionalização

Desenvolvimento da ReMAV-Curitiba Perspectivas Novos parceiros e alianças Institucionalização ,,:RUNVKRS :RUNVKRSGD513 %HOR+RUL]RQWHGHPDLRGH 5(0$9&XULWLED ([SHULPHQWRVGH*HVWmRH$SOLFDo}HV HP5HGHVGH$OWD9HORFLGDGH &HQWUR,QWHUQDFLRQDOGH7HFQRORJLDGH6RIWZDUH &HQWUR)HGHUDOGH(GXFDomR7HFQROyJLFDGR3DUDQi,QVWLWXWRGH7HFQRORJLDGR3DUDQi

Leia mais

www.american-nc.com.br AMERICAN NETWORK COMPUTERS Tecnologia a sua disposição

www.american-nc.com.br AMERICAN NETWORK COMPUTERS Tecnologia a sua disposição www.american-nc.com.br AMERICAN NETWORK COMPUTERS Tecnologia a sua disposição A Empresa Iniciamos as operações em 1994 com foco no fornecimento de produtos e serviços de informática. Com o decorrer dos

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

Projeto Infra-Estrutura de rede Coordenadores: DIEGO MIRANDA. Projeto Integrador

Projeto Infra-Estrutura de rede Coordenadores: DIEGO MIRANDA. Projeto Integrador Projeto Infra-Estrutura de rede Coordenadores: DIEGO MIRANDA Projeto Integrador 1. Estrutura de Rede 2. Visão do Rack 3. Planta Baixa TI 4. Planta Baixa Geral 5. Tabela de Endereço 6. Tabela Router 7.

Leia mais

EMPRESA DE PROCESSAMENTO DE DADOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL - DATAPREV

EMPRESA DE PROCESSAMENTO DE DADOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL - DATAPREV Experiência: DESCENTRALIZAÇÃO DA CONCESSÃO DE BENEFÍCIOS EMPRESA DE PROCESSAMENTO DE DADOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL - DATAPREV Responsáveis: JOEL RAMOS - GERENTE DE ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS SÉRGIO

Leia mais

DO COLETÂNEA ONLINE. Brasil Dados Públicos. atos oficiais atos administrativos processos judiciais editais, Avisos e Contratos orçamentos da União,

DO COLETÂNEA ONLINE. Brasil Dados Públicos. atos oficiais atos administrativos processos judiciais editais, Avisos e Contratos orçamentos da União, folheto de especificações ONLINE atos oficiais atos administrativos processos judiciais editais, Avisos e Contratos orçamentos da União, Estados e Municípios Base de dados eletrônica que contém a íntegra

Leia mais

Rede Ipê - Visão técnica

Rede Ipê - Visão técnica Rede Ipê - Visão técnica Nova rede de núcleo Raniery Pontes Outubro 2005 Tópicos sobre conectividade básica em redes Enlaces e Operadoras Lambdas, acessos, equipamentos Rede Ipê Roteadores e switches Premissas

Leia mais

POLOS EAD ESTÁCIO 11º Seminário Nacional ABED

POLOS EAD ESTÁCIO 11º Seminário Nacional ABED POLOS EAD ESTÁCIO 11º Seminário Nacional ABED Rio de Janeiro, 10 de junho de 2015 MODELO DE PARCERIA: POLO TERCEIRO EAD Contribuições de cada uma das partes para a Parceria Estácio Parceiro Disponibilizar

Leia mais

Primeiro Técnico. Comunicão na Internet Prof. Cesar

Primeiro Técnico. Comunicão na Internet Prof. Cesar Primeiro Técnico Comunicão na Internet Prof. Cesar 1 A Internet é freqüentemente comparada a um sistema interestadual de estradas. 2 * Permitem alta-velocidade aos viajantes (para os dadosecarros); 3 *

Leia mais

Conceitos sobre Internet 2

Conceitos sobre Internet 2 Conceitos sobre Internet 2 Realizada em 27/01/2000, atualizada em 06/02/2001 Cláudia Helena Bianchi Lencioni e-mail: claudia@cirp.usp.br Seção de Rede Internet no Brasil Possui metade do número total de

Leia mais

II Workshop de Tecnologia de Redes do POP-BA. Serviços RNP. Diretoria Adjunta de Gestão de Serviços DAGSer/RNP. Salvador BA 19/09/2011

II Workshop de Tecnologia de Redes do POP-BA. Serviços RNP. Diretoria Adjunta de Gestão de Serviços DAGSer/RNP. Salvador BA 19/09/2011 II Workshop de Tecnologia de Redes do POP-BA Serviços RNP Leandro Marcos de Oliveira Guimarães Diretoria Adjunta de Gestão de Serviços DAGSer/RNP Salvador BA 19/09/2011 Agenda Catálogo de Serviços Lançamentos

Leia mais

Implantação de QoS no fone@rnp

Implantação de QoS no fone@rnp III Workshop VoIP Marcel R. Faria & Fábio Okamura Maio 2008 Agenda Introdução Backbone RNP rede Ipê QoS na rede Ipê - Serviço Premium Aplicação no fone@rnp Introdução A fim de atender a crescente demanda

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

Aula 1 Windows Server 2003 Visão Geral

Aula 1 Windows Server 2003 Visão Geral Aula 1 Windows Server 2003 Visão Geral Windows 2003 Server Introdução Nessa Aula: É apresentada uma visão rápida e geral do Windows Server 2003. O Foco a partir da próxima aula, será no serviço de Diretórios

Leia mais

abilitisoft Ltda. PatriMo Soft Acordo de Nível Operacional - ANO

abilitisoft Ltda. PatriMo Soft Acordo de Nível Operacional - ANO abilitisoft Ltda. PatriMo Soft Acordo de Nível Operacional - ANO OBJETIVO: O Acordo de Nível Operacional, é um acordo entre equipes de TI internas, para que o provedor possa entregar o requisito estabelecido

Leia mais

Experiência de Videodifusão na RNP

Experiência de Videodifusão na RNP Experiência de Videodifusão na RNP Estudos de caso Sidney Cunha de Lucena / Adenilson Raniery Pontes Dezembro de 2002 RNP/PAL/0175 Experimento 2002 de RNP Video-Difusão Roteamento na RNP Índice (1) Curso

Leia mais

EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007.

EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007. VA PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO DE 4/10/2007, SEÇÃO 3, PÁG.. EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007. Divulgar a distribuição de vagas do Concurso Público para provimento de cargos e formação

Leia mais

GT Computação Colaborativa (P2P)

GT Computação Colaborativa (P2P) GT Computação Colaborativa (P2P) Djamel Sadok Julho de 2003 Este documento tem como objetivo descrever o projeto de estruturação do grupo de trabalho GT Computação Colaborativa (P2P), responsável pelo

Leia mais

MPLS MultiProtocol Label Switching

MPLS MultiProtocol Label Switching MPLS MultiProtocol Label Switching Cenário Atual As novas aplicações que necessitam de recurso da rede são cada vez mais comuns Transmissão de TV na Internet Videoconferências Jogos on-line A popularização

Leia mais

IMPORTANTE: Todos os pedidos devem ser recebidos até: 10 de abril de 2005

IMPORTANTE: Todos os pedidos devem ser recebidos até: 10 de abril de 2005 HP 690 East Middlefield Road Mt. View, CA 94043, EUA Resposta de Clientes N.º (650) 960-5040 System Handle ou Referência de Conta de Suporte: Identificação de Contrato de Serviço: IMPORTANTE: Todos os

Leia mais

Projeto GIGA: um laboratório de redes avançadas

Projeto GIGA: um laboratório de redes avançadas Projeto GIGA: um laboratório de redes avançadas Maio de 2003 Michael Stanton 2003 RNP Projeto GIGA Projeto em colaboração entre RNP e CPqD www.rnp.br e www.cpqd.com.br Explorar controle

Leia mais

Inovação corporativa por meio de Reuso de Componentes

Inovação corporativa por meio de Reuso de Componentes Inovação corporativa por meio de Reuso de Componentes Simpósio Brasileiro de Qualidade de Software Reuso de Componentes Agenda 1 2 3 Apresentação Institucional Cases de Sucesso com Reuso de Componentes

Leia mais

REDE LOCAL CBPF comutadores de rede portas FAST-ETHERNET

REDE LOCAL CBPF comutadores de rede portas FAST-ETHERNET REDE LOCAL CBPF A filosofia adotada para a estrutura da rede local do CBPF está baseada na segmentação das estações servidoras de rede, através da implementação de comutadores de rede. De acordo com as

Leia mais

ANEXO TR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

ANEXO TR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANEXO TR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL REQUISITOS MÍNIMOS DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA DOS PROFISSIONAIS QUE DEVERÃO COMPOR AS EQUIPES TÉCNICAS PREVISTAS NESSA CONTRATAÇÃO PARA AMBOS OS LOTES. QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA

TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA MANUAL INSTRUTIVO Sumário Introdução... 3 Atividades a serem desenvolvidas dentro

Leia mais

Figura 1 Taxas de transmissão entre as redes

Figura 1 Taxas de transmissão entre as redes Conceitos de Redes Locais A função básica de uma rede local (LAN) é permitir a distribuição da informação e a automatização das funções de negócio de uma organização. As principais aplicações que requerem

Leia mais

PLANEJAMENTO DE CAPACIDADES E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS

PLANEJAMENTO DE CAPACIDADES E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PLANEJAMENTO DE CAPACIDADES E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof.:Eduardo Araujo Site- http://professoreduardoaraujo.com Objetivos: Entender e assimilar conceitos, técnicas

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Gestão em TI Tópicos Especiais Informática Educativa no Brasil Professor: Fernando Zaidan 1 Referências: SANTINELLO, J. Informática educativa no Brasil e ambientes

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Analista de Correios / Administrador AC / Rio Branco 123 1 123,00 Analista de Correios / Técnico em Comunicação Social Atuação: Jornalismo AC / Rio Branco 27 1 27,00 Médico do Trabalho Formação: Medicina

Leia mais

Grupos de Trabalho RNP: Implantação da Segunda Fase do GT de Vídeo Digital

Grupos de Trabalho RNP: Implantação da Segunda Fase do GT de Vídeo Digital Grupos de Trabalho RNP: Implantação da Segunda Fase do GT de Vídeo Digital Implementação de um Serviço de Distribuição de Vídeo Digital com Suporte para Transmissão ao Vivo e sob Demanda Guido Lemos de

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL SOLUÇÕES JÁ DISPONÍVEIS

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL SOLUÇÕES JÁ DISPONÍVEIS APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL DESENVOLVENDO SOLUÇÕES INOVADORAS DE TI PARA O MONITORAMENTO, OPERAÇÃO E GESTÃO DE PROCESSOS, AGREGANDO PRODUTIVIDADE E QUALIDADE ÀS ATIVIDADES DOS NOSSOS CLIENTES. 01 Gerenciamento

Leia mais

Otimização de banda utilizando IPANEMA. Matheus Simões Martins. Curso de Especialização em Redes e Segurança de Sistemas

Otimização de banda utilizando IPANEMA. Matheus Simões Martins. Curso de Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Otimização de banda utilizando IPANEMA Matheus Simões Martins Curso de Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Novembro de 2009 Resumo O projeto

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR EM CARGOS DE E DE NÍVEL INTERMEDIÁRIO Administrador AC 1 14 14.00 Administrador AL 1 53 53.00 Administrador AP 1 18 18.00 Administrador BA 1 75 75.00 Administrador DF 17 990 58.24 Administrador MT 1 55

Leia mais

Sobre o CAIS Estatísticas Relatório de Incidentes de Segurança Visão Geral Incidentes envolvendo clientes do PoP-SC

Sobre o CAIS Estatísticas Relatório de Incidentes de Segurança Visão Geral Incidentes envolvendo clientes do PoP-SC Relatório Mensal de Incidentes de Segurança como instrumento de melhoria contínua Rildo Souza Centro de Atendimento a Incidentes de Segurança (CAIS) Agenda Sobre o CAIS Estatísticas Relatório de Incidentes

Leia mais

Serviço fone@ms Projeto Piloto MS - RNP

Serviço fone@ms Projeto Piloto MS - RNP IV Workshop VoIP Serviço fone@ms Projeto Piloto MS - RNP Alex Galhano Robertson Recife, 29 de maio de 2009 Agenda Serviços Digitais para Saúde O serviço fone@ms Visão Geral Premissas Treinamento A rede

Leia mais

Informática. 2 o Período 09/03/2012

Informática. 2 o Período 09/03/2012 Informática 2 o Período 09/03/2012 1 Agenda 1ª Parte Perguntas da aula do dia 28/02/2012 2ª Parte Redes: Protocolos e Serviços 1ª Parte Perguntas da aula do dia 28/02/2012 Grupo de 5 pessoas Perguntas

Leia mais

Investe São Paulo. Campinas, 17 de março de 2015

Investe São Paulo. Campinas, 17 de março de 2015 Investe São Paulo Campinas, 17 de março de 2015 Missão Ser a porta de entrada para novos investimentos e a expansão dos negócios existentes, gerando inovação tecnológica, emprego e renda. Promover a competitividade

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES II. Ricardo José Cabeça de Souza www.ricardojcsouza.com.br

REDES DE COMPUTADORES II. Ricardo José Cabeça de Souza www.ricardojcsouza.com.br REDES DE COMPUTADORES II Ricardo José Cabeça de Souza www.ricardojcsouza.com.br Comutação de Células ATM - Um comutador é formado por várias portas associadas às linhas físicas - Função: - Recepção porta

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula Complementar - EQUIPAMENTOS DE REDE 1. Repetidor (Regenerador do sinal transmitido) É mais usado nas topologias estrela e barramento. Permite aumentar a extensão do cabo e atua na camada física

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Introdução. Edeyson Andrade Gomes. www.edeyson.com.br

Sistemas Distribuídos. Introdução. Edeyson Andrade Gomes. www.edeyson.com.br Sistemas Distribuídos Introdução Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br Agenda Definição de Sistemas Distribuídos Evolução Histórica Exemplos Comparação com Sistemas Centralizados Conclusão 2 Definição

Leia mais

REDES MPLS. Roteiro. Protocolos anteriores ao MPLS. Demanda crescente por largura de banda.

REDES MPLS. Roteiro. Protocolos anteriores ao MPLS. Demanda crescente por largura de banda. REDES MPLS PARTE 1 PROFESSOR: MARCOS A. A. GONDIM Roteiro Protocolos anteriores ao MPLS. Motivações para o uso de Redes MPLS. O Cabeçalho MPLS. Label Switch Router (LSR). Switched Path (LSP). Forwarding

Leia mais

Configuração de NFe. Acesse o módulo Administrativo.

Configuração de NFe. Acesse o módulo Administrativo. Configuração de NFe Para definir as configurações (Parâmetros) de cada empresa ou filial cadastrada no sistema para envios de NF-e, proceda da seguinte forma: Acesse o módulo Administrativo. Clique no

Leia mais

Avaya Networking. Rafael Rocha, Sales Engineer Westcon Convergence

Avaya Networking. Rafael Rocha, Sales Engineer Westcon Convergence Avaya Networking Rafael Rocha, Sales Engineer Westcon Convergence Programação 1. Introdução (02/set - 10:00) 2. Conceitos básicos I (16/set - 10:00) 3. Conceitos básicos II (07/out - 10:00) 4. Conhecimento

Leia mais

Francisco Tesifom Munhoz X.25 FRAME RELAY VPN IP MPLS

Francisco Tesifom Munhoz X.25 FRAME RELAY VPN IP MPLS X.25 FRAME RELAY VPN IP MPLS Redes remotas Prof.Francisco Munhoz X.25 Linha de serviços de comunicação de dados, baseada em plataforma de rede, que atende necessidades de baixo ou médio volume de tráfego.

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Projeto Executivo

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Projeto Executivo MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ANEXO III Modelo do Ministério Público do Trabalho Sumário 1. OBJETIVO... 3 2. PREMISSAS... 3 3. SOLUÇÃO

Leia mais

OPORTUNIDADE DE MERCADO. Explosão de dados

OPORTUNIDADE DE MERCADO. Explosão de dados SOLUÇÕES EM GERENCIAMENTO E ARMAZENAMENTO VIRTUALIZADO DE DADOS OPORTUNIDADE DE MERCADO Explosão de dados 2 INVESTIMENTO x DEMANDA NOVOS DESAFIOS Evolução dos custos/gb em projetos de virtualização de

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Redes de Computadores 3º Ano / 1º Semestre Eng. Electrotécnica Ano lectivo 2005/2006 Sumário Sumário Perspectiva evolutiva das redes telemáticas Tipos de redes Internet, Intranet

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INFORMÁTICA MARÇO DE 2010

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INFORMÁTICA MARÇO DE 2010 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INFORMÁTICA MARÇO DE 2010 1 2 PRODUTOS CADEIA PRODUTIVA DO SETOR DE INFORMÁTICA - 2007 Hardware Software Serviços 38,2% 11,8% 50,0% Computadores Gerenciamento

Leia mais

SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO

SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO FACSENAC SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO Projeto Lógico de Rede Versão: 1.2 Data: 25/11/2011 Identificador do documento: Documento de Visão V. 1.7 Histórico de revisões Versão Data Autor Descrição 1.0 10/10/2011

Leia mais

REDES DE 16/02/2010 COMPUTADORES

REDES DE 16/02/2010 COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Delfa M. HuatucoZuasnábar 2010 2 A década de 50 - Uso de máquinas complexas de grande porte operadas por pessoas altamente especializadas e o enfileiramento de usuários para submeter

Leia mais

profissional: desafios e integração

profissional: desafios e integração O papel das IES na formação profissional: desafios e integração da equipe de saúde Clarice A. Ferraz Coordenadora d Geral das Ações Técnicas em Educação na Saúde e Formação de Profissionais de Nível Médio

Leia mais

Os serviços do Grupo A2 atendem desde o usuário comum até as grandes corporações, através de cinco verticais de negócios.

Os serviços do Grupo A2 atendem desde o usuário comum até as grandes corporações, através de cinco verticais de negócios. O Grupo A2, Fundada em Maio de 1991, foi pioneira e líder em serviços de provimento de acesso à Internet Banda Larga em Salvador, Com uma base de mais de 350 prédios residenciais e comerciais com serviços

Leia mais

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

da mão-de-obra de TI da América Latina está no Brasil (considerado o maior empregador do setor) seguido pelo México com 23%.

da mão-de-obra de TI da América Latina está no Brasil (considerado o maior empregador do setor) seguido pelo México com 23%. Números de tecnologia 630 mil é o número de novos postos de trabalho em TI até 2009 9 em cada 10 PC s vendidos saem com Microsoft Windows 47% da mão-de-obra de TI da América Latina está no Brasil (considerado

Leia mais

Cliente/Servidor. Aplicações Cliente/Servidor em Redes de Alta Velocidade Autora: Graça Bressan/LARC 2000 GB/LARC/PCS/EPUSP

Cliente/Servidor. Aplicações Cliente/Servidor em Redes de Alta Velocidade Autora: Graça Bressan/LARC 2000 GB/LARC/PCS/EPUSP Cliente/Servidor Aplicações Cliente/Servidor em Redes de Alta Velocidade Autora: Graça Bressan Graça Bressan/LARC 1998 GB/LARC/PCS/EPUSP CS 11-1 Evolução das Tecnologias Computação Redes de comunicação

Leia mais

Equipamentos de Rede. Prof. Sérgio Furgeri 1

Equipamentos de Rede. Prof. Sérgio Furgeri 1 Equipamentos de Rede Repetidor (Regenerador do sinal transmitido)* Mais usados nas topologias estrela e barramento Permite aumentar a extensão do cabo Atua na camada física da rede (modelo OSI) Não desempenha

Leia mais

ANEXO XII INFRAESTRUTURA E SEGURANÇA. A finalidade desse Anexo é apresentar a infraestrutura e a segurança requeridas para a execução do Contrato.

ANEXO XII INFRAESTRUTURA E SEGURANÇA. A finalidade desse Anexo é apresentar a infraestrutura e a segurança requeridas para a execução do Contrato. 1 ANEXO XII INFRAESTRUTURA E SEGURANÇA 1. FINALIDADE A finalidade desse Anexo é apresentar a infraestrutura e a segurança requeridas para a execução do Contrato. 2. INFRAESTRUTURA PARA REALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS

Leia mais

CENAPAD-SP 15 ANOS APOIANDO A PESQUISA NACIONAL

CENAPAD-SP 15 ANOS APOIANDO A PESQUISA NACIONAL CENAPAD-SP 15 ANOS APOIANDO A PESQUISA NACIONAL Edison Z. da Silva Centro Nacional de Processamento de Alto Desempenho em São Paulo CENAPAD-SP, UNICAMP Computação de alto desempenho, a missão do CENAPAD-SP,

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (setembro/13) outubro de 2013 Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda

Leia mais

A rede Multiserviços da AcessoLINE Introdução ao MPLS

A rede Multiserviços da AcessoLINE Introdução ao MPLS 2015 1 A rede Multiserviços da AcessoLINE Introdução ao MPLS Marcelo Balbinot marcelo@alt.net.br Acessoline Telecom Agenda 2 Apresentação. A Empresa. Evolução do backbone. A tecnologia MPLS. Os serviços

Leia mais

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia.

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A EMPRESA A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A experiência da Future Technology nas diversas áreas de TI disponibiliza aos mercados público

Leia mais

Comunicação por meio de dispositivos móveis ainda tem muito para crescer no país

Comunicação por meio de dispositivos móveis ainda tem muito para crescer no país Comunicação por meio de dispositivos móveis ainda tem muito para crescer no país Atualmente, não dá para falar em mídias digitais sem considerar o mobile. Se por um lado os acessos móveis ganham força,

Leia mais

Gestão da Qualidade da Banda Larga

Gestão da Qualidade da Banda Larga Gestão da Qualidade da Banda Larga Agência Nacional de Telecomunicações Brasília, 17 de maio de 2013 METODOLOGIA DE MEDIÇÃO INDICADORES DE BANDA LARGA FIXA Avaliações realizadas através de medidores instalados

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (julho/2015) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

APOSTILA BÁSICA SOBRE INTERNET

APOSTILA BÁSICA SOBRE INTERNET APOSTILA BÁSICA SOBRE INTERNET DEFINIÇÕES BÁSICAS A Internet é um conjunto de redes de computadores interligados pelo mundo inteiro, ue têm em comum um conjunto de protocolos e serviços. O ue permite a

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Design de Rede Local Design Hierárquico Este design envolve a divisão da rede em camadas discretas. Cada camada fornece funções específicas que definem sua função dentro da rede

Leia mais

REDES INTRODUÇÃO À REDES

REDES INTRODUÇÃO À REDES REDES INTRODUÇÃO À REDES Simplificando ao extremo, uma rede nada mais é do que máquinas que se comunicam. Estas máquinas podem ser computadores, impressoras, telefones, aparelhos de fax, etc. Ex: Se interligarmos

Leia mais

Semicondutores Panorama Brasil ABINEE TEC 2003

Semicondutores Panorama Brasil ABINEE TEC 2003 Semicondutores Panorama Brasil ABINEE TEC 2003 Henrique de Oliveira Miguel São Paulo, 7 de outubro de 2003 Panorama Brasil 1. PNM-Design 2. A INDÚSTRIA DE SEMICONDUTORES NO BRASIL 3. GRUPOS DE PESQUISA

Leia mais

UFF-Fundamentos de Sistemas Multimídia. Redes de Distribuição de Conteúdo (CDN)

UFF-Fundamentos de Sistemas Multimídia. Redes de Distribuição de Conteúdo (CDN) Redes de Distribuição de Conteúdo (CDN) Objetivos da Apresentação Apresentar as arquiteturas de Redes de Distribuição de Conteúdo (CDN) com a ilustração de aplicações em ambientes corporativos e residenciais.

Leia mais

Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Educação. Novembro de 2015

Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Educação. Novembro de 2015 Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Educação Novembro de 2015 acesso móvel TV por assinatura telefone fixo banda larga fixa Panorama Setorial - Tradicional 44,1 milhões de assinantes 25,2

Leia mais

UN 4 0,00 Catraca pedestal com cofre com leitor smart card

UN 4 0,00 Catraca pedestal com cofre com leitor smart card ITEM 1 - Município - Rio de Janeiro - RJ ANEXO II DO TERMO DE REFERÊNCIA QT Valor Unitário R$ Valor Total R$ 1 - Projeto (verba para infraestrutura e ativação local) VB 1 Software de Acesso - Licença Web

Leia mais

MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER

MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER TÁSSIO JOSÉ GONÇALVES GOMES tassiogoncalvesg@gmail.com MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 TÁSSIO GONÇALVES - TASSIOGONCALVESG@GMAIL.COM 1 CONTEÚDO Arquitetura

Leia mais

V3PN Voice, Video and Integrated Data IP. Palestra V3PN

V3PN Voice, Video and Integrated Data IP. Palestra V3PN V3PN Voice, Video and Integrated Data IP V3PN Voice, Video and Integrated Data Palestrante André Gustavo Lomônaco Diretor de Tecnologia da IPPLUS Tecnologia Mestre em Engenharia Elétrica Certificado Cisco

Leia mais

Oficina de Avaliação sobre a Implantação e Utilização do e-sus AB GT e-sus AB/DAB/SAS/MS Maio de 2015

Oficina de Avaliação sobre a Implantação e Utilização do e-sus AB GT e-sus AB/DAB/SAS/MS Maio de 2015 Estratégia e-sus AB caminhos da implantação Oficina de Avaliação sobre a Implantação e Utilização do e-sus AB GT e-sus AB/DAB/SAS/MS Maio de 2015 Assista o vídeo que mostra como os profissionais de saúde

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS PROJETO INTEGRADOR GERENCIA DE REDES DE COMPUTADORES 4º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação Alunos: Erik de Oliveira, Douglas Ferreira, Raphael Beghelli, João

Leia mais

ANEXO II PERFIL DOS ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER 1. FORMAÇÃO, CONHECIMENTO E HABILIDADES EXIGIDAS:

ANEXO II PERFIL DOS ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER 1. FORMAÇÃO, CONHECIMENTO E HABILIDADES EXIGIDAS: PREGÃO PRESENCIAL Nº 001/2009 1 ANEXO II PERFIL DOS ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER 1. FORMAÇÃO, CONHECIMENTO E HABILIDADES EXIGIDAS: 1.1. FORMAÇÃO ACADÊMICA EXIGIDA PARA TODOS OS PERFIS

Leia mais

NAS Network Attached Storage

NAS Network Attached Storage NAS Network Attached Storage Evolução Tecnológica 1993 Primeiro appliance de storage NAS; 1996 Primeiro protocolo de backup em rede NDMP; 1996 Primeiro storage multi-protocolo UNIX/Windows; 1997 Primeiro

Leia mais

Os Desafios do Estado na implementação dos Parques Tecnológicos

Os Desafios do Estado na implementação dos Parques Tecnológicos Os Desafios do Estado na implementação dos Parques Tecnológicos Marcos Cintra Subsecretário de Ciência e Tecnologia Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia Outubro/2013 Brasil 7ª

Leia mais

BIBLIOTECA VIRTUAL EM SAÚDE PSICOLOGIA BVS-PSI

BIBLIOTECA VIRTUAL EM SAÚDE PSICOLOGIA BVS-PSI BIBLIOTECA VIRTUAL EM SAÚDE PSICOLOGIA BVS-PSI ANÁLISE DAS REFERÊNCIAS DAS DISSERTAÇÕES E TESES APRESENTADAS AOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA Trabalho integrado da Rede Brasileira de Bibliotecas

Leia mais

Workshop de Virtualização de Desktops. Braga, 12 de Junho de 2013

Workshop de Virtualização de Desktops. Braga, 12 de Junho de 2013 Workshop de Virtualização de Desktops Braga, 12 de Junho de 2013 AGENDA AGENDA 09h30 Welcome Coffee Sala contígua ao Auditório do ILCH-UMinho, no piso 0 09h50 Boas Vindas Luís Costa, Senior Account Manager,

Leia mais

Documento de Requisitos de Rede (DRP)

Documento de Requisitos de Rede (DRP) Documento de Requisitos de Rede (DRP) Versão 1.2 SysTrack - Grupo 1 1 Histórico de revisões do modelo Versão Data Autor Descrição 1.0 30/04/2011 João Ricardo Versão inicial 1.1 1/05/2011 André Ricardo

Leia mais

Transparência e Internet, as Telecomunicações apoiando a Administração Pública Case Prefeitura de São Paulo

Transparência e Internet, as Telecomunicações apoiando a Administração Pública Case Prefeitura de São Paulo Transparência e Internet, as Telecomunicações apoiando a Administração Pública Case Prefeitura de São Paulo Data:17 de Julho de 2009 Índice 01 Evolução da Internet - História (comercialização dos Backbones)

Leia mais

Segurança de Redes de Computadores

Segurança de Redes de Computadores Segurança de Redes de Computadores Aula 10 Segurança na Camadas de Rede Redes Privadas Virtuais (VPN) Prof. Ricardo M. Marcacini ricardo.marcacini@ufms.br Curso: Sistemas de Informação 1º Semestre / 2015

Leia mais

Fabrício Tamusiunas. Michel Vale Ferreira

Fabrício Tamusiunas. Michel Vale Ferreira PTT-Forum 6 Panorama das Medições de Qualidade Internet em 2012 e Novas Medições Fabrício Tamusiunas NIC.br Michel Vale Ferreira NIC.br Projetos de Medições no NIC.br Banda Larga Fixa Qualidade da conexão

Leia mais

Projeto de sistemas O novo projeto do Mercado Internet

Projeto de sistemas O novo projeto do Mercado Internet Projeto de sistemas O novo projeto do Mercado Internet Mercados em potencial de serviços Serviços da Web ftp,http,email,news,icq! Mercados em potencial de serviços FTP IRC Telnet E-mail WWW Videoconferência

Leia mais

GESTÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS II

GESTÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS II GESTÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS II Servidores Definição Servidores História Servidores Tipos Servidores Hardware Servidores Software Evolução do Windows Server Windows Server 2003 Introdução Windows Server

Leia mais

Professor: Roberto Franciscatto. Curso: Engenharia de Alimentos 01/2010 Aula 3 Sistemas Operacionais

Professor: Roberto Franciscatto. Curso: Engenharia de Alimentos 01/2010 Aula 3 Sistemas Operacionais Professor: Roberto Franciscatto Curso: Engenharia de Alimentos 01/2010 Aula 3 Sistemas Operacionais Um conjunto de programas que se situa entre os softwares aplicativos e o hardware: Gerencia os recursos

Leia mais

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA. Curso: Redes de Computadores e Telecomunicações

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA. Curso: Redes de Computadores e Telecomunicações UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA Curso: Redes de Computadores Módulo 2 - Conceitos e Fundamentos Evolução das Redes d LAN, MAN e WAN Material de Apoio 2011 / sem2 Prof. Luiz Shigueru Seo CONCEITOS e FUNDAMENTOS

Leia mais

Sumário. Introdução...xi. 1 Implementação e configuração de uma infraestrutura de implantação do Windows... 1

Sumário. Introdução...xi. 1 Implementação e configuração de uma infraestrutura de implantação do Windows... 1 Introdução.....................................xi Requisitos de hardware (Hyper-V).............................. xi Requisitos de software...................................... xii Instruções de configuração...................................

Leia mais

Perfil dos Gastos Educacionais e o Custo Aluno-Qualidade Inicial (CAQi) Daniel Cara, coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

Perfil dos Gastos Educacionais e o Custo Aluno-Qualidade Inicial (CAQi) Daniel Cara, coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação. Perfil dos Gastos Educacionais e o Custo Aluno-Qualidade Inicial (CAQi) Daniel Cara, coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação. Missão do CAQi: Definir o padrão mínimo de qualidade,

Leia mais

Gerência de Redes. Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com

Gerência de Redes. Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com Gerência de Redes Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com Plano de Aula Histórico Introdução Gerenciamento de Redes: O que é Gerenciamento de Redes? O que deve ser gerenciado Projeto de Gerenciamento

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Introdução a Microinformática Turma H Redes e Internet Giordane Lima Porque ligar computadores em Rede? Compartilhamento de arquivos; Compartilhamento de periféricos; Mensagens

Leia mais

GT Qualidade de Serviço 2 (GT-QoS2) V WRNP2

GT Qualidade de Serviço 2 (GT-QoS2) V WRNP2 GT Qualidade de Serviço 2 (GT-QoS2) V WRNP2 José Augusto Suruagy Monteiro www.nuperc.unifacs.br/gtqos2 Gramado, 13 de Maio de 2004 2003 RNP GT-QoS2 Contexto Continuação das atividades iniciadas com o GT-QoS.

Leia mais