Leitura guiada e propostas de trabalho

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Leitura guiada e propostas de trabalho"

Transcrição

1 í n d i c e Apresentação... 9 Introdução Texto integral de Sexta-Feira ou a Vida Selvagem Leitura guiada e propostas de trabalho A origem O autor A história As personagens O espaço e o tempo A filosofia A época em que a história foi escrita A atualidade da obra Guião de leitura Bibliografia

2 ap r e s e ntação Se há livro que ainda hoje pode fascinar um adolescente (e que muito fascinou quem estas linhas escreve, no tempo da sua adolescência) esse livro é seguramente o Robinsoe Crusoe ou, mais propriamente, The Life and Strange Surprising Adventures of Robison Crusoe, de Daniel Defoe, livro publicado pela primeira vez em A história é conhecida e deu lugar a comentários, a adaptações e a versões diversas, com destaque para o cinema, porque as aventuras e desventuras do náufrago isolado numa ilha deserta encerram, de facto, uma riqueza humana apre ciável. E assim, o grande realizador espanhol Luis Buñuel dirigiu umas Aventuras de Robinson Crusoe em 1954; mais recentemente, em 1997, tivemos um outro Robinson Crusoe, de Georges Miller, protagonizado por Pierce Brosnan, o mesmo que já foi James Bond; e o filme O Náufrago (título original: Cast Away, de 2000, realizado por Robert Zemeckis e com o admirável Tom Hanks no papel principal) é, também ele, indissociável do episódio do homem perdido numa ilha longínqua e desconhecida. Quando o escritor francês Michel Tournier publicou em 1967 o livro Vendredi ou les Limbes du Pacifique era de novo o mito de Robinson Crusoe que reaparecia e, com ele, Sexta Feira. Mais tarde, foi este trazido para o título do relato que, provindo daquele outro, aqui se analisa: Vendredi ou la Vie sauvage, em por tuguês Sexta Feira ou a Vida Selvagem, de O reencontro com ambos, Robinson e Sexta Feira, traz nos de volta a comportamentos e a modos de ser que a leitura retoma, num contexto escolar próprio: aquele em que 9

3 jovens já com alguma vivência dos textos literários encontram numa obra da literatura francesa um desafio ficcional muito fecundo. Podendo ser considerado um livro para jovens, Sexta Feira ou a Vida Selvagem, de Michel Tournier, não é necessariamente um livro fácil e muito menos simples. O que desaconselha leituras superficiais e redutoras, meramente interessadas na componente por assim dizer aventurosa que a narrativa também encerra. Para além disso, Sexta Feira ou a Vida Selvagem dialoga com o remoto texto (o de Daniel Defoe) que lhe serviu de matriz e fonte de inspiração, recuperando para os nossos dias relevantes sentidos temáticos e valores culturais e civilizacionais. São esses sen tidos e esses valores que, na etapa formativa a que se reporta a leitura de Sexta Feira ou a Vida Selvagem (o terceiro ciclo do Ensino Básico), se me afiguram extremamente importantes: por exemplo, aqueles que estão implicados na relação do sujeito com o outro e com a diferença que ele pode representar. A análise de Sexta Feira ou a Vida Selvagem que Paulo Militão aqui nos propõe é um auxiliar de leitura que, não a substituindo, como é óbvio, a enquadra e acompanha. Contribuem para isso os vários componentes de trabalho que este livro nos faculta: a análise da história contada em Sexta Feira ou a Vida Selvagem e a sua origem, o trabalho de escrita empreendido por Michel Tournier dois séculos e meio depois do primeiro Robinson, as personagens de que nos fala e os cenários em que se movem, o contexto social e cultural em que a obra surgiu, os grandes sentidos que ela sugere. Tudo isso e também um guião de leitura que, passo a passo, apoia e incentiva a aventura do jovem leitor que penetra num mundo a vários títulos sedutor. Vale a pena, por isso, ler Sexta Feira ou a Vida Selvagem. Mas vale a pena sobretudo tentar perceber a atualidade de uma his tória que parece inesgotável, também por ser capaz de muito dizer a um mundo (o nosso mundo de hoje) bem mais amplo do que a pequena ilha onde tudo começou. 10 Carlos Reis

4 i n t r o d u ç ã o Neste livro, vais encontrar uma história de Michel Tournier. Trata se de uma das narrativas propostas como leitura obrigatória para o 3.º ciclo. Foi escolhida para que possas conhecer um autor estrangeiro que, pela importância da sua obra, é uma referência na literatura internacional. a proposta de leitura guiada, que se apresenta, baseia-se em alguns dos desempenhos (o que se espera que consigas fazer) que o novo programa de Português para o ensino básico prevê para a leitura do texto literário, a saber: a) distinguir diferenças, semelhanças ou a novidade de um texto em relação a outro(s); b) reconhecer e refletir sobre os valores culturais, éticos, esté ticos, políticos e religiosos que perpassam nos textos. De certeza, já ouviste falar de Robinson Crusoe e tens uma ideia geral sobre a história que vais ler. Sexta Feira ou a Vida Selvagem dá nos a conhecer uma história algo diferente daquela que foi escrita por Daniel Defoe no século xviii. Michel Tournier utiliza a literatura para escrever sobre filosofia e é por isso que a proposta de leitura que te apresentamos vai além da tentativa de explicação da história de um náufrago que acaba por viver numa ilha deserta com um indígena. Vais ficar a saber mais sobre a origem da história de Robinson e sobre as principais diferenças que existem entre as obras As Aventuras de Robinson Crusoe e Sexta Feira ou a Vida Selvagem. Conhecerás pormenores importantes da vida e 11

5 obra de Michel Tournier. Compreenderás aspetos interessantes que, de outro modo, poderão ser pouco explorados, ou até ignorados, se realizares uma leitura superficial e apressada da obra. 12

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE LÌNGUA PORTUGUESA UNIDADE DE FORMAÇÃO: 14 TEXTOS NARRATIVOS / DESCRITIVOS

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE LÌNGUA PORTUGUESA UNIDADE DE FORMAÇÃO: 14 TEXTOS NARRATIVOS / DESCRITIVOS PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE LÌNGUA PORTUGUESA UNIDADE DE FORMAÇÃO: 14 TEXTOS NARRATIVOS / DESCRITIVOS SUB-UNIDADE/ MÓDULO Textos narrativos / descritivos Literatura de viagens/aventuras CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS

Leia mais

ANEXOS Capas e contra-capas de adaptações de Robinson Crusoe, de Daniel Defoe

ANEXOS Capas e contra-capas de adaptações de Robinson Crusoe, de Daniel Defoe ANEXOS Capas e contra-capas de adaptações de Robinson Crusoe, de Daniel Defoe DEFOE, Daniel. Robinson Crusoe. Redigido para a mocidade brazileira segundo o plano de F. Hoffmann por Carlos Jansen. Rio de

Leia mais

Guião de exploração pedagógica painel 8. Autoria: Maria José Marques

Guião de exploração pedagógica painel 8. Autoria: Maria José Marques Autoria: Maria José Marques A Exposição Itinerante Santillana é da autoria de Maria José Marques e foi exibida pela primeira vez na Universidade de Verão Santillana, nos dias 9, 10 e 11 de julho de 2012,

Leia mais

O Principezinho. Antoine de Saint-Exupéry. com aguarelas do autor

O Principezinho. Antoine de Saint-Exupéry. com aguarelas do autor Antoine de Saint-Exupéry com aguarelas do autor ANTOINE DE SAINT-EXUPÉRY 10 Então, pensei muito nas aventuras da selva e, com um lápis de cor, consegui fazer o meu primeiro desenho. O meu desenho número

Leia mais

U N I V E R S I D A D E C A N D I D O M E N D E S P Ó S G R A D U A Ç Ã O L A T O S E N S U I N S T I T U T O A V E Z D O M E S T R E

U N I V E R S I D A D E C A N D I D O M E N D E S P Ó S G R A D U A Ç Ã O L A T O S E N S U I N S T I T U T O A V E Z D O M E S T R E U N I V E R S I D A D E C A N D I D O M E N D E S P Ó S G R A D U A Ç Ã O L A T O S E N S U I N S T I T U T O A V E Z D O M E S T R E E S T U D O D O S P R O B L E M A S D A E C O N O M I A B R A S I L

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA Língua Estrangeira I- Inglês 5ºANO Oral / Listening Compreender sons, entoações e ritmos da língua. Leitura / Reading Compreender palavras, conceitos simples e frases isoladas. Compreender palavras, frases

Leia mais

M a n h ã... p r e s e n t e! L u g a r... p r e s e n t e! Q u e m... p r e s e n t e! N e n h u m... p r e s e n t e! C u í c a... p r e s e n t e!

M a n h ã... p r e s e n t e! L u g a r... p r e s e n t e! Q u e m... p r e s e n t e! N e n h u m... p r e s e n t e! C u í c a... p r e s e n t e! C a r o l i n a M a n h ã......................................................................... p r e s e n t e! L u g a r.......................................................................... p

Leia mais

As Aventuras de Fernando Pessoa, Escritor Universal

As Aventuras de Fernando Pessoa, Escritor Universal , Escritor Universal Miguel Moreira * Palavras-chave Resumo Keywords Abstract Fernando Pessoa, vida e obra, banda-desenhada, Bernardo Soares, um dia na vida de. Apresenta-se uma breve introdução a uma

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Português

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Português CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Português Ensino Básico Ano letivo: 16/17 5º ANO Perfil de Aprendizagens Específicas O aluno é capaz: Domínios Interpretar discursos orais breves (Referir

Leia mais

A C T A N. º I V /

A C T A N. º I V / 1 A C T A N. º I V / 2 0 0 9 - - - - - - A o s d e z a s s e t e d i a s d o m ê s d e F e v e r e i r o d o a n o d e d o i s m i l e n o v e, n e s t a V i l a d e M o n c h i q u e, n o e d i f í c

Leia mais

Relação entre Textos. Prof. Dr. Luís Cláudio Dallier. Professor das Faculdades COC

Relação entre Textos. Prof. Dr. Luís Cláudio Dallier. Professor das Faculdades COC Relação entre Textos Prof. Dr. Luís Cláudio Dallier Professor das Faculdades COC RELAÇÕES ENTRE TEXTOS Pode-se falar de um mesmo assunto, um mesmo tema, de forma diferente. Atitude crítica e reflexiva

Leia mais

Atividades sobre O Principezinho

Atividades sobre O Principezinho A propósito do lançamento de uma nova edição de O Principezinho, de Antoine de Saint- -Exupéry, propomos duas atividades para realizar com o seu educando: exercício de compreensão oral, a partir da visualização

Leia mais

Guião de exploração pedagógica painel 10. Autoria: Maria José Marques

Guião de exploração pedagógica painel 10. Autoria: Maria José Marques Autoria: Maria José Marques A Exposição Itinerante Santillana é da autoria de Maria José Marques e foi exibida pela primeira vez na Universidade de Verão Santillana, nos dias 9, 10 e 11 de julho de 2012,

Leia mais

Sistema Braille Alfabeto

Sistema Braille Alfabeto 2 Sistema Braille Alfabeto Unidade 2 Sistema Braille - Alfabeto :: 27 Metas: Apresentar o alfabeto braille através da separação em grupos de letras organizados de acordo com critérios pré-estabelecidos.

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa de Português do Ensino Básico e Metas Curriculares de Português do Ensino Básico

Leia mais

PLANO NACIONAL DE LEITURA

PLANO NACIONAL DE LEITURA PLANO NACIONAL DE LEITURA Objectivos: Desenvolver competências nos domínios da leitura e da escrita, bem como a criação de hábitos de leitura nos alunos ; Incutir o gosto de ler ; Criar leitores autónomos;

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a Design Comics

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL ESTREMOZ PLANIFICAÇÃO ANUAL

ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL ESTREMOZ PLANIFICAÇÃO ANUAL ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL 402643 - ESTREMOZ Competências Gerais PLANIFICAÇÃO ANUAL DISCIPLINA: LITERATURA PORTUGUESA 2016-2017 - 10º Ano COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS Leitura / Oralidade Seguir

Leia mais

a cobronça, a princesa e a supresa

a cobronça, a princesa e a supresa projeto pedagógico a cobronça, a princesa e a supresa Rua Tito, 479 Lapa São Paulo SP CEP 05051-000 divulgação escolar (11) 3874-0884 divulga@melhoramentos.com.br Fê ilustrações e Celso Linck www.editoramelhoramentos.com.br

Leia mais

A C O N T R A R E F O R M A E A R E F O R M A C A T Ó L I C A N O S P R I N C Í P I O S D A I D A D E M O D E R N A 2

A C O N T R A R E F O R M A E A R E F O R M A C A T Ó L I C A N O S P R I N C Í P I O S D A I D A D E M O D E R N A 2 1 Í N D I C E A C O N T R A R E F O R M A E A R E F O R M A C A T Ó L I C A N O S P R I N C Í P I O S D A I D A D E M O D E R N A 2 A P R E S E N T A Ç Ã O : A L G U M AS N O T A S E P A L A V R A S 2

Leia mais

Publicado em TV Brasil (http://tvbrasil.ebc.com.br) 30/01/ h10. Incertezas Críticas estreia nesta quarta (1/2) na TV Brasil

Publicado em TV Brasil (http://tvbrasil.ebc.com.br) 30/01/ h10. Incertezas Críticas estreia nesta quarta (1/2) na TV Brasil Publicado em TV Brasil (http://tvbrasil.ebc.com.br) 30/01/2017-17h10 Incertezas Críticas estreia nesta quarta (1/2) na TV Brasil Novidade da programação datv Brasil para esta quarta-feira (1), às 21h30,

Leia mais

PARA PROFISSIONAIS DE

PARA PROFISSIONAIS DE FRANCêS PARA PROFISSIONAIS DE SAúDE: NíVEL B1 (ABR 2015) - PORTO A mobilidade de profissionais de saúde é uma realidade e falar francês é uma abertura de portas para o mercado de trabalho internacional

Leia mais

GUIA DE ESTUDOS 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I /2015 Semana de 16/11 a 20/11

GUIA DE ESTUDOS 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I /2015 Semana de 16/11 a 20/11 GUIA DE ESTUDOS 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I /2015 Semana de 16/11 a 20/11 Língua Portuguesa Temas: Leitura, compreensão e interpretação textual Lição de casa: Para: 17/11 (terça-feira) Fazer no caderno

Leia mais

EBI DA BOA ÁGUA EB1 N.º 2 DA QUINTA DO CONDE EB1/JI DO PINHAL DO GENERAL JI DO PINHAL DO GENERAL

EBI DA BOA ÁGUA EB1 N.º 2 DA QUINTA DO CONDE EB1/JI DO PINHAL DO GENERAL JI DO PINHAL DO GENERAL L I S T A D E C A N D I D A T U R A S A O C O N C U R S O D E A S S I S T E N T E O P E R A C I O N A L P U B L I C A D O N O D I Á R I O D A R E P Ú B L I C A N º 1 5 8 D E 1 4 / 8 / 2 0 1 5 A V I S O

Leia mais

P R O F E S S O R V I N I C I U S S I L V A CAP II DESIGN D E E M B A L A G E N S

P R O F E S S O R V I N I C I U S S I L V A CAP II DESIGN D E E M B A L A G E N S CAP II DESIGN D E E M B A L A G E N S LINGUAGEM V I S U A L E S T E M O M E N T O P R I M O R D I A L, O N D E A I D E N T I F I C A Ç Ã O D O P R O D U T O E R A F E I T A P E L A F O R M A D E S E U

Leia mais

Associação de Professores de Português PARECER SOBRE O EXAME 61 (PORTUGUÊS) 6.º ANO-2013

Associação de Professores de Português PARECER SOBRE O EXAME 61 (PORTUGUÊS) 6.º ANO-2013 Associação de Professores de Português PARECER SOBRE O EXAME 61 (PORTUGUÊS) 6.º ANO-2013 I GRUPO CORREÇÃO DO EXAME 61 (Segundo os critérios apresentados pelo GAVE) PARTE A 1 - c) b) a) b) c) a) 2.1 - completou,

Leia mais

METODOLOGIA DO TRABALHO ACADÊMICO 1

METODOLOGIA DO TRABALHO ACADÊMICO 1 METODOLOGIA DO TRABALHO ACADÊMICO 1 A Redação Quando se fala em redação, em geral se associa a uma composição literária ou a uma dissertação de tese. No primeiro caso, relaciona-se a um trabalho fantasioso;

Leia mais

> Serviço Educativo. Atividades Visitas Oficinas

> Serviço Educativo. Atividades Visitas Oficinas > Serviço Educativo Atividades Visitas Oficinas O Arquivo Municipal de Lisboa guarda documentos sobre a história e a administração da cidade de Lisboa, desde o século XIII até à atualidade. Nele se reúne,

Leia mais

NA GAVETA DA MEMÓRIA...

NA GAVETA DA MEMÓRIA... NA GAVETA DA MEMÓRIA... Adâni Corrêa Daniela Bortolon Uma vida sem memória, não é uma vida. Luis Buñel. 1) Leituras escolhidas e justificativa da escolha: # Gaveta dos guardados, Iberê Camargo; # Obras

Leia mais

NOME DO AUTOR TÍTULO ILUSTRAÇÕES DE... COLEÇÃO...

NOME DO AUTOR TÍTULO ILUSTRAÇÕES DE... COLEÇÃO... NOME DO AUTOR TÍTULO ILUSTRAÇÕES DE... COLEÇÃO... MONTES CLAROS 2014 COORDENAÇÃO EDITORIAL: Daniela Barreto ASSISTENTE DE COORDENAÇÃO: Alexandra Vieira Beatriz Guimarães Cristiane Souza Elen Neves Maria

Leia mais

Á Ç ó á ç

Á Ç ó á ç Á Ç ó á ç É í é çã ô ã â ã á ç õ é á õ é ê ã ê çã õ ê ú õ ê ó ó ó ó ã é à çã ê é ê í é ã ó ã á ç í á é ã ó é á ó ó á ó á ã ó ã ã çã ó ê ó ê á ô ô ã ã çã ô çã ô í ê ó á ó ê çõ ê é á ê á á ç ó í çã ó ã é

Leia mais

NEGÓCIOS ENCERRADOS ENSINO SECUNDÁRIO / PROFISSIONAL

NEGÓCIOS ENCERRADOS ENSINO SECUNDÁRIO / PROFISSIONAL NEGÓCIOS ENCERRADOS ENSINO SECUNDÁRIO / PROFISSIONAL Ensino Secundário / Profissional Breve descrição A atividade pretende refletir e analisar os negócios realizados pelos grupos. Numa primeira fase, os

Leia mais

OBJETIVOS DESCRITORES DE DESEMPENHO CONTEÚDOS

OBJETIVOS DESCRITORES DE DESEMPENHO CONTEÚDOS DISCIPLINA: Português ANO DE ESCOLARIDADE: 9º Ano 2016/2017 METAS CURRICULARES DOMÍNIOS DE REFERÊNCIA PROGRAMA OBJETIVOS DESCRITORES DE DESEMPENHO CONTEÚDOS Oralidade 1. Interpretar discursos orais com

Leia mais

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS NÍVEL 2 NÍVEL 3 NÍVEL 4 NÍVEL 5. * Consegue compreender aquilo que ouve.

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS NÍVEL 2 NÍVEL 3 NÍVEL 4 NÍVEL 5. * Consegue compreender aquilo que ouve. PORTUGUÊS 3º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO COMPREENSÃO DO ORAL Compreensão de formas complexas do oral, exigidas para o prosseguimento de estudos e para a entrada na vida profissional. * Capacidade de extrair

Leia mais

Analfabeto funcional é o sujeito incapaz de interpretar o que lê e de usar a leitura e escrita em atividades cotidianas (UNESCO).

Analfabeto funcional é o sujeito incapaz de interpretar o que lê e de usar a leitura e escrita em atividades cotidianas (UNESCO). Segundo o Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (IBOPE) Somente 26% dos brasileiros acima de 15 anos apresentam plenas habilidades de leitura e escrita; 74% dos brasileiros entre 15 e 64

Leia mais

Atividades Língua e Ensino I

Atividades Língua e Ensino I Atividades Língua e Ensino I Sondagem Objetivo - verificar a oferta local de LE; Público Alvo Buscar um público não contemplado que pode ser alvo de uma futura proposta de ensino ELE; Temática Um tema

Leia mais

P a l a v r a s - c h a v e s : l i n g u í s t i c a, l i n g u a g e m, s o c i a b i l i d a d e.

P a l a v r a s - c h a v e s : l i n g u í s t i c a, l i n g u a g e m, s o c i a b i l i d a d e. A V A R I E D A D E L I N G U Í S T I C A D E N T R O D A S O C I E D A D E C A M P O - G R A N D E N S E N O Â M B I T O D O M E R C A D Ã O M U N I C I P A L E F E I R A C E N T R A L D E C A M P O G

Leia mais

A IGREJA. Por Donald Dean Smeeton

A IGREJA. Por Donald Dean Smeeton A IGREJA Por Donald Dean Smeeton Universidade Global Instituto de Correspondência Internacional 1211 South Glenstone Avenue Springfield, Missouri 65804 USA O Instituto de Correspondência Internacional

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES REGULARES DA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE PENICHE COM AS ESCOLAS DO CONCELHO - ANO LETIVO 2013/14 HORA DO CONTO

PLANO DE ATIVIDADES REGULARES DA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE PENICHE COM AS ESCOLAS DO CONCELHO - ANO LETIVO 2013/14 HORA DO CONTO As marcações para as atividades a seguir descritas deverão ser feitas para a Biblioteca Municipal de Peniche através do telefone 262 780 122. Apesar de haver um calendário com datas pré-marcadas para as

Leia mais

ENSINO BÁSICO METAS DE APRENDIZAGEM ATIVIDADES ESTRATÉGIAS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO AULAS PREVISTAS PERÍODO LETIVO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

ENSINO BÁSICO METAS DE APRENDIZAGEM ATIVIDADES ESTRATÉGIAS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO AULAS PREVISTAS PERÍODO LETIVO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ENSINO BÁSICO Agrupamento de Escolas N.º 1 de Abrantes ESCOLA BÁSICA DOS 2.º E 3.º CICLOS D. MIGUEL DE ALMEIDA DISCIPLINA: PORTUGUÊS ANO: 8.º ANO 2013/2014 METAS DE APRENDIZAGEM LEITURA/EDUCAÇÃO LITERÁRIA:

Leia mais

Curso de Extensão. Educação Integral e em Tempo Integral Proposta de Trabalho com Blogs. Profª Drª Roberta Pasqualli - IFSC

Curso de Extensão. Educação Integral e em Tempo Integral Proposta de Trabalho com Blogs. Profª Drª Roberta Pasqualli - IFSC Curso de Extensão Educação Integral e em Tempo Integral Proposta de Trabalho com Blogs Profª Drª Roberta Pasqualli - IFSC CONCEITOS Blog é uma abreviação do termo inglês: Web (página da internet) + log

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE LETRAS DIRETORIA ADJUNTA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE LETRAS CLÁSSICAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE LETRAS DIRETORIA ADJUNTA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE LETRAS CLÁSSICAS DEPARTAMENTO DE LETRAS CLÁSSICAS SETOR DE GREGO 011 1º SEMESTRE DISCIPLINA: GREGO A LEC 305 Marinete de Santana Ribeira 4ª 13:30-15:10 H-105 A prosa Ática: aspectos morfossintáticos e estilísticos. Textos

Leia mais

A Ilíada Homero Odisseia Homero Os Lusíadas Luís Vaz de Camões O Uraguai Basílio da Gama Mensagem Fernando Pessoa

A Ilíada Homero Odisseia Homero Os Lusíadas Luís Vaz de Camões O Uraguai Basílio da Gama Mensagem Fernando Pessoa GÊNEROS LITERÁRIOS ÉPICO (OU NARRATIVO) Longa narrativa literária de caráter heroico, grandioso e de interesse nacional e social. Atmosfera maravilhosa de acontecimentos heroicos passados que reúnem mitos,

Leia mais

O processo eleitoral brasileiro. A n tonio Paim I n s t i t u t o d e H u m a n i d a d e s, S ã o P a u l o

O processo eleitoral brasileiro. A n tonio Paim I n s t i t u t o d e H u m a n i d a d e s, S ã o P a u l o O processo eleitoral brasileiro A n tonio Paim I n s t i t u t o d e H u m a n i d a d e s, S ã o P a u l o A p a i m 0 9 @ u o l. c o m. b r A j u l g a r p e l o s s i n a i s e x t e r i o r e s, o

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO LICENCIATURA EM LÍNGUA PORTUGUESA EDU236 Fundamentos da Educação: Sociologia - 30 36 2 0 3º EDU237 Fundamentos da Educação: Filosofia - 30 36 2 0 3º LET812 Estudos de Leitura - 60 72 2 2 3º LET872 Teoria

Leia mais

Planificação Anual GR Disciplina Português (Ensino Profissional) 3.º

Planificação Anual GR Disciplina Português (Ensino Profissional) 3.º Planificação Anual GR 300 - Disciplina Português (Ensino Profissional) 3.º Módulo 9: Textos Líricos (Fernando Pessoa ortónimo e heterónimos) 30 horas (40 aulas) Objectivos de Aprendizagem -Distinguir a

Leia mais

COLÉGIO DA IMACULADA CONCEIÇÃO FICHA DE TRABALHO BIBLIOTECA ESCOLAR ANO LETIVO 20 /20. Sexta-Feira ou a Vida Selvagem Guião de Leitura Orientada

COLÉGIO DA IMACULADA CONCEIÇÃO FICHA DE TRABALHO BIBLIOTECA ESCOLAR ANO LETIVO 20 /20. Sexta-Feira ou a Vida Selvagem Guião de Leitura Orientada COLÉGIO DA IMACULADA CONCEIÇÃO ANO LETIVO 20 /20 FICHA DE TRABALHO BIBLIOTECA ESCOLAR NOME: TURMA: N.º: DATA: Sexta-Feira ou a Vida Selvagem Guião de Leitura Orientada Parte I (Capítulos 1 a 13) 1. No

Leia mais

E.E. TENENTE JOSÉ LUCIANO PROJETO:PASSAPORTE DA LEITURA 2015 REPÚBLICA FEDERATIVA DO LIVRO 2º ANO

E.E. TENENTE JOSÉ LUCIANO PROJETO:PASSAPORTE DA LEITURA 2015 REPÚBLICA FEDERATIVA DO LIVRO 2º ANO E.E. TENENTE JOSÉ LUCIANO PROJETO:PASSAPORTE DA LEITURA 2015 REPÚBLICA FEDERATIVA DO LIVRO 2º ANO ESCOLA ESTADUAL TENENTE JOSÉ LUCIANO PROJETO:PASSAPORTE DA LEITURA-2015 Um livro tem asas longas e leves,

Leia mais

Planificação da Disciplina de Português 5.º Ano - Ano Letivo 2013/2014 Manual Escolar: P5. Domínios

Planificação da Disciplina de Português 5.º Ano - Ano Letivo 2013/2014 Manual Escolar: P5. Domínios Agrupamento de Escolas Agualva Mira Sintra Escola Básica D. Domingos Jardo Planificação da Disciplina de Português 5.º Ano - Ano Letivo 2013/2014 Manual Escolar: P5 Domínios Compreensão do Oral:. Escutar

Leia mais

PRÉ-REQUISITOS Haver concluído a disciplina Introdução aos Estudos Linguísticos ou disciplina equivalente..

PRÉ-REQUISITOS Haver concluído a disciplina Introdução aos Estudos Linguísticos ou disciplina equivalente.. GÊNEROS TEXTUAIS PROJETO DIDÁTICO Aula 10 META Apresentar a criação de um produto fi nal, a partir de atividades de leitura e escrita, como possibilidade de ressignifi cação da aprendizagem dos gêneros

Leia mais

AGENDA DA BE. Projeto Educacional Sinergia de Saberes FEVEREIRO 2017

AGENDA DA BE. Projeto Educacional Sinergia de Saberes FEVEREIRO 2017 AGENDA DA BE Projeto Educacional Sinergia de Saberes FEVEREIRO 2017 Conheça a agenda da BE No mês de fevereiro, serão várias as temáticas tratadas na agenda da BE. Serão desenvolvidos temas diversos como

Leia mais

Departamento Curricular de Língua Materna e Humanidades 1

Departamento Curricular de Língua Materna e Humanidades 1 DOMÍNIOS Oralidade Metas curriculares 1. Escutar para aprender e construir conhecimentos. 2. Produzir um discurso oral com correção. 3. Produzir discursos com diferentes finalidades, tendo em conta a situação

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a Dvolver M a n

Leia mais

Serviço Educativo Oferta Educativa 2015/2016

Serviço Educativo Oferta Educativa 2015/2016 Serviço Educativo Oferta Educativa 2015/2016 Ecomuseu de Ribeira de Pena O Ecomuseu de Ribeira de Pena dedica-se à preservação e divulgação o património natural e cultural do território ribeirapenense.

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL ATIVIDADES ESTRATÉGIAS

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL ATIVIDADES ESTRATÉGIAS ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL ENSINO BÁSICO Curso de Apoio à Família e à Comunidade DISCIPLINA: Língua Portuguesa ANO: CEF Tipo 2 (2º ano) ANO LETIVO: 2011/2012 COMPETÊNCIAS

Leia mais

Programa Educativo do Espaço Interpretativo da Lagoa Pequena

Programa Educativo do Espaço Interpretativo da Lagoa Pequena Programa Educativo do Espaço Interpretativo da Lagoa Pequena 2016/2017 Ilustração Bird Life International Ilustração Bird Life International 1 1.1 1.2 1.3 1.4 1.5 1.6 1.7 NA LAGOA PEQUENA: O mundo das

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA

PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA MATÉRIA: Português PROFESSORAS: Débora Campos e Flávia Moreira ANO: 8º - Ensino Fundamental O HOMEM, CONSIDERADO NA SUA ESSÊNCIA E NAS SUAS RELAÇÕES, É O ENIGMA DE MAIS DIFÍCIL

Leia mais

A T A N º 4 /2014. S e s s ã o o r d i n á r i a 30 d e j u n h o d e M a r g a r i d a M a s s e n a 1 d e 50

A T A N º 4 /2014. S e s s ã o o r d i n á r i a 30 d e j u n h o d e M a r g a r i d a M a s s e n a 1 d e 50 A T A N º 4 /2014 A o s t r i n t a d i a s d o m ê s d e j u n h o d o a n o d e d o i s m i l e c a t o r z e, p e l a s v i n t e h o r a s e t r i n t a m i n u t o s r e u n i u e m s e s s ã o o

Leia mais

A ALFABETIZAÇÃO DA PESSOA SURDA: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Caderno de Educação Especial

A ALFABETIZAÇÃO DA PESSOA SURDA: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Caderno de Educação Especial A ALFABETIZAÇÃO DA PESSOA SURDA: DESAFIOS E POSSIBILIDADES Caderno de Educação Especial O que devemos considerar no processo de Alfabetização? Criança Ouvinte Criança Surda Faz uso das propriedades fonológicas

Leia mais

E S C O L A S E C U N D Á R I A C O M 2 º E 3 º C I C L O S A N S E L M O D E A N D R A D E. Departamento de Línguas Ensino Básico - 3º Ciclo

E S C O L A S E C U N D Á R I A C O M 2 º E 3 º C I C L O S A N S E L M O D E A N D R A D E. Departamento de Línguas Ensino Básico - 3º Ciclo Proposta de Critérios Específicos de Avaliação de Língua Estrangeira Disciplina: Espanhol nível de Iniciação 7º/ 8º e 9º Ano Letivo: 2013/ 2014 Domínios Competências Gerais Competências Específicas Peso

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS 6.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS 6.º ANO DE PORTUGUÊS 6.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No final do 6.º ano de escolaridade, o aluno deve ser capaz de: interpretar e produzir textos orais com diferentes finalidades e coerência, apresentando

Leia mais

Concursos 2016 ANEXO X

Concursos 2016 ANEXO X ANEXO X PROGRAMA DE APOIO AO CINEMA SUBPROGRAMA DE APOIO À PRODUÇÃO, NA MODALIDADE DE APOIO AUTOMÁTICO 1. Candidatos e beneficiários Podem candidatar-se e beneficiar de apoio os produtores independentes

Leia mais

MÓDULO N.º 1 POESIA TROVADORESCA FERNÃO LOPES

MÓDULO N.º 1 POESIA TROVADORESCA FERNÃO LOPES CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RESTAURANTE / BAR PLANIFICAÇÃO MODULAR DISCIPLINA: PORTUGUÊS 10º9 CONTEÚDOS OBJETIVOS HORAS / TEMPOS AVALIAÇÃO MÓDULO N.º 1 POESIA TROVADORESCA FERNÃO LOPES - Cantigas

Leia mais

Guião de exploração pedagógica painel 4. Autoria: Maria José Marques

Guião de exploração pedagógica painel 4. Autoria: Maria José Marques Autoria: Maria José Marques A Exposição Itinerante Santillana é da autoria de Maria José Marques e foi exibida pela primeira vez na Universidade de Verão Santillana, nos dias 9, 10 e 11 de julho de 2012.

Leia mais

BIBLIOTECA IRMÃ AGLAÉ Mostra Literária 29 e 30 de Abril de 2015

BIBLIOTECA IRMÃ AGLAÉ Mostra Literária 29 e 30 de Abril de 2015 BIBLIOTECA IRMÃ AGLAÉ Mostra Literária 29 e 30 de Abril de 2015 Infantil II Releitura dos livros: - Muitas Bolhas - Água Viva - A chuvarada Educação Infantil Infantil III Releitura dos livros: - O mistério

Leia mais

PLANO DE CURSO. ENSINO: Ensino Religioso ANO: 2016 PROFESSOR (A): Elâine Cristina Bento

PLANO DE CURSO. ENSINO: Ensino Religioso ANO: 2016 PROFESSOR (A): Elâine Cristina Bento Escola Estadual Virgínio Perillo venida José Bernardes Maciel, 471 Marília, Lagoa da Prata-MG Fone: (37) 3261-3222 E-mail: escolavirginioperillo@gmail.com PLNO DE CURSO ENSINO: Ensino Religioso NO: 2016

Leia mais

Foucault e a educação. Tecendo Gênero e Diversidade Sexual nos Currículos da Educação Infantil

Foucault e a educação. Tecendo Gênero e Diversidade Sexual nos Currículos da Educação Infantil Foucault e a educação Tecendo Gênero e Diversidade Sexual nos Currículos da Educação Infantil Prefácio A educação abrange os processos de ensinar e de aprender e se desenvolve em todos os espaços possíveis:

Leia mais

Interpretar discursos orais com diferentes graus de formalidade e complexidade. Registar,

Interpretar discursos orais com diferentes graus de formalidade e complexidade. Registar, DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS PORTUGUÊS 8º ANO A Ano Letivo: 2012/2013 Introdução /Metas Consigna-se no Despacho n.º 5306/2012, de 18 de abril de 2012, que o desenvolvimento do ensino será orientado por Metas

Leia mais

ESPANHOL INIC. Ano Letivo 2013/2014 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 11º Ano de Escolaridade

ESPANHOL INIC. Ano Letivo 2013/2014 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 11º Ano de Escolaridade Ano Letivo 2013/2014 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESPANHOL INIC. 11º Ano de Escolaridade Prova 375 2014 Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho 1. Objeto de avaliação A prova a que esta

Leia mais

Salesianos Mogofores Colégio

Salesianos Mogofores Colégio Salesianos Mogofores Colégio Rota de Aprendizagem PORTUGUÊS 5º ano Grupo de Português 2016-17 * Em anexo encontram-se Lista de Obras e Textos para Iniciação à Educação literária; e Metas Curriculares (2º

Leia mais

Gêneros Textuais. E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais?

Gêneros Textuais. E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais? Gêneros Textuais E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais? Para começar, vamos observar as imagens abaixo, reproduções de uma receita, uma manchete de

Leia mais

O plano de negócios. Hoje

O plano de negócios. Hoje O plano de negócios Hoje 1. Entender a importância do plano de negócios 2. Conhecer a estrutura de um plano de negócios 3. Explicar como o processo de escrever um plano de negócio pode ser tão importante

Leia mais

ALEXANDRA MACEDO 12 PASSOS PARA SERES MODELO

ALEXANDRA MACEDO 12 PASSOS PARA SERES MODELO ALEXANDRA MACEDO 12 PASSOS PARA SERES MODELO ÍNDICE TESTEMUNHOS: O QUE É PARA MIM SER MODELO 9 1. INTRODUÇÃO 11 2. UM POUCO DE HISTÓRIA 15 A) As primeiras gerações de manequins 22 B) Antes das agências

Leia mais

Você não precisa decorar nada

Você não precisa decorar nada Que aprender inglês é importante e vai mudar a sua vida você já sabe, mas como aprender inglês e como fazer isso por conta própria? Nós separamos abaixo algumas dicas inéditas e que sem dúvida vão fazer

Leia mais

Caso prático 5. Direito Constitucional I. (resolvido)

Caso prático 5. Direito Constitucional I. (resolvido) Caso prático 5 Direito Constitucional I (resolvido) Anatoli veio viver e trabalhar para Portugal em 2007, tendo obtido uma autorização de residência em 2007. Khrystyna chegou em 2008, mas só obteve a autorização

Leia mais

Ano Letivo: 2014 / 2015 Ano de Escolaridade: 1º

Ano Letivo: 2014 / 2015 Ano de Escolaridade: 1º 1.º CEB Agrupamento de Escolas Ano Letivo: 2014 / 2015 Ano de Escolaridade: 1º Saber escutar para reproduzir pequenas mensagens e Compreensão do oral Leitura Escrita para cumprir ordens e pedidos Prestar

Leia mais

Plano de Actividades Ano lectivo 2008/2009 Tema: A aventura dos livros

Plano de Actividades Ano lectivo 2008/2009 Tema: A aventura dos livros Plano de Actividades Ano 2008/2009 Tema: A aventura dos livros 1 ACTIVIDADES DE ORGANIZAÇÃO Actividades Objectivos Intervenientes Calendarização Proceder à gestão de colecções. Organização e gestão do

Leia mais

RESENHA A HISTÓRIA DAS IDÉIAS NA PERSPECTIVA DE QUENTIN SKINNER

RESENHA A HISTÓRIA DAS IDÉIAS NA PERSPECTIVA DE QUENTIN SKINNER RESENHA A HISTÓRIA DAS IDÉIAS NA PERSPECTIVA DE QUENTIN SKINNER Vander Schulz Nöthling 1 SKINNER, Quentin. Meaning and Understand in the History of Ideas, in: Visions of Politics, Vol. 1, Cambridge: Cambridge

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa de Português do Ensino Básico, Metas Curriculares de Português do Ensino Básico

Leia mais

K e y w o r d s : A r t, e x p e r i e n c e s, m u s e u m, p r o j e c t s

K e y w o r d s : A r t, e x p e r i e n c e s, m u s e u m, p r o j e c t s Arte e Vivências: Trajetória dos Alunos nos Espaços Culturais Arts and Experiences: the Story of Students in the Cu l- ture Spaces D i o n e B a p t i s t a d o A m a r a l S a r d i n h a 1 R e s u m

Leia mais

Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO

Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO ATITUDES E VALORES (5%) CONHECIMENTOS E CAPACIDADES (95%) Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN 2016/2017 Português Leitura/ Educação Literária Componente escrita: Compreensão de textos escritos

Leia mais

O jogo quinário na criação do espetáculo teatral

O jogo quinário na criação do espetáculo teatral 1 I Introdução O jogo quinário na criação do espetáculo teatral Prof. Dr. Iremar Maciel de Brito Professor, autor e diretor de teatro UNIRIO UERJ Palavras-chave: jogo sistema quinário espetáculo teatral

Leia mais

ENSINO SECUNDÁRIO 10º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL

ENSINO SECUNDÁRIO 10º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL ENSINO SECUNDÁRIO Ano letivo 2015 / 2016 10º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL PLANIFICAÇÃO A MÉDIO E A LONGO PRAZO - PORTUGUÊS - 10º ANO MANUAL: SENTIDOS, ASA Período Domínios / Tópicos de Conteúdo Metas Curriculares

Leia mais

A EXPOSIÇÃO sobre um tema (género textual)

A EXPOSIÇÃO sobre um tema (género textual) A EXPOSIÇÃO sobre um tema (género textual) Português 10º ano Janeiro de 2016 Helena Borges Rosa Amaral ESM Marcas de género específicas: caráter demonstrativo, elucidação evidente do tema (fundamentação*

Leia mais

Os Livros dos Macabeus

Os Livros dos Macabeus Os Livros dos Macabeus O nome dos Livros surgiu do apelido de Macabeus (martelo) dado a Judas, filho mais famoso de Matatias. O texto foi escrito em Hebraico no início do 1º século a.c. Os livros descrevem

Leia mais

ICE Introdução ao Antigo Testamento GÊNEROS LITERÁRIOS

ICE Introdução ao Antigo Testamento GÊNEROS LITERÁRIOS 1. Forma e conteúdo Todo texto tem forma e conteúdo. O conteúdo é a informação transmitida. A forma é a maneira como a informação é transmitida. Juntos, compõem o sentido do texto. 2. Formas fixas No dia-a-dia

Leia mais

Oralidade Escutar para aprender e construir conhecimentos. Utilizar técnicas para registar e reter a informação.

Oralidade Escutar para aprender e construir conhecimentos. Utilizar técnicas para registar e reter a informação. METAS CURRICULARES 4º ANO Português Oralidade Escutar para aprender e construir conhecimentos. Utilizar técnicas para registar e reter a informação. Produzir um discurso oral com correção. Produzir discursos

Leia mais

A S S E M B L E I A D E F R E G U E S I A D A U N I Ã O D E F R E G U E S I A S D O C A C É M E S Ã O M A R C O S R

A S S E M B L E I A D E F R E G U E S I A D A U N I Ã O D E F R E G U E S I A S D O C A C É M E S Ã O M A R C O S R A T A N º 2 /2013 A o s t r i n t a d i a s d o m ê s d e d e z e m b r o d o a n o d e d o i s m i l e t r e z e, p e l a s v i n t e e u m a h o r a s e q u i n z e m i n u t o s r e u n i u e m s e

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 3.588, DE 04 DE SETEMBRO DE 2007

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 3.588, DE 04 DE SETEMBRO DE 2007 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 3.588, DE 04 DE SETEMBRO DE 2007 Homologa o Parecer nº 034/07-CEG, que aprova o Projeto Político

Leia mais

2016 Livros. Objecto Anónimo.

2016 Livros. Objecto Anónimo. Objecto Anónimo 2016 Livros A Objecto Anónimo é uma editora que tem focalizado a sua atividade na edição de livros para o mercado turístico. Criamos, desenvolvemos e comercializamos produtos de merchandising

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 Português (2.º Ciclo) Perfil de Aprendizagens Específicas

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 Português (2.º Ciclo) Perfil de Aprendizagens Específicas ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 Português (2.º Ciclo) Perfil de Aprendizagens Específicas (ponto 2 do artigo 7º do Despacho Normativo nº1-f/2016, de 5 de abril) 5.º Ano Interpretar textos orais breves.

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS 9.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS 9.º ANO DE PORTUGUÊS 9.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No final do 9.º ano de escolaridade, o aluno deve ser capaz de: interpretar e produzir textos orais com diferentes graus de formalidade, finalidade

Leia mais

UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DOM BOSCO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO PROJETO DE MONOGRAFIA 1. [TÍTULO DO PROJETO] [Subtítulo (se houver)] 2

UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DOM BOSCO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO PROJETO DE MONOGRAFIA 1. [TÍTULO DO PROJETO] [Subtítulo (se houver)] 2 UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DOM BOSCO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO PROJETO DE MONOGRAFIA 1 [TÍTULO DO PROJETO] [Subtítulo (se houver)] 2 Acadêmico: [...] Orientador: Prof. [ ] São Luís Ano 1 Modelo de

Leia mais

Programa Anual do Português

Programa Anual do Português Montevideo Programa Anual do Português 1. Abrangência: Objetivo geral: Proporcionar aos alunos conhecimentos do idioma português permitindo um intercâmbio nas distintas situações de comunicação oral e

Leia mais

AVALIAÇÃO E MEDIAÇÃO DE TEXTOS NARRATIVOS NA SÍNDROME DE DOWN

AVALIAÇÃO E MEDIAÇÃO DE TEXTOS NARRATIVOS NA SÍNDROME DE DOWN AVALIAÇÃO E MEDIAÇÃO DE TEXTOS NARRATIVOS NA SÍNDROME DE DOWN Gilsenira de Alcino Rangel Universidade Federal de Pelotas Eixo Temático: Avaliação pedagógica e escolar na perspectiva inclusiva Agência Financiadora:FNDE/

Leia mais

Artefatos culturais e educação...

Artefatos culturais e educação... Artefatos culturais e educação... USO DAS TDIC NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PROFª. JOICE ARAÚJO ESPERANÇA Vídeos: artefatos culturais? Vídeos Filmes Desenhos animados documentários Propagandas Telenovelas

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa e Metas Curriculares de Português 1º CICLO PORTUGUÊS 4º ANO TEMAS/DOMÍNIOS

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS - 9.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS - 9.º ANO DE PORTUGUÊS - 9.º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO No final do 9.º ano de escolaridade, o aluno deve ser capaz de: interpretar e produzir discursos/textos orais com diferentes graus de formalidade,

Leia mais

UNICAMP II GÊNEROS DISCURSIVOS. CRÔNICA: Trata fatos do cotidiano cujo objetivo é despertar no leitor reflexão. CONTEÚDO:

UNICAMP II GÊNEROS DISCURSIVOS. CRÔNICA: Trata fatos do cotidiano cujo objetivo é despertar no leitor reflexão. CONTEÚDO: UNICAMP II GÊNEROS DISCURSIVOS CRÔNICA: Trata fatos do cotidiano cujo objetivo é despertar no leitor reflexão. CONTEÚDO: Temas cotidianos; Tom de realidade; Conteúdo subjetivo por não ser fiel à realidade.

Leia mais

Orientação Vocacional e Coaching Carlos Gomes

Orientação Vocacional e Coaching Carlos Gomes Índice Introdução... 2 Método Orienta... 3 Técnica das frases para completar... 6 Realização do Teste Vocacional... 8 Autoavaliação do Teste Vocacional... 9 Exploração de Valores... 10 Autoconhecimento...

Leia mais