REGULAMENTO DA LETRA DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO ( LCA ) DE EMISSÃO DO BANCO ALFA DE INVESTIMENTO S.A.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO DA LETRA DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO ( LCA ) DE EMISSÃO DO BANCO ALFA DE INVESTIMENTO S.A."

Transcrição

1 REGULAMENTO DA LETRA DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO ( LCA ) DE EMISSÃO DO BANCO ALFA DE INVESTIMENTO S.A. O BANCO ALFA DE INVESTIMENTO S.A, inscrito no CNPJ/MF sob nº / , com sede na Cidade de São Paulo SP, na Al. Santos, n 466, 4 andar, Cerqueira Cesar, doravante denominado ALFA, institui o presente regulamento ( Regulamento ) para estabelecer as condições para a emissão e realização de negócios, tendo como objeto a LCA. 1. DEFINIÇÃO 1.1. A LCA é um título de crédito nominativo, criado pela Lei /2004, que somente pode ser emitido por instituições financeiras públicas ou privadas, representa promessa de pagamento em dinheiro por parte do emitente, e constitui título executivo extrajudicial Sua emissão está condicionada à existência de lastro em poder do Emitente. Como lastro entende-se os direitos creditórios vinculados aos negócios realizados entre produtores rurais, suas cooperativas, e terceiros, inclusive empréstimos e financiamentos relacionados com a produção, comercialização, beneficiamento ou industrialização de produtos ou insumos agropecuários ou de máquinas e implementos utilizados na atividade agropecuária Ao comprador da LCA é conferido legalmente o direito de penhor sobre os títulos e/ou direitos creditórios a ela vinculados, independentemente do registro da LCA em cartório, e sem a necessidade de notificação ao devedor dos direitos creditórios vinculados à LCA. Apenas os títulos representativos dos direitos creditórios vinculados à LCA como lastro deverão ser registrados em cartório para conferir validade às garantias constituídas em face de terceiros Na hipótese de ser permitida a venda fracionada de uma mesma LCA, para mais de um comprador, o direito de penhor de que trata o subitem anterior será exercido sobre a fração ideal do conjunto de direitos creditórios (lastro), de forma proporcional A substituição dos títulos e/ou dos direitos creditórios vinculados à LCA importará extinção do penhor dos direitos substituídos, de forma que o penhor passe a recair automaticamente sobre os direitos dados em substituição Os direitos creditórios vinculados com lastro da LCA gozam de privilégio legal, não podendo ser penhorados, sequestrados ou arrestados para responder por outras dívidas do emitente da LCA, cabendo ao emitente informar ao juízo que tenha determinado tal medida, a respeito da vinculação desses direitos, sob pena de responder pelos prejuízos decorrentes do descumprimento dessa obrigação O comprador concorda com a substituição, por iniciativa do emitente, dos direitos creditórios vinculados à LCA, por outros do mesmo tipo, desde que permaneçam vinculados em valor suficiente para cobertura do seu valor de resgate. 1

2 1.8. A LCA é garantida pelo Fundo Garantidor de Créditos até o valor de ,00 (duzentos e cinquenta mil reais) por comprador, independentemente do valor total da aplicação. 2. FORMA DE EMISSÃO DA LCA 2.1. A LCA poderá ser emitida de forma cartular (em papel, com assinatura dos representantes legais do emitente), conforme Anexo I ou II, ou de forma escritural (sem emissão em papel) Quando emitida em papel, a LCA deverá conter os seguintes dados lançados em seu contexto: a) denominação Letra de Crédito do Agronegócio ; b) nome do titular a favor de quem é emitida, com a cláusula à ordem, exceto se escritural; c) nome do Banco emitente e as assinaturas de seus representantes legais; d) valor nominal; e) taxa de juros, podendo ser fixa ou flutuante; f) número de ordem, o local e data de emissão e de vencimento; e g) relação dos direitos creditórios usados como lastro, o que pode ser feita em documento à parte, exceto se a LCA for escritural. 3. REGISTRO 3.1. A LCA emitida sob a forma escritural, assim como os títulos representativos dos direitos creditórios a ela vinculados, serão obrigatoriamente registrados em sistemas de registro e liquidação financeira de ativos autorizados pelo Banco Central do Brasil A LCA, assim como os direitos creditórios a ela vinculados, serão registrados na CETIP, permanecendo a custódia física dos títulos representativos dos direitos creditórios a cargo do ALFA Quando se tratar de LCA de emissão escritural, apenas os títulos representativos dos direitos creditórios vinculados à LCA permanecerão em custódia no ALFA, e serão registrados na CETIP Os títulos representativos dos direitos creditórios vinculados à LCA, que contiverem garantias, deverão ser registrados em Cartório e em Sistema de Registro e de Liquidação Financeira autorizado pelo Banco Central, por força da Lei / Os direitos creditórios vinculados à LCA escritural serão identificados mediante vinculação dos respectivos números de registro desses títulos na CETIP à respectiva LCA, também mediante registro na CETIP. 4. ADESÃO 4.1. Os interessados em comprar LCA emitida pelo ALFA deverão aderir a este Regulamento e aceitar todas as condições aqui estipuladas, mediante Termo de Adesão específico, firmado em duas vias, na forma do Anexo III ao presente Regulamento Uma vez formalizada a adesão a este Regulamento, todas as operações que vierem a ser realizadas com LCA de emissão do ALFA ficarão subordinadas às condições deste Regulamento. Havendo alteração deste Regulamento, toda e qualquer modificação somente será aplicável às negociações ocorridas a partir dessas alterações. 2

3 5. OPERAÇÃO DE COMPRA E RESGATE DA LCA 5.1. Uma vez ajustadas as condições da compra da LCA, e desde que os recursos necessários ao pagamento de seu preço estejam disponíveis em conta corrente de titularidade do comprador, o ALFA emitirá nota de negociação ou a própria LCA, conforme ajustado na negociação com o comprador, e promoverá simultaneamente a emissão e registro da LCA e respectivos direitos creditórios a ela vinculados junto à CETIP, bem como emitirá e fornecerá ao comprador a correspondente nota de negociação, contendo todos os requisitos necessários à identificação da LCA O ALFA poderá, a qualquer momento, antes do vencimento da LCA, recomprá-la, ficando o comprador, desde já, obrigado a revendê-la. Neste caso, o ALFA pagará ao comprador os juros convencionados na LCA, devidos até a data da recompra Por ocasião do resgate da LCA, o ALFA promoverá a retenção e recolhimento dos impostos incidentes, conforme legislação em vigor. 6. DEMAIS DISPOSIÇÕES 6.1. Ao aderir a este Regulamento, o comprador da LCA, bem como qualquer interveniente em operações com esse título, concordará que o ALFA poderá substituir os títulos representativos dos direitos creditórios vinculados à LCA, independentemente de qualquer formalidade, com a condição de que o ALFA assuma o compromisso de manter vinculados outros direitos com as mesmas características em valor suficiente para a cobertura do valor de resgate da LCA Este Regulamento foi microfilmado e registrado sob nº , 07 de Abril de 2014, no 9º Oficial de Registro de Títulos e Documentos de São Paulo SP, localizado na Rua Boa Vista, 314 2º andar O ALFA poderá a qualquer momento alterar as condições deste Regulamento, dando publicidade em seu site bem como mediante averbação junto ao 9º Ofício de Registro de Títulos e Documentos de São Paulo SP, localizado na Rua Boa Vista, 314 2º andar. Tais alterações, todavia, somente serão aplicáveis às LCA emitidas a partir da data dessas alterações Caso algum comprador de LCA venha a discordar dos termos das alterações deste Regulamento deverá fazê-lo de forma expressa. São Paulo, de de BANCO ALFA DE INVESTIMENTO S.A. Banco Alfa de Investimento S.A Al. Santos, 466 São Paulo SP CEP SAC: Ouvidoria: Exclusivo para Deficientes Auditivos SAC: Ouvidoria:

4 ANEXO I LETRA DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO LCA Emitente: BANCO ALFA DE INVESTIMENTO S.A. Quadro I Número: 01 Titular 02 Local de Emissão São Paulo - SP 03 Data de emissão 04 Data de vencimento Final 05 Valor nominal na data de emissão () 06 Taxa de Juros 07 Condições de Pagamento Conforme descrito no Quadro II 08 Condições de recompra O ALFA poderá, a qualquer momento, antes do vencimento da LCA, recomprá-la, ficando o comprador, desde já, obrigado a revendê-la. Neste caso, o ALFA pagará ao comprador os juros devidos até a data da recompra. 09 Registro do Lastro CETIP S/A - Balcão Organizado de Ativos e Derivativos 10 Número do Lastro na CETIP 11 Custódia do Lastro Banco Alfa de Investimento S.A. Quadro II Condições de pagamento 01. Prazo: dias 02. Quantidade de parcelas: 03. Prazo de liquidação em conta corrente: Em até 5 dias da data de solicitação do resgate, limitado a 60 dias de antecedência ao vencimento indicado no item 01 do Quadro II. 04. Valor e vencimento das parcelas de Principal Quadro III Relação dos direitos creditórios que servem de lastro para esta LCA Tipo Registro CETIP Valor () BANCO ALFA DE INVESTIMENTO S.A, instituição financeira, com sede na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Alameda Santos, n 466, 4 andar, Cerqueira Cesar, inscrito no CNPJ/ MF sob 4

5 o n / , na qualidade de EMITENTE, obriga-se, em caráter irrevogável e irretratável, a pagar por esta Letra de Crédito do Agronegócio LCA, ao seu titular identificado no Quadro I, ou à sua ordem, em moeda corrente nacional, nas respectivas datas de pagamento, os valores das parcelas descritas no Quadro II. Ao valor de cada uma das parcelas de Principal, descritas no Quadro II, serão acrescidos juros com base na base na taxa indicada no Quadro I. Esta LCA garante o direito de Penhor sobre os direitos creditórios a ela vinculados, cujos títulos representativos encontram-se descritos e caracterizados no Quadro III, sujeitando-se, ainda, aos termos da Lei /2004 e do Regulamento da Letra de Crédito do Agronegócio do Banco Alfa de Investimento S.A, microfilmado e registrado sob nº , em 07 de Abril de 2014, no 9º Oficial de Registro de Títulos e Documentos de São Paulo SP, localizado na Rua Boa Vista, 314 2º andar. Os pagamentos devidos por força desta LCA serão efetuados mediante crédito na conta corrente que vier a ser indicada pelo seu titular, por ocasião da compra. BANCO ALFA DE INVESTIMENTO S.A. Banco Alfa de Investimento S.A Al. Santos, 466 São Paulo SP CEP SAC: Ouvidoria: Exclusivo para Deficientes Auditivos SAC: Ouvidoria:

6 ANEXO II LETRA DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO LCA Emitente: BANCO ALFA DE INVESTIMENTO S.A. Quadro I Número: 01 Titular 02 Local de Emissão São Paulo - SP 03 Data de emissão 04 Data de vencimento Final 05 Valor nominal na data de emissão () 06 Taxa de Juros 07 Condições de Pagamento Conforme descrito no Quadro II 08 Condições de recompra O ALFA poderá, a qualquer momento, antes do vencimento da LCA, recomprá-la, ficando o comprador, desde já, obrigado a revendê-la. Neste caso, o ALFA pagará ao comprador os juros devidos até a data da recompra. 09 Registro do Lastro CETIP S/A - Balcão Organizado de Ativos e Derivativos 10 Número do Lastro na CETIP 11 Custódia do Lastro Banco Alfa de Investimento S.A. Quadro II Condições de pagamento 01. Prazo: dias 02. Quantidade de parcelas: 03. Valor e vencimento das parcelas de Principal Quadro III Relação dos direitos creditórios que servem de lastro para esta LCA Tipo Registro CETIP Valor () BANCO ALFA DE INVESTIMENTO S.A, instituição financeira, com sede na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Alameda Santos, n 466, 4 andar, Cerqueira Cesar, inscrito no CNPJ/ MF sob o n / , na qualidade de EMITENTE, obriga-se, em caráter irrevogável e irretratável, a pagar por esta Letra de Crédito do Agronegócio LCA, ao seu titular identificado no Quadro I, ou à 6

7 sua ordem, em moeda corrente nacional, nas respectivas datas de pagamento, os valores das parcelas descritas no Quadro II. Ao valor de cada uma das parcelas de Principal, descritas no Quadro II, serão acrescidos juros com base na base na taxa indicada no Quadro I. Esta LCA garante o direito de Penhor sobre os direitos creditórios a ela vinculados, cujos títulos representativos encontram-se descritos e caracterizados no Quadro III, sujeitando-se, ainda, aos termos da Lei /2004 e do Regulamento da Letra de Crédito do Agronegócio do Banco Alfa de Investimento S.A, microfilmado e registrado sob nº , em 07 de Abril de 2014, no 9º Oficial de Registro de Títulos e Documentos de São Paulo SP, localizado na Rua Boa Vista, 314 2º andar. Os pagamentos devidos por força desta LCA serão efetuados mediante crédito na conta corrente que vier a ser indicada pelo seu titular, por ocasião da compra. BANCO ALFA DE INVESTIMENTO S.A. Banco Alfa de Investimento S.A Al. Santos, 466 São Paulo SP CEP SAC: Ouvidoria: Exclusivo para Deficientes Auditivos SAC: Ouvidoria:

8 ANEXO III TERMO DE ADESÃO AO REGULAMENTO DA LCA LETRA DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO DO BANCO ALFA DE INVESTIMENTO S.A. Cliente Razão Social / Nome: CNPJ / CPF: Endereço: CEP: Cidade/UF: Endereço Eletrônico ( ) Conta Corrente Por este Termo, manifesto(amos) expressamente a adesão ao Regulamento da LCA Letra de Crédito do Agronegócio de emissão do BANCO ALFA DE INVESTIMENTO S.A, do qual declaro(amos) ter recebido um exemplar, lido, entendido e aceitado todos os seus termos e condições, e que o referido Regulamento encontra-se disponível no site do ALFA e microfilmado e registrado sob nº , em 07 de Abril de 2014, no 9º Oficial de Registro de Títulos e Documentos de São Paulo SP, localizado na Rua Boa Vista, 314 2º andar., de de 8

1.3. Ao comprador da LCI é conferido direito de crédito pelo valor nominal, juros e, se for o caso, atualização monetária.

1.3. Ao comprador da LCI é conferido direito de crédito pelo valor nominal, juros e, se for o caso, atualização monetária. REGULAMENTO DA LETRA DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ( LCI ) DE EMISSÃO DO BANCO ALFA DE INVESTIMENTO S.A. O BANCO ALFA DE INVESTIMENTO S.A, inscrito no CNPJ/MF sob nº 60.770.336/0001-65, com sede na Cidade de

Leia mais

REGULAMENTO APLICÁVEL ÀS LETRAS DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO

REGULAMENTO APLICÁVEL ÀS LETRAS DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO REGULAMENTO APLICÁVEL ÀS LETRAS DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO BANCO CRUZEIRO DO SUL S.A., instituição financeira com sede na Cidade e Estado de São Paulo, na Rua Funchal, nº 418, 7º a 9º andares, Vila Olímpia,

Leia mais

COMO UTILIZAR OS TÍTULOS DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO PARA ORIGINAR OPERAÇÕES NOS DIVERSOS SEGMENTOS - CDCA E CRA RENATO BURANELLO

COMO UTILIZAR OS TÍTULOS DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO PARA ORIGINAR OPERAÇÕES NOS DIVERSOS SEGMENTOS - CDCA E CRA RENATO BURANELLO COMO UTILIZAR OS TÍTULOS DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO PARA ORIGINAR OPERAÇÕES NOS DIVERSOS SEGMENTOS - CDCA E CRA RENATO BURANELLO RENATO BURANELLO Doutor e Mestre em Direito Comercial pela Pontifícia Universidade

Leia mais

Renda Fixa. Letra de Crédito do Agronegócio

Renda Fixa. Letra de Crédito do Agronegócio Renda Fixa Letra de Crédito do Agronegócio Letra de Crédito do Agronegócio Diversifique sua carteira de investimentos e obtenha mais rentabilidade O produto Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) é um título

Leia mais

NOVO PORTABILIDADE REFIN

NOVO PORTABILIDADE REFIN CHECK LIST - FÍSICOS INSS - BGN NOVO PORTABILIDADE REFIN CTT IMPRESSO DO SITE DA CRÉDITO BRASILEIRO (COMPLETO) CTT IMPRESSO DO SITE DA CRÉDITO BRASILEIRO (COMPLETO) CTT IMPRESSO DO SITE DA CRÉDITO BRASILEIRO

Leia mais

Manual de Normas Contrato Mercantil

Manual de Normas Contrato Mercantil Versão: 23/11/2015 Documento Público 2 / 8 MANUAL DE NORMAS CONTRATO MERCANTIL SÚMÁRIO CAPÍTULO I DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES DISPONIBILIZADAS PELA CETIP 4 CAPÍTULO III DOS PARTICIPANTES 4

Leia mais

MANUAL DE NORMAS LF LETRA FINANCEIRA OBJETO DE NEGOCIAÇÃO PRIVADA

MANUAL DE NORMAS LF LETRA FINANCEIRA OBJETO DE NEGOCIAÇÃO PRIVADA MANUAL DE NORMAS LF LETRA FINANCEIRA OBJETO DE NEGOCIAÇÃO PRIVADA VERSÃO: 16/03/2012 2/10 MANUAL DE NORMAS LF LETRA FINANCEIRA OBJETO DE NEGOCIAÇÃO PRIVADA ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO

Leia mais

Uma Corretora que tenha firmado um Contrato de Agente Autorizado com a Administradora.

Uma Corretora que tenha firmado um Contrato de Agente Autorizado com a Administradora. GLOSSÁRIO Administradora Citibank Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Agente Autorizado Uma Corretora que tenha firmado um Contrato de Agente Autorizado com a Administradora. Ativos do

Leia mais

ANEXO II. Da Instrução CVM Nº 404, de 13 de fevereiro de Rendimento pelo IGP-M + Juros

ANEXO II. Da Instrução CVM Nº 404, de 13 de fevereiro de Rendimento pelo IGP-M + Juros ANEXO II Da Instrução CVM Nº 404, de 13 de fevereiro de 2004 Rendimento pelo IGP-M + Juros TERMO DE ADITAMENTO À ESCRITURA DA [N.º de ordem da emissão] EMISSÃO DE DEBÊNTURES SIMPLES DA [Nome da Companhia

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE APLICAÇÃO E TERMO DE ADESÃO AO ITAÚ PERSONNALITE PETROBRAS FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS CNPJ/MF N.º

SOLICITAÇÃO DE APLICAÇÃO E TERMO DE ADESÃO AO ITAÚ PERSONNALITE PETROBRAS FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS CNPJ/MF N.º SOLICITAÇÃO DE APLICAÇÃO E TERMO DE ADESÃO AO ITAÚ PERSONNALITE PETROBRAS FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS CNPJ/MF N.º 03.859.784/0001-04 INVESTIDOR 1- Nome completo 2- Documento de Identidade 3- Órgão

Leia mais

MANUAL DE NORMAS LCA, CDCA E CRA

MANUAL DE NORMAS LCA, CDCA E CRA MANUAL DE NORMAS LCA, CDCA E CRA VERSÃO: 01/7/2008 2 / 10 MANUAL DE NORMAS LCA - LETRA DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO, CDCA CERTIFICADO DE DIREITOS CREDITÓRIOS DO AGRONEGÓCIO E CRA - CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS

Leia mais

Certificados de Crédito Cooperativo (CCC)

Certificados de Crédito Cooperativo (CCC) Certificados de Crédito Cooperativo (CCC) Conceito: título de crédito nominativo, transferível e de livre negociação, que representa promessa de pagamento em dinheiro e constitui título executivo extrajudicial.

Leia mais

Condições Gerais do Programa PRAVALER CONDIÇÕES GERAIS DO PROGRAMA PRAVALER

Condições Gerais do Programa PRAVALER CONDIÇÕES GERAIS DO PROGRAMA PRAVALER CONDIÇÕES GERAIS DO PROGRAMA IDEAL INVEST S.A., pessoa jurídica de direito privado, estabelecida na cidade São Paulo, com sede na Rua dos Pinheiros, nº 870, 4º andar, CEP 05422-001, inscrita no CNPJ n.º

Leia mais

como emissora e ofertante das debêntures objeto deste Aditamento ( Debêntures ):

como emissora e ofertante das debêntures objeto deste Aditamento ( Debêntures ): PRIMEIRO ADITAMENTO AO INSTRUMENTO PARTICULAR DE ESCRITURA DA 4ª (QUARTA) EMISSÃO DE DEBÊNTURES SIMPLES, NÃO CONVERSÍVEIS EM AÇÕES, EM SÉRIE ÚNICA, DA ESPÉCIE QUIROGRAFÁRIA, PARA DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA COM

Leia mais

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO/GO /032

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO/GO /032 RCA nº 2011/032 RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO/GO - 2011/032 Dispõe e regulamenta a concessão aos associados de resgates programados de quotas de capital social, através do Plano Especial de Integralização

Leia mais

CARTA CIRCULAR N.º 170

CARTA CIRCULAR N.º 170 CARTA CIRCULAR N.º 170 Aos Participantes dos Sistema Nacional de Debêntures SND, Sistema de Letras Hipotecárias SLH e Sistema de Notas Promissórias Nota. A Central de Custódia e de Liquidação Financeira

Leia mais

CORAL FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS MULTISETORIAL CNPJ/MF: / Fundo BOLETIM DE SUBSCRIÇÃO DA SÉRIE ÚNICA DE QUOTAS

CORAL FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS MULTISETORIAL CNPJ/MF: / Fundo BOLETIM DE SUBSCRIÇÃO DA SÉRIE ÚNICA DE QUOTAS CORAL FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS MULTISETORIAL CNPJ/MF: 11.351.413/0001-37 Fundo BOLETIM DE SUBSCRIÇÃO DA SÉRIE ÚNICA DE QUOTAS CARACTERÍSTICAS DA EMISSÃO 1. O Fundo é constituído sob

Leia mais

28/11/2016. Instrumentos Financeiros de Renda Fixa. Mercado Financeiro I RCC Títulos Agropecuários. Agenda da Aula Títulos Agropecuários

28/11/2016. Instrumentos Financeiros de Renda Fixa. Mercado Financeiro I RCC Títulos Agropecuários. Agenda da Aula Títulos Agropecuários Carlos R. Godoy 1 Universidade de ão Paulo Carlos R. Godoy 2 Mercado Financeiro I RCC 0407 Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Ribeirão Preto Mercado Financeiro I RCC 0407 Instrumentos

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DE GARANTIA DE PENHOR DE DIREITOS. Quadro Resumo

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DE GARANTIA DE PENHOR DE DIREITOS. Quadro Resumo INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DE GARANTIA DE PENHOR DE DIREITOS Quadro Resumo BANCO CNPJ /MF Banco Bradesco S.A. 60.746.948/0001 12 Sede Cidade de Deus, Município e Comarca de Osasco, Estado de

Leia mais

TERMO DE ADESÃO CARTÃO DE CRÉDITO BONSUCESSO*

TERMO DE ADESÃO CARTÃO DE CRÉDITO BONSUCESSO* TERMO DE ADESÃO CARTÃO DE CRÉDITO BONSUCESSO* Nº da Proposta: Nº Regulamento: Local e Data: A - DADOS DO CLIENTE Data de Nascimento: Benefício/Matrícula: Convênio: Identidade: Data de Emissão: Órgão Emissor:

Leia mais

BB Crédito Imobiliário

BB Crédito Imobiliário Selecione a Linha de Crédito Aquisição PF PMCMV Aquisição PF PMCMV Convênios Aquisição PF FGTS Pró-Cotista Aquisição FGTS PF Aquisição PF FGTS Convênios Dados da Agência acolhedora / condutora da Operação

Leia mais

Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Banco Liquidante SELIC

Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Banco Liquidante SELIC Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Banco Liquidante SELIC CONTA CORRENTE (uso exclusivo do banco) Razão Social do Titular

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE ALTERAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DO REGULAMENTO DO GLOBAL EQUITY PROPERTIES INTERNATIONAL FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES

INSTRUMENTO PARTICULAR DE ALTERAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DO REGULAMENTO DO GLOBAL EQUITY PROPERTIES INTERNATIONAL FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES INSTRUMENTO PARTICULAR DE ALTERAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DO REGULAMENTO DO GLOBAL EQUITY PROPERTIES INTERNATIONAL FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES CNPJ/MF nº 17.768.865/0001-03 CITIBANK DISTRIBUIDORA DE

Leia mais

ANEXO I - REGULAMENTO PROGRAMA DE FIDELIDADE CARTÃO PERNAMBUCANAS MASTERCARD GOLD

ANEXO I - REGULAMENTO PROGRAMA DE FIDELIDADE CARTÃO PERNAMBUCANAS MASTERCARD GOLD ANEXO I - REGULAMENTO PROGRAMA DE FIDELIDADE CARTÃO PERNAMBUCANAS MASTERCARD GOLD 1. DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1. Este instrumento é parte integrante do Contrato de Prestação de Serviços de Emissão e Administração

Leia mais

Manual de Normas Letra Financeira

Manual de Normas Letra Financeira Versão: 27/07/2015 Documento Público 2 / 10 MANUAL DE NORMAS LETRA FINANCEIRA SUMÁRIO CAPÍTULO I DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO II DOS PARTICIPANTES 4 Seção I Do Registrador de 4 Seção II Das atribuições do Emissor

Leia mais

CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL PRÉ-APROVADO

CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL PRÉ-APROVADO CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL PRÉ-APROVADO Por este instrumento e na melhor forma de direito, a COOPERATIVA, doravante designada simplesmente COOPERATIVA, neste ato devidamente representada na forma de seu

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS E BANCOS E SERVIÇOS FINANCEIROS

MERCADO DE CAPITAIS E BANCOS E SERVIÇOS FINANCEIROS MERCADO DE CAPITAIS E BANCOS E SERVIÇOS FINANCEIROS 21/2/2017 BANCO CENTRAL SUBMETE À CONSULTA PÚBLICA MINUTA DE RESOLUÇÃO QUE DISPÕE SOBRE A EMISSÃO DE LETRA IMOBILIÁRIA GARANTIDA (LIG) No dia 30 de janeiro

Leia mais

Cheque administrativo ou cheque bancário ou cheque tesouraria (art.9º, III)

Cheque administrativo ou cheque bancário ou cheque tesouraria (art.9º, III) 1 Títulos de Crédito Sala 207 UNIP Títulos de Crédito VIII 29 de outubro Modalidades de Cheque Cheque visado (art.7º) - é o cheque em que o banco sacado a pedido do emitente ou do portador legitimado,

Leia mais

Sumário Executivo do Contrato de Cartão de Crédito

Sumário Executivo do Contrato de Cartão de Crédito Sumário Executivo do Contrato de Cartão de Crédito O Personnalité, sempre preocupado em manter a total transparência com você, preparou um resumo do contrato do seu cartão. Lembre que este é apenas um

Leia mais

MANUAL DE NORMAS MÓDULO DE CCR CÉDULA DE CRÉDITO RURAL

MANUAL DE NORMAS MÓDULO DE CCR CÉDULA DE CRÉDITO RURAL MANUAL DE NORMAS MÓDULO DE CÉDULA DE CRÉDITO RURAL VERSÃO: 24/10/2011 2 / 12 MANUAL DE NORMAS CÉDULA DE CRÉDITO RURAL ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO TERCEIRO

Leia mais

CAPRICORNIO TÊXTIL S.A. 1ª Emissão de Debêntures. 1ª, 2ª, 3ª e 4ª Séries. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016

CAPRICORNIO TÊXTIL S.A. 1ª Emissão de Debêntures. 1ª, 2ª, 3ª e 4ª Séries. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016 CAPRICORNIO TÊXTIL S.A. 1ª Emissão de Debêntures 1ª, 2ª, 3ª e 4ª Séries Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES) ESCRITURADOR LIQUIDANTE

Leia mais

Página 1 de 5 Termos e Condições de Adesão Código da Carne

Página 1 de 5 Termos e Condições de Adesão Código da Carne Termos e Condições de Adesão ao Código da Carne Registrado no Cartório Losi 1º Oficio de Títulos e Documentos Londrina - Paraná, na cidade de Londrina, em data 15/09/2015, digitalizado sob nº 362252 e

Leia mais

CITIBANK DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A.

CITIBANK DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. INSTRUMENTO PARTICULAR DE ALTERAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DO REGULAMENTO DO BTG PACTUAL BRASIL SHOPPING MALLS FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES CNPJ/MF nº 14.783.192/0001-64

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O PROCEDIMENTO DE ENDOSSO DE TÍTULO/VALOR MOBILIÁRIO DE EMISSÃO CARTULAR, QUE CIRCULE POR MEIO DE ENDOSSO

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O PROCEDIMENTO DE ENDOSSO DE TÍTULO/VALOR MOBILIÁRIO DE EMISSÃO CARTULAR, QUE CIRCULE POR MEIO DE ENDOSSO Página 1 de 10 PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O PROCEDIMENTO DE ENDOSSO DE TÍTULO/VALOR MOBILIÁRIO DE EMISSÃO CARTULAR, QUE CIRCULE POR MEIO DE ENDOSSO O presente material foi elaborado pela Cetip S.A. Mercados

Leia mais

Pelo presente instrumento particular, de um lado, como emissora:

Pelo presente instrumento particular, de um lado, como emissora: PRIMEIRO ADITAMENTO AO INSTRUMENTO PARTICULAR DE ESCRITURA DA 1ª EMISSÃO PRIVADA DE DEBÊNTURES CONVERSÍVEIS EM AÇÕES, EM SÉRIE ÚNICA, DA ESPÉCIE SUBORDINADA, DA HRT PARTICIPAÇÕES EM PETRÓLEO S.A. Pelo

Leia mais

GRADUAL MULTIESTRATÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO (Administrado pela Gradual C.C.T.V.M. S/A)

GRADUAL MULTIESTRATÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO (Administrado pela Gradual C.C.T.V.M. S/A) (Administrado pela Gradual C.C.T.V.M. S/A) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA O EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Valores em R$ mil, exceto o valor unitário das cotas) 1.

Leia mais

MANUAL DE NORMAS LCA LETRA DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO

MANUAL DE NORMAS LCA LETRA DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO MANUAL DE NORMAS LETRA DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO VERSÃO: 01/7/2009 MANUAL DE NORMAS LETRA DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO 01/7/2009 2 / 14 ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES

Leia mais

MANUAL DE NORMAS TERMO DE MOEDA

MANUAL DE NORMAS TERMO DE MOEDA MANUAL DE NORMAS TERMO DE MOEDA VERSÃO: 23/05/2011 2/10 MANUAL DE NORMAS TERMO DE MOEDA ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO TERCEIRO DOS PARTICIPANTES 6 CAPÍTULO

Leia mais

Morgan Stanley CERTIFICADO DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) CESTA DE ATIVOS OFFSHORE (AAPL, FB E NFLX) COM AUTOCALL.

Morgan Stanley CERTIFICADO DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) CESTA DE ATIVOS OFFSHORE (AAPL, FB E NFLX) COM AUTOCALL. CERTIFICADO DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) CESTA DE ATIVOS OFFSHORE (AAPL, FB E NFLX) COM AUTOCALL Características Emissor: Banco Morgan Stanley SA (CNPJ: 02.801.938/0001-36) Volume Mínimo de Captação:

Leia mais

FUNDAÇÃO SEN. JOSÉ ERMÍRIO DE MORAES. Regulamento do Empréstimo FUNSEJEM

FUNDAÇÃO SEN. JOSÉ ERMÍRIO DE MORAES. Regulamento do Empréstimo FUNSEJEM FUNDAÇÃO SEN. JOSÉ ERMÍRIO DE MORAES Regulamento do Empréstimo FUNSEJEM 2015 SUMÁRIO CAPÍTULO I - DA FINALIDADE...3 CAPÍTULO II - DOS PARTICIPANTES...3 CAPÍTULO III - DOS LIMITES INDIVIDUAIS...3 CAPÍTULO

Leia mais

IX Contratos de Assunção de Obrigações

IX Contratos de Assunção de Obrigações CIRCULAR 3.427 Dispõe sobre o recolhimento compulsório e o encaixe obrigatório sobre recursos a prazo de que trata a Circular nº 3.091, de 1º de março de 2002. A Diretoria Colegiada do Banco Central do

Leia mais

Relação Mínima Patrimônio Líquido / Cotas Seniores P.L. Cotas Seniores R$

Relação Mínima Patrimônio Líquido / Cotas Seniores P.L. Cotas Seniores R$ Rio de Janeiro (RJ), 11 de agosto de 2016. À Comissão de Valores Mobiliários CVM Gerência de Registros III Ref.: Relatório Trimestral período encerrado em 30 de junho de 2016. Prezados Senhores, Em conformidade

Leia mais

MANUAL DE NORMAS MÓDULO DE MANUTENÇÃO DE GARANTIAS - ATIVOS REGISTRADOS NA CETIP MMG-CETIP

MANUAL DE NORMAS MÓDULO DE MANUTENÇÃO DE GARANTIAS - ATIVOS REGISTRADOS NA CETIP MMG-CETIP MANUAL DE NORMAS MÓDULO DE MANUTENÇÃO DE GARANTIAS - ATIVOS REGISTRADOS NA CETIP VERSÃO: 06/09/2011 MANUAL DE NORMAS MÓDULO DE MANUTENÇÃO DE GARANTIAS ATIVOS REGISTRADOS NA CETIP MMG - CETIP ÍNDICE 06/09/2011

Leia mais

4. COMPOSIÇÃO DA MESA: Presidente: Milton Scatolini Menten; Secretário: Claudia Orenga Frizatti.

4. COMPOSIÇÃO DA MESA: Presidente: Milton Scatolini Menten; Secretário: Claudia Orenga Frizatti. ATA DE ASSEMBLEIA GERAL DE TITULARES DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS DO AGRONEGÓCIO DA 48ª e 49ª SÉRIES DA 1ª EMISSÃO DA ECO SECURITIZADORA DE DIREITOS CREDITÓRIOS DO AGRONOGÓCIO S.A. ( CRAs ) CNPJ/MF 10.753.164/0001-43

Leia mais

DECISÃO do Plenário do CFA na 19ª reunião, realizada em 11/12/2003,

DECISÃO do Plenário do CFA na 19ª reunião, realizada em 11/12/2003, RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA N.º 287, DE 14 DE JANEIRO DE 2004 (Revogada pela Resolução Normativa CFA n.º 339, de 5 de junho de 2007) Dispõe sobre o parcelamento de anuidades e outros débitos de exercícios

Leia mais

NOVA SECURITIZAÇÃO S.A. EXERCÍCIO DE 2016

NOVA SECURITIZAÇÃO S.A. EXERCÍCIO DE 2016 NOVA SECURITIZAÇÃO S.A. 23ª SÉRIE da 1ª EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 Rio de Janeiro, 28 de Abril de 2017. Prezados Senhores

Leia mais

Regulamento do Bradesco Fundo de Investimento em Ações - Livre Fácil. Capítulo I - Do Fundo. Capítulo II - Da Denominação do Fundo

Regulamento do Bradesco Fundo de Investimento em Ações - Livre Fácil. Capítulo I - Do Fundo. Capítulo II - Da Denominação do Fundo Regulamento do Bradesco Fundo de Investimento em Ações - Livre Fácil Capítulo I - Do Fundo Artigo 1 o ) O Bradesco Fundo de Investimento em Ações - Livre Fácil, regido pelas disposições do presente Regulamento

Leia mais

PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE)

PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Versão: 11/08/2014 Atualizado em: 11/08/2014 APRESENTAÇÃO 1. Este Documento é disponibilizado pela Cetip S.A

Leia mais

BANCO DO BRASIL S.A. Sumário Executivo do Contrato dos Cartões de Crédito Private Label Híbrido PETROBRAS

BANCO DO BRASIL S.A. Sumário Executivo do Contrato dos Cartões de Crédito Private Label Híbrido PETROBRAS BANCO DO BRASIL S.A. Sumário Executivo do Contrato dos Cartões de Crédito Private Label Híbrido PETROBRAS Conceito e Características do Cartão de Crédito O cartão de crédito Private Label Híbrido Petrobras,

Leia mais

CONTRATO DE RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS E OUTRAS AVENÇAS. Meios eletrônicos e/ou de comunicação à distância

CONTRATO DE RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS E OUTRAS AVENÇAS. Meios eletrônicos e/ou de comunicação à distância CONTRATO DE RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS E OUTRAS AVENÇAS Meios eletrônicos e/ou de comunicação à distância Por este contrato e melhor forma de direito: 1. PARTES 1.1 CREDOR: BANCO BRADESCO CARTÕES S.A., inscrito

Leia mais

Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito do HSBC.

Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito do HSBC. Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito do HSBC. Leia estas informações importantes para aproveitar todas as vantagens do seu novo cartão de crédito. Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito do

Leia mais

FIANÇA DIGITAL-GARANTIA DE RECEBÍVEIS

FIANÇA DIGITAL-GARANTIA DE RECEBÍVEIS BARUC INVESTMENT EMPRESARIAL S.A - BARUC BANK CARTA DE FIANÇA Nº 32001/2017 Capital Social: R$ 513.216.701,00 Documento eletrônico digitalmente assinado por: Alexandre dos Santos Correia (Certificado Digital

Leia mais

FERRONORTE S.A. FERROVIAS NORTE BRASIL CNPJ/MF n.º / NIRE n.º Companhia Aberta

FERRONORTE S.A. FERROVIAS NORTE BRASIL CNPJ/MF n.º / NIRE n.º Companhia Aberta FERRONORTE S.A. FERROVIAS NORTE BRASIL CNPJ/MF n.º 24.962.466/0001-36 NIRE n.º 51300004453 Companhia Aberta ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL DE DEBENTURISTAS DA 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES, REALIZADA EM 13 DE OUTUBRO

Leia mais

RAÍZEN ENERGIA S.A. CNPJ/MF / NIRE ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 08 DE ABRIL DE 2016

RAÍZEN ENERGIA S.A. CNPJ/MF / NIRE ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 08 DE ABRIL DE 2016 RAÍZEN ENERGIA S.A. CNPJ/MF 08.070.508/0001-78 NIRE 35.300.339.16-9 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 08 DE ABRIL DE 2016 1. Data, Horário e Local: a Reunião do Conselho de Administração

Leia mais

d) observar o Regulamento do Emissor de BDR Nível I Não Patrocinado; e

d) observar o Regulamento do Emissor de BDR Nível I Não Patrocinado; e Anexo I ao Oficio Circular 016/2010-DP O Conselho de Administração da BM&FBOVESPA S.A Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 30, alíneas a, b e c do Estatuto

Leia mais

TERMO DE CESSÃO AO CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO CCEAR Nº / - Produto / POR (QUANTIDADE ou DISPONIBILIDADE).

TERMO DE CESSÃO AO CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO CCEAR Nº / - Produto / POR (QUANTIDADE ou DISPONIBILIDADE). TERMO DE CESSÃO AO CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO Nº / - Produto / POR (QUANTIDADE ou DISPONIBILIDADE). Pelo presente instrumento contratual e na melhor forma de direito,

Leia mais

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas)

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas) 1. Contexto operacional O CLUBE DE INVESTIMENTO SAÚDE, FORÇA E UNIÃO ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição,

Leia mais

CONCESSIONÁRIA DAS RODOVIAS AYRTON SENNA E CARVALHO PINTO S.A. - ECOPISTAS CNPJ/MF N / NIRE

CONCESSIONÁRIA DAS RODOVIAS AYRTON SENNA E CARVALHO PINTO S.A. - ECOPISTAS CNPJ/MF N / NIRE CONCESSIONÁRIA DAS RODOVIAS AYRTON SENNA E CARVALHO PINTO S.A. - ECOPISTAS CNPJ/MF N 10.841.050/0001-55 NIRE 35.300.368.657 ATA DA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 12 DE JULHO DE 2017 DATA,

Leia mais

CONTAX PARTICIPAÇÕES S.A.

CONTAX PARTICIPAÇÕES S.A. CONTAX PARTICIPAÇÕES S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado (Categoria A ) Avenida Paulista, nº 407, 8 andar, Bairro Bela Vista, CEP 01311-000, São Paulo, SP CNPJ/MF n 04.032.433/0001-80 NIRE 35.300.180.631

Leia mais

CONTRATO DE RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS E OUTRAS AVENÇAS. Meios eletrônicos e/ou de comunicação à distância

CONTRATO DE RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS E OUTRAS AVENÇAS. Meios eletrônicos e/ou de comunicação à distância CONTRATO DE RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS E OUTRAS AVENÇAS Meios eletrônicos e/ou de comunicação à distância Por este contrato e melhor forma de direito: 1. PARTES 1.1 CREDOR: BANCO BRADESCO S.A., inscrito no

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DE GARANTIA DE PENHOR DE DIREITOS. Quadro Resumo

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DE GARANTIA DE PENHOR DE DIREITOS. Quadro Resumo INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DE GARANTIA DE PENHOR DE DIREITOS Quadro Resumo BANCO CNPJ /MF Banco Bradesco S.A. 60.746.948/0001 12 Sede: Cidade de Deus, Município e Comarca de Osasco, Estado

Leia mais

VIGOR ALIMENTOS S.A. EXERCÍCIO DE 2016

VIGOR ALIMENTOS S.A. EXERCÍCIO DE 2016 VIGOR ALIMENTOS S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 Rio de Janeiro, 28 de Abril de 2017. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade de Agente Fiduciário

Leia mais

MANUAL DE NORMAS CDA E WA

MANUAL DE NORMAS CDA E WA MANUAL DE NORMAS CDA E WA VERSÃO: 01/7/2008 2 / 11 MANUAL DE NORMAS CDA CERTIFICADO DE DEPÓSITO AGROPECUÁRIO E WA WARRANT AGROPECUÁRIO ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES

Leia mais

Manual de Normas Cotas de Fundo de Investimento

Manual de Normas Cotas de Fundo de Investimento Versão: 27/07/2015 Documento Público 2/12 MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO SUMÁRIO CAPÍTULO I DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO II DA CONTRATAÇÃO DE ADMINISTRADOR DE CUSTÓDIA E DE DIGITADOR POR ADMINISTRADOR

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS PARA A CONCESSÃO DE LIMITE DE CRÉDITO PARA EMPRÉSTIMO - CITICRÉDITO AUTOMÁTICO

CONDIÇÕES GERAIS PARA A CONCESSÃO DE LIMITE DE CRÉDITO PARA EMPRÉSTIMO - CITICRÉDITO AUTOMÁTICO CONDIÇÕES GERAIS PARA A CONCESSÃO DE LIMITE DE CRÉDITO PARA EMPRÉSTIMO - CITICRÉDITO AUTOMÁTICO Pelo presente, BANCO CITIBANK S.A., inscrito no CNPJ sob o nº 33.479.023/0001-80, com sede na Capital do

Leia mais

MANUAL DE NORMAS CADASTRAMENTO SIMPLIFICADO DE INVESTIDOR NÃO RESIDENTE

MANUAL DE NORMAS CADASTRAMENTO SIMPLIFICADO DE INVESTIDOR NÃO RESIDENTE MANUAL DE NORMAS CADASTRAMENTO SIMPLIFICADO DE INVESTIDOR NÃO RESIDENTE VERSÃO: 01/7/2008 2/10 MANUAL DE NORMAS CADASTRAMENTO SIMPLIFICADO DE INVESTIDOR NÃO RESIDENTE ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO

Leia mais

MANUAL DE NORMAS LAM LETRA DE ARRENDAMENTO MERCANTIL

MANUAL DE NORMAS LAM LETRA DE ARRENDAMENTO MERCANTIL MANUAL DE NORMAS LETRA DE ARRENDAMENTO MERCANTIL VERSÃO: 01/4/2009 2/8 MANUAL DE NORMAS LETRA DE ARRENDAMENTO MERCANTIL ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO

Leia mais

VOTORANTIM CIMENTOS S.A. 6ª Emissão de Debêntures. Série Única. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016

VOTORANTIM CIMENTOS S.A. 6ª Emissão de Debêntures. Série Única. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016 VOTORANTIM CIMENTOS S.A. 6ª Emissão de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES) ESCRITURADOR LIQUIDANTE VOTORANTIM CIMENTOS

Leia mais

Sumário NOTA DO AUTOR PARTE GERAL TEORIA GERAL DOS TÍTULOS DE CRÉDITO

Sumário NOTA DO AUTOR PARTE GERAL TEORIA GERAL DOS TÍTULOS DE CRÉDITO Sumário NOTA DO AUTOR PARTE GERAL TEORIA GERAL DOS TÍTULOS DE CRÉDITO 1 ASPECTOS CONCEITUAIS 1 Crédito 2 Título 3 Outros títulos 4 Cambiaridade 5 Emissão e seus efeitos 5.1 Princípio da incorporação 6

Leia mais

CARTÃO COLOMBO INTERNACIONAL PROGRAMA DE FIDELIDADE CLUBE PREMIUM DE VANTAGENS. Empréstimos e Financiamentos

CARTÃO COLOMBO INTERNACIONAL PROGRAMA DE FIDELIDADE CLUBE PREMIUM DE VANTAGENS. Empréstimos e Financiamentos CARTÃO COLOMBO INTERNACIONAL PROGRAMA DE FIDELIDADE CLUBE PREMIUM DE VANTAGENS Empréstimos e Financiamentos www.crediare.com.br Este contrato destina-se a regular as condições do Programa de Fidelidade

Leia mais

PERCENTUAL DE PARTICIPAÇÃO 200,00% IBOVESPA - Índice Bovespa à vista, observado de forma contínua e fornecido pela CETIP, código IBOVESPA

PERCENTUAL DE PARTICIPAÇÃO 200,00% IBOVESPA - Índice Bovespa à vista, observado de forma contínua e fornecido pela CETIP, código IBOVESPA IDENTIFICAÇÃO DO ATIVO COE - IBOVESPA UP&DOWN CP SERIE 008 DESCRIÇÃO MODALIDADE Produto estruturado com 100% do Valor Nominal protegido pelo Emissor, mais um rendimento variável atrelado à variação positiva

Leia mais

Renda Fixa. Nota Promissória. Renda Fixa

Renda Fixa. Nota Promissória. Renda Fixa Renda Fixa O produto A (NP), também conhecida como nota comercial ou commercial paper, é um título emitido por companhias com o objetivo de captar recursos, geralmente para financiar seu capital de giro.

Leia mais

MANUAL DE NORMAS NOTA COMERCIAL

MANUAL DE NORMAS NOTA COMERCIAL MANUAL DE NORMAS NOTA COMERCIAL VERSÃO: 28/02/2011 2 / 14 MANUAL DE NORMAS NOTA COMERCIAL ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO TERCEIRO DAS ATIVIDADES DISPONIBILIZADAS

Leia mais

I. como emissora das debêntures objeto da Escritura de Emissão (conforme definida abaixo) ("Debêntures"):

I. como emissora das debêntures objeto da Escritura de Emissão (conforme definida abaixo) (Debêntures): SEGUNDO ADITAMENTO À ESCRITURA PARTICULAR DE EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES SIMPLES, NÃO CONVERSÍVEIS EM AÇÕES, DA ESPÉCIE QUIROGRAFÁRIA, EM DUAS SÉRIES, SENDO A PRIMEIRA SÉRIE SEM GARANTIA E A SEGUNDA

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR LEI Nº 6.674, DE 04 DE JANEIRO DE 2006. Revogada pela Lei nº 7.114, de 05 de novembro de 2009. AUTORIZA OS PODERES DO ESTADO, O TRIBUNAL DE CONTAS E O MINISTÉRIO PÚBLICO, AS AUTARQUIAS E FUNDAÇÕES ESTADUAIS

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 773, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015.

LEI COMPLEMENTAR Nº 773, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015. LEI COMPLEMENTAR Nº 773, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015. Institui o Programa de Recuperação Fiscal Refispoa 2015 e revoga a Lei nº 11.428, de 30 de abril de 2013. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Faço saber

Leia mais

ALUPAR INVESTIMENTO S.A. 4ª Emissão de Debêntures. Série Única. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016

ALUPAR INVESTIMENTO S.A. 4ª Emissão de Debêntures. Série Única. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016 ALUPAR INVESTIMENTO S.A. 4ª Emissão de Debêntures Série Única Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES) ESCRITURADOR LIQUIDANTE

Leia mais

VOTORANTIM CIMENTOS S.A. 8ª Emissão de Debêntures. Série Única. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016

VOTORANTIM CIMENTOS S.A. 8ª Emissão de Debêntures. Série Única. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016 VOTORANTIM CIMENTOS S.A. 8ª Emissão de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES) ESCRITURADOR LIQUIDANTE VOTORANTIM CIMENTOS

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DE GARANTIA DE PENHOR DE TÍTULO DE CRÉDITO. Quadro Resumo

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DE GARANTIA DE PENHOR DE TÍTULO DE CRÉDITO. Quadro Resumo INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONSTITUIÇÃO DE GARANTIA DE PENHOR DE TÍTULO DE CRÉDITO Quadro Resumo Banco CNPJ/MF Banco Bradesco S.A. 60.746.948/0001 12 Sede Cidade de Deus, Município e Comarca de Osasco,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS II. GLOSSÁRIO

CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS II. GLOSSÁRIO CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: CARDIF CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ Nº. : 11.467.788/0001-67 PRODUTO: PR_PU_POPULAR2_S100_1S_CS752 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº:

Leia mais

MANUAL DE NORMAS MÓDULO DE MANUTENÇÃO DE GARANTIAS - TÍTULOS REGISTRADOS NO SELIC MMG-SELIC

MANUAL DE NORMAS MÓDULO DE MANUTENÇÃO DE GARANTIAS - TÍTULOS REGISTRADOS NO SELIC MMG-SELIC MANUAL DE NORMAS MÓDULO DE MANUTENÇÃO DE GARANTIAS - TÍTULOS REGISTRADOS NO SELIC VERSÃO: 06/09/2011 2 / 13 MANUAL DE NORMAS MÓDULO DE MANUTENÇÃO DE GARANTIAS TÍTULOS REGISTRADOS NO SELIC ÍNDICE CAPÍTULO

Leia mais

Letra de Crédito Imobiliário

Letra de Crédito Imobiliário Letra de Crédito Imobiliário 180 22/jul/17 1.000,00 93,00% do CDI 120,0% Letra de Crédito do Agronegócio 116 19/mai/17 1.000,00 89,00% do CDI 114,8% 492 30/mai/18 1.000,00 95,00% do CDI 115,2% BANCO ORIGINAL

Leia mais

BANCO DO BRASIL S.A. Sumário Executivo do Contrato do Cartão BB Previdência Social e Cartão Consignado Banco do Brasil

BANCO DO BRASIL S.A. Sumário Executivo do Contrato do Cartão BB Previdência Social e Cartão Consignado Banco do Brasil BANCO DO BRASIL S.A. Sumário Executivo do Contrato do Cartão BB Previdência Social e Cartão Consignado Banco do Brasil Características do cartão Cartão BB Previdência Social e Cartão Consignado Banco do

Leia mais

UNIDAS S.A. 7ª Emissão de Debêntures. 1ª e 2ª Séries. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016

UNIDAS S.A. 7ª Emissão de Debêntures. 1ª e 2ª Séries. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016 UNIDAS S.A. 7ª Emissão de Debêntures 1ª e 2ª Séries Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES) Unidas S.A. Banco Santander (Brasil)

Leia mais

RODOVIA DAS CATARATAS S.A. - ECOCATARATAS 1ª Emissão de Notas Promissórias. Série Única

RODOVIA DAS CATARATAS S.A. - ECOCATARATAS 1ª Emissão de Notas Promissórias. Série Única RODOVIA DAS CATARATAS S.A. - ECOCATARATAS 1ª Emissão de Notas Promissórias Série Única Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES)

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA N.º 346, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2007 (Prazo de vigência expirado em 31 de dezembro de 2008)

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA N.º 346, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2007 (Prazo de vigência expirado em 31 de dezembro de 2008) Publicada no D.O.U. nº 239, de 13/12/2007 Seção 1 Página 154 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA N.º 346, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2007 (Prazo de vigência expirado em 31 de dezembro de 2008) Dispõe sobre o Programa de

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 566, DE 31 DE JULHO DE 2015

INSTRUÇÃO CVM Nº 566, DE 31 DE JULHO DE 2015 INSTRUÇÃO CVM Nº 566, DE 31 DE JULHO DE 2015 Dispõe sobre a oferta pública de distribuição de nota promissória. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS CVM torna público que o Colegiado, em reunião

Leia mais

PLANO DE INCENTIVO DE LONGO PRAZO DA KARSTEN S.A. OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES

PLANO DE INCENTIVO DE LONGO PRAZO DA KARSTEN S.A. OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES PLANO DE INCENTIVO DE LONGO PRAZO DA KARSTEN S.A. OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES O presente Plano de Incentivo de Longo Prazo Opção de Compra de Ações é regido pelas disposições abaixo e pela legislação aplicável.

Leia mais

CLUBE DE INVESTIMENTO PHI 0618 CNPJ (MF) Nº / (Administrado Planner Corretora de Valores S.A.)

CLUBE DE INVESTIMENTO PHI 0618 CNPJ (MF) Nº / (Administrado Planner Corretora de Valores S.A.) 1. CONTEXTO OPERACIONAL O CLUBE DE INVESTIMENTO PHI 0618 ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição, em

Leia mais

CLÁUSULAS E CONDIÇOES DO CRÉDITO PESSOAL ELETRÔNICO

CLÁUSULAS E CONDIÇOES DO CRÉDITO PESSOAL ELETRÔNICO CLÁUSULAS E CONDIÇOES DO CRÉDITO PESSOAL ELETRÔNICO Por este instrumento e na melhor forma de direito, o BANCO SANTANDER (BRASIL) S/A, com sede na Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2041/2235A, São Paulo/SP,

Leia mais

MANUAL DE NORMAS ATUAÇÃO DA CETIP COMO AGENTE DE CÁLCULO

MANUAL DE NORMAS ATUAÇÃO DA CETIP COMO AGENTE DE CÁLCULO MANUAL DE NORMAS ATUAÇÃO DA CETIP COMO AGENTE DE CÁLCULO VERSÃO: 21/06/2010 2 / 6 MANUAL DE NORMAS ATUAÇÃO DA CETIP COMO AGENTE DE CÁLCULO ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES

Leia mais

PARTE A TERMOS CONTRATUAIS

PARTE A TERMOS CONTRATUAIS 20 de Fevereiro de 2012 CONDIÇÕES FINAIS Banco Comercial Português, S.A. (o Banco ou o Emitente ), Emissão de EUR 7.750.000 Valores Mobiliários Millennium Rendimento Especial 180, Agosto 2012 - com vencimento

Leia mais

Letra de Crédito Imobiliário

Letra de Crédito Imobiliário Letra de Crédito Imobiliário PRAZO (DIAS) VENCIMENTO APLICAÇÃO MÍNIMA TAXA EQUIVALÊNCIA CDI 540 17/ago/18 10.000,00 94,00% do CDI 113,9% Letra de Crédito do Agronegócio BANCO ORIGINAL Baa1.br Moody's PRAZO

Leia mais

PU36 Plus SITE NA INTERNET : CONDIÇÕES GERAIS GLOSSÁRIO

PU36 Plus SITE NA INTERNET :  CONDIÇÕES GERAIS GLOSSÁRIO PU36 Plus SITE NA INTERNET : www.brasilcap.com CONDIÇÕES GERAIS GLOSSÁRIO Subscritor é a pessoa que subscreve a proposta de aquisição do Título, assumindo o compromisso de efetuar o pagamento na forma

Leia mais

O protesto é um direito do credor decorrente do descumprimento, pelo devedor, da obrigação de lhe pagar determinada quantia em dinheiro.

O protesto é um direito do credor decorrente do descumprimento, pelo devedor, da obrigação de lhe pagar determinada quantia em dinheiro. O protesto é um direito do credor decorrente do descumprimento, pelo devedor, da obrigação de lhe pagar determinada quantia em dinheiro. O que é o protesto? É o ato pelo qual se prova a inadimplência

Leia mais

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas)

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas) 1. Contexto operacional O CLUBE DE INVESTIMENTO INVEST TRADE ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição,

Leia mais

MANUAL DE NORMAS DEBÊNTURE

MANUAL DE NORMAS DEBÊNTURE MANUAL DE NORMAS DEBÊNTURE VERSÃO: 01/7/2008 2 / 18 MANUAL DE NORMAS DEBÊNTURE ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 4 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 4 CAPÍTULO TERCEIRO DAS ATIVIDADES DISPONIBILIZADAS

Leia mais

ANEXO I. Declara, ainda, que: ( ) os créditos objetos do presente pedido não se encontram inscritos em dívida ativa;

ANEXO I. Declara, ainda, que: ( ) os créditos objetos do presente pedido não se encontram inscritos em dívida ativa; ANEXO I REQUERIMENTO DE ADESÃO AO PROGRAMA DE REGULARIZAÇÃO DE DÉBITOS NÃO TRIBUTÁRIOS NÃO INSCRITOS EM DÍVIDA ATIVA DA AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR ANS, COM FUNDAMENTO NA MEDIDA PROVISÓRIA Nº

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA - SAFRA

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA - SAFRA CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA - SAFRA Pelo presente instrumento particular as partes abaixo identificadas celebram o contrato de compra e venda de energia elétrica (o Contrato ), de acordo

Leia mais

Quadro Comparativo Resolução n 4.497/16 vs. MCR e Resolução n 4.415/15

Quadro Comparativo Resolução n 4.497/16 vs. MCR e Resolução n 4.415/15 Quadro Comparativo Resolução n 4.497/16 vs. MCR e Resolução n 4.415/15 Manual de Crédito Rural (MCR) RESOLUÇÃO Nº 4.497, DE 31 DE MAIO DE 2016 c) os recursos transferidos devem ser aplicados: I - recursos

Leia mais