PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA CORSAN VISÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA CORSAN VISÃO"

Transcrição

1

2 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA CORSAN VISÃO 2015: atingir a meta de 30% no atendimento de esgotos sanitários e manter os 98% nos níveis de cobertura de água na área de atuação e buscar a inserção em novos negócios, de forma sustentável. 2025: ser reconhecida como a empresa que universalizou os serviços de abastecimento de água e de esgotamento sanitário nas áreas de concessão, pela alta qualidade no atendimento e dos produtos e serviços oferecidos, bem como pela consolidação de novos negócios.

3 MUNICÍPIOS ATENDIDOS PESSOAS ATENDIDAS ÁGUA 98% PESSOAS ATENDIDAS ESGOTO 15 %

4 Nº de funcionários: 5.101

5 ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTO (ETEs): 67 ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ÁGUA (ETAs): 180

6 PLANO DE INVESTIMENTOS (recursos já consolidados) 1. EM OBRAS PAC I E II - R$ 2,95 BILHÕES Próprios CORSAN - R$ 1 BILHÃO 2. EM PROJETOS PAC II - R$ 47,2 milhões Próprios CORSAN - R$ 32 milhões TOTAL R$ 4,029 BILHÕES

7

8 A CORSAN NA REGIÃO METROPOLITANA A Companhia atende 13 dos 14 Municípios que integram a GRANPAL. Unidades de Saneamento Polo: Alvorada, Arroio dos Ratos, Cachoeirinha, Canoas, Eldorado do Sul, Esteio, Gravataí, Guaíba, Santo Antônio da Patrulha, Sapucaia do Sul, Viamão. Unidades de Saneamento Vinculadas: Glorinha (Gravataí), Nova Santa Rita (Esteio).

9 CORSAN REGIÃO METROPOLITANA - ÁGUA Município Economias Água População atendida Rede ALVORADA ,3 KM ARROIO DOS RATOS ,6 KM CACHOEIRINHA ,2 KM CANOAS ,0 KM ELDORADO DO SUL ,9 KM ESTEIO ,0 KM GLORINHA ,3 KM GRAVATAÍ ,8 KM

10 CORSAN REGIÃO METROPOLITANA - ÁGUA Município Economias Água População atendida Rede GUAÍBA ,1 KM NOVA SANTA RITA ,0 KM SANTO ANTÔNIO DA PATRULHA ,1 KM SAPUCAIA DO SUL ,6 KM VIAMÃO ,7 KM TOTAIS ,6 KM

11 CORSAN REGIÃO METROPOLITANA - ESGOTO Município Economias Esgoto População atendida Rede ALVORADA ,0 KM CACHOEIRINHA ,3 KM CANOAS ,2 KM ESTEIO ,5 KM GRAVATAÍ ,8 KM GUAÍBA ,1 KM SAPUCAIA DO SUL ,0 KM VIAMÃO ,7 KM TOTAIS ,6 KM

12 INVESTIMENTOS - ÁGUA MUNICÍPIO VALOR ORIGEM DOS RECURSOS OBRAS ALVORADA 5,3 MILHÕES PAC I Ampliação da reservação, adução e otimização dos Sistemas (em andamento) ALVORADA/VIAMÃO 58,7 MILHÕES PAC II Ampliação do Sistema Integrado de Alvorada e Viamão. ARROIO DOS RATOS 3,8 MILHÕES PAC II Adutora, elevatória, rede e 2 reservatórios (em andamento)

13 INVESTIMENTOS - ÁGUA MUNICÍPIO VALOR ORIGEM DOS RECURSOS OBRAS CACHOEIRINHA 2,3 MILHÕES PAC I Ampliação do Sistema distrito industrial CANOAS 35,5 MILHÕES PAC I PAC II Recursos Próprios 21 km de redes, 2 reservatórios (concluídas). Melhorias na ETA Rio Branco e Niterói (em andamento). Implantação do Centro de Controle Operacional. GLORINHA 10,1 MILHÕES PAC II (EM ANÁLISE) Ampliação da SAA.

14 INVESTIMENTOS - ÁGUA MUNICÍPIO VALOR ORIGEM DOS RECURSOS OBRAS GRAVATAÍ 6,8 MILHÕES PAC I E II Ampliação da reservação, adução e otimização do sistema. (em fase de conclusão). 2 reservatórios (em operação). GUAÍBA 18,8 MILHÕES PAC I (em andamento) PAC II (em análise) SANTO ANTÔNIO DA PATRULHA Ampliação da rede, elevatórias e reservatórios (em andamento) Ampliação do SAA. 8 MILHÕES PAC I Ampliação do SAA (em andamento).

15 INVESTIMENTOS - ÁGUA MUNICÍPIO VALOR ORIGEM DOS RECURSOS OBRAS SAPUCAIA DO SUL 4,4 MILHÕES PAC I Ampliação da captação e da adução, reforma da ETA e otimização do sistema VIAMÃO 5,1 MILHÕES PAC I Ampliação da captação e da estação de bombeamento, nova adutora, nova ETA (em andamento). TOTAIS 158,8 MILHÕES PAC I E II E RECURSOS PRÓPRIOS

16 INVESTIMENTOS - ESGOTO MUNICÍPIO VALOR ORIGEM DOS RECURSOS OBRAS PERCENTUAL ALVORADA/ VIAMÃO 267,5 MILHÕES PAC I E II Redes coletoras, Elevatórias e ETE (em andamento). CANOAS 318,7 MILHÕES PAC I E II Redes coletoras, Elevatórias e ETE (concluídas em andamento). ALVORADA 69% VIAMÃO 39% 70%

17 INVESTIMENTOS - ESGOTO MUNICÍPIO VALOR ORIGEM DOS RECURSOS OBRAS CACHOEIRINHA 45,9 MILHÕES PAC II Redes coletoras e elevatórias PERCENTUAL 73% CACHOEIRINHA/ GRAVATAÍ ESTEIO/SAPUCAIA DO SUL 39,2 MILHÕES PAC II Ampliação e otimização da ETE 234,2 MILHÕES PAC I E II Redes coletoras, elevatórias e ETE (em andamento). CACHOEIRINHA 73% GRAVATAÍ 56% ESTEIO 90,5% SAPUCAIA DO SUL 47,6% GLORINHA 8,9 MILHÕES PAC I Redes coletoras, elevatórias e ETE (em andamento). 45%

18 INVESTIMENTOS - ESGOTO MUNICÍPIO VALOR ORIGEM DOS RECURSOS OBRAS PERCENTUAL GRAVATAÍ 123, 1 MILHÕES PAC II Redes coletoras, elevatórias e melhorias na ETE. 56% GUAÍBA 110,8 MILHÕES PAC I E II Redes coletoras, elevatórias e ETE (parte em andamento). 80%

19 INVESTIMENTOS - ESGOTO MUNICÍPIO VALOR ORIGEM DOS RECURSOS OBRAS NOVA SANTA RITA 29,7 MILHÕES PAC II Redes coletoras, elevatórias e ETE. PERCENTUAL 32,7% SANTO ANTÔNIO DA PATRULHA 36,3 MILHÕES PAC II Redes coletoras, elevatórias e ETE (parte em andamento). 15% TOTAIS 1,2 BILHÃO PAC I E II e próprios

20 Uma garrafa de água mineral custa em torno de R$ 2,50 O CUSTO DA ÁGUA: O custo de 100 litros de água da Corsan diretamente na torneira para quem tem tarifa social é de R$ 0,22. E para quem paga a tarifa básica é de R$ 0,56.

21 O CUSTO DO ESGOTO: A tarifa do esgoto é de 70% do valor do consumo da água (exclui o valor da tarifa básica R$ 15,00). PARA CONSUMO DE ATÉ 10m³ de ÁGUA TARIFA SOCIAL: R$ 10,92 = R$ 0,10 por 100 litros. TARIFA BÁSICA: R$ 27,02 = R$ 0,27 por 100 litros

22 A SITUAÇÃO EM AGOSTO DE 2013 RELATÓRIO GERAL

23 A SITUAÇÃO EM 2013 Resultado de pesquisa de opinião realizada em 64 municípios entre março e julho de 2013

24 A qualidade da água fornecida pela CORSAN (85% MAIOR QUE NOTA 7)

25

Sistemas Integrados de Saneamento na RMPA

Sistemas Integrados de Saneamento na RMPA PLANO DE DESENVOLVIMENTO URBANO INTEGRADO DA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE - PDUI Sistemas Integrados de Saneamento na RMPA José Homero Finamor Pinto jfinamor@corsan.com.br Superintendente de Gerenciamento

Leia mais

PLANO DE SANEAMENTO E ESTRATÉGIA PARA A UNIVERSALIZAÇÃO. Companhia Riograndense de Saneamento - Corsan. Junho/2017

PLANO DE SANEAMENTO E ESTRATÉGIA PARA A UNIVERSALIZAÇÃO. Companhia Riograndense de Saneamento - Corsan. Junho/2017 PLANO DE SANEAMENTO E ESTRATÉGIA PARA A UNIVERSALIZAÇÃO Companhia Riograndense de Saneamento - Corsan Junho/2017 PLANSAB Metas de universalização: Água : 100% em 2023 Esgoto: 92% em 2033 Perdas: 31% em

Leia mais

Tratamento de esgotos na Região Metropolitana de São Paulo. Seminário Saneamento na Rede Rio de Janeiro 19/05/2010

Tratamento de esgotos na Região Metropolitana de São Paulo. Seminário Saneamento na Rede Rio de Janeiro 19/05/2010 Tratamento de esgotos na Região Metropolitana de São Paulo Seminário Saneamento na Rede Rio de Janeiro 19/05/2010 Índice de Atendimento Sabesp Abastecimento de Água 1994 95% 2001 100% 2010 Final de 2010

Leia mais

MUNICÍPIO DE PORTO FERREIRA Divisão de Compras e Licitações

MUNICÍPIO DE PORTO FERREIRA Divisão de Compras e Licitações ANEXO I INFORMAÇÕES PARA ELABORAÇÃO E CRITÉRIOS DE JULGAMENTO DA PROPOSTA TÉCNICA 1. Composição da Proposta Técnica As LICITANTES deverão elaborar a PROPOSTA TÉCNICA conforme cada um dos tópicos descritos

Leia mais

AÇÕES EM 2013 COMPANHIA ÁGUAS DE JOINVILLE

AÇÕES EM 2013 COMPANHIA ÁGUAS DE JOINVILLE AÇÕES EM 2013 COMPANHIA ÁGUAS DE JOINVILLE CONTEXTUALIZAÇÃO 2013 VISÃO: Ser referência por sua excelência em gestão e qualidade de serviços em saneamento. MISSÃO: Oferecer soluções sustentáveis em saneamento

Leia mais

COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO. Reunião Almoço Saneamento Ambiental em Foco ABES-RS 14/DEZEMBRO/2016

COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO. Reunião Almoço Saneamento Ambiental em Foco ABES-RS 14/DEZEMBRO/2016 COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO Reunião Almoço Saneamento Ambiental em Foco ABES-RS 14/DEZEMBRO/2016 1. CENÁRIO ECONÔMICO Investimento em infraestrutura (% do PIB) no Brasil nas últimas duas décadas

Leia mais

Cenário Futuro do Consumo de Água no Espírito Santo. 15/12/ Vitória/ES

Cenário Futuro do Consumo de Água no Espírito Santo. 15/12/ Vitória/ES Cenário Futuro do Consumo de Água no Espírito Santo 15/12/2015 - Vitória/ES AGENDA A CESAN Principais resultados alcançados Cenário hídrico Ações e projetos futuros 52 municípios atendidos 72 % da população

Leia mais

Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto

Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano Sabesp 07/11/2011 Bacia do Alto Tietê Bacia do Sorocaba/ Médio Tietê Bacia do PCJ

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2015 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS - 2015 INDICADORES PROPORCIONAIS A receita operacional bruta da Saneamento Ambiental Águas do Brasil (SAAB), considerando a consolidação proporcional de suas participações,

Leia mais

Auditoria em Contratos de Execução de Obras de SAA e SES

Auditoria em Contratos de Execução de Obras de SAA e SES Auditoria em Contratos de Execução de Obras de SAA e SES Rogério de Medeiros Netto Salvador, 12 de julho de 2010 Água & Esgoto Importância Estima-se que 80 por cento de todas as moléstias e mais de um

Leia mais

EXCELÊNCIA EM GESTÃO, EFICIÊNCIA EM OPERAÇÃO

EXCELÊNCIA EM GESTÃO, EFICIÊNCIA EM OPERAÇÃO EXCELÊNCIA EM GESTÃO, EFICIÊNCIA EM OPERAÇÃO O Grupo Atlantis, vem atuando há 10 anos no mercado de saneamento básico, trabalha efetivamente no processo de gestão comercial e operacional das autarquias

Leia mais

PROGRAMA DE OBRAS DA CEDAE COM FOCO NA BAIXADA FLUMINENSE

PROGRAMA DE OBRAS DA CEDAE COM FOCO NA BAIXADA FLUMINENSE PROGRAMA DE OBRAS DA CEDAE COM FOCO NA BAIXADA FLUMINENSE OBRAS CONCLUÍDAS MUNICÍPIOS OBRA VALOR TOTAL R$ DIVERSOS MUNICÍPIOS DA BAIXADA OBRAS DE RECUPERAÇÃO DA NOVA ELEVATÓRIA DA ZONA RURAL R$ 2.721.735,35

Leia mais

Implantação do PSA na Sabesp

Implantação do PSA na Sabesp Implantação do PSA na Sabesp SABESP A Sabesp STATUS: PATRIMÔNIO LÍQUIDO: R$ 13,9 bilhões* EMPREGADOS: 14.147 Fundada em 1973 como sociedade de participação acionária (Governo do Estado de São Paulo, acionistas

Leia mais

SEMINÁRIO: SANEAMENTO E TRATAMENTO DA ÁGUA NOS PROCESSOS DE ABASTECIMENTO PÚBLICO E PRODUTIVOS NO BRASIL

SEMINÁRIO: SANEAMENTO E TRATAMENTO DA ÁGUA NOS PROCESSOS DE ABASTECIMENTO PÚBLICO E PRODUTIVOS NO BRASIL SEMINÁRIO: SANEAMENTO E TRATAMENTO DA ÁGUA NOS PROCESSOS DE ABASTECIMENTO PÚBLICO E PRODUTIVOS NO BRASIL Políticas Públicas, Financiamento e Regulação JOHNNY FERREIRA DOS SANTOS Diretor Campinas - SP,

Leia mais

AGÊNCIA REGULADORA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO DAS BACIAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ (ARES-PCJ)

AGÊNCIA REGULADORA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO DAS BACIAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ (ARES-PCJ) AGÊNCIA REGULADORA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO DAS BACIAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ (ARES-PCJ) MARCOS LEGAIS CONSÓRCIO PÚBLICO - CONSTITUIÇÃO FEDERAL (Art. 241 - Emenda nº 19/1998) - LEI FEDERAL

Leia mais

APRESENTAÇÃO PLANICON ENGENHARIA LTDA.

APRESENTAÇÃO PLANICON ENGENHARIA LTDA. APRESENTAÇÃO PLANICON ENGENHARIA LTDA. PROJETO E OBRA INTEGRADOS 1 Principais Projetos Saneamento 1.1 Obras do entorno da Usina Hidrelétrica Belo Monte Projeto básico e executivo de obras para atendimento

Leia mais

PROJETO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E OPERACIONAL NO SAEMAS SERTÃOZINHO (SP) COM RECURSOS DO PROGRAMA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DA CPFL

PROJETO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E OPERACIONAL NO SAEMAS SERTÃOZINHO (SP) COM RECURSOS DO PROGRAMA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DA CPFL PROJETO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E OPERACIONAL NO SAEMAS SERTÃOZINHO (SP) COM RECURSOS DO PROGRAMA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DA CPFL Antonio José Rodrigues Diretor Administrativo 29/julho/2015 NOSSA HISTÓRIA

Leia mais

ENTRAVES E PERSPECTIVAS PARA FINANCIAMENTOS EM SANEAMENTO DMAE Porto Alegre / RS Out/2016

ENTRAVES E PERSPECTIVAS PARA FINANCIAMENTOS EM SANEAMENTO DMAE Porto Alegre / RS Out/2016 ENTRAVES E PERSPECTIVAS PARA FINANCIAMENTOS EM SANEAMENTO DMAE Porto Alegre / RS Out/2016 DMAE - DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS Autarquia Pública da Prefeitura da cidade de Porto Alegre 312.390

Leia mais

Plano de Aquisições do Primeiro Ano

Plano de Aquisições do Primeiro Ano Public Disclosure Authorized Public Disclosure Authorized Public Disclosure Authorized Public Disclosure Authorized Plano de Aquisições do Primeiro Ano SIGLAS E ABREVIATURAS APA Área de Preservação Ambiental

Leia mais

Estratégias de Universalização dos Serviços de Saneamento em Pernambuco

Estratégias de Universalização dos Serviços de Saneamento em Pernambuco PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO PROJETO DESAFIO Inovações e Desafios para a Democratização dos Serviços de Saneamento Estratégias de Universalização dos Serviços de Saneamento em Pernambuco Roberto

Leia mais

Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PROGRAMA PRÓ-RURAL / CESAN. PAINEL II Modelos de Gestão em Saneamento Rural

Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PROGRAMA PRÓ-RURAL / CESAN. PAINEL II Modelos de Gestão em Saneamento Rural Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PROGRAMA PRÓ-RURAL / CESAN PAINEL II Modelos de Gestão em Saneamento Rural Estado do Espírito Santo Localização: Região sudeste, entre o RJ, MG e a BA Área:

Leia mais

CIDADE BEM TRATADA: TRATAMENTO E APROVEITAMENTO DE EFLUENTES

CIDADE BEM TRATADA: TRATAMENTO E APROVEITAMENTO DE EFLUENTES CIDADE BEM TRATADA: TRATAMENTO E APROVEITAMENTO DE EFLUENTES CORSAN COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTOCOMPANHIA Sociedade de economia mista criada pela Lei nº 5167, de 21 de dezembro de 1965, com sede

Leia mais

HISTÓRICO DAS ÁGUAS URBANAS NO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE RS - BRASIL

HISTÓRICO DAS ÁGUAS URBANAS NO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE RS - BRASIL HISTÓRICO DAS ÁGUAS URBANAS NO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE RS - BRASIL Informações Gerais 1,4 milhões de habitantes (IBGE, 2011); Saneamento Básico municipalizado: DEP, DMAE e DMLU; 100% de cobertura de

Leia mais

SANEAMENTO RESULTADOS 2007 A 2010 SANEAMENTO

SANEAMENTO RESULTADOS 2007 A 2010 SANEAMENTO RESULTADOS 2007 A 2010 Total dos Investimentos Selecionados R$ 39,2 bilhões Total dos Investimentos Contratados R$ 34,0 bilhões Evolução das Contratações R$ bilhões 189 RMs, Capitais e Municípios com mais

Leia mais

CONHEÇA O CONTROLE DE QUALIDADE DA ÁGUA QUE VOCÊ CONSOME

CONHEÇA O CONTROLE DE QUALIDADE DA ÁGUA QUE VOCÊ CONSOME CONHEÇA O CONTROLE DE QUALIDADE DA ÁGUA QUE VOCÊ CONSOME O SAAE Serviço Autônomo de Água e Esgoto da cidade de Governador Valadares-MG, é uma Autarquia Municipal, criada pela Lei Municipal Nº276 de 01/09/1952,

Leia mais

ATLAS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO DA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE de dezembro 2014

ATLAS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO DA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE de dezembro 2014 PORTO ALEGRE 24 8 de dezembro 24 PORTO ALEGRE 24 O Atlas do Desenvolvimento Humano das Regiões Metropolitanas foi elaborado em uma parceria Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadss- IPEA, Fundação João

Leia mais

Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PRÓ- RURAL / CESAN

Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PRÓ- RURAL / CESAN Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PRÓ- RURAL / CESAN 3º PAINEL EXPERIÊNCIAS NA ESTRUTURAÇÃO DE GESTÃO SUSTENTÁVEL PARA COMUNIDADES RURAIS ISOLADAS Estado do Espírito Santo Localização: Região

Leia mais

MUNICÍPIO DE PORTO FERREIRA Divisão de Compras e Licitações

MUNICÍPIO DE PORTO FERREIRA Divisão de Compras e Licitações 1. OBJETO ANEXO III TERMO DE REFERENCIA CONCESSÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE PORTO FERREIRA Apresenta-se neste documento os elementos de projeto básico para

Leia mais

1º SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE REUSO DE ÁGUA

1º SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE REUSO DE ÁGUA 1º SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE REUSO DE ÁGUA Quinto Encontro Técnico Ibero-Americano de Alto Nível Curitiba -17 a 19 de outubro de 2012 Controle da Poluição de Águas e Solos por Processos Biológicos 05 de

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO Coordenadoria de Relações Institucionais CESAN Terezinha de Jesus S. R. Vanzo LEI 11.445 de 05/01/07 Lei De Regulamentação do Setor de Saneamento Básico Introdução

Leia mais

Conhecendo a realidade de Crianças, Adolescente e Jovens Adultos em Situação de Rua da GRANPAL

Conhecendo a realidade de Crianças, Adolescente e Jovens Adultos em Situação de Rua da GRANPAL Conhecendo a realidade de Crianças, Adolescente e Jovens Adultos em Situação de Rua da GRANPAL Evolução da População, Indicadores Sociais, Situação de Rua e Saúde Mental Adriana Furtado Lirene Finkler

Leia mais

PANORAMA DO SANEAMENTO BÁSICO NO BRASIL

PANORAMA DO SANEAMENTO BÁSICO NO BRASIL PANORAMA DO SANEAMENTO BÁSICO NO BRASIL Johnny Ferreira dos Santos Diretor Ministério das Cidades São Paulo, 15 de Março de 2016 Itens 1. Saneamento: Aspectos Gerais 2. Importância do Saneamento para a

Leia mais

LINHAS DE FINANCIAMENTO E INCENTIVOS PARA IMPLANTAÇÃO DE PEQUENOS SISTEMAS DE SANEAMENTO

LINHAS DE FINANCIAMENTO E INCENTIVOS PARA IMPLANTAÇÃO DE PEQUENOS SISTEMAS DE SANEAMENTO LINHAS DE FINANCIAMENTO E INCENTIVOS PARA IMPLANTAÇÃO DE PEQUENOS SISTEMAS DE SANEAMENTO Juliana de Senzi Zancul 21 de Junho de 2013 População Rural Cerca de 30 milhões de pessoas residem em localidades

Leia mais

Caminhos da Engenharia Brasileira

Caminhos da Engenharia Brasileira Caminhos da Engenharia Brasileira Flexibilização do Atendimento dos Sistemas Produtores de Água da RMSP 02/08/2016 Palestrante: Enga. Silvana C.C.S. de Franco Gerente do Depto. Depto. de Planejamento,

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO. Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental

POLÍTICA NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO. Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental POLÍTICA NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO LEGISLAÇÃO DE INTERESSE DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE SANEAMENTO BÁSICO Constituição Federal - Artigos: Dispositivos sobre Gestão Associada (Art. 241), Prestação de Serviço

Leia mais

GOVERNANÇA METROPOLITANA NO BRASIL

GOVERNANÇA METROPOLITANA NO BRASIL GOVERNANÇA METROPOLITANA NO BRASIL Transporte Público Saneamento Ambiental Região Metropolitana de Porto Alegre Zoneamento Urbano Comparativa das Funções Públicas de Interesse Comum 1 Plataforma IPEA de

Leia mais

PLANO DIRETOR DE NEGÓCIOS E GESTÃO

PLANO DIRETOR DE NEGÓCIOS E GESTÃO COMPANHIA ESTADUAL DE ÁGUAS E ESGOTOS - CEDAE CNPJ nº. 33.352.394/0001-04 NIRE nº. 33.3.0008797-4 PLANO ESTRATÉGICO E PLANO DIRETOR DE NEGÓCIOS E GESTÃO 2017-2021 A Companhia Estadual de Águas e Esgotos

Leia mais

O que é um APL? Conjunto significativo de empresas com vínculo entre si: Atividade produtiva predominante. Mesmo território

O que é um APL? Conjunto significativo de empresas com vínculo entre si: Atividade produtiva predominante. Mesmo território O que é um APL? O que é um APL? Um Arranjo Produtivo Local se caracteriza por: Conjunto significativo de empresas com vínculo entre si: Associação Empresarial Entidade ou Governo Instituição de Ensino

Leia mais

APIMEC COPASA Divulgação 1T08

APIMEC COPASA Divulgação 1T08 APIMEC COPASA 2008 Highlights 1T08 A Receita Líquida no 1T08 foi de R$ 467 milhões um crescimento de 8,4% em relação ao 1T07. O EBITDA no trimestre atingiu R$ 191 milhões ante R$ 174 milhões no 1T07. Reajuste

Leia mais

Danilo Forte Presidente Fundação Nacional de Saúde

Danilo Forte Presidente Fundação Nacional de Saúde MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE SAÚDE PÚBLICAP XI MARCHA A BRASÍLIA EM DEFESA DOS MUNICÍPIOS: A VISÃO DOS MUNICÍPIOS SOBRE O PACTO FEDERATIVO AVALIAÇÃO SOBRE

Leia mais

CONHEÇA O CONTROLE DE QUALIDADE DA ÁGUA QUE VOCÊ CONSOME

CONHEÇA O CONTROLE DE QUALIDADE DA ÁGUA QUE VOCÊ CONSOME CONHEÇA O CONTROLE DE QUALIDADE DA ÁGUA QUE VOCÊ CONSOME O SAAE Serviço Autônomo de Água e Esgoto da cidade de Governador Valadares-MG, é uma Autarquia Municipal, criada pela Lei Municipal Nº276 de 01/09/1952,

Leia mais

Obras e projetos de sistemas de água e esgoto Eng. Valter José Gallina Diretor-presidente

Obras e projetos de sistemas de água e esgoto Eng. Valter José Gallina Diretor-presidente BIGUAÇU Obras e projetos de sistemas de água e esgoto Eng. Valter José Gallina Diretor-presidente SISTEMA FLOCODECANTADOR Investimento R$ 29,1 milhões Benefício direto também para Biguaçu Mais qualidade

Leia mais

Diretoria Executiva de Saneamento e Infraestrutura

Diretoria Executiva de Saneamento e Infraestrutura Diretoria Executiva de Saneamento e Infraestrutura 1 Visão Geral do Setor Visão Geral Setor Saneamento Grandes Números Brasil Abastecimento de Água Representação espacial do índice médio de atendimento

Leia mais

3.6 LEOPOLDINA Sistema Existente de Abastecimento de Água

3.6 LEOPOLDINA Sistema Existente de Abastecimento de Água 3.6 LEOPOLDINA O sistema de abastecimento público de água em Leopoldina é operado e mantido pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais - COPASA, empresa de âmbito estadual, através do sistema operacional

Leia mais

Ações para enfrentamento da Crise Hidrica SABESP CBH-AT 16/07/2015

Ações para enfrentamento da Crise Hidrica SABESP CBH-AT 16/07/2015 Ações para enfrentamento da Crise Hidrica SABESP CBH-AT 16/07/2015 Solução para o abastecimento da RMSP Programa de Bônus Utilização da Reserva Técnica Estratégia para enfrentamento da crise Transferência

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES SECRETÁRIO NACIONAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO 2 SELEÇÃO DE PROPOSTAS DO GRUPO III

MINISTÉRIO DAS CIDADES SECRETÁRIO NACIONAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO 2 SELEÇÃO DE PROPOSTAS DO GRUPO III MINISTÉRIO DAS CIDADES SECRETÁRIO NACIONAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO 2 SELEÇÃO DE PROPOSTAS DO GRUPO III PERGUNTAS E RESPOSTAS - SANEAMENTO 1) Os proponentes que já

Leia mais

O COMITÊ GRAVATAHY E SEU TERRITÓRIO DE IRRIGAÇÃO E USOS MÚLTIPLOS DA ÁGUA

O COMITÊ GRAVATAHY E SEU TERRITÓRIO DE IRRIGAÇÃO E USOS MÚLTIPLOS DA ÁGUA O COMITÊ GRAVATAHY E SEU TERRITÓRIO DE IRRIGAÇÃO E USOS MÚLTIPLOS DA ÁGUA PAULO ROBINSON DA SILVA SAMUEL¹; KELY BOSCATO PEREIRA² ¹ Engenheiro atuando na área de Gestão Ambiental na Universidade Federal

Leia mais

Agenda. Conhecendo a Compesa Parceria Público-Privada. Contextualização Modelo de Negócios Investimentos. 20 dias 20 dias

Agenda. Conhecendo a Compesa Parceria Público-Privada. Contextualização Modelo de Negócios Investimentos. 20 dias 20 dias Agenda Conhecendo a Compesa Parceria Público-Privada 20 dias 20 dias Contextualização Modelo de Negócios Investimentos Conhecendo a Compesa Companhia Pernambucana de Saneamento Compesa Economia Mista de

Leia mais

Saneamento de Goiás S/A

Saneamento de Goiás S/A Saneamento de Goiás S/A Histórico Saneamento de Goiás S/A 1941 1949 1950 1960 1967 2001 Em 2001 obteve registro de companhia aberta tipo B junto à CVM DES, extinto em 1967 através da Lei 6680, que transformou

Leia mais

Capitalismo Concorrencial, Estado e Regulação

Capitalismo Concorrencial, Estado e Regulação Capitalismo Concorrencial, Estado e Regulação Prof. Ricardo Dalthein UFRGS/PPGE Guilherme Reis Dutra Priscilla Elisalde Pontes Porto Alegre, outubro de 2011 Origem Criado no segundo mandato do governo

Leia mais

Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Gravataí

Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Gravataí Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Gravataí Biênio 2012 2014 Presidente Paulo Robinson da Silva Samuel Vice Presidente Mario Rangel (2012/2013) Vice Presidente Sérgio Cardoso (2013/2014)

Leia mais

VI ENCONTRO DE INOVAÇÃO DA CESAN PALESTRA TÉCNICA: QUEBRA DE PARADIGMAS NO PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE PROGRAMAS DE REDUÇÃO DE PERDAS

VI ENCONTRO DE INOVAÇÃO DA CESAN PALESTRA TÉCNICA: QUEBRA DE PARADIGMAS NO PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE PROGRAMAS DE REDUÇÃO DE PERDAS VI ENCONTRO DE INOVAÇÃO DA CESAN PALESTRA TÉCNICA: QUEBRA DE PARADIGMAS NO PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE PROGRAMAS DE REDUÇÃO DE PERDAS PREMISSAS POR QUE INVESTIR EM PERDAS? Melhor performance econômica da

Leia mais

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 S Capacitação de Técnicos e Gestores para Elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico Módulo I Infraestrutura de Abastecimento

Leia mais

1º SUBCRÉDITO 1º PACOTE DE OBRAS PARA ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA BAIXADA FLUMINENSE

1º SUBCRÉDITO 1º PACOTE DE OBRAS PARA ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA BAIXADA FLUMINENSE CONHECENDO A CEDAE 1º SUBCRÉDITO 1º PACOTE DE OBRAS PARA ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA BAIXADA FLUMINENSE TOTAL- R$1.196.217.551,64 Assentamento de 55 km de tubulação para adução; Construção/reforma de 11

Leia mais

Programa de Metas SABESP 2007 / 2010

Programa de Metas SABESP 2007 / 2010 Programa de Metas SABESP Companhia Companhia de de Saneamento Saneamento Básico Básico do do Estado Estado de de São São Paulo Paulo Sabesp Sabesp Superintendência de Planejamento Integrado -- PI Superintendência

Leia mais

NOVA RÁDIO PAMPA, AGORA EM AM E FM. JORNALISMO 24 HORAS POR DIA COM MUITA CREDIBILIDADE.

NOVA RÁDIO PAMPA, AGORA EM AM E FM. JORNALISMO 24 HORAS POR DIA COM MUITA CREDIBILIDADE. NOVA RÁDIO PAMPA, AGORA EM AM E FM. JORNALISMO 24 HORAS POR DIA COM MUITA CREDIBILIDADE. BOOK DE PROGRAMAÇÃO Junho a Agosto de 2017 A Rádio Pampa está com uma programação muito mais dinâmica e com uma

Leia mais

Desafios do Engenheiro frente ao Saneamento Ambiental. Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental ABES PR

Desafios do Engenheiro frente ao Saneamento Ambiental. Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental ABES PR Desafios do Engenheiro frente ao Saneamento Ambiental Abastecimento de Água Coleta e Tratamento de Esgotos Drenagem Urbana Resíduos Sólidos A Palestra é sobre Saneamento Básico e o nosso propósito é: Reforçar

Leia mais

PAULÍNIA OBRAS E AÇÕES GESTÃO

PAULÍNIA OBRAS E AÇÕES GESTÃO PAULÍNIA OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2011-2014 AGRICULTURA: Programa Melhor Caminho: recuperados 3,89 km das estradas PLN-460, PLN-464 e PLN-060 no Bairro Betel (1ª Fase) - Bacia Hidrográfica Piracicaba/Capivari/Jundiaí

Leia mais

Concessão administrativa para ampliação, manutenção e operação do sistema de esgotamento sanitário do município da Serra

Concessão administrativa para ampliação, manutenção e operação do sistema de esgotamento sanitário do município da Serra Sumário Executivo Concessão administrativa para ampliação, manutenção e operação do sistema de esgotamento sanitário do município da Serra Em 10/10/13 a CESAN realizou o leilão na Bovespa através da Concorrência

Leia mais

Painel: GESTÃO TÉCNICA E OPERACIONAL. Título da Palestra: CASE GALEÃO/REUSO. Palestrante: MARCELO STEPHANES

Painel: GESTÃO TÉCNICA E OPERACIONAL. Título da Palestra: CASE GALEÃO/REUSO. Palestrante: MARCELO STEPHANES I ENCONTRO DAS S 13 a 15 de maio de 2009 - Campo Grande MS Realização: SINTERCON Painel: GESTÃO TÉCNICA E OPERACIONAL Título da Palestra: CASE GALEÃO/REUSO Palestrante: MARCELO STEPHANES Empresa: CDN SERVIÇOS

Leia mais

Sistema de Abastecimento de Água - SAA. João Karlos Locastro contato:

Sistema de Abastecimento de Água - SAA. João Karlos Locastro contato: 1 Sistema de Abastecimento de Água - SAA João Karlos Locastro contato: prof.joaokarlos@feitep.edu.br 2 Sistema de Abastecimento Definição: De acordo com a NBR 12211/92 trata-se de um conjunto de obras,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SANTA CATARINA INVESTIMENTOS EM SANEAMENTO BÁSICO

GOVERNO DO ESTADO DE SANTA CATARINA INVESTIMENTOS EM SANEAMENTO BÁSICO GOVERNO DO ESTADO DE SANTA CATARINA COMPANHIA CATARINENSE DE ÁGUAS E SANEAMENTO INVESTIMENTOS EM SANEAMENTO BÁSICO 2014-2017 DIRETORIA DE EXPANSÃO FEVEREIRO-2014 ESGOTAMENTO SANITÁRIO INVESTIMENTO POR

Leia mais

IV O COMITÊ GRAVATAÍ E A CONSTRUÇÃO DE SEU PLANO DE BACIA

IV O COMITÊ GRAVATAÍ E A CONSTRUÇÃO DE SEU PLANO DE BACIA IV- 076 - O COMITÊ GRAVATAÍ E A CONSTRUÇÃO DE SEU PLANO DE BACIA Paulo Robinson da Silva Samuel (1) Engenheiro atuando na área de Gestão Ambiental na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Presidente

Leia mais

Qualificação de Fornecedores na Sabesp

Qualificação de Fornecedores na Sabesp Qualificação de Fornecedores na Sabesp Objetivo Mostrar ao mercado nacional e internacional, o interesse da Sabesp em fomentar a participação do maior número possível de fornecedores de materiais e equipamentos

Leia mais

Possibilidades de PPP em Saneamento

Possibilidades de PPP em Saneamento Seminário Internacional MRE BID BNDES Parceria Público-Privada Privada na Prestação de Serviços de Infra-estrutura Possibilidades de PPP em Saneamento ROGÉRIO DE PAULA TAVARES Diretor de Saneamento e Infra-estrutura

Leia mais

EDITAL DE CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL Nº XXX ANEXO - PLANO DE NEGÓCIOS DE REFERÊNCIA

EDITAL DE CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL Nº XXX ANEXO - PLANO DE NEGÓCIOS DE REFERÊNCIA EDITAL DE CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL Nº XXX ANEXO - PLANO DE NEGÓCIOS DE REFERÊNCIA Sumário 1. SÍNTESE DA CONCORRÊNCIA E DESCRIÇÃO DO PROJETO... 3 1.1 Plano de negócios... 3 1.2 Metodologia de avaliação...

Leia mais

PPP do Saneamento Básico. Pioneirismo em parceria tripartite com a iniciativa privada; novo modelo de financiamento para a gestão pública

PPP do Saneamento Básico. Pioneirismo em parceria tripartite com a iniciativa privada; novo modelo de financiamento para a gestão pública PPP do Saneamento Básico Pioneirismo em parceria tripartite com a iniciativa privada; novo modelo de financiamento para a gestão pública Paraty, cidade sem rede de esgoto e água tratada? Patrimônio histórico

Leia mais

PROJETO TIETÊ III. Secretária Dilma Pena 22 de novembro de 2010 SECRETARIA DE SANEAMENTO E ENERGIA

PROJETO TIETÊ III. Secretária Dilma Pena 22 de novembro de 2010 SECRETARIA DE SANEAMENTO E ENERGIA PROJETO TIETÊ III Secretária Dilma Pena 22 de novembro de 2010 SECRETARIA DE SANEAMENTO E ENERGIA Investimentos Os investimentos totais do Projeto Tietê III somam US$ 1,05 bilhão a serem usados em benefício

Leia mais

RESERVATÓRIO DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA

RESERVATÓRIO DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA RESERVATÓRIO DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA Prof. Hugo Alexandre Soares Guedes E-mail: hugo.guedes@ufpel.edu.br

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saneamento Básico PNSB /09/2009

Pesquisa Nacional de Saneamento Básico PNSB /09/2009 Pesquisa Nacional de Saneamento Básico PNSB 2008 09/09/2009 HISTÓRICO 1974: o primeiro levantamento estatístico sobre saneamento básico foi realizado, num convênio firmado com o Ministério da Saúde, no

Leia mais

Ferramentas de Transferência de Informação Concessionária-Agência e Geração de Indicadores de Qualidade

Ferramentas de Transferência de Informação Concessionária-Agência e Geração de Indicadores de Qualidade Serviços de Água e Esgoto de Joinville Ferramentas de Transferência de Informação Concessionária-Agência e Geração de Indicadores de Qualidade 1º ENARMIS 12 e 13 de novembro de 2015 Florianópolis -SC Sobre

Leia mais

rio grande do sul 7º Balanço janeiro a abril de 2009

rio grande do sul 7º Balanço janeiro a abril de 2009 rio grande do sul 7º Balanço janeiro a abril de 2009 Pavimentação BR-158 - Km 53 Santa Maria - Rosário do Sul Construção - Estaleiro Rio Grande Trensurb Extensão São Leopoldo-Novo Hamburgo Urbanização

Leia mais

A Crise Hídrica no Estado de São Paulo Políticas Públicas e Programas para Conservação de Água

A Crise Hídrica no Estado de São Paulo Políticas Públicas e Programas para Conservação de Água Workshop ZCAS/MONÇÃO Cachoeira Paulista, 20 a 22/07/2015 A Crise Hídrica no Estado de São Paulo Políticas Públicas e Programas para Conservação de Água Américo de Oliveira Sampaio Coordenador de Saneamento

Leia mais

PANORAMA BAIANO DAS ENTIDADES ATUANTES NO ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO MEIO RURAL

PANORAMA BAIANO DAS ENTIDADES ATUANTES NO ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO MEIO RURAL PANORAMA BAIANO DAS ENTIDADES ATUANTES NO ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO MEIO RURAL Maria Valéria G. de Q. Ferreira Renavan Andrade Sobrinho Anésio Miranda Fernandes Neli Bonfim Cerqueira Jefferson Cerqueira

Leia mais

GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS DO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO - GALEÃO. Pedro Masiero Jr.

GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS DO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO - GALEÃO. Pedro Masiero Jr. 18 de agosto de 2010, Rio de Janeiro GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS DO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO - GALEÃO. Pedro Masiero Jr. O Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro Dados

Leia mais

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO CIDADE DE LAGOA FORMOSA DADOS RELATIVOS AO ABASTECIMENTO DE ÁGUA ATUAL

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO CIDADE DE LAGOA FORMOSA DADOS RELATIVOS AO ABASTECIMENTO DE ÁGUA ATUAL SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO CIDADE DE LAGOA FORMOSA DADOS RELATIVOS AO ABASTECIMENTO DE ÁGUA ATUAL 1 I CONSIDERAÇÕES SOBRE O ATENDIMENTO ATUAL DA POPULAÇÃO O sistema atual, no que concerne à produção

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO. NÚMERO DE CADASTRO DA ENTIDADE NO MUNICÍPIO (Preenchido de acordo com o Relatório de Números Cadastrais / IBGE)

IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO. NÚMERO DE CADASTRO DA ENTIDADE NO MUNICÍPIO (Preenchido de acordo com o Relatório de Números Cadastrais / IBGE) Diretoria de Pesquisas - DPE Coordenação de População e Indicadores Sociais - COPIS PESQUISA NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO - 0 ABASTECIMENTO DE ÁGUA AA BLOCO 0 0 IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO NÚMERO DE

Leia mais

Objetivo 7 - Garantir a sustentabilidade ambiental

Objetivo 7 - Garantir a sustentabilidade ambiental Apresentação dos Resultados do Relatório ODM BH 2014 - Meta 10 - Reduzir pela metade, até 2015, a proporção da população sem acesso permanente e sustentável à água potável e esgotamento sanitário Ricardo

Leia mais

ORÇADO EMPENHADO ANT PAGAMENTO ANT LIQUIDADO ANT 0,00 0,00 0, ,00 0,00 0,00 0, ,00 0,00 0,00 0, ,00 0,00 0,00 0,00

ORÇADO EMPENHADO ANT PAGAMENTO ANT LIQUIDADO ANT 0,00 0,00 0, ,00 0,00 0,00 0, ,00 0,00 0,00 0, ,00 0,00 0,00 0,00 Folha: 1 de 9 : 01 - GABINETE DO SUPERINTENDENTE 171220001.2.035 - MANUTENÇÃO DO GABINETE DO SUPERINTENDENTE 3.1.90.11.00.00 00001 VENCIMENTOS E VANTAGENS FIXAS-PESSOAL CIVIL 117.00 117.00 109.750,89 3.3.90.30.00.00

Leia mais

Governança Metropolitana na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA)

Governança Metropolitana na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA) Governança Metropolitana na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA) Arranjo Institucional de Gestão Metropolitana e Funções Públicas de Interesse Comum Governança Metropolitana na RMPA: Arranjo Institucional

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS. Reunião APL MERS Governança e Empresas Porto Alegre, 17 dezembro 2013.

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS. Reunião APL MERS Governança e Empresas Porto Alegre, 17 dezembro 2013. ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS Reunião APL MERS Governança e Empresas Porto Alegre, 17 dezembro 2013. Agenda da Reunião APL MERS 17/12/13 1. Apresentação APL Máquinas e

Leia mais

Encontro Gestão Eficiente de Água e Energia

Encontro Gestão Eficiente de Água e Energia Encontro Gestão Eficiente de Água e Energia 26 de novembro de 2015 10h às 17h30 Sistema FIRJAN Rio de Janeiro Estudo sobre disponibilidade hídrica na região metropolitana do Estado do Rio Paulo Carneiro

Leia mais

A PNSB e o Saneamento Rural

A PNSB e o Saneamento Rural A PNSB e o Saneamento Rural Antônio Tadeu Ribeiro de Oliveira Gerente de Estudos e Pesquisas Sociais VI Seminário Nacional de Saneamento Rural João Pessoa, 07.11.2012 A PNSB Pesquisa Nacional de Saneamento

Leia mais

A Experiência da Sanepar com Sistemas de Abastecimento de Água em Pequenas Comunidades Rurais

A Experiência da Sanepar com Sistemas de Abastecimento de Água em Pequenas Comunidades Rurais A Experiência da Sanepar com Sistemas de Abastecimento de Água em Pequenas Comunidades Rurais COMPANHIA DE SANEAMENTO DO PARANÁ USPC - UNIDADE DE SERVIÇOS PEQUENAS COMUNIDADES A Experiência da Sanepar

Leia mais

Plano de Desenvolvimento para o Sistema de Saneamento Básico do Município de Mossoró

Plano de Desenvolvimento para o Sistema de Saneamento Básico do Município de Mossoró Plano de Desenvolvimento para o Sistema de Saneamento Básico do Município de Mossoró Prefeitura Municipal de Mossoró Secretaria do Desenvolvimento Territorial e Ambiental Produto III Relatório Técnico

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE Marco Antônio Câmara Superintendente da FUNASA SUEST/MG Edicleusa Veloso Moreira Assessora Especial A FUNASA tem por finalidade promover SAÚDE PUBLICA e a

Leia mais

DISCUSSÃO SOBRE ALTERAÇÃO DO VALOR DA COBRANÇA NA RH II -GUANDU. Seropédica 01 de junho de 2016

DISCUSSÃO SOBRE ALTERAÇÃO DO VALOR DA COBRANÇA NA RH II -GUANDU. Seropédica 01 de junho de 2016 DISCUSSÃO SOBRE ALTERAÇÃO DO VALOR DA COBRANÇA NA RH II -GUANDU Seropédica 01 de junho de 2016 PERFIL DE USUÁRIOS Definições: Usuários Cadastrados -> Aqueles que possuem cadastro pelo uso de recursos hídricos,

Leia mais

Desde 2001 Conta hoje com. Desde 1996 Conta hoje com. Empresas associadas. Empresas associadas

Desde 2001 Conta hoje com. Desde 1996 Conta hoje com. Empresas associadas. Empresas associadas Desde 1996 Conta hoje com 14 Empresas associadas Desde 2001 Conta hoje com 125 Empresas associadas Temas Estratégicos ABCON 2016 1 SEGURANÇA JURÍDICA: uma proposta para o compartilhamento

Leia mais

Apresentação Institucional. Engenharia de Infraestrutura

Apresentação Institucional. Engenharia de Infraestrutura Apresentação Institucional Engenharia de Infraestrutura Líder de Mercado em Engenharia de Infraestrutura 24 anos de atuação, desenvolvendo projetos nas áreas de: Transporte e Mobilidade Desenvolvimento

Leia mais

Luciene Machado. Painel Financiamento: fontes e modalidades para suportar os investimentos

Luciene Machado. Painel Financiamento: fontes e modalidades para suportar os investimentos Seminário ABDIB- As Soluções para o Saneamento Básico e os Recursos Hídricos no Brasil Painel Financiamento: fontes e modalidades para suportar os investimentos SP, 16/03/2017 15 de dezembro de 2016 Luciene

Leia mais

EVOLUÇÃO DO SANEAMENTO REGIÃO DOS LAGOS

EVOLUÇÃO DO SANEAMENTO REGIÃO DOS LAGOS EVOLUÇÃO DO SANEAMENTO REGIÃO DOS LAGOS Região de atuação Região dos Lagos - RJ Municípios: Cabo Frio, Búzios, São Pedro da Aldeia, Iguaba Grande, Arraial do Cabo região dos lagos do RJ; Concessão Plena

Leia mais

Saneamento Ambiental I. Aula 02 Sistemas de Abastecimento de Água e Consumo

Saneamento Ambiental I. Aula 02 Sistemas de Abastecimento de Água e Consumo Universidade Federal do Paraná Engenharia Ambiental Saneamento Ambiental I Aula 02 Sistemas de Abastecimento de Água e Consumo Profª Heloise G. Knapik 1 Concepção de um Sistema de Abastecimento de Água

Leia mais

PLANO ESTADUAL DE CONVIVÊNCIA COM A SECA

PLANO ESTADUAL DE CONVIVÊNCIA COM A SECA PLANO ESTADUAL DE CONVIVÊNCIA COM A SECA LANÇADO EM FEVEREIRO DE 2015 COM MEDIDAS EMERGENCIAIS E ESTRUTURANTES PARA SEGURANÇA HÍDRICA, SEGURANÇA ALIMENTAR, BENEFÍCIOS SOCIAIS, SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA,

Leia mais

Metropole que queremos: Planejamento para uma região metropolitana sustentável

Metropole que queremos: Planejamento para uma região metropolitana sustentável Metropole que queremos: Planejamento para uma região metropolitana sustentável Arq. Oscar Escher, Diretor Superintendente METROPLAN SINAENCO, 25 de Setembro de 2013 Localização Localização Região Metropolitana

Leia mais

Segurança hídrica e sistemas de abastecimento. Paulo Massato Yoshimoto - Diretor Metropolitano Sabesp

Segurança hídrica e sistemas de abastecimento. Paulo Massato Yoshimoto - Diretor Metropolitano Sabesp Segurança hídrica e sistemas de abastecimento Paulo Massato Yoshimoto - Diretor Metropolitano Sabesp Bacia do Alto Tietê CANTAREIRA BAIXO COTIA ALTO TIETÊ ALTO COTIA RIO GRANDE (BILLINGS) RIB. ESTIVA RIO

Leia mais

A Experiência da Sanepar com Sistemas de Abastecimento de Água em Pequenas Comunidades Rurais

A Experiência da Sanepar com Sistemas de Abastecimento de Água em Pequenas Comunidades Rurais A Experiência da Sanepar com Sistemas de Abastecimento de Água em Pequenas Comunidades Rurais AGENDA 1. ESTADO DO PARANÁ 1.1 - PERFIL DO ESTADO DO PARANÁ 2. SANEPAR 2.1 - PERFIL DA COMPANHIA 2.2 - INVESTIMENTOS

Leia mais

DIRCE REIS. OBRAS E AÇÕES - Gestão R$ ,00

DIRCE REIS. OBRAS E AÇÕES - Gestão R$ ,00 DIRCE REIS OBRAS E AÇÕES - Gestão 2007-2010 2010 R$ 3.500.000,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 31.615 litros de leite, no período Jan/2007 a Ago/2009 - Custo: R$ 40 mil, beneficiando

Leia mais

Jornalismo, meio ambiente, saneamento

Jornalismo, meio ambiente, saneamento Cabo Frio 12/09/2016 Jornalismo, meio ambiente, saneamento Por menos que se queira analisar por esses ângulos, hoje é praticamente impossível tratar qualquer tema no jornalismo sem tratar também de suas

Leia mais

RELATÓRIO EXECUTIVO SANEAMENTO

RELATÓRIO EXECUTIVO SANEAMENTO RELATÓRIO EXECUTIVO SANEAMENTO 26 de setembro de 2017 Para ler os artigos de seu interesse basta clicar sobre os títulos do índice Negócios Corsan inicia consulta pública para parceria de esgoto A Corsan

Leia mais

Anexo 7 - Despesa por Projeto e Atividade - Detalhado

Anexo 7 - Despesa por Projeto e Atividade - Detalhado Folha N. 1 01 LEGISLATIVA 120.000,00 4.543.000,00 4.848.000,00 01.031 AÇÃO LEGISLATIVA 120.000,00 4.543.000,00 4.848.000,00 01.031.0001 PROCESSO LEGISLATIVO 4.543.000,00 4.728.000,00 01.031.0001.0125 INATIVOS

Leia mais