OO13 - Modelo de Financiamento da Segurança Rodoviária e atribuição de Recursos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OO13 - Modelo de Financiamento da Segurança Rodoviária e atribuição de Recursos"

Transcrição

1 Jorge Jacob

2 OO13 - Modelo de Financiamento da Segurança Rodoviária e atribuição de Recursos ESTRATÉGIA NACIONAL DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA (ENSR) (4) 2. PLANOS DE AÇÃO E A CONDUÇÃO SOB EFEITO DO ÁLCOOL (9) 3. EVOLUÇÃO DOS INDICADORES DA ENSR FACE ÀS METAS ESTABELECIDAS (9) Definir metodologia para a elaboração da conta da segurança rodoviária identificando todos os investimentos que são feitos a nível nacional na segurança rodoviária 4. O ÁLCOOL E OS JOVENS (2) PCM/MF/ANSR Aguarda-se marcação de reunião com INE Em curso 5. ALTERAÇÃO DO LIMITE DE TAXA DE ÁLCOOL NO SANGUE EM 2014 (3) 13.2 Execução da primeira conta da segurança rodoviária INE Dependente de 13.1 Por iniciar 13.3 Estudo da criação de um seguro obrigatório para a cobertura do risco de danos corporais do condutor ANSR/APS 2014 n.a. Reunião do Grupo Trabalho (GT) Em curso 6. BREVE BALANÇO PROVISÓRIO DA SINISTRALIDADE REGISTADA EM 2014 (3) 7. NOVO PLANO ESTRATÉGICO DA SEGURANÇA RODOVIÁRIA (1)

3 Estratégia Nacional de Segurança Rodoviária Metas 62 mortos/milhão habitantes. Portugal entre os 10 melhores Países Europeus 10 Objetivos Estratégicos 30 Objetivos Operacionais 91 Ações

4 Revisão Estratégia Nacional de Segurança Rodoviária Metas mortos/milhão habitantes. Portugal entre os 10 melhores Países Europeus Redução de 10 para 7 Objetivos Estratégicos Redução de 30 para 13 Objetivos Operacionais 131 Ações

5 Objetivos Estratégicos OE1 Melhoria da segurança dos condutores OE2 Proteção dos utentes vulneráveis OE3 Aumento da segurança dentro das localidades OE4 Redução dos principais comportamentos de risco OE5 Melhoria do socorro, do tratamento e do seguimento das vítimas OE6 Infraestruturas mais seguras e mobilidade OE7 Promoção da segurança nos veículos

6 Revisão Intercalar da ENSR 13 OBJECTIVOS OPERACIONAIS EDUCAÇÃO FISCALIZAÇÃO ENGENHARIA AVALIAÇÃO SOCORRO 3 Objetivos Educação Ensino Condução Formação Campanhas 2 Objetivos Fiscalização Legislação 4 Objetivos Infra-estrutura Veículos 131 Ações 3 Objectivos Indicadores Estudos 1 Objectivo Assistência às vítimas 36 Ações 18 Ações 34 Ações 28 Ações 15 Ações

7 OO13 - Modelo de Financiamento da Segurança Rodoviária e atribuição de Recursos ESTRATÉGIA NACIONAL DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA (ENSR) 2. PLANOS DE AÇÃO E A CONDUÇÃO SOB EFEITO DO ÁLCOOL (9) 3. EVOLUÇÃO DOS INDICADORES DA ENSR FACE ÀS METAS ESTABELECIDAS (9) Definir metodologia para a elaboração da conta da segurança rodoviária identificando todos os investimentos que são feitos a nível nacional na segurança rodoviária 4. O ÁLCOOL E OS JOVENS (2) PCM/MF/ANSR Aguarda-se marcação de reunião com INE Em curso 5. ALTERAÇÃO DO LIMITE DE TAXA DE ÁLCOOL NO SANGUE EM 2014 (3) 13.2 Execução da primeira conta da segurança rodoviária INE Dependente de 13.1 Por iniciar 13.3 Estudo da criação de um seguro obrigatório para a cobertura do risco de danos corporais do condutor ANSR/APS 2014 n.a. Reunião do Grupo Trabalho (GT) Em curso 6. BREVE BALANÇO PROVISÓRIO DA SINISTRALIDADE REGISTADA EM 2014 (3) 7. NOVO PLANO ESTRATÉGICO DA SEGURANÇA RODOVIÁRIA (1)

8 Estratégia Nacional de Segurança Rodoviária - Plano Ação

9 Estratégia Nacional de Segurança Rodoviária- Plano Ação

10 Estratégia Nacional de Segurança Rodoviária Plano Ação

11 Estratégia Nacional de Segurança Rodoviária Plano Ação

12 Campanhas

13

14

15

16

17 OO13 - Modelo de Financiamento da Segurança Rodoviária e atribuição de Recursos ESTRATÉGIA NACIONAL DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA (ENSR) 2. PLANOS DE AÇÃO E A CONDUÇÃO SOB EFEITO DO ÁLCOOL 3. EVOLUÇÃO DOS INDICADORES DA ENSR FACE ÀS METAS ESTABELECIDAS (9) Definir metodologia para a elaboração da conta da segurança rodoviária identificando todos os investimentos que são feitos a nível nacional na segurança rodoviária 4. O ÁLCOOL E OS JOVENS PCM/MF/ANSR Aguarda-se marcação de reunião com INE Em curso 5. ALTERAÇÃO DO LIMITE DE TAXA DE ÁLCOOL NO SANGUE EM Execução da primeira conta da segurança rodoviária INE Dependente de 13.1 Por iniciar 13.3 Estudo da criação de um seguro obrigatório para a cobertura do risco de danos corporais do condutor ANSR/APS 2014 n.a. Reunião do Grupo Trabalho (GT) Em curso 6. BREVE BALANÇO PROVISÓRIO DA SINISTRALIDADE REGISTADA EM NOVO PLANO ESTRATÉGICO DA SEGURANÇA RODOVIÁRIA

18 Resultados ENSR Previsto 32% Resultado: - 44% Valor 2014 Provisório

19 Resultados ENSR LIGEIROS - Evolução do número de condutores mortos Objectivo Decréscimo médio anual Vítimas mortais

20 Resultados ENSR 2 RODAS - Evolução do número de condutores mortos Objectivo Decréscimo médio anual 98 Vítimas mortais

21 Resultados ENSR PEÕES - Evolução do número de vítimas mortais Objectivo Decréscimo médio anual Vítimas mortais

22 Resultados ENSR

23 Resultados ENSR ÁLCOOL - Evolução da percentagem condutores mortos c/ TAS>=0,5 g/l 38,9 36,5 41,4 34,7 37,7 34,4 37,1 32,7 37,4 33,2 Objectivo ,0 Decréscimo médio anual Condutores mortos TAS>=0,5g/l (%)

24 Portugal Face às metas da ENSR e da Comissão Europeia

25 Portugal Face aos Países da Comissão Europeia

26 Portugal Face aos Países da Comissão Europeia

27 OO13 - Modelo de Financiamento da Segurança Rodoviária e atribuição de Recursos ESTRATÉGIA NACIONAL DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA (ENSR) 2. PLANOS DE AÇÃO E A CONDUÇÃO SOB EFEITO DO ÁLCOOL 3. EVOLUÇÃO DOS INDICADORES DA ENSR FACE ÀS METAS ESTABELECIDAS Definir metodologia para a elaboração da conta da segurança rodoviária identificando todos os investimentos que são feitos a nível nacional na segurança rodoviária 4. O ÁLCOOL E OS JOVENS (2) PCM/MF/ANSR Aguarda-se marcação de reunião com INE Em curso 5. ALTERAÇÃO DO LIMITE DE TAXA DE ÁLCOOL NO SANGUE EM 2014 (3) 13.2 Execução da primeira conta da segurança rodoviária INE Dependente de 13.1 Por iniciar 13.3 Estudo da criação de um seguro obrigatório para a cobertura do risco de danos corporais do condutor ANSR/APS 2014 n.a. Reunião do Grupo Trabalho (GT) Em curso 6. BREVE BALANÇO PROVISÓRIO DA SINISTRALIDADE REGISTADA EM 2014 (3) 7. NOVO PLANO ESTRATÉGICO DA SEGURANÇA RODOVIÁRIA (1)

28 Risco relativo de morte dos jovens anos (Percentagem jovens mortos/percentagem População Jovem)

29 Risco Morte jovens/ Risco Morte restante População O risco de morte em acidentes de viação dos jovens foi cerca de 40% superior ao da restante população

30 OO13 - Modelo de Financiamento da Segurança Rodoviária e atribuição de Recursos ESTRATÉGIA NACIONAL DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA (ENSR) 2. PLANOS DE AÇÃO E A CONDUÇÃO SOB EFEITO DO ÁLCOOL 3. EVOLUÇÃO DOS INDICADORES DA ENSR FACE ÀS METAS ESTABELECIDAS Definir metodologia para a elaboração da conta da segurança rodoviária identificando todos os investimentos que são feitos a nível nacional na segurança rodoviária 4. O ÁLCOOL E OS JOVENS PCM/MF/ANSR Aguarda-se marcação de reunião com INE Em curso 5. ALTERAÇÃO DO LIMITE DE TAXA DE ÁLCOOL NO SANGUE EM Execução da primeira conta da segurança rodoviária INE Dependente de 13.1 Por iniciar 13.3 Estudo da criação de um seguro obrigatório para a cobertura do risco de danos corporais do condutor ANSR/APS 2014 n.a. Reunião do Grupo Trabalho (GT) Em curso 6. BREVE BALANÇO PROVISÓRIO DA SINISTRALIDADE REGISTADA EM NOVO PLANO ESTRATÉGICO DA SEGURANÇA RODOVIÁRIA

31 Fiscalização Álcool GNR: alteração ao CE (regime probatório/profissional) 2013 vs 2014 Variação 13/14

32 Fiscalização Álcool GNR: alteração ao CE (regime probatório/profissional)

33 Dados relativos a 2014 ÁLCOOL - Evolução da percentagem condutores mortos c/ TAS>=0,5 g/l 38,9 36,5 41,4 34,7 37,7 34,4 37,1 32,7 37,4 33,2 25,0 26,6 Decréscimo médio anual Condutores mortos TAS>=0,5g/l (%)

34 OO13 - Modelo de Financiamento da Segurança Rodoviária e atribuição de Recursos ESTRATÉGIA NACIONAL DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA (ENSR) 2. PLANOS DE AÇÃO E A CONDUÇÃO SOB EFEITO DO ÁLCOOL 3. EVOLUÇÃO DOS INDICADORES DA ENSR FACE ÀS METAS ESTABELECIDAS Definir metodologia para a elaboração da conta da segurança rodoviária identificando todos os investimentos que são feitos a nível nacional na segurança rodoviária 4. O ÁLCOOL E OS JOVENS PCM/MF/ANSR Aguarda-se marcação de reunião com INE Em curso 5. ALTERAÇÃO DO LIMITE DE TAXA DE ÁLCOOL NO SANGUE EM Execução da primeira conta da segurança rodoviária INE Dependente de 13.1 Por iniciar 13.3 Estudo da criação de um seguro obrigatório para a cobertura do risco de danos corporais do condutor ANSR/APS 2014 n.a. Reunião do Grupo Trabalho (GT) Em curso 6. BREVE BALANÇO PROVISÓRIO DA SINISTRALIDADE REGISTADA EM 2014 (3) 7. NOVO PLANO ESTRATÉGICO DA SEGURANÇA RODOVIÁRIA (1)

35 2014 Informação estatística provisória 24 horas 2014 registaram-se Comparativamente a acidentes*. +1,196/+1% 480 vítimas mortais - 38/-7,3% feridos graves /+2,1% feridos ligeiros.- 445/-1,2% *Acidente na via pública ou que nela tenha origem envolvendo pelo menos um veículo em movimento, do conhecimento das entidades fiscalizadoras (GNR e PSP) e da qual resultem vítimas e/ou danos materiais

36

37

38 OO13 - Modelo de Financiamento da Segurança Rodoviária e atribuição de Recursos ESTRATÉGIA NACIONAL DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA (ENSR) E SUA REVISÃO INTERCALAR 2. PLANOS DE AÇÃO E A CONDUÇÃO SOB EFEITO DO ÁLCOOL Definir metodologia para a elaboração da conta da segurança rodoviária identificando todos os investimentos que são feitos a nível nacional na segurança rodoviária 3. EVOLUÇÃO DOS INDICADORES DA ENSR FACE ÀS METAS ESTABELECIDAS PCM/MF/ANSR Aguarda-se marcação de reunião com INE Em curso 13.2 Execução da primeira conta da segurança rodoviária INE Dependente de 13.1 Por iniciar Estudo da criação 4. de um seguro O ÁLCOOL obrigatório para Ea OS JOVENS 13.3 ANSR/APS 2014 n.a. Reunião do Grupo Trabalho (GT) Em curso cobertura do risco de danos corporais do condutor 5. ALTERAÇÃO DO LIMITE DE TAXA DE ÁLCOOL NO SANGUE EM BREVE BALANÇO DA SINISTRALIDADE REGISTADA EM NOVO PLANO ESTRATÉGICO DA SEGURANÇA RODOVIÁRIA (1)

39 PLANO ESTRATÉGICO DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA Etapas e Calendário Processo DIAGNÓSTICO E LINHAS DE ORIENTÇÃO, INCLUINDO A VISÃO E AS METAS 2020 (BEM COMO AS INTERMÉDIAS PARA 2018) DEFINIÇÃO DA VISÃO, DAS METAS, DOS OBJETIVOS ESTRATÉGICOS, DOS OBJETIVOS OPERACIONAIS E DOS INDICADORES DE GESTÃO ELABORAÇÃO DO PLANO DE AÇÕES PARA O BIÉNIO ELABORAÇÃO DO PLANO DE AÇÕES PARA 2018 E REVISÃO DO PLANO ESTRATÉGICO DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA ELABORAÇÃO DO PLANO DE AÇÕES PARA O BIÉNIO Responsabilidade ANSR ANSR ANSR; ENTIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA COM INTERVENÇÃO NO SISTEMA DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO ANSR; ENTIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA COM INTERVENÇÃO NO SISTEMA DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO ANSR; ENTIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA COM INTERVENÇÃO NO SISTEMA DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO Participação ENTIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA COM INTERVENÇÃO NO SISTEMA DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO; ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL EM COLABORAÇÃO COM A ANSR E OUTRAS ENTIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL EM COLABORAÇÃO COM A ANSR E OUTRAS ENTIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL EM COLABORAÇÃO COM A ANSR E OUTRAS ENTIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Aprovação SEAI SEAI + CONSULTA PÚBLICA + RESOLUÇÃO DO C.M. SEAI + RESOLUÇÃO DO C.M. SEAI + RESOLUÇÃO DO C.M. SEAI + RESOLUÇÃO DO C.M. Resultado PUBLICAÇÃO: O ESTADO DA SEGURANÇA RODOVIÁRIA EM PORTUGAL E UMA VISÃO PARA 2020 PUBLICAÇÃO: ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DA POLÍTICA DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA (OGDPSR) PUBLICAÇÃO: PLANO DE AÇÕES DO PLANO ESTRATÉGICO DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA PUBLICAÇÃO: PLANO DE AÇÕES 2018 DO PLANO ESTRATÉGICO DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA PUBLICAÇÃO: PLANO DE AÇÕES DO PLANO ESTRATÉGICO DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA Calendário 45 dias até apresentação à SEAI Documento base: 15 dias após aprovação do documento anterior; Processo de consulta e discussão com partes interessadas: 2 meses após aprovação do documento base; Processo de consolidação de informação e elaboração de documento final: 15 dias; Consulta pública: 30 dias; Aprovação da resolução do Conselho de Ministros 3 meses após início do processo Elaboração do Plano de Ações 2018: 3 meses após início do processo (final de 2017); Processo de revisão do Plano Estratégico de Segurança Rodoviária: 6 meses (meados de 2018) Elaboração do Plano de Ações 2018: 3 meses após início do processo (final de 2018)

40 Obrigado pela V. Atenção

OCDE/ITF - IRTAD 5 6 6.1 6.2 A ANSR

OCDE/ITF - IRTAD 5 6 6.1 6.2 A ANSR Jorge Jacob Agenda: 1 Sinistralidade Rodoviária um flagelo mundial 2 Organização Mundial MACRO 3 WHO The Decade of Action for Road Safety 4 OCDE/ITF - IRTAD 5 UE/Comissão Europeia 6 Portugal: 6.1 Situação

Leia mais

ESTRATÉGIA NACIONAL DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA. Resposta portuguesa a um problema mundial de dimensões trágicas

ESTRATÉGIA NACIONAL DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA. Resposta portuguesa a um problema mundial de dimensões trágicas ESTRATÉGIA NACIONAL DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA Resposta portuguesa a um problema mundial de dimensões trágicas Paulo Marques Carlos Lopes 1, Helena Clemente 2, João Queiroz 3 1,2 Autoridade Nacional de Segurança

Leia mais

NOÇÃO DE ACIDENTE E INCIDENTE

NOÇÃO DE ACIDENTE E INCIDENTE FICHA TÉCNICA NOÇÃO DE ACIDENTE E INCIDENTE Níveis GDE Temas Transversais Síntese informativa Nível 1 Nível Atitudinal Tema 1 - Conhecimento de si próprio como Condutor; Tema 2 - Atitudes e Comportamentos

Leia mais

Indicadores de Segurança

Indicadores de Segurança COLÓQUIO APCAP 2008 SESSÃO 3.2 - A Rede Concessionada e a Melhoria da Segurança Comité Permanente 2 AMBIENTE E SEGURANÇA Indicadores de Segurança Carlos Camara Pestana Coordenador do CP2 19 de Junho de

Leia mais

Juntos podemos salvar milhões de vidas

Juntos podemos salvar milhões de vidas Juntos podemos salvar milhões de vidas INDÍCE SOBRE NÓS ESTRADA ATÉ 2020 DECADA DE AÇÃO AÇÕES E PROGRAMAS ACP O ACP A FIA Clubes em ação Condutores seguros Estradas seguras Veículos seguros A campanha

Leia mais

CONDUZ O ALCOKART, ANTES QUE O ÁLCOOL CONDUZA POR TI!

CONDUZ O ALCOKART, ANTES QUE O ÁLCOOL CONDUZA POR TI! CONDUZ O ALCOKART, ANTES QUE O ÁLCOOL CONDUZA POR TI! 2 De acordo com a Organização Mundial de Saúde (European Status Report on Road Safety, 2008), os acidentes de viação são a principal causa de morte

Leia mais

ANO de 2013. Sinistralidade Rodoviária. Observatório de Segurança Rodoviária 23-06-2014. Relatório - Anual

ANO de 2013. Sinistralidade Rodoviária. Observatório de Segurança Rodoviária 23-06-2014. Relatório - Anual ANO de Sinistralidade Rodoviária Observatório de Segurança Rodoviária -- ÍNDICE DEFINIÇÕES... EVOLUÇÃO GLOBAL.... Acidentes com : /... ACIDENTES E VÍTIMAS........... Acidentes Acidentes Acidentes Acidentes

Leia mais

SEGURANÇA RODOVIÁRIA DESLOCAÇÕES CASA-ESCOLA

SEGURANÇA RODOVIÁRIA DESLOCAÇÕES CASA-ESCOLA SEGURANÇA RODOVIÁRIA DESLOCAÇÕES CASA-ESCOLA Sandra Nascimento 12 Julho 2010 www.apsi.org.pt Seminário Sustentabilidade nas Deslocações Casa-Escola Castelo Branco, Julho 2011 A APSI Promover a união e

Leia mais

Segurança nos transportes Rodoviários

Segurança nos transportes Rodoviários TÍTULO DA APRESENTAÇÃO Segurança nos transportes Rodoviários TÍTULO DA APRESENTAÇÃO MISSÃO Promoção da melhoria das condições de trabalho MISSÃO da ACT A FUNÇÃO INSPECÇÃO DO TRABALHO TÍTULO DA APRESENTAÇÃO

Leia mais

Road Show Nacional e Prémio Nacional de Segurança Rodoviária. 24 de Setembro a 23 de Dezembro 2003

Road Show Nacional e Prémio Nacional de Segurança Rodoviária. 24 de Setembro a 23 de Dezembro 2003 Road Show Nacional e Prémio Nacional de Segurança Rodoviária 24 de Setembro a 23 de Dezembro 2003 1. Cidadania Empresarial A previsão do aumento de 40% no tráfego rodoviário nos próximos dez anos, exige

Leia mais

Carta por Pontos. 21 de maio de 2015

Carta por Pontos. 21 de maio de 2015 Carta por Pontos 21 de maio de 2015 Carta por Pontos A maioria dos países da União Europeia tem a carta por pontos ou sistema similar. A título de exemplo: Espanha, França, Itália, Reino Unido, Alemanha,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS 98 Diário da República, 1.ª série N.º 8 13 de janeiro de 2014 PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Resolução do Conselho de Ministros n.º 5/2014 De acordo com as Grandes Opções do Plano para 2012- -2015,

Leia mais

Guia de Informações Úteis em caso de Sinistro Automóvel

Guia de Informações Úteis em caso de Sinistro Automóvel Companhia de Seguros Allianz Portugal, S.A. Guia de Informações Úteis em caso de Sinistro Automóvel Saiba sempre o que fazer para resolver um sinistro de forma célere e segura. Consigo de A a Z. Tive um

Leia mais

TÚNEIS INTEGRADOS na REDE TERN e com EXTENSÃO SUPERIOR a 500 M

TÚNEIS INTEGRADOS na REDE TERN e com EXTENSÃO SUPERIOR a 500 M TÚNEIS INTEGRADOS na REDE e com EXTENSÃO SUPERIOR a 500 M RELATÓRIO BIENAL de INCIDENTES 2010-2011 2 Título Túneis Integrados na Rede Transeuropeia de Estradas e com Extensão Superior a 500 Metros - Relatório

Leia mais

UTENTES DA VIA MAIS VULNERÁVEIS

UTENTES DA VIA MAIS VULNERÁVEIS FICHA TÉCNICA UTENTES DA VIA MAIS VULNERÁVEIS Níveis GDE Temas Transversais Síntese informativa Nível 1 Nível Atitudinal; Nível 3 Nível Táctico Tema 2 - Atitudes e Comportamentos; Tema 6 - Domínio das

Leia mais

A Suécia A Suécia é o país mais seguro da Europa no âmbito da rodovia, mas nem por isso deixa efectuar um debate permanente sobre os problemas do

A Suécia A Suécia é o país mais seguro da Europa no âmbito da rodovia, mas nem por isso deixa efectuar um debate permanente sobre os problemas do RELATÓRIO Resumo das afirmações mais pertinentes efectuadas durante a Conferencia Parlamentar dos Presidentes de Comissão na EU-25, realizada nos dias 10 e 11 de Maio de 2004 no Parlamento Sueco em Estocolmo,

Leia mais

Convenção Nacional das Inspecções Veículos 2015

Convenção Nacional das Inspecções Veículos 2015 Convenção Nacional das Inspecções Veículos 2015 A Qualidade das Inspeções de Veículos na Segurança Rodoviária Presente Futuro O Contributo da Inspecção de Veículos na Segurança Rodoviária Alain Areal Centro

Leia mais

ESCOLA DE CONDUÇÃO INVICTA Resumo das principais regras rodoviárias alteradas pela Proposta de Lei n.º 131/XII

ESCOLA DE CONDUÇÃO INVICTA Resumo das principais regras rodoviárias alteradas pela Proposta de Lei n.º 131/XII 1. Foi criado o conceito de «Utilizadores vulneráveis»: Peões e velocípedes, em particular, crianças, idosos, grávidas, pessoas com mobilidade reduzida ou pessoas com deficiência. (artigo 1.º) Tendo em

Leia mais

Minhas senhoras e meus senhores.

Minhas senhoras e meus senhores. Minhas senhoras e meus senhores. Apresentamos hoje a Campanha Especial de Segurança Rodoviária que visa, durante o mês de Dezembro e os primeiros dias de Janeiro, valorizar a prevenção e reforçar a segurança

Leia mais

MQ V 03 Página 1 de 30

MQ V 03 Página 1 de 30 MQ V 03 Página 1 de 30 Índice Geral 1. Introdução 3 1.1 Objetivo e Âmbito do Manual da Qualidade (MQ) 3 1.2 Estrutura do Manual da Qualidade 3 1.3 Documentação do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) 5

Leia mais

Divisão de Formação e Segurança Rodoviária

Divisão de Formação e Segurança Rodoviária Divisão de Formação e Segurança Rodoviária Câmara Municipal de Lisboa Departamento de Segurança Rodoviária e Tráfego. Divisão de Formação e Segurança Rodoviária A Divisão de Formação e Segurança Rodoviária

Leia mais

Distrito - VILA REAL. SINISTRALIDADE Dez de 2014. Observatório de Segurança Rodoviária 18-08-2015. Relatório - Distrito 1

Distrito - VILA REAL. SINISTRALIDADE Dez de 2014. Observatório de Segurança Rodoviária 18-08-2015. Relatório - Distrito 1 Distrito - VILA REAL SINISTRALIDADE Dez de 2014 Observatório de Segurança Rodoviária 1 ÍNDICE DEFINIÇÕES... 3 EVOLUÇÃO 2005-2014... 4 1. com... 4 2.... 5 ACIDENTES E VÍTIMAS... 6 1. e 2005/2014... 6 2.

Leia mais

Seminário Ordem dos Engenheiros Colégio de Engenharia Mecânica 9 de Outubro de 2013

Seminário Ordem dos Engenheiros Colégio de Engenharia Mecânica 9 de Outubro de 2013 Seminário Ordem dos Engenheiros Colégio de Engenharia Mecânica 9 de Outubro de 2013 Inovação Competitividade Financiamento Provas de Conceito Com maior ou menor relevância, há mais de um século, que as

Leia mais

DEZ ESTRATÉGIAS PARA MANTER AS CRIANÇAS EM SEGURANÇA NO AMBIENTE RODOVIÁRIO. #SalveVidasdeCrianças

DEZ ESTRATÉGIAS PARA MANTER AS CRIANÇAS EM SEGURANÇA NO AMBIENTE RODOVIÁRIO. #SalveVidasdeCrianças DEZ ESTRATÉGIAS PARA MANTER AS CRIANÇAS EM SEGURANÇA NO AMBIENTE RODOVIÁRIO #SalveVidasdeCrianças OS FACTOS 186 300 crianças com idade < 18 anos morrem no Mundo * anualmente por lesões e traumatismos em

Leia mais

ÍNDICE DEFINIÇÕES... 3 VÍTIMAS EM 2010... 4. 1. Vítimas por mês... 4. 2. Vítimas segundo a localização e o tipo de via... 5

ÍNDICE DEFINIÇÕES... 3 VÍTIMAS EM 2010... 4. 1. Vítimas por mês... 4. 2. Vítimas segundo a localização e o tipo de via... 5 Distrito de LISBOA 2010 ÍNDICE DEFINIÇÕES... 3 VÍTIMAS EM 2010... 4 1. Vítimas por mês... 4 2. Vítimas segundo a localização e o tipo de via... 5 3. Vítimas segundo a natureza do acidente... 6 4. Vítimas

Leia mais

Referencial do Curso Condução Económica e Segurança Rodoviária

Referencial do Curso Condução Económica e Segurança Rodoviária Referencial do Curso Condução Económica e Segurança Rodoviária [2010] 1. DATA DE INICIO: De acordo com o Plano de Formação. 2. DATA DE FIM: De acordo com o Plano de Formação. 3. MÓDULOS: Modulo 1 - Condução

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE APROVAÇÃO DO USO EQUIPAMENTOS DE CONTROLO E FISCALIZAÇÃO DO TRÂNSITO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE APROVAÇÃO DO USO EQUIPAMENTOS DE CONTROLO E FISCALIZAÇÃO DO TRÂNSITO MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE APROVAÇÃO DO USO DE EQUIPAMENTOS DE CONTROLO E FISCALIZAÇÃO DO TRÂNSITO I. OBJETIVO A aprovação do uso oficial de equipamentos em controlo e fiscalização do trânsito coloca à

Leia mais

ESTRATÉGIA NACIONAL DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA 2007 2015

ESTRATÉGIA NACIONAL DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA 2007 2015 31-05-2007 APRESENTAÇÃO RELATÓRIORIO 1 ESTRATÉGIA NACIONAL DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA 2007 2015 APRESENTAÇÃO RELATÓRIO PRELIMINAR 31.05.07 Auditório 3 FIL 1986 2006 Sinistralidade Rodoviária Mortos 39.096

Leia mais

ESCOLA DE CONDUÇÃO INVICTA (Responsabilidade pelas Infracções)

ESCOLA DE CONDUÇÃO INVICTA (Responsabilidade pelas Infracções) Responsabilidade pelas infracções São responsáveis pelas infracções: o agente sobre o qual recai o facto constitutivo dessa infracção. as pessoas colectivas ou equiparadas. o condutor do veículo quando

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES OEIRAS, NOVEMBRO DE 2013

PLANO DE ATIVIDADES OEIRAS, NOVEMBRO DE 2013 PLANO DE ATIVIDADES 2014 OEIRAS, NOVEMBRO DE 2013 Ministério da Administração Interna Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária PLANO DE ATIVIDADES 2014 OEIRAS Índice Introdução 1 Apresentação das ANSR:

Leia mais

CTT Correios de Portugal Frota Postal e Prevenção Rodoviária José Guilherme

CTT Correios de Portugal Frota Postal e Prevenção Rodoviária José Guilherme CTT Correios de Portugal Frota Postal e Prevenção Rodoviária José Guilherme IV Congresso Rodoviário Português Estoril, 5 a 7 de Abril de 2006 Apresentação 6 Novembro 1520 Carta Régia D. Manuel I (Ofício

Leia mais

Aplicação de filtros de partículas em veículos pesados

Aplicação de filtros de partículas em veículos pesados Resultados dos testes realizados Francisco Ferreira, Hugo Tente, Pedro Gomes FCT-UNL Luísa Nogueira CCDR-LVT Carlos Borrego, Ana Isabel Miranda, Jorge H. Amorim, Pedro Cascão, Anabela Carvalho UAVR-CESAM

Leia mais

Questões: Humana? existem? radares? 1. Quais as principais causas de acidente devida a falha. 2. Indique outras causas de acidentes rodoviários.

Questões: Humana? existem? radares? 1. Quais as principais causas de acidente devida a falha. 2. Indique outras causas de acidentes rodoviários. Questões: 1. Quais as principais causas de acidente devida a falha Humana? 2. Indique outras causas de acidentes rodoviários. 3. Como prevenir acidentes rodoviários? 4. Como funciona o airbag? 5. Actualmente

Leia mais

SEGURANÇA RODOVIÁRIA. Algumas Relexões sobre Metodologias de Gestão e sua implementação em Portugal ABRIL 2006

SEGURANÇA RODOVIÁRIA. Algumas Relexões sobre Metodologias de Gestão e sua implementação em Portugal ABRIL 2006 SEGURAÇA RODOVIÁRIA Algumas Relexões sobre Metodologias de Gestão e sua implementação em Portugal Autores: PAULO MATOS MARTIS, DEC, ISEL EDUARDO ABAIS, DESR, EP ABRIL 2006 paulo.martins@dec.isel.ipl.pt

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES OEIRAS, OUTUBRO DE 2014 (AGUARDA VALIDAÇÃO PELA TUTELA)

PLANO DE ATIVIDADES OEIRAS, OUTUBRO DE 2014 (AGUARDA VALIDAÇÃO PELA TUTELA) PLANO DE ATIVIDADES 2015 OEIRAS, OUTUBRO DE 2014 (AGUARDA VALIDAÇÃO PELA TUTELA) Ministério da Administração Interna Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária PLANO DE ATIVIDADES 2015 OEIRAS ÍNDICE...

Leia mais

Segurança nas estradas Portugal regista baixa nas vítimas mortais País foi o segundo da UE a reduzir acidentes Prevenção marca novo Código da Estrada

Segurança nas estradas Portugal regista baixa nas vítimas mortais País foi o segundo da UE a reduzir acidentes Prevenção marca novo Código da Estrada Este suplemento faz parte integrante do Jornal de Negócios n. o 2761, de 30 de Maio de 2014, e não pode ser vendido separadamente. Segurança nas estradas Portugal regista baixa nas vítimas mortais País

Leia mais

Acidentes com tratores agrícolas: A importância do arco e do cinto de segurança

Acidentes com tratores agrícolas: A importância do arco e do cinto de segurança Acidentes com tratores agrícolas: A importância do arco e do cinto de segurança Prof. João M. P. Dias jdias@dem.ist.utl.pt, www.dem.ist.utl.pt/acidentes NIAR Núcleo de Investigação de Acidentes Rodoviários

Leia mais

Retrato da. Cidade de Lisboa. Observatório de Luta Contra a Pobreza na. Cidade de Lisboa

Retrato da. Cidade de Lisboa. Observatório de Luta Contra a Pobreza na. Cidade de Lisboa Retrato da Cidade de Lisboa Observatório de Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa Pontos abordados na apresentação Análise de indicadores quantitativos - Peso do escalão etário dos 65+ - Índice de

Leia mais

Índice. Glossário..4. Conceito 5. Vantagens...5. Funcionamento 5. Modalidades Disponíveis...7. Tratamento de dados...7. Condições de Utilização...

Índice. Glossário..4. Conceito 5. Vantagens...5. Funcionamento 5. Modalidades Disponíveis...7. Tratamento de dados...7. Condições de Utilização... DMI_Auto02MAI2014 Índice Glossário..4 Conceito 5 Vantagens....5 Funcionamento 5 Modalidades Disponíveis...7 Tratamento de dados.....7 Condições de Utilização.....11 Condição Especial: Assistência OK! GPS

Leia mais

Conta Satélite da Saúde 2010-2012Pe

Conta Satélite da Saúde 2010-2012Pe Conta Satélite da Saúde 21-212Pe 21 de junho de 213 Em 212 a despesa corrente em saúde voltou a diminuir Em 212, a despesa corrente em saúde voltou a diminuir significativamente (-5,5), após ter registado

Leia mais

REGULAMENTO BIENAL DE JOVENS CRIADORES DA CPLP. Artigo 1.º. Objecto da Bienal. Artigo 2.º. Países participantes. Artigo 3.º. Jovens participantes

REGULAMENTO BIENAL DE JOVENS CRIADORES DA CPLP. Artigo 1.º. Objecto da Bienal. Artigo 2.º. Países participantes. Artigo 3.º. Jovens participantes REGULAMENTO BIENAL DE JOVENS CRIADORES DA CPLP Artigo 1.º Objecto da Bienal 1- A Bienal assume o carácter de atividade regular promovida pela Conferência de Ministros Responsáveis pela Juventude e pelo

Leia mais

Política de Prevenção e Controlo do Álcool no Grupo EDP

Política de Prevenção e Controlo do Álcool no Grupo EDP Política de Prevenção e Controlo do Álcool no Grupo EDP Para preencher o rodapé: 1. Pressione a tecla F5 2. Prima o seguinte botão EDP Valor Direção de Segurança e Saúde Agenda 1. Apresentação. O Grupo

Leia mais

Decreto-Lei n.º 72-A/2003 de 14 de Abril

Decreto-Lei n.º 72-A/2003 de 14 de Abril Decreto-Lei n.º 72-A/2003 de 14 de Abril A Directiva n.º 2000/26/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 16 de Maio, relativa à aproximação das legislações dos Estados membros respeitantes ao seguro

Leia mais

Orçamento da Administração Interna

Orçamento da Administração Interna MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA Orçamento da Administração Interna 2011 Manutenção da Segurança Interna Eficácia no Controlo de Fronteiras Melhor Segurança Rodoviária Reforço da Protecção Civil Índice

Leia mais

ficha de produto automóvel 2Rodas

ficha de produto automóvel 2Rodas ficha de produto automóvel 2Rodas O que é? O Seguro auto 2Rodas é um seguro que visa garantir o pagamento de indemnizações dos prejuízos sofridos em consequência direta das coberturas e com os limites

Leia mais

Integração de veículos eléctricos no mercado nacional

Integração de veículos eléctricos no mercado nacional Integração de veículos eléctricos no mercado nacional Jorge Batista e Silva Mobilidade Eléctrica Funchal 19 Set 2010 1 Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres Atribuições relativas a - condutores

Leia mais

A renovação da carta de condução

A renovação da carta de condução A renovação da carta de condução Situação actual e futura Fátima Abreu DSFC/DHRC 06-12-2010 1 A renovação da carta de condução Caracterização da população condutora sénior Regime actual das condições de

Leia mais

Emitente: CONSELHO DIRECTIVO. Norma Regulamentar N.º 07/2006-R. Data: 30-08-2006. Assunto: REGULAMENTAÇÃO DO DECRETO-LEI N.º 83/2006, DE 3 DE MAIO

Emitente: CONSELHO DIRECTIVO. Norma Regulamentar N.º 07/2006-R. Data: 30-08-2006. Assunto: REGULAMENTAÇÃO DO DECRETO-LEI N.º 83/2006, DE 3 DE MAIO Emitente: CONSELHO DIRECTIVO Norma Regulamentar N.º 07/2006-R Data: 30-08-2006 Assunto: REGULAMENTAÇÃO DO DECRETO-LEI N.º 83/2006, DE 3 DE MAIO O Decreto-Lei n.º 83/2006, de 3 de Maio, transpôs parcialmente

Leia mais

Cork Information Bureau 2015. Informação à Imprensa 28 de Agosto de 2015. EXPORTAÇÕES DE CORTIÇA CRESCEM 7,8% (1º. Semestre 2015) apcor.

Cork Information Bureau 2015. Informação à Imprensa 28 de Agosto de 2015. EXPORTAÇÕES DE CORTIÇA CRESCEM 7,8% (1º. Semestre 2015) apcor. Informação à Imprensa 28 de Agosto de 2015 EXPORTAÇÕES DE CORTIÇA CRESCEM 7,8% (1º. Semestre 2015) apcor.pt Exportações de Cortiça crescem 7,8% As exportações portuguesas de cortiça registaram, no primeiro

Leia mais

As mais-valias da Eco-Condução

As mais-valias da Eco-Condução As mais-valias da Eco-Condução Encontros com Energia Montijo, 21 de Novembro de 2013 Ana Isabel Cardoso Energia no sector dos transportes Consumo de energia final por sector em 2011 Dados: DGEG, 2013/Tratamento:

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA. Comando Geral da Polícia Nacional. Direcção Nacional de Viação e Trânsito. Ministério do Interior

REPÚBLICA DE ANGOLA. Comando Geral da Polícia Nacional. Direcção Nacional de Viação e Trânsito. Ministério do Interior REPÚBLICA DE ANGOLA Ministério do Interior Comando Geral da Polícia Nacional Direcção Nacional de Viação e Trânsito 1 2 Sessão de esclarecimento 1. Contexto de surgimento do Novo Código de Estrada 2. Sistematização

Leia mais

SEGURO AUTOMÓVEL. Qual a importância do Seguro Automóvel?

SEGURO AUTOMÓVEL. Qual a importância do Seguro Automóvel? SEGURO AUTOMÓVEL Qual a importância do Seguro Automóvel? O proprietário ou o condutor de um veículo são responsáveis pelos prejuízos que este possa causar e, em caso de acidente, podem incorrer em graves

Leia mais

CCT uma ferramenta para o incremento da segurança rodoviária. Centro de Controlo de Tráfego uma ferramenta para o incremento da Segurança Rodoviária

CCT uma ferramenta para o incremento da segurança rodoviária. Centro de Controlo de Tráfego uma ferramenta para o incremento da Segurança Rodoviária Centro de Controlo de Tráfego uma ferramenta para o incremento da egurança Rodoviária Abril 2006 O grupo Aenor istemas de Telemática Rodoviária disponíveis Centro de Controlo de Tráfego Funcionamento Esquemático

Leia mais

RESOLUÇÃO SMTR Nº 2578 DE 23 DE JUNHO DE 2015. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE TRANSPORTES, no uso das atribuições legais,

RESOLUÇÃO SMTR Nº 2578 DE 23 DE JUNHO DE 2015. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE TRANSPORTES, no uso das atribuições legais, RESOLUÇÃO SMTR Nº 2578 DE 23 DE JUNHO DE 2015. Regulamenta o treinamento dos motoristas do Serviço de Transporte Individual de Passageiros em Veículos de Aluguel a Taxímetro e a homologação de instituições

Leia mais

CONTRA-ORDENAÇÕES RODOVIÁRIAS

CONTRA-ORDENAÇÕES RODOVIÁRIAS FICHA TÉCNICA CONTRA-ORDENAÇÕES RODOVIÁRIAS Níveis GDE Temas Transversais Síntese informativa Nível 1 Nível Atitudinal Tema 1 Conhecimento de si próprio como Condutor; Tema 2 Atitudes e Comportamentos;

Leia mais

Políticas e Orientações para a Mobilidade Ciclável Isabel Seabra Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres (IMTT) Gabinete de Planeamento

Políticas e Orientações para a Mobilidade Ciclável Isabel Seabra Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres (IMTT) Gabinete de Planeamento Políticas e Orientações para a Mobilidade Ciclável Isabel Seabra Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres (IMTT) Gabinete de Planeamento Inovação e avaliação (GPIA) 1 Instituto da Mobilidade

Leia mais

A carta de condução de automóveis pesados habilita a conduzir: Automóveis ligeiros. Motociclos. Qualquer tipo de veículos com motor.

A carta de condução de automóveis pesados habilita a conduzir: Automóveis ligeiros. Motociclos. Qualquer tipo de veículos com motor. A carta de condução de automóveis ligeiros habilita a conduzir: Automóveis de passageiros com lotação até 12 lugares. Motociclos até 125cc. Tractores agrícolas com equipamentos cujo peso máximo não exceda

Leia mais

1.TOMADOR DO SEGURO/ SEGURADO Poderão contratar este seguro os colaboradores, incluindo os seus familiares directos.

1.TOMADOR DO SEGURO/ SEGURADO Poderão contratar este seguro os colaboradores, incluindo os seus familiares directos. Ficha técnica 1.TOMADOR DO SEGURO/ SEGURADO Poderão contratar este seguro os colaboradores, incluindo os seus familiares directos. São considerados familiares directos: - o cônjuge, desde que viva em carácter

Leia mais

Fundo de Garantia Automóvel. Relatório Anual de Actividades 2010. Banco de Cabo Verde

Fundo de Garantia Automóvel. Relatório Anual de Actividades 2010. Banco de Cabo Verde Fundo de Garantia Automóvel Relatório Anual de Actividades 2010 Banco de Cabo Verde Índice 1. Introdução... 03 2. Actividades desenvolvidas em 2010.. 03 2.1 Abertura e encerramento de processos... 04 2.2.

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS N. o 88 14 de Abril de 2003 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A 2452-(3) MINISTÉRIO DAS FINANÇAS Decreto-Lei n. o 72-A/2003 de 14 de Abril A Directiva n. o 2000/26/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de

Leia mais

ESTUDO DAS ATITUDES E COMPORTAMENTOS DOS PORTUGUESES FACE À SINISTRALIDADE RODOVIÁRIA

ESTUDO DAS ATITUDES E COMPORTAMENTOS DOS PORTUGUESES FACE À SINISTRALIDADE RODOVIÁRIA ESTUDO DAS ATITUDES E COMPORTAMENTOS DOS PORTUGUESES FACE À SINISTRALIDADE RODOVIÁRIA Lisboa, 10 de dezembro Oradoras: Dr.ª Patrícia Duarte e Dr.ª Carla Mouro ISCTE Cis-IUL 1. ENQUADRAMENTO ANSR 2. OBJETIVOS

Leia mais

Manual de Regularização de Sinistros

Manual de Regularização de Sinistros Manual de Regularização de Sinistros Participação de Sinistro Abertura de Processo Peritagem Enquadramento e Definição de Responsabilidades Prazos de Regularização Veículo de substituição Perda Total Participação

Leia mais

A SINISTRALIDADE RODOVIÁRIA NAS CAPITAIS DA PENÍNSULA IBÉRICA

A SINISTRALIDADE RODOVIÁRIA NAS CAPITAIS DA PENÍNSULA IBÉRICA JAVIER BARBEYTO RODRÍGUEZ A SINISTRALIDADE RODOVIÁRIA NAS CAPITAIS DA PENÍNSULA IBÉRICA Orientadora: Prof.ª Doutora Sandra Cristina Gil Vieira Gomes Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Faculdade

Leia mais

Autoridade de Gestão do Programa Operacional Regional do Norte. Autoridade de Gestão do Programa Operacional Regional do Alentejo

Autoridade de Gestão do Programa Operacional Regional do Norte. Autoridade de Gestão do Programa Operacional Regional do Alentejo Autoridade de Gestão do Programa Operacional Regional do Norte Autoridade de Gestão do Programa Operacional Regional do Centro Autoridade de Gestão do Programa Operacional Regional de Lisboa Autoridade

Leia mais

LIBERTY ENFERMEIROS MANUAL PRÁTICO

LIBERTY ENFERMEIROS MANUAL PRÁTICO LIBERTY ENFERMEIROS MANUAL PRÁTICO NA LIBERTY SER ENFERMEIRO É UMA VANTAGEM! DESENVOLVIMENTO DE NEGÓCIOS Fazemos nossas as suas exigências de Inovação! Planos da Solução Liberty Protecção Total Protecção

Leia mais

5. Outras Drogas e Policonsumos

5. Outras Drogas e Policonsumos Caracterização e Evolução da Situação - Tendências por Drogas: Outras Drogas e Policonsumos 5. Outras Drogas e Policonsumos 5.1. Consumos e Problemas relacionados Nos resultados dos estudos epidemiológicos

Leia mais

Autoridade Bancária e de Pagamentos de Timor-Leste

Autoridade Bancária e de Pagamentos de Timor-Leste Autoridade Bancária e de Pagamentos de Timor-Leste Banking and Payments Authority of Timor-Leste Av a Bispo Medeiros, PO Box 59, Dili, Timor-Leste Tel. (670) 3 313 718, Fax. (670) 3 313 716 RESOLUÇÃO DO

Leia mais

Detalhe de Oferta de Emprego

Detalhe de Oferta de Emprego Detalhe de Oferta de Emprego Código da Oferta: OE201507/0293 Tipo Oferta: Procedimento Concursal para Cargos de Direção Estado: Activa Nível Orgânico: Câmaras Municipais Organismo Câmara Municipal de Matosinhos

Leia mais

Formação Inicial para Obtenção do CAM - Certificado de Aptidão de Motorista de Mercadorias

Formação Inicial para Obtenção do CAM - Certificado de Aptidão de Motorista de Mercadorias Formação Inicial para Obtenção do CAM - Certificado de Aptidão de Motorista de Mercadorias Público-Alvo Colaboradores das empresas que exercem funções na condução de veículos pesados de mercadorias, que

Leia mais

SEGURO OBRIGATÓRIO DE RESPONSABILIDADE CIVIL AUTOMÓVEL

SEGURO OBRIGATÓRIO DE RESPONSABILIDADE CIVIL AUTOMÓVEL NUNO ALMEIDA DE ARAÚJO SOBREIRA SEGURO OBRIGATÓRIO DE RESPONSABILIDADE CIVIL AUTOMÓVEL DIREITO DE REGRESSO DA SEGURADORA E SUB-ROGAÇÃO DO FGA Dissertação apresentada à Faculdade de Direito da Universidade

Leia mais

'(&,6 (6$3529$'$6325352&(',0(172(6&5,72

'(&,6 (6$3529$'$6325352&(',0(172(6&5,72 & Bruxelas, 26 de Março de 2001 7362/01 (Presse 120) (OR. en) '(&,6 (6$3529$'$6325352&(',0(172(6&5,72 O Conselho aprovou em 23 de Março de 2001, por procedimento escrito, as suas posições comuns tendo

Leia mais

Infracções mais frequentes ao Código da Estrada, coimas e sanções Pág. 1

Infracções mais frequentes ao Código da Estrada, coimas e sanções Pág. 1 Infracções mais frequentes ao Código da Estrada, coimas e sanções Pág. 1 Infracções ÁLCOOL / ESTUPEFACIENTES Condução com uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 0,5 g/l e inferior a 0,8 g/l.

Leia mais

Década de Ações de Segurança no Trânsito. www.hugoleal.com.br e-mail: hugoleal2010@gmail.com Twitter: #dephugoleal

Década de Ações de Segurança no Trânsito. www.hugoleal.com.br e-mail: hugoleal2010@gmail.com Twitter: #dephugoleal 1 Década de Ações de Segurança no Trânsito Alerta da ONU 3 Feridos: entre 20 e 50 milhões/ano Milhares Mortes no Brasil: 35,1 mil pessoas/ano 4 Mortos no trânsito 120 100 107,7 96,6 80 60 40 42,6 35,9

Leia mais

Bolsa Nacional de Terras. A Cultura do Medronheiro

Bolsa Nacional de Terras. A Cultura do Medronheiro Bolsa Nacional de Terras A Cultura do Medronheiro Sardoal, 19 novembro 2015 A nossa Visão Potenciar o máximo aproveitamento e utilização do território rural português O desafio inicial da Bolsa de Terras

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE SEGURANÇA * Ata da Reunião de 11.03.2014. Ata N.º1 /2014

CONSELHO MUNICIPAL DE SEGURANÇA * Ata da Reunião de 11.03.2014. Ata N.º1 /2014 Ata N.º1 /2014 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SEGURANÇA, REALIZADA NO DIA 11 DE MARÇO DE 2014: Aos onze dias do mês de março do ano dois mil e catorze, na Cidade de Peniche e no Auditório do Edifício

Leia mais

Índice. 1. Introdução. 3. 2. Glossário...4. 3. Conceito... 5. 4. Vantagens da Assistência GPS...5. 5. Funcionamento da Assistência GPS...

Índice. 1. Introdução. 3. 2. Glossário...4. 3. Conceito... 5. 4. Vantagens da Assistência GPS...5. 5. Funcionamento da Assistência GPS... DMI_AUTO06_20JUL2015 GUIA DA ASSISTÊNCIA GPS Índice 1. Introdução. 3 2. Glossário.....4 3. Conceito.... 5 4. Vantagens da Assistência GPS....5 5. Funcionamento da Assistência GPS.... 5 6. Tratamento de

Leia mais

Controlo da velocidade em eixos rodoviários

Controlo da velocidade em eixos rodoviários Controlo da velocidade em eixos rodoviários Definição de soluções combinadas de acalmia de tráfego Sílvia SANTOS 1 ; Ana BASTOS SILVA 2 Departamento de Engenharia Civil Universidade de Coimbra Rua Luís

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO

DOCUMENTO DE TRABALHO Página 1 de 1 Oferta formativa 1. Escola Nacional de Bombeiros O Regulamento dos Cursos de Formação do Bombeiro, é o normativo legal que regulamenta os cursos de formação dos elementos do Quadro de Comando

Leia mais

Rumo a um espaço europeu de segurança rodoviária

Rumo a um espaço europeu de segurança rodoviária Rumo a um espaço europeu de segurança rodoviária orientações para a política de segurança rodoviária de 2011 a 2020 ON THE MOVE Para estradas mais seguras na Europa Resumo para o cidadão Orientações da

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho

Segurança e Higiene do Trabalho Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XXVIII Prevenção de acidentes com veículos na Construção Civil Parte 1 um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico

Leia mais

BOLETIM ESTATÍSTICO MAIS INFORMAÇÃO/MAIOR CONHECIMENTO/MELHOR DECISÃO Nº7 - DEZEMBRO 2007

BOLETIM ESTATÍSTICO MAIS INFORMAÇÃO/MAIOR CONHECIMENTO/MELHOR DECISÃO Nº7 - DEZEMBRO 2007 BOLETIM ESTATÍSTICO Nº7 - DEZEMBRO 2007 MAIS INFORMAÇÃO/MAIOR CONHECIMENTO/MELHOR DECISÃO EDITORIAL Com a publicação do número correspondente ao último quadrimestre do ano iniciamos também a edição, no

Leia mais

O movimento de passageiros nos aeroportos nacionais em tráfego comercial totalizou 32,6 milhões em 2013 (+4,9%).

O movimento de passageiros nos aeroportos nacionais em tráfego comercial totalizou 32,6 milhões em 2013 (+4,9%). Estatísticas dos Transportes e Comunicações 2013 13 de novembro de 2014 Dinâmicas diferenciadas nos vários modos de transporte Passageiros transportados aumentaram nos aeroportos nacionais (+4,9%) mas

Leia mais

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às Câmara Municipal da Departamento de Educação e Desenvolvimento Sociocultural Divisão de Intervenção Social Plano Municipal contra a Violência Rede Integrada de Intervenção para a Violência na Outubro de

Leia mais

Introdução. Os comportamentos adquiridos serão mais sólidos e duradouros, se tiverem início nos primeiros anos de escolaridade.

Introdução. Os comportamentos adquiridos serão mais sólidos e duradouros, se tiverem início nos primeiros anos de escolaridade. Conteúdos Introdução Objectivos Projecto O camião O circuito Os veículos Descrição da Acção O jogo da Educação Rodoviária Conclusão Equipamento e serviços Introdução Introdução Sendo as crianças um dos

Leia mais

Aplicação de SIG para Localização e Auxílio ao Diagnóstico da Sinistralidade Rodoviária em Meio Interurbano

Aplicação de SIG para Localização e Auxílio ao Diagnóstico da Sinistralidade Rodoviária em Meio Interurbano UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Engenharia Aplicação de SIG para Localização e Auxílio ao Diagnóstico da Sinistralidade Rodoviária em Meio Interurbano Pedro Fernando da Costa Figueiredo Dissertação para

Leia mais

Em 2013 perderam-se 4 683 anos potenciais de vida devido à diabetes mellitus

Em 2013 perderam-se 4 683 anos potenciais de vida devido à diabetes mellitus Dia Mundial da diabetes 14 de novembro 1983-2013 EMBARGO ATTÉ 13 DE NOVEMBRO DE 2014,, ÀS 11 HORAS Em 2013 perderam-se 4 683 anos potenciais de vida devido à diabetes mellitus Em 2013, as doenças endócrinas,

Leia mais

DIRECTIVAS. (versão codificada) (Texto relevante para efeitos do EEE)

DIRECTIVAS. (versão codificada) (Texto relevante para efeitos do EEE) 7.10.2009 Jornal Oficial da União Europeia L 263/11 DIRECTIVAS DIRECTIVA 2009/103/CE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 16 de Setembro de 2009 relativa ao seguro de responsabilidade civil que resulta

Leia mais

UMA MAIOR SEGURANÇA PARA PEÕES

UMA MAIOR SEGURANÇA PARA PEÕES UMA MAIOR SEGURANÇA PARA PEÕES INTRODUÇÃO Nas Grandes Opções do Plano para 2005 2009 o Governo consagrou uma política orientada na redução, para metade, da sinistralidade, bem como na melhoria da segurança

Leia mais

Promoção da Segurança e Saúde no Trabalho. Programa Operacional

Promoção da Segurança e Saúde no Trabalho. Programa Operacional Promoção da Segurança e Saúde no Trabalho Introdução [Índice] Atividades de Promoção da segurança e saúde no trabalho Estratégia Nacional SST Inquérito Nacional às Condições de Trabalho Intervenção no

Leia mais

FORMAÇÃO OPERACIONAL

FORMAÇÃO OPERACIONAL PL ANUAL DE FORMAÇÃO FORMAÇÃO OPERACIONAL REGULAMENTAÇÃO SOCIAL TEMPOS DE CONDUÇÃO E REPOUSO E UTILIZAÇÃO DO TACÓGRAFO Conhecer a regulamentação social nos transportes rodoviários no âmbito Regulamento

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO: GRUPO DE TRABALHO (ALTERAÇÃO): ASSEMBLEIA MUNICIPAL - EMÍLIA SOARES CÂMARA MUNICIPAL DO CARTAXO ESTELA SILVA

GRUPO DE TRABALHO: GRUPO DE TRABALHO (ALTERAÇÃO): ASSEMBLEIA MUNICIPAL - EMÍLIA SOARES CÂMARA MUNICIPAL DO CARTAXO ESTELA SILVA GRUPO DE TRABALHO: ASSEMBLEIA MUNICIPAL - EMÍLIA SOARES CÂMARA MUNICIPAL DO CARTAXO ESTELA SILVA CÂMARA MUNICIPAL DO CARTAXO ISABELA CHAGAS CÂMARA MUNICIPAL DO CARTAXO MARTA AZEVEDO GUARDA NACIONAL REPUBLICANA

Leia mais

A Situação do País em Matéria de Álcool

A Situação do País em Matéria de Álcool Relatório Anual 2013 A Situação do País em Matéria de Álcool Coleção Relatórios SERVIÇO DE INTERVENÇÃO NOS COMPORTAMENTOS ADITIVOS E NAS DEPENDÊNCIAS Relatório Anual 2013 A Situação do País em Matéria

Leia mais

Seguro Auto Montepio Flex Coberturas e Garantias

Seguro Auto Montepio Flex Coberturas e Garantias Quadro síntese das Coberturas/Garantias Coberturas Módulo "S" Módulo "M" Módulo "L" Special Leasing Special Pesados Special Ciclom. e Motoc. Responsabilidade Civil 6.000.000,00 50.000.000,00 6.000.000,00

Leia mais

Seguro Automóvel. Condições Gerais, Especiais e Particulares

Seguro Automóvel. Condições Gerais, Especiais e Particulares Seguro Automóvel Condições Gerais, Especiais e Particulares ÍNDICE CONDIÇÕES GERAIS PARTE I TUDO SOBRE A COBERTURA DE RESPONSABILIDADE CIVIL OBRIGATÓRIA E, NOS CASOS EXPRESSAMENTE ASSINALADOS, ALGO SOBRE

Leia mais

Transportes em Portugal

Transportes em Portugal Transportes em Portugal Transportes em Portugal 1 PROCURA CARGA MOVIMENTADA TRANSPORTE PROFISSIONAL RODOVIÁRIO DE MERCADORIAS Segmentos de 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Mercado 10 3 ton % 10 3 ton % 10

Leia mais

Usados de Confiança. Garantidamente. Serviço Mobilidade. Das Welt Auto. 24 horas

Usados de Confiança. Garantidamente. Serviço Mobilidade. Das Welt Auto. 24 horas Usados de Confiança. Garantidamente. Serviço Mobilidade Das Welt Auto 24 horas Serviço Mobilidade Das Welt Auto 24 horas * Nos termos da lei nº 67/98, de 26.10, a base de dados com todos os clientes desta

Leia mais

A VIDA SOBRE DUAS RODAS: REDUZINDO RISCOS E DANOS UMA AÇÃO INTERSETORIAL

A VIDA SOBRE DUAS RODAS: REDUZINDO RISCOS E DANOS UMA AÇÃO INTERSETORIAL A VIDA SOBRE DUAS RODAS: REDUZINDO RISCOS E DANOS UMA AÇÃO INTERSETORIAL Olga Lopes Salomão 1 ; Marineide de Jesus Nunes 1, Rodolfo C. Villa do Miu 1, Brigina Kemp 2, Carlos Eduardo Abrahão 2, William

Leia mais

RELATÓRIO DA ATIVIDADE POR UMA MOBILIDADE MAIS SUSTENTÁVEL

RELATÓRIO DA ATIVIDADE POR UMA MOBILIDADE MAIS SUSTENTÁVEL RELATÓRIO DA ATIVIDADE POR UMA MOBILIDADE MAIS SUSTENTÁVEL 1. Dia da atividade 19 de Abril 2. Objetivos / Acções 2.1 Promoção de uma mobilidade mais sustentável, apelando aos alunos que, nesse dia, caso

Leia mais

TRANSPORTES RODOVIÁRIOS: NORMAS EM MATÉRIA DE TRÁFEGO E SEGURANÇA

TRANSPORTES RODOVIÁRIOS: NORMAS EM MATÉRIA DE TRÁFEGO E SEGURANÇA TRANSPORTES RODOVIÁRIOS: NORMAS EM MATÉRIA DE TRÁFEGO E SEGURANÇA A UE pretende realizar um espaço europeu da segurança rodoviária ao longo da década de 2010-2020. As competências nesta matéria são principalmente

Leia mais

Relatório. A sinistralidade rodoviária no distrito do Porto. Como se pode eliminar os acidentes num local em particular?

Relatório. A sinistralidade rodoviária no distrito do Porto. Como se pode eliminar os acidentes num local em particular? Relatório A sinistralidade rodoviária no distrito do Porto Como se pode eliminar os acidentes num local em particular? Porto, Outubro de2010 CIV 208 Ana Oliveira André Teixeira Cirilo Ferreira Daniel David

Leia mais