SOROCABA - DADOS ESTATÍSTICOS SOBRE ACIDENTES DE TRÂNSITO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SOROCABA - DADOS ESTATÍSTICOS SOBRE ACIDENTES DE TRÂNSITO"

Transcrição

1 1 / 10 APRESENTAÇÃO INTRODUÇÃO Segundo dados apurados através do Censo - IBGE, Sorocaba possuia uma população de habitantes no ano de 2010, com uma taxa de crescimento vegetativo de aproximadamente 1,8% ao ano. A frota veicular referente à Dezembro de 2010 registrava veículos e sustentava uma taxa de evolução média de 8,4% a.a., com base no período compreendido entre os anos 2000 a Estima-se que a frota flutuante gire em torno de 15% de veículos provenientes de outros municípios, principalmente dos vizinhos, que utilizam-se diariamente do sistema viário urbano e das rodovias locais, intermunicipais e interestaduais, onde processam-se diariamente milhares de deslocamentos de pessoas e mercadorias. Desde 1997 a administração municipal investe na gestão do trânsito, por meio da Secretaria de Transportes. Cabe lembrar que, o advento do Código de Trânsito Brasileiro - CTB, sancionado pelo então presidente da República Fernando Henrique Cardoso, no dia 23 de setembro, conforme lei 9.503, com vigência determinada para o ano seguinte (janeiro 1998), passou a competência da gestão do trânsito para os municípios. Entretanto, em 1997, Sorocaba já contava com seu órgão gestor, considerado entre poucos, como município pioneiro na gestão do tema. Em 1998, a cidade foi inscrita no Sistema Nacional de Trânsito SNT, Portaria n.º 50, e desde então vem operando, planejando e fiscalizando o trânsito através de sua Secretaria de Trânsito. OBJETIVOS DO CADASTRO DE ACIDENTES DE TRÂNSITO Os dados são processados e servem como subsídios para melhorar as condições de fluidez do tráfego urbano, através da aplicação de medidas de engenharia e campanhas de educação para o trânsito, com vistas a prosperar os níveis de qualidade de vida através da redução dos índices de acidentes no trânsito.

2 2 / 10 SOBRE AS INFORMAÇÕES DEFINIÇÕES BÁSICAS TRÂNSITO: é ação de passagem de pedestres, animais e veículos, de qualquer natureza, por vias terrestres, aquáticas e aéreas abertas à circulação pública. É um termo utilizado especialmente para definir a circulação rodoviária urbana e rural; ou seja: o trânsito ocorre quando nos deslocamos ou nos movimentamos pelas ruas. ACIDENTE DE TRÂNSITO: Evento ocorrido na via pública, inclusive calçadas, decorrente do trânsito de veículos e pessoas, que resulta em danos humanos ou materiais. Compreende colisões entre veículos, choques com objetos fixos, capotamentos, tombamentos, atropelamentos e queda de pedestres e ciclistas. ACIDENTE DE TRÂNSITO SEM VÍTIMA(S) FERIDA(S) - DANOS MATERIAIS: É um acidente de trânsito em que nenhuma das pessoas envolvidas sofreu ferimentos. ACIDENTE DE TRÂNSITO COM VÍTIMA(S) FERIDA(S): É um acidente de trânsito que resulta em ferimento de pelo menos uma pessoa, não causando morte a nenhuma delas. ACIDENTE DE TRÂNSITO COM VÍTIMA(S) FATAL(S): É um acidente de trânsito que resulta em morte de pelo menos uma vítima, no local do acidente ou, posteriormente, em sua conseqüência. EMBASAMENTO DO TRABALHO Código de Trânsito Brasileiro - CTB Lei nº 9.503, de 23 de Setembro de Artigo 22 - Parágrafo IX "coletar dados estatísticos e elaborar estudos sobre acidentes de trânsito e suas causas" CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES Os dados dispostos neste trabalho constituem uma relevante amostra das informações processadas pelo setor de Cadastro e Estatística da URBES; Apenas dados de acidentes provenientes da Polícia Militar, através dos Boletins de Ocorrência, são utilizados neste resumo; As informações demonstradas, embora já processadas e validadas, podem ser atualizadas futuramente pelo setor de Cadastro e Estatística. Não compete a este resumo disponibilizar dados sobre todos os Acidentes de Transportes e sim apenas os referentes aos Acidentes de Transporte Terrestres, âmbito municipal, que haja possibilidade de interseção por parte dos órgãos responsáveis, denominados aqui simplesmente como Acidentes de Trânsito.

3 Veículos 3 / 10 FROTA VEICULAR Evolução da frota veicular no município Todas as Categorias Participação das Motocicletas ,26% 12,64% 12,81% 13,16% 13,72% 14,32% 14,95% 15,66% 16,55% 17,95% 18,81% 19,47% 19,49% 19,47% Anos Fonte: DETRAN. O grupo 'Motocicletas' abrange os tipos 'Ciclomotores','Motonetas','Monociclos','Triciclos' e 'Quadriciclos'.

4 Índice de Acidentes 4 / 10 ÍNDICE DE ACIDENTES 600,0 500,0 400,0 300,0 200,0 100,0 Evolução do índice de acidentes para 10 mil veículos da frota 525,5 501,6 462,3 454,5 455,1 408,1 386,3 390,3 343,0 356,4 323,8 333,3 341,9 321,7 303,6 304,6 284,5 255,3 232,3 203,0 201,5 211,8 113,4 115,5 117,7 129,6 121,0 105,2 100,1 108,2 99,8 102,1 108,6 ASV ACV ACO TOTAL 289,8 272,2 197,7 184,4 91,2 87,2 0,0 1,9 1,9 1,6 1,1 0,9 0,6 1,0 1,4 0,9 0,9 1,3 0,9 0, Anos Legenda: ASV - Acid. Sem Vítima(s) Ferida(s) / ACV - Acid. Com Vítima(s) Ferida(s) / ACO - Acid. Com Vítima(s) Fatal(is) OBS: A tabela abaixo do gráfico exibe o total de acidentes segundo a natureza da ocorrência.

5 Tipologia 5 / 10 TIPOLOGIA DOS ACIDENTES Acidentes registrados segundo a tipologia - Ano 2010 TOTAL Tombamento Sequência Queda Outro Indeterminado Engavetamento Colisão Traseira Colisão Transversal Colisão N/E Colisão Lateral Colisão Frontal Choque Capotamento Atropelamento Pedestre Atropelamento Animal Abalroamento ,7% Colisões 67,3% Total de Acidentes Gráfico com escala logarítmica (base 10).

6 Total de Acidentes 6 / 10 COMPARATIVO DE ENVOLVIMENTO Comparativo do total de acidentes segundo classificação dos envolvidos - Triênio Pedestres Motociclistas Ciclistas Pelo menos 1 PEDESTRE é acidentado a cada 21 acidentes de trânsito registrados Em média 7 MOTOCICLISTAS se envolvem em Acidentes de Trânsito por dia Aproximadamente a cada 43 horas um CICLISTA se acidenta no município Anos OBS: O total de acidentes ocorridos com estas três categorias de envolvidos não deve ser somado, pois elas podem co-existir na mesma ocorrência (um pedestre e um motociclista no mesmo acidente, por exemplo). O total de pedestres inclui todos os tipos de acidentes registrados no sistema, não apenas 'Atropelamentos'.

7 Taxa 7 / 10 OCUPAÇÃO E MOTORIZAÇÃO Taxas de ocupação veicular e motorização 3,50 3,00 2,50 2,78 2,80 2,76 2,68 2,56 2,48 2,41 2,33 2,35 2,23 2,11 1,98 1,88 1,73 2,00 1,50 Taxa de Ocupação Veicular (pessoas por veículo) Taxa de Motorização (veículos por pessoa) 1,00 0,50 0,36 0,36 0,36 0,37 0,39 0,40 0,41 0,43 0,43 0,45 0,47 0,50 0,53 0,58 0, Anos Dados da frota oriundos do DETRAN e da população estipulados com base no IBGE.

8 Total de Envolvidos 8 / 10 SEVERIDADE DAS LESÕES 0,9 0,8 0,7 0,6 Severidade das lesões sofridas pelos envolvidos nos acidentes - Triênio 79,3% TOTAL DE ENVOLVIDOS 75,5% 64,6% ,5 0, ,3 0,2 0,1 0 10,6% 18,6% 16,1% 23,2% 1,2% 2,2% 3,5% 1,8% 0,0% 0,0% 1,5% 1,2% 0,3% 0,2% 0,1% Ilesos Ferimento Leve Ferimento Grave Gravidade Indeterminada Ferimento Não Confirmado Gravidade Ferimento Fatal O gráfico acima exibe a participação de cada tipo de lesão no total de vítimas registradas. OBS: Até o ano de 2010 a metodologia de coleta não abrangia a classificação 'Gravidade Indeterminada', por isso seu total em 2008 e 2009 corresponde a 0.

9 Total de Acidentes 9 / 10 DISTRIBUIÇÃO SEMANAL Distribuição dos acidentes por dia da semana - Triênio Fim de Semana: 24,1% 0 Segunda-Feira Terça-Feira Quarta-Feira Quinta-Feira Sexta-Feira Sábado Domingo Dia da Semana

10 Total de Acidentes 10 / 10 PERIDIOCIDADE DIÁRIA Distribuição dos acidentes por período do dia - Triênio 3701 Madrugada 3496 Manhã Tarde Noite Anos OBS: Um (1) acidente registrado de 2009 não possui o horário determinado com precisão, não sendo computado no gráfico acima.

BLOCO DO BAFÔMETRO NAS RODOVIAS

BLOCO DO BAFÔMETRO NAS RODOVIAS BLOCO DO BAFÔMETRO NAS RODOVIAS Brasília, 07 de fevereiro - A Polícia Rodoviária Federal vai intensificar ainda mais a fiscalização de embriaguez ao volante durante a operação Carnaval, que começa à zero

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA ESTADUAL DE DEFESA SOCIAL DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DETRAN/AL

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA ESTADUAL DE DEFESA SOCIAL DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DETRAN/AL RELATÓRIO COMPARATIVO DE ACIDENTES DE TRÂNSITO DADOS REFERENTES AO DETRAN-AL, POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL (PRF), DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM (DER), BATALHÃO DE POLICIAMENTO RODOVIÁRIO (BPRv) E AO

Leia mais

Evolução do número de mortes no trânsito em São Paulo

Evolução do número de mortes no trânsito em São Paulo Nota Técnica 232 2014 Evolução do número de mortes no trânsito em São Paulo Max Ernani Borges De Paula Banco de dados de vítimas dos acidentes de trânsito fatais A Companhia de Engenharia de Tráfego realiza

Leia mais

GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA: UNIDAS PELO TRÂNSITO DE JATAÍ NO INTUITO DE CONTRIBUIR COM O ENSINO NAS ESCOLAS.

GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA: UNIDAS PELO TRÂNSITO DE JATAÍ NO INTUITO DE CONTRIBUIR COM O ENSINO NAS ESCOLAS. GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA: UNIDAS PELO TRÂNSITO DE JATAÍ NO INTUITO DE CONTRIBUIR COM O ENSINO NAS ESCOLAS. FREITAS, Vanessa G 1 ; ROCHA, Paulo R 1 ;JESUS, Uerlei 1 ; SILVA, Gecirlei F. 2 PALAVRAS CHAVES:

Leia mais

ÍNDICE DE ACIDENTES NO PERÍMETRO URBANO DE CÁCERES

ÍNDICE DE ACIDENTES NO PERÍMETRO URBANO DE CÁCERES ÍNDICE DE ACIDENTES NO PERÍMETRO URBANO DE CÁCERES Rodrigo Barretto Vila 1 RESUMO Glaidson de Souza Pezavento Tatiani Nascimento Santos Miriam Nascimento Santos Ashley da Silva Costa 2 Com a finalidade

Leia mais

Celso Alves Mariano Diretor de Educação de Trânsito SETRAN Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba

Celso Alves Mariano Diretor de Educação de Trânsito SETRAN Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba Celso Alves Mariano Diretor de Educação de Trânsito SETRAN Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba Estratrégia líderes comunitários: reuniões nas 9 Regionais: Ø seduzir e convencer os líderes comunitários

Leia mais

CARTILHA DE TRÂNSITO. Dicas para você viver mais e melhor!

CARTILHA DE TRÂNSITO. Dicas para você viver mais e melhor! CARTILHA DE TRÂNSITO Dicas para você viver mais e melhor! Este material foi concebido pela SBOT Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia com o intuito de ser um agente expressivo na prevenção

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DAS INTERSEÇÕES CRÍTICAS DE ACIDENTES DE TRÂNSITO NA ÁREA URBANA DO MUNICÍPIO DE FOZ DO IGUAÇU NO ANO DE 2009 PR BRASIL GUILHERME JUPPA¹

IDENTIFICAÇÃO DAS INTERSEÇÕES CRÍTICAS DE ACIDENTES DE TRÂNSITO NA ÁREA URBANA DO MUNICÍPIO DE FOZ DO IGUAÇU NO ANO DE 2009 PR BRASIL GUILHERME JUPPA¹ IDENTIFICAÇÃO DAS INTERSEÇÕES CRÍTICAS DE ACIDENTES DE TRÂNSITO NA ÁREA URBANA DO MUNICÍPIO DE FOZ DO IGUAÇU NO ANO DE 2009 PR BRASIL GUILHERME JUPPA¹ 1 Acadêmico de Engenharia Civil, Centro de Tecnológicas,

Leia mais

Celso Alves Mariano Diretor de Educação de Trânsito SETRAN Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba

Celso Alves Mariano Diretor de Educação de Trânsito SETRAN Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba Celso Alves Mariano Diretor de Educação de Trânsito SETRAN Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba Ideias que salvam vidas em Curitiba! 9 Regionais: reúnem, de forma organizada, entidades e movimentos

Leia mais

INSTRUMENTO DE AUDITORIA DE SEGURANÇA VIÁRIA PARA PROJETOS RODOVIÁRIOS

INSTRUMENTO DE AUDITORIA DE SEGURANÇA VIÁRIA PARA PROJETOS RODOVIÁRIOS INSTRUMENTO DE AUDITORIA DE SEGURANÇA VIÁRIA PARA PROJETOS RODOVIÁRIOS Lucinei Tavares de Assuncao Michelle Andrade INSTRUMENTO DE AUDITORIA DE SEGURANÇA VIÁRIA PARA PROJETOS RODOVIÁRIOS Lucinei Tavares

Leia mais

LEI Nº 963, de 21 de julho de 2009.

LEI Nº 963, de 21 de julho de 2009. LEI Nº 963, de 21 de julho de 2009. Dispõe sobre a criação da Coordenadoria Municipal de Trânsito - CMT, órgão executivo de trânsito, vinculado à Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito, em conformidade

Leia mais

POR FAVOR, SEMPRE DESLIGUEM CELULARES e computadores!!! 2 o semestre de 2015

POR FAVOR, SEMPRE DESLIGUEM CELULARES e computadores!!! 2 o semestre de 2015 2º semestre de 2015 POR FAVOR, SEMPRE DESLIGUEM CELULARES e computadores!!! Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 2 0 semestre de 2015 Aula 1 A Engenharia

Leia mais

PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE E MOBILIDADE DE BAURU - PLANMOB

PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE E MOBILIDADE DE BAURU - PLANMOB PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE E MOBILIDADE DE BAURU - PLANMOB O QUE É O Plano Diretor de Transporte e da Mobilidade é um instrumento da política de desenvolvimento urbano, integrado ao Plano Diretor do município,

Leia mais

Distrito - VILA REAL. SINISTRALIDADE Dez de 2014. Observatório de Segurança Rodoviária 18-08-2015. Relatório - Distrito 1

Distrito - VILA REAL. SINISTRALIDADE Dez de 2014. Observatório de Segurança Rodoviária 18-08-2015. Relatório - Distrito 1 Distrito - VILA REAL SINISTRALIDADE Dez de 2014 Observatório de Segurança Rodoviária 1 ÍNDICE DEFINIÇÕES... 3 EVOLUÇÃO 2005-2014... 4 1. com... 4 2.... 5 ACIDENTES E VÍTIMAS... 6 1. e 2005/2014... 6 2.

Leia mais

LEI Nº 370, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 A CÂMARA MUNICIPAL DE CAFEARA APROVA E EU, PREFEITO DO MUNICÍPIO, SANCIONO A SEGUINTE LEI:

LEI Nº 370, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 A CÂMARA MUNICIPAL DE CAFEARA APROVA E EU, PREFEITO DO MUNICÍPIO, SANCIONO A SEGUINTE LEI: LEI Nº 370, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 Institui a Lei do Sistema Viário do Município de Cafeara, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE CAFEARA APROVA E EU, PREFEITO DO MUNICÍPIO, SANCIONO A SEGUINTE

Leia mais

SINALIZAÇÃO DO SISTEMA VIÁRIO MUNICIPAL

SINALIZAÇÃO DO SISTEMA VIÁRIO MUNICIPAL GERÊNCIA DE OPERAÇÕES VIÁRIAS TRANSERP Planejamento Viário SINALIZAÇÃO DO SISTEMA VIÁRIO MUNICIPAL Eng. José Antônio S. Gonçalves 2006 PLANEJAMENTO OPERACIONAL Cidade de RIBEIRÃO PRETO SP. PLANEJAMENTO

Leia mais

NOÇÃO DE ACIDENTE E INCIDENTE

NOÇÃO DE ACIDENTE E INCIDENTE FICHA TÉCNICA NOÇÃO DE ACIDENTE E INCIDENTE Níveis GDE Temas Transversais Síntese informativa Nível 1 Nível Atitudinal Tema 1 - Conhecimento de si próprio como Condutor; Tema 2 - Atitudes e Comportamentos

Leia mais

REDUÇÃO DE VELOCIDADE NAS MARGINAIS JILMAR TATTO

REDUÇÃO DE VELOCIDADE NAS MARGINAIS JILMAR TATTO REDUÇÃO DE VELOCIDADE NAS MARGINAIS JILMAR TATTO SECRETÁRIO MUNICIPAL DE TRANSPORTES DE SP JULHO 2015 MARGINAL TIETÊ (2014) ACIDENTES COM VÍTIMAS ATROPELAMENTOS MARGINAL PINHEIROS (2014) ACIDENTES COM

Leia mais

Segurança viária na Lomba do Pinheiro - Porto Alegre/RS.

Segurança viária na Lomba do Pinheiro - Porto Alegre/RS. Segurança viária na Lomba do Pinheiro - Porto Alegre/RS. Marcelo Hansen; Alessandra Andrea Both Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) Gerência de Planejamento de Trânsito Rua João Neves da

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE SEGURANÇA PÚBLICA DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO DO ESTADO DO PARÁ UNIDADE CENTRAL DE PLANEJAMENTO RELATÓRIO ESTATÍSTICO DE TRÂNSITO NO ESTADO DO PARÁ E MUNICÍPIO

Leia mais

PROGRAMA TÉMATICO: 6215 TRÂNSITO SEGURO

PROGRAMA TÉMATICO: 6215 TRÂNSITO SEGURO PROGRAMA TÉMATICO: 6215 TRÂNSITO SEGURO OBJETIVO GERAL: Reduzir os índices de acidentes com vítimas fatais em todo o Distrito Federal, aperfeiçoando a educação para o trânsito, a fiscalização, a engenharia

Leia mais

Seminário: Mobilidade Urbana e Transportes Públicos no Estado de São Paulo

Seminário: Mobilidade Urbana e Transportes Públicos no Estado de São Paulo : Mobilidade Urbana e Transportes Públicos no Estado de São Paulo Tema: Uma Agenda para a Mobilidade Urbana da Metrópole Planejamento Urbano, Mobilidade e Modos Alternativos de Deslocamento Engº Jaime

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 514, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 514, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 RESOLUÇÃO Nº 514, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 Dispõe sobre a Política Nacional de Trânsito, seus fins e aplicação, e dá outras providências. O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO CONTRAN, usando da competência

Leia mais

Parágrafo único. A instalação dos equipamentos e mobiliários referidos no art. 2º desta Lei deverá respeitar o direito à paisagem.

Parágrafo único. A instalação dos equipamentos e mobiliários referidos no art. 2º desta Lei deverá respeitar o direito à paisagem. LEI Nº 13.516, de 04 de outubro de 2005 Dispõe sobre a exploração da utilização e da comercialização, a título oneroso, das faixas de domínio e das áreas adjacentes às rodovias estaduais e federais delegadas

Leia mais

ANO de 2013. Sinistralidade Rodoviária. Observatório de Segurança Rodoviária 23-06-2014. Relatório - Anual

ANO de 2013. Sinistralidade Rodoviária. Observatório de Segurança Rodoviária 23-06-2014. Relatório - Anual ANO de Sinistralidade Rodoviária Observatório de Segurança Rodoviária -- ÍNDICE DEFINIÇÕES... EVOLUÇÃO GLOBAL.... Acidentes com : /... ACIDENTES E VÍTIMAS........... Acidentes Acidentes Acidentes Acidentes

Leia mais

Setor de Motocicletas

Setor de Motocicletas Setor de Motocicletas Produção anual: 1,6 milhões de unidades 5º maior produtor mundial Frota Nacional*: 20,7milhões (26% do total) Empregos gerados no segmento de motocicletas Diretos: 20 mil (fabricantes)

Leia mais

Distribuição dos pacientes vítimas de Acidente de Trânsito, segundo faixa etária na ocasião do acidente 20,0 16,6 19,4 11,3

Distribuição dos pacientes vítimas de Acidente de Trânsito, segundo faixa etária na ocasião do acidente 20,0 16,6 19,4 11,3 Os Acidentes de Trânsito foram responsáveis por um total de 799 internações nos hospitais SARAH-Brasília, SARAH-Salvador, SARAH-Belo Horizonte e SARAH-São Luís no período de 01/01/2009 a 30/06/2009, correspondendo

Leia mais

Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé

Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé Introdução Este material surge como resultado do acompanhamento das apresentações do Plano de Mobilidade

Leia mais

5 km/h a mais, uma vida a menos

5 km/h a mais, uma vida a menos 5 a mais, uma vida a menos Respeite os limites de velocidade www.fundacionmapfre.com.br O excesso de velocidade não acontece por acidente, é uma escolha. Na correria do dia-a-dia, vivemos apressados e,

Leia mais

Medidas para a Humanização do Tráfego. A Cidade que Queremos

Medidas para a Humanização do Tráfego. A Cidade que Queremos Medidas para a Humanização do Tráfego A Cidade que Queremos Objetivo Publicação com o objetivo de divulgar, junto aos municípios, soluções técnicas para a humanização do trânsito. Estrutura Introdução

Leia mais

ESTADO DO AMAZONAS CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS GABINETE DO VEREADOR EVERALDO FARIAS

ESTADO DO AMAZONAS CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS GABINETE DO VEREADOR EVERALDO FARIAS PROJETO DE LEI 087/2013. DISPÕE sobre medidas de seguranças para os pedestres, em frente às instituições de ensino público e privado de Manaus. Art. 1º. Obriga a implantação de sinalização de advertência,

Leia mais

Plano de Mobilidade Urbana Sustentável

Plano de Mobilidade Urbana Sustentável Viajeo Plus City Showcase in Latin America Plano de Mobilidade Urbana Sustentável Nívea Oppermann Peixoto, Ms Diretora de Desenvolvimento Urbano EMBARQ Brasil EMBARQ Brasil auxilia governos e empresas

Leia mais

Henrique Naoki Shimabukuro henrique@abramet.org.br

Henrique Naoki Shimabukuro henrique@abramet.org.br Henrique Naoki Shimabukuro henrique@abramet.org.br Leitura crítica da realidade social no trânsito A evolução do homem: Cerca de quatro e meio milhões de anos se passaram... www.flickr.com Acesso em 01/08/2009.

Leia mais

Acidentes de transportes passam a ser a principal causa de morte não natural do Estado de São Paulo

Acidentes de transportes passam a ser a principal causa de morte não natural do Estado de São Paulo Resenha de Estatísticas Vitais do Estado de São Paulo Ano 10 nº 2 Março 2010 Acidentes de transportes passam a ser a principal causa de morte não natural do Estado de São Paulo Hoje, os acidentes de transporte

Leia mais

Aplicação do dispositivo CAIXA DE SEGURANÇA (Safety Box) para Travessias de Pedestres em vias simples e mão dupla

Aplicação do dispositivo CAIXA DE SEGURANÇA (Safety Box) para Travessias de Pedestres em vias simples e mão dupla NT2162011 AplicaçãododispositivoCAIXADESEGURANÇA(SafetyBox)para TravessiasdePedestresemviassimplesemãodupla LuizAlbertoGonçalvesRebelo MarcosCézarZaccaria MarceloGuidolin MariaMargaridaNunesSobral 1 Apresentação

Leia mais

LEI Nº 1034, DE 12 DE AGOSTO DE 2015.

LEI Nº 1034, DE 12 DE AGOSTO DE 2015. LEI Nº 1034, DE 12 DE AGOSTO DE 2015. DISPÕE SOBRE A MUNICIPALIZAÇÃO DO TRÂNSITO E TRANSPORTE NO ÂMBITO DO MUNICÍPIO DE ALTO GARÇAS E CRIA O DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE TRÂNSITO E A JUNTA ADMINISTRATIVA

Leia mais

5.2. Programa de Mobilização e Desmobilização da Mão de Obra. Revisão 00 NOV/2013

5.2. Programa de Mobilização e Desmobilização da Mão de Obra. Revisão 00 NOV/2013 PROGRAMAS AMBIENTAIS 5.2 Programa de Mobilização e Desmobilização da Mão de Obra CAPA ÍNDICE GERAL 1. Introdução... 1 1.1. Ações já realizadas... 2 2. Justificativa... 6 3. Objetivos... 8 4. Área de abrangência...

Leia mais

ANÁLISE DE OCORRÊNCIAS DE ACIDENTES DE TRÂNSITO REGISTRADAS POR UM SISTEMA DE CIRCUITO FECHADO DE TV (CFTV)

ANÁLISE DE OCORRÊNCIAS DE ACIDENTES DE TRÂNSITO REGISTRADAS POR UM SISTEMA DE CIRCUITO FECHADO DE TV (CFTV) ANÁLISE DE OCORRÊNCIAS DE ACIDENTES DE TRÂNSITO REGISTRADAS POR UM SISTEMA DE CIRCUITO FECHADO DE TV (CFTV) Francisco Moraes de Oliveira Neto, Waldemiro de Aquino Pereira Neto, Marcus Vinícius Teixeira

Leia mais

Plano de ações para segurança no corredor ferroviário

Plano de ações para segurança no corredor ferroviário Plano de ações para segurança no corredor ferroviário Fase 3 Elaboração das propostas Etapa 3.1, 3.2 e 3.4 Concepção, análise e detalhamento das propostas Página 1 de 10 Sumário 2.5. Plano de ações para

Leia mais

Escala horária de propaganda em rede para televisão 08/10/2010 a 29/10/2010

Escala horária de propaganda em rede para televisão 08/10/2010 a 29/10/2010 Justiça Eleitoral Página 1 de 5 Cargo: Presidente Data da propaganda: 08/10/2010 SEXTA-FEIRA PARA O BRASIL SEGUIR MUDANDO 13:00:00 13: 20:30:00 20:40:00 O Brasil Pode Mais 13: 13:20:00 20:40:00 20:50:00

Leia mais

QUAL O NÚMERO DE VEÍCULOS QUE CIRCULA EM SÃO PAULO?

QUAL O NÚMERO DE VEÍCULOS QUE CIRCULA EM SÃO PAULO? QUAL O NÚMERO DE VEÍCULOS QUE CIRCULA EM SÃO PAULO? RESENHA Carlos Paiva Qual o número de veículos que circula em um dia ou a cada hora do dia na Região Metropolitana, no município e no centro expandido

Leia mais

PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO PEDESTRE

PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO PEDESTRE OBJETIVO DO PROGRAMA PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO PEDESTRE O objetivo do Programa de Proteção ao Pedestre, da Secretaria Municipal de Transportes SMT é criar a cultura de respeito ao pedestre, resgatando os

Leia mais

SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 8 2. INTRODUÇÃO 9 3. CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE SINALIZAÇÃO SEMAFÓRICA 11

SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 8 2. INTRODUÇÃO 9 3. CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE SINALIZAÇÃO SEMAFÓRICA 11 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 8 2. INTRODUÇÃO 9 2.1 Formas de controle do tráfego em interseção ou seção de via... 9 2.2 Princípios da Sinalização Semafórica... 9 3. CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE SINALIZAÇÃO SEMAFÓRICA

Leia mais

ACIDENTES DE TRÂNSITO EM CAMPINAS

ACIDENTES DE TRÂNSITO EM CAMPINAS ACIDENTES DE TRÂNSITO EM CAMPINAS 29 DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL GERÊNCIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GEORREFERENCIAMENTO E SISTEMATIZAÇÃO DE DADOS JUN/21 V3 JUN/21 ÍNDICE

Leia mais

Aula 19. Segurança de trânsito (parte 2 de 4)

Aula 19. Segurança de trânsito (parte 2 de 4) Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de 2016 Aula 19 Segurança de trânsito (parte 2 de 4) Acidentologia técnicas de análise: - boletins de ocorrência

Leia mais

Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre. Anexo IV Sistema de Controle da Qualidade do Serviço de Transporte Coletivo por Ônibus de Porto Alegre

Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre. Anexo IV Sistema de Controle da Qualidade do Serviço de Transporte Coletivo por Ônibus de Porto Alegre Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre Anexo IV Sistema de Controle da Qualidade do Serviço de Transporte Coletivo por Ônibus de Porto Alegre ANEXO IV SISTEMA DE CONTROLE DA QUALIDADE DO SERVIÇO DE

Leia mais

SÃO PAULO GANHA PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO PEDESTRE PARA REDUZIR ATROPELAMENTOS

SÃO PAULO GANHA PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO PEDESTRE PARA REDUZIR ATROPELAMENTOS SÃO PAULO GANHA PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO PEDESTRE PARA REDUZIR ATROPELAMENTOS Em 2010, a cidade de São Paulo registrou 7.007 atropelamentos resultando na morte de 630 pedestres. Apesar de representar uma

Leia mais

Plano de Logística Encontro da Frente Nacional de Prefeitos Pré-projeto Estrutura do documento 1. Introdução 2. Características do evento

Plano de Logística Encontro da Frente Nacional de Prefeitos Pré-projeto Estrutura do documento 1. Introdução 2. Características do evento Plano de Logística Encontro da Frente Nacional de Prefeitos Pré-projeto Estrutura do documento 1. Introdução O Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável (EMDS) é um evento organizado pela

Leia mais

Atropelamentos. Não seja mais uma vítima! Gestão Ambiental da nova BR-135

Atropelamentos. Não seja mais uma vítima! Gestão Ambiental da nova BR-135 Atropelamentos Não seja mais uma vítima! Gestão Ambiental da nova BR-135 2 Atropelamentos 3 Cartilha de Educação Ambiental Tema: Atropelamentos Ano II, número 1, III trimestre de 2011 Redação, Diagramação

Leia mais

Consórcio Fênix Rua Cândido Ramos nº550 - CEP 88090.800 Capoeiras - Florianópolis/SC - Brasil CNPJ 19.962.391/0001-53 sac@consorciofenix.com.

Consórcio Fênix Rua Cândido Ramos nº550 - CEP 88090.800 Capoeiras - Florianópolis/SC - Brasil CNPJ 19.962.391/0001-53 sac@consorciofenix.com. 1 2 CONSÓRCIO FÊNIX PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA - SMMU MANUAL DOS USUÁRIOS DO SISTEMA SIM MODALIDADE POR ÔNIBUS DIREITOS E DEVERES DAS PARTES ENVOLVIDAS

Leia mais

SEGURANÇA VIÁRIA NO TRABALHO. Uma responsabilidade de todos

SEGURANÇA VIÁRIA NO TRABALHO. Uma responsabilidade de todos SEGURANÇA VIÁRIA NO TRABALHO Uma responsabilidade de todos QUEM SOMOS A FUNDACIÓN MAPFRE, instituição criada em 1975 pela MAPFRE, desenvolve atividades de interesse geral na Espanha e em outros países

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS DELIBERAÇÃO Nº 039/2015 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Especificação técnica de Videodetecção ECD/DAI

Especificação técnica de Videodetecção ECD/DAI Especificação técnica de Videodetecção ECD/DAI 1. Esta Especificação destina se a orientar as linhas gerais para o fornecimento de equipamentos. Devido às especificidades de cada central e de cada aplicação,

Leia mais

Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé

Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé Introdução A proposta de Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes

Leia mais

DELIBERAÇÃO Nº 38, DE 11 DE JULHO DE 2003

DELIBERAÇÃO Nº 38, DE 11 DE JULHO DE 2003 DELIBERAÇÃO Nº 38, DE 11 DE JULHO DE 2003 Dispõe sobre requisitos técnicos mínimos para a fiscalização da velocidade, de avanço de sinal vermelho e da parada sobre a faixa de pedestres de veículos automotores,

Leia mais

Projeto Vida no Trânsito: aplicação em Manaus.

Projeto Vida no Trânsito: aplicação em Manaus. Projeto Vida no Trânsito: aplicação em Manaus. Thalita Renata Oliveira das Neves 1 ; Uarodi Pereira Guedes 2 ; 1 Secretaria Municipal de Saúde de Manaus, Gerência de Promoção à Saúde, Rua Comandante Lasmar,

Leia mais

A VIDA SOBRE DUAS RODAS: REDUZINDO RISCOS E DANOS UMA AÇÃO INTERSETORIAL

A VIDA SOBRE DUAS RODAS: REDUZINDO RISCOS E DANOS UMA AÇÃO INTERSETORIAL A VIDA SOBRE DUAS RODAS: REDUZINDO RISCOS E DANOS UMA AÇÃO INTERSETORIAL Olga Lopes Salomão 1 ; Marineide de Jesus Nunes 1, Rodolfo C. Villa do Miu 1, Brigina Kemp 2, Carlos Eduardo Abrahão 2, William

Leia mais

SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007

SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007 SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007 Frota antiga e tecnologia obsoleta; Serviço irregular de vans operando em todo o DF 850 veículos; Ausência de integração entre os modos e serviços; Dispersão das linhas;

Leia mais

Abril / 2016. 25 Segunda-feira 17h, 18h e 19h 25 e 26/04. 27 Quarta-feira 17h, 18h e 19h 27 e 28/04. 29 Sexta-feira 17h, 18h e 19h 29/04 e 02/05

Abril / 2016. 25 Segunda-feira 17h, 18h e 19h 25 e 26/04. 27 Quarta-feira 17h, 18h e 19h 27 e 28/04. 29 Sexta-feira 17h, 18h e 19h 29/04 e 02/05 Cursos Abril / 2016 25 Segunda-feira 17h, e 19h 25 e 26/04 27 Quarta-feira 17h, e 19h 27 e 28/04 29 Sexta-feira 17h, e 19h 29/04 e 02/05 Cursos Maio / 2016 02 Segunda-feira 17h, e 19h 02 e 03/05 04 Quarta-feira

Leia mais

Dia Mundial em Memória das Vidas Perdidas no Trânsito

Dia Mundial em Memória das Vidas Perdidas no Trânsito 15 de novembro Dia Mundial em Memória das Vidas Perdidas no Trânsito Pare! Pense! Siga com mais segurança! 15 de Novembro - Dia Mundial em Memória das Vidas Perdidas no Trânsito Os acidentes de trânsito

Leia mais

ACIDENTES DE TRÂNSITO: OCORRÊNCIAS E MORTALIDADE

ACIDENTES DE TRÂNSITO: OCORRÊNCIAS E MORTALIDADE ACIDENTES DE TRÂNSITO: OCORRÊNCIAS E MORTALIDADE Monitoramento da mortalidade do município de Campinas BOLETIM DE MORTALIDADE Breve Histórico O projeto de monitoramento da mortalidade de Campinas foi iniciado

Leia mais

Í N D I C E PRÓLOGO 5

Í N D I C E PRÓLOGO 5 Í N D I C E PRÓLOGO 5 CAPÍTULO I - EDUCAÇÃO E SEGURANÇA NO TRÂNSITO Trânsito e transporte II) EDUCAÇÃO E SEGURANÇA NO TRÂNSITO Objetivos da educação e segurança para o trânsito A educação para o trânsito

Leia mais

ORIENTADORES DE TRÂNSITO PROJETO OPERAÇÃO DE TRÁFEGO

ORIENTADORES DE TRÂNSITO PROJETO OPERAÇÃO DE TRÁFEGO Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) ORIENTADORES DE TRÂNSITO PROJETO OPERAÇÃO DE TRÁFEGO Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano do Recife (SEMOC) Implantação 11 de dezembro,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 146, DE 27 DE AGOSTO DE 2003 (com as alterações das Resoluções nº 165/04, nº 202/06 e nº 214/06)

RESOLUÇÃO Nº 146, DE 27 DE AGOSTO DE 2003 (com as alterações das Resoluções nº 165/04, nº 202/06 e nº 214/06) RESOLUÇÃO Nº 146, DE 27 DE AGOSTO DE 2003 (com as alterações das Resoluções nº 165/04, nº 202/06 e nº 214/06) Dispõe sobre requisitos técnicos mínimos para a fiscalização da velocidade de veículos automotores,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA RESOLUÇÃO COEMA N 116, DE 03 DE JULHO DE 2014. Dispõe sobre as atividades de impacto ambiental

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 6.378, de 2005

PROJETO DE LEI Nº 6.378, de 2005 COMISSÃO DE VIAÇÃO E TRANSPORTES PROJETO DE LEI Nº 6.378, de 2005 Dispõe sobre a obrigatoriedade de inclusão pelas fábricas e montadoras de motocicletas, de antena de proteção contra fios cortantes como

Leia mais

Soma. Paulo Roberto Guimarães Junior

Soma. Paulo Roberto Guimarães Junior Soma Paulo Roberto Guimarães Junior Observatório Nacional de Segurança Viária. Rua 9 de Julho, 1953 - Vila Georgina - Cep: 13.333-070 - Indaiatuba SP Telefone: (19) 3801.4500 E-mail: onsv@onsv.org.br SÍNTESE

Leia mais

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal de comunicação Objetivo Principal Prover uma solução de baixo custo para Identificação, localização, bloqueio e recuperação de veículos roubados ou procurados, através de micro circuitos embarcados de

Leia mais

Plano de fortalecimento do órgão gestor

Plano de fortalecimento do órgão gestor Plano de fortalecimento do órgão gestor Fase 3 Elaboração das propostas Etapa 3.1, 3.2 e 3.4 Concepção, análise e detalhamento das propostas Página 1 de 14 Sumário 2.10. Plano de fortalecimento do órgão

Leia mais

DECRETO Nº. 8.780, DE 02 DE JULHO DE 2009.

DECRETO Nº. 8.780, DE 02 DE JULHO DE 2009. DECRETO Nº. 8.780, DE 02 DE JULHO DE 2009. Dispõe sobre as competências, a estrutura básica e o Quadro de Lotação de Cargos Comissionados da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana - SEMOB, e dá outras

Leia mais

Análise de Acidentes com Vítimas Fatais envolvendo Caminhões no Rio Grande do Sul de 2010 a 2014

Análise de Acidentes com Vítimas Fatais envolvendo Caminhões no Rio Grande do Sul de 2010 a 2014 Análise de Acidentes com Vítimas Fatais envolvendo Caminhões no Rio Grande do Sul de 2010 a 2014 Assessoria Técnica - 2015 1 ACIDENTES COM ENVOLVIMENTO DE PELO MENOS UM CAMINHÃO Índice Fonte e Metodologia...

Leia mais

Biotecnologia Ambiental

Biotecnologia Ambiental Ambiental 1º MÓDULO 27 28 29 (AGOSTO) Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira (27/08) Sexta-feira (28/08) Sábado (29/08) //Marco //Marco Ambiental 2º MÓDULO 17 18 19 (SETEMBRO) Segunda-feira

Leia mais

A Câmara Municipal de São José dos Pinhais, Estado do Paraná, aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei:

A Câmara Municipal de São José dos Pinhais, Estado do Paraná, aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.714, DE 25 DE ABRIL DE 2011 Institui o Sistema de Estacionamento Rotativo pago, nas vias e logradouros públicos denominado Zona Azul São José dos Pinhais. A Câmara Municipal de São José dos Pinhais,

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DA SEG. PÚBLICA E DEFESA DO CIDADÃO POLÍCIA MILITAR GUARNIÇÃO ESPECIAL DE POLÍCIA MILITAR RODOVIÁRIA

ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DA SEG. PÚBLICA E DEFESA DO CIDADÃO POLÍCIA MILITAR GUARNIÇÃO ESPECIAL DE POLÍCIA MILITAR RODOVIÁRIA ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DA SEG. PÚBLICA E DEFESA DO CIDADÃO POLÍCIA MILITAR GUARNIÇÃO ESPECIAL DE POLÍCIA MILITAR RODOVIÁRIA ANEXO I do CTB - DOS CONCEITOS E DEFINIÇÕES MOTOCICLETA Veículo

Leia mais

Projetos para redução da morbimortalidade por acidentes de trânsito em Belo Horizonte : Vida no Trânsito e TCC BH/BA/Montevideo

Projetos para redução da morbimortalidade por acidentes de trânsito em Belo Horizonte : Vida no Trânsito e TCC BH/BA/Montevideo Projetos para redução da morbimortalidade por acidentes de trânsito em Belo Horizonte : Vida no Trânsito e TCC BH/BA/Montevideo O Município de Belo Horizonte População de Belo Horizonte 2.375.444 hab.

Leia mais

Sumário. I. Apresentação do Manual. II. A Prevenção de Acidentes com Crianças. III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre

Sumário. I. Apresentação do Manual. II. A Prevenção de Acidentes com Crianças. III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre Sumário I. Apresentação do Manual II. A Prevenção de Acidentes com Crianças III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre IV. Como a Educação pode contribuir para a Prevenção de Acidentes no Trânsito V. Dados

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE TRÂNSITO

POLÍTICA NACIONAL DE TRÂNSITO POLÍTICA NACIONAL DE TRÂNSITO INTRODUÇÃO A Associação Brasileira de Pedestres ABRASPE apresenta aqui sua sugestão para revisão do texto original de Política Nacional de Trânsito apresentado pelo Departamento

Leia mais

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana. Relatório Geral 2011

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana. Relatório Geral 2011 Sistema de Informações da Mobilidade Urbana Relatório Geral 2011 Dezembro/2012 Relatório Geral 2011 1 Sumário executivo... 3 2 Mobilidade... 28 2.1 Valores para Brasil (municípios acima de 60 mil habitantes)...

Leia mais

SERVIÇO DE TRANSPORTE INDIVIDUAL DE PASSAGEIROS - TÁXI. Experiência de Sorocaba - 2013

SERVIÇO DE TRANSPORTE INDIVIDUAL DE PASSAGEIROS - TÁXI. Experiência de Sorocaba - 2013 SERVIÇO DE TRANSPORTE INDIVIDUAL DE PASSAGEIROS - TÁXI Experiência de Sorocaba - 2013 600 mil habitantes 85 km de São Paulo 415 mil veículos 402 frota TC 282 frota TÁXI LEGISLAÇÃO FEDERAL Lei nº 9503/1997

Leia mais

Palestrante Engº Antônio Ferreira Silva EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA Julho/2011. www.fortaleza.ce.gov.br

Palestrante Engº Antônio Ferreira Silva EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA Julho/2011. www.fortaleza.ce.gov.br Sistema de Transporte por Mototáxi de Fortaleza Palestrante Engº Antônio Ferreira Silva EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA Julho/2011 Tópicos Serviço de Mototáxi Definição Características Modelo

Leia mais

A FÍSICA FORENSE EM SALA DE AULA: INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTES DE TRÂNSITO NO MUNICÍPIO DE PATOS PB

A FÍSICA FORENSE EM SALA DE AULA: INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTES DE TRÂNSITO NO MUNICÍPIO DE PATOS PB 0 A FÍSICA FORENSE EM SALA DE AULA: INVESTIGAÇÃO DE DE TRÂNSITO NO MUNICÍPIO DE PATOS PB Andrielle Ramos Lira de Lucena; Orientador: Jorge Miguel Lima Oliveira. Universidade Estadual da Paraíba CAMPUS

Leia mais

Segurança Viária e Redução de Velocidades

Segurança Viária e Redução de Velocidades Segurança Viária e Redução de Velocidades Diretoria de Planejamento, Projetos e Segurança de Trânsito Gerência de Segurança no Trânsito Departamento de Projetos de Segurança Fevereiro 2015 Sumário Apresentação...

Leia mais

São Paulo, 29/03/2014 - Um operário caiu de uma altura de oito metros e foi encaminhado a um hospital na manhã deste sábado nas obras do Itaquerão,

São Paulo, 29/03/2014 - Um operário caiu de uma altura de oito metros e foi encaminhado a um hospital na manhã deste sábado nas obras do Itaquerão, São Paulo, 29/03/2014 - Um operário caiu de uma altura de oito metros e foi encaminhado a um hospital na manhã deste sábado nas obras do Itaquerão, estádio do Corinthians que vai receber a partida de abertura

Leia mais

VEÍCULO DE MONITORAMENTO UTILIZADO COMO INSTRUMENTO DE SEGURANÇA E APOIO NA FISCALIZAÇÃO DE TRÂNSITO, TRANSPORTE E BLITZ NA CIDADE DE CAMPINAS.

VEÍCULO DE MONITORAMENTO UTILIZADO COMO INSTRUMENTO DE SEGURANÇA E APOIO NA FISCALIZAÇÃO DE TRÂNSITO, TRANSPORTE E BLITZ NA CIDADE DE CAMPINAS. VEÍCULO DE MONITORAMENTO UTILIZADO COMO INSTRUMENTO DE SEGURANÇA E APOIO NA FISCALIZAÇÃO DE TRÂNSITO, TRANSPORTE E BLITZ NA CIDADE DE CAMPINAS. Marcio Alexandre Ribeiro Gerência de Controle de Infrações

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO

GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO EDITAL DE CONCURSO PREFEITO DEFENSOR DA VIDA NO TRÂNSITO A Diretoria Geral do Departamento Estadual

Leia mais

6. ELABORAÇÃO DE PROJETO DE ORIENTAÇÃO DE DESTINO

6. ELABORAÇÃO DE PROJETO DE ORIENTAÇÃO DE DESTINO 6. ELABORAÇÃO DE PROJETO DE ORIENTAÇÃO DE DESTINO Este capítulo apresenta uma metodologia para a elaboração de projeto de sinalização de orientação de destino cujas placas são tratadas nos itens 5.2, 5.4,

Leia mais

Acidentes de Trânsito Fatais

Acidentes de Trânsito Fatais Município de São Paulo Acidentes de Trânsito Fatais - Relatório Anual - 214 Companhia de Engenharia de Tráfego - Diretoria de Planejamento, Projetos e Educação de Trânsito - DP Suprintendência de Planejamento

Leia mais

MOBILIDADE POR BICICLETA NO CAMPUS DARCY RIBEIRO

MOBILIDADE POR BICICLETA NO CAMPUS DARCY RIBEIRO MOBILIDADE POR BICICLETA NO CAMPUS DARCY RIBEIRO Aline Amaral Silva; Amanda Barbosa Borges; Amir mahdi Araghi; Gabriel Carvalho; Surik Neytohn Duque Nicols Prof. Pastor W. G. Taco O estudo contemplou o

Leia mais

OO13 - Modelo de Financiamento da Segurança Rodoviária e atribuição de Recursos

OO13 - Modelo de Financiamento da Segurança Rodoviária e atribuição de Recursos Jorge Jacob OO13 - Modelo de Financiamento da Segurança Rodoviária e atribuição de Recursos 13.1 1. ESTRATÉGIA NACIONAL DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA (ENSR) (4) 2. PLANOS DE AÇÃO E A CONDUÇÃO SOB EFEITO DO ÁLCOOL

Leia mais

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana. Relatório Geral 2012

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana. Relatório Geral 2012 Sistema de Informações da Mobilidade Urbana Relatório Geral 2012 Julho/2014 Relatório Geral 2012 1 Sumário executivo... 3 2 Mobilidade... 25 2.1 Valores para Brasil (municípios acima de 60 mil habitantes)...

Leia mais

1 INTRODUÇÃO. 1.1 Motivação e Justificativa

1 INTRODUÇÃO. 1.1 Motivação e Justificativa 1 INTRODUÇÃO 1.1 Motivação e Justificativa A locomoção é um dos direitos básicos do cidadão. Cabe, portanto, ao poder público normalmente uma prefeitura e/ou um estado prover transporte de qualidade para

Leia mais

Seminário de Políticas para o trânsito Seguro de Motos Saúde, Processo de Habilitação e Questões Socioeducativas

Seminário de Políticas para o trânsito Seguro de Motos Saúde, Processo de Habilitação e Questões Socioeducativas Seminário de Políticas para o trânsito Seguro de Motos Saúde, Processo de Habilitação e Questões Socioeducativas Marta Maria Alves da Silva CGDANT/DASIS/SVS/MS Brasília/DF, 13 de setembro de 2012 2009:

Leia mais

TÍTULO: DIAGNÓSTICO DO PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DAS VÍTIMAS DOS ACIDENTES DE TRÂNSITO DO MUNICÍPIO DE MARÍLIA-SP

TÍTULO: DIAGNÓSTICO DO PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DAS VÍTIMAS DOS ACIDENTES DE TRÂNSITO DO MUNICÍPIO DE MARÍLIA-SP Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: DIAGNÓSTICO DO PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DAS VÍTIMAS DOS ACIDENTES DE TRÂNSITO DO MUNICÍPIO DE MARÍLIA-SP

Leia mais

Informação sobre trânsito como ferramenta de planejamento para a segurança viária: a experiência do anuário de indicadores do Detran-AL.

Informação sobre trânsito como ferramenta de planejamento para a segurança viária: a experiência do anuário de indicadores do Detran-AL. Informação sobre trânsito como ferramenta de planejamento para a segurança viária: a experiência do anuário de indicadores do Detran-AL. Renan Durval Aparecido da Silva¹ 1 Gerente de estudos de acidentes

Leia mais

3. Referenciais. 3.1 Referenciais teóricos. 3.1.1 O sistema cicloviário e seus elementos componentes

3. Referenciais. 3.1 Referenciais teóricos. 3.1.1 O sistema cicloviário e seus elementos componentes 21 3. Referenciais "Se a mobilidade física é condição essencial da liberdade, a bicicleta talvez tenha sido o instrumento singular mais importante, desde Gutenberg, para atingir o que Marx chamou de plena

Leia mais

Integração dos Órgãos Municipais ao Sistema Nacional de Trânsito

Integração dos Órgãos Municipais ao Sistema Nacional de Trânsito 1º Seminário para a Municipalização do Trânsito Integração dos Órgãos Municipais ao Sistema Nacional de Trânsito SÉRGIO LUIZ PEROTTO Especialista em direito de trânsito Consultor de trânsito e mobilidade

Leia mais

Sistema de Informações Gerenciais (Roteiro de Demonstração)

Sistema de Informações Gerenciais (Roteiro de Demonstração) #.1.1 Disponibilizar informações de interesse do administrador, através de integração com diversos sistemas da administração municipal; Arquivos > Customização do Sistema #.1.2 #.1.3 #.1.4 #.1.5 Permitir

Leia mais

ACIDENTES DE TRÂNSITO NAS RODOVIAS FEDERAIS BRASILEIRAS CARACTERIZAÇÃO, TENDÊNCIAS E CUSTOS PARA A SOCIEDADE

ACIDENTES DE TRÂNSITO NAS RODOVIAS FEDERAIS BRASILEIRAS CARACTERIZAÇÃO, TENDÊNCIAS E CUSTOS PARA A SOCIEDADE ACIDENTES DE TRÂNSITO NAS RODOVIAS FEDERAIS BRASILEIRAS CARACTERIZAÇÃO, TENDÊNCIAS E CUSTOS PARA A SOCIEDADE Relatório de Pesquisa ACIDENTES DE TRÂNSITO NAS RODOVIAS FEDERAIS BRASILEIRAS CARACTERIZAÇÃO,

Leia mais

Fundação Institut o de Pesquisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville, Instituto de Trânsito e Transporte e

Fundação Institut o de Pesquisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville, Instituto de Trânsito e Transporte e Fundação Instituto de Pesquisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville, Instituto de Trânsito e Transporte e Secretaria de Infraestrutura UMA UNIDADE DE MOBILIDADE E ACESSIBILIDADE

Leia mais

Anexo I - Plano de Classificação de Documentos 33.01.01.01

Anexo I - Plano de Classificação de Documentos 33.01.01.01 Anexo I - Plano de Classificação de Documentos Secretaria de Estado de Segurança - SESEG Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro - PMERJ 33 - Competência: Exercer a polícia ostensiva e a preservação

Leia mais