Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS"

Transcrição

1 Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro 2013 Unidade de Estudos Econômicos

2 O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM 2013 Exportações A contabilização como exportação de três plataformas de petróleo e gás somou ao resultado do Rio Grande do Sul um total de 4,77 bi, o que também acabou impactando no resultado da indústria. Caso essas operações sejam desconsideradas, o avanço do setor secundário é de apenas 3,7%, somando 15 bi. Tal valor é ainda é inferior ao registrado em 2011: 15,6 bi. Importações As importações de Combustíveis e Lubrificantes foram os principais destaques, em função do aquecimento da demanda interna e da falta de uma oferta adequada no provimento dessas mercadorias. Os Bens de Capital também apresentaram avanço significativo, com maiores compras de veículos de carga, máquinas e guindastes de pórtico. Saldo O saldo comercial gaúcho alcançou 8,33 bi, inflado pelas plataformas.

3 PRINCIPAIS ESTADOS EXPORTADORES NO ANO (em ) jan-dez/12 Part(%) jan-dez/13 Part(%) Var (%) SAO PAULO ,5% ,3% -5% MINAS GERAIS ,7% ,8% 1% 188 RIO GRANDE DO SUL ,2% ,4% 44% RIO DE JANEIRO ,9% ,8% -26% PARANA ,3% ,5% 3% 529 PARA ,1% ,5% 7% MATO GROSSO ,7% ,5% 14% ESPIRITO SANTO ,0% ,5% -10% BAHIA ,6% ,2% -10% SANTA CATARINA ,7% ,6% -3% -232 Total do Grupo ,6% ,1% -1% Total Geral ,0% ,0% 0% -399

4 PRINCIPAIS ESTADOS EXPORTADORES NO MÊS (em ) dez/12 Part(%) dez/13 Part(%) Var (%) SAO PAULO ,0% ,7% -4% -188 MINAS GERAIS ,3% ,7% 1% 15 RIO DE JANEIRO ,0% ,7% -5% -135 PARA ,3% ,0% 30% 435 PERNAMBUCO 108 0,5% ,9% 1044% PARANA ,3% ,9% -2% -20 ESPIRITO SANTO ,5% ,8% -5% -69 RIO GRANDE DO SUL ,6% ,6% 6% 61 MATO GROSSO 969 4,9% 923 4,4% -5% -46 BAHIA 976 4,9% 760 3,6% -22% -216 Total do Grupo ,4% ,4% 6% 964 Total Geral ,0% ,0% 6% 1.098

5 PRINCIPAIS DESTINOS DAS EXPORTAÇÕES DO RS NO ANO (em ) jan-dez/12 Part(%) jan-dez/13 Part(%) Var (%) CHINA ,5% ,1% 59% PANAMA 33 0,2% ,5% 8679% HOLANDA 642 3,7% ,1% 293% ARGENTINA ,9% ,6% 23% 357 ESTADOS UNIDOS ,8% ,5% 21% 284 PARAGUAI 529 3,0% 716 2,9% 35% 187 COREIA DO SUL 303 1,7% 648 2,6% 114% 345 ALEMANHA 507 2,9% 566 2,3% 12% 59 BELGICA 412 2,4% 546 2,2% 33% 134 URUGUAI 447 2,6% 485 1,9% 9% 38 Total do Grupo ,7% ,6% 91% Total Geral ,0% ,0% 44% 7.708

6 PRINCIPAIS DESTINOS DAS EXPORTAÇÕES DO RS NO MÊS (em ) dez/12 Part(%) dez/13 Part(%) Var (%) ARGENTINA ,8% ,5% 13% 15 ESTADOS UNIDOS ,3% ,5% 8% 9 CHINA 32 2,9% 67 5,8% 109% 35 COREIA DO SUL 7 0,6% 63 5,4% 800% 56 PARAGUAI 39 3,5% 62 5,3% 59% 23 URUGUAI 43 3,9% 58 5,0% 35% 15 HOLANDA 41 3,7% 37 3,2% -10% -4 CUBA 4 0,4% 35 3,0% 775% 31 VENEZUELA 25 2,3% 31 2,7% 24% 6 ALEMANHA 35 3,2% 30 2,6% -14% -5 Total do Grupo ,7% ,1% 40% 181 Total Geral ,0% ,0% 6% 62

7 EXPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL POR SEGMENTO NO ANO (em ) jan-dez/12 Part. (%) jan-dez/13 Part. (%) Var. (%) Material de transporte 22 0,1% ,3% 21895,5% Alimentos ,8% ,6% -7,2% -324 Tabaco ,9% ,3% 4,5% 100 Químicos ,8% ,1% 10,6% 217 Veículos automotores, reboques e carrocerias ,7% ,4% 16,1% 187 Máquinas e equipamentos ,2% ,7% -5,7% -72 Couro e calçados 919 5,3% ,1% 11,6% 107 Produtos de metal 521 3,0% 479 1,9% -8,1% -42 Borracha e plástico 301 1,7% 361 1,4% 19,9% 60 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis 121 0,7% 358 1,4% 195,9% 237 Móveis 204 1,2% 212 0,8% 3,9% 8 Celulose e Papel 177 1,0% 182 0,7% 2,8% 5 Metalurgia 92 0,5% 169 0,7% 83,7% 77 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos 148 0,9% 152 0,6% 2,7% 4 Materiais elétricos 135 0,8% 139 0,6% 3,0% 4 Produtos diversos 124 0,7% 136 0,5% 9,7% 12 Madeira 145 0,8% 129 0,5% -11,0% -16 Minerais não-metálicos 111 0,6% 92 0,4% -17,1% -19 Têxteis 75 0,4% 52 0,2% -30,7% -23 Vestuário e acessórios 43 0,2% 45 0,2% 4,7% 2 Farmoquímicos e farmacêuticos 11 0,1% 23 0,1% 109,1% 12 Extrativa mineral 22 0,1% 21 0,1% -4,5% -1 Bebidas 7 0,0% 9 0,0% 28,6% 2 Impressão e reprodução de gravações 1 0,0% 1 0,0% 0,0% 0 Indústrias diversas 42 0,2% 0 0,0% -100,0% -42 Total da Indústria ,9% ,63% 36,8% Básicos ,8% ,4% 86,8% Serviços 1 0,0% 0 0,0% -100,0% -1 Transações Especiais 221 1,3% 236 0,9% 6,8% 15 Total Geral ,0% ,0% 44,3% 7.708

8 EXPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL POR SEGMENTO NO MÊS (em ) dez/12 Part. (%) dez/13 Part. (%) Var. (%) Alimentos ,2% ,2% 23,5% 60 Químicos ,4% ,1% 3,6% 6 Máquinas e equipamentos 108 9,8% 110 9,5% 1,9% 2 Veículos automotores, reboques e carrocerias 108 9,8% 109 9,4% 0,9% 1 Couro e calçados 87 7,9% 100 8,6% 14,9% 13 Tabaco ,4% 86 7,4% -24,6% -28 Produtos de metal 42 3,8% 43 3,7% 2,4% 1 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis - 0,0% 41 3,5% 0,0% 41 Borracha e plástico 24 2,2% 31 2,7% 29,2% 7 Móveis 18 1,6% 19 1,6% 5,6% 1 Produtos diversos 11 1,0% 13 1,1% 18,2% 2 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos 12 1,1% 13 1,1% 8,3% 1 Madeira 17 1,5% 12 1,0% -29,4% -5 Metalurgia 6 0,5% 10 0,9% 66,7% 4 Materiais elétricos 7 0,6% 9 0,8% 28,6% 2 Minerais não-metálicos 8 0,7% 8 0,7% 0,0% 0 Celulose e Papel 5 0,5% 8 0,7% 60,0% 3 Vestuário e acessórios 4 0,4% 5 0,4% 25,0% 1 Material de transporte 2 0,2% 5 0,4% 150,0% 3 Têxteis 4 0,4% 3 0,3% -25,0% -1 Farmoquímicos e farmacêuticos 2 0,2% 3 0,3% 50,0% 1 Extrativa mineral 2 0,2% 2 0,2% 0,0% 0 Bebidas 1 0,1% 1 0,1% 0,0% 0 Impressão e reprodução de gravações - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Indústrias diversas - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Total da Indústria ,5% ,64% 11,4% 115 Básicos 72 6,6% 26 2,2% -63,9% -46 Serviços - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Transações Especiais 21 1,9% 13 1,1% -38,1% -8 Total Geral ,0% ,0% 5,6% 61

9 MILHÕES EXPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL NOS MESES DE DEZEMBRO

10 R$ MILHÕES EXPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL NOS MESES DE DEZEMBRO Fonte: MDIC/SECEX, deflacionados pelo IPCA acumulado até dez/2013.

11 EXPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL POR GRUPO DE PRODUTOS NO ANO (em ) jan-dez/12 jan-dez/13 Var(%) Milhões Adubos, fertilizantes e defensivos ,1% 13 Automóveis, camionetas e utilitários ,3% 285 Autopeças ,7% 6 Calçados ,2% -11 Caminhões e ônibus ,6% -39 Carrocerias e reboques para veículos automotores ,4% -32 Couro ,6% 121 Edição e Impressão 1 1-9,9% 0 Laminados longos e planos de aço ,3% -1 Laticínios ,5% -1 Máquinas e implementos agrícolas, exceto tratores ,7% 61 Medicamentos e fármacos ,2% 13 Petroquímicos ,2% 133 Plásticos e suas obras ,5% 4 Tratores ,9% -16 Vestuário ,0% -2 Vinho ,7% 1 Total do Grupo ,6% 534 Total Geral ,3% 7.708

12 EXPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL POR GRUPO DE PRODUTOS NO MÊS (em ) dez/12 dez/13 Var(%) Milhões Adubos, fertilizantes e defensivos ,9% -2 Automóveis, camionetas e utilitários ,8% 17 Autopeças ,6% 2 Calçados ,7% 2 Caminhões e ônibus ,4% 7 Carrocerias e reboques para veículos automotores ,7% -17 Couro ,9% 10 Edição e Impressão ,5% 0 Laminados longos e planos de aço ,5% 0 Laticínios ,5% 0 Máquinas e implementos agrícolas, exceto tratores ,8% 3 Medicamentos e fármacos ,1% 1 Petroquímicos ,4% -27 Plásticos e suas obras 7 7-5,2% 0 Tratores ,5% -6 Vestuário ,2% 0 Vinho ,8% 1 Total do Grupo ,9% -9 Total Geral ,6% 62

13 EXPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO DO RS NO ANO (em ) jan-dez/12 Part. (%) jan-dez/13 Part. (%) Var. (%) Complexo Soja (componentes selecionados) ,6% ,2% 59,8% Soja (grão) ,6% ,7% 113,9% Óleo de soja 447 4,2% 286 2,2% -36,1% -161 Farelo de soja ,8% ,3% 4,2% 48 Milho (grão) 32 0,3% 247 1,9% 665,5% 215 Trigo (grão) 486 4,6% 337 2,6% -30,6% -149 Complexo Carnes (componentes selecionados) ,3% ,0% -1,4% -25 Carne de frango in natura ,7% ,7% 0,5% 6 Carne de frango industrializada 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Carne suína in natura 392 3,7% 371 2,9% -5,5% -21 Carne bovina in natura 54 0,5% 50 0,4% -6,9% -4 Carne bovina industrializada 145 1,4% 139 1,1% -3,9% -6 Demais produtos do agronegócio ,3% ,3% 2,5% 117 Agronegócio ,2% ,6% 21,6% Total Geral ,0% ,0% 44,3% 7.708

14 EXPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO DO RS NO MÊS (em ) dez/12 Part. (%) dez/13 Part. (%) Var. (%) Complexo Soja (componentes selecionados) 39 7,0% 96 17,4% 149,1% 57 Soja (grão) 0 0,0% 0 0,0% -71,5% 0 Óleo de soja 1 0,2% 31 5,6% 2531,1% 30 Farelo de soja 37 6,7% 65 11,7% 73,9% 28 Milho (grão) 2 0,4% 1 0,2% -59,3% -1 Trigo (grão) 57 10,2% 2 0,3% -96,7% -55 Complexo Carnes (componentes selecionados) ,9% ,6% -21,8% -35 Carne de frango in natura ,6% 91 16,4% -20,2% -23 Carne de frango industrializada 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Carne suína in natura 30 5,4% 19 3,4% -37,0% -11 Carne bovina in natura 5 0,8% 6 1,1% 37,1% 1 Carne bovina industrializada 12 2,1% 9 1,7% -21,3% -3 Demais produtos do agronegócio ,5% ,5% 11,5% 34 Agronegócio ,5% ,8% 0,1% 1 Total Geral ,0% ,0% 5,6% 61

15 EXPORTAÇÕES DA AGROINDÚSTRIA DO RS NO ANO (em ) jan-dez/12 Part(%) jan-dez/13 Part(%) Var (%) Soja ,2% ,8% -7,2% -116 Aves ,3% ,0% -0,7% -9 Bovinos, Suínos e outras reses ,1% ,1% -3,0% -20 Máquinas e Equipamentos ,3% ,9% 2,1% 11 Couros e peles curtidos e produtos similares 368 7,2% 488 9,8% 32,6% 120 Arroz 359 7,0% 187 3,8% -48,0% -172 Celulose 139 2,7% 142 2,8% 2,1% 3 Tabaco 53 1,0% 72 1,4% 36,7% 19 Adubos e Fertilizantes 55 1,1% 63 1,3% 13,9% 8 Desdobramento de madeira 23 0,5% 23 0,5% -3,7% -1 Rações, suplementos vitamínicos ou semelhantes 13 0,2% 14 0,3% 10,1% 1 Laranja 10 0,2% 10 0,2% 2,3% 0 Outros 8 0,2% 8 0,2% -6,4% -1 Inseticidas, herbicidas e outros defensivos para uso agropecuário 1 0,0% 2 0,0% 99,8% 1 Milho 0 0,0% 0 0,0% 62,4% 0 Trigo 0 0,0% 0 0,0% 388,0% 0 Produtos Veterinários, dosados 0 0,0% 0 0,0% -59,5% 0 Leite - 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Cana-de-açúcar 0 0,0% - 0,0% -100,0% 0 Agroindústria ,0% ,0% -3,0% -155 Total geral

16 EXPORTAÇÕES DA AGROINDÚSTRIA DO RS NO MÊS (em ) dez/12 Part(%) dez/13 Part(%) Var (%) Soja 39 12,5% 96 25,6% 149,4% 58 Aves ,6% 94 24,9% -19,5% -23 Couros e peles curtidos e produtos similares 36 11,8% 47 12,4% 28,7% 10 Máquinas e Equipamentos 48 15,5% 45 11,9% -6,5% -3 Bovinos, Suínos e outras reses 53 17,1% 41 10,9% -22,0% -12 Arroz 5 1,7% 35 9,4% 583,4% 30 Celulose 1 0,4% 5 1,2% 237,4% 3 Tabaco 5 1,5% 4 1,0% -16,1% -1 Laranja 1 0,3% 3 0,9% 223,6% 2 Adubos e Fertilizantes 2 0,7% 2 0,7% 15,1% 0 Desdobramento de madeira 1 0,5% 2 0,5% 31,9% 0 Rações, suplementos vitamínicos ou semelhantes 1 0,2% 1 0,3% 58,3% 0 Outros 1 0,2% 1 0,2% 18,6% 0 Inseticidas, herbicidas e outros defensivos para uso agropecuário 0 0,0% 0 0,1% 91,6% 0 Milho 0 0,0% 0 0,0% 161,4% 0 Produtos Veterinários, dosados - 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Trigo 0 0,0% 0 0,0% 513,8% 0 Cana-de-açúcar - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Leite - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Agroindústria ,0% ,0% 21,7% 67 Total geral

17 EXPORTAÇÕES DO RS POR CATEGORIA DE USO NO ANO (em ) jan-dez/12 Part. (%) jan-dez/13 Part. (%) Var. (%) Bens intermediários ,4% ,6% 25,2% Bens de capital ,5% ,2% 282,2% Bens de consumo não-duráveis ,4% ,7% -6,0% -171 Bens de consumo duráveis 515 3,0% 803 3,2% 55,9% 288 Bens de consumo semiduráveis 563 3,2% 580 2,3% 3,0% 17 Transações especiais 221 1,3% 236 0,9% 6,8% 15 Combustíveis e lubrificantes 45 0,3% 31 0,1% -31,1% -14 Bens não especificados em outra categoria 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% 44,3% 7.708

18 EXPORTAÇÕES DO RS POR CATEGORIA DE USO NO MÊS (em ) dez/12 Part. (%) dez/13 Part. (%) Var. (%) Bens intermediários ,7% ,0% 6,3% 40 Bens de consumo não-duráveis ,5% ,7% 1,4% 3 Bens de capital ,9% ,2% 0,0% 0 Bens de consumo semiduráveis 56 5,1% 65 5,6% 16,1% 9 Bens de consumo duráveis 32 2,9% 50 4,3% 56,3% 18 Transações especiais 21 1,9% 13 1,1% -38,1% -8 Combustíveis e lubrificantes 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Bens não especificados em outra categoria 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% 5,6% 62

19 EXPORTAÇÕES DO RS POR INTENSIDADE TECNOLÓGICA NO ANO (em ) jan-dez/12 Part. (%) jan-dez/13 Part. (%) Var. (%) Produtos não industriais ,0% ,0% 49,2% Média-baixa tecnologia ,8% ,8% 425,2% Baixa tecnologia ,5% ,8% -3,1% -194 Média-alta tecnologia ,6% ,6% 7,7% 369 Alta tecnologia 184 1,1% 196 0,8% 6,5% 12 Total ,0% ,0% 44,3% 7.708

20 EXPORTAÇÕES DO RS POR INTENSIDADE TECNOLÓGICA NO MÊS (em ) dez/12 Part. (%) dez/13 Part. (%) Var. (%) Baixa tecnologia ,6% ,6% 20,1% 81 Média-alta tecnologia ,0% ,8% 4,9% 20 Produtos não industriais ,7% ,1% -36,1% -66 Média-baixa tecnologia 91 8,3% ,0% 27,5% 25 Alta tecnologia 16 1,5% 18 1,6% 12,5% 2 Total ,0% ,0% 5,6% 62

21 IMPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL POR SEGMENTO NO ANO (em ) jan-dez/12 Part. (%) jan-dez/13 Part. (%) Var. (%) Extrativa mineral ,2% ,6% 35,3% 988 Veículos automotores, reboques e carrocerias ,0% ,0% 9,2% 298 Químicos ,9% ,4% -0,1% -2 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis ,9% ,5% -28,3% -692 Máquinas e equipamentos ,2% ,1% 19,5% 277 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos 318 2,1% 471 2,8% 48,1% 153 Borracha e plástico 374 2,4% 405 2,4% 8,3% 31 Materiais elétricos 199 1,3% 346 2,1% 73,9% 147 Produtos de metal 235 1,5% 320 1,9% 36,2% 85 Metalurgia 244 1,6% 276 1,6% 13,1% 32 Alimentos 258 1,7% 234 1,4% -9,3% -24 Produtos diversos 149 1,0% 163 1,0% 9,4% 14 Minerais não-metálicos 163 1,1% 153 0,9% -6,1% -10 Têxteis 115 0,7% 102 0,6% -11,3% -13 Celulose e Papel 99 0,6% 93 0,6% -6,1% -6 Material de transporte 64 0,4% 54 0,3% -15,6% -10 Móveis 37 0,2% 47 0,3% 27,0% 10 Couro e calçados 42 0,3% 37 0,2% -11,9% -5 Bebidas 36 0,2% 35 0,2% -2,8% -1 Farmoquímicos e farmacêuticos 33 0,2% 31 0,2% -6,1% -2 Madeira 26 0,2% 28 0,2% 7,7% 2 Tabaco 23 0,1% 19 0,1% -17,4% -4 Vestuário e acessórios 23 0,1% 18 0,1% -21,7% -5 Impressão e reprodução de gravações 5 0,0% 6 0,0% 20,0% 1 Indústrias diversas - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Total da Indústria ,1% ,53% 8,5% Básicos 452 2,9% 577 3,4% 27,7% 125 Serviços 1 0,0% 4 0,0% 300,0% 3 Transações Especiais - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% 9,1% 1.392

22 IMPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL POR SEGMENTO NO MÊS (em ) dez/12 Part. (%) dez/13 Part. (%) Var. (%) Extrativa mineral ,4% ,4% -37,3% -276 Veículos automotores, reboques e carrocerias ,8% ,2% -8,5% -28 Químicos ,7% ,1% -29,3% -78 Máquinas e equipamentos 123 5,9% 124 8,7% 0,8% 1 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis ,3% 114 8,0% -70,2% -268 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos 30 1,4% 34 2,4% 13,3% 4 Borracha e plástico 23 1,1% 27 1,9% 17,4% 4 Produtos de metal 21 1,0% 24 1,7% 14,3% 3 Metalurgia 17 0,8% 19 1,3% 11,8% 2 Alimentos 25 1,2% 17 1,2% -32,0% -8 Materiais elétricos 25 1,2% 17 1,2% -32,0% -8 Minerais não-metálicos 23 1,1% 14 1,0% -39,1% -9 Produtos diversos 11 0,5% 13 0,9% 18,2% 2 Têxteis 8 0,4% 11 0,8% 37,5% 3 Celulose e Papel 5 0,2% 5 0,3% 0,0% 0 Material de transporte 3 0,1% 4 0,3% 33,3% 1 Móveis 3 0,1% 4 0,3% 33,3% 1 Bebidas 3 0,1% 3 0,2% 0,0% 0 Farmoquímicos e farmacêuticos 3 0,1% 3 0,2% 0,0% 0 Couro e calçados 4 0,2% 3 0,2% -25,0% -1 Madeira 2 0,1% 2 0,1% 0,0% 0 Tabaco 4 0,2% 1 0,1% -75,0% -3 Vestuário e acessórios 1 0,0% 1 0,1% 0,0% 0 Impressão e reprodução de gravações - 0,0% 1 0,1% 0,0% 1 Indústrias diversas - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Total da Indústria ,2% ,48% -32,0% -657 Básicos 38 1,8% 36 2,5% -5,3% -2 Serviços - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Transações Especiais - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% -31,5% -659

23 IMPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL POR GRUPO DE PRODUTOS NO ANO (em ) jan-dez/12 jan-dez/13 Var(%) Milhões Adubos, fertilizantes e defensivos ,2% 3 Automóveis, camionetas e utilitários ,2% 33 Autopeças ,3% 145 Calçados ,2% 2 Caminhões e ônibus ,9% -7 Carrocerias e reboques para veículos automotores ,0% 2 Couro ,4% -9 Edição e Impressão ,1% 1 Laminados longos e planos de aço ,3% 18 Laticínios ,3% -5 Máquinas e implementos agrícolas, exceto tratores ,0% 22 Medicamentos e fármacos ,9% -2 Petroquímicos ,4% 15 Plásticos e suas obras ,4% 38 Tratores ,9% 69 Vestuário ,7% -8 Vinho ,9% -1 Total do Grupo ,8% 316 Total Geral ,1% 1.393

24 IMPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL POR GRUPO DE PRODUTOS NO MÊS (em ) dez/12 dez/13 Var(%) Milhões Adubos, fertilizantes e defensivos ,2% -79 Automóveis, camionetas e utilitários ,8% -28 Autopeças ,1% 5 Calçados ,7% -2 Caminhões e ônibus ,0% -1 Carrocerias e reboques para veículos automotores ,4% 1 Couro ,2% 0 Edição e Impressão ,0% 0 Laminados longos e planos de aço ,5% 2 Laticínios ,5% -4 Máquinas e implementos agrícolas, exceto tratores ,2% -2 Medicamentos e fármacos 3 3-1,6% 0 Petroquímicos ,4% 5 Plásticos e suas obras ,7% 6 Tratores ,8% -4 Vestuário ,2% 1 Vinho ,6% 0 Total do Grupo ,4% -99 Total Geral ,5% -659

25 IMPORTAÇÕES DO RS POR CATEGORIAS DE USO NO ANO (em ) jan-dez/12 Part. (%) jan-dez/13 Part. (%) Var. (%) Bens intermediários ,3% ,9% -0,1% -8 Combustíveis e lubrificantes ,2% ,7% 36,0% Bens de capital ,2% ,4% 17,1% 427 Bens de consumo duráveis ,0% ,8% -4,0% -62 Bens de consumo não-duráveis 367 2,4% 383 2,3% 4,4% 16 Bens de consumo semiduráveis 125 0,8% 137 0,8% 9,6% 12 Bens não especificados em outra categoria 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Transações especiais 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% 9,1% 1.393

26 IMPORTAÇÕES DO RS POR CATEGORIAS DE USO NO MÊS (em ) dez/12 Part. (%) dez/13 Part. (%) Var. (%) Bens intermediários ,9% ,8% -39,7% -356 Combustíveis e lubrificantes ,4% ,4% -37,3% -276 Bens de capital ,0% ,7% -10,4% -26 Bens de consumo duráveis 162 7,8% ,8% -4,3% -7 Bens de consumo não-duráveis 33 1,6% 34 2,4% 3,0% 1 Bens de consumo semiduráveis 8 0,4% 13 0,9% 62,5% 5 Bens não especificados em outra categoria 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Transações especiais 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% -31,5% -659

27 SALDO COMERCIAL DO RIO GRANDE DO SUL NO ANO (em ) jan-dez/12 jan-dez/13 Var. (%) Alimentos ,1% -300 Bebidas ,3% 3 Borracha e plástico ,7% 29 Celulose e Papel ,1% 11 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis ,9% 929 Couro e calçados ,8% 112 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos ,6% -149 Extrativa mineral ,7% -989 Farmoquímicos e farmacêuticos ,6% 14 Impressão e reprodução de gravações ,0% -1 Indústrias diversas ,0% -42 Madeira ,1% -18 Máquinas e equipamentos ,5% -349 Materiais elétricos ,4% -143 Material de transporte ,9% Metalurgia ,6% 45 Minerais não-metálicos ,3% -9 Móveis ,2% -2 Produtos de metal ,4% -127 Produtos diversos ,0% -2 Químicos ,9% 219 Tabaco ,7% 104 Têxteis ,0% -10 Veículos automotores, reboques e carrocerias ,4% -111 Vestuário e acessórios ,0% 7 Total da Indústria ,9% Básicos ,5% Serviços 0-4 0,00% -4 Transações Especiais ,8% 15 Total Geral ,4% 6.316

28 SALDO COMERCIAL DO RIO GRANDE DO SUL NO MÊS (em ) dez/12 dez/13 Var. (%) Alimentos ,6% 68 Bebidas ,0% 0 Borracha e plástico ,0% 3 Celulose e Papel Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis ,9% 309 Couro e calçados ,9% 14 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos ,7% -3 Extrativa mineral ,4% 276 Farmoquímicos e farmacêuticos ,0% 1 Impressão e reprodução de gravações ,0% -25 Indústrias diversas Madeira Máquinas e equipamentos ,3% -5 Materiais elétricos ,7% 1 Material de transporte ,6% 10 Metalurgia ,0% 2 Minerais não-metálicos ,2% 2 Móveis ,0% 9 Produtos de metal ,0% 0 Produtos diversos ,5% -2 Químicos Tabaco ,6% 84 Têxteis ,0% -4 Veículos automotores, reboques e carrocerias ,0% 29 Vestuário e acessórios ,3% 1 Total da Indústria ,8% 772 Básicos ,4% -44 Serviços 0 0 0,0% 0 Transações Especiais ,1% -8 Total Geral ,7% 720

29 BALANÇA COMERCIAL DO BRASIL Dezembro de 2013

30 O COMÉRCIO EXTERIOR DO BR EM 2013 Exportações Apesar da desvalorização do câmbio no ano, 15 dos 25 segmentos da indústria apresentaram queda no valor exportado frente a As retrações ocorreram tanto nas categorias intensivas em trabalho, quanto em capital, o que evidencia os problemas de competitividade do setor secundário. Importações As compras feitas no exterior se tornaram mais caras com o fortalecimento do dólar frente o real, pressionando ainda mais os já elevados custos de produção da indústria. Saldo A queda no saldo comercial contribuiu decisivamente para a piora registrada no Balanço de Pagamentos do Brasil.

31 PRINCIPAIS DESTINOS DAS EXPORTAÇÕES DO BR NO ANO (em ) jan-dez/12 Part(%) jan-dez/13 Part(%) Var (%) CHINA ,0% ,0% 12% ESTADOS UNIDOS ,0% ,2% -8% ARGENTINA ,4% ,1% 9% HOLANDA ,2% ,2% 15% JAPAO ,3% ,3% 0% 8 ALEMANHA ,0% ,7% -10% -725 VENEZUELA ,1% ,0% -4% -206 COREIA DO SUL ,9% ,9% 5% 219 CHILE ,9% ,9% -3% -118 PANAMA 397 0,2% ,8% 1014% Total do Grupo ,9% ,1% 8% Total Geral ,0% ,0% 0% -399

32 PRINCIPAIS DESTINOS DAS EXPORTAÇÕES DO BR NO MÊS (em ) dez/12 Part(%) dez/13 Part(%) Var (%) CHINA ,2% ,0% 4% 143 ESTADOS UNIDOS ,9% ,6% 13% 247 ARGENTINA ,8% ,6% 2% 22 PANAMA 43 0,2% ,7% 2665% HOLANDA ,1% ,6% -3% -38 JAPAO 957 4,8% 789 3,8% -18% -168 ALEMANHA 509 2,6% 662 3,2% 30% 153 VENEZUELA 361 1,8% 637 3,1% 76% 276 CHILE 395 2,0% 433 2,1% 10% 38 INDIA 852 4,3% 391 1,9% -54% -461 Total do Grupo ,8% ,4% 13% Total Geral ,0% ,0% 6% 1.098

33 EXPORTAÇÕES DO BRASIL POR SEGMENTOS NO ANO (em ) jan-dez/12 Part. (%) jan-dez/13 Part. (%) Var. (%) Extrativa mineral ,8% ,4% -10,4% Alimentos ,1% ,9% -1,7% -752 Metalurgia ,3% ,3% -12,1% Veículos automotores, reboques e carrocerias ,3% ,8% 8,5% Material de transporte ,2% ,9% 85,4% Químicos ,7% ,4% -5,3% -604 Máquinas e equipamentos ,2% ,5% -15,2% Celulose e Papel ,8% ,0% 7,3% 497 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis ,4% ,0% -14,5% -826 Couro e calçados ,4% ,6% 11,3% 393 Tabaco ,3% ,4% 1,0% 31 Materiais elétricos ,4% ,3% -2,5% -83 Borracha e plástico ,3% ,2% -5,2% -158 Produtos de metal ,2% ,0% -14,0% -401 Minerais não-metálicos ,9% ,9% 8,5% 179 Madeira ,8% ,8% 4,8% 90 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos ,8% ,8% -7,7% -157 Têxteis ,2% ,8% -36,7% Farmoquímicos e farmacêuticos ,7% ,7% 0,2% 3 Produtos diversos ,5% ,5% -1,2% -14 Móveis 709 0,3% 687 0,3% -3,1% -22 Bebidas 359 0,1% 460 0,2% 28,1% 101 Vestuário e acessórios 197 0,1% 197 0,1% 0,0% 0 Impressão e reprodução de gravações 63 0,0% 40 0,0% -36,5% -23 Indústrias diversas 428 0,2% 13 0,0% -97,0% -415 Total da Indústria ,7% ,70% -2,5% Básicos ,1% ,2% 15,8% Serviços 64 0,0% 137 0,1% 114% 73 Transações Especiais ,2% ,0% -7,4% -390 Total Geral ,0% ,0% -0,2% -399

34 EXPORTAÇÕES DO BRASIL POR SEGMENTOS NO MÊS (em ) dez/12 Part. (%) dez/13 Part. (%) Var. (%) Extrativa mineral ,8% ,1% -1,1% -58 Alimentos ,5% ,0% -2,7% -100 Material de transporte 758 3,8% ,8% 198,0% Metalurgia ,4% ,6% 7,3% 107 Veículos automotores, reboques e carrocerias ,2% ,5% 10,4% 128 Máquinas e equipamentos 756 3,8% 933 4,5% 23,4% 177 Químicos 904 4,6% 774 3,7% -14,4% -130 Celulose e Papel 660 3,3% 659 3,2% -0,2% -1 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis 457 2,3% 478 2,3% 4,6% 21 Couro e calçados 306 1,5% 365 1,8% 19,3% 59 Materiais elétricos 255 1,3% 316 1,5% 23,9% 61 Borracha e plástico 221 1,1% 231 1,1% 4,5% 10 Produtos de metal 225 1,1% 222 1,1% -1,3% -3 Minerais não-metálicos 169 0,9% 183 0,9% 8,3% 14 Madeira 164 0,8% 177 0,8% 7,9% 13 Têxteis 292 1,5% 149 0,7% -49,0% -143 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos 169 0,9% 138 0,7% -18,3% -31 Tabaco 154 0,8% 137 0,7% -11,0% -17 Farmoquímicos e farmacêuticos 113 0,6% 119 0,6% 5,3% 6 Produtos diversos 95 0,5% 88 0,4% -7,4% -7 Móveis 60 0,3% 53 0,3% -11,7% -7 Bebidas 31 0,2% 31 0,1% 0,0% 0 Vestuário e acessórios 20 0,1% 21 0,1% 5,0% 1 Impressão e reprodução de gravações 7 0,0% 3 0,0% -57,1% -4 Indústrias diversas 1 0,0% 1 0,0% 0,0% 0 Total da Indústria ,5% ,41% 9,0% Básicos ,6% ,0% -25,7% -435 Serviços 2 0,0% 12 0,1% 500,0% 10 Transações Especiais 386 2,0% 312 1,5% -19,2% -74 Total Geral ,0% ,0% 5,6% 1.098

35 EXPORTAÇÕES DO BRASIL POR CATEGORIA DE USO NO ANO (em ) jan-dez/12 Part. (%) jan-dez/13 Part. (%) Var. (%) Bens intermediários ,3% ,2% 1,3% Bens de consumo não-duráveis ,3% ,2% -0,8% -313 Bens de capital ,6% ,5% 22,0% Combustíveis e lubrificantes ,8% ,5% -37,7% Bens de consumo duráveis ,2% ,9% 35,0% Transações especiais ,2% ,0% -7,4% -390 Bens de consumo semiduráveis ,7% ,7% -1,5% -27 Bens não especificados em outra categoria 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% -0,2% -399

36 EXPORTAÇÕES DO BRASIL POR CATEGORIA DE USO NO MÊS (em ) dez/12 Part. (%) dez/13 Part. (%) Var. (%) Bens intermediários ,6% ,6% 0,0% 3 Bens de capital ,7% ,7% 103,3% Bens de consumo não-duráveis ,6% ,8% -5,8% -188 Combustíveis e lubrificantes ,0% ,6% -24,2% -573 Bens de consumo duráveis 473 2,4% 621 3,0% 31,3% 148 Transações especiais 386 2,0% 312 1,5% -19,2% -74 Bens de consumo semiduráveis 161 0,8% 175 0,8% 8,7% 14 Bens não especificados em outra categoria 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% 5,6% 1.098

37 IMPORTAÇÕES DO BRASIL POR SEGMENTO NO ANO (em ) jan-dez/12 Part. (%) jan-dez/13 Part. (%) Var. (%) Químicos ,5% ,4% 6,6% Extrativa mineral ,5% ,7% 19,8% Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos ,6% ,4% 6,1% Veículos automotores, reboques e carrocerias ,4% ,4% 7,2% Máquinas e equipamentos ,7% ,3% 2,9% 703 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis ,5% ,5% 7,7% Materiais elétricos ,0% ,1% 12,5% Metalurgia ,5% ,9% -7,2% -717 Farmoquímicos e farmacêuticos ,8% ,9% 8,5% 726 Material de transporte ,1% ,0% 3,6% 250 Alimentos ,7% ,6% 2,7% 161 Borracha e plástico ,5% ,5% 8,1% 453 Produtos de metal ,0% ,1% 14,7% 653 Produtos diversos ,9% ,9% 5,1% 220 Têxteis ,5% ,4% -0,1% -5 Minerais não-metálicos ,1% ,1% 4,1% 103 Vestuário e acessórios ,0% ,0% 9,2% 212 Celulose e Papel ,9% ,8% -5,0% -99 Couro e calçados ,5% ,5% 5,1% 62 Bebidas ,5% ,5% -2,0% -23 Móveis 570 0,3% 647 0,3% 13,5% 77 Impressão e reprodução de gravações 251 0,1% 263 0,1% 4,8% 12 Madeira 171 0,1% 149 0,1% -12,9% -22 Indústrias diversas 57 0,0% 54 0,0% -5,3% -3 Tabaco 40 0,0% 32 0,0% -20,0% -8 Total da Indústria ,9% ,61% 7,1% Básicos ,1% ,3% 21,3% 986 Serviços 119 0,1% 114 0,0% -4% -5 Transações Especiais - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% 7,4%

38 IMPORTAÇÕES DO BRASIL POR SEGMENTO NO MÊS (em ) dez/12 Part. (%) dez/13 Part. (%) Var. (%) Químicos ,4% ,8% -6,3% -180 Máquinas e equipamentos ,6% ,1% 18,6% 344 Extrativa mineral ,1% ,3% -2,7% -58 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos ,5% ,7% 16,8% 281 Veículos automotores, reboques e carrocerias ,1% ,4% -11,8% -230 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis ,2% ,1% 31,6% 399 Farmoquímicos e farmacêuticos 727 4,2% 775 4,3% 6,6% 48 Metalurgia 750 4,3% 707 3,9% -5,7% -43 Materiais elétricos 685 3,9% 658 3,6% -3,9% -27 Material de transporte 529 3,0% 619 3,4% 17,0% 90 Alimentos 543 3,1% 537 3,0% -1,1% -6 Borracha e plástico 407 2,3% 427 2,3% 4,9% 20 Produtos de metal 397 2,3% 401 2,2% 1,0% 4 Produtos diversos 360 2,1% 325 1,8% -9,7% -35 Têxteis 235 1,3% 229 1,3% -2,6% -6 Minerais não-metálicos 189 1,1% 207 1,1% 9,5% 18 Vestuário e acessórios 150 0,9% 189 1,0% 26,0% 39 Celulose e Papel 134 0,8% 120 0,7% -10,4% -14 Bebidas 99 0,6% 93 0,5% -6,1% -6 Couro e calçados 94 0,5% 90 0,5% -4,3% -4 Móveis 42 0,2% 43 0,2% 2,4% 1 Impressão e reprodução de gravações 18 0,1% 21 0,1% 16,7% 3 Madeira 12 0,1% 11 0,1% -8,3% -1 Indústrias diversas 11 0,1% 7 0,0% -36,4% -4 Tabaco 6 0,0% 2 0,0% -66,7% -4 Total da Indústria ,7% ,49% 3,7% 629 Básicos 391 2,2% 451 2,5% 15,3% 60 Serviços 8 0,0% 6 0,0% -25% -2 Transações Especiais - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% 3,9% 687

39 IMPORTAÇÕES DO BRASIL POR CATEGORIAS DE USO NO ANO (em ) jan-dez/12 Part. (%) jan-dez/13 Part. (%) Var. (%) Bens intermediários ,0% ,8% 7,1% Bens de capital ,0% ,7% 4,9% Combustíveis e lubrificantes ,6% ,7% 18,6% Bens de consumo não-duráveis ,0% ,1% 9,0% Bens de consumo duráveis ,8% ,1% -5,2% -674 Bens de consumo semiduráveis ,6% ,6% 7,4% 425 Bens não especificados em outra categoria 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Transações especiais 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% 7,4%

40 IMPORTAÇÕES DO BRASIL POR CATEGORIAS DE USO NO MÊS (em ) dez/12 Part. (%) dez/13 Part. (%) Var. (%) Bens intermediários ,8% ,1% 6,4% 602 Bens de capital ,3% ,2% 9,2% 280 Combustíveis e lubrificantes ,0% ,1% -4,5% -94 Bens de consumo não-duráveis ,8% ,9% 5,4% 73 Bens de consumo duráveis ,9% 956 5,3% -20,4% -245 Bens de consumo semiduráveis 384 2,2% 455 2,5% 18,5% 71 Bens não especificados em outra categoria 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Transações especiais 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% 3,9% 687

41 SALDO COMERCIAL DO BRASIL NO ANO (em ) jan-dez/12 jan-dez/13 Var. (%) Alimentos ,4% -913 Bebidas ,4% 124 Borracha e plástico ,1% -611 Celulose e Papel ,4% 596 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis ,2% Couro e calçados ,7% 331 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos ,3% Extrativa mineral ,5% Farmoquímicos e farmacêuticos ,5% -723 Impressão e reprodução de gravações ,2% -15 Indústrias diversas ,2% -427 Madeira ,1% 93 Máquinas e equipamentos ,3% Materiais elétricos ,8% -786 Material de transporte ,9% Metalurgia ,5% Minerais não-metálicos ,3% 896 Móveis ,8% -125 Produtos de metal ,8% -478 Produtos diversos ,4% -667 Químicos ,8% -824 Tabaco ,2% Têxteis ,4% Veículos automotores, reboques e carrocerias ,6% -368 Vestuário e acessórios ,1% -212 Total da Indústria ,9% Básicos ,9% Serviços ,8% 78 Transações Especiais ,4% -390 Total Geral ,8%

42 SALDO COMERCIAL DO BRASIL NO MÊS (em ) dez/12 dez/13 Var. (%) Alimentos ,0% -94 Bebidas ,8% 6 Borracha e plástico ,4% -10 Celulose e Papel ,5% 13 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis ,0% -378 Couro e calçados ,7% 63 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos ,8% -312 Extrativa mineral ,0% 0 Farmoquímicos e farmacêuticos ,8% -42 Impressão e reprodução de gravações ,8% -13 Indústrias diversas ,6% -7 Madeira ,0% 4 Máquinas e equipamentos ,2% 14 Materiais elétricos ,3% -167 Material de transporte ,5% 88 Metalurgia ,2% Minerais não-metálicos ,8% 150 Móveis ,0% -4 Produtos de metal ,4% -8 Produtos diversos ,1% -7 Químicos ,6% 28 Tabaco ,5% 50 Têxteis ,4% -137 Veículos automotores, reboques e carrocerias ,2% 358 Vestuário e acessórios ,2% -38 Total da Indústria ,9% 968 Básicos ,0% -495 Serviços ,0% 12 Transações Especiais ,2% -74 Total Geral ,3% 411

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JULHO Exportações As exportações da indústria atingiram o nível mais baixo desde 2006 para o

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM AGOSTO Exportações As exportações da indústria registraram o nível mais baixo para o mês desde

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações Apesar do bom crescimento de Produtos Alimentícios e Máquinas e Equipamentos,

Leia mais

ano IV, n 46 Fevereiro de 2015

ano IV, n 46 Fevereiro de 2015 ano IV, n 46 Fevereiro de 2015 SÍNTESE JANEIRO DE 2015 Em US$ milhões Período Exportações Importações Saldo Janeiro 13.704 16.878-3.174 Variação em relação a Janeiro de 2014-14,5 % -16,0 % 894 Acumulado

Leia mais

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS A INDÚSTRIA EM NÚMEROS Dezembro/2016 1. Desempenho conjuntural da indústria Principais indicadores da indústria Variável Out16/Set16 (%) dessaz. Out16/Out15 (%) Taxa acumulada nos últimos 12 meses; até

Leia mais

Indicadores selecionados do RS*

Indicadores selecionados do RS* 67 Indicadores selecionados do RS* Tabela 1 Taxas de crescimento da produção, da área colhida e da produtividade dos principais produtos da lavoura no Rio Grande do Sul /06 PRODUTOS / 2006/ (1) Produção

Leia mais

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais.

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Dezembro/2014 OBJETIVO Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Permitir ainda, uma análise comparativa da evolução

Leia mais

IGP-M registra variação de 0,51% em março

IGP-M registra variação de 0,51% em março Segundo Decêndio Março de 2014 IGP-M registra variação de 0,51% em março O Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) variou 0,51%, em março. Em fevereiro, o índice variou 1,29%. Em março de 2015, a variação

Leia mais

INFORME ESTATÍSTICO DA ECONOMIA BRASILEIRA

INFORME ESTATÍSTICO DA ECONOMIA BRASILEIRA Documento Interno para discussão Nº LC/BRS/R.289/Add.10-12 Outubro-Dezembro 2014 Original: Espanhol CEPAL COMISSÃO ECONÔMICA PARA A AMÉRICA LATINA E O CARIBE Escritório em Brasília INFORME ESTATÍSTICO

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012 US$ milhões FOB Período Dias Úteis EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil p/dia

Leia mais

Desempenho da Indústria Catarinense

Desempenho da Indústria Catarinense FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA Desempenho da Indústria Catarinense Florianópolis, 20 de março de 2015 SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2015 INDICADOR SANTA CATARINA

Leia mais

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP P E S Q U I S A Centro das Indústrias do Estado de São Paulo CIESP Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP Resultados do mês de Agosto de 2014 FIESP/CIESP - Pesquisa NIVEL DE EMPREGO

Leia mais

Coeficientes de Exportação e Importação

Coeficientes de Exportação e Importação Coeficientes de Exportação e Importação Resultados de 2011 Roberto Giannetti da Fonseca Diretor Titular São Paulo, 07 de fevereiro de 2012 Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior -

Leia mais

IGP-M registra variação de 0,33% em abril

IGP-M registra variação de 0,33% em abril Segundo Decêndio Março de 2014 IGP-M registra variação de 0,33% em abril O Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) variou 0,33%, em abril. Em março, o índice variou 0,51%. Em abril de 2015, a variação foi

Leia mais

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP P E S Q U I S A Centro das Indústrias do Estado de São Paulo CIESP Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP Resultados do mês de Junho de 2013 FIESP/CIESP - Pesquisa NIVEL DE EMPREGO

Leia mais

ano V, n 46, Fevereiro de 2015

ano V, n 46, Fevereiro de 2015 ,, Fevereiro de 2015 EM FOCO O Índice de rentabilidade das exportações registrou queda de 10,1% em janeiro de 2015 na comparação com janeiro de 2014 (Tabela 1). A queda do Índice resultou da forte diminuição

Leia mais

Resultados de Junho de 2014

Resultados de Junho de 2014 Junho / 2014 Resultados de Junho de 2014 - Exportação: US$ 20,5 bi, em valor, e média diária de US$ 1,023 bilhão; sobre mai-14, aumento de 3,6%, pela média diária; sobre jun-13, redução de 3,5%, pela média

Leia mais

PRODUÇÃO INDUSTRIAL EM NOVEMBRO DE 2003:

PRODUÇÃO INDUSTRIAL EM NOVEMBRO DE 2003: PRODUÇÃO INDUSTRIAL EM NOVEMBRO DE 2003: CONDIÇÕES ADVERSAS DO MERCADO INTERNO LIMITAM A RECUPERAÇÃO INDUSTRIAL Segundo o IBGE, em novembro, a produção industrial cresceu 0,8% na comparação com o mês outubro,

Leia mais

PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG. Vale do Rio Grande

PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG. Vale do Rio Grande PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG Vale do Rio Grande Julho/2016 Objetivo Prover informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria no Estado de Minas Gerais e nas Regionais

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares

BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares 1 BALANÇA COMERCIAL GOIÁS OUTUBRO 2015 US$ FOB MÊS EXPORTAÇÕES IMPORTAÇÕES SALDO OUTUBRO/2015 516.095.546 262.729.719 253.365.827 2 EVOLUÇÃO DA

Leia mais

Evolução dos coeficientes de exportação e importação da Indústria de Transformação

Evolução dos coeficientes de exportação e importação da Indústria de Transformação Evolução dos coeficientes de exportação e importação da Indústria de Transformação Gráfico 1 CE e PI da Indústria de transformação e taxa de câmbio real CE e PI(%) 20 A taxa média de câmbio efetiva real

Leia mais

Mogi das Cdr_mogi_das_cruzes 21 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE MOGI DAS CRUZES. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

Mogi das Cdr_mogi_das_cruzes 21 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE MOGI DAS CRUZES. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação Mogi das Cdr_mogi_das_cruzes 21 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE MOGI DAS CRUZES Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 16 de dezembro de 2016 A Diretoria Regional do CIESP de Mogi

Leia mais

ano V, n 47, Março de 2015

ano V, n 47, Março de 2015 ,, Março de 2015 EM FOCO Em fevereiro, o Índice de rentabilidade das exportações totais registrou aumento de 2,6%, em relação a janeiro. O aumento da Rentabilidade exportadora no mês foi devido ao impacto

Leia mais

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Diretoria Adjunta de Análise e Disseminação de Informações Gerência de Indicadores Econômicos Em fevereiro de 2016, no acumulado de 12 meses,

Leia mais

Relações Comerciais Brasil-Alemanha

Relações Comerciais Brasil-Alemanha Relações Comerciais Brasil-Alemanha Balança Comercial Brasil Alemanha / 2002 Mar 2015 (em mil US$ - FOB) Ano Exportação Importação Saldo Volume de Comércio 2002 2.539.954 4.418.971-1.879.016 6.958.926

Leia mais

Encontro RMPI/FIEMG de Inovação 2013

Encontro RMPI/FIEMG de Inovação 2013 Encontro RMPI/FIEMG de Inovação 2013 O Processo de Inovação na Empresa Brasileira: Avanços e Desafios Prof. Dr. Ruy Quadros Unicamp e Innovarelab Belo Horizonte 4/11/2013 O Processo de Inovação na Empresa

Leia mais

COLETIVA DE IMPRENSA. Rafael Cervone Presidente da Abit

COLETIVA DE IMPRENSA. Rafael Cervone Presidente da Abit COLETIVA DE IMPRENSA Rafael Cervone Presidente da Abit RESULTADOS 2014 Var.% em relação ao mesmo período do ano anterior 2013 2014* Perfil 2014* Emprego +7.273-20.000 1,6 milhão Produção Vestuário -1,3%

Leia mais

Aspectos do comportamento da indústria brasileira no primeiro trimestre de Luiz Dias Bahia Nº 12

Aspectos do comportamento da indústria brasileira no primeiro trimestre de Luiz Dias Bahia Nº 12 Aspectos do comportamento da indústria brasileira no primeiro trimestre de 2013 Luiz Dias Bahia Nº 12 Brasília, julho de 2013 ASPECTOS DO COMPORTAMENTO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até maio de Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Exportações no período acumulado de janeiro até maio de Total das exportações do Rio Grande do Sul. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de maio de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO São Paulo, 20 de março de 2016 Fevereiro 2016 BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO Em fevereiro, a corrente de comércio brasileira totalizou US$ 23,7 bilhões,

Leia mais

Gráfico 1 Corrente de comércio Brasil - China entre 2006 e 2015 (US$ milhões)

Gráfico 1 Corrente de comércio Brasil - China entre 2006 e 2015 (US$ milhões) INFORMATIVO Nº. 48. JANEIRO de 216 COMÉRCIO BILATERAL BRASIL-CHINA Balança Comercial Em 215, a corrente de comércio Brasil-China totalizou 66,3 bilhões, de acordo com dados divulgados pelo Ministério do

Leia mais

Sem plataformas de petróleo parcela exportada da indústria cairia em 2013.

Sem plataformas de petróleo parcela exportada da indústria cairia em 2013. Informativo trimestral 4º trimestre de 2013 Para mais informações www.fiesp.com.br São Paulo, 19 de fevereiro de 2014 Sem plataformas de petróleo parcela exportada da indústria cairia em 2013. Coeficiente

Leia mais

Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria

Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria Rede Setorial da Indústria Os desafios setoriais à competitividade da indústria brasileira Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria São Paulo, 10 de setembro de 2013 ROTEIRO

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL

BALANÇA COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL BALANÇA COMERCIAL Tatiana Lacerda Prazeres Secretária de Comércio Exterior Indicadores Sócioeconômicos dos Países do Mercosul 2010 BRASIL ARGENTINA PARAGUAI URUGUAI PIB (US$ bi) 2.090,3 370,3 18,5 40,3

Leia mais

As exportações chinesas e o impacto na FIAM 2009

As exportações chinesas e o impacto na FIAM 2009 As exportações chinesas e o impacto na Zona Franca de Manaus FIAM 2009 Modelo econômico de desenvolvimento chinês P d Produção para exportação China A retração do mercado americano e europeu As alternativas

Leia mais

INFORMATIVO DE BUENOS AIRES

INFORMATIVO DE BUENOS AIRES Informativo CNI Importações: balanço do primeiro 2 quadrimestre do ano INFORMATIVO DE BUENOS AIRES Fechado o acordo automotivo: manutenção do flex e livre comércio previsto para 2020 Nesta sexta-feira,

Leia mais

NOTA TÉCNICA CHINA. Período: 2014 / 2015* *Valores em US$ FOB. Fonte: Aliceweb/Exportaminas. BALANÇA COMERCIAL BRASIL X CHINA

NOTA TÉCNICA CHINA. Período: 2014 / 2015* *Valores em US$ FOB. Fonte: Aliceweb/Exportaminas. BALANÇA COMERCIAL BRASIL X CHINA NOTA TÉCNICA CHINA Período: 2014 / 2015* *Valores em US$ FOB. Fonte: Aliceweb/. Brasil Gráfico 1. BALANÇA COMERCIAL BRASIL X CHINA Balança Comercial Brasil X China 40.616 37.345 35.608 30.719 US$ 2014

Leia mais

CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016

CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

EVOLUÇÃO RECENTE DA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA

EVOLUÇÃO RECENTE DA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA EVOLUÇÃO RECENTE DA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA Pedro Garrido da Costa Lima Consultor Legislativo da Área IX Política e Planejamento Econômicos, Desenvolvimento Econômico e Economia Internacional ESTUDO TÉCNICO

Leia mais

Ingressos de IED diminuem 12,3% frente a 2014

Ingressos de IED diminuem 12,3% frente a 2014 São Paulo, 06 de outubro de 2015 AGOSTO DE 2015 Ingressos de IED diminuem 12,3% frente a 2014 Até agosto de 2015, os fluxos de investimento estrangeiro direto (IED) no Brasil totalizaram US$ 36,8 bilhões.

Leia mais

Dezembro 2014 São Paulo, 21 de janeiro de SUPERÁVIT ANUAL COM A CHINA É O MENOR DOS ÚLTIMOS SEIS ANOS

Dezembro 2014 São Paulo, 21 de janeiro de SUPERÁVIT ANUAL COM A CHINA É O MENOR DOS ÚLTIMOS SEIS ANOS Dezembro 2014 São Paulo, 21 de janeiro de 2015. SUPERÁVIT ANUAL COM A CHINA É O MENOR DOS ÚLTIMOS SEIS ANOS Apesar do saldo superavitário com a China, 2014 registrou o menor saldo positivo com o parceiro

Leia mais

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATOGROSSENSES JANEIRO a NOVEMBRO / Balança Comercial

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATOGROSSENSES JANEIRO a NOVEMBRO / Balança Comercial ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATOGROSSENSES JANEIRO a NOVEMBRO - 2010/2009 1- Balança Comercial Mato Grosso registrou até novembro desse ano, um superávit acumulado na Balança Comercial de US$ 6,95 bilhões,

Leia mais

URUGUAI. Comércio Exterior

URUGUAI. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC URUGUAI Comércio Exterior Janeiro de 2016 Principais indicadores

Leia mais

Perfil País. Moçambique

Perfil País. Moçambique Perfil País Moçambique Elaborado pela: Unidade de - ic@apexbrasil.com.br Apex-Brasil Tel: +55 613426.0202 Fax: +55 613426.0332 www.apexbrasil.com.br 1 Moçambique Indicadores Econômicos Crescimento do PIB

Leia mais

GEOGRAFIA 9 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE

GEOGRAFIA 9 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE GEOGRAFIA 9 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade II Comunicação e tecnologia. 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 7.2 Conteúdos A presença da economia

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DEZEMBRO 2016

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DEZEMBRO 2016 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DEZEMBRO 2016 Período Dias Úteis US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil

Leia mais

IGP-M. Janeiro/ de janeiro de Secretaria de Política Econômica

IGP-M. Janeiro/ de janeiro de Secretaria de Política Econômica IGP-M Janeiro/2016 28 de janeiro de 2016 jan 99 jul 99 jan 00 jul 00 jan 01 jul 01 jan 02 jul 02 jan 03 jul 03 jan 04 jul 04 jan 05 jul 05 jan 06 jul 06 jan 07 jul 07 jan 08 jul 08 jan 09 jul 09 jan 10

Leia mais

Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Janeiro de 2016

Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Janeiro de 2016 Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Janeiro de 2016 Março/2016 BRASIL A produtividade física do trabalho da Indústria de Transformação apresentou uma queda de 2,3% em Janeiro

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

NOTA TÉCNICA. Bélgica. Período: 2010 a 2015*

NOTA TÉCNICA. Bélgica. Período: 2010 a 2015* NOTA TÉCNICA Bélgica Período: 2010 a 2015* *de 2010 a 2014 foram considerados valores em US$ de janeiro a dezembro. Para 2015 foram considerados os valores em US$ acumulados entre janeiro e agosto do ano

Leia mais

Produção Industrial Fevereiro de 2015

Produção Industrial Fevereiro de 2015 Produção Industrial Fevereiro de 201 PRODUÇÃO INDUSTRIAL DE SANTA CATARINA - FEVEREIRO/1 Em fevereiro, a indústria de Santa Catarina produziu 9,% menos na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Das

Leia mais

Setor produtivo G03 - Borracha e Plástico. Contém estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE /01 Confecção de roupas profissionais, exceto sob

Setor produtivo G03 - Borracha e Plástico. Contém estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE /01 Confecção de roupas profissionais, exceto sob Setor produtivo G03 - Borracha e Plástico. Contém 1114186 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 1413-4/01 Confecção de roupas profissionais, exceto sob medida 1413-4/02 Confecção, sob medida, de roupas

Leia mais

NOVA ZELÂNDIA. Comércio Exterior

NOVA ZELÂNDIA. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC NOVA ZELÂNDIA Comércio Exterior Março de 2016 Principais indicadores

Leia mais

3º Trimestre de 2011

3º Trimestre de 2011 Contas Nacionais Trimestrais Indicadores de Volume e Valores Correntes 3º Trimestre de 2011 Coordenação de Contas Nacionais 06 de dezembro de 2011 Revisões nas Contas Nacionais Trimestrais No 3º trimestre

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO SETOR INDUSTRIAL NO CONTEXTO DO ZONEAMENTO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

A IMPORTÂNCIA DO SETOR INDUSTRIAL NO CONTEXTO DO ZONEAMENTO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO A IMPORTÂNCIA DO SETOR INDUSTRIAL NO CONTEXTO DO ZONEAMENTO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Nov. 2015 Distribuição % do Emprego e Massa Salarial e Valor Adicionado na Capital Seção CNAE Empregados % Massa Salarial

Leia mais

Nº 32 COMPORTAMENTO PRODUTIVO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE Brasília, setembro de 2016.

Nº 32 COMPORTAMENTO PRODUTIVO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE Brasília, setembro de 2016. COMPORTAMENTO PRODUTIVO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016 Luiz Dias Bahia Alexandre Messa Peixoto da Silva Nº 32 Brasília, setembro de 2016. As opiniões emitidas nesta publicação são

Leia mais

IGP-M. Abril/ de abril de Secretaria de Política Econômica

IGP-M. Abril/ de abril de Secretaria de Política Econômica IGP-M Abril/2016 28 de abril de 2016 abr 99 out 99 abr 00 out 00 abr 01 out 01 abr 02 out 02 abr 03 out 03 abr 04 out 04 abr 05 out 05 abr 06 out 06 abr 07 out 07 abr 08 out 08 abr 09 out 09 abr 10 out

Leia mais

ARGENTINA. Comércio Exterior

ARGENTINA. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ARGENTINA Comércio Exterior Janeiro de 2016 Principais Indicadores

Leia mais

Produção Industrial Abril de 2015

Produção Industrial Abril de 2015 Produção Industrial Abril de 201 PRODUÇÃO INDUSTRIAL DE SANTA CATARINA - ABRIL/1 Em abril, a indústria de transformação de Santa Catarina produziu 6,6% menos na comparação com o mesmo mês do ano anterior,

Leia mais

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE EM 2009

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE EM 2009 DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE EM 20 Em 20 a indústria catarinense enfrentou um ambiente econômico adverso, marcado por restrições de liquidez no mercado internacional e incertezas quanto ao futuro

Leia mais

A inflação frente ao câmbio e preços internacionais

A inflação frente ao câmbio e preços internacionais São Paulo, 08 de outubro de 2008. NOTA À IMPRENSA A inflação frente ao câmbio e preços internacionais Entre outubro de 2007 e setembro último, a inflação medida pelo ICV-DIEESE foi de 6,79%, com forte

Leia mais

Meio Rural X Meio Agrário:

Meio Rural X Meio Agrário: Introdução Rural X Urbano: Urbano: presença de construções (casas, prédios, comércio, escolas, hospitais, etc.); Rural: presença maior da natureza e atividades agrárias; Meio Rural X Meio Agrário: Rural:

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA LB% ATIVIDADE ECONÔMICA Comércio a varejo de automóveis, camionetas e utilitários novos

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA LB% ATIVIDADE ECONÔMICA Comércio a varejo de automóveis, camionetas e utilitários novos GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA ANEXO ÚNICO À PORTARIA SEFAZ N o 1799, de 30 de dezembro de 2002. (Redação dada pela Portaria nº 011 de 11.01.07). CÓDIGO CÓDIGO 1.0 2.0 LB% ATIVIDADE

Leia mais

Competitividade e Comércio Internacional da Região Norte Eduardo Pereira

Competitividade e Comércio Internacional da Região Norte Eduardo Pereira Competitividade e Comércio Internacional da Região Norte Eduardo Pereira 3 a sessão NORTE & ECONOMIA 30 novembro Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões Matosinhos www.ccdr-n.pt/norte-economia Competitividade

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR DO TOCANTINS 1º Trimestre 2016

COMÉRCIO EXTERIOR DO TOCANTINS 1º Trimestre 2016 1. BALANÇA COMERCIAL DO TOCANTINS 97.051.268 Exportação Importação O Saldo da Balança Comercial (exportação importação) se manteve positivo, sendo 67% superior ao mesmo período de 55.371.631 2015. 25.178.948

Leia mais

Relatório da Balança Comercial de Autopeças

Relatório da Balança Comercial de Autopeças dez/13 jan/14 mar/14 abr/14 jun/14 jul/14 set/14 out/14 dez/13 jan/14 mar/14 abr/14 jun/14 jul/14 set/14 out/14-1.067-914 -822-869 -707-761 -829-928 -678-749 -708-528 I Resultados Mensal: -30,3% Acum.

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM O GABÃO

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM O GABÃO BALANÇA COMERCIAL Var % a 05/09 Var % b 09/10 Exportações 1.661 2.118 1.702 4.445 2.113 29,1 2.035 6.652 226,8 Importações 15.503 9.430 11.457 7.302 4.850-21,9 4.654 4.867 4,6 Saldo -13.842-7.312-9.755-2.857-2.737

Leia mais

Emprego Industrial Dezembro de 2014

Emprego Industrial Dezembro de 2014 Emprego Industrial Dezembro de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de dezembro de 2014, o saldo de empregos em Santa Catarina recuou em relação ao estoque de novembro (-36.691 postos e variação de -1,8%). A

Leia mais

PANORAMA DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO BRASILEIRA

PANORAMA DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO BRASILEIRA PANORAMA DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO BRASILEIRA 9ª Edição Última atualização 07 de Março de 2016 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 5 1. A DESINDUSTRIALIZAÇÃO NO BRASIL... 6 1.1. Evolução da Participação da Indústria

Leia mais

Região Norte. Regional Maio 2015

Região Norte. Regional Maio 2015 Regional Maio 2015 O mapa mostra a divisão do estado de Minas Gerais para fins de planejamento. A região de planejamento Norte engloba a Fiemg Regional Norte, Vale do Jequitinhonha e Mucuri. Região Norte

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos BENS DE CAPITAL NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos BENS DE CAPITAL NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos BENS DE CAPITAL NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DA ITÁLIA PARA O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO BRASIL

A CONTRIBUIÇÃO DA ITÁLIA PARA O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO BRASIL A CONTRIBUIÇÃO DA ITÁLIA PARA O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO BRASIL 1 Entre 2002 e 2013 o intercâmbio entre a Itália e o Brasil cresceu 211% 12 11,7 10,8 10,8 10 9,4 9,1 8 6 4 3,6 4 5 5,5 6,4 7,8 6,7 2

Leia mais

Brasil, conjuntura e perspectiva

Brasil, conjuntura e perspectiva Brasil, conjuntura e perspectiva Julho 2015 Rodolfo Margato Estrutura da Apresentação: 1) Conjuntura Macroeconômica; 2) Principais Oportunidades e Desafios para a Economia Brasileira. Cenário Internacional

Leia mais

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 31/1/2015. Fevereiro 2015 Conjuntura Econômica I

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 31/1/2015. Fevereiro 2015 Conjuntura Econômica I Índices Econômicos II Índices gerais II Índice de preços ao produtor amplo origem Brasil III Preços ao consumidor Brasil V Preços ao consumidor Rio de Janeiro V Preços ao consumidor São Paulo V Preços

Leia mais

Relatório da Balança Comercial de Autopeças

Relatório da Balança Comercial de Autopeças abr/14 mai/14 jul/14 ago/14 out/14 nov/14 jan/15 fev/15 abr/14 mai/14 jul/14 ago/14 out/14 nov/14 jan/15 fev/15-822 -869-928 -761-829 -678-749 -708-748 -537-482 -349 I Resultados Mensal: -31,9% Acum. Ano:

Leia mais

ANEXO VI SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA EM OPERAÇÕES OU PRESTAÇÕES INTERESTADUAIS - ESTADOS SIGNATÁRIOS DE ACORDOS TABELA I CIMENTO DE QUALQUER ESPÉCIE

ANEXO VI SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA EM OPERAÇÕES OU PRESTAÇÕES INTERESTADUAIS - ESTADOS SIGNATÁRIOS DE ACORDOS TABELA I CIMENTO DE QUALQUER ESPÉCIE ANEXO VI SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA EM OPERAÇÕES OU PRESTAÇÕES INTERESTADUAIS - ESTADOS SIGNATÁRIOS DE ACORDOS TABELA I CIMENTO DE QUALQUER ESPÉCIE PROTOCOLO ICM 11/85 Adesão Rondônia - Protocolo ICM 11/87,

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR JUNHO 2015

COMÉRCIO EXTERIOR JUNHO 2015 Leve aumento das exportações da região de Campinas surpreende, enquanto importações seguem tendência de forte retração Este relatório tem como objetivo analisar os resultados de comércio exterior dos 19

Leia mais

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO JOÃO CRUZ REIS FILHO SECRETÁRIO DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Brasília/DF JULHO DE 2015 22 CENÁRIO POPULACIONAL

Leia mais

ESTADOS UNIDOS. Comércio Exterior

ESTADOS UNIDOS. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ESTADOS UNIDOS Comércio Exterior Março de 2016 Principais Indicadores

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Eduardo Pereira Nunes Elisio Contini Apresentação à Diretoria da ABAG 13 de setembro de 2000 - São Paulo O PROBLEMA Controvérsias sobre contribuição

Leia mais

Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Exportaminas

Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Exportaminas NOTA TÉCNICA MERCOSUL Estados Associados* 2010-2014 * Mercado Comum do Sul Estados Associados é composto por República do Chile, República da Colômbia, República do Equador, República Cooperativa da Guiana,

Leia mais

V AVISULAT Porto Alegre/RS

V AVISULAT Porto Alegre/RS V AVISULAT Porto Alegre/RS Avanços e desafios para o agronegócio brasileiro no mercado externo. Eduardo Sampaio Marques Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio SRI/MAPA Panorama do Agronegócio

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013

EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013 EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013 Emprego industrial 28 de Janeiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO - no acumulado do ano, foi

Leia mais

Indicadores Econômicos da Indústria de Transformação e dos Setores do Sindicato

Indicadores Econômicos da Indústria de Transformação e dos Setores do Sindicato DEPECON Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Indicadores Econômicos da Indústria de Transformação e dos Setores do Sindicato SIMEFRE Julho de 2016 Este relatório visa a fornecer informações econômicas

Leia mais

Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social

Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social 2º Semestre/2011 1 Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social Informações Trabalhistas e Previdenciárias de acordo

Leia mais

Aspectos do Desempenho Produtivo da Indústria Brasileira no Primeiro Trimestre de Luiz Dias Bahia Nº 20. Brasília, junho de 2014

Aspectos do Desempenho Produtivo da Indústria Brasileira no Primeiro Trimestre de Luiz Dias Bahia Nº 20. Brasília, junho de 2014 1 Aspectos do Desempenho Produtivo da Indústria Brasileira no Primeiro Trimestre de 2014 Luiz Dias Bahia Nº 20 Brasília, junho de 2014 2 ASPECTOS DO DESEMPENHO PRODUTIVO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA NO PRIMEIRO

Leia mais

Aula9 A ECONOMIA BRASILEIRA. Débora Barbosa da Silva

Aula9 A ECONOMIA BRASILEIRA. Débora Barbosa da Silva Aula9 A ECONOMIA BRASILEIRA META Levar o aluno a compreender a organização econômica do Brasil e sua participação no mercado mundial. OBJETIVOS Ao fi nal desta aula, o aluno deverá: Conhecer os diferentes

Leia mais

Anexo 1 - Estrutura detalhada da CNAE 2.0 (seções B, C e D): códigos e denominações

Anexo 1 - Estrutura detalhada da CNAE 2.0 (seções B, C e D): códigos e denominações (continua) B INDÚSTRIAS EXTRATIVAS 05 EXTRAÇÃO DE CARVÃO MINERAL 05.0 Extração de carvão mineral 05.00-3 Extração de carvão mineral 06 EXTRAÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL 06.0 Extração de petróleo e gás

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. 2015 com abril de 2014.

Exportações no período acumulado de janeiro até abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. 2015 com abril de 2014. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

A BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA: DESEMPENHO NO PERÍODO 1997/2000

A BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA: DESEMPENHO NO PERÍODO 1997/2000 Textos para Discussão 90 A BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA: DESEMPENHO NO PERÍODO 1997/2000 Maurício Serrão Piccinini Fernando Pimentel Puga* *Respectivamente, gerente e economista da Gerência Executiva de

Leia mais

Análise da Balança Comercial Brasileira de 2011

Análise da Balança Comercial Brasileira de 2011 Análise da Balança Comercial Brasileira de 2011 Saldo comercial aumenta em função das altas cotações das commodities No ano de 2011, as exportações em valor cresceram 26,8%, em relação ao ano de 2010.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Sede Nacional - SP

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Sede Nacional - SP ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Sede Nacional - SP Fundação: 1937 - origem em um sindicato têxtil; Possui 1.200 empresas associadas e representa 4,5 mil empresas; Sede nacional

Leia mais

IGP-M. Junho/ de junho de Secretaria de Política Econômica

IGP-M. Junho/ de junho de Secretaria de Política Econômica IGP-M Junho/2016 29 de junho de 2016 jun 99 dez 99 jun 00 dez 00 jun 01 dez 01 jun 02 dez 02 jun 03 dez 03 jun 04 dez 04 jun 05 dez 05 jun 06 dez 06 jun 07 dez 07 jun 08 dez 08 jun 09 dez 09 jun 10 dez

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO DAS RELAÇÕES ECONÔMICAS E COMERCIAIS. BRASIL x CHINA

SUMÁRIO EXECUTIVO DAS RELAÇÕES ECONÔMICAS E COMERCIAIS. BRASIL x CHINA Ministério das Relações Exteriores MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos DPR Divisão de Inteligência Comercial DIC SUMÁRIO EXECUTIVO DAS RELAÇÕES ECONÔMICAS E COMERCIAIS BRASIL x CHINA

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Índice 1 - Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 1.1 Agronegócio Soja 1.2 Agronegócio Milho 1.3 Agronegócio Algodão 1.4 Agronegócio Boi 2 Competitividade 2.1 Logística

Leia mais

Comércio Internacional Português

Comércio Internacional Português Evolução das Exportações Portuguesas de Bens eiro a o de 2012 Comércio Internacional Português Exportações Portuguesas de Bens eiro a o de 2012 Informação Portugal, 10 de ho de 2012 Evolução das Exportações

Leia mais

Junho 2014 Conjuntura Econômica I

Junho 2014 Conjuntura Econômica I Índices Econômicos II Índices gerais II Índice de preços ao produtor amplo origem Brasil III Preços ao consumidor Brasil IV Preços ao consumidor Rio de Janeiro V Preços ao consumidor São Paulo V Preços

Leia mais

O investimento direto estrangeiro e o Brasil. Elton Jony Jesus Ribeiro IPEA

O investimento direto estrangeiro e o Brasil. Elton Jony Jesus Ribeiro IPEA O investimento direto estrangeiro e o Brasil Elton Jony Jesus Ribeiro IPEA 1. O que é o IDE? Investimento de Portfólio X Investimento Direto Investimento de Portfólio: É baseado na percepção do ganho financeiro

Leia mais

Região Norte. Regional Abril 2014

Região Norte. Regional Abril 2014 O mapa mostra a divisão do estado de Minas Gerais para fins de planejamento. A região de planejamento Norte engloba a Fiemg Regional Norte, Vale do Jequitinhonha e Mucuri. Região Norte GLOSSÁRIO Setores

Leia mais