Transdução de Grandezas Biomédicas

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Transdução de Grandezas Biomédicas"

Transcrição

1 Transdução de Grandezas Biomédicas Aula 03 Mestrado em Eng. Biomédica Docente: > Marcelino M. de Andrade

2 A Aula!

3 Classificação de Transdutores Critério de Desempenho Estática: critérios de desempenho que dão uma descrição significativa da qualidade de medição, sem ficar preocupado com as descrições dinâmicas envolvendo equações diferenciais. Dinâmicas: descrever a qualidade da medição, quando as quantidades medidas variam rapidamente com o tempo, sendo geralmente adotado o uso de equações diferenciais.

4 Calibração? O que é calibração: é o processo onde o instrumento de teste (o instrumento a ser calibrado) é comparado com o instrumento padrão. Anvisa Conjunto de operações que estabelece, sob condições especificadas, a relação entre os valores indicados por um instrumento de medição, e os valores correspondentes das grandezas estabelecidos por padrões. Anvisa

5 Calibração Estática Calibração Estática: relaciona-se a medições das quantidades que são constantes ou variam lentamente; Em geral, a calibração estática refere-se a uma situação em que todas as entradas exceto aquela desejada são mantidas em alguns valores constantes. A entrada desejada é variada em alguns passos e na saída os valores são anotados. A relação entrada - saída é chamado de curva de calibração estática válida.

6 Calibração Estática 1. Sensibilidade Estática 2. Linearidade 3. Repetibilidade / Exatidão 4. Resolução 5. Histerese 6. Faixas de Operação e Dinâmica 7. Impedância de entrada e efeito de carga 8. Saturação, rompimento e zona morta

7 Sensibilidade Estática Definida como a inclinação da curva de calibração estática.

8 Sensibilidade Estática Exemplo I - Os valores de resistência a seguir de um termômetro de resistência de platina foram medidos em uma escala de temperaturas. Determinar a sensibilidade de medição do instrumento em ohms / C.

9 Linearidade É uma medida da diferença máxima entre os traçados resposta do transdutor de uma linha especificada em linha reta. A linha reta de melhor ajuste é matematicamente determinada pela avaliação do desvio da curva de resposta a partir da linha reta em um número de calibração pontos e escolher aquele que lhe dá o mínimo da soma dos quadrados dos desvios.

10 Linearidade É uma medida da diferença máxima entre os traçados resposta do transdutor de uma linha especificada em linha reta.

11 Linearidade Exemplo I - Os valores de resistência (X) a seguir de um termômetro de resistência de platina foram medidos em uma escala de temperaturas (Y). Determinar a reta de regressão linear.

12 Linearidade Exemplo I - Os valores de resistência (X) a seguir de um termômetro de resistência de platina foram medidos em uma escala de temperaturas (Y). Determinar a reta de regressão linear.

13 Linearidade Exemplo I - Os valores de resistência (X) a seguir de um termômetro de resistência de platina foram medidos em uma escala de temperaturas (Y). Determinar a reta de regressão linear.

14 Repetibilidade e Exatidão Repetibilidade (Precision - Incerteza) - capacidade de mostrar o mesmo ou similar valor. Grau de Reprodutibilidade Exatidão (Accuracy - Erro) - capacidade em atingir o evento proposto. Grau de Veracidade

15 Resolução ou Discriminação É a menor diferença entre as indicações do aparelho que se podem distinguir significativamente, ou os menores incrementos de estímulo que podem ser sentidas.

16 Exatidão e Resolução Exatidão: O melhor caminho para expressar a exatidão de um transdutor é especificá-lo em termos do verdadeiro valor da quantidade a ser medido. Exemplo, dentro de ± X,Y% do valor verdadeiro. Resolução: A resolução do instrumentos digitais é decidido pelo número de dígitos usado para mostrar. A resolução de um voltímetro de 4 dígitos, com uma faixa de 999,9 volts é de 0,1 volts, e um com 5 algarismos no mesmo intervalo, a resolução seria 0,01 volts.

17 Histerese A não-coincidência entre as curvas de carga e descarga é conhecida como histerese.

18 Faixas de Operação e Dinâmica Um transdutor é recomendado para ser usado entre valores de entrada de alta e baixa magnitude. Faixa de Operação (range) de um transdutor é especificado a partir dos valores da entrada de alta e baixa magnitude de entrada. Faixa Dinâmica (span) do transdutor é especificado como a diferença entre o limites de alta e baixa magnitude de entrada. Um transdutor de temperatura é recomendado para ser usado entre 20 e 50 C, seu range é especificado como de 20 até 50 C, e seu span é o valor de 30 C.

19 Impedância de Entrada Um transdutor utilizado para qualquer medida normalmente extrai alguma energia do meio de medição e, assim, perturba o valor da medida da quantidade. Esta propriedade é conhecida como o efeito de carregamento do transdutor. Um transdutor ideal é aquela que não absorve energia e, portanto, não perturba o estado da quantidade medida.

20 Saturação, Rompimento e Zona Morta Saturação Rompimento Zona Morta Saturação: relativo ao valor máximo da saída do transdutor; Rompimento: disparo a partir de um valor de entrada; Zona Morta: variações na entrada sem consequência na saída;

21 Próxima Aula!!!

CARACTERÍSTICAS ESTÁTICAS DE SISTEMAS DE MEDIÇÃO

CARACTERÍSTICAS ESTÁTICAS DE SISTEMAS DE MEDIÇÃO DETERMINAÇÃO DA DERIVA DO ZERO: ENSAIO: Manter P o = 0 e variar a temperatura T dentro da faixa de temperaturas ambientes [T max, T min ] previstas para uso do SM. Os ensaios feitos em CÂMARA de temperatura

Leia mais

Instrumentação Industrial. Fundamentos de Instrumentação Industrial: Caracterização Estática

Instrumentação Industrial. Fundamentos de Instrumentação Industrial: Caracterização Estática Instrumentação Industrial Fundamentos de Instrumentação Industrial: Caracterização Estática Caracterização Estática de Instrumentos Definição: determinação da relação entre a entrada e a saída do instrumento,

Leia mais

A Instrumentação pode ser definida como a arte e ciência da medição e controle.

A Instrumentação pode ser definida como a arte e ciência da medição e controle. www.iesa.com.br 1 Introdução A Instrumentação pode ser definida como a arte e ciência da medição e controle. Instrumento é qualquer dispositivo, ou conjunto de dispositivos, utilizado com a finalidade

Leia mais

Métodos Experimentais em Termociências I.B De Paula

Métodos Experimentais em Termociências I.B De Paula Conceitos básicos: Medição É o conjunto de operações que tem por objetivo determinar o valor de uma grandeza. Medições, mesmo que bem controladas, estão sujeitas a variações causadas por inúmeras fontes.

Leia mais

ET7DE- Instrumentação Virtual. Prof. Winderson Sensores e Transdutores

ET7DE- Instrumentação Virtual. Prof. Winderson Sensores e Transdutores ET7DE- Instrumentação Virtual Prof. Winderson Sensores e Transdutores Tópicos: 1. Sensores e transdutores 2. Características de sensores 3. Exercícios 1. Sensores e Transdutores Sensor é um dispositivo

Leia mais

ENCONTRO 4 AMPLIFICADOR DE INSTRUMENTAÇÃO

ENCONTRO 4 AMPLIFICADOR DE INSTRUMENTAÇÃO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DISCIPLINA: ELETRÔNICA II PROFESSOR: VLADEMIR DE J. S. OLIVEIRA ENCONTRO 4 AMPLIFICADOR DE INSTRUMENTAÇÃO 1. COMPONENTES DA EQUIPE Alunos Nota: Data: 2. OBJETIVOS - Implementação

Leia mais

Transdução de Grandezas Biomédicas

Transdução de Grandezas Biomédicas Transdução de Grandezas Biomédicas Aula 05 Mestrado em Eng. Biomédica Docente: > Marcelino M. de Andrade A Aula! Termistores (NTC) Um termômetro de resistência. A relação entre a resistência e a temperatura

Leia mais

características estáticas dos instrumentos de medida

características estáticas dos instrumentos de medida características estáticas dos instrumentos de medida Características estáticas dos instrumentos de medida são aquelas que podem ser consideradas, quando o instrumento é utilizado para medir uma condição

Leia mais

Revisitando o estado da arte da calibração de um instrumento analógico

Revisitando o estado da arte da calibração de um instrumento analógico Revisitando o estado da arte da calibração de um instrumento analógico Comparação é a melhor definição com uma única palavra para o termo metrológico calibração. De maneira simplória, calibração nada mais

Leia mais

ASPECTOS GERAIS DA ÁREA DE INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL. IFRN Campus Nova Cruz Curso Técnico em Química Prof. Samuel Alves de Oliveira

ASPECTOS GERAIS DA ÁREA DE INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL. IFRN Campus Nova Cruz Curso Técnico em Química Prof. Samuel Alves de Oliveira ASPECTOS GERAIS DA ÁREA DE INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL IFRN Campus Nova Cruz Curso Técnico em Química Prof. Samuel Alves de Oliveira INTRODUÇÃO É NECESSÁRIO MEDIR E CONTROLAR VARIÁVEIS EM UM PROCESSO INDUSTRIAL

Leia mais

Transdução de Grandezas Biomédicas

Transdução de Grandezas Biomédicas Transdução de Grandezas Biomédicas Mestrado em Eng. Biomédica Docente: > Marcelino M. de Andrade A Aula! O Erro em Medidas Não existe medida realizada sem erro, e o erro poder ser somente minimizado!!!

Leia mais

CAPÍTULO 2 MÉTODOS DE MEDIÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO

CAPÍTULO 2 MÉTODOS DE MEDIÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO CAPÍTULO 2 MÉTODOS DE MEDIÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO 2.1. Métodos de Medição Definição: Um método de medição é uma sequência lógica de operações, descritas genericamente, utilizadas na execução de medições [VIM

Leia mais

Caracterização e conceitos de Sistemas de Medição

Caracterização e conceitos de Sistemas de Medição Caracterização e conceitos de Sistemas de Medição Aula 03 Prof. Valner Brusamarello Composto por material da bibliografia e por notas de aula do prof. John UFRGS Caracterização de Sistemas de Medição Em

Leia mais

Medidas em Laboratório

Medidas em Laboratório Medidas em Laboratório Prof. Luis E. Gomez Armas Lab. de Física Unipampa, Alegrete 1 o Semestre 2014 Sumário O que é fazer um experimento? Medidas diretas e indiretas Erros e sua classificação Algaritmos

Leia mais

Noções de Exatidão, Precisão e Resolução

Noções de Exatidão, Precisão e Resolução Noções de Exatidão, Precisão e Resolução Exatidão: está relacionada com o desvio do valor medido em relação ao valor padrão ou valor exato. Ex : padrão = 1,000 Ω ; medida (a) = 1,010 Ω ; medida (b)= 1,100

Leia mais

Disciplina: Instrumentação e Controle. Aula: sensores, transdutores e características de instrumentos.

Disciplina: Instrumentação e Controle. Aula: sensores, transdutores e características de instrumentos. Disciplina: Instrumentação e Controle Aula: sensores, transdutores e características de instrumentos. Definições Sensor: dispositivo sensível a mudança físicas do ambiente ou sistema. Dispositivos amplamente

Leia mais

Introdução à Instrumentação e Medida Biomédica. Prof. Adilton Carneiro Departamento de Física e Matemática

Introdução à Instrumentação e Medida Biomédica. Prof. Adilton Carneiro Departamento de Física e Matemática Introdução à Instrumentação e Medida Biomédica Prof. Adilton Carneiro Departamento de Física e Matemática Instrumentação Biomédica São ferramentas que transformam informações físicas, que estão direta

Leia mais

5 O Sistema de Medição. Fundamentos de Metrologia

5 O Sistema de Medição. Fundamentos de Metrologia 5 O Sistema de Medição Fundamentos de Metrologia Neste texto: Definições Instrumento de medição tem sido preferido para medidores pequenos, portáteis teis e encapsulados em uma única unidade. Sistemas

Leia mais

MÉTODOS DE CALIBRAÇÃO

MÉTODOS DE CALIBRAÇÃO MÉTODOS DE CALIBRAÇÃO Sinais obtidos por equipamentos e instrumentos devem ser calibrados para evitar erros nas medidas. Calibração, de acordo com o INMETRO, é o conjunto de operações que estabelece, sob

Leia mais

Experimento Prático N o 4

Experimento Prático N o 4 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Departamento de Engenharia Área de Eletricidade Experimento Prático N o Eletricidade para Engenharia Lei de Ohm e Potência Elétrica L A B O R A T Ó R I O D E E L E T R I

Leia mais

Seleção de um Método Analítico. Validação e protocolos em análises químicas. Validação de Métodos Analíticos

Seleção de um Método Analítico. Validação e protocolos em análises químicas. Validação de Métodos Analíticos Seleção de um Método Analítico Capítulo 1 SKOOG, D.A.; HOLLER, F.J.; NIEMAN, T.A. Princípios de Análise Instrumental. 5 a edição, Ed. Bookman, Porto Alegre, 2002. Validação e protocolos em análises químicas

Leia mais

QUI 154/150 Química Analítica V Análise Instrumental. Aula 1 Introdução a Química Analítica Instrumental Parte 2

QUI 154/150 Química Analítica V Análise Instrumental. Aula 1 Introdução a Química Analítica Instrumental Parte 2 Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) Instituto de Ciências Exatas Depto. de Química QUI 154/150 Química Analítica V Análise Instrumental Aula 1 Introdução a Química Analítica Instrumental Parte

Leia mais

MINICURSO. Uso da Calculadora Científica Casio Fx. Prof. Ms. Renato Francisco Merli

MINICURSO. Uso da Calculadora Científica Casio Fx. Prof. Ms. Renato Francisco Merli MINICURSO Uso da Calculadora Científica Casio Fx Prof. Ms. Renato Francisco Merli Sumário Antes de Começar Algumas Configurações Cálculos Básicos Cálculos com Memória Cálculos com Funções Cálculos Estatísticos

Leia mais

Aula 4: Gráficos lineares

Aula 4: Gráficos lineares Aula 4: Gráficos lineares 1 Introdução Um gráfico é uma curva que mostra a relação entre duas variáveis medidas. Quando, em um fenômeno físico, duas grandezas estão relacionadas entre si o gráfico dá uma

Leia mais

Tratamento de dados e representação das incertezas em resultados experimentais

Tratamento de dados e representação das incertezas em resultados experimentais Tratamento de dados e representação das incertezas em resultados experimentais Medida, erro e incerteza Qualquer medida física sempre possui um valor verdadeiro, que é sempre desconhecido e um valor medido.

Leia mais

UFPR - Setor de Tecnologia Departamento de Engenharia Mecânica TM Laboratório de Engenharia Térmica Data : / / Aluno :

UFPR - Setor de Tecnologia Departamento de Engenharia Mecânica TM Laboratório de Engenharia Térmica Data : / / Aluno : UFPR - Setor de Tecnologia Departamento de Engenharia Mecânica TM-58 - Laboratório de Engenharia Térmica Data : / / Aluno : Tabela de controle de presença e entrega de relatórios Data Assinatura Entrega

Leia mais

QUI 154/150 Química Analítica V Análise Instrumental. Aula 1 Introdução a Química Analítica Instrumental Parte 2

QUI 154/150 Química Analítica V Análise Instrumental. Aula 1 Introdução a Química Analítica Instrumental Parte 2 Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) Instituto de Ciências Exatas Depto. de Química QUI 154/150 Química Analítica V Análise Instrumental Aula 1 Introdução a Química Analítica Instrumental Parte

Leia mais

Instrução de Trabalho

Instrução de Trabalho Instrução para Cálculo de Incerteza de Medição IT - 002 04 1 de 5 SUMÁRIO 1 OBJETIVO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES 5 REGISTROS 6 RESPONSABILIDADES 7 CONTROLE DE ALTERAÇÕES 8 ANEXOS

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO, METROLOGIA

INSTRUMENTAÇÃO, METROLOGIA PETROBRAS TÉCNICO(A) DE OPERAÇÃO JÚNIOR INSTRUMENTAÇÃO, METROLOGIA E CONTROLE DE PROCESSOS QUESTÕES RESOLVIDAS PASSO A PASSO PRODUZIDO POR EXATAS CONCURSOS www.exatas.com.br v3 RESUMÃO CONCEITOS METROLÓGICOS

Leia mais

Instrumentação, Aquisição e Processamento de Sinais para Medições de Engenharia

Instrumentação, Aquisição e Processamento de Sinais para Medições de Engenharia Seção de Ensino de Engenharia de Fortificação e Construção SE/2 Curso de Pós-Graduação em Engenharia de Transportes Instrumentação, Aquisição e Processamento de Sinais para Medições de Engenharia Prof.

Leia mais

INSTRUMENTOS DE PESAGEM USADOS EM ENSAIOS DE MATERIAIS

INSTRUMENTOS DE PESAGEM USADOS EM ENSAIOS DE MATERIAIS INSTRUMENTOS DE PESAGEM USADOS EM ENSAIOS DE MATERIAIS C D T - CENTRO DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Setembro de 2014 DESIGNAÇÃO - ARTERIS ET- 231-02 09/2014 ET 231 pg1 - Centro de Desenvolvimento Tecnológico

Leia mais

Capítulo I Noções básicas sobre incertezas em medidas

Capítulo I Noções básicas sobre incertezas em medidas Capítulo I Noções básicas sobre incertezas em medidas Verdadeiro valor de uma grandeza Erros de observação: erros sistemáticos e acidentais Precisão e rigor Algarismos significativos e arredondamentos

Leia mais

Teoria de Erros, Medidas e Instrumentos de Medidas

Teoria de Erros, Medidas e Instrumentos de Medidas Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina Departamento Acadêmico de Eletrônica Métodos e Técnicas de Laboratório em Eletrônica Teoria de Erros, Medidas e Instrumentos de Medidas

Leia mais

UEL - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA DEP. ENGENHARIA ELÉTRICA CTU 2ELE005 LABORATÓRIO DE MEDIDAS ELÉTRICAS PROF

UEL - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA DEP. ENGENHARIA ELÉTRICA CTU 2ELE005 LABORATÓRIO DE MEDIDAS ELÉTRICAS PROF AULA #1 Introdução à Medidas Elétricas 1. Considerações Gerais Um meio para determinar uma variável ou quantidade física pode envolver artifícios próprios de uma pessoa. Assim, um juiz de futebol mede

Leia mais

TRATAMENTO ESTATÍSTICO DE DADOS EXPERIMENTAIS

TRATAMENTO ESTATÍSTICO DE DADOS EXPERIMENTAIS TRATAMENTO ESTATÍSTICO DE DADOS EXPERIMENTAIS I. INTRODUÇÃO Profa. Dra. Lúcia Helena Seron I. 1. Algarismos Significativos O número de algarismos significativos numa medida pode ser definido como o número

Leia mais

O objectivo final da medição determina o modo como a medição deve ser alcançada

O objectivo final da medição determina o modo como a medição deve ser alcançada Instrumentação Electrónica e Medidas: Metrologia e Caracterização da Cadeia de Medida 3 O que é medir? - Atribuição de um valor numérico: quantificação - Relativização de uma propriedade ou estado O objectivo

Leia mais

Transdutor de pressão OEM Com alta exatidão Modelos TIS-20, TIS-21

Transdutor de pressão OEM Com alta exatidão Modelos TIS-20, TIS-21 Medição eletrônica de pressão Transdutor de pressão OEM Com alta exatidão Modelos TIS-20, TIS-21 WIKA folha de dados PE 81.68 Aplicações Base para: Projetos de integração de sensor com altas demandas de

Leia mais

CÁLCULO DA INCERTEZA

CÁLCULO DA INCERTEZA CÁLCULO DA INCERTEZA O resultado de uma medição é somente um valor aproximado ou uma estimativa do Mensurando. ele é completo somente quando acompanhado do valor declarado de sua incerteza. A incerteza

Leia mais

Figura 50: Área de trabalho limitada por L/10 indicado por X [44] F1 e F2

Figura 50: Área de trabalho limitada por L/10 indicado por X [44] F1 e F2 7 Discussão No presente trabalho foi desenvolvido um sistema de medição multicanal para realização do estudo da uniformidade térmica e estabilidade temporal da temperatura em equipamentos utilizados para

Leia mais

Métodos Estatísticos em Física Experimental

Métodos Estatísticos em Física Experimental Métodos Estatísticos em Física Experimental Compilação de termos e definições gerais de metrologia. Os termos e definições apresentadas a seguir foram extraídos da 1ª edição brasileira do Guia para Expressão

Leia mais

TM247 - Sistemas de Medição. Prof. Alessandro Marques.

TM247 - Sistemas de Medição. Prof. Alessandro Marques. TM247 - Sistemas de Medição Prof. Alessandro Marques www.metrologia.ufpr.br Definição de Sistema de Medição Sistema de medição ou medidores são aparelhos, normalmente compostos de vários elementos, que

Leia mais

Escrita correta de resultados em notação

Escrita correta de resultados em notação Notas de Aula Laboratório de Física 1 e A Escrita correta de resultados em notação científica e confecção de gráficos 1 Prof. Alexandre A. C Cotta 1 Departamento de Física, Universidade Federal de Lavras,

Leia mais

TM362 - Sistemas de Medição 2. Prof. Alessandro Marques.

TM362 - Sistemas de Medição 2. Prof. Alessandro Marques. TM362 - Sistemas de Medição 2 Prof. Alessandro Marques www.metrologia.ufpr.br Termômetros metálicos RTDs - Resistance Temperature Detectors O tipo de metal utilizado na confecção de bulbos sensores de

Leia mais

Instrumentação Industrial. Fundamentos de Instrumentação Industrial: Introdução a Metrologia Incerteza na Medição

Instrumentação Industrial. Fundamentos de Instrumentação Industrial: Introdução a Metrologia Incerteza na Medição Instrumentação Industrial Fundamentos de Instrumentação Industrial: Introdução a Metrologia Incerteza na Medição Introdução a Metrologia O que significa dizer: O comprimento desta régua é 30cm. A temperatura

Leia mais

05/08/2014. Slides baseados no livro FMCI - Professor Armando Albertazzi. Slides baseados no livro FMCI - Professor Armando Albertazzi

05/08/2014. Slides baseados no livro FMCI - Professor Armando Albertazzi. Slides baseados no livro FMCI - Professor Armando Albertazzi O Sistema de Medição Fundamentos da Metrologia Científica e Industrial Slides baseados no livro FMCI - Professor Armando Albertazzi Definições Neste teto: Instrumento de medição tem sido preferido para

Leia mais

Universidade Federal do Paraná - Engenharia Mecânica DEMEC Prof. Alessandro Marques Disciplina: Sistemas de Medições 1 (Exercícios)

Universidade Federal do Paraná - Engenharia Mecânica DEMEC Prof. Alessandro Marques Disciplina: Sistemas de Medições 1 (Exercícios) 1) Um manômetro foi construído com estes módulos: a) Transdutor extensométrico Faixa de medição: 0 a 20 bar Sensibilidade: 2 mv/bar Incerteza Expandida (U TE ): ± 0,02 mv b) Amplificador Faixa de medição:

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DE INSTRUMENTOS DESEMPENHO GENERALIZADO CONJUNTO DE TRANSPARÊNCIAS PREPARADO COM BASE NO CAPÍTULO 3 DE:

CARACTERÍSTICAS DE INSTRUMENTOS DESEMPENHO GENERALIZADO CONJUNTO DE TRANSPARÊNCIAS PREPARADO COM BASE NO CAPÍTULO 3 DE: CARACTERÍSTICAS DE INSTRUMENTOS DESEMPENHO GENERALIZADO CONJUNTO DE TRANSPARÊNCIAS PREPARADO COM BASE NO CAPÍTULO 3 DE: DOEBELIN, E. O. MEASUREMENT SYSTEMS APPLICATION AND DESIGN. McGRAW-HILL, 4 TH EDITION,

Leia mais

Prof. Dr. Ederio D. Bidoia Monitor: Lucas Balduino Departamento de Bioquímica e Microbiologia, IB

Prof. Dr. Ederio D. Bidoia Monitor: Lucas Balduino Departamento de Bioquímica e Microbiologia, IB Aula 2 Prof. Dr. Ederio D. Bidoia Monitor: Lucas Balduino Departamento de Bioquímica e Microbiologia, IB Unesp campus de Rio Claro, SP Erros 1. Algarismos Significativos: Na matemática 3 é igual a 3,0000...

Leia mais

MATÉRIA, TRANSFORMAÇÕES E ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS

MATÉRIA, TRANSFORMAÇÕES E ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS MATÉRIA, TRANSFORMAÇÕES E ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS MATERIAIS DIFERENÇAS ENTRE PROCESSOS FÍSICOS E QUÍMICOS DIFERENÇAS ENTRE PROPRIEDADES FÍSICAS E QUÍMICAS Exa,dão x Precisão Algarismos significa,vos

Leia mais

CALIBRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS. Instrumentação I Prof. Lucas Alves

CALIBRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS. Instrumentação I Prof. Lucas Alves CALIBRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS Instrumentação I Prof. Lucas Alves O QUE É CALIBRAÇÃO Calibração é: Um teste onde valores conhecidos do mensurando são aplicados a um transdutor e as correspondentes leituras

Leia mais

A seguir, uma demonstração do livro. Para adquirir a versão completa em papel, acesse:

A seguir, uma demonstração do livro. Para adquirir a versão completa em papel, acesse: A seguir, uma demonstração do livro. Para adquirir a versão completa em papel, acesse: www.pagina10.com.br ELETRÔNICA, princípios e aplicações 2 Capítulo 8 Amplificador de Sinais Sumário do capítulo: 8.1

Leia mais

Prof. Paulo Vitor de Morais

Prof. Paulo Vitor de Morais Física Experimental I Prof. Paulo Vitor de Morais paulovitordmorais91@gmail.com Cronograma de práticas P1 tem 19 dias letivos; P2 tem 17 dias letivos; Serão aproximadamente 11 experimentos; A princípio

Leia mais

MEDIÇÃO NO LABORATÓRIO

MEDIÇÃO NO LABORATÓRIO MEDIÇÃO NO LABORATÓRIO Medição e medida de grandezas físicas Uma grandeza física é uma propriedade de um corpo ou uma característica de um fenómeno que pode ser medida. A medição é a operação pela qual

Leia mais

Análise Instrumental. Prof. Elias da Costa

Análise Instrumental. Prof. Elias da Costa Análise Instrumental Prof. Elias da Costa 1-Introdução a Análise Instrumental CLASSIFICAÇÃO DOS MÉTODOS ANALÍTICOS CLASSIFICAÇÃO DOS MÉTODOS INSTRUMENTAIS INSTRUMENTOS PARA ANÁLISE SELEÇÃO DE UM MÉTODO

Leia mais

Aula I -Introdução à Instrumentação Industrial

Aula I -Introdução à Instrumentação Industrial Aula I -Introdução à Instrumentação Industrial UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA POLITÉCNICA DISCIPLINA: INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL I (ENGF99) PROFESSOR: EDUARDO SIMAS (EDUARDO.SIMAS@UFBA.BR)

Leia mais

MATÉRIA, TRANSFORMAÇÕES E ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS

MATÉRIA, TRANSFORMAÇÕES E ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS MATÉRIA, TRANSFORMAÇÕES E ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS MATERIAIS DIFERENÇAS ENTRE PROCESSOS FÍSICOS E QUÍMICOS DIFERENÇAS ENTRE PROPRIEDADES FÍSICAS E QUÍMICAS Exa+dão x Precisão Algarismos significa+vos

Leia mais

APROXIMAÇÃO DE FUNÇÕES MÉTODO DOS MÍNIMOS QUADRADOS

APROXIMAÇÃO DE FUNÇÕES MÉTODO DOS MÍNIMOS QUADRADOS MÉTODO DOS MÍNIMOS QUADRADOS INTRODUÇÃO Frequentemente é possível estabelecer uma relação linear entre duas grandezas medidas experimentalmente. O método dos mínimos quadrados é uma maneira de se obter

Leia mais

Em Laboratório de Física Básica fenômenos ou propriedades físicas são estudados à luz de grandezas

Em Laboratório de Física Básica fenômenos ou propriedades físicas são estudados à luz de grandezas 1 Em Básica fenômenos ou propriedades físicas são estudados à luz de grandezas físicas mensuráveis (comprimento, tempo, massa, temperatura etc.) obtidas através de instrumentos de medida. Busca-se o valor

Leia mais

Avaliação e Expressão de Medições e de Suas Incertezas

Avaliação e Expressão de Medições e de Suas Incertezas Avaliação e Expressão de Medições e de Suas Incertezas INTRODUÇÃO A Física assim como todas as outras ciências é baseada em observações e medições quantitativas. A partir de observações e dos resultados

Leia mais

Neste capítulo são apresentados os modelos de carga mais representativos e a descrição das perdas elétricas nos sistemas de distribuição.

Neste capítulo são apresentados os modelos de carga mais representativos e a descrição das perdas elétricas nos sistemas de distribuição. 2 Fundamento Teórico Neste capítulo são apresentados os modelos de carga mais representativos e a descrição das perdas elétricas nos sistemas de distribuição. 2.1 Modelos de carga Para apresentar os modelos

Leia mais

Instrumentação Eletrônica TE149. Prof. Marlio Bonfim UFPR 2 semestre 2013

Instrumentação Eletrônica TE149. Prof. Marlio Bonfim UFPR 2 semestre 2013 Instrumentação Eletrônica TE149 Prof. Marlio Bonfim UFPR 2 semestre 2013 Instrumentação Eletrônica Sinais elétricos Mundo Mundo Real Real Grandezas Físicas Físicas Sensor Atuador Condicionamento e Processamento

Leia mais

Experimento 6 Corrente alternada: circuitos resistivos

Experimento 6 Corrente alternada: circuitos resistivos 1 OBJETIVO Experimento 6 Corrente alternada: circuitos resistivos O objetivo desta aula é estudar o comportamento de circuitos resistivos em presença de uma fonte de alimentação de corrente alternada 2

Leia mais

Metrologia 1ª lista de exercícios

Metrologia 1ª lista de exercícios 1. Cite as três classes de aplicações onde é importante medir. Dê exemplos de situações presentes na sua vida de cada uma das classes. 2. Da definição de medir: "... é o procedimento experimental através

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO 22 4.2 Experimento 2: Resistência e Resistores, Voltagem, Corrente e Lei de Ohm 4.2.1 Objetivos Fundamentar os conceitos de resistência e resistor. Conhecer o código de cores, utilizado para especificar

Leia mais

5 Avaliação de desempenho do divisor

5 Avaliação de desempenho do divisor 5 Avaliação de desempenho do divisor Para avaliar o desempenho do divisor foram realizados ensaios de tipo e de rotina no divisor completo e em partes deste, com o objetivo de avaliar sua suportabilidade

Leia mais

5 Resultados Experimentais

5 Resultados Experimentais 5 Resultados Experimentais 5.1. Introdução Neste capítulo são apresentados os resultados medidos dos dois testes experimentais em escala real realizados para a comparação dos resultados teóricos. 5.2.

Leia mais

Apresentação e Introdução

Apresentação e Introdução Andouglas G. da Silva Júnior Apresentação ( Professor: e Introdução Andouglas Gonçalves da Silva Júnior 1 / 32 Apresentação e Introdução Instrumentação e CLP Professor: Andouglas Gonçalves da Silva Júnior

Leia mais

Princípios de Instrumentação Biomédica. Conceitos

Princípios de Instrumentação Biomédica. Conceitos Princípios de Instrumentação Biomédica Conceitos BIPM (Bureau International des Poids et Mesures) - Pavillon de Breteuil Princípios de Instrumentação Biomédica UFRJ, 2015/1 1 Controle de Versões 2013 Versão

Leia mais

Precisão, Exatidão, e a Terminologia das Medições

Precisão, Exatidão, e a Terminologia das Medições Precisão, Exatidão, e a Terminologia das Medições Adaptado de: V. Thomsen. Precision and The Terminology of Measurement. The Physics Teacher, Vol. 35, pp.15-17, Jan. 1997. Por: Prof. J. Humberto Dias da

Leia mais

Resistência dos Materiais 2 AULA 9-10 DEFLEXÕES DE VIGAS E EIXOS

Resistência dos Materiais 2 AULA 9-10 DEFLEXÕES DE VIGAS E EIXOS Resistência dos Materiais 2 AULA 9-10 DEFLEXÕES DE VIGAS E EIXOS PROF.: KAIO DUTRA A Linha Elástica A deflexão de uma estrutura é causada por seu carregamento interno como a força normal, força cortante,

Leia mais

6.2. Avaliação da uniformidade e estabilidade da temperatura em freezers utilizados na biopreservação de produtos hemoterápicos

6.2. Avaliação da uniformidade e estabilidade da temperatura em freezers utilizados na biopreservação de produtos hemoterápicos 6 Resultados Neste capitulo são apresentados os resultados obtidos nos estudos de uniformidade e estabilidade de temperatura em três câmaras térmicas usadas na conservação produtos hemoterápicos, utilizando

Leia mais

Curso: Engenharia Elétrica Disciplina: Proteção e Operação do SEP Professor: MSc. Eng.º Alex A. C. Bozz

Curso: Engenharia Elétrica Disciplina: Proteção e Operação do SEP Professor: MSc. Eng.º Alex A. C. Bozz Curso: Engenharia Elétrica Disciplina: Proteção e Operação do SEP Professor: MSc. Eng.º Alex A. C. Bozz Transformador de Corrente Transformador de Corrente Introdução Todas as medições elétricas e as decisões

Leia mais

BC Fenômenos Térmicos

BC Fenômenos Térmicos BC 0205 - Fenômenos Térmicos Experimento 1 Roteiro Calibração de um termistor Professor: Data: / /2016 Turma: Turno: login Tidia: Proposta Compreender o uso de um transdutor eletrônico para temperatura

Leia mais

DOSAGEM DE CONCRETO EQUAÇÕES DAS LEI FUNDAMENTAIS DOS CONCRETOS. Professora: Mayara Custódio

DOSAGEM DE CONCRETO EQUAÇÕES DAS LEI FUNDAMENTAIS DOS CONCRETOS. Professora: Mayara Custódio DOSAGEM DE CONCRETO EQUAÇÕES DAS LEI FUNDAMENTAIS DOS CONCRETOS Professora: Mayara Custódio REGRESSÃO AOS MÍNIMOS QUADRADOS Dado um conjunto de pontos conhecidos de coordenadas (x,y) que descrevem uma

Leia mais

PSI LABORATÓRIO DE INSTRUMENTAÇÃO ELÉTRICA (2017) EXPERIÊNCIA 4 - PONTE DE WHEATSTONE

PSI LABORATÓRIO DE INSTRUMENTAÇÃO ELÉTRICA (2017) EXPERIÊNCIA 4 - PONTE DE WHEATSTONE SCOLA POLITÉCNICA DA UNIVSIDAD D SÃO PAULO Departamento de ngenharia de Sistemas letrônicos PSI - PUSP PSI 4 - LABOATÓIO D INSTUMNTAÇÃO LÉTICA (07) XPIÊNCIA 4 - PONT D WHATSTON. Objetivos Desenvolver a

Leia mais

EXPERIÊNCIA 1 LAB METROLOGIA ELÉTRICA. Prof: Vicente Machado Neto

EXPERIÊNCIA 1 LAB METROLOGIA ELÉTRICA. Prof: Vicente Machado Neto EXPERIÊNCIA 1 LAB METROLOGIA ELÉTRICA Prof: Vicente Machado Neto EFEITO DE CARGA DE AMPERÍMETRO E VOLTÍMETRO EFEITO DE CARGA INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO Quando utilizamos um instrumento de medição para conhecer

Leia mais

Validação: o que é? MOTIVOS PARA VALIDAR O MÉTODO: MOTIVOS PARA VALIDAR O MÉTODO: PROGRAMA DE SEGURANÇA DE QUALIDADE ANALÍTICA

Validação: o que é? MOTIVOS PARA VALIDAR O MÉTODO: MOTIVOS PARA VALIDAR O MÉTODO: PROGRAMA DE SEGURANÇA DE QUALIDADE ANALÍTICA Validação: o que é? Processo que busca assegurar a obtenção de resultados confiáveis, válidos, pelo uso de determinado método analítico. É um item essencial do PROGRAMA DE SEGURANÇA DE QUALIDADE ANALÍTICA

Leia mais

Experimento II Lei de Ohm

Experimento II Lei de Ohm Experimento II Lei de Ohm Objetivos específicos da Semana II O objetivo principal da experiência da Semana II, sobre a Lei de Ohm, é estudar elementos resistivos, tais como um resistor comercial e uma

Leia mais

2 Escala Internacional de Temperatura de 1990

2 Escala Internacional de Temperatura de 1990 2 Escala Internacional de Temperatura de 1990 A Escala Internacional de Temperatura de 1990 (ITS-90) [1] foi adotada pelo Comitê Internacional de Pesos e Medidas (CIPM) em sua reunião de 1989, de acordo

Leia mais

AULA EXPERIMENTAL 03 ERRO EM MEDIDAS ELÉTRICAS

AULA EXPERIMENTAL 03 ERRO EM MEDIDAS ELÉTRICAS 1 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETRÔNICA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS ELETRÔNICOS Métodos e Técnicas de Laboratório em Eletrônica

Leia mais

Coordenação de Engenharia de Alimentos Química Analítica - QA32A Professora: Ailey Ap. Coelho Tanamati MEDIDAS E ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS

Coordenação de Engenharia de Alimentos Química Analítica - QA32A Professora: Ailey Ap. Coelho Tanamati MEDIDAS E ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS Coordenação de Engenharia de Alimentos - QA32A Professora: Ailey Ap. Coelho Tanamati MEDIDAS E ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS Processo de determinar o valor, a quantidade, o grau ou a capacidade de uma grandeza

Leia mais

Tema 3. Sistema Generalizado de Medição.

Tema 3. Sistema Generalizado de Medição. GEM12 METROLOGIA Tema 3. Sistema Generalizado de Medição. Profa. Rosenda Valdés Arencibia Prof. Antonio Fernando M. Santos Fevereiro, 2012 Sistema de medição. Parâmetros característicos de sistemas de

Leia mais

Eletrônica II. Germano Maioli Penello. Aula 13

Eletrônica II. Germano Maioli Penello. Aula 13 Eletrônica II Germano Maioli Penello gpenello@gmail.com Aula 13 1 BJT como amplificador BJT tem que estar na região ativa (fonte de corrente controlada por tensão) Corrente i c em função de v BE Claramente

Leia mais

LABORATÓRIO DE DISPOSITIVOS ELETRÔNICOS Guia de Experimentos

LABORATÓRIO DE DISPOSITIVOS ELETRÔNICOS Guia de Experimentos UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA LABORATÓRIO DE DISPOSITIVOS ELETRÔNICOS Experimento 4 Transistor Bipolar Amplificador

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE DIVINÓPOLIS INSTITUTO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE DIVINÓPOLIS INSTITUTO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE DIVINÓPOLIS INSTITUTO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO TIPOS E PROPAGAÇÃO DE ERROS E MALHAS DE CONTROLE Ana Clara Santos

Leia mais

Química Analítica V 1S Prof. Rafael Sousa. Notas de aula:

Química Analítica V 1S Prof. Rafael Sousa. Notas de aula: Química Analítica V 1S 2013 Aula 3: 13-05 05-2013 Estatística Aplicada à Química Analítica Prof. Rafael Sousa Departamento de Química - ICE rafael.arromba@ufjf.edu.br Notas de aula: www.ufjf.br/baccan

Leia mais

QUI 072 Química Analítica V Análise Instrumental. Aula 1 - Estatística

QUI 072 Química Analítica V Análise Instrumental. Aula 1 - Estatística Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) Instituto de Ciências Exatas Depto. de Química QUI 072 Química Analítica V Análise Instrumental Aula 1 - Estatística Prof. Dr. Julio C. J. Silva Juiz de For

Leia mais

SISTEMA ANGLO DE ENSINO G A B A R I T O

SISTEMA ANGLO DE ENSINO G A B A R I T O Prova Anglo P-02 Tipo D8-08/200 G A B A R I T O 0. C 07. D 3. C 9. A 02. B 08. A 4. A 20. C 03. D 09. C 5. B 2. B 04. B 0. C 6. C 22. B 05. A. A 7. A 00 06. D 2. B 8. D DESCRITORES, RESOLUÇÕES E COMENTÁRIOS

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO E AQUISIÇÃO DE DADOS 2274 Eng. Engenharia Electrotécnica (4º Ano/1º Semestre)

INSTRUMENTAÇÃO E AQUISIÇÃO DE DADOS 2274 Eng. Engenharia Electrotécnica (4º Ano/1º Semestre) UNIVERSIDADE DA BEIRA I NTERIOR D e p a r t a m e n t o d e E n g e n h a r i a E l e c t r o m e c â n i c a INSTRUMENTAÇÃO E AQUISIÇÃO DE DADOS 2274 Eng. Engenharia Electrotécnica (4º Ano/1º Semestre)

Leia mais

Nome: Como soube do mestrado? Considere o arranjo de cargas sobre os vértices de um triângulo eqüilátero de lado a, como mostrado abaixo:

Nome: Como soube do mestrado? Considere o arranjo de cargas sobre os vértices de um triângulo eqüilátero de lado a, como mostrado abaixo: CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISAS FISICAS VOCÊ DEVE ESCOLHER APENAS QUATRO ENTRE AS QUESTÕES PROPOSTAS Resolva cada questão em folha separada e identificada A prova é sem consulta e sem calculadora Nome:

Leia mais

Profa. Dra. Suelí Fischer Beckert

Profa. Dra. Suelí Fischer Beckert Profa. Dra. Suelí Fischer Beckert 2 Disponível em: http://www.bipm.org/en/publications/ guides/ 3 INMETRO. Vocabulário Internacional de Metrologia: conceitos fundamentais e gerais e termos associados (VIM

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E CALIBRAÇÃO CONVERSOR ANALÓGICO DE SINAIS PARA CÉLULA DE CARGA. (Versão 1.0 Julho/12)

MANUAL DE OPERAÇÃO E CALIBRAÇÃO CONVERSOR ANALÓGICO DE SINAIS PARA CÉLULA DE CARGA. (Versão 1.0 Julho/12) MANUAL DE OPERAÇÃO E CALIBRAÇÃO CONVERSOR ANALÓGICO DE SINAIS PARA CÉLULA DE CARGA (Versão 1.0 Julho/12) 1 INDÍCE PÁG. 1 Garantia 3 2 Introdução 3 3 Instalação 3 4 Dados Técnicos 4 5 Alimentação Elétrica

Leia mais

CONCURSO PETROBRAS DRAFT. Instrumentação, Metrologia e Controle de Processos. Questões Resolvidas. Produzido por Exatas Concursos

CONCURSO PETROBRAS DRAFT. Instrumentação, Metrologia e Controle de Processos. Questões Resolvidas. Produzido por Exatas Concursos CONCURSO PETROBRAS TÉCNICO(A) DE OPERAÇÃO JÚNIOR Instrumentação, Metrologia e Controle de Processos Questões Resolvidas QUESTÕES RETIRADAS DE PROVAS DA BANCA CESGRANRIO Produzido por Exatas Concursos www.exatas.com.br

Leia mais

1 Introdução 1.1 Apresentação

1 Introdução 1.1 Apresentação 1 Introdução 1.1 Apresentação Em 1989 o Comitê Internacional de Pesos e Medidas (CIPM) aprovou a adoção da Escala Internacional de Temperatura de 1990 (ITS-90) [1], que foi elaborada de acordo com os requisitos

Leia mais

PET FÍSICA GEOMETRIA ANALÍTICA TATIANA MIRANDA DE SOUZA JOSE CARLOS DE MORAES SILVA FREDERICO ALAN DE OLIVEIRA CRUZ

PET FÍSICA GEOMETRIA ANALÍTICA TATIANA MIRANDA DE SOUZA JOSE CARLOS DE MORAES SILVA FREDERICO ALAN DE OLIVEIRA CRUZ PET FÍSICA GEOMETRIA ANALÍTICA Aula 9 TATIANA MIRANDA DE SOUZA JOSE CARLOS DE MORAES SILVA FREDERICO ALAN DE OLIVEIRA CRUZ AGRADECIMENTOS Esse material foi produzido com apoio do Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

Instrumentação Medição de Nível de Água com Sensor Piezoresistivo Amplificado

Instrumentação Medição de Nível de Água com Sensor Piezoresistivo Amplificado Universidade Federal de Minas Gerais Departamento de Engenharia Eletrônica Laboratório de Controle e Automação I Instrumentação Medição de Nível de Água com Sensor Piezoresistivo Amplificado Prof. José

Leia mais

26/03/2015 VALIDAÇÃO CONTROLE FÍSICO-QUÍMICO DA QUALIDADE RDC 899/2003. Por que validar? OBJETIVO DA VALIDAÇÃO:

26/03/2015 VALIDAÇÃO CONTROLE FÍSICO-QUÍMICO DA QUALIDADE RDC 899/2003. Por que validar? OBJETIVO DA VALIDAÇÃO: VALIDAÇÃO CONTROLE FÍSICO-QUÍMICO DA QUALIDADE RDC 899/2003 VALIDAÇÃO: ato documentado que atesta que qualquer procedimento, processo, equipamento, material, operação ou sistema realmente conduza aos resultados

Leia mais

Eletrotécnica. Teoria dos Erros. Joinville, 12 de Junho de 2013

Eletrotécnica. Teoria dos Erros. Joinville, 12 de Junho de 2013 Eletrotécnica Teoria dos Erros Joinville, 12 de Junho de 2013 Escopo dos Tópicos Abordados Medidas e teoria dos erros de medição; 2 As novas tecnologias exigem que: As avaliações das grandezas de fenômenos

Leia mais

Incerteza em Medições. Introdução. ECV-5240 Instrumentação de Ensaios

Incerteza em Medições. Introdução. ECV-5240 Instrumentação de Ensaios Incerteza em Medições Fonte: BIPM International Bureau of Weights and Measures OIML International Organization of Legal Metrology ISO International Organization for Standardization IEC International Electrotechnical

Leia mais

Respostas Finais Lista 6. Corrente Elétrica e Circuitos de Corrente Contínua ( DC )

Respostas Finais Lista 6. Corrente Elétrica e Circuitos de Corrente Contínua ( DC ) Respostas Finais Lista 6 Corrente Elétrica e Circuitos de Corrente Contínua ( DC ) Q 26.3) Essa diferença esta mais associada à energia entregue à corrente de um circuito por algum tipo de bateria e à

Leia mais