META 2017 Tolerância Valor crítico PESO Mês RESULTADO TAXA REALIZAÇÃO CLASSIFICAÇÃO 80% 80% 80% 10% 100% 20% 90% 90% 90% 0% 100% 50%

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "META 2017 Tolerância Valor crítico PESO Mês RESULTADO TAXA REALIZAÇÃO CLASSIFICAÇÃO 80% 80% 80% 10% 100% 20% 90% 90% 90% 0% 100% 50%"

Transcrição

1 ANO: 2017 Ministério da Justiça Direção-Geral da Política de Justiça MISSÃO: A DGPJ tem por missão prestar apoio técnico, acompanhar e monitorizar políticas, organizar e fomentar o recurso aos tribunais arbitrais, aos julgados de paz e a outros meios extrajudiciais de resolução de conflitos, assegurando o planeamento estratégico e a coordenação das relações externas e de cooperação, e é responsável pela informação estatística da área da justiça. Objetivos Estratégicos 1. Promover a DGPJ enquanto entidade de referência na avaliação de impacto normativo e de apoio às políticas públicas de concretização dos Planos Estratégicos na área da Justiça (OBJ 16) 2. Reforçar a utilização dos meios complementares de Justiça e consolidar a sua imagem através da sua dinamização sustentada (OBJ 9) 3. Reforçar as políticas de transparência e qualidade no Ministério da Justiça (OBJ 12, OBJ 13, OBJ 14, OBJ 19, OBJ 20, OBJ 21) 4. Promover práticas de accountability na gestão dos recursos financeiros (OBJ 10) 5. Promover as Estatísticas da Justiça enquanto instrumento de planeamento, gestão e avaliação, para uma cultura de partilha, responsabilização e melhoria contínuas do Sistema de Justiça (OBJ 2, OBJ 18) META 2017 TAXA REALIZAÇÃO 6. Apoiar a política interna e desenvolver a política internacional e a cooperação do Estado Português na área da Justiça (OBJ 1, OBJ 3, OBJ 4, OBJ 5, OBJ 6, OBJ 7, OBJ 17) 7. Desenvolver o capital humano e gerir o conhecimento organizacional (OBJ 8, OBJ 15) 8. Melhorar a comunicação organizacional e difundir informação atualizada e completa de referência da Justiça aproximando-a do cidadão (OBJ 11) Objetivos Operacionais Eficácia O1. Elaborar e participar na feitura de atos legislativos e regulamentares, dando cumprimento aos Planos Estratégicos da Justiça, em especial ao PJmP 40 Ind.1 - Percentagem de informações elaboradas face ao total de propostas legislativas apresentadas no âmbito da União Europeia 80% 80% 80% 100% Ind.2 - Percentagem de elaboração e envio de contributos para feitura de atos legislativos e regulamentares face ao solicitado Ind.3 - Elaboração de anteprojeto de diploma de alteração do Regime da Citação de pessoas singulares (em semanas) (PJmP 238) 90% 90% 90% 0% 100% 50% NA NA % O2. Aumentar a utilização das estatísticas da Justiça, reforçando uma cultura de partilha e de informação ao cidadão Ind. 1 - Prazo, em semanas, para elaboração da publicação sintética com os principais indicadores da Justiça Ind. 2 - Número de destaques estatísticos temáticos divulgados Ind. 3 - Número de sessões de apresentação de consulta das estatísticas da Justiça a entidades externas Ind. 4 - Prazo de implementação de um sistema de dashboards com indicadores da Justiça (em semanas) (PJmP 95) Ind. 5 - Prazo de implementação dos dashboards em língua inglesa (em semanas) % NA NA % NA NA % O3. Participar e/ou acompanhar os grupos de trabalho, os grupos de peritos, comités e outras formações da União Europeia e de organizações e organismos internacionais Ind. 1 - Percentagem de acompanhamento e participação em grupos de trabalho, nos grupos de peritos, comités e outras formações da União Europeia e de organizações e organismos internacionais face ao total de reuniões agendadas 70% 70% 70% 100% 100% O4. Participar e/ou acompanhar os processos de avaliação e monitorização de instrumentos jurídicos internacionais/europeus

2 Ind. 1 - Percentagem de participação e acompanhamento dos processos de avaliação e monitorização da aplicação de instrumentos jurídicos internacionais face ao número de instrumentos apresentados 75% 75% 75% 15% 100% 100% O5. Realizar Encontros de Direito Internacional 5% Ind. 1 - Número de Encontros de Direito Internacional % O6. Realizar consultas públicas sobre propostas de novos instrumentos internacionais/europeus 5% Ind. 1 - Percentagem de consultas públicas internas efetuadas face às propostas apresentadas 80% 100% 100% O7. Planear, monitorizar e avaliar a cooperação para o desenvolvimento na área da Justiça Ind. 1 - Percentagem de atividades realizadas em relação às solicitações efetuadas e mantidas 80% 100% 50% Ind. 2 - Elaboração dos Relatórios de Atividades de Cooperação com os PALOP e Timor-Leste (em semanas) % O8. Garantir a preservação e a difusão do Conhecimento Organizacional Ind. 1 - Taxa de implementação do Plano para a Gestão do Conhecimento(*) 70% 5% 100% 100% (*) Projeto que se prevê concluído em 2018 O9. Promover os Meios de Resolução Alternativa de Litígios, designadamente através da dinamização sustentada das redes de Julgados de Paz e Centros de Arbitragem de Consumo Ind.1 - Apresentação de Plano de Ação para a dinamização dos MRAL (semanas) (PJmP 187, 217, 228) Ind.2 - Realização de Conferência de balanço sobre a realidade da Mediação Familiar % % O10. Assegurar a prestação de contas em matéria orçamental Ind.1 - Número de relatórios executive summary relativos à execução orçamental % O11. Promover a comunicação interna através da implementação do Projeto Intranet Ind.1 - Taxa de concretização do Projeto Intranet 85% 5% 100% 100% Eficiência O12. Acompanhar e monitorizar o Plano Justiça mais Próxima, Simplex + e Plano Nacional de Reformas no Ministério da Justiça Ind.1 - Atualização mensal da Plataforma de Monitorização do PJmP e Simplex + (dia do mês em que é concluída a atualização dos reportes efetuados dentro da janela de reporte) % 30 O13. Assegurar o acompanhamento e a monitorização do SIADAP 1 no Ministério da Justiça, promovendo a consonância destes instrumentos de gestão com o PJmP Ind. 1 - Prazo de elaboração dos Relatórios de Monitorização resultantes do acompanhamento aos QUAR dos serviços do MJ (em dias úteis) % Ind.2 - Prazo de elaboração de pareceres com análise crítica às autoavaliações recebidas dos serviços do MJ, relativas à avaliação de 2016 (em dias úteis) %

3 Ind. 3 - Prazo de elaboração de circular de informação aos serviços sobre a necessidade de inclusão, nos respetivos QUAR de 2018, das atividades referentes aos programas Simplex+ e Justiça Mais Próxima (em semanas) O14. Promover o descongestionamento dos tribunais através da redução da pendência processual Ind. 1 - Elaboração de documento com a identificação de ferramentas que facilitem o estabelecimento de metas para a redução da pendência (em semanas) (PJmP 210) NA NA % O15. Garantir o contributo da DGPJ na implementação do projeto Divulgação online do Património Cultural da Justiça Ind.1 - Prestar contributos no âmbito do projeto Biblioteca Online da Justiça, Plano de Preservação Digital do MJ, Arquivo histórico do MJ (PJmP 20, 85, 225) 5 d.u. após solicitação 2 d.u. 1 d.u. após solicitação 100% O16. Avaliar o Regime do Visto em Correição ponderando a sua extinção, automatização total ou parcial e o seu contributo para a desburocratização do Sistema de Justiça 30% Ind.1 - Elaboração de relatório preliminar (em semanas) (PJmP 127) % O17. Promoção dos Direitos Humanos Ind. 1 - Elaborar relatório de avaliação das condições de audição e participação das crianças nos processos judiciais (em semanas) % Ind.2 - Organizar ação de formação na área da igualdade de género (em semanas) Ind. 3 - Elaboração de folheto com informação sobre os direitos das vítimas de criminalidade (em semanas) % Qualidade O18. Prestar informação completa aos cidadãos através do aumento da qualidade das estatísticas da Justiça 30 40% Ind. 1 - Percentagem de divulgação da informação estatística sem atrasos de acordo com o calendário 75% 75% 80% 100% 50% Ind. 2 - Tempo médio de resposta a pedidos de esclarecimento e de informação estatística Ind. 3 - Número de sessões de sensibilização à estatística, reslizadas junto de entidades fornecedoras de dados [3,5 d.u.] [3,5 d.u.] [3 d.u.] 0 [2,75 d.u.] 25% % O19. Identificar oportunidades de melhoria dos serviços da Justiça através da Implementação do projeto Justiça 360º - Avaliação de satisfação do Cidadão Ind.1 - Disponibilização, aos serviços do MJ, dos inquéritos de aferição da satisfação dos seus colaboradores (Fase 1) (PJmP 18) Semana 50 2 Semanas Semana % O20. Promover a transparência na comunicação com o cidadão aproximando a Justiça da comunidade Ind.1 - Submissão à tutela de documento com a duração expectável dos processos judiciais (em semanas) (PJmP 50) %

4 Ind.2 - Análise de formulários disponíveis no sistema Citius e respetiva adequação à nova organização judiciária a fim de promover a sua simplificação (em semanas) (PJmP 118, 199) % O21. Elaborar estudos de aferição da satisfação Ind.1 - Número de Estudos de aferição da satisfação elaborados % NOTA EXPLICATIVA JUSTIFICAÇÃO DE DESVIOS AVALIAÇÃO FINAL Eficácia Eficiência Qualidade Recursos Humanos Dirigentes - Direção Superior PONTUAÇÃO 6,5 PLANEADOS REALIZADOS DESVIO 26,0 Dirigentes - Direção intermédia e chefes de equipa Técnico Superior Especialista de Informática / Informático Assistente Técnico Assistente operacional 5,3 3,8 3,4 1,9 1,3 69,0 201,0 14,0 70,0 8,0 Consultor 5,0 75,0 Total 463,0 Recursos Financeiros PLANEADO EXECUTADO DESVIO Orçamento de funcionamento Despesas c/pessoal Aquisições de Bens e Serviços Transferências correntes Outras despesas correntes Aquisição de Bens de Capital Investimento Aquisições de Bens e Serviços Outras despesas correntes Aquisição de Bens de Capital TOTAL (OF+PIDDAC+Outros) Indicadores _ Fonte de Verificação O1: Ind.1 - Submissão à tutela Ind.2 - Submissão à direção O2: Ind. 1 - Sítio eletrónico da DGPJ Ind. 2 - Sítio eletrónico da DGPJ Ind. 3 - Fichas de evento do arquivo corrente da DGPJ Ind. 4 - Portal das Estatísticas da Justiça

5 Ind. 5 - Portal das Estatísticas da Justiça O3: Ind. 1 - Rácio entre o número de avaliações realizadas e participadas O4: Ind. 1 - Rácio entre o número de instrumentos apresentados e o número de participações / acompanhamento O5: Ind. 1 - Realização dos encontros (notícia) O6: Ind. 1 - Consultas inseridas no sítio eletrónico da DGPJ O7: Ind. 1 - Rácio entre o número de atividades realizadas / número de solicitações efetuadas e mantidas Ind. 2 - Submissão dos Relatórios à Direção O8: Ind. 1 - Submissão do Plano à Direção Ind. 2 - Subsmissão de Relatório com as atividades realizadas face às previstas no Plano O9: Ind. 1 - Subsmissão à tutela Ind. 2 - Realização da conferência O10: Ind. 1 - Submissão à Direção O11: Ind. 1 - Submissão à Direção do Relatório da Formação (conteúdos e interlocutores) O12: Ind. 1 - Submissão à Direção Ind. 2 - Submissão à Direção O13: Ind. 1 - Envio de ao GSEJ O14: Ind. 1 - Submissão à tutela O15: Envio ao GTAMJ / GTBJ O16: Ind. 1 - Submissão de relatório preliminar à Direção O17: Ind. 1 - Submissão do relatório à direção Ind. 2 - Realização da formação Ind. 3 - Submissão à Direção O18: Ind. 1 - Sistema de consulta on-line das Estatísticas da Justiça Ind. 2 - Folhas de controlo dos pedidos de informação Ind. 3 - Fichas de evento do arquivo corrente da DGPJ O19: Ind.1 - Submissão à Direção

ANO:2011 Ministério da Justiça. Instituto de Gestão Financeira e Infra Estruturas da Justiça, IP. Objectivos Estratégicos. Objectivos Operacionais

ANO:2011 Ministério da Justiça. Instituto de Gestão Financeira e Infra Estruturas da Justiça, IP. Objectivos Estratégicos. Objectivos Operacionais ANO:211 Ministério da Justiça Instituto de Gestão Financeira e Infra Estruturas da Justiça, IP MISSÃO: Assegurar a gestão orçamental, financeira e das instalações afectas ao Ministério da Justiça. Objectivos

Leia mais

QUAR 40% 75% INDICADORES. CLASSIFICAÇÃO Ind 1 Número de acordos EA subscritos meta 2012 Tolerância

QUAR 40% 75% INDICADORES. CLASSIFICAÇÃO Ind 1 Número de acordos EA subscritos meta 2012 Tolerância QUAR ANO:2012 Ministério da Economia e do Emprego INSTITUTO PORTUGUÊS DE ACREDITAÇÃO, I.P. (IPAC) MISSÃO: Prestar serviços de acreditação, nos termos previstos no Regulamento (CE) 765/2008. VISÃO: Ser

Leia mais

Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) - SIADAP 1 - Ministério da Saúde

Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) - SIADAP 1 - Ministério da Saúde ANO: 2013 Ministério da Saúde NOME DO ORGANISMO - Secretaria-Geral do Ministério da Saúde MISSÃO DO ORGANISMO A Secretaria-Geral do Ministério da Saúde (SGMS) tem por missão assegurar o apoio técnico e

Leia mais

Quadro de Avaliação e Responsabilização

Quadro de Avaliação e Responsabilização ANO:2018 Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P. MISSÃO: A FCT tem por missão desenvolver, financiar e avaliar o Sistema Nacional de Investigação

Leia mais

Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) - SIADAP 1 Ministério da Saúde

Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) - SIADAP 1 Ministério da Saúde MISSÃO DO ORGANISMO: regulamentar, orientar e coordenar as atividades de promoção da saúde e prevenção da doença, definir as condições técnicas para adequada prestação de cuidados de saúde, planear e programar

Leia mais

EFICÁCIA 40,0% QUAR: Ministério dos Negócios Estrangeiros EMBAIXADA DE PORTUGAL EM MAPUTO. Objetivos Estratégicos. Objetivos Operacionais

EFICÁCIA 40,0% QUAR: Ministério dos Negócios Estrangeiros EMBAIXADA DE PORTUGAL EM MAPUTO. Objetivos Estratégicos. Objetivos Operacionais QUAR: 2015 Ministério dos Negócios Estrangeiros EMBAIXADA DE PORTUGAL EM MAPUTO MISSÃO: Prossecução das atribuições gerais fixadas nas Convenções de Viena e das atribuições concretas resultantes dos objetivos

Leia mais

Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) - SIADAP 1 - Ministério da Saúde

Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) - SIADAP 1 - Ministério da Saúde MISSÃO DO Definir, organizar, coordenar, participar e avaliar as atividades e o funcionamento de um Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM) de forma a garantir aos sinistrados ou vítimas de doença

Leia mais

QUAR 2014 revisto (31/07/2014) Autorizado pela Tutela (05/01/2015)

QUAR 2014 revisto (31/07/2014) Autorizado pela Tutela (05/01/2015) QUAR 2014 revisto (31/07/2014) Autorizado pela Tutela (05/01/2015) ANO: 2014 MINISTÉRIO: Presidência do Conselho de Ministros SERVIÇO: INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA, I.P. MISSÃO: O Instituto Nacional

Leia mais

Mapa de Pessoal dos Serviços Centrais do INEM Ano 2014

Mapa de Pessoal dos Serviços Centrais do INEM Ano 2014 Mapa de Pessoal dos Serviços Centrais do IN Ano 2014 Unidade orgânica Atividades/Procedimentos N.º de PT Carreira/Cargo Área Funcional Conselho Diretivo Proceder à gestão, disponibilização e controlo dos

Leia mais

Quadro de Avaliação e Responsabilização

Quadro de Avaliação e Responsabilização ANO: Ministério da Educação e Ciência Fundação para a Ciência e Tecnologia, I.P. MISSÃO: A FCT tem por missão apoiar, financiar e avaliar o Sistema Nacional de Investigação e Inovação, desenvolver a cooperação

Leia mais

Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) - SIADAP 1 - Ministério da Saúde

Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) - SIADAP 1 - Ministério da Saúde Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) - SIADAP 1 - MISSÃO DO ORGANISMO: Definir, organizar, coordenar, participar e avaliar as atividades e o funcionamento de um Sistema Integrado de Emergência

Leia mais

Carta de Missão do Dirigente Superior de 2.º Grau

Carta de Missão do Dirigente Superior de 2.º Grau Carta de Missão do Dirigente Superior de 2.º Grau Ministério: Ministério da Justiça (MJ) Serviço\Organismo: Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça, I.P. (IGFEJ, I.P.) Cargo e Titular:

Leia mais

QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO

QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO - 2013 Versão: Ministério da Economia e do Emprego Entidade: INAC - Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. MISSÃO: Promover o desenvolvimento seguro, eficiente

Leia mais

1. INTRODUÇÃO Principais utilizadores/destinatários Tipificação dos serviços prestados OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS...

1. INTRODUÇÃO Principais utilizadores/destinatários Tipificação dos serviços prestados OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS... Plano de Atividades 2013 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1 Missão... 3 1.2 Atribuições da DGPJ... 3 1.3 Legislação e regulamentação interna... 5 1.4 Organograma... 6 2. CARATERIZAÇÃO DO AMBIENTE EXTERNO E

Leia mais

ANO:2014 Ministério da Educação e Ciência ACADEMIA DAS CIÊNCIAS DE LISBOA

ANO:2014 Ministério da Educação e Ciência ACADEMIA DAS CIÊNCIAS DE LISBOA ANO:214 Ministério da Educação e Ciência ACADEMIA DAS CIÊNCIAS DE LISBOA Missão: Assegurar ao Governo português consultoria em matéria linguística. Coordenar a sua acção com a Academia Brasileira de Letras

Leia mais

QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO

QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO Ministério da Economia IAPMEI - Agência para a Competitividade e Inovação, I.P. MISSÃO: Promover a inovação e executar políticas de estímulo ao desenvolvimento empresarial, visando o reforço da competitividade

Leia mais

nº de Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTSP) em projeto piloto 1-100,0

nº de Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTSP) em projeto piloto 1-100,0 QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO - 2014 Ministério da Educação e Ciência Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB) MISSÃO: A qualificação de alto nível dos cidadãos, a produção e difusão do

Leia mais

QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO DO ISS, IP 2016 v1.4. Gabinete de Planeamento e Estratégia

QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO DO ISS, IP 2016 v1.4. Gabinete de Planeamento e Estratégia QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO DO ISS, IP 2016 v1.4 Gabinete de Planeamento e Estratégia 1 Versão 1.4 Data 8 de janeiro de 2017 Autor Susana Silva GPE/UPCG Responsável Tânia Fernandes GPE/UPCG

Leia mais

Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) - SIADAP 1 - Ministério da Saúde

Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) - SIADAP 1 - Ministério da Saúde MISSÃO DO ORGANISMO: Definir, organizar, coordenar, participar e avaliar as atividades e o funcionamento de um Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM) de forma a garantir aos sinistrados ou vítimas

Leia mais

Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) - SIADAP 1 - Ministério da Saúde

Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) - SIADAP 1 - Ministério da Saúde MISSÃO DO ORGANISMO - Regular e supervisionar os sectores dos medicamentos e produtos de saúde, segundo os mais elevados padrões de protecção da saúde pública e garantir o acesso dos profissionais de saúde

Leia mais

Relatório de auto-avaliação de desempenho 2008

Relatório de auto-avaliação de desempenho 2008 Relatório de auto-avaliação de desempenho 2008 Índice I Introdução 2 Avaliação do cumprimento dos objectivos 2.1. Identificação dos Objectivos Estratégicos 2.2. Apresentação dos resultados do QUAR 2.3.

Leia mais

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA POLÍCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA DIRECÇÃO NACIONAL

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA POLÍCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA DIRECÇÃO NACIONAL ANO: Data de atualização: (/12/03) Ministério: Ministério da Administração Interna Organismo: Polícia de Segurança Pública Missão: Assegurar a legalidade democrática, promover a segurança interna e garantir

Leia mais

QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO

QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO - 009 Presidência do Conselho de Ministros ORGANISMO: INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA, I.P. MISSÃO: O Instituto Nacional de Estatística tem por Missão produzir

Leia mais

Organismo avaliado: SG. 1. Enquadramento. 2. Parecer com análise crítica. 3. Documentos de referência

Organismo avaliado: SG. 1. Enquadramento. 2. Parecer com análise crítica. 3. Documentos de referência Parecer emitido pelo Alto Comissariado da Saúde (GPEARI do MS) com Análise Crítica da Auto-Avaliação da SG (Artigo 17.º da Lei n.º 66-B/2007, de 28 de Dezembro) Organismo avaliado: SG 1. Enquadramento

Leia mais

Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) - SIADAP 1 - Ministério da Saúde

Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) - SIADAP 1 - Ministério da Saúde MISSÃO: Contribuir para ganhos em saúde pública através de actividades de investigação e desenvolvimento tecnológico, actividade laboratorial de referência, observação da saúde e vigilância epidemiológica,

Leia mais

QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO 2008 FCT

QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO 2008 FCT QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO 2008 Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Visão: Objectivos Estratégicos (OE): OE 1. Fomentar o desenvolvimento da competência científica e tecnológica

Leia mais

MISSÃO VISÃO VALORES 1/5

MISSÃO VISÃO VALORES 1/5 A Administração Central do Sistema de Saúde, I.P. (ACSS, IP) é um Instituto Público, criado em 2007, integrado na administração indireta do Estado, dotado de autonomia administrativa, financeira e patrimonial

Leia mais

Ministério da Defesa Nacional. Secretaria-Geral do Ministério da Defesa Nacional. Cargo e Titular: Secretário-geral do Ministério da Defesa Nacional

Ministério da Defesa Nacional. Secretaria-Geral do Ministério da Defesa Nacional. Cargo e Titular: Secretário-geral do Ministério da Defesa Nacional CARTA DE MISSÃO Ministério da Defesa Nacional Secretaria-Geral do Ministério da Defesa Nacional Cargo e Titular: Secretário-geral do Ministério da Defesa Nacional 1. Missão do organismo As atribuições

Leia mais

SERVIÇOS CENTRAIS DO INEM. INEM - Serviços Centrais - Mapa de Pessoal Lugares previstos

SERVIÇOS CENTRAIS DO INEM. INEM - Serviços Centrais - Mapa de Pessoal Lugares previstos Conselho Diretivo Proceder à gestão, disponibilização e controlo dos recursos do INEM 1 Presidente Gestão Conselho Diretivo Coadjuvar o Presidente na gestão, disponibilização e controlo dos recursos do

Leia mais

OBJETIVOS ESTRATÉGICOS

OBJETIVOS ESTRATÉGICOS OBJETIVOS ESTRATÉGICOS 2015-2018 PROMOVER O ACESSO AO DIREITO E À JUSTIÇA Qualidade no acesso à justiça REFORÇAR A TRANSPARÊNCIA NA ADMINISTRAÇÃO DA JUSTIÇA Resolução em prazo razoável MELHORAR O TEMPO

Leia mais

Nº de postos de trabalho Presidente 1 Vice-Presidente 1 Vogal 1 Secretário do Conselho Diretivo 1. Área de formação académica e/ou profissional

Nº de postos de trabalho Presidente 1 Vice-Presidente 1 Vogal 1 Secretário do Conselho Diretivo 1. Área de formação académica e/ou profissional Atribuições / Competências/Atividades Cargo/Carreira/ Categoria Conselho Diretivo Área de formação académica e/ou profissional Nº de postos de trabalho Presidente 1 Vice-Presidente 1 Vogal 1 Secretário

Leia mais

Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) - SIADAP 1 Ministério da Saúde

Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) - SIADAP 1 Ministério da Saúde MISSÃO DO ORGANISMO: A ACSS, I.P. tem como missão assegurar a gestão dos recursos financeiros e humanos do (MS) e do Serviço Nacional de Saúde (SNS), bem como das instalações e equipamentos do SNS, proceder

Leia mais

CARTA DE MISSÃO. Ministério da Saúde. Serviço/Organismo: Administração Regional de Saúde do Norte. Cargo: Vice-presidente do Conselho Diretivo

CARTA DE MISSÃO. Ministério da Saúde. Serviço/Organismo: Administração Regional de Saúde do Norte. Cargo: Vice-presidente do Conselho Diretivo CARTA DE MISSÃO Ministério da Saúde Serviço/Organismo: Administração Regional de Saúde do Norte Cargo: Vice-presidente do Conselho Diretivo Período da Comissão de Serviço: 2016-2020 1. Missão do Organismo

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS DIVISÃO DE GESTÃO DA QUALIDADE Sistema de Gestão da Qualidade PROCEDIMENTO P.TJAM 67 Planejamento Estratégico Elaborado por: Carla Winalmoller

Leia mais

Conteúdos sobre segurança e saúde no trabalho Organismos e instituições

Conteúdos sobre segurança e saúde no trabalho Organismos e instituições ISHST - Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Criado em 2004, pelo Decreto-lei n.º 171, de 17 de Julho, o Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho (ISHST), I. P., é o organismo

Leia mais

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL Departamento de Alto Rendimento e Representação Desportiva 1. O Departamento de Alto Rendimento e Representação Desportiva coordena e supervisiona os Programas de Preparação

Leia mais

Academia das Ciências de Lisboa M I N I S T É R I O D A E D U C A Ç Ã O E C I Ê N C I A

Academia das Ciências de Lisboa M I N I S T É R I O D A E D U C A Ç Ã O E C I Ê N C I A RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO Na sequência do Relatório de Atividades do ano 2014, a ACL apresenta em síntese o exercício de autoavaliação dos objetivos alcançados e os desvios verificados face aos objetivos

Leia mais

Resultado (40-45) (31-33) (2-3) (4-5) (85% - 90%) (60% - 65%) (50% - 55%) na 1

Resultado (40-45) (31-33) (2-3) (4-5) (85% - 90%) (60% - 65%) (50% - 55%) na 1 ANO: 2012 Data de atualização: Ministério : Ministério da Administração Inter (MAI) Organismo: Inspeção-Geral de Administração Inter (IGAI) Missão: Inspecior, auditar e fiscalizar as entidades sob a tutela

Leia mais

Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social. Programa EaSI. Antonieta Ministro

Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social. Programa EaSI. Antonieta Ministro Programa EaSI É um instrumento de financiamento, a nível europeu, gerido diretamente pela Comissão Europeia, para apoiar o emprego, a política social e a mobilidade profissional em toda a UE Visa contribuir

Leia mais

OBJETIVOS ESTRATÉGICOS E PROCESSUAIS - MP 2016/2017

OBJETIVOS ESTRATÉGICOS E PROCESSUAIS - MP 2016/2017 OBJETIVOS ESTRATÉGICOS E PROCESSUAIS - MP 2016/2017 OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS E PROCESSUAIS DO MINISTÉRIO PÚBLICO (MP) COMARCA DE PORTALEGRE (2016/2017) DECLARAÇÃO INTRODUTÓRIA O Ministério Público enquanto

Leia mais

Objetivos Operacionais (OO) OE Indicador Resultado 2013 Meta 2014 Peso OE 1 26,00%

Objetivos Operacionais (OO) OE Indicador Resultado 2013 Meta 2014 Peso OE 1 26,00% Eficácia : 50,00% Missão Objetivos Estratégicos (OE) Escola Superior de Enfermagem - Quadro de Avaliação e Responsabilização - 2014 A Escola Superior de Enfermagem (ESE) tem como missão gerar, difundir

Leia mais

RELATÓRIO DE DESEMPENHO DA UNIDADE ORGÂNICA Decreto Regulamentar n.º 18/2009, de 4 de Setembro, artigo 10.º

RELATÓRIO DE DESEMPENHO DA UNIDADE ORGÂNICA Decreto Regulamentar n.º 18/2009, de 4 de Setembro, artigo 10.º UNIDADE ORGÂNICA: DIRECÇÃO MUNICIPAL DE PLANEAMENTO E ORDENAMENTO DIRIGENTE: LUCIANO COSTA CARVALHO DIAS DATA DE ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO ANUAL: 24 DE FEVEREIRO DE 2014 OBJETIVOS ESTRATÉGICOS OE I - Promover

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE DESPORTO PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA FPDD

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE DESPORTO PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA FPDD FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE DESPORTO PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA FPDD ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL Para além dos órgãos sociais definidos nos estatutos e das respetivas competências, ou seja, Assembleia

Leia mais

ESTRUTURA ORGANIZATIVA DA ISCMPSA

ESTRUTURA ORGANIZATIVA DA ISCMPSA ESTRUTURA ORGANIZATIVA DA ISCMPSA Este documento visa dar corpo á orgânica dos serviços da Santa Casa, ou seja, definir competências, hierarquias e formas de actuação. Como a Santa Casa da Póvoa de Santo

Leia mais

Mapa de Pessoal dos Serviços Centrais do INEM Ano de 2016

Mapa de Pessoal dos Serviços Centrais do INEM Ano de 2016 Mapa de Pessoal dos Serviços Centrais do INEM Ano de 2016 INEM - Serviços Centrais - Mapa de Pessoal 2016 - Lugares previstos Conselho Diretivo Proceder à gestão, disponibilização e controlo dos recursos

Leia mais

Indicadores de excelência

Indicadores de excelência Indicadores de excelência 2012-2015 2 +40 documentos certificações estratégicos de obtidas: qualidade planeamento e e ambiente avaliação, desde 2012 83 procedimentos descritos no MPCI Planeamento, Informação

Leia mais

Desenvolvimento Local de Base Comunitária Cascais DesEnvolve Alcabideche e S. Domingos de Rana. 3ª Reunião do GAL

Desenvolvimento Local de Base Comunitária Cascais DesEnvolve Alcabideche e S. Domingos de Rana. 3ª Reunião do GAL Desenvolvimento Local de Base Comunitária Cascais DesEnvolve Alcabideche e S. Domingos de Rana 3ª Reunião do GAL Alcabideche, DNA Cascais 07 de julho de 2015 ORDEM DE TRABALHOS Ponto de situação sobre

Leia mais

_relatório de monitorização _QUAR 2013 _1º semestre

_relatório de monitorização _QUAR 2013 _1º semestre _relatório de monitorização _QUAR 2013 _1º semestre INSA, IP_ Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge julho de 2013 Coordenado: Glória Almeida _Índice _1. Nota Introdutória... 3 _2. Desempenho

Leia mais

PLANO GLOBAL DE AVALIAÇÃO Orientações para o acompanhamento da implementação das recomendações das avaliações do Portugal 2020 (follow-up)

PLANO GLOBAL DE AVALIAÇÃO Orientações para o acompanhamento da implementação das recomendações das avaliações do Portugal 2020 (follow-up) PLANO GLOBAL DE AVALIAÇÃO 2014-2020 Orientações para o acompanhamento da implementação das recomendações das avaliações do Portugal 2020 (follow-up) julho 2016 Orientações para o acompanhamento da implementação

Leia mais

O relatório de auto-avaliação no âmbito do SIADAP 1

O relatório de auto-avaliação no âmbito do SIADAP 1 W O R K S H O P O relatório de auto-avaliação no âmbito do SIADAP 1 Jorge Caldeira Lisboa, 2 de Julho de 2008 Agenda Papel da DGPJ - intercalar Conceitos Vantagens - Arquitectura dos processos de monitorização

Leia mais

Alto Comissariado da Saúde

Alto Comissariado da Saúde Alto Comissariado da Saúde QUAR 2010 Projecto de Parecer emitido pelo Alto Comissariado da Saúde (GPEARI do Ministério da Saúde) com Análise Crítica da Auto-Avaliação da Direcção-Geral da Saúde Setembro

Leia mais

Instituto de Gestão de Fundos de Capitalização da Segurança Social, I.P.

Instituto de Gestão de Fundos de Capitalização da Segurança Social, I.P. Instituto de Gestão de Fundos de Capitalização da Segurança Social, I.P. QUAR 2014 I. Enquadramento estratégico O planeamento, pelo IGFCSS, IP, das atividades para 2014 está sujeito aos constrangimentos

Leia mais

Núcleo Executivo do CLAS de Mafra, 28 Maio de

Núcleo Executivo do CLAS de Mafra, 28 Maio de Plano de Ação Rede Social Mafra Eixo I - DEMOGRAFIA E EQUIPAMENTOS (INFRA-ESTRUTURAS DE APOIO) Objectivo geral 1. Reforçar as estruturas de apoio ao idoso Objectivo Específico 1. Aumentar a capacidade

Leia mais

Descrição de Funções Biblioteca Municipal de Faro (FBM)

Descrição de Funções Biblioteca Municipal de Faro (FBM) Título da Função: DIRECÇÃO Reporta a: Chefe de Divisão / Directora de Departamento Gerir actividades e pessoal Planeamento e proposta de políticas e estratégias de actuação Proposta de Plano Anual de Actividades

Leia mais

Estatísticas da Justiça Alguns indicadores estatísticos sobre os processos nos tribunais judiciais de 1ª instância,

Estatísticas da Justiça Alguns indicadores estatísticos sobre os processos nos tribunais judiciais de 1ª instância, 1.535.736 1.497.778 1.594.68 1.655.168 1.687.458 1.77.242 1.533.654 Outubro de 214 Número 28 DESTAQUE ESTATÍSTICO Estatísticas da Justiça Alguns indicadores estatísticos sobre os processos nos tribunais

Leia mais

DIREÇÃO GERAL DE REFORMAS E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

DIREÇÃO GERAL DE REFORMAS E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DIREÇÃO GERAL DE REFORMAS E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ESTRUTURA Direção de Serviço de Reformas Cargo Função Técnico Diretor de Serviço Dirigir e enquadrar os projetos de modernização e reforma no âmbito do

Leia mais

Estatísticas trimestrais sobre ações cíveis ( )

Estatísticas trimestrais sobre ações cíveis ( ) 78,3% 95,7% 96,9% 112,6% 127,4% 248.737 262.192 254.893 241.544 242.638 Fevereiro de 216 Boletim n.º 26 DESTAQUE ESTATÍSTICO TRIMESTRAL 3º Trimestres de Estatísticas trimestrais sobre ações cíveis (-)

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS DE ASSESSORAMENTO

REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS DE ASSESSORAMENTO REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS DE ASSESSORAMENTO O Conselho de Administração da BM&FBOVESPA (respectivamente o Conselho e a Companhia ) será assessorado por quatro comitês permanentes: Auditoria; Governança

Leia mais

Sessão de Trabalho SIADAP 1 - MEI

Sessão de Trabalho SIADAP 1 - MEI Sessão de Trabalho SIADAP 1 - MEI 17 Novembro Agenda Ciclo de gestão 2008/2009 Balanço da aplicação do SIADAP 1-2008 Boas práticas na definição dos objectivos do QUAR Intervenções e debate 1 Ciclo de Gestão

Leia mais

Diploma. Aprova a orgânica da Secretaria-Geral do Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia

Diploma. Aprova a orgânica da Secretaria-Geral do Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia Diploma Aprova a orgânica da Secretaria-Geral do Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia Decreto-Lei n.º 54/2014 de 9 de abril O Decreto-Lei n.º 119/2013, de 21 de agosto, alterou a

Leia mais

ANEXO IV MAPA DE INICIATIVAS / ACÇÕES

ANEXO IV MAPA DE INICIATIVAS / ACÇÕES MAPA DE S / 01. Dotar os responsáveis pela gestão escolar de formação técnica em Balanced Scorecard; 01.1. Dotar os Orgãos de Gestão de formação em BSC. Acção 1. Sensibilizar os órgãos de gestão para a

Leia mais

Estatísticas trimestrais sobre ações executivas cíveis ( )

Estatísticas trimestrais sobre ações executivas cíveis ( ) 925.358 963.165 951.512 976.19 997.167 11,1% 141,9% 124,4% 126,% 151,% Abril de 216 Boletim n.º 28 DESTAQUE ESTATÍSTICO TRIMESTRAL Trimestre de Estatísticas trimestrais sobre ações executivas cíveis (-)

Leia mais

Estatísticas trimestrais sobre ações executivas cíveis ( )

Estatísticas trimestrais sobre ações executivas cíveis ( ) Abril de 2017 Boletim n.º 40 DESTAQUE ESTATÍSTICO TRIMESTRAL 4º Trimestre de 2016 Estatísticas trimestrais sobre ações executivas cíveis (2007-2016) O presente documento pretende retratar a evolução trimestral

Leia mais

Relatório de auditoria

Relatório de auditoria gabinete de auditoria interna Relatório de auditoria SIADAP 2012 sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho na administração pública programa 2012 n.º1 >2014 Página1 Índice A. SUMÁRIO EXECUTIVO...

Leia mais

PLANO TRIENAL 2008/2010

PLANO TRIENAL 2008/2010 Tribunal de Contas PLANO TRIENAL 2008/2010 (EXTRACTO) Departamento de Consultadoria e Planeamento LISBOA / 2007 ÍNDICE 1 Missão do Tribunal de Contas... 3 2. Valores... 3 3. Visão... 3 4. OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS

Leia mais

Balanced Scorecard A experiência do IGFSS

Balanced Scorecard A experiência do IGFSS A experiência do IGFSS - IGFSS- 1 AGENDA 1. Quem somos 2. Balanced Scorecard 3. Resultados - IGFSS- 2 1. Quem Somos - IGFSS- 3 QUEM SOMOS? Somos o primeiro e único organismo da AP em Portugal com o reconhecimento

Leia mais

6170/17 aap/ip 1 DGC 2B

6170/17 aap/ip 1 DGC 2B Conselho da União Europeia Bruxelas, 9 de fevereiro de 2017 (OR. en) 6170/17 RESULTADOS DOS TRABALHOS de: para: Secretariado-Geral do Conselho Delegações COHOM 16 CONUN 54 SOC 81 FREMP 11 n.º doc. ant.:

Leia mais

Projeto Apoio à Consolidação do Estado de Direito nos PALOP/TL. Termos de Referência para Contratação do Coordenador

Projeto Apoio à Consolidação do Estado de Direito nos PALOP/TL. Termos de Referência para Contratação do Coordenador Projeto Apoio à Consolidação do Estado de Direito nos PALOP/TL Termos de Referência para Contratação do Coordenador PAÍS BENEFICIÁRIO PALOP e Timor-Leste. ENTIDADE ADJUDICANTE Camões, IP Instituto da Cooperação

Leia mais

Estatísticas da Justiça Alguns indicadores estatísticos sobre os processos nos tribunais judiciais de 1ª instância,

Estatísticas da Justiça Alguns indicadores estatísticos sobre os processos nos tribunais judiciais de 1ª instância, 1.547.672 1.57.71 1.64.317 1.65.477 1.68.844 1.698.733 1.522.83 1.441.18 1.311.138 Outubro de 216 Número 43 DESTAQUE ESTATÍSTICO Estatísticas da Justiça Alguns indicadores estatísticos sobre os processos

Leia mais

Regulamento Interno dos Serviços Administrativos e Académicos da Escola Superior Artística do Porto

Regulamento Interno dos Serviços Administrativos e Académicos da Escola Superior Artística do Porto Regulamento Interno dos Serviços Administrativos e Académicos da Escola Superior Artística do Porto Artigo 1º Nos termos da lei e dos estatutos, designadamente do artigo 12º, a ESAP possui serviços administrativos

Leia mais

Estatísticas da Justiça Alguns indicadores estatísticos sobre os processos nos tribunais judiciais de 1ª instância,

Estatísticas da Justiça Alguns indicadores estatísticos sobre os processos nos tribunais judiciais de 1ª instância, Outubro de 217 Número 51 DESTAQUE ESTATÍSTICO Estatísticas da Justiça Alguns indicadores estatísticos sobre os processos nos tribunais judiciais de 1ª instância, 27-216 1 O presente documento pretende

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 28 de outubro de Série. Número 166

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 28 de outubro de Série. Número 166 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 28 de outubro de 2015 Série Suplemento Sumário PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Decreto Regulamentar Regional n.º 19/2015/M Aprova a Orgânica da Direção

Leia mais

Estatísticas da Justiça Primeiros resultados Movimento processual nos tribunais administrativos e fiscais de 1.ª instância, 2016

Estatísticas da Justiça Primeiros resultados Movimento processual nos tribunais administrativos e fiscais de 1.ª instância, 2016 Entrados Findos Pendentes (no final do Entrados Findos Pendentes (no final do Abril de 217 Número 49 DESTAQUE ESTATÍSTICO Estatísticas da Justiça Primeiros resultados Movimento processual nos tribunais

Leia mais

AEDLV - Agrupamento de Escolas e Jardins de Infância D. Lourenço Vicente. Plano de Melhoria do Agrupamento

AEDLV - Agrupamento de Escolas e Jardins de Infância D. Lourenço Vicente. Plano de Melhoria do Agrupamento Plano de Melhoria do Agrupamento dezembro 2013 1. Introdução O Plano de Melhoria que neste momento se apresenta, constitui um instrumento de suporte à programação e à implementação das ações de melhoria

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EDITAL Nº 01/201 7 CRESCER CONSULTORIAS

PROCESSO SELETIVO EDITAL Nº 01/201 7 CRESCER CONSULTORIAS ANEXO VI DAS ATRIBUIÇÕES GERAIS DOS CARGOS PERFIL DE COMPETÊNCIAS E DESEMPENHO CARGO ANALISTA / FUNÇÃO ANALISTA DE COOPERATIVISMO E MONITORAMENTO Missão do Cargo: Desenvolver atividades técnicas e prestar

Leia mais

TEL

TEL CARTA DE MISSÃO Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia (MAOTE) Serviço/Organismo: Direção-Geral de Energia e Geologia Cargo: Diretor-Geral Período da Comissão de Serviço: 5 anos 1.

Leia mais

Enquadramento institucional da actividade do Governo em matéria de Sociedade da Informação

Enquadramento institucional da actividade do Governo em matéria de Sociedade da Informação Enquadramento institucional da actividade do Governo em matéria de Sociedade da Informação Pela Resolução do Conselho de Ministros nº 16/96 (2ª série), de 21 de Março foi criada a Equipa de Missão para

Leia mais

Estatísticas trimestrais sobre ações cíveis ( )

Estatísticas trimestrais sobre ações cíveis ( ) 78,1% 115,5% 19,3% 95,7% 112,4% 127,1% 241.4 236.554 248.464 262.38 254.847 241.628 Janeiro de 216 Boletim n.º 23 DESTAQUE ESTATÍSTICO TRIMESTRAL 1º e 2º Trimestres de 215 Estatísticas trimestrais sobre

Leia mais

Deliberação do Conselho de Ministros

Deliberação do Conselho de Ministros DB 772/2007 2007.12.27 Deliberação do Conselho de Ministros O sector público tem enfrentado uma crescente pressão por parte dos cidadãos e empresas, que manifestam expectativas cada vez maiores quanto

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2017

PLANO DE ATIVIDADES 2017 PLANO DE ATIVIDADES 2017 PE1 Reforçar a participação ativa na discussão, implementação e avaliação de planos, políticas e legislação ambientais, promovendo a partilha de informação e conhecimento com os

Leia mais

Plano de prevenção de riscos de gestão, incluindo os de corrupção e infrações conexas da Câmara Municipal de Chaves.

Plano de prevenção de riscos de gestão, incluindo os de corrupção e infrações conexas da Câmara Municipal de Chaves. Plano de prevenção de riscos de gestão, incluindo os de corrupção e infrações conexas da Câmara Municipal de Chaves. Página 1 de 10 ÍNDICE 1. Enquadramento 2. Estrutura do Plano I. Compromisso Ético II.

Leia mais

CICLO DE CONFERÊNCIAS SISTEMA DA INDÚSTRIA RESPONSÁVEL(SIR)

CICLO DE CONFERÊNCIAS SISTEMA DA INDÚSTRIA RESPONSÁVEL(SIR) CICLO DE CONFERÊNCIAS SISTEMA DA INDÚSTRIA RESPONSÁVEL(SIR) Lisboa, 10 dezembro 2015 PROGRAMA 1. Atribuições e competências do IAPMEI - Âmbito Sistema da Indústria Responsável (SIR) 2. Licenciamento Industrial

Leia mais

Estatísticas trimestrais sobre ações cíveis ( )

Estatísticas trimestrais sobre ações cíveis ( ) 254.992 241.319 242.147 23.633 22.327 113,1% 97,6% 128,1% 125,3% 122,8% Julho de Boletim n.º 32 DESTAQUE ESTATÍSTICO TRIMESTRAL 1º Trimestre de Estatísticas trimestrais sobre ações cíveis (27-) O presente

Leia mais

CARTA DE MISSÃO. A Inspeção-Geral da Defesa Nacional prossegue as seguintes atribuições:

CARTA DE MISSÃO. A Inspeção-Geral da Defesa Nacional prossegue as seguintes atribuições: CARTA DE MISSÃO Ministério da Defesa Nacional Inspetor-Geral da Inspeção-Geral da Defesa Nacional Cargo: Inspetor-Geral da Inspeção-Geral da Defesa Nacional 1. Missão do organismo As atribuições e competências

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VILA NOVA DE CERVEIRA. Plano de Melhoria

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VILA NOVA DE CERVEIRA. Plano de Melhoria AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VILA NOVA DE CERVEIRA Plano de Melhoria Avaliação Externa de Escolas 2012-2013 Índice I. Resumo... 2 Objetivo Introdução Ponto de partida II. Áreas de intervenção... 4 A1 - O

Leia mais

Capítulo I Disposições Gerais. Preâmbulo. Artigo 1º - Objeto. Artigo 2º - Competências Gerais do Serviço de Relações Externas

Capítulo I Disposições Gerais. Preâmbulo. Artigo 1º - Objeto. Artigo 2º - Competências Gerais do Serviço de Relações Externas Capítulo I Disposições Gerais Preâmbulo De acordo com os estatutos do Instituto Politécnico de Viseu (IPV), e tal como referenciado no nº5 do Artigo 82º, os Serviços de Relações Externas, doravante designados

Leia mais

Plano de actividades 2015/2016

Plano de actividades 2015/2016 Plano de actividades 2015/2016 TRIBUNAL JUDICIAL DA COMARCA DE SETÚBAL Artigo 94.º, n.º 6 alínea a), da Lei 62/2013, de 26 de agosto Período 01.09.2015 a 31.08.2016 Índice I. Nota introdutória... 2 II.

Leia mais

Nº Postos de trabalho CTTI/Comissão de Serviço. Área de Formação Académica e/ou Profissional. Nº Postos de trabalho CTRC.

Nº Postos de trabalho CTTI/Comissão de Serviço. Área de Formação Académica e/ou Profissional. Nº Postos de trabalho CTRC. DIVISÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA Chefe de Divisão Sistemas de Informação Assegurar a qualidade técnica do produzido na sua unidade orgânica, efetuar o acompanhamento profissional no local de, transmitindo

Leia mais

Modernização Administrativa, Relação com o Munícipe e Participação

Modernização Administrativa, Relação com o Munícipe e Participação Estratégia e Desenvolvimento Oficina Modernização Administrativa, Relação com o Munícipe e Participação 30 de Maio de 2016, Auditório da Biblioteca Municipal do Barreiro Ambiente e Sustentabilidade População

Leia mais

Índice. Introdução 3. Identificação dos pontos fortes do Agrupamento. 3. Identificação das Áreas de Melhoria. 4. Priorização das Áreas de Melhoria.

Índice. Introdução 3. Identificação dos pontos fortes do Agrupamento. 3. Identificação das Áreas de Melhoria. 4. Priorização das Áreas de Melhoria. Índice Introdução 3 Identificação dos pontos fortes do. 3 Identificação das Áreas de Melhoria. 4 Priorização das Áreas de Melhoria. 6 Ações de melhoria modelo de ficha. 8 Ações de melhoria. 8 2 Introdução

Leia mais

(Portaria nº266/2012, de 30 de agosto)

(Portaria nº266/2012, de 30 de agosto) (Portaria nº266/2012, de 30 de agosto) dezembro, 2013 CARTA DE MISSÃO (Portaria n.º 266/2012, de 30 de agosto) Nome do Diretor Carlos Alberto Martins Carvalho Escalão 9º Unidade Orgânica : Agrupamento

Leia mais

Resolução do Conselho de Ministros n.º 77/2015, de 10 de Setembro

Resolução do Conselho de Ministros n.º 77/2015, de 10 de Setembro Comissão Executiva da Especialização em Engenharia de Segurança ORDEM DO 16 de Dezembro, 2015 ESTRATÉGIA NACIONAL DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO 2015-2020 - Por um trabalho seguro, saudável e produtivo

Leia mais

Relatório de Actividades

Relatório de Actividades Relatório de Actividades 2009 2 DIRECÇÃO-GERAL DA POLÍTICA DE JUSTIÇA Relatório de Actividades 2009 Abril 2010 Direcção-Geral da Política de Justiça Av. Óscar Monteiro Torres, 39, 1000 216 Lisboa www.dgpj.mj.pt

Leia mais

Lei n.º 66-B/2007, de 28 de Dezembro

Lei n.º 66-B/2007, de 28 de Dezembro Sessão de Esclarecimento e Debate sobre a Reforma da Administração Pública O SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO SIADAP * Lei n.º 66-B/2007, de 28 de Dezembro 1 O SIADAP Portaria nº1633/2007

Leia mais

DIRETRIZES DO CCA-IST

DIRETRIZES DO CCA-IST DIRETRIZES DO CCA-IST 19.01.2015 PLANEAMENTO DO SIADAP PARA 2015-2016 Nos termos dos artigos 58.º e 62.º da Lei do SIADAP 1 (LSIADAP), o Conselho Coordenador de Avaliação (CCA) define as regras a seguir

Leia mais

Balanced Scorecard Rumo à Excelência

Balanced Scorecard Rumo à Excelência Balanced Scorecard Rumo à Excelência Vontade que nos ata ao leme 15 de Setembro de 2011 Quidgest Portugal R. Castilho n.º 63 6.º 1250-068 Lisboa Portugal tel. (+351) 213 870 563 / 652 / 660 fax. (+351)

Leia mais

10159/17 cmm/tca/jv 1 DGD 1C

10159/17 cmm/tca/jv 1 DGD 1C Conselho da União Europeia Bruxelas, 12 de junho de 2017 (OR. en) 10159/17 ENFOPOL 301 PROCIV 54 RESULTADOS DOS TRABALHOS de: Secretariado-Geral do Conselho data: 8 de junho de 2017 para: Delegações n.º

Leia mais

Plano de Atividades 2017

Plano de Atividades 2017 Plano de Atividades 2017 ÍNDICE 1. NOTA INTRODUTÓRIA... 1 2. ENQUADRAMENTO ORGANIZACIONAL... 3 a. Missão e Atribuições... 3 b. Visão... 3 c. Estrutura Interna e Organograma... 4 3. RECURSOS DISPONÍVEIS...

Leia mais

Plano de Atividades Intervenção Precoce

Plano de Atividades Intervenção Precoce Página 1 de 9 2018 Elaborado: Ângela Madureira Data: 31.01.2018 Aprovado: Conselho Administração Data:01.02.2018 Página 2 de 9 Introdução...3 Objetivos Estratégicos... 3 Descrição da IP...4 Plano de Atividades

Leia mais

DIRETRIZES DO CCA-IST

DIRETRIZES DO CCA-IST DIRETRIZES DO CCA-IST 13.05.2013 PLANEAMENTO DO SIADAP PARA 2013/2014 A Lei do Orçamento de Estado para 2013 introduziu alterações significativas no SIADAP 1, que obrigam a mudanças nos procedimentos desenvolvidos

Leia mais