Leitura guiada e propostas de trabalho

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Leitura guiada e propostas de trabalho"

Transcrição

1 í n d i c e Apresentação... 9 Introdução Texto integral de Sexta-Feira ou a Vida Selvagem Leitura guiada e propostas de trabalho A origem O autor A história As personagens O espaço e o tempo A filosofia A época em que a história foi escrita A atualidade da obra Guião de leitura Bibliografia

2 ap r e s e ntação Se há livro que ainda hoje pode fascinar um adolescente (e que muito fascinou quem estas linhas escreve, no tempo da sua adolescência) esse livro é seguramente o Robinsoe Crusoe ou, mais propriamente, The Life and Strange Surprising Adventures of Robison Crusoe, de Daniel Defoe, livro publicado pela primeira vez em A história é conhecida e deu lugar a comentários, a adaptações e a versões diversas, com destaque para o cinema, porque as aventuras e desventuras do náufrago isolado numa ilha deserta encerram, de facto, uma riqueza humana apre ciável. E assim, o grande realizador espanhol Luis Buñuel dirigiu umas Aventuras de Robinson Crusoe em 1954; mais recentemente, em 1997, tivemos um outro Robinson Crusoe, de Georges Miller, protagonizado por Pierce Brosnan, o mesmo que já foi James Bond; e o filme O Náufrago (título original: Cast Away, de 2000, realizado por Robert Zemeckis e com o admirável Tom Hanks no papel principal) é, também ele, indissociável do episódio do homem perdido numa ilha longínqua e desconhecida. Quando o escritor francês Michel Tournier publicou em 1967 o livro Vendredi ou les Limbes du Pacifique era de novo o mito de Robinson Crusoe que reaparecia e, com ele, Sexta Feira. Mais tarde, foi este trazido para o título do relato que, provindo daquele outro, aqui se analisa: Vendredi ou la Vie sauvage, em por tuguês Sexta Feira ou a Vida Selvagem, de O reencontro com ambos, Robinson e Sexta Feira, traz nos de volta a comportamentos e a modos de ser que a leitura retoma, num contexto escolar próprio: aquele em que 9

3 jovens já com alguma vivência dos textos literários encontram numa obra da literatura francesa um desafio ficcional muito fecundo. Podendo ser considerado um livro para jovens, Sexta Feira ou a Vida Selvagem, de Michel Tournier, não é necessariamente um livro fácil e muito menos simples. O que desaconselha leituras superficiais e redutoras, meramente interessadas na componente por assim dizer aventurosa que a narrativa também encerra. Para além disso, Sexta Feira ou a Vida Selvagem dialoga com o remoto texto (o de Daniel Defoe) que lhe serviu de matriz e fonte de inspiração, recuperando para os nossos dias relevantes sentidos temáticos e valores culturais e civilizacionais. São esses sen tidos e esses valores que, na etapa formativa a que se reporta a leitura de Sexta Feira ou a Vida Selvagem (o terceiro ciclo do Ensino Básico), se me afiguram extremamente importantes: por exemplo, aqueles que estão implicados na relação do sujeito com o outro e com a diferença que ele pode representar. A análise de Sexta Feira ou a Vida Selvagem que Paulo Militão aqui nos propõe é um auxiliar de leitura que, não a substituindo, como é óbvio, a enquadra e acompanha. Contribuem para isso os vários componentes de trabalho que este livro nos faculta: a análise da história contada em Sexta Feira ou a Vida Selvagem e a sua origem, o trabalho de escrita empreendido por Michel Tournier dois séculos e meio depois do primeiro Robinson, as personagens de que nos fala e os cenários em que se movem, o contexto social e cultural em que a obra surgiu, os grandes sentidos que ela sugere. Tudo isso e também um guião de leitura que, passo a passo, apoia e incentiva a aventura do jovem leitor que penetra num mundo a vários títulos sedutor. Vale a pena, por isso, ler Sexta Feira ou a Vida Selvagem. Mas vale a pena sobretudo tentar perceber a atualidade de uma his tória que parece inesgotável, também por ser capaz de muito dizer a um mundo (o nosso mundo de hoje) bem mais amplo do que a pequena ilha onde tudo começou. 10 Carlos Reis

4 i n t r o d u ç ã o Neste livro, vais encontrar uma história de Michel Tournier. Trata se de uma das narrativas propostas como leitura obrigatória para o 3.º ciclo. Foi escolhida para que possas conhecer um autor estrangeiro que, pela importância da sua obra, é uma referência na literatura internacional. a proposta de leitura guiada, que se apresenta, baseia-se em alguns dos desempenhos (o que se espera que consigas fazer) que o novo programa de Português para o ensino básico prevê para a leitura do texto literário, a saber: a) distinguir diferenças, semelhanças ou a novidade de um texto em relação a outro(s); b) reconhecer e refletir sobre os valores culturais, éticos, esté ticos, políticos e religiosos que perpassam nos textos. De certeza, já ouviste falar de Robinson Crusoe e tens uma ideia geral sobre a história que vais ler. Sexta Feira ou a Vida Selvagem dá nos a conhecer uma história algo diferente daquela que foi escrita por Daniel Defoe no século xviii. Michel Tournier utiliza a literatura para escrever sobre filosofia e é por isso que a proposta de leitura que te apresentamos vai além da tentativa de explicação da história de um náufrago que acaba por viver numa ilha deserta com um indígena. Vais ficar a saber mais sobre a origem da história de Robinson e sobre as principais diferenças que existem entre as obras As Aventuras de Robinson Crusoe e Sexta Feira ou a Vida Selvagem. Conhecerás pormenores importantes da vida e 11

5 obra de Michel Tournier. Compreenderás aspetos interessantes que, de outro modo, poderão ser pouco explorados, ou até ignorados, se realizares uma leitura superficial e apressada da obra. 12

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE LÌNGUA PORTUGUESA UNIDADE DE FORMAÇÃO: 14 TEXTOS NARRATIVOS / DESCRITIVOS

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE LÌNGUA PORTUGUESA UNIDADE DE FORMAÇÃO: 14 TEXTOS NARRATIVOS / DESCRITIVOS PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE LÌNGUA PORTUGUESA UNIDADE DE FORMAÇÃO: 14 TEXTOS NARRATIVOS / DESCRITIVOS SUB-UNIDADE/ MÓDULO Textos narrativos / descritivos Literatura de viagens/aventuras CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS

Leia mais

Segunda Aula. copyright - Felipe Neves

Segunda Aula. copyright - Felipe Neves Segunda Aula Etapas de um roteiro Ideia Conflito Personagem Ação dramática Tempo dramático Unidade dramática...a composição de um roteiro provem de uma experiência: do autor ou da empresa produtora. Não

Leia mais

ANEXOS Capas e contra-capas de adaptações de Robinson Crusoe, de Daniel Defoe

ANEXOS Capas e contra-capas de adaptações de Robinson Crusoe, de Daniel Defoe ANEXOS Capas e contra-capas de adaptações de Robinson Crusoe, de Daniel Defoe DEFOE, Daniel. Robinson Crusoe. Redigido para a mocidade brazileira segundo o plano de F. Hoffmann por Carlos Jansen. Rio de

Leia mais

O Principezinho. Antoine de Saint-Exupéry. com aguarelas do autor

O Principezinho. Antoine de Saint-Exupéry. com aguarelas do autor Antoine de Saint-Exupéry com aguarelas do autor ANTOINE DE SAINT-EXUPÉRY 10 Então, pensei muito nas aventuras da selva e, com um lápis de cor, consegui fazer o meu primeiro desenho. O meu desenho número

Leia mais

U N I V E R S I D A D E C A N D I D O M E N D E S P Ó S G R A D U A Ç Ã O L A T O S E N S U I N S T I T U T O A V E Z D O M E S T R E

U N I V E R S I D A D E C A N D I D O M E N D E S P Ó S G R A D U A Ç Ã O L A T O S E N S U I N S T I T U T O A V E Z D O M E S T R E U N I V E R S I D A D E C A N D I D O M E N D E S P Ó S G R A D U A Ç Ã O L A T O S E N S U I N S T I T U T O A V E Z D O M E S T R E E S T U D O D O S P R O B L E M A S D A E C O N O M I A B R A S I L

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA Língua Estrangeira I- Inglês 5ºANO Oral / Listening Compreender sons, entoações e ritmos da língua. Leitura / Reading Compreender palavras, conceitos simples e frases isoladas. Compreender palavras, frases

Leia mais

APRENDENDO COM OS CONTOS DE MISTÉRIO. E. E. DR. JOSÉ AMÉRICO DE ALMEIDA

APRENDENDO COM OS CONTOS DE MISTÉRIO. E. E. DR. JOSÉ AMÉRICO DE ALMEIDA APRENDENDO COM OS CONTOS DE MISTÉRIO. E. E. DR. JOSÉ AMÉRICO DE ALMEIDA Professor(es) Apresentador(es): Mariana Lima Bastos de Freitas Sandra Regina Braga Granzotti Realização: Foco do Projeto Este projeto

Leia mais

M a n h ã... p r e s e n t e! L u g a r... p r e s e n t e! Q u e m... p r e s e n t e! N e n h u m... p r e s e n t e! C u í c a... p r e s e n t e!

M a n h ã... p r e s e n t e! L u g a r... p r e s e n t e! Q u e m... p r e s e n t e! N e n h u m... p r e s e n t e! C u í c a... p r e s e n t e! C a r o l i n a M a n h ã......................................................................... p r e s e n t e! L u g a r.......................................................................... p

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Português

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Português CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Português Ensino Básico Ano letivo: 16/17 5º ANO Perfil de Aprendizagens Específicas O aluno é capaz: Domínios Interpretar discursos orais breves (Referir

Leia mais

Oficina de Roteiro. Oficina de Roteiro. copyright - Felipe Neves

Oficina de Roteiro. Oficina de Roteiro. copyright - Felipe Neves Oficina de Roteiro Oficina de Roteiro O que é Roteiro? Podemos definir um roteiro de diversas maneiras. A forma escrita de qualquer espetáculo áudio e/ou visual. ( Doc Comparato) 2. Planta baixa ou um

Leia mais

o menino transparente

o menino transparente projeto pedagógico o menino transparente Rua Roma, 90 Edifício Roma Business 7 o andar Lapa São Paulo SP CEP 05050-090 divulgação escolar (11) 3874-0884 divulga@melhoramentos.com.br www.editoramelhoramentos.com.br

Leia mais

A C T A N. º I V /

A C T A N. º I V / 1 A C T A N. º I V / 2 0 0 9 - - - - - - A o s d e z a s s e t e d i a s d o m ê s d e F e v e r e i r o d o a n o d e d o i s m i l e n o v e, n e s t a V i l a d e M o n c h i q u e, n o e d i f í c

Leia mais

As Aventuras de Fernando Pessoa, Escritor Universal

As Aventuras de Fernando Pessoa, Escritor Universal , Escritor Universal Miguel Moreira * Palavras-chave Resumo Keywords Abstract Fernando Pessoa, vida e obra, banda-desenhada, Bernardo Soares, um dia na vida de. Apresenta-se uma breve introdução a uma

Leia mais

Relação entre Textos. Prof. Dr. Luís Cláudio Dallier. Professor das Faculdades COC

Relação entre Textos. Prof. Dr. Luís Cláudio Dallier. Professor das Faculdades COC Relação entre Textos Prof. Dr. Luís Cláudio Dallier Professor das Faculdades COC RELAÇÕES ENTRE TEXTOS Pode-se falar de um mesmo assunto, um mesmo tema, de forma diferente. Atitude crítica e reflexiva

Leia mais

Guião de exploração pedagógica painel 8. Autoria: Maria José Marques

Guião de exploração pedagógica painel 8. Autoria: Maria José Marques Autoria: Maria José Marques A Exposição Itinerante Santillana é da autoria de Maria José Marques e foi exibida pela primeira vez na Universidade de Verão Santillana, nos dias 9, 10 e 11 de julho de 2012,

Leia mais

PLANO NACIONAL DE LEITURA

PLANO NACIONAL DE LEITURA PLANO NACIONAL DE LEITURA Objectivos: Desenvolver competências nos domínios da leitura e da escrita, bem como a criação de hábitos de leitura nos alunos ; Incutir o gosto de ler ; Criar leitores autónomos;

Leia mais

senhor texugo e dona raposa a confusão

senhor texugo e dona raposa a confusão projeto pedagógico senhor texugo e dona raposa a confusão Uma História em Quadrinhos Senhor Texugo e Dona Raposa 2. A CONFUSÃO Série Premiada Rua Tito, 479 Lapa São Paulo SP CEP 05051-000 divulgação escolar

Leia mais

ANEXO 29 Exemplos de respostas dos alunos ao inquérito Anexo 11. Nº de alunos

ANEXO 29 Exemplos de respostas dos alunos ao inquérito Anexo 11. Nº de alunos ANEXO 29 Exemplos de respostas dos alunos ao inquérito Anexo 11 Quadro 24 Exemplos de justificações dos alunos sobre o entusiasmo provocado pelo livro O Mistério das Catacumbas Romanas 4. Numa escala de

Leia mais

SUPLEMENTO DE ATIVIDADES

SUPLEMENTO DE ATIVIDADES SUPLEMENTO DE ATIVIDADES 1 NOME: N O : ESCOLA: SÉRIE: Um dos mais importantes escritores portugueses, Eça de Queirós foi um arguto analista da sociedade e das relações humanas. Crítico implacável, satirista

Leia mais

UNIDADE 1: Linguística, Linguagem e Língua

UNIDADE 1: Linguística, Linguagem e Língua 7 Dedicatória 9 Nota da Autora UNIDADE 1: Linguística, Linguagem e Língua 11 Objectivos da Unidade 11 1. O que é a Linguística? 11 1.1. O que é um linguista? 12 1.2. Qual é a diferença entre a Linguística

Leia mais

Roteiro PROF. ANDRÉ GALVAN

Roteiro PROF. ANDRÉ GALVAN Roteiro PROF. ANDRÉ GALVAN Primeiro Passo: Desenvolver uma Idéia. Todo roteiro - assim como toda obra literária e toda obra de arte - começa sempre a partir de uma Idéia. Idéias valem ouro! A criatividade

Leia mais

Mundiverso: Literatura do mundo Curso: 3º ASE Nome do estudante: Marina Alexandra Gonçalves Domingues Número:

Mundiverso: Literatura do mundo Curso: 3º ASE Nome do estudante: Marina Alexandra Gonçalves Domingues Número: Mundiverso: Literatura do mundo Curso: 3º ASE Nome do estudante: Marina Alexandra Gonçalves Domingues Número: 2009086 Titulo Autor Referência bibliográfica completa Cota na ESEC Nas Ciganas- Novelas completas,

Leia mais

PRÁTICAS NA INTERVENÇÃO EM PROJETO EU E OS OUTROS

PRÁTICAS NA INTERVENÇÃO EM PROJETO EU E OS OUTROS PRÁTICAS NA INTERVENÇÃO EM C A D PROJETO EU E OS OUTROS ISABEL NUNES CONCEITO É um programa de prevenção universal dos problemas ligados aos comportamentos aditivos e dependências, dirigido a jovens entre

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL ESTREMOZ PLANIFICAÇÃO ANUAL

ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL ESTREMOZ PLANIFICAÇÃO ANUAL ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL 402643 - ESTREMOZ Competências Gerais PLANIFICAÇÃO ANUAL DISCIPLINA: LITERATURA PORTUGUESA 2016-2017 - 10º Ano COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS Leitura / Oralidade Seguir

Leia mais

A C O N T R A R E F O R M A E A R E F O R M A C A T Ó L I C A N O S P R I N C Í P I O S D A I D A D E M O D E R N A 2

A C O N T R A R E F O R M A E A R E F O R M A C A T Ó L I C A N O S P R I N C Í P I O S D A I D A D E M O D E R N A 2 1 Í N D I C E A C O N T R A R E F O R M A E A R E F O R M A C A T Ó L I C A N O S P R I N C Í P I O S D A I D A D E M O D E R N A 2 A P R E S E N T A Ç Ã O : A L G U M AS N O T A S E P A L A V R A S 2

Leia mais

Workshop de Escrita de Argumento

Workshop de Escrita de Argumento Workshop de Escrita de Argumento Data: Maio e Junho de 2012 Concepção e monitorização dos workshops: Ana Sofia Pereira Cimbalino Filmes Programa: Sessão 1: Introdução ao Argumento Sessão 2: O Guião Técnico

Leia mais

E S T AT U T O S D A P E N AF I E L AC T I V A, E M

E S T AT U T O S D A P E N AF I E L AC T I V A, E M E S T AT U T O S D A P E N AF I E L AC T I V A, E M C AP I T U L O I D i s p o s i ç õ e s G e r a i s Ar t i g o 1. º D e n o m i n a ç ã o e N a t u r e z a J u r í d i c a 1. A P e n a f i e l A c t

Leia mais

a cobronça, a princesa e a supresa

a cobronça, a princesa e a supresa projeto pedagógico a cobronça, a princesa e a supresa Rua Tito, 479 Lapa São Paulo SP CEP 05051-000 divulgação escolar (11) 3874-0884 divulga@melhoramentos.com.br Fê ilustrações e Celso Linck www.editoramelhoramentos.com.br

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROF. PAULA NOGUEIRA - OLHÃO DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE INGLÊS 1º, 2º E 3º CICLOS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROF. PAULA NOGUEIRA - OLHÃO DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE INGLÊS 1º, 2º E 3º CICLOS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROF. PAULA NOGUEIRA - OLHÃO DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE INGLÊS 1º, 2º E 3º CICLOS Introdução Os domínios de referência definidos, para cada ano,

Leia mais

Publicado em TV Brasil (http://tvbrasil.ebc.com.br) 30/01/ h10. Incertezas Críticas estreia nesta quarta (1/2) na TV Brasil

Publicado em TV Brasil (http://tvbrasil.ebc.com.br) 30/01/ h10. Incertezas Críticas estreia nesta quarta (1/2) na TV Brasil Publicado em TV Brasil (http://tvbrasil.ebc.com.br) 30/01/2017-17h10 Incertezas Críticas estreia nesta quarta (1/2) na TV Brasil Novidade da programação datv Brasil para esta quarta-feira (1), às 21h30,

Leia mais

PARA PROFISSIONAIS DE

PARA PROFISSIONAIS DE FRANCêS PARA PROFISSIONAIS DE SAúDE: NíVEL B1 (ABR 2015) - PORTO A mobilidade de profissionais de saúde é uma realidade e falar francês é uma abertura de portas para o mercado de trabalho internacional

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa de Português do Ensino Básico e Metas Curriculares de Português do Ensino Básico

Leia mais

AGENDA DA BE. Projeto Educacional Sinergia de Saberes MARÇO 2017

AGENDA DA BE. Projeto Educacional Sinergia de Saberes MARÇO 2017 AGENDA DA BE Projeto Educacional Sinergia de Saberes MARÇO 2017 Conheça a agenda da BE No mês de março, mês de entrada na primavera, a agenda da BE traz muitas novidades! A temática central da BE continua

Leia mais

ESPANHOL Cont. Ano Letivo 2016/2017 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 11º Ano de Escolaridade

ESPANHOL Cont. Ano Letivo 2016/2017 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 11º Ano de Escolaridade Ano Letivo 2016/2017 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESPANHOL Cont. 11º Ano de Escolaridade Prova 368 2017 Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho 1. Objeto de avaliação A prova a que esta

Leia mais

GUIA DE ESTUDOS 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I /2015 Semana de 16/11 a 20/11

GUIA DE ESTUDOS 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I /2015 Semana de 16/11 a 20/11 GUIA DE ESTUDOS 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I /2015 Semana de 16/11 a 20/11 Língua Portuguesa Temas: Leitura, compreensão e interpretação textual Lição de casa: Para: 17/11 (terça-feira) Fazer no caderno

Leia mais

Jovens Repórteres para o Ambiente A REPORTAGEM. O mais nobre dos géneros jornalísticos

Jovens Repórteres para o Ambiente A REPORTAGEM. O mais nobre dos géneros jornalísticos Jovens Repórteres para o Ambiente A REPORTAGEM O mais nobre dos géneros jornalísticos A reportagem é Ver e fazer ver Ouvir e fazer ouvir Sentir e fazer sentir Compreender e fazer compreender Ou seja, VIVER

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Inglês

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Inglês Produção CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Inglês Ensino Básico Ano letivo: 2017/2018 7º ANO Perfil de Aprendizagens Específicas O aluno é capaz: Compreender textos orais e audiovisuais

Leia mais

Um Olhar sobre a Cultura dos Povos Indígenas do Brasil: o cotidiano das crianças E.E. Dr Luis Arrôbas Martins

Um Olhar sobre a Cultura dos Povos Indígenas do Brasil: o cotidiano das crianças E.E. Dr Luis Arrôbas Martins Um Olhar sobre a Cultura dos Povos Indígenas do Brasil: o cotidiano das crianças E.E. Dr Luis Arrôbas Martins Professor(es) Apresentador(es): Tatiane Cecilia da Silva Nardi Realização: Foco do Projeto

Leia mais

Atividades sobre O Principezinho

Atividades sobre O Principezinho A propósito do lançamento de uma nova edição de O Principezinho, de Antoine de Saint- -Exupéry, propomos duas atividades para realizar com o seu educando: exercício de compreensão oral, a partir da visualização

Leia mais

4253 CULTURA AFRO-BRASILEIRA V U C. Sociais quarta-feira MARKETING ELEITORAL V U C. Sociais segunda-feira 11

4253 CULTURA AFRO-BRASILEIRA V U C. Sociais quarta-feira MARKETING ELEITORAL V U C. Sociais segunda-feira 11 4253 CULTURA AFRO-BRASILEIRA V U C. Sociais quarta-feira 12 3326 MARKETING ELEITORAL V U C. Sociais segunda-feira 11 6752 PESQUISA II: MÉTODOS QUANTITATIVOS V B C. Sociais segunda-feira 18 3734 POLÍTICA

Leia mais

OBJETIVOS DESCRITORES DE DESEMPENHO CONTEÚDOS

OBJETIVOS DESCRITORES DE DESEMPENHO CONTEÚDOS DISCIPLINA: Português ANO DE ESCOLARIDADE: 9º Ano 2016/2017 METAS CURRICULARES DOMÍNIOS DE REFERÊNCIA PROGRAMA OBJETIVOS DESCRITORES DE DESEMPENHO CONTEÚDOS Oralidade 1. Interpretar discursos orais com

Leia mais

Curso de Extensão. Educação Integral e em Tempo Integral Proposta de Trabalho com Blogs. Profª Drª Roberta Pasqualli - IFSC

Curso de Extensão. Educação Integral e em Tempo Integral Proposta de Trabalho com Blogs. Profª Drª Roberta Pasqualli - IFSC Curso de Extensão Educação Integral e em Tempo Integral Proposta de Trabalho com Blogs Profª Drª Roberta Pasqualli - IFSC CONCEITOS Blog é uma abreviação do termo inglês: Web (página da internet) + log

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO LICENCIATURA EM LÍNGUA PORTUGUESA EDU236 Fundamentos da Educação: Sociologia - 30 36 2 0 3º EDU237 Fundamentos da Educação: Filosofia - 30 36 2 0 3º LET812 Estudos de Leitura - 60 72 2 2 3º LET872 Teoria

Leia mais

NOME DO AUTOR TÍTULO ILUSTRAÇÕES DE... COLEÇÃO...

NOME DO AUTOR TÍTULO ILUSTRAÇÕES DE... COLEÇÃO... NOME DO AUTOR TÍTULO ILUSTRAÇÕES DE... COLEÇÃO... MONTES CLAROS 2014 COORDENAÇÃO EDITORIAL: Daniela Barreto ASSISTENTE DE COORDENAÇÃO: Alexandra Vieira Beatriz Guimarães Cristiane Souza Elen Neves Maria

Leia mais

P a l a v r a s - c h a v e s : l i n g u í s t i c a, l i n g u a g e m, s o c i a b i l i d a d e.

P a l a v r a s - c h a v e s : l i n g u í s t i c a, l i n g u a g e m, s o c i a b i l i d a d e. A V A R I E D A D E L I N G U Í S T I C A D E N T R O D A S O C I E D A D E C A M P O - G R A N D E N S E N O Â M B I T O D O M E R C A D Ã O M U N I C I P A L E F E I R A C E N T R A L D E C A M P O G

Leia mais

EBI DA BOA ÁGUA EB1 N.º 2 DA QUINTA DO CONDE EB1/JI DO PINHAL DO GENERAL JI DO PINHAL DO GENERAL

EBI DA BOA ÁGUA EB1 N.º 2 DA QUINTA DO CONDE EB1/JI DO PINHAL DO GENERAL JI DO PINHAL DO GENERAL L I S T A D E C A N D I D A T U R A S A O C O N C U R S O D E A S S I S T E N T E O P E R A C I O N A L P U B L I C A D O N O D I Á R I O D A R E P Ú B L I C A N º 1 5 8 D E 1 4 / 8 / 2 0 1 5 A V I S O

Leia mais

Tudo tem um princípio. CAPÍTULO 1 - Do que vais precisar CAPÍTULO 2 - A Ideia CAPÍTULO 3 - O Género

Tudo tem um princípio. CAPÍTULO 1 - Do que vais precisar CAPÍTULO 2 - A Ideia CAPÍTULO 3 - O Género Índice Tudo tem um princípio Pág. 8 Pág. 9 Pág. 14 Pág. 18 Pág. 26 Pág. 32 Pág. 36 Pág. 42 Pág. 47 CAPÍTULO 1 - Do que vais precisar CAPÍTULO 2 - A Ideia CAPÍTULO 3 - O Género CAPÍTULO 4 - Criar as personagens

Leia mais

CAMINHOS DA ESCOLA Arte na Escola

CAMINHOS DA ESCOLA Arte na Escola CAMINHOS DA ESCOLA Arte na Escola Resumo A série Caminhos da Escola nos apresenta neste episódio Arte na Escola, uma coletânea de matérias gravadas a partir de experiências em escolas de formação técnica

Leia mais

P R O F E S S O R V I N I C I U S S I L V A CAP II DESIGN D E E M B A L A G E N S

P R O F E S S O R V I N I C I U S S I L V A CAP II DESIGN D E E M B A L A G E N S CAP II DESIGN D E E M B A L A G E N S LINGUAGEM V I S U A L E S T E M O M E N T O P R I M O R D I A L, O N D E A I D E N T I F I C A Ç Ã O D O P R O D U T O E R A F E I T A P E L A F O R M A D E S E U

Leia mais

PLANO DE CURSO DISCIPLINA:História ÁREA DE ENSINO: Fundamental I SÉRIE/ANO: 4 ANO DESCRITORES CONTEÚDOS SUGESTÕES DE PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS

PLANO DE CURSO DISCIPLINA:História ÁREA DE ENSINO: Fundamental I SÉRIE/ANO: 4 ANO DESCRITORES CONTEÚDOS SUGESTÕES DE PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS UNIDADE 1 A AVENTURA DE NAVEGAR *Descobrir o motivo das grandes navegações *Reconhecer as especiarias e o comércio entre África e Europa. *A importância das navegações. *As viagens espanholas e portuguesas

Leia mais

ESPANHOL INIC. Ano Letivo 2016/2017 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 11º Ano de Escolaridade

ESPANHOL INIC. Ano Letivo 2016/2017 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 11º Ano de Escolaridade Ano Letivo 2016/2017 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESPANHOL INIC. 11º Ano de Escolaridade Prova 375 2017 Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho 1. Objeto de avaliação A prova a que esta

Leia mais

H003 Compreender a importância de se sentir inserido na cultura escrita, possibilitando usufruir de seus benefícios.

H003 Compreender a importância de se sentir inserido na cultura escrita, possibilitando usufruir de seus benefícios. 2ª Língua Portuguesa 5º Ano E.F. Objeto de Estudo Usos e funções: código oral e código escrito Usos e funções: código oral e código escrito Usos e funções: norma-padrão e variedades linguísticas. Usos

Leia mais

Governo da República Portuguesa

Governo da República Portuguesa ESCOLA SECUNDÁRIA DR. GINESTAL MACHADO CURSOS PROFISSIONAIS - 12 ºANO (Nota: 72h/ Nota: Planificação sujeita a reajustamentos, após publicação de Horário da Turma e confirmação de horas efetivamente dadas,

Leia mais

Depois de ler o texto, assinale com um V (verdadeiro) ou um F (falso) as afirmações 1-5. Escreva as respostas na folha de respostas.

Depois de ler o texto, assinale com um V (verdadeiro) ou um F (falso) as afirmações 1-5. Escreva as respostas na folha de respostas. Exemplo 1 Sou aluno do curso de Educação Física e Desporto e como futuro professor de Educação Física fiquei alarmado com a opinião da jovem de 13 anos, Catarina Barata, na edição de 17 de Janeiro. Pelo

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES REGULARES DA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE PENICHE COM AS ESCOLAS DO CONCELHO - ANO LETIVO 2013/14 HORA DO CONTO

PLANO DE ATIVIDADES REGULARES DA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE PENICHE COM AS ESCOLAS DO CONCELHO - ANO LETIVO 2013/14 HORA DO CONTO As marcações para as atividades a seguir descritas deverão ser feitas para a Biblioteca Municipal de Peniche através do telefone 262 780 122. Apesar de haver um calendário com datas pré-marcadas para as

Leia mais

LIVRO PARADIDÁTICO: MANIA DE EXPLICAÇÃO

LIVRO PARADIDÁTICO: MANIA DE EXPLICAÇÃO LIVRO PARADIDÁTICO: MANIA DE EXPLICAÇÃO (FALCÃO, Adriana. Mania de Explicação. São Paulo: Salamandra, 2013.) O livro utiliza a inocência e imaginação de uma menina muito esperta que adora inventar e imaginar

Leia mais

TEXTOS SAGRADOS. Noções introdutórias

TEXTOS SAGRADOS. Noções introdutórias TEXTOS SAGRADOS Noções introdutórias A ORIGEM Os Textos Sagrados, via de regra, tiveram uma origem comum: Experiência do sagrado. Oralidade. Pequenos textos. Primeiras redações. Redação definitiva. Organização

Leia mais

Á Ç ó á ç

Á Ç ó á ç Á Ç ó á ç É í é çã ô ã â ã á ç õ é á õ é ê ã ê çã õ ê ú õ ê ó ó ó ó ã é à çã ê é ê í é ã ó ã á ç í á é ã ó é á ó ó á ó á ã ó ã ã çã ó ê ó ê á ô ô ã ã çã ô çã ô í ê ó á ó ê çõ ê é á ê á á ç ó í çã ó ã é

Leia mais

Associação de Professores de Português PARECER SOBRE O EXAME 61 (PORTUGUÊS) 6.º ANO-2013

Associação de Professores de Português PARECER SOBRE O EXAME 61 (PORTUGUÊS) 6.º ANO-2013 Associação de Professores de Português PARECER SOBRE O EXAME 61 (PORTUGUÊS) 6.º ANO-2013 I GRUPO CORREÇÃO DO EXAME 61 (Segundo os critérios apresentados pelo GAVE) PARTE A 1 - c) b) a) b) c) a) 2.1 - completou,

Leia mais

Planificação Anual GR Disciplina Português (Ensino Profissional) 3.º

Planificação Anual GR Disciplina Português (Ensino Profissional) 3.º Planificação Anual GR 300 - Disciplina Português (Ensino Profissional) 3.º Módulo 9: Textos Líricos (Fernando Pessoa ortónimo e heterónimos) 30 horas (40 aulas) Objectivos de Aprendizagem -Distinguir a

Leia mais

PRÉ-REQUISITOS Haver concluído a disciplina Introdução aos Estudos Linguísticos ou disciplina equivalente..

PRÉ-REQUISITOS Haver concluído a disciplina Introdução aos Estudos Linguísticos ou disciplina equivalente.. GÊNEROS TEXTUAIS PROJETO DIDÁTICO Aula 10 META Apresentar a criação de um produto fi nal, a partir de atividades de leitura e escrita, como possibilidade de ressignifi cação da aprendizagem dos gêneros

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Francês (LE II) 1ª/2ª fase/ 2017

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Francês (LE II) 1ª/2ª fase/ 2017 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Francês (LE II) 1ª/2ª fase/ 2017 Prova escrita (Código 16) 2017 9ºano de Escolaridade - 3.º Ciclo do Ensino Básico INTRODUÇÃO O presente documento visa divulgar

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL 5º Ano. Disciplina de Português Ano Letivo /2017. Domínios/Conteúdos/Descritores. Unidade 0 Apresentações

PLANIFICAÇÃO ANUAL 5º Ano. Disciplina de Português Ano Letivo /2017. Domínios/Conteúdos/Descritores. Unidade 0 Apresentações AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VALE DE MILHAÇOS ESCOLA BÁSICA DE VALE DE MILHAÇOS PLANIFICAÇÃO ANUAL 5º Ano Disciplina de Português Ano Letivo - 2016/2017 Metas de aprendizagem/objetivos Domínios/Conteúdos/Descritores

Leia mais

ESCOLA NO CINEMA. Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=rrat_cquvty

ESCOLA NO CINEMA. Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=rrat_cquvty ESCOLA NO CINEMA FILMES PROPOSTOS ÀS ESCOLAS, VISIONAMENTO EM SALA DE CINEMA E ANÁLISE EM SALA DE AULA. ENTRADA GRATUITA. INSCRIÇÃO PRÉVIA OBRIGATÓRIA ATRAVÉS DO E-MAIL AO-NORTE@NORTENET.PT OU TELEFONE

Leia mais

L ngua Portuguesa INTRODUÇÃO

L ngua Portuguesa INTRODUÇÃO Programação 1º- ao5º-ano INTRODUÇÃO Ser leitor-escritor competente nos dias de hoje é uma das condições básicas para uma participação social efetiva. Assim, cabe à escola rever seus currículos e estar

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a Design Comics

Leia mais

COLÉGIO DA IMACULADA CONCEIÇÃO FICHA DE TRABALHO BIBLIOTECA ESCOLAR ANO LETIVO 20 /20. Sexta-Feira ou a Vida Selvagem Guião de Leitura Orientada

COLÉGIO DA IMACULADA CONCEIÇÃO FICHA DE TRABALHO BIBLIOTECA ESCOLAR ANO LETIVO 20 /20. Sexta-Feira ou a Vida Selvagem Guião de Leitura Orientada COLÉGIO DA IMACULADA CONCEIÇÃO ANO LETIVO 20 /20 FICHA DE TRABALHO BIBLIOTECA ESCOLAR NOME: TURMA: N.º: DATA: Sexta-Feira ou a Vida Selvagem Guião de Leitura Orientada Parte I (Capítulos 1 a 13) 1. No

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a Dvolver M a n

Leia mais

> Serviço Educativo. Atividades Visitas Oficinas

> Serviço Educativo. Atividades Visitas Oficinas > Serviço Educativo Atividades Visitas Oficinas O Arquivo Municipal de Lisboa guarda documentos sobre a história e a administração da cidade de Lisboa, desde o século XIII até à atualidade. Nele se reúne,

Leia mais

Unidade de Revisão. Revisor Textual: Profª Dra. Magalí Elisabete Sparano

Unidade de Revisão. Revisor Textual: Profª Dra. Magalí Elisabete Sparano Revisor Textual: Profª Dra. Magalí Elisabete Sparano Old English Period Unidade 1 Os Primeiros Séculos Os primeiros escritos literatura de cunho religioso. Características: textos em versos (caesura e

Leia mais

Profa. Dra. Suzana L. S. Ribeiro Prof. Danilo Eiji Lopes Profa. Maria Aparecida Blaz Vasques Amorim

Profa. Dra. Suzana L. S. Ribeiro Prof. Danilo Eiji Lopes Profa. Maria Aparecida Blaz Vasques Amorim Introdução 2: História Oral de Vida História Oral Temática Tradição Oral Profa. Dra. Suzana L. S. Ribeiro Prof. Danilo Eiji Lopes Profa. Maria Aparecida Blaz Vasques Amorim Apresentação utilizada durante

Leia mais

Planificação da Disciplina de Português 5.º Ano - Ano Letivo 2013/2014 Manual Escolar: P5. Domínios

Planificação da Disciplina de Português 5.º Ano - Ano Letivo 2013/2014 Manual Escolar: P5. Domínios Agrupamento de Escolas Agualva Mira Sintra Escola Básica D. Domingos Jardo Planificação da Disciplina de Português 5.º Ano - Ano Letivo 2013/2014 Manual Escolar: P5 Domínios Compreensão do Oral:. Escutar

Leia mais

COMO GERAR R$ COM MARKETING VICENTE SAMPAIO

COMO GERAR R$ COM  MARKETING VICENTE SAMPAIO COMO GERAR R$ 10.000 COM EMAIL MARKETING VICENTE SAMPAIO capítulos 01 i n t r o d u ç ã o 02 o m é t o d o 03 a t r a ç ã o 04 r e t e n ç ã o 05 v e n d a 06 e s c a l a 07 c o n c l u s ã o 01 intro

Leia mais

A ALFABETIZAÇÃO DA PESSOA SURDA: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Caderno de Educação Especial

A ALFABETIZAÇÃO DA PESSOA SURDA: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Caderno de Educação Especial A ALFABETIZAÇÃO DA PESSOA SURDA: DESAFIOS E POSSIBILIDADES Caderno de Educação Especial O que devemos considerar no processo de Alfabetização? Criança Ouvinte Criança Surda Faz uso das propriedades fonológicas

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA

PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA MATÉRIA: Português PROFESSORAS: Débora Campos e Flávia Moreira ANO: 8º - Ensino Fundamental O HOMEM, CONSIDERADO NA SUA ESSÊNCIA E NAS SUAS RELAÇÕES, É O ENIGMA DE MAIS DIFÍCIL

Leia mais

A Pedagogia Waldorf Caminho para um ensino mais humano

A Pedagogia Waldorf Caminho para um ensino mais humano A Pedagogia Waldorf Rudolf Lanz A Pedagogia Waldorf Caminho para um ensino mais humano Apêndice: Questões prementes da atualidade educacional com capítulo especial por Valdemar W. Setzer 12ª edição Rudolf

Leia mais

Serviço Educativo Oferta Educativa 2015/2016

Serviço Educativo Oferta Educativa 2015/2016 Serviço Educativo Oferta Educativa 2015/2016 Ecomuseu de Ribeira de Pena O Ecomuseu de Ribeira de Pena dedica-se à preservação e divulgação o património natural e cultural do território ribeirapenense.

Leia mais

DISCIPLINAS OPTATIVAS PARA OS CURRÍCULOS, CRIADOS A PARTIR DE 2006, DO CURSO DE LETRAS

DISCIPLINAS OPTATIVAS PARA OS CURRÍCULOS, CRIADOS A PARTIR DE 2006, DO CURSO DE LETRAS CURRÍCULO CÓDIGO DESCRIÇÃO SETOR CLASSE 1/06 GCL00091 CRÍTICA TEXTUAL / ECDÓTICA II Crítica Textual OPTATIVA 1/06 GCL00092 CRÍTICA TEXTUAL / ECDÓTICA III Crítica Textual OPTATIVA 1/06 GCL00093 CRÍTICA

Leia mais

O processo eleitoral brasileiro. A n tonio Paim I n s t i t u t o d e H u m a n i d a d e s, S ã o P a u l o

O processo eleitoral brasileiro. A n tonio Paim I n s t i t u t o d e H u m a n i d a d e s, S ã o P a u l o O processo eleitoral brasileiro A n tonio Paim I n s t i t u t o d e H u m a n i d a d e s, S ã o P a u l o A p a i m 0 9 @ u o l. c o m. b r A j u l g a r p e l o s s i n a i s e x t e r i o r e s, o

Leia mais

PLANO DE CURSO DISCIPLINA:História ÁREA DE ENSINO: Fundamental I SÉRIE/ANO: 2 ANO DESCRITORES CONTEÚDOS SUGESTÕES DE PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS

PLANO DE CURSO DISCIPLINA:História ÁREA DE ENSINO: Fundamental I SÉRIE/ANO: 2 ANO DESCRITORES CONTEÚDOS SUGESTÕES DE PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS UNIDADE 1 MUITO PRAZER, EU SOU CRIANÇA. *Conhecer e estabelecer relações entre a própria história e a de outras pessoas,refletindo sobre diferenças e semelhanças. *Respeitar e valorizar a diversidade étnico

Leia mais

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS NÍVEL 2 NÍVEL 3 NÍVEL 4 NÍVEL 5. * Consegue compreender aquilo que ouve.

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS NÍVEL 2 NÍVEL 3 NÍVEL 4 NÍVEL 5. * Consegue compreender aquilo que ouve. PORTUGUÊS 3º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO COMPREENSÃO DO ORAL Compreensão de formas complexas do oral, exigidas para o prosseguimento de estudos e para a entrada na vida profissional. * Capacidade de extrair

Leia mais

Educação, articulação e complexidade por Edgar Morin. Elza Antonia Spagnol Vanin*

Educação, articulação e complexidade por Edgar Morin. Elza Antonia Spagnol Vanin* Educação, articulação e complexidade por Edgar Morin Elza Antonia Spagnol Vanin* Cadernos do CEOM - Ano 17, n. 20 - Imagens e Linguagens O francês Edgar Morin é um dos maiores pensadores multidisciplinares

Leia mais

Serviço Educativo Oferta Educativa 2017/2018

Serviço Educativo Oferta Educativa 2017/2018 Serviço Educativo Oferta Educativa 2017/2018 Ecomuseu de Ribeira de Pena O Ecomuseu de Ribeira de Pena tem por missão a preservação e divulgação o património cultural do território ribeirapenense. Os Serviços

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS LITERÁRIOS REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS,

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS LITERÁRIOS REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS, PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS LITERÁRIOS REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS, ÁREA DE CONCENTRAÇÃO ESTUDOS LITERÁRIOS TÍTULO I DA NATUREZA E OBJETIVOS Art. 1º Este regulamento se

Leia mais

Rota de Aprendizagem PORTUGUÊS 5º ano Grupo de Português

Rota de Aprendizagem PORTUGUÊS 5º ano Grupo de Português Rota de Aprendizagem PORTUGUÊS 5º ano Grupo de Português 2017-18 * Em anexo encontram-se Lista de Obras e Textos para Iniciação à Educação literária; e Metas Curriculares (2º Ciclo - 5º Ano): Domínios

Leia mais

Ano Letivo: 2014 / 2015 Ano de Escolaridade: 1º

Ano Letivo: 2014 / 2015 Ano de Escolaridade: 1º 1.º CEB Agrupamento de Escolas Ano Letivo: 2014 / 2015 Ano de Escolaridade: 1º Saber escutar para reproduzir pequenas mensagens e Compreensão do oral Leitura Escrita para cumprir ordens e pedidos Prestar

Leia mais

Plano de Actividades Ano lectivo 2008/2009 Tema: A aventura dos livros

Plano de Actividades Ano lectivo 2008/2009 Tema: A aventura dos livros Plano de Actividades Ano 2008/2009 Tema: A aventura dos livros 1 ACTIVIDADES DE ORGANIZAÇÃO Actividades Objectivos Intervenientes Calendarização Proceder à gestão de colecções. Organização e gestão do

Leia mais

Guião de exploração pedagógica painel 10. Autoria: Maria José Marques

Guião de exploração pedagógica painel 10. Autoria: Maria José Marques Autoria: Maria José Marques A Exposição Itinerante Santillana é da autoria de Maria José Marques e foi exibida pela primeira vez na Universidade de Verão Santillana, nos dias 9, 10 e 11 de julho de 2012,

Leia mais

ENSINO BÁSICO METAS DE APRENDIZAGEM ATIVIDADES ESTRATÉGIAS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO AULAS PREVISTAS PERÍODO LETIVO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

ENSINO BÁSICO METAS DE APRENDIZAGEM ATIVIDADES ESTRATÉGIAS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO AULAS PREVISTAS PERÍODO LETIVO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ENSINO BÁSICO Agrupamento de Escolas N.º 1 de Abrantes ESCOLA BÁSICA DOS 2.º E 3.º CICLOS D. MIGUEL DE ALMEIDA DISCIPLINA: PORTUGUÊS ANO: 8.º ANO 2013/2014 METAS DE APRENDIZAGEM LEITURA/EDUCAÇÃO LITERÁRIA:

Leia mais

A C A D E M I A G PA

A C A D E M I A G PA ACADEMIA GPA ABRIL 2017 » ENQUADRAMENTO A A c a d e m i a G r e e n P r o j e c t A w a r d s ( G PA ) v i s a c r i a r u m a o p o r t u n i d a d e de v a l o r i z a ç ã o p r o f i s s i o n a l j

Leia mais

A Ilíada Homero Odisseia Homero Os Lusíadas Luís Vaz de Camões O Uraguai Basílio da Gama Mensagem Fernando Pessoa

A Ilíada Homero Odisseia Homero Os Lusíadas Luís Vaz de Camões O Uraguai Basílio da Gama Mensagem Fernando Pessoa GÊNEROS LITERÁRIOS ÉPICO (OU NARRATIVO) Longa narrativa literária de caráter heroico, grandioso e de interesse nacional e social. Atmosfera maravilhosa de acontecimentos heroicos passados que reúnem mitos,

Leia mais

Retratos do Mundo: a humanidade em perspectiva

Retratos do Mundo: a humanidade em perspectiva Retratos do Mundo: a humanidade em perspectiva É necessário cultivar a capacidade crítica, a compreensão do mundo e do homem para que efetivamente valha a pena viver. As Humanidades possuem essa função.

Leia mais

Sistema Braille Alfabeto

Sistema Braille Alfabeto 2 Sistema Braille Alfabeto Unidade 2 Sistema Braille - Alfabeto :: 27 Metas: Apresentar o alfabeto braille através da separação em grupos de letras organizados de acordo com critérios pré-estabelecidos.

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 Português (2.º Ciclo) Perfil de Aprendizagens Específicas

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 Português (2.º Ciclo) Perfil de Aprendizagens Específicas ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 Português (2.º Ciclo) Perfil de Aprendizagens Específicas (ponto 2 do artigo 7º do Despacho Normativo nº1-f/2016, de 5 de abril) 5.º Ano Interpretar textos orais breves.

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS 6.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS 6.º ANO DE PORTUGUÊS 6.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No final do 6.º ano de escolaridade, o aluno deve ser capaz de: interpretar e produzir textos orais com diferentes finalidades e coerência, apresentando

Leia mais

Boas Práticas. da Leitura e da Oralidade uma perspetiva dialogante. AEPL/Padrão da Légua 3º ciclo Ema Alves Luís Pereira

Boas Práticas. da Leitura e da Oralidade uma perspetiva dialogante. AEPL/Padrão da Légua 3º ciclo Ema Alves Luís Pereira Boas Práticas da Leitura e da Oralidade uma perspetiva dialogante AEPL/Padrão da Légua 3º ciclo Ema Alves Luís Pereira L e i t u r a e c o m p r e e n s ã o d o a r t i g o d e a p r e c i a ç ã o c r

Leia mais

METODOLOGIA DO TRABALHO ACADÊMICO 1

METODOLOGIA DO TRABALHO ACADÊMICO 1 METODOLOGIA DO TRABALHO ACADÊMICO 1 A Redação Quando se fala em redação, em geral se associa a uma composição literária ou a uma dissertação de tese. No primeiro caso, relaciona-se a um trabalho fantasioso;

Leia mais

A coleção Português Linguagens e os gêneros discursivos nas propostas de produção textual

A coleção Português Linguagens e os gêneros discursivos nas propostas de produção textual A coleção Português Linguagens e os gêneros discursivos nas propostas de produção textual Marly de Fátima Monitor de Oliveira Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Unesp Araraquara e-mail:

Leia mais

SUGESTÕES PARA ESCREVER MELHOR

SUGESTÕES PARA ESCREVER MELHOR SUGESTÕES PARA ESCREVER MELHOR Trueffelpix / Shutterstock.com A MELHOR MANEIRA DE APRIMORAR A ESCRITA É... ESCREVENDO! Nas telas seguintes você conhecerá algumas estratégias interessantes para desenvolver

Leia mais