Seminário MCTI: Contribuições dos incentivos fiscais da Lei do Bem para o aumento da competitividade por meio da P,D&I no Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Seminário MCTI: Contribuições dos incentivos fiscais da Lei do Bem para o aumento da competitividade por meio da P,D&I no Brasil"

Transcrição

1 Seminário MCTI: Contribuições dos incentivos fiscais da Lei do Bem para o aumento da competitividade por meio da P,D&I no Brasil Bruno Bragazza 1

2 Principais Números 2012 Grupo Bosch total 52.5 bilhões de euros em vendas colaboradores, incluindo em pesquisa e desenvolvimento 264 fábricas Tecnologia Automotiva O maior fornecedor de tecnologia automotiva do mundo 59% do faturamento Tecnologia Industrial Líder mundial na fabricação de grandes caixas de engrenagens para turbinas eólicas, sistemas de embalagem e tecnologia de processos Energia e Tecnologia de Construção Líder mundial na fabricação de termotecnologia, energia solar e sistemas de segurança O maior fornecedor mundial de bombas de calor 41% do faturamento Bens de Consumo Maior fabricante mundial de ferramentas elétricas Líder no setor de eletrodomésticos 2

3 Força Inovadora¹ A Bosch é uma das empresas mais tecnológicas e inovadoras do mundo. São inovações que tornam a vida mais segura, confortável e ecologicamente correta Tecnologia para a vida pessoas trabalham em pesquisa e desenvolvimento na Bosch, em 89 localidades no mundo todo; A Bosch sozinha depositou pedidos de patente no mundo, o representa uma média de 19 pedidos de patentes por dia de trabalho; No ranking mundial, a Bosch está entre as companhias que mais depositam pedidos de patentes no mundo e está em primeiro lugar na Alemanha. Somente em 2012, a Bosch investiu sozinha mais de 4,8 bilhões de euros em P&D, o que representa 9,1% do faturamento total da empresa. Nos últimos dez anos, os investimentos em pesquisa e desenvolvimento ultrapassam 35 bilhões de euros. 1 Dados referentes a

4 Robert Bosch América Latina Venezuela Faturamento 21,3 Colaboradores 72 Panamá Faturamento - Colaboradores 12 Colômbia Faturamento 15,7 Colaboradores 74 Peru Faturamento 33,4 Colaboradores 193 Chile Faturamento 29,5 Colaboradores 68 Consolidado América Latina Faturamento * Colaboradores * Equivalente a R$ 5.4 bilhões Brasil Faturamento 2.088,7 * Colaboradores Engenheiros (em P&D) ~440 * Equivalente a R$ 4.8 bilhões Argentina Faturamento 119,3 Colaboradores 733 Valores expressos em milhões de euros 4

5 Centros de Competência na América Latina Sistemas a Gasolina CoC para combustíveis alternativos (sistemas e componentes): Etanol, injeção, Flex Fuel e Flex Start. Motores de Partida e Alternadores CoC de motores de partida para motores pequenos e motores elétricos para aplicações não-automotivas. Sistemas a Diesel CoC para Common Rail, Bombas UP e Sistemas Diesel Gás. 5

6 Principais Soluções Bosch para Combustíveis Alternativos Inovação Tecnologia para Etanol (Resistência dos Componentes) Redução CO 2 Redução de Custos Flexibilidade Eficiência Conforto ao Consumidor Sistemas Flex Fuel Etanol + Gasolina Sistemas Diesel e Bio-Diesel Sistemas Diesel Gás (GNV) Sistemas Diesel Etanol 6

7 Programas de P&D&I - Bosch Brasil Bicombustível Eficiência Energética Segurança Veicular Energias Alternativas 7

8 XIII Conferência ANPEI - Inovação Competitiva e Aberta Caso de sucesso Bosch Brasil: Flex Fuel Início desenv. Componentes p/ Etanol e Sistemas de Injeção/Ignição Eletrônica Analóg Início desenv. de Sistemas de Injeção/Ignição Eletrônica Digitais Apresentação do Omega FlexFuel º veículo Tri-Fuel Centro de Competência Mundial Lançamento Gol GTi Início desenv. do sistema Flex Fuel 1º veículo Flex Fuel em série Prêmio Nacional FINEP de Inovação 1º sistema E85 no mundo Bosch (C307 and C4) Bosch Brasil: quase 30 anos de experiência com Etanol e Flex Fuel 8

9 XIII Conferência ANPEI - Inovação Competitiva e Aberta Caso de sucesso Bosch Brasil: FLEX START Desenvolv. de nova versão do com galeria plástica Lançamento de alto volume no Peugeot 208, Honda Civic e Ford New Fiesta Início Desenv. Flex Start Lançamento 1º veículo com Flex Start Lançamento de alto volume no motor EC5 (Peugeot e Citroen) + 7 novas nomeações OEM-A: Proj.1, 2 e 3 OEM-B: Proj. 1 e 2 OEM-C: Proj. 1 e 2 Bosch Brasil: quase 30 anos de experiência com Etanol e Flex Fuel 9

10 XIII Conferência ANPEI - Inovação Competitiva e Aberta Premiações FLEX START Prêmio AEA Meio Ambiente Prêmio REI Automotive Business Prêmio BES Bosch Engineering System 2008 Nov/2009 Set/2012 Jun/2009 Jun/2012 Out/2012 Prêmio Bosch de Inovação Prêmio Autodata Inovação Tecnológica do Ano Finalista Prêmio AutoData 10

11 Seminário MCTI Lei do Bem Diesel Dual-Fuel concept Dual-Fuel Existent Diesel engines, adapted with a second injection system to manage the alternative fuel injection and the air control. The basic configuration of the original Diesel engine remains unchanged. Ignition by Diesel injection. Operational Modes Possible to operate either in original Diesel Mode or in Dual-Fuel Mode, with significant substitution of Diesel by the alternative fuel. Alternative fuels System components and software compatible with: Natural Gas (CNG & LNG), Biomethane and Ethanol. Other features Knock control strategy, diagnosis and monitoring function in DualFuel mode, closed loop strategy. Dual-Fuel integrates the high performance of diesel engines with the fuel flexibility. 11

12 Seminário MCTI Lei do Bem Benefits to the customer Fuel cost reduction Average 85% substitution rate of diesel by Natural Gas or Biomethane, 50% by Ethanol Emissions compliance Keeps same emissions level of engine on Diesel-only mode with enhanced particulate material, NOx and CO2 emissions Fuel flexibility Allows driver to switch between Dual-Fuel and Diesel-only modes with the same performance Maintenance and lifetime Reliability and tradition of Diesel engines Affordable cost Estimated ~10% of increase in the vehicle acquisition costs Traditional solution in Otto Cycle used in commercial-vehicle engines does not provide the same performance as Diesel, requires many changes in engine components and does not benefit from the high scale production of diesel engines. 12

13 Fuel Saving Intelligence Team / System & Components Synergies Innovation Focus on saving energy, fuel and emission Approach on vehicle as a system (charge balance) Fiat & Bosch Synergies Ignition Mgmt Emission Control Flex Start Fuel Saving & CO 2 Reduction Intelligence Eco Start Stop Intel. Gen. Control High Effic. Gen. Knowledge Empowerment System development and respective synergies Low cost vision applied on new technologies Pioneer of new technologies Thermal Mgmt Cooling System HVAC 13

14 System Concept Car AirMax &GBM HEM & FCM IGC & HEG & EBS EnerSys Concept vehicle Eco Start Stop FCM: Fan Control Module; HEG: High Efficiency Alternator; IGC: Intelligent Generator Control; EBS: Electronic Battery Sensor; GBM: Global Blower Module 14

15 Vehicle Measurements in Test Bench Cycle FTP75 under Basic Load Fuel Consumption CO 2 Emission 7,6% 7,6% 2,1% 2,1% 3,1% 3,1% 5,9% 5,8% 6,8% 6,8% Reference FCM HEG HEG + IGC SOC 0 =100% Fan Control Module Without Air Conditioning SOC 0 =100% High Efficiency Generator SOC 0 =100% High Efficiency Generator Intelligent Gen. Control SOC 0 =75% Start-Stop Start-Stop SOC 0 =100% HEG + IGC + Start-Stop High Efficiency Generator Intelligent Gen. Control Start-Stop SOC 0 =75% FCM: Fan Control Module; HEG: High Efficiency Alternator; IGC: Intelligent Generator Control; 15

16 Vehicle Measurements in Real City Cycle 3,1% City Cycle under Basic Load 0,9% Fuel Consumption 6,2% 13,7% 21,1% Reference FCM HEG HEG + IGC SOC 0 =100% Fan Control Module Without Air Conditioning SOC 0 =100% High Efficiency Generator SOC 0 =100% High Efficiency Generator Intelligent Gen. Control SOC 0 =75% FCM: Fan Control Module; HEG: High Efficiency Alternator; IGC: Intelligent Generator Control; Start-Stop Start-Stop SOC 0 =100% HEG + IGC + Start-Stop + FCM High Efficiency Generator Intelligent Gen. Control Start-Stop Fan Control Module SOC 0 =75% 16

17 Gestão Estratégica da Inovação Sistema Nacional de C&T&I Governo POLÍTICA FINANCIAMENTO Pesquisa& Serviços $ $ PIB (mundial) 2% Institutos Centros de P&D Formação de RH Pesquisa básica e aplicada Universidades $ Empresa Inovação P&D papers patentes conhecimento riqueza 2,6% 0,1% 17

18 Gestão Estratégica da Inovação Políticas Públicas - Histórico Ministério Ciência & Tecnologia & Inovação MCTI MDIC Ministério do Desenv. Indústria & Comércio Política Tecnológica Política Industrial & Comércio Exterior PITCE FINEP PACTI inovação PDP ou PITCE fase II BNDES ENCTI inovação Plano Brasil Maior Ativos Intangíveis Infra-Estrutura Foco: Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação Tecnológica Parque Industrial Máquinas e Equipam. Exportação Foco: Adensamento Produtivo com Inovação Tecnológica 18

19 Gestão Estratégica da Inovação Principais Instrumentos de Fomento à Inovação Tecnológica MCT Ministério da Ciência e Tecnologia PACTI Plano de Ação de Ciência, Tecnologia e Inovação Lei de Inovação Financiamentos Subvenções Incentivos Fiscais Capital de Risco Bolsas Juro Zero Direto na Empresa Parceria com ICT Lei do Bem MCT Projeto Inovar RHAE Inova Brasil Subvenção Econômica Fundos Setoriais Lei da Informática MCT CRIATEC Bolas DCR Linha Capital Inovador PAPPE FUNTEC INOVAR- AUTO MCT PNPD PSI - Inovação PROSOFT PRIME PITE PICE Compras Governamentais PROENGENHARIA Plano Brasil Maior Margem Preferencial de até 25% em compras públicas 19

20 Gestão da Inovação e PI Minist. Ciência e Tecnologia MCTI (FINEP) Minist. Indústria e Comércio MDIC (BNDES) Minist. Fazenda MF (RFB) Instituto Nac. Prop. Intelec. INPI Órgãos governamentais Instit. Tecn., Univers., Pessoa Fís./Jur. Áreas de P&D Bosch Áreas corporativas Bosch Empresas terceiras de consultoria Entender as políticas públicas vigentes sobre inovação tecnológ. (PACTI, PBM) e buscar os melhores benefícios p/ RBLA, com base nos projetos de inovação da empresa RB C/IP CR C/CE C/AG Intensificar relacionamento com a RB: C/IP temas prop. Intelec. CR e C/CE temas inovação RBLA Manag. Innovation Tech. RBLA/MIT Finanças Contábil Usar serviços de consultoria especializadas no uso de instrumentos, definição de processos e temas específicos sobre inovação tecnol. e PI Suportar os GB s em caso de auditorias da RFB e influenciar melhorias nos incentivos e entendimentos da legislação Legal Coordenação de todos os assuntos de Prop. Intelec. e incentivos a patentes Engenharia Prod./Proc. EMPRESAS DE CONSULTORIA RBLA DS GS ED/SG CC/CB AA PT TT TEF ICT (Institutos Cientif. e Tecnológ.) Universidades Institutos Tecnológ. Inventores Independentes 20

21 Estrutura Organizacional RBLA/ET Besaliel S. Botelho (Presidente) Subordinação hierárquica Suporte C/IP CR C/CE RBLA/MIT Bruno D. Bragazza (Gerente) RBLA/FIN RBLA/CTG C/LSR-LA RBLA/TAX ENG s BTC-LA Finanças e Contabilidade Legal Engenharia Prod. e Proc. Ricardo Fabrício Ana Paula Santos Bossmeyer Leandro Mandu (Analista Econômico-Financeiro) (Advogada) (Engenheiro) Gestão econômico-financeira dos projetos de Inovação Tecnológica Gestão dos investimentos de M&E nos projetos de Inovação Tecnológica Gestão dos investimentos da área Administração BAB DSP (Data Security Partner) Gestão jurídica e tributária de Inovação Tecnológica Gestão de Propriedade Intelectual (P.I.) Análise de Contratos (P.I.) Suporte nos treinamentos de P.I. Gestão técnica dos projetos de Inovação Tecnológica Suporte às parcerias técnicas com ICT s e Universidades Suporte treinamentos de inovação / P.I. Suporte técnico para P.I. IT-Partner, BGN designer e suporte DSP 21

22 Incentivo Fiscal - Lei do Bem Lei do Bem Dispêndios Aquisição de bens Remessa ao Exterior Subvenção IRPJ e CSLL Exclusão de 60% a 80% IPI Redução 50% IRPJ e CSLL Amort./Deprec. Integral IRRF Alíquota 0% Contratação de novos pesquisadores IRPJ e CSLL Exclusão de 20% (patente) Requisitos: - Operar no lucro real - Obter lucro - Despesas no Brasil - Classificação em contas contábeis específicas Remessa para manutenção de marcas e patentes no exterior 22

23 Lei do Bem o que entra no conceito Bosch? Categorias de Projetos projetos de P&D ou projetos Plataforma = INOVAÇÃO TECNOLÓGICA RADICAL projetos Variante = INOVAÇÃO TECNOLÓGICA INTERMEDIÁRIA projetos de Aplicação = INOVAÇÃO TECNOLÓGICA INCREMENTAL Suporte à Série 23

24 Lei do Bem o que entra no conceito Bosch? Fases e Atividades dos Projetos. Departam. Resp. Engenharia (ENG, EAP, ETC) Qualidade (QMC) Atividade (base Oslo) Pesquisa e Desenvolvimento Experimental Engenharia e TIB Produção 24

25 Lei do Bem Desafios Identificação de Projetos Técnicos Resp.: Líder do Projeto ou Gerente de Linha Financeiros Resp.: RBLA/MIT Controles necessários Descritivo técnico Lei do Bem Equipe do projeto Apontamento de horas Atividades executadas Justificativas despesas Resultados obtidos Evidências técnicas Gestão econômica (por projeto) Segregação e controle das despesas Custos de cada colaborador junto ao RH Vantagens além do retorno de caixa com os incentivos fiscais... Fortalecimento do gerenciamento de projeto Fortalecimento e valorização das engenharias e fábricas Fomento à competitividade 25

26 Lei do Bem - Macro Processo Kick-off Aquisicão contínuo Identificação de Projetos Seleção dos Projetos Acompanhamento dos Projetos Fechamento do ano fiscal Prestação de contas Identificação de projetos com atividades de inovação tecnológica na RBLA em desenvolvimento / a serem desenvolvidas Parecer de enquadramento com justificativas Abertura contabilidade específica por projeto Formalização de consultas ao MCT e SRF Adaptações do projeto para usufruto máx. dos incentivos Implementação de processos gerenciais e contábeis Revisão final dos lançamentos contábeis Realização de ajustes necessários Preenchimento do formulário eletrônico de prestação de contas dos benefícios utilizados Estimativa de ganho de caixa Abertura de controle gerencial por projeto Informativo periódico do controle gerencial (trim.) Fechamento anual do projeto Revisão final do controle gerencial Avaliação custo/benefício (priorização) Especificações e acompanhamento de cronograma Informativo periódico dos dispêndios do projeto para controle contábil (mensal) Relatório crescimento P&D Arquivamento 26

27 Dia do mês consecutivo 1º 5º 10º 13º 15º 20º Alocação de horas (RH + Laboratórios) Lista de RH (sem salários) Lista de RH (com salários) Validação das despesas RH 23º 30º Despesas de Pessoal e Laboratório Líder do Projeto Excel SAP SAP MIT-ENG Encargos sociais vol. por planta MIT-FC Nº colaboradores por planta CTG Excel Excel RH Encargos sociais voluntários por colaborador MIT-FC Validação das despesas de laboratório por projeto Excel Excel MIT-G sigilo Excel MIT-FC Despesas Consolidados Excel Consolidação das despesas MIT-FC Excel Excel Deduções do IR e CSLL FIN Demais Despesas Projetos no SAP SAP Projetos controle interno Aquisição / análise demais despesas MIT-FC Excel Justificativas de algumas despesas Líder do Projeto Demais despesas do projeto com justificativas Líder do Projeto Excel Validação das demais despesas MIT-FC Excel Informações Transmitidas via: e-room rede manual Processamento das Informações: macro 27

28 Plataforma de Inovação RBLA Geração de Ideias Estudos & Relatórios Workshop Imprensa Inovação Análise Competidor Análise Patentes Assuntos Regulat. Inventores Independ. Tendências Regionais Clientes Colabor. Internos Avaliação e Filtragem Comitê de Inovação (RO, GB-RP s, MIT e outros) Eventualmente com suporte de: C/AI, C/AS, CR, C/LP, C/CAE ou externo Data Base Modelo de Financiamento Pré- Estudo Ideias não associadas com nenhuma GB RB (CR) ou Externo Ideias associadas a uma ou mais GB GB (RBLA ou RB) Benefício Fiscal Lei do Bem Estudo Conceitual AM20+ BIF Bosch Innovation Fund 28

29 Experiências positivas (Bosch) Criação de um departamento corporativo específico de gestão estratégica de inovação Departamento não ocasiona custo adicional para as unidades de negócio (tem que ser pago pelo benefício obtido) Devolução do valor líquido do benefício para as unidades de negócio como melhoria no resultado após os impostos (embora índice considerado de competitividade = resultado operacional) Importância em se ter um processo robusto e bem definido Criação do FIB. Embora ainda de baixo valor, já começa a apresentar os primeiros resultados 29

30 A desenvolver (Bosch) Ampliar o benefício da Lei do Bem: explorando mais os projetos de inovação tecnológica em processo produtivo considerando o adicional de 20% com patentes (controle mais preciso dos gastos relativos ao desenvolvimento que gerou a(s) patente(s) ampliando o uso da depreciação integral e redução de IPI em equipamentos de P&D associados a projetos da Lei do Bem 30

31 Propostas melhoria Lei do Bem Simplificação e ampliação dos benefícios Total de despesas P&D validadas Lei do Bem = 12% Gastos da Bosch no Brasil com P&D (conforme report de P&D para matriz, baseado OCDE). Estrutura necessária para controle de 20 projetos = 1,5 pessoas full-time e ca. 2-3% de 20 líderes projeto Necessário criar classes contábeis especificas para a Lei do Bem Proposta seria usar integralmente os conceitos da OCDE Ampliação para PMEs Aumento segurança jurídica da atual Lei do Bem (aperfeiçoamento da IN 1.187) desperdício 31

32 Obrigado Bruno Bragazza 32

Financiamento de Projetos para a Inovação

Financiamento de Projetos para a Inovação GESTÃO Financiamento de Projetos para a Inovação Objetivos da Aula Conhecer sobre o financiamento de projetos de pesquisa aplicada; Conhecer a dinâmica do processo de elaboração de projetos de pesquisa

Leia mais

Tributação e Incentivos à Inovação

Tributação e Incentivos à Inovação VIII Seminário do Setor de Saúde - BRITCHAM Tributação e Incentivos à Inovação São Paulo/SP, 17 de junho de 2009 Inovação Tecnológica no Brasil 30% das empresas industriais realizam algum tipo de inovação

Leia mais

2013 Inventta Todos os direitos reservados.

2013 Inventta Todos os direitos reservados. Agenda Quem Somos Gerindo a Inovação nas Empresas Estímulos Governamentais à Inovação Resultados da pesquisa FDC/Inventta Conclusões O GRUPO A Inventta é uma consultoria especializada em gestão da inovação,

Leia mais

ANÁLISE DO USO DOS INCENTIVOS FISCAIS À INOVAÇÃO EM 2012

ANÁLISE DO USO DOS INCENTIVOS FISCAIS À INOVAÇÃO EM 2012 Fevereiro 2014 Um olhar da Inventta: ANÁLISE DO USO DOS INCENTIVOS FISCAIS À INOVAÇÃO EM 2012 Maria Carolina Rocha, Marina Loures e Otávio Vianna 1. Introdução A Lei do Bem, cujo principal objetivo é promover

Leia mais

Marco Legal da Inovação Aprimoramento e Resultados

Marco Legal da Inovação Aprimoramento e Resultados III Workshop das Unidades de Pesquisa do MCT e a Inovação Tecnológica Marco Legal da Inovação Aprimoramento e Resultados Campinas, São Paulo, 30 e 31 de agosto de 2010 Subsecretaria de Coordenação das

Leia mais

OS INCENTIVOS FISCAIS À

OS INCENTIVOS FISCAIS À DECOMTEC OS INCENTIVOS FISCAIS À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA LEI Nº 11.196/2005 Departamento de Competividade e Tecnologia - DECOMTEC São Paulo, 08 de outubro de 2012 Principais incentivos da Lei do Bem (Cap.

Leia mais

Seminário: Investimentos e Incentivos Fiscais para Projetos de Inovação tecnológica. Câmara Brasil Alemanha Fevereiro - 2011

Seminário: Investimentos e Incentivos Fiscais para Projetos de Inovação tecnológica. Câmara Brasil Alemanha Fevereiro - 2011 Seminário: Investimentos e Incentivos Fiscais para Projetos de Inovação tecnológica Câmara Brasil Alemanha Fevereiro - 2011 A FINEP e as empresas inovadoras. Contexto Brasil - Baixo investimento em Inovação:

Leia mais

Incentivos Fiscais à Inovação Tecnológica nas empresas (previstos no Capítulo III da Lei do Bem )

Incentivos Fiscais à Inovação Tecnológica nas empresas (previstos no Capítulo III da Lei do Bem ) 1. Nome do Programa/Atividade/Ação fomentado: Incentivos Fiscais à Inovação Tecnológica nas empresas (previstos no Capítulo III da Lei do Bem ) 2. O que é? A Lei n.º 11.196, de 21 de novembro de 2005,

Leia mais

Guia de incentivos fiscais à inovação tecnológica

Guia de incentivos fiscais à inovação tecnológica recursos para inovação Centro de Conhecimento recursos para inovação Guia de incentivos fiscais à inovação tecnológica Lei 11.196/05 (Lei do Bem) Estratégia Incentivos Fiscais e Recursos Educação e Cultura

Leia mais

Incentivos fiscais à Inovação Tecnológica

Incentivos fiscais à Inovação Tecnológica R&D TAX INCENTIVES Incentivos fiscais à Inovação Tecnológica Abril 2013 Agenda Incentivos fiscais da Lei do Bem Conceito de Inovação Tecnológica IN 1.187/11 Controles e Assuntos Controversos Diferenciais

Leia mais

TIAGO VASCONCELOS SCHERER A INFLUÊNCIA DA POLÍTICA DE INCENTIVO FISCAL NACIONAL NO DESEMPENHO INOVATIVO DAS EMPRESAS BENEFICIÁRIAS

TIAGO VASCONCELOS SCHERER A INFLUÊNCIA DA POLÍTICA DE INCENTIVO FISCAL NACIONAL NO DESEMPENHO INOVATIVO DAS EMPRESAS BENEFICIÁRIAS TIAGO VASCONCELOS SCHERER A INFLUÊNCIA DA POLÍTICA DE INCENTIVO FISCAL NACIONAL NO DESEMPENHO INOVATIVO DAS EMPRESAS BENEFICIÁRIAS Relatório Executivo Relatório Executivo da Dissertação de Mestrado Profissionalizante

Leia mais

Inovação aberta na Engenharia de Powertrain da FIAT

Inovação aberta na Engenharia de Powertrain da FIAT Inovação aberta na Engenharia de Powertrain da FIAT Saulo Soares saulo.soares@fiat.com.br Instituto Tecnológico de Aeronáutica ITA Centro de Competência em Manufatura CCM Fiat Chrysler VIII WORKSHOP DE

Leia mais

Perspectivas para o Mercado de Sw & Serviços de TI:

Perspectivas para o Mercado de Sw & Serviços de TI: Perspectivas para o Mercado de Sw & Serviços de TI: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 Ministério da Ciência e Tecnologia Secretaria de Política de Informática - SEPIN outubro/2010 Agenda

Leia mais

Incentivos Fiscais para P,D&I Lei 11.196/2005 (Lei do Bem)

Incentivos Fiscais para P,D&I Lei 11.196/2005 (Lei do Bem) Incentivos Fiscais para P,D&I Lei 11.196/2005 (Lei do Bem) Características Básicas dos Incentivos Fiscais: Atende empresas que operam em regime de lucro real e que realizam atividades de P&D; Introduziu

Leia mais

A evolução do uso dos incentivos fiscais à inovação tecnológica

A evolução do uso dos incentivos fiscais à inovação tecnológica Radar Inovação - Março de 2010 A evolução do uso dos incentivos fiscais à inovação tecnológica Bruna Soly, Carina Leão, Manuela Soares e Pollyana Souza A EVOLUÇÃO DO USO DOS INCENTIVOS FISCAIS À INOVAÇÃO

Leia mais

Conceitos e Contexto Indicadores e Legislação Vantagens e Benefícios

Conceitos e Contexto Indicadores e Legislação Vantagens e Benefícios MODELO DE ATUAÇÃO Conceitos e Contexto Indicadores e Legislação Vantagens e Benefícios Conceitos É a implementação (do que?) de um produto (bem ou serviço) novo ou significamente melhorado, ou processo,

Leia mais

2003: ajuste macroeconômico, com corte substancial nos gastos públicos e aumento nas taxas reais de juro.

2003: ajuste macroeconômico, com corte substancial nos gastos públicos e aumento nas taxas reais de juro. 1 1 2 2 3 2003: ajuste macroeconômico, com corte substancial nos gastos públicos e aumento nas taxas reais de juro. 2004-06: recuperação econômica, com direcionamento do aumento da arrecadação federal

Leia mais

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA ESTEVÃO FREIRE estevao@eq.ufrj.br DEPARTAMENTO DE PROCESSOS ORGÂNICOS ESCOLA DE QUÍMICA - UFRJ Tópicos: Ciência, tecnologia e inovação; Transferência de tecnologia; Sistemas

Leia mais

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS Programas para fortalecer a PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS Legenda: branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao lançamento da PDP Vermelho = destaques para novas

Leia mais

Apoio à Inovação. Desenvolve SP 11 de novembro de 2014

Apoio à Inovação. Desenvolve SP 11 de novembro de 2014 Apoio à Inovação Desenvolve SP 11 de novembro de 2014 Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral da União Principal fonte de crédito de longo prazo para investimento

Leia mais

Inovação como Agenda Estratégica nas Políticas do MCT

Inovação como Agenda Estratégica nas Políticas do MCT Inovação como Agenda Estratégica nas Políticas do MCT Inovação: motor da competitividade e do desenvolvimento sustentado O investimento bem sucedido em inovação: Aumenta produtividade e cria novos produtos:

Leia mais

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE BIODIESEL

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE BIODIESEL Programas para fortalecer a competitividade PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE BIODIESEL 1 Biodiesel Estratégias: Ampliação de Acesso (inserção social e redução das disparidades regionais) Objetivos:

Leia mais

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008 INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008 O momento e as tendências Fundamentos macroeconômicos em ordem Mercados de crédito e de capitais em expansão Aumento do emprego

Leia mais

Apoiamos grandes empresas a otimizar os investimentos em P,D&I e reduzir os riscos de inovar

Apoiamos grandes empresas a otimizar os investimentos em P,D&I e reduzir os riscos de inovar Apoiamos grandes empresas a otimizar os investimentos em P,D&I e reduzir os riscos de inovar Com quase 10 anos de atuação no Brasil, é uma das empresas pioneiras especializadas em mecanismos financeiros

Leia mais

INSTRUMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE INOVAÇÃO. I. Objetivos e Metas. Objetivo (o quê) Alcance (quanto) Prazo de realização (quando)

INSTRUMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE INOVAÇÃO. I. Objetivos e Metas. Objetivo (o quê) Alcance (quanto) Prazo de realização (quando) INSTRUMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE INOVAÇÃO I. Objetivos e Metas 1. Liste os 5 principais objetivos de inovação para o horizonte de cinco anos, identificando: Objetivo 1 Objetivo 2 Objetivo 3 Objetivo

Leia mais

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE AUMENTAR O INVESTIMENTO PRIVADO EM P&D ------------------------------------------------------- 3 1. O QUE É A PDP? ----------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia Sessão Plenária 5: Programas Nacionais de Estímulo e Apoio às Incubadoras de Empresas e Parques Tecnológicos Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério

Leia mais

CONCEITOS DE INOVAÇÃO. Título da Apresentação

CONCEITOS DE INOVAÇÃO. Título da Apresentação CONCEITOS DE INOVAÇÃO Título da Apresentação Novo Marco Legal para Fomento à P,D&I Lei de Inovação. Nº 10.973 (02.12.04) Apresenta um conjunto de medidas de incentivos à inovação científica e tecnológica,

Leia mais

Inovação Tecnológica

Inovação Tecnológica Inovação Tecnológica Cliente AAA Ltda. Mensagem: O empresário que necessita de uma tecnologia tem duas opções: ele pode ou desenvolvê-la, ou adquiri-la. Agenda Introdução Arcabouço Legal Conceitos Incentivos

Leia mais

Incentivos Fiscais Pro r f. f.dr. r.a ri r st s e t u G omes T i T ninis C iab a á, á 1 5 1 5 de d ez e e z mbr b o r de 2 0 2 1 0 5

Incentivos Fiscais Pro r f. f.dr. r.a ri r st s e t u G omes T i T ninis C iab a á, á 1 5 1 5 de d ez e e z mbr b o r de 2 0 2 1 0 5 MCTI - Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Incentivos Fiscais Prof. Dr. Aristeu Gomes Tininis Cuiabá, 15 de dezembro de 2015 MCTI SETEC. AGENDA Programa Inovar Auto. Lei do Bem. Possibilidades

Leia mais

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO MCTI. Lei 11.196 de 21.11.2005 Lei do Bem

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO MCTI. Lei 11.196 de 21.11.2005 Lei do Bem INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO MCTI Lei 11.196 de 21.11.2005 Lei do Bem Fevereiro/2015 ÍNDICE Quem somos e o que propomos...4 Programa de Inovação Tecnológica do MCTI...12 Metodologia de Trabalho...21 Relatório

Leia mais

Inovar para competir. Competir para crescer.

Inovar para competir. Competir para crescer. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Plano 2011/2014 sumário Plano Brasil Maior...7 Dimensões do Plano...8 Dimensão Estruturante...11

Leia mais

Me. GIOVANA F. PUJOL giopujol@windowslive.com

Me. GIOVANA F. PUJOL giopujol@windowslive.com Me. GIOVANA F. PUJOL giopujol@windowslive.com BRASIL - TERRITÓRIO, POPULAÇÃO E ECONOMIA: COMBINAÇÃO VITORIOSA Indonésia Área População > 4 milhões km 2 > 100 milhões Nigéria Canadá Rússia EUA Brasil China

Leia mais

Inovações das Tecnologias Diesel

Inovações das Tecnologias Diesel Inovações das Tecnologias Diesel Seminário Frotas e Fretes Verdes Dezembro 2013 Marco Rangel Cummins América do Sul 2 Inovações Tecnológicas Diesel e as Mudanças Climáticas Globais Qual o ambiente regulamentador

Leia mais

P e d r o W o n g t s c h o w s k i G r u p o U l t r a

P e d r o W o n g t s c h o w s k i G r u p o U l t r a 5º Diálogos da MEI Aprimoramento do Marco Legal de Inovação P e d r o W o n g t s c h o w s k i G r u p o U l t r a 1 110 105 100 95 90 85 Fonte: IBGE jan/13 fev/13 mar/13 Cenário Econômico abr/13 mai/13

Leia mais

do Bem e outras considerações

do Bem e outras considerações Politicas públicas de fomento a inovação: Lei do Bem e outras considerações 8 de setembro de 2014 Legislação Lei do Bem (Lei No. 11.196/2005) Decreto No. 5.798/2006 Lei No. 11.487/2007 (Dec. No. 6.260/2007)

Leia mais

Incentivos Fiscais à Inovação em Produtos e Processos TAX

Incentivos Fiscais à Inovação em Produtos e Processos TAX Incentivos Fiscais à Inovação em Produtos e Processos TAX Planejamento Tributário O debate sobre a carga tributária brasileira é incessante desde os tempos em que esta não ultrapassava 25% do PIB nacional.

Leia mais

Programas para consolidar e expandir a liderança. PDP setembro/09 PROGRAMAS PARA CONSOLIDAR E EXPANDIR A LIDERANÇA CELULOSE E PAPEL

Programas para consolidar e expandir a liderança. PDP setembro/09 PROGRAMAS PARA CONSOLIDAR E EXPANDIR A LIDERANÇA CELULOSE E PAPEL Programas para consolidar e expandir a liderança PROGRAMAS PARA CONSOLIDAR E EXPANDIR A LIDERANÇA CELULOSE E PAPEL 1 Estratégias: liderança mundial e conquista de mercados Objetivos: consolidar a liderança

Leia mais

Apoio à Inovação. Junho de 2013

Apoio à Inovação. Junho de 2013 Apoio à Inovação Junho de 2013 Inovação: Conceito (...) implementação de um produto (bem ou serviço) novo ou significativamente aprimorado, ou um processo, ou um novo método de marketing, ou um novo método

Leia mais

III WORKSHOP DAS UNIDADES DO MCT E A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA CTI/CAMPINAS

III WORKSHOP DAS UNIDADES DO MCT E A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA CTI/CAMPINAS III WORKSHOP DAS UNIDADES DO MCT E A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA CTI/CAMPINAS Carlos Alberto Teixeira Agosto 2010 Criação, Invenção e Inovação A criatividade existe no universo das idéias, em que os processos

Leia mais

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Ronaldo Mota Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Comissão Especial Pré-Sal / Fundo Social Câmara dos Deputados 6 de

Leia mais

Prioridades e Recomendações (2011-2014) INOVAÇÃO E PRODUTIVIDADE NA INDÚSTRIA

Prioridades e Recomendações (2011-2014) INOVAÇÃO E PRODUTIVIDADE NA INDÚSTRIA Prioridades e Recomendações (2011-2014) INOVAÇÃO E PRODUTIVIDADE NA INDÚSTRIA Documento de Trabalho SESSÃO TEMÁTICA INOVAÇÃO E PRODUTIVIDADE NA INDÚSTRIA Indicador de importância das prioridades (Resultado

Leia mais

Ministério do Planejamento,Orçamento e Gestão Brasília, 06 de maio de 2009. Ministério da Ciência e Tecnologia

Ministério do Planejamento,Orçamento e Gestão Brasília, 06 de maio de 2009. Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério do Planejamento,Orçamento e Gestão Brasília, 06 de maio de 2009 Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia Contribuições solicitadas pelo MCT para o Aperfeiçoamento

Leia mais

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO DESONERAÇÃO E EQUALIZAÇÃO

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO DESONERAÇÃO E EQUALIZAÇÃO INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO DESONERAÇÃO E EQUALIZAÇÃO Medidas Fiscais da Política Industrial 2 Redução de Tributos Equalização de taxas de Juros Simplificação de Operações Redução do

Leia mais

EQPS Belo Horizonte. Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010

EQPS Belo Horizonte. Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 EQPS Belo Horizonte Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 Antenor Corrêa Coordenador-Geral de Software e Serviços Ministério da Ciência e Tecnologia Secretaria

Leia mais

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto do Mercado de Carbono no Brasil Rio de Janeiro RJ, 09 de novembro de 2010 FINEP

Leia mais

Mudança tecnológica na indústria automotiva

Mudança tecnológica na indústria automotiva ESTUDOS E PESQUISAS Nº 380 Mudança tecnológica na indústria automotiva Dyogo Oliveira * Fórum Especial 2010 Manifesto por um Brasil Desenvolvido (Fórum Nacional) Como Tornar o Brasil um País Desenvolvido,

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil 1º Workshop Platec E&P Onshore Sondeas de Perfuração Onshore Equipamentos

Leia mais

CAFÉ TECNOLÓGICO. ICTs* e Empresas Construindo Parcerias de Sucesso. Vera Crósta. Aparecida de Goiânia, 23 de outubro de 2.013

CAFÉ TECNOLÓGICO. ICTs* e Empresas Construindo Parcerias de Sucesso. Vera Crósta. Aparecida de Goiânia, 23 de outubro de 2.013 CAFÉ TECNOLÓGICO ICTs* e Empresas Construindo Parcerias de Sucesso Vera Crósta Aparecida de Goiânia, 23 de outubro de 2.013 *ICT = Instituição Científica e Tecnológica Mundo atual Aumento da competição

Leia mais

BDMG. Linhas de financiamento para INOVAÇÃO

BDMG. Linhas de financiamento para INOVAÇÃO BDMG Linhas de financiamento para INOVAÇÃO Setembro/2015 Portfólio BDMG em Inovação Participação em fundos de investimento BDMG TEC Estruturação de parques tecnológicos Financiamentos a projetos inovadores

Leia mais

Políticas de Propriedade

Políticas de Propriedade Políticas de Propriedade Intelectual Rubens de Oliveira Martins SETEC/MCT Ministério da Ciência e Tecnologia Propriedade Intelectual Conceito: sistema de proteção que gera direito de propriedade ou exclusividade

Leia mais

Fomento e Incentivos Fiscais à Inovação. São Paulo, 12 de abril de 2011.

Fomento e Incentivos Fiscais à Inovação. São Paulo, 12 de abril de 2011. Fomento e Incentivos Fiscais à Inovação São Paulo, 12 de abril de 2011. MARCO LEGAL Lei de Inovação nº 10.973 02.12.04 Incentivo à Inovação Tecnológica e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente

Leia mais

Incentivos Fiscais à Inovação Tecnológica

Incentivos Fiscais à Inovação Tecnológica Incentivos Fiscais à Inovação Tecnológica São Paulo 28 de abril de 2010 Gilberto Ayres Moreira Ana Carolina Moreira Garcia Histórico Legisla/vo Lei do Bem Lei nº 8.661/1993 (PDTI/PDTA); Lei nº 10.973/2004

Leia mais

POLÍTICA DE PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO DA ELETROSUL

POLÍTICA DE PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO DA ELETROSUL POLÍTICA DE PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO DA ELETROSUL Departamento de Planejamento, Pesquisa e Desenvolvimento - DPD Diretoria de Engenharia 1 ÍNDICE 1 PÚBLICO ALVO... 3 2 FINALIDADE...3 3 FUNDAMENTOS...

Leia mais

D.1. Instrumentos de apoio financeiro

D.1. Instrumentos de apoio financeiro 1 2 Neste capítulo são explicitadas todas as linhas de apoio à inovação que são operadas em nível nacional. Elas consistem em recursos financeiros, transferidos ou intermediados pelos órgãos governamentais

Leia mais

MAN LATIN AMERICA. Uso de Biogás em Frotas de Transporte de Cargas e Passageiros 31 de Outubro de 2012

MAN LATIN AMERICA. Uso de Biogás em Frotas de Transporte de Cargas e Passageiros 31 de Outubro de 2012 MAN LATIN AMERICA Uso de Biogás em Frotas de Transporte de Cargas e Passageiros 31 de Outubro de 2012 MAN Latin America [opcional: departamento] Autor Título 00.00.2012 < 1 > Tecnologi Agenda 1 Tradição

Leia mais

Estudos Agosto de 2011

Estudos Agosto de 2011 Estudos Agosto de 2011 Um olhar da Inventta: PLANO BRASIL MAIOR NOVAS OPORTUNIDADES PARA INOVAR? A Inventta analisou as medidas implementadas pelo governo federal e explica as mudanças para o contexto

Leia mais

Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior Construindo o Brasil do Futuro

Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior Construindo o Brasil do Futuro Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior Construindo o Brasil do Futuro Mario Sergio Salerno Diretor de Estudos Setoriais do IPEA 1 de julho de 2005 Uma nova trajetória de desenvolvimento

Leia mais

Inovação Colaborativa Ricardo Abreu 29.10.2015 MAHLE

Inovação Colaborativa Ricardo Abreu 29.10.2015 MAHLE Ricardo Abreu 29.10.2015 Resultados de Inovação 131 Novas Ideias 23 Projetos 4 Novos Produtos 55 Espontâneas 65 Campanhas 11 Externas Ideação Seleção de Ideias Projetos de P&D Desenvolvimento Lançamento

Leia mais

UM OLHAR DA INVENTTA:

UM OLHAR DA INVENTTA: Atualização: Abril 2013 UM OLHAR DA INVENTTA: Análise do uso dos Incentivos Fiscais à Inovação em 2011 Bruna Soly, Manuela Soares e Maria Carolina Rocha I - Introdução Os incentivos fiscais à inovação

Leia mais

Da Ideia ao Recurso: apoio financeiro para Inovação Tecnológica

Da Ideia ao Recurso: apoio financeiro para Inovação Tecnológica Da Ideia ao Recurso: apoio financeiro para Inovação Tecnológica Christimara Garcia CEO Inventta+bgi São Paulo, 29 de abril de 2015 CONTEXTO BRASILEIRO APOIO DIRETO Captação de Recursos Evolução dos desembolsos

Leia mais

Painel: Reestruturação do Marco Legal da Inovação Marco Legal da Inovação Aprimoramento e Resultados

Painel: Reestruturação do Marco Legal da Inovação Marco Legal da Inovação Aprimoramento e Resultados Painel: Reestruturação do Marco Legal da Inovação Marco Legal da Inovação Aprimoramento e Resultados Rio de Janeiro, 1 e 2 de setembro de 2010 Marco Legal da Inovação PODER DE COMPRA DO ESTADO E MARCO

Leia mais

CIESP CAMPINAS 21-08-2014. Incentivos Fiscais à Inovação. Análise da Legislação em vigor. Susy Gomes Hoffmann

CIESP CAMPINAS 21-08-2014. Incentivos Fiscais à Inovação. Análise da Legislação em vigor. Susy Gomes Hoffmann CIESP CAMPINAS 21-08-2014 Incentivos Fiscais à Inovação Tecnológica Análise da Legislação em vigor Susy Gomes Hoffmann Breve Histórico da Legislação. Breve Histórico do Trabalho realizado pela FIESP/CIESP

Leia mais

OS NOVOS INSTRUMENTOS DA POLÍTICA INDUSTRIAL, TECNOLÓGICA E DE COMÉRCIO EXTERIOR (PITCE) Lei do Bem, Lei de Inovação

OS NOVOS INSTRUMENTOS DA POLÍTICA INDUSTRIAL, TECNOLÓGICA E DE COMÉRCIO EXTERIOR (PITCE) Lei do Bem, Lei de Inovação OS NOVOS INSTRUMENTOS DA POLÍTICA INDUSTRIAL, TECNOLÓGICA E DE COMÉRCIO EXTERIOR (PITCE) Lei do Bem, Lei de Inovação Mario Sergio Salerno Professor do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica

Leia mais

Educação, Ciência e Tecnologia e Desenvolvimento FERNANDA DE NEGRI MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR

Educação, Ciência e Tecnologia e Desenvolvimento FERNANDA DE NEGRI MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR Educação, Ciência e Tecnologia e Desenvolvimento FERNANDA DE NEGRI MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NO BRASIL INDÚSTRIA DIVERSIFICADA... outros; 18,8% Alimentos

Leia mais

RadarInovação-Fevereirode2011. MariaCarolinaRocha,ManuelaSoareseKarenCassoni

RadarInovação-Fevereirode2011. MariaCarolinaRocha,ManuelaSoareseKarenCassoni RadarInovação-Fevereirode2011 MariaCarolinaRocha,ManuelaSoareseKarenCassoni UM OLHAR DA INVENTTA: A EFICIÊNCIA DOS MECANISMOS DE FOMENTO À INOVAÇÃO NO BRASIL Uma demonstração da evolução dos investimentos

Leia mais

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação Objetivo - Contribuir para o desenvolvimento da indústria nacional de software

Leia mais

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012 Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios Curitiba, 20 de novembro de 2012 PBM: Dimensões Dimensão Estruturante: diretrizes setoriais

Leia mais

Cenário brasileiro do investimento da empresa em P&D. Ricardo Magnani

Cenário brasileiro do investimento da empresa em P&D. Ricardo Magnani Cenário brasileiro do investimento da empresa em P&D Ricardo Magnani Corporate Connect 2011 Agenda PACTI 2007-2010 Leis e Instrumentos Desafios de se investir em Inovação no Brasil E se eu não investir...

Leia mais

Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho / 2014

Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho / 2014 Os Desafios do Pré-Sal: Riscos e Oportunidades para o País As Políticas Industrial e de Inovação no setor de Petróleo e Gás Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho

Leia mais

Software para distribuidoras de medicamentos SIMPLICIDADE E EFICIÊNCIA NA GESTÃO DAS DISTRIBUIDORAS DE MEDICAMENTOS.

Software para distribuidoras de medicamentos SIMPLICIDADE E EFICIÊNCIA NA GESTÃO DAS DISTRIBUIDORAS DE MEDICAMENTOS. Software para distribuidoras de medicamentos SIMPLICIDADE E EFICIÊNCIA NA GESTÃO DAS DISTRIBUIDORAS DE MEDICAMENTOS. Sobre o MedOne GESTÃO SIMPLIFICADA, EFICIÊNCIA GARANTIDA. Gestão simplificada, segurança

Leia mais

Auditoria e Consultoria para seu Negócio.

Auditoria e Consultoria para seu Negócio. Auditoria e Consultoria para seu Negócio. Contexto Local 2005 A Lei nº 11.196/2005 Lei do Bem, em seu Capítulo III, foi concebida de forma a acompanhar a tendência internacional, concedendo incentivos

Leia mais

Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira:

Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira: Plano Inova Empresa Inovação e desenvolvimento econômico Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira: Ampliação do patamar de investimentos Maior apoio

Leia mais

Recursos subsidiados disponíveis hoje. empresas. para investimentos, giro e inovação nas. Palestrante: Antônio Carlos Rocha

Recursos subsidiados disponíveis hoje. empresas. para investimentos, giro e inovação nas. Palestrante: Antônio Carlos Rocha Competitividade para Gerar Negócios Recursos subsidiados disponíveis hoje para investimentos, giro e inovação nas empresas Palestrante: Antônio Carlos Rocha Coordenação: Nicolás Honorato SINAIS DA RECUPERAÇÃO

Leia mais

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS Programas para fortalecer a PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS 1 Madeira e Móveis Estratégias: conquista de mercados, focalização, diferenciação e ampliação do acesso Objetivos:

Leia mais

Soluções Simples www.designsimples.com.br solucoes@designsimples.com.br

Soluções Simples www.designsimples.com.br solucoes@designsimples.com.br Soluções Simples www.designsimples.com.br solucoes@designsimples.com.br C1 Introdução Este guia traz noções essenciais sobre inovação e foi baseado no Manual de Oslo, editado pela Organização para a Cooperação

Leia mais

Pedro Manuchakian Vice-presidente de Engenharia de Produtos General Motors América do Sul

Pedro Manuchakian Vice-presidente de Engenharia de Produtos General Motors América do Sul Pedro Manuchakian Vice-presidente de Engenharia de Produtos General Motors América do Sul Conteúdo O mercado automotivo de 1980 à 2015 O perfil atual do consumidor brasileiro A evolução dos sistemas automotivos

Leia mais

GESTÃO DA INOVAÇÃO E USO OTIMIZADO DE INCENTIVOS E FOMENTO

GESTÃO DA INOVAÇÃO E USO OTIMIZADO DE INCENTIVOS E FOMENTO GESTÃO DA INOVAÇÃO E USO OTIMIZADO DE INCENTIVOS E FOMENTO 1 PROGRAMA DE APOIO A OBTENÇÃO DE FOMENTO - IABM PARCERIA: 2 Estruturaremos a gestão e o portfólio de inovação das empresas participantes do programa,

Leia mais

Plano BrasilMaior A PolíticaIndustrial Brasileira. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano BrasilMaior A PolíticaIndustrial Brasileira. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano BrasilMaior A PolíticaIndustrial Brasileira 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Mauro Borges Lemos Presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial novembro 2012

Leia mais

Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional. Plano de Ação 2007-2010. Comissão de C&T&I&C&I Senado Federal 17 de abril de 2008

Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional. Plano de Ação 2007-2010. Comissão de C&T&I&C&I Senado Federal 17 de abril de 2008 Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional Plano de Ação 2007-2010 Comissão de C&T&I&C&I Senado Federal 17 de abril de 2008 Política de Estado Configuração da Política Gestão Compartilhada

Leia mais

Financiadora de Estudos e Projetos

Financiadora de Estudos e Projetos Financiadora de Estudos e Projetos Cenário da Metrologia Nacional: Demandas e Oportunidades Carlos A. M. Couto Superintendente da ATED Área dos Institutos de Pesquisa Tecnológica. Rio de Janeiro, 17 de

Leia mais

Portfólio de serviços - 1

Portfólio de serviços - 1 Portfólio de serviços - 1 www.valortributario.com.br { C om experiência de quem há mais de 12 anos oferece soluções empresariais para os mais diversos segmentos, a VALOR TRIBUTÁRIO destaca-se como uma

Leia mais

Indústria Automobilística: O Desafio da Competitividade Internacional

Indústria Automobilística: O Desafio da Competitividade Internacional Encontro Econômico Brasil-Alemanha Indústria Automobilística: O Desafio da Competitividade Internacional Jackson Schneider Presidente Anfavea Blumenau, 19 de novembro de 2007 1 Conteúdo 2 1. Representatividade

Leia mais

Avaliação das Políticas de. Incentivo à P&D e. Inovação Tecnológica no Brasil. João Alberto De Negri * Mauro Borges Lemos **

Avaliação das Políticas de. Incentivo à P&D e. Inovação Tecnológica no Brasil. João Alberto De Negri * Mauro Borges Lemos ** Avaliação das Políticas de Incentivo à P&D e Inovação Tecnológica no Brasil João Alberto De Negri * Mauro Borges Lemos ** NOTA TÉCNICA IPEA Avaliação das Políticas de Incentivo à P&D e Inovação Tecnológica

Leia mais

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA 1- FORTALECER O SETOR DE SOFTWARE E SERVIÇOS DE TI, NA CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS; 2- CRIAR EMPREGOS QUALIFICADOS NO PAÍS; 3- CRIAR E FORTALECER EMPRESAS

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil 2º Workshop Platec E&P Onshore - Sondas de Perfuração e Workover - Equipamentos

Leia mais

NOVA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO

NOVA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO NOVA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO Política de Desenvolvimento Produtivo Elevar dispêndio em P&D Meta: 0,65% PIB Ampliar Investimento Fixo Meta: 21% PIB Posição 2007: 17,6% Macrometas 2010 Dinamização

Leia mais

Apoio do BNDES à Inovação

Apoio do BNDES à Inovação Atribuição-Sem Derivações-Sem Derivados CC BY-NC-SA Apoio do BNDES à Inovação 28 de Abril de 2015 Missão e Visão Missão Promover o desenvolvimento sustentável e competitivo da economia brasileira, com

Leia mais

Maria Luisa Campos Machado Leal Diretora da ABDI Congresso ABIPTI Ago/2012

Maria Luisa Campos Machado Leal Diretora da ABDI Congresso ABIPTI Ago/2012 Financiamento e Políticas Públicas para a Inovação Maria Luisa Campos Machado Leal Diretora da ABDI Congresso ABIPTI Ago/2012 A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial ABDI vinculada ao Ministério

Leia mais

Programa Municipal de Competitividade e Inovação INOVA PALHOCA

Programa Municipal de Competitividade e Inovação INOVA PALHOCA Programa Municipal de Competitividade e Inovação INOVA PALHOCA Gestão Pública: Plano Palhoça 2030 Prefeito Municipal de Palhoça Comitê Executivo de Acompanhamento e Implantação Avaliação de Desempenho

Leia mais

Inovação e Competitividade! João Alberto De Negri! Secretario Executivo MCTI!

Inovação e Competitividade! João Alberto De Negri! Secretario Executivo MCTI! Inovação e Competitividade! João Alberto De Negri! Secretario Executivo MCTI! 1 É preciso elevar a produtividade da economia brasileira (Fonte: BID ECLAC, Índice 1980=100) Produtividade na Ásia (média

Leia mais

VII Encontro de Propriedade Intelectual e Comercialização de Tecnologia. Angela Uller

VII Encontro de Propriedade Intelectual e Comercialização de Tecnologia. Angela Uller VII Encontro de Propriedade Intelectual e Comercialização de Tecnologia Angela Uller P&D Invenção Saber C&T Descoberta Conhecimento Um dos maiores problemas para se tratar da Inovação, seja para o estabelecimento

Leia mais

A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE

A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE Agenda FINEP Departamento de Energia e Tecnologias Limpas DENE Programas Setoriais Inova Energia A Finep A Finep é uma empresa pública vinculada

Leia mais

A F. Iniciativas. Experiência. Recursos. Resultados

A F. Iniciativas. Experiência. Recursos. Resultados A F. Iniciativas Experiência 23 anos de experiência a nível europeu em programas de incentivo de P&D e IT (Tradução e Publicação do Manual de Frascati) Recursos 360 funcionários em que 250 contam com uma

Leia mais

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo São Paulo, agosto de 2012 Introdução 1 Contexto Econômico Internacional;

Leia mais

Experiência da CNI na promoção da Inovação no Setor Mineral

Experiência da CNI na promoção da Inovação no Setor Mineral Experiência da CNI na promoção da Inovação no Setor Mineral PAULO MOL Diretor de Inovação Brasília, 10 de junho de 2013 Brasil precisa ser mais competitivo e a inovação é um dos caminhos 6ª Economia Mundial

Leia mais

Financiadora de Estudos e Projetos. Agência Brasileira de Inovação

Financiadora de Estudos e Projetos. Agência Brasileira de Inovação Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Missão da FINEP Promover e financiar a Inovação e a Pesquisa científica e tecnológica em: Empresas; Universidades; Centros de pesquisa;

Leia mais

FONTES DE FOMENTO -FINANCIAMENTO PARA EMPRESAS NASCENTES

FONTES DE FOMENTO -FINANCIAMENTO PARA EMPRESAS NASCENTES UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DE RIBEIRÃO PRETO FONTES DE FOMENTO -FINANCIAMENTO PARA EMPRESAS NASCENTES PROFª DRª GECIANE PORTO geciane@usp.br FONTES DE

Leia mais

EQ PS -Fortaleza. Program as de incentivo do BN D ES à Indústria Nacionalde Software. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social

EQ PS -Fortaleza. Program as de incentivo do BN D ES à Indústria Nacionalde Software. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social EQ PS -Fortaleza Program as de incentivo do BN D ES à Indústria Nacionalde Software Marcio Wegmann masil@bndes.gov.br Depto. Indústria Eletrônica Área Industrial Princípios Norteadores da Atuação do BNDES

Leia mais

Prof. Mario Eduardo Santos Martins, Phd.

Prof. Mario Eduardo Santos Martins, Phd. Seminário Internacional de Energia da AUGM Prof. Mario Eduardo Santos Martins, Phd. Universidade Federal de Santa Maria Grupo de Pesquisa em Motores, Combustíveis e Emissões Necessidade de energia Iluminação

Leia mais