Ricardo Young Silva - Presidente do Conselho Deliberativo do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ricardo Young Silva - Presidente do Conselho Deliberativo do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social"

Transcrição

1 A Responsabilidade Social Empresarial vem se consolidando, a cada dia, como um importante movimento que está contribuindo para a construção de um mundo melhor para todos e sustentável, sob os aspectos social, econômico e ambiental. A incorporação da cultura de Responsabilidade Social é um processo de renovação e aperfeiçoamento contínuos. Nesse sentido, a elaboração e a publicação do relatório social pela Unimed do Brasil constitui-se em uma iniciativa voltada à prestação de contas para com a sociedade, reafirmando seus compromissos, dando transparência às suas práticas e à gestão do seu negócio, além de criar um decisivo canal de comunicação e de diálogo com todos os públicos que são impactados pelas suas atividades. Ricardo Young Silva - Presidente do Conselho Deliberativo do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 1

2 Sumário Unimed do Brasil - Diretoria e Conselhos 5 Complexo Empresarial Cooperativo Unimed 18 A Unimed do Brasil e a Responsabilidade Social 29 Fundação Unimed - Órgão Executivo e Conselho 9 Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed Histório de Implementação da Política de Responsabilidade Social...30 Diálogo com os Públicos de Interesse Atuação Social do Sistema Unimed Mensagem do Presidente da Unimed do Brasil e da Fundação Unimed 11 Mensagem do Diretor de Marketing e Desenvolvimento da Unimed do Brasil 51 Histórico 14 Balanço Social Anual IBASE - adaptado para o Cooperativismo 54 Unimeds que compõem o balanço social Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 2 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 3

3 Unimed do Brasil - Diretoria e Conselhos Diretoria Executiva Presidente - Celso Corrêa de Barros Diretor de Administração e Estratégia - Arnaldo Silvestre Mallmann Diretor de Marketing e Desenvolvimento - Almir Adir Gentil Diretor de Integração Cooperativista - João Batista Caetano Conselho Confederativo Climênia Z. Del-Fraro Rabelo - Federação Intra Regional Sul de Minas Dagoberto José da Silva - Federação Rio de Janeiro Dalmo Claro de Oliveira - Federação Santa Catarina e Unimed Mercosul Emerson Fidelis Campos - Federação Intra Inconfidência Mineira Gerson Thomé Marino - Federação Espírito Santo Hugo Borges - Federação Intra Regional da Zona da Mata Mineira João Mairton de Lucena - Federação Equatorial Luiz Antonio Adamson - Federação Bandeirantes Luiz Carlos Misurelli Palmquist - Federação Paraná Mauro Muiños de Andrade - Federação Bahia Mohamad Akl - Central Nacional Unimed Nilson Luiz May - Federação do Rio Grande do Sul Ricardo Vidigal Paolucci - Federação Interfederativa Minas Gerais Ronaldo Paes Barreto - Federação Pernambuco William Manoel Cecílio - Federação Intrafederativa Triângulo Mineiro e Alto do Paranaíba Vera Lúcia Lauar - Federação Intra Regional Leste Nordeste de Minas Gerais Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 4 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 5

4 Conselho Fiscal Membros Efetivos: Adriano Alfredo Brocos Auad - Unimed Goiânia Carlos Augusto Marques da Costa Branco - Unimed Londrina Paulo César de Araújo Rangel - Unimed São João Del Rei Membros Suplentes: Fábio Nasser Monnerat - Unimed Três Rios Jorge Galvão Baptista Soares Júnior - Unimed Vale do Rio Doce Raul Kochenborger Filho - Unimed Nordeste RS Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 6 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 7

5 Fundação Unimed - Órgão Executivo e Conselho Órgão Executivo Presidente Executivo - Celso Corrêa de Barros Executivo Administrativo Financeiro - Luiz Carlos Lopes Moreira Executivo de Educação Corporativa - Sérgio Augusto Triginelli Executivo de Responsabilidade Social - Almir Adir Gentil Conselho de Curadores Presidente - João Mairton Pereira de Lucena (Federação Equatorial) Vice- Presidente - Rafael Moliterno Neto (Federação Bandeirantes) Curadores Carlos Antônio Alves Farah - Unicred do Brasil Dagoberto José da Silva - Federação Rio de Janeiro Dalmo Claro de Oliveira - Federação Santa Catarina e Unimed Mercosul Gerson Tomé Marinho - Federação Espírito Santo João Batista Caetano - Federação Minas Gerais Jorge Roberto Cantergi - Unimed Seguradora Lacildes Rovella Júnior - Usimed do Brasil Maud Nogueira Fragoas - Uniodonto do Brasil Mauro Moiños de Andrade - Federação Bahia Nilson Luiz May - Federação Rio Grande do Sul Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 8 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 9

6 Mensagem do Presidente da Unimed do Brasil e da Fundação Unimed O Sistema Unimed e seu compromisso com a responsabilidade social O Sistema Unimed tem, inerente à sua origem, uma rica tradição de envolvimento com a sociedade e, por conseqüência, um forte senso de responsabilidade social, uma vez que está em sua raiz agir com vistas ao bem comum. Assim, ao longo de quase quatro décadas de existência, inúmeras iniciativas foram realizadas, culminando, em 2001, com a implantação da Política Nacional de Responsabilidade Social. Sua principal missão é disseminar esta prática no Sistema Unimed, oferecendo apoio e instrumentos para o desenvolvimento de programas sociais e ambientais fundamentados na ética cooperativista e nos direitos humanos, com objetivo de fortalecer as comunidades em que as Unimeds se inserem. As cooperativas médicas e empresas do Complexo abraçaram esse movimento e reafirmaram seus compromissos em realizar projetos reais e duradouros, destinados a modificar a vida das pessoas e contribuir para a construção de uma sociedade mais justa, unindo cooperados, clientes e colaboradores numa ação de cidadania reconhecida e aplaudida pela população. Balanço Social do Sistema Unimed. Ele personifica muito dos valores que orientam as cooperativas médicas e que as tornaram o mais sólido e abrangente organismo econômico não mercantil ligado à assistência privada no setor de saúde, constituindo-se possivelmente no principal braço suplementar ao Estado nessa área. Assim, ao apresentar o relato feito nesta área pelas cooperativas médicas nos últimos anos, a Unimed do Brasil cumpre um compromisso da qual se orgulha: alcançar um novo patamar de credibilidade junto ao Sistema e à sociedade como um todo. Celso Corrêa de Barros Presidente Unimed do Brasil Fundação Unimed Hoje são inegáveis os avanços alcançados por meio desta prática: além de 530 projetos cadastrados e vários reconhecimentos, conseguimos consolidar o primeiro Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 10 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 11

7 Cooperativa é uma associação autônoma de pessoas unidas voluntariamente para fazer frente às suas necessidades e aspirações econômicas, sociais e culturais comuns, por meio de uma empresa de propriedade conjunta e democraticamente controlada Declaração sobre Identidade Cooperativa ACI Américas Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 12 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 13

8 Cooperativismo... O cooperativismo representa uma força diferenciada de organização social e traz em seu escopo a solidariedade e a responsabilidade social. Pensar em cooperativas é remeter às relações trabalhistas, à geração de renda e à melhoria de qualidade de vida da sociedade. Historicamente a cooperativa sempre traz ganhos e benefícios não só aos seus cooperados, como também à sociedade que é favorecida por seus produtos e serviços. Outra característica marcante é que a geração de riqueza permanece onde é concebida, favorecendo a comunidade local, além de possibilitar a superação de dificuldades à partir de objetivos comuns e ter aplicabilidade ilimitada, independentemente da categoria profissional. 1. Adesão voluntária e livre 2. Gestão democrática e livre 3. Participação econômica dos membros 4. Autonomia e independência 5. Educação, formação e informação 6. Intercooperação 7. Interesse pela comunidade. Fonte: Organização das Cooperativas do Brasil (OCB) Histórico...seus princípios: União dos médicos: a origem do cooperativismo médico A origem e a trajetória da Unimed sempre foram marcadas pelo pioneirismo e pela união de esforços em torno de um ideal comum. A Unimed surgiu em 1967, na cidade de Santos, no litoral de São Paulo, quando um grupo de médicos, insatisfeito com a crescente mercantilização do setor de saúde, buscava um modelo que integrasse a valorização profissional e humana à justa remuneração, e também a responsabilidade social no exercício de suas atividades. O conceito proposto reproduzia os princípios clássicos do cooperativismo, e rapidamente ganhou adeptos. Crescimento e consolidação Dezoito meses após a fundação da Unimed Santos, 43 cooperativas médicas semelhantes já estavam instaladas em oito estados brasileiros. A rápida adesão fez com que fosse criada uma estrutura organizada de representação, com o objetivo de preservar o ideal comum e manter a identidade da organização. A consolidação do Sistema Unimed se dá com a formação de Federações Estaduais e da Confederação Nacional das Cooperativas Médicas Unimed do Brasil. Aos poucos, processos administrativos e gerenciais foram incorporados, consolidando a posição das cooperativas médicas no mercado, o que, por conseqüência, levou ao desenvolvimento de uma estrutura empresarial capaz de garantir agilidade e eficiência a elas, sem colocar em risco a natureza cooperativista. Surge então um complexo de empresas para atuação em áreas afins, destinadas a aumentar a autonomia do Sistema Unimed, e sob controle das próprias cooperativas. Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 14 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 15

9 Ética, transparência, cooperação, igualdade e responsabilidade social são valores que compõem o DNA da Unimed desde sua fundação. Nosso maior desafio é fazer com que essa vocação genética se multiplique em cada município onde existir uma Unimed, de modo que a sustentabilidade e o bem estar das gerações futuras continuem a fazer parte de nossa história. Celso Corrêa de Barros Presidente da Unimed do Brasil e da Fundação Unimed Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 16 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 17

10 Complexo Empresarial Cooperativo Unimed Sistema Usimed Sistema Empresarial Unimed Central Usimed do Brasil Unimed Participações Sistema Unimed Sistema Unicred Unimed do Brasil Unicred do Brasil Singulares Usimed Unimed Corretora Federações Interfederativas/ Regionais/ Centrais Estaduais/ Federações Unimed Seguradora Estaduais/ Intrafederativas Singulares Unimed Seguros Saúde Singulares Unimed Clube de Seguros Central Nacional Unimed Unimed Administração e Serviços Singulares Fundação Unimed Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 18 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 19

11 Unimed do Brasil Visão Que o Sistema Unimed seja reconhecido como a melhor opção em soluções de saúde suplementar do Brasil. Missão Representar, integrar e orientar a atuação das Cooperativas Médicas e Empresas integrantes do Complexo, defendendo, fortalecendo e consolidando a marca Unimed. Negócio - representar nacionalmente e internacionalmente o sistema Unimed; - organizar, orientar, integrar e coordenar os interesses das confederadas; - promover e organizar eventos nacionais e internacionais; - coordenar a definição de políticas para uso de informações, tecnologia, produtos, insumos e serviços; - exercer funções que lhe foram delegadas pelas sociedades do Complexo Empresarial Cooperativo Unimed. - adesão e desligamento livres e espontâneos; - gestão democrática e voto singular; - neutralidade política, religiosa, social e racial; Valores - participação proporcional nos resultados, positivos ou negativos; - incentivo à educação e à integração cooperativistas. A Confederação Nacional das Cooperativas Médicas Unimed do Brasil - é a representante institucional e política do Sistema Unimed. Entre seus compromissos estão a ética, a medicina humanizada e a responsabilidade social. A ela também compete: - a preservação e defesa da marca; - a definição das regras de intercâmbio; - a busca de soluções tecnológicas e operacionais de interesse do Sistema Unimed; - o suporte jurídico e técnico às federações e singulares; - a preposição de soluções de comunicação e marketing em nível nacional; - a criação e manutenção de canais de relacionamento entre o Sistema Unimed e os poderes públicos (Executivo, Legislativo e Judiciário). Além disso, ocupa a vice-presidência para as Américas do International Health Cooperative Organization, órgão da Associação Cooperativa Internacional (ACI), bem como representa o segmento cooperativista na Câmara de Saúde Suplementar e participa do Fórum de Saúde Suplementar. Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 20 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 21

12 Fundação Unimed A Fundação Unimed é uma instituição sem fins lucrativos criada em 1995 pela Unimed do Brasil. Tem como missão contribuir para a humanização e prosperidade social da comunidade e oferecer a capacitação profissional dos integrantes das Cooperativas Unimed, Unicred e Uniodonto. desenvolvimento de produtos conectados com o mercado. Unimed Administração e Serviços Tem por objetivo prestar serviços de forma integrada, com qualidade e produtividade, visando a satisfação de clientes internos e colaboradores e gerando um desenvolvimento auto-sustentável. dos clientes no atendimento pela rede nacional Unimed, além de integrar e assessorar suas associadas. Unimed Corretora Tem como objetivo atender aos clientes, cooperados e colaboradores do Sistema Unimed. Devido aos resultados obtidos e ao crescimento de sua atividade, estendeu sua atuação também ao público em geral. Cooperativas de Trabalho e Pessoas Jurídicas da Área da Saúde, bem como aos médicos e outros profissionais da área da saúde. Seu objetivo é propiciar crédito e prestar serviços de modo mais simples e vantajoso para seus associados. Usimed Trata-se da primeira Cooperativa de Clientes de Serviços Médicos do Brasil. Tem como objetivo facilitar o acesso aos Um de seus núcleos principais é o de Pesquisa, responsável por disponibilizar informações estratégicas para auxiliar o processo de tomada de decisão das cooperativas. Por meio da Universidade Unimed, promove o intercâmbio, formação e atualização profissional de cooperados, colaboradores e demais profissionais da saúde. Além de ser responsável por, não apenas, colocar em prática as diretrizes em Responsabilidade Social definidas pela Unimed do Brasil, como fomentá-las nas cooperativas médicas. Unimed Seguros (Unimed Seguradora e Unimed Seguros Saúde) Responde pelos serviços de recursos humanos, qualidade e processos, administração de compras e contratos, serviços de apoio, finanças, controladoria, desenvolvimento e suporte de sistemas administrativos informatizados, administração de redes e suporte de tecnologia para as empresas do Complexo Unimed. Além disso, presta consultoria financeira e disponibiliza infraestrutura de Tecnologia de Informação ao Sistema Unimed. Unimed Participações Busca contribuir para a prosperidade econômica das suas associadas e controladas. Para tanto, pesquisa e Unicred Sistema de Crédito que dá suporte às Unimeds, outras produtos complementares à assistência à saúde. Congrega todas suas singulares e representa dentro do Complexo Empresarial Cooperativo Unimed o segmento de consumo. Iniciou suas operações em 1989 com o objetivo de desenvolve projetos para a captação de recursos fortalecer ainda mais o Complexo Unimed. Atualmente, a financeiros, promove campanhas que visam a adesão de empresa conta com 3,8 milhões de segurados, oferece 19 produtos nos segmentos de Vida, Previdência e Saúde e encontra-se entre as maiores empresas do setor, ocupando a 48ª posição no ranking, sendo a 9ª em saúde, novos associados e participa da elaboração do planejamento estratégico empresarial de controladas e coligadas, prestando assessoria na gestão dos seus negócios e no controle do trato econômico, financeiro e a 24ª em Vida e a 22ª em Previdência Privada. contábil da sociedade. Com matriz em São Paulo e escritórios regionais em 21 cidades distribuídas pelo Brasil, a Unimed Seguradora é uma empresa de seguros de classe mundial, que busca continuamente o aprimoramento de processos, o conhecimento das necessidades de seus clientes e o Central Nacional Unimed É a Operadora Nacional dos planos de saúde do Sistema Unimed. Foi fundada em 1998, para atender ao novo cenário da Regulamentação dos Planos de Saúde (Lei 9656/98). Seu compromisso é garantir a satisfação Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 22 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 23

13 Perfil da maior cooperativa de trabalho médico do mundo O Sistema Unimed é hoje a maior rede de assistência médica do Brasil: 23,9% de participação de mercado (Instituto Datafolha/2003) 381 cooperativas médicas presentes em 74,9% do território nacional, abrangendo municípios cooperados de clientes 70 mil empresas contratantes empregos diretos 291 mil empregos indiretos hospitais credenciados (no Brasil existem hospitais) 66 hospitais da rede própria leitos próprios milhões de consultas ao ano 1,3 milhões de internações ao ano 83 milhões de exames complementares por ano recursos credenciados (laboratórios e centros de diagnóstico) Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 24 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 25

14 A moderna compreensão do que seja Responsabilidade Social reparte com o cooperativismo de trabalho promovido pela Unimed um fundamento comum: o solidarismo. Na raiz do movimento unimediano reside a preocupação em atuar de forma ativa para o bem estar das comunidades onde se instala, gerando riqueza social, trabalho digno e qualidade de vida. Almir Adir Gentil Diretor de Marketing e Desenvolvimento da Unimed do Brasil e Executivo de Responsabilidade Social da Fundação Unimed Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 26 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 27

15 A Unimed do Brasil e a Responsabilidade Social Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed A Unimed do Brasil e a Fundação Unimed lançaram, em 2001, a Política Nacional de Responsabilidade Social Unimed. Sua missão é disseminar esta prática no Sistema Unimed, oferecendo apoio e instrumentos para o desenvolvimento de programas sociais e ambientais fundamentados na ética cooperativista e nos direitos humanos, com objetivo de fortalecer o 7º princípio do cooperativismo que consiste em cuidar das comunidades. Considerando o poder de intervenção social das cooperativas médicas, que hoje estão presentes em 75% do território nacional, a Unimed é, hoje, uma das maiores promotoras de ações de responsabilidade social do país, alimentando um ambiente propício ao aumento do poder de inserção social da marca. Este Relatório é uma oportunidade de demonstrar a todos os seus principais stakeholders - cooperados, colaboradores, fornecedores, clientes, governo e sociedade - como as cooperativas médicas vêm perseguindo altos padrões de realização e relacionamento junto a eles, bem como integrando os objetivos socialmente responsáveis ao seu planejamento estratégico, concretizando compromissos, ampliando atividades e aprimorando práticas. Além disso, este Relatório possibilita um diagnóstico da eficácia da Política lançada pela Unimed do Brasil e pela Fundação Unimed no âmbito da Responsabilidade Social, colaborando na identificação de novos desafios e na organização das ações futuras em todo o Sistema Unimed. Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 28 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 29

16 Histórico de Implementação Implantação da Política Nacional de Responsabilidade Social Unimed Manual de Responsabilidade Social Unimed Elaboração do Código de Conduta Ética Certificação Responsabilidade Social/ Selo Unimed de Responsabilidade Social Certificação Responsabilidade Social/ Selo Unimed de Responsabilidade Social Projetos Sociais Banco de Responsabilidade Social Banco de Responsabilidade Social Boletim Eletrônico Boletim Eletrônico Consultoria em Responsabilidade Social Consultoria em Responsabilidade Social Consultoria em Responsabilidade Social Campanha de Voluntariado Campanha de Voluntariado Campanha de Voluntariado Campanha de Voluntariado Fóruns Itinerantes Palestras Palestras Palestras Curso de Gestores Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 30 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 31

17 Implantação da Política Nacional de Responsabilidade Social Unimed Em 2001, durante a 31ª Convenção Nacional Unimed, em Goiânia (GO), que abordava como tema central o Cooperativismo Médico Unimed: um Sistema Socialmente responsável, a Unimed do Brasil e a Consultoria especializada em Responsabilidade Social A ação objetiva disseminar a Política de Responsabilidade Social e oferecer apoio consultivo às cooperativas médicas. Além disso, busca profissionalizar as várias ações sociais do Sistema às gestões das empresas, como exemplificar sua inserção no contexto de Responsabilidade Social Empresarial. Durante o período de 2002, foram promovidas 51 palestras, assistidas por pessoas; em 2003 foram Banco de Responsabilidade Social Além do acesso on-line à informações sobre os projetos desenvolvidos em todo o país, o espaço incentiva e facilita a realização de novas iniciativas por meio da formatação de um Cadastro Nacional de Voluntários e de um Cadastro de Instituições para parcerias. Fundação Unimed lançaram oficialmente a Política Nacional de Responsabilidade Social. Projetos Sociais De acordo com levantamento feito em 2001, o número de projetos sociais implementados pelas cooperativas somava-se 60. Campanha de Voluntariado: DIA V No ano de 2001, foi oficializada a implementação de uma data fixa no calendário de eventos das cooperativas 1º domingo de dezembro -, com o objetivo de mobilizar cooperados e colaboradores para ações assistencialistas, organizadas à partir de necessidades das comunidades. O foco principal da ação é o incentivo à solidariedade. Elaboração do Manual de Responsabilidade Social A iniciativa de publicação de um Programa de Responsabilidade Social Eticamente Correto da Unimed do Unimed, avaliar os trabalhos já existentes, bem como facilitar a elaboração e implementação de novos projetos, para que se tornem programas integrados de desenvolvimento humano, de educação cooperativista e de marketing social. Ao todo, foram realizadas 35 consultorias em 2002; 46 em 2003; e 50 em Fóruns Itinerantes de Responsabilidade Social Estes fóruns visam disseminar informações e conceitos sobre a atuação, gestão e configuração do terceiro setor junto às Unimeds. Seu público-alvo foram os setores de comunicação, marketing, contabilidade, gestores e dirigentes das cooperativas médicas. Em 2002, foram realizados dois Fóruns, com a participação de 650 pessoas. Palestras A Unimed do Brasil, por meio de seus executivos de Responsabilidade Social, ministra palestras sobre o 65 apresentações para participantes; e, em 2004, o público para as 32 exposições foi de Elaboração do Código de Conduta Ética A Unimed do Brasil elaborou, em 2003, em parceria com as empresas do Complexo Unimed, o seu próprio Código de Conduta Ética. O objetivo principal foi documentar os compromissos e crenças do Sistema, visando uma atuação empresarial ética e transparente com todos os públicos que com que ela interagem. Certificação em Responsabilidade Social das Singulares com a criação do Selo Unimed de Responsabilidade Social, em versões anuais As cooperativas do Sistema Unimed tiveram a oportunidade de participar, em 2003, do primeiro processo de certificação de ações condizentes com a boa prática social. A edição inaugural do Selo de Responsabilidade Social Unimed, certificou 55 cooperativas, que puderam traduzir visualmente seu Porém, apesar desta estrutura ficar a serviço das cooperativas, ela não é utilizada em sua plenitude, necessitando ainda de uma melhor conscientização por parte dos usuários sobre a importância desta ferramenta de intercâmbio. Os temas Voluntariado e Instituições Parceiras, por exemplo, não apresentam o mesmo retorno do cadastramento das ações sociais. No ano de seu lançamento, em 2003, foram cadastrados 115 projetos. Já em 2004, houve um incremento de 361% em participação, alcançando o patamar de 530 ações cadastradas. Boletim Eletrônico Mais Informações- Responsabilidade Social Destinado aos públicos estratégicos do Sistema Unimed - cooperativas médicas, empresas clientes, ONGs, institutos, fornecedores, universidades e governo, este informativo tem por objetivo divulgar informações, experiências e conceitos sobre a atuação, gestão e configuração do terceiro setor. Brasil foi um marco no segmento de planos de saúde no ano de Tratou-se de um trabalho inédito, tanto na esfera nacional como internacional, que serviu como importante ferramenta para que as cooperativas pudessem desenvolver seus projetos de forma eficiente e correta e reafirmou o compromisso da Unimed em realizar projetos que repercutam em benefícios reais e duradouros para a sociedade. tema à convite de entidades, associações, empresas e das próprias cooperativas, estabelecendo desta forma um contato direto junto à sociedade. A expectativa é que, por meio desta ação, possa não só contribuir para a disseminação da importância da integração das questões de Responsabilidade Social posicionamento ético e a preocupação dedicada ao desenvolvimento social. Em 2004, ano em que foram ampliadas as exigências para a certificação, incluindo a obrigatoriedade da publicação do Balanço Social, o número de cooperativas certificadas foi de 114, ou seja, um incremento na ordem de 108% em relação à edição inaugural. Curso de Gestores Visa disseminar a cultura da Responsabilidade Social e sua aplicabilidade dentro do Sistema Unimed, por meio de práticas responsáveis. Ao todo, foram ministrados ao longo de 2004, sete cursos, com a presença de 215 gestores. Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 32 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 33

18 Diálogo com os Públicos de Interesse A Unimed do Brasil, como representante institucional e serviços de saúde no Conselho Nacional de Saúde, à convite painéis e eventos pertinentes às questões do setor e concretizado graças a uma mobilização, que envolveu política do Sistema Unimed, entende que a construção de do Ministério da Saúde; e a atuação na Comissão Parlamentar ao Sistema, para discussão de temas políticos, técnicos dezenas de cooperativas médicas, a Central Nacional Unimed um relacionamento sólido com os seus públicos de interesse de Inquérito da Câmara Federal, sobre os planos de saúde. ou institucionais. e a Unimed Seguros. não é apenas um importante movimento para a implementação de mecanismos que fortaleçam as suas cooperativas filiadas e as ajudem a preservar a étic a empresarial, como também é o alicerce para a disseminação de sua gestão de Responsabilidade Social. A seguir estão relatados alguns públicos com os quais foram criados canais de comunicação efetivos, bem como os resultados obtidos com este envolvimento: Entidades Representativas e Associações do Setor de Saúde Porta-voz das cooperativas, a Unimed do Brasil também vem ampliando os canais de diálogo com outras entidades representativas do setor supletivo de saúde. Este processo de aproximação se dá cotidianamente e resultou em diversas ações no ano de 2003, como um documento publicado em vários jornais do país retratando o Sociedade Além de manter um ambiente na web o Portal Unimed oferecendo informações segmentadas e de interesse específico do Sistema Unimed, como clientes, colaboradores, visitantes, cooperados, credenciados, profissionais de saúde, a conduta socialmente responsável da Unimed do Brasil também está refletida em suas ações de marketing. Por outro lado, a Unimed do Brasil também colabora, rotineiramente, para que as cooperativas médicas disponibilizem campanhas sobre prevenção de doenças e promoção de saúde. Entre alguns temas médicos abordados estão os acidentes domésticos, o aleitamento materno, a doação de sangue e a anemia. Governo A Unimed do Brasil vem atuando fortemente nas diversas instâncias do Governo, no sentido de preservar os direitos e interesses legítimos do Sistema Unimed, dos seus cooperados e clientes. quadro de dificuldades para a perfeita operação do setor, assinado juntamente com a Associação Brasileira de Medicina de Grupo, a Federação Nacional das Seguradoras e a Associação Brasileira de Hospitais; o convite para participar como debatedora do Fórum Jurídico promovido pela União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde (Unidas); O apoio ao esporte em paralelo com a adoção da responsabilidade social, por exemplo, já é uma tradição de longa data nas cooperativas médicas. Isto porque a Unimed acredita que promover o esporte é promover a vida, a saúde e a cooperação. Este envolvimento, feito de maneira ética e transparente, possibilitou que apresentasse aos organismos competentes e a participação na 12ª Conferência Nacional de Saúde, quando novas propostas para o SUS foram discutidas. Entre as inúmeras modalidades que fazem parte dos projetos de patrocínio espalhados pelo país estão o futebol, sugestões para a ampliação e consolidação de políticas importantes ao setor de saúde. Como exemplo desta prática, podemos citar o seu forte posicionamento, em consonância com a Bancada do Cooperativismo de Saúde, em defesa das cooperativas médicas no cenário econômico nacional no Congresso Cooperados Como uma cooperativa, a interlocução entre seus participantes faz parte da própria dinâmica organizacional. Assim, a troca de informações entre os cooperados e a Unimed do Brasil requer a manutenção de um canal de comunicação direto, transparente e constante. tênis, vôlei, saltos ornamentais, natação, basquete, judô, atletismo, envolvendo centenas de atletas de diferentes idades, status e condições físicas. No ano de 2004, esta prática ganhou um reforço importante com a assinatura do contrato entre a Unimed do Brasil e o Comitê Paraolímpico Brasileiro, que conferiu à Unimed o título Nacional; os esforços em torno da redução do impacto de Assistência Médica Oficial do Comitê Paraolímpico tributário incidente sobre as Unimeds; a participação no Fórum de Saúde Suplementar, promovido pelo Ministério da Saúde; a representatividade na categoria gestores e prestadores de Além de estar sempre aberta ao diálogo, a Confederação publica periodicamente informativos impressos e eletrônicos voltados a este público, bem como promove Brasileiro. A parceria, válida para a temporada 2004, incluiu as competições da CPB, as etapas classificatórias e os Jogos Paraolímpicos de Atenas. Todo este acordo só pôde ser Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 34 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 35

19 Atuação Social do Sistema Unimed Este relatório só se tornou possível por meio da Certificação em Responsabilidade Social e da criação do Banco de Projetos de Responsabilidade Social Unimed, que possibilitaram o cadastramento das inúmeras ações sociais realizadas pelas cooperativas médicas. Para compor o cenário social do Sistema Unimed, serão destacadas a seguir, as atividades em temas de abordagem com o intuito de apresentar o alcance das ações sociais desenvolvidas. Além disso, a idéia é demonstrar que a intensa atuação social das Unimeds incorpora-se aos mais variados contextos e com uma amplitude inédita para uma marca. Todos as ações estão disponíveis para consulta na íntegra no Banco de Projetos Sociais disponível no Portal Unimed que até o final de setembro de 2004, contava com 530 trabalhos cadastrados por 114 Unimeds. Estes projetos se segmentam em Comunidade, Público Interno, Meio Ambiente e Voluntariado. Público Interno 74 projetos -14% Voluntariado 17 projetos - 3% Meio Ambiente 32 projetos - 6% Comunidade 407 projetos - 77% Fonte: 530 ações cadastradas no Banco de Projetos Sociais até o dia 29/09/2004 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 36 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 37

20 Ações para a comunidade 108 projetos - 27% 1 - Atuação Social: Comunidade Este segmento possui 407 projetos, demonstrando que a comunidade é o grande foco de atuação social da Unimed. Para que estas atividades se concretizassem e os benefícios fossem otimizados, inúmeras parcerias foram efetuadas, englobando tanto as entidades públicas em seus vários desdobramentos, como as entidades privadas e instituições do terceiro setor. Os projetos nesta área se dividem em cinco segmentos: saúde, educação, cultura, ações para a comunidade e esporte. Esporte 35 projetos - 9% Cultura 18 projetos - 4% Educação 40 projetos - 10% Beneficiados: mulheres, crianças, adolescentes, idosos, funcionários de empresas clientes, colaboradores e suas famílias, funcionários de vários setores ou categorias dentro da comunidade, famílias desassistidas, comunidades de baixa renda, creches, instituições beneficentes, indigentes e suas famílias e pacientes hospitalizados. Saúde 206 projetos - 50% 1.1 Segmento Saúde É o conceito principal da atuação social das cooperativas voltadas à comunidade, com metade das ações catalogadas: 206 projetos. A maioria dos projetos estão alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio segundo a Organização das Nações Unidas (ONU): obtenção da saúde materna, redução da mortalidade infantil e combate a doenças. Acompanhe a seguir os quatro principais focos de trabalho nesse segmento, bem como algumas descrições das ações desenvolvidas em cada um: Ações junto às Gestantes Atendimento interdisciplinar, proporcionando maior conhecimento e respeito à gestação; desenvolvimento gestacional; pré-natal; trabalho de parto e envolvimento do companheiro no processo gestacional; além dos cuidados com o recém nascido, vacinações e sensibilização sobre a importância da construção de vínculos afetivos com a criança. Também há um esforço especial com relação ao aleitamento materno, no sentido de reforçar, apoiar, esclarecer as lactantes e incentivar a doação do leite excedente. Ações junto aos Idosos A melhor idade também recebe uma atenção especial, com ações programadas e atendimento interdisciplinar para o aumento da auto-estima e resgate social. As atividades implantadas abordam de forma abrangente as questões de qualidade de vida do idoso na nossa sociedade. São promovidos, ainda, encontros e trocas de correspondências entre idosos e crianças, com o objetivo de educar a nova geração para a prevenção de doenças e valorização das pessoas mais velhas. Ações junto à Comunidade Acesso à saúde para setores carentes da comunidade, oferecendo consultas médicas, medicamentos, exames complementares de diagnóstico, acompanhamento médico, por meio de credenciamento especial, ou visitas programadas e terapêuticas. Os beneficiários são principalmente as instituições para crianças, adolescentes e idosos desamparados, excluídos sociais e em situação de risco, indigentes, associações, organizações da sociedade, entidades assistencialistas e religiosas, creches, comunidades de baixa renda, grupos de risco, grupos de portadores de deficiências específicas e pacientes crônicos. Também é disponibilizado, em algumas regiões, atendimento emergencial gratuito para estudantes em horário escolar e atendimento médico em escolas para alunos e familiares. Diversas cooperativas promovem campanhas gerais de vacinação, para idosos e crianças, principalmente antigripal e poliomielite; bem como oferecem postos avançados de atendimento médico em parcerias com Universidades e Organizações Sociais, além de visitas periódicas nas estruturas hospitalares para atendimento personalizado, garantindo não só a tranqüilidade ao paciente e familiares, como o encaminhamento e o suporte para o paciente domiciliar. Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 38 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 39

21 Ações relativas às Campanhas de Saúde Destacam-se aqui os programas voltados para a qualidade de vida, com realização de atividades diversas como eventos, palestras, seminários, encontros com a comunidade, que abordam todas as facetas da saúde preventiva e criam oportunidade para troca de experiências e conhecimento sobre riscos. Também são elaborados programas e eventos de conscientização sobre doenças e prevenção: promoção de atividades físicas em grupo, intervenções pontuais em empresas clientes, na comunidade, nas escolas, nos hospitais, nas estradas rodoviárias e nas praças públicas. Entre os temas abordados nas atividades citadas acima estão: combate ao câncer; câncer de mama; doenças da mulher e do homem; avaliações cardiológicas e de diabetes; tabagismo; hipertensão; obesidade adulta e infantil; tuberculose; Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis; dependência química; hábitos alimentares; cuidados com a visão, audição e higiene bucal; sedentarismo; hepatite; doenças respiratórias; estresse; controle da natalidade; gravidez precoce; menarca; dengue; e terapia ocupacional, além da divulgação nos meios de comunicação de dicas de saúde de interesse da comunidade, e elaboração de campanhas de captação de doadores de sangue. Há ainda cooperativas que criam interface com as escolas localizadas em sua área de atuação para a implantação de conteúdos programáticos sobre qualidade de vida, prevenção e promoção à saúde e segurança na escola, como temas de reforço ao conteúdo disciplinar. Também são ministrados cursos de primeiros socorros para professores. 1.2 Educação Os 40 projetos cadastrados neste segmento têm como foco principal a preocupação com a inclusão social do adolescente de famílias de baixa renda. As ações promovem a inserção no mercado de trabalho, abrindo possibilidades de capacitação por meio de atividades de educação e formação, além de criar condições de empregabilidade no mercado de trabalho regular e remunerado. Programas de estágio e de primeiro emprego, cursos de qualificação específicos e inclusão digital são as tônicas destes projetos. Apesar de haver ainda uma forte atuação com relação à informação sobre a resistência à drogas e o combate à violência, tanto para o adolescente como para família. Outros focos abordados: - alfabetização de adultos; - realização de concursos de redação valorizando a escrita e a leitura; - apoio pedagógico hospitalar a pacientes em idade escolar, integrando paciente e escola; - implantação de Brinquedotecas em Escolas e Hospitais; - elaboração de cursos de prevenção aos acidentes na praia e situações de perigo; - promoção de congressos médicos para qualificação de profissionais e acadêmicos do setor, bem como de fóruns de discussão de gestão empresarial para empresários de micro e pequenas empresas; - doação de livros e jornais às bibliotecas e escolas; - criação de cursos sobre Cooperativismo e ampliação do acervo sobre o tema; - capacitação dos professores da rede de ensino pública, além dos cooperados, secretárias, colaboradores e pessoal de serviços credenciados; - orientação sobre saúde e qualidade de vida nas escolas: conteúdos interligados, por meio da integração das disciplinas escolares; - disponibilização de bolsas de estudos, auxílio educação e apadrinhamento de crianças e adolescentes para financiamento da educação. 1.3 Ações para a comunidade São 108 ações organizadas para a comunidade com dois focos distintos: Assistencialista Abrange as campanhas de doações (medicamentos, alimentos, vestuário, material escolar, computadores, brinquedos etc...); as contribuições às entidades beneficentes; o incentivo ao voluntariado; e as ações solidárias de cooperados e colaboradores. Também estão inseridas neste item: - a doação de equipamentos promovendo a auto sustentabilidade da entidade beneficente, por meio de produção de peças à base de material reciclado; - o apoio para inclusão de portadores de necessidades especiais no mercado de trabalho; - a aquisição de peças artesanais produzidas por portadores de necessidades especiais, para distribuição em atividades de integração e solidariedade; - a oferta do cartão de desconto para obtenção do plano de saúde para pessoas de baixa renda e plano especial de Assistência Médica para jovens que estão sendo qualificados para o primeiro emprego; - a disponibilização de funcionários das cooperativas médicas, designados para associações beneficentes (assistente social/administrativo), para contribuir na gestão e qualificação dos serviços. Realizações, Patrocínios e Apoios Tratam-se dos eventos e festas regionais ou natalinas, bem como comemorações de datas importantes do calendário religioso, regional ou familiar, que contam com o apoio das Unimeds para o atendimento médico de urgência ou doações e contribuições das mais diversas, além da organização de atividades e eventos de promoção à saúde e qualidade de vida, em toda gama de assuntos de prevenção e saúde. 1.4 Esporte A Unimed promove o esporte em todas as suas representações, com o objetivo de promover a saúde, a cooperação e a qualidade de vida. Há cadastrados 35 projetos desenvolvidos pelas cooperativas médicas, visando o incentivo e o apoio ao esporte e abordando as seguintes práticas: - patrocínio de atletas, equipes, campeonatos e torneios regionais de diversas modalidades; - patrocínio aos atletas paraolímpicos, por meio do acordo assinado com o Comitê Paraolímpico Brasileiro; - apoio às Sociedades Esportivas e aos setores comunitários com contratação de profissionais para orientação e treinamento; Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 40 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 41

22 - incentivo à iniciação ao esporte: apoio ou manutenção de escolinhas de base, de jovens atletas e de professores de futebol, basquete, tênis, vôlei, karatê, judô, capoeira, axé, entre outras modalidades; - patrocínio para campeonatos exclusivos do Sistema Unimed e competições intercooperativas; - implementação e apoio às atividades físicas orientadas para a terceira idade; - atendimento médico às equipes esportivas Cultura Os 18 projetos cadastrados pelas cooperativas médicas na área cultural propiciam à comunidade o envolvimento com o mundo das artes e englobam os aspectos mais lúdicos ligados à formação cultural como: - a organização de corais e educação musical para toda gama de idades; - o patrocínio ou apoio a shows e apresentações musicais de artistas da comunidade e regionais; - a criação de grupos teatrais, patrocínios ou apoios às apresentações de grupos locais, à formação de grupos especiais para a terceira idade, ou aos públicos infantis e juvenis; - a promoção de espaços de arte e de cultura; - o apoio ou patrocínio à exposições de trabalho de artistas da comunidade ou da região; - a organização de feiras do livro. 2 - Atuação Social: Meio Ambiente As cooperativas médicas catalogaram 32 ações sobre práticas responsáveis para o meio ambiente, incluindo a prática dos Três Rs (reciclar, reutilizar e reduzir). As atividades abordam os seguintes temas: - programas de reciclagem de resíduos com a coleta seletiva do lixo; - estação de tratamento de efluentes de hospitais; - projetos de educação ambiental à comunidade e aos colaboradores; - programa de redução do uso de recursos naturais; - campanhas para redução de resíduos e reaproveitamento de materiais; - apoio e doações às cooperativas de reciclagem de lixo; - adoção de praças públicas para preservação; - distribuição de mudas de árvores à comunidade; - apoio para manutenção de parque ecológico; - utilização de papel reciclado em toda a papelaria e impressos; - apoio à SOS Mata Atlântica; - realização de evento junto às escolas sobre as condições dos recursos hídricos; - arrecadação de receita para associação de funcionários, por meio da venda de papel para reciclagem. Atuação da Unimed do Brasil A Unimed do Brasil visando promover o desenvolvimento sustentável, que garante a adequada utilização dos recursos naturais, incentiva as cooperativas à prática de ações ambientalmente corretas. Neste sentido, está elaborando o Manual de Gerenciamento de Resíduos de Saúde para normatizar os procedimentos junto às cooperativas médicas, hospitais próprios e rede credenciada. Com a ação, pretende influenciar seus stakeholders, gerando uma mudança de atitude. O Manual será, ainda, um facilitador para os estabelecimentos de saúde que queiram adotar uma política coerente com a gestão responsável. Seu objetivo é classificar, quantificar e qualificar os resíduos de saúde, no sentido de reduzir o risco ambiental à saúde pública, o risco ocupacional e os custos de treinamento. Também abordará o manejo, a segurança ocupacional e o programa de coleta seletiva e trará um regulamento técnico para gerenciamento de resíduos. Será destinado à difusão de procedimentos técnicos junto aos cooperados, dirigentes, colaboradores, usuários e a sociedade. Atuação da Unimed do Brasil e das demais Empresas do Complexo Programa de Reciclagem de Resíduos Em 2002, as empresas do Complexo Unimed Unimed do Brasil, Central Nacional Unimed, Unimed Seguros, Unimed Administração e Serviços e Unimed Corretora - iniciaram seu Programa de Coleta Seletiva e Reciclagem do Lixo. Já no ano de 2003 foram reciclados kg de papel, kg de papelão e 884 kg de plásticos diversos. Estes números representam uma economia ambiental estimada em 2 mil litros de petróleo e eucaliptos poupados. Os recursos gerados foram destinados às atividades de responsabilidade social. 3- Atuação Social: Público Interno Atuação das Cooperativas Singulares e Federações Há 74 projetos catalogados com quatro focos de abordagem - desenvolvimento, atividades institucionais, qualidade de vida e integração. Desenvolvimento: - criação de programas de estágios; - incentivo a talentos paralelos: exposição de trabalhos e concursos; - capacitação para portadores de necessidades especiais e novos colaboradores; - desenvolvimento de programa especial de educação e Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 42 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 43

23 formação cooperativista; - elaboração do projeto bolsa escola para os colaboradores; - disponibilização de auxílio educação para colaboradores (funcionários e estagiários) para conclusão do ensino médio e fundamental; - capacitação e instrumental específicos para avaliação, análise de desempenho e desenvolvimento profissional dos colaboradores e cooperados; - desenvolvimento de cursos especiais ou treinamentos específicos para os dirigentes das cooperativas e colaboradores; - concentração de esforço especial junto às secretárias: atendimento médico, integração e capacitação; - inserção do portador de necessidades especiais no quadro de colaboradores e no programa de estágios. Atividades Institucionais: - elaboração de programa de participação de resultados; - criação do Código de Ética da Cooperativa; - organização de festas e celebrações de datas especiais: Natal, Páscoa, Dia das Mães, Criança, Dia do Médico etc...; - realização de eventos no dia do cooperativismo (comemorado no 1º sábado do mês de julho): lazer e entretenimento para todas as idades; Qualidade de Vida: - elaboração de ginástica laboral; - criação de campanhas de vacinação antigripal, antitetânica e rubéola; - organização da semana de prevenção de acidentes de trabalho; - desenvolvimento de programas de descontos aos usuários, cooperados e colaboradores no consumo de produtos e serviços, feito em parceria com empresas credenciadas; - disponibilização de conexão com provedor Unimed para uso domiciliar; - realização de projeto de reforço escolar e doação de material escolar para filhos de cooperados; - criação de programa de saúde com exames preventivos; - disponibilização de assistência médica aos colaboradores e familiares; - elaboração de palestras informativas de caráter preventivo sobre diversos temas de saúde; - criação de programa de apoio para questões comportamentais para melhoria dos relacionamentos e do clima organizacional. Integração: - organização de encontros motivacionais para integração e incentivo a reciclagem profissional; - realização de eventos diversos de integração da equipe: encontros informais, campeonatos esportivos, programas formais etc...; - criação e formação de Corais Unimed; - programa de relacionamento interativo entre os colaboradores e os serviços credenciados; - criação e formação de Grupo Teatral Unimed. Público Interno: Atuação da Unimed do Brasil A Unimed do Brasil objetivou, em 2003, a revisão de sua política de gestão de Recursos Humanos. Para tanto adotou as seguintes medidas, referentes aos seus colaboradores: - implantação de uma nova política de remuneração; - reavaliação da estrutura organizacional; - revisão da política de benefícios; - desenvolvimento de projetos de qualidade de vida com a introdução da ginástica laboral, do programa de orientação às gestantes e de palestras informativas; - qualificação dos colaboradores, por meio de treinamento e cursos técnicos; - promoção em parceria com a Universidade Unimed de Pós-graduação latu sensu in company em Gestão Empresarial. Público Interno: Atuação da Unimed Administração e Serviços : A Unimed Administração e Serviços manteve em 2003 sua política de recursos humanos, realizando as ações descritas abaixo: - implantação de mais uma opção de convênio farmácia: E- Pharma; - implantação de uma linha de crédito pessoal- Banco Industrial - aos colaboradores; - realização de festa de confraternização e distribuição de cesta de Natal para todos os colaboradores; - realização dos Programas de Qualidade de Vida incluindo: programa anual de vacinação contra a gripe, rubéola e sarampo, programa de reeducação alimentar com os Vigilantes do Peso, campanhas periódicas de doação de sangue, de prevenção de AIDS, de cólon de útero e de avaliação visual; - revisão da Política de Benefícios com a implantação do benefício de Assistência Odontológica - Uniodonto (livre adesão); - qualificação dos colaboradores, por meios de treinamentos direcionados às necessidades (cursos técnicos); - patrocínio de Pós-graduação latu sensu em Gestão Empresarial promovida internamente pela Universidade UNIMED aos seus gestores (curso subsidiado em 50% pela empresa); - participação na Pesquisa Exame para edição das Melhores Empresas para se Trabalhar. Público Interno: Atuação da Central Nacional Unimed A Central Nacional Unimed objetivou em 2003 a continuidade e melhoria de suas Políticas de Gestão de Pessoas/Recursos Humanos para tanto foram adotadas ou melhoradas as seguintes políticas: - continuidade da política de cargos e salários; - implantação do Programa de Avaliação de Desempenho; - implantação do Plano de Auto Desenvolvimento para lideranças; - planejamento estratégico com a metodologia Balanced Scorecard; - implantação do benefício de Assistência Odontológica; - desenvolvimento de projetos de qualidade de vida com a introdução da ginástica laboral; - continuidade do programa de orientação às gestantes, da vacinação contra gripe e de palestras nos dia dos Pais e no dia Internacional da Mulher; - qualificação dos colaboradores, por meio de treinamentos técnicos e comportamentais; - pós-graduação Latu Sensu em Gestão Empresarial promovida internamente pela Universidade Unimed. Público Interno: Atuação da Unimed Seguros Síntese de alguns projetos desenvolvidos: - implantação do Sistema de Gestão da Qualidade ISO 9001:2000; Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 44 Relatório da Política Nacional de Responsabilidade Social do Sistema Unimed 45

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA Área de Atuação 1. Formação Profissional Cooperativista São ações voltadas à formação, qualificação e capacitação dos associados,

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Sul Mineira 1 Índice Política de Sustentabilidade Unimed Sul Mineira Mas o que é Responsabilidade Social? Premissas Básicas Objetivos da Unimed Sul Mineira Para a Saúde Ambiental

Leia mais

DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA

DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA Lei 5764/71 de 16/12/1971 COOPERATIVA DE 3º GRAU CONFEDERAÇÃO COOPERATIVA DE 2º GRAU FEDERAÇÃO OU CENTRAL COOPERATIVA DE 1º GRAU

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS Gestão de Administração e Finanças Gerência de Desenvolvimento Humano e Responsabilidade Social Junho/2014 Desenvolvimento Sustentável Social Econômico

Leia mais

NÚCLEO CONSTRUÇÃO E CIDADANIA DO SICEPOT-MG

NÚCLEO CONSTRUÇÃO E CIDADANIA DO SICEPOT-MG NÚCLEO CONSTRUÇÃO E CIDADANIA DO SICEPOT-MG SICEPOT-MG CONSTRUINDO UM MUNDO MELHOR O Núcleo Construção e Cidadania foi criado em 1995 para coordenar, planejar e executar as ações de Responsabilidade Social

Leia mais

XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica

XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica Mesa-Redonda: Responsabilidade Social Empresarial 23-24 de Novembro de 2006 Mário Páscoa (Wyeth/ Painel Febrafarma) E-mail: pascoam@hotmail.com

Leia mais

Questionário para Instituidoras

Questionário para Instituidoras Parte 1 - Identificação da Instituidora Base: Quando não houver orientação em contrário, a data-base é 31 de Dezembro, 2007. Dados Gerais Nome da instituidora: CNPJ: Endereço da sede: Cidade: Estado: Site:

Leia mais

Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade FGR: Gustavo:

Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade FGR: Gustavo: Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade Entrevista cedida à FGR em Revista por Gustavo de Faria Dias Corrêa, Secretário de Estado de Esportes e da Juventude de Minas Gerais. FGR: A Secretaria

Leia mais

PROJETO MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA: CONVIVÊNCIA, CIDADANIA, SAÚDE E LAZER

PROJETO MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA: CONVIVÊNCIA, CIDADANIA, SAÚDE E LAZER SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA AGROTÉCNICA FEDERAL DE UBERLÂNDIA Fazenda Sobradinho, s/ nº, Município de Uberlândia, CEP: 38.400-974, telefone: (34) 3233-8800 Fax: (34) 3233-8833,

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade 2014

Relatório de Sustentabilidade 2014 1 Relatório de Sustentabilidade 2014 2 Linha do Tempo TAM VIAGENS 3 Política de Sustentabilidade A TAM Viagens uma Operadora de Turismo preocupada com a sustentabilidade, visa fortalecer o mercado e prover

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Síntese O Compromisso ALIANSCE para a Sustentabilidade demonstra o nosso pacto com a ética nos negócios, o desenvolvimento das comunidades do entorno de nossos empreendimentos,

Leia mais

Núcleo Regional de Rio Branco do Sul

Núcleo Regional de Rio Branco do Sul Núcleo Regional de Rio Branco do Sul Municípios participantes Adrianópolis Bocaiúva do Sul Cerro Azul Doutor Ulysses Rio Branco do Sul Tunas do Paraná Itaperuçu Campo Magro Colombo Almirante Tamandaré

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Banco Cooperativo Sicredi S.A. Versão: Julho/2015 Página 1 de 1 1 INTRODUÇÃO O Sicredi é um sistema de crédito cooperativo que valoriza a

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras

Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras 1. Introdução O Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras foi idealizado pelo Conselho Gestor da Escola,

Leia mais

:: LINHAS DE AÇÃO. Apoio aos Municípios. Tecnologia e Informação em Resíduos. Promoção e Mobilização Social. Capacitação

:: LINHAS DE AÇÃO. Apoio aos Municípios. Tecnologia e Informação em Resíduos. Promoção e Mobilização Social. Capacitação :: LINHAS DE AÇÃO Apoio aos Municípios Tecnologia e Informação em Resíduos Capacitação Promoção e Mobilização Social :: PRESSUPOSTOS DA COLETA SELETIVA Gestão participativa Projeto de Governo Projeto da

Leia mais

NOVA ATITUDE SOCIAL PARA A SUSTENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO

NOVA ATITUDE SOCIAL PARA A SUSTENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO Maio 2005 NOVA ATITUDE SOCIAL PARA A SUSTENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO Uma empresa cidadã tem direitos e deveres, assim como qualquer indivíduo. Trata-se de uma consciência crítica que nasce a partir do respeito

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I Da Finalidade. CAPÍTULO II Dos Princípios, Objetivos e Metas Seção I Dos Princípios

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I Da Finalidade. CAPÍTULO II Dos Princípios, Objetivos e Metas Seção I Dos Princípios LEI N. 1.343, DE 21 DE JULHO DE 2000 Institui a Política Estadual do Idoso - PEI e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que a Assembléia Legislativa do Estado

Leia mais

PREMIER AMBIENTAL COMUNICAÇÃO DE PROGRESSO PACTO GLOBAL ONU - 2015 COMUNICAÇÃO DE PROGRESSO 1

PREMIER AMBIENTAL COMUNICAÇÃO DE PROGRESSO PACTO GLOBAL ONU - 2015 COMUNICAÇÃO DE PROGRESSO 1 COMUNICAÇÃO DE PROGRESSO PACTO GLOBAL ONU - 2015 COMUNICAÇÃO DE PROGRESSO 1 PERFIL DA EMPRESA A Premier Ambiental é uma empresa de Consultoria em Gerenciamento de Requisitos Legais, implantação e manutenção

Leia mais

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO 30.1. O comércio e a indústria, inclusive as empresas transnacionais,

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

Relatório de Comunicação e Engajamento COE Instituto Venturi Para Estudos Ambientais

Relatório de Comunicação e Engajamento COE Instituto Venturi Para Estudos Ambientais Relatório de Comunicação e Engajamento COE Instituto Venturi Para Estudos Ambientais Declaração de Apoio Continuo da Presidente 23/10/2015 Para as partes interessadas: É com satisfação que comunicamos

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 Candidato Gilmar Ribeiro de Mello SLOGAN: AÇÃO COLETIVA Página 1 INTRODUÇÃO Considerando as discussões realizadas com a comunidade interna

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo Projeto Amplitude Plano de Ação 2015 P r o j e t o A m p l i t u d e R u a C a p i t ã o C a v a l c a n t i, 1 4 7 V i l a M a r i a n a S ã o P a u l o 11 4304-9906 w w w. p r o j e t o a m p l i t u

Leia mais

visitas às instituições sociais. Os colaboradores voluntários também foram consultados, por meio da aplicação de um questionário.

visitas às instituições sociais. Os colaboradores voluntários também foram consultados, por meio da aplicação de um questionário. 1. Apresentação O Voluntariado Empresarial é um dos canais de relacionamento de uma empresa com a comunidade que, por meio da atitude solidária e proativa de empresários e colaboradores, gera benefícios

Leia mais

O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas.

O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas. O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas. Quando o campo se expande, mais profissionais chegam ao mercado, mais áreas de atuação se formam e a categoria conquista mais visibilidade.

Leia mais

POLÍTICAS DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS APRESENTAÇÃO

POLÍTICAS DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS APRESENTAÇÃO POLÍTICAS DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS APRESENTAÇÃO A universidade vivencia, em seu cotidiano, situações de alto grau de complexidade que descortinam possibilidades, mas também limitações para suas

Leia mais

SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL -Principais serviços que a Assistência Social possui para atendimento de idosos: - Proteção Social Básica (atendimento preventivo) - Centro de Convivência do Idoso - atualmente

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS INTRODUÇÃO Com base no Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais - REHUF, destinado à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes

Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes Elaborada pela Diretoria de Assuntos Estudantis 1 1 Esta minuta será apreciada pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa e Extensão nos dias

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013

PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013 PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013 Institui as diretrizes gerais de promoção da saúde do servidor público federal, que visam orientar os órgãos e entidades do Sistema de Pessoal Civil da Administração

Leia mais

INSTITUTO METROPOLITANO DE ENSINO SUPERIOR NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO EM EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

INSTITUTO METROPOLITANO DE ENSINO SUPERIOR NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO EM EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE ATIVIDADES COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES A partir das Diretrizes Curriculares dos Cursos de Graduação do Ministério da Educação, as Atividades Complementares passaram a figurar como importante componente dos Cursos Superiores

Leia mais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos, 18 Compromissos A criança e o adolescente no centro da gestão municipal O Estatuto

Leia mais

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM)

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) A extensão é o processo educativo, cultural e científico que articula, amplia, desenvolve e reforça o ensino e a pesquisa,

Leia mais

Transformando o presente, construindo o amanhã.

Transformando o presente, construindo o amanhã. Transformando o presente, construindo o amanhã. Primeira sede em 1988 História No dia 23 de novembro de 1988, a Fundação Belgo-Mineira foi oficialmente constituída, a fim de promover ações de marketing

Leia mais

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da - 1 - Prêmio CNSeg 2012 Empresa: Grupo Segurador BBMAPFRE Case: Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE Introdução A Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE foi concebida em 2009 para disseminar o conceito

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

Prefeitura Municipal de Botucatu

Prefeitura Municipal de Botucatu I- Identificação: Projeto Empresa Solidária II- Apresentação : O Fundo Social de Solidariedade é um organismo da administração municipal, ligado ao gabinete do prefeito, que atua em diversos segmentos

Leia mais

Implementação de Centro de Reabilitação para Dependentes Químicos; Criação de Consultório Odontológico no PSF de Itapema do Norte;

Implementação de Centro de Reabilitação para Dependentes Químicos; Criação de Consultório Odontológico no PSF de Itapema do Norte; PROPOSTA DE GOVERNO ITAPOÁ SC * 2013-2016 A presente proposta de governo é apresentada em linha gerais, com a finalidade de compor o acervo documental para o pedido de registro de candidatura aos cargos

Leia mais

Projetos Sociais da Faculdade Campo Real CIDADANIA REAL 1. O que é o projeto? 2. Em que consistem as atividades do projeto?

Projetos Sociais da Faculdade Campo Real CIDADANIA REAL 1. O que é o projeto? 2. Em que consistem as atividades do projeto? Projetos Sociais da Faculdade Campo Real A promoção da cidadania é qualidade de toda instituição de ensino consciente de sua relevância e capacidade de atuação social. Considerando a importância da Faculdade

Leia mais

Mapa da Educação Financeira no Brasil

Mapa da Educação Financeira no Brasil Mapa da Educação Financeira no Brasil Uma análise das iniciativas existentes e as oportunidades para disseminar o tema em todo o País Em 2010, quando a educação financeira adquire no Brasil status de política

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 Instituto Lojas Renner Instituto Lojas Renner Promover a inserção de mulheres no mercado de trabalho por meio de projetos de geração de renda é o objetivo do Instituto Lojas

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES

ATIVIDADES COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES A partir das Diretrizes Curriculares, as Atividades Complementares constituem-se, também, em um dos componentes dos Cursos Superiores. As Diretrizes Curriculares objetivam servir

Leia mais

9, 16 e 23 de outubro. www.mackenzievoluntario.com.br. No Mackenzie, o bem faz bem há 140 anos 1

9, 16 e 23 de outubro. www.mackenzievoluntario.com.br. No Mackenzie, o bem faz bem há 140 anos 1 9, 16 e 23 de outubro www.mackenzievoluntario.com.br No Mackenzie, o bem faz bem há 140 anos 1 O Projeto O Mackenzie Voluntário é um projeto de voluntariado que visa à prática da cidadania por meio do

Leia mais

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional*

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* 1. Natureza do mestrado profissional A pós-graduação brasileira é constituída, atualmente, por dois eixos claramente distintos: o eixo acadêmico, representado

Leia mais

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS. Gestão de Administração e Finanças Gerência de Gestão de Pessoas

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS. Gestão de Administração e Finanças Gerência de Gestão de Pessoas PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS Gestão de Administração e Finanças Gerência de Gestão de Pessoas Desenvolvimento Sustentável Social Econômico Ambiental Lucro Financeiro Resultado Social

Leia mais

ATIVIDADES JUNTO AO TERCEIRO SETOR

ATIVIDADES JUNTO AO TERCEIRO SETOR ATIVIDADES JUNTO AO TERCEIRO SETOR cenário geral de organizacão ORÍGENS DO COOPERATIVISMO COMUNIDADE UNIMED ASSOCIAÇÃO NEGÓCIO (EMPRESA) PLANO DE SAÚDE MERCADO (COMUNIDADE) RESPONSABILIDADE SOCIAL cenário

Leia mais

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO Programa de Educação Ambiental Interno Condicionante 57 LO 417/2010 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 05 3. REGULAMENTO APLICÁVEL 06 3.1. FEDERAL

Leia mais

AVALIAÇÃO PARA MELHORIA DA QUALIDADE DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA. Apresentação Geral, Objetivos e Diretrizes

AVALIAÇÃO PARA MELHORIA DA QUALIDADE DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA. Apresentação Geral, Objetivos e Diretrizes AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA PROJETO AVALIAÇÃO PARA MELHORIA DA QUALIDADE DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA Apresentação Geral, Objetivos e Diretrizes Outubro de 2005 Justificativa A grande expansão da estratégia

Leia mais

XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015

XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015 XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015 Modelo 2: resumo expandido de relato de experiência Resumo expandido O Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São

Leia mais

Voluntariado nas Organizações de Terceiro Setor Marisa Seoane Rio Resende *

Voluntariado nas Organizações de Terceiro Setor Marisa Seoane Rio Resende * Voluntariado nas Organizações de Terceiro Setor Marisa Seoane Rio Resende * Voluntariado é a expressão da participação da sociedade na vida pública mais significativa da atualidade. Os movimentos de participação

Leia mais

Sua empresa é CIDADÃ?

Sua empresa é CIDADÃ? Sua empresa é CIDADÃ? A Câmara de Comércio e Indústria do Estado do Rio de Janeiro (CAERJ) em uma iniciativa inédita está compilando informações corporativas de todos os segmentos: indústria, comércio

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

RESPONSÁVEIS RELAÇÕES

RESPONSÁVEIS RELAÇÕES Para a Patrus Transportes, atuar de forma responsável significa valorizar as pessoas. Essa relação começa no ambiente interno e se estende a todos os stakeholders da empresa, como clientes, fornecedores,

Leia mais

INVESTIMENTO SOCIAL. Agosto de 2014

INVESTIMENTO SOCIAL. Agosto de 2014 INVESTIMENTO SOCIAL Agosto de 2014 INVESTIMENTO SOCIAL Nós promovemos o desenvolvimento sustentável de diversas maneiras Uma delas é por meio do Investimento Social INVESTIMENTO INVESTIENTO SOCIAL - Estratégia

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE Prioritária 1: Manter o incentivo aos Programas do Núcleo Apoio da Saúde da Família

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: Por um MP mais eficiente

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: Por um MP mais eficiente PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: Por um MP mais eficiente Natal, 2011 1. Quem somos 2. Histórico da Gestão Estratégica 3. Resultados práticos 4. Revisão

Leia mais

COORDENAÇÃO. ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA

COORDENAÇÃO. ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA COORDENAÇÃO ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA Ministério Público - Procuradoria Regional dos Direitos

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

PARECER COREN-SP 028/2014 CT PRCI n 100.954 Ticket n 280.428, 282.601, 283.300, 283.647, 284.499, 287.181, 290.827, 299.421

PARECER COREN-SP 028/2014 CT PRCI n 100.954 Ticket n 280.428, 282.601, 283.300, 283.647, 284.499, 287.181, 290.827, 299.421 PARECER COREN-SP 028/2014 CT PRCI n 100.954 Ticket n 280.428, 282.601, 283.300, 283.647, 284.499, 287.181, 290.827, 299.421 Ementa: Realização de treinamentos, palestras, cursos e aulas por profissionais

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Inscrição Prêmio ABF-AFRAS - Categoria Fornecedor

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Inscrição Prêmio ABF-AFRAS - Categoria Fornecedor PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Inscrição Prêmio ABF-AFRAS - Categoria Fornecedor Dados da empresa Razão Social: Visa do Brasil Empreendimentos Ltda. Nome Fantasia:

Leia mais

A ABEMD trabalha para incentivar, valorizar, desenvolver e difundir o Marketing Direto no Brasil.

A ABEMD trabalha para incentivar, valorizar, desenvolver e difundir o Marketing Direto no Brasil. A ABEMD, Associação Brasileira de Marketing Direto, é uma entidade civil, sem fins lucrativos, fundada em 1976 e constituída por pessoas jurídicas e físicas interessadas na aplicação de estratégias e técnicas

Leia mais

PROPOSTAS PARA O ESTADO BRASILEIRO - NÍVEIS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL

PROPOSTAS PARA O ESTADO BRASILEIRO - NÍVEIS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL PROPOSTAS PARA O ESTADO BRASILEIRO - NÍVEIS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL MEDIDAS CONCRETAS PARA O ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NO ÂMBITO DOMÉSTICO/FAMILIAR A presente Matriz insere-se no

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS Art. 1. A Política de Assistência Estudantil da Pós-Graduação da UFGD é um arcabouço de princípios e diretrizes

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014 A CPA (Comissão Própria De Avaliação) apresentou ao MEC, em março de 2015, o relatório da avaliação realizada no ano de 2014. A avaliação institucional, realizada anualmente, aborda as dimensões definidas

Leia mais

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI A implementação do Plano de Desenvolvimento Institucional, envolve além dos objetivos e metas já descritos, o estabelecimento de indicadores, como forma de se fazer o

Leia mais

NÚCLEO TÉCNICO FEDERAL

NÚCLEO TÉCNICO FEDERAL NÚCLEO TÉCNICO FEDERAL Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte PPCAAM Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente Secretaria de Direitos Humanos Presidência

Leia mais

Esporte, Paz e Desenvolvimento Humano

Esporte, Paz e Desenvolvimento Humano Encontro de Capacitação Programa Segundo Tempo Esporte, Paz e Desenvolvimento Humano Brasília, 12 de abril de 2007 O Esporte no contexto das ações da UNESCO A ONU incumbiu a UNESCO de coordenar o tratamento

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

SEMEAR Serviço Médico Educacional de Atendimento em Reabilitação, uma entidade considerada de utilidade Pública Federal, com data de fundação em 12 de Outubro de 1985, foi registrado como Associação Civil

Leia mais

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003 Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC ATRIBUIÇÕES DOS GESTORES ESCOLARES DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO VERSÃO PRELIMINAR SALVADOR MAIO/2003 Dr. ANTÔNIO JOSÉ IMBASSAHY DA SILVA Prefeito

Leia mais

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013 UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013 O UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, a Organização mundial pioneira na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, convida profissionais

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Projeto de Implantação e Implementação da Responsabilidade Socioambiental na Indústria

Mostra de Projetos 2011. Projeto de Implantação e Implementação da Responsabilidade Socioambiental na Indústria Mostra de Projetos 2011 Projeto de Implantação e Implementação da Responsabilidade Socioambiental na Indústria Mostra Local de: Umuarama Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados

Leia mais

São Paulo, 25 de abril de 2013.

São Paulo, 25 de abril de 2013. São Paulo, 25 de abril de 2013. Discurso do diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania, Luiz Edson Feltrim, na SME Banking Conference 2013 1 Dirijo saudação especial a Sra. Ghada Teima, IFC Manager

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades

Leia mais

e construção do conhecimento em educação popular e o processo de participação em ações coletivas, tendo a cidadania como objetivo principal.

e construção do conhecimento em educação popular e o processo de participação em ações coletivas, tendo a cidadania como objetivo principal. Educação Não-Formal Todos os cidadãos estão em permanente processo de reflexão e aprendizado. Este ocorre durante toda a vida, pois a aquisição de conhecimento não acontece somente nas escolas e universidades,

Leia mais

APRESENTAÇÃO. O Centro de Referência do Idoso da Zona Norte - CRI Norte (OSS/ACSC), tem a satisfação de apresentar-lhe o Manual de Parceria 2015.

APRESENTAÇÃO. O Centro de Referência do Idoso da Zona Norte - CRI Norte (OSS/ACSC), tem a satisfação de apresentar-lhe o Manual de Parceria 2015. APRESENTAÇÃO O Centro de Referência do Idoso da Zona Norte - CRI Norte (OSS/ACSC), tem a satisfação de apresentar-lhe o Manual de Parceria 2015. Seja parceiro de um serviço que é referência em geriatria

Leia mais

Roteiro para orientar o investimento social privado na comunidade 1

Roteiro para orientar o investimento social privado na comunidade 1 Roteiro para orientar o investimento social privado na comunidade 1 O IDIS Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social é uma organização da sociedade civil de interesse público, que tem como

Leia mais

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO Introdução Escopo A Carta de Bangkok identifica ações, compromissos e promessas necessários para abordar os determinantes da saúde em

Leia mais

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII)

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII) PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO Secretaria-Executiva Diretoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional Plano de Integridade Institucional (PII) 2012-2015 Apresentação Como

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

Câmara Municipal de Barueri. Conheça a Norma SA8000. Você faz parte!

Câmara Municipal de Barueri. Conheça a Norma SA8000. Você faz parte! Câmara Municipal de Barueri Conheça a Norma SA8000 Você faz parte! O que é a Norma SA 8000? A SA 8000 é uma norma internacional que visa aprimorar as condições do ambiente de trabalho e das relações da

Leia mais

PLANO DE TRABALHO 2008

PLANO DE TRABALHO 2008 PLANO DE TRABALHO 2008 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1.1. NOME DA ENTIDADE: Casa de Nazaré Centro de Apoio ao Menor 1.2. Endereço: Rua Coronel Timóteo nº 350 1.3. Bairro: Cristal 1.4. Região CORAS: 05 1.5.

Leia mais

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ATRIBUIÇÕES DO MÉDICO I- Realizar consultas clínicas aos usuários de sua área adstrita; II- Participar das atividades de grupos de controle

Leia mais

2009, um ano de grandes realizações e conquistas

2009, um ano de grandes realizações e conquistas 2009, um ano de grandes realizações e conquistas 2009 foi um ano de grandes realizações e conquistas para o Serviço Social da Indústria (SESI), entidade que integra o Sistema Federação das Indústrias no

Leia mais

Seminário Em Busca da Excelência 2008

Seminário Em Busca da Excelência 2008 Seminário Em Busca da Excelência 2008 IEL/SC - Implementação de sistema de gestão com base nos fundamentos da excelência Natalino Uggioni Maio, 2008 1 IEL em Santa Catarina Integrante da FIESC Federação

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013 Relatório Despertar 2013 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

N REQUISITOS OBSERVAÇÕES

N REQUISITOS OBSERVAÇÕES N REQUISITOS OBSERVAÇÕES 01 02 03 04 05 06 07 A - MANUTENÇÃO E SUPORTE A empresa fornece produto de software com Verificar se a empresa fornece manual do produto (instalação), documentação de suporte ao

Leia mais

PORTARIA Nº 1.944, DE 27 DE AGOSTO DE 2009

PORTARIA Nº 1.944, DE 27 DE AGOSTO DE 2009 PORTARIA Nº 1.944, DE 27 DE AGOSTO DE 2009 Institui no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Abril de 2012 Página 1 de 11 Sumário Introdução 3 Justificativa 5 Objetivos 6 Metodologia 7 Dimensões de

Leia mais

Categoria Franqueador Sênior

Categoria Franqueador Sênior PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2013 Dados da empresa FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueador Sênior Razão Social: Sorridents Franchising Ltda. Nome fantasia: Sorridents Clinicas Odontológicas.

Leia mais