AS NOVAS REGRAS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL - ENQUADRAMENTO DAS EMPRESAS REFERENTE AO RAT/SAT E O CÁLCULO DO FAP/NEXOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AS NOVAS REGRAS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL - ENQUADRAMENTO DAS EMPRESAS REFERENTE AO RAT/SAT E O CÁLCULO DO FAP/NEXOS"

Transcrição

1 XVII FISP AS NOVAS REGRAS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL - ENQUADRAMENTO DAS EMPRESAS REFERENTE AO RAT/SAT E O CÁLCULO DO FAP/NEXOS Jaques Sherique Eng. Mecânico e de Segurança do Trabalho

2 CUSTOS DOS BENEFÍCIOS NO BRASIL Benefícios Emitidos Acidentários 4,356 bi 4,387 bi 5,075 bi Aposentadorias Especiais 5,480 bi 5,550 bi 5,650 bi Totais 9,836 bi 9,937 bi 10,725 bi Anuário Estatístico da Previdência Social

3 RAT/SAT empresas avaliadas Sub classes Redução de Enquadramento de 92,37 % ( ) Aumento de Enquadramento de 7,62% (72.628) Mais de 3 milhões de Pequenas e Micro empresas enquadradas no simples não pagam SAT Até 31 de outubro o INSS vai publicar o Demonstrativo de Investimentos em Recursos Materiais, Humanos e Tecnológicos em melhorias na segurança do trabalho. que deveram ser enviados até o dia 31/12/2009.

4 Governo reclassificou os graus de risco que definem o enquadramento nas alíquotas do SAT de 1301 subclasses (atividade econômica).

5 RAT/SAT 2009 CLASSES CNAE Aumentaram 67% Mantiveram 29% Reduziram 4%

6 Reenquadramento de Alíquota SAT Deslocamentos derivados de reenquadramentos na alíquota do SAT 866 (67%) 379 (29%) Majoração pós-reenquadramento na alíquota do SAT das Subclasses CNAE (44%) 247 (29%) 236 (27%) 55 (4%) redução constante aumento número de subclasses Subclasses (CNAE dígitos) 2 para 3 1 para 2 1 para 3 número de subclasses metade dobro triplo 50% 100% 200%

7 DECRETO Nº de 09/09/2009 DOU de 10/09/2009 Alteração do Anexo V Reenquadramento das Alíquotas do SAT (Vigência a partir de janeiro de 2010) Em base da acidentalidade, morbidade e mortalidade no trabalho no período de 2005 a 2007.

8 Quantidade de Benefícios por Incapacidade e Pensões por Morte Concedidos - Abril de 2006, 2007 e 2008 GRUPOS DE ESPÉCIES Abril de 2006 (A) Abril de 2007 (B) Abril de 2008 (C) (B/A) Variação (C/B) Previdenciários ,99 15,58 Aposentadoria por Invalidez ,84 144,67 Pensões por Morte ,67 9,09 Auxílio-Doença ,98 8,58 Auxílio-Acidente - qualquer natureza ,37 158,43 Demais Benefícios ,14 17,74 Acidentários ,37 4,61 Aposentadorias por Invalidez ,24 216,17 Pensão por Morte ,14-31,25 Auxílio-Doença ,55 1,80 Auxílio-Acidente ,61 53,81 Auxílio-Suplementar ,38-26,67 FONTE: Boletim Estatístico da Previdência Social, Vol. 11 nº 4, Vol. 12 nº 4 e Vol. 13 nº 4.

9 Auxílios-Doença Acidentários Concedidos - Mai/2006 a Mar/2007 e Abr/2007 a Fev/2008 CID-10 - Capítulos CAT CAT + NTEP Variação (%) - Pré e Pós NTEP TOTAL ,67 Algumas doenças infecciosas e parasitárias (A00-B99) ,72 Neoplasias [tumores] (C00-D48) ,86 Doenças do sangue e dos órgãos hematopoéticos e alguns transtornos imunitários (D50-D89) ,22 Doenças endócrinas, nutricionais e metabólicas (E00-E90) ,00 Transtornos mentais e comportamentais (F00- F99) ,09 Doenças do sistema nervoso (G00-G99) ,31 Doenças do olho e anexos (H00-H59) ,62 Doenças do ouvido e da apófise mastóide (H60- H95) ,15 Doenças do aparelho circulatório (I00-I99) ,63 Doenças do aparelho respiratório (J00-J99) ,72

10 Continuação CID-10 - Capítulos CAT CAT + NTEP Variação (%) - Pré e Pós NTEP Doenças do aparelho digestivo (K00-K93) ,02 Doenças da pele e do tecido subcutâneo (L00-L99) ,17 Doenças do sistema osteomuscular e do tecido conjuntivo (M00-M99) ,30 Doenças do aparelho geniturinário (N00-N99) ,57 Gravidez, parto e puerpério (O00-O99) ,33 Malformações congênitas, deformidades e anomalias cromossômicas (Q00-Q99) ,33 Lesões, envenenamento e algumas outras conseqüências de causas externas (S00-T98) ,25 Fatores que influenciam o estado de saúde e o contato com os serviços de saúde (Z00-Z99) ,82 Ignorado (51,87) Fonte: INSS, Suibe e Dataprev, Sintese. Elaboração: SPS, Área Técnica de Monitoramento dos Benefícios por Incapacidade.

11 ACIDENTES REGISTRADOS 2008 TÍPICOS CAT=80,4% TRAJETO CAT=16,2% DOENÇAS CAT=3,4%

12 RISCOS OCUPACIONAIS MECÂNICOS CAT=60% ERGONÔ- MICOS CAT=30% AMBIENTAIS (F/Q/B) CAT=10%

13 GESTÃO DOS RISCOS BEM ESTAR SOCIAL FORMAÇÃO EM SST SGSST - ABNT PCMSO PPRA

14 Ciclo Virtuoso da Sabedoria CONHECIMENTO INFORMAÇÃO EXPERIÊNCIA SABEDORIA

15 Ciclo Virtuoso da Redução dos Custos Através da Prevenção Investimentos em Treinamentos, Educação e Auditorias em S.S.T $ (Recursos Financeiros) Conhecimento e Avaliação dos Riscos Inovação e Melhorias Para Prevenção de Acidentes

16 DECRETO Nº /05/1999 I - um por cento para a empresa em cuja atividade preponderante o risco de acidente do trabalho seja considerado leve; II - dois por cento para a empresa em cuja atividade preponderante o risco de acidente do trabalho seja considerado médio; ou III - três por cento para a empresa em cuja atividade preponderante o risco de acidente do trabalho seja considerado grave.

17 DECRETO Nº /05/1999 Art.203. A fim de estimular investimentos destinados a diminuir os riscos ambientais no trabalho, o Ministério da Previdência e Assistência Social poderá alterar o enquadramento de empresa que demonstre a melhoria das condições do trabalho, com redução dos agravos à saúde do trabalhador, obtida através de investimentos em prevenção e em sistemas gerenciais de risco. 1º A alteração do enquadramento estará condicionada à inexistência de débitos em relação às contribuições devidas ao Instituto Nacional do Seguro Social e aos demais requisitos estabelecidos pelo Ministério da Previdência e Assistência Social.

18 DECRETO Nº /05/1999 Art Das decisões do INSS nos processos de interesse dos beneficiários e das controvérsias relativas à apuração do FAP caberá recurso para o CRPS, conforme disposto neste Regulamento e no Regimento Interno do Conselho. 1º É de trinta dias o prazo para interposição de recursos e para o oferecimento de contra-razões, contados da ciência da decisão e da interposição do recurso, respectivamente.

19 DECRETO Nº /05/1999 Art O acidente do trabalho será caracterizado tecnicamente pela perícia médica do INSS, mediante a identificação do nexo entre o trabalho e o agravo. I - o acidente e a lesão; II - a doença e o trabalho; e III - a causa mortis e o acidente.

20 DECRETO Nº /05/ Juntamente com o requerimento de que tratam os 8o e 9o, a empresa formulará as alegações que entender necessárias e apresentará as provas que possuir demonstrando a inexistência de nexo entre o trabalho e o agravo. 11. A documentação probatória poderá trazer, entre outros meios de prova, evidências técnicas circunstanciadas e tempestivas à exposição do segurado, podendo ser produzidas no âmbito de programas de gestão de risco, a cargo da empresa, que possuam responsável técnico legalmente habilitado.

21 DECRETO Nº /05/ O INSS informará ao segurado sobre a contestação da empresa para que este, querendo, possa impugná-la, obedecendo, quanto à produção de provas, ao disposto no 10, sempre que a instrução do pedido evidenciar a possibilidade de reconhecimento de inexistência do nexo entre o trabalho e o agravo. 13. Da decisão do requerimento de que trata o 7o cabe recurso, com efeito suspensivo, por parte da empresa ou, conforme o caso, do segurado ao Conselho de Recursos da Previdência Social, nos termos dos arts. 305 a 310.

22 Fluxograma da Prevenção I. Gerenciamento II. Controle III. Proteção Erro Incidente + Risco/Perigo Falha Acidente

23 IN - INSS/PRES Nº 31 de 10/09/2008 Revoga a IN-INSS/PRES Nº 16 de 27/03/2007 Art. 3º O nexo técnico previdenciário poderá ser de natureza causal ou não, havendo três espécies: I - nexo técnico profissional ou do trabalho, fundamentado nas associações entre patologias e exposições constantes das listas A e B do anexo II do Decreto nº 3.048, de 1999;

24 IN - INSS/PRES Nº 31 de 10/09/2008 Revoga a IN-INSS/PRES Nº 16 de 27/03/2007 II - nexo técnico por doença equiparada a acidente de trabalho ou nexo técnico individual, decorrente de acidentes de trabalho típicos ou de trajeto, bem como de condições especiais em que o trabalho é realizado e com ele relacionado diretamente, nos termos do 2º do art. 20 da Lei nº 8.213/91

25 IN - INSS/PRES Nº 31 de 10/09/2008 Revoga a IN-INSS/PRES Nº 16 de 27/03/2007 III - nexo técnico epidemiológico previdenciário, aplicável quando houver significância estatística da associação entre o código da Classificação Internacional de Doenças-CID, e o da Classificação Nacional de Atividade Econômica-CNAE, na parte inserida pelo Decreto nº 6.042/07, na lista B do anexo II do Decreto nº 3.048,/99;

26 IN - INSS/PRES Nº 31 de 10/09/2008 Revoga a IN-INSS/PRES Nº 16 de 27/03/2007 I - nexo técnico profissional ou do trabalho - NTP: - listas A e B do anexo II do Decreto nº 3.048, de 1999; II - nexo técnico por doença equiparada a acidente de trabalho ou nexo técnico individual NTD/NTI - 2º do art. 20 da Lei nº 8.213/91; III - nexo técnico epidemiológico previdenciário - NTEP - lista B do anexo II do Decreto nº 3.048,/99;

27 IN - INSS/PRES Nº 31 de 10/09/2008 Revoga a IN-INSS/PRES Nº 16 de 27/03/2007 3º A perícia médica do INSS poderá deixar de aplicar o nexo técnico epidemiológico mediante decisão fundamentada, quando dispuser de informações ou elementos circunstanciados e contemporâneos ao exercício da atividade que evidenciem a inexistência do nexo técnico entre o agravo e o trabalho.

28 IN - INSS/PRES Nº 31 de 10/09/2008 Revoga a IN-INSS/PRES Nº 16 de 27/03/2007 Art. 7º A empresa poderá requerer ao INSS, até quinze dias após a data para a entrega da Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social- GFIP, a não aplicação do nexo técnico epidemiológico, ao caso concreto, quando dispuser de dados e informações que demonstrem que os agravos não possuem nexo técnico com o trabalho exercido pelo trabalhador, sob pena de não conhecimento da alegação em instância administrativa, caso não protocolize o requerimento tempestivamente

29 IN - INSS/PRES Nº 31 de 10/09/2008 Revoga a IN-INSS/PRES Nº 16 de 27/03/2007 1º Caracterizada a impossibilidade de atendimento ao disposto no caput, motivada pelo não conhecimento tempestivo da informação do diagnóstico do agravo, o requerimento de que trata este artigo poderá ser apresentado no prazo de quinze dias da data para entrega da GFIP do mês de competência da realização da perícia que estabeleceu o nexo entre o trabalho e o agravo.

30 IN - INSS/PRES Nº 31 de 10/09/2008 Revoga a IN-INSS/PRES Nº 16 de 27/03/ Será considerada apenas a documentação probante que contiver a indicação, assinatura e número de registro, anotação técnica, ou equivalente do responsável legalmente habilitado, para os respectivos períodos e escopos, perante o conselho de profissão. 11. O segurado em situação de desemprego, no período de graça, terá todos os direitos característicos da forma de filiação de empregado.

31 A NOVA METODOLOGIA PARA O CÁLCULO DO FATOR ACIDENTÁRIO DE PREVENÇÃO - FAP RESOLUÇÃO CNPS Nº 1.316, de 31 de Maio de 2010 Publicada no D.O.U em Jaques Sherique Eng. Mecânico e de Segurança do Trabalho

32 ACIDENTES DE TRABALHO REGISTRADOS MOTIVO ANO TÍPICO TRAJETO DOENÇA DO TRABALHO SEM CAT REGISTRADAS TOTAL

33 Fator Acidentário de Prevenção - FAP CNAE grau leve 1% 1% 0,5% a 2% FAP= [0,50; 2,00] CNAE grau médio 2% 2% 1% a 4 % CNAE grau grave 3% 3% 1,5% a 6 %

34

35 Benefícios Previdenciários e o CID Auxilio-doença previdenciário (B31); Aposentadoria por invalidez previdenciária (B32); Auxilio-doença acidentário (B91); Aposentadoria por invalidez acidentária (B92); Pensão por morte acidentaria (B93); Auxílio-acidente (B94)

36 TÉCNICAS DE ANÁLISE DE RISCOS 1 - CHECK-LIST 2 - TÉCNICA DE INCIDENTES CRÍTICOS 3 - SÉRIE DE RISCOS 4 - ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGOS/RISCOS - APPR 5 - ANÁLISE DE MODOS DE FALHA E EFEITOS - FMEA

37 RESOLUÇÃO CNPS Nº 1.316, de 31 de Maio de 2010, publicada no DOU em Art. 1º O Anexo da Resolução MPS/CNPS Nº 1.308, de 27 de maio de 2009, passa a vigorar com a nova redação aprovada pelo Plenário da 165ª Reunião Ordinária do CNPS, realizada em 31 de maio de 2010, anexa a esta Resolução. Anuário Estatístico da Previdência Social

38 2.3.1 Índice de Freqüência O cálculo do índice de freqüência é obtido da seguinte maneira: Índice de freqüência = número de acidentes registrados em cada empresa, mais os benefícios que entraram sem CAT vinculada, por nexo técnico/número médio de vínculos x (mil). IF = Número de Acidentes + Benefícios por Nexo Técnico N.º Médio de Vínculos x Anuário Estatístico da Previdência Social

39 2.3.2 Índice de Gravidade Para esse índice são computados todos os casos de: - Afastamento acidentário por mais de 15 dias (auxílio-doença acidentário - B91). - Os casos de auxílio-acidente (B94). - Aposentadoria por invalidez (B92). - Pensão por morte acidentária (B93). Anuário Estatístico da Previdência Social

40 2.3.2 Índice de Gravidade É atribuído peso diferente para cada tipo de afastamento em função da gravidade da ocorrência. - Para morte o peso é 0,50; - Para invalidez o peso é 0,30; - Para auxílio-doença o peso é 0,10; e - Para auxílio acidente o peso é 0,10. Anuário Estatístico da Previdência Social

41 2.3.2 Índice de Gravidade O cálculo do índice de gravidade é obtido da seguinte maneira: Índice de gravidade = (número de benefícios auxílio doença por acidente (B91) x 0,1 + número de benefícios por invalidez (B92) x 0,3 + número de benefícios por morte (B93) x 0,5 + o número de benefícios auxílio-acidente (B94) x 0,1)/número médio de vínculos x (mil). IG = (B91 x 0,1) + (B92 x 0,3) + (B93 x 0,5) + (B94 x 0,1) N.º Médio de Vínculos x Anuário Estatístico da Previdência Social

42 2.3.3 Índice de custo Representa o custo dos benefícios por afastamento cobertos pela Previdência. Para esse índice são computados os valores pagos pela Previdência em rendas mensais de benefícios. No caso do auxílio-doença (B91), o custo é calculado pelo tempo de afastamento, em meses e fração de mês, do trabalhador dentro do Período-base de cálculo do FAP. Anuário Estatístico da Previdência Social

43 2.3.3 Índice de custo O cálculo do índice de custo é obtido da seguinte maneira: Índice de custo = valor total de benefícios/valor total de remuneração paga pelo estabelecimento aos segurados x (mil). IC = VT de Benefícios VT de Remuneração paga pelo Estabelecimento x Anuário Estatístico da Previdência Social

44 2.4 Geração do Fator Acidentário de Prevenção- FAP por Empresa O percentil de ordem para cada um desses índices para as empresas dessa Subclasse é dado pela fórmula abaixo: Percentil = 100 x (N. Ordem - 1) / (n - 1) PERCENTIL = 100 x (N.º de Ordem - 1) (n 1) n = número de estabelecimentos na Subclasse; N.º de Ordem = posição do índice no ordenamento da empresa na Subclasse. Anuário Estatístico da Previdência Social

45 Exemplo de FAP para o primeiro ano: Se o FAP da empresa for 1,0 o FAP corrigido será: FAP = 1,0000 Se o FAP da empresa for 1,5 o FAP corrigido será: FAP = 1, (0,5 x 0,75) = 1,3750 Se o FAP da empresa for 2,0 o FAP corrigido será: FAP = 1, (1 x 0,75) = 1,75 Anuário Estatístico da Previdência Social

46 Exemplo: Exemplo : Os percentis de uma empresa são: Índice de frequência - If: 87,24 Índice de gravidade - Ig: 85,64 Ïndice de Custo - Ic: 91,32 Os índices são individuais por empresa e foram obtidos no site do INSS. Estes são os pesos atribuídos a cada um dos índices respectivamente: If; 0,50 Ig: 0,30 Ic: 0,15

47 Exemplo: Portanto o cálculo do Índice Composto IC, será: IC = (0,50X87,24 + 0,35 X 85,64 + 0,15 x 91,32) x 0,02 = 1,7458 Considerando o desconto de 25% no FAP, previsto para o primeiro ano sobre o que exceder da unidade, teremos FAP Desc = 1 + (0,7458 X 75%) = 1,5594 Se a empresa tem a alícota de Seguro Acidente do Trabalho SAT de 3%, o seu SAT ajustado será: SAT Ajus = 3 x 1,5594 = 4,6782% Este será o SAT ajustado pelo FAP para ser aplicado de Jan/Dez-2010

48 MUITO OBRIGADO

Contestação e Recurso: NTEP e FAP

Contestação e Recurso: NTEP e FAP Contestação e Recurso: NTEP e FAP Bruno Gil de Carvalho Lima Instituto Nacional do Seguro Social Instituto Médico-Legal Nina Rodrigues Câmara Técnica de Perícia Médica do CRM-BA 1 Análise Pericial Conclusão

Leia mais

Atualização FAP. Decreto /09/09 Resolução CNPS /05/09 Resolução CNPS /05/09

Atualização FAP. Decreto /09/09 Resolução CNPS /05/09 Resolução CNPS /05/09 Atualização FAP Decreto 6957 9/09/09 Resolução CNPS 1308 26 /05/09 Resolução CNPS 1308 26 /05/09 Listas Separadas no Decreto LISTA B Nota: As doenças e respectivos agentes etiológicos ou fatores de risco

Leia mais

Recurso de Nexo Técnico Epidemiológico SETEMBRO / 2010

Recurso de Nexo Técnico Epidemiológico SETEMBRO / 2010 Recurso de Nexo Técnico Epidemiológico SETEMBRO / 2010 Nexo Técnico Epidemiológico Criado pela MP nº 316, de 11/08/2006, convertido na Lei nº 11.430, de 26/12/2006, regulamentada pelo Decreto nº 6.042,

Leia mais

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL RESOLUÇÃO MPS/CNPS Nº 1.308, DE 27 DE MAIO DE 2009

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL RESOLUÇÃO MPS/CNPS Nº 1.308, DE 27 DE MAIO DE 2009 MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL RESOLUÇÃO MPS/CNPS Nº 1.308, DE 27 DE MAIO DE 2009 O PLENÁRIO DO CONSELHO NACIONAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - CNPS, em sua 154ª Reunião Ordinária, realizada no dia 27 de maio

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 16, DE 27 DE MARÇO DE 2007(*) DOU

INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 16, DE 27 DE MARÇO DE 2007(*) DOU INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 16, DE 27 DE MARÇO DE 2007(*) DOU 30-03-2007 Dispõe sobre procedimentos e rotinas referentes ao Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário-NTEP, e dá outras providências. FUNDAMENTAÇÃO

Leia mais

Saúde e Segurança Ocupacional Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário - NTEP e Fator Acidentário de Prevenção - FAP

Saúde e Segurança Ocupacional Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário - NTEP e Fator Acidentário de Prevenção - FAP II Encontro sobre Assuntos Previdenciários Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas CNTQ São Paulo Saúde e Segurança Ocupacional Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário - NTEP

Leia mais

PREVENRIO PRESPECTIVAS DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHADOR NO SÉCULO XXI

PREVENRIO PRESPECTIVAS DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHADOR NO SÉCULO XXI PREVENRIO -2012 PRESPECTIVAS DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHADOR NO SÉCULO XXI Data: 24 de Agosto de 2012 Local: Centro de Convenções Sulamerica OBJETIVO Chamar atenção sobre a importância da prevenção

Leia mais

210ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO NACIONAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL CNPS

210ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO NACIONAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL CNPS 210ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO NACIONAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL CNPS FATOR ACIDENTÁRIO DE PREVENÇÃO FAP PROPOSTAS DE ALTERAÇÕES DA RESOLUÇÃO CNPS Nº 1.316, 2009. Brasília, 30 de outubro de 2014 Bonus

Leia mais

DECRETO N.º 3.048, de 06 de maio de 1999 CAPÍTULO IV DAS CONTRIBUIÇÕES DA EMPRESA E DO EMPREGADOR DOMÉSTICO. Seção I Das Contribuições da Empresa

DECRETO N.º 3.048, de 06 de maio de 1999 CAPÍTULO IV DAS CONTRIBUIÇÕES DA EMPRESA E DO EMPREGADOR DOMÉSTICO. Seção I Das Contribuições da Empresa DECRETO N.º 3.048, de 06 de maio de 1999 CAPÍTULO IV DAS CONTRIBUIÇÕES DA EMPRESA E DO EMPREGADOR DOMÉSTICO Seção I Das Contribuições da Empresa Art. 202-A. As alíquotas constantes nos incisos I a III

Leia mais

PALESTRA PRESPECTIVAS DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHADOR NO SÉCULO XXI

PALESTRA PRESPECTIVAS DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHADOR NO SÉCULO XXI PALESTRA - 2012 PRESPECTIVAS DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHADOR NO SÉCULO XXI Data: 27 de Novembro de 2012 Local: Macaé - RJ OBJETIVO Chamar atenção sobre a importância da prevenção dos acidentes e da

Leia mais

Tarifação Coletiva e Individual. Empresas e os riscos ambientais do trabalho.

Tarifação Coletiva e Individual. Empresas e os riscos ambientais do trabalho. Tarifação Coletiva e Individual Empresas e os riscos ambientais do trabalho. 1 O que é? Tarifação coletiva SAT/RAT LEI Nº 8.212. Art. 22,II Para financiamento do benefício previsto nos arts. 57 e 58 da

Leia mais

FATOR ACIDENTÁRIO DE PREVENÇÃO

FATOR ACIDENTÁRIO DE PREVENÇÃO FATOR ACIDENTÁRIO DE PREVENÇÃO GESTÃO PARA CUMPRIMENTO DOS PRAZOS DE RECURSOS Carla Soares Gerente Jurídica do Sinduscon-Rio juridico@sinduscon-rio.com.br HISTÓRICO: MP 83/2002 art. 10 Lei 10.666/2003

Leia mais

Seminário: FAP, RAT E NTEP

Seminário: FAP, RAT E NTEP Seminário: FAP, RAT E NTEP Gestão do MPS sobre: SAT e FAP São Paulo, 29 de setembro de 2014 Constituição da República Brasil 1988 CAPÍTULO II DIREITOS SOCIAIS Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos

Leia mais

DICAS DE NOVEMBRO / 2014

DICAS DE NOVEMBRO / 2014 DICAS DE NOVEMBRO / 2014 DICA 01 O segurado especial é o único segurado da previdência social que poderá ter sua inscrição feita após sua morte. DICA 02 O benefício de prestação continuada da Assistência

Leia mais

GT Saúde do Servidor Amostra Nacional Gestão do Absenteísmo-Doença entre Servidores Estaduais Biênio

GT Saúde do Servidor Amostra Nacional Gestão do Absenteísmo-Doença entre Servidores Estaduais Biênio Governo do Distrito Federal Secretaria de Estado de Administração Pública Subsecretaria de Saúde, Segurança e Previdência dos Servidores GT Saúde do Servidor Amostra Nacional Gestão do Absenteísmo-Doença

Leia mais

Contestação do Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário

Contestação do Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário Contestação do Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário 1 A Previdência Social tem a obrigação constitucional de dar cobertura ao acidente do trabalho: Cabe ao INSS toda a regulamentação do reconhecimento

Leia mais

DECRETO N.º 3.048, de 06 de maio de 1999 CAPÍTULO IV DAS CONTRIBUIÇÕES DA EMPRESA E DO EMPREGADOR DOMÉSTICO. Seção I Das Contribuições da Empresa

DECRETO N.º 3.048, de 06 de maio de 1999 CAPÍTULO IV DAS CONTRIBUIÇÕES DA EMPRESA E DO EMPREGADOR DOMÉSTICO. Seção I Das Contribuições da Empresa Atualizações: Decreto nº 3.265, de 1999 Decreto nº 3.452, de 2000 Decreto nº 3.668, de 2000 Decreto nº 4.729, de 2003 Decreto nº 6.042, de 2007 Decreto nº 5.699, de 2006 Decreto nº 6.496, de 2008 Decreto

Leia mais

Portaria Interministerial MPS/MF Nº 579 de 23 de setembro de (DOU de 26/09/2011 Seção I pág 31) (Retificação 27/09/2011 Seção I pág 54)

Portaria Interministerial MPS/MF Nº 579 de 23 de setembro de (DOU de 26/09/2011 Seção I pág 31) (Retificação 27/09/2011 Seção I pág 54) Portaria Interministerial MPS/MF Nº 579 de 23 de setembro de 2011 (DOU de 26/09/2011 Seção I pág 31) (Retificação 27/09/2011 Seção I pág 54) Dispõe sobre a publicação dos índices de frequência, gravidade

Leia mais

186, 1, CNAE 2.1, 2013, - FAP

186, 1, CNAE 2.1, 2013, - FAP Fonte: Diário Oficial da União, Edição 186, Seção 1, p. 97 de 25.09.2013 Portaria Interministerial nº 413 de 24.09.2013 - Dispõe sobre a publicação dos róis dos percentis de frequência, gravidade e custo,

Leia mais

ACIDENTE DO TRABALHO ARTIGOS 19 a 23 DA LEI 8213/91 Prof. Anderson Castelucio Art. 19. Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa ou pelo exercício do trabalho

Leia mais

Fonte: Diário Oficial da União, Edição nº 186, Seção I, p. 43, Portaria Interministerial MPS/MF nº 424, de

Fonte: Diário Oficial da União, Edição nº 186, Seção I, p. 43, Portaria Interministerial MPS/MF nº 424, de Fonte: Diário Oficial da União, Edição nº 186, Seção I, p. 43, 25.09.2012 Portaria Interministerial MPS/MF nº 424, de 24.09.2012 Dispõe sobre a publicação dos índices de freqüência, gravidade e custo,

Leia mais

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL GABINETE DO MINISTRO

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL GABINETE DO MINISTRO MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL N.º 413,DE 24 DE SETEMBRO DE 2013. (DOU de 25/09/2013 Seção I Pág. 97) Dispõe sobre a publicação dos róis dos percentis de

Leia mais

Ministério da Previdência Social

Ministério da Previdência Social Nº 186, quarta-feira, 25 de setembro de 2013 1 ISSN 1677-7042 97 pelo código 00012013092500097. Ministério da Previdência Social GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL N o - 413, DE 24 DE SETEMBRO

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 424, DE 24 DE SETEMBRO DE Page 1 of 28

PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 424, DE 24 DE SETEMBRO DE Page 1 of 28 PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 424, DE 24 DE SETEMBRO DE 20... Page 1 of 28 PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 424, DE 24 DE SETEMBRO DE 2012 - DOU DE 25/09/2012 Dispõe sobre a publicação dos índices

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 451, DE 23 DE SETEMBRO DE 20...Page 1 of 27

PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 451, DE 23 DE SETEMBRO DE 20...Page 1 of 27 PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 451, DE 23 DE SETEMBRO DE 20...Page 1 of 27 PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 451, DE 23 DE SETEMBRO DE 2010 - DOU DE 24/09/2010 Dispõe sobre a publicação dos índices

Leia mais

GESTÃO DE ABSENTEÍSMO

GESTÃO DE ABSENTEÍSMO GESTÃO DE ABSENTEÍSMO O CENÁRIO - dados - O absenteísmo é um fenômeno de alcance mundial que tem crescido significativamente nos últimos anos trazendo impactos econômicos e sociais aos trabalhadores e

Leia mais

PORTARIA MF Nº 390 DE 28 DE SETEMBRO DE 2016 (DOU 30/09/2016)

PORTARIA MF Nº 390 DE 28 DE SETEMBRO DE 2016 (DOU 30/09/2016) PORTARIA MF Nº 390 DE 28 DE SETEMBRO DE 2016 (DOU 30/09/2016) Divulga os róis dos percentis de frequência, gravidade e custo, por Subclasse da Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE 2.2,

Leia mais

TUDO QUE VOCÊ QUERIA SABER SOBRE O FAP - FATOR ACIDENTÁRIO DE PREVENÇÃO

TUDO QUE VOCÊ QUERIA SABER SOBRE O FAP - FATOR ACIDENTÁRIO DE PREVENÇÃO TUDO QUE VOCÊ QUERIA SABER SOBRE O FAP - FATOR ACIDENTÁRIO DE PREVENÇÃO Jaques Sherique* O Processamento do FAP 2009 ocorreu no ambiente Dataprev e teve como ponto de partida a extração de três bases de

Leia mais

CENÁRIOS E PERSPECTIVAS

CENÁRIOS E PERSPECTIVAS SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO CENÁRIOS E PERSPECTIVAS GUSTAVO NICOLAI VISÃO SISTÊMICA EM SST: ALTA COMPLEXIDADE GRANDE TRANSPARÊNCIA 1. Sistema de Gestão Integrada de QMSR 2. Política de QMSR 3. Estrutura

Leia mais

FAP Multiplicador da contribuição GIIL-RAT. São Paulo, SP Av. Nove de Julho, º Andar

FAP Multiplicador da contribuição GIIL-RAT. São Paulo, SP Av. Nove de Julho, º Andar FAP 2014 Multiplicador da contribuição GIIL-RAT São Paulo, SP Av. Nove de Julho, 5.109 3º Andar +55 11 3254 0050 www.porto.adv.br O QUE É E COMO FUNCIONA O FAP Contribuição para o custeio do Seguro de

Leia mais

SISTEMA DE SEGURIDADE SOCIAL FAP RAT NTEP: EFEITOS NA GESTÃO EMPRESARIAL WAGNER BALERA

SISTEMA DE SEGURIDADE SOCIAL FAP RAT NTEP: EFEITOS NA GESTÃO EMPRESARIAL WAGNER BALERA SISTEMA DE SEGURIDADE SOCIAL FAP RAT NTEP: EFEITOS NA GESTÃO EMPRESARIAL WAGNER BALERA Invalidez Acidentária e 2 Comum INVALIDEZ Acidente de Trabalho Doença Profissional Doença do Trabalho Residual 91/92

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 413, DE 24 DE SETEMBRO DE DOU DE 25/09/ RETIFICADO

PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 413, DE 24 DE SETEMBRO DE DOU DE 25/09/ RETIFICADO PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 413, DE 24 DE SETEMBRO DE 2013 - DOU DE 25/09/2013 - RETIFICADO Retificado pelo DOU de 26/09/2013 Dispõe sobre a publicação dos róis dos percentis de freqüência, gravidade

Leia mais

RESOLUÇÃO CNPS Nº 1.316, DE 31 DE MAIO DE 2010 DOU

RESOLUÇÃO CNPS Nº 1.316, DE 31 DE MAIO DE 2010 DOU RESOLUÇÃO CNPS Nº 1.316, DE 31 DE MAIO DE 2010 DOU 14.06.2010 O PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL, no uso da atribuição que lhe confere o inciso V do art. 21 do Regimento Interno, aprovado

Leia mais

aula 6: quantificação de eventos em saúde

aula 6: quantificação de eventos em saúde ACH-1043 Epidemiologia e Microbiologia aula 6: quantificação de eventos em saúde Helene Mariko Ueno papoula@usp.br Como quantificar eventos relacionados à saúde? O que medir? Como medir? Quando medir?

Leia mais

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DE ACIDENTES DE TRABALHO 2014 PRINCIPAIS RESULTADOS

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DE ACIDENTES DE TRABALHO 2014 PRINCIPAIS RESULTADOS ANUÁRIO ESTATÍSTICO DE ACIDENTES DE TRABALHO 2014 PRINCIPAIS RESULTADOS Brasília, abril de 2016 SPPS Secretaria de Políticas de Previdência Social 1 ESTATÍSTICAS DE ACIDENTES DO TRABALHO 2 ACIDENTE DO

Leia mais

61,6 milhões cobertos (59,6%)

61,6 milhões cobertos (59,6%) Previdência Social Brasil - 2013 População Residente: 201,4 milhões (2016 205,9) Urbana: 170,7 milhões Rural: 30,7 milhões População Economicamente Ativa - PEA: 103,4 milhões População Desocupada: 6,7

Leia mais

ELABORAÇÃO DO FAP PARA UNIDADES DE UMA CORPORAÇÃO: INDICADOR DE DESEMPENHO EM SST.

ELABORAÇÃO DO FAP PARA UNIDADES DE UMA CORPORAÇÃO: INDICADOR DE DESEMPENHO EM SST. ELABORAÇÃO DO FAP PARA UNIDADES DE UMA CORPORAÇÃO: INDICADOR DE DESEMPENHO EM SST. Autor: Dr. Airton Kwitko E-mail: kwitko@sigoweb.com.br INTRODUÇÃO A busca por indicadores de desempenho em SST é intensa,

Leia mais

SIMULADOR DE CUSTOS DE ACIDENTES E AFASTAMENTOS DE TRABALHO - CBIC

SIMULADOR DE CUSTOS DE ACIDENTES E AFASTAMENTOS DE TRABALHO - CBIC SIMULADOR DE CUSTOS DE ACIDENTES E AFASTAMENTOS DE TRABALHO - CBIC Com essa ferramenta da Câmara Brasileira da Indústria da Construção CBIC, a empresa terá uma melhor compreensão sobre a importância de

Leia mais

Políticas Públicas de Segurança e Saúde dos Trabalhadores: FAP e desafios

Políticas Públicas de Segurança e Saúde dos Trabalhadores: FAP e desafios Secretaria de Previdência Social Departamento de Saúde e Segurança Ocupacional Políticas Públicas de Segurança e Saúde dos Trabalhadores: FAP e desafios dpso@previdencia.gov.br Fundamentação Legal - Art.1º

Leia mais

FATOR ACIDENTÁRIO DE PREVENÇÃO FAP. Erros e ilegalidades existentes. Cláudia Salles Vilela Vianna

FATOR ACIDENTÁRIO DE PREVENÇÃO FAP. Erros e ilegalidades existentes. Cláudia Salles Vilela Vianna FATOR ACIDENTÁRIO DE PREVENÇÃO FAP Erros e ilegalidades existentes Cláudia Salles Vilela Vianna claudia@vvf.adv.br 1º PASSO ENTENDER A MATÉRIA PARA EXPLICÁ-LA AO CLIENTE E AOS JUÍZES ENVOLVIDOS NO PROCESSO

Leia mais

Informativo 30/2015 PUBLICADOS ÍNDICES DO FAP 2016 E PRAZOS DE CONTESTAÇÃO (PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 432, DE 29 DE SETEMBRO DE 2015)

Informativo 30/2015 PUBLICADOS ÍNDICES DO FAP 2016 E PRAZOS DE CONTESTAÇÃO (PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 432, DE 29 DE SETEMBRO DE 2015) Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Informativo 30/2015 PUBLICADOS ÍNDICES DO FAP 2016 E PRAZOS DE CONTESTAÇÃO (PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 432, DE 29 DE SETEMBRO DE 2015) Através da Portaria

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MATÉRIAS PREVIDÊNCIA SOCIAL

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MATÉRIAS PREVIDÊNCIA SOCIAL TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MATÉRIAS PREVIDÊNCIA SOCIAL Orientador Empresarial FAP Fator Acidentário de Prevenção Orientações a Partir de Janeiro/ 2010 O FAP - Fator Acidentário

Leia mais

LEI ORGÂNICA DA SEGURIDADE SOCIAL LEI Nº 8.212, DE 24 DE JULHO DE 1991.

LEI ORGÂNICA DA SEGURIDADE SOCIAL LEI Nº 8.212, DE 24 DE JULHO DE 1991. LEI ORGÂNICA DA SEGURIDADE SOCIAL LEI Nº 8.212, DE 24 DE JULHO DE 1991. Dispõe sobre a organização da Seguridade Social, institui Plano de Custeio, e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8212cons.htm

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 1

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 1 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Saúde Ocupacional AULA 1 Competências a serem trabalhadas nesta aula Aplicar legislação brasileira e Norma Regulamentadora NR-7, específicas à Saúde

Leia mais

Treinamento Presencial dos Peritos Médicos da Previdência Social

Treinamento Presencial dos Peritos Médicos da Previdência Social Treinamento Presencial dos Peritos Médicos da Previdência Social INSS Coordenação Geral de Benefícios por Incapacidade Coordenação Geral de Recursos Humanos Novembro de 2007 Epidemiológico Previdenciá

Leia mais

2. Método utilizado para reenquadramento das alíquotas do SAT

2. Método utilizado para reenquadramento das alíquotas do SAT Nota Judicial nº 46/2015/CGSAT/DPSSO/SPPS/MPS Brasília, 27 de julho de 2015. Assunto: Subsídios acerca do reenquadramento das alíquotas do Seguro de Acidente do Trabalho- SAT promovidas pelo Decreto 6.957

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O ABSENTEÍSMO POR DOENÇA DE UMA UNIVERSIDADE FEDERAL E A PREVIDÊNCIA SOCIAL.

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O ABSENTEÍSMO POR DOENÇA DE UMA UNIVERSIDADE FEDERAL E A PREVIDÊNCIA SOCIAL. ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O ABSENTEÍSMO POR DOENÇA DE UMA UNIVERSIDADE FEDERAL E A PREVIDÊNCIA SOCIAL. Carolina de Souza Nogueira 1, Diego Costa Ferreira 2, Prof. Luiz Carlos Pires Montanha 3. 1,2 Alunos

Leia mais

JUDICIALIZAÇÃO DA SST DESAFIOS PARA AS EMPRESAS

JUDICIALIZAÇÃO DA SST DESAFIOS PARA AS EMPRESAS JUDICIALIZAÇÃO DA SST DESAFIOS PARA AS EMPRESAS Caracterização administrativa dos acidentes de trabalho CAT (empresa, empregado, sindicato, médico, autoridade pública) CF/88, art. 5o; Lei 9784/99 Caracterização

Leia mais

SANDRO DA SILVA MÉDICO DO TRABALHO BLUMENAU 2011

SANDRO DA SILVA MÉDICO DO TRABALHO BLUMENAU 2011 SANDRO DA SILVA MÉDICO DO TRABALHO BLUMENAU 2011 ANTES - 2007 Benefícios Previdenciários Acidentários CAT SUBNOTIFICAÇÃO ANTES - 2007 SUBNOTIFICAÇÃO Não reconhecimento dos problemas Poucas ações de melhoria

Leia mais

Classificação_Estatística_Internacional_de_Doenças,_Traumatismos_e_Causas_de_Morte,_9ª_Revisão,_1975_(CID-9

Classificação_Estatística_Internacional_de_Doenças,_Traumatismos_e_Causas_de_Morte,_9ª_Revisão,_1975_(CID-9 Tabela de conteúdo 1 Definição 2 Objectivo 3 Estrutura 4 Implementação 5 Publicações 6 Notas 7 Ver também 8 Data da criação desta página e data da última modificação significativa Definição 9ª revisão

Leia mais

A Repercussão Previdenciária e Tributária dos Acidentes de Trabalho

A Repercussão Previdenciária e Tributária dos Acidentes de Trabalho A Repercussão Previdenciária e Tributária dos Acidentes de Trabalho Orion Sávio Santos de Oliveira Analista Técnico de Políticas Sociais ATPS DPSSO/SPPS/MF orion.oliveira@previdencia.gov.br Roteiro da

Leia mais

Sistema Informações em Mortalidade - SIM Funcionamento. Joaquim Valente

Sistema Informações em Mortalidade - SIM Funcionamento. Joaquim Valente Sistema Informações em Mortalidade - SIM Funcionamento Joaquim Valente jvalente@ensp.fiocruz.br Organização Geral Nível Local Nível Regional Nível Central Estadual Nível Central Federal Fluxo da Informação

Leia mais

MUDANÇAS PREVIDENCIÁRIAS (FAP, NTEP) E O SEU IMPACTO NA CONSTRUÇÃO CIVIL ARMANDO CAMPOS

MUDANÇAS PREVIDENCIÁRIAS (FAP, NTEP) E O SEU IMPACTO NA CONSTRUÇÃO CIVIL ARMANDO CAMPOS MUDANÇAS PREVIDENCIÁRIAS (FAP, NTEP) E O SEU IMPACTO NA CONSTRUÇÃO CIVIL NÃO, NADA IRÁ NESTE MUNDO APAGAR O DESENHO QUE TEMOS AQUI NEM O MAIOR DOS SEUS ERROS MEUS ERROS, REMORSOS O FARÃO SUMIR.. CAETANO

Leia mais

A Evolução da Aposentadoria por Invalidez

A Evolução da Aposentadoria por Invalidez 12 temas de economia aplicada A Evolução da Aposentadoria por Invalidez Rogério Nagamine Costanzi (*) O Brasil é um país marcado por ter um elevado nível de despesa previdenciária para o seu perfil demográfico:

Leia mais

alterações antes da execução de qualquer cálculo no SAP. Atenção especial deve ser dada a casos

alterações antes da execução de qualquer cálculo no SAP. Atenção especial deve ser dada a casos ALTERAÇÃO NAS TABELAS DE CALCULO PARA 2016 Considerando as alterações publicadas pelos órgãos competentes em relação às alíquotas e bases de cálculo do IRRF e INSS, novo valor do salário-mínimo e cotas

Leia mais

XVI Jornada Catarinense de Saúde Ocupacional. Anderson de Souza Araujo. 02 de dezembro de 2011

XVI Jornada Catarinense de Saúde Ocupacional. Anderson de Souza Araujo. 02 de dezembro de 2011 XVI Jornada Catarinense de Saúde Ocupacional Anderson de Souza Araujo 02 de dezembro de 2011 1 Lei 8213/91 Lei 11430/2006, que alterou a Lei 8213/91; Lei 9784/99 Decreto 3048/99 (Regulamento da Previdência

Leia mais

Audiência Pública ADIn nº Amianto

Audiência Pública ADIn nº Amianto Audiência Pública ADIn nº 3.937 - Amianto MINISTÉRIO PREVIDÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DE POLÍTICAS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DEPTº SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL COORDENAÇÃO-GERAL DE MONITORAMENTO BENEFÍCIO Brasília

Leia mais

Planejamento Fiscal Previdenciário. Fábio Zambitte

Planejamento Fiscal Previdenciário. Fábio Zambitte Planejamento Fiscal Previdenciário Fábio Zambitte SAT SEGURO DE ACIDENTES DO TRABALHO CONCEITO: Contribuição social previdenciária incidente sobre o total das remunerações pagas, devidas ou creditadas

Leia mais

Orçamento de Pessoal Aula

Orçamento de Pessoal Aula Orçamento de Pessoal Aula 6 30-05-2012 Prof. Procópio Aula 6 30-05-2012 Salário Família Imposto de Renda Encargos Sociais Exercícios Salário Família Benefício previdenciário que corresponde a uma quota

Leia mais

Priorização em Saúde. Novembro/2015. Prof.ª Lívia Souza UFPE CAV Disciplina: Epidemiologia e Gestão

Priorização em Saúde. Novembro/2015. Prof.ª Lívia Souza UFPE CAV Disciplina: Epidemiologia e Gestão Priorização em Saúde Novembro/2015 Prof.ª Lívia Souza UFPE CAV Disciplina: Epidemiologia e Gestão liviasouza.cav@gmail.com O que é prioridade? É possível definir prioridade em saúde? Por que definir prioridades

Leia mais

Medida Provisória nº 529, de 2011

Medida Provisória nº 529, de 2011 Medida Provisória nº 529, de 2011 Altera os arts. 21 e 24 da Lei no 8.212, de 24 de julho de 1991, que dispõe sobre o Plano de Custeio da Previdência Social, para estabelecer alíquota diferenciada de contribuição

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE Nº 4.397

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE Nº 4.397 Nº 3789 - PGR - RG AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE Nº 4.397 REQUERENTE REQUERIDO REQUERIDO RELATOR : CONFEDERAÇÃO NACIONAL DO COMÉRCIO DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO CNC : PRESIDENTE DA REPÚBLICA : CONGRESSO

Leia mais

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Barcarena DEMOGRAFIA População Total População por Gênero

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Barcarena DEMOGRAFIA População Total População por Gênero SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Barcarena DEMOGRAFIA População Total 99.859 População por Gênero Masculino 50.346 Participação % 50,42 Feminino 49.513

Leia mais

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: São Félix do Xingu

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: São Félix do Xingu SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: São Félix do Xingu DEMOGRAFIA População Total 91.340 População por Gênero Masculino 48.691 Participação % 53,31 Feminino

Leia mais

R A T: RISCOS AMBIENTAIS DO TRABALHO - CUSTEIO - PROCEDIMENTOS

R A T: RISCOS AMBIENTAIS DO TRABALHO - CUSTEIO - PROCEDIMENTOS R A T: RISCOS AMBIENTAIS DO TRABALHO - CUSTEIO - PROCEDIMENTOS Sumário 1. Introdução 2. Contribuição para o financiamento da aposentadoria especial e dos benefícios concedidos em razão do grau de incidência

Leia mais

Benefícios Acidentários e Aposentadorias Especiais custeados pelo Seguro contra Acidentes de Trabalho.

Benefícios Acidentários e Aposentadorias Especiais custeados pelo Seguro contra Acidentes de Trabalho. Benefícios Acidentários e Aposentadorias Especiais custeados pelo Seguro contra Acidentes de Trabalho. Legislação previdenciária Acidente de trabalho Lista aberta de doenças Ratificação da concausalidade

Leia mais

Questões Passíveis de Recurso Direito Previdenciário - Prova Cubo

Questões Passíveis de Recurso Direito Previdenciário - Prova Cubo Questões Passíveis de Recurso Direito Previdenciário - Prova Cubo Questão 52: 52. Na década de 30 do século passado, as caixas de aposentadoria e pensões foram reunidas nos institutos de aposentadoria

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos 1 de 6 09/01/2015 11:04 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos MEDIDA PROVISÓRIA Nº 664, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2014. Exposição de motivos Vigência Altera as Leis n o 8.213,

Leia mais

193ª REUNIÃO ORDINÁRIA 25/04/2013 CONSELHO NACIONAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL CNPS. Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário-NTEP

193ª REUNIÃO ORDINÁRIA 25/04/2013 CONSELHO NACIONAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL CNPS. Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário-NTEP 193ª REUNIÃO ORDINÁRIA 25/04/2013 CONSELHO NACIONAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL CNPS Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário-NTEP Paulo Rogério Albuquerque de Oliveira Coordenador-Geral de Monitoramento de

Leia mais

Memorando-Circular Conjunto nº 24 /DIRBEN/DIRSAT/DIRAT/INSS

Memorando-Circular Conjunto nº 24 /DIRBEN/DIRSAT/DIRAT/INSS Memorando-Circular Conjunto nº 24 /DIRBEN/DIRSAT/DIRAT/INSS Em 30 de maio de 2016. Aos Superintendentes-Regionais, Gerentes-Executivos, Gerentes das Agências da Previdência Social, Especialistas em Normas

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 568, DE 31 DE DEZEMBRO DE DOU DE 03/01/2011

PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 568, DE 31 DE DEZEMBRO DE DOU DE 03/01/2011 PORTARIA INTERMINISTERIAL MPS/MF Nº 568, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2010 - DOU DE 03/01/2011 Dispõe sobre o reajuste dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS e dos demais valores

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DA 12ª REGIÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DA 12ª REGIÃO PARECER TÉCNICO I IDENTIFICAÇÃO IC N.º 0064.2013.12.000/3 INQUIRIDO(A): ITAÚ UNIBANCO S.A. II OBJETIVO Foram analisados os registros de benefícios previdenciários contidos no arquivo de planilha eletrônica

Leia mais

Benefício auxílio-doença: antigo e novo modelo de concessão. João Silvestre da Silva-Júnior twitter.com/joaosilvestrejr

Benefício auxílio-doença: antigo e novo modelo de concessão. João Silvestre da Silva-Júnior twitter.com/joaosilvestrejr Benefício auxílio-doença: antigo e novo modelo de concessão João Silvestre da Silva-Júnior joaossj@gmail.com twitter.com/joaosilvestrejr O que é esperado em um relatório do médico do trabalho quando trabalhador

Leia mais

esocial Uma nova forma de registro dos eventos de Saúde e Segurança do Trabalhador

esocial Uma nova forma de registro dos eventos de Saúde e Segurança do Trabalhador esocial Uma nova forma de registro dos eventos de Saúde e Segurança do Trabalhador Orion Sávio Santos de Oliveira Analista Técnico de Políticas Sociais ATPS DPSSO/SPPS/MF orion.oliveira@previdencia.gov.br

Leia mais

Sistemas de Informação e Vigilância em Saúde do Trabalhador

Sistemas de Informação e Vigilância em Saúde do Trabalhador Sistemas de Informação e Vigilância em Saúde do Trabalhador Limites e Possibilidades nas Políticas de Prevenção Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho Junho de

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Módulo 1 Legislação

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Módulo 1 Legislação Curso Técnico Segurança do Trabalho Medicina do Trabalho Medicina do Trabalho Módulo 1 Legislação PCMSO Estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação, por parte de todos os empregadores do

Leia mais

O que vem mudando na interação entre o médico do trabalho e a medicina assistencial

O que vem mudando na interação entre o médico do trabalho e a medicina assistencial O que vem mudando na interação entre o médico do trabalho e a medicina assistencial Soraia Soares da Silva 22ª. JORNADA DA AMIMT ANTES DO NTEP... ENCAMINHAMENTOS AO ASSISTENTE RECEBIMENTO DE ATESTADOS

Leia mais

PORTARIA MPS/MF Nº 333, DE 29 DE JUNHO DE 2010 (DOU )

PORTARIA MPS/MF Nº 333, DE 29 DE JUNHO DE 2010 (DOU ) PORTARIA MPS/MF Nº 333, DE 29 DE JUNHO DE 2010 (DOU 30.06.2010) Dispõe sobre o salário mínimo e o reajuste dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS e dos demais valores constantes

Leia mais

Morbilidade Hospitalar Serviço Nacional de Saúde

Morbilidade Hospitalar Serviço Nacional de Saúde MORBILIDADE HOSPITALAR SERVIÇO NACIONAL DE SAÚDE 2004 2005 DIRECÇÃO-GERAL DA SAÚDE LISBOA Morbilidade Hospitalar Serviço Nacional de Saúde 2004 2005 Direcção-Geral da Saúde Lisboa Maio 2007 Portugal.

Leia mais

Ano V Set./2017. Adrieli L. Dias dos Santos, Paulo Henrique dos S. Grange, Prof. Dr. André Costa Lucirton e Prof.ª Gabriela Souza Assis

Ano V Set./2017. Adrieli L. Dias dos Santos, Paulo Henrique dos S. Grange, Prof. Dr. André Costa Lucirton e Prof.ª Gabriela Souza Assis Neste relatório serão apresentados dados e índices referentes à saúde na Região de Saúde (RS) de Ribeirão Preto/SP. Segundo o Ministério da Saúde (Decreto Nº 7.508, 2011) define-se como região de saúde

Leia mais

c) Acidentes de Trabalho ou Doenças relacionadas ao Trabalho

c) Acidentes de Trabalho ou Doenças relacionadas ao Trabalho PROVAS ANAMT 2014 No âmbito da Previdência Social, entende-se como Benefícios Acidentários o recebimento por parte do segurado de pagamentos decorrentes da incapacidade para o trabalho causadas por lesões

Leia mais

Auxílio Doença: Empregador será responsável pela remuneração dos primeiros 30 dias de afastamento do empregado.

Auxílio Doença: Empregador será responsável pela remuneração dos primeiros 30 dias de afastamento do empregado. INFORME JURÍDICO 06/01/2015 411 Prezados (as) Auxílio Doença: Empregador será responsável pela remuneração dos primeiros 30 dias de afastamento do empregado. Divulgamos a Medida Provisória 664/2014 que

Leia mais

Dir. Previdenciário Marcos. Alterações: Salário Maternidade

Dir. Previdenciário Marcos. Alterações: Salário Maternidade Alterações: Salário Maternidade NOVIDADE - ALTERAÇÃO Lei 8213/91 Art. 71-A. Ao segurado ou segurada da Previdência Social que adotar ou obtiver guarda judicial para fins de adoção de criança é devido

Leia mais

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DA PREVIDENCIA SOCIAL E SALÁRIO FAMÍLIA Portaria Interministerial MTPS/MF nº 1/2016, de 8 de janeiro de 2016.

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DA PREVIDENCIA SOCIAL E SALÁRIO FAMÍLIA Portaria Interministerial MTPS/MF nº 1/2016, de 8 de janeiro de 2016. Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Di Informativo 02/2016 TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DA PREVIDENCIA SOCIAL E SALÁRIO FAMÍLIA Portaria Interministerial MTPS/MF nº 1/2016, de 8 de janeiro de 2016.

Leia mais

MODELO AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE LABORATIVA E DO NEXO TECNICO PREVIDENCIÁRIO

MODELO AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE LABORATIVA E DO NEXO TECNICO PREVIDENCIÁRIO MODELO AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE LABORATIVA E DO NEXO TECNICO PREVIDENCIÁRIO Brasília Julho/2013 GRANDES NÚMEROS DO INSS 1.501 Agências da Previdência Social 39.392 servidores (4.730 peritos médicos) 198.000

Leia mais

RESOLUÇÃO CNPS Nº TÓPICOS SIGNIFICATIVOS E COMENTÁRIOS

RESOLUÇÃO CNPS Nº TÓPICOS SIGNIFICATIVOS E COMENTÁRIOS RESOLUÇÃO CNPS Nº 1.308 TÓPICOS SIGNIFICATIVOS E COMENTÁRIOS Dr. Airton Kwitko E-mail: kwitko@a3associados.com.br O Conselho Nacional de Previdência Social (CNPS) apresentou nova Resolução nº 1.308, de

Leia mais

SALÁRIO DE BENEFÍCIO: ARTS. 31 A 34 DO DECRETO 3048/99 Prof. Andreson Castelucio 1. ITER PARA O CÁLCULO DO BENEFÍCIO PREVIDENCIÁRIO 2. CONCEITO DE SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO 3. CONCEITO DE SALÁRIO DE BENEFÍCIO

Leia mais

XVII Congresso Brasileiro de Perícia Médica

XVII Congresso Brasileiro de Perícia Médica INSS - DIRETORIA DE BENEFÍCIOS XVII Congresso Brasileiro de Perícia Médica Atualidades e Perspectivas da Perícia Médica: Regime Geral da Previdência Social Filomena Maria Bastos Gomes Coordenadora Geral

Leia mais

CHOQUE DE GESTÃO EM SST COMO ELEMENTO CULTURAL. Paulo Reis 11/2010

CHOQUE DE GESTÃO EM SST COMO ELEMENTO CULTURAL. Paulo Reis 11/2010 CHOQUE DE GESTÃO EM SST COMO ELEMENTO CULTURAL Paulo Reis 11/2010 Philip Kotler (Marketing para o Século S XXI) diz que sós existem três tipos de empresas: as que fazem as coisas acontecerem as que ficam

Leia mais

PERSPECTIVAS DA ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO NO SÉCULO XXI

PERSPECTIVAS DA ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO NO SÉCULO XXI PERSPECTIVAS DA ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO NO SÉCULO XXI Jaques Sherique Eng. Mecânico e de Segurança do Trabalho Conselheiro Titular do CREA-RJ sherique@gbl.com.br Tendências Século XXI NOVA

Leia mais

Palestra. Legislação Previdenciária - Atualização. Setembro/2016. Elaborado por: JANEIRO/

Palestra. Legislação Previdenciária - Atualização. Setembro/2016. Elaborado por: JANEIRO/ Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400 opções 2 ou 3 (núcleo de relacionamento) Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva, 60 Higienópolis

Leia mais

Nexo entre Doença e Trabalho

Nexo entre Doença e Trabalho Nexo entre Doença e Trabalho Edriene Barros Teixeira Perita judicial Médica do Trabalho Mestre em Saúde Ambiente e Trabalho pela UFBA Perita Médica no INSS Em sentido amplo, PERICIA MÉDICA é todo e qualquer

Leia mais

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL - MPS. Novo FAP Setor Financeiro

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL - MPS. Novo FAP Setor Financeiro Novo FAP Setor Financeiro 1. Fortalecimento da Cultura de Prevenção na Seguridade Social: Proteção constit. e legal: Valor social do Trabalho. Fortalecer a ação da melhoria ambiental no trabalho: maior

Leia mais

INFORMAÇÕES - ACIDENTE EM SERVIÇO / DE TRABALHO

INFORMAÇÕES - ACIDENTE EM SERVIÇO / DE TRABALHO INFORMAÇÕES - ACIDENTE EM SERVIÇO / DE TRABALHO 1. Definições - Acidente em serviço é aquele ocorrido com o servidor no exercício do cargo ou função, que se relacione direta ou indiretamente com as atribuições

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES INSTRUÇÃO NORMATIVA IN Nº 50, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2016, DA DIRETORIA DE NORMAS E HABILITAÇÃO DOS PRODUTOS Regulamenta a Resolução Normativa - RN nº 417, de 22 de dezembro de 2016, para dispor, em especial,

Leia mais

Direito Previdenciário

Direito Previdenciário Carlos Mendonça Direito Previdenciário Direito Previdenciário Carlos Mendonça CÁLCULO DOS BEnEFÍCIOS Salário de Benefício Lei 8.213/91, Art. 28. O valor do benefício de prestação continuada, inclusive

Leia mais

Dr. José Carlos Steola

Dr. José Carlos Steola n t e p f a p r a t (s a t) Dr. José Carlos Steola Médico do Trabalho Coordenador do Depto de Proteção no Trabalho ( UNIMED de Araras) Médico do Trabalho da Usina Sta Lúcia Araras Médico Coordenador de

Leia mais

Guedes Pinto ADVOGADOS E CONSULTORES

Guedes Pinto ADVOGADOS E CONSULTORES Aluísio Coutinho Guedes Pinto Gabriela Steffens Sperb Luiz Gustavo de Souza Parente Guedes Pinto ADVOGADOS E CONSULTORES Rua Lacerda Coutinho, 99, Centro CEP 88.015-030 - Florianópolis/SC Roberta Volpato

Leia mais

Organização: Sociedade Paulista de Perícias Médicas e Associação Paulista de Medicina. Apoio: Sociedade Brasileira de Perícias Médicas

Organização: Sociedade Paulista de Perícias Médicas e Associação Paulista de Medicina. Apoio: Sociedade Brasileira de Perícias Médicas 26 a 29/11/2008 Organização: Sociedade Paulista de Perícias Médicas e Associação Paulista de Medicina Apoio: Sociedade Brasileira de Perícias Médicas PERÍCIA: JUSTIÇA SOCIAL Dia: 26/11/08 Quarta- feira

Leia mais

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 06/08/2010.

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 06/08/2010. SALÁRIO-FAMÍLIA - Considerações Gerais Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 06/08/2010. Sumário: 1 - Introdução 2 - Beneficiários 2.1 - Verificação da Invalidez 2.2 - Pai e Mãe 3 - Início

Leia mais