Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS"

Transcrição

1 Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2015 Unidade de Estudos Econômicos

2 O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações Além da forte queda da indústria (-18,5%), ressalta-se o fato de que somente um setor (Tabaco) registrou crescimento ante janeiro de Além disso, 16 segmentos sofreram um recuo maior em comparação com o restante do Brasil. Importações Houve um aumento de 8.700% para a categoria Combustíveis e Lubrificantes, em função da elevação das importações de petróleo bruto. Essas foram incentivadas pela baixa cotação da commodity no mercado internacional. Saldo Apesar das exportações terem caído mais que as importações, o saldo comercial do RS permaneceu no terreno positivo.

3 PRINCIPAIS ESTADOS EXPORTADORES NO MÊS (em ) jan/14 Part(%) jan/15 Part(%) Var (%) São Paulo ,1% ,1% -18,1% -698 Minas Gerais ,2% ,0% -26,4% -687 Rio de Janeiro ,8% ,7% -6,6% -104 Rio Grande do Sul ,7% 967 7,1% -10,5% -113 Pará ,2% 925 6,7% -29,7% -390 Espírito Santo 982 6,1% 912 6,7% -7,1% -70 Paraná 905 5,6% 904 6,6% -0,1% -1 Mato Grosso 805 5,0% 688 5,0% -14,5% -117 Bahia 682 4,3% 547 4,0% -19,8% -135 Santa Catarina 556 3,5% 519 3,8% -6,7% -37 Total do Grupo ,6% ,7% -16,4% Total Geral ,0% ,0% -14,5%

4 PRINCIPAIS DESTINOS DAS EXPORTAÇÕES DO RS NO MÊS (em ) jan/14 Part(%) jan/15 Part(%) Var (%) Argentina ,0% 78 8,1% -27,8% -30 Estados Unidos 93 8,6% 76 7,9% -18,3% -17 Holanda 43 4,0% 64 6,6% 48,8% 21 Coreia do Sul 30 2,8% 53 5,5% 76,7% 23 Tailândia 1 0,1% 39 4,0% 3800,0% 38 Eslovênia 32 3,0% 39 4,0% 21,9% 7 Uruguai 45 4,2% 32 3,3% -28,9% -13 Bangladesh - 0,0% 28 2,9% - 28 Paraguai 92 8,5% 26 2,7% -71,7% -66 Alemanha 55 5,1% 26 2,7% -52,7% -29 Total do Grupo ,2% ,7% -7,6% -38 Total Geral ,0% ,0% -10,5% -114

5 EXPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL POR SEGMENTO NO MÊS (em ) jan/14 Part. (%) jan/15 Part. (%) Var. (%) Alimentos ,2% ,4% -10,0% -36 Químicos ,2% ,1% -21,5% -40 Tabaco 79 7,3% 92 9,5% 16,5% 13 Couro e calçados 79 7,3% 65 6,7% -17,7% -14 Máquinas e equipamentos 90 8,3% 64 6,6% -28,9% -26 Veículos automotores, reboques e carrocerias 56 5,2% 52 5,4% -7,1% -4 Borracha e plástico 26 2,4% 22 2,3% -15,4% -4 Produtos de metal 25 2,3% 20 2,1% -20,0% -5 Materiais elétricos 16 1,5% 14 1,4% -12,5% -2 Móveis 14 1,3% 12 1,2% -14,3% -2 Têxteis 8 0,7% 7 0,7% -12,5% -1 Celulose e Papel 15 1,4% 7 0,7% -53,3% -8 Produtos diversos 7 0,6% 6 0,6% -14,3% -1 Metalurgia 7 0,6% 6 0,6% -14,3% -1 Minerais não-metálicos 7 0,6% 4 0,4% -42,9% -3 Madeira 4 0,4% 4 0,4% 0,0% 0 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos 3 0,3% 3 0,3% 0,0% 0 Vestuário e acessórios 2 0,2% 2 0,2% 0,0% 0 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis 58 5,4% 2 0,2% -96,6% -56 Material de transporte 3 0,3% 1 0,1% -66,7% -2 Extrativa mineral 1 0,1% 1 0,1% 0,0% 0 Bebidas 1 0,1% - 0,0% -100,0% -1 Farmoquímicos e farmacêuticos 1 0,1% - 0,0% -100,0% -1 Impressão e reprodução de gravações - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Indústrias diversas - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Total da Indústria ,9% ,21% -18,5% -194 Básicos 22 2,0% ,7% 368,2% 81 Serviços - 0,0% - 0,0% - 0 Transações Especiais 11 1,0% 11 1,1% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% -10,5% -113

6 MILHÕES EXPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL NOS MESES DE JANEIRO

7 R$ MILHÕES EXPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL NOS MESES DE JANEIRO Fonte: MDIC/SECEX, deflacionados pelo IPCA acumulado até jan/2015.

8 EXPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL POR GRUPO DE PRODUTOS NO MÊS (em ) jan/14 jan/15 Var(%) Milhões Adubos, fertilizantes e defensivos ,2% -1 Automóveis, camionetas e utilitários ,1% 0 Autopeças ,1% 0 Calçados ,2% -12 Caminhões e ônibus ,6% 2 Carrocerias e reboques para veículos automotores ,5% -3 Couro ,9% -2 Edição e Impressão ,4% 0 Laminados longos e planos de aço ,1% -1 Laticínios ,9% 1 Máquinas e implementos agrícolas, exceto tratores ,6% -7 Medicamentos e fármacos ,7% -1 Petroquímicos ,4% -4 Plásticos e suas obras ,2% -2 Tratores ,6% -11 Vestuário ,5% 0 Vinho ,7% 0 Total do Grupo ,1% -42 Total Geral ,5% -114

9 EXPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO DO RS NO MÊS (em ) jan/14 Part. (%) jan/15 Part. (%) Var. (%) Complexo Soja (componentes selecionados) ,5% ,5% -10,6% -18 Soja (grão) 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Óleo de soja 30 5,4% 16 2,7% -46,6% -14 Farelo de soja ,1% ,8% -2,9% -5 Milho (grão) 0 0,0% 1 0,1% 0,0% 1 Trigo (grão) 4 0,8% 92 15,4% 1958,7% 88 Complexo Carnes (componentes selecionados) ,2% ,1% -5,1% -6 Carne de frango in natura 72 12,8% 63 10,5% -12,7% -9 Carne de frango industrializada 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Carne suína in natura 21 3,8% 23 3,9% 8,4% 2 Carne bovina in natura 5 0,8% 5 0,9% 12,6% 0 Carne bovina industrializada 10 1,8% 11 1,9% 11,9% 1 Demais produtos do agronegócio ,5% ,9% -9,7% -27 Agronegócio ,8% ,8% 6,8% 38 Total Geral ,0% ,0% -10,5% -113

10 EXPORTAÇÕES DA AGROINDÚSTRIA DO RS NO MÊS (em ) jan/14 Part(%) jan/15 Part(%) Var (%) Soja ,8% ,2% -10,6% -18 Aves 74 18,6% 65 18,5% -12,0% -9 Bovinos, Suínos e outras reses 42 10,7% 45 12,6% 5,2% 2 Couros e peles curtidos e produtos similares 32 8,0% 30 8,6% -4,8% -2 Máquinas e Equipamentos 32 8,0% 28 7,8% -13,9% -4 Arroz 17 4,4% 19 5,2% 6,6% 1 Tabaco 7 1,7% 5 1,4% -26,3% -2 Celulose 11 2,8% 3 0,9% -71,8% -8 Desdobramento de madeira 2 0,4% 2 0,6% 36,0% 1 Adubos e Fertilizantes 4 0,9% 2 0,5% -49,5% -2 Rações, suplementos vitamínicos ou semelhantes 1 0,3% 1 0,3% -25,5% 0 Milho 0 0,0% 0 0,1% 1406,9% 0 Outros 0 0,1% 0 0,1% -1,8% 0 Inseticidas, herbicidas e outros defensivos para uso agropecuário 0 0,0% 0 0,1% 2232,5% 0 Laranja 5 1,2% 0 0,1% -95,6% -4 Produtos Veterinários, dosados 0 0,0% 0 0,0% -26,8% 0 Trigo - 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Leite 0 0,0% 0 0,0% 807,5% 0 Cana-de-açúcar 0 0,0% - 0,0% -100,0% 0 Agroindústria ,0% ,0% -11,3% -45 Total geral

11 EXPORTAÇÕES DO RS POR CATEGORIA DE USO NO MÊS (em ) jan/14 Part. (%) jan/15 Part. (%) Var. (%) Bens intermediários ,4% ,7% -8,9% -65 Bens de consumo não-duráveis ,5% ,8% -9,0% -16 Bens de capital 96 8,9% 80 8,3% -16,7% -16 Bens de consumo semiduráveis 42 3,9% 32 3,3% -23,8% -10 Bens de consumo duráveis 25 2,3% 18 1,9% -28,0% -7 Transações especiais 11 1,0% 11 1,1% 0,0% 0 Combustíveis e lubrificantes 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Bens não especificados em outra categoria 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% -10,5% -114

12 EXPORTAÇÕES DO RS POR INTENSIDADE TECNOLÓGICA NO MÊS (em ) jan/14 Part. (%) jan/15 Part. (%) Var. (%) Baixa tecnologia ,9% ,0% -4,6% -23 Média-alta tecnologia ,8% ,0% -15,3% -56 Produtos não industriais 83 7,7% ,0% 27,7% 23 Média-baixa tecnologia ,2% 63 6,5% -47,9% -58 Alta tecnologia 16 1,5% 15 1,6% -6,3% -1 Total ,0% ,0% -10,6% -115

13 IMPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL POR SEGMENTO NO MÊS (em ) jan/14 Part. (%) jan/15 Part. (%) Var. (%) Químicos ,0% ,1% -8,1% -10 Veículos automotores, reboques e carrocerias ,3% ,7% -48,1% -103 Máquinas e equipamentos ,6% ,6% -20,2% -26 Extrativa mineral 1 0,1% 87 12,3% 8600,0% 86 Borracha e plástico 32 4,4% 28 4,0% -12,5% -4 Materiais elétricos 25 3,4% 27 3,8% 8,0% 2 Produtos de metal 25 3,4% 26 3,7% 4,0% 1 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos 38 5,2% 25 3,5% -34,2% -13 Metalurgia 22 3,0% 25 3,5% 13,6% 3 Alimentos 20 2,7% 19 2,7% -5,0% -1 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis 1 0,1% 17 2,4% 1600,0% 16 Produtos diversos 15 2,1% 15 2,1% 0,0% 0 Têxteis 13 1,8% 15 2,1% 15,4% 2 Minerais não-metálicos 8 1,1% 11 1,6% 37,5% 3 Celulose e Papel 7 1,0% 6 0,8% -14,3% -1 Móveis 6 0,8% 6 0,8% 0,0% 0 Farmoquímicos e farmacêuticos 3 0,4% 6 0,8% 100,0% 3 Material de transporte 3 0,4% 5 0,7% 66,7% 2 Couro e calçados 3 0,4% 4 0,6% 33,3% 1 Bebidas 2 0,3% 3 0,4% 50,0% 1 Vestuário e acessórios 1 0,1% 3 0,4% 200,0% 2 Tabaco 5 0,7% 2 0,3% -60,0% -3 Madeira 2 0,3% 1 0,1% -50,0% -1 Impressão e reprodução de gravações - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Indústrias diversas - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Total da Indústria ,6% ,21% -5,7% -40 Básicos 32 4,4% 48 6,8% 50,0% 16 Serviços - 0,0% - 0,0% - 0 Transações Especiais - 0,0% - 0,0% - 0 Total Geral ,0% ,0% -3,3% -24

14 IMPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL POR GRUPO DE PRODUTOS NO MÊS (em ) jan/14 jan/15 Var(%) Milhões Adubos, fertilizantes e defensivos ,5% -7 Automóveis, camionetas e utilitários ,2% -77 Autopeças ,7% -4 Calçados ,9% 1 Caminhões e ônibus ,4% -1 Carrocerias e reboques para veículos automotores ,8% -1 Couro ,8% 0 Edição e Impressão 0 0-5,7% 0 Laminados longos e planos de aço ,7% 2 Laticínios ,8% 2 Máquinas e implementos agrícolas, exceto tratores ,4% -7 Medicamentos e fármacos ,7% 3 Petroquímicos ,1% 4 Plásticos e suas obras ,2% -3 Tratores ,3% -6 Vestuário ,3% 1 Vinho ,6% 1 Total do Grupo ,0% -92 Total Geral ,3% -24

15 IMPORTAÇÕES DO RS POR CATEGORIAS DE USO NO MÊS (em ) jan/14 Part. (%) jan/15 Part. (%) Var. (%) Bens intermediários ,0% ,8% -6,8% -30 Bens de capital ,9% ,8% -16,9% -27 Combustíveis e lubrificantes 1 0,1% 88 12,4% 8700,0% 87 Bens de consumo não-duráveis 31 4,2% 30 4,2% -3,2% -1 Bens de consumo duráveis 81 11,1% 24 3,4% -70,4% -57 Bens de consumo semiduráveis 12 1,6% 16 2,3% 33,3% 4 Bens não especificados em outra categoria 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Transações especiais 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% -3,3% -24

16 SALDO COMERCIAL DO RIO GRANDE DO SUL NO MÊS (em ) jan/14 jan/15 Var. (%) Alimentos ,3% -35 Bebidas ,0% -2 Borracha e plástico ,0% 0 Celulose e Papel ,5% -7 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis ,3% -72 Couro e calçados ,7% -15 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos ,1% 13 Extrativa mineral Farmoquímicos e farmacêuticos ,0% -4 Impressão e reprodução de gravações 0 0 0,0% 0 Indústrias diversas Madeira ,0% 1 Máquinas e equipamentos ,0% 0 Materiais elétricos ,4% -4 Material de transporte Metalurgia ,7% -4 Minerais não-metálicos ,0% -6 Móveis ,0% -2 Produtos de metal Produtos diversos ,5% -1 Químicos ,4% -30 Tabaco ,6% 16 Têxteis ,0% -3 Veículos automotores, reboques e carrocerias ,7% 99 Vestuário e acessórios ,0% -2 Total da Indústria ,3% -154 Básicos ,0% 65 Serviços 0 0 0,0% 0 Transações Especiais ,0% 0 Total Geral ,5% -89

17 BALANÇA COMERCIAL DO BRASIL Janeiro de 2015

18 O COMÉRCIO EXTERIOR DO BR EM JANEIRO Exportações Mais da metade da queda das exportações totais é explicada pelo segmento da indústria Extrativa Mineral, em função da redução de 58,8% das exportações de minério de ferro. Isso porque a cotação internacional da commodity apresentou queda de 48,9% em comparação com janeiro de Importações As importações registraram forte retração (16,0%), com todas as categorias de uso apresentando recuo. Além da desvalorização de 10,6% da taxa de câmbio média frente janeiro de 2014, a estagnação da economia brasileira e o pessimismo dos empresários industriais em relação ao futuro ajudam a explicar esses resultados. Saldo Tipicamente, o mês de janeiro é caracterizado por um saldo da balança comercial mais fraco, em função das férias coletivas das empresas e da entressafra agrícola, o que acaba impactando as exportações.

19 PRINCIPAIS DESTINOS DAS EXPORTAÇÕES DO BR NO MÊS (em ) jan/14 Part(%) jan/15 Part(%) Var (%) Estados Unidos ,2% ,4% -7,1% -151 China ,6% ,8% -38,2% -833 Argentina ,5% 852 6,2% -29,4% -355 Holanda ,4% 772 5,6% -34,7% -410 Alemanha 318 2,0% 444 3,2% 39,6% 126 Japão 529 3,3% 425 3,1% -19,7% -104 Índia 396 2,5% 417 3,0% 5,3% 21 Reino Unido 255 1,6% 303 2,2% 18,8% 48 Chile 368 2,3% 295 2,2% -19,8% -73 Itália 325 2,0% 281 2,1% -13,5% -44 Total do Grupo ,4% ,8% -20,0% Total Geral ,0% ,0% -14,5%

20 EXPORTAÇÕES DO BRASIL POR SEGMENTOS NO MÊS (em ) jan/14 Part. (%) jan/15 Part. (%) Var. (%) Alimentos ,0% ,9% -10,6% -338 Extrativa mineral ,7% ,7% -35,9% Metalurgia ,5% ,7% 10,8% 183 Químicos 883 5,5% 739 5,4% -16,3% -144 Veículos automotores, reboques e carrocerias 931 5,8% 621 4,5% -33,3% -310 Celulose e Papel 689 4,3% 597 4,4% -13,4% -92 Máquinas e equipamentos 674 4,2% 476 3,5% -29,4% -198 Material de transporte 381 2,4% 330 2,4% -13,4% -51 Couro e calçados 310 1,9% 275 2,0% -11,3% -35 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis 439 2,7% 258 1,9% -41,2% -181 Materiais elétricos 260 1,6% 188 1,4% -27,7% -72 Borracha e plástico 199 1,2% 185 1,3% -7,0% -14 Madeira 139 0,9% 160 1,2% 15,1% 21 Minerais não-metálicos 136 0,8% 154 1,1% 13,2% 18 Têxteis 105 0,7% 139 1,0% 32,4% 34 Tabaco 104 0,6% 137 1,0% 31,7% 33 Produtos de metal 148 0,9% 132 1,0% -10,8% -16 Farmoquímicos e farmacêuticos 97 0,6% 97 0,7% 0,0% 0 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos 81 0,5% 89 0,6% 9,9% 8 Produtos diversos 85 0,5% 82 0,6% -3,5% -3 Móveis 42 0,3% 37 0,3% -11,9% -5 Bebidas 26 0,2% 27 0,2% 3,8% 1 Vestuário e acessórios 11 0,1% 10 0,1% -9,1% -1 Impressão e reprodução de gravações 4 0,0% 2 0,0% -50,0% -2 Indústrias diversas 1 0,0% - 0,0% -100,0% -1 Total da Indústria ,0% ,85% -17,5% Básicos ,3% ,9% 27,7% 324 Serviços 4 0,0% 6 0,0% 50,0% 2 Transações Especiais 423 2,6% 303 2,2% -28,4% -120 Total Geral ,0% ,0% -14,5%

21 EXPORTAÇÕES DO BRASIL POR CATEGORIA DE USO NO MÊS (em ) jan/14 Part. (%) jan/15 Part. (%) Var. (%) Bens intermediários ,5% ,3% -14,8% Bens de consumo não-duráveis ,0% ,8% -10,6% -290 Combustíveis e lubrificantes ,9% ,9% 10,0% 111 Bens de capital ,8% 775 5,7% -28,8% -313 Transações especiais 423 2,6% 303 2,2% -28,4% -120 Bens de consumo duráveis 373 2,3% 186 1,4% -50,1% -187 Bens de consumo semiduráveis 130 0,8% 109 0,8% -16,2% -21 Bens não especificados em outra categoria 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% -14,5%

22 IMPORTAÇÕES DO BRASIL POR SEGMENTO NO MÊS (em ) jan/14 Part. (%) jan/15 Part. (%) Var. (%) Químicos ,9% ,9% -9,9% -275 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos ,8% ,5% -18,2% -432 Máquinas e equipamentos ,5% ,2% -18,6% -394 Extrativa mineral ,5% ,1% -19,5% -372 Veículos automotores, reboques e carrocerias ,8% ,4% -28,6% -566 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis ,2% ,5% -31,1% -574 Material de transporte ,1% ,1% 0,3% 3 Metalurgia 842 4,2% 851 5,0% 1,1% 9 Materiais elétricos 891 4,4% 803 4,8% -9,9% -88 Farmoquímicos e farmacêuticos 654 3,3% 615 3,6% -6,0% -39 Alimentos 550 2,7% 503 3,0% -8,5% -47 Borracha e plástico 526 2,6% 451 2,7% -14,3% -75 Produtos de metal 474 2,4% 413 2,4% -12,9% -61 Produtos diversos 381 1,9% 334 2,0% -12,3% -47 Têxteis 338 1,7% 325 1,9% -3,8% -13 Vestuário e acessórios 274 1,4% 251 1,5% -8,4% -23 Minerais não-metálicos 213 1,1% 193 1,1% -9,4% -20 Celulose e Papel 158 0,8% 140 0,8% -11,4% -18 Couro e calçados 123 0,6% 116 0,7% -5,7% -7 Bebidas 100 0,5% 80 0,5% -20,0% -20 Móveis 61 0,3% 57 0,3% -6,6% -4 Impressão e reprodução de gravações 27 0,1% 24 0,1% -11,1% -3 Madeira 13 0,1% 12 0,1% -7,7% -1 Indústrias diversas 3 0,0% 3 0,0% 0,0% 0 Tabaco 6 0,0% 2 0,0% -66,7% -4 Total da Indústria ,9% ,32% -15,6% Básicos 422 2,1% 277 1,6% -34,4% -145 Serviços 6 0,0% 6 0,0% 0% 0 Transações Especiais - 0,0% - 0,0% - 0 Total Geral ,0% ,0% -16,0%

23 IMPORTAÇÕES DO BRASIL POR CATEGORIAS DE USO NO MÊS (em ) jan/14 Part. (%) jan/15 Part. (%) Var. (%) Bens intermediários ,0% ,6% -15,1% Bens de capital ,2% ,8% -12,8% -418 Combustíveis e lubrificantes ,1% ,7% -27,5% -560 Bens de consumo não-duráveis ,5% ,1% -9,2% -121 Bens de consumo duráveis 805 4,0% 589 3,5% -26,8% -216 Bens de consumo semiduráveis 633 3,2% 555 3,3% -12,3% -78 Bens não especificados em outra categoria 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Transações especiais 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% -16,0%

24 SALDO COMERCIAL DO BRASIL NO MÊS (em ) jan/14 jan/15 Var. (%) Alimentos ,0% -291 Bebidas ,4% 21 Borracha e plástico ,7% 61 Celulose e Papel ,9% -74 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis ,0% 393 Couro e calçados ,0% -28 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos ,1% 440 Extrativa mineral ,7% -991 Farmoquímicos e farmacêuticos ,0% 39 Impressão e reprodução de gravações ,3% 1 Indústrias diversas ,0% -1 Madeira ,5% 22 Máquinas e equipamentos ,6% 196 Materiais elétricos ,5% 16 Material de transporte ,4% -54 Metalurgia ,5% 174 Minerais não-metálicos ,4% 38 Móveis ,3% -1 Produtos de metal ,8% 45 Produtos diversos ,9% 44 Químicos ,9% 131 Tabaco ,8% 37 Têxteis ,2% 47 Veículos automotores, reboques e carrocerias ,5% 256 Vestuário e acessórios ,4% 22 Total da Indústria ,4% 543 Básicos ,8% 469 Serviços ,0% 2 Transações Especiais ,4% -120 Total Geral ,0% 894

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JULHO Exportações As exportações da indústria atingiram o nível mais baixo desde 2006 para o

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM AGOSTO Exportações As exportações da indústria registraram o nível mais baixo para o mês desde

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro 2013 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM 2013 Exportações A contabilização como exportação de três plataformas de petróleo e gás somou

Leia mais

Boletim da Balança Comercial do RS Dezembro de 2016

Boletim da Balança Comercial do RS Dezembro de 2016 Boletim da Balança Comercial do RS Dezembro de 2016 Tópicos 1. Exportações do Rio Grande do Sul Dezembro Setores de atividade CNAE 2.0 Principais destinos 2. Importações do Rio Grande do Sul Dezembro Setores

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações Apesar do bom crescimento de Produtos Alimentícios e Máquinas e Equipamentos,

Leia mais

IGP-M registra variação de 0,51% em março

IGP-M registra variação de 0,51% em março Segundo Decêndio Março de 2014 IGP-M registra variação de 0,51% em março O Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) variou 0,51%, em março. Em fevereiro, o índice variou 1,29%. Em março de 2015, a variação

Leia mais

ano IV, n 46 Fevereiro de 2015

ano IV, n 46 Fevereiro de 2015 ano IV, n 46 Fevereiro de 2015 SÍNTESE JANEIRO DE 2015 Em US$ milhões Período Exportações Importações Saldo Janeiro 13.704 16.878-3.174 Variação em relação a Janeiro de 2014-14,5 % -16,0 % 894 Acumulado

Leia mais

IGP-M registra variação de 0,33% em abril

IGP-M registra variação de 0,33% em abril Segundo Decêndio Março de 2014 IGP-M registra variação de 0,33% em abril O Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) variou 0,33%, em abril. Em março, o índice variou 0,51%. Em abril de 2015, a variação foi

Leia mais

ano XVIII, n 1, Janeiro de 2014

ano XVIII, n 1, Janeiro de 2014 ano XVIII, n 1, Janeiro de 2014 EM FOCO O índice de preços das exportações encerrou o ano de 2013 com queda de 3,2% em relação ao ano anterior. A redução dos preços de exportação foi generalizada, afetando

Leia mais

ano XVI, n 6, junho de 2012

ano XVI, n 6, junho de 2012 ,, junho de 2012 EM FOCO O índice de preços das exportações apresentou alta de 0,3% em maio na comparação com abril, causada pela evolução positiva em produtos básicos e manufaturados (0,4%). Contudo,

Leia mais

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS A INDÚSTRIA EM NÚMEROS Dezembro/2016 1. Desempenho conjuntural da indústria Principais indicadores da indústria Variável Out16/Set16 (%) dessaz. Out16/Out15 (%) Taxa acumulada nos últimos 12 meses; até

Leia mais

ano IV, n 40 agosto de 2014

ano IV, n 40 agosto de 2014 ano IV, n 40 agosto de 2014 SÍNTESE JULHO DE 2014 Em US$ milhões Período Exportações Importações Saldo Julho 23.024 21.450 1.574 Variação em relação a julho de 2013 10,7% - 5,5 % 3.473 Acumulado no ano

Leia mais

Indicadores selecionados do RS*

Indicadores selecionados do RS* 67 Indicadores selecionados do RS* Tabela 1 Taxas de crescimento da produção, da área colhida e da produtividade dos principais produtos da lavoura no Rio Grande do Sul /06 PRODUTOS / 2006/ (1) Produção

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012 US$ milhões FOB Período Dias Úteis EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil p/dia

Leia mais

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Diretoria Adjunta de Análise e Disseminação de Informações Gerência de Indicadores Econômicos Em fevereiro de 2016, no acumulado de 12 meses,

Leia mais

Desempenho da Indústria Catarinense

Desempenho da Indústria Catarinense FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA Desempenho da Indústria Catarinense Florianópolis, 20 de março de 2015 SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2015 INDICADOR SANTA CATARINA

Leia mais

ano V, n 46, Fevereiro de 2015

ano V, n 46, Fevereiro de 2015 ,, Fevereiro de 2015 EM FOCO O Índice de rentabilidade das exportações registrou queda de 10,1% em janeiro de 2015 na comparação com janeiro de 2014 (Tabela 1). A queda do Índice resultou da forte diminuição

Leia mais

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais.

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Dezembro/2014 OBJETIVO Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Permitir ainda, uma análise comparativa da evolução

Leia mais

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP P E S Q U I S A Centro das Indústrias do Estado de São Paulo CIESP Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP Resultados do mês de Junho de 2013 FIESP/CIESP - Pesquisa NIVEL DE EMPREGO

Leia mais

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP P E S Q U I S A Centro das Indústrias do Estado de São Paulo CIESP Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP Resultados do mês de Agosto de 2014 FIESP/CIESP - Pesquisa NIVEL DE EMPREGO

Leia mais

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP P E S Q U I S A Centro das Indústrias do Estado de São Paulo CIESP Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP Resultados do mês de Setembro de 2013 FIESP/CIESP - Pesquisa NIVEL DE EMPREGO

Leia mais

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP P E S Q U I S A Centro das Indústrias do Estado de São Paulo CIESP Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP Resultados do mês de Junho de 2011 FIESP/CIESP - Pesquisa NIVEL DE EMPREGO

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE AS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO

RELATÓRIO SOBRE AS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de fevereiro de 2015. COMPARAÇÃO DO MÊS DE FEVEREIRO DE

Leia mais

INFORME ESTATÍSTICO DA ECONOMIA BRASILEIRA

INFORME ESTATÍSTICO DA ECONOMIA BRASILEIRA Documento Interno para discussão Nº LC/BRS/R.289/Add.10-12 Outubro-Dezembro 2014 Original: Espanhol CEPAL COMISSÃO ECONÔMICA PARA A AMÉRICA LATINA E O CARIBE Escritório em Brasília INFORME ESTATÍSTICO

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares

BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares 1 BALANÇA COMERCIAL GOIÁS OUTUBRO 2015 US$ FOB MÊS EXPORTAÇÕES IMPORTAÇÕES SALDO OUTUBRO/2015 516.095.546 262.729.719 253.365.827 2 EVOLUÇÃO DA

Leia mais

PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG. Vale do Rio Grande

PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG. Vale do Rio Grande PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG Vale do Rio Grande Julho/2016 Objetivo Prover informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria no Estado de Minas Gerais e nas Regionais

Leia mais

ano V, n 47, Março de 2015

ano V, n 47, Março de 2015 ,, Março de 2015 EM FOCO Em fevereiro, o Índice de rentabilidade das exportações totais registrou aumento de 2,6%, em relação a janeiro. O aumento da Rentabilidade exportadora no mês foi devido ao impacto

Leia mais

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Dezembro 2016

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Dezembro 2016 >> Exportações de produtos industriais Mato Grosso do Sul - Exportação de Produtos Industriais (Receita - US$) Grupos de Produtos Industriais Dezembro Janeiro a Dezembro 2015 2016 Var. % 2015 2016 Var.

Leia mais

Coeficientes de Exportação e Importação

Coeficientes de Exportação e Importação Coeficientes de Exportação e Importação Resultados de 2011 Roberto Giannetti da Fonseca Diretor Titular São Paulo, 07 de fevereiro de 2012 Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior -

Leia mais

Evolução dos coeficientes de exportação e importação da Indústria de Transformação

Evolução dos coeficientes de exportação e importação da Indústria de Transformação Evolução dos coeficientes de exportação e importação da Indústria de Transformação Gráfico 1 CE e PI da Indústria de transformação e taxa de câmbio real CE e PI(%) 20 A taxa média de câmbio efetiva real

Leia mais

Resultados de Junho de 2014

Resultados de Junho de 2014 Junho / 2014 Resultados de Junho de 2014 - Exportação: US$ 20,5 bi, em valor, e média diária de US$ 1,023 bilhão; sobre mai-14, aumento de 3,6%, pela média diária; sobre jun-13, redução de 3,5%, pela média

Leia mais

PRODUÇÃO INDUSTRIAL EM NOVEMBRO DE 2003:

PRODUÇÃO INDUSTRIAL EM NOVEMBRO DE 2003: PRODUÇÃO INDUSTRIAL EM NOVEMBRO DE 2003: CONDIÇÕES ADVERSAS DO MERCADO INTERNO LIMITAM A RECUPERAÇÃO INDUSTRIAL Segundo o IBGE, em novembro, a produção industrial cresceu 0,8% na comparação com o mês outubro,

Leia mais

Gráfico 1 Corrente de comércio Brasil - China entre 2006 e 2015 (US$ milhões)

Gráfico 1 Corrente de comércio Brasil - China entre 2006 e 2015 (US$ milhões) INFORMATIVO Nº. 48. JANEIRO de 216 COMÉRCIO BILATERAL BRASIL-CHINA Balança Comercial Em 215, a corrente de comércio Brasil-China totalizou 66,3 bilhões, de acordo com dados divulgados pelo Ministério do

Leia mais

Mogi das Cdr_mogi_das_cruzes 21 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE MOGI DAS CRUZES. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

Mogi das Cdr_mogi_das_cruzes 21 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE MOGI DAS CRUZES. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação Mogi das Cdr_mogi_das_cruzes 21 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE MOGI DAS CRUZES Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 16 de dezembro de 2016 A Diretoria Regional do CIESP de Mogi

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até maio de Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Exportações no período acumulado de janeiro até maio de Total das exportações do Rio Grande do Sul. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de maio de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO São Paulo, 20 de março de 2016 Fevereiro 2016 BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO Em fevereiro, a corrente de comércio brasileira totalizou US$ 23,7 bilhões,

Leia mais

Aspectos do comportamento da indústria brasileira no primeiro trimestre de Luiz Dias Bahia Nº 12

Aspectos do comportamento da indústria brasileira no primeiro trimestre de Luiz Dias Bahia Nº 12 Aspectos do comportamento da indústria brasileira no primeiro trimestre de 2013 Luiz Dias Bahia Nº 12 Brasília, julho de 2013 ASPECTOS DO COMPORTAMENTO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE

Leia mais

Relações Comerciais Brasil-Alemanha

Relações Comerciais Brasil-Alemanha Relações Comerciais Brasil-Alemanha Balança Comercial Brasil Alemanha / 2002 Mar 2015 (em mil US$ - FOB) Ano Exportação Importação Saldo Volume de Comércio 2002 2.539.954 4.418.971-1.879.016 6.958.926

Leia mais

Nota sobre os resultados da PIM-PF Regional 1. Agosto de 2016 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL

Nota sobre os resultados da PIM-PF Regional 1. Agosto de 2016 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL Nota sobre os resultados da PIM-PF Regional 1 Agosto de 2016 A produção física da Indústria de Transformação da Bahia apresentou queda de 5,3%, na comparação dos últimos 12 meses, terminados em agosto,

Leia mais

Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria

Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria Rede Setorial da Indústria Os desafios setoriais à competitividade da indústria brasileira Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria São Paulo, 10 de setembro de 2013 ROTEIRO

Leia mais

Triângulo Mineiro. Regional Setembro 2010

Triângulo Mineiro. Regional Setembro 2010 Triângulo Mineiro O mapa mostra a Divisão do estado de Minas Gerais para fins de planejamento. A região de planejamento Triângulo engloba as Regionais Fiemg Pontal do Triângulo, Vale do Paranaíba e Vale

Leia mais

Contas Nacionais Trimestrais

Contas Nacionais Trimestrais Contas Nacionais Trimestrais Indicadores de Volume e Valores Correntes 2º Trimestre de 2013 Coordenação de Contas Nacionais 30 de agosto de 2013 Tabela Resumo Principais resultados do PIB a preços de mercado

Leia mais

Acumulado até novembro registra IED de US$ 52,7 bilhões

Acumulado até novembro registra IED de US$ 52,7 bilhões São Paulo, 18 de janeiro de 2016 NOVEMBRO DE 2015 Acumulado até novembro registra IED de US$ 52,7 bilhões No acumulado até novembro, os fluxos de investimento estrangeiro direto (IED) no Brasil totalizaram

Leia mais

COLETIVA DE IMPRENSA. Rafael Cervone Presidente da Abit

COLETIVA DE IMPRENSA. Rafael Cervone Presidente da Abit COLETIVA DE IMPRENSA Rafael Cervone Presidente da Abit RESULTADOS 2014 Var.% em relação ao mesmo período do ano anterior 2013 2014* Perfil 2014* Emprego +7.273-20.000 1,6 milhão Produção Vestuário -1,3%

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL

BALANÇA COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL BALANÇA COMERCIAL Tatiana Lacerda Prazeres Secretária de Comércio Exterior Indicadores Sócioeconômicos dos Países do Mercosul 2010 BRASIL ARGENTINA PARAGUAI URUGUAI PIB (US$ bi) 2.090,3 370,3 18,5 40,3

Leia mais

REGIÃO LESTE. Mar.2016 INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS. Regional Vale do Aço - Ipatinga Regional Rio Doce Governador Valadares

REGIÃO LESTE. Mar.2016 INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS. Regional Vale do Aço - Ipatinga Regional Rio Doce Governador Valadares #3 INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS Mar.2016 REGIÃO LESTE Regional Vale do Aço - Ipatinga Regional Rio Doce Governador Valadares INDICADORES ANÁLISE SETORIAL TABELAS I N D I CADORES IN DUST RIAIS

Leia mais

Região Norte. Regional Maio 2015

Região Norte. Regional Maio 2015 Regional Maio 2015 O mapa mostra a divisão do estado de Minas Gerais para fins de planejamento. A região de planejamento Norte engloba a Fiemg Regional Norte, Vale do Jequitinhonha e Mucuri. Região Norte

Leia mais

IGP-M. Janeiro/ de janeiro de Secretaria de Política Econômica

IGP-M. Janeiro/ de janeiro de Secretaria de Política Econômica IGP-M Janeiro/2016 28 de janeiro de 2016 jan 99 jul 99 jan 00 jul 00 jan 01 jul 01 jan 02 jul 02 jan 03 jul 03 jan 04 jul 04 jan 05 jul 05 jan 06 jul 06 jan 07 jul 07 jan 08 jul 08 jan 09 jul 09 jan 10

Leia mais

Encontro RMPI/FIEMG de Inovação 2013

Encontro RMPI/FIEMG de Inovação 2013 Encontro RMPI/FIEMG de Inovação 2013 O Processo de Inovação na Empresa Brasileira: Avanços e Desafios Prof. Dr. Ruy Quadros Unicamp e Innovarelab Belo Horizonte 4/11/2013 O Processo de Inovação na Empresa

Leia mais

Projeto desenvolvido por:

Projeto desenvolvido por: Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro Equipe Técnica Kennya Beatriz Siqueira - Pesquisadora Embrapa Gado de Leite Alziro Vasconcelos Carneiro - Analista Embrapa Gado de

Leia mais

IGP-M. Abril/ de abril de Secretaria de Política Econômica

IGP-M. Abril/ de abril de Secretaria de Política Econômica IGP-M Abril/2016 28 de abril de 2016 abr 99 out 99 abr 00 out 00 abr 01 out 01 abr 02 out 02 abr 03 out 03 abr 04 out 04 abr 05 out 05 abr 06 out 06 abr 07 out 07 abr 08 out 08 abr 09 out 09 abr 10 out

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1

BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1 BALANÇA COMERCIAL DE SC BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1 EXPORTAÇÕES CATARINENSES - As exportações catarinenses declinaram 29,7 no mês de janeiro de 2016 em relação a dezembro,

Leia mais

Produção Industrial Fevereiro de 2015

Produção Industrial Fevereiro de 2015 Produção Industrial Fevereiro de 201 PRODUÇÃO INDUSTRIAL DE SANTA CATARINA - FEVEREIRO/1 Em fevereiro, a indústria de Santa Catarina produziu 9,% menos na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Das

Leia mais

Dezembro 2014 São Paulo, 21 de janeiro de SUPERÁVIT ANUAL COM A CHINA É O MENOR DOS ÚLTIMOS SEIS ANOS

Dezembro 2014 São Paulo, 21 de janeiro de SUPERÁVIT ANUAL COM A CHINA É O MENOR DOS ÚLTIMOS SEIS ANOS Dezembro 2014 São Paulo, 21 de janeiro de 2015. SUPERÁVIT ANUAL COM A CHINA É O MENOR DOS ÚLTIMOS SEIS ANOS Apesar do saldo superavitário com a China, 2014 registrou o menor saldo positivo com o parceiro

Leia mais

CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016

CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Janeiro de 2016

Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Janeiro de 2016 Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Janeiro de 2016 Março/2016 BRASIL A produtividade física do trabalho da Indústria de Transformação apresentou uma queda de 2,3% em Janeiro

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE AS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO

RELATÓRIO SOBRE AS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de dezembro de 2014. COMPARAÇÃO DO MÊS DEZEMBRO COM O MÊS

Leia mais

PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG. Vale do Jequitinhonha

PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG. Vale do Jequitinhonha PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG Vale do Jequitinhonha Julho/2016 Objetivo Prover informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria no Estado de Minas Gerais e nas

Leia mais

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATOGROSSENSES JANEIRO a NOVEMBRO / Balança Comercial

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATOGROSSENSES JANEIRO a NOVEMBRO / Balança Comercial ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATOGROSSENSES JANEIRO a NOVEMBRO - 2010/2009 1- Balança Comercial Mato Grosso registrou até novembro desse ano, um superávit acumulado na Balança Comercial de US$ 6,95 bilhões,

Leia mais

Balança Comercial. 1 0 Semestre de 2013 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA - JANEIRO-JUNHO/2013 EXPORTAÇÃO: US$ 114,5 BI - JANEIRO-JUNHO/2013

Balança Comercial. 1 0 Semestre de 2013 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA - JANEIRO-JUNHO/2013 EXPORTAÇÃO: US$ 114,5 BI - JANEIRO-JUNHO/2013 Balança Comercial 1 0 Semestre de 2013 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA - JANEIRO-JUNHO/2013 O semestre foi o pior desde 1995, com déficit de US$ 3 bilhões, afetado por importações de petróleo e derivados

Leia mais

Região Norte. Regional Abril 2014

Região Norte. Regional Abril 2014 O mapa mostra a divisão do estado de Minas Gerais para fins de planejamento. A região de planejamento Norte engloba a Fiemg Regional Norte, Vale do Jequitinhonha e Mucuri. Região Norte GLOSSÁRIO Setores

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG. Centro Oeste

PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG. Centro Oeste PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG Centro Oeste Outubro/2016 Objetivo Prover informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria no Estado de Minas Gerais e nas Regionais

Leia mais

INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL

INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL DEZEMBRO DE 2013 Dezembro de 2013 www.fiergs.org.br Atividade industrial cresceu 4,5% em 2013, mas tendência é pouco animadora A atividade industrial gaúcha, segundo

Leia mais

REGIÃO LESTE. Fev.2016 INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS. Regional Vale do Aço - Ipatinga Regional Rio Doce Governador Valadares

REGIÃO LESTE. Fev.2016 INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS. Regional Vale do Aço - Ipatinga Regional Rio Doce Governador Valadares #2 INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS Fev.2016 REGIÃO LESTE Regional Vale do Aço - Ipatinga Regional Rio Doce Governador Valadares INDICADORES ANÁLISE SETORIAL TABELAS I N D I CADORES IN DUST RIAIS

Leia mais

#12. dez.2016 INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS HORAS TRABALHADAS NA PRODUÇÃO FATURAMENTO REAL UTILIZAÇÃO DA CAPACIDADE INSTALADA

#12. dez.2016 INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS HORAS TRABALHADAS NA PRODUÇÃO FATURAMENTO REAL UTILIZAÇÃO DA CAPACIDADE INSTALADA INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS #12 dez.2016 1 2 3 4 5 6 FATURAMENTO REAL HORAS TRABALHADAS NA PRODUÇÃO EMPREGO MASSA SALARIAL E RENDIMENTO MÉDIO REAL UTILIZAÇÃO DA CAPACIDADE INSTALADA ANÁLISE

Leia mais

Sem plataformas de petróleo parcela exportada da indústria cairia em 2013.

Sem plataformas de petróleo parcela exportada da indústria cairia em 2013. Informativo trimestral 4º trimestre de 2013 Para mais informações www.fiesp.com.br São Paulo, 19 de fevereiro de 2014 Sem plataformas de petróleo parcela exportada da indústria cairia em 2013. Coeficiente

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR DO TOCANTINS 1º Trimestre 2016

COMÉRCIO EXTERIOR DO TOCANTINS 1º Trimestre 2016 1. BALANÇA COMERCIAL DO TOCANTINS 97.051.268 Exportação Importação O Saldo da Balança Comercial (exportação importação) se manteve positivo, sendo 67% superior ao mesmo período de 55.371.631 2015. 25.178.948

Leia mais

As exportações chinesas e o impacto na FIAM 2009

As exportações chinesas e o impacto na FIAM 2009 As exportações chinesas e o impacto na Zona Franca de Manaus FIAM 2009 Modelo econômico de desenvolvimento chinês P d Produção para exportação China A retração do mercado americano e europeu As alternativas

Leia mais

NOTA TÉCNICA CHINA. Período: 2014 / 2015* *Valores em US$ FOB. Fonte: Aliceweb/Exportaminas. BALANÇA COMERCIAL BRASIL X CHINA

NOTA TÉCNICA CHINA. Período: 2014 / 2015* *Valores em US$ FOB. Fonte: Aliceweb/Exportaminas. BALANÇA COMERCIAL BRASIL X CHINA NOTA TÉCNICA CHINA Período: 2014 / 2015* *Valores em US$ FOB. Fonte: Aliceweb/. Brasil Gráfico 1. BALANÇA COMERCIAL BRASIL X CHINA Balança Comercial Brasil X China 40.616 37.345 35.608 30.719 US$ 2014

Leia mais

Perfil País. Moçambique

Perfil País. Moçambique Perfil País Moçambique Elaborado pela: Unidade de - ic@apexbrasil.com.br Apex-Brasil Tel: +55 613426.0202 Fax: +55 613426.0332 www.apexbrasil.com.br 1 Moçambique Indicadores Econômicos Crescimento do PIB

Leia mais

Ambiente Empresarial do Setor Industrial na Região Centro X Projetos do Sebrae Centro

Ambiente Empresarial do Setor Industrial na Região Centro X Projetos do Sebrae Centro Ambiente Empresarial do Setor Industrial na Região Centro X Projetos do Sebrae Centro Quantidade de MPEs por Regional - Dados da RFB Setor Campanha Centro Metropolitana Noroeste Norte Planalto Serra Sinos

Leia mais

3º Trimestre de 2011

3º Trimestre de 2011 Contas Nacionais Trimestrais Indicadores de Volume e Valores Correntes 3º Trimestre de 2011 Coordenação de Contas Nacionais 06 de dezembro de 2011 Revisões nas Contas Nacionais Trimestrais No 3º trimestre

Leia mais

Ingressos de IED diminuem 12,3% frente a 2014

Ingressos de IED diminuem 12,3% frente a 2014 São Paulo, 06 de outubro de 2015 AGOSTO DE 2015 Ingressos de IED diminuem 12,3% frente a 2014 Até agosto de 2015, os fluxos de investimento estrangeiro direto (IED) no Brasil totalizaram US$ 36,8 bilhões.

Leia mais

IGP-M. Junho/ de junho de Secretaria de Política Econômica

IGP-M. Junho/ de junho de Secretaria de Política Econômica IGP-M Junho/2016 29 de junho de 2016 jun 99 dez 99 jun 00 dez 00 jun 01 dez 01 jun 02 dez 02 jun 03 dez 03 jun 04 dez 04 jun 05 dez 05 jun 06 dez 06 jun 07 dez 07 jun 08 dez 08 jun 09 dez 09 jun 10 dez

Leia mais

IGP-M. Outubro/ de outubro de Secretaria de Política Econômica

IGP-M. Outubro/ de outubro de Secretaria de Política Econômica IGP-M Outubro/2015 29 de outubro de 2015 out 98 abr 99 out 99 abr 00 out 00 abr 01 out 01 abr 02 out 02 abr 03 out 03 abr 04 out 04 abr 05 out 05 abr 06 out 06 abr 07 out 07 abr 08 out 08 abr 09 out 09

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior. Balança Comercial Brasileira 2005

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior. Balança Comercial Brasileira 2005 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior Balança Comercial Brasileira 2005 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA 2005 / 2004 US$ MILHÕES 2005 2004 % 2005/2004

Leia mais

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE EM 2009

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE EM 2009 DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE EM 20 Em 20 a indústria catarinense enfrentou um ambiente econômico adverso, marcado por restrições de liquidez no mercado internacional e incertezas quanto ao futuro

Leia mais

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul Comportamento do emprego formal na Indústria em Mato Grosso do Sul Dezembro 2016 A indústria estadual regularmente apresenta saldos negativos de contratação no último mês do ano. E esse comportamento se

Leia mais

Resumo Estatístico RS 2011

Resumo Estatístico RS 2011 Resumo Estatístico RS 2011 PRESIDENTE: Adalmir Antonio Marquetti DIRETOR TÉCNICO: André Luís Forti Scherer DIRETOR ADMINISTRATIVO: Roberto Pereira da Rocha Porto Alegre, março de 2011. PANORAMA RECENTE

Leia mais

EVOLUÇÃO RECENTE DA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA

EVOLUÇÃO RECENTE DA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA EVOLUÇÃO RECENTE DA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA Pedro Garrido da Costa Lima Consultor Legislativo da Área IX Política e Planejamento Econômicos, Desenvolvimento Econômico e Economia Internacional ESTUDO TÉCNICO

Leia mais

Custo do Trabalho na Indústria de Transformação

Custo do Trabalho na Indústria de Transformação Esta publicação contempla os seguintes temas: Abril/2016 Custo do Trabalho na Indústria de Transformação O país passa por uma das mais longas recessões da sua história. O quadro econômico atual combina

Leia mais

Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Exportaminas

Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Exportaminas NOTA TÉCNICA MERCOSUL Estados Associados* 2010-2014 * Mercado Comum do Sul Estados Associados é composto por República do Chile, República da Colômbia, República do Equador, República Cooperativa da Guiana,

Leia mais

Fevereiro 2015 São Paulo, 23 de março de DÉFICIT COM A CHINA ALCANÇA US$ 3,6 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DE 2015.

Fevereiro 2015 São Paulo, 23 de março de DÉFICIT COM A CHINA ALCANÇA US$ 3,6 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DE 2015. Fevereiro 2015 São Paulo, 23 de março de 2015. DÉFICIT COM A CHINA ALCANÇA US$ 3,6 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DE 2015. Em fevereiro, a balança comercial brasileira com a China registrou saldo negativo

Leia mais

- Exportação: US$ 13,7 bi, em valor, e média diária de US$ 652,6 milhões; sobre jan-14 (US$ 728,5 bilhões),

- Exportação: US$ 13,7 bi, em valor, e média diária de US$ 652,6 milhões; sobre jan-14 (US$ 728,5 bilhões), Janeiro / 2015 Resultados de Janeiro de 2015 - Exportação: US$ 13,7 bi, em valor, e média diária de US$ 652,6 milhões; sobre jan-14 (US$ 728,5 bilhões), redução de 10,4%, pela média diária; - Importação:

Leia mais

NOVA ZELÂNDIA. Comércio Exterior

NOVA ZELÂNDIA. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC NOVA ZELÂNDIA Comércio Exterior Março de 2016 Principais indicadores

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013

EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013 EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013 Emprego industrial 28 de Janeiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO - no acumulado do ano, foi

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DEZEMBRO 2016

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DEZEMBRO 2016 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DEZEMBRO 2016 Período Dias Úteis US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil

Leia mais

INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL

INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL AGOSTO DE 2011 Novo crescimento não altera o quadro desfavorável Agosto de 2011 www.fiergs.org.br Os resultados dos Indicadores Industriais do RS referentes ao

Leia mais

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO JOÃO CRUZ REIS FILHO SECRETÁRIO DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Brasília/DF JULHO DE 2015 22 CENÁRIO POPULACIONAL

Leia mais

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul Comportamento do emprego formal na Indústria em Mato Grosso do Sul O emprego formal na Indústria sul-mato-grossense começou 2015 do mesmo modo que terminou 2014, com redução liquida de postos de trabalho.

Leia mais

Santa Maria - RS

Santa Maria - RS MERCADO INTERNO E DE EXPORTAÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL XXVI CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOTECNIA ZOOTEC 2016 SIMPÓSIO III: MARKETING E EMPREENDEDORISMO Santa Maria - RS 13-05-2016 POSIÇÃO DO BRASIL

Leia mais

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 30/4/2015. Maio 2015 Conjuntura Econômica I

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 30/4/2015. Maio 2015 Conjuntura Econômica I Índices Econômicos II Índices gerais II Índice de preços ao produtor amplo origem Brasil III Preços ao consumidor Brasil V Preços ao consumidor Rio de Janeiro V Preços ao consumidor São Paulo V Preços

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM O GABÃO

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM O GABÃO BALANÇA COMERCIAL Var % a 05/09 Var % b 09/10 Exportações 1.661 2.118 1.702 4.445 2.113 29,1 2.035 6.652 226,8 Importações 15.503 9.430 11.457 7.302 4.850-21,9 4.654 4.867 4,6 Saldo -13.842-7.312-9.755-2.857-2.737

Leia mais

PANORAMA DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO BRASILEIRA

PANORAMA DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO BRASILEIRA PANORAMA DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO BRASILEIRA 9ª Edição Última atualização 07 de Março de 2016 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 5 1. A DESINDUSTRIALIZAÇÃO NO BRASIL... 6 1.1. Evolução da Participação da Indústria

Leia mais

Índices gerais base: ago. 94 = * - Col Col Col Col Ago. 490, , , ,626

Índices gerais base: ago. 94 = * - Col Col Col Col Ago. 490, , , ,626 Índices gerais base: ago. 94 = 100 Índice Geral de Preços Índice de Preços ao Produtor Amplo 2 Oferta Global Disponibilidade Interna Oferta Global Disponibilidade Interna 1 161392* - Col. 1 161384 - Col.

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos BENS DE CAPITAL NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos BENS DE CAPITAL NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos BENS DE CAPITAL NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL Março/2014 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Mundial 05. População

Leia mais

INFORMATIVO DE BUENOS AIRES

INFORMATIVO DE BUENOS AIRES Informativo CNI Importações: balanço do primeiro 2 quadrimestre do ano INFORMATIVO DE BUENOS AIRES Fechado o acordo automotivo: manutenção do flex e livre comércio previsto para 2020 Nesta sexta-feira,

Leia mais

Meio Rural X Meio Agrário:

Meio Rural X Meio Agrário: Introdução Rural X Urbano: Urbano: presença de construções (casas, prédios, comércio, escolas, hospitais, etc.); Rural: presença maior da natureza e atividades agrárias; Meio Rural X Meio Agrário: Rural:

Leia mais