Análise de Redes Elétricas no Domínio do Tempo Introdução ao ATP. CESEP Curso de Especialização em Sistemas Elétricos de Potência - UFMG

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Análise de Redes Elétricas no Domínio do Tempo Introdução ao ATP. CESEP Curso de Especialização em Sistemas Elétricos de Potência - UFMG"

Transcrição

1 1 Análise de Redes Elétricas no Domínio do Tempo Introdução ao ATP Clever S. Pereira Filho Fuad de S. Almeida Alberto R. De Conti CESEP Curso de Especialização em Sistemas Elétricos de Potência - UFMG

2 2 Sumário 1 - Instalação do Software 2 Informações Gerais 3 - Modelos Disponíveis no ATP 4 - Resultados 5 - Entrada e Saída de Dados

3 3 Introdução ao ATP Instalação do Software -Copiar pasta Atpdraw2004 para o diretório raiz C:\ ; - Criar ícone de atalho a partir do arquivo Atpdraw.exe ; - Em cada sub-pasta desmarcar a opção de Somente leitura para os arquivos existentes;

4 4 Introdução ao ATP Informações Gerais Ferramentas para a simulação de transitórios eletromagnéticos: - Modelos em Escala Reduzida; - Simuladores analógicos (TNA); - Simuladores Digitais (ATP, EMTP, PSCAD, SPICE, etc.);

5 Introdução ao ATP Informações Gerais O programa ATP permite a simulação de transitórios eletromagnéticos em redes polifásicas, com configurações arbitrárias, através de um método que utiliza a matriz de admitância de barras. A formulação matemática é baseada no método das características (método de Bergeron) para elementos com parâmetros distribuídos e na regra de integração trapezoidal para elementos com parâmetros concentrados. Como um programa digital não permite obter uma solução contínua no tempo, são calculados valores em intervalos de tempo discretos. O programa permite a representação de não-linearidades, elementos com parâmetros concentrados, elementos com parâmetros distribuídos, chaves, transformadores, reatores, etc., os quais serão detalhados no decorrer do curso. De uma forma geral, são considerados parâmetros em componentes de fase e em seqüência (zero e positiva), dependendo do modelo. 5

6 Introdução ao ATP Modelos disponíveis - Elementos Concentrados; - Elementos RL acoplados; - PI Equivalentes Polifásicos; - Transformadores; - Linhas de Transmissão; - Elementos não-lineares; -Chaves; -Fontes; - Pára-raios; - Compensadores estáticos, Válvulas e Relés de Proteção TACS e MODELS. 6

7 Introdução ao ATP Resultados A resposta da rede elétrica no domínio do tempo é disponível para as tensões de barras e de ramos, e para correntes de ramos, através de uma tabela de valores ou de gráficos produzidos através do programa PlotXY. Os estudos estatísticos de transitórios têm os resultados apresentados sob a forma de distribuições, sendo fornecidos os valores médios e desvios padrão e histogramas das grandezas especificadas. É possível a obtenção da solução em regime permanente, sendo impressos todas as tensões de barras, fluxos de potência e correntes nos ramos da rede em estudo. O programa permite também a obtenção de valores de potência e energia em determinados elementos da rede. Os arquivos de saída do ATP possuem a terminação.lis para os resultados impressos e a terminação.pl4 para a visualização dos gráficos. 7

8 Introdução ao ATP Entrada e Saída de Dados O arquivo de entrada de dados geralmente possui a terminação.dat (ou.atp), com exceção dos arquivos gerados pelo programa ATPDRAW, que possuem a extensão.adp. O ATPDRAW permite a criação dos arquivos de entrada de dados com base no circuito a ser simulado, que é construído graficamente com os modelos existentes no programa. Cada componente gráfico permite a inclusão dos parâmetros correspondentes em janelas próprias que ajustam os dados aos formatos de entrada requeridos pelo ATP, facilitando o trabalho do usuário e reduzindo a chance de erros nos dados dos modelos. 8

9 Introdução ao ATP Escolha do Passo de Integração A seleção do intervalo de integração é bastante influenciada pelo fenômeno que se está investigando. Simulações envolvendo altas freqüências requerem passos de integração muito pequenos, enquanto que fenômenos de baixas freqüências podem ser calculados com passos de integração maiores. Por exemplo, nos estudos de transitórios de manobra a faixa do intervalo de integração está entre 25 a 100 ms e nos estudos de Lightning entre 0,01 e 0,1 ms. O tempo máximo de simulação também depende muito do fenômeno em análise e em algumas situações, dos próprios resultados obtidos durante a realização do estudo. Estudos de Lightning não necessitam mais de 20 ms de simulação e a energização de linhas de transmissão podem ser analisadas com 50 ms de simulação. 9

10 10 Introdução ao ATP Escolha do Passo de Integração t τ 10 e t 2 1 f Onde τ é o tempo de trânsito do menor comprimento de linha analisado; f é a freqüência de interesse do fenômeno em análise.

11 11 Introdução ao ATP FIM

Advanced Method for Analysis of Electric Systems With ATP-Draw. Federal University of Mato Grosso do Sul-Brazil by

Advanced Method for Analysis of Electric Systems With ATP-Draw. Federal University of Mato Grosso do Sul-Brazil by Advanced Method for Analysis of Electric Systems With ATP-Draw Federal University of Mato Grosso do Sul-Brazil by Braulio CHUCO bchuco@cieep.org 2007 BATLAB/UFMS 1 TOPICS Introdução Objetivos ATP ATP-Draw

Leia mais

1) MANUAL DO INTEGRADOR Este documento, destinado aos instaladores do sistema, com informações de configuração.

1) MANUAL DO INTEGRADOR Este documento, destinado aos instaladores do sistema, com informações de configuração. O software de tarifação é uma solução destinada a rateio de custos de insumos em sistemas prediais, tais como shopping centers. O manual do sistema é dividido em dois volumes: 1) MANUAL DO INTEGRADOR Este

Leia mais

Plataforma para Simulação de Motores com Dispositivos de Partida Baseada na Integração do ATPDraw com o TOpReDE

Plataforma para Simulação de Motores com Dispositivos de Partida Baseada na Integração do ATPDraw com o TOpReDE XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil Plataforma para Simulação de Motores com Dispositivos de Partida Baseada na Integração

Leia mais

ATPDRAW APLICADO À ANÁLISE BÁSICA DE CIRCUITOS ELÉTRICOS UM PREPARO PARA A PÓS-GRADUAÇÃO

ATPDRAW APLICADO À ANÁLISE BÁSICA DE CIRCUITOS ELÉTRICOS UM PREPARO PARA A PÓS-GRADUAÇÃO ATPDRAW APLICADO À ANÁLISE BÁSICA DE CIRCUITOS ELÉTRICOS UM PREPARO PARA A PÓS-GRADUAÇÃO Eduardo Contar econtar@gmail.com Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Departamento de Engenharia Elétrica

Leia mais

Simulação de Circuitos Introdutórios ao Programa ATPDraw / EMTP

Simulação de Circuitos Introdutórios ao Programa ATPDraw / EMTP 1 Simulação de Circuitos Introdutórios ao Programa ATPDraw / EMTP G. S. P. Marinho, estudante membro do IEEE, S. C. L. Freitas, estudante membro do IEEE, L. Zampellin, P. R. Almeida, J. C. Silva, estudante

Leia mais

Aula 04 Método de Monte Carlo aplicado a análise de incertezas. Aula 04 Prof. Valner Brusamarello

Aula 04 Método de Monte Carlo aplicado a análise de incertezas. Aula 04 Prof. Valner Brusamarello Aula 04 Método de Monte Carlo aplicado a análise de incertezas Aula 04 Prof. Valner Brusamarello Incerteza - GUM O Guia para a Expressão da Incerteza de Medição (GUM) estabelece regras gerais para avaliar

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA EQUIPAMENTOS DA SE PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA COMPONENTES SUBESTAÇÕES OBJETIVOS Apresentar os principais equipamentos

Leia mais

COMPENSAÇÃO DE REATIVOS EM LINHAS DE TRANSMISSÃO UTILIZANDO COMPENSADORES ESTÁTICOS FIXOS

COMPENSAÇÃO DE REATIVOS EM LINHAS DE TRANSMISSÃO UTILIZANDO COMPENSADORES ESTÁTICOS FIXOS COMPENSAÇÃO DE REATIVOS EM LINHAS DE TRANSMISSÃO TILIZANDO COMPENSADORES ESTÁTICOS FIXOS Paulo H. O. Rezende, Fabrício P. Santilho, Lucas E. Vasconcelos, Thiago V. Silva Faculdade de Engenharia Elétrica,

Leia mais

Efeito do aterramento do sistema de distribuição na mitigação das sobretensões em consumidores de baixa tensão devidas a descargas atmosféricas

Efeito do aterramento do sistema de distribuição na mitigação das sobretensões em consumidores de baixa tensão devidas a descargas atmosféricas Title Efeito do aterramento do sistema de distribuição na mitigação das sobretensões em consumidores de baixa tensão devidas a descargas atmosféricas Registration Nº: (Abstract) 54 Company UNIVERSIDADE

Leia mais

Técnico em Eletrotécnica

Técnico em Eletrotécnica Técnico em Eletrotécnica Caderno de Questões Prova Objetiva 2015 01 Em uma corrente elétrica, o deslocamento dos elétrons para produzir a corrente se deve ao seguinte fator: a) fluxo dos elétrons b) forças

Leia mais

3DUkPHWURVGH6LPXODomR

3DUkPHWURVGH6LPXODomR $5(1$ 3DUkPHWURVGH6LPXODomR Usados para: Orientar as decisões dentro do modelo; Apresentar na animação resultados parciais; Efetuar cálculos para as estatísticas finais. 5(&85626 )LOD 14QRPHGDILOD : retorna

Leia mais

3DUkPHWURVGH6LPXODomR

3DUkPHWURVGH6LPXODomR $5(1$ 3DUkPHWURVGH6LPXODomR Usados para: Orientar as decisões dentro do modelo; Apresentar na animação resultados parciais; Efetuar cálculos para as estatísticas finais. 5(&85626 )LOD 14QRPHGDILOD : retorna

Leia mais

Estudos e Consultorias Estudos de Sistemas Elétricos de Potência e Consultorias. Eng. Leandro Mascher, BRPSYS-5000084401-R1

Estudos e Consultorias Estudos de Sistemas Elétricos de Potência e Consultorias. Eng. Leandro Mascher, BRPSYS-5000084401-R1 Estudos e Consultorias Estudos de Sistemas Elétricos de Potência e Consultorias Eng. Leandro Mascher, BRPSYS-5000084401-R1 A Empresa A PSYS Consultoria em Engenharia e Sistemas Ltda. surgiu do desejo de

Leia mais

Multimedidores Inteligentes MGE G3 Modo de uso do software IBIS_BE_cnf. ABB Automação. Hartmann & Braun

Multimedidores Inteligentes MGE G3 Modo de uso do software IBIS_BE_cnf. ABB Automação. Hartmann & Braun Multimedidores Inteligentes MGE G3 Modo de uso do software IBIS_BE_cnf ABB Automação Hartmann & Braun Índice 1. IBIS_BE_CNF - DEFINIÇÃO... 3 2. INSTALAÇÃO... 3 2.1. PRÉ-REQUISITOS PARA INSTALAÇÃO... 3

Leia mais

Informática. Informática. Valdir

Informática. Informática. Valdir Informática Informática Valdir Questão 21 A opção de alterar as configurações e aparência do Windows, inclusive a cor da área de trabalho e das janelas, instalação e configuração de hardware, software

Leia mais

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS ENG JR ELETRON 2005 29 O gráfico mostrado na figura acima ilustra o diagrama do Lugar das Raízes de um sistema de 3ª ordem, com três pólos, nenhum zero finito e com realimentação de saída. Com base nas

Leia mais

SIMULADO Windows 7 Parte V

SIMULADO Windows 7 Parte V SIMULADO Windows 7 Parte V 1. O espaço reservado para a Lixeira do Windows pode ser aumentado ou diminuído clicando: a) Duplamente no ícone lixeira e selecionando Editar propriedades b) Duplamente no ícone

Leia mais

SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO ÓPTICA : INICIAR A PROPOSTA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM DISCIPLINA OPTATIVA, DURANTE PERÍODO DE AQUISIÇÃO DE CRÉDITOS.

SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO ÓPTICA : INICIAR A PROPOSTA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM DISCIPLINA OPTATIVA, DURANTE PERÍODO DE AQUISIÇÃO DE CRÉDITOS. SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO ÓPTICA : INICIAR A PROPOSTA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM DISCIPLINA OPTATIVA, DURANTE PERÍODO DE AQUISIÇÃO DE CRÉDITOS. Sandra Maria Dotto Stump sstump@mackenzie.com.br Maria Aparecida

Leia mais

COMO GERAR UM ARQUIVO NÃO IDENTIFICADO NO TABWIN

COMO GERAR UM ARQUIVO NÃO IDENTIFICADO NO TABWIN O programa TabWin pode ser utilizado para calcular indicadores epidemiológicos e operacionais da tuberculose bem como para análise da qualidade da base de dados do Sinan. O usuário deve ter a versão atualizada

Leia mais

Sinal analógico x sinal digital. Sinal analógico. Exemplos de variações nas grandezas básicas. Grandezas básicas em sinais periódicos

Sinal analógico x sinal digital. Sinal analógico. Exemplos de variações nas grandezas básicas. Grandezas básicas em sinais periódicos Plano Redes de Computadores Transmissão de Informações nálise de Sinais ula 04 Introdução Dados, sinais e transmissão Sinal analógico x sinal digital Sinais analógicos Grandezas básicas Domínio tempo x

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL 1. INTRODUÇÃO / DEFINIÇÕES

INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL 1. INTRODUÇÃO / DEFINIÇÕES 1 INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL 1. INTRODUÇÃO / DEFINIÇÕES 1.1 - Instrumentação Importância Medições experimentais ou de laboratório. Medições em produtos comerciais com outra finalidade principal. 1.2 - Transdutores

Leia mais

Nota Fiscal Paulista. Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Nota Fiscal Paulista. Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Nota Fiscal Paulista Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) Versão 1.1 15/02/2008 Página 1 de 17 Índice Analítico 1. Considerações Iniciais 3 2. Instalação do

Leia mais

CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO 2. SOFTWARE DE CONFIGURAÇÃO 3. COMUNICAÇÃO

CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO 2. SOFTWARE DE CONFIGURAÇÃO 3. COMUNICAÇÃO CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO O controlador CDE4000 é um equipamento para controle de demanda e fator de potência. Este controle é feito em sincronismo com a medição da concessionária, através dos dados

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO IV GRUPO DE ESTUDO DE ANÁLISE E TÉCNICAS DE SISTEMAS DE POTÊNCIA GAT

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO IV GRUPO DE ESTUDO DE ANÁLISE E TÉCNICAS DE SISTEMAS DE POTÊNCIA GAT SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GAT 05 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO IV GRUPO DE ESTUDO DE ANÁLISE E TÉCNICAS DE SISTEMAS DE POTÊNCIA GAT FERRAMENTA

Leia mais

Introdução à Eletrônica de Potência

Introdução à Eletrônica de Potência Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina Departamento Acadêmico de Eletrônica Eletrônica de Potência Introdução à Eletrônica de Potência Florianópolis, setembro de 2012. Prof.

Leia mais

SIMULADOR DE SISTEMAS DE PROTEÇÃO, CONTROLE E SUPERVISÃO: UMA FERRAMENTA PARA CAPACITAÇÃO DA OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO.

SIMULADOR DE SISTEMAS DE PROTEÇÃO, CONTROLE E SUPERVISÃO: UMA FERRAMENTA PARA CAPACITAÇÃO DA OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO. SIMULADOR DE SISTEMAS DE PROTEÇÃO, CONTROLE E SUPERVISÃO: UMA FERRAMENTA PARA CAPACITAÇÃO DA OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO. J. A. P. MOUTINHO Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A ELETRONORTE Brasil RESUMO

Leia mais

Manual do Visualizador NF e KEY BEST

Manual do Visualizador NF e KEY BEST Manual do Visualizador NF e KEY BEST Versão 1.0 Maio/2011 INDICE SOBRE O VISUALIZADOR...................................................... 02 RISCOS POSSÍVEIS PARA O EMITENTE DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA.................

Leia mais

ANÁLISE DE TRANSITÓRIOS ELETROMAGNÉTICOS UTILIZANDO O ATPDraw HUGO LEONARDO CHAVES AYRES DA FONSECA MÁRCIO FERNANDES LEAL

ANÁLISE DE TRANSITÓRIOS ELETROMAGNÉTICOS UTILIZANDO O ATPDraw HUGO LEONARDO CHAVES AYRES DA FONSECA MÁRCIO FERNANDES LEAL UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ANÁLISE DE TRANSITÓRIOS ELETROMAGNÉTICOS UTILIZANDO O ATPDraw HUGO LEONARDO CHAVES AYRES DA FONSECA MÁRCIO FERNANDES

Leia mais

PowerSpy Sistema de Monitoramento de Painéis de Distribuição

PowerSpy Sistema de Monitoramento de Painéis de Distribuição PowerSpy Sistema de Monitoramento de Painéis de Distribuição Uma solução completa para a medição e monitoramento de um vasto conjunto de grandezas elétricas, com indicações de valores individuais para

Leia mais

CONFIGURAÇÃO Cobian Backup Programa gratuito e de qualidade para realizar seus backups automáticos

CONFIGURAÇÃO Cobian Backup Programa gratuito e de qualidade para realizar seus backups automáticos CONFIGURAÇÃO Cobian Backup Programa gratuito e de qualidade para realizar seus backups automáticos Publicado em 22/08/2010 por claudioboaventura Na primeira parte do artigo instalação sobre o excelente

Leia mais

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TEMA DA AULA TRANSFORMADORES DE INSTRUMENTOS PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA MEDIÇÃO DE GRANDEZAS ELÉTRICAS Por que medir grandezas elétricas? Quais grandezas elétricas precisamos medir? Como medir

Leia mais

Nota de Aplicação. Migrando a base da dados do software ION-GER da maquina servidor. Suporte Técnico Brasil. Versão: 1.0

Nota de Aplicação. Migrando a base da dados do software ION-GER da maquina servidor. Suporte Técnico Brasil. Versão: 1.0 Nota de Aplicação Migrando a base da dados do software ION-GER da maquina servidor. Versão: 1.0 Suporte Técnico Brasil Especificações técnicas Hardware: Firmware: HX901 HX900 ALL HX600 Software: Versão:

Leia mais

Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria

Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria 1 Sumário Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria... 1 1 Sumário... 1 2 Lista de Figuras... 5 3 A Janela principal...

Leia mais

CAPACITORES: ESTUDO DO REGIME TRANSITÓRIO

CAPACITORES: ESTUDO DO REGIME TRANSITÓRIO LISTA DE EXERCÍCIOS IFES - CAMPUS CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM CAPACITORES: ESTUDO DO REGIME TRANSITÓRIO Aluno: 1) Utilizando a figura a seguir como referência, responda: a) Explique como se dá o processo de

Leia mais

CR20PW. Manual do Usuário

CR20PW. Manual do Usuário CR20PW Manual do Usuário R Índice Termostato eletrônico com saída controlada CR20PW... 3 Descrição Geral... 3 Características Técnicas... 3 Modo de Operação... 4 Programação... 4 Esquema de ligações...

Leia mais

possível até impedir o funcionamento do Windows. Faz-scuidado redobrado ao ativar determinados recursos.

possível até impedir o funcionamento do Windows. Faz-scuidado redobrado ao ativar determinados recursos. AULA 4: DIRETIVAS DE GRUPO Objetivo: Conhecer e aplicar conceitos sobre restrições de acesso ao sistema operacional Windows através de diretivas de grupo. Diretivas de Grupo: Computadores com mais de um

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Avaliação do Sistema de Transformação em Subestações e Painéis de Média Tensão - Operação, Manutenção e Ensaios Eng. Marcelo Paulino Subestações

Leia mais

MANUAL COMO CRIAR UM PROJETO

MANUAL COMO CRIAR UM PROJETO MANUAL COMO CRIAR UM PROJETO MICROSOFT PROJECT 2010 Menu: Projeto > Informações do Projeto 1º Passo: Criando um novo projeto Um projeto pode ser agendado a partir da Data de inicio do projeto ou Data de

Leia mais

Engenharia Eletrônica

Engenharia Eletrônica Engenharia Eletrônica Contribuíram para esta apresentação: Prof. Euler de Vilhena Garcia Prof. Edson Mintsu Hung Prof. Sandro Augusto Pavlik Haddad A PARTIR DA ESTRUTURA DE DESIGN DE INSTRUMENTAÇÃO A PARTIR

Leia mais

Smart Multi-Loja. Guia de Configuração. Software de Gerenciamento de Balanças. Versão 1.00. Smart Software de Gerenciamento de Balanças 1/10

Smart Multi-Loja. Guia de Configuração. Software de Gerenciamento de Balanças. Versão 1.00. Smart Software de Gerenciamento de Balanças 1/10 Smart Multi-Loja Software de Gerenciamento de Balanças Guia de Configuração Versão 1.00 1/10 Introdução O Smart - Multi Lojas tem o objetivo de centralizar a operação do software Smart instalado em cada

Leia mais

Profª Danielle Casillo

Profª Danielle Casillo UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Automação e Controle Aula 07 Linguagem Ladder Profª Danielle Casillo A LINGUAGEM LADDER Foi a primeira que surgiu para programação

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS CONVERSORES DIGITAL-ANALÓGICOS PARA CONTROLE DE POLARIZAÇÃO

DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS CONVERSORES DIGITAL-ANALÓGICOS PARA CONTROLE DE POLARIZAÇÃO DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS CONVERSORES DIGITAL-ANALÓGICOS PARA CONTROLE DE POLARIZAÇÃO Aluno: Joaquim Masset Lacombe Dias Garcia Aluna: Ana Sofia Viotti Daker Aranha Orientador: Guilherme Penello Temporão

Leia mais

O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA

O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA Quim. Nova, Vol. 38, No. 3, S1-S6, 2015 O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA Fernando Arruda Mendes de Oliveira a,b, Eduardo Ribeiro

Leia mais

MANUAL DE SERVIÇOS GUIA DE RECUPERAÇÃO DO SISTEMA OPERACIONAL LINUX

MANUAL DE SERVIÇOS GUIA DE RECUPERAÇÃO DO SISTEMA OPERACIONAL LINUX MANUAL DE SERVIÇOS GUIA DE RECUPERAÇÃO DO SISTEMA OPERACIONAL LINUX MANUAL DE SERVIÇO NOTEBOOK CONSIDERAÇÕES PRECAUÇÕES DE SERVIÇO E INSPEÇÃO UTILIZE SOMENTE PEÇAS DESIGNADAS O conjunto de componentes

Leia mais

4 Arquitetura básica de um analisador de elementos de redes

4 Arquitetura básica de um analisador de elementos de redes 4 Arquitetura básica de um analisador de elementos de redes Neste capítulo é apresentado o desenvolvimento de um dispositivo analisador de redes e de elementos de redes, utilizando tecnologia FPGA. Conforme

Leia mais

Analisando graficamente o exemplo das lâmpadas coloridas de 100 W no período de três horas temos: Demanda (W) a 100 1 100 100.

Analisando graficamente o exemplo das lâmpadas coloridas de 100 W no período de três horas temos: Demanda (W) a 100 1 100 100. Consumo Consumo refere-se à energia consumida num intervalo de tempo, ou seja, o produto da potência (kw) da carga pelo número de horas (h) em que a mesma esteve ligada. Analisando graficamente o exemplo

Leia mais

MANUAL PARA INCLUSÃO DIGITAL- ANDRAGOGIA

MANUAL PARA INCLUSÃO DIGITAL- ANDRAGOGIA Inclusão Digital - Software - Sistema Operacional (SO) Introdução O objetivo dessa cartilha é informar o usuário das características básicas dos softwares, do Sistema Operacional utilizados em um computador.

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº043/2010

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº043/2010 CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº043/2010 NOME DA INSTITUIÇÃO: CIAPORTE SOLUÇÕES E SOFTWARE LTDA ME AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: Resolução /Normativa, 2010

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA MEDIÇÃO DE ENERGIA PARA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

A IMPORTÂNCIA DA MEDIÇÃO DE ENERGIA PARA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA A IMPORTÂNCIA DA MEDIÇÃO DE ENERGIA PARA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Existem várias finalidades para medição de energia, dentre elas vamos destacar as seguintes: Consumo mensal de energia A grandeza medida é

Leia mais

Token SafeNet Authentication Cliente 8.3 (x32 e x64)

Token SafeNet Authentication Cliente 8.3 (x32 e x64) Token SafeNet Authentication Cliente 8.3 (x32 e x64) Manual do Usuário Índice O que é Token?... 03 Instalação do Token... 04 Verificação do Certificado... 07 Troca de Senhas... 10 O que é Token? É um dispositivo

Leia mais

ELIPSE POWER AUTOMATIZA A SUBESTAÇÃO CRUZ ALTA DA CPFL, UTILIZANDO OS PROTOCOLOS IEC 61850 E DNP3

ELIPSE POWER AUTOMATIZA A SUBESTAÇÃO CRUZ ALTA DA CPFL, UTILIZANDO OS PROTOCOLOS IEC 61850 E DNP3 ELIPSE POWER AUTOMATIZA A SUBESTAÇÃO CRUZ ALTA DA CPFL, UTILIZANDO OS PROTOCOLOS IEC 61850 E DNP3 Solução da Elipse Software apresenta rápida integração com os equipamentos da subestação localizada em

Leia mais

Gerenciamento de Arquivos e Pastas. Professor: Jeferson Machado Cordini jmcordini@hotmail.com

Gerenciamento de Arquivos e Pastas. Professor: Jeferson Machado Cordini jmcordini@hotmail.com Gerenciamento de Arquivos e Pastas Professor: Jeferson Machado Cordini jmcordini@hotmail.com Arquivo Todo e qualquer software ou informação gravada em nosso computador será guardada em uma unidade de disco,

Leia mais

Capítulo V A IEEE 1584 e os métodos para cálculo de energia incidente e distância segura de aproximação

Capítulo V A IEEE 1584 e os métodos para cálculo de energia incidente e distância segura de aproximação 34 Capítulo V A IEEE 1584 e os métodos para cálculo de energia incidente e distância segura de aproximação Por Alan Rômulo e Eduardo Senger* No artigo anterior foram abordados os métodos previstos na NFPA

Leia mais

VIPMON. VIPMON Software de monitoramento. 21.15.001_VIPMON_REV 04.doc 1

VIPMON. VIPMON Software de monitoramento. 21.15.001_VIPMON_REV 04.doc 1 Software de monitoramento 21.15.001 REV 04.doc 1 Tópicos da Ajuda 01. 03 02. INSTALAÇÃO 03 03. DESINSTALAÇÃO 05 04. INICIANDO O 08 05. CONFIGURAÇÃO DO TIPO DE COMUNICAÇÃO 09 06. E-MAIL 12 07. MENSAGENS

Leia mais

Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0. Ajuda ao Usuário

Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0. Ajuda ao Usuário Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0 Ajuda ao Usuário A S S I S T E N T E P I M A C O + 2.2.0 Ajuda ao usuário Índice 1. BÁSICO 1 1. INICIANDO O APLICATIVO 2 2. O AMBIENTE DE

Leia mais

3. Cite o nome e características do ponto mais alto e do ponto mais baixo de uma onda?

3. Cite o nome e características do ponto mais alto e do ponto mais baixo de uma onda? Exercícios: 1. Sobre:Ondas Responda: a. O que é a Natureza de Ondas? b. O que origina as Ondas Mecânicas? c. As Ondas Mecânicas se propagam no vácuo? Explique a sua resposta. d. Quais são os elementos

Leia mais

Medidas de mitigação de harmônicos

Medidas de mitigação de harmônicos 38 Apoio Harmônicos provocados por eletroeletrônicos Capítulo XII Medidas de mitigação de harmônicos Igor Amariz Pires* A maneira mais comum de mitigar harmônicos é por meio da utilização de filtros. O

Leia mais

Conversores D/A e A/D

Conversores D/A e A/D Conversores D/A e A/D Introdução Um sinal analógico varia continuamente no tempo. Som Temperatura Pressão Um sinal digital varia discretamente no tempo. Processamento de sinais digitais Tecnologia amplamente

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA. Documento de Arrecadação Estadual DAE. Manual do Usuário. Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA. Documento de Arrecadação Estadual DAE. Manual do Usuário. Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA 1 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA Documento de Arrecadação Estadual DAE Manual do Usuário Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA 66.053-000 Av. Visconde de Souza Franco, 110 Reduto Belém PA Tel.:(091)

Leia mais

Manual de implantação

Manual de implantação Manual de instalação da DMISS Atenção: Este programa foi desenvolvido para uso no Microsoft Windows (98, Millennium, 2000, XP, Vista e Windows7 32bits). A DMISS Online não é compatível com GNU/Linux e

Leia mais

De: Luis Alberto Katz Data: Janeiro 17 2007 Número: PA1906

De: Luis Alberto Katz Data: Janeiro 17 2007 Número: PA1906 ANÚNCIO DE PRODUTO De: Luis Alberto Katz Data: Janeiro 17 2007 Número: PA1906 Fluke 345 Alicate de medição de qualidade de energia Apresentamos o alicate de medição de qualidade de energia mais avançado

Leia mais

1 Problemas de transmissão

1 Problemas de transmissão 1 Problemas de transmissão O sinal recebido pelo receptor pode diferir do sinal transmitido. No caso analógico há degradação da qualidade do sinal. No caso digital ocorrem erros de bit. Essas diferenças

Leia mais

Manual de utilização do módulo NSE METH-8RL/Exp

Manual de utilização do módulo NSE METH-8RL/Exp INSTALAÇÃO 1 - Baixe o arquivo Software Configurador Ethernet disponível para download em www.nse.com.br/downloads-manuais e descompacte-o em qualquer pasta de sua preferência. 2 - Conecte a fonte 12Vcc/1A

Leia mais

Simulador do Processador Neander T&D-Bench Simulator Manual do Usuário. por Júlio César Maccali. revisado por Prof. Christian Zambenedetti

Simulador do Processador Neander T&D-Bench Simulator Manual do Usuário. por Júlio César Maccali. revisado por Prof. Christian Zambenedetti UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL CAMPUS UNIVERSITÁRIO DA REGIÃO DOS VINHEDOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS, DA NATUREZA E DE TECNOLOGIA CURSO DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS Simulador do Processador Neander

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.04

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.04 MANUAL DO SISTEMA Versão 6.04 Inventário Manual...2 Relatório de contagem...2 Contagem...3 Digitação...3 Inventário Programado...6 Gerando o lote...7 Inserindo produtos manualmente no lote...8 Consultando

Leia mais

Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca. melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041. www.melissalima.com.br Página 1

Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca. melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041. www.melissalima.com.br Página 1 EXCEL BÁSICO Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041 www.melissalima.com.br Página 1 Índice Introdução ao Excel... 3 Conceitos Básicos do Excel... 6

Leia mais

GRUPO DE ESTUDO DE SOBRETENSÕES E COORDENAÇÃO DE ISOLAMENTO - GSC

GRUPO DE ESTUDO DE SOBRETENSÕES E COORDENAÇÃO DE ISOLAMENTO - GSC GSC/018 21 a 26 de Outubro de 2001 Campinas - São Paulo - Brasil GRUPO X GRUPO DE ESTUDO DE SOBRETENSÕES E COORDENAÇÃO DE ISOLAMENTO - GSC SIMULAÇÃO DA RESPOSTA AO TRANSITÓRIO DE CHAVEAMENTO EM SISTEMAS

Leia mais

Apostilas OBJETIVA Escrevente Técnico Judiciário TJ Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo - Concurso Público 2015. Caderno 1.

Apostilas OBJETIVA Escrevente Técnico Judiciário TJ Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo - Concurso Público 2015. Caderno 1. Caderno 1 Índice MS-Windows 7: conceito de pastas, diretórios, arquivos e atalhos, área de trabalho, área de transferência, manipulação de arquivos e pastas, uso dos menus, programas e aplicativos, interação

Leia mais

INSTRUMENTOS PARA TESTES ELÉTRICOS. Tutorial de Teste

INSTRUMENTOS PARA TESTES ELÉTRICOS. Tutorial de Teste Tutorial de Teste Tipo de Equipamento: Disjuntor Marca: Siemens Modelo: 3AH Ferramenta Utilizada: CE-6006 ou CE-6003 Objetivo: Teste do tempo da abertura/fechamento desde o comando até a abertura/fechamento

Leia mais

Windows Explorer. Gerenciador de arquivos, pastas e unidades.

Windows Explorer. Gerenciador de arquivos, pastas e unidades. Windows Explorer Windows Explorer Gerenciador de arquivos, pastas e unidades. Unidades, Pastas e Arquivos CESPE - 2008 - MC Acerca de conceitos do sistema operacional Windows XP/Vista, julgue os itens

Leia mais

Programação em BASIC para o PIC Vitor Amadeu Souza

Programação em BASIC para o PIC Vitor Amadeu Souza Programação em BASIC para o PIC Vitor Amadeu Souza Introdução Continuando com a série do último artigo, hoje veremos os passos para o desenvolvimento de uma minuteria com o microcontrolador PIC18F1220

Leia mais

GABARITO B. 1 manuel@carioca.br MPRJ TSAD TSPR TNAI/2007

GABARITO B. 1 manuel@carioca.br MPRJ TSAD TSPR TNAI/2007 EDITORA FERREIRA PROVAS MPRJ TÉCNICO SUPERIOR ADMINISTRATIVO TSAD TÉCNICO SUPERIOR PROCESSUAL TSPR TÉCNICO DE NOTIFICAÇÃO E ATOS INTIMATÓRIOS TNAI NCE UFRJ NOÇÕES DE INFORMÁTICA CORREÇÃO GABARITO COMENTADO

Leia mais

Manual de Instalação ProJuris8

Manual de Instalação ProJuris8 Manual de Instalação ProJuris8 Sumário 1 - Requisitos para a Instalação... 3 2 - Instalação do Firebird.... 4 3 - Instalação do Aplicativo ProJuris 8.... 8 4 - Conexão com o banco de dados.... 12 5 - Ativação

Leia mais

APLICAÇÃO DE TÉCNICAS ESTATÍSTICAS UTILIZANDO O SISVAR

APLICAÇÃO DE TÉCNICAS ESTATÍSTICAS UTILIZANDO O SISVAR APLICAÇÃO DE TÉCNICAS ESTATÍSTICAS UTILIZANDO O SISVAR Nádia Giaretta Biase 1 Universidade Federal de Uberlândia nadia@pontal.ufu.br Jéssica Paula Silva Costa 2 Universidade Federal de Uberlândia jessicapaula@mat.pontal.ufu.br

Leia mais

A. MANUAL DO MÓDULO ATFAR DO ECGLAB

A. MANUAL DO MÓDULO ATFAR DO ECGLAB A. MANUAL DO MÓDULO ATFAR DO ECGLAB ECGLAB Módulo atfar Projeto de Mestrado de João Luiz Azevedo de Carvalho (Eng. Elétrica), orientado pelos Profs. Adson Ferreira da Rocha (Eng. Elétrica) e Luiz Fernando

Leia mais

SAPNET Sistema de Análise de Perturbações da CEMIG

SAPNET Sistema de Análise de Perturbações da CEMIG GPC / 02 17 a 22 de Outubro de 1999 Foz do Iguaçu Paraná - Brasil GRUPO V TEMA 2 SAPNET Sistema de Análise de Perturbações da CEMIG Gomes, N.S.(*) Andrade, S.R.C. Costa, C.A.B. Coutinho, C. E. B. CEMIG

Leia mais

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual Aplicativo da Manifestação do Destinatário Manual Novembro de 2012 1 Sumário 1 Aplicativo de Manifestação do Destinatário...4 2 Iniciando o aplicativo...4 3 Menus...5 3.1 Manifestação Destinatário...5

Leia mais

Orientações para o uso do Mozilla Thunderbird

Orientações para o uso do Mozilla Thunderbird Orientações para o uso do Mozilla Thunderbird Mozilla Thunderbird O Mozilla Thunderbird é um software livre feito para facilitar a leitura, o envio e o gerenciamento de e-mails. Índice Configurando o Mozilla

Leia mais

GUIA DE TELAS IHM Delta ARVTi 2000

GUIA DE TELAS IHM Delta ARVTi 2000 GUIA DE TELAS IHM Delta ARVTi 2000 Revisão 00 de 02/06/10 Direitos Reservados à Todas as informações contidas neste manual são de uso exclusivo da Equipamentos Eletrônicos Ltda., não podendo ser reproduzidas,

Leia mais

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010 Questão 21 Conhecimentos Específicos - Técnico em Eletrônica Calcule a tensão Vo no circuito ilustrado na figura ao lado. A. 1 V. B. 10 V. C. 5 V. D. 15 V. Questão 22 Conhecimentos Específicos - Técnico

Leia mais

V SBQEE ESTUDO, PROJETO E CONSTRUÇÃO DE UM REGISTRADOR E ANALISADOR PORTATIL DE QUALIDADE DE ENERGIA ELÉTRICA

V SBQEE ESTUDO, PROJETO E CONSTRUÇÃO DE UM REGISTRADOR E ANALISADOR PORTATIL DE QUALIDADE DE ENERGIA ELÉTRICA V SBQEE Seminário Brasileiro sobre Qualidade da Energia Elétrica 17 a 20 de Agosto de 2003 Aracaju Sergipe Brasil Código: AJU 05 102 Tópico: Sistemas de Monitoramento e Tratamento de Dados ESTUDO, PROJETO

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO ACESSO REMOTO NET FACTOR

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO ACESSO REMOTO NET FACTOR MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO ACESSO REMOTO NET FACTOR Ao acessar o link de Acesso Remoto disponibilizado pela Factoring aparecerá a tela de login do Sistema (Figura 1) onde deverão ser informados os códigos

Leia mais

Escola Técnica Estadual Professor Basilides de Godoy

Escola Técnica Estadual Professor Basilides de Godoy Escola Técnica Estadual Professor Basilides de Godoy - São Paulo AVISO DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL

Leia mais

CAIXA DE CALIBRAÇÃO DE RELÉS DE PROTEÇÃO CE-6003

CAIXA DE CALIBRAÇÃO DE RELÉS DE PROTEÇÃO CE-6003 CE 6003 CAIXA DE CALIBRAÇÃO DE RELÉS DE PROTEÇÃO CE-6003 APLICAÇÕES: Testes manuais em relés (eletromecânicos, estáticos, numéricos) Testes automáticos em relés. Testes dinâmicos em relés com reprodução

Leia mais

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TEMA DA AULA EQUIPAMENTOS ELÉTRICAS DE SUBESTAÇÕES PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TRANSFORMADORES Um transformador (ou trafo) é um dispositivo destinado a transmitir energia elétrica ou potência

Leia mais

Instituto de Estudos Superiores da Amazônia IESAM Curso de Bacharelado em Engenharia de Computação Turma: X1MA PROVA DE 2ª CHAMADA 1º BIMESTRE

Instituto de Estudos Superiores da Amazônia IESAM Curso de Bacharelado em Engenharia de Computação Turma: X1MA PROVA DE 2ª CHAMADA 1º BIMESTRE Curso de Bacharelado em Engenharia de Computação Turma: X1MA PROVA DE 2ª CHAMADA 1º BIMESTRE 8h às 11h40min Álgebra Linear Introdução a Eng. de Computação Cálculo 1 Probabilidade e Estatística Física 1

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

O objetivo desta prática é ensinar como usar a máquina chamada computador visível ou vc0, um simulador de computador de von Neumann escrito em Java.

O objetivo desta prática é ensinar como usar a máquina chamada computador visível ou vc0, um simulador de computador de von Neumann escrito em Java. Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília Computação Básica - 2004.1 Roteiro de Laboratório #1 Usando o Computador Visível Professor Jorge Henrique Cabral Fernandes 0. Objetivo O objetivo

Leia mais

Análises no Domínio da Freqüência Visando Quantificar o Impacto do Desligamento de Circuitos para Controle de Tensão

Análises no Domínio da Freqüência Visando Quantificar o Impacto do Desligamento de Circuitos para Controle de Tensão Análises no Domínio da Freqüência Visando Quantificar o Impacto do Desligamento de Circuitos para Controle de Tensão Alécio B. Fernandes, Member, IEEE, Antonio Samuel Neto Resumo -- Na definição dos procedimentos

Leia mais

Eletrônica II. Amplificadores de Potência. Notas de Aula José Maria P. de Menezes Jr.

Eletrônica II. Amplificadores de Potência. Notas de Aula José Maria P. de Menezes Jr. Eletrônica II Amplificadores de Potência Notas de Aula José Maria P. de Menezes Jr. Amplificadores Amplificador é um equipamento que utiliza uma pequena quantidade de energia para controlar uma quantidade

Leia mais

AULAS 04 E 05 Estatísticas Descritivas

AULAS 04 E 05 Estatísticas Descritivas 1 AULAS 04 E 05 Estatísticas Descritivas Ernesto F. L. Amaral 19 e 28 de agosto de 2010 Metodologia de Pesquisa (DCP 854B) Fonte: Triola, Mario F. 2008. Introdução à estatística. 10 ª ed. Rio de Janeiro:

Leia mais

Módulo de Acesso Remoto

Módulo de Acesso Remoto Módulo de Acesso Remoto Manual do Usuário Página 1 de 30 Índice 1. Introdução 3 1.1. Objetivos deste documento 3 2. Requisitos do Sistema 4 2.1. Acrobat Reader 4 2.2. Pop Up Liberados 4 3. Acesso ao Sistema

Leia mais

Software comercial para planeamento da distribuição

Software comercial para planeamento da distribuição Software comercial para planeamento da distribuição Existe uma grande variedade de software comercial para planeamento e análise de sistemas eléctricos de distribuição (ver tabela). Muitas das empresas

Leia mais

DIRETORIA DE OPERAÇÃO - DO

DIRETORIA DE OPERAÇÃO - DO ANEXO II ESPECIFICAÇÕES PARA UCD / CONCENTRADOR DE DADOS A2. Unidade Controle Digital Remota / Concentrador de Dados 2.1. Introdução Esta seção tem a finalidade de especificar tecnicamente a Unidade de

Leia mais

Placa Acessório Modem Impacta

Placa Acessório Modem Impacta manual do usuário Placa Acessório Modem Impacta Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. A Placa Modem é um acessório que poderá ser utilizado em todas as centrais

Leia mais

Sistema MSYS. Manual de Instalação, Configuração e Suporte. Versão 7

Sistema MSYS. Manual de Instalação, Configuração e Suporte. Versão 7 Ao abrir o arquivo em PDF, clique em Visualizar, Painéis de navegação, Marcadores para visualizar o menu lateral ou selecione as opções Visualizar, Painéis de Navegação, Marcadores. Sistema Manual de Instalação,

Leia mais

Etapas para Desenvolvimento de Base DevInfo 6.0

Etapas para Desenvolvimento de Base DevInfo 6.0 Etapas para Desenvolvimento de Base DevInfo 6.0 OBJETIVOS Orientar a criação de bases de dados para utilização no sistema DevInfo, semelhantes à encontrada no Portal ODM. (Disco I) Antes de iniciar o desenvolvimento

Leia mais

FUNCEXDATA 2.0. Manual do Usuário. Maio/2012. Ajudando o Brasil a expandir fronteiras

FUNCEXDATA 2.0. Manual do Usuário. Maio/2012. Ajudando o Brasil a expandir fronteiras Ajudando o Brasil a expandir fronteiras FUNCEXDATA 2.0 Manual do Usuário Maio/2012 Funcex Av. Rio Branco, 120, Gr. 707, Centro 20040-001 Rio de Janeiro RJ Instituída em 12 de março de 1976 CNPJ 42.580.266/0001-09.

Leia mais

TRANSMISSOR ECF. Sistema de transmissão de arquivos Nota Fiscal Paulista. Manual de Utilização

TRANSMISSOR ECF. Sistema de transmissão de arquivos Nota Fiscal Paulista. Manual de Utilização TRANSMISSOR ECF Sistema de transmissão de arquivos Nota Fiscal Paulista Manual de Utilização 1. Histórico de alterações Data Versão Alteração 04/12/2012 1 Criação do documento 28/02/2013 2 Revisão 2. Proposta

Leia mais

MÓDULO: Easy Import Control ROTEIRO DE INSTALAÇÃO SISCCAD

MÓDULO: Easy Import Control ROTEIRO DE INSTALAÇÃO SISCCAD MÓDULO: Easy Import Control ROTEIRO DE INSTALAÇÃO SISCCAD SISC01 - Responsável pela troca de informações da Licença de Importação (LI) entre o Easy Import Control e o Siscomex. SISCCAD - Responsável pela

Leia mais