MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO"

Transcrição

1 MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO Entidades Promotoras: Entidades privadas, com ou sem fins lucrativos e Autarquias Locais. Destinatários: Jovens à procura de emprego, entre os 18 e os 30 anos, inscritos no IEFP como desempregados Pessoas com idade superior a 30 anos, desde que tenham obtido a qualificação há menos de 3 anos e não tenham registos de remunerações na segurança social nos 12 meses anteriores à entrada da candidatura, inscritos no IEFP como desempregados Jovens desempregados, com idades entre os 31 e os 35 anos, inscritos como desempregados no IEFP, para estágios que se enquadrem na área da agricultura Pessoas com deficiência e incapacidade Desempregados que integrem família monoparental Desempregados cujos cônjuges ou pessoas com quem vivam em união de facto se encontrem igualmente desempregados, inscritos no IEFP Estágio de 12 meses que visa melhorar o perfil de empregabilidade dos jovens que procuram emprego, promover a sua inserção ou reconversão profissional e, promover o conhecimento de novas formações e competências. Às Entidades Promotoras: Comparticipação na bolsa de estágio*, de acordo com as seguintes situações: 100% do valor da bolsa: - Do 1.º estagiário para as entidades com 10 ou menos trabalhadores e autarquias locais; - Estágios na área da agricultura ou do património, para os primeiros 10 estagiários por entidade para candidaturas apresentadas até 31 de Dezembro de Estágios desenvolvidos por IPSS, Associações Mutualistas e Estabelecimentos de apoio social - Estágios desenvolvidos por hospitais, E.P.E. 80% do valor da bolsa do estagiário nos restantes casos *As bolsas variam entre os 419,22 e os 691,71 em função de nível de qualificação do estagiário. Comparticipação nas despesas com alimentação até ao valor fixado para os trabalhadores que exercem funções públicas e seguro dos estagiários. No caso de estagiários com deficiência e incapacidade são comparticipadas também as despesas de transporte Aos Estagiários: Bolsa de estágio mensal nos seguintes montantes: - 1,65 vezes o IAS* - para estagiários com ensino superior completo - 1,4 vezes o IAS* - para estagiários com ensino pós-secundário completo - 1,3 vezes o IAS* - para estagiários com 12º ano da área técnicoprofissional completo - 1,2 vezes o IAS* - para estagiários com o 12º ano (via ensino) completo - O valor correspondente ao IAS* para os restantes casos Subsídio de alimentação Despesas de transporte para estagiários com deficiência e incapacidade Seguro de acidentes de trabalho. * Indexante dos Apoios Sociais - 419,22 As candidaturas a estas medidas são apresentadas pelas entidades promotoras ao IEFP através do preenchimento do formulário eletrónico disponível no Portal da NETEMPREGO no serviço de Candidaturas Eletrónicas a Medidas de Emprego Portaria n.º 204-B/2013, de 18 de Junho

2 MEDIDA ESTÍMULO 2013 Pessoas singulares ou coletivas de direito privado, com ou sem fins lucrativos que pretendam contratar desempregados especialmente vulneráreis, nomeadamente desempregados inscritos há pelo menos 6 meses consecutivos nos Centros de Emprego. Não são elegíveis pessoas coletivas que estejam sujeitas a regime de direito privado, mas que tenham natureza jurídica pública (exemplo das fundações públicas de direito privado). É um incentivo à empregabilidade através do apoio à contratação e formação profissional de desempregados. Para beneficiar do Estímulo 2013, a entidade empregadora deve: Celebrar um contrato de trabalho a tempo completo, com desempregados inscritos nos Centros de Emprego há pelo menos 6 meses consecutivos; o contrato de trabalho não pode ser inferior a 6 meses, ou, no caso de projetos de interesse estratégico, a 18 meses; criar novos postos de trabalho, cumprindo o requisito da criação líquida de emprego. O apoio financeiro proporcionado pela medida consiste num valor mensal correspondente a 50% da retribuição mensal paga pelo empregador ao desempregado contratado, com um limite de 419,22. O apoio é pago durante um período máximo de seis meses ou de 9 meses no caso de projetos de interesse estratégico. MAJORAÇÃO DOS A percentagem do apoio financeiro sobe para 60%, com um limite de 419,22, no caso de ser celebrado contrato de trabalho: a) sem termo; b) com os seguintes destinatários da Medida: inscritos em Centro de Emprego há pelo menos 12 meses consecutivos; beneficiários de Rendimento Social de Inserção; jovens com idade igual ou inferior a 25 anos; pessoas com deficiência ou incapacidade; mulheres com um nível de habilitações inferior ao 3º ciclo do ensino básico. FORMAÇÃO A entidade empregadora pode optar por desenvolver a formação ajustada às competências do posto de trabalho, na própria entidade ou recorrer a uma entidade formadora certificada: Formação em contexto de trabalho, pelo período mínimo de 6 meses, mediante acompanhamento de um tutor designado pela entidade empregadora; Formação em entidade formadora certificada, com uma carga horária mínima de 50 horas, e realizada durante o período normal de trabalho. As candidaturas a estas medidas são apresentadas pelas entidades promotoras ao IEFP através do preenchimento do formulário eletrónico disponível no Portal em no serviço de Candidaturas Eletrónicas a Medidas de Emprego. Estão abertas as candidaturas, não tendo data de fim. Portaria n.º 106/2013, de 14 de Março NOTA: Esta medida é cumulativa com a isenção da taxa social única.

3 CEI-PATRIMÓNIO FORMAÇÃO Entidades promotoras: Pessoas coletivas públicas ou privadas, sem fins lucrativos, nomeadamente: Serviços públicos; Autarquias Locais; entidades cuja atividade se insira no âmbito do desenvolvimento social local. Destinatários: Desempregados beneficiários de subsídio de desemprego ou de subsídio social de desemprego; Desempregados beneficiários do rendimento social de inserção (RSI); Desempregados não subsidiados nem beneficiários do RSI inscritos nos centros de emprego há pelo menos 4 meses consecutivos. São considerados prioritários os seguintes destinatários: Desempregados de longa duração; Desempregados com idade igual ou superior a 55 anos de idade e as Pessoas com deficiências e incapacidades. Contrato de Emprego e Inserção com a duração mínima de 3 meses e máxima de 12 meses não prorrogáveis na área da conservação e manutenção do património que visem: apoiar atividades socialmente necessárias; promover a empregabilidade de pessoas desempregadas; fomentar o enquadramento dos desempregados, em contexto que facilitem o estabelecimento de contatos com outros profissionais, evitando o risco de isolamento, desmotivação e marginalização. Ao Desempregado: Bolsa mensal complementar nos seguintes montantes e pagas pela entidade promotora: - 20% do IAS* para desempregados subsidiados; - O valor do IAS* - para desempregados beneficiários do RSI e para os desempregados não subsidiados inscritos no centro de emprego há pelo menos 4 meses consecutivos; Subsídio de alimentação; Despesas ou subsídio de transporte, caso não se assegure o transporte entre a residência e o local de atividade; Seguro de acidentes de trabalho. * Indexante dos Apoios Sociais - 419,22 É obrigatória a realização de formação, com os seguintes requisitos: - Ter a duração mínima de 50h; À Entidade Promotora: Bolsa mensal - integralmente financiada pelo IFP; Subsídio de alimentação até ao valor fixado para os trabalhadores que exercem funções públicas (4,27 /dia); Despesas de transporte até ao montante equivalente ao custo das viagens realizadas em transporte coletivo ou, se não for possível a utilização deste, até ao limite máximo mensal de 10% do IAS; Seguro até 3% do valor total da bolsa de estágio atribuída ao nível de qualificação 6, 7 ou 8 (1,65 vezes o IAS) e reportada ao período máximo de duração do estágio - Integrar módulos de formação em áreas transversais ou em áreas específicas de acordo com o domínio da atividade do projeto, recorrendo a Unidades de Formação de Curta Duração (UFCD) do Catálogo Nacional de Qualificações (CNQ), sempre que as competências a desenvolver encontrem correspondência nessas unidades. Esta formação pode ser desenvolvida em contexto de trabalho nas entidades promotoras, com recurso à rede de centros de formação do IEFP, ou a entidades formadoras certificadas. As candidaturas a estas medidas são apresentadas pelas entidades promotoras ao IEFP através dos seguintes portais: e Cada entidade apenas pode apresentar candidaturas que no seu conjunto abranjam um número máximo de 20 beneficiários do CEI-Património.

4 Portaria n.º 33/2013, de 29 de janeiro APOIO À CONTRATAÇÃO VIA REEMBOLSO DA TAXA SOCIAL ÚNICA Entidades Promotoras: Pessoas singulares ou coletivas, de direito privado, com ou sem fins lucrativos Destinatários: Pessoas inscritas como desempregadas no IEFP - Jovens com idades entre os 18 e os 30 anos - Adultos com idade igual ou superior a 45 anos - Pessoas com idades entre 31 e 44 anos desde que: não tenham concluído o ensino básico; sejam responsáveis por família monoparental ou cujos cônjuges se encontrem igualmente em situação de desemprego Reembolso de uma percentagem das contribuições obrigatórias para a segurança social pagas pelo empregador, quando celebre contrato trabalho sem termo ou a termo certo, a tempo parcial ou completo, com desempregados inscritos no IEFP O apoio depende da criação líquida de emprego e manutenção do nível de emprego durante o período de duração do apoio. O período máximo de duração do apoio é de 18 meses. Reembolso*, total ou parcial, da Taxa Social Única paga mensalmente, nas seguintes proporções: 100% do valor da TSU, se o contrato de trabalho for sem termo; 75% do valor da TSU, se o contrato de trabalho for a termo certo. *O reembolso não pode exceder 200 mensais. O presente apoio é cumulável unicamente com a medida Estímulo 2013 criada pela Portaria n.º 106/2013 de 14 de Março As candidaturas a esta medida são apresentadas pelas entidades ao IEFP através de submissão de documentos no Portal da NETEMPREGO Portaria n.º 204-A/2013 de 18 de Junho

5 MEDIDA E INCENTIVO À ACEITAÇÃO DE OFERTAS DE EMPREGO Destina-se a desempregados titulares de prestações de desemprego inscritos nos Centros de Emprego há mais de 6 meses. CONDIÇÕES DE ATRIBUIÇÃO Apoio financeiro aos desempregados titulares de prestações de desemprego que aceitem ofertas de emprego apresentadas pelo Centro de Emprego ou colocação pelos próprios meios, a tempo completo, com uma remuneração inferior ao valor da prestação de desemprego que se encontram a receber. Os beneficiários da medida devem reunir, cumulativamente, as seguintes condições:. Aceitar oferta de emprego apresentada pelo centro de emprego ou obter colocação pelos próprios meios, cuja retribuição ilíquida seja inferior à prestação de desemprego;. Ter, à data da celebração do contrato de trabalho, direito a beneficiar das prestações de desemprego por um período remanescente igual ou superior a 6 meses. O contrato de trabalho deve preencher os seguintes requisitos:. Não seja celebrado com empregador com o qual o beneficiário manteve uma relação laboral cuja cessação tenha dado origem ao reconhecimento do direito à prestação de desemprego;. Garanta, pelo menos, a remuneração mínima mensal garantida e demais direitos previstos na legislação laboral ou em instrumento de regulamentação coletiva de trabalho aplicável;. Tenha uma duração igual ou superior a três meses e com horário de trabalho a tempo completo;. Cada entidade não pode contratar mais de 20 trabalhadores (exceção para a entidade que apresente projeto considerado de interesse estratégico para a economia nacional ou de determinada região). O apoio financeiro tem um limite de 12 meses, mesmo que o contrato de trabalho celebrado tenha uma duração superior. No caso de contratos de trabalho com duração pelo menos de 12 meses, o beneficiário pode ter direito mensalmente ao seguinte apoio financeiro: a) 50% do valor das prestações de desemprego durante os primeiros seis meses, até ao limite máximo de 500 euros; b) 25% do valor das prestações de desemprego durante os seis meses seguintes, até ao limite máximo de 250 euros; Em contratos de trabalho com duração superior a 3 meses (duração mínima elegível na medida) e inferior a 12 meses, o apoio é concedido proporcionalmente: a) 50% do valor das prestações de desemprego durante a primeira metade do contrato, até ao limite máximo de 500 euros; b) 25% do valor das prestações de desemprego durante a segunda metade do contrato, até ao limite máximo de 250 euros; O apoio financeiro está limitado ao período de duração da prestação de desemprego. O apoio é requerido pelo beneficiário, no prazo de 30 dias consecutivos, a contar da data de início da vigência do contrato de trabalho, junto do Centro de Emprego ou no portal do Net Emprego ( São anexos obrigatórios ao processo de candidatura e sem os quais a mesma não pode ser aceite:. Cópia do contrato de trabalho que deve indicar a data de início e respetiva vigência, valor da retribuição mensal e horário de trabalho;. Declaração da entidade empregadora a atestar que não beneficia nem vai requerer apoio financeiro para o mesmo posto de trabalho, ao abrigo.. Certificado comprovativo de que o trabalhador continuará sujeito à legislação portuguesa de Segurança Social, obtido junto do Instituto da Segurança Social, I.P., no caso em que o contrato de trabalho preveja o envio do trabalhador pelo empregador com atividade em território nacional para o território de outro Estado a fim de aí efetuar um trabalho por conta desse mesmo empregador. Este apoio está disponível desde 5 de agosto de 2012 e mantêm-se em vigor, dentro do período de vigência da Medida. Portaria n.º 207/2012 de 06 de julho

MEDIDA CONTRATO-EMPREGO

MEDIDA CONTRATO-EMPREGO MEDIDA CONTRATO-EMPREGO EM QUE CONSISTE A medida Contrato-Emprego é um apoio financeiro aos empregadores que celebrem contratos de trabalho sem termo ou a termo certo, por prazo igual ou superior a 12

Leia mais

Lisboa, 26 de Junho de 2012

Lisboa, 26 de Junho de 2012 Lisboa, 26 de Junho de 2012 Estímulo 2012 A medida ativa de emprego Estímulo 2012, aprovada pela Portaria nº 45/2012, tem por objetivo: Apoiar a contratação de desempregados; Promovendo e aumentando a

Leia mais

Briefing Laboral #32 MEDIDA CONTRATO MEDIDA DE ESTÁGIOS PROFISSIONAIS EMPREGO MEDIDA CONTRATO-EMPREGO ÂMBITO DA MEDIDA DESTINATÁRIOS

Briefing Laboral #32 MEDIDA CONTRATO MEDIDA DE ESTÁGIOS PROFISSIONAIS EMPREGO MEDIDA CONTRATO-EMPREGO ÂMBITO DA MEDIDA DESTINATÁRIOS MEDIDA CONTRATO-EMPREGO MEDIDA DE ESTÁGIOS PROFISSIONAIS MEDIDA CONTRATO EMPREGO PORTARIA N.º 34/2017, DE 18 DE JANEIRO ÂMBITO DA MEDIDA No próximo dia 01 de Maio irá abrir a segunda fase de candidaturas

Leia mais

ESTÁGIOS PROFISSIONAIS APOIOS AO EMPREGO EMPREENDEDORISM O

ESTÁGIOS PROFISSIONAIS APOIOS AO EMPREGO EMPREENDEDORISM O ESTÁGIOS PROFISSIONAIS APOIOS AO EMPREGO EMPREENDEDORISM O ESTÁGIOS PROFISSION AIS ESTÁGIOS PROFISSIONAIS Desenvolvimento de uma experiência prática em contexto de trabalho com o Objeto objetivo de promover

Leia mais

Semana do Empregador 15 a 19 de maio. Centro de Emprego do Sul Tejo 2017

Semana do Empregador 15 a 19 de maio. Centro de Emprego do Sul Tejo 2017 Semana do Empregador 15 a 19 de maio Centro de Emprego do Sul Tejo 2017 Centro de Emprego do Sul Tejo Concelhos de Alcochete, Barreiro, Moita e Montijo Estatísticas da População Desempregada Dezembro 2016

Leia mais

Uma nova modalidade de apoio à contratação

Uma nova modalidade de apoio à contratação Uma nova modalidade de apoio à contratação Clique para editar o estilo do subtítulo do Modelo Global Portaria n.º 34/2017, de 18 de janeiro 5/24/2017 1 Uma medida integrada numa nova geração de políticas

Leia mais

MEDIDA CONTRATO-EMPREGO PORTARIA N.º 34/2017, de 18 de janeiro

MEDIDA CONTRATO-EMPREGO PORTARIA N.º 34/2017, de 18 de janeiro MEDIDA CONTRATO-EMPREGO PORTARIA N.º 34/2017, de 18 de janeiro A Portaria n.º 34/2017, de 18 de janeiro criou a medida Contrato-Emprego, a qual consiste na concessão, à entidade empregadora, de um apoio

Leia mais

b) Fomentar e apoiar a criação líquida de postos de trabalho;

b) Fomentar e apoiar a criação líquida de postos de trabalho; RATIO LEGIS a SUL Medida Contrato-Emprego Por Carla Lima A Portaria n.º 34/2017, de 18 de janeiro, regula a criação da medida Contrato- Emprego, que consiste na concessão, à entidade empregadora, de um

Leia mais

MIAOE Medida de Incentivo à Aceitação de Ofertas de Emprego Guia de Apoio ao Candidato

MIAOE Medida de Incentivo à Aceitação de Ofertas de Emprego Guia de Apoio ao Candidato MIAOE Medida de Incentivo à Aceitação de Ofertas de Emprego Guia de Apoio ao Candidato 15.02.10 1. O que é a Medida Incentivo à Aceitação de Ofertas de Emprego? É uma medida de emprego que pretende apoiar

Leia mais

MEDIDAS DE ESTÍMULO EMPREGO (ACTUALIZAÇÃO)

MEDIDAS DE ESTÍMULO EMPREGO (ACTUALIZAÇÃO) MEDIDAS DE ESTÍMULO EMPREGO (ACTUALIZAÇÃO) INTRODUÇÃO Nos últimos anos e com o intuito de contrariar os efeitos da recessão económica no emprego, o legislador tem seguido uma política de estímulo ao mercado

Leia mais

MEDIDA ESTIMULO 2012 Regulamento do Instituto do Emprego e Formação Profissional

MEDIDA ESTIMULO 2012 Regulamento do Instituto do Emprego e Formação Profissional MEDIDA ESTIMULO 2012 Regulamento do Instituto do Emprego e Formação Profissional No âmbito da medida de incentivos ao emprego "Estímulo 2012", estabelecida pela Portaria n 45/2012, de 13.2, o Instituto

Leia mais

PORTARIA N.º 131/2017, DE 7 DE ABRIL, QUE REGULA A CRIAÇÃO DA MEDIDA DE ESTÁGIOS PROFISSIONAIS

PORTARIA N.º 131/2017, DE 7 DE ABRIL, QUE REGULA A CRIAÇÃO DA MEDIDA DE ESTÁGIOS PROFISSIONAIS PORTARIA N.º 131/2017, DE 7 DE ABRIL, QUE REGULA A CRIAÇÃO DA MEDIDA DE ESTÁGIOS PROFISSIONAIS Foi publicada a Portaria n.º 131/2017, de 7 de Abril, que regula a criação da medida de Estágios Profissionais

Leia mais

INCENTIVOS DE APOIO À CONTRATAÇÃO

INCENTIVOS DE APOIO À CONTRATAÇÃO DOSSIER INFORMATIVO 4 INCENTIVOS DE APOIO À CONTRATAÇÃO EMPRESAS ÍNDICE 1 - Medida Estágio Emprego...4 2 - Medida Estímulo Emprego...10 3 - Medida REATIVAR...16 4 - Dispensa de pagamento de contribuições

Leia mais

MEDIDA ESTÁGIO PROFISSIONAL Portaria n.º 131/2017, de 7 de abril

MEDIDA ESTÁGIO PROFISSIONAL Portaria n.º 131/2017, de 7 de abril MEDIDA ESTÁGIO PROFISSIONAL Portaria n.º 131/2017, de 7 de abril A portaria n.º 13/2017, de 7 de abril, veio regular a criação da medida Estágios Profissionais. Esta medida consiste no apoio à inserção

Leia mais

M E D I D A S D E E S T Í M U L O A O E M P R E G O

M E D I D A S D E E S T Í M U L O A O E M P R E G O i I N F O R M A Ç Ã O F I S C A L N º 2 0 O u t u b r o 2 0 1 3 M E D I D A S D E E S T Í M U L O A O E M P R E G O INTRODUÇÃO Nos últimos anos e com o intuito de contrariar os efeitos da recessão económica

Leia mais

Apoios ao Emprego ARNALDO FRADE DELEGADO REGIONAL DO IEFP

Apoios ao Emprego ARNALDO FRADE DELEGADO REGIONAL DO IEFP Apoios ao Emprego ARNALDO FRADE DELEGADO REGIONAL DO IEFP Sumário Contrato-Emprego Estágios profissionais Contrato-Emprego Uma nova modalidade de apoio à contratação Portaria n.º 34/2017, de 18 de janeiro

Leia mais

Programa de Promoção de Artes e Ofícios. Decreto- Lei n.º 122/2015, de 30 de junho

Programa de Promoção de Artes e Ofícios. Decreto- Lei n.º 122/2015, de 30 de junho Programa de Promoção de Artes e Ofícios Decreto- Lei n.º 122/2015, de 30 de junho Programa de Promoção das Artes e Ofícios - Em que consiste? Consiste num conjunto de modalidades de apoio, no âmbito das

Leia mais

LBA NEWS. Direito Laboral. Janeiro de 2017

LBA NEWS. Direito Laboral. Janeiro de 2017 LBA NEWS Direito Laboral Janeiro de 2017 Contactos: Manuel Lopes Barata - manuellb@lopesbarata.com Diogo Lopes Barata - diogolb@lopesbarata.com Catarina Correia Soares cataricacs@lopesbarata.com Esta informação

Leia mais

EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social

EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social DATA: Quinta-feira, 24 de julho de 2014 NÚMERO: 141 SÉRIE I, 1º SUPLEMENTO EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social DIPLOMA: Portaria n.º 149-A/2014 SUMÁRIO: Cria a Medida Estímulo

Leia mais

Uma nova modalidade de apoio à contratação

Uma nova modalidade de apoio à contratação Uma nova modalidade de apoio à contratação Clique para editar o estilo do subtítulo do Modelo Global Portaria n.º 34/2017, de 18 de janeiro 2/17/2017 1 Destinatários: Desempregado inscrito no IEFP que

Leia mais

FAQ S: 1. O/A destinatário/a do estágio deverá estar inscrito/a no Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP)?

FAQ S: 1. O/A destinatário/a do estágio deverá estar inscrito/a no Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP)? FAQ S: 1. O/A destinatário/a do estágio deverá estar inscrito/a no Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP)? Sim, o/a destinatário/a do estágio tem que estar inscrito/a como desempregado/a num

Leia mais

EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social

EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social DATA: 30 de Janeiro de 2009 NÚMERO: 253 SÉRIE I, 3º SUPLEMENTO EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social DIPLOMA: Portaria n.º 128/2009 SUMÁRIO: Regula as medidas «Contrato emprego-inserção»

Leia mais

Volta de Apoio ao Emprego 2016 MEDIDAS ATIVAS DE EMPREGO

Volta de Apoio ao Emprego 2016 MEDIDAS ATIVAS DE EMPREGO Volta de Apoio ao Emprego 2016 MEDIDAS ATIVAS DE EMPREGO Centro de Emprego de Vila Nova de Famalicão 15 de Junho de 2016 Objetivo Contexto: - O que é o Instituto do Emprego e Formação Profissional, I.P.

Leia mais

Formação Algarve PROGRAMA FORMAÇÃO ALGARVE

Formação Algarve PROGRAMA FORMAÇÃO ALGARVE PROGRAMA FORMAÇÃO ALGARVE Em que consiste Concessão de um apoio financeiro à renovação, à conversão de contratos de trabalho a termo ou à celebração de novos contratos de trabalho com ex-trabalhadores

Leia mais

CHEQUE-FORMAÇÃO OBJECTIVOS:

CHEQUE-FORMAÇÃO OBJECTIVOS: CHEQUE-FORMAÇÃO OBJECTIVOS: O Cheque-Formação visa reforçar a qualidade e a celeridade das medidas ativas de emprego, em particular no que respeita à qualificação profissional, procurando, nomeadamente:

Leia mais

1. O que é a Medida Incentivo à Aceitação de Ofertas de Emprego? 2. Que pessoas podem beneficiar do apoio financeiro?

1. O que é a Medida Incentivo à Aceitação de Ofertas de Emprego? 2. Que pessoas podem beneficiar do apoio financeiro? 1. O que é a Medida Incentivo à Aceitação de Ofertas de Emprego? E uma medida de emprego que pretende apoiar financeiramente os desempregados, a receber subsídio de desemprego, que celebrem contratos de

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO 1870 Diário da República, 1.ª série N.º 60 26 de março de 2013 da bolsa de estágio referida na alínea c) do artigo 13.º, reportado ao período de duração do estágio respetivo.» Secretaria-Geral, 25 de março

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 8 de setembro de Série. Número 138

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 8 de setembro de Série. Número 138 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Terça-feira, 8 de setembro de 2015 Série Suplemento Sumário SECRETARIA REGIONAL DA INCLUSÃO E ASSUNTOS SOCIAIS Portaria n.º 161/2015 Estabelece a Medida Incentivo

Leia mais

EXTINÇÃO DO POSTO DE TRABALHO CRITÉRIOS DE SELECÇÃO INADAPTAÇÃO MEDIDA ESTÍMULO EMPREGO MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO

EXTINÇÃO DO POSTO DE TRABALHO CRITÉRIOS DE SELECÇÃO INADAPTAÇÃO MEDIDA ESTÍMULO EMPREGO MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO Principais pontos EXTINÇÃO DO POSTO DE TRABALHO CRITÉRIOS DE SELECÇÃO INADAPTAÇÃO MEDIDA ESTÍMULO EMPREGO MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO ALTERAÇÕES OE 2015(LABORAL E SEG. SOCIAL) ACTUALIZAÇÃODARMMG(SMN) REDUÇÃODA

Leia mais

SUMÁRIO: Cria o programa de qualificação e inserção profissional nas áreas da conservação e manutenção do património.

SUMÁRIO: Cria o programa de qualificação e inserção profissional nas áreas da conservação e manutenção do património. DATA: Terça-feira, 29 de janeiro de 2013 NÚMERO: 20 SÉRIE I EMISSOR: Ministério da Economia e do Emprego DIPLOMA: Portaria n.º 33/2013 SUMÁRIO: Cria o programa de qualificação e inserção profissional nas

Leia mais

Briefing Laboral # 18 1

Briefing Laboral # 18 1 Briefing Laboral # 18 1 CRIAÇÃO DA MEDIDA ESTÍMULO EMPREGO E ALTERAÇÃO ÀS MEDIDAS ESTÁGIO EMPREGO Portaria n.º 149-A/2014, de 24 de Julho Concessão de Apoio Financeiro à celebração de contrato de Trabalho

Leia mais

MEDIDAS DE APOIO À CONTRATAÇÃO

MEDIDAS DE APOIO À CONTRATAÇÃO Faro empreendedor MEDIDAS DE APOIO À CONTRATAÇÃO IEFP, I.P. - Centro de Emprego e Formação Profissional de Faro Serviço de Emprego de Faro ESTÍMULO 2013 (Portaria 106/2013) ESTÍMULO 2013 Objetivo Estimular

Leia mais

AS POLÍTICAS DE RESPOSTA À CONJUTURA

AS POLÍTICAS DE RESPOSTA À CONJUTURA AS POLÍTICAS DE RESPOSTA À CONJUTURA Aumentar a liquidez / crédito Política monetária Normalização sistema financeiro Expandir a procura Apoiar o emprego Investimento público Investimento privado Políticas

Leia mais

IEFP. O Instituto do Emprego e Formação Profissional promove uma série de medidas e programas destinados a fomentar e apoiar o emprego em Portugal.

IEFP. O Instituto do Emprego e Formação Profissional promove uma série de medidas e programas destinados a fomentar e apoiar o emprego em Portugal. IEFP O Instituto do Emprego e Formação Profissional promove uma série de medidas e programas destinados a fomentar e apoiar o emprego em Portugal. Desse conjunto, destacamos: I) Apoios à contratação II)

Leia mais

PAECPE (PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO)

PAECPE (PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO) PAECPE (PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO) Condições de Acesso (Portaria n.º 985/2009 de 4 de Setembro) 0 PAECPE (PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO

Leia mais

Medidas Ativas de Emprego. Fevereiro 2014

Medidas Ativas de Emprego. Fevereiro 2014 Medidas Ativas de Emprego Fevereiro 2014 Medidas ativas de emprego Medidas 1. Estágios Emprego 2. Estímulo 2013 3. Apoio à Contratação Via Reembolso da TSU Estágios Emprego Portaria n.º 204-B/2013, de

Leia mais

GUIA DE APOIO À PROCURA DE EMPREGO

GUIA DE APOIO À PROCURA DE EMPREGO Dados Pessoais: Nome: Data Nascimento: / / Morada: Localidade: Código Postal: - Telefone: Correio eletrónico: @ I.D Centro de Emprego: Para o trabalho que gostamos levantamo-nos cedo e fazemo-lo com alegria.

Leia mais

P L A N O E S T R AT É G I C O D E I N I C I AT I V A S À E M P R E G A B I L I D A D E J O V E M E D E A P O I O À S P M E

P L A N O E S T R AT É G I C O D E I N I C I AT I V A S À E M P R E G A B I L I D A D E J O V E M E D E A P O I O À S P M E P L A N O E S T R AT É G I C O D E I N I C I AT I V A S À E M P R E G A B I L I D A D E J O V E M E D E A P O I O À S P M E Maia, 2013-04-10 Taxa Desemprego Jovens Colocar valor no mercado trabalho Elevados

Leia mais

LBA NEWS. Direito Laboral. Junho de 2017

LBA NEWS. Direito Laboral. Junho de 2017 LBA NEWS Direito Laboral Junho de 2017 Contatos: Manuel Lopes Barata - manuellb@lopesbarata.com Diogo Lopes Barata - diogolb@lopesbarata.com Catarina Correia Soares cataricacs@lopesbarata.com Esta informação

Leia mais

Diploma. Regula as medidas «Contrato emprego-inserção» e «Contrato emprego-inserção+»

Diploma. Regula as medidas «Contrato emprego-inserção» e «Contrato emprego-inserção+» Diploma Regula as medidas «Contrato emprego-inserção» e «Contrato emprego-inserção+» Portaria n.º 128/2009 de de Janeiro O Governo tem vindo a proceder à racionalização e sistematização do edifício legislativo

Leia mais

Medidas Ativas de Emprego: Estágios e Incentivos à Contratação

Medidas Ativas de Emprego: Estágios e Incentivos à Contratação Medidas Ativas de Emprego: Estágios e Incentivos à Contratação FEIRA DO EMPREENDEDOR 22-11-2012 Medidas Ativas de Emprego: Estágios e Apoios à Contratação Programa Estágios Port.92 Medida Estímulo 2012

Leia mais

INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DISPENSA PARCIAL OU ISENÇÃO TOTAL DO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO, DESEMPREGADO DE LONGA DURAÇÃO E DESEMPREGADO DE MUITO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA

Leia mais

INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DISPENSA PARCIAL OU ISENÇÃO TOTAL DO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES - 1º EMPREGO, DESEMPREGADO DE LONGA DURAÇÃO E DESEMPREGADO DE MUITO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA

Leia mais

MEDIDAS ATIVAS DE EMPREGO APOIOS E INCENTIVOS. Medidas de Emprego. Sabugal, 9 de Abril de 2013 13-04-2013. Contrato Emprego Inserção + (CEI+);

MEDIDAS ATIVAS DE EMPREGO APOIOS E INCENTIVOS. Medidas de Emprego. Sabugal, 9 de Abril de 2013 13-04-2013. Contrato Emprego Inserção + (CEI+); MEDIDAS ATIVAS DE EMPREGO APOIOS E INCENTIVOS Sabugal, 9 de Abril de 2013 Medidas de Emprego Contrato Emprego Inserção (CEI); Contrato Emprego Inserção + (CEI+); CEI Património; Medida Estímulo 2013; Estágios

Leia mais

Medidas Ativas de Emprego. Junho 2014

Medidas Ativas de Emprego. Junho 2014 Medidas Ativas de Emprego Junho 2014 Intervenção do SPE A intervenção prioritária deve ser o ajustamento entre quem procura e quem oferece emprego. Quem procura o SPE quer acima de tudo um emprego. Quando

Leia mais

Regulamento do Programa Municipal de Estágios Jovem Ativo. Nota Justificativa

Regulamento do Programa Municipal de Estágios Jovem Ativo. Nota Justificativa Regulamento do Programa Municipal de Estágios Jovem Ativo Nota Justificativa Considerando a crescente taxa de desemprego e os problemas de natureza social a ela associados, flagelo que conduz à urgência

Leia mais

Critérios de elegibilidade das operações

Critérios de elegibilidade das operações S Critérios de elegibilidade das operações Critérios de elegibilidade dos beneficiários Fontes de financiamento Criação do próprio emprego Confirmação de situação face ao emprego Contratação de estagiários

Leia mais

Subsídio de Doença Direção-Geral da Segurança Social março 2015

Subsídio de Doença Direção-Geral da Segurança Social março 2015 Direção-Geral da Segurança Social março 2015 O é uma prestação em dinheiro atribuída ao beneficiário para compensar a perda de remuneração, resultante do impedimento temporário para o trabalho, por motivo

Leia mais

MANUAL DE APOIO NO DESEMPREGO PROTEÇÃO SOCIAL

MANUAL DE APOIO NO DESEMPREGO PROTEÇÃO SOCIAL A informação contida neste manual de apoio não é exaustiva e, como tal, não dispensa a consulta da legislação aplicável: Decreto-Lei n.º 64/2012, de 15 de março. Altera o Decreto-Lei 220/2006, de 03 de

Leia mais

Apoio à Contratação, Incentivo ao Emprego e Medida Estímulo Emprego

Apoio à Contratação, Incentivo ao Emprego e Medida Estímulo Emprego Formação segmentada Apoio à Contratação, Incentivo ao Emprego e Medida Estímulo Emprego SEG1815 António J. B. Ramalho MARÇO 2015 Conteúdos programáticos 1. Apoios à contratação Incentivo Emprego Estímulo

Leia mais

Guia de Medidas de Apoio à Contratação

Guia de Medidas de Apoio à Contratação -*89 Guia de Medidas de Apoio à Contratação Incentivos financeiros e parafiscais de apoio à contratação Enquadramento A Frederico Mendes & Associados disponibiliza uma nova versão do seu Guia de Medidas

Leia mais

DURAÇÃO: DESTINATÁRIOS: Estágios de 9 meses

DURAÇÃO: DESTINATÁRIOS: Estágios de 9 meses ESTÁGIOS EMPREGO Portaria 204-B/2013, de 18 de junho, alterada pelas: Portaria 375/2013, de 27 de dezembro; Portaria 20-A/2014, de 30 de janeiro; Portaria 149-B/2014, de 24 de julho DURAÇÃO: Estágios de

Leia mais

Diploma. Cria a medida Estágios Emprego

Diploma. Cria a medida Estágios Emprego Diploma Cria a medida Estágios Emprego Portaria n.º 204-B/2013 de 18 de junho Pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 36/2013, de 4 de junho, que altera a Resolução do Conselho de Ministros n.º 51-A/2012,

Leia mais

INCENTIVOS À CONTRATAÇÃO DE JOVENS À PROCURA DO PRIMEIRO EMPREGO E DE DESEMPREGADOS DE LONGA DURAÇÃO E DE MUITO LONGA DURAÇÃO Decreto-Lei n.

INCENTIVOS À CONTRATAÇÃO DE JOVENS À PROCURA DO PRIMEIRO EMPREGO E DE DESEMPREGADOS DE LONGA DURAÇÃO E DE MUITO LONGA DURAÇÃO Decreto-Lei n. INCENTIVOS À CONTRATAÇÃO DE JOVENS À PROCURA DO PRIMEIRO EMPREGO E DE DESEMPREGADOS DE LONGA DURAÇÃO E DE MUITO LONGA DURAÇÃO Decreto-Lei n.º 72/2017 O Decreto-Lei n.º 72/2017, de 21 de junho veio estabelecer

Leia mais

O formulário deve estar totalmente preenchido (sob pena de devolução). Só serão aceites candidaturas com todos os documentos constantes do ponto 12.

O formulário deve estar totalmente preenchido (sob pena de devolução). Só serão aceites candidaturas com todos os documentos constantes do ponto 12. FORMULÁRIO CANDIDATURA - REATIVAR MADEIRA (a preencher pelos serviços do Instituto de Emprego da Madeira, IP-RAM ) Processo nº: /REATIVAR/201 O formulário deve estar totalmente preenchido (sob pena de

Leia mais

Proteção no desemprego para os trabalhadores independentes Decreto-Lei n.º 65/2012, de 15 de março

Proteção no desemprego para os trabalhadores independentes Decreto-Lei n.º 65/2012, de 15 de março Proteção no desemprego para os trabalhadores independentes Decreto-Lei n.º 65/2012, de 15 de março Através do presente decreto-lei o Governo instituiu um regime jurídico de proteção na eventualidade desemprego,

Leia mais

Exemplo: Uma empresa efetua despedimentos, no âmbito de uma reestruturação, em

Exemplo: Uma empresa efetua despedimentos, no âmbito de uma reestruturação, em Em cada triénio, só são consideradas para efeitos de proteção no desemprego as situações de cessação do contrato de trabalho por acordo, com fundamento em motivos que permitam o recurso ao despedimento

Leia mais

CHEQUE FORMAÇÃO JUNTOS PARA PLANEAR O FUTURO... E A FORMAÇÃO FAZ PARTE DELE! O1 O2 O3 O5 O6

CHEQUE FORMAÇÃO JUNTOS PARA PLANEAR O FUTURO... E A FORMAÇÃO FAZ PARTE DELE! O1 O2 O3 O5 O6 JUNTOS PARA PLANEAR O FUTURO... E A FAZ PARTE DELE! VEM CONHECER MAIS SOBRE AS POSSIBILIDADES DO - O1 O2 O3 O QUE É? CONDIÇÕES DE ACESSO QUAIS SÃO OS APOIOS PARA EMPRESAS O4 CANDIDATURAS O5 O6 PAGAMENTO

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO Diário da República, 1.ª série N.º 20 29 de janeiro de 2013 561 Governo, pelos Ministros de Estado e das Finanças e da Educação e Ciência, o seguinte: Artigo 1.º Alteração à Portaria n.º 148/2012, de 16

Leia mais

TRABALHO, SOLIDARIEDADE E SEGURANÇA SOCIAL. Diário da República, 1.ª série N.º de janeiro de Portaria n.º 34/2017

TRABALHO, SOLIDARIEDADE E SEGURANÇA SOCIAL. Diário da República, 1.ª série N.º de janeiro de Portaria n.º 34/2017 Diário da República, 1.ª série N.º 13 18 de janeiro de 2017 463 TRABALHO, SOLIDARIEDADE E SEGURANÇA SOCIAL Portaria n.º 34/2017 de 18 de janeiro As políticas ativas do mercado de trabalho constituem uma

Leia mais

BTOC TRAINING. Formação Profissional Obrigatória e Cheque Formação

BTOC TRAINING. Formação Profissional Obrigatória e Cheque Formação BTOC TRAINING Formação Profissional Obrigatória e Cheque Formação Formação profissional obrigatória: Um dever das empresas, um direito dos trabalhadores. Deveres do Empregador O empregador possui a obrigação

Leia mais

MEDIDA VIDA ATIVA. Objetivos, destinatários e operacionalização

MEDIDA VIDA ATIVA. Objetivos, destinatários e operacionalização Objetivos, destinatários e operacionalização Objetivos - consolidar, integrar e aperfeiçoar um conjunto de intervenções orientadas para a ativação dos desempregados, favorecendo a aprendizagem ao longo

Leia mais

CÂMARA DO COMÉRCIO DE ANGRA DO HEROÍSMO. Associação Empresarial das ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge

CÂMARA DO COMÉRCIO DE ANGRA DO HEROÍSMO. Associação Empresarial das ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge NOVAS MEDIDAS DE APOIO AO EMPREGO Programa ESTAGIAR L, T e U (Resolução n.º 73/2017 de 7 de agosto de 2017) OBJETO O plano de estágios ESTAGIAR desenvolve-se em três programas: a) O ESTAGIAR L destinado

Leia mais

DATA: Sexta-feira, 14 de dezembro de 2012 NÚMERO: 242 SÉRIE I. EMISSOR: Ministério da Economia e do Emprego. DIPLOMA: Portaria n.

DATA: Sexta-feira, 14 de dezembro de 2012 NÚMERO: 242 SÉRIE I. EMISSOR: Ministério da Economia e do Emprego. DIPLOMA: Portaria n. DATA: Sexta-feira, 14 de dezembro de 2012 NÚMERO: 242 SÉRIE I EMISSOR: Ministério da Economia e do Emprego DIPLOMA: Portaria n.º 408/2012 SUMÁRIO: Implementa as Medidas Passaporte Emprego Industrialização,

Leia mais

Medida de Estágios Profissionais. Portaria n.º 131/2017

Medida de Estágios Profissionais. Portaria n.º 131/2017 Medida de Estágios Profissionais Portaria n.º 131/2017 DATA: 7/04/2017 SUMÁRIO: Regula a Medida de Estágios Profissionais ALTERAÇÕES: Declaração de Retificação n.º 15/2017, de 27/04/2017 TEXTO ATUALIZADO

Leia mais

MEDIDAS E PROGRAMAS DE EMPREGO. SESSÃO ABERTA CLAS De Viseu 20/04/2011

MEDIDAS E PROGRAMAS DE EMPREGO. SESSÃO ABERTA CLAS De Viseu 20/04/2011 MEDIDAS E PROGRAMAS DE EMPREGO SESSÃO ABERTA CLAS De Viseu 20/04/2011 1 CONTRATO EMPREGO INSERÇÃO E CONTRATO EMPREGO INSERÇÃO + 2 Contrato Emprego Inserção OBJECTIVO: Promover a empregabilidade dos desempregados

Leia mais

Portaria n.º 286/2002, de 15 de Março (Altera e republica a Portaria n.º 268/97, de 18 de Abril)

Portaria n.º 286/2002, de 15 de Março (Altera e republica a Portaria n.º 268/97, de 18 de Abril) Portaria n.º 286/2002, de 15 de Março (Altera e republica a Portaria n.º 268/97, de 18 de Abril) Considerando que o Programa Estágios Profissionais, instituído através da Portaria n.º 268/97, de 18 de

Leia mais

MUNICÍPIO DE BARRANCOS

MUNICÍPIO DE BARRANCOS MUNICÍPIO DE BARRANCOS Regulamento do Programa Casa Jovem Programa Municipal de Apoio ao Arrendamento Jovem e de Incentivo ao Mercado de Arrendamento Local Preâmbulo No âmbito do Programa de Intervenção

Leia mais

GUIA PRÁTICO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO MEDIDA EXCECIONAL DE APOIO AO EMPREGO: REDUÇÃO DE 0,75 PONTOS PERCENTUAIS DA TAXA CONTRIBUTIVA PARA A SEGURANÇA SOCIAL A CARGO DA ENTIDADE EMPREGADORA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA

Leia mais

GUIA PRÁTICO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO MEDIDA EXCECIONAL DE APOIO AO EMPREGO: REDUÇÃO DE 0,75 PONTOS PERCENTUAIS DA TAXA CONTRIBUTIVA PARA A SEGURANÇA SOCIAL A CARGO DA ENTIDADE EMPREGADORA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA

Leia mais

Validação de metodologia de aplicação de Custos Simplificados

Validação de metodologia de aplicação de Custos Simplificados Validação de metodologia de aplicação de Custos Simplificados 1 Sumário Tipologias de operação: Cofinanciamento através de Tabela Normalizadas de Custos Unitários, Conforme alínea c) do n.º 2, do artigo

Leia mais

Anexo I - Fluxograma de decisão

Anexo I - Fluxograma de decisão Anexo I - Fluxograma de decisão Notas: 1 Os procedimentos de análise e decisão das candidaturas são os constantes do disposto nos artigos 17.º e 20.º do Decreto-Lei n.º 159/2014, de 27 de outubro. 2 Nos

Leia mais

15 de Novembro de 2006

15 de Novembro de 2006 15 de Novembro de 2006 Objectivos Facilitar a inserção de jovens qualificados nas PME Promover o reforço de competências empresariais para inovar Combater o desemprego jovem (em particular dos jovens qualificados)

Leia mais

ESTÁGIOS PROFISSIONAIS

ESTÁGIOS PROFISSIONAIS ESTÁGIOS PROFISSIONAIS Processo nº: /EP/201 O formulário deve estar totalmente preenchido (sob pena de devolução) e ser entregue com a antecedência mínima de 30 dias face à data de início pretendida. Assinale

Leia mais

INTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

INTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO APOIO À CONTRATAÇÃO DE JOVENS, DE DESEMPREGADOS DE LONGA DURAÇÃO E DE DETERMINADOS PÚBLICOS INTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL,

Leia mais

Medida Cheque-Formação

Medida Cheque-Formação Medida Cheque-Formação Sofia David CTCV Coimbra 15/10/2015 1 O CTCV como entidade Formadora: Desígnios Apoiar as empresas no Desenvolvimento de Projetos que conduzam ao desenvolvimento de competências

Leia mais

GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO

GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA APOIO À REDUÇÃO DA PRECARIEDADE NO EMPREGO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO

Leia mais

Incentivos à contratação 2013

Incentivos à contratação 2013 Incentivos à contratação 2013 Conheça os principais apoios à contratação em vigor em 2013 Os incentivos de que as empresas podem usufruir quando contratam novos trabalhadores podem consistir em apoios

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 47/2015 de 27 de Março de 2015

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 47/2015 de 27 de Março de 2015 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 47/2015 de 27 de Março de 2015 A Resolução do Conselho do Governo n.º 18/2013, de 19 de fevereiro, alterada e republicada pela Resolução do Conselho

Leia mais

CUSTOS ELEGÍVEIS NO ÂMBITO DO FSE Tabela Comparativa Atualizada ( )

CUSTOS ELEGÍVEIS NO ÂMBITO DO FSE Tabela Comparativa Atualizada ( ) Página1 A presente tabela pretende constituir um auxiliar na aplicação do novo regime relativo à natureza e limites máximos de custos no âmbito do FSE, instituído pelo (1), identificando os aspetos essenciais

Leia mais

IRS (Lei n.º 66-B/2012 de 31 de Dezembro) SEGUROS DE VIDA

IRS (Lei n.º 66-B/2012 de 31 de Dezembro) SEGUROS DE VIDA IRS 2013 (Lei n.º 66-B/2012 de 31 de Dezembro) SEGUROS DE VIDA 2 SEGUROS DE VIDA Dedução dos prémios: Desde que garantam exclusivamente os riscos De morte; De invalidez; De reforma por velhice, desde que

Leia mais

DESEMPREGO. Estudo / Proposta para Redução do Desemprego

DESEMPREGO. Estudo / Proposta para Redução do Desemprego DESEMPREGO Estudo / Proposta para Redução do Desemprego 1. Introdução A concelhia de Pinhel do CDS-PP, debruçou-se sobre a problemática do desemprego, sobretudo a nível do concelho de Pinhel, para verificar

Leia mais

Medidas Ativas de Emprego. Leiria 19.09.2014

Medidas Ativas de Emprego. Leiria 19.09.2014 Medidas Ativas de Emprego Leiria 19.09.2014 Formação em TÉCNICAS DE PROCURA DE EMPREGO Formação VIDA ATIVA GARANTIA JOVEM MEDIDAS ATIVAS DE EMPREGO: Apoios à contratação Estágios Emprego Emprego Jovem

Leia mais

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social. Seguro Social Voluntário

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social. Seguro Social Voluntário Seguro Social Voluntário Ficha Técnica Título Autor de Segurança Social Seguro Social Voluntário Conceção gráfica Edição Direção de Serviços de Instrumentos de Aplicação http://www.seg-social.pt/dgss-direccao-geral-da-seguranca-social

Leia mais

Laranjeiro dos Santos & Associados Sociedade de Advogados RL

Laranjeiro dos Santos & Associados Sociedade de Advogados RL Nota Informativa 1/2012: Alterações relevantes em matéria Processamento Salarial e Encargos Sociais I. Comissão Permanente de Concertação Social Alterações à tipologia contratual: Alargamento da duração

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA ESPECÍFICA Custos Operacionais e de Animação Nº 1/2017 VERSÃO 1.0 DESENVOLVIMENTO LOCAL DE BASE COMUNITÁRIA ANEXO I Lista de documentos a apresentar com a candidatura para controlo documental

Leia mais

3. Como podem ser constituídas as equipas dos projetos cooperativos?

3. Como podem ser constituídas as equipas dos projetos cooperativos? FAQ I Finalidade e âmbito do Programa COOPJOVEM 1. O que é o COOPJOVEM? O COOPJOVEM é um programa de apoio ao empreendedorismo cooperativo, destinado a apoiar os jovens NEET na criação de cooperativas,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução n.º 142/2016 de 11 de Agosto de 2016

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução n.º 142/2016 de 11 de Agosto de 2016 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução n.º 142/2016 de 11 de Agosto de 2016 Considerando que o incentivo à empregabilidade através de apoios financeiros aos empregadores que celebrem contratos de trabalho com

Leia mais

*RN PT* FLEXOPACK - INDÚSTRIA EMBALAGENS, LDA. LUGAR ALÉM DO RIO Nº 35 ANTA ESPINHO

*RN PT* FLEXOPACK - INDÚSTRIA EMBALAGENS, LDA. LUGAR ALÉM DO RIO Nº 35 ANTA ESPINHO Delegação Regional do Norte Rua Eng. Ezequiel Campos, 488 4149-004 PORTO - Porto *RN057158099PT* FLEXOPACK - INDÚSTRIA EMBALAGENS, LDA. LUGAR ALÉM DO RIO Nº 35 ANTA 4500-579 ESPINHO Refª n.º 05-05-2016

Leia mais

INSTITUTO DA HABITAÇÃO E DA REABILITAÇÃO URBANA, IP

INSTITUTO DA HABITAÇÃO E DA REABILITAÇÃO URBANA, IP INSTITUTO DA HABITAÇÃO E DA REABILITAÇÃO URBANA, IP 2015 DIREÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS DARH/DRH Contrato de Emprego-Inserção 1 W W W.PORTALDAHABITACAO.PT

Leia mais

NOTA INFORMATIVA ÁREA DE PRÁTICA DE DIREITO DO TRABALHO

NOTA INFORMATIVA ÁREA DE PRÁTICA DE DIREITO DO TRABALHO 03.02.2009 NOTA INFORMATIVA ÁREA DE PRÁTICA DE DIREITO DO TRABALHO MEDIDAS EXCEPCIONAIS DE APOIO AO EMPREGO E À CONTRATAÇÃO PARA O ANO DE 2009 Como forma de reacção à actual conjuntura económica e financeira

Leia mais

Diploma. Cria e regula o funcionamento dos gabinetes de inserção profissional

Diploma. Cria e regula o funcionamento dos gabinetes de inserção profissional Diploma Cria e regula o funcionamento dos gabinetes de inserção profissional O Governo tem vindo a proceder à racionalização e sistematização do edifício legislativo que enquadra e regula as medidas de

Leia mais

Diploma. Cria e regula o funcionamento dos gabinetes de inserção profissional

Diploma. Cria e regula o funcionamento dos gabinetes de inserção profissional Diploma Cria e regula o funcionamento dos gabinetes de inserção profissional O Governo tem vindo a proceder à racionalização e sistematização do edifício legislativo que enquadra e regula as medidas de

Leia mais

Diploma. Cria e regula o funcionamento dos gabinetes de inserção profissional

Diploma. Cria e regula o funcionamento dos gabinetes de inserção profissional Diploma Cria e regula o funcionamento dos gabinetes de inserção profissional O Governo tem vindo a proceder à racionalização e sistematização do edifício legislativo que enquadra e regula as medidas de

Leia mais

Diploma. Cria e regula o funcionamento dos gabinetes de inserção profissional

Diploma. Cria e regula o funcionamento dos gabinetes de inserção profissional Diploma Cria e regula o funcionamento dos gabinetes de inserção profissional O Governo tem vindo a proceder à racionalização e sistematização do edifício legislativo que enquadra e regula as medidas de

Leia mais

Trata-se de um instrumento que produz resultados bem concretos e visíveis para ambas as partes.

Trata-se de um instrumento que produz resultados bem concretos e visíveis para ambas as partes. NOTA ASSUNTO: Nova Medida de Estágios Profissionais Reativar Ponto 2 da agenda da CPCS de 14 de janeiro de 2015 I. A CIP considera que os estágios, como meio de aproximação à vida profissional, constituem

Leia mais

Faro, 2 de agosto de 2012

Faro, 2 de agosto de 2012 Faro, 2 de agosto de 2012 Estímulo 2012 A medida ativa de emprego Estímulo 2012, aprovada pela Portaria nº 45/2012, tem por objetivo: Apoiar a contratação de desempregados; Promovendo e aumentando a sua

Leia mais

Estágios Emprego e Medida Estágios Inserção para Pessoas com deficiência e incapacidade Como funciona o estágio? Como são selecionados os estagiários?

Estágios Emprego e Medida Estágios Inserção para Pessoas com deficiência e incapacidade Como funciona o estágio? Como são selecionados os estagiários? Como funciona o estágio? Como são selecionados os estagiários? Cabe ao serviço de emprego do IEFP da área de realização do estágio, em articulação com as entidades promotoras, recrutar e selecionar os

Leia mais

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL 1. Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE) 2. Programa Investe Jovem 3. Apoio Técnico à Criação e Consolidação de Projetos

Leia mais