COMPOSIÇÃO CORPORAL E SOMATÓTIPO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMPOSIÇÃO CORPORAL E SOMATÓTIPO"

Transcrição

1 PONTO DE VISTA INTRODUÇÃO COMPOSIÇÃO CORPORAL E SOMATÓTIPO Nelson Kautzner Marques Junior As tabelas de altura e peso eram usadas para se conhecer a gordura corporal do indivíduo (MARINS e GIANNICHI, 1998; McARDLE, et al., 1992); contudo, a partir dos anos 40 ocorreram as primeiras descobertas significativas sobre a gordura corporal. O médico da marinha americana Albert Behnke identificou, em 17 jogadores de futebol americano considerados com excesso de peso, ou seja, inaptos para o serviço militar (Behnke, 1942, citado por McARDLE et al., 1992), que na composição corporal predominava a hipertrofia muscular (McARDLE et al., 1992). Atualmente existem diversos métodos indiretos para avaliar a composição corporal (FARINATTI e MONTEIRO, 1992). A somatotipia é uma das disciplinas da antropometria. Para Sodhi (1980) e Thorland et al. (1981), citados por FOX et al. (1991), ela serve para relacionar o tipo corporal com o sucesso no desporto (Mínima alteração, p. 396). De acordo com as características físicas da pessoa, seu somatótipo pode apresentar os três componentes dominantes, dois ou um, e os demais em menor quantidade (MARINS e GIANNICHI, 1998). Na etapa 2 o leitor vai entender a diferença entre somatótipo e composição corporal, e o momento de usar uma ou as duas disciplinas da antropometria. 1. QUAL AVALIAÇÃO É MAIS ADEQUADA PARA COMPOSIÇÃO CORPORAL: PESAGEM HIDROSTÁTICA OU MEDIDA DAS DOBRAS CUTÂNEAS As avaliações indiretas da composição corporal, analisadas neste capítulo, são a pesagem hidrostática e a medida das dobras cutâneas. Inicialmente será descrita a pesagem hidrostática; a seguir, o leitor terá as mesmas informações sobre a medida das dobras cutâneas. Especialista em Fisiologia do Exercício e Avaliação Morfofuncional - UG - RJ. R. Min. Educ. Fís., Viçosa, v. 11, n. 2, p ,

2 A pesagem hidrostática ou subaquática é uma técnica laboratorial (POLLOCK e WILMORE, 1993) que determina a densidade corporal real (GUEDES e SAMPEDRO, 1985). A água deve estar numa temperatura entre 32 e 35 C, para o testado ter mais conforto no momento da medida (POLLOCK et al., 1993). Katch (1968), citado por POLLOCK et al. (1993), aconselha de 6 a 10 medidas para o resultado ser mais preciso. Behnke e Wilmore (1974), citados por POLLOCK et al. (1993), recomendam o seguinte método para a pesagem hidrostática real: (1) seleção do peso mais alto observado, caso este tenha sido obtido mais de uma vez; (2) se o critério 1 não for satisfeito, selecione o segundo peso mais elevado que tenha sido registrado mais de uma vez; (3) se os critérios 1 e 2 não forem satisfeitos, selecione a terceira medida mais elevada (p. 314). Após a pesagem hidrostática, coloque os valores na fórmula apresentada a seguir e saiba sua densidade corporal (Dc): Dc = peso fora da água (PF) (PF peso na água) (volume residual + 0, 100 ml de ar do trato gastrintestinal) densidade da água Em seguida, aplique o valor da Dc na equação de Siri (1961), citado por POLLOCK et al. (1993), e/ou Brozek et al. (1963), citados por POLLOCK et al. (1993), e saiba o seu percentual de gordura (%G). A seguir ambas são exibidas para o leitor: Siri (1961), citado por POLLOCK et al. (1993): %G = (495/Dc) 450 Brozek et al. (1963), citados por POLLOCK et al. (1993): %G = [ (4, 570/Dc) 4, 142] x 100 Segundo Clínicas Médicas da América do Norte (1989), citado por FARINATTI et al., (1992), a maioria dos métodos laboratoriais é de alto custo; entretanto, para FARINATTI et al. (1992), a medida das dobras cutâneas apresenta fácil disponibilidade do equipamento, facilidade de aplicação e baixo custo (p. 222). Ela prediz os valores da Dc (GUEDES e SAMPEDRO, 1985), e os procedimentos para fazer as medidas são os seguintes (FARINATTI et al., 1992): 76 R. Min. Educ. Fís., Viçosa, v. 11, n. 2, p , 2003

3 a) Todas as medidas devem ser feitas no lado direito. b) A dobra cutânea deve ser destacada com o polegar e o indicador, ambos da mão esquerda. c) O compasso entra perpendicular à dobra, e espera-se dois segundos para fazer a leitura. d) As dobras devem ser medidas três vezes, para se encontrar o valor da região corporal através da média. No entanto, se ocorrer, em uma das medidas, um valor de 5% superior ou inferior ao de outras dobras, o professor deverá fazer nova série de medidas. Imediatamente, o professor consulta a Tabela 1 e sabe o %G do atleta ou aluno (DINTIMAN et al., 1999). Tabela 1 Porcentagem de G com base na soma de quatro dobras cutâneas (tríceps, bíceps, subescapular e supra-ilíaca) do sexo masculino Soma da Dc (mm) %G masculino na idade de 17 a 29 anos 15 4, , , 5 Fonte: reduzido de DINTIMAN et al. (1999). No primeiro e no segundo parágrafo foram descritos os procedimentos das medidas da Dc e como achar o %G. A melhor estratégia para análise da composição corporal está de acordo com os objetivos do avaliado e o acesso ao material. A pesagem hidrostática é mais precisa para aferirmos a Dc, mas se adequa melhor à pesquisa, devido aos equipamentos caros e de difícil transporte, ao enorme tempo despendido na avaliação e à longa série de equações que o cientista tem que fazer. A medida das dobras cutâneas é pouco menos precisa no resultado da Dc, se comparada com a pesagem hidrostática, mas está de acordo com a realidade de trabalho da maioria dos professores de educação física. Por exemplo: um aluno de 28 anos acaba de se matricular em sua academia e tem o %G de 18%. Na avaliação funcional foi constatado que possui 83 kg e tem boa composição corporal, porém deseja ficar com 80 kg, por motivos estéticos. Após os cálculos necessários, recomendamos ao cliente a perda de 3% do %G para atingir o peso ideal. A medida foi das dobras cutâneas por causa do tempo comercial da avaliação funcional em academia (30 minutos), do custo reduzido e da boa precisão nos resultados. R. Min. Educ. Fís., Viçosa, v. 11, n. 2, p ,

4 2. DIFERENÇA ENTRE COMPOSIÇÃO CORPORAL E SOMATÓTIPO E O MOMENTO DE USAR ESSAS DISCIPLINAS NA AVALIAÇÃO FUNCIONAL A composição corporal é constituída principalmente por músculos, gordura e ossos (McARDLE et al., 1992). Matiegka (1922), citado por FARINATTI et al. (1992), inclui mais um componente os resíduos e considera as estruturas formadas pelos órgãos internos, pele, sangue etc (...) (p. 220). Na Figura 1, BULGAKOVA (2000) apresenta a característica da composição corporal de nadadores de alto nível. Figura 1 Composição corporal de nadadores de alto nível (BULGAKOVA, 2000). A composição corporal é recomendada para atletas e alunos na academia, no clube e no personal training; segundo MARINS et al. (1998), ela possibilita um maior controle da sessão. Mas, de que forma? Podemos aferir com boa precisão se o aluno ou atleta diminuiu o %G, ganhou hipertrofia ou aumentou a densidade óssea e indicar o peso ideal. Por meio das equações exibidas por FARINATTI et al. (1992), PETROSKI e PIRES-NETO (1995) e RODRIGUES (1990), podemos verificar as mudanças morfofuncionais afirmadas anteriormente: %G = (495/Dc) 450 PG = PA x %G/100 MCM = PA PG PI = MCM x 100/100 (%G desejado) O somatótipo é o meio pelo qual o professor pode determinar o tipo físico do indivíduo (VÍVOLO, 1998). De Rose (1973), citado por 78 R. Min. Educ. Fís., Viçosa, v. 11, n. 2, p , 2003

5 MARINS et al. (1998), ensina que o somatótipo de qualquer pessoa possui os seguintes componentes: endomorfia (magreza), mesomorfia (muscularidade) e ectomorfia (gordura). FOX et al. (1991) lembram que os professores de educação física manifestam um grande interesse na somatotipagem como meio de relacionar o tipo corporal com o sucesso em vários desportos (p. 396). BULGAKOVA (2000) apresenta na Figura 2 o somatótipo de nadadores de alto nível. Figura 2 Somatótipo dos nadadores de alto nível (mínima modificação na nomenclatura das provas dos nadadores de BULGAKOVA, 2000). FRANCHINE et al. (1998) determinam, na Figura 3, o somatótipo de atletas juvenis (15 a 17 anos) e adultos (acima de 18 anos de idade) de judô. Figura 3 Somatótipo de judocas juvenis e adultos de diferentes categorias (FRANCHINE et al., 1998). R. Min. Educ. Fís., Viçosa, v. 11, n. 2, p ,

6 Ainda é ensinado, conforme discussão do artigo original de FRANCHINE et al. (1998), que o somatótipo influencia o ritmo das lutas e a vantagem biomecânica do golpe aplicado pelo atleta, e as explicações são as seguintes: Araújo et al. (1978), citados por FRANCHINE et al. (1998), afirmam que lutas entre atletas com maior endomorfia tendem a ter um ritmo mais lento e com maior decisão de lutas no solo, e que técnicas como soto-makikomi tendem a ser bastante eficientes neste grupo, uma vez que o judoca se utiliza de sua massa corporal para arremessar o adversário (técnica de sacrifício sute-waza). Análise semelhante pode ser feita com relação aos outros componentes, [...] atletas com membros inferiores longos e mais ectomorfos apresentam maior facilidade mecânica para executar técnicas de perna (ashi-waza), como o ô-sotogari e sassal-tsuri-komi-ashi, por exemplo (Santos et al., 1993, citados por FRANCHINE et al., 1998). Portanto, a constatação do grande desenvolvimento ou predominância de um dos componentes do somatótipo pode auxiliar os técnicos e treinadores a adequar as técnicas à estrutura corporal do atleta (p. 33). É desnecessária a aplicação prática do somatótipo em nãoatletas, porque esta disciplina da antropometria determina o tipo físico adequado à performance, e pessoas comuns não estão interessadas nesses objetivos. Referências Bibliográficas BULGAKOVA, N. J. Natação: seleção de talentos e treinamento a longo prazo. Rio de Janeiro: Grupo Palestra Sport, p. 22 e 23, DINTIMAN, G. B.; WARD, R. D.; TELLEZ, T.; CONTRIBUIÇÃO de SEARS, B. Velocidade nos esportes. 2. ed. São Paulo: Manole, p FARINATTI, P. T.; MONTEIRO, W. D. Fisiologia e avaliação funcional. 2. ed. Rio de Janeiro: Sprint, p FRANCHINE, E.; TAKITO, M. Y.; KISS, M. A. P. D. M. Somatótipo de atletas de judô de 15 a 17 anos e acima de 18 anos de idade de diferentes categorias. Revista da Associação dos Professores de Educação Física de Londrina, v. 13, n. 1, p , R. Min. Educ. Fís., Viçosa, v. 11, n. 2, p , 2003

7 FOX, E. L.; BOWERS, R. W.; FOSS, M. L. Bases fisiológicas da educação física e dos desportos. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, p GUEDES, D. P.; SAMPEDRO, R. M. Tentativa de validação de equações para predição dos valores de densidade corporal com base nas espessuras de dobras cutâneas em universitários. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 6, n. 3, p. 183, MARINS, J. C. B.; GIANNICHI, R. S. Avaliação e prescrição de atividade física: guia prático. 2. ed. Rio de Janeiro: Shape, p. 43, McARDLE, W. D.; KATCH, F. I.; KATCH, V. L. Fisiologia do exercício: energia, nutrição e desempenho humano. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, p. 387, PETROSKI, E. L.; PIRES-NETO, C. S. Validação de equações antropométricas para a estimativa da densidade corporal em mulheres. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde, v.1, n. 2, p. 67, POLLOCK, M. L.; WILMORE, J. H. Exercícios na saúde e na doença: avaliação e prescrição para prevenção e reabilitação. 2. ed. Rio de Janeiro: Medsi, p RODRIGUES, C. E. C. Musculação na academia. 2. ed. Rio de Janeiro: Sprint, p VÍVOLO, M. A. Somatótipo de Heath-Carter. In: MATSUDO (Ed.) Testes em Ciências do Esporte. 6. ed. São Caetano do Sul: CELAFISC, p R. Min. Educ. Fís., Viçosa, v. 11, n. 2, p ,

Composição corporal de judocas: aspectos relacionados ao desempenho

Composição corporal de judocas: aspectos relacionados ao desempenho Composição corporal de judocas: aspectos relacionados ao desempenho Edmar; L. Mendes, Sabrina; P. Fabrini, Ciro; J. Brito, João; Carlos B. Marins LAPEH Lab. de Performance Humana UNIVERSIDADE FEDERAL DE

Leia mais

Avaliação da Composição Corporal. Profª Tatianne Estrela

Avaliação da Composição Corporal. Profª Tatianne Estrela Avaliação da Composição Corporal Profª Tatianne Estrela Constituição, Tamanho e Composição Corporais Constituição: Muscularidade; Linearidade; Gordura. Tamanho: Estatura; Massa. Constituição, Tamanho e

Leia mais

ANTROPOMETRIA PROCESSAMENTO DOS DADOS

ANTROPOMETRIA PROCESSAMENTO DOS DADOS PROCESSAMENTO DOS DADOS Reunião Locomotion 25/03/2013 Jorge Storniolo Henrique Bianchi Método duplamente indireto Validado a partir de um método indireto; Densimetria; Aplicáveis para grandes amostras;

Leia mais

A INFLUÊNCIA DE UMA AULA DE NATAÇÃO NAS MEDIDAS DAS DOBRAS CUTÂNEAS

A INFLUÊNCIA DE UMA AULA DE NATAÇÃO NAS MEDIDAS DAS DOBRAS CUTÂNEAS A INFLUÊNCIA DE UMA AULA DE NATAÇÃO NAS MEDIDAS DAS DOBRAS CUTÂNEAS MARCELO TEIXEIRA DE ANDRADE 1, KELERSON MAURO DE CASTRO PINTO 2. Centro Universitário de Belo Horizonte UNI-BH, Departamento de Ciências

Leia mais

Avaliação da Composição Corporal

Avaliação da Composição Corporal Medidas e Avaliação da Atividade Motora COMPOSIÇÃO CORPORAL Refere-se às quantidades dos diversos tecidos que constituem o corpo Avaliação da Composição Corporal Mediante diversas técnicas EEFEUSP - 2017

Leia mais

Avaliação da Composição Corporal: Uma importante ferramenta no controle do treino. Me. Ruy Calheiros

Avaliação da Composição Corporal: Uma importante ferramenta no controle do treino. Me. Ruy Calheiros Avaliação da Composição Corporal: Uma importante ferramenta no controle do treino Me. Ruy Calheiros Me. Ruy Calheiros (CREF: 003552-G/SP) Graduado em Educação Física (UNISA), Pós graduado em Treinamento

Leia mais

Estudo comparativo de métodos de mensuração de percentual de gordura corporal através de dobras cutâneas e circunferência corporal

Estudo comparativo de métodos de mensuração de percentual de gordura corporal através de dobras cutâneas e circunferência corporal Estudo comparativo de métodos de mensuração de percentual de gordura corporal através de dobras cutâneas e circunferência corporal Autor: Fiorini, D. G. Co Autor: Fiedler, A. C. Universidade de Guarulhos,

Leia mais

Cassio Nobre - Personal trainner e Consultori

Cassio Nobre - Personal trainner e Consultori Cassio Nobre - Personal trainner e Consultori cassiosantan@hotmail.com Dados da Avaliação Nome: Ricardo Chagas Rodrigues Idade: 62 Anos Data: 31/01/2017-11:52 Email: ricrodrigues@uol.com.br Etnia: Branco

Leia mais

VARIAÇÃO DO CÁLCULO DO PERCENTUAL DE GORDURA CORPORAL A PARTIR DE DIFERENTES EQUAÇÕES DE PREDIÇÃO Humberto Cavalcante Joca 1 Patrick Simão Carlos 2 Rogério Feitosa Rodrigues 3 André Accioly Nogueira Machado

Leia mais

PERCENTUAL DE GORDURA. Prof.Moisés Mendes

PERCENTUAL DE GORDURA. Prof.Moisés Mendes OPOMETRIA CINEANTRO PERCENTUAL DE GORDURA Prof.Moisés Mendes I. Método Direto Dissecação de Cadáveres. II. Método Indireto Pesagem Hidrostática; DXA. MÉTODOS III. Método Duplamente Indireto Antropometria;

Leia mais

FIEP BULLETIN - Volume 82 - Special Edition - ARTICLE I (http://www.fiepbulletin.net)

FIEP BULLETIN - Volume 82 - Special Edition - ARTICLE I (http://www.fiepbulletin.net) CORRELAÇÃO ENTRE O ÍNDICE DE ADIPOSIDADE CORPORAL, ÍNDICE DE MASSA CORPORAL E ESTIMATIVA DE ADIPOSIDADE CORPORAL POR MEIO DE DE DOBRAS CUTÂNEAS EM DIFERENTES FAIXAS ETÁRIAS RAFAEL MACEDO SULINO HENRIQUE

Leia mais

PERFIL DERMATOGLÍFICO E SOMATOTÍPICO EM ATLETAS NADADORES DE 8 A 12 ANOS

PERFIL DERMATOGLÍFICO E SOMATOTÍPICO EM ATLETAS NADADORES DE 8 A 12 ANOS PERFIL DERMATOGLÍFICO E SOMATOTÍPICO EM ATLETAS NADADORES DE 8 A 12 ANOS HUCH, T. P.; BRASILINO, F. F.; MORALES, P. J. C.; PINHEIRO, L.C. Depto. de Educação Física Universidade da Região de Joinville Joinville/SC/Brasil

Leia mais

A APTIDÃO CARDIORRESPIRATÓRA DE PRATICANTES DE AULAS DE JUMP E RITMOS DE UM MUNICÍPIO DO LITORAL DO RS

A APTIDÃO CARDIORRESPIRATÓRA DE PRATICANTES DE AULAS DE JUMP E RITMOS DE UM MUNICÍPIO DO LITORAL DO RS ISSN 1678-1740 http://ulbratorres.com.br/revista/ Torres, Vol. I - Novembro, 2016 Submetido em: Jul/Ago/Set, 2016 Aceito em: Out/2016 A APTIDÃO CARDIORRESPIRATÓRA DE PRATICANTES DE AULAS DE JUMP E RITMOS

Leia mais

V Encontro de Pesquisa em Educação Física EFEITOS DE UM PROGRAMA DE TREINAMENTO SOBRE OS COMPONENTES DE APTIDÃO FÍSICA EM ATLETAS DE FUTEBOL DE CAMPO

V Encontro de Pesquisa em Educação Física EFEITOS DE UM PROGRAMA DE TREINAMENTO SOBRE OS COMPONENTES DE APTIDÃO FÍSICA EM ATLETAS DE FUTEBOL DE CAMPO ESTUDOS E REFLEXÕES V 5 - Nº 9 PÁGS. 159 A 164 V Encontro de Pesquisa em Educação Física 2ª ª Parte ARTIGO ORIGINAL EFEITOS DE UM PROGRAMA DE TREINAMENTO SOBRE OS COMPONENTES DE APTIDÃO FÍSICA EM ATLETAS

Leia mais

Dados da Avaliação. Objetivos. Protocolo de Imagem Corporal Marins e Marins (2010) Foto Auto-Imagem Objetivo. Exame de Sangue. Posturais - Anterior

Dados da Avaliação. Objetivos. Protocolo de Imagem Corporal Marins e Marins (2010) Foto Auto-Imagem Objetivo. Exame de Sangue. Posturais - Anterior Data: Avaliador: Avaliado: 07/03/2013 Flávio Modelo Bem Vindo ao AVAESPORTE! Esporte Sistemas Incubadora de Empresas UFV (31)3892-5117 31-9332-3136 contato@esportesistemas.com.br www.esportesistemas.com.br

Leia mais

Apostila de Avaliação Nutricional NUT/UFS 2010 CAPÍTULO 3 AVALIAÇÃO NUTRICIONAL ADULTOS

Apostila de Avaliação Nutricional NUT/UFS 2010 CAPÍTULO 3 AVALIAÇÃO NUTRICIONAL ADULTOS CAPÍTULO 3 AVALIAÇÃO NUTRICIONAL EM ADULTOS AVALIAÇÃO NUTRICIONAL EM ADULTOS A avaliação antropométrica em adultos envolve vários indicadores. A escolha do indicador dependerá do que se quer avaliar e

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA DISCIPLINA: FISIOLOGIA DO ESFORÇO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA DISCIPLINA: FISIOLOGIA DO ESFORÇO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA CÓDIGO: EDFFIE DISCIPLINA: FISIOLOGIA DO ESFORÇO PRÉ - REQUISITO: FISIOLOGIA GERAL CARGA HORÁRIA: 80 CRÉDITOS: 04

Leia mais

Estudo do Somatotipo em atletas de luta Greco Romana

Estudo do Somatotipo em atletas de luta Greco Romana Estudo do Somatotipo em atletas de luta Greco Romana *André Lucena *Graciele Araujo Lima *Kharen Samara *Marcelo Da Silva Prazeres *Santiago Oliveira **Júlio César ***José Blanco Herrera Resumo O objetivo

Leia mais

Normas para o concurso de seleção de Bolsistas

Normas para o concurso de seleção de Bolsistas EEFD/ Normas para o concurso de seleção de Bolsistas 1. Concurso para seleção de até (05) bolsas integrais ou (10) meias bolsas. 2. Todos os candidatos podem fazer inscrição no concurso para bolsa mediante

Leia mais

Medidas e Avaliação da Atividade Motora

Medidas e Avaliação da Atividade Motora Escola de Educação Física e Esporte da USP Tema da aula: Conceitos Básicos Medidas e Avaliação da Atividade Motora Objetivos da aula: Conceituar: medida, teste, avaliação Compreender as etapas do processo

Leia mais

Por que devemos avaliar a força muscular?

Por que devemos avaliar a força muscular? Por que devemos avaliar a força muscular? Desequilíbrio Muscular; Déficit de força; Prescrição do Treinamento; Avaliação do treinamento. Prof. Alexandre C. Rocha Métodos Direto Indireto Vantagens X Desvantagens

Leia mais

O que você precisa saber antes de treinar seu novo cliente. P r o f ª M s. A n a C a r i n a N a l d i n o C a s s o u

O que você precisa saber antes de treinar seu novo cliente. P r o f ª M s. A n a C a r i n a N a l d i n o C a s s o u O que você precisa saber antes de treinar seu novo cliente P r o f ª M s. A n a C a r i n a N a l d i n o C a s s o u O que poderia melhorar no meu trabalho atual como Treinadora Pessoal para prestar um

Leia mais

POPAF (Projeto Operacional Padrão da Avaliação Física)

POPAF (Projeto Operacional Padrão da Avaliação Física) POPAF (Projeto Operacional Padrão da Avaliação Física) Objetivo Alcançar a padronização do atendimento operacional e funcional do início ao fim da avaliação física, com o intuito de manter o padrão de

Leia mais

AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ATLETAS DE NATAÇÃO BRASILEIROS DE ALTO NÍVEL

AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ATLETAS DE NATAÇÃO BRASILEIROS DE ALTO NÍVEL AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ATLETAS DE NATAÇÃO BRASILEIROS DE ALTO NÍVEL Emanuelle Sarkis Cioli 1 ; Danielle Bernardes-Amorim 2, 3, Arthur Paiva Neto 4,5 1 PIBIC/UNIVÁS; 2 UNIVÁS; 3, 5 UNINCOR;

Leia mais

PAULO ALBERTO PORTO DA SILVA 3 4 RONYKARTHER RODRIGUES PEREIRA 2 ANDERSON AZEVEDO URBANCG 2

PAULO ALBERTO PORTO DA SILVA 3 4 RONYKARTHER RODRIGUES PEREIRA 2 ANDERSON AZEVEDO URBANCG 2 CARACTERÍSTICAS SOMATOTIPOLÓGICAS E DE COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ALUNOS DO CENTRO DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS DA MARINHA (ESCOLA NAVAL). UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE OS ANOS DE FORMAÇÃO. PAULO ALBERTO PORTO DA

Leia mais

Medidas Somáticas das Tenistas NOVEMBRO DE 2009

Medidas Somáticas das Tenistas NOVEMBRO DE 2009 Medidas Somáticas das Tenistas das Selecções Regionais ATPorto NOVEMBRO DE 2009 Contributos A ATPorto gostaria de agradecer individualmente aos seguintes intervenientes que permitiram a elaboração deste

Leia mais

LEONARDO DA SILVA REIS

LEONARDO DA SILVA REIS LEONARDO DA SILVA REIS ESTIMATIVA E COMPARAÇÃO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL ATRAVÉS DOS MÉTODOS DE BIOIMPEDANCIA E COMPASSO DE DOBRAS CUTÂNEAS EM ATLETAS DE FUTEBOL DE CAMPO DA UNIVERSIDADE CATOLICA DE BRASILIA.

Leia mais

Revista Brasileira de Futsal e Futebol ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Futsal e Futebol ISSN versão eletrônica 190 COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ATLETAS DO FUTEBOL DE DIFERENTES CATEGORIAS Marcos Maurício Serra 1, Fabio Henrique Ornellas 2, Francisco Navarro 3 RESUMO Introdução: O desempenho esportivo é dependente de

Leia mais

Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. ISSN versão eletrônica 399 EXERCICIO RESISTIDO COM PESOS NA REDUÇÃO DE GORDURA CORPORAL EM PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO DO MUNICÍPIO DE CACOAL/RO Renam Natel Cuenca 1, Kleber Farinazo Borges 2, Mario Sergio Vaz da Silva 3, Rafael

Leia mais

Pregas cutâneas x impedância bioelétrica: mensuração da composição corporal

Pregas cutâneas x impedância bioelétrica: mensuração da composição corporal Pregas cutâneas x impedância bioelétrica: mensuração da composição corporal Docente dos cursos de Educacao Fisica e Fisioterapia da Universidade Paranaense UNIPAR (Brasil) Robson Ruiz Olivoto robsonolivoto@unipar.br

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE AVALIAÇÕES FÍSICAS PARA DIAGNÓSTICO DE SAÚDE DOS SERVIDORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ

UTILIZAÇÃO DE AVALIAÇÕES FÍSICAS PARA DIAGNÓSTICO DE SAÚDE DOS SERVIDORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ UTILIZAÇÃO DE AVALIAÇÕES FÍSICAS PARA DIAGNÓSTICO DE SAÚDE DOS SERVIDORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ RAFAEL DE PAIVA PEREIRA THIERS VIEIRA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ, ITAJUBÁ MINAS GERAIS

Leia mais

Pró-Reitoria de Graduação Curso de Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso ESTUDO DO SOMATOTIPO EM CRIANÇAS QUE PRATICAM FUTSAL

Pró-Reitoria de Graduação Curso de Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso ESTUDO DO SOMATOTIPO EM CRIANÇAS QUE PRATICAM FUTSAL Pró-Reitoria de Graduação Curso de Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso ESTUDO DO SOMATOTIPO EM CRIANÇAS QUE PRATICAM FUTSAL Autor: Wagner de Jesus Santana Orientadora: Prof. Dr. José Juan Blanco

Leia mais

PERFIL ANTROPOMETRICO E SOMATÓTIPO DA SELEÇÃO BRASILEIRA DE VOLEIBOL FEMININA CATEGORIA SUB 20 CAMPEÃ MUNDIAL DE

PERFIL ANTROPOMETRICO E SOMATÓTIPO DA SELEÇÃO BRASILEIRA DE VOLEIBOL FEMININA CATEGORIA SUB 20 CAMPEÃ MUNDIAL DE PERFIL ANTROPOMETRICO E SOMATÓTIPO DA SELEÇÃO BRASILEIRA DE VOLEIBOL FEMININA CATEGORIA SUB 20 CAMPEÃ MUNDIAL DE 2005 Antônio Rizola Neto (1) Cristino Julio Alves da Silva Matias (2) Pablo Juan Greco (2)

Leia mais

COMPOSIÇÃO CORPORAL DE JOVENS ESTUDANTES

COMPOSIÇÃO CORPORAL DE JOVENS ESTUDANTES COMPOSIÇÃO CORPORAL DE JOVENS ESTUDANTES Vivian Mendes de Souza /UFGD Aline Rodrigues Guedes da Silva/UFGD Wallisson Lucas dos Santos Farias /UFGD Dra. Josiane Fujisawa Filus de Freitas /UFGD Dr. Gustavo

Leia mais

Minha Saúde Análise Detalhada

Minha Saúde Análise Detalhada MODELO DE RELATÓRIO / Identificação de cliente: 1980M32 Data: 07/03/2016 Seu Peso = 79,0 kg Minha Saúde Análise Detalhada Seu peso está na categoria: Saudável sua altura é 180 cm, você tem 35 anos de idade

Leia mais

CONEXÃO FAMETRO: ÉTICA, CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE XII SEMANA ACADÊMICA ISSN:

CONEXÃO FAMETRO: ÉTICA, CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE XII SEMANA ACADÊMICA ISSN: CONEXÃO FAMETRO: ÉTICA, CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE XII SEMANA ACADÊMICA ISSN: 2357-8645 MANUAL DE AVALIAÇÃO ANTROPOMÉTRICA DE ADULTOS PARA ESTUDANTES DE NUTRIÇÃO Sônia Maria Ximenes Gomes Lilian Vasconcelos

Leia mais

COMPARAÇÃO ENTRE A CLASSIFICAÇÃO DO ÍNDICE DE MASSA CORPORAL E DA QUANTIDADE DE GORDURA CORPORAL

COMPARAÇÃO ENTRE A CLASSIFICAÇÃO DO ÍNDICE DE MASSA CORPORAL E DA QUANTIDADE DE GORDURA CORPORAL 30 COMPARAÇÃO ENTRE A CLASSIFICAÇÃO DO ÍNDICE DE MASSA CORPORAL E DA QUANTIDADE DE GORDURA CORPORAL RESUMO Prof. Ricardo Carreira Rivas 1 ; Prof. Dr. Orival Andries Junior 2 O sobrepeso e a obesidade têm

Leia mais

Ergonomia Fisiologia do Trabalho. Fisiologia do Trabalho. Coração. Módulo: Fisiologia do trabalho. Sistema circulatório > 03 componentes

Ergonomia Fisiologia do Trabalho. Fisiologia do Trabalho. Coração. Módulo: Fisiologia do trabalho. Sistema circulatório > 03 componentes Bioenergética Ergonomia 2007 Módulo: Fisiologia do trabalho Aspectos cardiovasculares Medidas do custo energético do trabalho pelo consumo de O2 Correlação VO2 x FC Estimativa da carga de trabalho com

Leia mais

SOMATOTIPO DE ATLETAS BRASILEIROS DO CAMPEONATO SULAMERICANO JUVENIL DE ESPORTES AQUÁTICOS (CSJDA) DE 2003 *

SOMATOTIPO DE ATLETAS BRASILEIROS DO CAMPEONATO SULAMERICANO JUVENIL DE ESPORTES AQUÁTICOS (CSJDA) DE 2003 * SOMATOTIPO DE ATLETAS BRASILEIROS DO CAMPEONATO SULAMERICANO JUVENIL DE ESPORTES AQUÁTICOS (CSJDA) DE 2003 * SOUSA, Mª do Socorro Cirilo de 1 NASCIMENTO, João Agnaldo 2 RESUMO O objetivo deste estudo é

Leia mais

Curso: Nutrição. Disciplina: Avaliação Nutricional Professora: Esp. Keilla Cardoso Outubro/2016

Curso: Nutrição. Disciplina: Avaliação Nutricional Professora: Esp. Keilla Cardoso Outubro/2016 Curso: Nutrição Disciplina: Avaliação Nutricional Professora: Esp. Keilla Cardoso Outubro/2016 ANTROPOMETRIA CIRCUNFERÊNCIAS CIRCUNFERÊNCIAS Finalidade das Medidas de Circunferências Podem representar:

Leia mais

Efeitos da prática de exercício anaeróbio na composição corporal

Efeitos da prática de exercício anaeróbio na composição corporal Efeitos da prática de exercício anaeróbio na composição corporal Resumo Autor: Leandro Joaquim da Silva Professora Orientadora: Ms. Morgana Rejane Rabelo Rosa Centro Universitário Anhanguera - Câmpus Leme

Leia mais

Composição Corporal por Ultrassom

Composição Corporal por Ultrassom Composição Corporal por Ultrassom 2 3 Ultrassom e Composição Corporal Utilizado há mais de 55 anos para mensurar gordura em seres humanos 4 Ultrassom e Composição Corporal Utilizado há mais de 55 anos

Leia mais

BIOENERGÉTICA. O que é Bioenergética? ENERGIA. Trabalho Biológico

BIOENERGÉTICA. O que é Bioenergética? ENERGIA. Trabalho Biológico O que é Bioenergética? BIOENERGÉTICA Ramo da biologia próximo da bioquímica que estuda as transformações de energia pelos seres vivos. (dicionário Houaiss) Prof. Mauro Batista Parte da fisiologia que estuda

Leia mais

IMC DOS ALUNOS DO 4º PERÍODO DO CURSO TÉCNICO EM ALIMENTOS DO INSTITUTO FEDERAL DE GOIÁS CAMPI/INHUMAS.

IMC DOS ALUNOS DO 4º PERÍODO DO CURSO TÉCNICO EM ALIMENTOS DO INSTITUTO FEDERAL DE GOIÁS CAMPI/INHUMAS. IMC DOS ALUNOS DO 4º PERÍODO DO CURSO TÉCNICO EM ALIMENTOS DO INSTITUTO FEDERAL DE GOIÁS CAMPI/INHUMAS. MÁXIMO, Jefferson Jorcelino 1 Introdução: O índice de massa corpórea IMC é uma medida simples do

Leia mais

Cidade: Ponta Grossa (para todos os Alunos com pretensões para desempenhar a função de árbitro, independente da cidade em que realizou o curso).

Cidade: Ponta Grossa (para todos os Alunos com pretensões para desempenhar a função de árbitro, independente da cidade em que realizou o curso). Caro Sr(a) alunos do Curso de Formação de Oficiais de Arbitragem de Futsal, estamos nos dirigindo a VSrª, para convocá-lo a participar de mais uma etapa componente do processo geral. Nesta etapa, como

Leia mais

AVALIAÇÃO ANTROPOMÉTRICA E A SOMATOTIPIA DE ATLETAS DE FUTSAL DO GÊNERO FEMININO DA CIDADE DE CAMPOS DOS GOYTACAZES NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

AVALIAÇÃO ANTROPOMÉTRICA E A SOMATOTIPIA DE ATLETAS DE FUTSAL DO GÊNERO FEMININO DA CIDADE DE CAMPOS DOS GOYTACAZES NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO AVALIAÇÃO ANTROPOMÉTRICA E A SOMATOTIPIA DE ATLETAS DE FUTSAL DO GÊNERO FEMININO DA CIDADE DE CAMPOS DOS GOYTACAZES NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Gualter Larry Alves Filho, Lucas Boechat Borges Paixão, Thaís

Leia mais

Revista Brasileira de Futsal e Futebol ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Futsal e Futebol ISSN versão eletrônica 3 AVALIAÇÃO ANTROPOMÉTRICA DE JOGADORAS DE FLAG FOOTBALL POR DIFERENTES PROTOCOLOS DUPLAMENTE INDIRETOS Tatiane Medeiro Lima 1 Antônio Costa Carneiro 1 Tânia Rodrigues 2 Ana Beatriz Barrella 2 Nadine Marques

Leia mais

PERFIL MORFO-ANTROPOMÉTRICO DE ATLETAS MASCULINOS VELOCISTAS E SALTADORES DOS PROJETOS DE ATLETISMO DA UNIVERSIDADE DE FORTALEZA

PERFIL MORFO-ANTROPOMÉTRICO DE ATLETAS MASCULINOS VELOCISTAS E SALTADORES DOS PROJETOS DE ATLETISMO DA UNIVERSIDADE DE FORTALEZA Recebido em: 3/3/2010 Emitido parece em: 15/3/2010 Artigo original PERFIL MORFO-ANTROPOMÉTRICO DE ATLETAS MASCULINOS VELOCISTAS E SALTADORES DOS PROJETOS DE ATLETISMO DA UNIVERSIDADE DE FORTALEZA Anderson

Leia mais

VARIÁVEIS ANTROPOMÉTRICAS E TIPOLOGIA SOMATOTÍPICA EM ATLETAS DE CULTURISMO DO ESTADO DA PARAÍBA

VARIÁVEIS ANTROPOMÉTRICAS E TIPOLOGIA SOMATOTÍPICA EM ATLETAS DE CULTURISMO DO ESTADO DA PARAÍBA VARIÁVEIS ANTROPOMÉTRICAS E TIPOLOGIA SOMATOTÍPICA EM ATLETAS DE CULTURISMO DO ESTADO DA PARAÍBA Kátia Virginia Feitosa 1, Luciano Meireles de Pontes 1, Maria do Socorro Cirilo de Sousa 1, Enéas Ricardo

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE QUATRO DIFERENTES PROTOCOLOS PARA A ESTIMATIVA DO PERCENTUAL DE GORDURA DE JOGADORES DE FUTEBOL DA CATEGORIA JUVENIL

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE QUATRO DIFERENTES PROTOCOLOS PARA A ESTIMATIVA DO PERCENTUAL DE GORDURA DE JOGADORES DE FUTEBOL DA CATEGORIA JUVENIL Recebido em: 28/02/2009 Emitido parece em: 17/03/2009 Artigo original ESTUDO COMPARATIVO ENTRE QUATRO DIFERENTES PROTOCOLOS PARA A ESTIMATIVA DO PERCENTUAL DE GORDURA DE JOGADORES DE FUTEBOL DA CATEGORIA

Leia mais

Avaliação da Composição Corporal. Avaliação da Composição Corporal. Avaliação da Composição Corporal. Avaliação da Composição Corporal

Avaliação da Composição Corporal. Avaliação da Composição Corporal. Avaliação da Composição Corporal. Avaliação da Composição Corporal Avaliação da Composição Corporal Avaliação da Composição Corporal A análise da composição corporal é a quantificação dos principais componentes estruturais do corpo humano. O tamanho e a forma corporais

Leia mais

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício ISSN versão eletrônica CARACTERÍSTICAS ANTROPOMÉTRICAS E BIOTIPOLÓGICAS DE UMA ETNIA INDÍGENA DA AMAZÔNIA LEGAL - RONDÔNIA 722 César Ricardo Lamp 1, Rafael Aires Romanholo 2 Cidia Vasconcellos 3 RESUMO Estudar aspectos morfológicos

Leia mais

19/08/2014 AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL: PRINCÍPIOS, MÉTODOS E APLICAÇÕES

19/08/2014 AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL: PRINCÍPIOS, MÉTODOS E APLICAÇÕES AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL: PRINCÍPIOS, MÉTODOS E APLICAÇÕES 1 FRACIONAMENTO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL (04 COMPONENTES) GORDURA CORPORAL MASSA ÓSSEA MASSA MUSCULAR RESÍDUOS FRACIONAMENTO DA COMPOSIÇÃO

Leia mais

Revista Digital - Buenos Aires - Año 11 - N Diciembre de 2006

Revista Digital - Buenos Aires - Año 11 - N Diciembre de 2006 Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Análise do comportamento da freqüência cardíaca durante testes de esforço máximo em diferentes ergômetros

Leia mais

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado plea Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado plea Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado plea Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 Componente Curricular: Fisiologia do Exercício Código: Fisio 112 Pré-requisito: Fisiologia Humana Período

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu Curso: Atividades Motoras para a Promoção da Saúde e Qualidade de Vida/ 2002/2003 Nome Aluno(a)

Leia mais

DERMATOGLIFIA, SOMATOTIPIA, FORÇA E MATURAÇÃO SEXUAL DOS ESCOLARES DO IFTO

DERMATOGLIFIA, SOMATOTIPIA, FORÇA E MATURAÇÃO SEXUAL DOS ESCOLARES DO IFTO DERMATOGLIFIA, SOMATOTIPIA, FORÇA E MATURAÇÃO SEXUAL DOS ESCOLARES DO IFTO INTRODUÇÃO RONANO PEREIRA OLIVEIRA Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Motricidade Humana Universidade Castelo

Leia mais

INFLUÊNCIA POSITIVA DO TREINAMENTO COM PESOS EM INDIVÍDUO DO SEXO FEMININO

INFLUÊNCIA POSITIVA DO TREINAMENTO COM PESOS EM INDIVÍDUO DO SEXO FEMININO INFLUÊNCIA POSITIVA DO TREINAMENTO COM PESOS EM INDIVÍDUO DO SEXO FEMININO David dos Santos Nascimento: Especialista em Fisiologia e Prescrição do Exercício Físico, professor da Faculdade Centro Mato-grossense

Leia mais

ESTUDO DO SOMATÓTIPO DE ADOLESCENTES DE CURSOS TÉCNICO INTEGRADO AO ENSINO MÉDIO EM UM MUNICÍPIO DE RONDÔNIA (BRASIL)

ESTUDO DO SOMATÓTIPO DE ADOLESCENTES DE CURSOS TÉCNICO INTEGRADO AO ENSINO MÉDIO EM UM MUNICÍPIO DE RONDÔNIA (BRASIL) ESTUDO DO SOMATÓTIPO DE ADOLESCENTES DE CURSOS TÉCNICO INTEGRADO AO ENSINO MÉDIO EM UM MUNICÍPIO DE RONDÔNIA (BRASIL) INTRODUÇÃO IRANIRA GEMINIANO DE MELO EDIVAN CARLOS DA CUNHA JUAREZ ALVES DAS NEVES

Leia mais

Baterias de testes para avaliação da Aptidão Física

Baterias de testes para avaliação da Aptidão Física Portal da Educação Física Referência em Educação Física na Internet Baterias de testes para avaliação da Aptidão Física Denomina-se bateria a um conjunto de testes cujos resultados possam ser analisados

Leia mais

ASPECTOS METODOLÓGICOS DO TREINAMENTO DE FORÇA NA MUSCULAÇÃO. PROFESSOR Ms PRODAMY DA SILVA PACHECO NETO

ASPECTOS METODOLÓGICOS DO TREINAMENTO DE FORÇA NA MUSCULAÇÃO. PROFESSOR Ms PRODAMY DA SILVA PACHECO NETO ASPECTOS METODOLÓGICOS DO TREINAMENTO DE FORÇA NA MUSCULAÇÃO PROFESSOR Ms PRODAMY DA SILVA PACHECO NETO PROFESSOR Ms PRODAMY DA SILVA PACHECO NETO Mestre em saúde coletiva Especialista em Fisiologia do

Leia mais

Instituto Superior de Educação Nair Forte Abu-Merhy Fundação Educacional de Além Paraíba

Instituto Superior de Educação Nair Forte Abu-Merhy Fundação Educacional de Além Paraíba Instituto Superior de Educação Nair Forte Abu-Merhy Fundação Educacional de Além Paraíba Medidas e Avaliação em Educação Física (Prof. Esp. Jorge Duarte) Unidade II: Avaliando a Composição Corporal 1.

Leia mais

TESTE DE ESFORÇO E CÁLCULOS DE AUXILIO PARA O PLANEJAMENTO E PRESCRIÇÀO DE EXERCICIOS FÍSICOS. Capacidade cardiorrespiratória

TESTE DE ESFORÇO E CÁLCULOS DE AUXILIO PARA O PLANEJAMENTO E PRESCRIÇÀO DE EXERCICIOS FÍSICOS. Capacidade cardiorrespiratória TESTE DE ESFORÇO E CÁLCULOS DE AUXILIO PARA O PLANEJAMENTO E PRESCRIÇÀO DE EXERCICIOS FÍSICOS Luiz Antônio Domingues Filho O treinamento aeróbio é um dos mais importantes componentes de um programa de

Leia mais

Explicação dos Testes & Cronograma das Avaliações para a Equipe de Voleibol Master. Street Volei / Barra Music

Explicação dos Testes & Cronograma das Avaliações para a Equipe de Voleibol Master. Street Volei / Barra Music Explicação dos Testes & Cronograma das Avaliações para a Equipe de Voleibol Master Street Volei / Barra Music Nelso Kautzner Marques Junior kautzner123456789junior@gmail.com 2016 2 Índice Introdução, 3

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO FÍSICA NA DIAGNOSE DO PERFIL FÍSICO DE MULHERES INICIANTES EM ACADEMIAS DE GINÁSTICA

A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO FÍSICA NA DIAGNOSE DO PERFIL FÍSICO DE MULHERES INICIANTES EM ACADEMIAS DE GINÁSTICA Artigo 1 A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO FÍSICA NA DIAGNOSE DO PERFIL FÍSICO DE MULHERES INICIANTES EM ACADEMIAS DE GINÁSTICA AUDREY S. ALVES Centro Universitário Augusto Motta MARCIO RODRIGUES BAPTISTA Universidade

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina EFI327 Musculação

Programa Analítico de Disciplina EFI327 Musculação 0 Programa Analítico de Disciplina EFI7 Musculação Departamento de Educação Física - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Número de créditos: Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 5 Carga horária

Leia mais

Movimentação Física e Prática de Esportes: Eu quero mas não consigo e se consigo, quero mais

Movimentação Física e Prática de Esportes: Eu quero mas não consigo e se consigo, quero mais Movimentação Física e Prática de Esportes: Eu quero mas não consigo e se consigo, quero mais Páblius Staduto Braga da Silva Medicina do Exercício e do Esporte Hospital Nove de Julho Coordenador Médico

Leia mais

Prof. Ms. Gerson Leite

Prof. Ms. Gerson Leite UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO LICENC. EM EDUCAÇÃO FÍSICA FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO Balanço energético, dispêndio de energia no repouso e no exercício. Balanço energético, dispêndio de energia no repouso e no

Leia mais

NUT-A80 -NUTRIÇÃO ESPORTIVA

NUT-A80 -NUTRIÇÃO ESPORTIVA NUT-A80 -NUTRIÇÃO ESPORTIVA Ementa Nutrição na atividade física: A atividade física na promoção da saúde e na prevenção e recuperação da doença. Bases da fisiologia do exercício e do metabolismo energético

Leia mais

Baterias de testes para avaliação da Aptidão Física

Baterias de testes para avaliação da Aptidão Física Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Baterias de testes para avaliação da Aptidão Física Teste de Aptidão Básica (Fleishman, 1964) 1. Teste

Leia mais

Portal da Educação Física Referência em Educação Física na Internet

Portal da Educação Física Referência em Educação Física na Internet Portal da Educação Física Referência em Educação Física na Internet AVALIAÇÃO DO VO2 MAX O cálculo do Vo2max possibilita aos atletas, qualquer que seja o seu nível ou idade, a obtenção de melhores resultados

Leia mais

AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ATLETAS DE NATAÇÃO CATEGORIA INFANTIL E JUVENIL FEMININA.

AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ATLETAS DE NATAÇÃO CATEGORIA INFANTIL E JUVENIL FEMININA. 20 AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ATLETAS DE NATAÇÃO CATEGORIA INFANTIL E JUVENIL FEMININA. RESUMO Alessandro de Oliveira 1 ; Arthur Paiva Neto 2 ; Daniel Veiga Domingues 3 Tendo em vista a importância

Leia mais

Balança Digital BEL - 00237

Balança Digital BEL - 00237 Balança Digital BEL - 00237 l l! Instrumento não submetido a aprovação de modelo/verifi cação. Não legal para uso no comércio. Não legal para prática médica. Conforme portaria INMETRO 236/94 Plebal Plenna

Leia mais

Professores: Roberto Calmon e Thiago Fernandes

Professores: Roberto Calmon e Thiago Fernandes Professores: Roberto Calmon e Thiago Fernandes Nesta aula iremos aprender sobre o conceito, as causas e as consequências da obesidade e a importância da atividade física para a prevenção e controle desta

Leia mais

Avaliação do VO²máx. Teste de Esforço Cardiorrespiratório. Avaliação da Função Cardíaca; Avaliação do Consumo Máximo de O²;

Avaliação do VO²máx. Teste de Esforço Cardiorrespiratório. Avaliação da Função Cardíaca; Avaliação do Consumo Máximo de O²; Teste de Esforço Cardiorrespiratório Avaliação da Função Cardíaca; Avaliação do Consumo Máximo de O²; Avaliação Cardiorrespiratória 1 Teste de Esforço Cardiorrespiratório Avaliação do Consumo Máximo de

Leia mais

Revista Brasileira de Futsal e Futebol. ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Futsal e Futebol. ISSN versão eletrônica 4 A INFLUÊNCIA DO TREINAMENTO DE FORÇA NA AVALIAÇÃO CORPORAL EM JOGADORES DE FUTEBOL DA CATEGORIA SUB - 20 Cristiano Regis Ostrowski 1,2, Francisco de Assis Alvarenga 1,2 Marcos Alves de Paula Junior 1,2,

Leia mais

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício ISSN versão eletrônica PERFIL ANTROPOMETRICO DE UMA EQUIPE DE NATAÇÃO DE CUIABÁ-MT 322 Rafael Bordini da Silva 1,2, Nina Gimenes M. V. Boura 1,2 RESUMO O objetivo deste estudo foi verificar o perfil antropométrico de atletas

Leia mais

ÍNDICE. CAPÍTULO 1: INTRODUÇÃO Introdução Pertinência do trabalho Objectivos e Hipóteses de Estudo...

ÍNDICE. CAPÍTULO 1: INTRODUÇÃO Introdução Pertinência do trabalho Objectivos e Hipóteses de Estudo... ÍNDICE CAPÍTULO 1: INTRODUÇÃO... 1 1.1. Introdução... 1 1.2. Pertinência do trabalho... 2 1.3. Objectivos e Hipóteses de Estudo... 2 CAPÍTULO 2: REVISÃO DA LITERATURA... 5 2.1. Obesidade Infantil... 5

Leia mais

Adaptações Metabólicas do Treinamento. Capítulo 6 Wilmore & Costill Fisiologia do Exercício e do Esporte

Adaptações Metabólicas do Treinamento. Capítulo 6 Wilmore & Costill Fisiologia do Exercício e do Esporte Adaptações Metabólicas do Treinamento Capítulo 6 Wilmore & Costill Fisiologia do Exercício e do Esporte Adaptações ao Treinamento Aeróbio Adaptações centrais e periféricas Realização do exercício submáximo

Leia mais

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício ISSN versão eletrônica CORRELAÇÃO ENTRE COMPOSIÇÃO CORPORAL, POTÊNCIA E AGILIDADE DAS JOGADORAS DE HANDEBOL DA CIDADE AMERICANA-SP 679 Giuliano Flint Peixoto 1 Luciane Santos da Silva 2 Andressa Mella 3 Bruno de Souza Vespasiano

Leia mais

PREVALÊNCIA DA OBESIDADE ABDOMINAL EM ADULTOS AVALIADOS NO LABORATÓRIO DE AVALIAÇÃO FÍSICA DA ACADEMIA DA UNI EVANGÉLICA

PREVALÊNCIA DA OBESIDADE ABDOMINAL EM ADULTOS AVALIADOS NO LABORATÓRIO DE AVALIAÇÃO FÍSICA DA ACADEMIA DA UNI EVANGÉLICA 1 PREVALÊNCIA DA OBESIDADE ABDOMINAL EM ADULTOS AVALIADOS NO LABORATÓRIO DE AVALIAÇÃO FÍSICA DA ACADEMIA DA UNI EVANGÉLICA Luiz Antônio da Trindade Silva - UniEVANGÉLICA Dra. Cristina Gomes de Oliveira

Leia mais

SERVICO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA

SERVICO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA Departamento: SERVICO PÚBLICO FEDERAL Educação Unidade: Faculdade de Educação Física Física Curso: BACHARELADO Grade Curricular 2012 Disciplina: PRÁTICAS CORPORAIS NO CAMPO DA SAÚDE Código: 9 Vigência:

Leia mais

Fisiologia do Esforço

Fisiologia do Esforço Fisiologia do Esforço Curso Desporto e BemEstar 3º Semestre 008/09 Capítulo II Bases da Bioenergética Escola Superior de Educação Instituto Politécnico de Leiria 7 Out 08 ATP-CP e energia O sistema ATP-CP

Leia mais

Perfil antropométrico de atletas de handebol da cidade de Santa Maria RS Anthropometric profile of handball players from the city of Santa Maria RS

Perfil antropométrico de atletas de handebol da cidade de Santa Maria RS Anthropometric profile of handball players from the city of Santa Maria RS ARTIGO ORIGINAL Perfil antropométrico de atletas de handebol da cidade de Santa Maria RS Anthropometric profile of handball players from the city of Santa Maria RS ANDRÉ TOMAZETTI ROSSATO 1 SILMAR ZANON

Leia mais

Objetivo da aula. Trabalho celular 01/09/2016 GASTO ENERGÉTICO. Energia e Trabalho Biológico

Objetivo da aula. Trabalho celular 01/09/2016 GASTO ENERGÉTICO. Energia e Trabalho Biológico Escola de Educação Física e Esporte Universidade de São Paulo Bioquímica da Atividade Motora Calorimetria Medida do Gasto Energético No Exercício Físico Objetivo da aula Medida do gasto energético no exercício

Leia mais

Grau de hipertrofia muscular em resposta a três métodos de treinamento de força muscular

Grau de hipertrofia muscular em resposta a três métodos de treinamento de força muscular Object 1 Grau de hipertrofia muscular em resposta a três métodos de treinamento de força muscular Curso de Educação Física. Centro Universitário Toledo de Araçatuba - UNITOLEDO. (Brasil) Prof. Mário Henrique

Leia mais

12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÍNDICE DE MASSA CORPORAL DE ALUNOS DO PROJETO ESCOLA DA BOLA COM BASE NOS TESTES DA PROESP-BR

12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÍNDICE DE MASSA CORPORAL DE ALUNOS DO PROJETO ESCOLA DA BOLA COM BASE NOS TESTES DA PROESP-BR 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( x ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA ÍNDICE DE

Leia mais

Prof. Me. Alexandre Correia Rocha

Prof. Me. Alexandre Correia Rocha Prof. Me. Alexandre Correia Rocha www.professoralexandrerocha.com.br alexandre.personal@hotmail.com alexandre.rocha.944 ProfAlexandreRocha @Prof_Rocha1 prof.alexandrerocha Docência Docência Personal Trainer

Leia mais

UNIVERSIDADE SALGADO DE OLIVEIRA Curso de Educação Física Disciplina: Fisiologia do Exercício. Ms. Sandro de Souza

UNIVERSIDADE SALGADO DE OLIVEIRA Curso de Educação Física Disciplina: Fisiologia do Exercício. Ms. Sandro de Souza UNIVERSIDADE SALGADO DE OLIVEIRA Curso de Educação Física Disciplina: Fisiologia do Exercício Ms. Sandro de Souza Discutir alguns aspectos associados à medida do VO2máx. Conhecer os mecanismos envolvidos

Leia mais

Revista CPAQV - Centro de Pesquisas Avançadas em Qualidade de Vida - ISSN: v.1, n. 2, 2009

Revista CPAQV - Centro de Pesquisas Avançadas em Qualidade de Vida - ISSN: v.1, n. 2, 2009 Revista CPAQV - Centro de Pesquisas Avançadas em Qualidade de Vida - ISSN: 2178-7514 v.1, n. 2, 2009 ESTUDO CORRELACIONAL ENTRE IMC E PERCENTUAL DE GORDURA CORPORAL EM CRIANÇAS DE 7 Á 9 ANOS DA REDE PÚBLICA

Leia mais

FISICULTURISMO CINESIOLOGIA - EXERCÍCIOS - LESÕES

FISICULTURISMO CINESIOLOGIA - EXERCÍCIOS - LESÕES ANDRÉ PESSOA FISICULTURISMO CINESIOLOGIA - EXERCÍCIOS - LESÕES 1 AGRADECIMENTOS Agradeço à Deus pela minha saúde e energia; minha família pelo apoio e confiança, por todas as oportunidades de desenvolvimento

Leia mais

Comparação de diferentes métodos de estimativa do percentual de gordura em estudantes universitários

Comparação de diferentes métodos de estimativa do percentual de gordura em estudantes universitários Revista Mineira de Ciências da Saúde. Patos de Minas: UNIPAM, (2):21 27, 2010 ISSN 2176 2244 Comparação de diferentes métodos de estimativa do percentual de gordura em estudantes universitários Comparison

Leia mais

Igor Barcelos de Andrade CORRELAÇÃO ENTRE PRESSÃO ARTERIAL E PERCENTUAL DE GORDURA ENTRE 47 ALUNOS DA ACADEMIA CORPO BRASIL

Igor Barcelos de Andrade CORRELAÇÃO ENTRE PRESSÃO ARTERIAL E PERCENTUAL DE GORDURA ENTRE 47 ALUNOS DA ACADEMIA CORPO BRASIL Igor Barcelos de Andrade CORRELAÇÃO ENTRE PRESSÃO ARTERIAL E PERCENTUAL DE GORDURA ENTRE 47 ALUNOS DA ACADEMIA CORPO BRASIL Belo Horizonte Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional

Leia mais

Efeitos do programa da pliometria de contraste sobre os valores de impulsão horizontal nos jogadores de tênis de campo

Efeitos do programa da pliometria de contraste sobre os valores de impulsão horizontal nos jogadores de tênis de campo Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Efeitos do programa da pliometria de contraste sobre os valores de impulsão horizontal nos jogadores

Leia mais

NUTRIÇÃO NO DESPORTO Como calcular as necessidades energéticas para cada indíduo?

NUTRIÇÃO NO DESPORTO Como calcular as necessidades energéticas para cada indíduo? NUTRIÇÃO NO DESPORTO Como calcular as necessidades energéticas para cada indíduo? NUTRIÇÃO NO DESPORTO Como calcular as necessidades energéticas? A alimentação influencia significativamente, tanto a performance

Leia mais

Revista Brasileira de Futsal e Futebol ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Futsal e Futebol ISSN versão eletrônica 70 PERFIL ANTROPOMÉTRICO E DESEMPENHO MOTOR DE JOGADORES DE FUTEBOL JUNIORES Samir Seguins Sotão 1, Jurema Gonçalves Lopes de Castro Filha 3, Karla Régia Ferreira Viana Figueiredo 3, Francisco Farias Martins

Leia mais

COMPARAÇÃO DO NÍVEL DE APTIDÃO CARDIORRESPIRATÓRIA EM MULHERES DE DIFERENTES FAIXAS ETARIAS

COMPARAÇÃO DO NÍVEL DE APTIDÃO CARDIORRESPIRATÓRIA EM MULHERES DE DIFERENTES FAIXAS ETARIAS COMPARAÇÃO DO NÍVEL DE APTIDÃO CARDIORRESPIRATÓRIA EM MULHERES DE DIFERENTES FAIXAS ETARIAS VANESSA VIEIRA SANTOS DULCE MARI HERBST MARCOS TADEU GRZELCZAK DR. LUIS PAULO GOMES MASCARENHAS Universidade

Leia mais

EMENTÁRIO E REFERÊNCIAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA 4º PERÍODO

EMENTÁRIO E REFERÊNCIAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA 4º PERÍODO EMENTÁRIO E REFERÊNCIAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA 4º PERÍODO FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO Compartilhar os conhecimentos atuais de fisiologia do exercício, visando capacitar o futuro

Leia mais

ADAPTAÇÃO DO SPECIAL JUDO FITNESS TEST PARA O KARATE: UM ESTUDO COM ATLETAS DA SELEÇÃO BRASILEIRA.

ADAPTAÇÃO DO SPECIAL JUDO FITNESS TEST PARA O KARATE: UM ESTUDO COM ATLETAS DA SELEÇÃO BRASILEIRA. ADAPTAÇÃO DO SPECIAL JUDO FITNESS TEST PARA O KARATE: UM ESTUDO COM ATLETAS DA SELEÇÃO BRASILEIRA. INTRODUÇÃO HERALDO SIMÕES FERREIRA Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, Ceará, Brasil heraldo.simoes@uece.br

Leia mais

Laboratório de Investigação em Desporto AVALIAÇÃO E CONTROLO DO TREINO 2014

Laboratório de Investigação em Desporto AVALIAÇÃO E CONTROLO DO TREINO 2014 INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ESCOLA SUPERIOR DE DESPORTO DE RIO MAIOR AVALIAÇÃO E CONTROLO DO TREINO 2014 Equipa: Doutor João Brito (coordenador) Doutor Hugo Louro Doutora Ana Conceição Mestre Nuno

Leia mais