Seguro Rural. Desafios para a sua Operacionalização

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Seguro Rural. Desafios para a sua Operacionalização"

Transcrição

1 Seguro Rural Desafios para a sua Operacionalização

2 GESTÃO DE RISCO RURAL Riscos Rurais: - Climatológicos; Incêndio; Vida animal; Propriedades; Equipamentos; Armazenagem; Transporte; e, Preço.

3 Seguro Rural Modalidades Seguro Agrícola; Seguro Pecuário; Seguro Aqüícola; Seguro de Florestas; Modalidades beneficiadas com o Programa de Subvenção Federal e Estadual (em alguns Estados) Seguro de Penhor Rural; Seguro de Benfeitorias e Produtos Agropecuários; Seguro de Vida; e Seguro de Cédula Produto Rural CPR. Fonte: SUSEP

4 Histórico do Mercado de Seguro Agrícola COSESP BEMGE UNIÃO ACE MINAS - BRASIL PORTO SEGURO UBF ALIANÇ A DO BRASIL MAPFRE ALLIANZ NOBRE HDI

5 GESTÃO DE RISCO RURAL Pequena Escala Capital Escasso Risco Catastrófico Fundamentos do Custo do Seguro Extensão territorial e dispersão dos segurados Base de Dados para correta Tarifação Custo Administrativo Elevado Custo de: Inspeções, Monitoramento e Regulação de Sinistros Custo das informações

6 INSTRUMENTOS DE Minimização de Riscos (Disponível) I Proagro II Política de Preço Mínimo III Seguro Privado IV - FESR

7 INSTRUMENTOS DE Minimização de Riscos (O que deveria estar disponível) I Proagro Mais II Seguro Privado. Coberturas: - Variações Climáticas - Preços III Cobertura Complementar de Riscos Catastróficos

8 Características semelhantes em todos os países PRODUTORES. Garantia contra riscos. Custo do seguro. Avaliação rápida dos danos. Cultura do seguro. Garantia financeira. Política de Governo e não do Governo, para a Subvenção CONFIANÇA SEGURADORAS. Resseguro > 80%. Formação de peritos. Banco de Dados. Dispersão do risco. Novos produtos e coberturas GOVERNO. Disponibilizar informações e estudos sobre riscos. Garantir a Política de Subvencionar o Prêmio do Seguro Rural. Divulgar o seguro rural. Que o Seguro Rural seja um instrumento de Política Pública do Governo. Cobertura Complementar de Riscos Catastróficas

9 Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural - Federal Decreto nº PERCENTAGENS DE SUBVENÇÃO AO PRÊMIO PARA O EXERCÍCIO DE 2009 Modalidade de Seguro Agrícola Cultura Percentual de Subvenção Feijão, milho segunda safra e trigo. 70 Ameixa, aveia, canola, caqui, cevada, centeio, figo, kiwi, linho, maçã, nectarina, pêra, pêssego, sorgo, triticale e uva. 60 Algodão, arroz, milho e soja. 50 Abacate, abacaxi, abóbora, abobrinha, alface, alho, amendoim, atemóia, banana, batata, berinjela, beterraba, cacau, café, caju, cana-de-açúcar, cebola, cenoura, cherimóia, chuchu, couve-flor, ervilha, escarola (chicória), fava, girassol, goiaba, graviola, jiló, laranja, lichia, lima, limão e demais citrus, mamão, mamona, mandioca, manga, maracujá, melancia, melão, morango, pepino, pimenta, pimentão, pinha, quiabo, repolho, sisal, tangerina, tomate, vagem, demais hortaliças e legumes. 40 Limite R$ ,00 Pecuário 30 R$ ,00 Florestal 30 R$ ,00 Aqüícola 30 R$ ,00 Fonte: Mapa

10 Processo Funcional do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural do Governo Federal Produtor preenche proposta de seguro Corretor encaminha à Seguradora Seguradora analisa proposta e aprova Seguradora submete Proposta ao MAPA MAPA aprova e informa Seguradora Seguradora emite boleto de cobrança da cota parte do segurado Segurado pagando o premio seguradora emite apólice A apólice e encaminhada ao MAPA para fechamento da operação MAPA após recebimento do registro da apólice, paga a Seguradora a cota parte que o governo assumiu

11 Simulação de taxas com Subvenção Federal e Estadual Seguro: Cobertura Multirisco Produto: Soja Custo de Produção: R$ 970,00 por há. (Safra 09/10 Fundação MS) Taxa de Prêmio: 6,00% Área beneficiada: ha. Capital Segurado: R$ ,00 Produção Esperada (sc. ha): 55 sacas FORMULAÇÃO - Prêmio do Seguro R$ ,00-50% subvenção Federal (R$ ,00) - Valor a ser pago pelo produtor R$ ,00 (50% do custo do Prêmio= taxa 3,0%) - 50% de subvenção Estadual (R$ ,00) - Valor final para o Produtor R$ ,00 (25% do custo do Prêmio= taxa 1,5%) Obs.: Custo do Seguro por há. R$ 58,20 Custo final do seguro com subvenção, por há. R$ 14,50 Custo do seguro em quantidade sacas (preço soja R$ 36,50 por saca) 40% de uma saca de 60 kilos

12 RECURSOS DISPONIBILIZADOS/APLICADOS PELO PROGRAMA DE SUBVENÇÃO FEDERAL 2005 a 2009 ANO Quantidade de Apólices Subvenção em R$ milhões Part. % Prêmio Total em R$ milhões Part. % Área Segurada Importância Segurada em R$ milhões ,3 0,5 8,7 0, , ,1 6,1 71,1 7, , ,0 11,9 127,7 12, , ,5 30,8 324,7 32, , ,6 50,7 477,8 47, ,2 Fonte: MAPA TOTAL ,5 100, ,0 100, ,0 Fonte: MAPA

13 Sinistralidade da Modalidade Agrícola 600,0% 500,0% 545,0% 400,0% 365,2% S/P 300,0% 267,5% S/P 200,0% 161,7% 100,0% 0,0% 78,5% 45,7% 40,1% 68,4% 24,0% 29,2% Anos

14 EXEMPLO DE GARANTIA DE RISCO NO CAMPO Safra: 2009/2010 Produto SOJA Fonte: MAPA e AgraFNP Região Área S E G Segurada U R O Área de Produção Área em mil há. Percentual Segurado NORTE 38,6 513,4 8% NORDESTE 209, ,3 13% CENTRO-OESTE 1.792, ,5 18% SUDESTE 415, ,1 27% SUL 1.540, ,9 18% TOTAL 3.996, ,1 18%

15 GARANTIA DE RISCO NO CAMPO DO ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL Safra: 2009/2010 MS Soja S E G U R O Área Segurada Área Plantada Área Segurada x Área Plantada 27% Centro Oeste 17% 29% 12% Brasil 7% Fonte: MAPA e AgraFNP

16 ÁREA SEGURADA NO BRASIL 2008/2009 e 2009/2010 Área em Mil ha. Produção Área a ser colhida Área Segurada % segurado Brasil - total , ,9 7,3% ÁREA PLANTADA SOJA - DADOS DA SAFRA 2008/2009 Produção Área a ser colhida Área Segurada % segurado Brasil - total , ,2 13,9% ÁREA PLANTADA TOTAL - DADOS DA SAFRA 2009/2010 PRODUÇÃO ÁREA A SER COLHIDA ÁREA SEGURADA % SEGURADO Brasil - Total , ,3 9,9% ÁREA PLANTADA DE SOJA - DADOS DA SAFRA 2009/2010 PRODUÇÃO ÁREA A SER COLHIDA ÁREA SEGURADA % SEGURADO Brasil - Total , ,4 17,8% Fonte: IBGE e AgraFNT

17 COBERTURA OFERTADA - CENÁRIO ATUAL MÉDIA IBGE Alguns aspectos importantes: Poderá haver anti-seleção do risco, pela utilização da média de produtividade Os produtores com produtividade maior que a média tendem a não adquirir a cobertura alegando cobertura muito abaixo de sua real produção. O acesso ao Centro-Oeste do Brasil fica comprometido em razão da oferta de cobertura ser considerada muito baixa para os padrões da região.

18 COBERTURA DESEJADA PELOS PRODUTORES, SEGURADORES E RESSEGURADORES Tecnologia de plantio: A B C Alguns aspectos importantes: Poderá haver seleção do risco, pela utilização da média de produtividade com a Utilização de diferentes tecnologias. Ex.: A, B e C. Os produtores com produtividade maiores tendem a adquirir a cobertura em razão destas estarem mais próximas a sua real produção. O acesso ao Centro-Oeste do Brasil ficará facilitada com esse procedimento visto que a cobertura estará próxima aos padrões da região.

19 RETENÇÃO DE RISCOS NA MODALIDADE AGRÍCOLA RETEÇÃO DAS SEGURADORAS IMPORTÂNCIA SEGURADA 100% 10% RETENÇÃO DOS RESSEGURADORES 90% Contrato de Resseguro, de acordo com as normas Legais para o Mercado, Lei Complementar nº. 126.

20 Despesas Discricionárias ( Produção) Órgão R$ milhões Empenhado* Disponível PLOA Agricultura 833, , , , ,9 Des. Agrário 2.552, , , , ,3 Des. Ind. Com. Exterior 510,3 698,4 577,6 634,0 733,8 Pesca e Aqüicultura 62,5 142,6 131,8 286,1 450,8 Turismo 891, , ,1 933,9 801,7 Total 4.850, , , , ,6 * Exclui execução de Emendas e recursos de convênios.

21 Ameaça Mudanças Climáticas Significativas Riscos catastróficos Cultura do Seguro em desenvolvimento Corretores especializados no segmento de seguro rural Empresas fornecedoras de insumos com dificuldade de incluir o custo do seguro em seu portifolio Limitação de Programas de Subvenção nos Estados Inexistência de Programas de Subvenção nos municípios Disponibilidade de Verba para o Programa de Subvenção Políticas governamentais consistentes Dificuldades na obtenção de base de dados para análise dos riscos Divulgação ineficaz do seguro rural junto ao mercado produtor Variação de Preços no mercado nacional e internacional Quantidade e qualidade de peritagens Oportunidades Aumento da área plantada Melhora no uso de tecnologia pelos produtores Maior disponibilidade de crédito rural Aumento consistente da área segurada após Programa de Subvenção Fornecedores de insumos com alguns insites no seguro agrícola Abertura do mercado de resseguros Fundo de Recuperação por Eventos Catastróficos Melhoria do sistema de Zoneamento Agrícola Apoio de Resseguradores ao mercado segurador e produtor Liberação pelo CMN de Crédito adicional de 15%, quando o produtor contratar a cobertura securitária Financiamento do prêmio do seguro, quando da tomada de recursos Cultura do Seguro Rural em crescimento

22 Forças Apoio do MAPA na formação de Peritos Produtores mais tecnificados Cultura do seguro em evolução, tanto no meio rural como nos Governos Seguradoras se estruturando para o crescimento do mercado Vários resseguradores operando no mercado A evolução da cultura do seguro como Gestão de Risco O Seguro como instrumento de garantia real junto a fornecedores de recursos A liberação de 15% adicional nos limites de crédito do governo Fraquezas Política Pública Extensão territorial Baixa retenção Dependência de capacidade de resseguro Poucos corretores focados Banco de dados PoucosPeritos habilitados Não utilização do seguro como garantia real e como redutor de garantias do produtor

23 Forças x Ameaças as Desenvolver seguros sob medida para as regiões do Pais Distribuição dos riscos Verba para o Programa de Subvenção Regulamentação do Fundo Cultura do Seguro Estruturação de um Banco de Dados Central Disponibilização de informações sobre eventos climatológicos pelo Governo Fraquezas x Ameaças as Formação de Peritos Corretores especializados Credibilidade das Políticas Públicas Apoio dos Ministérios da Fazenda e do Planejamento para o Programa de Subvenção Cultura do seguro

24 Oportunidades x Forças Desenvolver produtos para novas culturas e coberturas Desenvolver produtos sob medida Fornecedores de Insumos com a cultura do seguro como gestão de risco Divulgar o seguro Envolvimento da CNA, OCB, Federações, Sindicatos, Cooperativas, Fenseg, Universidades e Governo na melhoria das Políticas de Gestão de Riscos Zoneamento Agrícola do MAPA Oportunidades x Fraquezas Desenvolver estrutura adequada de Banco de Dados Consistência na Política Pública ao segmento Rural Garantia de Recursos para o Programa de Subvenção (Federal, Estadual e Municipal) Gestão de Risco no fornecimento de insumos ao campo Aumento da massa segurada, com deficiência em Peritagem Comprovação de produtividade por parte do produtor Aplicação do Zoneamento Agrícola

25 CONDIÇÕES PARA EVOLUÇÃO DO SEGURO NO BRASIL Dados Estatísticos Confiáveis por Eventos e por Municípios Acesso do Mercado Segurador a Tecnologias disponíveis do Governo Federal Ex.: INMET, INPE. Subvenções Estaduais e Municipais Capacitação de Técnicos para Inspeções e Peritagem a Campo Cultura do Seguro pelo Produtor Rural + Blindar a Verba do Programa de Subvenção que consta da LDO. + Aprovação do Fundo para Cobertura Complementar de Riscos Catastróficos EVOLUÇÃO DE PRODUTOS E COBERTURAS PELO MERCADO SEGURADOR/RESSEGURADOR

26 OBRIGADO! Obrigado! Geraldo Mafra UBF Seguros S/A Site: Telefones: (11) ou

SEGURO RURAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS

SEGURO RURAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS SEGURO RURAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS Histórico do Seguro Agrícola no Brasil 1878 - Congresso Agrícola do Recife; Lei n 2.168, de 11 de janeiro de 1954, estabelece normas para a instituição do seguro agrário

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE PROGRAMA DE SUBVENÇÃO PARA O SEGURO RURAL. www.brasileirarural.com.br

A IMPORTÂNCIA DE PROGRAMA DE SUBVENÇÃO PARA O SEGURO RURAL. www.brasileirarural.com.br A IMPORTÂNCIA DE PROGRAMA DE SUBVENÇÃO PARA O SEGURO RURAL INSTRUMENTOS DE Minimização de Riscos I Proagro Mais II Seguro Privado. Coberturas: - Variações Climáticas - Preços - Índices III Cobertura Complementar

Leia mais

SEGURO RURAL BRASILEIRO. Elaine Cristina dos Santos Ferreira

SEGURO RURAL BRASILEIRO. Elaine Cristina dos Santos Ferreira SEGURO RURAL BRASILEIRO Elaine Cristina dos Santos Ferreira MODALIDADES OFERTADAS DE SEGURO RURAL Agrícola Pecuário Florestas Aqüícola Penhor rural Benfeitorias e produtos agropecuários CPR Vida do Produtor

Leia mais

VI Congresso Brasileiro de Algodão. Seguro Agrícola como Alternativa para redução dos Riscos Agropecuários

VI Congresso Brasileiro de Algodão. Seguro Agrícola como Alternativa para redução dos Riscos Agropecuários VI Congresso Brasileiro de Algodão Seguro Agrícola como Alternativa para redução dos Riscos Agropecuários Segmentação do Mercado Segurador Brasileiro Danos SEGUROS Pessoas PREVI- DÊNCIA CAPITA- LIZAÇÃO

Leia mais

SEGURO RURAL BRASILEIRO

SEGURO RURAL BRASILEIRO SEGURO RURAL BRASILEIRO Gestão de Risco Rural Programa de Subvenção Econômica ao Prêmio do Seguro Rural 2011 O QUE É O SEGURO RURAL? O seguro rural é uma importante ferramenta de gestão de riscos que protege

Leia mais

OS DESAFIOS PARA O DESENVOLVIMENTO SEGURO RURAL PRIVADO NO BRASIL

OS DESAFIOS PARA O DESENVOLVIMENTO SEGURO RURAL PRIVADO NO BRASIL OS DESAFIOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO SEGURO RURAL PRIVADO NO BRASIL S E G U R O S E G U R O Seguro Rural Modalidades Seguro Agrícola; Seguro Pecuário; Seguro Aqüícola; Seguro de Florestas; Modalidades

Leia mais

SEGURO RURAL NO BRASIL: PERSPECTIVAS MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

SEGURO RURAL NO BRASIL: PERSPECTIVAS MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SOCORRO PÚBLICO - ASPECTOS NEGATIVOS Elevado custo político Baixa eficiência econômica Elevado

Leia mais

O SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS

O SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS O SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS Organização das Cooperativas Brasileiras OCB Gerência de Apoio ao Desenvolvimento em Mercados GEMERC 1. INTRODUÇÃO O agronegócio brasileiro representa

Leia mais

Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil

Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil índice 3 4 5 6 8 9 o mercado Números e importância do setor projeções de longo prazo planos/produtos metodologia condições, prazo e investimento formulário

Leia mais

Estado do Paraná Secretaria da Agricultura e do Abastecimento - SEAB Departamento de Economia Rural - DERAL

Estado do Paraná Secretaria da Agricultura e do Abastecimento - SEAB Departamento de Economia Rural - DERAL - SEAB Apresentação Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA Câmara Setorial de Seguros Brasília - DF Junho de 2013 Programa de Subvenção ao Prêmio de Base Legal Lei Estadual 16.166/2009

Leia mais

Avaliação do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural 2005 a 2012 1

Avaliação do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural 2005 a 2012 1 Avaliação do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural 2005 a 2012 1 José Alderir da Silva 2 Maria do Socorro Gondim Teixeira 3 Vinicius Gonçalves dos Santos 4 Resumo O presente artigo tem por objetivo

Leia mais

Fernando Penteado Secretário Executivo

Fernando Penteado Secretário Executivo Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista O Banco do Agronegócio Familiar FEAP-BANAGRO Fernando Penteado Secretário Executivo Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (FEAP) O que é o FEAP É um Fundo

Leia mais

CÂMARA TEMÁTICA DE SEGUROS DO AGRONEGÓCIO (CTSA) MAPA GT ESTUDO SEGURO RURAL Até onde avançamos PEDRO LOYOLA Economista FAEP Julho - 2012 1 2 3 4 5 6 7 Seguro Agrícola no Brasil Uma visão estratégica de

Leia mais

CAMARA SETORIAL DA BORRACHA CARLOS ALFREDO B GUEDES BRASILIA JULHO 2015

CAMARA SETORIAL DA BORRACHA CARLOS ALFREDO B GUEDES BRASILIA JULHO 2015 CAMARA SETORIAL DA BORRACHA A CARLOS ALFREDO B GUEDES BRASILIA JULHO 2015 LEGISLAÇÃO Decreto nº 68.678, de 25 de maio de 1971 cria a Comissão Especial de Planejamento, Controle e Avaliação das Estatísticas

Leia mais

Maçăs e Pêras CORES DA TERRA

Maçăs e Pêras CORES DA TERRA Maçăs e Pêras CORES DA TERRA 12 Maçă Mini Pequena Média Grande Super Extra I Super Extra II Escultural Escultural II Branca 5010 5003 5006 5009 6006 6055 31001 31026 Preta Verde 5032 5011 5031 5001 5030

Leia mais

PROGRAMA DE SUBVENÇÃO AO PRÊMIO DO SEGURO RURAL 2006

PROGRAMA DE SUBVENÇÃO AO PRÊMIO DO SEGURO RURAL 2006 PROGRAMA DE SUBVENÇÃO AO PRÊMIO DO SEGURO RURAL 2006 Programa de ao Prêmio do Seguro Rural - PSR 2006 Subvenções Pagas por culturas/modalidades de seguro Total 21.779 100,0 1.560.349 100,0 2.869.325.774

Leia mais

AJUSTE E FIXAÇÃO DE ÍNDICES DE RENDIMENTO

AJUSTE E FIXAÇÃO DE ÍNDICES DE RENDIMENTO AJUSTE E FIXAÇÃO DE ÍNDICES DE RENDIMENTO QUE INFORMAM O CONCEITO DE PRODUTIVIDADE Março 2005 APLICAÇÃO DOS ÍNDICES Função Social da Propriedade exige níveis satisfatórios de produtividade Vistoria do

Leia mais

SEGURO RURAL PSR. Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural Privado

SEGURO RURAL PSR. Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural Privado SEGURO RURAL PSR Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural Privado O QUE É O PSR Apoio do Governo Federal ao produtor rural para contratação de apólice de seguro rural, por meio de subvenção econômica.

Leia mais

ZONEAMENTO AGRÍCOLA DE RISCO CLIMÁTICO SPA/MAPA

ZONEAMENTO AGRÍCOLA DE RISCO CLIMÁTICO SPA/MAPA ZONEAMENTO AGRÍCOLA DE RISCO CLIMÁTICO SPA/MAPA III Reunião Técnica do CEMADEN Tema: Extremos Climáticos e Colapso de Produção Agrícola Fortaleza/CE 02 e 03 de abril de 2012 Antecedentes Altos índices

Leia mais

Seminário Riscos e Gestão do Seguro Rural no Brasil

Seminário Riscos e Gestão do Seguro Rural no Brasil Seminário Riscos e Gestão do Regulamentação para gestão do seguro rural em eventos catastróficos Otávio Ribeiro Damaso Secretário Adjunto de Política Econômica / otavio.damaso@fazenda.gov.br Campinas,

Leia mais

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12 ALMOÇO 1 Dia 2 Dia 3 Dia de ervas -Pão torrado -Mamão - fruta (melão) ou água de côco -Salada de folhas temperadas c/ azeite e orégano. -1 prato de sobremesa de legumes cozidos ou purê de batatas. - Arroz

Leia mais

Evolução, Perspectivas e Desafios. J.C. Zukowski

Evolução, Perspectivas e Desafios. J.C. Zukowski SEAF Evolução, Perspectivas e Desafios J.C. Zukowski Coordenador Geral do SEAF SEGUROS AGRÍCOLAS NO BRASIL Emergência ou Básico Agricultura Familiar Agricultura Comercial Garantia-Safra Subsídio ao Prêmio

Leia mais

Variabilidade da produção, volatilidade de preços e o comportamento do faturamento do mercado de soja no Paraná

Variabilidade da produção, volatilidade de preços e o comportamento do faturamento do mercado de soja no Paraná Variabilidade da produção, volatilidade de preços e o comportamento do faturamento do mercado de soja no Paraná Andreia Cristina de Oliveira Adami Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada e-mail:

Leia mais

Síntese dos desafios do seguro rural no Brasil: onde falhamos e até onde avançamos. Vitor Ozaki Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz

Síntese dos desafios do seguro rural no Brasil: onde falhamos e até onde avançamos. Vitor Ozaki Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Síntese dos desafios do seguro rural no Brasil: onde falhamos e até onde avançamos Vitor Ozaki Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz ONDE FALHAMOS? SÍNTESE HISTÓRICA - Criação da Federal Crop

Leia mais

PLANO SAFRA DA AGRICULTURA FAMILIAR 2010/2011

PLANO SAFRA DA AGRICULTURA FAMILIAR 2010/2011 PLANO SAFRA DA AGRICULTURA FAMILIAR 2010/2011 Mais crédito, mais segurança e juros menores. Do Plano Safra 2002/2003 ao Plano Safra 2010/2011, o volume de recursos oferecidos por meio do Pronaf para custeio

Leia mais

Análise da Oportunidade Indústria de produção de caixas plásticas (bins)

Análise da Oportunidade Indústria de produção de caixas plásticas (bins) Análise da Oportunidade Indústria de produção de caixas plásticas (bins) 1.1 Sobre o Projeto Contratante: ABPM- Associação Brasileira de Produtores de Maçãs Objetivo: Desenvolvimento de um projeto de Análise

Leia mais

Apresentação AGRIANUAL 2015

Apresentação AGRIANUAL 2015 Apresentação Em anos de eleições, os empresários costumam ficar apreensivos quanto às posições dos candidatos em relação ao segmento em que operam. Mas quem está no agronegócio não precisa ter grandes

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA

MINISTÉRIO DA FAZENDA MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Política Econômica CMN 29.07.2009 Votos Agrícolas Brasília-DF, 29 de julho de 2009. RESUMO DOS VOTOS DA ÁREA AGRÍCOLA REUNIÃO DO CMN JULHO 2009 1 ESTABELECE NOVO PRAZO

Leia mais

Boletim DATALUTA Artigo do mês II: setembro de 2015. ISSN 2177-4463

Boletim DATALUTA Artigo do mês II: setembro de 2015. ISSN 2177-4463 MERCADOS INSTITUCIONAIS COMO ALTERNATIVA PARA O FORTALECIMENTO DOS MERCADOS LOCAIS DE ALIMENTOS: O CASO DO PROGRAMA DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS (PAA) NO MUNICÍPIO DE TUPI PAULISTA/SP Valmir José de Oliveira

Leia mais

Programa de Seguro Rural Brasileiro. Aplicação de recursos com base em informações de risco climático

Programa de Seguro Rural Brasileiro. Aplicação de recursos com base em informações de risco climático Programa de Seguro Rural Brasileiro Aplicação de recursos com base em informações de risco climático Programa de Subvenção ao Prêmio do seguro Rural - PSR Evolução do Programa Estudo sobre Priorização

Leia mais

AGRICULTURA FAMILIAR NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR

AGRICULTURA FAMILIAR NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR AGRICULTURA FAMILIAR NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR P N A E 250 mil famílias poderão ser beneficiadas (estimativa) Cerca de R$1 bilhão 47 milhões de alunos da educação básica da rede pública GRANDE DESAFIO: AS

Leia mais

Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente Câmara Setorial de Palma de Óleo 21 de Setembro de 2012

Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente Câmara Setorial de Palma de Óleo 21 de Setembro de 2012 Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente Câmara Setorial de Palma de Óleo 21 de Setembro de 2012 Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI) Desenvolvimento de novas moléculas Registro

Leia mais

PA02 IBGE Área plantada nas regiões do Brasil com lavouras anuais.

PA02 IBGE Área plantada nas regiões do Brasil com lavouras anuais. PA2 IBGE Área plantada nas regiões do Brasil com lavouras anuais. Abacaxi 8 7 6 5 4 3 2 1 199 1995 2 25 21 A produção nacional de abacaxi que vinha crescendo até 22 sofreu uma inflexão, voltou a subir

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento POLITICA de GARANTIA de PREÇOS MINIMOS

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento POLITICA de GARANTIA de PREÇOS MINIMOS POLITICA de GARANTIA de PREÇOS MINIMOS 04 de maio de 2009 RAZÃO DA POLÍTICA AGRÍCOLA CARACTERÍSTICA DA PRODUÇÃO Concentrada no tempo Consumo ao longo do ano Perecibilidade Baixo valor agregado Alta dispersão

Leia mais

Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar - PGPAF

Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar - PGPAF Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar - PGPAF O QUE É O PGPAF? Programa do Governo Federal que garante aos agricultores familiares que tem financiamento no âmbito do Pronaf a indexação

Leia mais

Segurança e Qualidade dos Alimentos Rastreabilidade

Segurança e Qualidade dos Alimentos Rastreabilidade Segurança e Qualidade dos Alimentos Rastreabilidade Segurança e Qualidade dos Alimentos Lei 12.593/12 institui o PPA 2012-2015 Programa 2028 Defesa Agropecuária Objetivo 0570 Assegurar a qualidade dos

Leia mais

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE realizou, em outubro, o primeiro prognóstico para

Leia mais

SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE SEGURO DE EMERGÊNCIA E SEGURO AGRÍCOLA

SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE SEGURO DE EMERGÊNCIA E SEGURO AGRÍCOLA SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE SEGURO DE EMERGÊNCIA E SEGURO AGRÍCOLA Porto Alegre - Brasil 29 de junho a 2 de julho de 2005 O IRB-BRASIL RE COMO RESSEGURADOR E GESTOR DO FUNDO DE ESTABILIDADE DO SEGURO

Leia mais

Título da. Apresentação

Título da. Apresentação SITUAÇÃO ATUAL DO SISTEMA DE PRODUÇÃO INTEGRADA PI-BRASIL Título da Coordenação de Produção Integrada da Cadeia Agrícola Apresentação Luzia Maria Souza Gisele Ventura Garcia Grilli Brasília-DF Setembro-2014

Leia mais

Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar PGPAF

Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar PGPAF PGPAF Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar PGPAF O QUE É O PGPAF Programa do Governo Federal que garante aos agricultores familiares que tem financiamento no âmbito do Pronaf a indexação

Leia mais

Mesa Redonda Agrícola

Mesa Redonda Agrícola Mesa Redonda Agrícola Dia 14/04 das 14 às 16h Wady J. M. Cury 14 e 15 de Abril de 2015 ÍNDICE Princípios do Seguro MUTUALISMO... É um dos princípios fundamentais que constitui a base de todas as operações

Leia mais

Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº DE DE DE 2016.

Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº DE DE DE 2016. Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº DE DE DE 2016. O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS

Leia mais

No Brasil, as frutas e

No Brasil, as frutas e FRUTAS E HORTALIÇAS: FONTE DE PRAZER E SAÚDE No Brasil, as frutas e hortaliças frescas são produzidas, em diferentes épocas do ano, por milhares de pequenos produtores, distribuídos por todo o país. A

Leia mais

Camara Temática de Seguros Rurais

Camara Temática de Seguros Rurais Camara Temática de Seguros Rurais Ministério da Agricultura,Pecuária e Abastecimento 07.06.2011 Camara Temática Seguro Rural Agenda 1 - Legislação O seguro rural: setor, abrangência e legislação 2 - Modelo

Leia mais

Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária Brasileira

Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária Brasileira Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 ROSEMEIRE SANTOS Superintendente Técnica Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária

Leia mais

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil...

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil... ...... PRODUÇÃO DAS LAVOURAS EM MARÇO DE 2012 SUMÁRIO 1 - Lavouras... 5 TABELAS DE RESULTADOS Safra 2012 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra

Leia mais

SETEMBRO 2015 - BERÇÁRIO

SETEMBRO 2015 - BERÇÁRIO Semana 1 01/09 02/09 03/09 04/09 Rosquinha Bolacha de água e sal; Bolacha maisena FERIADO MUNICIPAL Aniversário de Mogi das Cruzes 455 anos Manga; Pera; Maçã; desfiado cará, cenoura e ou Lima; abobrinha,

Leia mais

LISTA DE SUBSTITUIÇÃO DOS ALIMENTOS

LISTA DE SUBSTITUIÇÃO DOS ALIMENTOS LISTA DE SUBSTITUIÇÃO DOS ALIMENTOS VEGETAIS FOLHOSOS CONSUMO À VONTADE Acelga, agrião, aipo, alface, alcachofra, almeirão, broto de bambu, cogumelo, couve, couve-de-bruxelas, escarola, mostarda, palmito,

Leia mais

P R O A G R O. Programa de Garantia da Atividade Agropecuária. Deoclécio Pereira de Souza. Rio Branco (AC) 22-07-2008

P R O A G R O. Programa de Garantia da Atividade Agropecuária. Deoclécio Pereira de Souza. Rio Branco (AC) 22-07-2008 P R O A G R O Programa de Garantia da Atividade Agropecuária Deoclécio Pereira de Souza Rio Branco (AC) 22-07-2008 1 1.a S E G U R O A - M U N D O ANO > 1347 LOCAL > GÊNOVA - Itália FATO > 1º CONTRATO

Leia mais

CARDÁPIO DA SEMANA. 2ª Feira (29/09) 3ª Feira (30/09) 4ª Feira (01/10) 5ª Feira (02/10) 6ª Feira (03/10) LANCHES (PERÍODOS MATUTINO E VESPERTINO)

CARDÁPIO DA SEMANA. 2ª Feira (29/09) 3ª Feira (30/09) 4ª Feira (01/10) 5ª Feira (02/10) 6ª Feira (03/10) LANCHES (PERÍODOS MATUTINO E VESPERTINO) 2ª Feira (29/09) 3ª Feira (30/09) 4ª Feira (01/10) 5ª Feira (02/10) 6ª Feira (03/10) Feriado Feriado Barquinha de minipão francês integral com mussarela e orégano Suco de manga Mamão com granola Soft roll

Leia mais

TÍTULO. Políticas de Financiamento e Proteção da Produção - MDA

TÍTULO. Políticas de Financiamento e Proteção da Produção - MDA TÍTULO Políticas de Financiamento e Proteção da Produção - MDA Lei 11.326/06 Art. 3o Para os efeitos desta Lei, considera-se agricultor familiar e empreendedor familiar rural aquele que pratica atividades

Leia mais

Pedro Loyola Federação da Agriculturas do Estado do Paraná (FAEP) - Brasil ALASA 2012 - QUEBEC - CANADA

Pedro Loyola Federação da Agriculturas do Estado do Paraná (FAEP) - Brasil ALASA 2012 - QUEBEC - CANADA Pedro Loyola Federação da Agriculturas do Estado do Paraná (FAEP) - Brasil ALASA 2012 - QUEBEC - CANADA SEGURO RURAL EVOLUÇÃO PSR 2005-2014 SITUAÇÃO 2015 ORÇAMENTO PSR 2016 NOVAS REGRAS 2016-2018 CONCLUSÕES

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS - SUSEP

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS - SUSEP SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS - MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO E SITUAÇÃO ATUAL DO SEGURO AGRÍCOLA Vera Melo - Diretora César Neves - Coordenador Sistema Nacional de Seguros Privados: Conselho Nacional

Leia mais

CEASAMINAS UNIDADE GRANDE BELO HORIZONTE CALENDÁRIO DA SAZONALIDADE DOS PREÇOS DE HORTIGRANJEIROS E CEREAIS /2015

CEASAMINAS UNIDADE GRANDE BELO HORIZONTE CALENDÁRIO DA SAZONALIDADE DOS PREÇOS DE HORTIGRANJEIROS E CEREAIS /2015 CEASAMINAS UNIDADE GRANDE BELO HORIZONTE CALENDÁRIO DA SAZONALIDADE DOS PREÇOS DE HORTIGRANJEIROS E CEREAIS - 2011/2015 HORT.FOLHAS,FLOR-HASTE ACELGA FO FO FO RE RE FR FR FR FR FR RE RE AGRIÃO FO FO FO

Leia mais

CARDÁPIO SEMANAL - 7 a 14 anos 02 a 06 de NOVEMBRO. Lanche da Manhã Biscoito de aveia e mel Tostex (queijo e peito de peru) Pão de forma com margarina

CARDÁPIO SEMANAL - 7 a 14 anos 02 a 06 de NOVEMBRO. Lanche da Manhã Biscoito de aveia e mel Tostex (queijo e peito de peru) Pão de forma com margarina CARDÁPIO SEMANAL - 7 a 14 anos 02 a 06 de NOVEMBRO 02/11/2015 03/11/2015 04/11/2015 05/11/2015 06/11/2015 Biscoito de aveia e mel Tostex (queijo e peito de peru) Pão de forma com margarina Cereal Matinal

Leia mais

Cardápio 04.05 até 08.05.2015

Cardápio 04.05 até 08.05.2015 Cardápio 04.05 até 08.05.2015 COLAÇÃO Pera Suco de acerola Goiaba Suco de uva Manga pepino/carne moída com proteína de soja/ Berinjela cozida/ /inhame cozido/arroz/feijão Salada de tomate e repolho/frango

Leia mais

Cardápio. Cardápio. 3 de agosto. 4 de agosto. 5 de agosto. 6 de agosto LANCHE MANHÃ ALMOÇO LANCHE TARDE. segunda-feira. terça-feira.

Cardápio. Cardápio. 3 de agosto. 4 de agosto. 5 de agosto. 6 de agosto LANCHE MANHÃ ALMOÇO LANCHE TARDE. segunda-feira. terça-feira. agosto Cardápio 2014 agosto Cardápio sujeito a 2015 alterações 3 de agosto Pão sírio com queijo branco e tomate. Creme de abacate. Iscas largas de carne grelhada ao molho roti. Picadinho de frango. Arroz

Leia mais

RESUMO EXECUTIVO COMPOSIÇÃO NUTRICIONAL DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR NO BRASIL: UMA ANÁLISE A PARTIR DE UMA AMOSTRA DE CARDÁPIOS - 2011

RESUMO EXECUTIVO COMPOSIÇÃO NUTRICIONAL DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR NO BRASIL: UMA ANÁLISE A PARTIR DE UMA AMOSTRA DE CARDÁPIOS - 2011 RESUMO EXECUTIVO COMPOSIÇÃO NUTRICIONAL DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR NO BRASIL: UMA ANÁLISE A PARTIR DE UMA AMOSTRA DE CARDÁPIOS - 2011 1 Objetivo e Metodologia O presente relatório apresenta os resultados da

Leia mais

POLÍTICA de GARANTIA de PREÇOS MÍNIMOS - PGPM

POLÍTICA de GARANTIA de PREÇOS MÍNIMOS - PGPM Diretoria de Política Agrícola e Informações - Dipai Superintendencia de Gestão da Oferta - Sugof POLÍTICA de GARANTIA de PREÇOS MÍNIMOS - PGPM Por: Carlos Eduardo Tavares Maio de 2012 RAZÃO DA POLÍTICA

Leia mais

BB Seguro Agrícola Faturamento. Brasília (DF), 06 de Julho de 2011

BB Seguro Agrícola Faturamento. Brasília (DF), 06 de Julho de 2011 BB Seguro Agrícola Faturamento Brasília (DF), 06 de Julho de 2011 1 Mitigadores de Produção/Intempéries. 2 Mitigadores de Preço. 3 Seguro de Faturamento. Exemplos. Mitigadores de Produção/Intemp ão/intempéries

Leia mais

Carbo- Fibra Número do Umidade Energia Proteína Lipídeos Colesterol idrato Alimentar Cinzas Cálcio Magnésio Alimento Descrição do Alimento (%) (kcal)

Carbo- Fibra Número do Umidade Energia Proteína Lipídeos Colesterol idrato Alimentar Cinzas Cálcio Magnésio Alimento Descrição do Alimento (%) (kcal) Carbo- Fibra Número do Umidade Energia Proteína Lipídeos Colesterol idrato Alimentar Cinzas Cálcio Magnésio Alimento Descrição do Alimento (%) (kcal) (kj) (g) (g) (mg) (g) (g) (g) (mg) (mg) &HUHDLVÃHÃGHULYDGRVÃ

Leia mais

Cardápio de Novembro 2015

Cardápio de Novembro 2015 03/nov 04/nov 05/nov 06/nov Biscoito passatempo sem recheio Maçã / thompson Suco de caju Biscoito de polvilho Suco de goiaba Biscoito leite e mel Maçã / Suco de tangerina Biscoito mini gergelim Banana

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 4.342, DE 20 DE JUNHO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 4.342, DE 20 DE JUNHO DE 2014 RESOLUÇÃO Nº 4.342, DE 20 DE JUNHO DE 2014 Dispõe sobre ajustes nas normas de de custeio, de investimento e de comercialização com recursos do crédito rural, a partir de 1º de julho de 2014. O Banco Central

Leia mais

PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS

PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL D E R A L PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS 20/03/06 O levantamento de campo realizado pelo DERAL, no

Leia mais

Avaliação da Implementação do Programa de Subvenção do Prêmio do Seguro Rural

Avaliação da Implementação do Programa de Subvenção do Prêmio do Seguro Rural página Avaliação da Implementação do Programa de Subvenção do Prêmio do Seguro Rural Estela Alves de Medeiros 1 Resumo: O trabalho objetiva realizar avaliação da implantação do Programa de Subvenção do

Leia mais

Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana

Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana Matinal Papinha de mamão Papinha de pêra Papinha de banana Papinha de manga Papinha de maçã Papinha de carne moída com, beterraba e couve Papinha de batata

Leia mais

(EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) Alface. Inhame cozido Frango acebolado

(EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) Alface. Inhame cozido Frango acebolado CARDÁPIO EDUCAÇÃO INFANTIL (maiores de 2 anos) JUNHO/2015 Observações: A utilizada será sem lactose. Oferecer água durante todo dia. Não oferecer bebida durante o almoço ou jantar somente depois de no

Leia mais

WORKSHOP REGIONAL - PLANO AGRÍCOLA E PECUÁRIO 2009 / 10 ESTADO DO PARANÁ PROPOSTAS / REAIS NECESSIDADES

WORKSHOP REGIONAL - PLANO AGRÍCOLA E PECUÁRIO 2009 / 10 ESTADO DO PARANÁ PROPOSTAS / REAIS NECESSIDADES TEMAS VOLUME DE RECURSOS Ocorreu um aumento médio de 20% no custo de produção em relação à safra anterior. Crise as traddings, agroindútrias e cerealistas reduziram a oferta de crédito. O crédito oficial

Leia mais

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL ISSN 1677-7042 Ano CL N o - 96 Brasília - DF, terça-feira, 21 de maio de 2013. Sumário PÁGINA Atos do Poder Executivo... 1 Presidência da República... 1 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento...

Leia mais

CARDÁPIO INFANTIL 1ª SEMANA 04/05 A 08/05 SEGUNDA FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA

CARDÁPIO INFANTIL 1ª SEMANA 04/05 A 08/05 SEGUNDA FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA 1ª SEMANA 04/05 A 08/05 CARDÁPIO INFANTIL Suco uva Melancia picada Suco de manga picado Suco de pêssego Carne moída rica ( e Iscas de frango Bife de panela Moqueca capixaba Ensopado de frango vagem) Angu

Leia mais

Eng. Agr. M.Sc. Waldemar Sanchez. Projetos Bayer para Culturas de Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI)

Eng. Agr. M.Sc. Waldemar Sanchez. Projetos Bayer para Culturas de Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI) Eng. Agr. M.Sc. Waldemar Sanchez Projetos Bayer para Culturas de Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI) Agenda Produtos / Culturas / Alvos Projetos Bayer: Investimentos & Prazos Bayer CropScience Visão

Leia mais

Plano Abras Maior Apresentação maio/2013

Plano Abras Maior Apresentação maio/2013 Plano Abras Maior Apresentação maio/2013 Gestão Abras PLATAFORMA ABRAS 2013-2014 - 2014 SETOR HOJE PLATAFORMA ABRAS 2013-2014 Setor faturou R$ 242,9 bilhões em 2012 Supermercados respondem por 83,7% do

Leia mais

ANÁLISE A RESPEITO DO AGRÍCOLA NO BRASIL. Benedito S. Ferreira Cosag, 05 de fevereiro de 2007 2007

ANÁLISE A RESPEITO DO AGRÍCOLA NO BRASIL. Benedito S. Ferreira Cosag, 05 de fevereiro de 2007 2007 ANÁLISE A RESPEITO DO AGRÍCOLA NO BRASIL Benedito S. Ferreira Cosag, 05 de fevereiro de 2007 2007 ESCOPO DA ANÁLISE Com base nas experiências internacionais e brasileiras sobre Seguro Agrícola, procurou-se

Leia mais

Rua Roque Petrella,1146 Brooklin-São Paulo SP CEP.04581-051-Telefone (11) 5533.1026

Rua Roque Petrella,1146 Brooklin-São Paulo SP CEP.04581-051-Telefone (11) 5533.1026 PRIMEIRO DIA Somente Frutas Suco de frutas + 1 fruta Ex. suco de laranja com morango + 1{ mamão papaia DA MANHÃ 1 copo 250 ml Suco de melão + 1 fruta (ex. 1 ameixa ) Ex. Folhas de rúcula a vontade + 4

Leia mais

CARDÁPIO JUNHO 2015. Sopa: Caldo verde ( alho, fubá, carne, óleo de soja, cebola, couve manteiga, tomate molho e ervas naturais)

CARDÁPIO JUNHO 2015. Sopa: Caldo verde ( alho, fubá, carne, óleo de soja, cebola, couve manteiga, tomate molho e ervas naturais) EXTERNATO SANTO ANTÔNIO 1ª SEMANA 01/06 (segunda-feira) 02/06 (terça-feira) 03/06 (quarta-feira) 04/06 (quinta-feira) 05/06 (sexta-feira) Leite com achocolatado Leite fermentado Iogurte CARDÁPIO JUNHO

Leia mais

SEGURO DA AGRICULTURA FAMILIAR - SEAF

SEGURO DA AGRICULTURA FAMILIAR - SEAF SEGURO DA AGRICULTURA FAMILIAR - SEAF PRODUZINDO COM SEGURANÇA O Seguro da Agricultura Familiar - SEAF foi criado pelo Governo Federal para que o produtor possa desenvolver sua lavoura com segurança, atendendo

Leia mais

SEGURO RURAL: ASPECTOS GERAIS E PRINCIPAIS TENDÊNCIAS. PROCAD UFMG Novembro/09

SEGURO RURAL: ASPECTOS GERAIS E PRINCIPAIS TENDÊNCIAS. PROCAD UFMG Novembro/09 SEGURO RURAL: ASPECTOS GERAIS E PRINCIPAIS TENDÊNCIAS PROCAD UFMG Novembro/09 SEGURO RURAL Modalidades Seguro Rural Modalidades Seguro Agrícola; Seguro Pecuário; Seguro de Benfeitorias e Produtos Agropecuários;

Leia mais

Cardápio 06.07 até 10.07.2015

Cardápio 06.07 até 10.07.2015 Cardápio 06.07 até 10.07.2015 COLAÇÃO Banana Suco de acerola Melão Suco de goiaba Maçã pepino/carne ao molho/ Abóbora cozida/ /batata e repolho/frango no molho/ cenoura cozida/ farofa de couve e ovos/arroz/feijão

Leia mais

FRUTAS E HORTALIÇAS FONTE DE PRAZER E SAÚDE

FRUTAS E HORTALIÇAS FONTE DE PRAZER E SAÚDE FRUTAS E HORTALIÇAS FONTE DE PRAZER E SAÚDE O que são frutas e hortaliças? Consumimos diferentes partes da planta. Chamamos de fruta a maioria dos frutos maduros e de sabor doce, e de hortaliça as diferentes

Leia mais

Cardápio Berçário - 2014

Cardápio Berçário - 2014 Data -- -- -- 02/01 03/01 Dia da semana Quinta Sexta Suco de maçã cozida Suco de melão Abóbora japonesa Abacate Banana nanica Data 06/01 07/01 08/01 09/01 10/01 Suco de melancia Suco de pera Suco de manga

Leia mais

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DO CRÉDITO RURAL - 2004

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DO CRÉDITO RURAL - 2004 Agrícola - CUSTEIO Lavoura ABACATE 57 1.229.660,94 900,99 ABACAXI 1.652 19.095.855,74 4.171,04 ABACAXI IRRIGADO 286 5.444.100,66 1.301,90 ABOBORA-MORANGA 439 2.221.087,69 1.630,91 ABOBORA-MORANGA IRRIGADA

Leia mais

RELAÇÃO DE FATORES DE CORREÇÃO E ÍNDICE DE CONVERSÃO (COCÇÃO) DE ALIMENTOS

RELAÇÃO DE FATORES DE CORREÇÃO E ÍNDICE DE CONVERSÃO (COCÇÃO) DE ALIMENTOS RELAÇÃO DE FATORES DE CORREÇÃO E ÍNDICE DE CONVERSÃO (COCÇÃO) DE ALIMENTOS Elaboração: Profª. Mônica de Caldas Rosa dos Anjos Nutrição UFPR 1 Abacate 1,14 1,34 1,33 1,68 1,46* Abacaxi 1,41 1,50 1,89 1,93*

Leia mais

CARDÁPIO SEMANAL ALMOÇO MATER DEI OUTUBRO 2015 WEEKLY LUNCH MENU MATER DEI OCTOBER 2015

CARDÁPIO SEMANAL ALMOÇO MATER DEI OUTUBRO 2015 WEEKLY LUNCH MENU MATER DEI OCTOBER 2015 Segunda Terça Quarta Quinta 01 Sexta 02 Alface/couve Folhas Mistas abobrinha ralada tomate macarrão tricolor Grão de Bico Branco/ integral Branco/ integral carioca carioca Escalopinho ao molho madeira

Leia mais

Receitas de Sucos. Sucos com Frutas. Suco de abacaxi e gengibre. Suco de laranja, amora e grapefruit. Batida de papaya e laranja

Receitas de Sucos. Sucos com Frutas. Suco de abacaxi e gengibre. Suco de laranja, amora e grapefruit. Batida de papaya e laranja Receitas de Sucos Sucos com Frutas Suco de abacaxi e gengibre 1 abacaxi médio bem maduro 1 colher de sopa de gengibre fresco picado 4 copos de água Lavar bem o abacaxi usando uma escova. Descascar com

Leia mais

DERAL - Departamento de Economia Rural. Fruticultura - Análise da Conjuntura Agropecuária

DERAL - Departamento de Economia Rural. Fruticultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Fruticultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Dezembro de 2012 PANORAMA MUNDIAL A produção mundial de frutas se caracteriza pela grande diversidade de espécies cultivadas, e constituí-se em grande

Leia mais

VALOR DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA DO BRASIL EM 2003, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO 1

VALOR DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA DO BRASIL EM 2003, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO 1 VALOR DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA DO BRASIL EM 2003, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO 1 Alfredo Tsunechiro 2 Vagner Azarias Martins 3 1 - INTRODUÇÃO 1 2 3 Qual a verdadeira magnitude do valor da produção agropecuária

Leia mais

AMOSTRAGEM DE TECIDO VEGETAL

AMOSTRAGEM DE TECIDO VEGETAL AMOSTRAGEM DE TECIDO VEGETAL Importância A análise química foliar constitui um procedimento auxiliar, na identificação de deficiências nutricionais ou presença de elementos excessivos com a finalidade

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO (VBP) AGROPECUÁRIO Julho/2015 R$ milhões VBP PRINCIPAIS PRODUTOS AGRÍCOLAS LAVOURAS

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ Secretaria Municipal de Educação, Desporto e Lazer Coordenadoria de Política Nutricional - CPN EMPRESAS HABILITADAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ Secretaria Municipal de Educação, Desporto e Lazer Coordenadoria de Política Nutricional - CPN EMPRESAS HABILITADAS PREGÃO 50/06 PRODUTOS HOTIFRUTIGRANJEIROS Cuiabá, 07 de novembro de 2006 EMPRESAS HABILITADAS 1.PRODUTO: ABACAXI.CLAUDINEY A. LIMA.COORIMBATÁ. PERROT E PAGANINI 2.PRODUTO: ABOBORA PAULISTA I.D LEITE 3.PRODUTO:

Leia mais

UNIVERSAL KIDS. Quarta 03/06

UNIVERSAL KIDS. Quarta 03/06 Semana 1 01/06 02/06 03/06 04/06 05/06 Bolacha de Maisena; Biscoito de água e sal; Banana; Mamão; Manga; Maça; Sopa de Frango com Batata Cenoura (quando Sopa de Mandioquinha com iscas de fígado Sopa de

Leia mais

especial SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA - Biscoito polvilho (sem leite e sem glúten) -Frutadaépoca -Bebidadesoja

especial SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA - Biscoito polvilho (sem leite e sem glúten) -Frutadaépoca -Bebidadesoja 1 09 a 13 03 04 a 08/05 29 06 a 03 07 24/08 a 28/08 19/10 a 23/10 14 12 a 18 12 - Suco de maracujá -Sucodeacerola - Suco de abacaxi - Alface crespa Cenoura - Ovos de codorna -Brócolis -Alfacelisa - Alface

Leia mais

PLANO DE AÇÃO PARA EXECUÇÃO DO ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA MAPA x ABRAS

PLANO DE AÇÃO PARA EXECUÇÃO DO ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA MAPA x ABRAS PLANO DE AÇÃO PARA EXECUÇÃO DO ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA MAPA x ABRAS Rosilene Ferreira Souto Luzia Souza Setembro 2014 Parceria Institucional com foco na rastreabilidade Acordo de Cooperação entre

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL QUALIDADE DE VIDA. Nut. Dra. Adriana Flores CRN-3 6408

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL QUALIDADE DE VIDA. Nut. Dra. Adriana Flores CRN-3 6408 ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL QUALIDADE DE VIDA Nut. Dra. Adriana Flores CRN-3 6408 Estética Saúde METABOLISMO 20 ANOS 30-35 ANOS 40-45 ANOS CIRCUNFERÊNCIA DA CINTURA ALIMENTOS TERMOGÊNICOS Gengibre Canela Pimenta

Leia mais

Plano de alimentação para perder 3 KG por mês mas para alcançar esse objetivo tem que ser feito arrisca.

Plano de alimentação para perder 3 KG por mês mas para alcançar esse objetivo tem que ser feito arrisca. Plano de alimentação para perder 3 KG por mês mas para alcançar esse objetivo tem que ser feito arrisca. Exemplo: A hora é você que decide somente estou dando um exemplo de horário; Café da Manha 7h Antes

Leia mais

Nº 1 - Janeiro 2011. 1. Antecedentes

Nº 1 - Janeiro 2011. 1. Antecedentes Nº 1 - Janeiro 2011 1. Antecedentes Além dos riscos inerentes a toda atividade produtiva, o setor agrícola enfrenta ainda riscos adicionais, decorrentes basicamente de eventos naturais adversos (em geral

Leia mais

Análise a Respeito do Seguro Agrícola no Brasil. Benedito S. Ferreira Diretor Titular Departamento do Agronegócio FIESP Junho de 2008

Análise a Respeito do Seguro Agrícola no Brasil. Benedito S. Ferreira Diretor Titular Departamento do Agronegócio FIESP Junho de 2008 Análise a Respeito do Seguro Agrícola no Brasil Benedito S. Ferreira Diretor Titular Departamento do Agronegócio FIESP Junho de 2008 Escopo da Análise Com base nas experiências internacionais e brasileiras

Leia mais

ESCOLA INFANTIL PARAÍSO UNIDADE III JUNHO 2016 Cardápio sujeito a alterações de acordo com a disponibilidade dos alimentos

ESCOLA INFANTIL PARAÍSO UNIDADE III JUNHO 2016 Cardápio sujeito a alterações de acordo com a disponibilidade dos alimentos 01/06 02/06 03/06 LANCHE DA MANHÃ Banana Manga Goiaba Yakissoba de carne com legumes (macarrão cabelo anjo) Frango desfiado com tomate Guarnição ---- Milho refogado com Bolinho de peixe com batata doce

Leia mais

A FORÇA DO COMPRADOR NA ADOÇÃO DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS. Setembro de 2014

A FORÇA DO COMPRADOR NA ADOÇÃO DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS. Setembro de 2014 ANEXO V A FORÇA DO COMPRADOR NA ADOÇÃO DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS Setembro de 2014 Algumas considerações Agricultura e abastecimento O desenvolvimento da agricultura é responsável pela evolução da humanidade.

Leia mais

Como negociar e assegurar as garantias que serão dadas ao banco quando se necessita de um financiamento rural do Pronaf

Como negociar e assegurar as garantias que serão dadas ao banco quando se necessita de um financiamento rural do Pronaf Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria da Agricultura Familiar Como negociar e assegurar as garantias que serão dadas ao banco quando se necessita de um financiamento rural do Pronaf 1 INTRODUÇÃO

Leia mais

Dias da Semana Café da Manhã Almoço Café da Tarde Jantar

Dias da Semana Café da Manhã Almoço Café da Tarde Jantar Semana de 01/05 á 04/05 Terça - Feira Feriado Feriado Feriado Feriado 01/mai Quarta - Feira Maçã Raspadinha Grão de Bico Suco de Pêra com Grão de Bico 02/mai Couve com Frango Maçã Couve com Frango Sobremesa:

Leia mais