ROTEIROS DOS TRABALHOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ROTEIROS DOS TRABALHOS"

Transcrição

1 TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL I ECV 5356 ROTEIROS DOS TRABALHOS Profs. Denise e Humberto

2 ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO - FÔRMAS escolher 1 pavimento inteiro, incluindo montagem de fôrmas de pilares, vigas, lajes e escadas MATERIAIS: Madeira: tipo de madeira (nomenclatura conforme dimensões) distância da armazenagem da madeira até a central de carpintaria CENTRAL DE CARPINTARIA (apresentar planta de distribuição das áreas): localização dos pontos de trabalho número de operários envolvidos e suas funções local de estoque das fôrmas pré-montadas distância do local do depósito das fôrmas pré-montadas ao local de aplicação; tempo gasto no transporte; meio de transporte empregado; número de operários envolvidos e suas funções. Desmoldantes: APLICAÇÃO DE DESMOLDANTES marca do produto consumo aproximado por m 2 número de demãos momento da aplicação (na central de carpintaria ou no local definitivo?) número de operários envolvidos MONTAGEM DAS FÔRMAS DE PILARES - escolher 1 pilar para acompanhamento dimensões do pilar escolhido, inclusive altura descrever como é feita a marcação do colarinho (locação do pilar no pavimento) madeiras utilizadas na montagem dos painéis laterais madeiras utilizadas nos reforços (gravatas); tipos de gravatas; número de gravatas e espaçamento entre elas existem tirantes? De que tipo? Descrever a montagem descrever o contraventamento existem janelas no pilar? Quais suas dimensões? foi montado algum cachimbo? as fôrmas chegam ao local pré-montadas? Descrever. descrever como é feita a ligação entre fôrmas do pilar e da laje tempo gasto na montagem do pilar no local; número de operários envolvidos e suas funções MONTAGEM DAS FÔRMAS DE VIGAS - escolher 1 viga para acompanhamento dimensões da viga escolhida, inclusive comprimento descrever como é feita a marcação do nível madeiras utilizadas na montagem dos painéis laterais e painel de fundo madeiras utilizadas nos reforços (gravatas); tipos de gravatas; número de gravatas e espaçamento entre elas existem tirantes? De que tipo? Descrever a montagem descrever o contraventamento descrever o escoramento (incluindo contraventamento e travamento) as fôrmas chegam ao local pré-montadas? Descrever. descrever como é feita a ligação entre fôrmas da viga e pilar adjacente e entre viga e laje tempo gasto na montagem da viga no local; número de operários envolvidos e suas funções MONTAGEM DAS FÔRMAS DE LAJES - escolher 1 laje para acompanhamento dimensões da laje escolhida, inclusive espessura descrever como é feita a marcação do nível descrever o tipo de laje (maciça de concreto? Nervurada - neste caso, descrever o tipo de enchimento utilizado?) madeiras utilizadas na montagem do soalho descrever o escoramento (incluindo contraventamento e travamento) descrever a colocação das caixas elétricas e eletrodutos nas fôrmas tempo gasto na montagem da laje no local; número de operários envolvidos e suas funções MONTAGEM DO PAVIMENTO INTEIRO tempo gasto para montar 1 pavimento (incluindo vigas, pilares, lajes e escada)

3 ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO - ARMADURAS escolher 1 pavimento inteiro, incluindo montagem de armaduras de pilares, vigas, lajes e escadas MATERIAIS: Aço: número de operários envolvidos e suas funções TRANSPORTE distância do estoque de armaduras pré-montadas ao local de aplicação meio de transporte utilizado; tempo gasto no transporte; número de operários envolvidos MONTAGEM DAS ARMADURAS DE PILARES - escolher 1 pilar para acompanhamento dimensões do pilar escolhido, inclusive altura as armaduras chegam ao local pré-montadas? Descrever. são utilizados espaçadores para garantir o cobrimento de concreto? Descrever. Verificar a quantidade de espaçadores, posicionamento e modo de fixação. espaçamento mínimo entre barras longitudinais disposição dos estribos na base do pilar. Descrever como é feito o ajuste. instrumentos utilizados tempo gasto na montagem do pilar no local; número de operários envolvidos e suas funções MONTAGEM DAS ARMADURAS DE VIGAS - escolher 1 viga para acompanhamento dimensões da viga escolhida, inclusive comprimento as armaduras chegam ao local pré-montadas? Descrever. são utilizados espaçadores para garantir o cobrimento de concreto? Descrever. Verificar a quantidade de espaçadores, posicionamento e modo de fixação. espaçamento mínimo entre barras longitudinais. Identificar pontos de congestionamento das armaduras descrever o posicionamento dos estribos na união entre a viga escolhida e um pilar adjacente instrumentos utilizados tempo gasto na montagem da viga no local; número de operários envolvidos e suas funções MONTAGEM DAS ARMADURAS DE LAJES - escolher 1 laje para acompanhamento dimensões da laje escolhida, inclusive espessura armadura em tela eletro-soldada ou a montagem é feita no local? descrever o tipo de amarração e o número de amarrações por m 2 descrever como é garantido o posicionamento da armadura negativa são utilizados espaçadores para garantir o cobrimento de concreto? Descrever. Verificar a quantidade de espaçadores, posicionamento e modo de fixação. instrumentos utilizados tempo gasto na montagem da laje no local; número de operários envolvidos e suas funções MONTAGEM DO PAVIMENTO INTEIRO tempo gasto para montar 1 pavimento (incluindo vigas, pilares, lajes e escada)

4 ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO - CONCRETAGEM escolher 1 pavimento inteiro, incluindo concretagem de pilares, vigas, lajes e escadas MATERIAIS: Concreto: tempo de espera do caminhão betoneira na obra até o início do lançamento do concreto são moldados corpos de prova para ensaios à compressão? é verificado o slump? TRANSPORTE descrever o acesso dos caminhões descrever o meio de transporte do concreto desde o caminhão betoneira até o local de aplicação do concreto: Bomba? Caçamba com grua? Carrinho ou girica? Outros? Descrever. Se não for feito por bomba, indicar o tempo gasto no transporte do concreto. Se for feito por bomba, descrever o funcionamento da mesma. número de operários envolvidos no transporte e suas funções. LANÇAMENTO DO CONCRETO descrever o modo e locais de lançamento do concreto no pavimento transporte do concreto no pavimento: meio de transporte, distâncias máximas percorridas número de operários envolvidos na concretagem do pavimento e função de cada uma delas existem passarelas apoiadas nas fôrmas para a passagem de operários e carrinhos? descrever a seqüência completa de lançamento do concreto observar, em pilares, a altura de queda do concreto. São tomados cuidados para evitar segregação? ADENSAMENTO DO CONCRETO o adensamento é manual ou mecânico? se manual, descrever os instrumentos utilizados, número de operários envolvidos e freqüência de adensamento se mecânico, descrever o equipamento para adensamento por vibração utilizando vibrador de imersão: descrição do equipamento e diâmetro da agulha de imersão distância entre os pontos de inserção da agulha no concreto, principalmente em vigas e lajes direção da agulha dentro do concreto (vertical, inclinada ou horizontal) verificar se é feito o deslocamento horizontal (lateral) do vibrador quando imerso no concreto verificar se a armadura é vibrada tempo de vibração em cada ponto de inserção qual a altura apróximada de concreto lançado em pilares e vigas para o adensamento? ACABAMENTO SUPERFICIAL DO CONCRETO - descrever CURA é feita a cura do cocreto? tempo de cura método de cura elementos curados (pilares, vigas, lajes, escadas)? JUNTAS DE CONCRETAGEM - se a concretagem for interrompida para prosseguimento no dia seguinte, verificar: localização da junta no elemento (distância até os pilares em vigas e lajes) inclinação da junta (vertical ou inclinada)? Ângulo aproximado de inclinação. preparação da superfície da junta para a continuidade da concretagem no dia seguinte. CONCRETAGEM DO PAVIMENTO INTEIRO tempo gasto para concretar 1 pavimento (incluindo vigas, pilares, lajes e escada)

5 TUBULÃO A CÉU ABERTO escolher 1 tubulão e acompanhar a execução; verificar as dimensões do tubulão (diâmetro, profundidade, diâmetro da base alargada) MATERIAIS: Concreto Usinado: Armadura: tempo de espera do caminhão betoneira na obra até o início do lançamento do concreto são moldados corpos de prova para ensaios à compressão? é verificado o slump? Traço do concreto e fator a/c? colocação da armadura na perfuração e ajustes finais: descrever espaçadores entre a armadura e o solo? Número de operários envolvidos e suas funções ESCAVAÇÃO DO TUBULÃO Locação do tubulão Descrição do equipamento de escavação (se houver): funcionamento, número de operários envolvidos, modo de deslocamento do equipamento dentro do canteiro Se for escavação manual: número de operários, ferramentas, tempo para escavar um tubulão Medidas de contenção do solo? Descrever todo o processo. Nível da água: profundidade? Rebaixamento? Acerto do prumo da escavação Distância entre tubulões adjacentes em função do diâmetro Alargamento da base: procedimento. Escoramento? Tempo entre o final do alargamento da base e a concretagem? Inspeção no fundo da escavação antes da concretagem? TRANSPORTE DO CONCRETO descrever o acesso dos caminhões descrever o meio de transporte do concreto desde o caminhão betoneira até o tubulão: Bomba? Dumper? Carrinho ou girica? Outros? Descrever. Se não for feito por bomba, indicar o tempo gasto no transporte do concreto. Se for feito por bomba, descrever o funcionamento da mesma. número de operários envolvidos no transporte e suas funções. LANÇAMENTO DO CONCRETO Modo de lançamento do concreto na perfuração: calha? Tremonha? Funil? descrever a seqüência completa de lançamento do concreto. Se foi utilizado revestimento na escavação, observar a velocidade de retirada do revestimento e a velocidade de concretagem. número de operários envolvidos na concretagem do tubulão e função de cada uma delas vibração na cabeça do tubulão? Descrever. O volume de concreto consumido é igual ao previsto? É feito algum tratamento na cabeça do tubulão? Como é feito o arrasamento? Tempo total gasto para executar 1 tubulão.

6 PAREDE DIAFRAGMA escolher 1 segmento da parede diafragma e acompanhar a execução; verificar as dimensões do segmento (largura, comprimento, profundidade) MATERIAIS: Concreto Usinado: Armadura: tempo de espera do caminhão betoneira na obra até o início do lançamento do concreto são moldados corpos de prova para ensaios à compressão? é verificado o slump? Traço do concreto e fator a/c? colocação da armadura na perfuração e ajustes finais: descrever espaçadores entre a armadura e o solo? Número de operários envolvidos e suas funções ESCAVAÇÃO DO SEGMENTO Construção da parede-guia? Descrever; dimensões. Descrição do equipamento de escavação: funcionamento, número de operários envolvidos, modo de deslocamento do equipamento dentro do canteiro, dimensões do dispositivo de escavação. Acerto do prumo da escavação? Utilização de lama bentonítica? Nível da água: profundidade? Rebaixamento? Controle da profundidade da escavação? Tempo entre o final da escavação e a concretagem? Colocação de chapa-juntas metálicas? Descrever todo o processo. Descrever todo o processo de mistura da lama, bombeamento, decantação Ensaios com a lama para acerto de: ph, teor de areia, densidade, viscosidade, cake. Quando são feitos os ensaios? TRANSPORTE DO CONCRETO descrever o acesso dos caminhões descrever o meio de transporte do concreto desde o caminhão betoneira até o segmento: Bomba? Dumper? Carrinho ou girica? Outros? Descrever. Se não for feito por bomba, indicar o tempo gasto no transporte do concreto. Se for feito por bomba, descrever o funcionamento da mesma. número de operários envolvidos no transporte e suas funções. LANÇAMENTO DO CONCRETO Modo de lançamento do concreto na perfuração: Tremonha? Funil? descrever a seqüência completa de lançamento do concreto. número de operários envolvidos na concretagem do segmento e função de cada um deles vibração na cabeça do segmento? Descrever. O volume de concreto consumido é igual ao previsto? Velocidade de retirada da tremonha x velocidade de concretagem Verificar como é feita a retirada da lama É feito algum tratamento na cabeça do segmento? Descrever? Momento de retirada da chapa-junta? Descrever o processo. Tempo total gasto para executar 1 segmento

7 CORTINA DE CONCRETO ARMADO Verificar dimensões da cortina (espessura da parede, profundidade) FÔRMAS Madeira: tipo de madeira (nomenclatura conforme dimensões) distância da armazenagem da madeira até a central de carpintaria CENTRAL DE CARPINTARIA (apresentar planta de distribuição das áreas): localização dos pontos de trabalho número de operários envolvidos e suas funções local de estoque das fôrmas pré-montadas distância do local do depósito das fôrmas pré-montadas ao local de aplicação; tempo gasto no transporte; meio de transporte empregado; número de operários envolvidos e suas funções. Desmoldantes: APLICAÇÃO DE DESMOLDANTES marca do produto consumo aproximado por m 2 número de demãos momento da aplicação (na central de carpintaria ou no local definitivo?) número de operários envolvidos MONTAGEM DAS FÔRMAS DA CORTINA madeiras utilizadas na montagem dos painéis laterais existem tirantes? De que tipo? Descrever a montagem descrever o contraventamento existem janelas na cortina? Quais suas dimensões? as fôrmas chegam ao local pré-montadas? Descrever. MATERIAIS: Aço: número de operários envolvidos e suas funções TRANSPORTE distância do estoque de armaduras pré-montadas ao local de aplicação meio de transporte utilizado; tempo gasto no transporte; número de operários envolvidos MONTAGEM DAS ARMADURAS as armaduras chegam ao local pré-montadas? Descrever. são utilizados espaçadores para garantir o cobrimento de concreto? Descrever. Verificar a quantidade de espaçadores, posicionamento e modo de fixação. são utilizados espaçadores para garantir a espessura da parede? Descrever. Verificar a quantidade de espaçadores, posicionamento e modo de fixação. espaçamento mínimo entre barras longitudinais instrumentos utilizados espaçamento mínimo entre barras longitudinais. Identificar pontos de congestionamento das armaduras CONCRETO: Concreto Usinado: tempo de espera do caminhão betoneira na obra até o início do lançamento do concreto são moldados corpos de prova para ensaios à compressão? é verificado o slump? Traço do concreto e fator a/c? Concreto feito no local: Cimento: marca, tipo, classe, embalagem (kg) armazenagem (local e condições de armazenagem; empilhamento) distância do local de armazenagem até a betoneira; meio de transporte utilizado; número de operários envolvidos; tempo gasto no transporte

8 Areia: armazenagem ensaios de recebimento? granulometria (grossa, média, fina) distância do local de armazenagem até a betoneira; meio de transporte utilizado; número de operários envolvidos; tempo gasto no transporte Brita: armazenagem ensaios de recebimento? granulometria distância do local de armazenagem até a betoneira; meio de transporte utilizado; número de operários envolvidos; tempo gasto no transporte DOSAGEM DOS MATERIAIS (para concreto feito no local) Existe algum tipo de controle? recipientes utilizados na dosagem quantidade de cada material em 1 betonada (traço) número de operários envolvidos na dosagem e mistura ordem de colocação dos materiais na betoneira tempo de mistura tamanho e capacidade da betoneira TRANSPORTE DO CONCRETO(para concreto usinado) descrever o acesso dos caminhões descrever o meio de transporte do concreto desde o caminhão betoneira até o local de aplicação do concreto: Bomba? Caçamba com grua? Carrinho ou girica? Outros? Descrever. Se não for feito por bomba, indicar o tempo gasto no transporte do concreto. Se for feito por bomba, descrever o funcionamento da mesma. número de operários envolvidos no transporte e suas funções. TRANSPORTE DO CONCRETO (para concreto feito no local) Distância entre a betoneira e o local de aplicação tempo gasto no transporte; meio de transporte utilizado número de operários envolvidos LANÇAMENTO DO CONCRETO descrever o modo e locais de lançamento do concreto nas fôrmas número de operários envolvidos na concretagem da cortina e função de cada uma delas descrever a seqüência completa de lançamento do concreto observar a altura de queda do concreto. São tomados cuidados para evitar segregação? ADENSAMENTO DO CONCRETO o adensamento é manual ou mecânico? se manual, descrever os instrumentos utilizados, número de operários envolvidos e freqüência de adensamento se mecânico, descrever o equipamento para adensamento por vibração utilizando vibrador de imersão: descrição do equipamento e diâmetro da agulha de imersão distância entre os pontos de inserção da agulha no concreto direção da agulha dentro do concreto (vertical, inclinada ou horizontal) verificar se é feito o deslocamento horizontal (lateral) do vibrador quando imerso no concreto verificar se a armadura é vibrada tempo de vibração em cada ponto de inserção qual a altura apróximada de concreto lançado na cortina? CURA é feita a cura do cocreto? tempo de cura método de cura JUNTAS DE CONCRETAGEM - se a concretagem for interrompida para prosseguimento no dia seguinte, verificar: inclinação da junta (vertical ou inclinada)? Ângulo aproximado de inclinação. preparação da superfície da junta para a continuidade da concretagem no dia seguinte.

9 ESTACA ESCAVADA (ROTATIVA) escolher 1 estaca e acompanhar a execução; verificar as dimensões da estaca (diâmetro, profundidade) MATERIAIS: Concreto Usinado: Armadura: tempo de espera do caminhão betoneira na obra até o início do lançamento do concreto são moldados corpos de prova para ensaios à compressão? é verificado o slump? Traço do concreto e fator a/c? colocação da armadura na perfuração e ajustes finais: descrever espaçadores entre a armadura e o solo? número de operários envolvidos e suas funções ESCAVAÇÃO DA ESTACA Locação da estaca Instalação do tubo-guia? Descrever; dimensões. Descrição do equipamento de escavação: funcionamento, número de operários envolvidos, modo de deslocamento do equipamento dentro do canteiro, dimensões do dispositivo de escavação. Acerto do prumo da escavação? Utilização de lama bentonítica? Nível da água: profundidade? Rebaixamento? Controle da profundidade da escavação? Tempo entre o final da escavação e a concretagem? Descrever todo o processo de mistura da lama, bombeamento, decantação Ensaios com a lama para acerto de: ph, teor de areia, densidade, viscosidade, cake. Quando são feitos os ensaios? TRANSPORTE DO CONCRETO descrever o acesso dos caminhões descrever o meio de transporte do concreto desde o caminhão betoneira até a estaca: Bomba? Dumper? Carrinho ou girica? Outros? Descrever. Se não for feito por bomba, indicar o tempo gasto no transporte do concreto. Se for feito por bomba, descrever o funcionamento da mesma. número de operários envolvidos no transporte e suas funções. LANÇAMENTO DO CONCRETO Modo de lançamento do concreto na perfuração: Tremonha? Funil? descrever a seqüência completa de lançamento do concreto. número de operários envolvidos na concretagem da estaca e função de cada um deles vibração na cabeça da estaca? Descrever. O volume de concreto consumido é igual ao previsto? Velocidade de retirada da tremonha x velocidade de concretagem Verificar como é feita a retirada da lama É feito algum tratamento na cabeça da estaca? Descrever? Tempo total gasto para executar 1 estaca

10 TUBULÃO A CÉU ABERTO escolher 1 tubulão e acompanhar a execução; verificar as dimensões do tubulão (diâmetro, profundidade, diâmetro da base alargada) MATERIAIS: Concreto Usinado: Armadura: tempo de espera do caminhão betoneira na obra até o início do lançamento do concreto são moldados corpos de prova para ensaios à compressão? é verificado o slump? Traço do concreto e fator a/c? colocação da armadura na perfuração e ajustes finais: descrever espaçadores entre a armadura e o solo? Número de operários envolvidos e suas funções ESCAVAÇÃO DO TUBULÃO Locação do tubulão Descrição do equipamento de escavação (se houver): funcionamento, número de operários envolvidos, modo de deslocamento do equipamento dentro do canteiro Se for escavação manual: número de operários, ferramentas, tempo para escavar um tubulão Medidas de contenção do solo? Descrever todo o processo. Nível da água: profundidade? Rebaixamento? Acerto do prumo da escavação Distância entre tubulões adjacentes em função do diâmetro Alargamento da base: procedimento. Escoramento? Tempo entre o final do alargamento da base e a concretagem? Inspeção no fundo da escavação antes da concretagem? TRANSPORTE DO CONCRETO descrever o acesso dos caminhões descrever o meio de transporte do concreto desde o caminhão betoneira até o tubulão: Bomba? Dumper? Carrinho ou girica? Outros? Descrever. Se não for feito por bomba, indicar o tempo gasto no transporte do concreto. Se for feito por bomba, descrever o funcionamento da mesma. número de operários envolvidos no transporte e suas funções. LANÇAMENTO DO CONCRETO Modo de lançamento do concreto na perfuração: calha? Tremonha? Funil? descrever a seqüência completa de lançamento do concreto. Se foi utilizado revestimento na escavação, observar a velocidade de retirada do revestimento e a velocidade de concretagem. número de operários envolvidos na concretagem do tubulão e função de cada uma delas vibração na cabeça do tubulão? Descrever. O volume de concreto consumido é igual ao previsto? É feito algum tratamento na cabeça do tubulão? Como é feito o arrasamento? Tempo total gasto para executar 1 tubulão.

11 SAPATA ISOLADA escolher 1 sapata e acompanhar a execução; verificar as dimensões da sapata (dimensões, profundidade) MATERIAIS: Concreto Usinado: tempo de espera do caminhão betoneira na obra até o início do lançamento do concreto são moldados corpos de prova para ensaios à compressão? é verificado o slump? Traço do concreto e fator a/c? Armadura: colocação da armadura na perfuração e ajustes finais: descrever espaçadores entre a armadura e o solo? Número de operários envolvidos e suas funções ESCAVAÇÃO DA SAPATA Locação da sapata Descrição do equipamento de escavação (se houver): funcionamento, número de operários envolvidos, modo de deslocamento do equipamento dentro do canteiro Se for escavação manual: número de operários, ferramentas, tempo para escavar uma sapata Medidas de contenção do solo? Descrever todo o processo. Nível da água: profundidade? Rebaixamento? Distância mínima entre sapatas adjacentes Inspeção no fundo da escavação antes da concretagem? TRANSPORTE DO CONCRETO descrever o acesso dos caminhões descrever o meio de transporte do concreto desde o caminhão betoneira até a sapata: Bomba? Dumper? Carrinho ou girica? Outros? Descrever. Se não for feito por bomba, indicar o tempo gasto no transporte do concreto. Se for feito por bomba, descrever o funcionamento da mesma. número de operários envolvidos no transporte e suas funções. LANÇAMENTO DO CONCRETO Modo de lançamento do concreto na escavação; descrever a seqüência completa de lançamento do concreto. número de operários envolvidos na concretagem da sapata e função de cada uma delas vibração do concreto? Descrever. Tempo total gasto para executar 1 sapata. MATERIAIS: Madeira: tipo de madeira (nomenclatura conforme dimensões) distância da armazenagem da madeira até a central de carpintaria CENTRAL DE CARPINTARIA (apresentar planta de distribuição das áreas): localização dos pontos de trabalho número de operários envolvidos e suas funções local de estoque das fôrmas pré-montadas distância do local do depósito das fôrmas pré-montadas ao local de aplicação; tempo gasto no transporte; meio de transporte empregado; número de operários envolvidos e suas funções. Desmoldantes: APLICAÇÃO DE DESMOLDANTES marca do produto consumo aproximado por m 2 número de demãos momento da aplicação (na central de carpintaria ou no local definitivo?) número de operários envolvidos MONTAGEM DAS FÔRMAS DE SAPATAS

12 dimensões da sapata escolhida madeiras utilizadas na montagem dos painéis laterais madeiras utilizadas nos reforços (gravatas); tipos de gravatas; número de gravatas e espaçamento entre elas existem tirantes? De que tipo? Descrever a montagem as fôrmas chegam ao local pré-montadas? Descrever. tempo gasto na montagem da sapata no local; número de operários envolvidos e suas funções

13 ESTACA PRÉ-MOLDADA DE CONCRETO escolher 1 estaca e acompanhar a execução MATERIAIS: Estaca: Dimensões (inclusive comprimento) e capacidade de carga identificação distância da armazenagem até o ponto de cravação transporte da estaca pelo guindaste: número de pontos de içamento situação do concreto após o transporte e posicionamento no bate-estacas CRAVAÇÃO DA ESTACA Locação da estaca Posicionamento da estaca pré-moldada Cepo/Coxim? Descrição do equipamento de escavação: funcionamento, número de operários envolvidos, modo de deslocamento do equipamento dentro do canteiro, dimensões e peso do martelo de cravação Acerto do prumo da escavação? Altura de queda do martelo Número de golpes por minuto Controle da profundidade de cravação descrever detalhadamente como é feito Descrição da obtenção da nega descrever detalhadamente Tempo total da cravação de uma estaca Número de operários envolvidos e suas funções DETALHES EXECUTIVOS Foram necessárias emendas? Se sim, descrever detalhadamente como foram feitas e dispositivos empregados. Foi empregada proteção de ponta na estaca? Será necessária operação de arrasamento? Se sim, como será feita? Descrever o estado da cabeça da estaca após a cravação. É feito algum trabalho de recuperação? Descrever como será feita a união da estaca com o bloco de fundação Foram detectados problemas ligados à vibração do terreno? A profundidade atingida está de acordo com o perfil de sondagem do terreno? Qual a nega especificada pelo projetista? Ela foi atingida? Foi realizado controle de levantamento de estacas já cravadas?

14 ESTACA TIPO HÉLICE CONTÍNUA 1. escolher 1 estaca e acompanhar a execução; verificar as dimensões da estaca (diâmetro, profundidade) 2. MATERIAIS: Concreto Usinado: Armadura: tempo de espera do caminhão betoneira na obra até o início do lançamento do concreto são moldados corpos de prova para ensaios à compressão? é verificado o slump? Traço do concreto e fator a/c? colocação da armadura na perfuração e ajustes finais: descrever espaçadores entre a armadura e o solo? número de operários envolvidos e suas funções 3. ESCAVAÇÃO DA ESTACA Locação da estaca Descrição do equipamento de escavação: funcionamento, número de operários envolvidos, modo de deslocamento do equipamento dentro do canteiro, dimensões do dispositivo de escavação. Acerto do prumo da escavação? Rotação da haste de escavação: controlada? Nível da água: profundidade? Rebaixamento? Controle da profundidade da escavação? Tempo entre o final da escavação e a concretagem? 4. TRANSPORTE DO CONCRETO descrever o acesso dos caminhões onde é armazenado o concreto que sai do caminhão? descrever o meio de transporte do concreto desde o caminhão betoneira até o local de armazenagem: Bomba? Dumper? Carrinho ou girica? Outros? Descrever. Se não for feito por bomba, indicar o tempo gasto no transporte do concreto. Se for feito por bomba, descrever o funcionamento da mesma. número de operários envolvidos no transporte e suas funções. 5. LANÇAMENTO DO CONCRETO Descrever o modo de lançamento do concreto na perfuração Rotação da haste durante a concretagem Velocidade de retirada da haste x velocidade de concretagem número de operários envolvidos na concretagem da estaca e função de cada um deles vibração na cabeça da estaca? Descrever. O volume de concreto consumido é igual ao previsto? É feito algum tratamento na cabeça da estaca? Descrever? Tempo total gasto para executar 1 estaca 6. COLOCAÇÃO DA ARMADURA Descrever como é posicionada a armadura Descrever como a armadura é inserida no concreto Cuidados para não haver deslocamento entre barras? Cuidados para não haver choque da armadura com as paredes da escavação?

15 ESTACA FRANKI 1. escolher 1 estaca e acompanhar a execução; verificar as dimensões da estaca (diâmetro, profundidade) 2. MATERIAIS: Cimento: marca, tipo, classe, embalagem (kg) armazenagem (local e condições de armazenagem; empilhamento) distância do local de armazenagem até a betoneira; meio de transporte utilizado; número de operários envolvidos; tempo gasto no transporte Areia: Aditivos: armazenagem ensaios de recebimento? granulometria (grossa, média, fina) distância do local de armazenagem até a betoneira; meio de transporte utilizado; número de operários envolvidos; tempo gasto no transporte marca, tipo, embalagem Armadura: colocação da armadura na perfuração e ajustes finais: descrever espaçadores entre a armadura e o solo? número de operários envolvidos e suas funções 3. DOSAGEM DOS MATERIAIS - Existe algum tipo de controle? recipientes utilizados na dosagem quantidade de cada material em 1 betonada (traço) número de operários envolvidos na dosagem e mistura tamanho e capacidade da betoneira 4. TRANSPORTE DO CONCRETO Distância entre a betoneira e o local de aplicação tempo gasto no transporte; meio de transporte utilizado número de operários envolvidos 5. CRAVAÇÃO DA ESTACA Locação da estaca Posicionamento dos tubos no bate-estacas Cepo/Coxim? Descrição do equipamento de cravação: funcionamento, número de operários envolvidos, modo de deslocamento do equipamento dentro do canteiro, dimensões e peso do martelo de cravação Acerto do prumo do tubo? Altura de queda do martelo Número de golpes por minuto Controle da profundidade de cravação descrever detalhadamente como é feito Descrição da obtenção da nega descrever detalhadamente Nível da água: profundidade? Rebaixamento? Tempo total da execução de uma estaca Número de operários envolvidos e suas funções 6. LANÇAMENTO DO CONCRETO Descrever o modo de lançamento do concreto na perfuração Descrever apiloamento Velocidade de retirada do revestimento x velocidade de concretagem número de operários envolvidos na concretagem da estaca e função de cada um deles

16 O volume de concreto consumido é igual ao previsto? 7. COLOCAÇÃO DA ARMADURA Descrever como é posicionada a armadura Cuidados para não haver deslocamento entre barras? Cuidados para não haver choque do martelo com a armadura? 8. DETALHES EXECUTIVOS Foram necessárias emendas nos tubos? Se sim, descrever detalhadamente como foram feitas e dispositivos empregados. Será necessária operação de arrasamento? Se sim, como será feita? Descrever como será feita a união da estaca com o bloco de fundação Foram detectados problemas ligados à vibração do terreno? A profundidade atingida está de acordo com o perfil de sondagem do terreno? Qual a nega especificada pelo projetista? Ela foi atingida? Foi realizado controle de levantamento de estacas já cravadas?

INFRAESTRUTURA DE PONTES FUNDAÇÕES PROFUNDAS

INFRAESTRUTURA DE PONTES FUNDAÇÕES PROFUNDAS INFRAESTRUTURA DE PONTES FUNDAÇÕES PROFUNDAS GENERALIDADES Fundações são elementos estruturais destinados a transmitir ao terreno as cargas da estrutura; Devem ter resistência adequada para suportar as

Leia mais

Aspectos relevantes sobre execução de fundações FUNDAÇÕES SLIDES 04. Prof. MSc. Douglas M. A. Bittencourt

Aspectos relevantes sobre execução de fundações FUNDAÇÕES SLIDES 04. Prof. MSc. Douglas M. A. Bittencourt Aspectos relevantes sobre execução de fundações FUNDAÇÕES SLIDES 04 Prof. MSc. Douglas M. A. Bittencourt prof.douglas.pucgo@gmail.com EXECUÇÃO DE SAPATAS Escavação mecânica ou manual 2 EXECUÇÃO DE SAPATAS

Leia mais

ESTACAS ESCAVADAS TRADO MECÂNICO

ESTACAS ESCAVADAS TRADO MECÂNICO ESTACAS ESCAVADAS TRADO MECÂNICO RESUMO Neste breve artigo abordaremos a metodologia executiva das estacas escavadas sem fluido de estabilização ou lama bentonitica. Esse tipo de fundação também é conhecido

Leia mais

ExEcução de fundações

ExEcução de fundações ExEcução de fundações ProfEssor Yuri construção civil i EngEnharia civil 2017/I 5. Execução de fundação 5.1 Fundações São os elementos estruturais destinados a transmitir ao terreno as cargas da estrutura.

Leia mais

FUNDAÇÕES. Aspectos a considerar para a escolha da fundação? Aspectos a considerar para a escolha da fundação?

FUNDAÇÕES. Aspectos a considerar para a escolha da fundação? Aspectos a considerar para a escolha da fundação? DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE CONSTRUÇÃO CIVIL PCC 2435 - Tecnologia da Construção de Edifícios I FUNDAÇÕES Profs. Luiz Sergio Franco, Fernando Henrique Sabbatini, Mercia M. B. Barros e Vitor Levi C. Aly

Leia mais

TUBULÃO A CEU ABERTO TUBULÃO A AR COMPRIMIDO

TUBULÃO A CEU ABERTO TUBULÃO A AR COMPRIMIDO TUBULÃO A CEU ABERTO TUBULÃO A AR COMPRIMIDO DISCIPLINA: FUNDAÇÕES E OBRAS DE TERRA DOCENTE: DIEGO ARAUJO DE BRITO VITÓRIA DA CONQUISTA BA, NOVEMBRO/2017 Elemento de FUNDAÇÃO PROFUNDA, escavado no terreno

Leia mais

Fundações Indiretas. Tipos de Fundações. Fundações Indiretas. Tipos de fundações

Fundações Indiretas. Tipos de Fundações. Fundações Indiretas. Tipos de fundações Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Tecnologia da Construção Civil I Tipos de fundações Profa. Geilma Lima Vieira geilma.vieira@gmail.com Tipos de

Leia mais

Instruções de Montagem das Fôrmas Atex INSTRUÇÕES PARA MONTAGEM E UTILIZAÇÃO DAS FÔRMAS ATEX

Instruções de Montagem das Fôrmas Atex INSTRUÇÕES PARA MONTAGEM E UTILIZAÇÃO DAS FÔRMAS ATEX Página 1 de 7 INSTRUÇÕES PARA MONTAGEM E UTILIZAÇÃO DAS FÔRMAS ATEX 1. É indispensável passar desmoldante nas fôrmas. 2. É expressamente proibido o uso de pregos nas fôrmas. O uso destes danifica e fragiliza

Leia mais

TÉCNICAS CONSTRUTIVAS I. Fundações

TÉCNICAS CONSTRUTIVAS I. Fundações Curso Superior de Tecnologia em Construção de Edifícios TÉCNICAS CONSTRUTIVAS I Fundações Prof. Leandro Candido de Lemos Pinheiro leandro.pinheiro@riogrande.ifrs.edu.br Função dos elementos estruturais

Leia mais

ESTACAS SINAPI LOTE 1 HÉLICE CONTÍNUA, PRÉ-MOLDADA E ESCAVADA SEM FLUIDO SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL

ESTACAS SINAPI LOTE 1 HÉLICE CONTÍNUA, PRÉ-MOLDADA E ESCAVADA SEM FLUIDO SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL SINAPI SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL CADERNOS TÉCNICOS DE COMPOSIÇÕES PARA ESTACAS HÉLICE CONTÍNUA, PRÉ-MOLDADA E ESCAVADA SEM FLUIDO LOTE 1 Versão: 003 Vigência:

Leia mais

Paredes de concreto. Passo 1. O nivelamento preciso da fundação, neste caso em radier, assegura a montagem correta do sistema de fôrmas.

Paredes de concreto. Passo 1. O nivelamento preciso da fundação, neste caso em radier, assegura a montagem correta do sistema de fôrmas. Paredes de concreto Sistema, assim como a produtividade, está associado a uso de concreto autoadensável, que não exige vibração. Veja como fazer montagem e desmontagem das fôrmas, bem como o lançamento

Leia mais

01 PATRICIA HISTÓRICO/INTRODUÇÃO

01 PATRICIA HISTÓRICO/INTRODUÇÃO Islide 01 - HISTÓRICO 01 PATRICIA HISTÓRICO/INTRODUÇÃO A estaca tipo Franki foi introduzida como fundação por Edgard Frankignoul na Bélgica há mais de 85 anos. Ele desenvolveu a idéia de cravar um tubo

Leia mais

CORTINAS DE ESTACAS MOLDADAS

CORTINAS DE ESTACAS MOLDADAS CORTINAS DE ESTACAS MOLDADAS Autora: Eng.ª Sandra Lopes Coordenação: Prof. F. A. Branco, Prof. Jorge de Brito, Eng.º Pedro Vaz Paulo e Eng.º João Pedro Correia 1/44 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. ESTACAS MOLDADAS

Leia mais

CONCRETAGEM. Definir equipe. Transporte. Lançamento. Adensamento. Acabamento. Cura

CONCRETAGEM. Definir equipe. Transporte. Lançamento. Adensamento. Acabamento. Cura CONCRETAGEM Definir equipe Transporte Lançamento Adensamento Acabamento Cura DEFINIÇÃO DE EQUIPES Quantas pessoas são necessárias? EQUIPE - PILAR COM BOMBA E = 5 MUD. TUBULAÇÃO - 3 ESPALHAMENTO - 1 VIBRADOR

Leia mais

17:50. Departamento de Construção Civil FUNDAÇÕES INDIRETAS PRÉ-MOLDADAS

17:50. Departamento de Construção Civil FUNDAÇÕES INDIRETAS PRÉ-MOLDADAS FUNDAÇÕES INDIRETAS PRÉ-MOLDADAS Prof. Dr. Marcelo Medeiros Grupo de Materiais de Construção Versão 2013 1 Fundações indiretas profundas 1. Pré-moldadas 2. Moldadas in loco Prof. Dr. Marcelo Medeiros Grupo

Leia mais

Serviços Preliminares: Planejamento da execução exercício

Serviços Preliminares: Planejamento da execução exercício DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE CONSTRUÇÃO CIVIL PCC 2435 - Tecnologia da Construção de Edifícios I Serviços Preliminares: Planejamento da execução exercício Profs. Luiz Sergio Franco, Fernando Henrique

Leia mais

MANUAL DA CONCRETAGEM

MANUAL DA CONCRETAGEM O planejamento da concretagem é um conjunto de medidas a serem tomadas antes do lançamento do concreto para assegurar a qualidade da peça concretada. Este manual tem a finalidade de servir como um check

Leia mais

Estrutura Concreto Armado. Tecnologia das Construções Profª Bárbara Silvéria

Estrutura Concreto Armado. Tecnologia das Construções Profª Bárbara Silvéria Estrutura Concreto Armado Tecnologia das Construções Profª Bárbara Silvéria Concreto Concreto: Argamassa + Agregados graúdos Argamassa: Pasta + Agregados miúdos (+ aditivos) Pasta: Aglomerante + Água Característica

Leia mais

Disciplina: Construção Civil I Estruturas de Concreto

Disciplina: Construção Civil I Estruturas de Concreto UniSALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil Disciplina: Construção Civil I André Luís Gamino Professor Área de Construção Civil Componentes Formas: molde para

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL II CONCRETO PREPARO, TRANSPORTE, LANÇAMENTO ADENSAMENTO E CURA. Professor: Yuri Cardoso Mendes

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL II CONCRETO PREPARO, TRANSPORTE, LANÇAMENTO ADENSAMENTO E CURA. Professor: Yuri Cardoso Mendes Fundação Carmel itana Mário Pal mério MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL II CONCRETO PREPARO, TRANSPORTE, LANÇAMENTO ADENSAMENTO E CURA Professor: Yuri Cardoso Mendes CONCRETO MISTURA DEFINIÇÕES: A mistura

Leia mais

VERGA, CONTRAVERGA, FIXAÇÃO DE ALVENARIA DE VEDAÇÃO E CINTA DE AMARRAÇÃO DE ALVENARIA

VERGA, CONTRAVERGA, FIXAÇÃO DE ALVENARIA DE VEDAÇÃO E CINTA DE AMARRAÇÃO DE ALVENARIA SINAPI SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL CADERNOS TÉCNICOS DE COMPOSIÇÕES PARA VERGA, CONTRAVERGA, FIXAÇÃO DE ALVENARIA DE VEDAÇÃO E CINTA DE AMARRAÇÃO DE ALVENARIA LOTE

Leia mais

Grupo de Materiais de Construção 1

Grupo de Materiais de Construção 1 Grupo de Materiais de Construção 1 Grupo de Materiais de Construção 2 Fundações: O que são? São elementos estruturais cuja função é a transferência de cargas da estrutura para a camada resistente de solo

Leia mais

CONTENÇÕES EM PAREDE DIAFRAGMA, PERFIL METÁLICO E TIRANTES

CONTENÇÕES EM PAREDE DIAFRAGMA, PERFIL METÁLICO E TIRANTES CONTENÇÕES EM PAREDE DIAFRAGMA, PERFIL METÁLICO E TIRANTES CONCEITOS BÁSICOS EXECUÇÃO ESTUDO DE CASOS ENGº MARCELO FERREIRA 003 INTRODUÇÃO INFELIZMENTE, OS SOLOS SÃO FEITOS PELA NATUREZA E NÃO PELO HOMEM

Leia mais

1 INFRA-ESTRUTURA Fundações PROFESSORA MSC DAYANA RUTH

1 INFRA-ESTRUTURA Fundações PROFESSORA MSC DAYANA RUTH 1 INFRA-ESTRUTURA Fundações PROFESSORA MSC DAYANA RUTH Fundações São elementos estruturais destinados a suportar toda a carga de pressão proveniente dos carregamentos de esforços oriundos do peso próprio

Leia mais

Anexo I - Tabela de Tolerâncias Dimensionais e de Montagem de Elementos Pré-Fabricados

Anexo I - Tabela de Tolerâncias Dimensionais e de Montagem de Elementos Pré-Fabricados Identificação: A1.N2 Revisão: 04 Folha: 1 / 5 Função do Elemento Painéis Arquitetônicos (item b1 do requisito Pilares, Vigas, Pórticos, Terças e Escadas (itens b2, b3 e b4 do requisito Lajes Armadas ou

Leia mais

CONCRETAGEM PARA ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO

CONCRETAGEM PARA ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO SINAPI SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL CADERNOS TÉCNICOS DE COMPOSIÇÕES PARA CONCRETAGEM PARA ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO LOTE 1 Versão: 001 Vigência: 12/2015 Última

Leia mais

3 PROGRAMA EXPERIMENTAL

3 PROGRAMA EXPERIMENTAL 3 PROGRAMA EXPERIMENTAL 3.1.Características dos modelos ensaiados 3.1.1.Parâmetros e variáveis A Figura 3.1 apresenta as características geométricas dos espécimes. Figura 3.1 Características geométricas

Leia mais

Profa. Fabiana L. Oliveira

Profa. Fabiana L. Oliveira Profa. Fabiana L. Oliveira CONCRETAGEM: conj. de atividades relativas à: Produção Recebimento Transporte Aplicação do concreto Vantagens: excelente resistência à água; facilidade com que os elementos estruturais

Leia mais

Sistemas de Fundação. Sobre o Projeto de Fundações. Prof. MSc. Douglas M. A. Bittencourt FUNDAÇÕES AULA 02.

Sistemas de Fundação. Sobre o Projeto de Fundações. Prof. MSc. Douglas M. A. Bittencourt FUNDAÇÕES AULA 02. Sistemas de Fundação Sobre o Projeto de Fundações FUNDAÇÕES AULA 02 Prof. MSc. Douglas M. A. Bittencourt prof.douglas.pucgo@gmail.com ENGENHARIA DE FUNDAÇÕES Sistemas de fundação Geotecnia e Estrutura

Leia mais

DISCUSSÃO ATUAL NÃO CONFORMIDADE DO CONCRETO

DISCUSSÃO ATUAL NÃO CONFORMIDADE DO CONCRETO DISCUSSÃO ATUAL NÃO CONFORMIDADE DO CONCRETO Concretos fornecidos podem não estar atingindo a resistência à compressão pedida nos projetos estruturais. Polêmica envolve construtores, concreteiras, projetistas

Leia mais

Fundações em Tubulão

Fundações em Tubulão Fundações em Tubulão Grupo: Anderson Martens Daniel Pereira Ricardo N. Lima Ronaldo Guedes Vitor A. Teruya Vivian R. Pestana Professor Manuel Vitor 01/12/2010 Fundações Diretas Rasas Blocos Sapatas Radiers

Leia mais

7 a Aula. Fundações por estacas

7 a Aula. Fundações por estacas Mecânica dos Solos e Fundações PEF 522 7 a Aula Fundações por estacas Fundações por estacas Concreto Aço madeira 1 Capacidade de carga de estacas Q ult Q atrito lateral Q ult = Q atrito lateral + Q ponta

Leia mais

3. Estruturas pré fabricadas de concreto armado: fabricação e montagem

3. Estruturas pré fabricadas de concreto armado: fabricação e montagem 3. Estruturas pré fabricadas de concreto armado: fabricação e montagem www.projepar.com.br/imagens/prefabricados_foto1.gif Prof a. Ph.D. Jamilla Lutif Teixeira Jamilla.teixeira@ufes.br 3.2.4 Produção e

Leia mais

EXECUÇĀO DE PAREDE DIAFRAGMA

EXECUÇĀO DE PAREDE DIAFRAGMA EXECUÇĀO DE PAREDE DIAFRAGMA MGS Fundações Especiais Empresa com 10 anos de atuação no mercado de fundações, contando com a experiência de seus sócios com mais de 30 anos de participação em obras de fundação.

Leia mais

Cada aluno deve resolver 4 exercícios de acordo com o seu número FESP

Cada aluno deve resolver 4 exercícios de acordo com o seu número FESP Cada aluno deve resolver 4 exercícios de acordo com o seu número FESP Final 1 exercícios 1, 5, 16, 24 Final 2 exercícios 2, 6, 17, 25 Final 3- exercícios 3, 7,, 26 Final 4 exercícios 4, 8, 19, 27 Final

Leia mais

Fundações profundas -Anotações de aula - Prof. Carlos Roberto Godoi Cintra

Fundações profundas -Anotações de aula - Prof. Carlos Roberto Godoi Cintra FUNDAÇÃO PROFUNDA TERRENOS BAIXA RESISTÊNCIA SUPERFICIAL (SPT BAIXO) N.A. POUCO PROFUNDO BAIXOS E ALAGADIÇOS OBRAS VIZINHAS COM FUNDAÇÕES PROFUNDAS ARGILA TURFOSA ORGÂNICA PRETA PRÓXIMO DE CÓRREGOS AVANÇO

Leia mais

UNIVERSIDADE MOGI DAS CRUZES CAMPUS VILLA LOBOS. Construção Civil

UNIVERSIDADE MOGI DAS CRUZES CAMPUS VILLA LOBOS. Construção Civil UNIVERSIDADE MOGI DAS CRUZES CAMPUS VILLA LOBOS Construção Civil 7 semestre Prof. Me. Jorge S. Lyra 2017 Fundações Introdução Fundações Diretas NBR 6122/10 Esta Norma fixa o procedimento, projeto e execução

Leia mais

Augusto Guimarães Pedreira de Freitas. Pedreira Engenharia. Residencial Luzes do Farol

Augusto Guimarães Pedreira de Freitas. Pedreira Engenharia. Residencial Luzes do Farol Projetista: Empresa: Obra: Gustavo Braceiro Barlati Augusto Guimarães Pedreira de Freitas Pedreira Engenharia Residencial Luzes do Farol Residencial Luzes do Farol Projeto Estrutural de edifício residencial

Leia mais

ESCORAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2

ESCORAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 MÓDULO ESCORAMENTO 5 MOS ESPECIFICAÇÕES REVISÃO 2 PÁGINA 1/9 SUMÁRIO OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 0501 ESCORAMENTO DE MADEIRA... 2 0502 ESCORAMENTO METÁLICO...

Leia mais

EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO

EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO Universidade Federal de Itajubá Instituto de Recursos Naturais EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO Profa. Nívea Adriana Dias Pons INTRODUÇÃO Ementa: Equipamentos de transporte, escavação e de movimentação de

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGIAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL GEOTECNIA III

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGIAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL GEOTECNIA III UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGIAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL GEOTECNIA III Aula 02 Cortinas e escoramentos Augusto Romanini Sinop - MT 2015/2

Leia mais

Tecnologia da Construção I ARMADURAS. Conceitos. Função da Armadura 03/04/2017. Docente: Thalita Lima

Tecnologia da Construção I ARMADURAS. Conceitos. Função da Armadura 03/04/2017. Docente: Thalita Lima Tecnologia da Construção I ARMADURAS Docente: Thalita Lima Email: thalitaluizalima@gmail.com Cuiabá/MT Março - 2017 Conceitos as armaduras são elementos destinados a dar resistência à estrutura de concreto

Leia mais

Aços Longos. Telas Soldadas Nervuradas

Aços Longos. Telas Soldadas Nervuradas Aços Longos Telas Soldadas Nervuradas Registro Compulsório 272/2011 Telas Soldadas Nervuradas Qualidade As Telas Soldadas de Aço Nervurado ArcelorMittal são armaduras pré-fabricadas constituídas por fios

Leia mais

Telas Soldadas Nervuradas Belgo

Telas Soldadas Nervuradas Belgo Telas Soldadas Nervuradas Belgo As Telas Soldadas de Aço Nervurado são uma armadura pré-fabricada, constituída por fios de aço Belgo 60 nervurado longitudinais e transversais, de alta resistência mecânica,

Leia mais

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2016

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2016 RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2016 Andamento das Obras Civis Serviços concluídos até 12/02/16: Estacas Escavadas são as paredes de concreto com profundidade de 11 metros

Leia mais

Rua Rui Frazao Soares, 81 - Ala Belize, Sala 204/205 - Barra da Tijuca - RJ Tel.: Pág.

Rua Rui Frazao Soares, 81 - Ala Belize, Sala 204/205 - Barra da Tijuca - RJ Tel.: Pág. Rio de Janeiro, 04 de Abril de 2016 Segunda Feira Tempo estável Continuidade no trabalho de escavação Sendo executado estruturas de canteiro tais como: banheiro, vestiário e depósito de cimento Arrumação

Leia mais

CONCRETO. FMC Profª Bárbara Silvéria

CONCRETO. FMC Profª Bárbara Silvéria CONCRETO FMC Profª Bárbara Silvéria Concreto - conceito O concreto é um material de construção resultante da mistura de aglomerante, agregados e água, formando um bloco monolítico; Concreto conceito A

Leia mais

Estruturas de Contenção - Estacas Prancha. Marcio Varela

Estruturas de Contenção - Estacas Prancha. Marcio Varela Estruturas de Contenção - Estacas Prancha. Marcio Varela Introdução Elemento de contenção geralmente metálico; Recuperáveis ou não, caso tenha caráter provisório ou definitivo; Elementos pouco rígidos

Leia mais

FIGURA 12. ARMADURAS PARA BASE DA CÂMARA DE CARGA (FONTE: AUTOR DA PESQUISA, 2015)

FIGURA 12. ARMADURAS PARA BASE DA CÂMARA DE CARGA (FONTE: AUTOR DA PESQUISA, 2015) 38 FIGURA 12. ARMADURAS PARA BASE DA CÂMARA DE CARGA As armaduras na base foram feitas em formado de gaiola, sendo que em sua maioria foi utilizado aço com diâmetro de 10 mm espaçados a cada 20 cm, conforme

Leia mais

Concreto nas primeiras idades. Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira

Concreto nas primeiras idades. Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Concreto nas primeiras idades Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Propriedades do concreto fresco Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Fonte: Mehta e Monteiro, 2010 Degussa, 2000 3/38 Importância As primeiras 48h são

Leia mais

Descrição e Metodologia Executiva

Descrição e Metodologia Executiva 1 Descrição e Metodologia Executiva Coluna de Areia Confinada por Geossintético RINGTRAC 1. A Denominação Trata-se de uma coluna de areia compactada e confinada por geossintético de alta performance. 2.

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGIAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL GEOTECNIA III

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGIAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL GEOTECNIA III UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGIAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL GEOTECNIA III Aula 14 Cortinas de contenção Augusto Romanini Sinop - MT 2016/2

Leia mais

LAJES PRÉ-MOLDADAS. GRADUAÇÃO Florestal AULA. Prof. Adriano Wagner Ballarin Prof. Marco Antonio Martin Biaggioni. Construções Rurais

LAJES PRÉ-MOLDADAS. GRADUAÇÃO Florestal AULA. Prof. Adriano Wagner Ballarin Prof. Marco Antonio Martin Biaggioni. Construções Rurais LAJES PRÉ-MOLDADAS Prof. Adriano Wagner Ballarin Prof. Marco Antonio Martin Biaggioni GRADUAÇÃO Florestal AULA 10 Aula 10b Lajes pré-moldadas 1 1. Definições São estruturas de concreto armado ou mistas,

Leia mais

Realização: Características de projeto, sistemas construtivos e execução da estrutura do Shopping Cidade São Paulo e Torre Matarazzo

Realização: Características de projeto, sistemas construtivos e execução da estrutura do Shopping Cidade São Paulo e Torre Matarazzo Realização: 2014 Características de projeto, sistemas construtivos e execução da estrutura do Shopping Cidade São Paulo e Torre Matarazzo Luiz Antonio Nascimento Maria Diretor da Método Engenharia Caracteristicas

Leia mais

CADERNOS TÉCNICOS DAS COMPOSIÇÕES DE PASSEIOS DE CONCRETO LOTE 3

CADERNOS TÉCNICOS DAS COMPOSIÇÕES DE PASSEIOS DE CONCRETO LOTE 3 CADERNOS TÉCNICOS DAS COMPOSIÇÕES DE PASSEIOS DE CONCRETO LOTE 3 GRUPO PASSEIOS DE CONCRETO Fazem parte desse grupo 26 composições de Passeios de Concreto moldado in loco. O acabamento pode ser liso, sarrafeado

Leia mais

TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES. Prof. Lucas HP Silva

TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES. Prof. Lucas HP Silva TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES Prof. Lucas HP Silva 1 TCCC1 TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL 1 Prof. Lucas HP Silva 2 Uma estrutura compõe-se de 3 etapas: FORMAS ARMAÇÃO CONCRETAGEM 3 ELEMENTOS DE CONCRETO ARMADO

Leia mais

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS ES-F01 FUNDAÇÕES RASAS DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA 1 ÍNDICE PÁG. 1. OBJETO E OBJETIVO... 3 2. S... 3 3. CONSIDERAÇÕES INICIAIS... 3 4. MATERIAIS... 4 5. EXECUÇÃO DA

Leia mais

Prof. Marcos Valin Jr. Prof. Marcos Valin Jr. Definição. Fundações. 1

Prof. Marcos Valin Jr. Prof. Marcos Valin Jr. Definição. Fundações.  1 Prof. Marcos Valin Jr Definição www.mvalin.com.br 1 Estrutura da Edificação: Fundação + Superestrutura Pilares Laje Vigas Caminhamento de cargas Cargas fixas (paredes) e variáveis (móveis, habitantes,

Leia mais

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2016

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2016 RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2016 Andamento das Obras Civis Serviços concluídos até 29/02/16: Estacas Escavadas são as paredes de concreto, composta por estacas executadas

Leia mais

PATOLOGIA DAS FUNDAÇÕES

PATOLOGIA DAS FUNDAÇÕES PATOLOGIA DAS FUNDAÇÕES Ronaldo L. S. IZZO, D.Sc. izzo@utfpr.edu.br http://pessoal.utfpr.edu.br/izzo UTFPR - Curitiba 1 Tópicos: Recalques Conceito Recalques admissíveis Efeitos de Movimentos das Fundações

Leia mais

ESTACA ESCAVADA, BARRETE E RAIZ (EM SOLO E ROCHA): CONCEITOS BÁSICOS, EXECUÇÃO

ESTACA ESCAVADA, BARRETE E RAIZ (EM SOLO E ROCHA): CONCEITOS BÁSICOS, EXECUÇÃO ESTACA ESCAVADA, BARRETE E RAIZ (EM SOLO E ROCHA): CONCEITOS BÁSICOS, EXECUÇÃO E ESTUDO DE CASOS Eng. Celso Nogueira Corrêa INTRODUÇÃO O que é fundação? São elementos estruturais cuja função é transmitir

Leia mais

GESTEC. Processos de Construção Licenciatura em Engenharia Civil. DECivil CRAVADAS ESTACAS CAP. XV 1/47

GESTEC. Processos de Construção Licenciatura em Engenharia Civil. DECivil CRAVADAS ESTACAS CAP. XV 1/47 CAP. XV ESTACAS CRAVADAS 1/47 1. INTRODUÇÃO ESTACAS CRAVADAS 2/47 1. INTRODUÇÃO DECivil Pré-fabricadas Estacas cravadas Fundações indirectas (profundas) Alternativa às estacas moldadas ESTACAS CRAVADAS

Leia mais

PRÁTICAS DE PEQUENAS OBRAS NO MEIO RURAL

PRÁTICAS DE PEQUENAS OBRAS NO MEIO RURAL PRÁTICAS DE PEQUENAS OBRAS NO MEIO RURAL Construção & Desenvolvimento Sustentável Modelo de produção linear Recursos naturais não renováveis Entulho Ciclo fechado de produção Reciclagem Reutilização Garantia

Leia mais

Este procedimento refere-se à execução de paredes moldadas com a geometria e os materiais definidos nos desenhos de construção.

Este procedimento refere-se à execução de paredes moldadas com a geometria e os materiais definidos nos desenhos de construção. Procedimento Específico da Qualidade PÁGINA: 1/6 1. OBJECTIVO E ÂMBITO Este procedimento refere-se à execução de paredes moldadas com a geometria e os materiais definidos nos desenhos de construção. 1.1.

Leia mais

ENGº CARLOS GARRIDO ORÇAMENTO

ENGº CARLOS GARRIDO ORÇAMENTO 1 3 OBRAS DE ARTE INTEGRADAS Trabalhos a realizar de acordo com o projecto e satisfazendo o especificado no C.E. 3-01 - OBRA DE ARTE 1 (O.A.1) 3-01.01 - Escavação de terreno de qualquer natureza para abertura

Leia mais

40060 Lançamento e aplicação de concreto em estrutura m³ 9,000 22,66 203,94

40060 Lançamento e aplicação de concreto em estrutura m³ 9,000 22,66 203,94 Sintético Grupo: 9015 - Serviços Gerais 40000 Abrigo provisório de madeira executado na obra para m² 30,000 310,29 9.308,70 alojamento e depósito de materiais e ferramentas 40015 Instalação provisória

Leia mais

CASAS COM PAREDES DE CONCRETO

CASAS COM PAREDES DE CONCRETO PAREDES DE CONCRETO CASAS COM PAREDES DE CONCRETO 2 PRÉDIOS 5 PAVTS. MCMV 3 25 PAVTS. CONCRETANDO 17ª LAJE TIPO 4 SELEÇAO DO PROCESSO CONSTRUTIVO OBJETIVOS: QUALIDADE DA OBRA FLUXO DE CAIXA POSITIVO RESULTADO

Leia mais

08/11/2016. Curitiba, 2º Sementre 2016 EAP INICIAL MAPA MENTAL

08/11/2016. Curitiba, 2º Sementre 2016 EAP INICIAL MAPA MENTAL Curitiba, 2º Sementre 2016 1 EAP INICIAL MAPA MENTAL 2 1 EAP DA OBRA NÍVEIS HIERÁRQUICOS CONSTRUÇÃO PROJETOS SERVIÇOS PRELIMINARES CONSTRUÇÃO SERVIÇOS FINAIS ARQUITETÔNICO LIMPEZATERRENO INFRA ESTRUTURA

Leia mais

REFORÇO DE FUNDAÇÃO. (21)

REFORÇO DE FUNDAÇÃO. (21) REFORÇO DE FUNDAÇÃO A P R E S E N T A Ç Ã O T É C N I C A (21) 99330-4278 www.geotechnical.com.br contato@geotechnical.com.br GEOTECHNICAL O aparecimento de trincas em paredes internas, janelas emperrando

Leia mais

UNIVERSIDADE MOGI DAS CRUZES CAMPUS VILLA LOBOS. Construção Civil

UNIVERSIDADE MOGI DAS CRUZES CAMPUS VILLA LOBOS. Construção Civil UNIVERSIDADE MOGI DAS CRUZES CAMPUS VILLA LOBOS Construção Civil 7 semestre Prof. Me. Jorge S. Lyra 2017 Fundações Introdução Fundações NBR 6122/2010 Esta Norma fixa o procedimento, projeto e execução

Leia mais

Manual de instalação Bakof / Engenharia

Manual de instalação Bakof / Engenharia Manual de instalação Bakof / Engenharia Poço de Inspeção Poço de visita Obrigado por adquirir um produto "Bakof engenharia". Garantimos a você um produto confiável, produzido com a mais alta tecnologia

Leia mais

FATEC - SP Faculdade de Tecnologia de São Paulo. ESTACAS DE CONCRETO PARA FUNDAÇÕES - carga de trabalho e comprimento

FATEC - SP Faculdade de Tecnologia de São Paulo. ESTACAS DE CONCRETO PARA FUNDAÇÕES - carga de trabalho e comprimento FATEC - SP Faculdade de Tecnologia de São Paulo ESTACAS DE CONCRETO PARA FUNDAÇÕES - carga de trabalho e comprimento Prof. Manuel Vitor Curso - Edifícios ESTACAS PRÉ-MOLDADAS DE CONCRETO NBR 6122/1996

Leia mais

Orçamento: RESIDENCIA - ANDRE CONGONHAS

Orçamento: RESIDENCIA - ANDRE CONGONHAS Orçamento: RESIDENCIA - ANDRE CONGONHAS Orçamento parcial nº 1 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 m2 Corte de capoeira fina a foice 900,000 0,19 171,00 1.2 m2 Raspagem e limpeza manual de terreno 900,000 0,63 567,00

Leia mais

Tecnologia da Construção Civil - I Fundações. Roberto dos Santos Monteiro

Tecnologia da Construção Civil - I Fundações. Roberto dos Santos Monteiro Tecnologia da Construção Civil - I Fundações Após a execução da sondagem, iremos definir qual o tipo de fundação mais adequada a ser utilizado no nosso empreendimento. As Fundações são elementos estruturais

Leia mais

O que é Resistência?

O que é Resistência? O que é Resistência? www.mvalin.com.br 1 O que é? www.mvalin.com.br 2 A Resistência do concreto é definida como a capacidade de resistir à tensões sem ruptura. (A ruptura é algumas vezes identificadas

Leia mais

Costa Fortuna Fundações e Construções

Costa Fortuna Fundações e Construções Jet Grouting 1 Costa Fortuna Fundações e Construções A Costa Fortuna Fundações e Construções Ltda opera no mercado de fundações e contenções e tem por filosofia o desenvolvimento empresarial baseado em

Leia mais

Curso: Superior de Tecnologia em Controle de Obras - Disciplina: Concreto e Argamassa - Professor: Marcos Valin Jr Aluno: - Turma: 2841.

Curso: Superior de Tecnologia em Controle de Obras - Disciplina: Concreto e Argamassa - Professor: Marcos Valin Jr Aluno: - Turma: 2841. Curso: Superior de Tecnologia em Controle de Obras - Disciplina: Concreto e Argamassa - Professor: Marcos Valin Jr Aluno: - Turma: 2841.4N - Data: Atividade Lista de Exercícios da Disciplina A Data da

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA Especificação de Serviço 1. Página 1 de 5 DEFINIÇÃO São caixas intermediárias que se localizam ao longo da rede para permitir modificações de alinhamento, dimensões, declividades

Leia mais

Coordenação: Prof. F.A. Branco, Prof. Jorge de Brito, Eng.º Pedro Vaz Paulo e Eng.º João Pedro Correia

Coordenação: Prof. F.A. Branco, Prof. Jorge de Brito, Eng.º Pedro Vaz Paulo e Eng.º João Pedro Correia I. CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS Coordenação: Prof. F.A. Branco, Prof. Jorge de Brito, Eng.º Pedro Vaz Paulo e Eng.º João Pedro Correia 1/70 5. FASES CONSTRUTIVAS estrutura pórtico sapatas vigas de fundação

Leia mais

NOÇÕES ESTRUTURAIS. Sistemas Estruturais. Profª Joana Pinheiro

NOÇÕES ESTRUTURAIS. Sistemas Estruturais. Profª Joana Pinheiro NOÇÕES ESTRUTURAIS Sistemas Estruturais Profª Joana Pinheiro Noções estruturais A estrutura é responsável pela sustentação do imóvel. É o sistema que recebe as cargas (peso próprio e adicionais) e às transfere

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DESCRIÇÃO DA OBRA

MEMORIAL DESCRITIVO DESCRIÇÃO DA OBRA MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Rampas para passagem de caminhões de grande porte. Área: 115,20 m² Local: Localidade Boa Vista Saída para Marau (Sede Coleta de Lixo) Contratante: Cia de Desenvolvimento de Passo

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO APRESENTAÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO APRESENTAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO APRESENTAÇÃO As presentes especificações referem-se aos serviços da construção de um pavilhão em concreto pré-moldado. Trata-se de uma cobertura para a quadra de esportes da escola

Leia mais

FQ-01. Fechamento para quadra de esportes. Componentes. Código de listagem. Atenção. Revisão Data Página 1/5 7 18/09/09

FQ-01. Fechamento para quadra de esportes. Componentes. Código de listagem. Atenção. Revisão Data Página 1/5 7 18/09/09 1/5 2/5 3/5 4/5 DESCRIÇÃO Constituintes Fundação em baldrame sobre brocas ou sapatas corridas, conforme as condições do terreno e de acordo com especificação de projeto. Impermeabilização rígida, tipo

Leia mais

Aços Longos. Telas Soldadas Nervuradas

Aços Longos. Telas Soldadas Nervuradas Aços Longos Telas Soldadas Nervuradas Registro Compulsório 272/2011 Telas Soldadas Nervuradas Qualidade As Telas Soldadas Nervuradas da ArcelorMittal são armaduras pré-fabricadas constituídas por fios

Leia mais

PATOLOGIA EM FUNDAÇÕES (RECALQUE)

PATOLOGIA EM FUNDAÇÕES (RECALQUE) PATOLOGIA EM FUNDAÇÕES (RECALQUE) SOLO + ÁGUA + AR + (MAT. ORGÂNICOS) CARGA EXTERNA TODOS SOLOS SE DEFORMAM MÉTODOS DE CÁLCULO CRITÉRIO DE RUPTURA DO SOLO CRITÉRIO DE RECALQUE ADMISSÍVEL MÉTODO / TIPO

Leia mais

Procedimento de Aprovação e Recepção

Procedimento de Aprovação e Recepção Pag. 1 de 7 1. Normas de referência/publicações Regulamento de Fundações, Guia de Dimensionamento de Fundações, Norma de Betões, REBAP, EN 1536:1999, ARP/DEE/001, ARP/DG/11, ARP/DG/13, ARP/DG/14, Code

Leia mais

03/04/2017. Fôrma - é o conjunto de componentes cujas funções principais são:

03/04/2017. Fôrma - é o conjunto de componentes cujas funções principais são: Docente: Me. Thalita Lima Email: thalitaluizalima@gmail.com Cuiabá/MT Abril - 2017 Conceitos: Fôrmas são elementos pertencentes à estrutura, na fase de sua execução, destinados a dar forma definitiva ao

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO TABELAS DE CUSTOS SIN-RN X SINAPI-RN (JAN-2013)

ESTUDO COMPARATIVO TABELAS DE CUSTOS SIN-RN X SINAPI-RN (JAN-2013) CÓDIGO DESCRIÇ CLA UNIDA SS DE QUANT. 01.0 SEVIÇOS PRELIMINARES PREÇO UNIT. S/ BDI (R$) SINAPI 2013 PREÇO TOTAL S/ BDI (R$) SINAP 2013 REFERÊNC IA SINAPI 2013 PREÇO UNIT. S/ BDI (R$) SIN-RN 2013 PREÇO

Leia mais

SISTEMA DE MEDIÇÃO OBRAS CIVIS DA LINHA 4 GCC/CEC

SISTEMA DE MEDIÇÃO OBRAS CIVIS DA LINHA 4 GCC/CEC SISTEMA DE MEDIÇÃO DAS OBRAS CIVIS DA LINHA 4 O que é o Sistema de Medição da Linha 4? São as regras estabelecidas pelo Metrô para a medição e o pagamento das obras civis, de acordo com o modelo de contratação

Leia mais

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO MESTRADO INTEGRADO EM ARQUITECTURA TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 2º Semestre 2014/2015 A CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS Construção de Obras Públicas - Obras de Arte, Viadutos, Túneis, Ferrovias,

Leia mais

ESCORAMENTO SISTEMA DE ESCORAMENTO METÁLICO PARA LAJES E VIGAS.

ESCORAMENTO SISTEMA DE ESCORAMENTO METÁLICO PARA LAJES E VIGAS. ESCORAMENTO SISTEMA DE ESCORAMENTO METÁLICO PARA LAJES E VIGAS. ESCORAMENTO MECAN Pela facilidade de montagem e versatilidade, o escoramento metálico Mecan permite montagens rápidas e seguras, proporcionando

Leia mais

TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES. Prof. Lucas HP Silva

TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES. Prof. Lucas HP Silva TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES Prof. Lucas HP Silva 1 TCCC1 TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL 1 Prof. Lucas HP Silva 2 Uma estrutura compõe-se de 3 etapas: FORMAS ARMAÇÃO CONCRETAGEM 3 ELEMENTOS DE CONCRETO ARMADO

Leia mais

Painéis de Concreto Armado

Painéis de Concreto Armado CONCEITO É constituído por painéis estruturais pré-moldados maciços de concreto armado e pelas ligações entre eles. Destina-se à construção de paredes de edifícios habitacionais de até 5 pavimentos. A

Leia mais

R.T. Eng. Geotécnico Prof. Edgar Pereira Filho CORTINAS DE CONTENÇÃO

R.T. Eng. Geotécnico Prof. Edgar Pereira Filho CORTINAS DE CONTENÇÃO CORTINAS DE CONTENÇÃO RESUMO Neste breve artigo apresentamos as principais características executivas de estruturas de contenção em cortina de estacas. São abordados os tipos de estacas, métodos executivos

Leia mais

MICROESTACAS INJETADAS E ESTACAS TIPO FRANKI

MICROESTACAS INJETADAS E ESTACAS TIPO FRANKI MICROESTACAS INJETADAS E ESTACAS TIPO FRANKI Componentes: Admilton Souza Santos Brenda Porto Elizangela Lima Mello Rafael Pedro de Sousa Silva Uaran Domingues Gusmão Valdemar Alves da Silva Júnior Vanessa

Leia mais

ENG2332 CONSTRUÇÃO CIVIL I

ENG2332 CONSTRUÇÃO CIVIL I ENG2332 CONSTRUÇÃO CIVIL I Prof. Eng Civil Bruno Rocha Cardoso Aula 05 06: Movimentação de Terra, Contenções e Canteiro 24/02/2015 FATORES QUE INFLUENCIAM O PROJETO DO MOVIMENTO DE TERRA Sondagem do terreno:

Leia mais

Introdução vigas mesas. comportamento laje maciça grelha.

Introdução vigas mesas. comportamento laje maciça grelha. Introdução - Uma laje nervurada é constituida de por um conjunto de vigas que se cruzam, solidarizadas pelas mesas. - Esse elemento estrutural terá comportamento intermediário entre o de laje maciça e

Leia mais

Geotecnia de Fundações TC 041

Geotecnia de Fundações TC 041 Geotecnia de Fundações TC 041 Curso de Engenharia Civil 8º Semestre Vítor Pereira Faro vpfaro@ufpr.br Agosto 2017 ESTUDO DE FUNDAÇÕES FUNDAÇÃO é um elemento de transição entre Estrutura e Solo Engenharia

Leia mais

RETIRADA DE TIRANTES COM INTERFERÊNCIA NO TRAÇADO DO TÚNEL

RETIRADA DE TIRANTES COM INTERFERÊNCIA NO TRAÇADO DO TÚNEL RETIRADA DE TIRANTES COM INTERFERÊNCIA NO TRAÇADO DO TÚNEL Eng.º Waldir Giannotti Eng.º Sérgio Leme Eng.º Thiago Pires 20ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA AEAMESP TRABALHO ESTE TRABALHO FOI SELECIONADO

Leia mais

AULA 03: ASPECTOS RELEVANTES SOBRE A EXECUÇÃO DAS FUNDAÇÕES

AULA 03: ASPECTOS RELEVANTES SOBRE A EXECUÇÃO DAS FUNDAÇÕES UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI INSTITUTO DE CIÊNCIA, ENGENHARIA E TECNOLOGIA ENGENHARIA CIVIL ECV 114 FUNDAÇÕES E OBRAS DE TERRA AULA 03: ASPECTOS RELEVANTES SOBRE A EXECUÇÃO

Leia mais