Composição corporal de judocas: aspectos relacionados ao desempenho

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Composição corporal de judocas: aspectos relacionados ao desempenho"

Transcrição

1 Composição corporal de judocas: aspectos relacionados ao desempenho Edmar; L. Mendes, Sabrina; P. Fabrini, Ciro; J. Brito, João; Carlos B. Marins LAPEH Lab. de Performance Humana UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA RESUMO O conhecimento do percentual de gordura para os judocas é um fator importante tanto para o atleta com para o treinador. Judocas devem ter percentual de gordura entre 5-16% (WILMORE E COSTILL, 21). O percentual de gordura indica até onde o judoca pode reduzir seu peso sem perder massa magra. Este estudo teve como objetivo verificar se existe diferença significativa entre a composição corporal em judocas do sexo masculino, pertencentes a três categorias. Foram selecionados de forma aleatória atletas que participaram do Campeonato Brasileiro de Judô organizado pela LNJ (Liga Nacional de Judô) realizado em novembro de 21, na cidade de Poços de Caldas MG. Foram avaliados 87 judocas sendo, 4 da categoria juvenil, 21 da categoria Junior e 26 da categoria Sênior, sendo separados em 2 categorias de analise de acordo com as categorias de peso, até 73 Kg e acima de 73 Kg, idade e estatura. Realizou-se as medidas de três dobras cutâneas: triciptal, subescapular e peitoral, pelo protocolo de Jackson e Pollock (1985) citado por GUEDES e GUEDES (1998), empregando um compasso Hapenden (Cescorf ). Os resultados obtidos são apresentados no quadro 1: Quadro 1: Composição corporal de atletas de Judô. Até 73 Kg Acima de 73 Kg Peso Estatura IMC % de G MCM Peso Estatura IMC % de G MCM Juv 56,9 167,5 2,3 11,4 5,4 76,9 175,9 24,8 16,3 64,1 4,4 5,2 1,4 2,5! 4,2 9,7 6,6 2,4* 5,3! 5,3* Jun 64,1 5,4 Sên 66 5, ,2 167,9 5,7 21,9 1,6* 23,5 2,3* 16 53,7 2,3!! 3,6* 18,6 53,6 4,3! 4,5* 84,3 4,7 86,7 1,3 178,6 3,6 174,6 7,8 26,5 2,4* 28,6 3,7 - * 26,3 6,8! 25,2 6,1! Juv Juvenil, Jun Junior Sên Sênior. - % de G: Percentual de Gordura 61,9 3,6 Para verificar a existência de diferenças significativas entre as variáveis apresentadas no estudo realizouse o teste t de Student ao nível de significância p <,5. Os resultados indicam que o IMC (Índice de Massa Corporal) aumenta significativamente a medida em que aumenta a categoria de peso corporal e a idade dos atletas. A MCM (Massa Corporal Magra) aumenta significativamente a medida em que os atletas sobem as categorias de peso, entretanto não houve diferença significativa a medida em que sobe a idade dos atletas nas categorias junior e sênior até 73 kg, e juvenil e sênior acima de 73 Kg. A média do percentual de gordura aumenta de maneira significativa a medida em que se elevam as categorias de peso. Em relação a idade, verifica-se aumento significativo no percentual de gordura corporal a medida em que os atletas ficam mais velhos exceto entre os atletas Junior e sênior acima de 73 Kg. O menor percentual de gordura encontrado em um atleta correspondeu a 7,3 %, o que permite concluir que ainda é possível estabelecer um programa de emagrecimento com os judocas, melhorando provavelmente o seu desempenho na luta. Observa-se ainda que, a média do percentual de gordura das categorias de peso Juvenil até 73 Kg e acima de 73 Kg, e Junior até 73 Kg se encontram dentro dos limites sugeridos para judocas (WILMORE E COSTILL, 21). 64,6 7,5*

2 INTRODUÇÃO O Judô é a modalidade de luta oriental mais praticada no país. Como modalidade Olímpica é uma das que mais mais contribuiu com medalhas para o Brasil: foram 5 de bronze, 3 de prata e 2 de ouro (FRANCHINI, 1997). Como todo esporte de alto nível o treinamento do Judô é caracterizado por grande volume, intensidade e frequência de sessões (FRANCHINI, 1997). Para colaborar com o desenvolvimento de uma modalidade, torna-se imprescindível a realização de estudos ciientificos. Diferentemente de outras modalidades, são escassos as pesquisas com Judô. A composição corporal é fundamental para o controle de peso do atleta, principalmente no Judô, um esporte onde os atletas são categorizados por peso. Grande parte dos atletas tendem a competir na categoria de peso abaixo da qual se encontra, a composição corporal indicará para o treinador e seu atleta, as possibilidades de redução de peso, sem que haja prejuízos para o judoca. As dobras cutâneas são um meio muito pratico, alem de bastante utilizado para o cálculo da composição corporal, alem disso, a espessura das dobras é um recurso utilizado pelo treinador, podendo ser avaliada de duas formas: para acompanhar os efeitos do treinamento, quando o objetivo for avaliar a quantidade de gordura relativa ao peso do judoca e analisar os valores de espessura das dobras cutâneas de diferentes regiões anatômicas separadamente, procurando oferecer informações quanto à distribuição relativa da gordura subcutânea de cada região do corpo. OBJETIVO Este estudo teve como objetivo verificar a composição corporal em judocas do sexo masculino, afim de se estabelecer perfis de atletas separados em duas categorias de analise: peso (até 73 Kg e acima de 73 Kg) e idade (Juvenil, Junior e Sênior). METODOLOGIA Características da amostra: Foram selecionados 86 judocas do sexo masculino nas diversas categorias de idade e peso, durante o campeonato Mineiro e Brasileiro de Judô realizados em outubro e novembro de 21 promovidos pela LMJ (Liga Mineira de Judô) e LNJ(Liga Nacional de Judô). A distribuição dos atletas quanto a classificação por peso é apresentada no quadro 2: Quadro 2: Distribuição dos atletas de acordo com as categorias de idade e peso. Número de atletas por categoria Juvenil Junior sênior Até leve (até 73 Kg) Acima de leve (acima de 73 Kg) Desenho experimental: Realizou-se a medida de três dobras cutâneas: triciptal, subescapular e peitoral, proposta por Jackson e Pollock(1985) citado por GUEDES e GUEDES (1998), para o sexo masculino, sendo aferidas 3 medidas em cada dobra. Sendo as medidas realizadas primeiramente na prega triciptal, em seguida na subscapular e por ultimo na peitoral. Local de realização: A coleta de dados foram realizadas durante o Campeonato Mineiro de Judô, sediado na cidade de Ervalia (MG), no dia 27 de outubro de 21 e no Campeonato Brasileiro de Judô, realizado na cidade de Poços de Caldas (MG), nos dias 4 e 5 de novembro de 21. Material empregado: Utilizou-se de um compasso Hapenden marca Cescorf, para aferir as medidas, uma balança Filizola e um estadiômetro.

3 Ação metodológica: Os atletas foram divididos de acordo coma as categorias apresentadas no quadro 1. Somou-se as os valores médios coletados em cada dobra (triciptal, subescapular e peitoral), em seguida; obteve-se o percentual de gordura de cada atleta de acordo com a tabela proposta por Jackson e Pollock(1985) citado por GUEDES e GUEDES (1998). Estabelecendo em seguida o percentual médio de gordura de cada categoria. A coleta de dados foi realizada por apenas 1 avaliador, minimizando assim o fator de variabilidade de coleta entre testadores (GUEDES e GUEDES, 1998). Análise estatística: Para verificar a existência de diferenças significativas entre as variáveis apresentadas no estudo realizou-se o teste t de Student ao nível de significância p <,5. RESULTADOS E DISCUSSÃO O gráfico 1 apresenta os valores médios do IMC obtidos em cada categoria de analise: ,3 21,9 23,5 24,8 26,5 28,6 IMC Gráfico 1: IMC de atletas Juvenis, Juniores e Seniores. O gráfico 2 apresenta os valores médios de MCM obtidos em cada categoria de analise: ,4 53,7 53,6 64,1 61,9 64,6 MCM Gráfico 2: Valores médios de MCM.

4 O gráfico 3 apresenta os valores médios de percentual de gordura obtidos em cada categoria de analise: , ,6 16,3 26,3 25,2 1 % de Gordura Gráfico 3: Percentual médio de gordura dos atletas Seniores Os valores médios de MCM dos judocas acima de 73 Kg estão bem próximos aos apresentados por outros estudos para lutadores (Little, 1991 e Takito, 1996; citados por FRANCHINI, 1998), (McARDLE, 21). Entretanto os valores foram inferiores em relação a judocas de nível mundial (Perez e Sanagua, 1996; citados por FRANCHINI, 1998). Judocas das categorias junior e sênior até 73 Kg; e das categorias juvenil e sênior acima de 73 kg não apresentaram diferença significativa em relação ao MCM, apesar de que os judocas da categoria sênior acima de 73 Kg apresentaram uma média de peso superior a categoria juvenil (86,7 1,3 e 76,9 4,2), isto demonstra que a diferença de peso está num percentual de gordura mais elevado da categoria sênior (25,2 6,1 e 16,3 5,3). O percentual de gordura aumentou significativamente a medida em que se aumentava a categoria tanto de peso quanto de idade, exceto nas categorias junior e sênior acima de 73 Kg (26,3 6,8 e 25,2 6,1). Em relação aos referenciais teóricos apenas as categorias de peso Juvenil até 73 Kg e acima de 73 Kg, e Junior até 73 Kg se encontram dentro dos limites sugeridos para judocas (WILMORE E COSTILL, 21). Entretanto estes valores apresentados são absolutos, percentuais entre 5 e 16 % apresentam ampla variação. Parece não ser adequado colocar os atletas de diferentes categorias de peso como ligeiros e pesados em uma mesma categoria de analise. Isto demonstra superestimar o percentual de gordura de judocas mais leves e subestimar os pesados. O quadro 3 apresenta o percentual de gordura de cada categoria de idade e os valores divididos pelas categorias de peso. Quadro 3: Percentual de gordura dos atletas separados por categoria de peso e absoluto. Categorias de idade Percentual de gordura Todas as categorias Até 73 Kg Acima de 73 Kg Juvenil 13,9 3,96 11,4 2,5 16,3 5,3 Junior 2,4 6,9 16 2,3 26,3 6,8 Sênior 2,3 5,5 18,6 4,3 25,2 6,1 O menor percentual de gordura encontrado em um atleta foi a 7,3 %, o que permite concluir que todos os atletas podem reduzir o seu peso corporal, o que virá a ser mais um fator a contribuir para a

5 melhora de seu desempenho na luta. Segundo FRANCHINI, (1998) atletas americanos com percentual de gordura mais baixo (5,1,6 %), se apresentaram em melhores posições no ranking. Mais estudos devem ser feitos para se estabelecer o percentual de gordura ideal para cada categoria de idade e de peso, para se estabelecer o perfil do judoca brasileiro. Podendo assim oferecer um melhor suporte aos treinadores, para que estes encaminhem seus atletas para o melhor aproveitamento de suas capacidades. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS FRANCHINI, E., Bases para a detecção e promoção de talentos na modalidade de Judô, Publicações INDESP, GUEDES, d. P.; GUEDES, J. E. R. P., Controle do peso corporal: atividade física e nutrição, Midiograf, Londrina, WILMORE, J. H.; COSTILL, D. L., Fisiologia do esporte e do exercício, 1ª ed. brasileira, Manole, 21. McARDLE, W. D. KATCH, F. I.; KATCH, V. L.,. Nutrição para o desporto e o exercício, 1ª ed., Rio de Janeiro, Guanabara Koogan S.A., 21.

Avaliação da Composição Corporal. Profª Tatianne Estrela

Avaliação da Composição Corporal. Profª Tatianne Estrela Avaliação da Composição Corporal Profª Tatianne Estrela Constituição, Tamanho e Composição Corporais Constituição: Muscularidade; Linearidade; Gordura. Tamanho: Estatura; Massa. Constituição, Tamanho e

Leia mais

COMPOSIÇÃO CORPORAL E SOMATÓTIPO

COMPOSIÇÃO CORPORAL E SOMATÓTIPO PONTO DE VISTA INTRODUÇÃO COMPOSIÇÃO CORPORAL E SOMATÓTIPO Nelson Kautzner Marques Junior As tabelas de altura e peso eram usadas para se conhecer a gordura corporal do indivíduo (MARINS e GIANNICHI, 1998;

Leia mais

V Encontro de Pesquisa em Educação Física EFEITOS DE UM PROGRAMA DE TREINAMENTO SOBRE OS COMPONENTES DE APTIDÃO FÍSICA EM ATLETAS DE FUTEBOL DE CAMPO

V Encontro de Pesquisa em Educação Física EFEITOS DE UM PROGRAMA DE TREINAMENTO SOBRE OS COMPONENTES DE APTIDÃO FÍSICA EM ATLETAS DE FUTEBOL DE CAMPO ESTUDOS E REFLEXÕES V 5 - Nº 9 PÁGS. 159 A 164 V Encontro de Pesquisa em Educação Física 2ª ª Parte ARTIGO ORIGINAL EFEITOS DE UM PROGRAMA DE TREINAMENTO SOBRE OS COMPONENTES DE APTIDÃO FÍSICA EM ATLETAS

Leia mais

FIEP BULLETIN - Volume 82 - Special Edition - ARTICLE I (http://www.fiepbulletin.net)

FIEP BULLETIN - Volume 82 - Special Edition - ARTICLE I (http://www.fiepbulletin.net) CORRELAÇÃO ENTRE O ÍNDICE DE ADIPOSIDADE CORPORAL, ÍNDICE DE MASSA CORPORAL E ESTIMATIVA DE ADIPOSIDADE CORPORAL POR MEIO DE DE DOBRAS CUTÂNEAS EM DIFERENTES FAIXAS ETÁRIAS RAFAEL MACEDO SULINO HENRIQUE

Leia mais

A APTIDÃO CARDIORRESPIRATÓRA DE PRATICANTES DE AULAS DE JUMP E RITMOS DE UM MUNICÍPIO DO LITORAL DO RS

A APTIDÃO CARDIORRESPIRATÓRA DE PRATICANTES DE AULAS DE JUMP E RITMOS DE UM MUNICÍPIO DO LITORAL DO RS ISSN 1678-1740 http://ulbratorres.com.br/revista/ Torres, Vol. I - Novembro, 2016 Submetido em: Jul/Ago/Set, 2016 Aceito em: Out/2016 A APTIDÃO CARDIORRESPIRATÓRA DE PRATICANTES DE AULAS DE JUMP E RITMOS

Leia mais

IMC DOS ALUNOS DO 4º PERÍODO DO CURSO TÉCNICO EM ALIMENTOS DO INSTITUTO FEDERAL DE GOIÁS CAMPI/INHUMAS.

IMC DOS ALUNOS DO 4º PERÍODO DO CURSO TÉCNICO EM ALIMENTOS DO INSTITUTO FEDERAL DE GOIÁS CAMPI/INHUMAS. IMC DOS ALUNOS DO 4º PERÍODO DO CURSO TÉCNICO EM ALIMENTOS DO INSTITUTO FEDERAL DE GOIÁS CAMPI/INHUMAS. MÁXIMO, Jefferson Jorcelino 1 Introdução: O índice de massa corpórea IMC é uma medida simples do

Leia mais

EFEITOS DE DOIS PROTOCOLOS DE TREINAMENTO FÍSICO SOBRE O PESO CORPORAL E A COMPOSIÇÃO CORPORAL DE MULHERES OBESAS

EFEITOS DE DOIS PROTOCOLOS DE TREINAMENTO FÍSICO SOBRE O PESO CORPORAL E A COMPOSIÇÃO CORPORAL DE MULHERES OBESAS A obesidade é uma doença crônica classificada como epidêmica, tendo apresentado importante aumento na sua prevalência nas últimas décadas, em diversos países, em todas as faixas etárias e níveis econômicos

Leia mais

TIPOS DE PESQUISA. Pesquisa Direta. Tipos de Pesquisas. Métodos de Pesquisa Direta 22/03/2014. Pesquisa de Campo (aplicada)

TIPOS DE PESQUISA. Pesquisa Direta. Tipos de Pesquisas. Métodos de Pesquisa Direta 22/03/2014. Pesquisa de Campo (aplicada) Direta TIPOS DE PESQUISA de Campo (aplicada) Prof.ª Andrea Vanzelli de Laboratório (básica) Direta Tipos de s s de Direta Descritivo Não interfere na realidade Indireta Experimental Há manipulação da realidade

Leia mais

HISTÓRICO DE FILIAÇÃO UFLA

HISTÓRICO DE FILIAÇÃO UFLA Fundada em 03/05/1938, Oficializada pelo decreto 3617/945. Nomeada Entidade Pública Municipal e Estadual. Filiada a CBDU (Confederação Brasileira do Desporto Universitário). HISTÓRICO DE FILIAÇÃO UFLA

Leia mais

VARIAÇÃO DO CÁLCULO DO PERCENTUAL DE GORDURA CORPORAL A PARTIR DE DIFERENTES EQUAÇÕES DE PREDIÇÃO Humberto Cavalcante Joca 1 Patrick Simão Carlos 2 Rogério Feitosa Rodrigues 3 André Accioly Nogueira Machado

Leia mais

Avaliação da Composição Corporal: Uma importante ferramenta no controle do treino. Me. Ruy Calheiros

Avaliação da Composição Corporal: Uma importante ferramenta no controle do treino. Me. Ruy Calheiros Avaliação da Composição Corporal: Uma importante ferramenta no controle do treino Me. Ruy Calheiros Me. Ruy Calheiros (CREF: 003552-G/SP) Graduado em Educação Física (UNISA), Pós graduado em Treinamento

Leia mais

Instituto Superior de Educação Nair Forte Abu-Merhy Fundação Educacional de Além Paraíba

Instituto Superior de Educação Nair Forte Abu-Merhy Fundação Educacional de Além Paraíba Instituto Superior de Educação Nair Forte Abu-Merhy Fundação Educacional de Além Paraíba Medidas e Avaliação em Educação Física (Prof. Esp. Jorge Duarte) Unidade II: Avaliando a Composição Corporal 1.

Leia mais

XIRA - 1º ENCONTRO. 1ª Sessão h20 09h00

XIRA - 1º ENCONTRO. 1ª Sessão h20 09h00 XIRA - 1º ENCONTRO 1. DATA: 22 de janeiro de 2017 1ª Sessão 22-01-2017 08h20 09h00 101.ª Prova 100 Bruços Feminino Cadetes 103.ª Prova 100 Bruços Masculino Cadetes 105.ª Prova 100 Costas Feminino Infantis

Leia mais

ANTROPOMETRIA PROCESSAMENTO DOS DADOS

ANTROPOMETRIA PROCESSAMENTO DOS DADOS PROCESSAMENTO DOS DADOS Reunião Locomotion 25/03/2013 Jorge Storniolo Henrique Bianchi Método duplamente indireto Validado a partir de um método indireto; Densimetria; Aplicáveis para grandes amostras;

Leia mais

ESPECIFICIDADE TÉCNICA NO BASQUETEBOL: CLUBES X SELEÇÕES

ESPECIFICIDADE TÉCNICA NO BASQUETEBOL: CLUBES X SELEÇÕES ESPECIFICIDADE TÉCNICA NO BASQUETEBOL: CLUBES X SELEÇÕES Victor H.A. Okazaki; Fábio H.A. Okazaki; Birgit Keller; Jeffer E. Sasaki Centro de Estudos do Movimento Humano - CEMOVH RESUMO O presente estudo

Leia mais

STILO JUDÔ CLUBE FILIADA À LIGA BAIANA DE JUDÔ Rua Castro Alves, s/n - Centro Cep Tel: (074) / Xique-Xique/Bahia

STILO JUDÔ CLUBE FILIADA À LIGA BAIANA DE JUDÔ Rua Castro Alves, s/n - Centro Cep Tel: (074) / Xique-Xique/Bahia XVIII Copa Oeste de Judô e 2 Etapa do Campeonato Baiano- 29 de Setembro/2007 Xique-Xique/Bahia Local: Ginásio de Esportes Otto Alencar Classes: Pré-mirim(5/6 anos), Mirim (7/8 anos), Infantil (9/10 anos),

Leia mais

PERCENTUAL DE GORDURA. Prof.Moisés Mendes

PERCENTUAL DE GORDURA. Prof.Moisés Mendes OPOMETRIA CINEANTRO PERCENTUAL DE GORDURA Prof.Moisés Mendes I. Método Direto Dissecação de Cadáveres. II. Método Indireto Pesagem Hidrostática; DXA. MÉTODOS III. Método Duplamente Indireto Antropometria;

Leia mais

Revista Digital - Buenos Aires - Año 11 - N Diciembre de 2006

Revista Digital - Buenos Aires - Año 11 - N Diciembre de 2006 Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Análise do comportamento da freqüência cardíaca durante testes de esforço máximo em diferentes ergômetros

Leia mais

CAMPEONATO BRASILEIRO DE VETERANOS REGULAMENTO

CAMPEONATO BRASILEIRO DE VETERANOS REGULAMENTO CAMPEONATO BRASILEIRO DE VETERANOS REGULAMENTO Artigo 1 - Atendendo o disposto nas NORMAS GERAIS PARA EVENTOS NACIONAIS da Confederação Brasileira de Judô CBJ, em seu Artigo 7, Parágrafo único, através

Leia mais

AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ATLETAS DE NATAÇÃO BRASILEIROS DE ALTO NÍVEL

AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ATLETAS DE NATAÇÃO BRASILEIROS DE ALTO NÍVEL AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ATLETAS DE NATAÇÃO BRASILEIROS DE ALTO NÍVEL Emanuelle Sarkis Cioli 1 ; Danielle Bernardes-Amorim 2, 3, Arthur Paiva Neto 4,5 1 PIBIC/UNIVÁS; 2 UNIVÁS; 3, 5 UNINCOR;

Leia mais

Análise da Qualidade da Detecção, Seleção e Promoção de Talentos Esportivos na realidade brasileira. (Relatório Parcial)

Análise da Qualidade da Detecção, Seleção e Promoção de Talentos Esportivos na realidade brasileira. (Relatório Parcial) UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE DEPARTAMENTO DO ESPORTE Grupo de Pesquisa em Esporte e Treinamento Infanto-Juvenil (GEPETIJ) Grupo de Pesquisa em Administração Esportiva (GEPAE)

Leia mais

LERIANE BRAGANHOLO DA SILVA

LERIANE BRAGANHOLO DA SILVA 1 LERIANE BRAGANHOLO DA SILVA COMPARAÇÃO DO PERFIL ANTROPOMÉTRICO DE ADOLESCENTES PRATICANTES DE VOLEIBOL, DOS ANOS 1997 E 2009, PARTICIPANTES DO PROGRAMA ESPORTE CIDADÃO UNILEVER Artigo apresentado como

Leia mais

Medidas Somáticas das Tenistas NOVEMBRO DE 2009

Medidas Somáticas das Tenistas NOVEMBRO DE 2009 Medidas Somáticas das Tenistas das Selecções Regionais ATPorto NOVEMBRO DE 2009 Contributos A ATPorto gostaria de agradecer individualmente aos seguintes intervenientes que permitiram a elaboração deste

Leia mais

RANKING NACIONAL EQUIPE SÊNIOR

RANKING NACIONAL EQUIPE SÊNIOR INTRODUÇÃO A Confederação Brasileira de Judô, entidade máxima no território nacional, responsável pelo desenvolvimento da modalidade, tem como missão fomentar o Judô brasileiro através de ações estratégicas

Leia mais

ADAPTAÇÃO DO SPECIAL JUDO FITNESS TEST PARA O KARATE: UM ESTUDO COM ATLETAS DA SELEÇÃO BRASILEIRA.

ADAPTAÇÃO DO SPECIAL JUDO FITNESS TEST PARA O KARATE: UM ESTUDO COM ATLETAS DA SELEÇÃO BRASILEIRA. ADAPTAÇÃO DO SPECIAL JUDO FITNESS TEST PARA O KARATE: UM ESTUDO COM ATLETAS DA SELEÇÃO BRASILEIRA. INTRODUÇÃO HERALDO SIMÕES FERREIRA Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, Ceará, Brasil heraldo.simoes@uece.br

Leia mais

Efeitos da prática de exercício anaeróbio na composição corporal

Efeitos da prática de exercício anaeróbio na composição corporal Efeitos da prática de exercício anaeróbio na composição corporal Resumo Autor: Leandro Joaquim da Silva Professora Orientadora: Ms. Morgana Rejane Rabelo Rosa Centro Universitário Anhanguera - Câmpus Leme

Leia mais

CAMPEONATO ESTADUAL SÊNIOR

CAMPEONATO ESTADUAL SÊNIOR CAMPEONATO ESTADUAL SÊNIOR REGULAMENTO TÉCNICO Art. 1º - Todos dispositivos das NORMAS GERAIS PARA EVENTOS NACIONAIS 2017 - CBJ e do REGULAMENTO TÉCNICO 2017 FEMEJU serão aplicados neste CAMPEONATO ESTADUAL

Leia mais

Competições Internacionais e Resultados do Boxe do Brasil em 2014

Competições Internacionais e Resultados do Boxe do Brasil em 2014 Competições Internacionais e Resultados do Boxe do Brasil em 2014 Torneio Internacional de Boxe de Verão 2014 - Chile O Brasil participou do Torneio Internacional de Boxe de Verão 2014. Os três atletas

Leia mais

CAMPEONATO SERGIPANO DE JUDÔ 2016

CAMPEONATO SERGIPANO DE JUDÔ 2016 CAMPEONATO SERGIPANO DE JUDÔ 2016 I. DOS OBJETIVOS 1ª ETAPA DO CIRCUITO SERGIPANO DE JUDÔ A Federação Sergipana de Judô, entidade de administração estadual do esporte Judô, cuja competência abrange todo

Leia mais

A INFLUÊNCIA DE UMA AULA DE NATAÇÃO NAS MEDIDAS DAS DOBRAS CUTÂNEAS

A INFLUÊNCIA DE UMA AULA DE NATAÇÃO NAS MEDIDAS DAS DOBRAS CUTÂNEAS A INFLUÊNCIA DE UMA AULA DE NATAÇÃO NAS MEDIDAS DAS DOBRAS CUTÂNEAS MARCELO TEIXEIRA DE ANDRADE 1, KELERSON MAURO DE CASTRO PINTO 2. Centro Universitário de Belo Horizonte UNI-BH, Departamento de Ciências

Leia mais

O Coeficiente SINCLAIR

O Coeficiente SINCLAIR O Coeficiente SINCLAIR Dragos Doru Stanica Treinador da Seleção Brasileira de LPO O Levantamento de Peso Olímpico é dividido em 15 categorias de peso corporal. São oito categorias no masculino (56kg; 62kg;

Leia mais

A INFLUÊNCIA DE UM PROGRAMA DE EXERCÍCIOS FÍSICOS NA GORDURA CORPORAL DOS PARTICIPANTES DO PIBEX INTERVALO ATIVO 1

A INFLUÊNCIA DE UM PROGRAMA DE EXERCÍCIOS FÍSICOS NA GORDURA CORPORAL DOS PARTICIPANTES DO PIBEX INTERVALO ATIVO 1 A INFLUÊNCIA DE UM PROGRAMA DE EXERCÍCIOS FÍSICOS NA GORDURA CORPORAL DOS PARTICIPANTES DO PIBEX INTERVALO ATIVO 1 CARDOSO, Eduardo Rangel 2 ; PANDA, Maria Denise de Justo 3 ; FIGUEIRÓ, Michele Ferraz

Leia mais

QUAL O IMC DOS ALUNOS CURSOS TÉCNICOS INTEGRADOS AO ENSINO MÉDIO NO IFTM CAMPUS UBERLÂNDIA?

QUAL O IMC DOS ALUNOS CURSOS TÉCNICOS INTEGRADOS AO ENSINO MÉDIO NO IFTM CAMPUS UBERLÂNDIA? QUAL O IMC DOS ALUNOS CURSOS TÉCNICOS INTEGRADOS AO ENSINO MÉDIO NO IFTM CAMPUS UBERLÂNDIA? Bianca Silva Santos 1 ; Henrique Flausino de Souza 2 ; Maria Eduarda Guedes Coutinho 3 ; Maria Julia Rocha Ferreira

Leia mais

TÍTULO: ANALISE DA INCIDÊNCIA DE ESPECIALIZAÇÃO PRECOCE EM JUDOCAS INFANTO-JUVENIL PARTICIPANTES DE CAMPEONATO REGIONAL DE JUDÔ CATEGORIA: CONCLUÍDO

TÍTULO: ANALISE DA INCIDÊNCIA DE ESPECIALIZAÇÃO PRECOCE EM JUDOCAS INFANTO-JUVENIL PARTICIPANTES DE CAMPEONATO REGIONAL DE JUDÔ CATEGORIA: CONCLUÍDO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: ANALISE DA INCIDÊNCIA DE ESPECIALIZAÇÃO PRECOCE EM JUDOCAS INFANTO-JUVENIL PARTICIPANTES DE

Leia mais

RANKING NACIONAL EQUIPE SÊNIOR

RANKING NACIONAL EQUIPE SÊNIOR 2017 INTRODUÇÃO A Confederação Brasileira de Judô, entidade máxima no território nacional, responsável pelo desenvolvimento da modalidade, tem como missão representar e fomentar o Judô brasileiro com excelência,

Leia mais

Atualidades em Nutrição Esportiva trica

Atualidades em Nutrição Esportiva trica Atualidades em Nutrição Esportiva Avaliação Antropométrica trica Apresentação: Nutricionista Kamilla Morais Severino Especialista em Nutrição Clínica e Esportiva CEEN/ UCG Personal Dieter Diretora de Marketing

Leia mais

Medidas e Avaliação da Atividade Motora

Medidas e Avaliação da Atividade Motora Escola de Educação Física e Esporte da USP Tema da aula: Conceitos Básicos Medidas e Avaliação da Atividade Motora Objetivos da aula: Conceituar: medida, teste, avaliação Compreender as etapas do processo

Leia mais

Apostila de Avaliação Nutricional NUT/UFS 2010 CAPÍTULO 3 AVALIAÇÃO NUTRICIONAL ADULTOS

Apostila de Avaliação Nutricional NUT/UFS 2010 CAPÍTULO 3 AVALIAÇÃO NUTRICIONAL ADULTOS CAPÍTULO 3 AVALIAÇÃO NUTRICIONAL EM ADULTOS AVALIAÇÃO NUTRICIONAL EM ADULTOS A avaliação antropométrica em adultos envolve vários indicadores. A escolha do indicador dependerá do que se quer avaliar e

Leia mais

Dados da Avaliação. Objetivos. Protocolo de Imagem Corporal Marins e Marins (2010) Foto Auto-Imagem Objetivo. Exame de Sangue. Posturais - Anterior

Dados da Avaliação. Objetivos. Protocolo de Imagem Corporal Marins e Marins (2010) Foto Auto-Imagem Objetivo. Exame de Sangue. Posturais - Anterior Data: Avaliador: Avaliado: 07/03/2013 Flávio Modelo Bem Vindo ao AVAESPORTE! Esporte Sistemas Incubadora de Empresas UFV (31)3892-5117 31-9332-3136 contato@esportesistemas.com.br www.esportesistemas.com.br

Leia mais

INTERFERÊNCIA DA OBESIDADE NA APTIDÃO FÍSICA DE ESCOLARES DE 8 A 10 ANOS DO SEXO MASCULINO EM TERESINA-PI Igor Cabral Coutinho do Rêgo Monteiro 1 Moisés Mendes da Silva 2 Acácio Salvador Veras e Silva

Leia mais

INTERAÇÃO ENTRE ÍNDICE DE MASSA CORPORAL, COM FLEXIBILIDADE E FLEXÕES ABDOMINAIS EM ALUNOS DO CESUMAR

INTERAÇÃO ENTRE ÍNDICE DE MASSA CORPORAL, COM FLEXIBILIDADE E FLEXÕES ABDOMINAIS EM ALUNOS DO CESUMAR Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 07 INTERAÇÃO ENTRE ÍNDICE DE MASSA CORPORAL, COM FLEXIBILIDADE E FLEXÕES ABDOMINAIS EM ALUNOS DO CESUMAR Alceste Ramos Régio

Leia mais

CONEXÃO FAMETRO: ÉTICA, CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE XII SEMANA ACADÊMICA ISSN:

CONEXÃO FAMETRO: ÉTICA, CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE XII SEMANA ACADÊMICA ISSN: CONEXÃO FAMETRO: ÉTICA, CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE XII SEMANA ACADÊMICA ISSN: 2357-8645 MANUAL DE AVALIAÇÃO ANTROPOMÉTRICA DE ADULTOS PARA ESTUDANTES DE NUTRIÇÃO Sônia Maria Ximenes Gomes Lilian Vasconcelos

Leia mais

COMPARAÇÃO ENTRE A CLASSIFICAÇÃO DO ÍNDICE DE MASSA CORPORAL E DA QUANTIDADE DE GORDURA CORPORAL

COMPARAÇÃO ENTRE A CLASSIFICAÇÃO DO ÍNDICE DE MASSA CORPORAL E DA QUANTIDADE DE GORDURA CORPORAL 30 COMPARAÇÃO ENTRE A CLASSIFICAÇÃO DO ÍNDICE DE MASSA CORPORAL E DA QUANTIDADE DE GORDURA CORPORAL RESUMO Prof. Ricardo Carreira Rivas 1 ; Prof. Dr. Orival Andries Junior 2 O sobrepeso e a obesidade têm

Leia mais

CONVOCAÇÃO. CAMPEONATO MUNDIAL DE JUDÔ BUDAPESTE de Agosto a 03 de Setembro, Hungria

CONVOCAÇÃO. CAMPEONATO MUNDIAL DE JUDÔ BUDAPESTE de Agosto a 03 de Setembro, Hungria CONVOCAÇÃO CAMPEONATO MUNDIAL DE JUDÔ BUDAPESTE 2017 28 de Agosto a 03 de Setembro, Hungria - SELEÇÃO BRASILEIRA FEMININA 48kg Stefannie Arissa Koyama 52kg Érika Miranda 57kg Rafaela Silva 63kg Mariana

Leia mais

Estilo de vida e as alterações da flexibilidade e resistência muscular localizada na fase adulta

Estilo de vida e as alterações da flexibilidade e resistência muscular localizada na fase adulta Estilo de vida e as alterações da flexibilidade e resistência muscular localizada na fase adulta Vicente P. Kannebley Jr. 1 Tatiana Müller 2 RESUMO Estudar o indivíduo adulto é fundamental para entendermos

Leia mais

VARIABILIDADE DA FREQÜÊNCIA CARDÍACA E RESPOSTA DA PRESSÃO ARTERIAL PÓS-EXERCÍCIO EM ATLETAS E NÃO-ATLETAS

VARIABILIDADE DA FREQÜÊNCIA CARDÍACA E RESPOSTA DA PRESSÃO ARTERIAL PÓS-EXERCÍCIO EM ATLETAS E NÃO-ATLETAS 1 VARIABILIDADE DA FREQÜÊNCIA CARDÍACA E RESPOSTA DA PRESSÃO ARTERIAL PÓS-EXERCÍCIO EM ATLETAS E NÃO-ATLETAS Rodrigo Batista Maia UFPI Cláudio Henrique Lima Rocha UFPI Irapuá Ferreira Ricarte UFPI Vitor

Leia mais

COMPOSIÇÃO CORPORAL DE JOVENS ESTUDANTES

COMPOSIÇÃO CORPORAL DE JOVENS ESTUDANTES COMPOSIÇÃO CORPORAL DE JOVENS ESTUDANTES Vivian Mendes de Souza /UFGD Aline Rodrigues Guedes da Silva/UFGD Wallisson Lucas dos Santos Farias /UFGD Dra. Josiane Fujisawa Filus de Freitas /UFGD Dr. Gustavo

Leia mais

ANÁLISE DO PERCENTUAL DE GORDURA DE ADOLESCENTES PRATICANTES E NÃO PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO

ANÁLISE DO PERCENTUAL DE GORDURA DE ADOLESCENTES PRATICANTES E NÃO PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO ANÁLISE DO PERCENTUAL DE GORDURA DE ADOLESCENTES PRATICANTES E NÃO PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO Manoela Campos Piedade 1, Danielle Bernardes-Amorim 2 RESUMO Este estudo teve como objetivo analisar o percentual

Leia mais

Professores: Roberto Calmon e Thiago Fernandes

Professores: Roberto Calmon e Thiago Fernandes Professores: Roberto Calmon e Thiago Fernandes Nesta aula iremos aprender sobre o conceito, as causas e as consequências da obesidade e a importância da atividade física para a prevenção e controle desta

Leia mais

Cidade: Ponta Grossa (para todos os Alunos com pretensões para desempenhar a função de árbitro, independente da cidade em que realizou o curso).

Cidade: Ponta Grossa (para todos os Alunos com pretensões para desempenhar a função de árbitro, independente da cidade em que realizou o curso). Caro Sr(a) alunos do Curso de Formação de Oficiais de Arbitragem de Futsal, estamos nos dirigindo a VSrª, para convocá-lo a participar de mais uma etapa componente do processo geral. Nesta etapa, como

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO MORFOFUNCIONAL DO JIU-JITSU UM ESTUDO DE CASO

CARACTERIZAÇÃO MORFOFUNCIONAL DO JIU-JITSU UM ESTUDO DE CASO CARACTERIZAÇÃO MORFOFUNCIONAL DO JIU-JITSU UM ESTUDO DE CASO DIEGO AUGUSTO NUNES REZENDE¹, ² MURILLO RODRIGUES SORɹ,² PAULO RICARDO MARTINS NUÑEZ¹,²,³ 1.UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO, PONTAL DO

Leia mais

Estudo do Somatotipo em atletas de luta Greco Romana

Estudo do Somatotipo em atletas de luta Greco Romana Estudo do Somatotipo em atletas de luta Greco Romana *André Lucena *Graciele Araujo Lima *Kharen Samara *Marcelo Da Silva Prazeres *Santiago Oliveira **Júlio César ***José Blanco Herrera Resumo O objetivo

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu Curso: Atividades Motoras para a Promoção da Saúde e Qualidade de Vida/ 2002/2003 Nome Aluno(a)

Leia mais

2ª COPA CIDADE DE TERESINA DE JUDÔ TROFÉU DANYS QUEIROZ REGULAMENTO GERAL

2ª COPA CIDADE DE TERESINA DE JUDÔ TROFÉU DANYS QUEIROZ REGULAMENTO GERAL 2ª COPA CIDADE DE TERESINA DE JUDÔ TROFÉU DANYS QUEIROZ REGULAMENTO GERAL A 2ª COPA CIDADE DE TERESINA DE JUDÔ - TROFÉU DANYS QUEIROZ será disputada observando as Normas Gerais para Eventos Nacionais edição

Leia mais

PERFIL FISIOLÓGICO DE ATLETAS ADULTO MASCULINO DE HANDEBOL DE BRASÍLIA PHYSIOLOGICAL PROFILES OF HANDBALL PLAYERS MALE ADULT OF BRASILIA

PERFIL FISIOLÓGICO DE ATLETAS ADULTO MASCULINO DE HANDEBOL DE BRASÍLIA PHYSIOLOGICAL PROFILES OF HANDBALL PLAYERS MALE ADULT OF BRASILIA 1 PERFIL FISIOLÓGICO DE ATLETAS ADULTO MASCULINO DE HANDEBOL DE BRASÍLIA PHYSIOLOGICAL PROFILES OF HANDBALL PLAYERS MALE ADULT OF BRASILIA Cristiane Roberta dos Reis Daniella Andrade do Nascimento José

Leia mais

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício ISSN versão eletrônica PERFIL ANTROPOMETRICO DE UMA EQUIPE DE NATAÇÃO DE CUIABÁ-MT 322 Rafael Bordini da Silva 1,2, Nina Gimenes M. V. Boura 1,2 RESUMO O objetivo deste estudo foi verificar o perfil antropométrico de atletas

Leia mais

DESEMPENHO MOTOR DE ADOLESCENTES OBESOS E NÃO OBESOS: O EFEITO DO EXERCÍCIO FÍSICO REGULAR

DESEMPENHO MOTOR DE ADOLESCENTES OBESOS E NÃO OBESOS: O EFEITO DO EXERCÍCIO FÍSICO REGULAR DESEMPENHO MOTOR DE ADOLESCENTES OBESOS E NÃO OBESOS: O EFEITO DO EXERCÍCIO FÍSICO REGULAR Juliana Ewelin dos Santos 1 ; Sérgio Roberto Adriano Prati 2 ; Marina Santin¹. RESUMO: Essa pesquisa quase experimental

Leia mais

Campeonato Paraense BOLETIM OFICIAL Nº 004/2016

Campeonato Paraense BOLETIM OFICIAL Nº 004/2016 Belém, 19 de agosto de 2016. AS ASSOCIAÇÕES FILIADAS E VINCULADAS. Conforme o calendário de competições de 2016, a FPAJU vem informar que o Campeonato Paraense, será realizado nos dias 03 e 04 de Setembro

Leia mais

AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ATLETAS DE NATAÇÃO CATEGORIA INFANTIL E JUVENIL FEMININA.

AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ATLETAS DE NATAÇÃO CATEGORIA INFANTIL E JUVENIL FEMININA. 20 AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ATLETAS DE NATAÇÃO CATEGORIA INFANTIL E JUVENIL FEMININA. RESUMO Alessandro de Oliveira 1 ; Arthur Paiva Neto 2 ; Daniel Veiga Domingues 3 Tendo em vista a importância

Leia mais

Caracterização antropométrica, maturacional e funcional de jovens atletas mirins feminino de atletismo.

Caracterização antropométrica, maturacional e funcional de jovens atletas mirins feminino de atletismo. AUTORES: Jefferson Verbena de Freitas Ramon Cruz Phelipe Henrique C. de Castro Danilo Leonel Renato Siqueira de Souza Francisco Zacaron Werneck Jorge Roberto P. de Lima Caracterização antropométrica, maturacional

Leia mais

Diagnóstico e Prevenção do Diabetes com os Recursos Tecnológicos da Informática

Diagnóstico e Prevenção do Diabetes com os Recursos Tecnológicos da Informática Diagnóstico e Prevenção do Diabetes com os Recursos Tecnológicos da Informática PAULINO, Paulo C.; ALMEIDA, Fellipe R. de; FERNANDES, Ícaro A.; MEDEIROS, Bruno C. de; OLIVEIRA, Stephanie P. D.; PARMEZAN,

Leia mais

O IPPON ZITO. Página informativa Associação de Judo Distrito de Santarém. Calendário Desportivo AJDS 2º Trimestre 2017

O IPPON ZITO. Página informativa Associação de Judo Distrito de Santarém. Calendário Desportivo AJDS 2º Trimestre 2017 Calendário Desportivo AJDS 2º Trimestre 2017 Abril Atividade Local 08 Ação de Formação Kinesio Tape Ligaduras Entronca. Funcionais 29 Ação de Formação Intervenção Pedagógica no Treino e na Competição T.

Leia mais

Perfil morfológico de atletas de brazilian jiu-jitsu de diferente nível competitivo

Perfil morfológico de atletas de brazilian jiu-jitsu de diferente nível competitivo 137 ARTIGO Perfil morfológico de atletas de brazilian jiu-jitsu de diferente nível competitivo Leonardo Vidal Andreato UNIFESP, São Paulo-SP. João Victor Del Conti Esteves Universidade Estadual de Maringá

Leia mais

CARTA CONVITE TERCEIRA ETAPA DO CAMPEONATO MINEIRO DE JUDÔ 2016 MARIANA - MG EVENTO OFICIAL DA LIGA MINEIRA DE JUDÔ.

CARTA CONVITE TERCEIRA ETAPA DO CAMPEONATO MINEIRO DE JUDÔ 2016 MARIANA - MG EVENTO OFICIAL DA LIGA MINEIRA DE JUDÔ. CARTA CONVITE TERCEIRA ETAPA DO CAMPEONATO MINEIRO DE JUDÔ 2016 MARIANA - MG EVENTO OFICIAL DA LIGA MINEIRA DE JUDÔ. De acordo com o calendário da Liga Mineira de Judô discutido e aprovado na Assembléia

Leia mais

Willian Hoffmann. ArtCare _ Patrocínios e Incentivos. Lutador de MMA Participou da Seleção Olímpica de Judô DATA DE NASCIMENTO: 02/03/1989

Willian Hoffmann. ArtCare _ Patrocínios e Incentivos. Lutador de MMA Participou da Seleção Olímpica de Judô DATA DE NASCIMENTO: 02/03/1989 Lutador de MMA Participou da Seleção Olímpica de Judô DATA DE NASCIMENTO: 02/03/1989 CATEGORIA PESO PESADO MODALIDADES; - JUDÔ (FAIXA PRETA) - LUTA OLÍMPICA - JIU-JITSU - MUAY THAY - MMA - BOXE Após anos

Leia mais

NUTRIÇÃO NO DESPORTO Como calcular as necessidades energéticas para cada indíduo?

NUTRIÇÃO NO DESPORTO Como calcular as necessidades energéticas para cada indíduo? NUTRIÇÃO NO DESPORTO Como calcular as necessidades energéticas para cada indíduo? NUTRIÇÃO NO DESPORTO Como calcular as necessidades energéticas? A alimentação influencia significativamente, tanto a performance

Leia mais

JUDÔ Individual: 07 (sete) categorias de peso e Absoluto Equipes.

JUDÔ Individual: 07 (sete) categorias de peso e Absoluto Equipes. JUDÔ 1. A competição de Judô será realizada de acordo com as Regras Internacionais da Federação Internacional de Judô, reconhecidas pela Confederação Brasileira de Judô e com os Regulamentos, Normas e

Leia mais

Universidade do Extremo Sul Catarinense SUMÁRIO

Universidade do Extremo Sul Catarinense SUMÁRIO SUMÁRIO 14007 - DISTRIBUIÇÃO DE GORDURA CORPORAL EM MULHERES NA MENOPAUSA Ian Rabelo Gabriel 1,3, Geiziane Laurindo de Morais 1,3, Monica Martins Binatti 3,4, Larissa Nunes da Silva 1,3, Aline Maria Garcia

Leia mais

ESGRIMA EVOLUÇÃO DO NÚMERO - AÇORES ATLETAS ANÁLISE DE ALGUNS INDICADORES POR REFERÊNCIA À ÉPOCA DESPORTIVA DE

ESGRIMA EVOLUÇÃO DO NÚMERO - AÇORES ATLETAS ANÁLISE DE ALGUNS INDICADORES POR REFERÊNCIA À ÉPOCA DESPORTIVA DE EVOLUÇÃO DO NÚMERO - AÇORES 38 32 22 15 6 7 28 19 9 34 34 35 36 29 25 25 20 14 9 10 7 2008-09 2009-10 2010-11 2011-12 2012-13 2013-14 2014-15 TOTAL MASC FEM - A modalidade desenvolve atividade somente

Leia mais

Circular FEPACAN 0001/2017 Foz do Iguaçu, 03 de Maio de 2017.

Circular FEPACAN 0001/2017 Foz do Iguaçu, 03 de Maio de 2017. Circular FEPACAN 0001/2017 Foz do Iguaçu, 03 de Maio de 2017. Às Associações Filiadas Referente: Programa TALENTO OLÍMPICO DO PARANÁ - 6ª EDIÇÃO Prezados Filiados, A Federação Paranaense de Canoagem, neste

Leia mais

COLÉGIO PEDRO II MEC Exame de Seleção e Classificação ao 1º ano do Ensino Médio a Série do Ensino Médio Regular

COLÉGIO PEDRO II MEC Exame de Seleção e Classificação ao 1º ano do Ensino Médio a Série do Ensino Médio Regular COLÉGIO PEDRO II MEC Exame de Seleção e Classificação ao 1º ano do Ensino Médio - 2013 1ª QUESTÃO 1,0 0,5 1,5 Nos últimos anos, ocorreu uma mudança no cenário nacional dos fluxos migratórios: o estado

Leia mais

Apresentação do Junior European Judo Cup Coimbra 2017

Apresentação do Junior European Judo Cup Coimbra 2017 Apresentação do Junior European Judo Cup Coimbra 2017 14 de março de 2017 Auditório do Pavilhão Municipal Multidesportos Dr. Mário Mexia A Apresentação da Taça da Europa de Juniores - Coimbra 2017, realizou-se

Leia mais

Regulamento do APCEF/PR na medida

Regulamento do APCEF/PR na medida Regulamento do APCEF/PR na medida O programa APCEF/PR na medida é um treinamento físico e de relacionamento da Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal (APCEF/PR), destinado a associados efetivos.

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ATLETAS DA SELEÇÃO GOIANA DE JUDÔ: ATIVIDADE DO ATENDIMENTO NUTRICIONAL 1

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ATLETAS DA SELEÇÃO GOIANA DE JUDÔ: ATIVIDADE DO ATENDIMENTO NUTRICIONAL 1 AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ATLETAS DA SELEÇÃO GOIANA DE JUDÔ: ATIVIDADE DO ATENDIMENTO NUTRICIONAL 1 LEITE, Raíssa Moraes 1 ; FRANCO, Lana Pacheco 2 ; SOUZA, Isabela Mesquita 3 ; ALVES, Ana Gabriella Pereira

Leia mais

Minha Saúde Análise Detalhada

Minha Saúde Análise Detalhada MODELO DE RELATÓRIO / Identificação de cliente: 1980M32 Data: 07/03/2016 Seu Peso = 79,0 kg Minha Saúde Análise Detalhada Seu peso está na categoria: Saudável sua altura é 180 cm, você tem 35 anos de idade

Leia mais

SOMATOTIPO DE JUDOCAS FEMININAS PARTICIPANTES DO CAMPEONATO PAULISTA SÊNIOR DE 2008

SOMATOTIPO DE JUDOCAS FEMININAS PARTICIPANTES DO CAMPEONATO PAULISTA SÊNIOR DE 2008 Recebido em: 27/02/2009 Emitido parece em: 05/04/2009 Artigo original SOMATOTIPO DE JUDOCAS FEMININAS PARTICIPANTES DO CAMPEONATO PAULISTA SÊNIOR DE 2008 Laryssa Thabyda Magalhães Silva, Leandro dos Santos

Leia mais

CAPÍTULO V DISCUSSÃO DOS RESULTADOS. Evolução da percentagem de massa gorda na Escola Secundária D.Duarte 15,8 12,8

CAPÍTULO V DISCUSSÃO DOS RESULTADOS. Evolução da percentagem de massa gorda na Escola Secundária D.Duarte 15,8 12,8 % de alunos com excesso de peso peso ou obesidade Discussão dos Resultados CAPÍTULO V DISCUSSÃO DOS RESULTADOS A investigação efectuada foi conduzida no sentido de determinar quais os alunos com excesso

Leia mais

Introdução. avalon 04/02/2016. José Pereira De Mattos Filho

Introdução. avalon 04/02/2016. José Pereira De Mattos Filho Introdução Avalon 2.0.1-06/02/2016 Interpretação dos Percentis Avalon 2.0.1-06/02/2016 Anamnese ANAMNESE Histórico de Atividades Físicas Praticou tênis durante 15 anos, mas está parado há 4 anos. Atividades

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE QUATRO DIFERENTES PROTOCOLOS PARA A ESTIMATIVA DO PERCENTUAL DE GORDURA DE JOGADORES DE FUTEBOL DA CATEGORIA JUVENIL

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE QUATRO DIFERENTES PROTOCOLOS PARA A ESTIMATIVA DO PERCENTUAL DE GORDURA DE JOGADORES DE FUTEBOL DA CATEGORIA JUVENIL Recebido em: 28/02/2009 Emitido parece em: 17/03/2009 Artigo original ESTUDO COMPARATIVO ENTRE QUATRO DIFERENTES PROTOCOLOS PARA A ESTIMATIVA DO PERCENTUAL DE GORDURA DE JOGADORES DE FUTEBOL DA CATEGORIA

Leia mais

EVOLUÇÃO DO NÚMERO - AÇORES

EVOLUÇÃO DO NÚMERO - AÇORES ANÁLISE DE ALGUNS INDICADORES POR REFERÊNCIA À ÉPOCA DESPORTIVA DE 24 EVOLUÇÃO DO NÚMERO - AÇORES 577 572 554 573 529 334 323 33 338 355 35 243 26 24 26 28 24 36 29 2 2 22 23 24 TOTAL MASC FEM - Depois

Leia mais

LIGA RIOGRANDENSE DE JUDÔ

LIGA RIOGRANDENSE DE JUDÔ LIGA RIOGRANDENSE DE JUDÔ CIRCUITO JUDÔ GAÚCHO 2015-5ª ETAPA XV CAMPEONATO ESTADUAL DE JUDÔ - GERAL E EQUIPES DATA: 18 de OUTUBRO de 2015 (DOMINGO). CIDADE: IJUÍ RS. LOCAL: GINÁSIO WILSON MÂNICA - Av.

Leia mais

Avaliação da Composição Corporal

Avaliação da Composição Corporal Medidas e Avaliação da Atividade Motora COMPOSIÇÃO CORPORAL Refere-se às quantidades dos diversos tecidos que constituem o corpo Avaliação da Composição Corporal Mediante diversas técnicas EEFEUSP - 2017

Leia mais

REGULAMENTO GERAL 2016 JOGOS DOS INSTITUTOS FEDERAIS/2016 ETAPA ESTADUAL/ REGIONAL JUDÔ

REGULAMENTO GERAL 2016 JOGOS DOS INSTITUTOS FEDERAIS/2016 ETAPA ESTADUAL/ REGIONAL JUDÔ JUDÔ Art.1º - A competição de Judô será realizada de acordo com as Regras Internacionais da FIJ e com os Regulamentos e Normas; Art.2º - Será disputada em 02 (dois) torneios: 2.1. INDIVIDUAL: 08 (oito)

Leia mais

FEDERAÇÃO DE DESPORTOS AQUÁTICOS DO DISTRITO FEDERAL FDA/DF

FEDERAÇÃO DE DESPORTOS AQUÁTICOS DO DISTRITO FEDERAL FDA/DF Critérios indicativos à Bolsa Atleta de Natação conforme Reunião da Diretoria da FDA/DF e técnicos filiados, realizada no dia 03 de fevereiro de 2016. I BOLSA ATLETA OLÍMPICA 1.1- O atleta de natação só

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO FÍSICA NA DIAGNOSE DO PERFIL FÍSICO DE MULHERES INICIANTES EM ACADEMIAS DE GINÁSTICA

A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO FÍSICA NA DIAGNOSE DO PERFIL FÍSICO DE MULHERES INICIANTES EM ACADEMIAS DE GINÁSTICA Artigo 1 A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO FÍSICA NA DIAGNOSE DO PERFIL FÍSICO DE MULHERES INICIANTES EM ACADEMIAS DE GINÁSTICA AUDREY S. ALVES Centro Universitário Augusto Motta MARCIO RODRIGUES BAPTISTA Universidade

Leia mais

Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. ISSN versão eletrônica 399 EXERCICIO RESISTIDO COM PESOS NA REDUÇÃO DE GORDURA CORPORAL EM PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO DO MUNICÍPIO DE CACOAL/RO Renam Natel Cuenca 1, Kleber Farinazo Borges 2, Mario Sergio Vaz da Silva 3, Rafael

Leia mais

ANTROPOMETRIA, FLEXIBILIDADE E DESEMPENHO MOTOR EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES PRATICANTES E NÃO PRATICANTES DE FUTSAL.

ANTROPOMETRIA, FLEXIBILIDADE E DESEMPENHO MOTOR EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES PRATICANTES E NÃO PRATICANTES DE FUTSAL. ANTROPOMETRIA, FLEXIBILIDADE E DESEMPENHO MOTOR EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES PRATICANTES E NÃO PRATICANTES DE FUTSAL. Diagnes Marostica 1 ; Everton Paulo Roman 2 Resumo Introdução: As questões que envolvem

Leia mais

Sistema de Avaliação, Motivação e Prescrição de Treinamento

Sistema de Avaliação, Motivação e Prescrição de Treinamento Sistema de Avaliação, Motivação e Prescrição de Treinamento Nome: WALMAR DE HOLANDA CORREA DE ANDRADE Matrícula: 004905 Sexo: Masculino Data Avaliação Funcional: Idade: 31 anos Professor: Email: EURIMAR

Leia mais

Avaliação do VO²máx. Avaliação do VO²máx

Avaliação do VO²máx. Avaliação do VO²máx Teste de Esforço Cardiorrespiratório Avaliação do Consumo Máximo de O² Avaliação Cardiorrespiratória Ergômetros Ergo = trabalho Metro = medida Sendo assim, um ergômetro é basicamente um instrumento que

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS MENORES DE DOIS ANOS ATENDIDAS NA USF VIVER BEM DO MUNICIPIO DE JOÃO PESSOA-PB

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS MENORES DE DOIS ANOS ATENDIDAS NA USF VIVER BEM DO MUNICIPIO DE JOÃO PESSOA-PB AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS MENORES DE DOIS ANOS ATENDIDAS NA USF VIVER BEM DO MUNICIPIO DE JOÃO PESSOA-PB Tainá Gomes Diniz; Caroline Severo de Assis; Suzy Souto de Oliveira Faculdade de Ciências

Leia mais

FEDERAÇÃO PAULISTA DE JUDÔ

FEDERAÇÃO PAULISTA DE JUDÔ CAMPEONATO PAULISTA FASES REGIONAL, INTER-REGIONAL E FINAL DIVISÕES ESPECIAL E ASPIRANTE REGULAMENTO Alessandro Panitz Puglia, presidente da Federação Paulista de Judô, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

ESTILO DE VIDA E COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ADOLECENTES DE NÍVEL MÉDIO DE UMA ESCOLA ESTADUAL DA CIDADE DE MARIALVA/PR

ESTILO DE VIDA E COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ADOLECENTES DE NÍVEL MÉDIO DE UMA ESCOLA ESTADUAL DA CIDADE DE MARIALVA/PR 20 a 24 de outubro de 2008 ESTILO DE VIDA E COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ADOLECENTES DE NÍVEL MÉDIO DE UMA ESCOLA ESTADUAL DA CIDADE DE MARIALVA/PR Rafaela Pilegi Dada 1 ; Sérgio Roberto Adriano Prati 2 RESUMO:

Leia mais

INFLUÊNCIA POSITIVA DO TREINAMENTO COM PESOS EM INDIVÍDUO DO SEXO FEMININO

INFLUÊNCIA POSITIVA DO TREINAMENTO COM PESOS EM INDIVÍDUO DO SEXO FEMININO INFLUÊNCIA POSITIVA DO TREINAMENTO COM PESOS EM INDIVÍDUO DO SEXO FEMININO David dos Santos Nascimento: Especialista em Fisiologia e Prescrição do Exercício Físico, professor da Faculdade Centro Mato-grossense

Leia mais

Revista Brasileira de Futsal e Futebol ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Futsal e Futebol ISSN versão eletrônica 190 COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ATLETAS DO FUTEBOL DE DIFERENTES CATEGORIAS Marcos Maurício Serra 1, Fabio Henrique Ornellas 2, Francisco Navarro 3 RESUMO Introdução: O desempenho esportivo é dependente de

Leia mais

Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. ISSN versão eletrônica 77 AS ALTERAÇÕES NA COMPOSIÇÃO CORPORAL APÓS TREINAMENTO AERÓBICO CONTÍNUO E INTERVALADO Jose Almir Silva Junior 1,2, Leonardo Felipe de Figueiredo Lopes 1,3, Waldinéia Coelho Augusto 1,4 RESUMO O foco

Leia mais

NUT-A80 -NUTRIÇÃO ESPORTIVA

NUT-A80 -NUTRIÇÃO ESPORTIVA NUT-A80 -NUTRIÇÃO ESPORTIVA Ementa Nutrição na atividade física: A atividade física na promoção da saúde e na prevenção e recuperação da doença. Bases da fisiologia do exercício e do metabolismo energético

Leia mais

5/3/2009. Antonio Carlos Gomes, PhD

5/3/2009. Antonio Carlos Gomes, PhD Antonio Carlos Gomes, PhD Estratégias voltadas para a Formação integral do atleta 1 ? QUAIS SÃO AS ESTRATÉGIAS Ações na preparação a longo prazo 2 Fábrica? Usina? Indústria? MEDALHA OLÍMPICA? VOU SER CAMPEÃO?

Leia mais

EFEITO DO TREINAMENTO DE FORÇA NO DESEMPENHO DA FORÇA MÁXIMA DE PRATICANTES DA MODALIDADE DE MUSCULAÇÃO

EFEITO DO TREINAMENTO DE FORÇA NO DESEMPENHO DA FORÇA MÁXIMA DE PRATICANTES DA MODALIDADE DE MUSCULAÇÃO EFEITO DO TREINAMENTO DE FORÇA NO DESEMPENHO DA FORÇA MÁXIMA DE PRATICANTES DA MODALIDADE DE MUSCULAÇÃO Andrey Portela 1, Arnaldo Guilherme Borgo 2 1 UNIGUAÇU; 2 Licenciado em Educação Física e Esportes.

Leia mais

AVALIAÇÃO DA IDADE BIOLÓGICA E PERÍODOS SENSÍVEIS COMO FATOR DE INFLUÊNCIA NA PREPARAÇÃO FÍSICA DE ATLETAS DE FUTEBOL JUVENIS E INFANTIS

AVALIAÇÃO DA IDADE BIOLÓGICA E PERÍODOS SENSÍVEIS COMO FATOR DE INFLUÊNCIA NA PREPARAÇÃO FÍSICA DE ATLETAS DE FUTEBOL JUVENIS E INFANTIS AVALIAÇÃO DA IDADE BIOLÓGICA E PERÍODOS SENSÍVEIS COMO FATOR DE INFLUÊNCIA NA PREPARAÇÃO FÍSICA DE ATLETAS DE FUTEBOL JUVENIS E INFANTIS ANA CLÁUDIA GATZKE DE MELLO STÉFANE BELONI CORREA DIELLE DIAS FACULDADE

Leia mais

CURRÍCULO DO ATLETA DADOS PESSOAIS: Nome: Felipe Borges da Silva. Nome Esportivo: Felipe. Nasc.: 16/11/1994. Embarcação: Canoa Masculino C-1 - C-2

CURRÍCULO DO ATLETA DADOS PESSOAIS: Nome: Felipe Borges da Silva. Nome Esportivo: Felipe. Nasc.: 16/11/1994. Embarcação: Canoa Masculino C-1 - C-2 CURRÍCULO DO ATLETA DADOS PESSOAIS: Nome: Felipe Borges da Silva Nome Esportivo: Felipe Nasc.: 16/11/1994 Embarcação: Canoa Masculino C-1 - C-2 Naturalidade: Foz do Iguaçu-PR Estado Civil: Solteiro E-mail/msn:

Leia mais