Objetivo: Retratar a realidade do Brasil agrário Ano de realização: 2007 Período de referência: ano de 2006 Unidade de investigação: estabelecimento

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Objetivo: Retratar a realidade do Brasil agrário Ano de realização: 2007 Período de referência: ano de 2006 Unidade de investigação: estabelecimento"

Transcrição

1 Salvador Norma Souto e Delsuc Evangelista

2 Objetivo: Retratar a realidade do Brasil agrário Ano de realização: 2007 Período de referência: ano de 2006 Unidade de investigação: estabelecimento agropecuário: toda unidade de produção dedicada, total ou parcialmente, a atividades agropecuárias, florestais e aquícolas, independentemente de seu tamanho, de sua forma jurídica ou de sua localização em área urbana ou rural, tendo como objetivo a produção para subsistência e/ou para a venda. Os dados foram obtidos através de entrevista direta com o produtor

3 Censo Rural, Bahia, 2006

4 Características gerais dos estabelecimentos agropecuários

5 Número e Área (em hectares) dos estabelecimentos agropecuários por ano. Bahia, Nº est Área est

6 Estabelecimentos agropecuários (%) por grupos de área total (em hectares). Bahia, ,4 0,6 0,3 0,1 2, ,7 57, Prod sem área 2006

7 Área dos estabelecimentos agropecuários (%) por utilização das terras. Bahia, ,6 12 5,8 0,9 Matas Naturais 26,4 33,6 Pastagens plantadas Pastagens naturais Lavouras temporárias Lavouras permanentes Matas plantadas 2006

8 Produção vegetal dos estabelecimentos agropecuários por alguns tipos. Bahia a 2006 Produção vegetal Ano Café em coco (Toneladas) Cacau (amêndoa) (Toneladas) Laranja (Mil frutos) Uva (Toneladas) Algodão em caroço (Toneladas) Arroz em casca (Toneladas) Cana-de-açúcar (Toneladas) Feijão em grão (Toneladas) Fumo em folha (Toneladas) Mandioca (Toneladas) Milho em grão (Toneladas) Soja em grão (Toneladas) Trigo em grão (Toneladas)

9 Efetivo de animais em estabelecimentos agropecuários por espécie de efetivo - Bahia a 2006 Espécie de efetivo Ano Bovinos (Cabeças) Bubalinos (Cabeças) Equinos (Cabeças) Asininos (Cabeças) Muares (Cabeças) Caprinos (Cabeças) Ovinos (Cabeças) Suínos (Cabeças) Aves (Mil cabeças)

10 Número de tratores em estabelecimentos agropecuários, por ano. Bahia a Número

11 Estabelecimentos agropecuários (%) por condição do produtor em relação às terras. Bahia, ,9 2,5 2,1 1,1 0,8 Proprietário Ocupante Produtor sem área Assentado Parceiro 87,6 Arrendatário 2006

12 Número de estabelecimentos agropecuários por nível de instrução da pessoa que dirige o estabelecimento. Bahia, 2006 Nível de instrução Nº de estab. % Não sabe ler e escrever ,02 Ensino fundamental incompleto (1º grau) ,44 Nenhum, mas sabe ler e escrever ,33 Alfabetização de adultos ,06 Ensino fundamental completo (1º grau) ,85 Ensino médio ou 2º grau completo (outro) ,36 Ensino médio ou 2º grau completo (técnico agrícola) ,88 Outra formação superior ,86 Engenheiro agrônomo 939 0,12 Veterinário 264 0,03 Zootecnista 55 0,00 Engenheiro florestal 37 0,00 Total ,0

13 Número de estabelecimentos agropecuários por uso de agricultura orgânica. Bahia, 2006 Uso de agricultura orgânica N de estabelec % Fazem ,00 Fazem e são certificados por entidade credenciada 453 0,06 Fazem e não são certificados ,94 Não fazem ,00 Total ,00

14 Estabelecimentos agropecuários (%) por orientação técnica. Bahia, ,4 2,5 Ocasionalmente Regularmente Não recebeu 93,1

15 População ocupada dos estabelecimentos agropecuários

16 Pessoal ocupado em estabelecimentos agropecuários, Bahia, 1970/ Número

17 Pessoal ocupado (%) em estabelecimentos agropecuários, por trabalho do menor. Bahia, ,7 14 anos e mais Menor de 14 anos 94,3

18 Pessoal ocupado (%) em estabelecimentos agropecuários por sexo. Bahia, ,9 68,2 56,2 43,8 31,1 31,8 14 anos e mais Menor de 14 anos Total Masculino Feminino

19 Pessoal ocupado (%) em estabelecimentos agropecuários por grupos de área total (em hectares). Bahia, ,6 8,4 2,3 2,1 50, Produtor sem área

20 Pessoal ocupado (%) em estabelecimentos agropecuários por condição do produtor em relação às terras, Bahia, ,9 1 2,2 5,3 2,1 Proprietário Assentado Arrendatário Parceiro Ocupante Produtor sem área 88,6

21 Pessoal ocupado (%) em estabelecimentos agropecuários por grupos de atividade econômica. Bahia, ,7 34,8 0, 0,1 2,3 1,81,6 0,04 Pecuária Lavoura temporária Lavoura permanente 41,5 Horticultura e floricultura Produção florestal - nativas Produção florestal - plantadas Pesca Aquicultura Sementes, mudas

22 Distribuição (%) do pessoal ocupado em estabelecimentos agropecuários por macro regional. Bahia, ,8 19,9 10,9 9,8 9,3 9,1 8,8 7,8 2,6 Centro-Leste Sudoeste Oeste Nordeste Norte Centro-Norte Sul Leste 0 Extremo Sul

23 Distribuição (%) do pessoal ocupado em estabelecimentos agropecuários, por área de abrangência do Cerest. Bahia, ,9 10,9 9,8 9,3 9,1 9 7,7 6,8 6,1 5 2,8 2,6 0,7 0,3 Vitória da Conquista Barreiras Alagoinhas Juazeiro Jacobina Conceição do Coité Feira de Santana Sto Ant Jesus Itabuna Itaberaba Jequié Teixeira de Freitas Camaçari Salvador

24 Utilização de agrotóxicos nos estabelecimentos agropecuários

25 Estabelecimentos agropecuários (%) por uso de agrotóxicos. Bahia, % 2% Utilizou Utiliza - não usou em 2006 Não utilizou 86%

26 Número de estabelecimentos agropecuários que usaram agrotóxico, e percentual de utilização em relação ao total de estabelecimento por macro regional. Bahia, 2006 Nº estab que usaram Macro Reg agrotóxico (A) Total de estab. (B) %(A/ B) Sudoeste ,2 Norte ,5 Nordeste ,2 Oeste ,6 Leste ,7 Extremo Sul ,2 Sul ,1 Centro-Leste ,0 Centro-Norte ,7 Total ,8

27 Número de estabelecimentos agropecuários que usaram agrotóxico, e percentual de utilização em relação ao total de estabelecimento por Cerest. Bahia, 2006 Nº estab que usaram Cerest agrotóxico (A) Total de estab. (B) %(A/ B) Vitória da Conquista ,2 Salvador ,9 Juazeiro ,5 Alagoinhas ,2 Barreiras ,6 Santo Antônio de Jesus ,2 Jequié ,4 Teixeira de Freitas ,2 Feira de Santana ,1 Itabuna ,0 Itaberaba ,4 Jacobina ,7 Conceição do Coité ,5 Camaçari ,2 Total ,8

28 Municípios com maior número de estabelecimentos que utilizaram agrotóxicos. Bahia, Nº estab que usaram Municípios BA agrotóxico Guanambi Paripiranga Livramento do Brumado Palmas de Monte Alto Juazeiro Candiba Riacho de Santana Curaçá Brumado Serra do Ramalho Malhada Matina Sebastião Laranjeiras Casa Nova Bom Jesus da Lapa Dom Basílio Pindaí Aracatu Carinhanha Urandi Cabaceiras do Paraguaçu Tanhaçu 1.015

29 Municípios com maior percentual de estabelecimentos que utilizaram agrotóxicos em relação ao total de estabelecimentos. Bahia, Nº estab que usaram Municípios BA agrotóxico (A) Total de estab (B) %(A/ B) Malhada ,0 Matina ,9 Guanambi ,0 Palmas de Monte Alto ,1 Rodelas ,9 Sebastião Laranjeiras ,4 Candiba ,7 Iuiú ,0 Luís Eduardo Magalhães ,6 Urandi ,0 Riacho de Santana ,4 Conceição do Almeida ,4 Dom Basílio ,9 Tanhaçu ,7 Itaquara ,6 Carinhanha ,1 Aracatu ,5 Livramento do Brumado ,4 Serra do Ramalho ,9 Brumado ,8 Pindaí ,5 Juazeiro ,4 Jaguaquara ,1

30 Número de estabelecimentos agropecuários que utilizaram agrotóxicos e percentual de uso por grupos de área de lavoura em relação ao total de estabelecimentos por grupo. Bahia, 2006 Grupos de área de lavoura Nº estab que usaram agrotóxico (A) Total de estab % (A/ B) Maior de 0 a menos de 1 ha ,4 De 1 a menos de 2 ha ,3 De 2 a menos de 5 ha ,9 De 5 a menos de 10 ha ,6 De 10 a menos de 20 ha ,3 De 20 a menos de 50 ha ,9 De 50 a menos de 100 ha ,7 De 100 a menos de 200 ha ,2 De 200 a menos de 500 ha ,4 De 500 ha e mais ,4 Sem declaração ,4 Total ,8

31 Número de estabelecimentos agropecuários que utilizaram agrotóxicos, e percentual de uso por condição do produtor em relação ao total de estabelecimentos por essa condição. Bahia, 2006 Condição do produtor Nº estab que usaram agrotóxico (A) Total de estabelecimentos (B) % (A/ B) Arrendatário ,1 Parceiro ,1 Assentado sem titulação definitiva ,3 Ocupante ,5 Proprietário ,5 Produtor sem área ,1 Total ,8

32 Estabelecimentos com produção de lavouras permanentes (com mais de cinquenta pés) por alguns tipos de produto e utilização de agrotóxicos. Bahia Total de estab que utilizaram Produtos agrotóxicos (A) Total de estab. (B) %(A/ B) Uva (mesa) ,4 Manga ,3 Maracujá ,3 Goiaba ,8 Mamão ,6 Algodão arbóreo ,5 Limão ,5 Café canephora (robusta, conilon) em grão (verde) ,0 Laranja ,6 Coco-da-baía ,0 Café arábica em grão (verde) ,0 Banana ,7 Cajú (fruto) ,1 Borracha (látex coagulado) ,7 Cajú (castanha) ,2 Cacau (amêndoa) ,1

33 Estabelecimentos agropecuários com lavoura temporária por alguns tipos de produtos e percentual de uso de agrotóxicos. Bahia, Total de estab que utilizaram Produtos agrotóxicos (A) Total de estab. (B) % (A/ B) Soja em grão ,4 Tomate rasteiro (indust rial) ,7 Cebola ,4 Algodão herbáceo ,4 Sorgo em grão ,8 Sorgo forrageiro ,3 Melão ,7 Alho ,4 Fumo em folha seca ,3 Melancia ,0 Feijão fradinho em grão ,4 Sementes de milho (produzidas para plant io) ,8 Feijão verde ,7 Abacaxi ,0 Fava em grão ,3 Abóbora, moranga, jerimum ,1 Amendoim em casca ,9 Feijão preto em grão ,1 Sementes de feijão (produzidas para plant io) ,1 Milho em grão ,9 Milho forrageiro ,9 Batata-inglesa ,4 Feijão de cor em grão ,0 Arroz em casca ,6 Gergelim (sement e) ,4 Mandioca (aipim, macaxeira) ,8 Forrageiras para corte ,7 Cana-de-açúcar ,5 Cana forrageira ,0 Mamona ,6

34 Estabelecimentos agropecuários com horticultura por alguns tipos de produtos e percentual de uso de agrotóxicos. Bahia, Total de estab que utilizaram Produtos agrotóxicos (A) Total de estab. (B) % (A/ B) Repolho ,6 Piment ão ,8 Tomate (estaqueado) ,3 Beterraba ,3 Pepino ,1 Cenoura ,0 Vagem (feijão vagem) ,3 Brócolis ,6 Espinafre ,5 Berinjela ,0 Chuchu ,6 Jiló ,8 Manjericão ,0 Salsa ,5 Hortelã ,4 Rúcula ,8 Couve-flor ,7 Quiabo ,7 Couve ,5 Abobrinha ,0 Cebolinha ,0 Alface ,9 Coent ro ,8 Alho-porró ,9 Piment a ,6 Maxixe ,0 Milho verde (espiga) ,7 Inhame ,5 Batata-doce ,1

35 Número de estabelecimentos agropecuários que utilizaram agrotóxicos, e percentual de uso por orientação técnica em relação ao total de estabelecimentos por essa orientação. Bahia, 2006 Orientação técnica Nº estab que usaram agrotóxico (A) Total de estabelecimentos (B) % (A/ B) Regularmente ,8 Ocasionalmente ,1 Não recebeu ,7 Total ,8

36 Estabelecimentos agropecuários (%) que utilizaram agrotóxicos (N= ) por uso de equipamentos de proteção. Bahia , , ,9 39, ,2 21,5 13, Botas Chapéu ou capuz Máscara Luvas Óculos ou protetor facial Roupa protetora (macacão) Avental ou capa 2,5 Trator ou veículo com cabine protetora Obs: Inclusive os que declararam mais de um tipo de equipamento

37 Estabelecimentos agropecuários (%) que utilizaram agrotóxicos (N=84.427) por tipo de equipamento utilizado na aplicação do agrotóxico. Bahia, ,4 13,9 6,3 Pulverizador costaloutro equipamento Equip de tração mecânicae/ ou animal 1,7 1,3 Pulverizador estacionário Por aeronave Obs: Inclusive os que declararam mais de um tipo de equipamento

38 Estabelecimentos agropecuários (%) que utilizaram agrotóxicos por destino das embalagens. Bahia, 2006 Destino das embalagens % Queimadas ou enterradas 56,3 Largadas no campo 12,8 Devolvidas ao comerciante 11,4 Depositadas no estabelecimento, aguardando para serem retiradas 8,6 Depósito de lixo comum 6,3 Outro destino 3,4 Recolhidas pela prefeitura ou órgãos públicos ou entregue à central de coleta de embalagens 3,0 Reaproveitadas 0,7 Vendidas 0,1 Total 100,0

39 Número de estabelecimentos agropecuários por tipo de alternativa para controle de pragas e/ ou doenças em vegetais, Bahia, 2006 Tipo de alternativa Nº de estab % Fazem ,9 Controle biológico ,7 Queima de resíduos agrícolas e de restos de culturas ,0 Outras (uso de repelente, caldas, iscas, etc.) ,4 Não fazem ,1 Total ,0

40 Intoxicação por agrotóxicos em estabelecimentos agropecuários

41 Casos registrados de intoxicação por agrotóxico de uso agrícola no SINAN e no SINITOX, em 2007 comparados ao registro no Censo Rural, Bahia SINAN SINITOX Censo Rural 2006; MS/ Fiocruz/ SINITOX, 2007; SESAB/ DIS, 2007

42 Estabelecimentos agropecuários que usaram agrotóxicos segundo existência de pessoas intoxicadas e macro regional. Bahia, 2006 Total estab. que Macro Reg Nº de estab. com referência de pessoas intoxicadas (A) utilizaram agrotóxico (B) %(A/ B) Norte ,2 Sul ,9 Sudoeste ,5 Centro-Leste ,3 Extremo Sul ,2 Centro-Norte ,2 Oeste ,1 Nordeste ,9 Leste ,7 Total ,4

43 Estabelecimentos agropecuários que usaram agrotóxicos, segundo existência de pessoas intoxicadas e área de abrangência do Cerest. Bahia, Cerest Nº de estab. com referência de pessoas intoxicadas (A) Total estab. que utilizaram agrotóxico (B) %(A/ B) Jequié ,5 Juazeiro ,2 Feira de Santana ,7 Vitória da Conquista ,5 Itabuna ,4 Teixeira de Freitas ,2 Jacobina ,2 Barreiras ,1 Conceição do Coité ,1 Camaçari ,0 Alagoinhas ,9 Itaberaba ,7 Santo Antônio de Jesus ,7 Salvador ,3 Total ,4

44 Municípios com maior número de estabelecimentos agropecuários com existência de pessoas intoxicadas. Bahia, Municípios BA Sim Guanambi 74 Remanso 51 Palmas de Monte Alto 40 Candiba 37 Juazeiro 37 Pindaí 37 Curaçá 35 Brumado 30 Jaguaquara 30 Malhada 29 Matina 29 Adustina 24 Dom Basílio 23 Abaré 21 Livramento do Brumado 21 Paripiranga 18 Cabaceiras do Paraguaçu 17 Carinhanha 17 Santo Estêvão 17 Riacho de Santana 16 Santa Bárbara 15

45 Municípios com maior proporção de estabelecimentos que referiram pessoas intoxicadas por agrotóxicos em relação ao total de estabelecimentos que utilizaram agrotóxicos. Bahia, Nº de estab com referência de pessoas intoxicadas (A) Total de estab que utilizaram agrotóxicos (B) % (A/ B) Municípios BA Andorinha ,8 Remanso ,9 Caém ,2 Santa Inês ,1 Várzea da Roça ,1 Banzaê ,3 Ouriçangas ,3 Itambé ,0 Monte Santo ,5 Santa Teresinha ,3 Filadélfia ,1 Capim Grosso ,9 Gandu ,8 Itamari ,3 Jussari ,3 São Félix do Coribe ,9 Coronel João Sá ,8 Contendas do Sincorá ,7 Entre Rios ,6 Lençóis ,6 Pedro Alexandre ,6 Eunápolis ,4

46 Incidência* de intoxicação por agrotóxico segundo macro regional. Bahia, 2006 Macro Reg N º de Intoxicações Pessoas ocupadas Incidência* Sudoeste ,0 Norte ,0 Sul ,9 Nordeste ,6 Oeste ,8 Extremo Sul ,4 Centro-Leste ,6 Leste ,4 Centro-Norte ,0 Total ,4 * Incidência por pessoas Nota: Cada estabelecimento que referiu pessoa (s) intoxicada (s) foi considerado 01(um) caso de intoxicação

47 Incidência* de intoxicação por agrotóxico segundo área de abrangência do Cerest. Bahia, 2006 Cerest N º de Intoxicações Pessoas ocupadas Incidência* Vitória da Conquista ,0 Juazeiro ,0 Jequié ,7 Alagoinhas ,6 Feira de Santana ,4 Barreiras ,8 Teixeira de Freitas ,4 Itabuna ,2 Santo Antônio de Jesus ,5 Jacobina ,0 Conceição do Coité ,7 Salvador ,4 Itaberaba ,3 Camaçari ,3 Total ,4 * Incidência por pessoas Nota: Cada estabelecimento que referiu pessoa (s) intoxicada (s) foi considerado 01(um) caso de intoxicação

48 Municípios com maior incidência de Intoxicações por agrotóxicos. Bahia, 2006 Municípios BA Incidência* Rodelas 69,7 Malhada 54,0 Guanambi 52,5 Jaguaquara 50,3 Dom Basílio 48,5 Remanso 47,7 Matina 47,0 Candiba 46,8 Itaquara 45,6 Palmas de Monte Alto 42,0 Pindaí 38,0 Abaré 33,2 Santa Bárbara 31,1 Gandu 31,1 Brumado 30,7 Iuiú 30,6 Adustina 25,4 Curaçá 24,9 Antônio Cardoso 24,8 Contendas do Sincorá 23,0 Urandi 21,9 Andorinha 20,8 São Félix do Coribe 20,1 * Incidência por pessoas Nota: Cada estabelecimento que referiu pessoa (s) intoxicada (s) foi considerado 01(um) caso de intoxicação

49 Estabelecimentos agropecuários que utilizaram agrotóxicos por nível de instrução da pessoa que dirige o estabelecimento e indicativo de pessoas intoxicadas. Bahia, 2006 Nº de estab Nível de instrução com referência de pessoas intoxicadas (A) Total de estab que utilizaram agrotóxicos (B) % (A/ B) Não sabe ler e escrever ,0 Veterinário ,7 Nenhum, mas sabe ler e escrever ,4 Alfabetização de adultos ,3 Ensino fundamental incompleto (1º grau) ,3 Ensino fundamental completo (1º grau) ,0 Ensino médio ou 2º grau completo (outro) ,7 Outra formação superior ,6 Engenheiro agrônomo ,5 Ensino médio ou 2º grau completo (técnico agrícola) ,5 Zoot ecnist a Engenheiro florestal Total ,4

50 Estabelecimentos agropecuários que utilizaram agrotóxicos por condição do produtor em relação às terras e indicativo de pessoas intoxicadas. Bahia, 2006 Nº de estab Condição do produtor com referência de pessoas intoxicadas (A) Total de estab que utilizaram agrotóxicos (B) % (A/ B) Assentado sem titulação definitiva ,9 Parceiro ,8 Arrendatário ,8 Ocupante ,6 Produtor sem área ,5 Proprietário ,4 Total ,4

51 Estabelecimentos agropecuários que utilizaram agrotóxicos por tipo de equipamento empregado na aplicação do agrotóxico e indicativo de pessoas intoxicadas. Bahia, 2006 Nº de estab Equipamento empregado com referência de pessoas intoxicadas (A) Total de estab que utilizaram agrotóxicos (B) % (A/ B) Pulverizador costal ,6 Pulverizador estacionário ,4 Outro equipamento ,0 Equipamento de tração mecânica e/ ou animal ,8 Por aeronave ,6 Total ,4

52 Estabelecimentos agropecuários que utilizaram agrotóxicos por orientação técnica e indicativo de pessoas intoxicadas. Bahia, 2006 Nº de estab com Orientação técnica referência de pessoas intoxicadas (A) Total de estab que utilizaram agrotóxicos (B) % (A/ B) Não recebeu ,5 Ocasionalmente ,2 Regularmente ,1 Total ,4

CAMARA SETORIAL DA BORRACHA CARLOS ALFREDO B GUEDES BRASILIA JULHO 2015

CAMARA SETORIAL DA BORRACHA CARLOS ALFREDO B GUEDES BRASILIA JULHO 2015 CAMARA SETORIAL DA BORRACHA A CARLOS ALFREDO B GUEDES BRASILIA JULHO 2015 LEGISLAÇÃO Decreto nº 68.678, de 25 de maio de 1971 cria a Comissão Especial de Planejamento, Controle e Avaliação das Estatísticas

Leia mais

AJUSTE E FIXAÇÃO DE ÍNDICES DE RENDIMENTO

AJUSTE E FIXAÇÃO DE ÍNDICES DE RENDIMENTO AJUSTE E FIXAÇÃO DE ÍNDICES DE RENDIMENTO QUE INFORMAM O CONCEITO DE PRODUTIVIDADE Março 2005 APLICAÇÃO DOS ÍNDICES Função Social da Propriedade exige níveis satisfatórios de produtividade Vistoria do

Leia mais

SEGURO RURAL BRASILEIRO. Elaine Cristina dos Santos Ferreira

SEGURO RURAL BRASILEIRO. Elaine Cristina dos Santos Ferreira SEGURO RURAL BRASILEIRO Elaine Cristina dos Santos Ferreira MODALIDADES OFERTADAS DE SEGURO RURAL Agrícola Pecuário Florestas Aqüícola Penhor rural Benfeitorias e produtos agropecuários CPR Vida do Produtor

Leia mais

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12 ALMOÇO 1 Dia 2 Dia 3 Dia de ervas -Pão torrado -Mamão - fruta (melão) ou água de côco -Salada de folhas temperadas c/ azeite e orégano. -1 prato de sobremesa de legumes cozidos ou purê de batatas. - Arroz

Leia mais

SEGURO RURAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS

SEGURO RURAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS SEGURO RURAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS Histórico do Seguro Agrícola no Brasil 1878 - Congresso Agrícola do Recife; Lei n 2.168, de 11 de janeiro de 1954, estabelece normas para a instituição do seguro agrário

Leia mais

SEGURO RURAL BRASILEIRO

SEGURO RURAL BRASILEIRO SEGURO RURAL BRASILEIRO Gestão de Risco Rural Programa de Subvenção Econômica ao Prêmio do Seguro Rural 2011 O QUE É O SEGURO RURAL? O seguro rural é uma importante ferramenta de gestão de riscos que protege

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 4 DE ABRIL DE 2003 Aprovada pela Resolução/CD nº 7/2003 - DOU 74, de 16/04/03 seção 1, p. 101 B.S.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 4 DE ABRIL DE 2003 Aprovada pela Resolução/CD nº 7/2003 - DOU 74, de 16/04/03 seção 1, p. 101 B.S. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 4 DE ABRIL DE 2003 Aprovada pela Resolução/CD nº 7/2003 - DOU 74, de 16/04/03 seção 1, p. 101 B.S. 16, de 21/04/03 Estabelece diretrizes para fixação do Módulo Fiscal de cada

Leia mais

Seguro Rural. Desafios para a sua Operacionalização

Seguro Rural. Desafios para a sua Operacionalização Seguro Rural Desafios para a sua Operacionalização GESTÃO DE RISCO RURAL Riscos Rurais: - Climatológicos; Incêndio; Vida animal; Propriedades; Equipamentos; Armazenagem; Transporte; e, Preço. Seguro Rural

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO (VBP) AGROPECUÁRIO Julho/2015 R$ milhões VBP PRINCIPAIS PRODUTOS AGRÍCOLAS LAVOURAS

Leia mais

Cardápio de Novembro 2015

Cardápio de Novembro 2015 03/nov 04/nov 05/nov 06/nov Biscoito passatempo sem recheio Maçã / thompson Suco de caju Biscoito de polvilho Suco de goiaba Biscoito leite e mel Maçã / Suco de tangerina Biscoito mini gergelim Banana

Leia mais

Agravos relacionados ao trabalho registrados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), no estado da Bahia em 2008 1

Agravos relacionados ao trabalho registrados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), no estado da Bahia em 2008 1 GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA Secretaria da Saúde do Estado da Bahia SESAB Superintendência de Vigilância e Proteção à Saúde SUVISA Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador - CESAT Agravos relacionados

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM EMPREGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO EDITAL N.º 1 FESF, 04 DE FEVEREIRO DE 2010

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM EMPREGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO EDITAL N.º 1 FESF, 04 DE FEVEREIRO DE 2010 EDITAL N.º 1 FESF, 04 DE FEVEREIRO DE 2010 CIRURGIÃO DENTISTA MACRORREGIÃO MICRORREGIÃO MUNICÍPIO EUNAPOLIS PORTO SEGURO ITAGIMIRIM EXTREMO-SUL TEIXEIRA DE FREITAS ITANHEM JUCURUCU SUL SUDOESTE OESTE ILHÉUS

Leia mais

Anexo 6.4.1-8 Origem dos Insumos para a Produção Agropecuária

Anexo 6.4.1-8 Origem dos Insumos para a Produção Agropecuária Anexo 6.4.1-8 Origem dos Insumos para a Produção Agropecuária 2619-00-EIA-RL-0001-00 LT 500 KV MIRACEMA - SAPEAÇU E SUBESTAÇÕES ASSOCIADAS TOCANTINS Centenário Centenário Bovinos Centenário Guaraí Bovinos

Leia mais

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DO CRÉDITO RURAL - 2008

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DO CRÉDITO RURAL - 2008 5.1.1.4 - ATIVIDADE E FINALIDADE - ITEM - UNIDADE DA FEDERAÇÃO PRODUTOS (ITENS S) ACRE CUSTEIO Lavoura AMENDOIM 26 313.447,50 288,00 ARROZ DE SEQUEIRO 90 115.247,33 247,72 CUPUACU 1 180.00 135,00 FEIJAO

Leia mais

Relatório de CNAEs do Regime de Estimativa por Operação e do Regime de Estimativa Simplificado (Carga Média)

Relatório de CNAEs do Regime de Estimativa por Operação e do Regime de Estimativa Simplificado (Carga Média) Relatório de CNAEs do Regime de Estimativa por Operação e do Regime de Estimativa Simplificado (Carga Média) 0111-3/01 Cultivo de arroz 0111-3/02 Cultivo de milho 0111-3/03 Cultivo de trigo 0111-3/99 Cultivo

Leia mais

5 AS ATIVIDADES ECONÔMICAS: PRODUÇÃO, EMPREGO E RENDA

5 AS ATIVIDADES ECONÔMICAS: PRODUÇÃO, EMPREGO E RENDA 5 AS ATIVIDADES ECONÔMICAS: PRODUÇÃO, EMPREGO E RENDA Neste quinto capítulo, se busca avaliar com mais profundidade as atividades econômicas do município, com o recorte centrado na produção, no emprego

Leia mais

Boletim DATALUTA Artigo do mês II: setembro de 2015. ISSN 2177-4463

Boletim DATALUTA Artigo do mês II: setembro de 2015. ISSN 2177-4463 MERCADOS INSTITUCIONAIS COMO ALTERNATIVA PARA O FORTALECIMENTO DOS MERCADOS LOCAIS DE ALIMENTOS: O CASO DO PROGRAMA DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS (PAA) NO MUNICÍPIO DE TUPI PAULISTA/SP Valmir José de Oliveira

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 02 DE 11 DE OUTUBRO DE 2006

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 02 DE 11 DE OUTUBRO DE 2006 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 02 DE 11 DE OUTUBRO DE 2006 Estabelece valores de referência para outorga de uso de recursos hídricos em corpos de água de domínio do Distrito Federal e dá outras providências.

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE PROGRAMA DE SUBVENÇÃO PARA O SEGURO RURAL. www.brasileirarural.com.br

A IMPORTÂNCIA DE PROGRAMA DE SUBVENÇÃO PARA O SEGURO RURAL. www.brasileirarural.com.br A IMPORTÂNCIA DE PROGRAMA DE SUBVENÇÃO PARA O SEGURO RURAL INSTRUMENTOS DE Minimização de Riscos I Proagro Mais II Seguro Privado. Coberturas: - Variações Climáticas - Preços - Índices III Cobertura Complementar

Leia mais

Apresentação AGRIANUAL 2015

Apresentação AGRIANUAL 2015 Apresentação Em anos de eleições, os empresários costumam ficar apreensivos quanto às posições dos candidatos em relação ao segmento em que operam. Mas quem está no agronegócio não precisa ter grandes

Leia mais

Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil

Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil índice 3 4 5 6 8 9 o mercado Números e importância do setor projeções de longo prazo planos/produtos metodologia condições, prazo e investimento formulário

Leia mais

Cardápio de JUNHO 2016 Berçário e Maternal - LEBLON

Cardápio de JUNHO 2016 Berçário e Maternal - LEBLON 01/jun 02/jun 03/jun Ssuco de manga Alface-americana; Alface Salpicão de festa Pepino com gergilim Couve-flor com cenoura Rúcula com tomate seco e nozes Sopa de legumes Caldo verde Ervilha Quiche de queijo

Leia mais

VI Congresso Brasileiro de Algodão. Seguro Agrícola como Alternativa para redução dos Riscos Agropecuários

VI Congresso Brasileiro de Algodão. Seguro Agrícola como Alternativa para redução dos Riscos Agropecuários VI Congresso Brasileiro de Algodão Seguro Agrícola como Alternativa para redução dos Riscos Agropecuários Segmentação do Mercado Segurador Brasileiro Danos SEGUROS Pessoas PREVI- DÊNCIA CAPITA- LIZAÇÃO

Leia mais

CARDÁPIO SEMANAL - 7 a 14 anos 02 a 06 de NOVEMBRO. Lanche da Manhã Biscoito de aveia e mel Tostex (queijo e peito de peru) Pão de forma com margarina

CARDÁPIO SEMANAL - 7 a 14 anos 02 a 06 de NOVEMBRO. Lanche da Manhã Biscoito de aveia e mel Tostex (queijo e peito de peru) Pão de forma com margarina CARDÁPIO SEMANAL - 7 a 14 anos 02 a 06 de NOVEMBRO 02/11/2015 03/11/2015 04/11/2015 05/11/2015 06/11/2015 Biscoito de aveia e mel Tostex (queijo e peito de peru) Pão de forma com margarina Cereal Matinal

Leia mais

Cardápio 04.05 até 08.05.2015

Cardápio 04.05 até 08.05.2015 Cardápio 04.05 até 08.05.2015 COLAÇÃO Pera Suco de acerola Goiaba Suco de uva Manga pepino/carne moída com proteína de soja/ Berinjela cozida/ /inhame cozido/arroz/feijão Salada de tomate e repolho/frango

Leia mais

Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente Câmara Setorial de Palma de Óleo 21 de Setembro de 2012

Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente Câmara Setorial de Palma de Óleo 21 de Setembro de 2012 Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente Câmara Setorial de Palma de Óleo 21 de Setembro de 2012 Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI) Desenvolvimento de novas moléculas Registro

Leia mais

VALOR DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA DO BRASIL EM 2003, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO 1

VALOR DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA DO BRASIL EM 2003, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO 1 VALOR DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA DO BRASIL EM 2003, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO 1 Alfredo Tsunechiro 2 Vagner Azarias Martins 3 1 - INTRODUÇÃO 1 2 3 Qual a verdadeira magnitude do valor da produção agropecuária

Leia mais

Título da. Apresentação

Título da. Apresentação SITUAÇÃO ATUAL DO SISTEMA DE PRODUÇÃO INTEGRADA PI-BRASIL Título da Coordenação de Produção Integrada da Cadeia Agrícola Apresentação Luzia Maria Souza Gisele Ventura Garcia Grilli Brasília-DF Setembro-2014

Leia mais

Receitas de Sucos. Sucos com Frutas. Suco de abacaxi e gengibre. Suco de laranja, amora e grapefruit. Batida de papaya e laranja

Receitas de Sucos. Sucos com Frutas. Suco de abacaxi e gengibre. Suco de laranja, amora e grapefruit. Batida de papaya e laranja Receitas de Sucos Sucos com Frutas Suco de abacaxi e gengibre 1 abacaxi médio bem maduro 1 colher de sopa de gengibre fresco picado 4 copos de água Lavar bem o abacaxi usando uma escova. Descascar com

Leia mais

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DO CRÉDITO RURAL - 2004

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DO CRÉDITO RURAL - 2004 Agrícola - CUSTEIO Lavoura ABACATE 57 1.229.660,94 900,99 ABACAXI 1.652 19.095.855,74 4.171,04 ABACAXI IRRIGADO 286 5.444.100,66 1.301,90 ABOBORA-MORANGA 439 2.221.087,69 1.630,91 ABOBORA-MORANGA IRRIGADA

Leia mais

Classificação Nacional de Atividades Econômicas - SUBCLASSES Versão 2..2 Notas Explicativas. CNAE Subclasses 2.2 JANEIRO/2015

Classificação Nacional de Atividades Econômicas - SUBCLASSES Versão 2..2 Notas Explicativas. CNAE Subclasses 2.2 JANEIRO/2015 1 CNAE Subclasses 2.2 JANEIRO/2015 2 A AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO FLORESTAL, PESCA E AQUICULTURA Esta seção compreende a exploração ordenada dos recursos naturais vegetais e animais em ambiente natural

Leia mais

Análise da Oportunidade Indústria de produção de caixas plásticas (bins)

Análise da Oportunidade Indústria de produção de caixas plásticas (bins) Análise da Oportunidade Indústria de produção de caixas plásticas (bins) 1.1 Sobre o Projeto Contratante: ABPM- Associação Brasileira de Produtores de Maçãs Objetivo: Desenvolvimento de um projeto de Análise

Leia mais

Cardápio de OUTUBRO 2015 Berçário e Maternal - BARRA

Cardápio de OUTUBRO 2015 Berçário e Maternal - BARRA 01/out 02/out Biscoito passatempo / Alface lisa Vagem com champignon Berinjela com cebola e orégano Caldo verde Bife de panela Suco de goiaba Biscoito sal integral Maçã / Manga Maionese de legumes com

Leia mais

Cardápio de OUTUBRO 2015 PRÉ I e II - BARRA

Cardápio de OUTUBRO 2015 PRÉ I e II - BARRA 01/out 02/out Biscoito passatempo / Banana Alface lisa Vagem com champignon Berinjela com cebola e orégano Caldo verde Bife de panela Suco de goiaba Biscoito sal integral Maçã / Manga Maionese de legumes

Leia mais

1. Manejo da Horta e Prevenção de Pragas

1. Manejo da Horta e Prevenção de Pragas 1. Manejo da Horta e Prevenção de Pragas Em agricultura orgânica sempre se busca o equilíbrio ecológico e a prevenção de problemas que afetam a saúde das plantas. Através do uso de algumas técnicas simples

Leia mais

Luciana Marques Naturóloga e Dermaticista Gerente Ouro FLP

Luciana Marques Naturóloga e Dermaticista Gerente Ouro FLP Luciana Marques Naturóloga e Dermaticista Gerente Ouro FLP Luciana Marques Naturóloga e Dermaticista Gerente Ouro FLP O que é DETOX? Sabe aquela faxina que de vez em quando a gente faz em casa? A gente

Leia mais

(EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) Alface. Inhame cozido Frango acebolado

(EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) Alface. Inhame cozido Frango acebolado CARDÁPIO EDUCAÇÃO INFANTIL (maiores de 2 anos) JUNHO/2015 Observações: A utilizada será sem lactose. Oferecer água durante todo dia. Não oferecer bebida durante o almoço ou jantar somente depois de no

Leia mais

Tapioca. Delícia. sem gluten. Mais saude com. 5kg em 1 mês. Ideal para evitar o inchaço. Receitas nutritivas. Melhor do que pão? recheios.

Tapioca. Delícia. sem gluten. Mais saude com. 5kg em 1 mês. Ideal para evitar o inchaço. Receitas nutritivas. Melhor do que pão? recheios. Mais saude com consultoria de Tapioca R$ Queime 5kg em 1 mês incluindo tapioca no cardápio Todas as matérias com especialistas Mais Saúde com Tapioca Ano 1, nº 1-2015 4,99 Receitas nutritivas Sucos, cereais

Leia mais

CARDÁPIO DA SEMANA. 2ª Feira (29/09) 3ª Feira (30/09) 4ª Feira (01/10) 5ª Feira (02/10) 6ª Feira (03/10) LANCHES (PERÍODOS MATUTINO E VESPERTINO)

CARDÁPIO DA SEMANA. 2ª Feira (29/09) 3ª Feira (30/09) 4ª Feira (01/10) 5ª Feira (02/10) 6ª Feira (03/10) LANCHES (PERÍODOS MATUTINO E VESPERTINO) 2ª Feira (29/09) 3ª Feira (30/09) 4ª Feira (01/10) 5ª Feira (02/10) 6ª Feira (03/10) Feriado Feriado Barquinha de minipão francês integral com mussarela e orégano Suco de manga Mamão com granola Soft roll

Leia mais

DATA DESJEJUM COLAÇÃO ALMOÇO LANCHE

DATA DESJEJUM COLAÇÃO ALMOÇO LANCHE DATA DESJEJUM COLAÇÃO ALMOÇO LANCHE 04/05/2015 Segunda- Feira Leite com Enriquecido de Morango / Rosquinha de Chocolate CARDÁPIO DA MERENDA ESCOLAR Amazonas / Mato Grosso / Maria Carraro - Maio /2015 Suco

Leia mais

A AGRICULTURA, PECUÁRIA, SILVICULTURA E EXPLORAÇÃO FLORESTAL A seção A abrange a exploração ordenada dos recursos naturais vegetais e animais em

A AGRICULTURA, PECUÁRIA, SILVICULTURA E EXPLORAÇÃO FLORESTAL A seção A abrange a exploração ordenada dos recursos naturais vegetais e animais em A AGRICULTURA, PECUÁRIA, SILVICULTURA E EXPLORAÇÃO FLORESTAL A seção A abrange a exploração ordenada dos recursos naturais vegetais e animais em ambiente natural e em ambiente protegido. Compreende as

Leia mais

CARDÁPIO ESCOLAR 2015

CARDÁPIO ESCOLAR 2015 JULHO DE 30/07/2015 A 31/07/2015 2º Feira 3º Feira 4º Feira 5º Feira 30/07/2015 31/07/2015 Lanche da manhã Maçã Banana Arroz, Feijão Preto, Espaguete, carne coxinha da asa moída, molho de Almoço assada,

Leia mais

Cardápio 06.07 até 10.07.2015

Cardápio 06.07 até 10.07.2015 Cardápio 06.07 até 10.07.2015 COLAÇÃO Banana Suco de acerola Melão Suco de goiaba Maçã pepino/carne ao molho/ Abóbora cozida/ /batata e repolho/frango no molho/ cenoura cozida/ farofa de couve e ovos/arroz/feijão

Leia mais

RESUMO EXECUTIVO COMPOSIÇÃO NUTRICIONAL DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR NO BRASIL: UMA ANÁLISE A PARTIR DE UMA AMOSTRA DE CARDÁPIOS - 2011

RESUMO EXECUTIVO COMPOSIÇÃO NUTRICIONAL DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR NO BRASIL: UMA ANÁLISE A PARTIR DE UMA AMOSTRA DE CARDÁPIOS - 2011 RESUMO EXECUTIVO COMPOSIÇÃO NUTRICIONAL DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR NO BRASIL: UMA ANÁLISE A PARTIR DE UMA AMOSTRA DE CARDÁPIOS - 2011 1 Objetivo e Metodologia O presente relatório apresenta os resultados da

Leia mais

Pão com queijo branco Salada de fruta + Biscoito de polvilho Bisnaguinha com geléia de morango + Maçã Pão de leite com margarina

Pão com queijo branco Salada de fruta + Biscoito de polvilho Bisnaguinha com geléia de morango + Maçã Pão de leite com margarina CARDAPIO SEMANAL - 2 a 6 anos 05 a 09 de OUTUBRO 05/10/2015 06/10/2015 07/10/2015 08/10/2015 Lanche da Manhã Bisnaguinha com queijo cremoso Cereal Matinal (Flocos de milho) Pão francês com margarina Pão

Leia mais

AGRICULTURA FAMILIAR NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR

AGRICULTURA FAMILIAR NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR AGRICULTURA FAMILIAR NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR P N A E 250 mil famílias poderão ser beneficiadas (estimativa) Cerca de R$1 bilhão 47 milhões de alunos da educação básica da rede pública GRANDE DESAFIO: AS

Leia mais

Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo Coordenadoria de Assistência Técnica Integral Resumo de UPAs do Município

Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo Coordenadoria de Assistência Técnica Integral Resumo de UPAs do Município Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo Coordenadoria de Assistência Técnica Integral Resumo de UPAs do Município Município: 274 - ITUVERAVA Estrutura Fundiária Extrato No. UPAs

Leia mais

especial SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA - Biscoito polvilho (sem leite e sem glúten) -Frutadaépoca -Bebidadesoja

especial SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA - Biscoito polvilho (sem leite e sem glúten) -Frutadaépoca -Bebidadesoja 1 09 a 13 03 04 a 08/05 29 06 a 03 07 24/08 a 28/08 19/10 a 23/10 14 12 a 18 12 - Suco de maracujá -Sucodeacerola - Suco de abacaxi - Alface crespa Cenoura - Ovos de codorna -Brócolis -Alfacelisa - Alface

Leia mais

Maçăs e Pêras CORES DA TERRA

Maçăs e Pêras CORES DA TERRA Maçăs e Pêras CORES DA TERRA 12 Maçă Mini Pequena Média Grande Super Extra I Super Extra II Escultural Escultural II Branca 5010 5003 5006 5009 6006 6055 31001 31026 Preta Verde 5032 5011 5031 5001 5030

Leia mais

CARDÁPIO SEMANAL ALMOÇO MATER DEI OUTUBRO 2015 WEEKLY LUNCH MENU MATER DEI OCTOBER 2015

CARDÁPIO SEMANAL ALMOÇO MATER DEI OUTUBRO 2015 WEEKLY LUNCH MENU MATER DEI OCTOBER 2015 Segunda Terça Quarta Quinta 01 Sexta 02 Alface/couve Folhas Mistas abobrinha ralada tomate macarrão tricolor Grão de Bico Branco/ integral Branco/ integral carioca carioca Escalopinho ao molho madeira

Leia mais

A FORÇA DO COMPRADOR NA ADOÇÃO DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS. Setembro de 2014

A FORÇA DO COMPRADOR NA ADOÇÃO DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS. Setembro de 2014 ANEXO V A FORÇA DO COMPRADOR NA ADOÇÃO DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS Setembro de 2014 Algumas considerações Agricultura e abastecimento O desenvolvimento da agricultura é responsável pela evolução da humanidade.

Leia mais

Carbo- Fibra Número do Umidade Energia Proteína Lipídeos Colesterol idrato Alimentar Cinzas Cálcio Magnésio Alimento Descrição do Alimento (%) (kcal)

Carbo- Fibra Número do Umidade Energia Proteína Lipídeos Colesterol idrato Alimentar Cinzas Cálcio Magnésio Alimento Descrição do Alimento (%) (kcal) Carbo- Fibra Número do Umidade Energia Proteína Lipídeos Colesterol idrato Alimentar Cinzas Cálcio Magnésio Alimento Descrição do Alimento (%) (kcal) (kj) (g) (g) (mg) (g) (g) (g) (mg) (mg) &HUHDLVÃHÃGHULYDGRVÃ

Leia mais

PLANO SAFRA DA AGRICULTURA FAMILIAR 2010/2011

PLANO SAFRA DA AGRICULTURA FAMILIAR 2010/2011 PLANO SAFRA DA AGRICULTURA FAMILIAR 2010/2011 Mais crédito, mais segurança e juros menores. Do Plano Safra 2002/2003 ao Plano Safra 2010/2011, o volume de recursos oferecidos por meio do Pronaf para custeio

Leia mais

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil...

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil... ...... PRODUÇÃO DAS LAVOURAS EM MARÇO DE 2012 SUMÁRIO 1 - Lavouras... 5 TABELAS DE RESULTADOS Safra 2012 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra

Leia mais

CARDÁPIO FASE 1 - DEZEMBRO

CARDÁPIO FASE 1 - DEZEMBRO CARDÁPIO FASE 1 - DEZEMBRO PRIMEIRA SEMANA DIAS 30 1 2 3 4 COLAÇÃO suco de laranja lima suco de mamão suco de melão suco de maçã suco de melancia frango músculo frango músculo gema de ovo ALMOÇO inhame,

Leia mais

ANEXO I GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA RELAÇÃO DOS GÊNEROS ALIMENTÍCIOS DA AGRICULTURA FAMILIAR PARA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR E SUAS ESPECIFICAÇÕES. GÊNERO ALIMENTÍCIO

Leia mais

Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana

Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana Matinal Papinha de mamão Papinha de pêra Papinha de banana Papinha de manga Papinha de maçã Papinha de carne moída com, beterraba e couve Papinha de batata

Leia mais

1,99-11,99 3,00 1,89 1,49 1,99 1,59 6,99-3,49 3,99 1,69 0,99 4,99 - - 1,49 2,59-3,29

1,99-11,99 3,00 1,89 1,49 1,99 1,59 6,99-3,49 3,99 1,69 0,99 4,99 - - 1,49 2,59-3,29 PESQUISA DE PREÇO DE SACOLÃO REALIZADA EM BELO HORIZONTE NOS DIAS 12 E 13 DE JANEIRO DE 2015 LEGUMES Estabelecimentos / KG Abóbora Moranga Abobrinha Italiana Alho c/ casca Alho sem casca (bandeja) Batata

Leia mais

Fresh Connections:Brazil Carlos Alexandre Oliveira Gomes

Fresh Connections:Brazil Carlos Alexandre Oliveira Gomes Fresh Connections:Brazil Carlos Alexandre Oliveira Gomes #freshconnections BR 21 de Agosto de 2014 PRODUCE MARKETING ASSOCIATION Agência Nacional de Vigilância Sanitária Gerência-Geral de Toxicologia Segurança

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À POBREZA - SEDES SUPERINTENDÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SAS

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À POBREZA - SEDES SUPERINTENDÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SAS SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À POBREZA - SEDES SUPERINTENDÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SAS G O E O R S MUNICÍPIOS R D T T P SERVIÇO DE ATENDIMENTO ESPECIALIZADO A FAMÍLIAS E INDIVÍDUO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 03/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 101312/2014-81 VIGÊNCIA: 01/04/2015 a 31/03/2016 A.L.M. CORTEZ - HORTIFRUTIGRANJEIROS - ME CNPJ: 08.453.366/0001-28 ITEM ESPECIFICAÇÃO QUANT.

Leia mais

CARDÁPIO INFANTIL 1ª SEMANA 04/05 A 08/05 SEGUNDA FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA

CARDÁPIO INFANTIL 1ª SEMANA 04/05 A 08/05 SEGUNDA FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA 1ª SEMANA 04/05 A 08/05 CARDÁPIO INFANTIL Suco uva Melancia picada Suco de manga picado Suco de pêssego Carne moída rica ( e Iscas de frango Bife de panela Moqueca capixaba Ensopado de frango vagem) Angu

Leia mais

PROPOSTA. Pregão. Proposta(s)

PROPOSTA. Pregão. Proposta(s) PROPOSTA Pregão Órgão: Prefeitura Municipal de Palmas Número: 159/2012 Número do Processo: 2011041988 Unidade de Compra: Secretaria de Desenvolvimento Social Proposta(s) Item: 0001 Descrição: LOTE 01 -

Leia mais

Foro Internacional Medamerica 2011

Foro Internacional Medamerica 2011 Foro Internacional Medamerica 2011 EVIDÊNCIAS DE UMA CIDADE MÉDIA: O cenário regional de Vitória da Conquista diante da realidade econômica mundial Josenaldo de Souza Alves Rita Lima Objetivo Contribuir

Leia mais

O SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS

O SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS O SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS Organização das Cooperativas Brasileiras OCB Gerência de Apoio ao Desenvolvimento em Mercados GEMERC 1. INTRODUÇÃO O agronegócio brasileiro representa

Leia mais

Cardápio. Cardápio. 26 janeiro. 27 janeiro. 28 janeiro. 29 janeiro LANCHE MANHÃ ALMOÇO LANCHE TARDE. segunda-feira. terça-feira.

Cardápio. Cardápio. 26 janeiro. 27 janeiro. 28 janeiro. 29 janeiro LANCHE MANHÃ ALMOÇO LANCHE TARDE. segunda-feira. terça-feira. agosto Cardápio 2014 jan/fev 2015 26 janeiro 27 janeiro 28 janeiro 29 janeiro Bisnaga com patê de atum. Ameixa. Suco. Pão francês integral com manteiga. Banana com aveia. Leite com chocolate. Pão de mandioquinha

Leia mais

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado AGROSSÍNTESE Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado Edilson de Oliveira Santos 1 1 Mestre em Economia, Gestor Governamental da SEAGRI; e-mail: edilsonsantos@seagri.ba.gov.br

Leia mais

Merendeira. Benefícios de uma alimentação saudável o Critério das Cores Diversas dos Alimentos Ajuda na prevenção da obesidade Bullying

Merendeira. Benefícios de uma alimentação saudável o Critério das Cores Diversas dos Alimentos Ajuda na prevenção da obesidade Bullying Merendeira 1) Objetivos Gerais Através do trabalho da merendeira, aprofundar os conhecimentos sobre a preparação de uma refeição saudável com o uso dos utensílios e eletrodomésticos presentes na cozinha.

Leia mais

INSTITUTO PARANAENSE DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - IPARDES

INSTITUTO PARANAENSE DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - IPARDES CURITIBA Setembro 2015 GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ CARLOS ALBERTO RICHA - Governador SECRETARIA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO E COORDENAÇÃO GERAL SILVIO MAGALHÃES BARROS - Secretário INSTITUTO PARANAENSE DE

Leia mais

Fonte: Rondônia Rural Disponível em: Rondônia Rural.com

Fonte: Rondônia Rural Disponível em: Rondônia Rural.com I. INTRODUÇÃO O estado de Rondônia está localizado na região Norte do Brasil, a região Norte é a maior das cinco regiões do Brasil definidas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

Leia mais

EVOLUÇÃO DAS TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO NA AGRICULTURA NA REGIÃO DA AMUSEP NO PERÍODO DE 1970 A 1995/96

EVOLUÇÃO DAS TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO NA AGRICULTURA NA REGIÃO DA AMUSEP NO PERÍODO DE 1970 A 1995/96 EVOLUÇÃO DAS TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO NA AGRICULTURA NA REGIÃO DA AMUSEP NO PERÍODO DE 1970 A 1995/96 Vanderlei de Almeida CPF: 036976849-30 Acadêmico de graduação em Ciências Econômicas da Universidade

Leia mais

CARDÁPIO DE OUTUBRO LANCHE DA MANHÃ

CARDÁPIO DE OUTUBRO LANCHE DA MANHÃ LANCHE 01/10/2015 02/10/2015 BEBIDA Chocolate Quente Chocolate Quente BEBIDA Suco Laranja Suco de Limão BEBIDA Chá Iogurte de morango SALGADO OU DOCE Pão de Leite com Requeijão Pão de Queijo OPÇÃO Pão

Leia mais

2.2 - Estrutura detalhada da CNAE 2.0: Códigos e denominações

2.2 - Estrutura detalhada da CNAE 2.0: Códigos e denominações (continua) A AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO FLORESTAL, PESCA E AQÜICULTURA 01 AGRICULTURA, PECUÁRIA E SERVIÇOS RELACIONADOS 01.1 Produção de lavouras temporárias 01.11-3 Cultivo de cereais 0111-3/01 Cultivo

Leia mais

Mudanças na composição agropecuária e florestal paulista - 1999 e 2008

Mudanças na composição agropecuária e florestal paulista - 1999 e 2008 Mudanças na composição agropecuária e florestal paulista - 1999 e 2008 José Alberto Ângelo Danton Leonel de Camargo Bini Denise Viane Caser Paulo José Coelho Carlos Nabil Ghobril alberto@iea.sp.gov.br

Leia mais

CARDÁPIO 1A - BERÇÁRIO (8 A 12 MESES) SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA Creme de. Papinha de abacate. Suco de

CARDÁPIO 1A - BERÇÁRIO (8 A 12 MESES) SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA Creme de. Papinha de abacate. Suco de CARDÁPIO 1A - BERÇÁRIO (8 A 12 MESES) Creme de abacate Biscoitos maisena Fanta caseira,, chuchu, salsinha, arroz maçã com batata, mandioquinha, couve-flor e, maxixe, batata inglesa, beterraba, e caldo

Leia mais

Comentários. A estrutura produtiva da agricultura familiar

Comentários. A estrutura produtiva da agricultura familiar Comentários texto, a seguir, procura destacar os principais aspectos da agricultura familiar em 2006, e realiza algumas comparações com os estabelecimentos que não se enquadraram nos parâmetros da Lei

Leia mais

Censo Agropecuário e Agricultura Orgânica. Paulo Soares e Antonio Florido Gerência Técnica do Censo Agropecuário

Censo Agropecuário e Agricultura Orgânica. Paulo Soares e Antonio Florido Gerência Técnica do Censo Agropecuário Censo Agropecuário e Agricultura Orgânica Paulo Soares e Antonio Florido Gerência Técnica do Censo Agropecuário Manaus- 26 a 29/10/2011 Missão Retratar o Brasil com informações necessárias ao conhecimento

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA

MINISTÉRIO DA FAZENDA MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Política Econômica CMN 29.07.2009 Votos Agrícolas Brasília-DF, 29 de julho de 2009. RESUMO DOS VOTOS DA ÁREA AGRÍCOLA REUNIÃO DO CMN JULHO 2009 1 ESTABELECE NOVO PRAZO

Leia mais

Cardápio. Cardápio. 3 de agosto. 4 de agosto. 5 de agosto. 6 de agosto LANCHE MANHÃ ALMOÇO LANCHE TARDE. segunda-feira. terça-feira.

Cardápio. Cardápio. 3 de agosto. 4 de agosto. 5 de agosto. 6 de agosto LANCHE MANHÃ ALMOÇO LANCHE TARDE. segunda-feira. terça-feira. agosto Cardápio 2014 agosto Cardápio sujeito a 2015 alterações 3 de agosto Pão sírio com queijo branco e tomate. Creme de abacate. Iscas largas de carne grelhada ao molho roti. Picadinho de frango. Arroz

Leia mais

PARÁGRAFO ÚNICO - O programa deverá contemplar 03 (três) segmentos de intervenção:

PARÁGRAFO ÚNICO - O programa deverá contemplar 03 (três) segmentos de intervenção: Secretaria de Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária Protocolo: Mamona PROTOCOLO DE INTENÇÕES QUE ENTRE SI FAZEM O BANCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A., O GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA, ATRAVÉS DA SECRETARIA

Leia mais

CARDÁPIO MAIS EDUCAÇÃO 1ª SEMANA DE OUTUBRO 2014

CARDÁPIO MAIS EDUCAÇÃO 1ª SEMANA DE OUTUBRO 2014 CARDÁPIO MAIS EDUCAÇÃO 1ª SEMANA DE OUTUBRO 2014 (01/10/2014) Rosquinha de Coco (02/10/2014) (03/10/2014) TURNO REGULAR Purê de Batata e Cenoura com Carne Bovina Frapê de Manga Farofa de Carne Suína com

Leia mais

II Fórum SNPA Seminário técnico do Projeto de Reformulação das Pesquisas Agropecuárias do IBGE

II Fórum SNPA Seminário técnico do Projeto de Reformulação das Pesquisas Agropecuárias do IBGE II Fórum SNPA Seminário técnico do Projeto de Reformulação das Pesquisas Agropecuárias do IBGE Rio de janeiro, 25 de outubro de 2011 Av. República do Chile, nº500, 2º andar, Centro, Rio de Janeiro. Programa

Leia mais

CONVÊNIOS - AGÊNCIAS COMUNITARIAS - BA

CONVÊNIOS - AGÊNCIAS COMUNITARIAS - BA Orgão superior (1) Ministerio das Comunicações Item(5) Beneficiario (Razão Social) ou Conveniado(6) CNPJ conveniado(7) CONVÊNIOS - AGÊNCIAS COMUNITARIAS - BA Orgão subordinado (2) Empresa Brasileira de

Leia mais

Arroz/Feijão Arroz integral Filé de frango ao molho champignon. Bife de Caçarola

Arroz/Feijão Arroz integral Filé de frango ao molho champignon. Bife de Caçarola Prato principal 1 01/06 02/06 03/06 04/06 05/06 Filé de coxa assada com batatas Filé de frango ao molho champignon Iscas de frango aceboladas FERIADO AULAS SUSPENSAS Prato principal 2 Strogonoff de carne

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL. Quarta-feira 03/06. Suco: laranja com beterraba Pão francês com queijo

EDUCAÇÃO INFANTIL. Quarta-feira 03/06. Suco: laranja com beterraba Pão francês com queijo CARDÁPIO JUNHO/05 Elaborado e aprovado por: Luiza Crozariol Campos Nutricionista CRN3 4488 Semana 0/06 0/06 03/06 04/06 05/06 Pão francês com Biscoito de leite com geleia com bolo de banana Bisnaguinha

Leia mais

CARDÁPIO JUNHO 2015. Sopa: Caldo verde ( alho, fubá, carne, óleo de soja, cebola, couve manteiga, tomate molho e ervas naturais)

CARDÁPIO JUNHO 2015. Sopa: Caldo verde ( alho, fubá, carne, óleo de soja, cebola, couve manteiga, tomate molho e ervas naturais) EXTERNATO SANTO ANTÔNIO 1ª SEMANA 01/06 (segunda-feira) 02/06 (terça-feira) 03/06 (quarta-feira) 04/06 (quinta-feira) 05/06 (sexta-feira) Leite com achocolatado Leite fermentado Iogurte CARDÁPIO JUNHO

Leia mais

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES.

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES. PARA SABERMOS COMO A ALIMENTAÇÃO DEVE SER EQUILIBRADA, PRECISAMOS CONHECER A PIRÂMIDE ALIMENTAR, QUE É A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ALIMENTOS E SUAS QUANTIDADES QUE DEVEM ESTAR PRESENTES EM NOSSA DIETA

Leia mais

CENÁRIO. Estimativa de Câncer de Mama e Colo de Útero para o Ano de 2012 Estados da Região Nordeste SUREGS 2.500 2.190 2.110 2.000 1.500 1.

CENÁRIO. Estimativa de Câncer de Mama e Colo de Útero para o Ano de 2012 Estados da Região Nordeste SUREGS 2.500 2.190 2.110 2.000 1.500 1. CENÁRIO Estimativa de Câncer de Mama e Colo de Útero para o Ano de 2012 Estados da Região Nordeste 2.500 2.190 2.110 2.000 1.770 1.500 1.000 500 970 1.030 850 640 320 580 230 780 460 440 410 280 370 370

Leia mais

DERAL - Departamento de Economia Rural. Olericultura - Análise da Conjuntura Agropecuária

DERAL - Departamento de Economia Rural. Olericultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Olericultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Dezembro de 0 INTRODUÇÃO Para Filgueira, Fernando Reis, Olericultura é um termo técnico-científico, muito preciso, utilizado no meio agronômico. Derivado

Leia mais

USO E CONSERVAÇÃO DE GERMOPLASMA

USO E CONSERVAÇÃO DE GERMOPLASMA USO E CONSERVAÇÃO DE GERMOPLASMA 3 I. INTRODUÇÃO A variação encontrada em uma determinada espécie (variação fenotípica) pode ser de duas origens: variação devido ao ambiente e variação devido a diferenças

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS. FISCAL 1.1 - Provisória. Subcomissão Técnica da CNAE-Fiscal

CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS. FISCAL 1.1 - Provisória. Subcomissão Técnica da CNAE-Fiscal CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS FISCAL 1.1 - Provisória Subcomissão Técnica da CNAE-Fiscal 25/04/2003 A AGRICULTURA, PECUÁRIA, SILVICULTURA E EXPLORAÇÃO FLORESTAL A seção A abrange a exploração

Leia mais

CARDÁPIO DO RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO - EDIFÍCIO CENTRAL - SILVA JARDIM Terraço Comercio de Alimentos mar/15

CARDÁPIO DO RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO - EDIFÍCIO CENTRAL - SILVA JARDIM Terraço Comercio de Alimentos mar/15 CARDÁPIO DO RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO - EDIFÍCIO CENTRAL - SILVA JARDIM Terraço Comercio de Alimentos mar/15 DATA 02/03 Bife à Daniel Coxa e Sobrecoxa ao molho de limão Omelete de Berinjela recheada com

Leia mais

CARDÁPIO DA SEMANA. 2ª Feira (25/01) 3ª Feira (26/01) 4ª Feira (27/01) 5ª Feira (28/01) 6ª Feira (29/01) LANCHES (PERÍODOS MATUTINO E VESPERTINO)

CARDÁPIO DA SEMANA. 2ª Feira (25/01) 3ª Feira (26/01) 4ª Feira (27/01) 5ª Feira (28/01) 6ª Feira (29/01) LANCHES (PERÍODOS MATUTINO E VESPERTINO) 2ª Feira (25/01) 3ª Feira (26/01) 4ª Feira (27/01) 5ª Feira (28/01) 6ª Feira (29/01) Férias Férias Férias Pão francês com requeijão Suco de acerola Pão de fubá com manteiga Suco de limão Barquinhas de

Leia mais

AGB Doce. Programa Incentivo ao Uso Racional de Água na Agricultura (P22)

AGB Doce. Programa Incentivo ao Uso Racional de Água na Agricultura (P22) Programa Incentivo ao Uso Racional de Água na Agricultura (P22) Programa Incentivo ao Uso Racional de Água na Agricultura (P22) Objetivos: Identificar áreas críticas relacionadas ao uso de água para irrigação,

Leia mais

Cardápio. Cardápio. 1º de abril. 2 de abril. 3 de abril. 6 de abril. Comemoração de Pesach. Véspera de Pessach e feriado nacional.

Cardápio. Cardápio. 1º de abril. 2 de abril. 3 de abril. 6 de abril. Comemoração de Pesach. Véspera de Pessach e feriado nacional. agosto Cardápio 2014 abril 2015 1º de abril Pão francês integral. Ricota majericão e tomate cereja. Suco de melancia. Maçã. Espaguete alho e óleo. Bife empanado no forno. Frango de panela. Arroz integral/

Leia mais

CONTROLE HIGIÊNICO- SANITÁRIO DE PRODUTOS VEGETAIS

CONTROLE HIGIÊNICO- SANITÁRIO DE PRODUTOS VEGETAIS Secretaria de Defesa Agropecuária Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal CONTROLE HIGIÊNICO- SANITÁRIO DE PRODUTOS VEGETAIS Brasília/DF, 26 de novembro de 2010 LUZIA M. SOUZA FFA(ENGª AGRª,

Leia mais

Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar - PGPAF

Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar - PGPAF Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar - PGPAF O QUE É O PGPAF? Programa do Governo Federal que garante aos agricultores familiares que tem financiamento no âmbito do Pronaf a indexação

Leia mais

Brasil agrário retratado pelo Censo Agropecuário 2006

Brasil agrário retratado pelo Censo Agropecuário 2006 Comentários Brasil agrário retratado pelo Censo Agropecuário 2006 Notas de esclarecimento Os dados do Censo Agropecuário são obtidos através de entrevista direta com o produtor, ou seja: são registros

Leia mais

Rua Roque Petrella,1146 Brooklin-São Paulo SP CEP.04581-051-Telefone (11) 5533.1026

Rua Roque Petrella,1146 Brooklin-São Paulo SP CEP.04581-051-Telefone (11) 5533.1026 PRIMEIRO DIA Somente Frutas Suco de frutas + 1 fruta Ex. suco de laranja com morango + 1{ mamão papaia DA MANHÃ 1 copo 250 ml Suco de melão + 1 fruta (ex. 1 ameixa ) Ex. Folhas de rúcula a vontade + 4

Leia mais